ESTE DOCUMENTO É UMA TRADUÇÃO LIVRE DA VERSÃO ORIGINAL. EM CASO DE DIVERGÊNCIA, DEVE PREVALECER A VERSÃO EM INGLÊS. TERMO DE REFERÊNCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTE DOCUMENTO É UMA TRADUÇÃO LIVRE DA VERSÃO ORIGINAL. EM CASO DE DIVERGÊNCIA, DEVE PREVALECER A VERSÃO EM INGLÊS. TERMO DE REFERÊNCIA"

Transcrição

1 ESTE DOCUMENTO É UMA TRADUÇÃO LIVRE DA VERSÃO ORIGINAL. EM CASO DE DIVERGÊNCIA, DEVE PREVALECER A VERSÃO EM INGLÊS. TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de empresa organizadora de eventos para a prestação de serviços de prevenção e combate a incêndio, de controle de pânico e de atendimento de primeiros socorros; atendimento médico de emergência com remoção em ambulância; vigilância e segurança privada; limpeza e conservação de instalações; serviços especiais de assessoramento técnico e administrativo; e para o fornecimento (locação) de materiais e equipamentos de apoio operacional. Sumário 1. OBJETO ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS Serviços de Brigada Objetivo Escopo Ações Preliminares Obrigatórias Estrutura, Organização e Controle Unidade de Custo Serviços de Atendimento Médico Objetivo Escopo Ações Preliminares Obrigatórias Estrutura, Organização e Controle

2 Unidade de Custo Remoção de pacientes em UTI Móvel Objetivo Escopo Ações Preliminares Obrigatórias Estrutura, Organização e Controle Unidade de Custo Serviços de Vigilância e Segurança Privada Objetivo Escopo Ações Preliminares Obrigatórias Estrutura, Organização e Controle Unidade de Custo Serviços Eventuais de limpeza e conservação Objetivo Escopo Estrutura, Organização e Controle Unidade de Custo Serviços Especiais de Assessoramento Técnico Objetivo Escopo Ações Preliminares Obrigatórias Estrutura, Organização e Controle Unidade de Custo Serviços Especiais de Assessoramento Administrativo e de Produção de Eventos Objetivo Escopo Ações Preliminares Obrigatórias Estrutura, Organização e Controle Unidade de Custo Fornecimento (locação) de materiais e equipamentos de apoio operacional Objetivo Escopo

3 Ações Preliminares Obrigatórias Estrutura, Organização e Controle Unidade de Custo LOCAIS DE EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS PRAZOS DE EXECUÇÃO Agendamento dos Serviços SUSTENTABILIDADE DISPOSIÇÕES GERAIS PLANILHA PARA REGISTRO DE PREÇOS DE SERVIÇOS POR REGIÃO PLANILHA PARA REGISTRO DE PREÇOS UNITÁRIOS, DIÁRIOS E MENSAIS DE SERVIÇOS, POR REGIÃO PLANILHA PARA REGISTRO DE PREÇOS UNITÁRIOS, DIÁRIOS E MENSAIS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS, POR REGIÃO

4 1. OBJETO Prestação eventual de serviços de apoio logístico à realização de eventos de grande porte, realizados em projetos de cooperação técnica com PNUD. 2. ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS i. Caberá à Contratada recrutar, selecionar, contratar, treinar, uniformizar pagar e coordenar, toda a equipe disponibilizada, garantindo o cumprimento de escalas de trabalho e a substituição IMEDIATA, em caso de falta ou desempenho insatisfatório. Bem como, responsabilizar-se por toda e qualquer despesa decorrente da contratação dos profissionais (transporte, alimentação, seguro de vida e acidentes pessoais tributos e outros), além das demais prescrições editalícias e contratuais; ii. Os serviços serão realizados mediante solicitações da Contratante por meio de Ordens de Serviço, onde serão descritos o local, o período e as quantidades (em Unidades de Custo) a serem fornecidas, de acordo com cada tipo de serviço. O PNUD não se obriga a garantir quantidades mínimas ou máximas de serviços a serem solicitados Serviços de Brigada Objetivo Segurança preventiva e ostensiva no combate a incêndio, controle de pânico e atendimento emergencial de primeiros socorros, para eventos realizados em projetos com acordo de cooperação com o PNUD Escopo i. Identificar a situações de emergência; ii. Atuar no controle de pânico; iii. Auxiliar na evacuação da edificação; iv. Combater os incêndios em sua fase inicial, de forma que possam ser controlados por meio de extintores ou mangueiras de incêndio; v. Prestar os primeiros socorros a feridos e vítimas de mal súbito, utilizando os equipamentos apropriados fornecidos pela contratada; vi. Solicitar atendimento dos órgãos competentes; vii. Auxiliar o Corpo de Bombeiros naquilo que for solicitado e autorizado pela contratante. viii. Verificar a transmissão do alarme aos ocupantes. 4

5 Ações Preliminares Obrigatórias i. Conhecer todas as instalações do local do evento, incluindo as vias de escape, por onde as pessoas possam sair rapidamente em situações de emergência; ii. Conhecer os locais dos sistemas preventivos e o princípio de funcionamento e operação dos mesmos: sprinkler, CO2, extintores manuais e sobre rodas, detecção e alarme; iii. Inspecionar os equipamentos de proteção contra incêndio e rotas de fuga, e se detectada qualquer anormalidade comunicar imediatamente, por escrito, à Coordenação do evento, escriturando nos respectivos Livros de Registro de Ocorrências a ocorrência verificada, a data a pessoa que recebeu a comunicação ou as providências adotadas; iv. Emitir Relatório de Avaliação de Riscos existentes e recomendações para o local; v. Conhecer ou Elaborar, se for o caso, o Plano de Distribuição e Comunicação das equipes e com a Contratante; vi. Conhecer ou Elaborar, se for o caso, o Plano de Combate a Incêndio, Pânico e Abandono; vii. Elaboração de relatórios exigidos por Normas Técnicas e instituições oficiais pertinentes; viii. Distribuição em locais visíveis e de grande circulação, quadros de aviso ou similares, elaborados pela contratada, sinalizando a existência da brigada de incêndio, indicando seus integrantes e suas respectivas localizações, os equipamentos de combate a incêndio e as saídas de emergência, mais próximas dos respectivos locais; obedecendo ao padrão de sinalização interna do evento e diretrizes da Contratante; ix. Fornecimento de todos os EPI s, dispositivos de salvamento e demais materiais nas quantidades necessárias à perfeita execução dos serviços; x. Fornecimento e instalação nos locais de realização dos eventos, de tendas, containers, móveis, equipamentos e utensílios que se fizerem necessários para a instalação da administração; do abrigo de empregados e guarda de objetos de uso exclusivo da Contratada. Estes locais serão, se possível, providos pela contratante Estrutura, Organização e Controle A estrutura de comando e comunicação entre os componentes é de responsabilidade da contratada, desde que garanta a eficiência, comunicação e controle das ações, tudo em pleno acordo com as normas pertinentes e melhores práticas do mercado. 5

6 Os profissionais designados para prestar o serviço contratado devem ter comprovadamente a formação mínima exigida para o exercício da atividade e preenchimento dos postos, bem como ser credenciados junto ao Corpo de Bombeiros Militar do município ou Estado de realização do evento, conforme estabelecido na Lei /2009 e demais normas que venham a estabelecer exigências de formação. As equipes disponibilizadas deverão obrigatoriamente contemplar os seguintes perfis profissionais: i. Número suficiente de Bombeiro Civil - nível básico: combatente direto ou não do fogo; ii. Número suficiente de Bombeiro Civil Líder: bombeiro civil formado como técnico em prevenção e combate a incêndio, em nível de ensino médio. Atuará como Chefe da Brigada e exercerá a autoridade de comandar, orientar e fiscalizar a atuação dos brigadistas; iii. Pelo menos 01 (um) Bombeiro Civil Mestre: bombeiro civil formado em engenharia com especialização em prevenção e combate a incêndio. Atuará como Supervisor de Brigada de incêndio e suas atribuições incluirão: responsável pela prevenção, determinação da organização, estrutura, coordenação, formação, treinamento e supervisão das atividades do chefe da brigada e da brigada de incêndio particulares e elaboração implementação do PPCI, conforme a legislação vigente; revisão, atualização e manutenção do estoque de materiais e equipamentos de uso da Brigada de Incêndio. Os referidos perfis poderão ser cumulativos ou não. Ou seja uma mesma pessoa poderá cumprir até dois perfis. O horário estabelecido para a prestação dos serviços da Brigada poderá ser alterado, independente de termo aditivo, desde que obedecida a carga horária regulamentar de 12 (doze) horas de trabalho por 36 (trinta e seis) horas de descanso, num total de 36 (trinta e seis) horas semanais, como estabelece a Lei /09. É de responsabilidade da contratada eventuais aumentos do número de profissionais para cobrir os mesmos postos nos horários estabelecidos, em decorrência de restrições legais da carga horária de trabalho dos brigadistas Unidade de Custo B-10 Brigada: composta por 10 bombeiros civis, 01 bombeiro civil líder e 01 bombeiro civil mestre. 6

7 2.2. Serviços de Atendimento Médico Objetivo Garantir atendimento de primeiros socorros, pré-hospitalares, de urgência e emergência aos membros das equipes de administração e operação dos eventos e frequentadores Escopo Montagem e operação de posto médico, em ambiente físico fixo ou de campanha, previamente determinados, com fornecimento do mobiliário médico-hospitalar, materiais de primeiros socorros e respectivos equipamentos de proteção individual e coletiva, bem como alocação de equipe médica devidamente credenciada e capacitada para os serviços Ações Preliminares Obrigatórias i. Inspecionar os locais, disponibilizados para instalação dos laboratórios; ii. Emitir relatório de Avaliação das condições, riscos existentes e recomendações para o local; iii. Elaborar o croqui e inventário de moveis, equipamentos, medicamentos e demais insumos disponibilizados, adequados às características e finalidade do posto e do ambiente; iv. Montagem e suprimento dos Postos Médicos; v. Informar ao Conselho Regional de Medicina do Estado de realização do evento, e com a devida antecedência, o número de equipes médicas a serem alocadas, além de providenciar, junto àquela entidade, as inspeções necessárias aos postos médicos e às ambulâncias, para emissão do Certificado de Regularidade Estrutura, Organização e Controle Os referidos postos médicos deveram ser compostos de, no mínimo: i. Médico Responsável: 1 (um); ii. Enfermeiro Graduado: 1 (um); iii. Auxiliar de Enfermagem certificado: 1(um); Obs.: Entre a equipe alocada, a Contratada deverá apontar um diretor técnico médico que será o responsável pelo serviço. iv. Macas acolchoadas para atendimentos e/ou transporte por ambulância: 2 (duas); v. Móveis e utensílios: Todos os necessários ao pleno exercício das atividades de sua competência, dentro dos prazos de validade e vida útil; 7

8 vi. Materiais, equipamentos e medicamentos: Todos os necessários para primeiros socorros e suporte à vida nas quantidades adequadas; vii. Material de expediente: Todos os necessários para realização dos registros em prontuário, atestações, prescrições e encaminhamentos; viii. Sistema de Proteção Elétrica: A Contratada deverá dotar os equipamentos elétricos com sistema de iluminação de emergência e de proteção contra interrupção momentânea de fornecimento de energia e também para evitar danos à rede elétrica utilizada, se for ocaso. Obs.: Todo material fornecido deve estar devidamente identificado de modo a não ser confundido com similares de propriedade da Contratante Unidade de Custo PMe: 1 (um) posto-médico, com a estrutura acima, funcionando 16 h/dia Remoção de pacientes em UTI Móvel Objetivo Garantir agilidade no atendimento hospitalar às vítimas de acidentes no âmbito dos Eventos assistidos pelos programas de cooperação Técnica com o PNUD Escopo Translado de pacientes, em UTI móvel terrestre, com assistência médica durante o percurso, do local da ocorrência até as instalações hospitalares locais indicadas Ações Preliminares Obrigatórias i. Inspecionar os locais de atendimento; ii. Conhecer precisamente as rotas de transito dos locais do evento até os hospitais a serem utilizados; iii. Emitir relatório de Avaliação das condições, riscos existentes e recomendações pertinentes; iv. Elaborar inventário de equipamentos, medicamentos e demais recursos a serem disponibilizados, adequados às características dos trajetos a serem utilizados; v. Elaboração do plano de comunicação e atendimento de chamadas; 8

9 vi. A Contratada deverá informar, às entidades competentes, e adotar as providencias cabíveis para regularização de suas atividades Estrutura, Organização e Controle i. 01 (Uma) Ambulância UTI de Suporte Avançado de Vida - Tipo D, terrestre Equipada Conforme normas Nacionais e Internacionais pertinentes; ii. Tripulação formada por 01 (Um) Médico responsável, 01 (Um) Técnico de Enfermagem e 01 (Um) Motorista / Socorrista com conhecimento prévio da rota de fuga e hospital de destino. iii. Todos os equipamentos e materiais previstos nas normas Nacionais e internacionais para o atendimento adequado aos pacientes, com o mínimo de riscos; iv. Todas as ferramentas e equipamentos sobressalentes para garantir a autonomia, controle e comunicação da Viatura durante o seu trajeto Unidade de Custo UTI - 1(uma) ambulância equipada e tripulada, por 16 horas/dia Serviços de Vigilância e Segurança Privada Objetivo Auxiliar na manutenção da segurança pessoal e patrimonial dos eventos, realizados por projetos de Cooperação Técnica com o PNUD Escopo Selecionar, contratar, fiscalizar, coordenar, controlar e orientar equipes de vigilância e segurança complementar composta de pessoal devidamente treinado e habilitado para o exercício das seguintes atividades: i. Vigilância das instalações, evitando a dilapidação do patrimônio, bem como fiscalizar a entrada e saída de pessoal e material de acordo com os regulamentos e procedimentos e planos recebidos, procedendo aos registros e formalidades obrigatórias; ii. Controlar a entrada e saída de pessoas nos locais de trabalho após o término do expediente de trabalho, anotando em documento próprio o nome, registro ou matrícula, cargo, órgão de lotação e tarefa a executar; 9

10 iii. Controlar o acesso, a segurança física e a ordem pública nas áreas definidas pela contratada; iv. Auxiliar na organização de filas e outros procedimentos de acesso; v. Auxiliar a orientação da circulação dos participantes; vi. Auxiliar na orientação do tráfego e estacionamento de veículos; vii. Prestar informações ao público quando necessário, sempre com a devida urbanidade; viii. Colaborar com as autoridades no esclarecimento de ocorrências dentro das instalações em que estiver trabalhando, facilitando, da melhor forma possível, a atuação daquelas autoridades; ix. Comunicar imediatamente à pessoa indicada qualquer anormalidade verificada, inclusive de ordem funcional, para que sejam adotadas as providências de regularização necessárias; x. Manter sistema de intercomunicação ágil de modo a garantir durante o evento a comunicação entre todos os postos, seus superiores e pessoa designada pela contratante Ações Preliminares Obrigatórias i. Conhecimento prévio da área e instalações existentes objeto dos serviços e das Instalações existentes nas mediações; ii. Inteirar-se da programação diária a fim de prestar informações corretas ao público e de direcionar as pessoas aos ambientes, conforme o caso; iii. Inteirar-se de todos os regulamentos vigentes e âmbito de atuação da contratada; iv. Apresentação, até 02 (dois) dias úteis antes do início da prestação do serviço dos documentos que comprovem a capacitação do pessoal para o exercício das suas respectivas atividades; v. Apresentação os atestados de antecedentes civil e criminal de toda mão-de-obra oferecida para atuar nas instalações do evento; vi. Apresentação de Seguro de Vida em Grupo para a totalidade dos profissionais colocados a serviço pela Contratada, na forma da Portaria DPF nº 99, de 25/10/95, ou instrumento equivalente no seu país de origem. vii. Apresentação de comprovante de seguro de responsabilidade civil para operações de vigilância e segurança; 10

11 viii. Apresentação para aprovação e ajustes da contratante do Plano de Segurança e Vigilância Complementar, onde constem todas as rotinas e procedimentos padrões de controle e comunicação a serem respeitados pelo pessoal alocado pela contratada, durante as eventuais ocorrências Estrutura, Organização e Controle. A Contratada somente colocará a serviço da Contratante pessoal credenciado e devidamente capacitado para os respectivos serviços. A Contratada deverá efetuar a reposição da mão-de-obra nos Postos, em caráter imediato, em eventual ausência, não sendo permitida a prorrogação da jornada de trabalho (dobra). Deverá ser mantido pela Contratada um serviço de supervisão dos postos, responsável pelas atividades seguintes: i. Participar da elaboração e execução dos planos de trabalho e emergenciais, responsabilizando-se pela fiscalização, coordenação, controle e orientação de todo o pessoal contratado; ii. Apresentar à Contratante, a listagem do efetivo, com a respectiva escala de trabalho, no início de cada turno e sempre que houver alterações; iii. Fiscalizar, coordenar, controlar e orientar a equipe contratada; iv. Fiscalizar o bom andamento e a qualidade dos serviços executados, relatando à Contratante toda e qualquer irregularidade observada nos postos de serviço; v. Emitir relatórios semanais contendo as situações encontradas durante as rondas e encaminhá-los à Contratante; vi. Executar quaisquer outras atividades inerentes ao bom cumprimento do objeto contratado. A Estrutura de organização controle e comunicação para o exercício das atividades deverá estar em conformidade com as normas e padrões vigentes, utilizando-se das melhores práticas de mercado e deverão constar do Plano de Segurança e Vigilância Complementar. A Contratada deverá disponibilizar para cada posto de trabalho no local do evento, 01 aparelho radiocomunicador, para permitir a comunicação entre os postos e com os colaboradores da Contratante e 01 capa de chuva, guarda-chuva ou similar. Os vigilantes deverão portar, também, um apito Unidade de Custo PVS - Posto de Vigilância/segurança, durante 24 horas/dia. 11

12 2.5. Serviços Eventuais de limpeza e conservação Objetivo Garantir e manutenção das áreas das instalações indicadas pela contratante em boas condições de higiene e limpeza Escopo Prestação de serviços de conservação e limpeza de áreas internas e externas ao local de realização do evento, com fornecimento de mãode-obra devidamente capacitada e de todos os equipamentos e produtos necessários, incluindo: i. Limpeza, com pano úmido, o pó das mesas, armários, arquivos, prateleiras, persianas, peitoris, caixilhos das janelas, bem como dos demais móveis existentes, inclusive aparelhos elétricos, extintores de incêndio, etc.; ii. Limpeza e aspiração do pó em capachos e tapetes e piso acarpetado; iii. Limpeza com saneantes domissanitários dos pisos dos sanitários, copas e outras áreas molhadas, duas vezes ao dia; iv. Limpeza e remoção de manchas e lustramento dos pisos encerados de madeira; v. Limpeza de poeira e polimento dos balcões e pisos vinílicos, de mármore, cerâmicos, marmorite e emborrachados; vi. Limpeza dos pisos de cimento; vii. Limpeza dos telefones com flanela e produtos adequados; viii. Limpeza dos tampos das mesas e assentos dos refeitórios, antes e após as refeições com pano embebido em álcool; ix. Limpeza dos corrimãos, quando couber; x. Limpeza atrás dos móveis, armários e arquivos, reposicionando o mobiliário em seguida, mantendo corretamente a disposição encontrada; xi. Limpeza com produtos adequados, as divisórias e portas revestidas de fórmica; xii. Limpeza, com produto neutro, portas, barras e batentes pintados a óleo ou verniz sintético; xiii. Limpeza e Lustramento todo o mobiliário envernizado com produto adequado e passar flanela nos móveis encerados; xiv. Limpeza, com produto apropriado, as forrações de couro ou plástico em assentos e poltronas; xv. Limpeza os balcões e os pisos vinílicos, de mármore, cerâmicos, de marmorite e emborrachados com detergente, encerar e lustrar; 12

13 xvi. Limpeza com pano úmido com saneantes domissanitários nos telefones; xvii. Limpeza dos espelhos com pano umedecido em álcool; xviii. Limpeza do pó e resíduos, com pano úmido, dos quadros em geral; xix. Limpeza de manchas de qualquer natureza que eventualmente se verifiquem nas paredes, rodapés, divisórias, portas e demais áreas revestidas de fórmica ou pintadas; xx. Lavagem (limpeza pesada) de áreas utilizadas pela Contratante, geralmente após a montagem e a desmontagem do evento), xxi. Lavagem de bacias, assentos e pias dos sanitários com saneante domissanitário desinfetante, duas vezes ao dia; xxii. Esvaziamento das lixeiras quantas vezes forem necessárias, acondicionando-o em sacos plásticos e removendo-os para local indicado pela Contratante; xxiii. Coleta seletiva para reciclagem, quando couber; xxiv. Suprimento e Abastecimento com papel toalha, papel higiênico e sabonete líquido os sanitários, quando necessário; xxv. Suprimento e higienização dos bebedouros com garrafões de água mineral, adquiridos pela Contratante; xxvi. Executar outras tarefas correlatas Estrutura, Organização e Controle. i. As equipes da contratada deverão, respeitando as normas e regulamentos pertinentes, ser organizadas da melhor maneira possível, ajustadas às peculiaridades das áreas a serem atendidas, visando garantir a segurança e preservação da integridade física dos transeuntes, bem como, dos próprios empregados no manuseio dos produtos e permanência em ambientes agressivos. Tais requisitos e diretrizes deverão constar do Plano Complementar de Limpeza e Conservação, elaborado em comum acordo com o Contratante; ii. A coordenação e distribuição do pessoal e suprimento dos materiais e equipamentos necessários são de inteira responsabilidade da Contratada; iii. Para a perfeita execução dos serviços, a Contratada deverá disponibilizar os materiais de limpeza, lixeiras e carrinhos coletores de lixo, equipamentos, ferramentas e utensílios, nas quantidades e qualidades necessárias, promovendo sua substituição quando necessária; 13

14 iv. A Contratante se reserva o direito de recusar os materiais fornecidos pela Contratada, para prestação dos serviços, objeto deste Termo de Referência, nos casos em que a qualidade apresentada seja inadequada; v. Todos os materiais e equipamentos a serem utilizados deverão obedecer aos critérios de sustentabilidade dispostos na Instrução Normativa nº 1, de 19 de janeiro de 2010, expedida pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Unidade de Custo m 2 AI - Metros Quadrados de Áreas Internas m 2 AE - Metros Quadrados de Áreas Externas 2.6. Serviços Especiais de Assessoramento Técnico Objetivo Suprir eventuais demandas de serviços especializados em apoio às Coordenações Técnicas do PNUD Escopo Locação de equipes técnicas especializadas para atuação em projetos de cooperação técnica, por período determinado, em qualquer estado Brasileiro, exercendo as atividades auxiliares de supervisão de trabalhos técnicos de engenharia e arquitetura realizados no âmbito de Projetos de cooperação técnica do PNUD, bem como de auditoria de obras e serviços correlatos Ações Preliminares Obrigatórias i. Conhecimento do Plano de Trabalho do PNUD, no local de Interesse; ii. Submissão, dos Nomes, função e demais dados de identificação dos membros que comporão a equipe; iii. O PNUD poderá rejeitar sem necessidade de esclarecimento a participação de qualquer dos nomes propostos Estrutura, Organização e Controle As equipes disponibilizadas deverão obrigatoriamente contemplar os seguintes Perfis profissionais: i. Engenheiro Civil com experiência mínima de 03 anos em supervisão de obras - Líder da equipe; 14

15 ii. Engenheiro Civil, com experiência mínima de 02 anos em instalações hidráulicas; iii. Engenheiro Eletricista com experiência mínima de 02 anos em circuitos de distribuição de energia elétrica predial; iv. Arquiteto, com no mínimo 02 anos de experiência e conhecimentos de CAD (Computer Aided Design); v. Engenheiro Mecânico, com no mínimo 2 anos de experiência em instalações e equipamentos de pequeno, médio e grande porte de Ar condicionado. Os referidos perfis poderão ser cumulativos ou não. Ou seja uma mesma pessoa poderá cumprir até dois perfis. Todas as despesas de deslocamento, estadia, alimentação, transporte da equipe correrão à conta da Contratada Unidade de Custo EAAT - Equipe Auxiliar de Assessoramento Técnico, como definida acima Serviços Especiais de Assessoramento Administrativo e de Produção de Eventos Objetivo Suprir eventuais demandas de serviços administrativos e de produção de eventos realizados no âmbito dos Eventos assistidos pelos programas de cooperação Técnica com o PNUD Escopo Recrutamento, seleção e alocação de equipes de apoio para atuação em projetos de cooperação técnica, por período determinado, em qualquer estado Brasileiro, exercendo atividades administrativas auxiliares ou de produção de eventos realizados no âmbito de Projetos de cooperação técnica do PNUD Ações Preliminares Obrigatórias i. Conhecimento do Plano de Trabalho do PNUD, no local de Interesse; ii. Submissão dos nomes, função e demais dados de identificação dos membros que comporão a equipe Estrutura, Organização e Controle As equipes disponibilizadas deverão obrigatoriamente contemplar os seguintes Perfis profissionais: 15

16 i. Assistente administrativo: profissional capaz de realizar uma ampla gama de funções administrativas e de escritório w ter conhecimentos de informática, e Internet; ii. Assistente de credenciamento: profissional com domínio de procedimentos relativos a credenciamento de delegações estrangeiras em conferências internacionais, sendo desejável fluência no idioma inglês e que possua experiência na execução da referida atividade em evento internacional de grande porte; iii. Assistente de protocolo/cerimonial: profissional com domínio de procedimentos de cerimonial e protocolo além de etiqueta social, sendo desejável fluência no idioma inglês e que possua experiência na execução da referida atividade em evento internacional de grande porte; iv. Assistente de receptivo (aeroporto / balcão de apoio em hotel): profissional capaz de passar informações sobre o evento, sendo desejável que conheça bem o aeroporto onde trabalhará (localização e funcionamento de terminais de embarque e desembarque; salas Vips; dependências da Polícia Federal, Infraero e Receita Federal; serviços de informações ao turista, táxi, etc.); v. Assistente de sala: deverá acompanhar atentamente a agenda de cada sala; preparar cada sala de reunião com antecedência, organizando a mesa diretora, assentos de participantes e demais elementos da sala; organizar as placas de identificação de participantes (prismas) de acordo com a ordem geral de precedência; distribuir textos de discursos e demais documentos correlatos à reunião aos intérpretes e demais pessoal de apoio (operadores de legenda em tempo real, técnicos de áudio e vídeo - conforme o caso) e, se solicitado, para os participantes, durante as reuniões; atualizar sinalização de portas e quadros de avisos com base no programa diário de reuniões; preparar urnas e outros itens para a realização de votação durante as reuniões; vi. Carregador: profissional com experiência em atividades de movimentação e transporte de cargas ou materiais frágeis, na operação de empilhadeiras, e dos diversos modelos de carros de transporte de carga; desejável que conheça bem o local onde trabalhará (localização de áreas de depósito e estocagem, procedimentos de carga e descarga, etc.); 16

17 vii. Intérprete simultâneo (português para inglês, francês ou espanhol e vice-versa): Profissional com comprovada experiência em tradução simultânea ou consecutiva em conferências internacionais de grande porte e com a participação de Chefes de Estado e ou de Governo; deverá necessariamente ser membro associado da APIC - Associação Profissional de Intérpretes de Conferência ou da AIIC - Associação Internacional de Intérpretes de Conferência; viii. Mestre de cerimônias: profissional com comprovada experiência no exercício dessa atividade em eventos oficiais, e com profundos conhecimentos de procedimentos de cerimonial e protocolo público federal além de etiqueta social; ix. Recepcionista bilíngue: profissional bilíngue (português/inglês), com desenvoltura e experiência no trato com autoridades; deve comunicar-se com clareza e adaptar sua linguagem, estilo e tom de voz para coincidir com público com o qual estiver lidando; desejável que possua experiência na execução da referida atividade em evento internacional de grande porte; x. Secretária(o) bilíngue (português/inglês): profissional com conhecimento prático na operação de microcomputadores, capaz de digitar e formatar documentos, além de operar copiadoras, centrais PABX e demais equipamentos usuais. Deverá conhecer profundamente as rotinas administrativas relativas a um escritório; xi. Supervisor de serviços de alimentos e bebidas (A&B): produtor de eventos com experiência na condução de equipes ligadas às atividades de administração de alimentos e bebidas (A&B); familiarizado com o universo gastronômico de eventos. Ter experiência na área operacional, saber as tarefas e o vocabulário do chef de cozinha, do maître, dos garçons e de todos da equipe. Ser capaz de analisar cardápios e propor alterações conforme o público do evento; xii. Supervisor de almoxarifado: produtor de eventos com experiência na liderança de equipes de carregadores, e capaz de executar atividades ligadas ao recebimento e despacho de cargas, armazenamento, estocagem e distribuição de material; além de conhecimento dos diversos tipos de material de expediente/papelaria; 17

18 xiii. Supervisor de eventos sociais: produtor de eventos com experiência na condução de equipes de cerimonial. Capaz de assessorar no planejamento de eventos sociais de gala, na elaboração de lista de convidados, distribuição de convites e confirmação de presença, no recebimento e acompanhamento de altas autoridades, na elaboração de roteiros de cerimônias, no estabelecimento da ordem geral de precedência em mesas diretoras, na correta disposição de bandeiras e prismas e em qualquer outra atividade relacionada à área; xiv. Supervisor de montagem: produtor de eventos com experiência comprovada no acompanhamento de montagens, instalações e desmontagens de estruturas efêmeras em eventos de grande porte. Deverá conhecer profundamente o local onde trabalhará, além dos diversas tipos de estruturas usualmente montadas em eventos; xv. Supervisor de receptivo: produtor de eventos com experiência comprovada na liderança de equipes de receptivo em aeroportos e/ou em balcões de apoio em hotéis; sendo desejável fluência no idioma inglês e que tenha executado função similar em evento internacional de grande porte; xvi. Supervisor de serviços de limpeza e conservação: produtor de eventos com experiência na supervisão de serviços de limpeza e conservação, preferencialmente em eventos de grande porte, com sólidos conhecimentos dos procedimentos de coleta seletiva, separação e destinação adequada de resíduos; xvii. Supervisor de serviços de brigada, serviços médicos e segurança: produtor de eventos com experiência comprovada na supervisão de serviços de segurança, brigada e pronto atendimento médico, preferencialmente em eventos de grande porte; xviii. Supervisor de serviços gráficos e de sinalização visual: produtor de eventos com experiência na supervisão de serviços gráficos (criação e impressão de blocos, timbrados, cartazes) e de sinalização visual (criação, impressão e instalação de banners, faixas, painéis, totens, etc.). Deverá ter conhecimento prático em pré-impressão, fechamento de arquivos e ser capaz de avaliar a qualidade das peças gráficas desenvolvidas; xix. Supervisor de transporte terrestre: produtor de eventos com larga experiência no planejamento e na gestão da logística de transporte terrestre (traslados dos participantes) em eventos de grande porte. 18

19 Unidade de Custo EAAPE - Equipe de Assessoramento Administrativo e de Produção de Eventos, composta por: I. Assistente Administrativo: 02 profissionais, pelo período de 01 (um) mês; II. Assistente de Credenciamento: 10 profissionais, pelo período de 10 (dez) dias; III. Assistente de Protocolo: 04 profissionais, pelo período de 10 (dez) dias; IV. Assistente de Receptivo: 10 profissionais, pelo período de 10 (dez) dias; V. Assistente de Sala: 04 profissionais, pelo período de 05 (cinco) dias; VI. Carregador: 20 profissionais, pelo período de 10 (dez) dias; VII. Intérprete Simultâneo: 02 duplas, pelo período de 05 (cinco) dias; VIII. Mestre de Cerimônias: 01 profissional por 02 (dois) dias; IX. Recepcionista bilíngue: 10 profissionais, pelo período de 05 (cinco) dias; X. Secretária bilíngue: 01 profissional por 01 (um) mês; XI. Supervisor de Alimentos & Bebidas: 01 profissional por 01 (um) mês; XII. Supervisor de Almoxarifado: 01 profissional por 01 (um) mês; XIII. Supervisor de Eventos Sociais: 01 profissional por 01 (um) mês; XIV. Supervisor de Montagem: 01 profissional por 01 (um) mês; XV. Supervisor de Receptivo: 01 profissional por 01 (um) mês; XVI. Supervisor de Limpeza e Conservação: 01 profissional por 01 (um) mês; XVII. Supervisor de Brigada, Serviços Médicos e Segurança: 01 profissional por 01 (um) mês; XVIII. Supervisor de serviços gráficos e de sinalização visual: 01 profissional por 01 (um) mês; XIX. Supervisor de Transporte Terrestre: 01 profissional por 01 (um) mês. 19

20 2.8. Fornecimento (locação) de materiais e equipamentos de apoio operacional Objetivo Suprir eventuais demandas por materiais e equipamentos de apoio operacional para utilização em eventos realizados, em qualquer estado Brasileiro, no âmbito dos projetos assistidos pelos programas de cooperação Técnica com o PNUD Escopo Fornecimento, instalação, manutenção e retirada (quando necessário) dos materiais e equipamentos de apoio operacional descritos a seguir: i. Bandeja de papelão reciclável: Bandeja de papelão grosso reciclável, com reforço para suportar montagem e desmontagem, com orifício para alça. A ser utilizada como passa objetos em áreas de acesso por Magnetômetros e portais de Raio X. Dimensões: 30cm (L) x 12cm (A) x 40cm (P). Cor: Kraft/Bege/Papelão; ii. iii. Balcão de distribuição de alimentos: Balcão em aço inoxidável AISI 304 c/ gabinete e prateleira interna, corre bandejas, protetor salivar em vidro 10 ou 15 mm personalizado, inox/inox ou inox/granito. Deve prever manter os alimentos aquecidos ou resfriados. As dimensões aproximadas do mesmo são de 3,5m x 1,0m. Refrigerado com 06 GNS, com mesa lateral; Bebedouro de água, tipo coluna com garrafão: deve oferecer água natural ou gelada (capacidade de refrigeração de sua categoria 5,2 litros por hora) e acomodar garrafões de 20L; iv. Fornecimento e reposição de garrafões de água de 20L; v. Bituqueira: coletora para descarte de bitucas de cigarro em aço com base para apoio no chão. Capacidade mínima: 10 litros (aproximadamente bitucas). Altura mínima: 90 cm vi. vii. Carro coletor de lixo com rodízios e 240L de capacidade: Carro para o acondicionamento de resíduos, com acionamento da tampa por pedal em aço. Capacidade volumétrica útil de 240 litros e carga máxima de 100,8 kg. Tampa abrangendo totalmente a abertura de forma a inibir a penetração de água de chuva, assim como de insetos. Rodas com diâmetro mínimo de 250mm, montadas sobre eixos apropriados para resistir a impactos decorrentes da operação normal (deslocamento, subida e descida de calçadas, escadas etc. Cor: cinza (não recicláveis) e Verde (recicláveis); Carro coletor de lixo com rodízios e 1000L de capacidade: Tampa basculante com dobradiças. Rodas giratórias, com aro externo em borracha, 2 com freio e 2 sem freio. Com dreno para líquidos e munhões laterais em aço revestido com plástico. Cor: cinza (não recicláveis) e Verde (recicláveis); 20

Descritivo Técnico - Mòveis Linha Home

Descritivo Técnico - Mòveis Linha Home Descritivo Técnico - Mòveis Linha Home Produto Código Descrição ARS 01 BD 01 BD 02 Suporte de descanço de braço Braçadeira de apoio de piso para suporte de braço e aplicação de injeção. Altura regulável

Leia mais

APÊNDICE XI SERVIÇOS GERAIS DE APOIO À ADMINISTRAÇÃO

APÊNDICE XI SERVIÇOS GERAIS DE APOIO À ADMINISTRAÇÃO APÊNDICE XI SERVIÇOS GERAIS DE APOIO À ADMINISTRAÇÃO 1 SUMÁRIO 1 CONCEITOS E DIRETRIZES... 3 2 LIMPEZA... 3 2.1 Caracterização do Pessoal... 3 2.2 Materiais e Equipamentos a serem fornecidos e utilizados...

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFRÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFRÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFRÊNCIA 1- INTRODUÇÃO E BASE LEGAL A elaboração deste Termo de Referência rege-se pelas disposições do Decreto nº 5.450, de 31/05/2005, subsidiariamente pela Lei nº 8.666/93, de 21/06/93

Leia mais

ANEXO II DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS, DOS LOCAIS E DOS ITENS. Área

ANEXO II DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS, DOS LOCAIS E DOS ITENS. Área ANEXO II DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS, DOS LOCAIS E DOS ITENS A execução dos serviços de limpeza, conservação e higienização nas dependências internas e externas dos edifícios, bem como nos seus bens móveis,

Leia mais

APÊNDICE "D" Descrição Técnica dos Pequenos Serviços de

APÊNDICE D Descrição Técnica dos Pequenos Serviços de APÊNDICE "D" Descrição Técnica dos Pequenos Serviços de A INTRODUÇÃO Neste apêndice estão discriminados os Serviços de Adequação (PSA) de menor complexidade para atendimento da dinâmica funcional da ECT,

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ INSTRUÇÃO NORMATIVA SGA Nº. 008/2011 DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS DE SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO DAS UNIDADES DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ. Versão: 01 Aprovação: 22/07/2011

Leia mais

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Identificação: PROSHISET 06

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Identificação: PROSHISET 06 Extintores de Incêndio Portáteis. Revisão: 00 Folha: 1 de 7 1. Objetivo Assegurar que todos os canteiros de obras atendam as exigências para utilização dos extintores de incêndio portáteis de acordo com

Leia mais

ANEXO I METODOLOGIA DE REFERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO

ANEXO I METODOLOGIA DE REFERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO ANEXO I METODOLOGIA DE REFERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO 1.1. Tarefa: Limpeza de MÓVEIS E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA - limpar com pano úmido e remover pó e manchas das mesas, armários,

Leia mais

LOTE II. TERMO DE REFERÊNCIA Descrição Geral dos Serviços de Limpeza e Conservação

LOTE II. TERMO DE REFERÊNCIA Descrição Geral dos Serviços de Limpeza e Conservação 1. DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS Os serviços de limpeza e conservação deverão ser realizados, conforme as seguintes especificações: ÁREAS INTERNAS 1.1. DIARIAMENTE, uma vez quando não explicitado. 1.1.1. Remover,

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÕES PARA A INSTALAÇÃO DE MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM PEQUENOS ESTABELECIMENTOS

CARTILHA DE ORIENTAÇÕES PARA A INSTALAÇÃO DE MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM PEQUENOS ESTABELECIMENTOS CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO PARÁ CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS CARTILHA DE ORIENTAÇÕES PARA A INSTALAÇÃO DE MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM PEQUENOS ESTABELECIMENTOS Belém 2014 / Versão 1.0 1

Leia mais

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS O canteiro de obras Introdução Sistema de produção Em muitos casos de obras de construção e montagem o canteiro de obras pode ser comparado a uma fábrica

Leia mais

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF A Comissão de segurança do Instituto de Química da UFF(COSEIQ) ao elaborar essa proposta entende que sua função é vistoriar, fiscalizar as condições

Leia mais

NORMA TÉCNICA DO CORPO DE BOMBEIROS Nº 18/2015 SISTEMA DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO - PROPOSTA

NORMA TÉCNICA DO CORPO DE BOMBEIROS Nº 18/2015 SISTEMA DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO - PROPOSTA ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO NORMA TÉCNICA DO CORPO DE BOMBEIROS Nº 18/2015 SISTEMA DE PROTEÇÃO

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL Resolução nº 002 de 09 de maio de 2011. O Comandante Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Maranhão, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001)

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18 Andaime Suspenso Mecânico ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18.15.30 Os sistemas de fixação e sustentação e as estruturas de apoio dos andaimes

Leia mais

TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SINTESE DAS ATIVIDADES TOTAL DE VAGAS REQUISITO

TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SINTESE DAS ATIVIDADES TOTAL DE VAGAS REQUISITO TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO CARGO Assistente Operacional Assistente Administrativo PRÉ- REQUISITO completo completo TOTAL DE VAGAS VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA 01 R$ 1.813,45 40 horas 02 R$

Leia mais

Descritivo Técnico - Mòveis Linha Home

Descritivo Técnico - Mòveis Linha Home Descritivo Técnico - Mòveis Linha Home Produto Código Descrição CM-01 Armário com Estrutura metálica em cantoneiras de chapas de aço de 2 mm, fechados com chapas de aço esmaltado no fundo/base/teto, pés

Leia mais

ESTE DOCUMENTO É UMA TRADUÇÃO LIVRE. EM CASO DE DIVERGÊNCIA, PREVELECE A INFORMAÇÃO ESPECÍFICA CONTIDA NO EDITAL ORIGINAL EM INGLÊS.

ESTE DOCUMENTO É UMA TRADUÇÃO LIVRE. EM CASO DE DIVERGÊNCIA, PREVELECE A INFORMAÇÃO ESPECÍFICA CONTIDA NO EDITAL ORIGINAL EM INGLÊS. ESTE DOCUMENTO É UMA TRADUÇÃO LIVRE. EM CASO DE DIVERGÊNCIA, PREVELECE A INFORMAÇÃO ESPECÍFICA CONTIDA NO EDITAL ORIGINAL EM INGLÊS. Seção 3a: Cronograma de Requisitos e Especificações Técnicas CONDIÇÕES

Leia mais

2.2 A Administração do Condomínio dá ênfase às medidas preventivas, assim entendidas as seguintes:

2.2 A Administração do Condomínio dá ênfase às medidas preventivas, assim entendidas as seguintes: Fl. 01 de 06 1 Objetivo A presente Regulamentação Especial visa normalizar os procedimentos para o pessoal incumbido de prevenir ou combater um princípio de incêndio e de atuar em situações de emergência,

Leia mais

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html Novos Cursos O SENAI criou 40 novos cursos a distância, sendo 10 cursos

Leia mais

2ª RETIFICAÇÃO DE EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE TOMADA DE PREÇO Nº 02/2015. OBJETO: Contratação de pessoa jurídica para a Prestação de Serviços.

2ª RETIFICAÇÃO DE EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE TOMADA DE PREÇO Nº 02/2015. OBJETO: Contratação de pessoa jurídica para a Prestação de Serviços. 2ª RETIFICAÇÃO DE EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE TOMADA DE PREÇO Nº 02/2015 OBJETO: Contratação de pessoa jurídica para a Prestação de Serviços. A Câmara Municipal de Lapa/Pr, através de sua Comissão Permanente

Leia mais

A empresa contratada estará sob a supervisão do Supervisor de Segurança Patrimonial da CCAPA.

A empresa contratada estará sob a supervisão do Supervisor de Segurança Patrimonial da CCAPA. Manual de Normas e Procedimentos para os Eventos Morro da Urca SEGURANÇA EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) Ao executar qualquer tipo de instalação aérea ou terrestre será obrigatório o uso dos

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO 1. VIA DE ACESSO 1.1 - GENERALIDADES Será utilizada como acesso às obras, durante a fase de construção, as vias já existentes

Leia mais

ECV 5644 Instalações II

ECV 5644 Instalações II SISTEMA DE GÁS CENTRALIZADO Fonte: ETFSC Este Sistema também é conhecido como SISTEMA DE GÁS COMBUSTIVEL CENTRALIZADO, é constituído basicamente das seguintes instalações: 1. Central de Gás (Central de

Leia mais

ESTADO DO AMAPÁ CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS PORTARIA Nº 011 /05/CAT-CBMAP

ESTADO DO AMAPÁ CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS PORTARIA Nº 011 /05/CAT-CBMAP ESTADO DO AMAPÁ CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS PORTARIA Nº 011 /05/CAT-CBMAP Aprova a Norma Técnica nº 010/2005-CBMAP, sobre atividades eventuais no Estado do Amapá,

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 031/DAT/CBMSC) PLANO DE EMERGÊNCIA

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 031/DAT/CBMSC) PLANO DE EMERGÊNCIA ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 031/DAT/CBMSC)

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SERVIÇO DE ENGENHARIA PARA EXECUÇÃO DE EXTENSÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO PARA ATENDER A ILUMINAÇÃO PÚBLICA EM DIVERSOS LOGRADOUROS DE PORTO ALEGRE 1. GENERALIDADES O

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 16 SISTEMAS DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO

NORMA TÉCNICA N o 16 SISTEMAS DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO ANEXO XVI AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 16 SISTEMAS DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO 1. OBJETIVO Esta Norma Técnica estabelece critérios para proteção contra incêndio

Leia mais

Ar Condicionado Split System Hi-Wall

Ar Condicionado Split System Hi-Wall COTAÇÃO ELETRÔNICA: 027/2013 COMPRASNET Termo de Referência Ar Condicionado Split System Hi-Wall Sala dos Administradores Almoxarifado Unidade Pedro de Toledo 1- OBJETO Contratação de empresa especializada

Leia mais

ADEQUAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES E DO MOBILIÁRIO URBANO À PESSOA DEFICIENTE

ADEQUAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES E DO MOBILIÁRIO URBANO À PESSOA DEFICIENTE Esta norma aplica-se atodas as edificações de uso público e/ou mobiliário urbano, tanto em condições temporárias como em condições permanentes. É sempre necessário consultar o REGULAMENTO DO CÓDIGO NACIONAL

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS DELIBERAÇÃO Nº 039/2015 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

SUPORTES DE SOLO SUPORTE DE SOLO PARA EXTINTOR EM ALUMINIO POLIDO MODELO AP E PQS

SUPORTES DE SOLO SUPORTE DE SOLO PARA EXTINTOR EM ALUMINIO POLIDO MODELO AP E PQS CATALO DE PRODUTOS SUPORTES DE SOLO SUPORTE DE SOLO PARA EXTINTOR EM ALUMINIO POLIDO MODELO AP E PQS SUPORTE DE SOLO PARA EXTINTOR EM ALUMINIO E PINTURA EPOXI VERMELHO MODELO AP E PQS Aba na base que impede

Leia mais

Procedimento de Segurança para Terceiros

Procedimento de Segurança para Terceiros Página 1 de 6 1. OBJETIVO Sistematizar as atividades dos prestadores de serviços, nos aspectos que impactam na segurança do trabalho de forma a atender à legislação, assim como, preservar a integridade

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO OBJETO: Fechamento de quadra esportiva da Escola Municipal de Ensino Fundamental

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Descrição dos Equipamentos

TERMO DE REFERÊNCIA. Descrição dos Equipamentos ANEXO II TERMO DE REFERÊNCIA 1 DO OBJETO DA LICITAÇÃO 1.1 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA DOS EQUIPAMENTOS UTILIZADOS NA COZINHA ESCOLA

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A LOCAÇÃO DE VEÍCULOS BLINDADOS NÍVEL III A

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A LOCAÇÃO DE VEÍCULOS BLINDADOS NÍVEL III A TERMO DE REFERÊNCIA PARA A LOCAÇÃO DE VEÍCULOS BLINDADOS NÍVEL III A JUSTIFICATIVA O presente Termo de Referência tem por objetivo, estabelecer as especificações técnicas para a contratação de empresa

Leia mais

ANEXO I CONDIÇÕES GERAIS DE CONTRATAÇÃO

ANEXO I CONDIÇÕES GERAIS DE CONTRATAÇÃO 1 PRODUTOS 1.1 Serviço de manutenção preventiva mensal e corretiva, quando necessário, para o elevador da Unidade Operacional da Anatel no Estado de Santa Catarina UO031, situada à Rua Saldanha Marinho,

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada para eventual fornecimento, montagem e instalação de mobiliário, para a Procuradoria Regional do Trabalho da 2a Região

Leia mais

Parque Tecnológico de Óbidos

Parque Tecnológico de Óbidos Parque Tecnológico de Óbidos Regulamento de obras (Versão preliminar) Fevereiro de 2009 Óbidos Requalifica, E.E.M. Casa do Largo da Porta da Vila, 1.º Tel: +351 262 955 440 obidos.requalifica@mail.telepac.pt

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E TÉCNICO PROJETO DE ARQUITETURA DE INTERIORES PARA CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE JOAÇABA

MEMORIAL DESCRITIVO E TÉCNICO PROJETO DE ARQUITETURA DE INTERIORES PARA CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE JOAÇABA MEMORIAL DESCRITIVO E TÉCNICO PROJETO DE ARQUITETURA DE INTERIORES PARA CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE JOAÇABA PROPRIETÁRIO: CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE JOAÇABA OBRA: PROJETO DE ARQUITETURA DE

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 6, DE 30 DE JANEIRO DE 2012

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 6, DE 30 DE JANEIRO DE 2012 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 6, DE 30 DE JANEIRO DE

Leia mais

REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA PROJETO PREVENTIVO CONTRA INCÊNDIO

REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA PROJETO PREVENTIVO CONTRA INCÊNDIO REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO PREVENTIVO CONTRA INCÊNDIO Responsabilidade e Compromisso com o Meio Ambiente 2 110766_MEMPCI_REFORMA_SALA_MOTORISTAS_R00 MEMORIAL DESCRITIVO

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES

ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ARQUIVOS DESLIZANTES DESTINADOS À EDIFICAÇÃO DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL RIO GRANDE DO SUL,

Leia mais

COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA CIVIL AQUISIÇÃO DE ELEVADOR PARA A ESTAÇÃO DE PASSAGEIROS DO TERMINAL DE PASSAGEIROS DO PORTO DE FORTALEZA

COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA CIVIL AQUISIÇÃO DE ELEVADOR PARA A ESTAÇÃO DE PASSAGEIROS DO TERMINAL DE PASSAGEIROS DO PORTO DE FORTALEZA COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA CIVIL AQUISIÇÃO DE ELEVADOR PARA A ESTAÇÃO DE PASSAGEIROS DO TERMINAL DE PASSAGEIROS DO PORTO DE FORTALEZA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS COMPANHIA DOCAS DO CEARÁ Secretaria de

Leia mais

BRIGADA DE INCÊNDIO ORGANIZAÇÃO DA BRIGADA DE INCÊNDIO

BRIGADA DE INCÊNDIO ORGANIZAÇÃO DA BRIGADA DE INCÊNDIO BRIGADA DE INCÊNDIO Brigada de Incêndio: É um grupo organizado de pessoas voluntárias ou não, treinadas e capacitadas para atuarem dentro de uma área previamente estabelecida na prevenção, abandono e combate

Leia mais

Portaria Inmetro 27/2011, 152/2009 e 364/2010 Código: 3466

Portaria Inmetro 27/2011, 152/2009 e 364/2010 Código: 3466 PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO EM VEÍCULOS ACESSÍVEIS, FABRICADOS COM CARACTERÍSTICAS RODOVIÁRIAS QUE TRAFEGAM EM VIAS URBANAS PARA TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS Portaria Inmetro 27/2011, 152/2009

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turma C01 Disc. Construção Civil II ÁGUA QUENTE 1 UTILIZAÇÃO Banho Especiais Cozinha Lavanderia INSTALAÇÕES

Leia mais

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma;

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma; TRABALHO EM ALTURA 36.1 Objetivo e Campo de Aplicação 36.1 Objetivo e Definição 36.1.1 Esta Norma tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO...AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR

MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO...AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO...AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBRA...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA EXECUTAR OS SERVIÇOS PERTINENTES A ESTRUTURAS TEMPORÁRIAS CONFORME CROQUIS ESQUEMÁTICOS

Leia mais

IT - 16 SISTEMA DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO

IT - 16 SISTEMA DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO IT - 16 SISTEMA DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências Normativas 4 Definições 5 Generalidades gerais 6- Procedimentos 7 Certificação e validade/garantia INSTRUÇÃO

Leia mais

ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE

ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE 1. OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Estas exigências definem os deveres e as responsabilidades da CONTRATADA e estabelecem as orientações, requisitos

Leia mais

Manual de Instruções Bebedouro Stilo Eletrônico. Imagem meramente ilustrativa.

Manual de Instruções Bebedouro Stilo Eletrônico. Imagem meramente ilustrativa. Manual de Instruções Bebedouro Stilo Eletrônico Imagem meramente ilustrativa. Bebedouro Stilo LIBELL Eletrônico 1- MANUAL DE USUÁRIO Parabéns por ter escolhido a Libell Eletrodomésticos Ltda. para fazer

Leia mais

Gerenciamento de Obras. Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões

Gerenciamento de Obras. Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões Gerenciamento de Obras Prof. Dr. Ivan Xavier Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões Fases do Gerenciamento: 3. Operação e controle da obra. 3. Operação e controle da obra: Reunião de partida da obra;

Leia mais

Comando do Corpo de Bombeiros. Mód 5 Plano de Emergência Contra Incêndio e Brigada de Incêndio. Maj. QOBM Fernando

Comando do Corpo de Bombeiros. Mód 5 Plano de Emergência Contra Incêndio e Brigada de Incêndio. Maj. QOBM Fernando Comando do Corpo de Bombeiros Mód 5 Plano de Emergência Contra Incêndio e Brigada de Incêndio Maj. QOBM Fernando Plano de Emergência Requisitos para Elaboração e Aspectos a serem Observados; Implementação

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 158/2014/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 158/2014/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 158/2014/TCE-RO Cria e regulamenta a Brigada de Incêndio e Emergência do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia e dá outras providências. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro.

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro. e MANUAL TÉCNICO ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR e ANDAIME TUBULAR Objetivo Estabelecer os procedimentos que devem ser obedecidos na liberação de montagem / desmontagem de andaimes com a finalidade de

Leia mais

A qualidade que você precisa

A qualidade que você precisa Copyright 2010 América Serviços de Colocação de Quadros Procuramos atender as necessidades de nossos clientes com ética e profissionalismo de alto padrão. IIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII Bem Vindo

Leia mais

DESCRIÇÃO TÉCNICA DOS MATERIAIS EMPREGADOS

DESCRIÇÃO TÉCNICA DOS MATERIAIS EMPREGADOS Braçadeira para Injeção Intravenosa ARS 01 Braçadeira para Injeção Intravenosa ARS 01 Braçadeira de apoio de piso para suporte de braço e aplicação de injeção. Altura regulável por mandril,base de ferro,

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012 ANDAIME TUBULAR

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012 ANDAIME TUBULAR MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA ANDAIME TUBULAR ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. INFORMAÇÃO TÉCNICA... 2 2. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA... 4 2.1. USO DOS ANDAIMES TUBULARES... 5 2.2. MANUTENÇÃO (DIRETRIZES

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA NORMA REGULAMENTADORA - NR 35 Trabalho em Altura 35.1. Objetivo e Campo de Aplicação 35.1.1 Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura, envolvendo o

Leia mais

MANUAL DO PROPRIETÁRIO BATEDEIRA PLANETÁRIA MODELO BTS 18 BATEDEIRA PLANETÁRIA MODELO BTS - 36

MANUAL DO PROPRIETÁRIO BATEDEIRA PLANETÁRIA MODELO BTS 18 BATEDEIRA PLANETÁRIA MODELO BTS - 36 MANUAL DO PROPRIETÁRIO BATEDEIRA PLANETÁRIA MODELO BTS 18 BATEDEIRA PLANETÁRIA MODELO BTS - 36 IMAGEM ILUSTRATIVA Página 1 ÍNDICE 1- APRESENTAÇÃO. 2- CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS. 3- INSTALAÇÃO E INSTRUÇÕES.

Leia mais

Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços.

Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. 1/6 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

Manual de Instruções

Manual de Instruções Manual de Instruções (Party Cooler s Thermomatic) Modelo: 40 litros & 77 litros Obrigado por escolher a série dos Party Cooler s da Thermomatic. Para garantir o uso correto das operações, por favor, leia

Leia mais

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA 1/5 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA 35.1. Objetivo e Campo de Aplicação NR-35 TRABALHO EM ALTURA Publicação D.O.U. Portaria SIT n.º 313, de 23 de março de 2012 27/03/12 35.1.1 Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção

Leia mais

Procedimento Institucional Gestão de EPI

Procedimento Institucional Gestão de EPI Tipo de Documento Procedimento Institucional Título do Documento Equipamento de Proteção Individual Elaborado por Paulo Sérgio Bigoni Área Relacionada Saúde e Segurança do Trabalhador Processo ESTRUTURAÇÃO

Leia mais

PORTARIA CVS Nº 02, de 11/01/2010

PORTARIA CVS Nº 02, de 11/01/2010 PORTARIA CVS Nº 02, de 11/01/2010 Dispõe sobre Regulamento Técnico que estabelece requisitos sanitários para estabelecimentos destinados a eventos esportivos. A Diretora Técnica do Centro de Vigilância

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 18 SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS

NORMA TÉCNICA N o 18 SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS ANEXO XVIII AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 18 SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS 1. OBJETIVO Esta Norma Técnica visa a adequar o texto da norma NBR 10897, que dispõe sobre

Leia mais

Pisos de Madeira. Pisos de Cerâmica. Equipamentos. Equipamentos. Segurança. Vassoura Esfregão (se necessário) Pá de lixo Cesto de lixo

Pisos de Madeira. Pisos de Cerâmica. Equipamentos. Equipamentos. Segurança. Vassoura Esfregão (se necessário) Pá de lixo Cesto de lixo Pisos de Madeira 1. Varra bordas, cantos e atrás das portas. 2. Varra o restante do piso, começando de um lado da sala até o outro. Para pisos amplos, use um esfregão, sacudindo-o quando terminar. 3. Junte

Leia mais

MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO

MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO VERSÃO: 31/3/2011 2/12 MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO

Leia mais

PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS

PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS PLANO DE EMERGÊNCIA CONTRA INCÊNDIO de acordo com o projeto de norma nº 24:203.002-004 da ABNT ( setembro 2000 ) 1 Objetivo 1.1 Estabelecer

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES PARA AQUISIÇÕES DE BENS E SERVIÇOS

ESPECIFICAÇÕES PARA AQUISIÇÕES DE BENS E SERVIÇOS ESPECIFICAÇÕES PARA AQUISIÇÕES DE BENS E SERVIÇOS 1. OBJETO : Aquisição de equipamentos e suprimentos para as Salas de Reuniões do Departamento 2. ESPECIFICAÇÃO DO PRODUTO/SERVIÇO 0 SUPRIMENTOS DE INFORMÁTICA.

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO DE OPERAÇÕES DE DEFESA CIVIL Departamento de Proteção Contra Incêndio, Explosão e Pânico NORMA TÉCNICA n. 39/2009 Credenciamento

Leia mais

ATO DO DIRETOR-GERAL Nº 1516, DE 2005

ATO DO DIRETOR-GERAL Nº 1516, DE 2005 ATO DO DIRETOR-GERAL Nº 1516, DE 2005 Estabelece as competências da Secretaria de Segurança Legislativa do Senado Federal e das Subsecretarias e Serviços a ela subordinados. O DIRETOR-GERAL DO SENADO FEDERAL,

Leia mais

Manual de Instruções Depósito Horizontal D.H.

Manual de Instruções Depósito Horizontal D.H. Manual de Instruções Depósito Horizontal D.H. Atenção: é recomendável que este manual seja lido por todos que participarão direta ou indiretamente da utilização deste produto. CONHEÇA O NOSSO PRODUTO ASSUNTOS

Leia mais

Pregão 003/2006 Alteração 01 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE ARQUIVAMENTO COMPOSTO DE MÓDULOS DE ARQUIVOS DESLIZANTES

Pregão 003/2006 Alteração 01 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE ARQUIVAMENTO COMPOSTO DE MÓDULOS DE ARQUIVOS DESLIZANTES Pregão 003/2006 Alteração ESPECIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE ARQUIVAMENTO COMPOSTO DE MÓDULOS DE ARQUIVOS DESLIZANTES ITEM O1 Sistema de arquivamento composto de módulos de arquivos deslizantes, com acionamento

Leia mais

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira. Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira. Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura Porque este assunto preocupa? Impacto dos Acidentes envolvendo Quedas - 40% das fatalidades

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC) SINALIZAÇÃO PARA ABANDONO DE LOCAL

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC) SINALIZAÇÃO PARA ABANDONO DE LOCAL ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 013/DAT/CBMSC)

Leia mais

PORTARIA DNC Nº 27, DE 16.9.1996 - DOU 17.9.1996

PORTARIA DNC Nº 27, DE 16.9.1996 - DOU 17.9.1996 PORTARIA DNC Nº 27, DE 16.9.1996 - DOU 17.9.1996 Estabelece condições mínimas de segurança das instalações de armazenamento de recipientes transportáveis de GLP. O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE COMBUSTÍVEIS,

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS v 1.5

CATÁLOGO DE PRODUTOS v 1.5 CATÁLOGO DE PRODUTOS v 1.5 LEIA O MANUAL COM ATENÇÃO A Bonier é uma empresa especializada no desenvolvimento de equipamentos de segurança e resgate. Temos como princípio a qualidade dos produtos, o design,

Leia mais

Segtreinne 5.0 - PROTEÇÃO LATERAL:

Segtreinne 5.0 - PROTEÇÃO LATERAL: 1.0 - OBJETIVO: Estabelecer procedimentos seguros para montagem, desmontagem e utilização de andaimes, em serviços de manutenção nas áreas da fábrica. 2.0 - APLICAÇÃO: Este procedimento se aplica à montagem,

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 11 PLANOS DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO

NORMA TÉCNICA N o 11 PLANOS DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO ANEXO XI AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 11 PLANOS DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO 1. OBJETIVOS Esta Norma Técnica estabelece princípios gerais para: a) o levantamento de riscos

Leia mais

AQUISIÇÃO DE PLACAS DE SINALIZAÇÃO E EXTINTORES DE INCÊNDIO (PB-SBRH-002-2014)

AQUISIÇÃO DE PLACAS DE SINALIZAÇÃO E EXTINTORES DE INCÊNDIO (PB-SBRH-002-2014) ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AQUISIÇÃO DE PLACAS DE SINALIZAÇÃO E EXTINTORES DE INCÊNDIO (PB-SBRH-002-2014) Maio 2014 Caderno de Especificações Técnicas Segurança do Trabalho de Sobradinho 1/19 ESPECIFICAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS ÁREA EXTERNA

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS ÁREA EXTERNA ÁREAS EXTERNAS A Sede do Sistema FIERGS conta com uma grande área de estacionamento, utilizada, também, para atividades paralelas, com o intuito de ampliação dos eventos existentes e de eventos independentes.

Leia mais

PMEE Planejamento Médico para Eventos Especiais

PMEE Planejamento Médico para Eventos Especiais PMEE Planejamento Médico para Eventos Especiais 1. Objetivo Estabelecer critérios mínimos para os serviços de emergência médica préhospitalar no atendimento ao público presente em eventos especiais. 2.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 001/2014

TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 001/2014 Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 001/2014 1 DO OBJETO 1.1 Prestação de serviços de instalação de piso elevado acessível, com fornecimento de componentes, acessórios e materiais, visando

Leia mais

PRODUTO: ARMÁRIO DE MADEIRA Portaria nº 69/SMG-G/2009 de 03/07/2009. 2.2.1. Painéis da caixa, inclusive o vertical interno, portas e prateleiras.

PRODUTO: ARMÁRIO DE MADEIRA Portaria nº 69/SMG-G/2009 de 03/07/2009. 2.2.1. Painéis da caixa, inclusive o vertical interno, portas e prateleiras. 1 CÓDIGO SUPRI: 71.654.002.001.0029-1 PRODUTO: ARMÁRIO DE MADEIRA Portaria nº 69/SMG-G/2009 de 03/07/2009 1. DESTINAÇÃO Para guarda de materiais de escritório em geral. 2. REQUISITOS GERAIS (VER DESENHOS

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 010/2013

ATO NORMATIVO Nº 010/2013 ATO NORMATIVO Nº 010/2013 Organiza as ações de comunicação social, no âmbito do Ministério Público do Estado da Bahia. OPROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA, no uso das atribuições que lhe confere

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO

ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO Item Código comprasnet Qtde Mínima Qtde Máxima Unidade Descrição do Item Valor Unitário Valor mínimo Valor Máximo 01 295318 450,00 860,00 m² Paredes em gesso acartonado

Leia mais

Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul Sistema Cofen/Conselhos Regionais - Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5.

Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul Sistema Cofen/Conselhos Regionais - Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5. COTAÇÃO DE PREÇO PROCESSO Nº. 349/15 NOME DA EMPRESA: DATA: 1. OBJETO Aquisição de materiais de limpeza e higiene para atender as necessidades do Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul conforme

Leia mais

MOBILIÁRIO DE INFORMÁTICA ARQUIVO DESLIZANTE

MOBILIÁRIO DE INFORMÁTICA ARQUIVO DESLIZANTE ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MOBILIÁRIO DE INFORMÁTICA ARQUIVO DESLIZANTE ESPECIFICAÇÕES DE MOBILIÁRIO DE INFORMÁTICA E ARQUIVOS DESLIZANTES DESTINADOS À AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL,

Leia mais

Informativo 21/2011. - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 -

Informativo 21/2011. - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 - Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 - Informativo 21/2011 NR 12 NOVO ANEXO (XII - EQUIPAMENTOS DE GUINDAR PARA ELEVAÇÃO DE PESSOAS E REALIZAÇÃO DE TRABALHO

Leia mais

NPT 031 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PARA HELIPONTO E HELIPORTO

NPT 031 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PARA HELIPONTO E HELIPORTO Janeiro 2012 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 031 Segurança Contra Incêndio para Heliponto e Heliporto CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 02 Norma de Procedimento Técnico 5 páginas SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação

Leia mais

CARROS DE MÃO. Compre Produtos Certificados. Na Equipleva todos os equipamentos cumprem com as diretivas da CE.

CARROS DE MÃO. Compre Produtos Certificados. Na Equipleva todos os equipamentos cumprem com as diretivas da CE. Carros de Mão Carros Ligeiros com Plataforma Carros para Cargas Médias/Elevadas Carros Armário com e sem Prateleiras Carros com Banca de Trabalho Carros de Apoio à Industria Carros de Reboque Carros para

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 086/2015. Autoriza o recebimento por doação de móveis usados da Caixa Econômica Federal e dá outras providências.

PROJETO DE LEI Nº 086/2015. Autoriza o recebimento por doação de móveis usados da Caixa Econômica Federal e dá outras providências. PROJETO DE LEI Nº 086/2015. Autoriza o recebimento por doação de móveis usados da Caixa Econômica Federal e dá outras providências. Art. 1 o É o Município autorizado a receber por doação da Caixa Econômica

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 015/DAT/CBMSC) SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS (SPRINKLERS)

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 015/DAT/CBMSC) SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS (SPRINKLERS) ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 015/DAT/CBMSC)

Leia mais

PORTARIA 82/2000 NORMA TÉCNICA SLU/PBH Nº 001/2000

PORTARIA 82/2000 NORMA TÉCNICA SLU/PBH Nº 001/2000 PORTARIA 82/2000 NORMA TÉCNICA SLU/PBH Nº 001/2000 Aprova Norma Técnica que fixa a padronização de contenedor para o acondicionamento e procedimentos para o armazenamento de resíduo sólido de serviço de

Leia mais

FPI PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO PREVENTIVA INTEGRADA TERMO DE RESPONSABILIDADE E COMPROMISSO PROVIDÊNCIAS NECESSÁRIAS PARA REALIZAÇÃO DE EVENTOS

FPI PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO PREVENTIVA INTEGRADA TERMO DE RESPONSABILIDADE E COMPROMISSO PROVIDÊNCIAS NECESSÁRIAS PARA REALIZAÇÃO DE EVENTOS PROVIDÊNCIAS NECESSÁRIAS PARA REALIZAÇÃO DE EVENTOS Em atendimento à determinação da Juíza de Direito e Diretora do Foro do Juizado da Infância e Adolescência Portaria Nº005/2003/COORD/JIA, a equipe constituída

Leia mais

UTILITÁRIOS BRUTE CARROS

UTILITÁRIOS BRUTE CARROS UTILITÁRIOS BRUTE CARROS FUNCIONAIS infinity MEGA BRUTE CARROS BASCULANTES MOPS PÓ - FIOS TORCIDOS MANUSEIO DE MATERIAIS: Carros Funcionais Carro Funcional - Linha Hotelaria Os carros mais compactos da

Leia mais