Artes Biologia Educação Física Filosofia. Física Geografia História Língua Estrangeira Língua Portuguesa

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Artes Biologia Educação Física Filosofia. Física Geografia História Língua Estrangeira Língua Portuguesa"

Transcrição

1 1 Arts Biologi Eução Físi Filosofi Físi Gogrfi Históri Língu Estrngir Língu Portugus SERIADO Litrtur Brsilir Mtmáti Quími Soiologi Insrição nº:

2 Vstiulno, o prov! 02

3 01 Consirno o trmo ultur omo um onito ntropológio, o qul prmi tos s rlizçõs humns, prpssno por nosss vis, músi, inpnnt épos, ontxtos ou gênros, é prt quilo qu rrgmos qu triuímos signifio. Nss sntio, o Hino Rio-Grnns o Hino o Rio Grn fzm prt noss ultur, rrgno vlors, históri, sortuo, signifios pr o povo o Sul o pís. Li, ntão: Hino Rio-Grnns Como uror prursor Do frol ivin Foi o 20 Stmro O prursor lir Mostrmos vlor onstâni Nst ímpi injust gurr Sirvm nosss fçnhs D molo to trr D molo to trr Sirvm nosss fçnhs D molo to trr Ms não st pr sr livr Sr fort, gurrio rvo Povo qu não tm virtu A por sr srvo Mostrmos vlor onstâni Nst ímpi injust gurr Sirvm nosss fçnhs D molo to trr D molo to trr Sirvm nosss fçnhs D molo to trr Font: Disponívl m: Asso m: 24 out Anlis s firmtivs: I - A primir vrsão o Hino Rio-Grnns foi ompost urnt Rvolução Frroupilh plo mstro Mnnh. Atulmnt é o hino ofiil o sto o Rio Grn o Sul. II - O Hino o Rio Grn foi omposto por Simão Golmn no intuito rprsntr s fçnhs frroupilhs. Tl omposição foi iniilmnt nom Hino Nção. III - Mloimnt, primir frs (m stqu) o Hino Rio-Grnns prsnt movimnto snnt snnt. IV - A not mis gu primir strof o Hino Rio-Grnns é ó, onsirno tonli Dó Mior not iniil mi. V - O sntimnto sr gúho imgm trr rio-grnns são xprssos trvés ltr o Hino o Rio Grn potnilizos plo rátr xprssivo músi qu, m su vrsão originl, omin mlois snnts, nmnto lnto, m omo timrs instrumntis ultur gúh, omo o git. Estão orrts pns I II. pns II IV. pns III V. pns I, III, IV V. I, II, III, IV V. Font: Disponívl m: Asso m: 24 out Hino o Rio Grn Rio Grn o Sul O gúho qur ntr A qurêni, o éu zul Os vrs mpos o mr As mulhrs qu são ls As lms noits nos rinõs O éu oro strls Mnto hróis triçõs Rio Grn o Sul Dos pros qu não têm fim Por mior qu tu sjs Rio Grn Crás smpr ntro mim 03

4 02 C rgião rsilir possui háitos limntrs próprios prtos mlmátios, qu srvm omo mrors intitários rgionis. Os txtos sguir xmplifim ss situção. Txto No Rio Grn o Sul, o hurrso é spili lol. Não por sr um omi o otiino, ms por str ssoio à figur o gúho m qu omr fzr hurrso nvolvm um grupo soil, não s rfr pns o to ssr rn, ms, sim, um orgnizção soil qu s stl m torno o hurrso. O fzr um hurrso o óigos, norms omportmntos itos ronhios por toos, o qu lv pnsá-los omo um ritul omnsli prtilh, st Mil (1996). ( ) No Txto 2, i mim (l. 4) xprss sgro om rlção o onsumo frinh mnio omo prt ultur vivni por Jorg Amo. A squêni orrt é 03 F F F. V F V. F V F. V V F. F F V. Os háitos limntrs stão ntr os prinipis trços ulturis um povo. Er s sprr, portnto, qu houvss lgum mnção sor o ssunto no primiro ontto ntr os portuguss os ntivos, onform rlto n Crt Pro Vz Cminh. D fto, Cminh srv rspito rção ois jovns ntivos qu form té rvl Crl qu xprimntrm limntos ofrios plos portuguss: Font: GOES, J.A.W. Háitos limntrs: glolizção ou ivrsi? In: FREITAS, M.C.S.; FONTES, G.A.V.; OLIVEIRA, N. (Orgs.). Esrits nrrtivs sor limntção ultur [onlin]. Slvor: EDUFBA, 2008, p (pto) Txto Em Nvgção otgm, um spéi qus-mmóri o utor, srvu Jorg Amo: on qur qu stj lvo o Brsil omigo ms, i mim, não lvo frinh mnio sinto flt toos os is, o lmoço o jntr. Drm-lh[s] omr: pão pix ozio, onfitos, olos, ml figos pssos. Não quisrm omr qus n tuo quilo. E s provvm lgum ois, logo uspim om nojo. Trouxrm-lhs vinho num tç, ms pns hvim provo o sor, imitmnt monstrrm não gostr não mis quisrm. Trouxrm-lhs águ num jrro. Não rm. Apns ohhvm, lvno s os, logo lnçvm for. Font: SCHWARCZ, L.M. O rtist mstiçgm. In: SCHWARCS, L. M.; GOLDSTEIN, I.S. (Orgs.). O univrso Jorg Amo. Crno liturs. São Pulo: Compnhi s Ltrs, 2009, p. 38. Assinl V n(s) firmtiv(s) vrir(s) F n(s) fls(s). ( ) No Txto 1, los (l. 11) rfr-s, no ontxto, toos (l. 11). ( ) A plvr toos, tnto no Txto 1 no Txto 2 ntriormnt. (l. 11) qunto (l. 5), rtom lmntos mnionos Font: CASTRO, Sílvio (org.) A rt Pro Vz Cminh. Porto Algr: L&PM, 2003, p. 93. A prtir litur o frgmnto, são fits s sguints firmtivs: I - No frgmnto, o r stqu às rçõs os ntivos frnt à omi à i ofris, Cminh rgistr o omportmnto ifrnio ls qunto os itns ásios limntção um uropu. 04

5 II - No frgmnto, pr-s ntipti Cminh plos ntivos, o qu s onfirm n litur o rstnt rt qunto outros sptos os inígns, omo su prêni físi. III - O promínio vros ção, num squêni vntos intrligos ronologimnt, onfr um tor nrrtivo o txto. Está(ão) orrt(s) pns I. pns II. pns I III. I, II III. 05 Um psquis o Ministério Sú rvlou um umnto signifitivo no númro osos no Brsil. Ess umnto stá rliono priniplmnt om o sntrismo munç háitos limntrs os rsiliros. A psquis ivulg m 2013 pont qu 17% populção stá os. Ess númro r 11% m 2006, quno os os omçrm sr oltos plo Ministério Sú. pns II III. Disponívl m: Asso m: 10 st As moifiçõs no onsumo limntos populção rsilir ix qunti firs, umnto proporção gorurs çúrs it ssois um stilo sntário lvm, ntr outros ftors, um umnto no íni osi its. Nss último so, o() iminui ou ss totlmnt proução, qu ruz o nívl glios no sngu. Assinl ltrntiv qu omplt orrtmnt s luns. tiroi litonin pânrs insulin Suponh qu o prntul osos no Brsil po sr xprsso por um função fim o tmpo t m nos, om t = 0 orrsponnt 2006, t = 1 orrsponnt 2007 ssim por int. A xprssão qu rlion o prntul osos Y o tmpo t, no príoo , é Y = t 44 3 t. 77 Y = t. 6 Y = t Y = 7 t Y = 4 t hipófis proltin tiroi glugon pânrs mltonin 05

6 06 Os háitos limntrs vrim não só onform s ifrnts ulturs, ms tmém onform s oniçõs soioonômis s pssos sus rnçs rligioss. É isso qu s rfr Pr Antônio Viir no xrto o Srmão Snto Antônio ou os Pixs: Ms in qu o Céu o Infrno s não fz pr vós, irmãos pixs, o, ou fim vossos louvors, om vos r s grçs o muito qu juis ir o Céu, não o Infrno, os qu s sustntm vós. Vós sois os qu sustntis s Crtuxs os Buços, tos s snts fmílis, qu profssm mis rigoros ustri; vós os qu toos os vriros ristãos juis lvr pnitêni s qursms; vós quls om qu o msmo Cristo fstjou Páso s us vzs qu omu om sus isípulos pois rssusito. Przm-s s vs os nimis trrstrs fzr splênios ustosos os nquts os rios, vós glorii-vos sr ompnhiros o jjum stinêni os justos! Tns toos quntos sois tnto prntso simpti om virtu, qu, proiino Dus no jjum pior mis grossir rn, on o mlhor mis lio pix. E posto qu n smn só ois s hmm vossos, nnhum i vos é vo. Um só lugr vos rm os strólogos ntr os signos lsts, ms os qu só vós s mntêm n trr, são os qu têm mis sguros os lugrs o Céu. Por mio um lgori, Viir irig-s, no srmão, os pixs, mostrno qu sts mrm pns logios, o psso qu os homns mrm pns rprnsõs. Como s vê plo xrto, Viir irig-s os pixs form grl, sm fzr mnçõs spéis pixs m prtiulr, o qu tmém oorr no rstnt o srmão. Viir, no xrto, stl um ntíts ntr éu infrno qu é rprouzi simolimnt n ontrposição ntr pix rn. O ojtivo Viir no Srmão os Pixs, onform s vê plo xrto, é rforçr nos fiéis tólios importâni jjur nos is sntos omo form proximrm-s Dus. Contrrimnt o qu s sprri um txto ss épo, o frgmnto o Srmão os Pixs não prsnt um stilo ruso, muito mnos o mprgo um lingugm ri m onitos. Glossário Crtuxs Buços: os prtnnts sss Orns Rligioss, s quis são onhis por su ustri. A prtir ss frgmnto, ssinl ltrntiv orrt. 06

7 07 A limntção é ssnil, pois é l qu o homm otém os nutrints nssários o funionmnto su orgnismo. Ns últims és, oorrrm munçs signifitivs nos háitos limntrs, hvno um umnto o onsumo limntos inustrilizos. Assim, nlis s firmçõs: I - O áio fosfório prsnt m rfrigrnts o tipo ol é um áio triprótio rprsnto pl fórmul H 3 PO 4. II - O frro é ssnil pr sú; su fiiêni po lvr à nmi grv, por isso é romno o onsumo limntos rios m frro, omo rn ovin. A onfigurção ltrôni o lmnto frro no sto funmntl é 1s 2 2s 2 2p 6 3s 2 3p 6 4s III - As linhs qu stourm n o ontêm, m su omposição, ois ingrints: o áio ítrio (H3C6H5O 7) o ironto sóio (NHCO 3). Os ois, o s issolvrm n o, prouzm frvsêni. A rção ntr o ironto sóio o áio ítrio é oxirrução. IV - A águ slg (H2O + NCl), utiliz pr ozr limntos, frv m um tmprtur onstnt, pois s onstitui um mistur homogên simpls. Estão orrts pns I II. pns III IV. 08 O momnto rfição smpr foi um osião pr onvrsr. Em O Urgui, Bsílio Gm, o nrror provit o nqut os ofiiis, qu s sgu o sfil s trops portuguss, no Cnto I, pr prsntr s uss gurr, onform mostr o xrto sguir. [...] Convi o Gnrl pois mostr, Pgo militr gurrir imgm, Os sus os spnhóis; já r No pvilhão purpúro, m lrgo giro, Os pitãs lgr ri ms. Dstrrm-s os uios, rrmno Os vinhos uropus ns tçs ouro. Ao som úrn ítr sonor Arrto furor ivino Do su hrói, Mtúsio lrv Alts mprss igns mmóri. [ ] Lvnts s mss, ntrtinhm O ongrsso hróis isursos vários. Ali Ctâno o Gnrl pi Qu o prinípio lh issss s uss D nov gurr o ftl tumulto. Glossário Eúrn: rltiv o mrfim. A prtir litur o frgmnto, m omo or qu prtn, ssinl vrir (V) ou fls (F) m firmtiv sguir. Font: GAMA, Bsílio. O Urgui. 8.. Rio Jniro: Ror, pns I III. pns II IV. I, II, III IV. ( ) Ao introuzir, no Cnto I, s uss gurr, pr-s proupção o nrror m ontr históri rspitno orm ronológi os vntos, o qu s á s o iníio o pom. ( ) A gurr, ujs uss são inquiris por Ctâno, ouprá grn prt o rlto, o qu onfr à or su tom épio, in qu rts pssgns O Urgui tmém prsntm trços puro lirismo. 07

8 ( ) O pom é too omposto m vrsos ssílos rnos, prominntmnt ritmo hroio, omo s po vr lrmnt no xrto. ( ) A glorifição o Gnrl Goms Frir Anr no xrto vini qu l é o hrói o pom, símolo ivilizção uropi qu hg os St Povos qu s ontrpõ os inígns, prsntos no pom omo slvgns, sm quisqur qulis hrois. 10 Osrv: Império Romno: omério xpnsão A squêni orrt é F V V F. F F V F. V V F F. V F V V. V F F V. 09 Consir st ssrtiv: Um rfição solitári pr su sor msmo m s trtno um rfino mnjr. Font: ISHIGE, N. O homm, o omnsl. Corrio Unso (O Sl Trr Alimntção Culturs), Rio Jniro, no 15, jul Os rltos* sguir são iosos qu prtiiprm um psquis sor ultur limntr. Qul os rltos srv viêni pr ssrtiv prsnt im? A gnt não po omr sss omis grnfins rits. Font: BRAICK, Ptríi R.; MOTA, Murim B. Históri s vrns o triro milênio. SP: Morn, p Conform figur, o Império Romno, m su príoo máxim xpnsão (117. C.), r não só um runião povos ivrsos, ms tmém um runião árs proutors vários gênros onsumios m prts istints o Império trnsportos grçs um fiint r rots omriis. A prtir um nális o mp, NÃO s po onluir: O Mr Mitrrâno r um mr omino plos romnos prmiti ligção ntr váris rgiõs o Império. Cfé prto á nrvoso; gorur ft o orção, prssão rtril. Sinto flt o mu sposo. N m pr intrssr, nm omi. Trlhv n roç, ti nx, fzi tuo. Hoj é ifrnt, pri minh sú. Nqul tmpo s omi touinho. Hoj omi é fr. Ants, r fijão mootó. A mior prt s rots omriis trrstrs ou mrítims irigim-s Rom, ntro o Império. A Grmâni intgrv o Império forni lguns proutos, omo vlos, srvos, frro, poros. Apsr rsistêni os gulss, stnt onhios plos prsongns Astrix Olix, Gáli foi nx Rom. 08 * Font os rltos: ALMEIDA, M.D. t l. Cultur limntr m iosos Mutuíp, Bhi. In: FREITAS, M.C.S.; FONTES, G.A.V.; OLIVEIRA, N. (Orgs.). Esrits nrrtivs sor limntção ultur [onlin]. Slvor: EDUFBA, (pto) Cris rm prouzios m váris prts o Império, s s rgiõs Muritâni, Cirni Antióqui.

9 11 Ns firs livrs, on limntos in ntur pom sr vnios irtmnt plos proutors os onsumiors, s lnçs mânis in são muito utilizs. A lnç romn, rprsnt n figur, é onstituí por um rr suspns por um gnho, prs um ixo xêntrio, qu ivi m ois rços omprimntos ifrnts. O prto, on s olom os limntos srm psos, é prso o rço mnor. Dus pçs móvis, um m rço, são posiions moo qu rr rpous n horizontl, posição sor qul s nontr pç móvl o rço mior é ntão mr omo o zro sl. Quno os limntos são oloos sor o prto, pç o rço mior é movi té qu rr s quilir novmnt n horizontl. 12 Txto 1 Font: BECK, A. Armninho ois. Florinópolis, 2014, p. 18. (pto) Eixo xêntrio Pç móvl Sno qu o prto é prso um istâni 5 m o ixo rtiulção qu o rço mior m 60 m, qul v sr, m kg, mss pç móvl pr qu sj possívl psr té 6 kg limntos? 0,5. 0,6. 1,2. 5,0. 6,0. Fixção o prto Txto 2 Por qu ommos om o grfo? Norrt Elis, soiólogo lmão qu vivu ntr , nlis, prtir mnuis os mnirs prouzios ntr I Méi o iníio r morn, s munçs oprs no âmito o uso o grfo, utnsílio qu surgiu no fim I Méi, om o ojtivo rtirr limntos trvss omum. Pultinmnt, foi introuzio omo utnsílio uso iniviul. D iníio, o uso o grfo pr s lvr o limnto à o r onsiro um sinl xgro rfinmnto srimnt rprimio. N nális Elis (1994, p. 133), o grfo n mis é qu orporifição um prão spífio moçõs um nívl spífio nojo. Ess prosso nos mostr omo oorrim s rlçõs ntr s pssos n I Méi. Sguno o soiólogo lmão, s pssos qu omim junts n mnir ostumir n I Méi, pgno rn 09

10 25 om os os n msm trvss, no vinho no msmo áli, tomno sop n msm trvss ou prto funo sss pssos tinhm ntr si rlçõs ifrnts s qu hoj vivmos. E isto nvolv não só o nívl onsiêni, lr rionl, pois su vi moionl rvsti-s tmém ifrnt strutur rátr (ELIAS, 1994, p. 82). 13 Osrv figur: Font: PACHECO, S.S.M. O háito limntr nqunto um omportmnto ulturlmnt prouzio. In: FREITAS, M.C.S.; FONTES, G.A.V.; OLIVEIRA, N. (Orgs.). Esrits nrrtivs sor limntção ultur [onlin]. Slvor: EDUFBA, 2008, p (pto) Consir s firmtivs: I - Plo prinípio invriili o vério, justifi-s plvr mio não str onorno om o jtivo nrvos no 1º quro tirinh. II - O humor tirinh é orrnt o sntio triuío plo mnino à xprssão rução limntr, o omprnê-l omo prnizo o moo omr m vz moifição háitos no onsumo limntos. III - O uso nturlizo o grfo n soi ontmporân, omo not o Txto 1, po sr onsiro um iníio iniviuli qu omçou s onfigurr n strutur soil no fim I Méi, m nális no Txto 2. Está(ão) orrt(s) pns I. pns II. pns I III. pns II III. I, II III. Font: PROENÇA, Grç. Históri rt. São Pulo: Áti, p Cânio Portinri rtrtou pssos sus rlçõs miz, snvolvu ns rtirnts norstinos, infâni tipos populrs m Broosqui, su i Ntl, ontúo soil histório (PROENÇA, 2010, p ). Ess rtist sofru influênis ivrsos stilos mornists. A or prsnt, Cfé, rtrt trlhors m váris tps o ultivo o fé, s olhit té o trnsport o grão. Ao osrvr ss or, é possívl ronhr rtrístis o movimnto imprssionist. uist. íst. strionist. futurist. 10

11 14 Osrv os mps: O fé, mplmnt ultivo m too o muno, é Píss proutors fé ntivo s rgiõs tropiis Áfri Susrin. O ultivo o fé omril é rstrito priniplmnt o inturão tropil o ror o Equor, spifimnt ár ntr o Trópio Cânr o Trópio Cpriórnio. [Trução] Miors onsumiors fé Font: Disponívl m: Asso m: 15 go (pto) Com s nos mps, n informção m sus o- nhimntos, ssinl rspost orrt. pom sr onsiros onsumiors, sno o fé, portnto, um ommoity volt à x- Sno um i qunt, o fé é onsumio portção. pns m píss lim frio, vio o su lto vlor nrgétio nutritivo. O fé tornou-s um i univrsl, pri por váris nçõs o ror o plnt, stá prsnt m píss prominntmnt A mior prt os píss proutors fé não Píss, omo Brsil, Rpúli o Congo, Etiópi Inonési, possum muitos prolms ssoios à xpnsão ultur o fé ns florsts qutoriis. língu ingls. A fiultur stá limit os píss lims tropiis tmpros, um vz qu s trt um ultur muito snsívl às oniçõs limátis om prsnç ixs tmprturs gs urnt o invrno. 11

12 15 A tl rprouz o rótulo informçõs nutriionis um pot frinh trigo. INFORMAÇÃO NUTRICIONAL (Porção 50 g ou 1/2 xír frinh trigo) Qunti por porção %VD(%) Vlor nrgétio 170 kl = 714 kj 9% Croirtos 36,0 g 12% Protíns 4,9 g 7% Gorurs totis 0,7 g 1% Gorurs sturs 0,0 g 0% Gorurs trns 0,0 g Fir limntr 1,6 g 6% Sóio 0,0 mg 0% Frro 2,1 mg 15% Áio fólio (vit. B9) 76 μg 19% Consirno o Vlor nrgétio informo no rótulo, ss qunti nrgi orrspon o trlho rlizo o rrstr um orpo ontr um forç trito 50 N, om vloi onstnt, por um istâni, proximmnt, Em 2014, o jsuít José Anhit foi nonizo plo Pp Frniso I, tornno-s o triro snto rsiliro. Muito mor tnh nsio ns Ilhs Cnáris, Anhit fiou onhio omo o Apóstolo o Brsil, lgno-nos importnts txtos, os quis ão tôni função litrtur no iníio o príoo olonil rsiliro. Entr sus poms, st-s A Snt Inês. No pom, not-s o mprgo figurtivo rligioso o mis ásio os limntos épo: o pão. A Snt Inês N Vin su Imgm Coririnh lin, Como folg o povo Porqu voss vin Lh á lum novo! [ ] Tmém pirinh Sois nosso povo, Pois, om voss vin, Lh is trigo novo. 3,4 m. 14,3 m. 1,4 km. 3,4 km. 14,3 km. Não é Alntjo Est vosso trigo, Ms Jsus migo É vosso sjo. [.] O pão qu msssts Dntro m vosso pito, É o mor prfito Com qu Dus msts. Dst vos frtsts, Dst is o povo, Porqu ix o vlho Plo trigo novo. [ ] Glossário Alntjo: rgião Portugl. 12

13 Composto vrsos síls métris, A Snt Inês lr hg imgm snt um povoo. Pr homngá-l, o u-lírio hm-lh pirinh, pois trri um trigo novo pr limntr o povo: o xmplo o mor Cristo. Ess uso figurtivo lingugm rtriz um. Assinl ltrntiv qu omplt orrtmnt s luns. sis mtoními ino mtáfor sis ntonomási nio, é utilizo pr xpnir mss ixá-l fof, onform rção 2NHCO (s) N CO (s) + CO (g) + H O Sor sss rçõs, é orrto firmr qu primir é sínts sgun é slomnto. primir é omposição sgun é slomnto. primirésíntssgunéomposição. ino prosopopi s us são omposição. sis nlogi 17 Os portuguss tivrm grn influêni m noss ultur háitos limntrs. Form ls qu trouxrm o pão, prouzio à s ris, omo o trigo, vi v. Font: UNIVERSIDADE FEDERAL DE BRASÍLIA. A ontriuição os portuguss. ATAN/DAB/SPS/MS. Pr fzr mss pãs olos umntrm volum, é omum o uso lgums sustânis químis: 18 s us são sínts, pois formm O2 CO2 rsptivmnt. Rvno históri limntção, vrifi-s qu o pão s tornou um limnto-símolo. N frição lguns pãs, iion-s frmnto químio ou iológio pr mss xpnir-s tornr-s mi. Isso ont vio à proução oxigênio. áio pirúvio. I - O romto potássio r omumnt utilizo no prpro o pão frnês; no ntnto, nos is tuis, ss sustâni stá proii msmo m pquns quntis. O romto potássio r utilizo pr proporionr um umnto volum no prouto finl vio à formção O 2, onform rção 2KBrO 2KBr + 3O 3 (s) (s) 2 (g) gás rônio. áio látio. çúrs. II - A ição frmntos, omo o ironto sóio no prpro olos, é utiliz s ntigui té os is tuis rsult no rsimnto mss n miz o olo. O ironto sóio, vio à lirção gás rô- 13

14 Pr rsponr às qustõs 19 20, li o txto sguir A Ln Mnio (ln os ínios Tupi) o pi tupis spntrm-s: Como é rnquinh st rinç! E r msmo. Prto os outros urumins t, pri um riozinho lu. Chmrm-n Mni. Mni r lin, silnios quit. Comi pouo pouo i. Os pis proupvm-s. Vá rinr, Mni, izi o pi. Com um pouo mis, izi mã. Ms mnin ontinuv quit, hi sonhos n inh. Mni pri sonr um mistério. Um l mnhã, não s lvntou r. O pjé foi hmo. Du rvs is à mnin. Ms não tinv om o qu tinh Mni. To trio nv trist. Ms, it m su r, Mni sorri, sm onç sm or. E sorrino, Mni morru. Os pis ntrrrm ntro própri o. E rgvm su ov toos os is, omo r ostum ntr os ínios Tupis. Rgvm om lágrims su. Um i prrm qu o túmulo Mni rompi um plntinh vr viços. Qu plnt srá st? Prguntrm, miros. Ninguém onhi. É mlhor ixá-l rsr, rsolvrm os ínios Nsu um inizinh lin, mã E ontinurm rgr o rotinho mimoso. A plnt sonhi rsi prss. Pous lus s pssrm, l stv ltinh, om um ul fort, qu té fzi trr s rhr m torno. A trr pr fni, omntou mã Mni. Vmos vr? E foi o qu fizrm. Cvrm pouo, à flor trr, virm ums rízs grosss morns, qus or os urumins, nom qu ão os mninos ínios. Ms, so squinh mrrom, lá stv polp rnquinh, qus or Mni. D o trr Mni surgi um nov plnt! Vmos hmá-l Mni-o, rsolvrm os ínios. E, pr não ixr qu s pr, vmos trnsformr plnt m limnto! Assim fizrm! Dpois, finno outros rmos no hão, fizrm primir plntção mnio. Até hoj ntr os ínios o Nort Cntro o Brsil é st um limnto muito importnt. E, m too Brsil, qum não gost plntinh mistrios qu surgiu n s Mni? Font: GIACOMO, Mri T. C.. Lns rsilirs, n. 7, 2.. São Pulo: Eiçõs Mlhormntos, (pto) 19 Consirno prinípios ortográfios, fonológios morfológios língu portugus, nlis s firmtivs sguir. III - Difrntmnt pouo, ns linhs 7 37, plvr Pous, n linh 31, flxion-s pr onorr om o nom qu ompnh. Está(ão) orrt(s) I - S insrio nto n síl finl st (l. 3), pns I. pns II III. ltr-s tonii, ms mntém-s inltr lss plvr. II - Em lin ( l. 1), ssim omo m quit ( l. 7), pns II. pns I III. I, II III. vrifi-s oorrêni um fonm rprsnto por us ltrs. 14

15 20 Assinl V n(s) firmtiv(s) vrir(s) F n(s) fls(s). ( ) O txto s strutur m stágios típios nrrtiv, ntr os quis stá omplição, inii no momnto m qu Mni não s lvntou r. ( ) No stágio orintção nrrtiv, prsongm prinipl é rprsnt por mio um nom próprio jtivos qu srvm su prêni, omo lin (l. 1) rnquinh ( l. 3), su omportmnto, omo silnios ( l. 6) quit ( l. 7). ( ) Plvrs omo rotinho (l. 29) rnquinh (l.41) ontrium pr stlr smlhnçs ntr plnt ntão sonhi Mni, o msmo tmpo m qu o mprgo os sufixos iniors iminutivo orroorm rprsntção liz snsiili. ( ) Ao nomrm nov plnt Mni-o ( l. 44), os ínios utilizrm o prosso formção plvrs por rivção prfixl N litrtur, os limntos são mprgos om frquêni form figur. É o qu s vê no pom Cláuio Mnul Cost: LXVII Não t ss om Gil, l srrn; Qu é um vil, um infm, um sstro; Bm qu l tnh mis vs, go, A minh onição é mis humn. Qu mis t po r su n, Qu u qui t não tnh prlho? O lit, frut, o quijo, o ml ouro; Tuo qui hrás nst houpn: Bm qu l tng o su ril grossiro, Bm qu t louv ssim, m qu t or, Eu sou mis xtrmoso, vriro. Eu tnho mis rzão, qu t nmor: E s não, ig o msmo Gil vquiro: S é mis, qu l t nt, ou qu u t hor. A squêni orrt é V F F F. V F F V. Glossário Font: IGLESIA, Frniso (org.). Mlhors poms Cláuio Mnul Cost. São Pulo: Glol, 2012, p. 96. V V V F. F F V F. Dvs: trr. Extrmoso: xssivmnt rinhoso. F V V V. Ril: um spéi violino rústio ou r. Sor o pom, ssinl ltrntiv INCORRETA. Tno omo nário o mpo, omo prsongns, vquiros, o pom po sr rtrizo omo uólio, o qu vi o nontro um tnêni posi o príoo m qu foi omposto. O pom prsnt um situção onflito ntr ois vquiros qu, sguno o u-lírio, prsntm oniçõs onômis iêntis, ms sntimntis oposts. 15

16 O último vrso o pom prsnt um ntíts omo form rprsntção qu isput rtrt não porá prsntr o msmo finl fliz pr tos s prts nvolvis. O uso nfório m, no primiro trto o pom, rforç ii qu o vrsário o u-lírio plo mor l srrn tmém possui virtus, in qu não sjm tão intnss. O pom prsnt rims xtrns, intrpols nos qurttos ltrns nos trtos, ms tmém prsnt rim intrn, o qu ssinl um s rtrístis líri: musili. 22 A stnh-o-prá ( Brthollti xls) é font limntção rn s populçõs triionis Amzôni. Su olt é rliz por xtrtivists qu prorrm quilômtros trilhs ns mts, urnt o príoo s huvs mzônis. A stnhir é um s miors árvors florst, tingino filmnt ltur 50 m. O fruto stnhir, um ouriço, tm r 1 kg ontém, m méi, 16 smnts. Bsno-s nsss os onsirno o vlor prão lrção grvi 9,81 m/s 2, po-s stimr qu vloi om qu o ouriço ting o solo, o ir o lto um stnhir, é, m m/s, proximmnt, 5,2. 10,1. 20,4. 31,3. 98,1. 23 Sor o or, é orrto firmr: Os portuguss introuzirm háitos qu mrrm o plr rsiliro: vlorizrm o onsumo o sl rvlrm o çúr os frinos ínios o Brsil. É Portugl qu noss ozinh otou os os ovos, goi, mrml, nn, fig outrs s qu onstitum o rsnl nrgétio s sormss. Muitos sss os rm prouzios m thos or, possiilitno, ssim, um mlhor provitmnto rmznmnto s fruts. Atulmnt, proução sss limntos oorr m ripints ço inoxiávl. Font: UNIVERSIDADE FEDERAL DE BRASÍLIA. A ontriuição os portuguss. ATAN/DAB/SPS/MS. É um mtl llino stá no qurto príoo, pois su onfigurção ltrôni é s 1p 2s 2p 3s 3p 4s. É um mtl llino trroso stá no triro príoo, pois su onfigurção ltrôni é s 2s 2p 3s 3p 3 4s. É um lmnto trnsição intrn stá no qurto príoo, pois su onfigurção ltrôni é 1s 2s 2p 3s 3p 4s É um mtl trnsição xtrn stá no qurto príoo, pois su onfigurção ltrôni é s 2s 2p 3s 3p 4s 3. É um mtl fmíli os logênos ( formors or ) stá no triro príoo, pois su onfigurção ltrôni é s 2s 2p 3s 3p 4s 3. 16

17 24 C povo possui um tipo ulinári, um moo prprr sus limntos, omo s fossm sinis ulturis trnsmitios por mio o plr, visão o olfto. Por xmplo, no Brsil, os uropus form os rsponsávis pl introução o sl, o çúr ifrnts spiris, vrino in mis o o, o slgo, o zo o mrgo o rápio rsiliro. Sor sss sors, é orrto firmr qu su prpção é I - pt n língu irion o érro. II - trnsmiti o érro trvés os nurônios. III - ronhi n rgião o sistm nrvoso prifério. IV - um mistur snsçõs o olfto o plr. Estão orrts 25 pns I II. pns I IV. pns II III. pns III IV. I, II, III IV. A águ é ssnil pr vi stá prsnt n onstituição toos os limntos. Em rgiõs om sssz águ, é omum utilizção istrns pr ptção rmznmnto águ huv. Ao svzir um tnqu ontno águ huv, xprssão 1 V(t) = t rprsnt o volum (m m ) águ prsnt no tnqu no instnt t (m minutos). Qul é o tmpo, m hors, nssário pr qu o tnqu sj svzio? Crtmnt voê já stourou pipo no miroons ou já quu lgum limnto utilizno ss ltrooméstio. Voê s omo isso oorr? O miro-ons mit um rição ltromgnéti om omprimnto on mior qu o luz mnor qu o s ons ráio. À mi qu s ons pssm pls moléuls águ, sts sorvm rição movimntm-s mis rpimnt. Ao oliirm om moléuls vizinhs, trnsfrm ls prt su gitção térmi, ssim, o limnto vi sno quio. Moléuls polrs são pzs sorvr s miro-ons trnsformr ss nrgi m gitção térmi. Font: CISCATO, Crlos A. M.; PEREIRA, Frnno P. Plnt Quími. São Pulo: Áti, 2008, p (pto) Então, nlis s firmçõs: I - A moléul águ é polr, pois su gomtri é ngulr; ssim, prsnt pi issolvr sustânis polrs, omo o sl ozinh o ólo utilizos pr o ozimnto mrrão, formno um mistur htrogên om us fss istints. II - A águ é um sustâni simpls, form por lmntos om ifrnts vlors ltrongtivi. III - O omprtilhmnto létrons ntr os átomos hirogênio oxigênio n moléul águ oorr trvés ligçõs o tipo ovlnt. 17

18 IV - A águ prsnt ponto ulição (PE) mior qu môni, pois s forçs intrmolulrs n águ são miors qu n môni. Estão orrts Sust méio sulins Nort grn sulins Nort méio norstins pns I II. pns II IV pns I III. pns II III. Osrv figur: CONFIRA OS NÚMEROS CIDADE CUSTO DA CESTA BÁSICA VARIAÇÃO DO PREÇO 2011/2012 pns III IV. PORCENTUAL DO SALÁRIO MÍNIMO NECESSÁRIO PARA COMPRAR A CESTA São Pulo R$ 277,27 4,57% 55,30% Porto Algr R$ 276,86 9,80% 55,22% Vitóri R$ 275,39 13,80% 54,92% Blo Horizont R$ 264,01 11,76% 52,65% Rio Jniro R$ 262,90 8,34% 52,43% Florinópolis R$ 262,44 10,20% 52,34% Mnus R$ 255,79 1,48% 51,02% Curiti R$ 248,63 1,91% 49,59% Brsíli R$ 247,88 6,08% 49,44% Goiâni R$ 246,70 5,15% 49,20% Blém R$ 243,75 7,81% 48,61% Rif R$ 215,99 5,10% 43,08% Fortlz R$ 215,21 4,65% 42,92% Ntl R$ 212,36-3,38% 42,35% Slvor R$ 208,82 3,53% 41,65% João Psso R$ 204,21 5,13% 40,73% Arju R$ 182,22 3,60% 36,34% Um limntção om fiiêni vitmins ou minris po influnir tos s tps o prosso rproutivo. Sgum lguns xmplos qu não pom fltr n it. Vitmin A: rgul sínts progstron, urnt gstção, prvin imunofiiêni mã o ê. Vitmin C: é um potnt ntioxint qu protg os óvulos sprmtozois. Vitmin D: influni formção o nométrio. Consirno os vntos nvolvios n rproução humn, os sgmntos sulinhos rlionm-s, rsptivmnt, om o() função função ilo mnstrul. ilo mnstrul gmtogêns ilo mnstrul. gmtogêns função função. função gmtogêns função. Font: Dprtmnto Intrsinil Esttísti Estuos Soioonômios (Dis) I - As 05 sts ásis mis rs o Brsil lolizm-s m stos Rgião Sul. ilo mnstrul gmtogêns função. II - As miors vriçõs prço st ási, ntr os nos , oorrrm m pitis tmnho. III - Ns pitis, st ási tm os mnors ustos. Assinl ltrntiv qu prnh qumnt s luns s firmtivs. Sust méio norstins Sust grn norstins 18

19 29 O Brsil é o qurto proutor munil limntos, prouzino mis o qu o nssário pr limntr su populção. Entrtnto, grn prt proução é spriç. O gráfio mostr o prntul o spríio fruts ns firs o sto São Pulo. 30 Osrv os os n tl: Proutos Píss proutors Proução (tonls) Cn 1º Brsil 2º Íni 3º Chin 1º Brsil (%) Cfé 2º Vitnã º Cost Ri Cu Chá 1º Cost o Mrfim 2º Gn 3º Inonési 1º Íni 2º Chin 3º Sri Lnk Font: Divisão sttísti FAO, º Íni Bnn 2º Brsil º Chin º Chin At Axi Bnn Lrnj Mmão Mng Mlni Morngo Fumo 2º Brsil 3º Íni Consirno os os o gráfio, méi ritméti, mo min são, rsptivmnt, Disponívl m: Asso m: 10 st (pto) 28,625; 25 40; 25,5. 28,625; 25 40; ,625; 40; ,5; 25 40; 25,5. 20,5; 40; 25,5. Mrqu vrir (V) ou fls (F) ns sntnçs. ( ) Os proutos prsntos n tl são ultivos mnir triionl, m sistm griultur fmilir, sm o uso mnizção. ( ) Consirno os píss prtnnts o grupo os BRICS qu onstm n tl, osrv-s qu su onomi in s sustnt muito no stor primário. ( ) A proução n é fomnt por um políti inntivo os omplxos groinustriis qu trnsformm ss n priniplmnt m çúr álool. A squêni orrt é F V F. V V F. F V V. V F V. F F F. 19

20 31 A sfr nionl grãos tingirá 192,3 milhõs tonls nst no, um rsimnto 2,2% m rlção 2013, quno foi, proximmnt, 188,1 milhõs tonls. As stimtivs são o Instituto Brsiliro Gogrfi Esttísti (IBGE) form ivulgs n trç-fir, 10 julho. O stqu n proução srá rgião Cntro-Ost rsponsávl por 42% proução nionl, sgui pl rgião Sul om 38% o totl. Disponívl m:<http//www.gnirsil..om.r/onomi/notii/ /ig-sfr-sr-22- mior-qu-m-2013-ino-192-milhos--tonls>. Asso m: 10 st (pto) Qul srá, proximmnt, qunti, m milhõs tonls, proução rgião Cntro- Ost m 2014? 153, ,48. Está(ão) orrt(s) pns I. pns III. pns I II. pns II III. I, II III. 33 A proução limntos é muito influni pls stçõs o no, qu s rptm m ilos nuis s rtrizm pl vrição inlinção o movimnto prnt o Sol m rlção à Trr. A munç n urção rltiv os is, príoos m qu o Sol stá im o horizont, s noits, príoos m qu o Sol stá ixo o horizont, ltr iniêni rição sor s plnts. Esss munçs oorrm omo onsquêni inlinção o ixo rotção Trr m rlção o plno su órit, proximmnt irulr, m torno o Sol. Pr qu Trr orit m torno o Sol, é nssário qu 80,80. I - xist um forç trção ntr o Sol Trr. 79,00. 73, O filósofo lmão Luwig Furh ( ) firmou ts mtrilist qu o homm é quilo qu om. Um onpção smlhnt foi fni postriormnt por Krl Mrx. Qul(is) (s) ssrção(õs) sguir xprss(m) orrtmnt ss ii mtrilist no pnsmnto Mrx? II - vloi Trr m rlção o Sol sj prpniulr o sgmnto rt qu os un. III - Trr gir m torno su próprio ixo. Está(ão) orrt(s) pns I. pns II. pns III. pns I II. pns I III. I - A xplorção o trlhor plos onos os mios proução é mnti pl onsiêni lss. II - A lss ominnt tm omo fim último tom o por trvés ção o proltrio. III - As rlçõs onômis trminm onsiêni o homm omo sr soil. 20

21 34 Está(ão) orrt(s) Inpnntmnt ultur, os vgtis forn- pns I. pns I III. m limntos pr toos. Nos vrsos qu sgum, o utor tnt monstrr ss onição. pns II. pns I II. pns II III. Nm too o Ri tm Rino Ani uns tmpos pnsno No porquê os nimis. Msmo qu não hj úvi, Prguntr nun é mis: O qu sri os ihos S não fossm os vgtis? [...] Animl á mis iop Nos progrms TV Dá movimnto o inm Fz gnt s ntrtr. Ms too iho pn Ds plnts pr vivr. [...] Ah, s plnt não souss Trnsformr luz solr o vsto rino niml Dixri s frtr... Nm squr ppl tri Pr sts vrsos u otr Quno um lmnto riotivo, omo o Césio 137, ntr m ontto om o mio mint, po ftr o solo, os rios, s plnts s pssos. A rição não torn o solo infértil, porém tuo qu nl rsr strá ontmino. A xprssão ,023t Q(t) = Q0 rprsnt qunti, m grms, átomos riotivos Césio 137 prsnts no instnt t, m is, on Q0 é qunti iniil. O tmpo, m is, pr qu qunti Césio 137 sj mt qunti iniil é igul Us ln 2 = 0,69 Font: SOUZA, P. R.. Sínts Posi Anlis s sguints firmtivs: 3. I - Os vrsos ssinlos om os númros 12slintm pnêni os nimis, m spil, qunto o oxigênio prouzio plos vgtis por mio rspirção lulr. II - Os vrsos ssinlos om o númro 3 rfrms o prosso fotossínts qu oorr nos loroplstos. III - Os vrsos ssinlos om o númro 4 rmtm à proução mtéri orgâni rsultnt fotossínts. 21

22 36 No príoo Nolítio, os çors oltors já hvim quirio rzoávl xpriêni ulturl fim intifir nimis pr ç plnts pr usos ivrsos. Nss tmpo, por volt C., lém çr oltr frutos smnts, nossos ntpssos pssrm tr onição intrfrir in mis n nturz, omstino nimis ultivno plnts. Plos rgistros xistnts, isso tri ontio primirmnt ns rgiõs tulmnt hms Chin, Améri Cntrl, Pru Orint Próximo. Ess trnsformção ns forms vi no plnt é hm rvolução ronhimnto s prsongns ntr si ou onsintizção font o ml (PAVIS, Ptri, 1999). O gênro ttrl qu s rlion om srição prsnt é. Um os sus miors rprsntnts é, utor pç ujo prsongm prinipl ssssin o próprio pi, s-s om mã, o sorir vr, tormnto pl ulp, fur os próprios olhos é nio i. Assinl ltrntiv qu omplt s luns. trgéi Ésquilo Antígon oméi Sófols As Bnts ológi, por sr o primiro momnto ontto ntr os srs humnos nturz. urn, por hvr prmitio fixção sntrizção os humnos. trgéi Sófols Éipo Ri trgéi Euríps Eltr oméi Ésquilo Mi suméri, por tr sio rliz plos sumérios nts qulqur outro povo. gríol, por tr prmitio mior omínio sor nturz surgimnto s lis. iluminist, por tr s ifunio rpimnt m too o muno omo um luz. 37 Alguns stuiosos onsirm qu o ttro nsu n Gréi, mis prismnt m Atns, n pssgm o séulo VI.C. pr o V.C., prtir o itirmo. Ditirmo vm sr um oro rátr tumultuoso, pixono, or ntusist lgr or mlnólio somrio. Está rliono om o us Dioniso (us o vinho s fsts). 38 No prinípio o séulo XII, tv iníio n Europ um onomi fun no omério, o ntro vi soil sloou-s o mpo pr s is, surgino um nov lss soil: urgusi urn. Tmém rsulto ss prosso, rt români pssou sr non m fvor um novo stilo, rt góti, qul prsntv s sguints rtrístis rquittônis: oluns jônis, pitéis rliários. ontrsts luz somrs, ós ttos ltos. vitris olorios, muito spço intrno prs miçs. O itirmo, ntoo plos oruts, qu rm onuzios plo orifu, volui pr um iálogo qu á origm, sguno Aristótls, um gênro ttrl qu s rtriz por imitr s çõs humns olos so o signo os sofrimntos s prsongns pi, té o momnto o fhs pss, pouo spço intrno rosás. rootnts, ros ogivis vitris. 22

23 39 Li o txto osrv figur qu o sgu. Culturs Trnsgênis no Muno 16,7 milhõs griultors ultivrm mis 8% m Fvriro CiB Portugl ISAAA Píss om Culturs Gntimnt Moifis ,7 milhõs griultors, m 29 píss, ultivrm 160 milhõs htrs m 2011, ou sj, um umnto 8% m rlção Cliv Jms - ISAAA 2011 Font: Disponívl m: <http://ipt.org/iniio/inx.php/i/omunios/2012/138-ulturs-trnsgnis-no-muno milhos--griultors-ultivrm-mis-8-m-2011>. Asso m: 23 out (pto) Mrqu vrir (V) ou fls (F) ns sntnçs. ( ) Dos ino píss qu ompõm o grupo BRICS, três ls stão ntr os qu mis umntrm su ár totl proução trnsgênios. ( ) A miori os griultors qu ultivrm plnts gntimnt moifis (GMs) lolizm-s m píss snvolvios, pois nsss píss s lis são mnos svrs qunto à introução GMs. ( ) As ulturs plnts gntimnt moifis oorrm, m grn prt, nos píss mis populosos o muno. A squêni orrt é F V F. F F V. V V F. V F F. V F V. Os 19 píss m snvolvimnto qu utilizrm vris trnsgênis uplirm ár ultiv prouzirm qus 50% tos s ulturs gntimnt moifis m nívl glol, m Dos 10 píss inustrilizos utilizors sss ulturs, nov ultivrm mis ois milhõs htrs. Nsss 10 píss, hitm mis 60% populção munil (r qutro milhõs pssos). Os Estos Unios Améri lirrm om um totl 69 milhõs h, sguios o Brsil om 30,3 milhõs h. O Brsil umntou su ár m 19% m rlção o no ntrior já m 2010 tinh rsio 20% m rlção O Brsil, Chin, Íni, Argntin Áfri o Sul umntrm su ár totl m 44%. Esss píss inlum r 40% populção munil. N Europ, vrifiou-s um umnto 20% ár ultiv om vris GM. Em Portugl, o umnto foi 59%. Mis 90% os griultors qu ultivrm plnts gntimnt moifis (GM) lolizm-s m píss m snvolvimnto. Font: Disponívl m: <http://ipt.org/iniio/inx.php/i/omunios/ 2012/138-ulturs-trnsgnis-no-muno-16-7-milhos--griultorsultivrm-mis-8-m-2011>. Asso m: 23 out (pto) 23

24 40 O onhimnto Quími propii um mlhor omprnsão o muno, onsquntmnt, uxili n mlhori quli vi. A quími stá prsnt no i i, omo, por xmplo, no prossmnto n onsrvção limntos. Assim, vli os sguints prossos: I - o murimnto um frut. II - frmntção o vinho m vingr. III - trnsformção o lit m iogurt. IV - o ozimnto o ovo. São fnômnos químios: pns I II. pns I III. pns III IV. I, II, III IV. Priorizr práti os sports triionis, om finli vivr plnmnt orpori, form instituionliz, tno m vist quli vi, o m-str, promoção mnutnção sú. Propiir tnto quisição hilis motors, ténis tátis, qunto o onhimnto s rgrs os sports ofiiis, fim promovr priniplmnt ptião físi. Privilgir sort tlntos sportivos orgnizção quips rprsnttivs sol, fim mntr o orpo suávl. Contriuir pr formção ini os stunts por mio os sports, ginásti, nç, s luts, ntr outros ontúos, so onpção higinist ou iologiist. pns II IV A Eução Físi, oni tulmnt omo prt intríns ução, portnto, omo ár onhimnto, v trtr s prátis orporis onstruís o longo históri humni. Por outro lo, não s trt quisqur prátis ou movimntos, sim quls qu s prsntm n form sports, ginástis, jogos, rinirs, nçs, luts movimntos xprssivos. As vivênis tis prátis orporis os onitos signifios ls rlionos são ontúos lgítimos srm prolmtizos m toos os nívis nsino Eução Bási. Com s nsss informçõs, ssinl ltrntiv orrt qunto à finli Eução Físi n sol. Propiir, form lúi ontínu, prpção o orpo, sus limitçõs, fim suprá-ls, sus potnilis, fim snvolvê-ls mnir utônom rsponsávl. Do ponto vist histório, o tmpo ou ontgm l é um invnção humn. Conform sus nssis, mior prt s ivilizçõs onstruiu um lnário prtir um ontimnto tio omo funmntl m sus ulturs. Ants invnção os rlógios mânios igitis, os lulrs omputors, nossos nstris usvm forms ivrss pr mir pssgm o tmpo, om mis ou mnos prisão. Consirno sss forms, oloqu vrir (V) ou fls (F) ns ltrntivs uss por nossos nstris. ( ) pitos os trns, florção s árvors munçs n tmprtur ( ) rlógios solrs, rupçõs n pl os nimis posição s strls ( ) iniêni luz, qu s folhs s árvors ilos gríols A squêni orrt é V V V. V F F. V F V. F V F. 24 F F V.

25 43 Um minhão prt um pquno mro m irção um uni istriuição limntos, qu s nontr 20 km istâni, on vrá prmnr pro por r 30 min, té ompltr rg, rtornno m sgui o mro. S, n i, o minhão vij n vloi limit o prurso 60 km/h, n volt, n 40 km/h, qul é vloi slr méi o minhão, m km/h, lul plo pssol qu prmnu no mro? Osrv o gráfio: % pssol mprgo Bixo Agriultur Srviços Inústri Rnimnto pr pit Font: OLIC, N. B.; SILVA, A. C; LOZANO, R. Gogrfi. São Pulo: Morn, Vol. únio. p Com s no gráfio m sus onhimntos, nlis s firmtivs. I - Os postos trlho gros pls tivis o stor srviços possiilitm o umnto no númro mprgos m píss snvolvios. II - A griultur, font limntção primári o sr humno, é o stor qu mis mprg, no ntnto é o qu mnos gr rn. Alto III - A groinústri, stor onômio misto, prmit lt mprgili m função onstnt mn proução limntos m sl glol. Está(ão) orrt(s) pns I. pns II. pns III. pns I II. pns I III. 45 O tontrismo ulturl rtrizou o príoo hmo Alt I Méi. Apsr os sforços Crlos Mgno, no sntio stimulr o snvolvimnto ultur o nsino, isso não s mntv pós su mort, prinipl proupção, ntão, pssou sr slvção s lms. Snto Agostinho foi o prinipl intltul o príoo fini o homm omo um sr orrompio hriro o po originl. Sor s rtrístis ss momnto, onsir s firmtivs sguir. I - O rnsimnto rolíngio rrigou-s, spilmnt, ntr os mongs opists snvolvu-s om mis forç trvés o surgimnto s primirs univrsis, ris no príoo. II - As rtrístis rquittur români lvvm à prsptiv mis ontmplção mnos ção, mis fé qu rzão. III - A litrtur, pintur sultur pouo s snvolvrm nss príoo, stno-s, ntrtnto, s iluminurs. IV - O pssimismo gostinino não vislumrv qulis no Dus tólio, homns poim otr slvção pl fé o livr-rítrio. Está(ão) orrt(s) pns I, II III. pns I IV. pns IV. I, II, III IV. pns II III. 25

26 46 Anotçõs Um rinç s mhu grit; ntão os ultos flm om l lh nsinm xlmçõs, postriormnt, frss. Ensinm à rinç um novo omportmnto prnt or. Font: WITTGENSTEIN, L. Invstigçõs Filosófis. São Pulo: Eitor Aril, p. 95. As frss qu ompõm lingugm humn tivrm um ppl ssnil pr o snvolvimnto ultur. Alguns usos linguístios ( frss plvrs) são mis omplxos outros mis simpls. N pssgm prsnt, o filósofo Wittgnstin xpli qu há um uso lingugm m qu ultos nsinm s rinçs sustituir ou olor plvrs no lugr snsçõs. No lugr izr i! horr, s rinçs são nsins izr: mmã, mhuqui o jolho (quno m um iilt, por xmplo). O uso lingugm qu oorr nsss ontxtos é o xprssivo. sritivo. normtivo. lógio. prformtivo. 47 A qustão ntrior trt s ifrnts funçõs qu frss pom smpnhr. Em Hoj o i stá qunt nsolro; vmos pssr iilt, prt frs qu s rfr o sto ou à onição o tmpo é um nunio sritivo. hipotétio. normtivo. nlítio. xistnil. S voê optou por Língu Ingls, pss pr págin

27 Língu Espnhol Pr rsponr às qustõs númros 48 50, li o txto sguir. Págin 12 Soi Domingo, 28 novimr 2010 L omi s ultur Mtís Brur s invstigor y profsor Histori ls Is n ls univrsis Bunos Airs y Quilms. En prllo, s i isñr spios ulturls y gstronómios. S ntusism on l mustr por l hho str oni s l ár Inustris Culturls on too l signifio qu llo tin junto on los otros ministrios. Su ojtivo, i, s pnsr l inti prtir l omi. Entr otrs puliions, Brur s utor l liro L Argntin frmnt. Vino, limntión y ultur (Eitoril Piós), on h un rorrio por prsonjs histórios ntr llos, Srminto, Mrtínz Estr, Mnsill y Prón y su vínulo on l omi. En iálogo on st irio, xplió l spíritu l xhiiión. Por qué pnsr l omi omo ultur? Comr s similr l muno. Imuirs n él trvés rsonnis snsils qu n l otiini nos rrojn físimnt un rio úmulo signifios posils, unqu strotipos por l ostumr y l sii utorrflxiv sor los mismos. Too txto omo to omi s un horizont lusivi, un rfljo ognitivo qu limit l prfil lo rfljo y qu no onsum, n tnto onoiminto, l spsor l mtri qu simoliz. Ls plrs son l limnto l mnt, l mmori l ptito, l onoiminto l omi, l sr su sor y l grmáti, nustrs rts. Esriir s omo oinr, rsulto qu ofrn un pnsminto, nmro por l lnguj o ingrints, qu ominos rsn l orn iniviul ls is o pltos. Si in l pnsminto nun h prsto l sufiint tnión l omi, too pnsor h nutrio lgun prt su or l inmmoril irio limntrio. L omi s, nt too, ultur uno s prou o r, uno s prpr o trnsform y uno s onsum o lig. Tnmos qu sr onsints qué tipo sois qurmos onstruir y n st sntio l limntión s un spto provinil trvés l ul por pnsrnos. L ifusión l ultur ulinri omo ptrimonio inmtril nustros pulos s muy rvlor, pus rsult un lmnto isivo ls intis y uno los más fis pr trnsmitirls. Font: Disponívl m: Asso m: 04 st (pto) 27

28 48 A rspito Mtís Brur, onsir s firmtivs: 50 Assinl ltrntiv qu prsnt nális orrt. I - É profssor univrsitário m Bunos Airs Quilms. II - Entr outrs puliçõs, puliou um livro pl itor Piós. III - É rsponsávl pl xposição ulturl L Argntin frmnt. IV - É projtist spços ulturis gstronômios. A plvr ostumr (l. 24) tm o msmo gênro ostum m português. O pronom llo (l. 8) po sr truzio o português omo l. A onjunção unqu (l. 23) prsnt sntio xplição. S plvr liro (l. 11) stivss no plurl, sri nti ontrção los. Está(ão) orrt(s) O vro h nutrio (l ) truz-s o por- pns II. pns I, II IV. tuguês omo nutriu. pns I III. I, II, III IV. pns III IV. 49 As oorrênis o possssivo su ns linhs 9, fzm rfrêni, rsptivmnt, Mtís Brur (l. 1) Prón (l. 15) too pnsor (l. 39). l mustr (l. 5) Prón (l. 15) too pnsor (l. 39). Mtís Brur (l. 1) prsonjs histórios (l. 14) l pnsminto (l ). l mustr (l. 5) prsonjs histórios (l. 14) too pnsor (l. 39). Mtís Brur (l. 1) Prón (l. 15) l pnsminto (l ). 28

29 Língu Ingls Pr rsponr às qustõs númros 48 50, li o txto sguir Brzilin Foo - Mix of Influns For Suny Tims Extr, 6 July 2014 In ountry s gogrphilly xpnsiv s Brzil, it isn't sy to fin th uisin. Ntiv Inins n olonistion y th Portugus, who rought ovr Afrin slvs, hv ll ply thir prt in th ulinry ultur. Thr is mix of influns tht hv nur n intrmingl in Brzil. Thr sms to n unrstning tht fijo, th lk n stw m with vrious pork uts, with its roots in Afri, is th ntionl ish. Untuous n hrty, it's srv with pork rkling, orng slis n ollr grns n njoy on Sturys. Just s mny Asins rly on ri s stpl, Brzilins look to th strhy tur ssv (known s mnio or yu) oil, fri, stw, groun into flour n tost with uttr, s thir ily r. Th South Est (São Pulo n Rio fll hr) tns to srv mix from roun th ountry. Coxinh (hikn roqutts), tpio pnks, slt o pstis (p-fri pstris) n pão quijo (hs rolls) r populr ity snks Othr Brzilin foos to try: 1. Th North: Influn y th Amzon Inins, th foo hr is s los to wht it ws for olonistion. Try: Açí: A suprfruit n Gurná, rry us to mk nrgy rinks. Pimnt: spiy ppprs. Puim Tmqui: A soufflé-lik fish ish with shrimp su. Tá: A soup with slt ry jumo prwns n lol wtrrss. 2. Th North Est: slvs on th sugr n plnttions us plm oil, oonut milk n okr, populr in som Afrin ountris. Try: Arjé: A frittr m with ns n fri in plm oil. Boó Cmrão: Hrty shrimp stw, m with mnio, oonut milk, n plm oil. Cruru: A stw of okr, ri shrimp n tost shws. 3. South Brzil: A mlting pot of ulturl influns from Grmn to Lns n foun hr. Try: Arroz Crrtiro: Fri ri with rhyrt hrqu South Amrin iltong. Churrso: Brzilin ri. Mt mrint in slt n milk or hç istill sugr-n spirits. Font: Disponívl m: Asso m: 15 st (pto) 29

30 48 O sgmnto qu prsnt o msmo ontúo o título m outrs plvrs om mis tlhs é 50 Consir s firmçõs sguir sor s três rgiõs gográfis o Brsil sts no txto. Ntiv Inins n olonistion y th Portugus, who rought ovr Afrin slvs, hv ll ply thir prt in th ulinry ultur (l.2-5). fijo, th lk n stw m with vrious pork uts, with its roots in Afri, is th ntionl ish (l. 9-11). Th South Est (São Pulo n Rio fll hr) tns to srv mix from roun th ountry (l.19-20). th foo hr is s los to wht it ws for olonistion (l ). slvs on th sugr n plnttions us plm oil, oonut milk n okr, populr in som Afrin ountris (l.36-38). I - A omi, n rgião Nort, r influêni inígn. II - Alguns ingrints prtos típios o Norst são hrnç srvos frinos. III - N rgião Sul, omi sofr influêni us ulturs: lmã lins. Está(ão) orrt(s) pns I. pns II. pns I II. pns I III. pns II III. 49 Sor mnio (l ), iniqu s s firmçõs sguir stão m oro (A) ou soro (D) om o txto. ( ) ( ) ( ) ( ) N form frinh, é ingrint ásio o pão iário. Po sr ozi, frit, nsop. Tm origm siáti. Signifi pr o rsiliro o qu o rroz signifi pr o siátio. A squêni orrt é A A D A. D D D A. A D A D. D A D A. D A A D. 30

31 Anotçõs 31

32 H 1 1, SÉRIE DOS LANTANÍDIOS SÉRIE DOS ACTINÍDIOS 89 A L ,9 [227] Númro tômio (Z) Símolo Mss tômi H 1 1,0 Li N K R Cs Fr 87 [223] 132,9 3 6,9 23, , ,5 P Pt Ni Ds 28 58,7 195,1 106,4 110 Lr Lu 175,0 [262] No Y 173,0 [259] M Tm 168,9 [258] Fm Er 167,3 (257) Es Ho 164,9 [252] Cf Dy 162,5 [251] Bk T 158,9 [247] Cm G 157,3 [247] Am Eu 152,0 [243] Pu Sm 150,4 [244] Np Pm [145] [237] U N 144,2 238, P Pr 140,9 231, Th C 140,1 232, Zn C Hg 30 65,4 200,6 112,4 48 Cu Ag Au 29 63, ,9 47 Co Rh Ir Mt 27 58,9 192,2 102, F Ru Os Hs 26 55,8 190,2 101, Mn T R Bh 25 54,9 [98] 186, Cr Mo W Sg 24 52,0 95,9 183, V N T D 23 50,9 92,9 181, Ti Zr Hf Rf [261] 22 47,9 91,2 178, S Y Séri os Atníos 21 45,0 88, C Sr B R Mg B 88 4 [226] 9, , ,1 87,6 137,3 38 H 2 4,00 N Ar Kr X Rn 36 83,8 [222] 131,3 20,2 39, F Cl Br I At 35 79,9 [210] 126,9 19,0 35, O S S T Po 34 79,0 [209] 127,6 16,0 32, N P As S Bi 33 74,9 209,0 121,8 14,0 31, C Si G Sn P 32 72,6 207,2 118, ,0 28, Al G In Tl 69,7 B 10,8 27,0 204,4 114, Séri os Lntníos Rg 111 Cn [271] [268] [277] [264] [266] [262] [272] [277] Fl [287] 114 Lv [291] Tl Priói

33 1 Língu Almã SERIADO Insrição nº:

34 Pr rsponr às qustõs númros 48 50, li o txto sguir Ds ssn i WM-Gstgr Fußllntion uh kulinrish top: Di Brsilinish Küh Di Brsilinr könnn niht nur gut Fußll spiln. Auh ihr kulinrishn Spzilitätn sin niht zu vrhtn. Di rsilinish Küh stzt sih us viln vrshinn Essgwohnhitn zusmmn. Brsilin ist in Ln, in m vil Kulturn un mntsprhn uh vil Essgwohnhitn ufinnr trffn. Di tritionlln Kühn wurn uh strk urh Einwnrr influsst, i vor llm us Europ, r uh us Afrik kmn. Dn größtn Einfluss uf i Spiskrt ht is hut i portugisish Küh. Vrshin Griht stllt FNP. im folgnn Artikl vor. Solltn Si Apptit kommn, klikn Si infh uf i Links im Txt. Als s rsilinish Ntionlgriht gilt i "Fijo", in Bohnntopf mit Flish, zu m tritionll Ris, "Frof" us Mniok un Orngnsft griht wrn. Als "Frof" zihnt mn gröstts Mniokmhl. Bsonrs lit sin hir uh i zhlrihn Zuritungsvritionn s Fishs "Blhu". Di rsilinishn Slt hn mist Tomtn ls Huptzutt. Als Dssrt itn i Brsilinr mist "Quinim" n, in Art Kokoskuhn mit Rosinn. Ar uh puingrtig Süßspisn sthn uf r Spiskrt Bilrstrk Für jn Gshmk s Rihtig: Brsilinish Küh Unnthrlih für i rsilinish Küh ist r Knoluh. Fin zrrükt fint r sih in n mistn Spisn wir. Auh Korinrlättr sin sonrs i Fishgrihtn un Gmüsrtn ghrt. Un noh tws sorgt für n unvrglihlihn rsilinishn Gshmk: "Pimnt Mlgut", romtish un shrf Pfffrshotn. Auh i Wirtshft ht Einfluss uf i Esskultur r Brsilinr: Run 30 % s wltwitn Ertrgs n Kff wir hir ngpflnzt un grntt. Dhr kommt mn in Brsilin n jr Ek inn "Cfézinho". Ds ist s rsilinish Wort für Kff. Für j rsilinish Br ist r Cipirinh (sih Vio untn) unnthrlih un s groß Angot n xotishn Frühtn sorgt für in rit Auswhl n Fruhtsäftn ("Suos") un Milh-Shks ("Vitmins"). Etws wnigr xotish: Bir git s hir ntürlih uh. Sortn wi "Antrti" or "Brhm" ghörn zu n Klssikrn. Auh s Col-rtig Gtränk "Gurná" ghört uf j rsilinish Gtränkkrt. Typishrwis git s in Brsilin fünf is shs Mhlzitn täglih. Dis sin "Cfé-mnhã" (Morgnkff), "lnh--mnhã" (Morgntlihr Snk), "lmoço" (Mittgsssn), "lnh--tr" (Anlihr Snk), "jntr" (Anssn) un "i" (späts Anssn). 02

35 65 70 Einml ür i kulinrish Lnkrt gfgt wir mn fststlln, ss i Küh im Norn Brsilins strk ininish gprägt ist, r uh inish Einflüss sin rknnr. Vor llm Fish ist hir s Huptnhrungsmittl. Im Norostn ght s hr friknish zu. Di Küh sirt uf Ris, Bohnn un gtrokntm Flish. Im Süostn ggn wrn ll Rzpt mit Bohnn glit. Dr Sün s Lns ist von n Einflüssn r Europär gprägt. Hir sin vor llm Flishgriht strk vrritt. Somit ht i rsilinish Küh für jn Gshmk tws zu itn. Font: Disponívl m: Pulio m: 16 jun (pto) 48 Consirno o txto, o prinipl ojtivo o rtigo Frnkfurtr Nu Prss (FNP.) é ivulgr op o muno futol no Brsil. prsntr ivrsos prtos ozinh rsilir. omrilizr proutos típios o Brsil, tis omo fruts pixs. 50 S, n frs " Solltn Si Apptit kommn, klikn Si infh uf i Links im Txt" (l.14-16), form trtmnto us foss informl, s plvrs sulinhs srim, rsptivmnt, Solltst u Sollst u Sollst klik. klikst u. klikst. mostrr qu ozinh rsilir tm pou Solln klikn. vri. Sollt klik. inntivr o onsumo proutos nturis o Brsil. 49 N frs "Auh ihr kulinrishn Spzilitätn sin niht zu vrhtn" (l.2-3), o trmo sulinho rfr-s Fußllntion. Essgwohnhitn. Küh. Fußll. Brsilinr. 03

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA S VI VOLTRÁ PR RINR 1. US, TU ÉS MU US #m US, TU ÉS MU US SNHOR TRR ÉUS MR U T LOUVRI #m SM TI NÃO POSSO VIVR M HGO TI OM LGRI MOR NST NOV NÇÃO #m #m OH...OH...OH LVNTO MINH VOZ #m LVNTO MINHS MÃOS #m

Leia mais

NESS-A TOUCH SCREEN 7" C/ MODEM

NESS-A TOUCH SCREEN 7 C/ MODEM 6 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS OMPRSSOR LTRNTIVO // LTRÇÃO LYOUT-IM MUTI PR SOPOST OTÃO MRÊNI LLN9 0 07/0/ LTRÇÃO O MOM O LYOUT LOUV 7 0 06// INLUSÃO O ORINTTIVO O LÇO OMUNIÇÃO IO V. 00 8/0/ INIIL TOS R.

Leia mais

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO EXXA -SL

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO EXXA -SL 3 4 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS XX SL (L44) - RJ4- /SNSORS - IM SOPOR 30.400.83.7 XX SL (L44) - RJ4- /SNSORS - IM MUTIR 30.400.84. IRM INTRLIÇÃO UTOMÇÃO XX -SL 3 0// INTIIÇÃO OS SNSORS UMI PRSSÃO /03/4

Leia mais

Índia Até o bicho separa o lixo

Índia Até o bicho separa o lixo Opror Máquins Agríols Nº Insrição: Pró-Ritori Gstão Pssos Univrsi Frl Snt Mri Prt I Língu Portugus Pr rsponr às qustõs númros 01 10, li os txtos sguir. Txto I Txto II Txto III OBICHO Vi ontm um iho N imuníi

Leia mais

ÚNICO. Biologia. Física Geografia. História Língua Estrangeira Língua Portuguesa. Literatura Brasileira Matemática Química.

ÚNICO. Biologia. Física Geografia. História Língua Estrangeira Língua Portuguesa. Literatura Brasileira Matemática Química. 1 Biologi Físi Gogrfi ÚNICO Históri Língu Estrngir Língu Portugus Litrtur Brsilir Mtmáti Quími Insrição nº: Vstiulno, o prov! 02 01 C rgião rsilir possui háitos limntrs próprios prtos mlmátios, qu srvm

Leia mais

ORION 6. Segunda Porta USB. Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda.

ORION 6. Segunda Porta USB. Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. ORION 6 Sgun Port USB Hnry Equipmntos Eltrônios Sistms Lt. Ru Rio Piquiri, 400 - Jrim Wissópolis Cóigo Postl: 83.322-010 Pinhis - Prná - Brsil Fon: +55 41 3661-0100 INTRODUÇÃO: Pr orrto unionmnto, é nssário

Leia mais

Eu sou feliz, tu és feliz CD Liturgia II (Caderno de partituras) Coordenação: Ir. Miria T. Kolling

Eu sou feliz, tu és feliz CD Liturgia II (Caderno de partituras) Coordenação: Ir. Miria T. Kolling Eu su iz, s iz Lirgi II (drn d prtirs) rdnçã: Ir. Miri T. King 1) Eu su iz, s iz (brr) & # #2 4. _ k.... k. 1 Eu su "Eu su iz, s iz!" ( "Lirgi II" Puus) iz, s _ iz, & # º #.. b... _ k _. Em cm Pi n cn

Leia mais

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO NESS LRC MULTILINHAS C/ IHM

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO NESS LRC MULTILINHAS C/ IHM 4 5 6 7 8 9 0 QUIPNOS ONROLOS 5 LINS RSRIOS OU LINS ONLOS LIN RSRIOS IR INRLIÇÃO UOÇÃO NSS LR ULILINS O I 8 0/0/5 URÇÃO LRÇÃO OS UNIUS, RPOSIIONNO O POLI LRÇÂO N LIS RIIS LOUV 7 7 0/0/5 LRO O LYOU, SUSIUIO

Leia mais

CD CORAÇÃO DA NOIVA - 1. O SENHOR É BOM INTR:E D A/C# C7+ B E D A/C# O SENHOR É BOM C7+ B E SEU AMOR DURA PARA SEMPRE ELE É BOM...

CD CORAÇÃO DA NOIVA - 1. O SENHOR É BOM INTR:E D A/C# C7+ B E D A/C# O SENHOR É BOM C7+ B E SEU AMOR DURA PARA SEMPRE ELE É BOM... C CORÇÃO NOIV - 1. O SNHOR É OM INTR: /C# C7+ /C# O SNHOR É OM C7+ SU MOR UR PR SMPR L É OM... Letra e Música: avi Silva C CORÇÃO NOIV - 2. SNTO É O TU NOM M TO TRR S OUVIRÁ UM NOVO SOM UM CNÇÃO MOR PRCORRRÁ

Leia mais

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7 1) É tã bnit n tr (ntrd) cminh cm Jesus (Miss d Temp mum cm crinçs) & 2 4 m œ É tã b ni t n_ tr me s s gr d, & œ t h brn c, ve ce s. & _ Mis s vi c me çr n ns s_i gre j; _u & j im c ris ti cm e gri, v

Leia mais

BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2

BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2 UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2 LEIA, COM ATENÇÃO, AS SEGUINTES INSTRUÇÕES 1. CARTÃO-RESPOSTA stino à mrção s rsposts s 56 qustõs ojtivs. 2. Confir su nom, númro insrição

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2 2ª ETAPA

BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2 2ª ETAPA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2 2ª ETAPA LEIA, COM ATENÇÃO, AS SEGUINTES INSTRUÇÕES 1. Est Boltim Qustõs é onstituío 60 qustõs ojtivs. 2. Voê rrá, tmém um CARTÃO-RESPOSTA

Leia mais

Grafos. Luís Antunes. Grafos dirigidos. Grafos não dirigidos. Definição: Um grafo em que os ramos não são direccionados.

Grafos. Luís Antunes. Grafos dirigidos. Grafos não dirigidos. Definição: Um grafo em que os ramos não são direccionados. Luís Antuns Grfos Grfo: G=(V,E): onjunto vértis/nós V um onjunto rmos/ros E VxV. Rprsntção visul: Grfos não irigios Dfinição: Um grfo m qu os rmos não são irionos. Grfos irigios Dfinição: Um grfo m qu

Leia mais

Classificação Periódica dos Elementos

Classificação Periódica dos Elementos Classificação Periódica dos Elementos 1 2 3 1 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é 1, exceto quando indicado entre parênteses. Os valores com * referemse Número Atômico 18 ao isótopo

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: TEMPO TOTAL APLICADO: h m TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins sm utorizção CTA Eltrôni Rsolv os prolms ssinl ltrntiv orrsponnt: 01)

Leia mais

Teoria dos Grafos Aula 11

Teoria dos Grafos Aula 11 Tori dos Gros Aul Aul pssd Gros om psos Dijkstr Implmntção Fil d prioridds Hp Aul d hoj MST Algoritmos d Prim Kruskl Propridds d MST Dijkstr (o próprio) Projtndo um Rd $ $ $ $ $ Conjunto d lolidds (x.

Leia mais

RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR MEIO DE DETERMINANTES

RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR MEIO DE DETERMINANTES RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR EIO DE DETERINANTES Dtrmt um mtrz su orm Sj mtrz: O trmt st mtrz é: Emlo: Vmos suor o sstm us quçõs om us óts y: y y Est sstm quçõs o sr srto orm mtrl: y Est qução r três mtrzs:.

Leia mais

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete,

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete, Cpítul 3 N ã p! Abu! On já viu? Et qu é n! Cê minh mã? Qun mnin chgm p jg nqul ming, qu ncntm? Um gup mnin. D cmit, têni, clçã muit ipiçã. E g? Afinl, qum tinh ti qul ii mluc? D qun vcê gtm futl? pguntu

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins sm utorizção CTA Eltrôni Rsolv os prolms ssinl ltrntiv

Leia mais

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Física e Química A Prova Escrita

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA, CONTABILIDADE E SECRETARIADO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA, CONTABILIDADE E SECRETARIADO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA, CONTABILIDADE E SECRETARIADO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Orçmnto Emprsri Copyrit Prir, F. I. Pro. Isiro MINI CASE # 12

Leia mais

ANEXO II MODELO DE PROPOSTA

ANEXO II MODELO DE PROPOSTA Plnih01 ANEXO II MODELO DE PROPOSTA Lot Itm Dsrição Uni 1 2 3 4 5 Imprssão CARTAZ: Formto A4, 21x29,7 m, Ppl rilo, 120 g/m² Nº ors: 4/0 ors. Qunti Rgistrr: 6.000 Imprssão CARTAZ: Formto A4, 21x29,7 m Ppl

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: ELETRÔNICA TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Rsolv os prolms ssinl ltrntiv orrsponnt: Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins

Leia mais

QUESTIONÁRIO DO DIRETOR. Senhor(a) Diretor(a),

QUESTIONÁRIO DO DIRETOR. Senhor(a) Diretor(a), 2013 QUSTONÁRO O RTOR Senhor(a) iretor(a), s avaliações do Sistema Nacional de valiação da ducação ásica (S) são compostas por dois tipos de instrumentos de avaliação: as provas aplicadas aos estudantes

Leia mais

(BIS) GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS,

(BIS) GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, P á g i n a 57 LÓRI US (TOM: Ó) 4/4 PLO SOL QU RILH, LÓRI US PL LOR QU NS, LÓRI US PLOS MONTS LTOS, LÓRI US PLO MR TMÉM, LÓRI US PLOS PSSRINHOS, LÓRI US PL NOIT O I, LÓRI US PL RIS LR, LÓRI US QU LON VM,

Leia mais

Germinação de Sementes

Germinação de Sementes Grminção Smnts Monootilôns Euiotilôns rminção pí rminção hipó Smnts nospémis Smnts não nospémis rof. Mrlo F. omplli Dr. m Fisioloi Vtl Fisioloi Vtl BO248 turm L1 hsolus vulris L. Z mys L. Grminção smnt:

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: ELETRÔNICA TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Rsolv os prolms ssinl ltrntiv orrsponnt: Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins

Leia mais

Uma nota sobre bissetrizes e planos bissetores

Uma nota sobre bissetrizes e planos bissetores Runs Ros Ortg Junior 83 Um not sor isstris pnos isstors Runs Ros Ortg Junior Doutor Curso Mtmáti Univrsi Tuiuti o rná Dprtmnto Mtmáti Univrsi Fr o rná Tuiuti: Ciêni Cutur n 9 FCET 4 pp 83-9 Curiti r 84

Leia mais

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA E COMPUTAÇÃO EIC0011 MATEMÁTICA DISCRETA

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA E COMPUTAÇÃO EIC0011 MATEMÁTICA DISCRETA 1. Tm 40 livros irnts qu vi gurr m 4 ixs ors irnts, olono 10 livros m ix.. Qunts possiilis tm istriuir os livros pls ixs irnts? Justiiqu.. Suponh gor qu tinh 60 livros. Qunts possiilis pr os olor ns 4

Leia mais

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte Vi vijr pr? Situ-s com nosss dics roportos trns mtrôs Chgd m Avião: Aroporto Hthrow: Situdo crc 20 km ost um dos mis movim ntdos d Europ possui cinco trminis Dpois pssr pls formlids imigrção pgr su bggm

Leia mais

EM NOME DO PAI ====================== j ˆ«. ˆ««=======================

EM NOME DO PAI ====================== j ˆ«. ˆ««======================= œ» EM NOME O PI Trnscçã Isbel rc Ver Snts Pe. Jãzinh Bm & # #6 8 j. j... Œ. ll { l l l l n me d Pi e d Fi lh ed_es & #. 2. #. _. _ j.. Œ. Œ l l l j {.. l. pí t Sn t_ mém Sn t_ mém LÓRI O PI Trnscçã Isbel

Leia mais

BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2 3ª ETAPA

BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2 3ª ETAPA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2 3ª ETAPA LEIA, COM ATENÇÃO, AS SEGUINTES INSTRUÇÕES 1. Est oltim qustõs é onstituío : - Rção - 54 qustõs ojtivs. 2. Confir s, lém ss oltim

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: ELETRÔNICA TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins sm utorizção CTA Eltrôni Rsolv os prolms

Leia mais

ÚNICO. Biologia. Física Geografia. História Língua Estrangeira Língua Portuguesa. Literatura Brasileira Matemática Química.

ÚNICO. Biologia. Física Geografia. História Língua Estrangeira Língua Portuguesa. Literatura Brasileira Matemática Química. 2 Biologi Físi Gogrfi ÚNICO Históri Língu Estrngir Língu Portugus Litrtur Brsilir Mtmáti Quími Insrição nº: 01 Está(ão) orrt(s) (s) firmtiv(s) Potimnt, o sl mtforiz o mr, s lágrims, forç vivr. Cstro Alvs,

Leia mais

GABARITO DA AVALIAÇÃO AMD

GABARITO DA AVALIAÇÃO AMD GRITO VLIÇÃO M -FUL IPIRNG OS XTRÍOS M //0 :9:7 Turma LN 0 Semestre 0 URRÍULO SOLR IVRSI ULTURL T. URRIULO SOLR IVRSI ULTURL URRIULO SOLR IVRSI ULTURL URRIULO SOLR IVRSI ULTURL URRIULO SOLR IVRSI ULTURL

Leia mais

1 A ELE A GLÓRIA 2 AINDA QUE A FIGUEIRA 3 AO ERGUERMOS 4 ATRAI O MEU CORAÇÃO 5 DEUS É BOM 6 EM ESPÍRITO, EM VERDADE 7 EM TODO TEMPO 8 EU TE QUERO

1 A ELE A GLÓRIA 2 AINDA QUE A FIGUEIRA 3 AO ERGUERMOS 4 ATRAI O MEU CORAÇÃO 5 DEUS É BOM 6 EM ESPÍRITO, EM VERDADE 7 EM TODO TEMPO 8 EU TE QUERO 1 L GLÓRI 2 IND QU FIGUIR 3 O RGURMOS 4 TRI O MU CORÇÃO 5 DUS É OM 6 M SPÍRITO, M VRDD 7 M TODO TMPO 8 U T QURO 9 LOUV 10 LOUV TI 11 MIS QU UM MIGO 12 M DLITO M TI 13 ND LÉM DO SNGU 14 O LÃO D TRIO D JUDÁ

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia www.smorsplvr.om.r Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã Ar Do io PG. io. DOUTRINA CRISTÃ ACERCA o 03 INTRODUÇÃO. 03 I, A FONTE DE INFORMAÇÕES SOBRE

Leia mais

+ fotos e ilustrações técnicas de outras usinas

+ fotos e ilustrações técnicas de outras usinas Imgns problms mbintis no sul Snt Ctrin, corrnts s tivis minrção crvão, su lvgm su uso m usin trmlétric + fotos ilustrçõs técnics outrs usins Fotos fits por Oswl Svá ntr 1992 2001, durnt visits fits juntmnt

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Lista de Exercícios 9: Soluções Grafos

Lista de Exercícios 9: Soluções Grafos UFMG/ICEx/DCC DCC111 Mtmáti Disrt List Exríios 9: Soluçõs Gros Ciênis Exts & Engnhris 2 o Smstr 2016 1. O gro intrsção um olção onjuntos A 1, A 2,..., A n é o gro qu tm um vérti pr um os onjuntos olção

Leia mais

121,8 127,6 126,9 131,3. Sb Te I Xe 27,0 28,1 31,0 32,1 35,5 39,9 69,7 72,6 74,9 79,0 79,9 83, Ga Ge As Se Br Kr. In Sn 114,8 118,7.

121,8 127,6 126,9 131,3. Sb Te I Xe 27,0 28,1 31,0 32,1 35,5 39,9 69,7 72,6 74,9 79,0 79,9 83, Ga Ge As Se Br Kr. In Sn 114,8 118,7. PRVA DE QUÍMICA º 2º 3º 4º 5º 6º 7º TABELA PERIÓDICA DS ELEMENTS (IA),0 3 Li 6,9 Na 23,0 9 K 39, 2 (IIA) 4 Be 9,0 2 Mg 24,3 3 (III B) 4 5 6 7 8 9 0 2 20 2 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Ca Sc Ti V Cr Mn Fe

Leia mais

QUESTIONÁRIO. Senhor(a) Professor(a),

QUESTIONÁRIO. Senhor(a) Professor(a), 2013 QUSTIONÁRIO O PROSSOR Senhor(a) Professor(a), O Sistema Nacional de valiação da ducação ásica, S, é composto por dois tipos de instrumentos de avaliação: as provas aplicadas aos estudantes e os questionários

Leia mais

MÓDULO 6 MATRIZ DA PROVA

MÓDULO 6 MATRIZ DA PROVA ESCOLA SECUNDÁRIA FERREIRA DIAS AGUALVA - SINTRA FÍSICA E QUÍMICA A (11º ANO) Programa iniciado 2016/2017 TIPO DE PROVA: ESCRITA DURAÇÃO: 90 minutos Cursos Científico - Humanísticos de Ciências e Tecnologias

Leia mais

1. Introdução. . Nessa relação, conhecida com a

1. Introdução. . Nessa relação, conhecida com a m pgou n port s m ixou no sritório. ) Eu tinh bo sir s quno toou o lulr pri pr tnê-lo. Er mu hf, izno qu u stv trso pr um runião. Minh sort é qu nss momnto stv pssno um táxi. Ani pr l pouos minutos pois

Leia mais

GABARITO DA AVALIAÇÃO AMD

GABARITO DA AVALIAÇÃO AMD GRITO VLIÇÃO M -FUL IPIRNG OS XTRÍOS M //0 08:: Turma LGN 0 Semestre 0 IÊNI TNOLOGI MIO MINT QULI VI-60H IÊNI TN MIO M QULI VI IÊNI TN MIO M QULI VI IÊNI TN MIO M QULI VI IÊNI TN MIO M QULI VI IÊNI TN

Leia mais

Encontro na casa de Dona Altina

Encontro na casa de Dona Altina Ano 1 Lagdo, Domingo, 29 d junho d 2014 N o 2 Encontro na casa d Dona Altina Na última visita dos studants da UFMG não foi possívl fazr a runião sobr a água. Houv um ncontro com a Associação Quilombola,

Leia mais

======================== ˆ_ ˆ«

======================== ˆ_ ˆ« Noss fest com Mri (Miss pr os simpes e pequenos, inspirdo em Jo 2,112) ( Liturgi I Puus) 1) eebremos n egri (bertur) Rgtime & c m m.. _ m m.. _ e e bre mos n_ e gri, nos s fes t com M ri : & _.. _ º....

Leia mais

CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES

CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES Luiz Frncisco d Cruz Drtmnto d Mtmátic Uns/Buru CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES O lno, tmbém chmdo d R, ond R RR {(,)/, R}, ou sj, o roduto crtsino d R or R, é o conjunto d todos os rs ordndos (,), R El

Leia mais

UTL Faculdade de Motricidade Humana. Mestrado em Reabilitação Psicomotora. Estágio CERCI Lisboa

UTL Faculdade de Motricidade Humana. Mestrado em Reabilitação Psicomotora. Estágio CERCI Lisboa UTL Fculd Motricid Humn Mstrdo m Rbilitção Psicomotor Estágio CERCI Lisbo Sssão Activid no Mio Aquático 16/11/2011 Clint: C.M., L.V., A.E., F.C. S.C. domínio Nom Dscrição Obj. Esp. Mtriis Estrtégis Critério

Leia mais

Exame de Seleção Mestrado em Química Turma 2013 II CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS 11 1B. 26 Fe 55,8 44 Ru 101,1 76 Os 190,2

Exame de Seleção Mestrado em Química Turma 2013 II CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS 11 1B. 26 Fe 55,8 44 Ru 101,1 76 Os 190,2 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DPTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Exame de Seleção Mestrado em Química Turma 2013

Leia mais

= 1, independente do valor de x, logo seria uma função afim e não exponencial.

= 1, independente do valor de x, logo seria uma função afim e não exponencial. 6. Função Eponncil É todo função qu pod sr scrit n form: f: R R + = Em qu é um númro rl tl qu 0

Leia mais

CATÁLOGO DE PEÇAS COLHEDORA DE CAPIM. Rev /01

CATÁLOGO DE PEÇAS COLHEDORA DE CAPIM. Rev /01 TÁLOO PÇS Rev. 0.0/0 OLOR PIM N 00 Implementos Netz Ltda. one: () -7 / -00 ndereço: RS, KM, - ao lado da O do rasil Santa Rosa - RS ÍNI N00 (VISÃO RL OLOR PIM) 0 N00 (LIST PÇS OLOR PIM) 0 N0 (J MT I) 0

Leia mais

8/8 6/8 5/8 4/8 3/8 2/8 1/8 LAY-OUT DO QUADRO FOLHA 2 LAY-OUT DO QUADRO FOLHA 1 MOTIVO ÉRITON S. VER.

8/8 6/8 5/8 4/8 3/8 2/8 1/8 LAY-OUT DO QUADRO FOLHA 2 LAY-OUT DO QUADRO FOLHA 1 MOTIVO ÉRITON S. VER. 3 4 6 7 8 9 ÁR S MÁQUIN QUIPMNTOS ONTROLOS STÁIOS À 8/8 NOTS, LN OS NOMNLTURS 7/8 LIST PRIÉRIOS 3 7/04/ LTRÇÃO OS USÍVIS, NOTS, LNS OS LIST MTRIIS TOS 77 6/8 /8 4/8 LIST MTRIIS IRM INTRLIÇÕS O MÓULO M-0.

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

Missa Ave Maris Stella

Missa Ave Maris Stella Missa Av Maris Stlla Para coro a calla a quatro vozs SATB Notas sobr a comosição A rsnt comosição constituis a artir d um ordinário da missa m latim ara coro a quatro vozs a calla, sm divisi Sorano, Alto,

Leia mais

Plugues e Tomadas Industriais

Plugues e Tomadas Industriais Plugues e Toms Inustriis Linh Inustril Instlções mis onfiáveis e segurs. CARACTERÍSTICAS GERAIS A Linh e Plugs e Toms Inustriis Soprno é ini pr onexão e iversos equipmentos, em mientes sujeitos pó, águ,

Leia mais

3 Proposição de fórmula

3 Proposição de fórmula 3 Proposição fórmula A substituição os inos plos juros sobr capital próprio po sr um important instrumnto planjamnto tributário, sno uma rução lgal a tributação sobr o lucro. Nos últimos anos, a utilização

Leia mais

E NINGUÉM PODE TIRAR O QUE MEU DEUS ME DÁ A D B SUAS PROMESSAS EM MIM SE CUMPRIRÃO E JÁ POSSO CELEBRAR

E NINGUÉM PODE TIRAR O QUE MEU DEUS ME DÁ A D B SUAS PROMESSAS EM MIM SE CUMPRIRÃO E JÁ POSSO CELEBRAR LÓRI ÚLTIM S Intro: ON HVI SURIÃO LUZ US M MIM RILHOU ON STV SO SUS ÁUS RRMOU MINH OR ULP SOR SI L LVOU UM NOVO NTINO M MUS LÁIOS OLOOU # U VOU, VOU LRR VOU TRNSOR LRI # PORQU LÓRI ÚLTIM S JÁ É MIOR QU

Leia mais

A atual relevância do ensino do inglês jurídico nos cursos de graduação em Direito

A atual relevância do ensino do inglês jurídico nos cursos de graduação em Direito A tul rlvânci nsino nos cursos grdução m Brv rflxão crc d ncssid s pssr lcionr o nos cursos grdução m sort mlhor prprr os futuros profissionis r pr o xrcício d dvocci mgistrtur promotori Cro migo litor:

Leia mais

CD CIA DE JOÃO BATISTA - 1. PREPARAI O CAMINHO INTR: C9 SOMOS UM POVO CLAMANDO POR JESUS QUE VENHA O SEU REINO SOBRE NÓS

CD CIA DE JOÃO BATISTA - 1. PREPARAI O CAMINHO INTR: C9 SOMOS UM POVO CLAMANDO POR JESUS QUE VENHA O SEU REINO SOBRE NÓS C CI JOÃO BTIST - 1. PRPRI O CMINHO INTR: SOMOS UM POVO CLMNO POR JSUS QU VNH O SU RINO SOBR NÓS VOZ OS SUS PROFTS S OUVIRÁ m7 PRPRI O CMINHO O SNHOR COMO UM NOIV O SU NOIVO SPRR C NSIMOS SU VOLT ÓH JSUS,

Leia mais

+12V. 0.1uF/ 100V RL4 :A ULN2003A C3 3 U1:D LIGA/ DESLIGA CARREGADOR. 10uF/ 16V C2 4 1N4148 D1 1 1N K GND 10K BC337 R2 5 CRISTAL DE 2 0 MHZ

+12V. 0.1uF/ 100V RL4 :A ULN2003A C3 3 U1:D LIGA/ DESLIGA CARREGADOR. 10uF/ 16V C2 4 1N4148 D1 1 1N K GND 10K BC337 R2 5 CRISTAL DE 2 0 MHZ ДХILUIR P/ LRR RL_ R To l. er a l es. Num. QU M PRVR IOO P O RROR MIOR V R LMJ U: UZZR R 0 ILUIR P M PRLLO OM ONTTO O RL 0.u/ 00V V R 0 0 R 0 verm elho U: ULN00 U: LMJ 0 ULN00 U: LI/ LI RROR V N R 0u/

Leia mais

Fabiano Gontijo. fgontijo@hotmail.com. Graduada em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Fabiano Gontijo. fgontijo@hotmail.com. Graduada em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro UZIEL, Ann Pul. Rio Homossxulid Jniro: Grmond, ção. 2007. Fbino Gontijo Doutor m Antropologi m pl Scincs Écol s Socils Huts Frnç. Étus Profssor Adjunto Bolsist Antropologi Produtivid d m Univrsid Psquis

Leia mais

Capri L.138 / A.101 / P. 77,5 cm

Capri L.138 / A.101 / P. 77,5 cm BERÇO & CM Cpri L.38 /.0 / P. 77,5 m Gur ss mnul l po srvir pr futurs onsults m so vris, lmbrno qu nossos móvis tm rnti 2 nos. Pr surnç o su bbê, li om muit tnção tos s instruçõs nts iniir montm. MNUL

Leia mais

II L ATA N. 19/XIV. Conselheiro Fernando da Costa Soares.

II L ATA N. 19/XIV. Conselheiro Fernando da Costa Soares. jf II L Comissão Ncionl Eliçõs ATA N. 19/XIV Tv lugr no di vint qutro jniro dois mil doz, sssão númro znov d Comissão Ncionl Eliçõs, n sl runiõs sit n Av. D. Crlos 1, n. 128 7. ndr, m Lisbo, sob prsidênci

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia www.smorsplvr.om.r Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã D Dus DE DE Ministério Smors Plvr PG. = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = =DOUTRINA

Leia mais

Politiska riktlinjer, avsnitt 2 En stنndigt f rنnderlig vنrld

Politiska riktlinjer, avsnitt 2 En stنndigt f rنnderlig vنrld Politiska riktlinjer, avsnitt 2 En stنndigt f rنnderlig vنrld i~éé هê pلا o~ا cêëن~ضëëي نن~êة aلëيêلâي vêâ~هاة cêةاê~ض~هاةë êâ~هاة M m~êيلëي êةنëةه _لر~ننيلننâ~éليةنOلêلâينلهàةêه~ T OT _لر~نن _لر~نن نêا~ضOEâ~éليةنOFKاçإ

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA UNICAMP-FASE 2. 2014 RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA UNICAMP-FASE 2. 2014 RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA RESOLUÇÃO D PROV DE MTEMÁTIC UNICMP-FSE. PROF. MRI NTÔNI C. GOUVEI. é, sem úv, o lmento refero e mutos ulsts. Estm-se que o onsumo áro no Brsl sej e, mlhão e s, seno o Esto e São Pulo resonsável or % esse

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MORTÁGUA Geometria Ficha de Trabalho Nº 02 10º Ano

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MORTÁGUA Geometria Ficha de Trabalho Nº 02 10º Ano AGUPAMENO DE EOLA DE MOÁGUA Gomti Fih lho Nº 0 0º Ano Osv igu o lo... Ini so istm: ois plnos ppniuls us ts plls um t post um plno um t snt o plno FIH us ts não omplns. s oons os vétis... Qul posição ltiv

Leia mais

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Física e Química A Versão Teste Intermédio Física e Química A Versão Duração do Teste: 90 minutos 30.05.01 10.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/004, de 6 de março Na folha de

Leia mais

Treino de Liderança Saúde Quatro Disciplinas Essenciais Perguntas de Avaliação

Treino de Liderança Saúde Quatro Disciplinas Essenciais Perguntas de Avaliação Trino Lirnç Sú Qutro Disiplins Essniis Prgunts Avlição Romnmos qu voê srv sus rsposts m um pço ppl pr qu voê poss pssr sus olgs trlho migos st urso. MÓDULO 1: INTRODUÇÃO 1. Qul os sguints são ojtivos prinipis

Leia mais

Fontes Bibliográficas. Estruturas de Dados Aula 15: Árvores. Introdução. Definição Recursiva de Árvore

Fontes Bibliográficas. Estruturas de Dados Aula 15: Árvores. Introdução. Definição Recursiva de Árvore Fonts Biliográis Estruturs Dos Aul 15: Árvors 24/05/2009 Livros: Introução Estruturs Dos (Cls, Crquir Rngl): Cpítulo 13; Projto Algoritmos (Nivio Zivini): Cpítulo 5; Estruturs Dos sus Algoritmos (Szwritr,

Leia mais

IFC Câmpus Santa Rosa do Sul capacita 18 profissionais locais para elaboração do Cadastro Ambiental Rural CAR

IFC Câmpus Santa Rosa do Sul capacita 18 profissionais locais para elaboração do Cadastro Ambiental Rural CAR IFC Câmpus Snt Ros do Sul cpcit 18 profissionis locis pr lborção do Cstro Ambintl Rurl CAR No di 10 bril 2015, no Cntro Trinmnto Arrnguá (CETRAR), foi rlizdo um curso cpcitção profissionis rgião pr lborção

Leia mais

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês Apns 5% ds Brsilirs sb flr Inglês D crd cm um lvntmnt fit pl British Cncil pns 5% d ppulçã sb fl r Dvs lbrr stms épcs pré-vnts sprtivs s lhs d mund td cmçm s vltr cd vz mis pr Brsil pr iss nã bst dminr

Leia mais

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM Fns Chs C. 9 Mlgm nrsrs: ml h PWM J. A. Pml 9. MOEAGEM E CONERSORES: MOEO A CHAE PWM As lgs báss nrsrs CCCC ssum um h nrl ur nãnrl sss lmns lnrs nrns n m. A njun ss us hs r nm h PWM [9.]. O bj ns íul é

Leia mais

GÁLATAS. Não Há Outro Evangelho 6

GÁLATAS. Não Há Outro Evangelho 6 GÁLATAS Cpítulo Pulo, póstolo nvio, não prt homns nm por mio psso lgum, ms por Jsus Cristo por Dus Pi, qu o rssusitou os mortos, toos os irmãos qu stão omigo, às igrjs Glái: A voês, grç pz prt Dus nosso

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia www.smorsplvr.om.r Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã D Orção PG. ORAÇÃO. DOUTRINA CRISTÃ DA 04 INTRODUÇÃO. 04 I, O QUE É ORAÇÃO CRISTÃ? 06 II, COMO

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE000313/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/03/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR011016/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.003892/2013-28

Leia mais

Código PE-ACSH-2. Título:

Código PE-ACSH-2. Título: CISI Ctro Itrção Srvços Iformtc rão Excução Atv Itr o CISI Cóo Emto por: Grêc o Stor 1. Objtvo cmpo plcção Est ocumto tm como fl fr o prão brtur chmos suport o CISI. A brtur chmos é rlz o sstm hlpsk, qu

Leia mais

5(6,67Ç1&,$(&$3$&,7Æ1&,$

5(6,67Ç1&,$(&$3$&,7Æ1&,$ 59 5(6,67Ç&,$(&$3$&,7Æ&,$ ÃÃ5(6,67Ç&,$Ã(Ã/(,Ã'(Ã+0 No pítulo 6 efinimos ução J σ omo seno um ensie e oente e onução. Multiplino mos os los po um áe S, el fiá: J.S σs (A (8. σs (A (8. Se o mpo elétio fo

Leia mais

sábado, 5 de março de 2016 Destaque Foto: Leandro Brito Sessão fofura Liz Muniz Casamento Sarah e Luis Henrique

sábado, 5 de março de 2016 Destaque Foto: Leandro Brito Sessão fofura Liz Muniz Casamento Sarah e Luis Henrique Em áb, 5 mç 2016 Dtqu Ft: Ln Bit Sã ffu Liz uniz Cmnt Sh Lui Hniqu OGI GUAÇU, áb, 5 mç 2016 OGI GUAÇU, áb, 5 mç 2016 2 3 Sh LuiHniqu O mnt Sh hi Suz Lui Hniqu Bini Hnói fi liz n i 24 jni. Amig fmili fm

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia www.smorsplvr.om.r Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã Do Homm PG. HOMEM. DOUTRINA CRISTÃ DO 03 INTRODUÇÃO. 03 I, A CRIAÇÃO DO HOMEM. 03 II, A CONSTITUIÇÃO

Leia mais

ERROS ESTACIONÁRIOS. Controle em malha aberta. Controle em malha fechada. Diagrama completo. Análise de Erro Estacionário CONSTANTES DE ERRO

ERROS ESTACIONÁRIOS. Controle em malha aberta. Controle em malha fechada. Diagrama completo. Análise de Erro Estacionário CONSTANTES DE ERRO ERROS ESTACIONÁRIOS Control Mlh Abrt Fhd Constnts d rro Tios d sistms Erros unitários Exmlo Control m mlh brt Ação bási, sm rlimntção A ntrd do ontroldor é um sinl d rrêni A síd do ontroldor é o sinl d

Leia mais

Verifique se este Caderno contém 12 questões discursivas, distribuídas de acordo com o quadro a seguir:

Verifique se este Caderno contém 12 questões discursivas, distribuídas de acordo com o quadro a seguir: 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Se, em qualquer outro local deste Caderno, você assinar, rubricar, escrever

Leia mais

1 Sm ª 13. Então, se dispôs Davi com os seus homens, uns seiscentos, saíram de Queila e se foram sem rumo certo. Ziclague

1 Sm ª 13. Então, se dispôs Davi com os seus homens, uns seiscentos, saíram de Queila e se foram sem rumo certo. Ziclague 1 Sm. 23.13ª 13 Então, s dspôs Dv om os ss homns, ns ssntos, sírm d Q s form sm rmo rto. Z 1 Sm 27.1-3 1 Dss, porém, Dv onso msmo: Pod sr q m d vnh prr ns mãos d S; nd há, pos, mhor pr mm do q fr pr trr

Leia mais

AQUECEDORES & PRESSURIZADORES. AF114 Catalogo Aquecedores 2014 AB 400x200mm.indd 1 04/06/14 10:32

AQUECEDORES & PRESSURIZADORES. AF114 Catalogo Aquecedores 2014 AB 400x200mm.indd 1 04/06/14 10:32 QUEEDORES & PRESSURIZDORES 2014 F114 lg qud 2014 400x200.indd 1 04/06/14 10:32 Linh Águ Qun Obi. Mi fiin, i unávl. S unávl é uiliz u nui d f i inlign. É iiz uld, duzi dpdíi, g i i fiz. É i qu Linh Águ

Leia mais

1) VAMOS CELEBRAR Autor:Piter di Laura/Maria Eduarda/Carlos Tocco. Intro: E A9 E/G# D9 A/C# E/B A/C# E/G# D9 A9 E A9 E TODOS REUNIDOS NA CASA DE DEUS

1) VAMOS CELEBRAR Autor:Piter di Laura/Maria Eduarda/Carlos Tocco. Intro: E A9 E/G# D9 A/C# E/B A/C# E/G# D9 A9 E A9 E TODOS REUNIDOS NA CASA DE DEUS 1) VAMOS CLBRAR Autor:Piter di Laura/Maria duarda/carlos Tocco Intro: /# D9 A/C# /B A/C# /# D9 TODOS RUNIDOS NA CASA D DUS COM CANTOS D ALRIA RAND LOUVOR VAMOS CLBRAR OS FITOS DO SNHOR SUA BONDAD QU NUNCA

Leia mais

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe A H,0 Li 7,0 Na 2,0 9 K 9,0 7 Rb 85,5 55 Cs,0 87 Fr (22) 2 2A Be 9,0 2 Mg 2,0 20 Ca 0,0 8 Sr 88,0 56 Ba 7,0 88 Ra (226) Elementos de Transição B B 5B 6B 7B 8B B 2B 5 6 7 A A 5A 6A 7A 78,5 8,0 8,0 86,0

Leia mais

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14 Eu só qu u xdó Músic n scl: xcíci 14 Eu só qu u xdó Ptitus Mi, hni lt Aut: Dinguinhs stáci Rgiã: Pnbuc : 1973 Fix: 14 Anj: Edsn Jsé Alvs Músics: Edsn Jsé Alvs vilã Pvt clints, sx t Jsé Alvs Sbinh Zzinh

Leia mais

Física e Química A Tabela de Constantes Formulário Tabela Periódica

Física e Química A Tabela de Constantes Formulário Tabela Periódica Física e Quíica A Tabela de Constantes Forulário Tabela Periódica http://fisicanalixa.blogspot.pt/ CONSTANTES Velocidade de propagação da luz no vácuo c = 3,00 10 8 s 1 Módulo da aceleração gravítica de

Leia mais

1 Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa (IGOT-UL) 2 Instituto Superior de Agronomia Universidade de Lisboa

1 Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa (IGOT-UL) 2 Instituto Superior de Agronomia Universidade de Lisboa MODELOS ESPACIALMENTE EXPLÍCITOS DE ANÁLISE DE DINÂMICAS LOCAIS: O CASO DA VEGETAÇÃO NATURAL POTENCIAL NO APOIO AO PLANEAMENTO E ORDENAMENTO TERRITORIAL Frncsco Gutrrs1, Eusébo Rs1, Crlos Nto1 José Crlos

Leia mais

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA 1 2 3 4 5 6 7 1 1 1, 00 2 3 4 Li Be 6, 94 9, 01 11 12 Na Mg 22, 99 24, 31 19 20 K Ca 39, 10 40, 08 37 38 Rb Sr 85, 47 87, 62 55 56 Cs Ba 132, 91 137, 33 87 88 Fr Ra 223,

Leia mais

MODALIDADE CATEGORIA SEXO FUTSAL INFANTO FEMININO

MODALIDADE CATEGORIA SEXO FUTSAL INFANTO FEMININO RÇÃO SRIPN SPORTOS SOLRS ILI ONRÇÃO RSILIR SPORTOS SOLRS Tel. (79) 9807-8088 / 8847-4387 / 9192-9367 -mail: fsde@fsde.com.br JOOS SOLRS TV SRIP 2015 UTSL MOLI TORI SXO UTSL INNTO MININO RUPO ÚNIO 1 - M

Leia mais

TABELA DE PREÇOS E OPÇÕES - ANEXO 1

TABELA DE PREÇOS E OPÇÕES - ANEXO 1 ONTRTO PRSTÇÃO SRVÇOS PN Pendências inanceiras UN TL PRÇOS OPÇÕS NXO 1 ste anexo é parte integrante do contrato assinado entre a ONTRT e a ONTRTNT, referente à prestação de serviço do PN e será de uso

Leia mais

Associação de Resistores e Resistência Equivalente

Associação de Resistores e Resistência Equivalente Associção d sistors sistêci Equivlt. Itrodução A ális projto d circuitos rqurm m muitos csos dtrmição d rsistêci quivlt prtir d dois trmiis quisqur do circuito. Além disso, pod-s um séri d csos práticos

Leia mais

Messinki PUSERRUSLIITIN EM 10 MM PUSERRUSLIITIN EM 12 MM PUSERRUSLIITIN EM 15 MM PUSERRUSLIITIN EM 18 MM PUSERRUSLIITIN EM 22 MM

Messinki PUSERRUSLIITIN EM 10 MM PUSERRUSLIITIN EM 12 MM PUSERRUSLIITIN EM 15 MM PUSERRUSLIITIN EM 18 MM PUSERRUSLIITIN EM 22 MM Messinki Tuote LVI-numero Pikakoodi PUSERRUSLIITIN EM 1551002 XV87 PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM PUSERRUSLIITIN EM 35 MM 10X

Leia mais

3 PS1 2013 PS2 2014 S R. Artes Biologia Educação Física Filosofia. Física Geografia História Língua Portuguesa

3 PS1 2013 PS2 2014 S R. Artes Biologia Educação Física Filosofia. Física Geografia História Língua Portuguesa S R E I 3 PS1 2013 PS2 2014 A D O Arts Biologi Eução Físi Filosofi Físi Gogrfi Históri Língu Portugus Litrtur Brsilir Mtmáti Quími Soiologi Insrição nº: 2015 Txto Pr rsponr às qustõs númros 01 02, li o

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O

P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O DISCIPLINA: EMRC ANO: 5º 1º PERÍODO ANO LECTIVO: 2011/2012 P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O UNIDADE DIDÁTICA 1: Vivr juntos AULAS PREVISTAS: 12 COMPETÊNCIAS (O aluno dvrá sr capaz d:) CONTEÚDOS

Leia mais

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem Quadro de conteúdos Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano Língua Portuguesa Matemática História Geografia Ciências Naturais Arte Inglês ABC da passarinhada O alfabeto Quantidade A ideia de quantidade Eu, criança

Leia mais