1ºSimulado Concurso Prefeitura Serra Talhada

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1ºSimulado Concurso Prefeitura Serra Talhada"

Transcrição

1 Sigma Concursos "Dois importantes fatos, nesta vida, saltam aos olhos; primeiro, que cada um de nós sofre inevitavelmente derrotas temporárias, de formas diferentes, nas ocasiões mais diversas. Segundo, que cada adversidade traz consigo a semente de um benefício equivalente. Ainda não encontrei homem algum bem-sucedido na vida que não houvesse antes sofrido derrotas temporárias. Toda vez que um homem supera os reveses, torna-se mental e espiritualmente mais forte... É assim que aprendemos o que devemos à grande lição da adversidade". Napoleon Hill 1ºSimulado Concurso Prefeitura Serra Talhada Agente Saúde Nível Fundamental

2 CONHECIMENTOS DA LÍNGUA PORTUGUESA Texto 01 para as questões 01 e 02. nem ficar parados nem mesmo no lugar, razão pela qual são grandes usuários dos dispositivos móveis. Disponível em: 01. Na charge, a forma verbal sou expressa uma ação que está ocorrendo no momento em que se fala. Se quiséssemos expressar a ideia de uma ação que ocorrerá num tempo futuro em relação ao tempo atual, estaria correta a afirmativa constante na alternativa A) Fosse da Geração Z. B) Fui da Geração Z. D) Serei da Geração Z. C) Era da Geração Z. E) Fora da Geração Z. 02. Sobre Concordância Verbal, analise as afirmativas abaixo, colocando V nas Verdadeiras e F nas Falsas. ( ) No trecho: Nossa geração permite que a gente se comunique..., o verbo sublinhado concorda com o seu sujeito a gente, encontrando-se no singular. ( ) No trecho: Pai, eu já cresci!, o verbo concorda com o seu sujeito Pai, daí se encontrar no singular. ( ) No trecho: Você ouviu o que falei?, o verbo sublinhado se encontra no singular porque concorda com o seusujeito Você. Assinale a alternativa que contém a sequência CORRETA. A) V, V, F. B) V, V, V. C) V, F, V. D) F, F, F. E) F, V, V. Texto 02 para as questões de 03 a 05. GERAÇÃO Z Luiz Fernando Conde Sangenis As crianças nascidas na primeira década do século XXI Trata-se da primeira do primeiro grupo de jovens imersos num ambiente tecnológico. Nativos digitais, com grande conforto, cresceram aprendendo a dominar as ferramentas tecnológicas e os programas de comunicação interativa. Estão constantemente conectados. São indivíduos multitarefa: ao mesmo tempo em que estudam, são capazes de ler notícias na internet, verificar a página do Facebook ou do Twitter, ouvir música e falar ao celular ou Ipod. Possuem uma peculiar noção de tempo e de espaço. Extremamente "acelerados", não têm paciência para realizar atividades muito longas ou demoradas Líder em Aprovação!!! Em qual alternativa abaixo, a afirmativa expressa a mesma ideia do trecho: As crianças nascidas na primeira década do século XXI? A) As crianças que nasceram nos primeiros dias do século XXI B) As crianças que nasceram no primeiro semestre do século XXI C) As crianças que nasceram nos primeiros dez anos do século XXI D) As crianças que nasceram nos últimos anos do século XXI E) As crianças nascidas nos últimos dez anos do século XXI 04. No trecho: São indivíduos multitarefa:..., a palavra sublinhada apresenta o prefixo MULTI, que exprime ideia de muitos. Essa ideia está também contida na palavra A) politeísmo. B) intercomunicação. D) bisavô. C) unicelular. E) dissílabo. 05. Os termos Facebook, Twitter e ipod A) fazem parte do vocabulário das pessoas nascidas no ano de B) são utilizados, apenas, pelos usuários da língua inglesa. C) não compõem a linguagem atual dos jovens. D) são bastante utilizados na comunicação interativa. E) são tecnologias utilizadas pelo grupo da Terceira Idade. Texto 03 para as questões de 06 a 10. E a esperança? Mário Sérgio Cortella Gosto de lembrar a frase de Paulo Freire, o maior dos nossos educadores, grande pernambucano que, nascido em 1921, partiu em 1997, deixando vida, e vida em abundância. Ele dizia: É preciso ter esperança. Mas tem de ser esperança do verbo esperançar. Por que isso? Porque tem gente que tem esperança do verbo esperar. Esperança do verbo esperar não é esperança, é espera. Ah, eu espero que melhore, que funcione, que resolva. Já esperançar é ir atrás, é se juntar, é não desistir. É ser capaz de recusar aquilo que apodrece a nossa capacidade de integridade e a nossa fé ativa nas obras. Esperança é a capacidade de olhar e reagir àquilo que parece não ter saída. Por isso, é muito diferente de esperar; temos mesmo é de esperançar! Disponível em: 06. Para o grande educador Paulo Freire, A) é preciso, apenas, confiar no amanhã. B) não é preciso lutar, e sim esperar pacificamente. C) o ideal é ter esperança e não somente esperar. D) o certo é ficar de braços cruzados, esperando a ação dos outros. E) esperançar é ir de encontro a algo de aquisição fácil.

3 07. Analise as alternativas abaixo e indique aquela cujo termo entre parênteses NÃO tem o mesmo significado da palavra sublinhada. A)...nascido em 1921, partiu em 1997, deixando vida... ( morreu) B) Ele dizia: É preciso ter esperança. (expectativa) C)...e a nossa fé ativa nas obras. (crença religiosa) D) É ser capaz de recusar aquilo que apodrece... (não aceitar) E)...apodrece a nossa capacidade de integridade... (amadurece) 08. Sobre acentuação, analise os itens abaixo: I. No trecho:...e vida em abundância., o termo acentuado é paroxítono terminado em ditongo. II. No trecho:...esperançar é ir atrás..., o termo sublinhado é acentuado porque é monossílabo tônico terminado em AS. III. No trecho:...nossa capacidade de integridade e a nossa fé., o termo acentuado é monossílabo tônico terminado em E. IV. No trecho:...parece não ter saída., o termo sublinhado é proparoxítono, logo é acentuado. Estão CORRETOS A) I e II. B) II e III. C) III e IV. D) I e III. E) I, III e IV. 09. No trecho: Esperança é a capacidade de olhar e reagir àquilo que parece não ter saída., o verbo sublinhado exige um complemento regido de preposição. Em qual alternativa abaixo, o verbo apresenta a mesma regência verbal? A) Lembro-me, sempre, das frases do grande educador Paulo Freire. B) Aprecio as obras do mestre Paulo Freire. C) O nosso grande educador Paulo Freire partiu em D) O grande educador Paulo Freire tinha vida abundante. E) Paulo Freire deixou grandes obras. 10. No trecho:...por isso, é muito diferente de esperar; temos mesmo é de esperançar!, o conectivo Por isso introduz uma oração que exprime conclusão em relação ao que se afirmou anteriormente, podendo ser substituído, sem causar prejuízo de sentido, por A) portanto. B) nem. C) mas. D) todavia. E) entretanto. CONHECIMENTOS RACIOCÍNIO LÓGICO/MATEMÁTICA 11) No sigma há um cofre cuja senha é composta por cinco números que podem repetir. Sabe-se que o 1 dígito é um número ímpar e o último é par. Quantas maneiras diferentes temos para formar essa senha? a) b) c) 1000 d) ) De Serra Talhada para Petrolina saem 3 ônibus diferentes. O 1 ônibus parte a cada 10h, o 2 ônibus parte a cada 5h e o 3 ônibus a cada 8h. Se no dia 4 de dezembro, às 4h da manhã, partiram os 3 ônibus juntos, quando eles partirão, juntos, novamente? a) 40h b) no dia 5 de dezembro às 8h da manhã. c) no dia 5 de dezembro às 20h. d) no dia 6 de dezembro meio dia. 13) No sigma há 200 alunos, sabe-se que 150 gostam de português e que 80 gostam de matemática. Quantos gostam das duas disciplinas? a) 200 b) 150 c) 80 d) 30 Líder em Aprovação!!! 2 14) Se A = {0, 1, 2, 3, 4, 5}, B = {2, 4, 6, 8, 10, 12} e C = {4, 5, 6, 7, 8}. Calcule: (A B) (A C). a) {0, 1, 2, 3, 4, 5, 8} b) {1, 2, 3} c) {0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7. 8, 10} d) {10, 12} 15) Qual a negação da frase: Todo cálculo matemático está certo. a) Todos os cálculos matemáticos estão errados. b) Nenhum cálculo matemático está certo. c) Algum cálculo matemático está errado. d) A matemática erra sempre. 16) Considerando todo livro é instrutivo como uma proposição verdadeira, é correto inferir que: a) Nenhum livro é instrutivo é uma proposição necessariamente verdadeira. b) Algum livro é instrutivo é uma proposição necessariamente verdadeira. c) Algum livro não é instrutivo é uma proposição verdadeira ou falsa. d) Algum livro é instrutivo é uma proposição verdadeira ou falsa. e) Algum livro não é instrutivo é uma proposição necessariamente verdadeira. 17) Pergunta: O responsável por um ambulatório médico afirmou: Todo paciente é atendido com certeza, a menos que tenha chegado atrasado. De acordo com essa afirmação, conclui-se que, necessariamente, a) nenhum paciente terá chegado atrasado se todos tiverem sido atendidos. b) nenhum paciente será atendido se todos tiverem chegado atrasados. c) se um paciente não for atendido, então ele terá chegado atrasado. d) se um paciente chegar atrasado, então ele não será atendido. e) se um paciente for atendido, então ele não terá chegado atrasado. 18) Pergunta: Se a tinta é de boa qualidade então a pintura melhora a aparência do ambiente. Se o pintor é um bom pintor até usando tinta ruim a aparência do ambiente melhora. O ambiente foi pintado. A aparência do ambiente melhorou. Então, a partir dessas afirmações, é verdade que: a) O pintor era um bom pintor ou a tinta era de boa qualidade. b) O pintor era um bom pintor e a tinta era ruim. c) A tinta não era de boa qualidade. d) A tinta era de boa qualidade e o pintor não era bom pintor. e) Bons pintores não usam tinta ruim. 19) Pergunta: Se afino as cordas, então o instrumento soa bem. Se o instrumento soa bem, então toco muito bem. Ou não toco muito bem ou sonho acordado. Afirmo ser verdadeira a frase: não sonho acordado. Dessa forma, conclui-se que a) sonho dormindo. b) o instrumento afinado não soa bem. c) as cordas não foram afinadas. d) mesmo afinado o instrumento não soa bem. e) toco bem acordado e dormindo. 20) João é louco ou tarado. Ora João não é tarado, logo: a) João não é louco; b) João é tarado e louco; c) O louco do João é tarado; d) João é louco, e) João não é louco ou tarado;

4 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 21. A Equipe de Saúde da Família deve atuar de forma integrada, dentro das atribuições específicas a cada um dos seus integrantes, na abordagem e avaliação do risco cardiovascular, medidas primárias e atendimento a pacientes portadores de hipertensão arterial e/ou diabetes. Dentre as atribuições dos Agentes Comunitários de Saúde, e no que diz respeito à prevenção da hipertensão arterial, é incorreto afirmar que o agente deve A) esclarecer a comunidade sobre os fatores de risco para doenças cardiovasculares, orientando sobre medidas preventivas. B) rastrear a hipertensão arterial em indivíduos com mais de 20 anos, pelo menos, uma vez ao ano, mesmo naqueles sem queixa. C) perguntar, sempre, ao paciente hipertenso se ele está tomando, com regularidade, os medicamentos, sem se preocupar se ele está cumprindo as orientações de dieta, atividades físicas, controle de peso, cessação do hábito de fumar e da ingestão de bebidas alcoólicas. D) verificar a presença de sintomas de doença cardiovascular, cerebrovascular ou outras complicações de hipertensão arterial, e encaminhar para consulta extra. E) registrar, em sua ficha de acompanhamento, o diagnóstico de hipertensão e risco cardiovascular global estimado de cada membro da família. 22. Ela é um dos problemas de Saúde Pública no Brasil mais preocupantes, pois pode levar à ocorrência de doenças cardiovasculares, cerebrovasculares e renais, sendo responsável por mais de 40% das mortes por acidente vascular cerebral, 25% das mortes por doença arterial coronariana, e em combinação com o diabete, 50% dos casos de insuficiência renal terminal. O texto citado faz referência a qual das enfermidades listadas abaixo? A) Hipertensão Arterial B) Dengue C) Hanseníase D) Tuberculose E) HIV / AIDS 23. Sobre infecção pelo HIV, as ações de prevenção são norteadas pelos seguintes princípios: I. respeito à diversidade de orientação sexual e estilos de vida; II. acolhimento e estímulo à testagem para o HIV; III. consideração à singularidade de cada usuário; IV. exposição frequente ao vírus HIV; V. diálogo subjetivo sobre sexualidade e uso de drogas. Dos itens acima, quais estão incorretos? A) I, II e III, apenas. B) I, III, IV e V, apenas. C) I, II e V, apenas. D) IV e V, apenas. E) II, III e IV, apenas. 24. Para diagnóstico de tuberculose na criança e no adolescente, podemos observar os seguintes sinais, exceto: A) febre moderada, persistindo por mais de quinze dias, e frequentemente vespertina. B) história de contágio com paciente tuberculoso. C) casos de pneumonia que não reagem ao tratamento com antimicrobianos para bactérias comuns. D) irritabilidade e tosse prolongada por até três semanas. E) sangramento nasal. 25. Quanto à Saúde Bucal, é recomendável que os Agentes Comunitários de Saúde, sob orientação/supervisão do Odontólogo da Equipe de Saúde da Família a qual pertencem, estejam sempre em contato com a população, dando-lhes informações importantes sobre, exceto: A) aleitamento materno exclusivo por seis meses. B) incentivo ao costume de higienizar a boca da criança sempre após as refeições/aleitamento. C) orientar uso de chupeta embebida em alimentos adocicados (por exemplo, mel ou água com açúcar) para acalmar a criança que estiver em crise de choro. D) organizar e participar de visitas periódicas ao domicílio da criança até seis meses de vida. E) orientar e agendar as consultas para os pacientes junto à Equipe de Saúde Bucal. Líder em Aprovação!!! Ser ACS é, antes de tudo, ser alguém que se identifica em todos os sentidos com a sua própria comunidade... Precisa gostar do trabalho... Gostar principalmente de aprender e repassar as informações, entender que ninguém nasce com o destino de morrer ainda criança... (Teresa Ramos ACS, Recife-PE; O Trabalho do agente comunitário de saúde, Ministério da Saúde, 2009) Tomando por base essa declaração, e diante do que sabemos sobre as atribuições dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS), podemos afirmar estar incorreta a seguinte afirmação: A) seu trabalho tem como principal objetivo contribuir para a qualidade de vida das pessoas e da comunidade. B) seu trabalho é considerado uma extensão dos serviços de saúde dentro das comunidades. C) deve ser um profissional inerte e que não tome iniciativa alguma sem que lhe seja pedido alguma atitude. D) deve conhecer o território pelo qual é responsável. E) deve saber observar as pessoas, coisas e o ambiente em que vive e trabalha. 27. O tratamento da tuberculose deve seguir alguns princípios, abaixo descritos, exceto: A) contar com adesão total do paciente. B) utilizar a medicação indicada por até trinta dias apenas. C) possuir monitoramento por parte da equipe de saúde, três vezes por semana nos dois primeiros meses, e uma vez por semana até o final do tratamento. D) em todos os esquemas de tratamento, o uso da medicação é diário, de preferência em uma única tomada. E) em crianças menores de cinco anos, com dificuldade para ingerir comprimidos, deve-se optar pelo uso de xaropes ou suspensões. 28. O diabetes apresenta alta morbi-mortalidade, com perda importante na qualidade de vida. É uma das principais causas de mortalidade, insuficiência renal, amputação de membros inferiores, cegueira e doença cardiovascular. Dentre as atribuições listadas a seguir, não é específica ao agente comunitário de saúde: A) orientar a comunidade sobre a importância das mudanças nos hábitos de vida, ligadas à alimentação e à prática de atividade física rotineira. B) registrar, em sua ficha de acompanhamento, o diagnóstico de diabetes de cada membro da família. C) verificar os níveis da pressão arterial, peso, altura e circunferência abdominal, em indivíduos da demanda espontânea da unidade de saúde. D) verificar o comparecimento dos pacientes com diabetes às consultas agendadas na unidade de saúde (busca ativa de faltosos). E) estimular que os pacientes se organizem em grupos de ajuda mútua como, por exemplo, grupos de caminhada, trocas de receitas, técnicas de autocuidado, entre outros. 29. A assistência pré-natal é de suma importância à mãe e ao feto, devido à vulnerabilidade biológica da mãe, e extrema dependência do organismo fetal para seu crescimento e

5 desenvolvimento adequado. Além dos cuidados médicos, um acompanhamento e monitoramento nutricional, mostram-se importante, pois o estado nutricional materno está relacionado diretamente à saúde do feto (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2000). Dadas as afirmações a seguir sobre a influência dos hábitos alimentares das gestantes com o nascimento de crianças e baixo peso, I. O estado nutricional materno influencia nas condições do recém-nato, portanto a gestante deve ter cuidado especial com sua alimentação, pois uma alimentação equilibrada irá contribuir para que o concepto seja saudável. II. Há uma estreita relação entre o peso da gestante com o peso do recém-nato, sendo que, tanto gestantes com peso insuficiente, como as de peso excessivo gerarão recém-nascidos com peso inadequado. Na gestante com ganho de peso excessivo, o excedente de nutrientes não será necessariamente utilizado pelo feto, comprometendo a saúde materna. III. Fatores como classe social baixa e fatores socioeconômicos como escolaridade não possuem relação com resultados perinatais. IV. A avaliação nutricional deve ser realizada durante toda a gravidez, para detectar as necessidades energéticas e de nutrientes, e identificar fatores de riscos nutricionais maternos e fetais. concluímos que está(ão) incorreta(s) apenas A) I e II. B) III e IV. C) I e IV. D) III. E) II. 30. A hanseníase é fácil de diagnosticar, tratar e tem cura; no entanto, quando diagnosticada e tratada tardiamente, pode trazer graves consequências para os portadores e seus familiares, pelas lesões que os incapacitam fisicamente. O comprometimento dos nervos periféricos é a característica principal da doença, dando-lhe um grande potencial para provocar incapacidades físicas que podem, inclusive, evoluir para deformidades. Qual é o agente causador da hanseníase? A) M. leprae B) S. mutans C) S. aureus D) P. gengivales E) S. coli 31. Do ponto de vista da Saúde da Família, também as ações de saúde bucal devem ser organizadas, para que passe a existir, também nesse campo, uma relação nova com a comunidade, baseada na atenção, na confiança, no respeito. Os dentistas e seus assistentes (Equipe de Saúde Bucal ESB) são vistos como profissionais que podem de fato desempenhar um papel decisivo nos bons resultados do Programa Saúde da Família. Dadas as afirmativas a seguir, I. Identificar as necessidades e expectativas da população em relação à saúde bucal. II. Sensibilizar as famílias para a importância da saúde bucal na manutenção da saúde. III. Realizar levantamento epidemiológico para traçar o perfil de saúde bucal da população adstrita. IV. Realizar visitas domiciliares de acordo com planejamento da USF. V. Executar medidas de promoção da saúde, atividades educativas e preventivas em saúde bucal. são atribuições comuns dos agentes comunitários de saúde e da Equipe de Saúde Bucal (ESB), a serem executadas em conjunto, exceto: A) I e II, apenas. B) III e V, apenas. C) I e IV, apenas. D) II, III e IV, apenas. E) V, apenas. 32. As Regiões de Saúde são recortes territoriais inseridos em espaços geográficos contínuos. Identificá-los é responsabilidade dos gestores municipais e estaduais, tendo como base a existência de identidades culturais, econômicas e sociais, assim como de redes nas áreas de comunicação, infraestrutura, transporte e saúde. A base de informações que servirá de instrumento inicial para identificação e demarcação das Regiões de Saúde deverá vir do A) mapeamento das microáreas municipais de saúde. B) número de atendimentos de cada microárea municipal. C) número de óbitos ocorridos em cada microárea municipal. D) número de nascimentos ocorridos em cada microárea municipal. E) número de casos de doenças previníveis em cada microárea municipal. 33. A atuação dos profissionais da saúde no processo de planejamento familiar está baseada em atividades que devem ser desenvolvidas de forma integrada, levando-se sempre em conta o fato de que toda visita à unidade básica de saúde é uma oportunidade para prática de ações não apenas que visam ao enfoque da anticoncepção, mas sim todo o processo compreendido na proteção da Saúde da Mulher. As atividades necessariamente relacionadas ao planejamento familiar são: I. atividades educativas; II. atividades clínicas; III. aconselhamento. Verifica-se que está(ão) correto(s), em relação às atribuições da função de Agente Comunitário de Saúde, o(s) item(ns) A) I, II e III. B) I, apenas. C) I e III, apenas. D) II, apenas. E) I e II, apenas. 34. A Atenção Primária à Saúde, também conhecida como Atenção Básica, é caracterizada pelo desenvolvimento de um conjunto de ações de promoção da saúde. Podemos citar como exemplos disso as seguintes ações, exceto: A) palestras educativas. B) visitas domiciliares. C) busca ativa de enfermidades comuns à comunidade. D) cirurgias de médio e grande porte. E) ações associadas a outras áreas da Gestão, como Educação e Assistência Social. 35. Para diagnosticar as doenças mais comuns dentro de sua área de abrangência, o agente comunitário de saúde tem como atribuições específicas, exceto: A) identificar sinais e sintomas de doenças e encaminhar os casos suspeitos para a unidade de saúde. B) acompanhar usuários em tratamento. C) planejar e programar em conjunto com agente de controle de endemias e equipe de saúde da família ações de controle de agravos e doenças. D) desmotivar a comunidade para desenvolver medidas simples de manejo ambiental para controle de vetores. E) desenvolver ações educativas e de mobilização da comunidade relativas ao controle de doenças. Líder em Aprovação!!! 4

6 36. O trabalho em saúde é realizado por profissionais de diversas áreas de conhecimento, os quais, por meio dos seus saberes específicos, buscam atender às necessidades de saúde do ser humano, seja de forma individual ou coletiva (PIRES, 2000). No entanto, entre os profissionais da saúde existem queixas que configuram uma barreira para a busca da construção do trabalho em equipe. Assinale a alternativa que apresenta CORRETAMENTE uma queixa. A) A prática hegemônica centrada no modelo biomédico que leva à fragmentação do processo de trabalho em saúde. B) A integração entre os profissionais e a diferente valorização das categorias profissionais. C) A baixa rotatividade de seus membros. D) A ampla experiência profissional e motivação dos membros das equipes. E) As excelentes condições da estrutura física e material das unidades básicas de saúde. 37. Analise as afirmativas abaixo sobre as características das equipes de saúde da família. I. Uma equipe de saúde da família deve ser composta minimamente pelos seguintes profissionais: médico e agentes comunitários de saúde (na proporção de um agente para, no máximo, 150 famílias ou 750 pessoas). II. Uma equipe de profissionais de saúde da família pode ser responsável, no âmbito de abrangência de uma unidade de saúde da família, por uma área onde residam, no máximo, 1000 (mil) famílias ou (quatro mil e quinhentas) pessoas. III. Para efeito de incorporação dos incentivos financeiros do Ministério da Saúde, as equipes deverão conter: enfermeiro, auxiliares de enfermagem e agentes comunitários de saúde (na proporção de 01 ACS para, no máximo, 250 famílias ou 1500 pessoas) ou médico e enfermeiro. Está CORRETO o que se afirma em A) I. B) II. C) III. D) I e II. E) II e III. 38. Segundo as Diretrizes Operacionais do Programa de Saúde da Família, existem aspectos que caracterizam a reorganização das práticas de trabalho nas unidades de saúde da família. Assinale a alternativa que contempla um desses aspectos. A) Programação e planejamento centralizados. B) Parcialidade da assistência. D) Estímulo à participação e controle social. C) Abordagem uniprofissional. E) Treinamento único dos profissionais das equipes. 39. O Sistema Único de Saúde é norteado por princípios, incluindo: A) Universalidade e integralidade. B) Discriminação social e preservação da autonomia. D) Centralização e participação da comunidade. C) Descentralização e discriminação social. E) Centralização e integralidade. 40. Com a implantação da Constituição Brasileira de 1988, um novo modelo de Saúde foi criado-o Sistema Único de Saúde (SUS). Sobre o funcionamento desse sistema, analise as afirmativas abaixo: I. Visa à promoção, proteção e recuperação da saúde. II. Os trabalhos devem ser feitos de modo multidisciplinar. III. A prevenção fica a critério dos municípios, e os tratamentos das doenças, a critério do governo estadual e federal. Apenas está CORRETO o que se afirma em A) I. B) III. C) I e II. D) I e III. E) II e III. Bom Simulado!!! Líder em Aprovação!!! 5 Primeiro fazemos nossos hábitos, depois nossos hábitos nos fazem." John Dryden

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ATRIBUIÇÕES DO MÉDICO I- Realizar consultas clínicas aos usuários de sua área adstrita; II- Participar das atividades de grupos de controle

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA DO IPANEMA CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL 2013 P M S I /2013 INSTRUÇÕES GERAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA DO IPANEMA CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL 2013 P M S I /2013 INSTRUÇÕES GERAIS Estado de Alagoas PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA DO IPANEMA CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL 2013 PROVA TIPO 1 Cargo (Nível Fundamental): AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE Provas de Português, Matemática, História

Leia mais

PROVA PRÁTICA ACS CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE MARACANAÚ

PROVA PRÁTICA ACS CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE MARACANAÚ QUESTÃO 01 O Agente Comunitário de Saúde tem como objetivo principal contribuir para a qualidade de vida das pessoas e da comunidade. Analise as opções abaixo e marque a alternativa incorreta: A) Conhecer

Leia mais

AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE - PROVA TIPO 2 CONHECIMENTOS GERAIS. Vida e Morte

AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE - PROVA TIPO 2 CONHECIMENTOS GERAIS. Vida e Morte AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE - PROVA TIPO 2 CONHECIMENTOS GERAIS PORTUGUÊS Vida e Morte A grande produção de armas nucleares, com seu incrível potencial destrutivo, criou uma situação ímpar na história

Leia mais

PORTARIA Nº 1.886, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1997

PORTARIA Nº 1.886, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1997 PORTARIA Nº 1.886, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1997 Aprova as Normas e Diretrizes do Programa de Agentes Comunitários de Saúde e do Programa de Saúde da Família. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso de suas

Leia mais

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE Um modelo de assistência descentralizado que busca a integralidade, com a participação da sociedade, e que pretende dar conta da prevenção, promoção e atenção à saúde da população

Leia mais

PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR

PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR A Diabetes afeta cerca de 366 milhões de pessoas em todo o mundo e cerca de 1 milhão de Portugueses. A cada 7 segundos morre no Planeta Terra

Leia mais

ANEXO I EDITAL Nº 20/2010-SEADM DESCRIÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DA FUNÇÃO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA PSF - LEI Nº 6.938/2005

ANEXO I EDITAL Nº 20/2010-SEADM DESCRIÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DA FUNÇÃO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA PSF - LEI Nº 6.938/2005 ANEXO I EDITAL Nº 20/2010-SEADM DESCRIÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DA FUNÇÃO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA PSF - LEI Nº 6.938/2005 FUNÇÃO: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE Realizar mapeamento de sua área; Cadastrar as famílias

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 088/05 CIB/RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando:

RESOLUÇÃO Nº 088/05 CIB/RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando: RESOLUÇÃO Nº 088/05 CIB/RS A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando: a avaliação do Pacto de Indicadores da Atenção Básica 2004, Anexo I desta Resolução;

Leia mais

PROVA OBJETIVA. Processo Seletivo para Agente Comunitário de Saúde - Nova Bassano/RS - Edital 04/2015. Nome do(a) candidato(a): ESF de Abrangência:

PROVA OBJETIVA. Processo Seletivo para Agente Comunitário de Saúde - Nova Bassano/RS - Edital 04/2015. Nome do(a) candidato(a): ESF de Abrangência: PROVA OBJETIVA Processo Seletivo para Agente Comunitário de Saúde - Nova Bassano/RS - Edital 04/2015 Nome do(a) candidato(a): ESF de Abrangência: Fique atento para as instruções abaixo: - As questões a

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE - SMS EDITAL Nº. 001/2012 ANEXO VI

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE - SMS EDITAL Nº. 001/2012 ANEXO VI PROCESSO SELETIVO PÚBLICO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE - SMS EDITAL Nº. 001/2012 ANEXO VI CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CARGO: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE - ACS LÍNGUA PORTUGUESA 1. Interpretação de textos

Leia mais

PRIMEIRO TERMO DE RETIFICAÇÃO

PRIMEIRO TERMO DE RETIFICAÇÃO PRIMEIRO TERMO DE RETIFICAÇÃO A Comissão do Processo Seletivo da Prefeitura Municipal de Planura comunica a seguinte alteração no Edital de seu Processo Seletivo nº 01/2014: ONDE SE LÊ: 3 - DAS CONDIÇÕES

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas. Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas. Nº de Inscrição Nome ASSINALE A RESPOSTA

Leia mais

EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios da integralidade, universalidade e equidade

EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios da integralidade, universalidade e equidade 10ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE: OO"TODOS USAM O SUS! SUS NA SEGURIDADE SOCIAL - POLÍTICA PÚBLICA, PATRIMÔNIO DO POVO BRASILEIRO" EIXO I - Política de saúde na seguridade social, segundo os princípios

Leia mais

NÍVEL FUNDAMENTAL COMPLETO. Cargo: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE (ACS)

NÍVEL FUNDAMENTAL COMPLETO. Cargo: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE (ACS) PROCESSO SELETIVO PÚBLICO - EDITAL N.º 001/2012 PREFEITURA MUNICIPAL DE BREVES PROVA OBJETIVA: 1 de abril de 2012 NÍVEL FUNDAMENTAL COMPLETO Cargo: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE (ACS) Nome do Candidato:

Leia mais

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA E A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO TERRITÓRIO A SAÚDE ATUAÇÃO DO AGENTE COMUNITÁRIO

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA E A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO TERRITÓRIO A SAÚDE ATUAÇÃO DO AGENTE COMUNITÁRIO ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA E A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO TERRITÓRIO A SAÚDE ATUAÇÃO DO AGENTE COMUNITÁRIO Marlúcio Alves UFU Bolsista programa CAPES/FCT Jul/dez 2011 A ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA - ESF

Leia mais

AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE-PSF. 05 Matemática. 05 Conhecimentos Específicos. 30 Total de questões 40

AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE-PSF. 05 Matemática. 05 Conhecimentos Específicos. 30 Total de questões 40 CONCURSO PÚBLICO Nº 002/2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHEIRO PRETO - SC AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE-PSF Nome do (a) Candidato (a) Número de Inscrição Este caderno de questões está assim constituído: DISCIPLINAS

Leia mais

Você sabe os fatores que interferem na sua saúde?

Você sabe os fatores que interferem na sua saúde? DICAS DE SAÚDE 2 Promova a sua saúde. Você sabe os fatores que interferem na sua saúde? Veja o gráfico : 53% ao estilo de vida 17% a fatores hereditários 20% a condições ambientais 10% à assistência médica

Leia mais

CONSEP - Consultoria e Estudos Pedagógicos LTDA.

CONSEP - Consultoria e Estudos Pedagógicos LTDA. RESULTADO DOS RECURSOS CONTRA O GABARITO PRELIMINAR DO CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL DE ESPERANTINÓPOLIS-MA 1. Recurso Contra as Questões de PORTUGUÊS NIVEL FUNDAMENTAL INCOMPLETO para os cargos de: AUXILIAR

Leia mais

O que é diabetes mellitus tipo 2?

O que é diabetes mellitus tipo 2? O que é diabetes mellitus tipo 2? Todas as células do nosso corpo precisam de combustível para funcionar. O principal combustível chama-se glicose, que é um tipo de açúcar. Para que a glicose consiga entrar

Leia mais

o pensar e fazer educação em saúde 12

o pensar e fazer educação em saúde 12 SUMÁRIO l' Carta às educadoras e aos educadores.................5 Que história é essa de saúde na escola................ 6 Uma outra realidade é possível....... 7 Uma escola comprometida com a realidade...

Leia mais

EXERCÍCIO E DIABETES

EXERCÍCIO E DIABETES EXERCÍCIO E DIABETES Todos os dias ouvimos falar dos benefícios que os exercícios físicos proporcionam, de um modo geral, à nossa saúde. Pois bem, aproveitando a oportunidade, hoje falaremos sobre a Diabetes,

Leia mais

O PACTO PELA VIDA É UM DOS SUBCOMPONENTES DO PACTO PELA SAÚDE PORTARIA 399/06. É O MARCO JURÍDICO DA PRIORIZAÇÃO DA SAÚDE DO IDOSO NO BRASIL

O PACTO PELA VIDA É UM DOS SUBCOMPONENTES DO PACTO PELA SAÚDE PORTARIA 399/06. É O MARCO JURÍDICO DA PRIORIZAÇÃO DA SAÚDE DO IDOSO NO BRASIL SAÚDE DO IDOSO CURSO ESPECÍFICOS ENFERMAGEM - A Saúde do Idoso aparece como uma das prioridades no Pacto pela Vida, o que significa que, pela primeira vez na história das políticas públicas no Brasil,

Leia mais

CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS OU REGIONAIS INSTRUMENTAL PARA GRUPO DE TRABALHO SAÚDE

CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS OU REGIONAIS INSTRUMENTAL PARA GRUPO DE TRABALHO SAÚDE CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS OU REGIONAIS INSTRUMENTAL PARA GRUPO DE TRABALHO SAÚDE II CONFERÊNCIA DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL Instrumental de Trabalho baseado nas Propostas Aprovadas na I Conferencia Estadual

Leia mais

Palavras- chave: Vigilância epidemiológica, Dengue, Enfermagem

Palavras- chave: Vigilância epidemiológica, Dengue, Enfermagem ANÁLISE DAS NOTIFICAÇÕES DE DENGUE APÓS ATUAÇÃO DO SERVIÇO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR INTRODUÇÃO: A Dengue é uma doença infecciosa febril aguda de amplo espectro clínico e de grande importância

Leia mais

Saúde, Adolescência e Juventude:promovendo a equidade e construindo habilidades para a vida Seminário Internacional, - Brasília, 15 a 18 de outubro

Saúde, Adolescência e Juventude:promovendo a equidade e construindo habilidades para a vida Seminário Internacional, - Brasília, 15 a 18 de outubro Saúde, Adolescência e Juventude:promovendo a equidade e construindo habilidades para a vida Seminário Internacional, - Brasília, 15 a 18 de outubro 2013 Dimensão demográfica População em 2010: 190.755.799

Leia mais

Prova do Processo Seletivo para Agente Comunitário de Saúde e Agente de Combate de Endemias. SEMSA - Ponte Nova MG

Prova do Processo Seletivo para Agente Comunitário de Saúde e Agente de Combate de Endemias. SEMSA - Ponte Nova MG Prova do Processo Seletivo para Agente Comunitário de Saúde e Agente de Combate de Endemias. SEMSA - Ponte Nova MG Nome: Nota: INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DA PROVA (LEIA ATENTAMENTE!) 1. A prova é individual

Leia mais

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Manual das ações programáticas 1 M o d e l o S a ú d e T o d o D i a PROGRAMA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DE AGRAVOS TRANSMISSÍVEIS INDICE INTRODUÇÃO... 5 FLUXOGRAMA DO ENVIO

Leia mais

Tome uma injeção de informação. Diabetes

Tome uma injeção de informação. Diabetes Tome uma injeção de informação. Diabetes DIABETES O diabetes é uma doença crônica, em que o pâncreas não produz insulina em quantidade suficiente, ou o organismo não a utiliza da forma adequada. Tipos

Leia mais

1 01. São funções da Vigilância Epidemiológica: I. coletar, analisar e interpretar os dados; II. divulgar as informações; III. recomendar ou adotar as medidas de controle; Está(ão) correta(s) apenas a(s)

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ARAPONGAS Estado do Paraná

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ARAPONGAS Estado do Paraná SECRETARIA EXECUTIVA LEI Nº 3.336, DE 30 DE AGOSTO DE 2006 Dispõe sobre a criação de empregos públicos para a execução dos Programas de Saúde da Família e Agentes Comunitários de Saúde. A CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

NÍVEL FUNDAMENTAL Cargo: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE

NÍVEL FUNDAMENTAL Cargo: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE ESTADO DO PARÁ MUNICÍPIO DE CURUÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE CURUÁ - CONCURSO PÚBLICO - Edital N.º 001/2009 REALIZAÇÃO DA PROVA OBJETIVA: 23 de Agosto de 2009 NÍVEL FUNDAMENTAL Cargo: AGENTE COMUNITÁRIO DE

Leia mais

AULAS PRÁTICAS DA DISCIPLINA DE EPIDEMIOLOGIA II

AULAS PRÁTICAS DA DISCIPLINA DE EPIDEMIOLOGIA II AULAS PRÁTICAS DA DISCIPLINA DE EPIDEMIOLOGIA II 1. Objetivos das aulas práticas 1.1 Gerais Ser capaz de, através do cadastramento, detectar problemas, pensar nas causas destes problemas e propor soluções

Leia mais

SENADO FEDERAL PRESSÃO CONTROLADA SENADOR CLÉSIO ANDRADE

SENADO FEDERAL PRESSÃO CONTROLADA SENADOR CLÉSIO ANDRADE SENADO FEDERAL PRESSÃO CONTROLADA SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Pressão controlada apresentação Chamada popularmente de pressão alta, a hipertensão é grave por dois motivos: não apresenta sintomas, ou seja,

Leia mais

6A Aids e a tuberculose são as principais

6A Aids e a tuberculose são as principais objetivo 6. Combater Hiv/aids, malária e outras doenças O Estado da Amazônia: Indicadores A Amazônia e os Objetivos do Milênio 2010 causas de mortes por infecção no mundo. Em 2008, 33,4 milhões de pessoas

Leia mais

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição IDENTIFICANDO A DEPRESSÃO Querida Internauta, Lendo o que você nos escreveu, mesmo não sendo uma profissional da área de saúde, é possível identificar alguns sintomas de uma doença silenciosa - a Depressão.

Leia mais

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani.

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. O que são DSTS? São as doenças sexualmente transmissíveis (DST), são transmitidas, principalmente, por contato

Leia mais

SÍNTESE DO DIAGNÓSTICO SITUACIONAL UNIDADE SAÚDE DA FAMÍLIA VALDENOR CORDEIRO I BAIRRO: ALECRIM I E II, VILA OLÍMPICA EUNÁPOLIS-BAHIA

SÍNTESE DO DIAGNÓSTICO SITUACIONAL UNIDADE SAÚDE DA FAMÍLIA VALDENOR CORDEIRO I BAIRRO: ALECRIM I E II, VILA OLÍMPICA EUNÁPOLIS-BAHIA SÍNTESE DO DIAGNÓSTICO SITUACIONAL UNIDADE SAÚDE DA FAMÍLIA VALDENOR CORDEIRO I BAIRRO: ALECRIM I E II, VILA OLÍMPICA EUNÁPOLIS-BAHIA GREGÓRIO NETO BATISTA DE SOUSA 2010 1 INTRODUÇÃO A comunidade do Alecrim

Leia mais

ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA ATRIBUIÇÕES DOS MEMBROS DAS EQUIPES DE AB I - Participar do processo de territorialização e mapeamento da área de atuação da equipe, identificando grupos, famílias e indivíduos

Leia mais

DIABETES MELLITUS NO BRASIL

DIABETES MELLITUS NO BRASIL DIABETES MELLITUS NO BRASIL 17º Congresso Brasileiro Multidisciplinar em Diabetes PATRÍCIA SAMPAIO CHUEIRI Coordenadora d Geral de Áreas Técnicas DAB/MS Julho, 2012 DIABETES MELITTUS Diabetes é considerado

Leia mais

ANAIDS Articulação Nacional de Luta Contra a AIDS

ANAIDS Articulação Nacional de Luta Contra a AIDS Carta ANAIDS 1º de Dezembro - Dia Mundial de Luta contra a AIDS Cada um tem sua cara e a aids também tem... A ANAIDS Articulação Nacional de Luta Contra Aids - colegiado que reúne os Fóruns de ONG Aids

Leia mais

SECRETARIA DA SAUDE. Fonte:http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1

SECRETARIA DA SAUDE. Fonte:http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1 SECRETARIA DA SAUDE Fonte:http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1 1 2 UBS Equipe da Atenção Básica UBS Equipe da Atenção Básica + EACS Equipe de Agentes Comunitários da Saúde UBS Equipe da Atenção

Leia mais

PROJETOS DE EXTENSÃO

PROJETOS DE EXTENSÃO PROJETOS DE EXTENSÃO Título do Projeto Descrição Público - Alvo Medicina e Arte Realizam-se sessões cinema, voltados para a área de medicina e Acadêmicos e Funcionários da FMJ em seguida são feitos debates

Leia mais

Vigilância Epidemiológica. Meio Ambiente e Saúde Pública Prof. Adriano Silva

Vigilância Epidemiológica. Meio Ambiente e Saúde Pública Prof. Adriano Silva Vigilância Epidemiológica Meio Ambiente e Saúde Pública Prof. Adriano Silva EPIDEMIOLOGIA Epidemiologia é o estudo da frequência, da distribuição e dos condicionantes e determinantes dos estados ou eventos

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE O ACOMPANHAMENTO DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO INFANTIL (PUERICULTURA)

ORIENTAÇÕES SOBRE O ACOMPANHAMENTO DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO INFANTIL (PUERICULTURA) ORIENTAÇÕES SOBRE O ACOMPANHAMENTO DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO INFANTIL (PUERICULTURA) I- Introdução O acompanhamento do crescimento e desenvolvimento, do nascimento até os 5 anos de idade, é de fundamental

Leia mais

F. Saúde da Mulher (mulheres de 18 anos e mais de idade) Horário de Início :

F. Saúde da Mulher (mulheres de 18 anos e mais de idade) Horário de Início : F. Saúde da Mulher (mulheres de 18 anos e mais de idade) Horário de Início : Neste módulo, vamos fazer perguntas sobre a sua saúde, exames preventivos, reprodução e planejamento familiar. [Entrevistador:

Leia mais

INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR

INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR SANTOS, Elaine Ferreira dos (estagio II), WERNER, Rosiléa Clara (supervisor), rosileawerner@yahoo.com.br

Leia mais

ACONSELHAMENTO PARA DST/AIDS NO SUS

ACONSELHAMENTO PARA DST/AIDS NO SUS ACONSELHAMENTO PARA DST/AIDS NO SUS A prática do aconselhamento desempenha um papel importante no diagnóstico da infecção pelo HIV/ outras DST e na qualidade da atenção à saúde. Contribui para a promoção

Leia mais

Lista de documentos para comprovação das ações pela equipe

Lista de documentos para comprovação das ações pela equipe Lista de documentos para comprovação das ações pela equipe Tabela 1: Documento para comprovação das ações das equipes de AB Módulo Módulo Documento Documento que conste o CNES da UBS, o código de área

Leia mais

RETIFICAÇÃO Nº 01 AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2007

RETIFICAÇÃO Nº 01 AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2007 Estado de Santa Catarina PREFEITURA MUNICIPAL DE HERVAL D OESTE RETIFICAÇÃO Nº 01 AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2007 CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E/OU PROVAS E TÍTULOS, PARA PROVIMENTO DE VAGAS NO

Leia mais

Enfermagem PADRÃO DE RESPOSTA

Enfermagem PADRÃO DE RESPOSTA Enfermagem PADRÃO DE RESPOSTA Em termos de atendimento à proposta, espera-se que o estudante estabeleça relação entre a qualidade do serviço de esgotamento sanitário e de tratamento da água para o agravamento

Leia mais

GRUPOS DE ATIVIDADES EDUCATIVAS PARA OS PROGRAMAS DE ASSISTÊNCIA AO HIPERTENSO, DIABÉTICOS E IDOSO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE JATAÍ-GO*.

GRUPOS DE ATIVIDADES EDUCATIVAS PARA OS PROGRAMAS DE ASSISTÊNCIA AO HIPERTENSO, DIABÉTICOS E IDOSO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE JATAÍ-GO*. GRUPOS DE ATIVIDADES EDUCATIVAS PARA OS PROGRAMAS DE ASSISTÊNCIA AO HIPERTENSO, DIABÉTICOS E IDOSO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE JATAÍ-GO*. SILVA, Kelvia Donato¹; SILVA, Lorrayne Emanuela Duarte¹;

Leia mais

Incluir no pagamento por performance o preenchimento da variável raça/cor.

Incluir no pagamento por performance o preenchimento da variável raça/cor. PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO, ATENÇÃO PRIMÁRIA E VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DE

Leia mais

Apresentação. Introdução. Francine Leite. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo

Apresentação. Introdução. Francine Leite. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Evolução dos Fatores de Risco para Doenças Crônicas e da prevalência do Diabete Melito e Hipertensão Arterial na população brasileira: Resultados do VIGITEL 2006-2009 Luiz Augusto Carneiro Superintendente

Leia mais

10 projetos de pesquisa aprovados no edital BICT/FUNCAP 12/2014

10 projetos de pesquisa aprovados no edital BICT/FUNCAP 12/2014 Projetos de pesquisa no Saúde Instituto de Ciências da 10 projetos de pesquisa aprovados no edital BICT/FUNCAP 12/2014 Título: Avaliação da autoeficácia materna para prevenir diarreia infantil em Redenção-CE

Leia mais

Prof. MS. Ellen H. Magedanz

Prof. MS. Ellen H. Magedanz Prof. MS. Ellen H. Magedanz As transformações nos padrões de saúde/doença constituíram-se em uma das características do último século, estão associadas às mudanças na estrutura etária populacional. América

Leia mais

Lei Complementar nº. 010/2007 de 01 de novembro de 2007.

Lei Complementar nº. 010/2007 de 01 de novembro de 2007. Lei Complementar nº. 010/2007 de 01 de novembro de 2007. Cria empregos destinados a atender ao Programa de Agentes Comunitários de Saúde PACS; ao Programa da Dengue; ao Programa Primeira Infância Melhor

Leia mais

Assunto: Realização de teste rápido de HIV,Sífilis e outros agravos.

Assunto: Realização de teste rápido de HIV,Sífilis e outros agravos. PARECER Nº121/2015 PAD: Nº 43/2015 Autora: Conselheira Renata Ramalho Da Cunha Dantas Solicitante: Dr. Ronaldo Miguel Beserra Assunto: Realização de teste rápido de HIV,Sífilis e outros agravos. DO FATO

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 1559/02, DE 16 DE JULHO DE 2002.

LEI MUNICIPAL Nº 1559/02, DE 16 DE JULHO DE 2002. LEI MUNICIPAL Nº 1559/02, DE 16 DE JULHO DE 2002. Cria e extingue cargos na estrutura do Quadro Permanente de Cargos, lei Municipal 1338/98, e dá outras providências. WOLMIR ÂNGELO DALL`AGNOL, Prefeito

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Cargo: ENFERMEIRO/ÁREA 1. DESCRIÇÃO SUMÁRIA DO CARGO: Prestar assistência ao paciente e/ou usuário em clínicas, hospitais, ambulatórios, navios, postos de saúde e em domicílio, realizar consultas e procedimentos

Leia mais

História Natural das Doenças e Níveis de Aplicação de Medidas Preventivas

História Natural das Doenças e Níveis de Aplicação de Medidas Preventivas Universidade Federal do Rio de Janeiro Centro de Ciências da Saúde Faculdade de Medicina / Instituto de Estudos em Saúde Coletiva - IESC Departamento Medicina Preventiva Disciplina de Epidemiologia História

Leia mais

A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5

A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5 A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5 A partir dos esforços para melhorar a saúde materno-infantil, tais como: Programa de Humanização do Parto e Nascimento

Leia mais

à diabetes? As complicações resultam da de açúcar no sangue. São frequentes e graves podendo (hiperglicemia).

à diabetes? As complicações resultam da de açúcar no sangue. São frequentes e graves podendo (hiperglicemia). diabetes Quando Acidente a glicemia vascular (glicose cerebral no sangue) (tromboses), sobe, o pâncreas uma das principais O que Quais é a diabetes? as complicações associadas à diabetes? produz causas

Leia mais

Brasília - DF - Versão Julho/2012 -

Brasília - DF - Versão Julho/2012 - Brasília - DF - Versão Julho/2012-2 ALTERAÇÕES NO MANUAL INSTRUTIVO 1. Mudança no Título dos Indicadores 1.4 INDICADOR: Proporção de gestantes com pré natal no mês 1.6 INDICADOR: Razão entre exames citopatológicos

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde

Pesquisa Nacional de Saúde Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Pesquisa Nacional de Saúde 21/08/15 Histórico INVESTIGAÇÃO DO TEMA SAÚDE... 1998 2003 2008 2013 PNAD Características da PNS Pesquisa Domiciliar

Leia mais

D I R E T O R I A D E S A Ú D E

D I R E T O R I A D E S A Ú D E Saúde In Forma Junho/2013 Dia 26 de Junho Dia Nacional do Diabetes Diabetes é uma doença metabólica caracterizada por um aumento anormal da glicose ou açúcar no sangue. A glicose é a principal fonte de

Leia mais

Perfil das gestantes adolescentes na assistência ao pré-natal na clinica materno infantil em Sarandi - PR

Perfil das gestantes adolescentes na assistência ao pré-natal na clinica materno infantil em Sarandi - PR Perfil das gestantes adolescentes na assistência ao pré-natal na clinica materno infantil em Sarandi - PR ADRIANA SANT ANA GASQUEZ (UNINGÁ)¹ SANDRA MARISA PELLOSO (UEM)² EVERTON FERNANDO ALVES (G-UNINGÁ)³

Leia mais

Nome/Código arquivo: 2013_11_12 Mem.Reun.Saúde _ Escola do Evangelho Belo Monte Vitória do Xingu

Nome/Código arquivo: 2013_11_12 Mem.Reun.Saúde _ Escola do Evangelho Belo Monte Vitória do Xingu Assunto: Orientar e esclarecer as dúvidas da população sobre as Ações Preventivas na Área de Saúde Pública em virtude da construção da UHE Belo Monte. Redator: Èrica Silva Data: 12-11-2013 Duração: 14h30min

Leia mais

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013 Seminário estratégico de enfrentamento da Tuberculose e Aids no Estado do Rio de Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS Maio, 2013 1.Detecção de casos e tratamento da tuberculose 1.1. Descentralizar

Leia mais

I SEMINÁRIO DE EXTENSÃO DA UCB 29 de setembro, 09 e 10 de outubro de 2012

I SEMINÁRIO DE EXTENSÃO DA UCB 29 de setembro, 09 e 10 de outubro de 2012 Modelo para apresentação do trabalho: Título do trabalho I SEMINÁRIO DE EXTENSÃO DA UCB 29 de setembro, 09 e 10 de outubro de 2012 Vivências de um Estagiário de Extensão sobre a Capacitação de Agentes

Leia mais

SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde

SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde Universidade de Cuiabá - UNIC Núcleo de Disciplinas Integradas Disciplina: Formação Integral em Saúde SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde Profª Andressa Menegaz SUS - Conceito Ações e

Leia mais

Valores Propostos para o Programa no Período 2002 a 2005 2.002 2.003 2.004 2.005 Total Recursos 77,5 79,1 82,3 86,4 325,3

Valores Propostos para o Programa no Período 2002 a 2005 2.002 2.003 2.004 2.005 Total Recursos 77,5 79,1 82,3 86,4 325,3 Plano Plurianual 2.002 2.005 Saúde Objetivo Geral Principais secretarias envolvidas: SMS A Secretaria Municipal de Saúde, cumprindo o programa do Governo da Reconstrução, implantará o SUS no município.

Leia mais

CALENDÁRIO DA SAÚDE JANEIRO

CALENDÁRIO DA SAÚDE JANEIRO JANEIRO 02 - Dia do Sanitarista 04 - Dia do Hemofílico 14 - Dia do Enfermo 19 - Dia do Terapeuta Ocupacional 20 - Dia do Farmacêutico 24 - Dia Mundial do Hanseniano FEVEREIRO 05 - Dia Estadual do Médico

Leia mais

O PROGRAMA SAÚDE DA FAMILIA NA COMPREENSÃO DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE

O PROGRAMA SAÚDE DA FAMILIA NA COMPREENSÃO DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE O PROGRAMA SAÚDE DA FAMILIA NA COMPREENSÃO DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE VIDAL, Kiussa Taina Geteins; LIMA, Flávia Patricia Farias; SOUZA, Alcy Aparecida Leite; LAZZAROTTO, Elizabeth Maria; MEZA, Sheila

Leia mais

Aqui, pela sua Saúde! Guia do Utente

Aqui, pela sua Saúde! Guia do Utente Aqui, pela sua Saúde! Guia do Utente Este guia tem como objetivo fornecer aos Utentes, desta unidade, informações sobre os serviços disponíveis, para que os possam utilizar de forma equilibrada e racional.

Leia mais

Cuidando da Minha Criança com Aids

Cuidando da Minha Criança com Aids Cuidando da Minha Criança com Aids O que é aids/hiv? A aids atinge também as crianças? Como a criança se infecta com o vírus da aids? Que tipo de alimentação devo dar ao meu bebê? Devo amamentar meu bebê

Leia mais

ESTUDO Nº 41, DE 2005

ESTUDO Nº 41, DE 2005 SENADO FEDERAL Comissão de Assuntos Sociais Visita da Delegação da Assembléia Nacional da República Socialista do Vietnã ao Presidente da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS em 07/03/2005 ESTUDO Nº 41, DE 2005

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Combatendo a Mortalidade Materna e Infantil: Maximizando a Atuação das Agentes de Saúde do Município de Altônia

Mostra de Projetos 2011. Combatendo a Mortalidade Materna e Infantil: Maximizando a Atuação das Agentes de Saúde do Município de Altônia Mostra de Projetos 2011 Combatendo a Mortalidade Materna e Infantil: Maximizando a Atuação das Agentes de Saúde do Município de Altônia Mostra Local de: Umuarama Categoria do projeto: I - Projetos em implantação,

Leia mais

COMPREENDENDO A POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA MULHER: UMA REFLEXÃO ACADÊMICA 1

COMPREENDENDO A POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA MULHER: UMA REFLEXÃO ACADÊMICA 1 COMPREENDENDO A POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA MULHER: UMA REFLEXÃO ACADÊMICA 1 BISOGNIN, Patrícia 2 ; SIQUEIRA, Alessandro 2 ; BÖELTER, Débora Cardoso 2 ; FONSECA, Mariana 2 ; PRUNZEL

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE DA ATENÇÃO BÁSICA (PMAQ) MANUAL INSTRUTIVO ANEXO FICHA DE QUALIFICAÇÃO DOS INDICADORES

PROGRAMA NACIONAL DE MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE DA ATENÇÃO BÁSICA (PMAQ) MANUAL INSTRUTIVO ANEXO FICHA DE QUALIFICAÇÃO DOS INDICADORES MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO A SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA PROGRAMA NACIONAL DE MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE DA ATENÇÃO BÁSICA (PMAQ) MANUAL INSTRUTIVO ANEXO FICHA DE QUALIFICAÇÃO

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA Código: ENFAEN2 Disciplina: ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM II (Enfermagem ao adulto e ao idoso em doenças tropicais) E ENFAENF (Administração em enfermagem I) Teoria: 60h Prática: 60h Teoria: 3 Prática: 3

Leia mais

ATENÇÃO A SAÚDE DA CRIANÇA: UMA ANÁLISE DE SUA IMPLEMENTAÇÃO NO MUNÍCIPIO DE SANTA MARIA 1

ATENÇÃO A SAÚDE DA CRIANÇA: UMA ANÁLISE DE SUA IMPLEMENTAÇÃO NO MUNÍCIPIO DE SANTA MARIA 1 ATENÇÃO A SAÚDE DA CRIANÇA: UMA ANÁLISE DE SUA IMPLEMENTAÇÃO NO MUNÍCIPIO DE SANTA MARIA 1 Cerezer, J. 2, Pozzobon, L. 2, Oliveira, N. 2, Vedoin, P. 2, Colomé, J. 3. 1 Trabalho desenvolvido na Disciplina

Leia mais

S a, 22 de dezembro de 2014. J. AO EXPEO ERNO EM 2 114 GER. UDtOGONÇALVEff í PRESIDENTE

S a, 22 de dezembro de 2014. J. AO EXPEO ERNO EM 2 114 GER. UDtOGONÇALVEff í PRESIDENTE :.:4:. GP-RI-2007/14 Senhor Presidente, J. AO EXPEO ERNO EM 2 114 GER S a, 22 de dezembro de 2014. UDtOGONÇALVEff í PRESIDENTE Em ate 'ã ao requerimento n 2070/2014, de autoria do Vereador FERNANDO L S

Leia mais

UM OLHAR PARA O HOMEM IDOSO. Fabio Garani 17 Regional de Saude

UM OLHAR PARA O HOMEM IDOSO. Fabio Garani 17 Regional de Saude UM OLHAR PARA O HOMEM IDOSO Fabio Garani 17 Regional de Saude 1 ESPERANÇA DE VIDA AO NASCER : 7,4anos

Leia mais

azul NOVEMBRO azul Saúde também é coisa de homem. Doenças Cardiovasculares (DCV)

azul NOVEMBRO azul Saúde também é coisa de homem. Doenças Cardiovasculares (DCV) Doenças Cardiovasculares (DCV) O que são as Doenças Cardiovasculares? De um modo geral, são o conjunto de doenças que afetam o aparelho cardiovascular, designadamente o coração e os vasos sanguíneos. Quais

Leia mais

Mesa VI: Brasil Sorridente na Redes Prioritárias do Ministério da Saúde

Mesa VI: Brasil Sorridente na Redes Prioritárias do Ministério da Saúde Mesa VI: Brasil Sorridente na Redes Prioritárias do Ministério da Saúde Gilberto Alfredo Pucca Júnior Coordenador-Geral de Saúde Bucal Janeiro, 2014 Universalidade Descentralização políticoadministrativa

Leia mais

Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes

Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes Diabetes é uma doença ocasionada pela total falta de produção de insulina pelo pâncreas ou pela quantidade insuficiente da substância no corpo. A insulina

Leia mais

O QUE É A REDE CEGONHA?

O QUE É A REDE CEGONHA? Desafios da Atenção Básica em Tempos de Rede Cegonha - O que temos e o que queremos? Portaria n 1.459, de 24/06/11 O QUE É A REDE CEGONHA? Estratégia inovadora do Ministério da Saúde que visa organizar

Leia mais

PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ

PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ MINISTÉRIO DA SAÚDE IMPACTO DA VIOLÊNCIA NA SAÚDE DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIAS E PROMOÇÃO DA CULTURA DE PAZ VOCÊ É A PEÇA PRINCIPAL PARA ENFRENTAR ESTE PROBLEMA Brasília - DF 2008

Leia mais

Conheça mais sobre. Diabetes

Conheça mais sobre. Diabetes Conheça mais sobre Diabetes O diabetes é caracterizado pelo alto nível de glicose no sangue (açúcar no sangue). A insulina, hormônio produzido pelo pâncreas, é responsável por fazer a glicose entrar para

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Viva intensamente. Cuide-se DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nossos órgãos internos HÁBITOS SAUDÁVEIS Para se ter qualidade com aumento da expectativa de vida,precisa-se manter hábitos saudáveis: Alimentação balanceada

Leia mais

Doenças Crônicas. uma nova transição. Paulo A. Lotufo. FMUSP Coordenador do Centro de Pesquisa Clínica e Epidemiológica da USP

Doenças Crônicas. uma nova transição. Paulo A. Lotufo. FMUSP Coordenador do Centro de Pesquisa Clínica e Epidemiológica da USP Doenças Crônicas uma nova transição Paulo A. Lotufo Professor Titular de Clínica Médica FMUSP Coordenador do Centro de Pesquisa Clínica e Epidemiológica da USP esclarecimentos O termo doença crônica pode

Leia mais

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 10 Natasha. Fundamentação Teórica: Saúde bucal

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 10 Natasha. Fundamentação Teórica: Saúde bucal CASO COMPLEXO 10 Natasha : Maria Gabriela Haye Biazevic O conceito de promoção da saúde, originado de um documento elaborado na década de 1970 pelo então Ministro da Saúde do Canadá, Informe Lalonde, amplia

Leia mais

Campanhas, Atividades Semanais, Comemorações, Avanços e Desafios. Para o ano de 2015

Campanhas, Atividades Semanais, Comemorações, Avanços e Desafios. Para o ano de 2015 Campanhas, Atividades Semanais, Comemorações, Avanços e Desafios Para o ano de 2015 O Plano Anual de Saúde de 2015 guarda uma característica própria: é o espelho da programação do PMS 2014/2017 aplicado

Leia mais

0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br

0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br ANS - Nº 34.388-9 0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br Março 2007 Programa de Atenção ao Diabetes O que é diabetes? AUnimed-BH preocupa-se com a saúde e o bem-estar dos seus clientes, por isso investe em

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXADÁ SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO P.S.E. PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA.

PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXADÁ SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO P.S.E. PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA. PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXADÁ SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO P.S.E. PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA. QUIXADÁ CE Antônio Martins de Almeida Filho Secretário da Educação Selene

Leia mais

ERRATA. Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais do Sus

ERRATA. Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais do Sus ERRATA Secretaria de Saúde do DF AUXILIAR EM saúde - Patologia Clínica Sistema Único de Sáude - SUS Autora: Dayse Amarílio D. Diniz Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Gestantes. USF. Atenção Primária. Introdução

PALAVRAS-CHAVE Gestantes. USF. Atenção Primária. Introdução 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE (X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA ESTRATÉGIAS

Leia mais