O antiviral ideal. Deve interromper a replicação do vírus sem afetar significativamente o metabolismo de células do hospedeiro.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O antiviral ideal. Deve interromper a replicação do vírus sem afetar significativamente o metabolismo de células do hospedeiro."

Transcrição

1 Antivirais

2 O antiviral ideal Deve interromper a replicação do vírus sem afetar significativamente o metabolismo de células do hospedeiro.

3 Pontos preferenciais de atuação dos antivirais Adsorção e/ou penetração: Influenza x amantadina Transcrição, tradução e replicação do genoma viral: vírus respiratórios com ribavirina; todas as drogas contra herpesvírus; quase todas as drogas contra HIV Montagem e liberação do vírus: Rifamicina x poxvírus

4 Análogos de nucleosídeos Muitas drogas antivirais são nucleosídeos sintéticos que interferem de alguma maneira com a síntese de DNA ou RNA Exemplos: Ribavirin - Ganciclovir Aciclovir - Trifluridina Cidofovir - Didanosina,ddl Famciclovir - Lamivudina,3TC Idoxuridina - Zidovudina,AZT

5 Azidotimidina (AZT) O HN CH 3 O N HOCH 2 O H H H H N N N H

6 Balanopostite Vulvovaginite

7

8 Vulvovaginite pustular infecciosa (BHV-1)

9 Encefalite por herpesvírus bovino tipo 5 (BoHV-5) (infec.experim.)

10 Cortesia: Prof. David Driemeier

11 Antivirais nucleosídicos

12 Inibidores enzimáticos São aqueles que interferem com os processos de replicação viral, mas não são análogos de nucleosídeos. Podem inativar as enzimas virais por ligarem-se diretamente a elas ou por serem inibidores da protease. Exemplos: Fosfato de oseltamivir - Efavirenz Foscarnet - Indinavir Nevirapina - Ritonavir Delavirdine - Saquinavir

13 Interferons O Interferon α + Ribavirina =>Hepatite C As células infectadas por vírus freqüentemente produzem IFN => inibe a expansão da infecção, induzindo a expressão de proteínas MHC classe II

14 Em medicina veterinária: -Custo muito elevado -O melhor é prevenir!

15 Sanidade = Prevenção! Lavagem das mãos!!! Desinfecção (detergentes, cloro) Lavagem Desinfecção de instrumentos Desinfecção de fômites Roupas, botas, Pedilúvios, Caiação Em resumo: MUITA LIMPEZA!!!

16 Sanidade = Prevenção! Cuidados na aquisição de animais: Avaliação sanitária de reprodutores Avaliação sanitária sorológica (prévia) Avaliação prévia do sêmen Avaliação prévia de embriões Vacinação (cuidado: uso da mesma agulha) Isolamento Quarentena Sacrifício

17 HISTÓRICO DA AIDS o caso Congo Belga U.S. 1 o caso AIDS Definida pelo CDC Isolamento AZT 3TC do Aprovado e Virus Saquinovir Genoma Aprovados Viral Sequenciado Nelfinavir Aprovado Ritonavir e Indinavir Aprovados Highly Anti-retroviral Therapy Aprovada (HAART)

18 DROGAS NOME COMERCIAL ANO INDICAÇÃO Metisazona Marboran 1960 Profilaxia da varíola Idoxuridina Stoxil, Herplex, Dendrid, IDU, Pomada oftálmica 1962 Queratite por herpes simplex Amantadina Symetrel 1966/1976 Profilaxia da influenza A Vidarabina Vira-A 1976/1978 Queratite por HSV / encefalite por HSV; infecção disseminada e localizada por HSV em neonatos. Aciclovir Zovirax 1982 Infecção primária genital por HSV; infecção mucocutânea por HSV em hospedeiros imunodeprimidos Trifluridina Viroptic? Queratite por HSV Interferon A Intron A? Hepatite C Ribavirin Viramid / Rebetol Infecção por HRSV & Hepatite C Zidovudina Retrovir/AZT 1987 AIDS

19 Ganciclovir DHPG 1989 Retinite por CMV em aidéticos Didanosina, ddi Videx 1991 SIDA Ácido fosfonofórmico (FPA) Zalcitabina, ddc Foscarnet HIVID Retinite por CMV em aidéticos SIDA Stavudina ZERIT 1994 SIDA Famciclovir FAMVIR 1995 VZV Rimantadina Flumadine 1995 Influenza Lamivudina, 3TC EPIVIR/EPIVIR HBV 1995/1998 SIDA/Hepatite B Saquinavir Invirase 1995 SIDA Cidofovir Vistide 1995 Retinite por CMV em aidéticos Valaciclovir Valtrex 1995 HZV em adultos imunocompetentes Doxorubucin lipossomal Doxil 1995 Sarcoma de Kaposi em aidéticos Daunorubicin lipossomal Daunaxone 1995 Sarcoma de Kaposi em aidéticos Indinavir Crixivan 1996 SIDA

20 Ritonavir Norvir 1996 SIDA Nevirapina Viramune 1996 SIDA Penciclovir Denavir 1996 Tratamento de herpes labial em adultos Nelfinavir Viracept 1997 SIDA Delavirdine Rescriptor 1997 SIDA Paclitaxel Taxol 1997 Sarcoma de kaposi em aidéticos AZT + 3TC Combivir 1997 SIDA Efavirenz Suativa 1998 SIDA Abacavir Ziagen 1998 SIDA Formivirsen Vitravene 1999 Retinite por CMV em aidéticos Alitretinoin Panretim 1999 Sarcoma de kaposi em aidéticos Amprenavir Agenerase 1999 SIDA Oseltamivir phospate Tamiflu 1999 Tratamento de doenças agudas pela influenza em adultos

21 Drogas liberadas para o tratamento da AIDS inibidores de transcriptase reversa inibidores de protease Análogos de nucleosídeos Inibidores não análogos de nucleosídeos Amprenavir Abacavir Nevirapina Indinavir Didanosina (ddl) Delavirdine (DLV) Nelfinavir Lamivudina (3TC) Efavirenz Ritonavir Stavudina (d4t) Saquinavir Zalcitabina (ddc) Zidovudina (AZT)

22 Terapia combinada contra o HIV Objetivos: alcançar eficácia máxima, minimizar a toxicidade pela redução da dosagem individual da droga e diminuir as chances de desenvolvimento de resistência. Combinação usual: 1 inibidor de protease + 2 inibidores de transcriptase reversa

23

24

25 Terapia combinada contra HIV 2 drogas AZT + ddl AZT + ddc AZT + DLV AZT + 3TC ddl + DLV d4t + ddl Ritonavir + 1 análogo de nucleotídeo Ritonavir + AZT Indinavir + AZT 3 drogas Norvir + AZT + 3TC Indinavir + AZT + 3TC Indinavir + AZT + ddi

26 Terapia contra Papilomavírus em Medicina Veterinária Papilomavírus: causam verrugas ou papilomas Em diversas espécies Em equinos: sarcóide Nenhum tratamento Cirúrgico Vacina autógena

Aula de Antivíricos. Vírus : noção. Porto 29-11-2002. Jorge Manuel Moreira de Carvalho. Não são seres vivos São entidades biológicas.

Aula de Antivíricos. Vírus : noção. Porto 29-11-2002. Jorge Manuel Moreira de Carvalho. Não são seres vivos São entidades biológicas. Aula de Antivíricos Porto 29-11-2002 Jorge Manuel Moreira de Carvalho Vírus : noção Não são seres vivos São entidades biológicas. 1 Vírus : estrutura Ácido nucleico ( DNA ou RNA ) Invólucro proteico (

Leia mais

Antivirais. www.microbiologia.vet.br

Antivirais. www.microbiologia.vet.br Antivirais www.microbiologia.vet.br Princípio da TOXICIDADE SELETIVA: Antibacterianos Antifúngicos Antivirais - Drogas antivirais tem espectro de ação muito limitado, diferente dos antibacterianos www.microbiologia.vet.br

Leia mais

Segunda-feira, 20 de novembro de 2006. Profa. Sônia.

Segunda-feira, 20 de novembro de 2006. Profa. Sônia. Segunda-feira, 20 de novembro de 2006. Profa. Sônia. Agentes antivirais. Substâncias químicas usadas mais especificamente para o tratamento de viroses. Não serão abordados todos os produtos: será chamada

Leia mais

MEDICAMENTOS... 3 DOENÇAS OPORTUNISTAS... 5 ADESÃO... 6 DICAS PARA MELHOR ADESÃO AOS MEDICAMENTOS... 7 Inibidores Da Transcriptase Reversa Análogo De

MEDICAMENTOS... 3 DOENÇAS OPORTUNISTAS... 5 ADESÃO... 6 DICAS PARA MELHOR ADESÃO AOS MEDICAMENTOS... 7 Inibidores Da Transcriptase Reversa Análogo De MEDICAMENTOS... 3 DOENÇAS OPORTUNISTAS... 5 ADESÃO... 6 DICAS PARA MELHOR ADESÃO AOS MEDICAMENTOS... 7 Inibidores Da Transcriptase Reversa Análogo De Nucleosídeos... 7 Inibidores Da Protease... 8 Inibidores

Leia mais

env Glicoproteína de superfície gp120 gag Proteína da matriz associada à membrana p17 gag Proteína do capsídio p24

env Glicoproteína de superfície gp120 gag Proteína da matriz associada à membrana p17 gag Proteína do capsídio p24 AIDS Infecção HIV Estimativa de adultos e crianças infectadas com HIV 2005 Western & Eastern Europe Central Europe & Central Asia North America 720 000 1.5 million [550 000 950 000] [1.0 2.3 million] 1.3

Leia mais

Antivirais. Histórico 26/04/2012. Antibióticos. Antivirais

Antivirais. Histórico 26/04/2012. Antibióticos. Antivirais Antivirais Andrêssa Silvino Mestranda em Imunologia e Doenças Infecto-arasitárias/UFJF Orientadora: Maria Luzia da Rosa e Silva Histórico A busca por drogas antivirais teve início há mais de 50 anos: METISAZONA

Leia mais

Raniê Ralph Farmaco 2

Raniê Ralph Farmaco 2 16 de Outubro de 2007. Professor José Guilherme. Farmacologia dos antivirais Sumário Aspectos gerais de farmacologia dos antivirais I. Drogas anti-dna-vírus: destaque para família do vírus herpes. II.

Leia mais

InfoRed SIDA Nuevo México. Tenofovir (Viread)

InfoRed SIDA Nuevo México. Tenofovir (Viread) Folhas Informativas + Tenofovir (Viread) 20 O que é o tenofovir? É um dos medicamentos usados para o tratamento anti-retroviral. Também conhecido como bis-poc PMPA ou Viread, o tenofovir é patenteado pela

Leia mais

Introdução. Infecção pelo HIV. Uma das mais devastadoras pandemias da história da humanidade. Profundas repercussões sociais

Introdução. Infecção pelo HIV. Uma das mais devastadoras pandemias da história da humanidade. Profundas repercussões sociais Introdução Uma das mais devastadoras pandemias da história da humanidade Profundas repercussões sociais Possibilitou um enorme avanço no campo da virologia Prof. Marco Antonio Passou de doença letal a

Leia mais

ANTIFÚNGICOS MICOSES

ANTIFÚNGICOS MICOSES ANTIFÚNGICOS MICOSES Fungos patogênicos Infectam diretamente o hospedeiro oportunistas Raramente causam infecções, mas aproveitam os momentos de queda da resistência imunológica Fungos Células mais complexas

Leia mais

Síndrome da Imunodeficiência Adquirida

Síndrome da Imunodeficiência Adquirida Síndrome da Imunodeficiência Adquirida Síndrome : Conjunto de sinais e sintomas que se desenvolvem conjuntamente e que indicam a existência de uma doença. A AIDS é definida como síndrome porque não tem

Leia mais

Universidade Federal do Paraná Setor de Ciências da Saúde Curso de Farmácia Disciplina de Química Medicinal Farmacêutica. Agentes Antivirais

Universidade Federal do Paraná Setor de Ciências da Saúde Curso de Farmácia Disciplina de Química Medicinal Farmacêutica. Agentes Antivirais Universidade Federal do Paraná Setor de Ciências da Saúde Curso de Farmácia Disciplina de Química Medicinal Farmacêutica Agentes Antivirais ITRDUÇÃ Vírus s vírus constituem uma classe de agentes infecciosos

Leia mais

INFECÇÕES VIRAIS. Prevenção: Tratamento: Nutrição adequada Higiene pessoal Vacinação Saúde pública

INFECÇÕES VIRAIS. Prevenção: Tratamento: Nutrição adequada Higiene pessoal Vacinação Saúde pública FÁRMACOS ANTIVIRAIS INFECÇÕES VIRAIS Prevenção: Nutrição adequada Higiene pessoal Vacinação Saúde pública Rede pública de água Tratamento de esgotos Controle de insetos Práticas clínicas apropriadas Formação

Leia mais

Antivíricos. Exemplos de inibidores da transcríptase reversa não-nucleosídicos: delavirdina, efavirenz, nevirapina

Antivíricos. Exemplos de inibidores da transcríptase reversa não-nucleosídicos: delavirdina, efavirenz, nevirapina Antivíricos Antivíricos Exemplos da inibição da penetração nas células hospedeiras: amantidina (inibe a descapsulação do vírus da influenza), globulinas γ, palivizumab (anti-rsv) Antivíricos Exemplos de

Leia mais

Mecanismos de Acção de Substâncias Antivirais

Mecanismos de Acção de Substâncias Antivirais Joana Catarina Rodrigues Batista Mecanismos de Acção de Substâncias Antivirais Universidade Fernando Pessoa, Faculdade Ciências da Saúde. Porto 2011 II Joana Catarina Rodrigues Batista Mecanismos de Acção

Leia mais

36 mil pessoas já tenham morrido em decorrência da Aids, numa média de 20 mortes diárias (ver Saúde em Brasil).

36 mil pessoas já tenham morrido em decorrência da Aids, numa média de 20 mortes diárias (ver Saúde em Brasil). VÍRUS A raiva é uma doença contagiosa, causada por vírus. Essa doença ataca os mamíferos: cães, gatos, morcegos, macacos etc. O mamífero mais atacado pela raiva é o cão. Um animal com vírus da raiva pode

Leia mais

::: Fonte Do Saber - Mania de Conhecimento :::

::: Fonte Do Saber - Mania de Conhecimento ::: Virus adsense1 Vírus adsense2 Ser vivo microscópico e acelular (não é composto por células) formado por uma molécula de ácido nucléico (DNA ou RNA), envolta por uma cápsula protéica. Apresenta-se sob diferentes

Leia mais

4 0 0 /2 2 0 A D A IS V E R O Ã IÇ D E pelo IV H O L E P O Ã Ç C E F - IN E T N IE C A P O D L A U N A M

4 0 0 /2 2 0 A D A IS V E R O Ã IÇ D E pelo IV H O L E P O Ã Ç C E F - IN E T N IE C A P O D L A U N A M MANUAL DO PACIENTE - INFECÇÃO PELO HIV EDIÇÃO REVISADA 02/2004 pelo Este manual tem como objetivo fornecer informações aos pacientes e seus familiares a respeito da Infecção pelo HIV. Sabemos que as informações

Leia mais

HIV/AIDS Pediatria Sessão Clínica do Internato Revisão Teórica. Orientadora: Dra Lícia Moreira Acadêmico: Pedro Castro (6 Ano)

HIV/AIDS Pediatria Sessão Clínica do Internato Revisão Teórica. Orientadora: Dra Lícia Moreira Acadêmico: Pedro Castro (6 Ano) HIV/AIDS Pediatria Sessão Clínica do Internato Revisão Teórica Orientadora: Dra Lícia Moreira Acadêmico: Pedro Castro (6 Ano) AIDS Conceito Doença que manifesta-se por infecções comuns de repetição, infecções

Leia mais

Consenso 2002/2003: equilíbrio no fio da navalha

Consenso 2002/2003: equilíbrio no fio da navalha -1980- INFECTOLOGIA SOCIEDADE BRASILEIRA DE tratamentohoje Boletim Terapêutico de HIV/Aids, DST e Hepatites Virais Ano I Edição Especial maio 2003 EDIÇÃO ESPECIAL Mudanças principais A orientação para

Leia mais

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO TRUVADA

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO TRUVADA Truvada entricitabina + fumarato de tenofovir desoproxila FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO TRUVADA está disponível na forma de comprimidos. Os comprimidos são azuis, em forma de cápsula, revestidos, com

Leia mais

Estudo Clínico Multicêntrico de Pacientes com HIV/Aids submetidos a Tratamento com o Imunomodulador Canova, Associado com Medicamentos Antiretrovirais

Estudo Clínico Multicêntrico de Pacientes com HIV/Aids submetidos a Tratamento com o Imunomodulador Canova, Associado com Medicamentos Antiretrovirais Estudo Clínico Multicêntrico de Pacientes com HIV/Aids submetidos a Tratamento com o Imunomodulador Canova, Associado com Medicamentos Antiretrovirais Alair A. Berbert (1), Paulo T. Castanheira (2), Daniel

Leia mais

PLANO DE CURSO 4 PERÍODO ANO: 2013.2

PLANO DE CURSO 4 PERÍODO ANO: 2013.2 PLANO DE CURSO 4 PERÍODO ANO: 2013.2 CURSO: MEDICINA DISCIPLINA: Farmacologia I CARGA HORÁRIA: 144 horas PROFESSOR TITULAR: Miguel de Lemos Neto PROFESSORES: EMENTA: Princípios Gerais. Farmacocinética.

Leia mais

HIV E EXERCÍCIO PROF. DR. JONATO PRESTES

HIV E EXERCÍCIO PROF. DR. JONATO PRESTES HIV E EXERCÍCIO PROF. DR. JONATO PRESTES VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA (HIV) Síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS): 1) CAUSADA PELO HIV 2) ASPECTOS CLÍNICOS: imunodepressão com infecções oportunistas,

Leia mais

Claritromicina VO 500 mg BID; ou Azitromicina VO 250 mg UID; ou Ciprofloxacina 500-750 mg VO BID. Itraconazol cápsula 100 mg VO BID por 14 dias

Claritromicina VO 500 mg BID; ou Azitromicina VO 250 mg UID; ou Ciprofloxacina 500-750 mg VO BID. Itraconazol cápsula 100 mg VO BID por 14 dias Tabela 1. Recomendações para tratamento das principais doenças oportunistas em pacientes adolescentes e adultos infectados pelo HIV ou com aids Doença Tratamento Observações 1ª escolha Alternativas Angiomatose

Leia mais

1 Introdução 1.1 Aids

1 Introdução 1.1 Aids 16 1 Introdução 1.1 Aids No início da década de oitenta (1981), a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA/AIDS) foi reconhecida e descrita nos Estados Unidos 1 em função do aparecimento de um conjunto

Leia mais

Exercício 4 Sequenciamento por finalizadores de cadeia Sequenciamento do DNA: os finalizadores

Exercício 4 Sequenciamento por finalizadores de cadeia Sequenciamento do DNA: os finalizadores Exercício 4 Sequenciamento por finalizadores de cadeia Sequenciamento do DNA: os finalizadores A determinação da seqüência de bases de um segmento de DNA é um passo crítico em muitas aplicações da Biotecnologia.

Leia mais

VIROLOGIA RETROVÍRUS 1. HIV

VIROLOGIA RETROVÍRUS 1. HIV Instituto Federal de Santa Catarina Curso Técnico em Biotecnologia Unidade Curricular: Microbiologia VIROLOGIA RETROVÍRUS 1. Prof. Leandro Parussolo O que é um retrovírus? É qualquer vírus que possui o

Leia mais

Ministério da Saúde Consultoria Jurídica/Advocacia Geral da União

Ministério da Saúde Consultoria Jurídica/Advocacia Geral da União Nota Técnica N 44 /2012 Brasília, maio de 2012. Princípio Ativo: valaciclovir. Nomes Comerciais 1 : Herpestal, Valtrex. Medicamento de Referência: Valtrex. Medicamentos Similares: Herpestal Sumário 1.

Leia mais

ENFERMAGEM EM BIOSSEGURANÇA

ENFERMAGEM EM BIOSSEGURANÇA BIOSSEGURANÇA : 1-CONCEITO: É a ciência que estuda o manuseio de substâncias biológicas avaliando todas as condições que serão necessárias para a atividade de enfermagem. 1.2 Considerações gerais : Em

Leia mais

HEPATOTOXICIDADE AOS MEDICAMENTOS RELACIONADOS AO TRATAMENTO DA AIDS E DAS SUAS COMPLICAÇÕES

HEPATOTOXICIDADE AOS MEDICAMENTOS RELACIONADOS AO TRATAMENTO DA AIDS E DAS SUAS COMPLICAÇÕES III WORKSHOP INTERNACIONAL DE ATUALIZAÇÃO EM HEPATOLOGIA HEPATOTOXICIDADE AOS MEDICAMENTOS RELACIONADOS AO TRATAMENTO DA AIDS E DAS SUAS COMPLICAÇÕES Cláudio G. de Figueiredo Mendes Serviço de Hepatologia

Leia mais

Human immunodeficiency virus HIV causador da AIDS

Human immunodeficiency virus HIV causador da AIDS Human immunodeficiency virus HIV causador da AIDS Retrovírus humanos HIV 1 e 2: AIDS HTLV-1: leucemias / linfomas de células T paraparesia espástica tropical (TSP) ou mielopatia associada ao HTLV (HAM)

Leia mais

Diagnóstico/Monitoramento Laboratorial e Tratamento Farmacológico em pacientes. Dr.Sandro Jorge Januário

Diagnóstico/Monitoramento Laboratorial e Tratamento Farmacológico em pacientes. Dr.Sandro Jorge Januário Diagnóstico/Monitoramento Laboratorial e Tratamento Farmacológico em pacientes HIV positivo Dr.Sandro Jorge Januário HIV/AIDS Histórico - 1981 (CDC) - aparecimento de pneumonia extremamente rara, causada

Leia mais

Olavo Henrique Munhoz Leite. Hospital das Clínicas Faculdade de Medicina da USP Brasília, julho de 2004

Olavo Henrique Munhoz Leite. Hospital das Clínicas Faculdade de Medicina da USP Brasília, julho de 2004 Recomendações para a Terapia Anti- Retroviral em Adultos e Adolescentes Infectados pelo HIV II Diretrizes Brasileiras para Tuberculose 2004 I Encontro Nacional de TUBERCULOSE Olavo Henrique Munhoz Leite

Leia mais

Diagnóstico Imunológico das Imunodeficiências Secundárias

Diagnóstico Imunológico das Imunodeficiências Secundárias Diagnóstico Imunológico das Imunodeficiências Secundárias Dois tipos de imunodeficiências Primárias ou Congênitas Secundárias ou Adquiridas Imunodeficiências Secundárias Principais causas de imunodeficiências

Leia mais

WANISE BARROSO. Brasília, 31 de julho de 2008. CASO TENOFOVIR

WANISE BARROSO. Brasília, 31 de julho de 2008. CASO TENOFOVIR WANISE BARROSO Brasília, 31 de julho de 2008. CASO TENOFOVIR PROPRIEDADE INDUSTRIAL INOVAÇÃO TECNOLÓGICA INTELIGÊNCIA COMPETITIVA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PROPRIEDADE INDUSTRIAL O QUÊ PATENTEAR? EM QUE PAÍS

Leia mais

Inibição da enzima 14-α-Ergosterol. Bifonazol, Clotrimazol, Miconazol, Cetoconazol. Fluconazol, Itraconazol, Terconazol. Inibição da enzimas

Inibição da enzima 14-α-Ergosterol. Bifonazol, Clotrimazol, Miconazol, Cetoconazol. Fluconazol, Itraconazol, Terconazol. Inibição da enzimas FARMACOTERAPIA ANTIMICROBIANA Prof. Márcio Batista Segundo OMS, 30-60% dos medicamentos são antimicrobianos em países em desenvolvimento. Menos de 20% desses antimicrobianos são prescritos apropriadamente.

Leia mais

HIV-AIDS. Infecções Peri-natais

HIV-AIDS. Infecções Peri-natais Transmissão Relação sexual Transfusão de sangue Transmissão vertical Acidente de trabalho Retrato da epidemia de aids Nacionalmente estável e concentrada em populações-chave Casos acumulados de aids (até

Leia mais

HIV como modelo de estudo de retrovírus e patogênese

HIV como modelo de estudo de retrovírus e patogênese HIV como modelo de estudo de retrovírus e patogênese Retrovírus e oncogênese. Um pouco de história: 1904: Ellerman and Bang, procurando por bactérias como agentes infecciosos para leucemia em galinhas,

Leia mais

Laboratório. Apresentação de Valcyte. Valcyte - Indicações. Contra-indicações de Valcyte. Advertências. Roche. fr. c/ 60 compr. rev. de 450mg.

Laboratório. Apresentação de Valcyte. Valcyte - Indicações. Contra-indicações de Valcyte. Advertências. Roche. fr. c/ 60 compr. rev. de 450mg. Laboratório Roche Apresentação de Valcyte fr. c/ 60 compr. rev. de 450mg. Valcyte - Indicações Valcyte (cloridrato de valganciclovir) é indicado para o tratamento de retinite por citomegalovírus (CMV)

Leia mais

AIDS Síndrome da Imunodeficiência Humana

AIDS Síndrome da Imunodeficiência Humana AIDS Síndrome da Imunodeficiência Humana Vírus da imunodeficiência humana (HIV) gp120 gp41 p17 Dupla camada de lipídeos p24 Material genético e enzimas Estrutura do genoma do HIV-1 vpr rev rev gag vif

Leia mais

Programa Nacional de Doenças Sexualmente Transmissíveis/Síndrome da imunodeficiência adquirida

Programa Nacional de Doenças Sexualmente Transmissíveis/Síndrome da imunodeficiência adquirida Programa Nacional de Doenças Sexualmente Transmissíveis/Síndrome da imunodeficiência adquirida Autora: Jacilene Geaquinto Leão Adriano Revisão da 2ª Edição: Carolina Rodrigues Gomes e Vera Lúcia Edais

Leia mais

Acidentes Ocupacionais com Risco Biológico: O que fazer para evitar a contaminação por HIV?

Acidentes Ocupacionais com Risco Biológico: O que fazer para evitar a contaminação por HIV? Acidentes Ocupacionais com Risco Biológico: O que fazer para evitar a contaminação por HIV? O que fazer no momento do acidente? Aconselhar o profissional de saúde esclarecer as condições do acidente esclarecer

Leia mais

Avaliação da hepatotoxicidade dos. Hepatotoxicity of the antiretroviral. anti-retrovirais na co-infecção VHC/HIV. drugs in HCV/HIV coinfection

Avaliação da hepatotoxicidade dos. Hepatotoxicity of the antiretroviral. anti-retrovirais na co-infecção VHC/HIV. drugs in HCV/HIV coinfection AVALIAÇÃO DA HEPATOTOXICIDADE DOS... Tovo et al. Avaliação da hepatotoxicidade dos anti-retrovirais na co-infecção VHC/HIV RESUMO Hepatotoxicity of the antiretroviral drugs in HCV/HIV coinfection O objetivo

Leia mais

Qual é a estrutura típica de um vírus?

Qual é a estrutura típica de um vírus? Vírus Qual é a estrutura típica de um vírus? CICLOS REPRODUTIVOS Em relação a reprodução dos vírus, podemos dizer que eles podem realizar um ciclo lítico ou um ciclo lisogênico. Qual é a principal

Leia mais

Seminário - Saúde, Propriedade Intelectual e Mídia DESAFIOS NO ACESSO A TRATAMENTOS PARA CRIANÇAS

Seminário - Saúde, Propriedade Intelectual e Mídia DESAFIOS NO ACESSO A TRATAMENTOS PARA CRIANÇAS Seminário - Saúde, Propriedade Intelectual e Mídia DESAFIOS NO ACESSO A TRATAMENTOS PARA Alexandre Magno Recife, 16 de outubro de 2010 Todos Todos juntos juntos pelas pelas crianças crianças DESAFIOS NO

Leia mais

Diagnóstico Imunológico das Imunodeficiências Secundárias

Diagnóstico Imunológico das Imunodeficiências Secundárias Diagnóstico Imunológico das Imunodeficiências Secundárias Dois tipos de imunodeficiências Primárias ou Congênitas Secundárias ou Adquiridas Imunodeficiências Secundárias Principais causas de imunodeficiências

Leia mais

VÍRUS (complementar o estudo com as páginas 211-213 do livro texto)

VÍRUS (complementar o estudo com as páginas 211-213 do livro texto) COLÉGIO E CURSO INTELECTUS APOSTILA NOME: MAT.: Biologia I PROFº: EDUARDO SÉRIE: TURMA: DATA: VÍRUS (complementar o estudo com as páginas 211-213 do livro texto) Os vírus são os únicos organismos acelulares,

Leia mais

7 HEPATOAIDS. Hamilton Bonilha. Instituto de Vacinação e Infectologia de Piracicaba 24.04.14

7 HEPATOAIDS. Hamilton Bonilha. Instituto de Vacinação e Infectologia de Piracicaba 24.04.14 7 HEPATOAIDS Uso de boceprevir em coinfectados HCV-HIV HIV Hamilton Bonilha Instituto de Vacinação e Infectologia de Piracicaba 24.04.14 Declaração de conflito de interesse Declaro que nos últimos 36 meses

Leia mais

VIH / SIDA: Sucessos, Fracassos e Futuro

VIH / SIDA: Sucessos, Fracassos e Futuro VIH / SIDA: Sucessos, Fracassos e Futuro Rui M. M. Victorino Faculdade de Medicina de Lisboa Hospital de Santa Maria Instituto de Medicina Molecular Congresso Norte Americano 1969 Podemos fechar o livro

Leia mais

(54) Título: COMPOSIÇÕES PARA A SUB- (57) Resumo: "COMPOSIÇÕES PARA A SUB-REGULAÇÃO DA EXPRESSÃO DE CCR5 E MÉTODOS PARA SEU USO".

(54) Título: COMPOSIÇÕES PARA A SUB- (57) Resumo: COMPOSIÇÕES PARA A SUB-REGULAÇÃO DA EXPRESSÃO DE CCR5 E MÉTODOS PARA SEU USO. (11) (21) PI 0410360-2 A (22) Data de Depósito: 17/05/2004 (43) Data de Publicação: 01/08/2006 República Federativa do Brasil (RPI 1856) Ministério do Desenvolvimento, Indústria e do Comércio Exterior

Leia mais

HIV/AIDS. Luciana J. Costa Departamento de Virologia IMPPG UFRJ ljcosta@micro.ufrj.br

HIV/AIDS. Luciana J. Costa Departamento de Virologia IMPPG UFRJ ljcosta@micro.ufrj.br HIV/AIDS Luciana J. Costa Departamento de Virologia IMPPG UFRJ ljcosta@micro.ufrj.br SIDA / AIDS Sindrome da Imunodeficiência Adquirida Doença causada por um agente infeccioso: um retrovírus Um agente

Leia mais

TOXICIDADE GENÉTICA DE COMBINAÇÕES DE

TOXICIDADE GENÉTICA DE COMBINAÇÕES DE TOXICIDADE GENÉTICA DE COMBINAÇÕES DE NRTIs EM CÉLULAS SOMÁTICAS DE Drosophila melanogaster GUIMARÃES, Nilza Nascimento; CUNHA, Kênya Silva. Laboratório de Genética Toxicológica, Departamento de Bioquímica

Leia mais

VIROSES. Prof. Edilson Soares www.profedilson.com

VIROSES. Prof. Edilson Soares www.profedilson.com VIROSES Prof. Edilson Soares www.profedilson.com CATAPORA OU VARICELA TRANSMISSÃO Saliva Objetos contaminados SINTOMAS Feridas no corpo PROFILAXIA Vacinação HERPES SIMPLES LABIAL TRANSMISSÃO Contato

Leia mais

FLUXOGRAMA DO ACIDENTE BIOLÓGICO

FLUXOGRAMA DO ACIDENTE BIOLÓGICO 1 FLUXOGRAMA DO ACIDENTE BIOLÓGICO FLUXOGRAMA DAS MEDIDAS A SEREM ADOTADAS APÓS O ACIDENTE BIOLÓGICO E OS CUIDADOS COM O ACIDENTADO: 1) PACIENTE FONTE ASSINA TERMO DE CONSENTIMENTO (pág 2); 2) COLHER EXAMES

Leia mais

Retrovírus: AIDS. Apresentador: Eduardo Antônio Kolling Professor: Paulo Roehe Pós doutorandos: Fabrício Campos e Helton dos Santos

Retrovírus: AIDS. Apresentador: Eduardo Antônio Kolling Professor: Paulo Roehe Pós doutorandos: Fabrício Campos e Helton dos Santos Retrovírus: AIDS Apresentador: Eduardo Antônio Kolling Professor: Paulo Roehe Pós doutorandos: Fabrício Campos e Helton dos Santos HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) Surgimento: -Provável origem durante

Leia mais

PROVA OBJETIVA. (A) Klebsiella pneumoniae; (B) Enterococcus sp; (C) Escherichia coli; (D) Bacteroides fragilis; (E) Streptococcus viridans.

PROVA OBJETIVA. (A) Klebsiella pneumoniae; (B) Enterococcus sp; (C) Escherichia coli; (D) Bacteroides fragilis; (E) Streptococcus viridans. 01 - Na infecção pelo HIV, as drogas de escolha para tratamento da dislipidemia relacionada ao uso de antiretrovirais da classe dos inibidores de proteases são: (A) lovastatina e sinvastatina; (B) atorvastatina

Leia mais

Human immunodeficiency virus HIV causador da AIDS

Human immunodeficiency virus HIV causador da AIDS Human immunodeficiency virus HIV causador da AIDS Retrovírus humanos HIV 1 e 2: AIDS HTLV-1: leucemias / linfomas de células T paraparesia espástica tropical (TSP) ou mielopatia associada ao HTLV (HAM)

Leia mais

FLUXO DE ATENDIMENTO E CONDUTA PÓS ACIDENTE COM EXPOSIÇÃO A FLUIDOS BIOLÓGICOS

FLUXO DE ATENDIMENTO E CONDUTA PÓS ACIDENTE COM EXPOSIÇÃO A FLUIDOS BIOLÓGICOS FLUXO DE ATENDIMENTO E CONDUTA PÓS ACIDENTE COM EXPOSIÇÃO A FLUIDOS BIOLÓGICOS CONDUTA APÓS ACIDENTE 1- Conduta do Profissional Acidentado Após Exposição Na eventualidade de exposição acidental a material

Leia mais

Priscilla Correia Nunes. Qualidade de Vida e Esporte para Indivíduos HIV positivo: uma revisão

Priscilla Correia Nunes. Qualidade de Vida e Esporte para Indivíduos HIV positivo: uma revisão Priscilla Correia Nunes Qualidade de Vida e Esporte para Indivíduos HIV positivo: uma revisão Priscilla Correia Nunes Qualidade de Vida e Esporte para Indivíduos HIV positivo: uma revisão Monografia apresentada

Leia mais

Doenças sexualmente transmissíveis

Doenças sexualmente transmissíveis Doenças sexualmente transmissíveis Lília Maria de Azevedo Moreira SciELO Books / SciELO Livros / SciELO Libros MOREIRA, LMA. Doenças sexualmente transmissíveis. In: Algumas abordagens da educação sexual

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FARMÁCIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS MARIA OLÍVIA NOGUEIRA TEIXEIRA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FARMÁCIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS MARIA OLÍVIA NOGUEIRA TEIXEIRA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FARMÁCIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS MARIA OLÍVIA NOGUEIRA TEIXEIRA DESENVOLVIMENTO DE MÉTODOS DE DETERMINAÇÃO DE TENOFOVIR PARA

Leia mais

HEPATITES O QUE VOCÊ PRECISA SABER

HEPATITES O QUE VOCÊ PRECISA SABER HEPATITES O QUE VOCÊ PRECISA SABER O QUE É HEPATITE? QUAIS OS TIPOS? Hepatopatias Hepatites Virais Doença hepática alcoólica Hepatopatias criptogênicas Hepatites tóxicas Hepatopatias auto-imunes Hepatopatias

Leia mais

C n o c n e c i e tos o s i ni n ci c ai a s C n o c n e c i e tos o s i ni n ci c ai a s

C n o c n e c i e tos o s i ni n ci c ai a s C n o c n e c i e tos o s i ni n ci c ai a s Conceitos iniciais Parasita: organismo que vive em associação com outros e dos quais retiram os meios para a sua sobrevivência, normalmente prejudicando o organismo hospedeiro. Hospedeiro: organismo que

Leia mais

Vírus - Características Gerais. Seres acelulares Desprovidos de organização celular. Não possuem metabolismo próprio

Vírus - Características Gerais. Seres acelulares Desprovidos de organização celular. Não possuem metabolismo próprio vírus Vírus - Características Gerais Seres acelulares Desprovidos de organização celular Não possuem metabolismo próprio Capazes de se reproduzir apenas no interior de uma célula viva nucleada Parasitas

Leia mais

Luciene Alves Moreira Marques. Profa. Luciene Alves Moreira Marques

Luciene Alves Moreira Marques. Profa. Luciene Alves Moreira Marques Atenção Farmacêutica ao Portador de HIV Profa. 1 O Vírus 1983 Robert Gallo Luc Montagnier Características: Bastante lábil no meio externo, Inativado por: agentes físicos (calor) e químicos (hipoclorito

Leia mais

RISCOS BIOLÓGICOS. Dr Guilherme Côrtes Fernandes. Belo Horizonte Março, 2007

RISCOS BIOLÓGICOS. Dr Guilherme Côrtes Fernandes. Belo Horizonte Março, 2007 RISCOS BIOLÓGICOS Dr Guilherme Côrtes Fernandes Belo Horizonte Março, 2007 A primeira referência de doença infecciosa ocupacional na história é atribuída a Tucídides no século IV a.c. em sua narração sobre

Leia mais

FATORES DE NÃO ADESÃO AO TRATAMENTO ANTIRRETROVIRAL: DESAFIO DE SAÚDE PÚBLICA

FATORES DE NÃO ADESÃO AO TRATAMENTO ANTIRRETROVIRAL: DESAFIO DE SAÚDE PÚBLICA FATORES DE NÃO ADESÃO AO TRATAMENTO ANTIRRETROVIRAL: DESAFIO DE SAÚDE PÚBLICA João Victor Farias da Silva 1 Fábio Jorge Melo do Nascimento Júnior 2 Ana Paula Rebelo Aquino Rodrigues 3 Enfermagem ciências

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS HIV/AIDS

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS HIV/AIDS FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS HIV/AIDS Descrição Doença que representa um dos maiores problemas de saúde da atualidade, em função de seu

Leia mais

O Remédio via Justiça. Um estudo sobre o acesso a novos medicamentos e exames em HIV/Aids no Brasil por meio de ações judiciais

O Remédio via Justiça. Um estudo sobre o acesso a novos medicamentos e exames em HIV/Aids no Brasil por meio de ações judiciais O Remédio via Justiça Um estudo sobre o acesso a novos medicamentos e exames em HIV/Aids no Brasil por meio de ações judiciais Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Programa Nacional de

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS ANTÔNIO EUFRÁSIO DE TOLEDO FACULDADE DE DIREITO DE PRESIDENTE PRUDENTE/SP

FACULDADES INTEGRADAS ANTÔNIO EUFRÁSIO DE TOLEDO FACULDADE DE DIREITO DE PRESIDENTE PRUDENTE/SP FACULDADES INTEGRADAS ANTÔNIO EUFRÁSIO DE TOLEDO FACULDADE DE DIREITO DE PRESIDENTE PRUDENTE/SP DA TRANSMISSÃO DA AIDS E SUA TIPICIDADE NO CÓDIGO PENAL BRASILEIRO Simone Cristina Akemi Haga Presidente

Leia mais

ANEXOS. ANEXO A Descrição e características gerais da lamivudina e do adefovir. 1 Lamivudina (3TC, LAM)

ANEXOS. ANEXO A Descrição e características gerais da lamivudina e do adefovir. 1 Lamivudina (3TC, LAM) Tratamento Clínico da Hepatite B e Coinfecções ANEXOS ANEXO A Descrição e características gerais da lamivudina e do adefovir 1 Lamivudina (3TC, LAM) A lamivudina (3TC) foi o primeiro análogo de nucleosídeo

Leia mais

NEFROTOXICIDADE DOS ANTIVÍRICOS

NEFROTOXICIDADE DOS ANTIVÍRICOS ARTIGO DE REVISÃO Acta Med Port 2007; 20: 59-63 NEFROTOXICIDADE DOS ANTIVÍRICOS RICARDO NETO, GERARDO OLIVEIRA, MANUEL PESTANA Serviço de Nefrologia. Hospital de São João. Porto R E S U M O A lesão renal

Leia mais

infovihtal #1 Por favor, fotocópialo y Hazlo circular Adaptación de nam Recém diagnosticado outono 2004 Obtivestes um diagnóstico de HIV recentemente?

infovihtal #1 Por favor, fotocópialo y Hazlo circular Adaptación de nam Recém diagnosticado outono 2004 Obtivestes um diagnóstico de HIV recentemente? infovihtal #1 outono 2004 Recém diagnosticado Obtivestes um diagnóstico de HIV recentemente? Fazer um exame de HIV e descobrir que vives com HIV pode ser uma experiência paralisante. Mas, embora seja difícil

Leia mais

Prevenção da transmissão do HIV. Fórum científico de Infecção pelo HIV/Aids

Prevenção da transmissão do HIV. Fórum científico de Infecção pelo HIV/Aids Prevenção da transmissão do HIV Fórum científico de Infecção pelo HIV/Aids Transmissão sexual Fundamentos A avaliação de risco para Infecção pelo HIV deve ser um componente essencial das ações de atendimento

Leia mais

Nutrição no tratamento da AIDS

Nutrição no tratamento da AIDS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO (PPGAN) Ciclo de Palestras Nutrição no tratamento da AIDS Verônica Mayrinck Mestranda em Alimentos e Nutrição

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre o vírus A(H7N9)* Questions and answers about the vírus A(H7N9)

Perguntas e Respostas sobre o vírus A(H7N9)* Questions and answers about the vírus A(H7N9) Republicação de Artigo * Questions and answers about the vírus A(H7N9) Centers for Disease Control and Prevention Uma nova cepa do vírus da influenza aviária foi descoberta em aves e pessoas na China.

Leia mais

Diagnóstico e Tratamento das Hepatites Agudas na Gestação

Diagnóstico e Tratamento das Hepatites Agudas na Gestação III WORKSHOP INTERNACIONAL DE ATUALIZAÇÃO EM HEPATOLOGIA Diagnóstico e Tratamento das Hepatites Agudas na Gestação CLÁUDIO G. DE FIGUEIREDO MENDES SERVIÇO DE HEPATOLOGIA SANTA CASA DO RIO DE JANEIRO Hepatites

Leia mais

Gripe A (H1N1) de origem suína

Gripe A (H1N1) de origem suína Gripe A (H1N1) de origem suína A gripe é caracterizada como uma doença infecciosa com alto potencial de contagio causado pelo vírus Influenza. Este vírus apresenta três tipos, sendo eles o A, B e C. Observam-se

Leia mais

Resumo Dentro do contexto epidemiológico, cerca de 39,5 milhões de pessoas eram

Resumo Dentro do contexto epidemiológico, cerca de 39,5 milhões de pessoas eram REVISÃO Infecção pelo vírus HIV-1 e gestação HIV-1 infection and pregnancy Ernesto Antonio Figueiró-Filho 1 Igor Alexandre Tamura 2 Lílian Rezende Coelho 3 Palavras-chave Infecções por HIV Cuidado pré-natal

Leia mais

VIRUS O QUE SÃO VIRUS São as menores entidades biológicas: têm DNA e proteínas. Medem entre 15 e 300 nm. São seres acelulares: São parasitas intracelulares obrigatórios: Só se reproduzem dentro de células.

Leia mais

Faculdade de Farmácia, Faculdades Objetivo, Goiânia, Go, Brasil

Faculdade de Farmácia, Faculdades Objetivo, Goiânia, Go, Brasil REF - ISSN 1808-0804 Vol. IV (1), 104-112, 2007 ESTUDO DA DISPENSAÇÃO DE MEDICAMENTOS ANTI RETROVIRAIS A PACIENTES INFECTADOS POR HIV NO SERVIÇO DE FARMÁCIA DO HC-UFG: PRIMEIRO PASSO NA IMPLANTAÇÃO DA

Leia mais

Controle das infecções virais

Controle das infecções virais Controle das infecções virais Estratégias de controle Medidas de controle na população (campanhas de educação, saneamento, controle de vetor, etc) Imunoprofilaxia Quimioterapia antiviral Imunoprofilaxia

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE EDSON JOSÉ MONTEIRO BELLO

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE EDSON JOSÉ MONTEIRO BELLO UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE EDSON JOSÉ MONTEIRO BELLO PREDITORES DE FALHA VIROLÓGICA EM PACIENTES TRATADOS COM TERAPIA ANTIRRETROVIRAL

Leia mais

AIDS PERINATAL. Licia Moreira UFBA

AIDS PERINATAL. Licia Moreira UFBA Licia Moreira UFBA Definição de AIDS na CRIANÇA Toda criança com menos de 13 anos com evidência laboratorial de infecção Uma amostra de soro repetidamente positiva em teste como ELISA, IFI (pesquisa de

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA ATENDIMENTO E ACOMPANHAMENTO DE EXPOSIÇAO OCUPACIONAL A MATERIAL BIOLÓGICO : HIV E HEPATITES B e C

RECOMENDAÇÕES PARA ATENDIMENTO E ACOMPANHAMENTO DE EXPOSIÇAO OCUPACIONAL A MATERIAL BIOLÓGICO : HIV E HEPATITES B e C RECOMENDAÇÕES PARA ATENDIMENTO E ACOMPANHAMENTO DE EXPOSIÇAO OCUPACIONAL A MATERIAL BIOLÓGICO : HIV E HEPATITES B e C 1 Cristiane Rapparini Secretaria Municipal de Saúde RJ Gerência de DST/AIDS Universidade

Leia mais

SUPORTE NUTRICIONAL EM HIV/AIDS. Avaliação nutricional. Causas da desnutrição. Terapia nutricional: quando implementar? Avaliação nutricional

SUPORTE NUTRICIONAL EM HIV/AIDS. Avaliação nutricional. Causas da desnutrição. Terapia nutricional: quando implementar? Avaliação nutricional SUPORTE NUTRICIONAL EM HIV/AIDS Profa. Ms. Sônia Alscher FAENFI/PUCRS Curso de Especialização em Nutrição Parenteral e Enteral Síndrome do emagrecimento (wasting syndrome) na AIDS Perda de peso não intencional

Leia mais

Infecção pelo HIV e AIDS

Infecção pelo HIV e AIDS Infecção pelo HIV e AIDS Infecção pelo HIV e AIDS 1981: pneumonia por Pneumocystis carinii/jirovecii outros sinais e sintomas: infecção do SNC, infecção disseminada por Candida albicans, perda de peso,

Leia mais

Home page virologia. www.virologiaipvdf.cjb.net. (aulas, métodos, artigos, referências, material didático, conheça nossa equipe)

Home page virologia. www.virologiaipvdf.cjb.net. (aulas, métodos, artigos, referências, material didático, conheça nossa equipe) Home page virologia www.virologiaipvdf.cjb.net (aulas, métodos, artigos, referências, material didático, conheça nossa equipe) Prof. Paulo Michel Roehe (Med. Vet., Msc, PhD) FEPAGRO- SAÚDE ANIMAL INSTITUTO

Leia mais

INSTITUTO DE INFECTOLOGIA EMÍLIO RIBAS MARIA DO SOCORRO CARNEIRO FERRÃO

INSTITUTO DE INFECTOLOGIA EMÍLIO RIBAS MARIA DO SOCORRO CARNEIRO FERRÃO INSTITUTO DE INFECTOLOGIA EMÍLIO RIBAS MARIA DO SOCORRO CARNEIRO FERRÃO ATENDIMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESNTES PORTADORES DE DST/AIDS: Relato do cotidiano Hospitalar 24/08/2013 Vírus do HIV CASO 1 A.G,

Leia mais

ROTINA DE ATENDIMENTO E ACOMPANHAMENTO AOS ACIDENTADOS NO TRABALHO COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO NO GHC

ROTINA DE ATENDIMENTO E ACOMPANHAMENTO AOS ACIDENTADOS NO TRABALHO COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO NO GHC ROTINA DE ATENDIMENTO E ACOMPANHAMENTO AOS ACIDENTADOS NO TRABALHO COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO NO GHC Atualizado em outubro de 2014. ROTINA DE ATENDIMENTO E ACOMPANHAMENTO AOS ACIDENTADOS NO TRABALHO

Leia mais

MODELO DE BULA. GANVIRAX ganciclovir

MODELO DE BULA. GANVIRAX ganciclovir MODELO DE BULA GANVIRAX ganciclovir Forma farmacêutica, via de administração e apresentação comercial: Caixa contendo frasco plástico com 40 cápsulas de 250 mg. Via oral. USO ADULTO E PEDIÁTRICO. Composição:

Leia mais

Nova vacina frente à cura para a AIDS

Nova vacina frente à cura para a AIDS N o 18 Setembro/2013 Centro de Farmacovigilância da UNIFAL-MG Site: www2.unifal-mg.edu.br/cefal Email: cefal@unifal-mg.edu.br Tel: (35) 3299-1273 Equipe editorial: prof. Dr. Ricardo Rascado; profa. MsC.

Leia mais

NOTA TÉCNICA N o 014/2012

NOTA TÉCNICA N o 014/2012 NOTA TÉCNICA N o 014/2012 Brasília, 28 de agosto de 2012. ÁREA: Área Técnica em Saúde TÍTULO: Alerta sobre o vírus H1N1 REFERÊNCIA(S): Protocolo de Vigilância Epidemiológica da Influenza Pandêmica (H1N1)

Leia mais

Constance Meiners. Análise preliminar das transações do PN DST/AIDS, MS (1998 2006) Programa ETAPSUD ANRS

Constance Meiners. Análise preliminar das transações do PN DST/AIDS, MS (1998 2006) Programa ETAPSUD ANRS Análise preliminar das transações do PN DST/AIDS, MS (1998 2006) Programa ETAPSUD ANRS Constance Meiners UMR 912 (Inserm/IRD/UAM) & IE/UFRJ Ano da França no Brasil (ANRS PN DST/AIDS) 12 Maio 2009 ETAPSUD

Leia mais