Guia do Estudante Internacional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Guia do Estudante Internacional"

Transcrição

1

2

3 Guia do Estudante Internacional 2005/6 Guia do Estudante Internacional Índice Mensagem do Reitor A Universidade Católica Portuguesa As Faculdades Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais... 7 Faculdade de Ciências Humanas Faculdade de Direito Faculdade de Engenharia Faculdade de Teologia Estudar na UCP Estudantes Internacionais na UCP Pretende participar num programa de mobilidade estudantil como o Sócrates/Erasmus? Quer inscrever-se num curso de licenciatura? Está interessado em cursos de pós-graduação? Serviços de Apoio Académico Outro Apoio Associações Estudantis e Actividades Extra Curriculares. 35 Horários e Localização de Serviços Portugal Lisboa Sintra Sistema Ensino Português Outras Informações (A-Z) Calendário Campi e Mapas Campus de Palma de Cima Campus de Sintra

4 2005/6 Universidade Católica Portuguesa 2

5 Guia do Estudante Internacional 2005/6 "A Universidade Católica Portuguesa é uma Universidade com identidade própria, portadora de uma visão cristã do mundo e do Homem, que se reclama de valores que decorrem dessa mundividência." Caros estudantes internacionais, A Universidade Católica Portuguesa distinguiu-se ao longo dos anos pela qualidade do seu ensino, pela exigência da sua formação, pelo prestígio dos seus professores, pelos importantes quadros dirigentes que formou, que se afirmam não apenas no país mas também no estrangeiro. Desejo dar as boas-vindas a todos os estudantes estrangeiros, chegados das mais variadas partes do mundo; convosco, a Universidade Católica Portuguesa torna-se um lugar mais rico e espero que a vossa estada connosco venha a ser, também, uma experiência enriquecedora. Manuel Braga da Cruz Reitor 3

6 2005/6 Universidade Católica Portuguesa 4

7 Guia do Estudante Internacional 2005/6 A UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA A Universidade Católica Portuguesa (UCP ou a "Católica", como é conhecida entre os estudantes) é uma jovem universidade criada pela Igreja Católica em A Universidade goza de larga autonomia de governo e de criação de cursos. Os seus cursos, graus e diplomas têm o mesmo valor dos das universidades estatais. O estatuto da UCP é o de pessoa colectiva de utilidade pública, sem fins lucrativos. Embora ainda não tenha quatro décadas, a Universidade ajudou a renovar o ensino superior em Portugal nos anos 70/80, tendo sido a primeira universidade a desenvolver algumas áreas como a Administração e Gestão de Empresas e a Biotecnologia. A preocupação da UCP com a qualidade dos seus cursos levou-a a aderir cedo a um sistema de auto-avaliação e, depois, à avaliação externa conduzida pela Fundação das Universidades Portuguesas. Os resultados, em particular dos cursos mais antigos como Gestão, Direito, Economia, têm sido animadores e confirmados pela reputação de que a UCP goza junto dos empregadores em Portugal e no estrangeiro. A busca da excelência levou também a Universidade a criar Centros de Estudos e Laboratórios para desenvolver investigação pura e aplicada em algumas áreas estratégicas. Mas a UCP procura não só ministrar um ensino de qualidade que alie excelência académica e formação para a vida activa, como pretende proporcionar aos seus estudantes uma formação integral inspirada nos valores cristãos. Existe uma única Universidade Católica em Portugal, que tem campi em várias cidades: Braga, na região mais a norte; Porto, a segunda cidade do país; Viseu e Figueira da Foz, na região Centro, a primeira no interior e a segunda junto à costa; e, finalmente, Lisboa, onde está situada a sede da Universidade e que é frequentada por cerca de alunos, ou seja, metade da população estudantil total. Esta brochura destina-se aos estudantes que tencionam vir estudar para Lisboa. 5

8 2005/6 Universidade Católica Portuguesa FACTOS E NÚMEROS 4 Centros 19 Faculdades e Institutos Alunos de licenciatura em 2004/05: Alunos de pós-graduação em 2004/05: Docentes : Funcionários: 477 Graus atribuídos em 2004: Graus atribuídos desde o início: CAMPI DA PALMA DE CIMA E DE SINTRA A sede da Universidade tem 2 campi, um na própria cidade, outro nos arredores, distantes entre si cerca de 15 kms. Note-se que o conceito de campus da nossa Universidade e das universidades portuguesas em geral não é o mesmo das universidades americanas. Os nossos campi encontram- -se em geral integrados na cidade, sendo constituídos por diversos edifícios académicos e serviços de apoio com espaços verdes a ligá-los. Os estudantes não residem nos campi. Em Lisboa, a residência universitária feminina existente dista 15 minutos a pé do campus. Palma de Cima O maior e mais antigo campus; situa-se na zona norte de Lisboa, junto à Cidade Universitária, onde funcionam várias Faculdades da Universidade estatal de Lisboa, a Biblioteca Nacional e o Estádio Universitário. É servido pelo metropolitano e por várias carreiras de autocarro. Neste campus funcionam 4 Faculdades: Faculdade de Ciências Humanas (FCH); Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais (FCEE), Faculdade de Direito (FD) e Faculdade de Teologia (FT), assim como Institutos de Pós-Graduação, a Reitoria da Universidade, a Biblioteca João Paulo II e os serviços administrativos e escolares. Sintra Este campus, muito recente, fica a caminho do litoral oeste, em direcção a Sintra, numa zona em desenvolvimento junto a um parque tecnológico e a outro pólo universitário da Universidade Técnica de Lisboa. Funciona aí a Faculdade de Engenharia (FE) e tem actividades de outros institutos. 6

9 Guia do Estudante Internacional 2005/6 AS FACULDADES Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais (FCEE) Faculdade de Ciências Humanas (FCH) Faculdade de Direito (FD) Faculdade de Engenharia (FE) Faculdade de Teologia (FT) FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÓMICAS E EMPRESARIAIS A Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais da Universidade Católica Portuguesa oferece, há mais de 30 anos, cursos de graduação e de pós-graduação, e muitos dos seus antigos alunos ocupam posições de topo, quer na administração pública, quer na comunidade empresarial. A nossa licenciatura em Gestão foi pioneira em Portugal e ocupa sistematicamente os lugares de topo nos rankings das licenciaturas. A licenciatura em Economia é, também, considerada das melhores em Portugal. Através da escolha de disciplinas de opção adequadas, estes podem ainda adquirir conhecimentos em disciplinas específicas de Gestão. O nosso MBA permite escolher entre um programa geral e uma de três áreas de especialização alternativas. Os estudantes podem optar por concluir o grau num ano, como estudantes a tempo inteiro, ou em dois, seguindo o curriculum em tempo parcial. Grande número das disciplinas é leccionado por professores estrangeiros, de universidades de referência. Em 2004, demos início a um mestrado em Economia, com o objectivo de preparar profissionais com conhecimentos avançados em teoria económica e em metodologia econométrica. Temos, também, um vasto número de programas para executivos. A nossa Faculdade tem vários anos de experiência em programas de mobilidade de estudantes estabelecidos com outras universidades europeias. A maior parte destes períodos de estudo em outras universidades tem-se realizado ao abrigo do programa Erasmus. Temos vindo, nos últimos tempos, a intensificar esforços no sentido do reconhecimento internacional da nossa escola. Com este objectivo, temos desenvolvido várias iniciativas: - Aumento do número de instituições que fazem parte da nossa rede Erasmus; 7

10 2005/6 Universidade Católica Portuguesa - Disponibilização de um número crescente de cursos de graduação em língua inglesa; - Contratação de professores que obtiveram o grau de doutor em prestigiadas universidades norte-americanas e europeias (MIT, Universidade de Chicago, Universidade Católica de Lovaina, etc.); - Promoção do reconhecimento da qualidade internacional da investigação produzida na nossa Faculdade; - Candidatura à acreditação por instituições internacionais; - Organização de Cursos de Verão para a European Economic Association; - Convite aos estudantes para participarem no programa ESSAM (European Summer School for Advanced Management). No início de cada semestre oferecemos um almoço informal para todos os estudantes estrangeiros e todos os responsáveis Erasmus da nossa faculdade. A associação de estudantes, assim como alguns dos nossos antigos alunos Erasmus, ajudam os recém-chegados a adaptar-se à nossa universidade e à vida em Lisboa. Os curricula dos cursos de Economia e de Gestão estão organizados segundo as normas do ECTS. FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS A Faculdade de Ciências Humanas prepara profissionais de elevada qualidade em diferentes ramos das humanidades, desde disciplinas de maior tradição, como a Filosofia, até a áreas mais recentes como as das Línguas Estrangeiras Aplicadas, Comunicação Social e Cultural, Serviço Social, Sociologia, Ciência Política e Relações Internacionais. A Faculdade oferece um ensino que procura acompanhar as mais modernas correntes e metodologias científico-pedagógicas, aliando uma aprofundada reflexão teórica a uma componente prática, garante de uma sólida formação cultural em que se acentua a vertente humanística. Em termos de estudos pós-graduados, têm-se privilegiado as seguintes áreas do saber: Arte e Património, Estudos de Cultura, Estudos de Tradução, Filosofia, Indústrias da Cultura e TEFL [Teaching English as a Foreign Language]. A Faculdade tenta assim aprofundar saberes que possam corresponder aos apelos e às necessidades das sociedades contemporâneas. A avaliação é contínua e o regime presencial, espelhando assim uma concepção de universidade que assenta na participação e no diálogo entre pares e num relacionamento personalizado entre docentes e discentes como condições sine qua non para o desenvolvimento pessoal e cognitivo. 8

11 Guia do Estudante Internacional 2005/6 Desde 1994, a FCH tem vindo a estabelecer uma série de intercâmbios com instituições europeias no âmbito do Programa Sócrates/Erasmus, contando já com um elevado número de Universidades parceiras na Alemanha, Bélgica, Espanha, França, Grécia, Irlanda, Itália, Polónia, República Checa e Suécia. Os resultados obtidos são considerados francamente positivos pelo que a política da Faculdade é a de alargar cada vez mais este programa que oferece excelentes oportunidades de contactar com culturas e métodos de ensino-aprendizagem muito diversos, correspondendo desse modo às expectativas sempre crescentes dos alunos. Valerá a pena referir a aposta nos estágios curriculares e as iniciativas tendentes a estabelecer contactos regulares entre o mundo universitário e o mercado de trabalho. Para melhor articular os mundos académico e do trabalho, criou-se um gabinete de avaliação que procura conhecer a situação profissional dos antigos alunos, por forma a criar laços duradouros entre a instituição e os seus estudantes, bem como a estudar as melhores hipóteses de formar profissionais que se adeqúem às realidades do mercado sem, contudo, se perder a identidade própria de uma universidade católica. De mencionar também a existência de um centro de tradução e tratamento de texto que procura tornar visível a importância da actividade em Portugal e promover a qualidade nesta área, agregando docentes e alunos de reconhecido mérito na prestação de serviços à sociedade civil. FACULDADE DE DIREITO Os estudantes que escolhem a Faculdade de Direito da UCP gozam dos seguintes benefícios: Ensino Personalizado - A Faculdade de Direito dá enorme importância ao desenvolvimento de relações personalizadas entre professores e alunos. A excelente ratio professor/aluno (menos de 10 estudantes por professor) permite um contacto frequente e um efectivo sistema de avaliação permanente, acentuado, ainda, por um regime de aulas práticas com um baixo número de alunos. Qualidade e Rigor - Nos seus 25 de existência, a UCP nunca negligenciou um alto padrão de exigência e rigor na formação jurídica e desenvolvimento pessoal dos seus estudantes, fundado na convicção de que o êxito pessoal e profissional depende, cada vez mais, da qualidade da educação que se recebe. 9

12 2005/6 Universidade Católica Portuguesa - Alguns factores são essenciais para a qualidade do ensino do Direito na UCP: um corpo docente altamente qualificado, serviços de apoio de qualidade e um sistema eficiente de avaliação dos docentes e dos cursos pelos próprios estudantes. Combinação de Aulas Teóricas e Práticas - As disciplinas do curso estão organizadas em aulas teóricas (ou teórico-práticas) e aulas práticas. - Embora todas as aulas tenham a duração de 75 minutos, o número total de horas lectivas e a combinação dos diferentes tipos de aulas é flexível e depende das necessidades específicas de cada disciplina. - As aulas teóricas, com o formato de conferência, nem sempre seguem o modelo tradicional. - As aulas práticas, essenciais para que os estudantes consolidem os conhecimentos adquiridos, têm um máximo de 25 alunos. Os estudantes têm a oportunidade de participar no debate de temas leccionados, com vista à resolução de casos reais e à análise de decisões jurídicas concretas. Seminários O enfoque da Faculdade de Direito na flexibilidade permite a articulação entre as aulas e a vida real, através de uma série de seminários dirigidos por professores nacionais e estrangeiros, bem como por nomes de reconhecido prestígio nas várias profissões jurídicas (advogados, juízes, altos funcionários do Ministério da Justiça), muitos dos quais são antigos estudantes da Faculdade. Novas Tecnologias Nos últimos anos tem-se dado especial ênfase à formação do corpo docente no uso das novas tecnologias no ensino. Disponibilidade do Corpo Docente A recusa do ensino massificado é um traço distintivo do nosso método de ensino. O corpo docente organiza o seu tempo de modo a ter disponibilidade para discutir com os estudantes quaisquer dificuldades e para trocar ideias, contribuindo assim para o desenvolvimento do diálogo académico. 10

13 Guia do Estudante Internacional 2005/6 Avaliação As linhas orientadoras do sistema de avaliação são as seguintes: a) um sistema de avaliação contínua em todas as disciplinas; b) um exame final escrito, com obrigatoriedade de obtenção de nota mínima de 10 para passar à disciplina; a nota do exame será combinada com a nota da avaliação contínua, produzindo uma nota final que é a média das duas; c) oportunidade de exame oral para melhoria de nota; d) introdução de módulos temáticos ou interdisciplinares, com a obrigatoriedade de avaliação exclusivamente oral; e) oportunidade de exames para melhoria de nota, através de exame escrito realizado num dos dois períodos normais de exame para esse efeito. Para as disciplinas opcionais de Direito poderão ser seguidas outras metodologias de avaliação, de acordo com decisão do professor responsável pela disciplina, previamente anunciada e tornada pública no início do respectivo semestre. Internacionalização A Faculdade de Direito tem apostado na integração internacional, em diferentes planos: - inclusão, no curriculum, de seminários e conferências orientados por professores estrangeiros; - possibilidade de um semestre inteiro com ensino em inglês; - participação activa no Programa Erasmus: - organização e participação em Cursos de Verão; - integração em projectos que envolvem cooperação académica internacional. Ao mesmo tempo, tem procurado diversificar os parceiros internacionais através de iniciativas como as seguintes: - programas de mobilidade para estudantes na área do direito norte-americano; - programas de mobilidade internacional para investigadores e professores (da Faculdade para o estrangeiro e de universidades estrangeiras para a UCP); - colaboração, com as Universidade de Hannover, Rouen e Le Havre, no programa "Erasmus Mundus", que possibilita a participação de cidadãos de países terceiros em estudos de pós-graduação na UE. 11

14 2005/6 Universidade Católica Portuguesa FACULDADE DE ENGENHARIA A Faculdade de Engenharia oferece programas de graduação em Engenharia Biomédica, Engenharia Clínica, Engenharia do Ambiente e Urbanismo, Engenharia Civil, Engenharia Informática e Engenharia Industrial. A Faculdade disponibiliza vários cursos de pós-graduação em áreas como as da Engenharia Acústica, Engenharia Ferroviária, Avaliações de Engenharia, Planeamento e Projecto da Construção Sustentada. Oferece também cursos de Mestrado em Engenharia da Saúde e em Qualificação da Cidade. Está também envolvida em actividades de investigação em áreas correlacionadas, tais como as dos Sistemas de Informação, da Gestão da Informação, da Engenharia de Sistemas, da Engenharia Civil, das Estruturas Hidráulicas, dos Transportes, do Planeamento Urbano, das Ciências do Ambiente, Engenharia Mecânica, Engenharia Clínica, Imagiologia Médica, das Ciências Biomédicas, Ciências dos Materiais, da Geologia, Biologia Molecular e Celular, Microbiologia e Genética, Física de Lasers e Plasmas, das Ciências da Terra, da Teoria das Supercordas e das Matemáticas Aplicadas. A Faculdade organiza regularmente seminários para estudantes e professores sobre temas relacionados com as respectivas áreas de estudo e investigação ou outras, de interesse geral. A Faculdade de Engenharia tem a sua própria Associação de Estudantes, com instalações próprias. O Campus de Sintra inclui um campo de futebol/basquetebol, onde os estudantes podem praticar estes desportos e organizar campeonatos. FACULDADE DE TEOLOGIA A Faculdade de Teologia abriu em 1968/69, na sede da Universidade Católica Portuguesa em Lisboa. A 1 de Outubro de 1971 obteve aprovação canónica pelo Decreto Ampla cum sedes, da Congregação da Educação Católica (Santa Sé). No ano de 1987, a Faculdade estendeu-se a Braga e ao Porto, integrada nos respectivos pólos da UCP. 12

15 Guia do Estudante Internacional 2005/6 A Faculdade de Teologia e os seus centros de estudo têm por fim: a) promover, mediante a investigação científica e a docência superior, o estudo da experiência, história e doutrina associadas à fé cristã e a outras tradições religiosas; b) prestar apoio à Igreja Católica no desempenho da sua missão; c) contribuir - no campo religioso - para o diálogo com as outras tradições cristãs, com as religiões não cristãs e com os não crentes, e - no campo da cultura - para o intercâmbio com as artes e as humanidades, com a ciência e a técnica, com o trabalho e a política; d) coordenar a leccionação, nas outras Faculdades e Institutos da UCP, da ética e mundividência cristãs e entabular com elas uma reflexão interdisciplinar. A Faculdade concede os graus de licenciado, mestre e doutor em Teologia e de licenciado e mestre em Ciências Religiosas. Licenciatura em Teologia O Curso de Licenciatura em Teologia possibilita o estudo sistematizado das matérias bíblico-teológicas, com uma abordagem geral de disciplinas das áreas da Filosofia e das Ciências Humanas. Destina-se a candidatos ao sacerdócio, bem como a religiosos e leigos que pretendam obter uma séria formação teológica. Completado com disciplinas psicopedagógicas e estágio, constitui habilitação para a docência de Educação Moral e Religiosa Católica nas escolas estatais e privadas. Duração: 5 anos lectivos Licenciatura em Ciências Religiosas O Curso de Licenciatura em Ciências Religiosas conjuga o estudo das matérias especificamente teológicas com a formação pedagógica e pastoral. Confere habilitação para a docência de Educação Moral e Religiosa Católica nas escolas estatais e privadas, bem como para o trabalho pastoral nas comunidades eclesiais. Destina-se a quantos desejam aprofundar os seus conhecimentos nas matérias bíblicoteológicas. Duração: 4 anos lectivos; mais um de Estágio para a profissionalização em Educação Moral e Religiosa Católica. Leccionado em horário pós-laboral 18:00-21:00. 13

16 2005/6 Universidade Católica Portuguesa Cursos de Extensão Universitária Cursos livres não conferentes de grau. Semanas de Estudos, cursos de Verão, cursos temáticos intensivos e em regime de e- -learning. Sistema de Avaliação A Faculdade tem um sistema de avaliação final através de exames escritos e orais realizados em época própria. Está prevista a avaliação contínua em seminários e cursos específicos. Internacionalização e Mobilidade A Faculdade está integrada na Conference of Catholic Theological Institutions e na Junta de Decanos de Teologia de Espanha e Portugal; Aderiu ao Programa Sócrates/Erasmus da União Europeia, integrando também redes internacionais de programas de cooperação e investigação. É membro da Societas Oecumenica. 14

17 Guia do Estudante Internacional 2005/6 15

18 2005/6 Universidade Católica Portuguesa 16

19 Guia do Estudante Internacional 2005/6 ESTUDAR NA UCP Cursos em Lisboa/Sintra Licenciaturas em Lisboa Administração e Gestão de Empresas Ciência Política Ciências Religiosas Comunicação Social e Cultural Direito Economia Filosofia Línguas Estrangeiras Aplicadas Relações Internacionais Serviço Social Sociologia Teologia Tradução Licenciaturas em Sintra Engenharia Biomédica Engenharia Civil Engenharia Clínica Engenharia do Ambiente e Urbanismo Engenharia Industrial Engenharia Informática Nos dois campi também são ministrados cursos de pós-graduação, mestrados e programas de doutoramento. Entre os cursos que só conferem diploma contam-se os MBAs e numerosos cursos para executivos, alguns com uma forte componente de e-learning. Pode encontrar a lista completa dos cursos em: Língua de Ensino A língua de ensino é o português embora algumas das aulas, principalmente de professores visitantes e a nível de pós-graduação, possam ser dadas em inglês. É, por isso, necessário ter conhecimentos de português antes de iniciar os estudos. A Universidade organiza cursos de português para estrangeiros (v. Apoio linguístico). Para as avaliações (exames, testes, trabalhos orais e escritos), recomenda-se aos estudantes que não dominem ainda o português que consultem previamente o professor sobre a possibilidade de utilizar o inglês. 17

20 2005/6 Universidade Católica Portuguesa Ano Académico O ano académico está divido em 2 semestres, de Setembro a Janeiro (1º semestre) e de Fevereiro a Junho (2º semestre). Os exames decorrem entre meados de Janeiro e meados de Fevereiro e em Junho/Julho. Tipo de Ensino O ensino baseia-se numa combinação de aulas teóricas (exposição pelo professor), aulas teórico-práticas (exposição pelo professor e participação dos estudantes), estudos de casos, seminários, aulas práticas em laboratórios ou estúdios. As turmas na Universidade são pequenas - entre 25 e 40 alunos no máximo - de modo a permitir uma cada vez maior participação dos alunos e sistemas de avaliação contínua. Mesmo as tradicionais aulas teóricas, que reúnem todas as turmas de um mesmo ano, têm no máximo 150 alunos, isto no 1º ano do curso de Direito. As actividades realizam-se de Segunda a Sexta-feira, habitualmente entre as 8:00 e as 20:00 horas. O ensino é presencial pelo que os alunos devem participar em pelo menos 2/3 das actividades lectivas. O número médio de horas/semana de aulas nos cursos de licenciatura é de 25-30h. As semanas de aulas por semestre são em média 13. Para além disso, os estudantes devem realizar trabalho independente de leitura de bibliografia, estudo e investigação, elaboração e apresentação de trabalhos (frequentemente de grupo). Em alguns cursos de licenciatura - tais como Serviço Social e Comunicação Social e Cultural e nas Engenharias - os alunos fazem um estágio curricular durante um semestre. Sistema de Avaliação A tendência geral é no sentido da adopção do sistema de avaliação contínua, com testes 18

21 Guia do Estudante Internacional 2005/6 e trabalhos ao longo do semestre. Mantém-se, contudo, a possibilidade e obrigatoriedade de exames finais para estudantes que na avaliação contínua não tenham obtido aprovação, mas tenham atingido nota mínima (em geral 8-9). Os estudantes deverão sempre consultar os regulamentos da respectiva faculdade e os serviços escolares para saber exactamente qual o tipo de avaliação nas disciplinas que frequentam. A escala numérica de classificação portuguesa vai de 0-20, sendo 10 a nota mínima de aprovação. 10 a 13 - Suficiente 14 e 15 - Bom 16 e 17 - Muito bom 18 a 20 - Excelente A UCP e a Mobilidade A Universidade Católica Portuguesa está empenhada na internacionalização dos seus cursos e na promoção da mobilidade especialmente no quadro da União Europeia e com os países de expressão portuguesa. São já centenas os alunos estrangeiros que têm frequentado os nossos cursos, principalmente as licenciaturas, no âmbito do programa ERASMUS. Também mais de centena e meia de estudantes de licenciatura da UCP vão anualmente para universidades europeias por períodos de 1-2 semestres. O 2º grupo mais importante de estudantes estrangeiros entre nós é o dos Países de Expressão Portuguesa (PALOP), que habitualmente fazem o curso completo na UCP. O Processo de Bolonha na UCP Actualmente, toda a Universidade está envolvida na implementação do processo de Bolonha, uma grande transformação no nosso tradicional sistema de ensino superior, destinada a facilitar o reconhecimento de estudos e a mobilidade no espaço europeu. Até ao fim do ano de 2005/06 deverá estar concluída a atribuição de créditos ECTS a todas as disciplinas dos cursos de licenciatura, será introduzido o Suplemento ao Diploma e o guia institucional dos cursos - quando ainda não exista - passará a ser publicado na internet. 19

22 2005/6 Universidade Católica Portuguesa ESTUDANTES INTERNACIONAIS NA UCP 1. Pretende participar num programa de mobilidade estudantil como o SOCRATES/ERASMUS? 2. Quer inscrever-se num curso de licenciatura? 3. Está interessado em cursos de pós-graduação? 1. Pretende participar num programa de mobilidade estudantil como o SOCRATES/ERASMUS? a) O que é o Programa Erasmus Quem Pode Participar Se é estudante num dos 25 Estados membros da União Europeia, dos 3 países do Espaço Económico Europeu (Islândia, Liechtenstein e Noruega) ou dos três países candidatos (Bulgária, Roménia e Turquia), tem a possibilidade de estudar na UCP por um período de 3 a 12 meses ao abrigo do programa SOCRATES/ERASMUS, com uma bolsa de estudos e sem ter de pagar propinas na Universidade Católica Portuguesa. Acordos Bilaterais Se deseja participar, dirija-se ao Serviço de Relações Internacionais da sua universidade e informe-se sobre o SOCRATES/ERASMUS e as suas possibilidades. Também pode consultar o sítio da sua universidade na internet ou o da Universidade Católica Portuguesa para saber, por exemplo, se existem acordos bilaterais entre a sua universidade de origem e a UCP. Contrato de Estudos Uma parte essencial do período de estudos ERASMUS é o chamado contrato de estudos. É este documento que define os estudos que o estudante vai realizar no estrangeiro e o protocolo para a confirmação dos resultados académicos. Tem de ser estabelecido por escrito entre a universidade de origem, a universidade de acolhimento e o próprio estu- 20

23 Guia do Estudante Internacional 2005/6 dante. Qualquer alteração ao estabelecido requer a concordância por escrito das 3 partes. Reconhecimento dos Estudos Se o estudante cumprir todas as exigências do contrato de estudos, é-lhe garantido o reconhecimento por parte da universidade de origem do período de estudos feito no estrangeiro. Todos os direitos e deveres do estudante constam do Estatuto de Estudante Erasmus que é entregue a todos os estudantes que partem para o estrangeiro ao abrigo do programa. b) Que fazer antes de partir? Certificar-se que existe um acordo bilateral entre a sua Universidade de origem e a Universidade Católica Portuguesa. Definir o seu plano de estudos em conjunto com os coordenadores da sua universidade de origem e da Faculdade da UCP em que pretende estudar para ter a certeza que obterá o reconhecimento dos estudos feitos em Lisboa/Sintra. Assinar o CONTRATO DE ESTUDOS. Testar os seus conhecimentos de português e prever como os poderá melhorar caso seja necessário. Entrar em contacto com a Faculdade da UCP em que pretende estudar para obter informação sobre prazos a cumprir, datas de chegada, alojamento, cursos de língua portuguesa, documentos a apresentar, calendário das aulas. Informar-se na sua Universidade de origem sobre as condições financeiras da estadia e orçamentar, em consonância, a verba de que necessitará tendo em conta o custo de vida em Portugal. Entrar em contacto com o seu banco para a eventual transferência de fundos. Munir-se de um dos seguintes documentos para ter acesso em Portugal ao Serviço Nacional de Saúde: CESD-Cartão Europeu de Seguro de Doença; E-111 ou E-128. A partir do momento da inscrição na UCP os estudantes estão cobertos por um seguro de acidentes, responsabilidade civil, vida e invalidez. c) Para entrar e permanecer em Portugal - ver pág

24 2005/6 Universidade Católica Portuguesa d) À chegada Lembramos que convém ter alojamento garantido, mesmo que só temporariamente, pois encontrar alojamento em Lisboa não é fácil. Recomenda-se aos estudantes que cheguem alguns dias antes do início das aulas para ter tempo de se instalar, conhecer a UCP, inscrever nas cadeiras, obter os documentos de estudante. Os Serviços Escolares e outros Serviços de Apoio (GApA - Gabinete de Apoio ao Aluno, Serviços Internacionais, Secretariados de Curso) só podem ser contactados de 2ª a 6ª. Aos Sábados, Domingos, Feriados Nacionais e durante uma semana em meados de Agosto os estudantes não encontrarão quem os possa acolher na UCP. Matrícula e Inscrição. Documentos. Uma vez chegados, os estudantes ERASMUS devem ir à Direcção da respectiva Faculdade para se matricularem formalmente na Universidade e inscreverem nas disciplinas que vão frequentar. Tragam pelo menos 2 fotografias tipo passe. Nessa altura recebem o seu número de estudante e uma conta de que pode ser acedida nos computadores da Universidade ou via internet de fora da UCP. Quando se inscrevem nas disciplinas, no Secretariado dos cursos, é-lhes dado um pin e password para acesso à intranet do estudante (E-SCA). Vão também receber um cartão de estudante que, caso o desejem, poderá ter igualmente funções de cartão bancário. Este cartão é indispensável para entrar na Biblioteca, ter refeições subsidiadas na cantina, ter acesso às fotocopiadoras e ao parque automóvel. 2. Quer inscrever-se num curso de licenciatura? a) Concluiu o secundário e tem acesso ao ensino superior no país onde estudou. Tem de se candidatar à admissão na UCP, que decorre anualmente nos meses de Julho, Agosto e Setembro. O número de vagas é limitado. Há dois períodos de candidatura: Julho/Agosto e Setembro. O 2º período é só para as vagas que sobram. Seriação dos candidatos: por ordem decrescente, de acordo com a nota de candidatura. 22

E R A S M U S Guia do Estudante ERASMUS. Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Guia do Estudante

E R A S M U S Guia do Estudante ERASMUS. Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Guia do Estudante ERASMUS Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa Guia do Estudante Normas Gerais A mobilidade de estudantes, uma das acções mais frequentes do Programa, inclui duas vertentes de actividade: realização

Leia mais

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 Esclarecimentos de dúvidas/informações adicionais: Carolina Peralta/Isabel Silva Gabinete de Relações Internacionais - GRI Rua de Santa Marta, 47, 1º Piso sala 112-1169-023

Leia mais

INTERCÂMBIO DE ESTUDANTES AO ABRIGO DE ACORDOS DE COOPERAÇÃO. Candidaturas para o Ano Académico 2011/2012

INTERCÂMBIO DE ESTUDANTES AO ABRIGO DE ACORDOS DE COOPERAÇÃO. Candidaturas para o Ano Académico 2011/2012 INTERCÂMBIO DE ESTUDANTES AO ABRIGO DE ACORDOS DE COOPERAÇÃO Candidaturas para o Ano Académico 2011/2012 Serviço de Cooperação com os Países Lusófonos e Latino-Americanos SCPLLA Endereço Reitoria da Universidade

Leia mais

Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objecto) O presente regulamento estabelece a orgânica do Gabinete Erasmus, bem

Leia mais

INTERCÂMBIO DE ESTUDANTES AO ABRIGO DE ACORDOS DE COOPERAÇÃO. Candidaturas para o Ano Académico 2009/2010

INTERCÂMBIO DE ESTUDANTES AO ABRIGO DE ACORDOS DE COOPERAÇÃO. Candidaturas para o Ano Académico 2009/2010 INTERCÂMBIO DE ESTUDANTES AO ABRIGO DE ACORDOS DE COOPERAÇÃO Candidaturas para o Ano Académico 2009/2010 Serviço de Cooperação com os Países Lusófonos e Latino-Americanos SCPLLA Endereço Reitoria da Universidade

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Sines Tecnopolo Pós-Graduação MBA em Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2012-2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é

Leia mais

DESPACHO SP/61/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA

DESPACHO SP/61/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA DESPACHO SP/61/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA Face à necessidade de ajustar o regime do Estudante Internacional do Instituto

Leia mais

INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Mobilidade Internacional para Estudos REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade

Leia mais

RECONHECIMENTO 13. O que é ECTS? 14. Como se compara ECTS com sistemas de pontos de créditos noutros países? 15. O que é um Suplemento ao Diploma?

RECONHECIMENTO 13. O que é ECTS? 14. Como se compara ECTS com sistemas de pontos de créditos noutros países? 15. O que é um Suplemento ao Diploma? PMFs Perguntas Mais Frequentes Nesta página da web pode encontrar as respostas a todas as perguntas que talvez queira fazer sobre estudos musicais na Europa. Perguntas Mais Frequentes PORQUÊ EU? 1. Porque

Leia mais

Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa

Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa MOBILIDADE INTERNACIONAL PARA ESTUDOS REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional

Leia mais

Regulamento de Admissão às Licenciaturas da Faculdade de Economia e Gestão

Regulamento de Admissão às Licenciaturas da Faculdade de Economia e Gestão Regulamento de Admissão às Licenciaturas da Faculdade de Economia e Gestão Artigo 1º Âmbito e Disposições Gerais 1. O presente Regulamento é aplicável às candidaturas aos cursos de Licenciatura da Faculdade

Leia mais

da Universidade Católica Portuguesa

da Universidade Católica Portuguesa Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa MOBILIDADE INTERNACIONAL PARA ESTUDOS REGULAMENTO Aprovado no Conselho Científico de 2 de julho de 2014 CAPÍTULO I Disposições

Leia mais

Regulamento de Estágios

Regulamento de Estágios Programa de Inserção Profissional Regulamento de Estágios Faculdade de Ciências Humanas Nos últimos anos, o ensino universitário tem vindo a integrar nos percursos formativos a realização de estágios curriculares

Leia mais

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional para estágio dos estudantes de Licenciatura

Leia mais

Guia do Estudante Erasmus - Período de Estudos

Guia do Estudante Erasmus - Período de Estudos ESTE ANO VOU CONHECER NOVAS PESSOAS ESTE ANO VOU ALARGAR CONHECIMENTOS ESTE ANO VOU FALAR OUTRA LÍNGUA ESTE ANO VOU ADQUIRIR NOVAS COMPETÊNCIAS ESTE ANO VOU VIAJAR ESTE ANO VOU SER ERASMUS Guia do Estudante

Leia mais

Licenciatura em Informática Licenciatura em Engenharia Multimédia

Licenciatura em Informática Licenciatura em Engenharia Multimédia Ensinar a saber fazer Profissionais com Futuro desde 1990 L I C E N C I A T U R A S ADEQUADAS AO PROCESSO DE BOLONHA Licenciatura em Informática Licenciatura em Engenharia Multimédia A estratégia do ISTEC

Leia mais

SITUAÇÕES ESPECIAIS. Formação de Voluntários em Saúde. savlita 2015/16 DURAÇÃO DO CURSO OUTUBRO

SITUAÇÕES ESPECIAIS. Formação de Voluntários em Saúde. savlita 2015/16 DURAÇÃO DO CURSO OUTUBRO Universidade Católica Portuguesa - savlita SITUAÇÕES ESPECIAIS DURAÇÃO DO CURSO OUTUBRO 2015 a JUNHO 2016 ESTRUTURA DO CURSO Módulo 1 Voluntariado e Identidade Módulo 2 A saúde e a doença Módulo 3 Questões

Leia mais

REGULAMENTO DO MESTRADO EM DESPORTO

REGULAMENTO DO MESTRADO EM DESPORTO Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Desporto de Rio Maior REGULAMENTO DO MESTRADO EM DESPORTO O presente regulamento decorre do Regulamento dos Segundos Ciclos de Estudos do Instituto

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO E MESTRADOS EXECUTIVOS DO ISLA CAMPUS LISBOA

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO E MESTRADOS EXECUTIVOS DO ISLA CAMPUS LISBOA REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO E MESTRADOS EXECUTIVOS DO ISLA CAMPUS LISBOA 1.º OBJECTIVO Os Cursos de Pós-Graduação e Mestrados Executivos do ISLA Campus Lisboa são programas de estudos que visam

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado. Programa ERASMUS+ Acção-chave 1 Mobilidade para aprendizagem

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado. Programa ERASMUS+ Acção-chave 1 Mobilidade para aprendizagem ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado Programa ERASMUS+ Acção-chave 1 Mobilidade para aprendizagem GUIA DE CANDIDATURA PARA MOBILIDADE DE ESTUDANTES PARA ESTÁGIOS ERASMUS+ (SMP)

Leia mais

Programa Erasmus Regras de mobilidade para alunos da ECT

Programa Erasmus Regras de mobilidade para alunos da ECT Programa Erasmus Regras de mobilidade para alunos da ECT Introdução O Programa Erasmus é uma iniciativa da União Europeia que fornece meios para a realização de períodos de mobilidade académica em instituições

Leia mais

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014)

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) EDITAL MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/200, de 24 de Março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade

Leia mais

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014 MBA Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2013-2014 Sines, Junho de 2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é um curso de pós-graduação desenvolvido pela Escola Superior de Ciências Empresariais

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015 ÍNDICE 1. Quem pode candidatar-se 3 2. Como candidatar-se 3 3. Opções de candidatura 5 4. Exames/Provas de ingresso 6 5. Pré-requisitos 7 6. Contingentes especiais 8 7. Preferências regionais 13 8. Preferências

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO E PSICOLOGIA

FACULDADE DE EDUCAÇÃO E PSICOLOGIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO E PSICOLOGIA MOBILIDADE INTERNACIONAL PARA ESTUDOS REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional para estudos

Leia mais

DESPACHO SP/3/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA

DESPACHO SP/3/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA DESPACHO SP/3/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA Nos termos dos artigos 2.º e 3.º do Regulamento do Estatuto do Estudante Internacional

Leia mais

Perguntas e respostas - FAQ sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados

Perguntas e respostas - FAQ sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados Perguntas e respostas - FAQ sobre a bolsa de mérito para estudos pós-graduados 1. Pergunta: Quais são os dados que devem ser lidos antes de apresentar o pedido? Resposta: Devem ser lidos pormenorizadamente

Leia mais

FAQ S ESTUDOS ERASMUS

FAQ S ESTUDOS ERASMUS FAQ S ESTUDOS ERASMUS 1. Quem se pode candidatar? Podem-se candidatar ao programa Erasmus todos os estudantes cidadãos, ou com estatuto de residente permanente de um dos 27 países da União Europeia, e

Leia mais

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx SUPLEMENTO AO DIPLOMA Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer dados independentes

Leia mais

BOLSAS DE ESTUDO DE ESPECIALIZAÇÃO E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL EM ARTES NO ESTRANGEIRO REGULAMENTO

BOLSAS DE ESTUDO DE ESPECIALIZAÇÃO E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL EM ARTES NO ESTRANGEIRO REGULAMENTO BOLSAS DE ESTUDO DE ESPECIALIZAÇÃO E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL EM ARTES NO ESTRANGEIRO I. DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO Artº 1º 1) Com o fim de estimular a especialização e a valorização profissional nos

Leia mais

PROPINAS E EMOLUMENTOS 2014-2015 PROPINAS E EMOLUMENTOS 2014 / 2015

PROPINAS E EMOLUMENTOS 2014-2015 PROPINAS E EMOLUMENTOS 2014 / 2015 PROPINAS E EMOLUMENTOS 2014 / 2015 30-06-2014 INTRODUÇÃO Este sistema de propinas e emolumentos constitui um mecanismo inovador que permite ao estudante fasear e planear o seu plano de estudos curricular,

Leia mais

ESTUDAR NO CENTRO REGIONAL DO PORTO DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

ESTUDAR NO CENTRO REGIONAL DO PORTO DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA ESTUDAR NO CENTRO REGIONAL DO PORTO DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA ESTUDAR NO CENTRO REGIONAL DO PORTO DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA 1 1. O CENTRO REGIONAL DO PORTO DA UNIVERSIDADE CATÓLICA

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL (Edição 2012-2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei

Leia mais

Regulamento Geral de Mobilidade Internacional de Estudantes da Universidade Fernando Pessoa 2015-2016

Regulamento Geral de Mobilidade Internacional de Estudantes da Universidade Fernando Pessoa 2015-2016 Regulamento Geral de Mobilidade Internacional de Estudantes da Universidade Fernando Pessoa 2015-2016 1. Mobilidade Internacional de Estudantes Os alunos da Universidade Fernando Pessoa (UFP) que cumpram

Leia mais

COORDENADOR Prof. Doutor Armando Vilas-Boas

COORDENADOR Prof. Doutor Armando Vilas-Boas COORDENADOR Prof. Doutor Armando Vilas-Boas CANDIDATURAS 1ª Fase: A partir de 1 de Abril a 1 de Agosto 2ª Fase: De 2 de Agosto a 31 de Outubro REQUISITOS/ ACESSOS Ser titular do grau de licenciado ou equivalente

Leia mais

REGULAMENTO DE ACESSO E INGRESSO

REGULAMENTO DE ACESSO E INGRESSO REGULAMENTO DE ACESSO E INGRESSO Artigo 1.º Âmbito O presente Regulamento destina-se a regular o acesso e ingresso nos cursos da Escola Superior Artística do Porto Guimarães, adiante designada por Escola.

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR Departamento de Psicopedagogia e Orientação Vocacional ACESSO AO ENSINO SUPERIOR Serviços de Psicologia e Orientação Escola Secundária Francisco Rodrigues Lobo A psicóloga: Paula Jerónimo (paula.jeronimo@colegio-j-barros.com)

Leia mais

47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011

47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 UNIVERSIDADE DA MADEIRA Aviso (extracto) n.º 23548/2011 Nos termos do disposto no n.º 6 do artigo 12.º da Lei n.º 12 -A/2008, de 27 de

Leia mais

Regulamento Geral de Matrículas e Inscrições. no ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado

Regulamento Geral de Matrículas e Inscrições. no ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado Regulamento Geral de Matrículas e Inscrições no ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado Artigo 1.º Âmbito 1 - O presente Regulamento fixa as normas gerais relativas a matrículas e inscrições

Leia mais

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx SUPLEMENTO AO DIPLOMA Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer dados independentes

Leia mais

EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL. Ano letivo de 2015/2016

EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL. Ano letivo de 2015/2016 EDITAL CONCURSO DE ACESSO AO CURSO TÉCNICO SUPERIOR PROFISSIONAL Ano letivo de 2015/2016 João Baptista da Costa Carvalho, Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), torna público a

Leia mais

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário Universidade de Coimbra Grupo de Missão para o Espaço Europeu do Ensino Superior Glossário ACÇÃO CENTRALIZADA Procedimentos de candidatura em que a selecção e contratação são geridas pela Comissão. Regra

Leia mais

Regulamento de Matrículas e Inscrições

Regulamento de Matrículas e Inscrições REGULAMENTO DE MATRÍCULAS E INSCRIÇÕES Artigo 1 (Âmbito) O presente regulamento fixa as regras gerais relativas a matrículas e inscrições nos cursos ministrados nas Escolas do IPCA. Artigo 2.º (Competência)

Leia mais

Normas Regulamentares do Mestrado em Ciências da Educação, área de especialização em Supervisão Pedagógica

Normas Regulamentares do Mestrado em Ciências da Educação, área de especialização em Supervisão Pedagógica Normas Regulamentares do Mestrado em Ciências da Educação, área de especialização em Supervisão Pedagógica Artigo 1.º Da admissão ao ciclo de estudos 1. À matrícula no mestrado em Ciências da Educação

Leia mais

PROGRAMAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL

PROGRAMAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL PROGRAMAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL 1) Se eu pretender realizar mobilidade apenas no 2º semestre do próximo ano académico, quando é que devo apresentar a candidatura? 2) Quando é que devo efectuar o

Leia mais

Programa ERASMUS. Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA

Programa ERASMUS. Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA Programa ERASMUS Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA 1. Quem se pode candidatar à mobilidade Erasmus para estudos?

Leia mais

Programa de Graduação Internacional em Dupla Titulação GCUB/UC Edital GCUB nº. 002/2010

Programa de Graduação Internacional em Dupla Titulação GCUB/UC Edital GCUB nº. 002/2010 1 Programa de Graduação Internacional em Dupla Titulação GCUB/UC Edital GCUB nº. 002/2010 A Associação Grupo Coimbra de Dirigentes de Universidades Brasileiras (GCUB), formalmente constituída em 27 de

Leia mais

Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra

Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra Artigo 1.º Âmbito O presente Regulamento fixa as normas gerais relativas a matrículas e inscrições nos cursos do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra. Artigo 2.º Definições De

Leia mais

ANEXOS. Decisão de Execução da Comissão

ANEXOS. Decisão de Execução da Comissão COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 4.9.2014 C(2014) 6141 final ANNEXES 1 to 4 ANEXOS da Decisão de Execução da Comissão que estabelece a lista de documentos comprovativos a apresentar pelos requerentes de visto

Leia mais

Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL

Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL Changing lives. Opening minds. Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL ERASMUS + Uma porta aberta para a Europa : O novo programa

Leia mais

Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro REGULAMENTO DO CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL NOS CURSOS DO 1.º CICLO DE ESTUDOS E MESTRADO INTEGRADO NA UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO Artigo 1.º Âmbito

Leia mais

Universidade Autónoma de Lisboa Luís de Camões. Aprovado na reunião do Conselho Científico de / /

Universidade Autónoma de Lisboa Luís de Camões. Aprovado na reunião do Conselho Científico de / / Universidade Autónoma de Lisboa Luís de Camões REGULAMENTO GERAL DE CURSOS NÃO CONFERENTES DE GRAU Aprovado na reunião do Conselho Científico de / / Lisboa 2007 2 Regulamento Geral de Cursos não Conferentes

Leia mais

ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ NUM CURSO DE NÍVEL SUPERIOR EM PORTUGAL NO ANO LECTIVO 2004/05. Dados Estatísticos PARTE II

ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ NUM CURSO DE NÍVEL SUPERIOR EM PORTUGAL NO ANO LECTIVO 2004/05. Dados Estatísticos PARTE II ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ NUM CURSO DE NÍVEL SUPERIOR EM PORTUGAL NO ANO LECTIVO 2004/05 Dados Estatísticos PARTE II ESTUDANTES DE PÓS-LICENCIATURA (Mestrados e Doutoramentos) DSAS- Direcção

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Administração Educacional Edição Instituto de Educação da Universidade de Lisboa julho de

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA A SAÚDE. (2ª Edição 2011/2013)

EDITAL MESTRADO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA A SAÚDE. (2ª Edição 2011/2013) EDITAL MESTRADO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA A SAÚDE (2ª Edição 2011/2013) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, com as alterações

Leia mais

Objectivos do Curso: Preparar os participantes para desenvolver novas valências pessoais no meio profissional;

Objectivos do Curso: Preparar os participantes para desenvolver novas valências pessoais no meio profissional; CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO/ESPECIALIZAÇÃO EMPREENDEDORISMO: NOVAS REALIDADES ANO LECTIVO: 2014/2015 Direcção do Curso: Doutora Ana Roque Objectivos do Curso: Preparar os participantes para desenvolver novas

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Educação Intercultural Edição Instituto de Educação da Universidade de Lisboa julho de 2015

Leia mais

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico De Lisboa

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO Instituto de Ciências Sociais Departamento de Ciências da Comunicação REGULAMENTO DE ESTÁGIO Mestrado em Ciências da Comunicação Versão revista, aprovada em reunião da Comissão Coordenadora do Departamento

Leia mais

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Centro

Leia mais

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Identificação

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA. (Edição 2015-2017)

EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA. (Edição 2015-2017) EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA (Edição 2015-2017) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

Localização. Visão. Missão. Entidades promotoras

Localização. Visão. Missão. Entidades promotoras ESCOLA TECNOLÓGICA DO LITORAL ALENTEJANO ETLA Localização A Escola Tecnológica do Litoral Alentejano fica situada no Complexo Petroquímico da empresa Repsol na ZILS. Perto da realidade industrial, a sua

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO. Artigo 1.º. Objecto e âmbito

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO. Artigo 1.º. Objecto e âmbito REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO Artigo 1.º Objecto e âmbito 1 O presente regulamento disciplina, no cumprimento da Portaria n.º 401/2007, de 5 de Abril, os concursos

Leia mais

GUIA DE CANDIDATURA ESTÁGIO ERASMUS - ERASMUS PLACEMENTS (SMP)

GUIA DE CANDIDATURA ESTÁGIO ERASMUS - ERASMUS PLACEMENTS (SMP) GUIA DE CANDIDATURA ESTÁGIO ERASMUS - ERASMUS PLACEMENTS (SMP) INFORMAÇÃO GERAL 1. O que é um estágio Erasmus? O Estágio Erasmus é uma parte da sua formação académica (curricular ou extracurricular) efectuada

Leia mais

Estudos em Direito. 2º Ciclo Mestrado. Apresentação. Ano Lectivo 2010 2011

Estudos em Direito. 2º Ciclo Mestrado. Apresentação. Ano Lectivo 2010 2011 Estudos em Direito 2º Ciclo Mestrado Ano Lectivo 2010 2011 Apresentação O 2º Ciclo de Estudos em Direito tem a designação internacional corrente de Master. Com a oferta do seu Programa de Mestrados 2º

Leia mais

Regulamento Erasmus 2011/2012

Regulamento Erasmus 2011/2012 1. Preâmbulo O Programa Erasmus tem como objetivo geral apoiar a criação de um Espaço Europeu de Ensino Superior e reforçar o contributo do ensino superior para, entre outros, o processo de inovação a

Leia mais

BOLSAS DE ESTUDO DE ESPECIALIZAÇÃO E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTRANGEIRO REGULAMENTO

BOLSAS DE ESTUDO DE ESPECIALIZAÇÃO E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTRANGEIRO REGULAMENTO BOLSAS DE ESTUDO DE ESPECIALIZAÇÃO E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL NO ESTRANGEIRO REGULAMENTO I. DISPOSIÇÕES GERAIS Artº 1º 1) Com o fim de estimular a especialização e a valorização profissional nos diversos

Leia mais

Programa ERASMUS. Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA

Programa ERASMUS. Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA Programa ERASMUS Mobilidade de Estudantes para Estudos - (Students Mobility for Study -SMS) GUIA ERASMUS PERGUNTAS E RESPOSTAS PRÉ-CANDIDATURA 1. Quem se pode candidatar à mobilidade Erasmus para estudos?

Leia mais

Regulamento Geral dos Cursos de 1.º Ciclo de Estudos, conducentes ao grau de

Regulamento Geral dos Cursos de 1.º Ciclo de Estudos, conducentes ao grau de 3 APROVADO POR: Conselho Técnico Científico 26 09 2011 Data: / / 26 09 2011 Regulamento Geral dos Cursos de 1.º Ciclo de Estudos, conducentes ao grau de licenciado na ESEP INTRODUÇÃO Os Decretos Lei n.º

Leia mais

Normas Regulamentares do Mestrado em Educação Pré-Escolar e em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico

Normas Regulamentares do Mestrado em Educação Pré-Escolar e em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico Normas Regulamentares do Mestrado em Educação Pré-Escolar e em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico Artigo 1.º Da admissão ao ciclo de estudos 1. À matrícula no mestrado em Educação Pré-Escolar e em Ensino

Leia mais

Faculdade de Economia. Duração. Faculdade de Letras. N.º de ECTS. Duração. L 6 180 Ciência da Informação, Arquivística e Biblioteconómica

Faculdade de Economia. Duração. Faculdade de Letras. N.º de ECTS. Duração. L 6 180 Ciência da Informação, Arquivística e Biblioteconómica 13 590-(16) Diário da República, 2.ª série N.º 97 21 de Maio de 2007 Faculdade de Economia Ciclo Percursos Alternativos N.º de ECTS 1.º Economia Minores: Sociologia; Relações Internacionais; Direito Empresarial;

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA 1º CICLO DE ESTUDOS LICENCIATURA

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA 1º CICLO DE ESTUDOS LICENCIATURA FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA 1º CICLO DE ESTUDOS LICENCIATURA I. OBJECTIVOS O objectivo deste ciclo de estudos é garantir aos estudantes uma sólida formação jurídica de base. Tendo

Leia mais

NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG

NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG Nos termos do artigo 26.º do Decreto-Lei n.º 74/2006 de 24 de Março e do Regulamento de Mestrados da Universidade Técnica de Lisboa (Deliberação do Senado da

Leia mais

MESTRADO EM FISCALIDADE

MESTRADO EM FISCALIDADE MESTRADO EM FISCALIDADE 1 - APRESENTAÇÃO Grau Académico: Mestre em Fiscalidade Duração do curso: 2 anos lectivos/ 4 semestres Número de créditos, segundo o Sistema Europeu de Transferência de Créditos:

Leia mais

Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Música de Lisboa. Regulamento dos regimes de mudança de curso, transferência e reingresso PREÂMBULO

Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Música de Lisboa. Regulamento dos regimes de mudança de curso, transferência e reingresso PREÂMBULO Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Música de Lisboa Regulamento dos regimes de mudança de curso, transferência e reingresso PREÂMBULO Nos termos do disposto no artigo 10º do Regulamento

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO DO CURSO DE MESTRADO EM DESPORTO 2009 REGULAMENTO

REGULAMENTO ESPECIFICO DO CURSO DE MESTRADO EM DESPORTO 2009 REGULAMENTO Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Desporto de Rio Maior MESTRADO EM DESPORTO REGULAMENTO Artigo 1º Natureza e âmbito de aplicação 1. O curso pretende atingir os objectivos apresentados

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EMPRESARIAL DA FACULDADE DE DIREITO DE COIMBRA

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EMPRESARIAL DA FACULDADE DE DIREITO DE COIMBRA REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EMPRESARIAL DA FACULDADE DE DIREITO DE COIMBRA (Aprovado pela Assembleia de Faculdade, em 16 de Janeiro de 2014) CAPÍTULO

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de Macau

Faculdade de Direito da Universidade de Macau Faculdade de Direito da Universidade de Macau Regulamento Pedagógico do Curso de Mestrado em Direito (Tradução Jurídica) Artigo 1 Grau de Mestre 1. A Universidade de Macau, através da Faculdade de Direito,

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de Macau

Faculdade de Direito da Universidade de Macau Faculdade de Direito da Universidade de Macau Regulamento Pedagógico do Curso de Mestrado em Direito (Prática Jurídica em Macau) Artigo 1 Grau de Mestre 1. A Universidade de Macau, através da Faculdade

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: História da Educação (Regime a Distância) Edição Instituto de Educação da Universidade de

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE PROGRAMA SECTORIAL ERASMUS REGULAMENTO DE MOBILIDADE

INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE PROGRAMA SECTORIAL ERASMUS REGULAMENTO DE MOBILIDADE INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE PROGRAMA SECTORIAL ERASMUS REGULAMENTO DE MOBILIDADE 1. Introdução O presente documento visa regulamentar as condições a que deve obedecer a mobilidade de estudantes,

Leia mais

(Decreto-Lei nº 88/2006, de 23/05)

(Decreto-Lei nº 88/2006, de 23/05) Instituto Politécnico de Portalegre ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE ELVAS Normas regulamentares dos Cursos de Especialização Tecnológica (Decreto-Lei nº 88/2006, de 23/05) Elvas Julho de 2012 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

PROGRAMA LISTA M. Índice Geral

PROGRAMA LISTA M. Índice Geral Índice Geral A. Projecto de Credibilização e Revitalização da Associação Académica da Universidade Lusófona. - Hoje e no Futuro, em defesa dos teus direitos.2 B. Projecto de apoio às actividades académico-culturais.

Leia mais

Reitoria. É revogado o Despacho RT-34/2014, de 2 junho. Universidade do Minho, 5 de dezembro de 2014. O Reitor. António M. Cunha. despacho RT-55/2014

Reitoria. É revogado o Despacho RT-34/2014, de 2 junho. Universidade do Minho, 5 de dezembro de 2014. O Reitor. António M. Cunha. despacho RT-55/2014 Reitoria despacho RT-55/2014 A Universidade do Minho tem vindo a atrair um número crescente de estudantes estrangeiros, que hoje representam um importante contingente da sua comunidade estudantil. Com

Leia mais

UAL. Objectivos do Curso: proporcionar conhecimentos especializados nas mais diversas áreas do Direito do Desporto.

UAL. Objectivos do Curso: proporcionar conhecimentos especializados nas mais diversas áreas do Direito do Desporto. PÓS-GRADUAÇÃO/ESPECIALIZAÇÃO DIREITO E ORGANIZAÇÃO DO DESPORTO ANO LECTIVO: 2014/2015 Coordenação do Curso: Mestre Helena Tomaz Objectivos do Curso: proporcionar conhecimentos especializados nas mais diversas

Leia mais

1 RESPOSTA A EVENTUAIS DÚVIDAS EXPERIMENTADAS PELOS ESTUDANTES A FREQUENTAR O CURSO PELA PRIMEIRA VEZ

1 RESPOSTA A EVENTUAIS DÚVIDAS EXPERIMENTADAS PELOS ESTUDANTES A FREQUENTAR O CURSO PELA PRIMEIRA VEZ DO CURSO DE LICENCIATURA EM RELAÇÕES PÚBLICAS E COMUNICAÇÃO 1 RESPOSTA A EVENTUAIS DÚVIDAS EXPERIMENTADAS PELOS ESTUDANTES A FREQUENTAR O CURSO PELA PRIMEIRA VEZ 1. A quem devo dirigir-me, caso tenha dúvidas

Leia mais

REGULAMENTO. Elaborado por: Aprovado por: Versão

REGULAMENTO. Elaborado por: Aprovado por: Versão REGULAMENTO Regulamento dos Cursos de Pós-Graduação Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor 1.2 (Professor Doutor Rui Oliveira) Revisto e Confirmado por: Data de Aprovação Inicial (José João Amoreira)

Leia mais

INSTITUTO PORTUGUÊS DE ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING DE MATOSINHOS Diário da República, 2.ª série N.º 186 26 de Setembro de 2006

INSTITUTO PORTUGUÊS DE ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING DE MATOSINHOS Diário da República, 2.ª série N.º 186 26 de Setembro de 2006 INSTITUTO PORTUGUÊS DE ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING DE MATOSINHOS Diário da República, 2.ª série N.º 186 26 de Setembro de 2006 Regulamento n.º 185/2006 Regulamento de provas de avaliação da capacidade para

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS INTEGRAÇÃO DE SÓCIOS DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE BIOQUÍMICOS, AFETOS A LabGen-ANBIOQ, NA ORDEM DOS BIÓLOGOS INSTRUÇÕES PARA O SECRETARIADO INSCRIÇÃO NA ORDEM DOS BIÓLOGOS 1. À semelhança

Leia mais

FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio

FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio 1. Devo matricular-me na UAc mesmo indo para o estrangeiro? 2. Tenho de pagar propinas na UAc? 3. Tenho que pagar propinas na Universidade

Leia mais

MBA - Executivo. Edital 2ª Edição 2013-2014

MBA - Executivo. Edital 2ª Edição 2013-2014 MBA - Executivo Edital 2ª Edição 2013-2014 Sines, Junho de 2013 Enquadramento e Objectivos O MBA Executivo é uma realização da Escola Superior de Ciências Empresariais, do Instituto Politécnico de Setúbal

Leia mais

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique.

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Um mar de oportunidades Mestrado em Gestão Portuária Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique A ENIDH é a Escola Superior pública portuguesa que assegura a formação de

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Título Estatísticas da Educação 2008/2009 - Adultos

FICHA TÉCNICA. Título Estatísticas da Educação 2008/2009 - Adultos FICHA TÉCNICA Título Estatísticas da Educação 2008/2009 - Adultos Autoria Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação (GEPE) Direcção de Serviços de Estatística Edição Gabinete de Estatística e Planeamento

Leia mais

Licenciatura em Ciências Biomédicas. Regulamento

Licenciatura em Ciências Biomédicas. Regulamento DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Licenciatura em Ciências Biomédicas Regulamento 2013-2014 CONTEÚDO CAPÍTULO I... 3 ADMISSÃO E MATRÍCULA... 3 ARTIGO 1º... 3 ADMISSÃO AO

Leia mais

REGULAMENTO ACADÉMICO. VI. Mobilidade internacional REG-001/V00

REGULAMENTO ACADÉMICO. VI. Mobilidade internacional REG-001/V00 Mobilidade de Estudos 1. Objeto O presente Regulamento define as regras de Mobilidade de Estudantes ao abrigo dos Programas Garcilaso (Laureate International Universities) e de Aprendizagem ao Longo da

Leia mais