AVC: Acidente Vascular Cerebral AVE: Acidente Vascular Encefálico

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVC: Acidente Vascular Cerebral AVE: Acidente Vascular Encefálico"

Transcrição

1 AVC: Acidente Vascular Cerebral AVE: Acidente Vascular Encefálico DEFINIÇÃO Comprometimento súbito da função cerebral causada por alterações histopatológicas em um ou mais vasos sanguíneos. É o rápido desenvolvimento de sinais clínicos de distúrbio focal ou global da função cerebral, durando mais de 24h ou levando à morte sem nenhuma outra causa aparente que a origem vascular.

2 Denomina-se ataque isquêmico transitório (AIT) se o quadro permanecer por menos de 24h. De 24h a 3 semanas = déficit neurológico isquêmico reversível. AVC = dura mais de 3 semanas ou apresenta imagens de lesão cerebral aguda ou clinicamente relevante em pacientes cujos sintomas desaparecem rapidamente.

3 Alteração Neurológica Dependerá: do local específico da lesão vascular, do seu tamanho do hemisfério cerebral atingido, apresenta-se de forma singular, múltipla ou difusa; causa perdas motoras e/ou sensoriais.

4 Epidemiologia Atualmente é mais comum em homens, naqueles com história familiar de AVC e em negros (estatística americana). Hipertensão: maior fator de risco tratável para AVC isquêmico, bem como para hemorrágico. O risco relaciona-se com a elevação da pressão arterial. Fatores pré-disponentes:diabetes mellitus,inatividade física,tabagismo e uso excessivo do álcool.

5 Etiologia Hipertensão descontrolada (+ comum). Outras: ruptura de aneurismas, abuso de drogas como cocaína, anfetaminas ou álcool, perturbações sanguíneas, malformações arteriovenosas, angiomas, terapia anticoagulante e tumor cerebral. Sintomas e sinais desenvolvem-se rapidamente: alteração do nível de consciência, cefaléia severa, elevação da pressão arterial.

6 Podem apresentar dificuldades na utilização de habilidades cognitivas que já haviam sido adquiridas anteriormente e na aquisição de novos conhecimentos. Alterações da memória, atenção, raciocínio lógico matemático e leitura são alguns dos déficits mais comuns (localização e a gravidade da lesão). Alterações Comportamentais Agitação irritabilidade falta de iniciativa apatia agressividade desinibição localização e gravidade da lesão

7 Alterações de Linguagem: afasia (a mais freqüente): pode incluir alteração da capacidade de se expressar através da fala e da escrita, assim como da compreensão da fala e da escrita. Alterações da Fala: resultantes de comprometimento do aparelho fonador. As mais comuns são disartria (dificuldade para articular a palavra) e disfonia (alteração ou enfraquecimento da voz). Alterações de Alimentação:Deglutição: reflexo complexo, que conduz os alimentos e a saliva da boca para o estômago. Disfagia: dificuldade de progressão dos alimentos líquidos ou sólidos da boca para o estômago. Sintomas: tosse, engasgos, relato de que os alimentos ficam parados na garganta (faringe), dificuldade para respirar, perda de alimentos ou saliva pela boca, dificuldade para mastigar, pneumonias de repetição, perda de peso, desidratação.

8 Tratamento Fisioterápico Reabilitação :início precoce, nos primeiros dias após o AVC (fase hospitalar)fase ambulatorial. Objetivos: ajudar o paciente a adaptar-se às suas deficiências, favorecer sua recuperação funcional, motora e neuropsicológica, e promover sua integração familiar, social e profissional. O fisioterapeuta começará por atividades de mobilidade,estas atividades o fará libertar-se medo e inseguranças causados pelo desequilíbrio corporal.serão realizados exercícios de fortalecimento e alongamento muscular,treino de equilíbrio e estímulo da sensibilidade.

9 Principal objetivo do fisioterapeuta em um quadro de AVC é: Minimizar os efeitos das anormalidades do tônus muscular. Manter uma amplitude de movimento o mais normal possível para impedir deformidades. Reeducação de mobilidade nas atividades funcionais básicas como troca de posição na cama, sentar, e realizar transferências. Promover a conscientização corporal, estimulando o máximo possível o lado hemiplégico (paralisado). Melhora do equilíbrio em pé e reeducação da marcha {andar}.

Fisioterapia no Acidente Vascular Encefálico (AVE)

Fisioterapia no Acidente Vascular Encefálico (AVE) Universidade Católica de Pernambuco Centro de Ciências Biológicas e Saúde Curso de Fisioterapia Disciplina de Fisioterapia Aplicada à Neurologia Fisioterapia no Acidente Vascular Encefálico (AVE) Prof

Leia mais

ATENDIMENTO DOMICILIAR FISIOTERAPEUTICO PARA PORTADOR DE ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL NO ESTÁGIO AGUDO

ATENDIMENTO DOMICILIAR FISIOTERAPEUTICO PARA PORTADOR DE ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL NO ESTÁGIO AGUDO ATENDIMENTO DOMICILIAR FISIOTERAPEUTICO PARA PORTADOR DE ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL NO ESTÁGIO AGUDO Ana Coely Araujo Vieira¹; Fernanda Naiene Rodrigues Valadares²; Rebecca Pessoa de Almeida Lima³; Joventina

Leia mais

DEMÊNCIAS. MEMÓRIA ORGANICA Memória Hábito, comum a todos os seres vivos.

DEMÊNCIAS. MEMÓRIA ORGANICA Memória Hábito, comum a todos os seres vivos. DEMÊNCIAS I) DEFINIÇÃO Demência pode ser considerada como um prejuízo global da inteligência, memória e personalidade, adquirido na vida adulta. O nível de consciência é claro. É vista mais freqüentemente

Leia mais

1 O que é Urografina (Forma farmacêutica e Categoria farmacoterapêutica)

1 O que é Urografina (Forma farmacêutica e Categoria farmacoterapêutica) O nome do seu medicamento é: UROGRAFINA Leia atentamente este folheto antes de utilizar o medicamento. Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o reler. Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico

Leia mais

O que é afasia? Brasilian

O que é afasia? Brasilian O que é afasia? Brasilian Provavelmente você se deparou com afasia pela primeira vez há pouco tempo. No início afasia causa muitas dúvidas, como: o que é afasia, como esta ocorre, e quais problemas adicionais

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 42. No 3º mês de vida, a criança mantém a cabeça contra a gravidade na postura prono por várias razões, EXCETO:

PROVA ESPECÍFICA Cargo 42. No 3º mês de vida, a criança mantém a cabeça contra a gravidade na postura prono por várias razões, EXCETO: 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 42 QUESTÃO 26 No 3º mês de vida, a criança mantém a cabeça contra a gravidade na postura prono por várias razões, EXCETO: a) Alteração do posicionamento dos membros superiores.

Leia mais

MEDICINA FÍSICA E DE REABILITAÇÃO

MEDICINA FÍSICA E DE REABILITAÇÃO MEDICINA FÍSICA E DE REABILITAÇÃO A nova aposta do Hospital SOERAD O novo serviço de Medicina Física e de Reabilitação do Hospital SOERAD já se encontra em funcionamento, dispondo de uma equipa multidisciplinar

Leia mais

Sonolência Excessiva Diurna (SED)

Sonolência Excessiva Diurna (SED) Sonolência Excessiva Diurna (SED) A sonolência é queixa comum, principalmente, entre adolescentes, quase sempre por não desfrutarem de sono satisfatório. Eles dormem poucas horas à noite e, no dia seguinte,

Leia mais

MEDICINA TRADICIONAL CHINESA, ACUPUNTURA E TERAPIAS AFINS INDICAÇÕES

MEDICINA TRADICIONAL CHINESA, ACUPUNTURA E TERAPIAS AFINS INDICAÇÕES MEDICINA TRADICIONAL CHINESA, ACUPUNTURA E TERAPIAS AFINS INDICAÇÕES www.shenqui.com.br Na década de 80, após 25 anos de pesquisas, em renomadas instituições do mundo, a OMS publicou o documento Acupuncture:

Leia mais

AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA

AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA EM AVC Maria Gabriela Ramos Ferreira CRP12/01510 Especialista em Neuropsicologia Mestre em Saúde e Meio Ambiente Universidade da Região de Joinville UNIVILLE Definição de AVC

Leia mais

Doenças do foro neurológico

Doenças do foro neurológico Escola Básica de Eugénio de Castro Disciplina de Área de Projecto 2009/2010 Doenças do foro neurológico Trabalho realizado por: Ana Carolina Simões de Sousa nº2 Francisco Morgado Duarte nº8 Gustavo André

Leia mais

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PEDRO ERNESTO C D

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PEDRO ERNESTO C D HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PEDRO ERNESTO C COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO ACADÊMICO D A Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso Área: Enfermagem Discursiva Residência Saúde 2012 ATIVIDADE DATA LOCAL

Leia mais

Clínica Neurofuncional

Clínica Neurofuncional II Curso de Verão Clínica Neurofuncional Dr. Clynton Correa e Dra. Paula Chaves da Silva Laboratório de Neurobiologia Comparativa e do Desenvolvimento p.chaves@bf.ufrj.br DOENÇA DE PARKINSON II Curso de

Leia mais

Dia Mundial da Diabetes - 14 Novembro de 2012 Controle a diabetes antes que a diabetes o controle a si

Dia Mundial da Diabetes - 14 Novembro de 2012 Controle a diabetes antes que a diabetes o controle a si Dia Mundial da Diabetes - 14 Novembro de 2012 Controle a diabetes antes que a diabetes o controle a si A função da insulina é fazer com o que o açúcar entre nas células do nosso corpo, para depois poder

Leia mais

M.Sc. Prof.ª Viviane Marques Fonoaudióloga, Neurofisiologista e Mestre em Fonoaudiologia Coordenadora da Pós-graduação em Fonoaudiologia Hospitalar

M.Sc. Prof.ª Viviane Marques Fonoaudióloga, Neurofisiologista e Mestre em Fonoaudiologia Coordenadora da Pós-graduação em Fonoaudiologia Hospitalar M.Sc. Prof.ª Viviane Marques Fonoaudióloga, Neurofisiologista e Mestre em Fonoaudiologia Coordenadora da Pós-graduação em Fonoaudiologia Hospitalar Chefe da Equipe de Fonoaudiologia do Hospital Espanhol

Leia mais

PARALISIA CEREBRAL. PROJECTO INTERVENÇÃO PRECOCE Centro de Apoio Psicopedagógico. gico do Funchal Fisioterapeuta Teresa Gonçalves 17 DE Junho de 2008

PARALISIA CEREBRAL. PROJECTO INTERVENÇÃO PRECOCE Centro de Apoio Psicopedagógico. gico do Funchal Fisioterapeuta Teresa Gonçalves 17 DE Junho de 2008 PARALISIA CEREBRAL PROJECTO INTERVENÇÃO PRECOCE Centro de Apoio Psicopedagógico gico do Funchal Fisioterapeuta 17 DE Junho de 2008 PARALISIA CEREBRAL Grupo não progressivo, de distúrbios motores, especialmente

Leia mais

LESÕES MUSCULARES. Ft. Esp. Marina Medeiros

LESÕES MUSCULARES. Ft. Esp. Marina Medeiros LESÕES MUSCULARES Ft. Esp. Marina Medeiros EPIDEMIOLOGIA Os músculos são os únicos geradores de força capazes de produzir movimento articular. São 434 músculos, representando 40% do peso corporal; dentre

Leia mais

Comparação da força da musculatura respiratória em pacientes acometidos por acidente vascular encefálico (AVE) com os esperados para a idade e sexo

Comparação da força da musculatura respiratória em pacientes acometidos por acidente vascular encefálico (AVE) com os esperados para a idade e sexo Comparação da força da musculatura respiratória em pacientes acometidos por acidente vascular encefálico (AVE) com os esperados para a idade e sexo Camila Viana Benzoni 1, Paulo Eduardo Gomes Ferreira

Leia mais

Esclerose Lateral Amiotrófica ELA

Esclerose Lateral Amiotrófica ELA Esclerose Lateral Amiotrófica ELA É uma doença implacável, degenerativa e fatal que afeta ambos os neurônios motores superior e inferior; Etiologia desconhecida; Incidência de 1 a 2 : 100.000 pessoas;

Leia mais

A Psiquiatria e seu olhar Marcus André Vieira Material preparado com auxílio de Cristiana Maranhão e Luisa Ferreira

A Psiquiatria e seu olhar Marcus André Vieira Material preparado com auxílio de Cristiana Maranhão e Luisa Ferreira A Psiquiatria e seu olhar Marcus André Vieira Material preparado com auxílio de Cristiana Maranhão e Luisa Ferreira Transtornos do Desenvolvimento Psicológico Transtornos do Desenvolvimento Psicológico

Leia mais

Tratamento Fisioterápico para as Doenças Alzheimer e Parkinson

Tratamento Fisioterápico para as Doenças Alzheimer e Parkinson Tratamento Fisioterápico para as Doenças Alzheimer e Parkinson Gustavo Nunes Pereira Fisioterapeuta Graduado PUCRS Coordenador Grupo de Interesse em Fisioterapia SBGG-RS Doutorando em Gerontologia Biomédica

Leia mais

Sinais e sintomas de AVC

Sinais e sintomas de AVC Sinais e sintomas de AVC Vânia Almeida Unidade de Neurologia do HVFX Dia Nacional do AVC 31-03-2015 Sumário Diagnóstico de AVC Avaliar o doente com a Escala NIHSS Localizar o AVC Diagnóstico de AVC Instalação

Leia mais

Proposta Especialidade NEUROFUNCIONAL segundo os critérios da CBO e outros

Proposta Especialidade NEUROFUNCIONAL segundo os critérios da CBO e outros Proposta Especialidade NEUROFUNCIONAL segundo os critérios da CBO e outros CATECE Comissão de Análise de Títulos de Especialistas e Cursos de Especialização Complexidade da especialidade É o domínio dos

Leia mais

CIRURGIAS ORTOGNÁTICAS

CIRURGIAS ORTOGNÁTICAS CIRURGIAS ORTOGNÁTICAS Informações ao paciente Contém: 1. Explicação geral sobre cirurgias ortognáticas, 2. Perguntas e respostas, A cirurgia ortognática, também chamada de ortodontia cirúrgica, é um tipo

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA/UFC-SOBRAL MÓDULO SISTEMA NERVOSO NEUROANATOMIA FUNCIONAL. AVC Isquêmico. Acd. Gabrielle Holanda. w w w. s c n s. c o m.

FACULDADE DE MEDICINA/UFC-SOBRAL MÓDULO SISTEMA NERVOSO NEUROANATOMIA FUNCIONAL. AVC Isquêmico. Acd. Gabrielle Holanda. w w w. s c n s. c o m. FACULDADE DE MEDICINA/UFC-SOBRAL MÓDULO SISTEMA NERVOSO NEUROANATOMIA FUNCIONAL AVC Isquêmico Acd. Gabrielle Holanda w w w. s c n s. c o m. b r Relato do Caso Paciente, 54 anos, sexo masculino, obeso,

Leia mais

Afinal de contas, o que é ansiedade? Mas ser ansioso não é normal? Ansiedade é uma doença?

Afinal de contas, o que é ansiedade? Mas ser ansioso não é normal? Ansiedade é uma doença? Afinal de contas, o que é ansiedade? Mas ser ansioso não é normal? Ansiedade é uma doença? Ansiedade = falta de confiança na vida No senso comum, ansiedade é igual a aflição, angústia, nervosismo, perturbação

Leia mais

ATUAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA EM CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO

ATUAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA EM CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO ATUAÇÃO FONOAUDIOLÓGICA EM CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO Introdução A atuação da Fonoaudiológica veio a preencher uma importante lacuna no campo hospitalar. Principalmente na área oncológica ela é relativamente

Leia mais

HISTÓRICO MÉTODO THERASUIT HISTÓRICO O MÉTODO THERASUIT PRINCIPAIS OBJETIVOS. Profa. Ms. Daniela Vincci Lopes Ruzzon

HISTÓRICO MÉTODO THERASUIT HISTÓRICO O MÉTODO THERASUIT PRINCIPAIS OBJETIVOS. Profa. Ms. Daniela Vincci Lopes Ruzzon HISTÓRICO MÉTODO THERASUIT Profa. Ms. Daniela Vincci Lopes Ruzzon Veste criada em Michigan/USA, por pesquisadores russos. Função: contrapor os efeitos negativos vividos pelos astronautas (atrofia muscular,

Leia mais

Ficha de Identificação do Paciente (Apenas para uso interno. Esta informação não é para ser incluída no CRF)

Ficha de Identificação do Paciente (Apenas para uso interno. Esta informação não é para ser incluída no CRF) Ficha de Identificação do Paciente (Apenas para uso interno. Esta informação não é para ser incluída no CRF) 1.1 Informação do Paciente Primeiro nome do paciente Último sobrenome do paciente Data de Nascimento

Leia mais

Artropatias inflamatórias crônicas

Artropatias inflamatórias crônicas Disciplina de Traumato-Ortopedia e Reumatologia Artropatias inflamatórias crônicas Prof. Marcelo Bragança dos Reis Introdução Principais manisfestações músculo-esqueléticas das doenças reumatológicas -

Leia mais

diclofenaco sódico Merck S/A Cápsulas 100 mg

diclofenaco sódico Merck S/A Cápsulas 100 mg diclofenaco sódico Merck S/A Cápsulas 100 mg diclofenaco sódico Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES Embalagens contendo 10 cápsulas. USO ORAL - USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada cápsula contém:

Leia mais

Telencéfalo e Núcleos da Base Funções corticais superiores

Telencéfalo e Núcleos da Base Funções corticais superiores Telencéfalo e Núcleos da Base Funções corticais superiores Funções básicas que sustentam a vida são mediadas pela medula, tronco encefálico e diencéfalo No TELENCÉFALO ocorrem os processos psicológicos

Leia mais

azul NOVEMBRO azul Saúde também é coisa de homem. Doenças Cardiovasculares (DCV)

azul NOVEMBRO azul Saúde também é coisa de homem. Doenças Cardiovasculares (DCV) Doenças Cardiovasculares (DCV) O que são as Doenças Cardiovasculares? De um modo geral, são o conjunto de doenças que afetam o aparelho cardiovascular, designadamente o coração e os vasos sanguíneos. Quais

Leia mais

O SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL PARA ATLETAS PORTADORES DE PARALISIA CEREBRAL

O SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL PARA ATLETAS PORTADORES DE PARALISIA CEREBRAL O SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL PARA ATLETAS PORTADORES DE PARALISIA CEREBRAL Prof. MsC Cláudio Diehl Nogueira Professor Assistente do Curso de Educação Física da UCB Classificador Funcional Sênior

Leia mais

ANÁLISE DAS CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS DE PACIENTES DIABÉTICOS PARA PREVENÇÃO DE COMPLICAÇÕES

ANÁLISE DAS CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS DE PACIENTES DIABÉTICOS PARA PREVENÇÃO DE COMPLICAÇÕES ANÁLISE DAS CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS DE PACIENTES DIABÉTICOS PARA PREVENÇÃO DE COMPLICAÇÕES Carolina Gomes de Sá (ICV-UNICENTRO), Daniele Karine Ruthes (ICV- UNICENTRO), Thiago da Silva Lemos (ICV-UNICENTRO),

Leia mais

Palavras chave: voz, prevenção, criança

Palavras chave: voz, prevenção, criança AÇÕES DE PREVENÇÃO DE DISFONIA INFANTIL EM CENÁRIOS EDUCACIONAIS: ANÁLISE DA CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTOS SOBRE VOZ A PARTIR DE DESENHOS DE ALUNOS DE EDUCAÇÃO INFANTIL. Palavras chave: voz, prevenção, criança

Leia mais

Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO

Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO - Abordagem multiprofissional e interdisciplinar - assistência prestada por

Leia mais

DEPRESSÃO NA DOENÇA DE PARKINSON

DEPRESSÃO NA DOENÇA DE PARKINSON 1 DEPRESSÃO NA DOENÇA DE PARKINSON Aliandro Mesquita Lisboa Instituto Pharmacológica aliandroml@hotmail.com Edson Negreiros dos Santos- Mestre em Farmacologia 1- INTRODUÇÃO O Brasil há muito perdeu suas

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2 UTILIZAÇÃO DO LÚDICO NO TRATAMENTO DA CRIANÇA COM PARALISIA CEREBRAL REALIZADO POR UMA EQUIPE MULTIDISCIPLINAR. Patrícia Cristina Nóbrega Contarini Fabiana da Silva Zuttin Lígia Maria Presumido Braccialli

Leia mais

Eugênio Cunha eugenio@eugeniocunha.com www.eugeniocunha.com

Eugênio Cunha eugenio@eugeniocunha.com www.eugeniocunha.com Autismo: um olhar pedagógico Eugênio Cunha eugenio@eugeniocunha.com www.eugeniocunha.com Algumas reflexões iniciais: Primeiramente, é importante dizer que não há respostas prontas para todas as questões

Leia mais

Aspectos da Consciência

Aspectos da Consciência Consciência Aspectos da Consciência Consciência Muitos livros definem a consciência como a percepção atual do indivíduo em relação a estímulos externos e internos isto é, de eventos do ambiente e de sensações

Leia mais

Planificação Disciplina de Saúde 2.º ano Módulos 3, 4, 5,6 Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde

Planificação Disciplina de Saúde 2.º ano Módulos 3, 4, 5,6 Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde Objetivos gerais: Planificação Disciplina de Saúde 2.º ano Módulos 3, 4, 5,6 Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde 2015/2016 Explicar que as tarefas que se integram no âmbito de intervenção do/a

Leia mais

Neuropatia Diabética e o Pé Diabético

Neuropatia Diabética e o Pé Diabético UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO DIRETORIA DE ENFERMAGEM SERVIÇO DE EDUCAÇÃO EM ENFERMAGEM MINICURSO: Assistência de enfermagem ao cliente com feridas Neuropatia Diabética e o Pé Diabético Instrutora:

Leia mais

PROJETO SOCIAL. Renato Araújo Corrêa - OAB/MS - 3969 Presidente. Oswaldo Sólon Borges - OAB/MS - 2190 Vice Presidente

PROJETO SOCIAL. Renato Araújo Corrêa - OAB/MS - 3969 Presidente. Oswaldo Sólon Borges - OAB/MS - 2190 Vice Presidente Serviço Social 15/06/2010 1-Titulo do projeto: Acessibilidade Direito de Todos PROJETO SOCIAL Nome da entidade: Caixa de Assistência dos Advogados de Mato Grosso do Sul. Av. Mato Grosso, 4700 Bairro Carandá

Leia mais

FONOAUDIOLOGIA CID RESUMO ADAPTADO

FONOAUDIOLOGIA CID RESUMO ADAPTADO FONOAUDIOLOGIA CID RESUMO ADAPTADO Código Descrição F.80.0 Dislalia F.80.1/F.80.2 Atraso de Linguagem F.81.0 Dislexia F.81.1 Disortografia F.81.2 Discalculia Infantil F.81.8 Agrafia F.81.9 Dificuldade

Leia mais

Derrame cerebral Resumo de diretriz NHG M103 (dezembro 2013)

Derrame cerebral Resumo de diretriz NHG M103 (dezembro 2013) Derrame cerebral Resumo de diretriz NHG M103 (dezembro 2013) Beusmans GHMI, Van Noortwijk-Bonga HGC, Risseeuw NJ, Tjon-A-Tsien MRS, Verstappen WHJM, Burgers JS, Wiersma Tj, Verburg AFE traduzido do original

Leia mais

Doença do Refluxo Gastroesofágico o que significa?

Doença do Refluxo Gastroesofágico o que significa? Hérnia de Hiato e Refluxo Gastroesofágico. Atualmente cresce o número de pessoas que estão apresentando sintomas relativas ao aparelho digestivo, como má digestão ou sensação de queimação no estômago entre

Leia mais

DEMÊNCIAS. Programa do Idoso Unidade Saúde Escola UFSCar

DEMÊNCIAS. Programa do Idoso Unidade Saúde Escola UFSCar DEMÊNCIAS Programa do Idoso Unidade Saúde Escola UFSCar Conceitos básicos Inteligência Cognição Memória Transtornos cognitivos Quadro confusional agudo Demência Inteligência Totalidade das funções cognitivas

Leia mais

Envelhecimento Cerebral e Demências

Envelhecimento Cerebral e Demências Envelhecimento Cerebral e Demências Thiago Monaco thiagomonaco@ yahoo.com Envelhecimento Cerebral e Demências Envelhecimento Cerebral D. Comuns D. Menos Comuns D. potencialmente tratáveis Envelhecimento

Leia mais

EXELON rivastigmina. APRESENTAÇÕES Exelon 1,5, 3,0, 4,5 e 6,0 mg embalagens contendo 28 cápsulas. VIA ORAL USO ADULTO

EXELON rivastigmina. APRESENTAÇÕES Exelon 1,5, 3,0, 4,5 e 6,0 mg embalagens contendo 28 cápsulas. VIA ORAL USO ADULTO EXELON rivastigmina APRESENTAÇÕES Exelon 1,5, 3,0, 4,5 e 6,0 mg embalagens contendo 28 cápsulas. VIA ORAL USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada cápsula de Exelon contém 2,4 mg, 4,8 mg, 7,2 mg ou 9,6 mg de hidrogenotartarato

Leia mais

O que são drogas? Drogas Naturais Drogas Sintéticas Drogas Semi-sintéticas. Drogas. Prof. Thiago Lins do Nascimento. tiagolinsnasc@gmail.

O que são drogas? Drogas Naturais Drogas Sintéticas Drogas Semi-sintéticas. Drogas. Prof. Thiago Lins do Nascimento. tiagolinsnasc@gmail. Drogas Prof. Thiago Lins do Nascimento tiagolinsnasc@gmail.com 2014 1 / 41 Sumário O que são drogas? 1 O que são drogas? O que são drogas? 2 Maconha Nicotina 3 Ecstasy Anfetaminas 4 Cocaína Crack Krokodil

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Livazo 1 mg, 2 mg e 4 mg comprimidos revestidos por película Pitavastatina

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Livazo 1 mg, 2 mg e 4 mg comprimidos revestidos por película Pitavastatina FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Livazo 1 mg, 2 mg e 4 mg comprimidos revestidos por película Pitavastatina Leia atentamente este folheto antes de tomar Livazo. Conserve este folheto.

Leia mais

Apnéia do Sono e Ronco Guia Rápido

Apnéia do Sono e Ronco Guia Rápido Homehealth provider Apnéia do Sono e Ronco Guia Rápido Ronco: atrás do barulho, um problema de saúde mais sério www.airliquide.com.br O que é Apnéia do Sono? Apnéia do sono é uma síndrome que pode levar

Leia mais

FACULDADE TECSOMA Pré-projeto de Trabalho de Conclusão de Curso. Juliete Dias Machado

FACULDADE TECSOMA Pré-projeto de Trabalho de Conclusão de Curso. Juliete Dias Machado FACULDADE TECSOMA Pré-projeto de Trabalho de Conclusão de Curso Juliete Dias Machado BENEFÍCIOS DA CINESIOTERAPIA NO TRATAMENTO DOMICILIAR DOS COMPROMETIMENTOS MOTORES E LIMITAÇÕES FUNCIONAIS AO PACIENTE

Leia mais

LESÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR

LESÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR LESÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR Anatomia O ligamento cruzado anterior (LCA) é um dos ligamentos mais importantes para a estabilidade do joelho. Considerado um ligamento intra-articular, sua função

Leia mais

Algumas das Doenças Tratáveis com Acupuntura

Algumas das Doenças Tratáveis com Acupuntura Algumas das Doenças Tratáveis com Acupuntura REGIÃO CERVICAL, OMBROS E MEMBROS SUPERIORES Dor muscular dor decorrente de traumatismo esportivo, por erro de postura e/ou tensão emocional. Exemplo: dor no

Leia mais

TECNOLOGIAS DE APOIO ABORDAGEM AO POSICIONAMENTO EM CADEIRA DE RODAS

TECNOLOGIAS DE APOIO ABORDAGEM AO POSICIONAMENTO EM CADEIRA DE RODAS TECNOLOGIAS DE APOIO ABORDAGEM AO POSICIONAMENTO EM CADEIRA DE RODAS Ano lectivo 2011/2012 Posicionamento e Mobilidade Posicionamento em cadeira de rodas: Acto terapêutico que implica a utilização de diversos

Leia mais

Demência Resumo de diretriz NHG M21 (julho 2012)

Demência Resumo de diretriz NHG M21 (julho 2012) Demência Resumo de diretriz NHG M21 (julho 2012) EMoll van Charante E, Perry M, Vernooij-Dassen MJFJ, Boswijk DFR, Stoffels J, Achthoven L, Luning-Koster MN traduzido do original em holandês por Luiz F.G.

Leia mais

Como lidar com os problemas de deglutição após um Acidente Vascular Cerebral (AVC)

Como lidar com os problemas de deglutição após um Acidente Vascular Cerebral (AVC) Como lidar com os problemas de deglutição após um Acidente Vascular Cerebral (AVC) How to Manage Swallowing Problems After a Stroke - Portuguese UHN Informação para pacientes e famílias Leia esta informação

Leia mais

Título: Achados Clínicos da deglutição e do comportamento alimentar de idosos com demência avançada

Título: Achados Clínicos da deglutição e do comportamento alimentar de idosos com demência avançada Título: Achados Clínicos da deglutição e do comportamento alimentar de idosos com demência avançada Descritores: demência, alimentação, deglutição Introdução: As demências são caracterizadas pela presença

Leia mais

Semiologia do sistema vestibular e motor ocular. Dra. Cristiana Borges Pereira

Semiologia do sistema vestibular e motor ocular. Dra. Cristiana Borges Pereira Semiologia do sistema vestibular e motor ocular Dra. Cristiana Borges Pereira Anamnese TONTURA OU VERTIGEM? Anamnese tontura: estado de tonto, zonzo vertigem: 1. estado mórbido em que o indivíduo tem a

Leia mais

Controle Postural. Orientação Postural: Relação adequada entre os segmentos do corpo e do corpo com o ambiente. manter CDM nos limites da BDA

Controle Postural. Orientação Postural: Relação adequada entre os segmentos do corpo e do corpo com o ambiente. manter CDM nos limites da BDA CONTROLE POSTURAL Controle Postural Orientação Postural: Relação adequada entre os segmentos do corpo e do corpo com o ambiente Estabilidade postural ou equilíbrio: capacidade de manter CDM nos limites

Leia mais

DOENÇAS NEUROLÓGICAS Esclerose Lateral Amiotrófica Síndrome de Guillain-Barré Miastenia Gravis Distrofias Musculares

DOENÇAS NEUROLÓGICAS Esclerose Lateral Amiotrófica Síndrome de Guillain-Barré Miastenia Gravis Distrofias Musculares DOENÇAS NEUROLÓGICAS Esclerose Lateral Amiotrófica Síndrome de Guillain-Barré Miastenia Gravis Distrofias Musculares M.Sc. Prof.ª Viviane Marques Fonoaudióloga, Neurofisiologista e Mestre em Fonoaudiologia

Leia mais

Dicas para o ensino e prática de atividades motoras e mecanismos de informações para pessoas com deficiência visual

Dicas para o ensino e prática de atividades motoras e mecanismos de informações para pessoas com deficiência visual Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Dicas para o ensino e prática de atividades motoras e mecanismos de informações para pessoas com deficiência

Leia mais

Dependência Química. Informação é grande aliada dos amigos e familiares.

Dependência Química. Informação é grande aliada dos amigos e familiares. Dependência Química Informação é grande aliada dos amigos e familiares. O QUE É DROGA-DEPENDÊNCIA? Droga-dependência é um transtorno psiquiátrico que se caracteriza pelo uso impulsivo e descontrolado de

Leia mais

Noções básicas do Exame Neurológico

Noções básicas do Exame Neurológico Noções básicas do Exame Neurológico Prof Alexandre Alessi Semiologia Médica II - 2012 Componentes 1- Estado Mental 2- Pares Cranianos 3- Exame Motor 4- Exame Sensorial 5- Reflexos 6- Coordenação e Exame

Leia mais

CURSO: Cuidador de Idoso

CURSO: Cuidador de Idoso CURSO: Cuidador de Idoso Bárbara Pereira Quaresma Enfermeira Docente 2 1 3 Bem vindos 4ª aula 4 Mãos As mãos do cuidador são suas maiores, melhores e mais usadas ferramentas. Por isso devem estar SEMPRE

Leia mais

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO NEUROLOGISTA

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO NEUROLOGISTA 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO NEUROLOGISTA QUESTÃO 21 Crises convulsivas, hemiplegias, afasia e hemianopsias como sinais isolados ou em associação, sugerem patologia neurológica de topografia:

Leia mais

Sessão Cardiovascular

Sessão Cardiovascular Sessão Cardiovascular Dr Carlos Jader Feldman Priscila Schenkel R3 26/10/2012 Sexo feminino, 46 anos Hemiplegia à esquerda Dissecção arterial 3 camadas: -intima, média, adventícia Dissecção = ruptura na

Leia mais

Desenvolvimento do PROJETO SYSNAPSE: Prontuário eletrônico para avaliação neurofuncional adulta

Desenvolvimento do PROJETO SYSNAPSE: Prontuário eletrônico para avaliação neurofuncional adulta Desenvolvimento do PROJETO SYSNAPSE: Prontuário eletrônico para avaliação neurofuncional adulta Nome dos aluno(a)s : Fernanda Prestes dos Santos, Gisely de Andrade Costa e Taynara Queiroz Santos. PVIC

Leia mais

Imagem da Semana: Tomografia computadorizada, exame de líquor e EEG

Imagem da Semana: Tomografia computadorizada, exame de líquor e EEG Imagem da Semana: Tomografia computadorizada, exame de líquor e EEG Figura 1: Tomografia computadorizada de crânio, sem contraste, corte axial ao nível da ponte Figura 2: Exame do líquido cefalorraquidiano

Leia mais

Introdução da Comunicação Alternativa em adulto com Deficiência Múltipla: estudo de caso

Introdução da Comunicação Alternativa em adulto com Deficiência Múltipla: estudo de caso Introdução da Comunicação Alternativa em adulto com Deficiência Múltipla: estudo de caso Olívia Silva e Silva Fonoaudióloga Dayanne Rezende Heitor de Queiroz Terapeuta Ocupacional Resumo O presente artigo

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Amlodipina Jaba 5 mg comprimidos Amlodipina Jaba 10 mg comprimidos. Amlodipina

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Amlodipina Jaba 5 mg comprimidos Amlodipina Jaba 10 mg comprimidos. Amlodipina FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Amlodipina Jaba 5 mg comprimidos Amlodipina Jaba 10 mg comprimidos Amlodipina Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento

Leia mais

DOENÇAS DO OUVIDO E DA APÓFISE MASTÓIDE (H60 H95) Justificativa Tipos N máximo de sessões Pedido médico + Laudo médico + Exames complementares

DOENÇAS DO OUVIDO E DA APÓFISE MASTÓIDE (H60 H95) Justificativa Tipos N máximo de sessões Pedido médico + Laudo médico + Exames complementares DOENÇAS DO OUVIDO E DA APÓFISE MASTÓIDE (H60 H95) Guias SP/SADT Protocolo Conduta Indicação Clinica Perda Auditiva Justificativa Tipos N máximo de sessões Pedido médico + Laudo médico + Exames complementares

Leia mais

TÍTULOS 1808 1822 1889 50 MAIORES MITOS POPULARES DA PSICOLOGIA 500 anos de legislação esportiva brasileira: Administração nos novos tempos

TÍTULOS 1808 1822 1889 50 MAIORES MITOS POPULARES DA PSICOLOGIA 500 anos de legislação esportiva brasileira: Administração nos novos tempos TÍTULOS 1808 1822 1889 50 MAIORES MITOS POPULARES DA PSICOLOGIA 500 anos de legislação esportiva brasileira: Administração nos novos tempos Administração para não administradores Anatomia do tenis Anatomia

Leia mais

Doença do Neurônio Motor

Doença do Neurônio Motor FACULDADE DE MEDICINA/UFC-SOBRAL MÓDULO SISTEMA NERVOSO NEUROANATOMIA FUNCIONAL Doença do Neurônio Motor Acd. Mauro Rios w w w. s c n s. c o m. b r Relato de Caso Paciente M.V., sexo masculino, 62 anos,

Leia mais

Folheto informativo: Informação para o doente. Ezetrol 10 mg Comprimidos. Ezetimiba

Folheto informativo: Informação para o doente. Ezetrol 10 mg Comprimidos. Ezetimiba Folheto informativo: Informação para o doente Ezetrol 10 mg Comprimidos Ezetimiba Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento pois contém informação importante para si.

Leia mais

CÂMARA MUNICIPALDE BELO HORIZONTE PARECER SOBRE O PROJETO DE LEI N 069/2009 COMISSÃO DE SAÚDE E SANEAMENTO VOTO DO RELATOR RELATÓRIO

CÂMARA MUNICIPALDE BELO HORIZONTE PARECER SOBRE O PROJETO DE LEI N 069/2009 COMISSÃO DE SAÚDE E SANEAMENTO VOTO DO RELATOR RELATÓRIO L ld;i~rj CÂMARA MUNICIPALDE BELO HORIZONTE PARECER SOBRE O PROJETO DE LEI N 069/2009 COMISSÃO DE SAÚDE E SANEAMENTO VOTO DO RELATOR RELATÓRIO De autoria do Vereador Anselmo José Domingos, o projeto de

Leia mais

Fevereiro 2011 BEBÉ VIDA INFORMA. 707 20 10 18 geral@bebevida.com www.bebevida.com

Fevereiro 2011 BEBÉ VIDA INFORMA. 707 20 10 18 geral@bebevida.com www.bebevida.com Fevereiro 2011 BEBÉ VIDA INFORMA 1 Células hematopoiéticas do sangue do cordão umbilical podem ajudar na recuperação de AVC s As células estaminais hematopoiéticas do sangue do cordão umbilical podem promover

Leia mais

Alterações dos tecidos ósseo e articular na terceira idade. Fluxo do conteúdo. Fluxo do conteúdo. OSTEOPOROSE Caracterização

Alterações dos tecidos ósseo e articular na terceira idade. Fluxo do conteúdo. Fluxo do conteúdo. OSTEOPOROSE Caracterização Alterações dos tecidos ósseo e articular na terceira idade Fluxo do conteúdo ALTERAÇÕES NO TECIDO ÓSSEO Prevenção Sintomas Tratamento Prof. Germano Fluxo do conteúdo ALTERAÇÕES NO TECIDO ARTICULAR Prevenção

Leia mais

Naramig GlaxoSmithKline Brasil Ltda. Comprimidos 2,5mg

Naramig GlaxoSmithKline Brasil Ltda. Comprimidos 2,5mg Naramig GlaxoSmithKline Brasil Ltda. Comprimidos 2,5mg LEIA ESTA BULA ATENTAMENTE ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Naramig cloridrato de naratriptana APRESENTAÇÃO Naramig

Leia mais

LOMBALGIA. Faculdade de Medicina Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG Departamento do Aparelho Locomotor. Prof. Jefferson Soares Leal

LOMBALGIA. Faculdade de Medicina Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG Departamento do Aparelho Locomotor. Prof. Jefferson Soares Leal LOMBALGIA Faculdade de Medicina Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG Departamento do Aparelho Locomotor Prof. Jefferson Soares Leal Aula e bibliografia atualizadas estarão disponíveis para os alunos

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Losartan + Hidroclorotiazida Medirex 50 mg + 12,5 mg comprimidos revestidos por película Losartan + Hidroclorotiazida Medirex 100 mg + 25 mg comprimidos

Leia mais

Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação

Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação Deficiência Deficiência Estabelecidos pelo Decreto Federal 3.298 de 20 de dezembro de 1999 (art. 3º, I e 4 ), que foi alterado pelo Decreto 5.296 de 02 de dezembro de 2004. É todo e qualquer comprometimento

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM NO PARALISADO CEREBRAL COM AFÁSIA MOTORA

O DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM NO PARALISADO CEREBRAL COM AFÁSIA MOTORA O DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM NO PARALISADO CEREBRAL COM AFÁSIA MOTORA POLONIO, Fernanda de Carvalho (UEM) SILVA, Tânia dos Santos Alvarez (Orientadora/UEM) Introdução Esse estudo tem como objetivo discutir

Leia mais

Sexualidade Humana. Mensagem Importante. O sexo é uma necessidade humana básica, essencial para uma vida equilibrada e satisfatória.

Sexualidade Humana. Mensagem Importante. O sexo é uma necessidade humana básica, essencial para uma vida equilibrada e satisfatória. Como Superar a Disfunção Erétil (DE) e a Ejaculação Precoce (EP). Maximen Urologia Especializada O sexo é uma necessidade humana básica, essencial para uma vida equilibrada e satisfatória. Mensagem Importante

Leia mais

DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA Sex, 28 de Agosto de 2009 19:57 - Última atualização Sáb, 21 de Agosto de 2010 19:16

DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA Sex, 28 de Agosto de 2009 19:57 - Última atualização Sáb, 21 de Agosto de 2010 19:16 DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA A tensão do dia a dia é a causa mais freqüente das dores de cabeça mas, elas poderem aparecer por diversas causas e não escolhem idade e sexo. Fique sabendo, lendo este artigo,

Leia mais

A importância da intervenção da fisioterapia na fase inicial da hemiplegia após acidente vascular cerebral AVC

A importância da intervenção da fisioterapia na fase inicial da hemiplegia após acidente vascular cerebral AVC A importância da intervenção da fisioterapia na fase inicial da hemiplegia após acidente vascular cerebral AVC Alessandra Antunes Barbosa 1, Ana Karina Souza 1, Anne Gouvea Tozzo 1, Lívia de Cássia Baratella

Leia mais

Halcion contém a substância ativa triazolam. O triazolam pertence a um grupo de medicamentos denominado benzodiazepinas.

Halcion contém a substância ativa triazolam. O triazolam pertence a um grupo de medicamentos denominado benzodiazepinas. Folheto informativo: Informação para o utilizador Halcion 0,25 mg comprimidos Triazolam Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento pois contém informação importante para

Leia mais

HANSENÍASE Diagnósticos e prescrições de enfermagem

HANSENÍASE Diagnósticos e prescrições de enfermagem HANSENÍASE Diagnósticos e prescrições de enfermagem HANSENÍASE Causada pela Mycobacterium leprae, ou bacilo de Hansen, que é um parasita intracelular obrigatório, com afinidade por células cutâneas e por

Leia mais

TÍTULO: AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE FUNCIONAL DE PACIENTES PÓS AVE SUBMETIDOS A UM PROTOCOLO DE PILATES SOLO/BOLA

TÍTULO: AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE FUNCIONAL DE PACIENTES PÓS AVE SUBMETIDOS A UM PROTOCOLO DE PILATES SOLO/BOLA TÍTULO: AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE FUNCIONAL DE PACIENTES PÓS AVE SUBMETIDOS A UM PROTOCOLO DE PILATES SOLO/BOLA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: CENTRO

Leia mais

VOCÊ CONHECE SUA PISADA?

VOCÊ CONHECE SUA PISADA? ANO 2 www.instituodetratamentodador.com.br VOCÊ CONHECE SUA PISADA? Direção: Dr José Goés Instituto da Dor Criação e Diagramação: Rubenio Lima 85 8540.9836 Impressão: NewGraf Tiragem: 40.000 ANO 2 Edição

Leia mais

ATIVIDADE PARA O IDOSO. Prof. Dr. Denilson de Castro Teixeira

ATIVIDADE PARA O IDOSO. Prof. Dr. Denilson de Castro Teixeira ATIVIDADE PARA O IDOSO Prof. Dr. Denilson de Castro Teixeira O MOVIMENTO HUMANO Movimento é vida Maneira concreta de estarmos presentes no mundo Interação com o ambiente, com as pessoas e consigo mesmo

Leia mais

PORTARIA N 9, DE 6 DE JANEIRO DE 2014

PORTARIA N 9, DE 6 DE JANEIRO DE 2014 PORTARIA N 9, DE 6 DE JANEIRO DE 2014 Inclui na Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do Sistema Único de Saúde (SUS) procedimento Sequencial em Neurocirurgia.

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Losartan + Hidroclorotiazida Atral 50 mg + 12,5 mg Comprimidos revestidos por película Losartan de potássio e Hidroclorotiazida Leia atentamente este folheto

Leia mais

A CANÇÃO COMO RECURSO TERAPÊUTICO NA REABILITAÇÃO DA AFASIA *

A CANÇÃO COMO RECURSO TERAPÊUTICO NA REABILITAÇÃO DA AFASIA * A CANÇÃO COMO RECURSO TERAPÊUTICO NA REABILITAÇÃO DA AFASIA * Rosana Saldanha Silva Especialista em Musicoterapia e Fonoaudiologia Musicoterapeuta e Fonoaudióloga rosasal@terra.com.br Resumo: Este estudo

Leia mais

Compaz. diazepam. Comprimidos 5 mg e 10 mg. Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE

Compaz. diazepam. Comprimidos 5 mg e 10 mg. Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Compaz diazepam Comprimidos 5 mg e 10 mg Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE 1 IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Compaz diazepam Ansiolítico e Miorrelaxante APRESENTAÇÕES Comprimidos

Leia mais