APOSTILA DE INTEGRAÇÃO CONTROLLER

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APOSTILA DE INTEGRAÇÃO CONTROLLER"

Transcrição

1 APOSTILA DE INTEGRAÇÃO CONTROLLER A integração de dados do Controller com a contabilidade, seja com o sistema Contábil ou com qualquer outro sistema, é feita através de lotes. Os lançamentos seguem a estrutura partida simples, ou seja, um débito para um crédito. Esses lotes são criados de duas formas: 1- No Controller, por meio de arquivo TXT, no item de menu Sistema/Contabilização. Neste caso, será gerado um arquivo TXT, no layout padrão de arquivos de lançamentos da Nasajon, que será importado no sistema Contábil, por meio do item de menu Lançamentos / Lotes / Importação de lotes TXT. Este tipo de integração deve ser utilizado quando os sistemas geradores de dados (Persona, Scritta, Cobranza e Controller) estão instalados em local diferente do sistema Contábil, quando o código da empresa no Contábil difere do sistema gerador de dados, ou ainda, quando o sistema de contabilidade é de terceiros. Neste último caso, haverá a necessidade de adequação ao layout do arquivo TXT gerado, conforme figura abaixo. 2- No Contábil, em Extras / Integração Sistemas Nasajon". Este tipo de integração ocorre quando os sistemas geradores de dados (Persona, Scritta, Cobranza e Controller) estão instalados no mesmo local do sistema Contábil e as empresas possuem o mesmo código. Os lançamentos são gravados em um lote de integração, somente quando o sistema gerador dos dados está configurado com as contas contábeis adequadas, ou seja, estas contas precisam ser configuradas no sistema de origem (Persona, Scritta, Cobranza e Controller). Esses sistemas possuem campo específico para este fim, denominado código contábil, em todas as telas destinadas à integração (clientes, fornecedores, grupo de itens de estoque etc.) e, quando não houver, as contas serão configuradas na tela configuração da contabilidade, localizada no item de menu sistema / contabilizarbotão configurar.

2 O lançamento contábil gerado por integração possui a mesma formatação de um lançamento incluído manualmente direto na contabilidade, ou seja, é formatado com a data, conta débito, conta crédito, centro de custos, histórico e valor, conforme tela abaixo. Integrando pela 1ª vez Em toda integração o sistema verifica as configurações das contas contábeis referentes ao módulo selecionado. Desta forma, mesmo sem ter feito a configuração das contas contábeis, é possível tentar gerar um lote de integração. O que ocorre nesta situação é que o sistema gera um relatório de faltas, que demonstra justamente o que falta configurar para que se possa gerar o lote de integração, de forma adequada. Vamos integrar? a) No sistema Controller, clique no item de menu Sistema / Contabilização ou no sistema Contábil, clique no item de menu Extras / Integração Sistemas Nasajon / Controller. b) Informe o período (intervalo de datas). c) Selecione uma ou mais opções dentre as cinco disponíveis (conta corrente, contas a receber, contas a pagar, notas fiscais, estoques etc). d) Clique no botão Gravar. Neste momento, o sistema sugere um nome para o arquivo constituído pela palavra lote + mês + ano extraídos do período de datas indicado pelo usuário (Ex.: lote0110.txt). Como se trata de um primeiro teste, basta confirmar a geração do arquivo. NOTAS: Como as contas não tinham sido configuradas para esta primeira integração, o sistema mostrará o relatório de faltas que deve ser avaliado para o início das configurações. Este relatório também será gerado caso uma das contas esteja faltando, ou seja, um lançamento só é integrado se as duas contas contábeis, a crédito e a débito, estiverem presentes. Escolhemos integrar pela 1ª vez, por meio do sistema Controller, porque a intenção é apenas observar como a integração acontece. Se integrarmos via Controller, será gerado apenas um arquivo TXT, mas se fizermos pelo Contábil, será gerado um lote que posteriormente precisará ser excluído, já que se trata de um teste.

3 Conhecendo a tela de integração A tela de integração, conforme figura, é composta de: 1- Opções referentes aos módulos do sistema, onde antes foram incluídas informações passíveis de integração com a contabilidade. Cada opção abre sub opções que deverão ser selecionadas, ou não, para a integração. 2- Período de datas para contabilização, onde o sistema sugere do primeiro ao último dia do mês corrente, cabendo ao usuário sua alteração ou não. 3- Opção para gerar arquivo no formato DOS, que consiste em gerar o arquivo TXT no layout do sistema GC 3.0 (DOS). 4- Opção para considerar operações à vista como a prazo, que faz com que as operações realizadas à vista sejam consideradas como se fossem operações à prazo. Observação: O sistema entenderá como operação à vista aquela onde a data de emissão é igual a data de pagamento do documento. Neste caso, a contabilização terá como origem uma conta resultado (receita ou despesa) e como aplicação uma conta do ativo disponível. Operações a prazo serão interpretadas pelo sistema, nos casos em que a data de emissão for menor do que a data de pagamento do documento. Neste caso, a contabilização será obrigatoriamente com origem em uma conta de resultado (receita ou despesa) e com aplicação em uma conta do ativo realizável ou passivo exigível. 5- Opção para ignorar valores zerados, que desconsidera lançamentos cujo valor é igual a zero.

4 6- Opção Considera Baixas de títulos do Scritta, que faz com que as baixas de títulos originados pelo Scritta possam ser contabilizadas pelo Controller. 7- Botão Configurar, onde serão informados os códigos contábeis e históricos, conforme figuras abaixo. Note que, na figura anterior, há uma coluna específica contendo linhas para a configuração de históricos e se clicarmos em qualquer uma dessas linhas aparecerá um pequeno botão.... Clicando neste botão, o sistema abre a tela de configuração de históricos, conforme figura abaixo. Configurando históricos Selecione uma das opções no quadro à esquerda da tela onde estão os Campos Disponíveis e clique no botão Adicionar. Neste momento, note que o campo passou para o quadro à direita da tela e o texto do histórico pode ser ajustado. Conforme já mencionado, o sistema gerador dos dados precisa possuir as contas contábeis configuradas e, para isso, podemos trabalhar de duas maneiras: usando a tela de contas genéricas ou as telas de cadastros.

5 A tela de configurações genéricas já é conhecida, então, a seguir, conheceremos as telas dos cadastros. Conhecendo Contas / Manutenção O código contábil indicado aqui será utilizado na integração de lançamentos feitos diretamente na conta corrente, e em lançamentos de baixa de títulos a pagar / receber. Uma característica que vale ressaltar é que, se o lançamento for um recebimento, então a conta contábil da conta corrente será usada como débito e, se for um pagamento, a conta contábil será usada como crédito. Conhecendo Contas / Manutenção / botão Lançamentos O código contábil indicado aqui será utilizado na integração do lançamento de conta corrente feito manualmente, em contrapartida ao código contábil utilizado para a conta corrente. Lembramos que o campo Sinal é quem identifica se o lançamento no Controller é um recebimento (crédito) ou um pagamento (débito). Sendo assim, se o lançamento for um recebimento, a conta contábil indicada será usada como credora. Caso o sinal identifique que o lançamento é um pagamento, a conta contábil será usada como devedora. Atenção! Não basta apenas configurar as contas contábeis. Também é preciso marcar a opção Contabiliza.

6 Conhecendo Cadastro / Clientes / Manutenção O código contábil, indicado nesta tela, refere-se à conta do cliente na contabilidade e será utilizado na integração de títulos a receber nas provisões a débito e nas baixas a crédito. Lembrando que essas provisões podem ser incluídas diretamente no módulo Receber (Títulos com origem Manutenção) ou por meio dos módulos de Notas Fiscais. Conhecendo Cadastro / Fornecedores / Manutenção

7 O código contábil, indicado nesta tela, refere-se à conta do fornecedor na contabilidade e será utilizado na integração de títulos a pagar nas provisões a crédito e nas baixas a débito. Lembrando que, essas provisões podem ser incluídas diretamente no módulo Pagar (Títulos com origem Manutenção) ou por meio dos módulos de Notas Fiscais. Conhecendo Cadastro / Transportadoras / Manutenção No caso de transportadoras, não há como configurar o código contábil na tela de cadastro porque o campo referente à configuração está disponível somente na tela de configurações genéricas, que pode ser acessada por meio do item de menu Sistema / Contabilização / Botão Configurar / aba Transportadoras. O código contábil aqui definido será usado a crédito, na integração de Notas Fiscais de Aquisição de Serviços de Transporte de Cargas, e de títulos a pagar incluídos diretamente no módulo Pagar (Títulos com origem Manutenção), quando for usada a transportadora ao invés do fornecedor. Conhecendo Cadastro / Serviços / Manutenção O código contábil, indicado nesta tela, refere-se à conta de despesa ou à receita de serviços na contabilidade e será utilizado na contabilização das Notas Fiscais de Aquisição de Serviços (a débito) ou Notas Fiscais de Prestação de Serviços (a crédito). Conhecendo Cadastro / Classificações Financeiras A classificação financeira é a tabela utilizada para que o sistema Controller integre movimentos financeiros por centro de custos. Ou seja, se na contabilidade os lançamentos são feitos com centro de custo, no Controller esse centro de custo precisa estar vinculado à classificação financeira.

8 Além do centro de custo contábil, também é possível vincular uma conta contábil do plano de contas a uma classificação financeira. Desta forma, será possível utilizar a conta contábil atrelada à classificação financeira como contrapartida de um lançamento de contas correntes ou preencher automaticamente o código contábil de um título a pagar / receber (com origem manutenção). Conhecendo Receber / Manutenção de Títulos a Receber Os títulos a receber podem ser criados a partir de vários módulos, mas, neste caso, trataremos apenas da integração de títulos incluídos manualmente no módulo Receber, caracterizando a origem do título como Manutenção. Para contabilizar a provisão do título, o sistema usará o código contábil indicado no cliente, a débito, e o código contábil usado na tela do título, a crédito. Lembramos que, neste segundo caso, o sistema pode utilizar o código contábil indicado no cadastro da classificação financeira, bem como seu centro de custo, se houver. Para isso, é necessário que seja marcada a opção Código contábil de acordo com a Classificação Financeira, no menu Sistema / Configurar / Títulos a Receber. Conhecendo Receber / Manutenção de Títulos a Receber / Baixa.

9 Na baixa de títulos, na maioria dos casos, não é necessário indicar o código contábil, pois o sistema faz a integração usando a conta contábil indicada no cadastro da conta corrente, a débito, e a conta contábil indicada no cliente, a crédito. A conta contábil da tela da baixa do título só deve ser indicada, se não houver uma conta corrente preenchida no momento da baixa ou nos casos em que aquela conta deva ser substituída. Caso a conta contábil seja informada nesta tela, será utilizada no lugar da conta contábil do cadastro da conta corrente. Note que, na tela acima, há conta corrente, então não houve a necessidade de indicação da conta contábil. Conhecendo Pagar / Manutenção de Títulos a Pagar Da mesma forma que nos títulos a receber, os títulos a pagar podem ser criados a partir de vários módulos, mas trataremos apenas da integração de títulos incluídos manualmente no módulo pagar. Neste caso, a origem do título é Manutenção. Para contabilizar a provisão do título, o sistema usará o código contábil indicado na tela do título (débito) e o código contábil do fornecedor (crédito). Lembramos que, neste segundo caso, o sistema pode utilizar o código contábil indicado no cadastro da classificação financeira, bem como o centro de custo, se houver. Para isso é necessário que seja marcada a opção Código contábil de acordo com a Classificação Financeira, no menu Sistema / Configurar / Títulos a Pagar. O campo Tipo Pagamento também pode ser usado para indicação de código contábil, que será usado como débito.

10 Conhecendo Pagar / Manutenção de Títulos a Pagar / Baixa Assim como para baixa de títulos a receber, na baixa de títulos a pagar, na maioria dos casos, não é necessário indicar código contábil, pois o sistema faz a integração usando a conta contábil indicada no cadastro do fornecedor, a débito, e a conta contábil da conta corrente, a crédito. A conta contábil da tela da baixa do título só deve ser indicada se não houver uma conta corrente envolvida no processo ou nos casos em que o código contábil vinculado à conta corrente deva ser substituído. Caso a conta contábil seja informada nesta tela, será utilizada no lugar da conta contábil do cadastro da conta corrente. Note que, na tela acima, há conta corrente, então não houve a necessidade de indicação da conta contábil. Observações: Conforme já mencionado, títulos a pagar e a receber podem ser incluídos, além da forma manual, também por meio de notas fiscais, cobrança, pedidos de vendas ou de compras, do sistema Scritta e do sistema Persona. Veja alguns exemplos abaixo para integrar 1- Provisões de títulos a receber, geradas por notas fiscais de saída ou eletrônica: o sistema usará o código contábil do cadastro do cliente (débito) e o código contábil de receita do grupo do item (crédito); 2- Provisões de títulos a receber geradas por notas fiscais de prestação de serviços: o sistema usará o código contábil do cadastro do cliente (débito) e o código contábil do serviço (crédito); 3- Provisões de títulos a pagar geradas por notas fiscais de entrada: o sistema usará o código contábil de estoque do grupo do item (débito) e o código contábil do cadastro do fornecedor (crédito);

11 4- Provisões de títulos a pagar geradas por notas fiscais de aquisição de serviços: o sistema usará o código contábil do serviço (débito) e o código contábil do fornecedor (crédito); 5- Provisões de títulos a pagar e a receber geradas no sistema Scritta: use o Scritta para contabilizar; Para gerar lançamentos contábeis para cada nota fiscal processada selecione, "Notas fiscais", na configuração de contabilização. Poderão ser gerados diversos lançamentos para cada nota fiscal. A nota será desmembrada em diversos lançamentos, sendo um para cada grupo de estoque. No caso de nota fiscal conjugada, ou seja, com mercadorias e serviços, a nota será desmembrada em duas: nota de mercadorias e de serviços. Já que mencionamos a integração de provisões geradas por meio de notas fiscais, então: Conhecendo Estoques /Tabelas / Grupos Nesta tela, são indicados todos os códigos contábeis que o sistema usará para integrar notas fiscais, movimentos de estoque avulsos ou de produção. A seguir, veja como ficam alguns lançamentos contábeis

12 Notas Fiscais No Controller, existem diversas modalidades de notas fiscais que poderão ser contabilizadas à vista ou a prazo. O sistema entenderá como operação à vista todo documento que originar um título a receber / pagar e possuir data de emissão igual à data de pagamento. Consequentemente, serão consideradas operações a prazo aquelas em que os documentos possuírem data de emissão menor do que a data de pagamento. É possível considerar todas as operações como se fossem a prazo, para isso é necessário selecionar a opção Considera operações à vista como a prazo, na tela de contabilização. Abaixo as modalidades de notas fiscais existentes no Controller: Nota Fiscal de Entrada - Modelo 01 (talão) Faturamento / Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada Nota Fiscal de Saída - Modelo 01 (talão) Faturamento / Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saída Nota Fiscal Eletrônica - Modelo 55 (NF-e) Faturamento / Notas Fiscais / Notas Fiscais Eletrônicas

13 As notas fiscais eletrônicas podem ser de: Saída, Entrada ou Retorno. A nota fiscal eletrônica do tipo Retorno deve ser utilizada para criar uma nota fiscal, invertendo a direção da nota fiscal original. Ex.: Nota fiscal de devolução. A nota fiscal eletrônica do tipo Entrada deve ser emitida nos casos de nacionalização (nota de importação), ou nos casos em que seja necessário efetuar entrada de mercadorias, sem que o remetente tenha emitido nota fiscal (Ex: Produtor Rural, Órgão público). Nota Fiscal Eletrônica Recebida - Modelo 55 (NF-e) Faturamento / Notas Fiscais / Notas Fiscais Eletrônicas Recebidas Esta modalidade de nota fiscal só poderá ser importada através de uma das opções existentes no menu do botão Importar. A importação pode ser feita por meio do arquivo XML, disponibilizado pelo emitente (Importar Arquivo Local ou Importar Lote), ou da chave de acesso contida no DANFE (Importar Web). Importante: Embora o sistema possibilite a importação dos dados da nota fiscal eletrônica, pela chave de acesso, isto não substitui a obrigação de guarda do arquivo digital, conforme Ajuste SINIEF 08/2010. Apenas o XML original, inalterado, disponibilizado pelo emitente, assinado digitalmente e com o devido protocolo de uso, tem efeito legal. Nem a guarda do DANFE impresso, nem a cópia das informações disponibilizadas no Portal da Nota Fiscal Eletrônica podem substituir o XML especificado. Nota Fiscal de Prestação de Serviços - Modelo 2A (talão) Faturamento / Notas Fiscais / Notas Fiscais de Prestação de Serviços

14 Nota Fiscal de Aquisição de Serviços - Modelo 2A (talão) Faturamento / Notas Fiscais / Notas Fiscais de Aquisição de Serviços Nota Fiscal de Aquisição de Serviços de Transporte de Carga Faturamento / Notas Fiscais / Notas Fiscais de Aquisição de Serviços de Transporte de Carga A nota fiscal de aquisição de serviços de transporte de carga (conhecimento de transporte) poderá ser dos seguintes modelos: O Conhecimento de Transporte Eletrônico (CTE) poderá ser importado por arquivo XML disponibilizado pelo transportador. Recibo Provisório de Serviços (RPS) Faturamento / Notas Fiscais / Recibo Provisório de Serviços

15 Observação: O RPS equivale a uma nota fiscal provisória e deverá obrigatoriamente ser convertido em NFS-e dentro do prazo determinado pela Prefeitura do Município onde a empresa está situada. Nota Fiscal de Compra Caracterizam-se como nota fiscal de compra aquelas que utilizam CFOP s associados a um Grupo de Compras. Por exemplo: compras de mercadorias, compras ativo imobilizado, compras para uso / consumo, compra para industrialização etc. Vide figura abaixo: Uma nota fiscal de compra poderá ser: Nota Fiscal de Entrada - Modelo 01 Nota Fiscal Eletrônica / Entrada - Modelo 55 Nota Fiscal Eletrônica Recebida - Modelo 55 Data preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Código contábil de Estoque do Grupo de Estoque do Item ou, se não estiver preenchido, código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Compra / Conta Débito.

16 Código contábil cadastrado no fornecedor da nota fiscal, ou, se não estiver preenchido, código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Compra / Conta Crédito. Será preenchido se, no item da nota fiscal, for informado um centro de custo contábil. Neste caso, será gerado um lançamento para cada centro de custo vinculado por item. Será o valor proporcional a cada grupo de estoque dos itens da nota. A soma dos valores desses lançamentos será o valor da nota fiscal. Caso a conta de estoque seja genérica, o valor do lançamento único corresponderá ao valor contábil da nota fiscal. Quando houver centro de custo contábil preenchido, o valor será para cada centro de custo vinculado por item. Histórico pré-definido em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Compra / Histórico. Os campos disponíveis são Código do fornecedor, Nome do fornecedor, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do Código Fiscal (natureza da operação) e Grupo do Código Fiscal (Descrição). Exemplo de histórico para uma nota de número de um Fornecedor X : Compra de Estoque conforme Nota fiscal de Entrada número [ ] de Fornecedor X. Nota Fiscal de Venda Caracteriza-se como nota fiscal de Venda, aquela que utiliza CFOP associado a um Grupo de Vendas. Por exemplo: vendas de mercadorias próprias, vendas de mercadoria de terceiros e vendas para o exterior. Uma nota fiscal de venda poderá ser: Nota Fiscal de Saída - Modelo 01 Nota Fiscal Eletrônica / Saída - Modelo 55 Data preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Caso não exista, será considerada a data de emissão. Código contábil cadastrado no cliente da nota fiscal ou, se não estiver preenchido, código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saída / Venda / Conta Débito. Código contábil de Receitas do Grupo de Estoque do Item ou, se não estiver preenchido, código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saídas / Venda / Conta Crédito. Será preenchido se no item da nota fiscal for informado um centro de custo contábil. Neste caso, será gerado um lançamento para cada centro de custo vinculado por item.

17 Será o valor proporcional a cada grupo de estoque dos itens da nota. A soma dos valores desses lançamentos será o valor da nota fiscal. Caso a conta de estoque seja genérica, o valor do lançamento único corresponderá ao valor contábil da nota fiscal. Quando houver centro de custo contábil preenchido, o valor será rateado por item. Histórico pré-definido em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saídas/Venda/Histórico. Os campos disponíveis são: Código do cliente, Nome do cliente, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação) e Grupo do código fiscal (Descrição). Exemplo de histórico para uma nota de número de um Cliente A : Venda conforme Nota fiscal de Saída número [ ] de Cliente A. Nota fiscal de Remessa para Industrialização Neste caso, estamos enviando um produto a ser industrializado em um Fornecedor, com algum beneficiamento. Exemplo: A empresa comercializa brindes, então envia canetas (neste caso, as canetas são matéria-prima) para gravar a logomarca de um cliente em uma empresa terceirizada de gravação em canetas. Caracteriza-se como nota fiscal de remessa para Industrialização, aquela que utiliza CFOP s associados ao grupo de remessa de matéria prima para beneficiamento. Uma nota fiscal de remessa para industrialização poderá ser: Nota Fiscal de Saída / Retorno- Modelo 01 Nota Fiscal Eletrônica / Saída - Modelo 55 Observações: Este tipo de nota fiscal deve ser processado como Simples Remessa, ou seja, não deve gerar título. No caso de notas fiscais de saída modelo 01, é necessário selecionar a coluna Retorno, na tabela de CFOP. Data preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Caso não exista, será considerada a data de emissão. Código contábil de Remessa do Grupo de Estoque do Item ou, se não estiver preenchido, usar o código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saídas / Remessa para Industrialização / Conta Débito.

18 Código contábil de Estoque do Grupo de Estoque do Item ou, se não estiver preenchido, usar o código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saídas / Remessa para industrialização / Conta Crédito. Não preenchido. Será o valor proporcional a cada grupo de estoque dos itens da nota. A soma dos valores desses lançamentos será o valor da nota fiscal. Caso a conta de estoque seja genérica, o valor do lançamento único corresponderá ao valor contábil da nota fiscal. Histórico pré-definido em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saídas / Remessa para Industrialização / Histórico. Os campos disponíveis são: Código do fornecedor, Nome do cliente, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação) e Grupo do código fiscal (Descrição). Exemplo de histórico para uma nota de número de um Fornecedor X : Remessa para Industrialização conforme Nota fiscal de Saída número [ ] de Fornecedor X. Nota fiscal de Retorno de produto industrializado Neste caso, as mesmas canetas do exemplo anterior, retornaram à empresa e precisam ser inseridas no estoque. Caracterizam-se como retorno de produto industrializado, notas fiscais de entrada que estão associadas ao grupo de CFOP: Retorno produto Industrializado. Uma nota fiscal de retorno de produto industrializado poderá ser: Nota Fiscal de Entrada - Modelo 01 Nota Fiscal Eletrônica Recebida - Modelo 55 Observação: Este tipo de nota fiscal deve ser processado como Simples Remessa, ou seja, não deve gerar título, com exceção dos casos em que o valor cobrado pelo serviço de industrialização seja incluído na mesma nota, vinculado a um CFOP de Serviço de Industrialização. Neste caso, os CFOP s devem ser discriminados por item e o título será gerado no valor proporcional. Data preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Código contábil de Estoque do Grupo de Estoque do Item ou, se não estiver preenchido, usar o código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Retorno de Industrialização / Conta Débito.

19 Código contábil de Retorno do Grupo de Estoque do Item ou, se não estiver preenchido, usar o código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Retorno de Industrialização / Conta Crédito. Não preenchido. Será o valor proporcional a cada grupo de estoque dos itens da nota. A soma dos valores desses lançamentos será o valor da nota fiscal. Caso a conta de estoque seja genérica, o valor do lançamento único corresponderá ao valor contábil da nota fiscal. Histórico pré-definido em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Retorno de Industrialização / Histórico. Os campos disponíveis são: Código do cliente, Nome do cliente, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação) e Grupo do código fiscal (Descrição). Exemplo de histórico para uma nota de número de um fornecedor Fornecedor X : Retorno de Material Industrializado conforme Nota fiscal de Entrada número [ ] de Fornecedor X. Nota fiscal de Entrada para Industrialização Neste caso, estamos recebendo um produto para ser industrializado em nosso estabelecimento, ou seja, para receber algum beneficiamento. Exemplo: Minha empresa agora é a Empresa que grava a logomarca nas canetas, então recebemos as canetas para serem industrializadas. Caracteriza-se como nota fiscal de Entrada para Industrialização, aquela associada ao grupo de CFOP: Entrada de matéria prima para beneficiamento. Uma nota fiscal de Entrada para industrialização poderá ser: Nota Fiscal de Entrada / Retorno- Modelo 01 Nota Fiscal Eletrônica / Entrada Modelo 55 Nota Fiscal Eletrônica Recebida - Modelo 55 Observação: Este tipo de nota fiscal deve ser processado como Simples Remessa, ou seja, não deve gerar título. No caso das notas fiscais de entrada, modelo 01, é necessário selecionar a coluna Retorno, na tabela de CFOP.

20 Data preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Código contábil de Estoque do Grupo de Estoque do Item ou, se não estiver preenchido, usar código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Remessa para Industrialização / Conta Débito. Código contábil de Estoque de Terceiros do cliente ou, se não estiver preenchido, código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Remessa para Industrialização / Conta Crédito. Não preenchido. Será o valor proporcional a cada grupo de estoque dos itens da nota. A soma dos valores desses lançamentos será o valor da nota fiscal. Caso a conta de estoque seja genérica, o valor do lançamento único corresponderá ao valor contábil da nota fiscal. Quando houver centro de custo contábil preenchido, o valor será rateado por item. Histórico pré-definido em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Remessa para Industrialização / Histórico. Os campos disponíveis: Código do cliente, Nome do cliente, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação) e Grupo do código fiscal (Descrição). Exemplo de histórico para uma nota de número de um Cliente A : Entrada de Material para Industrialização conforme Nota fiscal de Entrada número [ ] de Cliente A. Nota fiscal de Retorno ao Cliente de produto industrializado Neste caso, as mesmas canetas ficaram prontas e devemos enviar as canetas para o cliente. Caracterizam-se como uma nota fiscal de Retorno de produto industrializado, aquelas associadas ao grupo de CFOP: Retorno de produto Industrializado. Uma nota fiscal de Retorno de produto industrializado poderá ser: Nota Fiscal de Saída - Modelo 01 Nota Fiscal Eletrônica / Saída Modelo 55 Observação: Este tipo de nota fiscal deve ser processado como Simples Remessa, ou seja, não deve gerar título. Com exceção dos casos em que o valor cobrado pelo serviço de industrialização seja incluído na mesma nota, vinculado a um CFOP de Venda para Industrialização. Neste caso, os CFOP s devem ser discriminados por item e o título será gerado no valor proporcional.

21 Data preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Caso não exista, será considerada a data de emissão. Código contábil de Estoque de Terceiros do cliente ou, se não estiver preenchido, usar o código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saída / Retorno de Industrialização / Conta Débito. Código contábil de Estoque do Grupo de Estoque do Item ou, se não estiver preenchido, usar o código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saída / Retorno de Industrialização / Conta Crédito. Não preenchido. Será o valor proporcional a cada grupo de estoque dos itens da nota. A soma dos valores desses lançamentos será o valor da nota fiscal. Caso a conta de estoque seja genérica, o valor do lançamento único corresponderá ao valor contábil da nota fiscal. Histórico pré-definido em: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saída / Retorno de Industrialização / Histórico. Os campos disponíveis são: Código do cliente, Nome do cliente, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação) e Grupo do código fiscal (Descrição). Exemplo de histórico para uma nota de número ao Cliente A : Retorno de Industrialização conforme Nota fiscal de Saída número [ ] de Cliente A. Nota Fiscal de Entrada para Conserto Neste caso, estamos recebendo um produto para ser consertado em nosso estabelecimento. Exemplo: Minha empresa agora é de Consertos de Relógios Eletrônicos de Ponto, então recebemos um relógio de Ponto para ser consertado. Caracterizam-se como Entrada para Conserto, notas fiscais associadas ao grupo de CFOP: Entrada para Conserto. Uma nota fiscal de Entrada para Conserto poderá ser: Nota Fiscal de Entrada / Retorno- Modelo 01 Nota Fiscal Eletrônica / Entrada Modelo 55 Nota Fiscal Eletrônica Recebida - Modelo 55

22 Observação: Este tipo de nota fiscal deve ser processado como Simples Remessa, ou seja, não deve gerar título. No caso das notas fiscais de entrada modelo 01, é necessário selecionar a coluna Retorno, na tabela de CFOP. Data preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Remessa de Conserto / Conta Débito. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Remessa de Conserto / Conta Crédito. Não preenchido. Será o valor da nota fiscal. Histórico pré-definido em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Remessa de Conserto / Histórico. Os campos disponíveis são: Código do cliente, Nome do cliente, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação) e Grupo do código fiscal (Descrição). Exemplo de histórico para uma nota de número de um Cliente A : Entrada de Equipamento para Conserto conforme Nota fiscal de Entrada número [ ] de Cliente A. Nota Fiscal de Retorno ao Cliente de produto Consertado Neste caso, o conserto do relógio ficou pronto e devemos enviar o relógio para o cliente. Caracterizam-se como notas fiscais de retorno de mercadoria para conserto aquelas que utilizam CFOP s que estejam associados ao grupo de CFOP: Retorno de mercadoria para conserto. Uma nota fiscal de Retorno de Mercadoria para conserto poderá ser: Nota Fiscal de Saída - Modelo 01 Nota Fiscal Eletrônica / Saída Modelo 55 Observação: Este tipo de nota fiscal deve ser processado como Simples Remessa, ou seja, não deve gerar título, com exceção dos casos em que o serviço cobrado pelo conserto for incluído na mesma nota fiscal, discriminando o CFOP. Neste caso, o título será gerado no valor proporcional.

23 Data preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Caso não exista, será considerada a data de emissão. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas fiscais / Notas fiscais de saída / Retorno de conserto / Conta débito. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas fiscais /Notas fiscais de saída / Retorno de conserto / Conta crédito. Não preenchido. Será o valor da nota fiscal. Histórico pré-definido em: Notas Fiscais /Saída /Retorno de Industrialização / Histórico. Os campos disponíveis são: Código do cliente, Nome do cliente, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação), Grupo do código fiscal (Descrição) Exemplo de histórico para uma nota de número de um cliente de Código Cliente A : Retorno de equipamento enviado anteriormente para conserto conforme Nota fiscal de saída número [ ] de Cliente A. Custo da Mercadoria Vendida Em uma nota de venda de mercadoria, poderão ser gerados lançamentos de custo de mercadoria vendida (CMV). A nota será desmembrada em diversos lançamentos: um para cada grupo de estoque. Exemplo: 1- Compramos a prazo 50 canetas com valor unitário de 10,00 Valor Unitário = 10,00 * 19% ICMS = 1,90 Custo unitário da mercadoria = 10,00 1,90 = 8,10 Custo total = 81,00 O primeiro lançamento contábil a ser gerado será: Debitar a conta Estoque no Ativo (aumentando o patrimônio ), e Creditar a conta Fornecedores no Passivo ,00 2- Vendemos 10 canetas a 16,20 Debitar a conta Clientes no Ativo (Aumentando seu Compromisso a receber ), e Creditar a conta Receitas de Vendas...162,00 3- O CMV (Custo de Mercadoria vendida) apurado nesta operação irá gerar o lançamento abaixo: Debitar a conta Custo de Venda (Custo para apurar o resultado da empresa) Creditar a Conta Estoque no seu Ativo (Reduzindo o ativo)...81,00

24 Observação: O CMV será calculado com base no preço médio apurado no período. Data Preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Caso não exista, será considerada a Data de Emissão. Código contábil de Custo Mercadoria Vendida do Grupo de Estoque do Item ou, se não estiver preenchido, usar código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saídas / Custo de Mercadoria Vendida / Conta Débito. Código contábil de Estoque, o Grupo de Estoque do Item ou, se não estiver preenchido, usar código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saída / Custo de Mercadoria Vendida / Conta Crédito. Será gerado um lançamento para cada grupo de estoque presente na nota fiscal, contendo o valor total do CMV por grupo, utilizando para cálculo o preço médio de cada item na data do lançamento: Valor = ( Quantidade x Preço Médio ). Histórico pré-definido em: Notas Fiscais / Saída / Custo de Mercadoria Vendida / Histórico. Os campos disponíveis são: Código do cliente, Nome do cliente, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação), Grupo do código fiscal (Descrição) Exemplo de histórico para uma nota de número de um cliente Cliente A Venda conforme Nota fiscal de Saída número [ ] de Cliente A. Devolução de Venda Uma nota fiscal de Devolução de Venda poderá ser: Nota Fiscal de Entrada / Retorno - Modelo 01 Nota Fiscal Eletrônica Recebida - Modelo 55 Nota Fiscal Eletrônica / Entrada - Modelo 55

25 Observação: Esse tipo de nota fiscal deve ser processado como Simples Remessa, ou seja, não deve gerar título. No caso das notas fiscais de entrada modelo 01, é necessário selecionar a coluna Retorno, na tabela de CFOP. Data Preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Código contábil cadastrado no grupo de estoque, no campo Devolução de Venda ou código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Devolução de Venda / Conta Débito. Código contábil cadastrado no cliente ou código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Devolução de Venda / Conta Crédito. Será o valor proporcional dos itens devolvidos da nota fiscal e seus respectivos grupos de estoque, caso sejam diferentes. Histórico pré-definido em: Notas Fiscais / Entrada / Devolução de Venda / Histórico. Os campos disponíveis são: Código do Cliente / Fornecedor, Nome do Cliente / Fornecedor, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação), Grupo do código fiscal (Descrição), Grupo de Estoque, Número da Nota Fiscal de origem da Devolução, Observação do título, Anotação. Exemplo de histórico para devolução de venda, de uma nota de origem número , gerando a NF Devolução de Venda da NF de origem gerando a NF de entrada Custo da Mercadoria Vendida - Devolução Data Preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Código contábil cadastrado no grupo de estoque, no campo Estoque, ou código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Custo da Mercadoria Vendida Devolução / Conta Débito. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Custo da Mercadoria Vendida - Devolução / Conta Crédito.

26 Será o estorno do valor do CMV referente à nota fiscal de devolução de venda (proporcional aos itens devolvidos, e seus respectivos grupos de estoque, caso sejam diferentes). Histórico pré-definido em: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Custo da Mercadoria Vendida - Devolução / Histórico. Os campos disponíveis são: Código do Cliente / Fornecedor, Nome do Cliente / Fornecedor, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação), Grupo do código fiscal (Descrição), Grupo de Estoque, Número da Nota Fiscal de origem da Devolução, Observação do título, Anotação. Exemplo de histórico para devolução do custo da mercadoria vendida, de uma nota número Custo da Mercadoria Vendida, Devolução, conforme Nota Fiscal de Entrada número Devolução de Compra Uma nota fiscal de Devolução de Compra poderá ser: Nota Fiscal de Saída / Retorno - Modelo 01 Nota Fiscal Eletrônica / Saída Modelo 55 Nota Fiscal Eletrônica / Retorno Modelo 55 Observação: Esse tipo de nota fiscal deve ser processado como Simples Remessa, ou seja, não deve gerar título. No caso das notas fiscais de saída modelo 01, é necessário selecionar a coluna Retorno, na tabela de CFOP. Data Preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Caso não exista, será considerada a Data de Emissão. Código contábil cadastrado no fornecedor ou código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saída / Devolução de Compra / Conta Débito. Código contábil cadastrado no grupo de estoque, no campo Estoque ou código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saída / Devolução de Compra / Conta Crédito. Será o valor da nota fiscal (proporcional aos itens, caso sejam de grupos diferentes).

27 Histórico pré-definido em: Notas Fiscais / Entrada / Devolução de Compra / Histórico. Os campos disponíveis são: Código do Fornecedor / Cliente, Nome do Fornecedor / Cliente, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação), Grupo do código fiscal (Descrição), grupo de estoque, Número da NF de origem da devolução, Observação do título, Anotação. Exemplo de histórico para devolução de venda, de uma nota de origem número , gerando a NF Devolução de Compra da NF de origem gerando a NF de saída Lançamentos dos Impostos e Encargos nas Notas fiscais de Saída e Entrada 1 ) Notas fiscais de Saída ICMS Data Preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Caso o campo não exista, será considerada a Data de Emissão. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saídas / ICMS / Conta Débito. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saídas / ICMS / Conta Crédito. Será o valor do ICMS da nota fiscal. Histórico pré-definido em: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saídas / ICMS / Histórico. Os campos disponíveis são: Código do cliente, Nome do cliente, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação), Grupo do código fiscal (Descrição). Exemplo de histórico para uma nota de número de um cliente Cliente A : Débito de ICMS referente à venda, conforme Nota fiscal de Saída número [ ] de Cliente A. IPI Data Preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Caso não exista, será considerada a Data de Emissão. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saídas / IPI / Conta Débito. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saídas / IPI / Conta Crédito.

28 Será o valor do IPI da nota fiscal Histórico pré-definido em: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saídas / IPI / Histórico. Os campos disponíveis são: Código do cliente, Nome do cliente, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação), Grupo do código fiscal (Descrição). Exemplo de histórico para uma nota de número de um cliente Cliente A : Débito de IPI referente à venda conforme Nota fiscal de Saída número [ ] de Cliente A. PIS Data preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Caso não exista, será considerada a Data de Emissão. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saídas / PIS / Conta Débito. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saídas / PIS / Conta Crédito. Será o valor do PIS da nota fiscal. Histórico pré-definido em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saída / PIS / Histórico. Os campos disponíveis são: Código do cliente, Nome do cliente, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação), Grupo do código fiscal (Descrição). Exemplo de histórico para uma nota de número de um cliente Cliente A : Débito de PIS referente à venda, conforme Nota fiscal de Saída número [ ] de Cliente A. COFINS Data preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Caso não exista, será considerada a Data de Emissão. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saída / COFINS / Conta Débito. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saída / COFINS / Conta Crédito.

29 Será o valor do COFINS da nota fiscal. Histórico pré-definido em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Saída / COFINS / Histórico. Os campos disponíveis são: Código do cliente, Nome do cliente, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação), Grupo do código fiscal (Descrição). Exemplo de histórico para uma nota de número de um cliente Cliente A : Débito de COFINS referente à venda, conforme Nota fiscal de Saída número [ ] de Cliente A. 2 ) Notas fiscais de Entrada ICMS Data Preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / ICMS / Conta Débito. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / ICMS / Conta Crédito. Será o valor do ICMS da nota fiscal. Histórico pré-definido em: Notas Fiscais / Entrada / ICMS / Histórico. Os campos disponíveis são: Código do fornecedor, Nome do fornecedor, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação), Grupo do código fiscal (Descrição). Exemplo de histórico para uma nota de número de um fornecedor Fornecedor X : Crédito de ICMS referente à compra, conforme Nota fiscal de Entrada número [ ] de Fornecedor X. ICMS (Importação) Data Preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / ICMS (Importação) / Conta Débito. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / ICMS (Importação) / Conta Crédito.

30 Será o valor do ICMS da nota fiscal de entrada do exterior (importação). Histórico pré-definido em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / ICMS (Importação) / Histórico. Os campos disponíveis são: Código do fornecedor, Nome do fornecedor, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação), Grupo do código fiscal (Descrição). Exemplo de histórico para uma nota de número de um fornecedor Fornecedor X : Crédito de ICMS referente à compra, conforme Nota fiscal de Entrada número [ ] de Fornecedor X. Outras Despesas Aduaneiras Data Preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Outras Despesas Aduaneiras / Conta Débito. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Outras Despesas Aduaneiras / Conta Crédito. Será o valor das Outras Despesas Aduaneiras da nota fiscal de entrada (importação). Histórico pré-definido em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada/Outras Despesas Aduaneiras / Histórico Os campos disponíveis são: Código do fornecedor, Nome do fornecedor, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação), Grupo do código fiscal (Descrição). Exemplo de histórico para uma nota de número de um fornecedor Fornecedor X : Outras Despesas Aduaneiras, conforme Nota fiscal de Entrada número [ ] de Fornecedor X. Imposto de Importação Data Preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Imposto de Importação / Conta Débito. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Imposto de Importação / Conta Crédito.

31 Será o valor do Imposto de Importação (I.I.) da nota fiscal de entrada (importação). Histórico pré-definido em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Imposto de Importação / Histórico Os campos disponíveis são: Código do fornecedor, Nome do fornecedor, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação), Grupo do código fiscal (Descrição) Exemplo de histórico para uma nota de número de um fornecedor de Fornecedor X : Imposto de Importação, conforme Nota fiscal de Entrada número [ ] de Fornecedor X. IPI Data Preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / IPI / Conta Débito. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / IPI / Conta Crédito. Será o valor do IPI da nota fiscal. Histórico pré-definido em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / IPI / Histórico Os campos disponíveis são: Código do fornecedor, Nome do fornecedor, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação), Grupo do código fiscal (Descrição). Exemplo de histórico para uma nota de número de um fornecedor Fornecedor X : Crédito de IPI referente à compra conforme Nota fiscal de Entrada número [ ] de Fornecedor X. PIS Data Preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / PIS / Conta Débito.

32 Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / PIS / Conta Crédito. Será o valor do PIS da nota fiscal. Histórico pré-definido em: Notas Fiscais / Entrada / PIS / Histórico Os campos disponíveis são: Código do fornecedor, Nome do fornecedor, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação), Grupo do código fiscal (Descrição). Exemplo de histórico para uma nota de número de um fornecedor Fornecedor X : Crédito de PIS referente à compra, conforme Nota fiscal de Entrada número [ ] de Fornecedor X. COFINS Data Preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / COFINS / Conta Débito. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / COFINS / Conta Crédito. Será o valor do COFINS da nota fiscal. Histórico pré-definido em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / COFINS / Histórico. Os campos disponíveis são: Código do fornecedor, Nome do fornecedor, Número da nota fiscal, Código fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação), Grupo do código fiscal (Descrição). Exemplo de histórico para uma nota de número de um fornecedor Fornecedor X : Crédito de COFINS referente à compra, conforme Nota fiscal de Entrada número [ ] de Fornecedor X. Funrural Produtor Rural Data preenchida no campo Lançamento da Nota Fiscal. Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Funrural Produtor Rural / Conta Débito.

33 Código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Funrural Produtor Rural / Conta Crédito. Será o valor do Funrural da nota fiscal. Histórico pré-definido em Genéricos: Notas Fiscais / Notas Fiscais de Entrada / Funrural Produtor Rural / Histórico. Os campos disponíveis são: Código do fornecedor, Nome do fornecedor, Número da Nota, Código Fiscal, Descrição do código fiscal (natureza da operação), Grupo do código fiscal (Descrição), Grupo de Estoque, Observação do título, Anotação. Exemplo de histórico para uma nota de número de um fornecedor Produtor Rural : Funrural retido conforme Nota Fiscal de Entrada número [000100] de Produtor Rural. Observação: Os campos referentes ao Funrural Produtor Rural só serão habilitados na aba Parcelas da Nota Fiscal quando o Fornecedor vinculado à nota fiscal for Pessoa Física e estiver classificado no campo Tributação de ICMS como Produtor Rural. Valor Contábil do RPS Recibo Provisório de Serviços (RPS) Data Preenchida no campo Emissão do RPS. Código contábil cadastrado no cliente do RPS ou, se não estiver preenchido, usar o código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Recibo Provisório de Serviços (RPS) / RPS / Conta Débito. Código contábil cadastrado no serviço do RPS, ou, se não estiver preenchido, usar o código contábil cadastrado em Genéricos: Notas Fiscais / Recibo Provisório de Serviços (RPS) / RPS/ Conta Crédito. Será preenchido se no serviço do RPS for informado um centro de custo contábil. Nesse caso, será gerado um lançamento para cada centro de custo vinculado por serviço. Será o valor proporcional a cada serviço do RPS. A soma dos valores desses lançamentos será o valor do RPS. Caso a conta de receita com serviços seja genérica, o valor do lançamento único corresponderá ao valor contábil do RPS. Quando houver centro de custo contábil preenchido, o valor será rateado por centro de custo.

NOVO MÓDULO PATRIMÔNIO

NOVO MÓDULO PATRIMÔNIO NOVO MÓDULO PATRIMÔNIO 1 PARÂMETROS 1.1 Aba Geral 1. No quadro Período, no campo: Observação: Após ser efetuado o cálculo de qualquer período, o campo Inicial, não poderá mais ser alterado. Inicial, informe

Leia mais

Auditoria Financeira

Auditoria Financeira Auditoria Financeira Processo de Uso da Auditoria Financeira CADASTRO DE EMPRESA PARÂMETROS No Gerenciador de Sistemas, em Empresas\ Cadastro de Empresas, é necessário parametrizar os dados para a Auditoria

Leia mais

SPED Contribuições Pis, Cofins e INSS

SPED Contribuições Pis, Cofins e INSS Versão 6.04.00 Abril/2015 SPED Contribuições Pis, Cofins e INSS Passo a Passo: Cadastros, Configurações e Operações SPED Contribuições O SPED Contribuições é um arquivo digital instituído no Sistema Publico

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota fiscal de devolução com ICMS e IPI na NF-e

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota fiscal de devolução com ICMS e IPI na NF-e Nota fiscal de devolução com ICMS e IPI na NF-e 03/10/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão...

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÃO. 1- Para acessar o sistema é necessário seguir os passos abaixo:

GUIA DE ORIENTAÇÃO. 1- Para acessar o sistema é necessário seguir os passos abaixo: GUIA DE ORIENTAÇÃO 1- Para acessar o sistema é necessário seguir os passos abaixo: 1.1 - ACESSAR O SITE DA PREFEITURA: 1.2 - CLICAR NA OPÇÃO: SERVIÇOS >> NOTA FISCAAL ELETRÔNICA 1.3 - Aguarde carregar

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Complementar de quantidade e valor

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Complementar de quantidade e valor Nota Fiscal Complementar de quantidade e valor 28/11/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 6 4. Conclusão...

Leia mais

Tutorial para emissão de NF-e

Tutorial para emissão de NF-e Tutorial para emissão de NF-e Conteúdo 1.Configuração do Módulo de NF-e... 2 1.1.Códigos Fiscais... 3 1.2.Contas Contábeis... 4 1.3.Conta corrente... 6 2.Emissão de NF-e... 8 2.1.Gerar NF-e... 9 2.2.NF-e

Leia mais

Av. Padre Claret, 146 Conj. 503 Centro Esteio/ RS Fone/ Fax: (51) 3033-6663 www.maxce.com.br

Av. Padre Claret, 146 Conj. 503 Centro Esteio/ RS Fone/ Fax: (51) 3033-6663 www.maxce.com.br PARÂMETROS DE LANÇAMENTOS PARAMETRIZAÅÇO PARA O MÉDULO LANÅAMENTOS NO SISTEMA ARQUIVO > LANÅAMENTOS > PARÑMETROS E CONFIGURAÅÖES PREENCHIMENTO DAS GUIAS: 1. GUIA IMPOSTOS: a) Contas relacionadas à apuração

Leia mais

Novidades da versão 2015.3.1.2.

Novidades da versão 2015.3.1.2. Novidades da versão 2015.3.1.2. Propostas 2 Produtos 2 Criação do campo CNAE serviço 3 Inclusão do código do fornecedor na busca 4 Outras listas de preço 5 Notas de entrada 6 Ao escriturar uma NF de terceiro

Leia mais

Importação de Notas pelo Código de Barras DANFE... 12

Importação de Notas pelo Código de Barras DANFE... 12 IMPORTAÇÃO DE NF-E (ENTRADA) SUMÁRIO Importação de Notas pelo Arquivo XML... 2 Parametrização dos Produtos... 4 Parametrização de Código de Situação Tributária (CST)... 5 CST de ICMS... 5 CST de IPI...

Leia mais

Nota: Para utilizar o quadro: LOCAL DE ENTREGA use as mesmas orientações acima, só que nesse caso, será para o local de entrega.

Nota: Para utilizar o quadro: LOCAL DE ENTREGA use as mesmas orientações acima, só que nesse caso, será para o local de entrega. EMISSÃO DA NF-E OBSERVAÇÕES: NF-e: Sugerimos que fale com um contador para que o auxilie sobre quais campos preencher e como preenchê-los para a emissão da NF-e. Informaremos aqui apenas os locais onde

Leia mais

Notas de versão. Versão 3.16.1.0

Notas de versão. Versão 3.16.1.0 Notas de versão Sistema Gescor Versão 3.16.1.0 Lançamento Abril/2016 Interface - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 3 1. Nova interface e usabilidade do sistema.

Leia mais

Para que essa nova funcionalidade seja utilizada de forma completa, seguem algumas dicas.

Para que essa nova funcionalidade seja utilizada de forma completa, seguem algumas dicas. Recibo provisório de Serviços para o Município de Niterói Desde o dia 01/01/2012, os prestadores de serviços com sede no Município de Niterói começaram a emitir suas notas fiscais de serviços eletrônicas.

Leia mais

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.07 Relatórios...3 Mix de Compra...3 Peças >> Relatórios >> Mix de Compra Peças...3 Mix de Vendas...4 Peças >> Relatórios >> Mix de Venda Peças...4 Tabela de Preços...6 Peças

Leia mais

Nota Fiscal de Serviço eletrônica NFSe. Manual de acesso e utilização do sistema

Nota Fiscal de Serviço eletrônica NFSe. Manual de acesso e utilização do sistema PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LEOPOLDO Nota Fiscal de Serviço eletrônica NFSe Manual de acesso e utilização do sistema Versão: 1.0.30 Maio/2011 SUMÁRIO 1. TELA INICIAL... 3 2. CADASTRO DO PRESTADOR... 4

Leia mais

Cobrança Bancária. Contas / Manutenção.

Cobrança Bancária. Contas / Manutenção. Cobrança Bancária Este tutorial objetiva auxiliar os usuários na configuração do sistema para que a emissão de cobrança bancária dos títulos a receber seja feita. Os processos a seguir consistem na geração

Leia mais

Como utilizar o cadastro de Tributos de Mercadorias (NCM) Sumário

Como utilizar o cadastro de Tributos de Mercadorias (NCM) Sumário Como utilizar o cadastro de Tributos de Mercadorias (NCM) Sumário Como utilizar o cadastro de Tributos de Mercadorias (NCM)... 1 O que é o cadastro de Tributos de Mercadorias?... 2 O que é Tributação Padrão?...

Leia mais

Neo Solutions Manual do usuário Net Contábil. Índice

Neo Solutions Manual do usuário Net Contábil. Índice Manual Neo Fatura 2 Índice 1. Introdução... 3 2. Configurando o software para importar dados de clientes... 3 3. Importando o cadastro de clientes... 4 4. Cadastro de Bancos... 5 5. Cadastro de Conta Correntes...

Leia mais

Solicitação de Reposição? FS71.1

Solicitação de Reposição? FS71.1 Como Trabalhar com Solicitação de Reposição? FS71.1 Sistema: Futura Server Caminho: Estoque>Reposição>Reposição Referência: FS71.1 Versão: 2015.9.18 Como Funciona: Esta tela é utilizada para solicitar

Leia mais

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Geral. Núcleo de Tecnologia da Informação

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Geral. Núcleo de Tecnologia da Informação Divisão de Almoxarifado DIAX/CGM/PRAD Manual do Sistema de Almoxarifado Geral Versão On-Line Núcleo de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Manual do Sistema de Almoxarifado

Leia mais

ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11

ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11 MANUAL DE USO DO SISTEMA GOVERNO DIGITAL ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11 2.0. SOLICITAÇÕES DE AIDF E AUTORIZAÇÃO DE EMISSÃO DE NOTA

Leia mais

Conteúdo 1.0 - GERACÃO DO ARQUIVO PARA EMISSÃO DA NF ELETRÔNICA... 2

Conteúdo 1.0 - GERACÃO DO ARQUIVO PARA EMISSÃO DA NF ELETRÔNICA... 2 Tutorial UltraPDV - GERAÇÃO DO ARQUIVO ELETRÔNICO DE NOTA FISCAL ULT-027-GERAÇÃO DO ARQUIVO ELETRÔNICO DE NOTA FISCAL Conteúdo 1.0 - GERACÃO DO ARQUIVO PARA EMISSÃO DA NF ELETRÔNICA.... 2 1.1 - GERAR UMA

Leia mais

Passo a passo para emissão de Nota Fiscal de Produtor Eletrônica NFP-e

Passo a passo para emissão de Nota Fiscal de Produtor Eletrônica NFP-e Passo a passo para emissão de Nota Fiscal de Produtor Eletrônica NFP-e Natureza 12 Retorno Simbólico-Parceria Pecuária Por causa do sigilo fiscal, foram hachurados os dados do contribuinte. Toda NFP-e

Leia mais

Implantação do sistema Condominium

Implantação do sistema Condominium Implantação do sistema Condominium Nesse manual iremos acompanhar o passo a passo para a implantação do sistema, portanto iremos pular algumas telas do cadastro, que deverão ser preenchidas após a implantação

Leia mais

Service Report. Cliente: Sayerlack. Processo: Contas á Pagar FI-AP

Service Report. Cliente: Sayerlack. Processo: Contas á Pagar FI-AP Service Report Cliente: Sayerlack Processo: Contas á Pagar FI-AP 1. Dados Mestres 1.1 Exibir fornecedor Objetivo Disparador Use este procedimento para exibir os dados dos fornecedores. Execute este procedimento

Leia mais

VERSÃO 5.12.0 VERSÃO 5.0.0 FINANCEIRO NEFRODATA ESTOQUE FINALIZAÇÃO: 10 JUN.

VERSÃO 5.12.0 VERSÃO 5.0.0 FINANCEIRO NEFRODATA ESTOQUE FINALIZAÇÃO: 10 JUN. VERSÃO 5.12.0 VERSÃO 5.0.0 FINANCEIRO NEFRODATA ESTOQUE ACD2016 FINALIZAÇÃO: 10 JUN. 13 04 NOV.2014 FEV. 201313 JUN. 2016 PUBLICAÇÃO: Prezado Cliente, Neste documento estão descritas todas as novidades

Leia mais

Gerencial Software MANUAL DO USUÁRIO 1

Gerencial Software MANUAL DO USUÁRIO 1 MANUAL DO USUÁRIO 1 SUMÁRIO Tela de Login... 3 Telas de Atualização e Informação... 3 Cadastro de Clientes... 7 Cadastro de Grupos... 7 Cadastro de Subgrupos... 8 Cadastro de Fornecedores... 8 Cadastro

Leia mais

Integração Persona x Contábil

Integração Persona x Contábil Integração Persona x Contábil A integração contábil do Persona Gold pode ser efetuada de duas formas: Através do Persona Gold A integração é efetuada pelo desenvolvimento de lotes de lançamentos contábeis,

Leia mais

NOTA FISCAL COMPLEMENTAR. Serão emitidas notas fiscais complementares nos casos abaixo:

NOTA FISCAL COMPLEMENTAR. Serão emitidas notas fiscais complementares nos casos abaixo: NOTA FISCAL COMPLEMENTAR Serão emitidas notas fiscais complementares nos casos abaixo: a) no reajustamento de preço em razão de contrato escrito ou de qualquer outra circunstância que implique aumento

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Manual de Utilização Versão 3.10 Sumário 1 Funções do Emissor... 3 1.1 Aba Inicial... 4 1.2 Aba Sistema... 5 1.2.1 Mensagem Sistema... 5 1.2.2 Extras... 6 1.2.3 Contingência... 6 1.2.4 Execução... 7 1.3

Leia mais

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Importação XML de NF Importação

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Importação XML de NF Importação CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Importação XML de NF Importação 1. Objetivos Atualizar os valores da nota fiscal de entrada a partir de arquivos XML sem a necessidade de ter que alterar manualmente na manutenção

Leia mais

1- Principais alterações para COMPRAS entre a versão 2.9 e 3.0.

1- Principais alterações para COMPRAS entre a versão 2.9 e 3.0. 1- Principais alterações para COMPRAS entre a versão 2.9 e 3.0. - Data de Emissão/ Data Entrada ou Movimento. Considerando que o documento fiscal deve ser registrado sob o enfoque da empresa que recebe

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica Avulsa Tributada NF-e Avulsa

Nota Fiscal Eletrônica Avulsa Tributada NF-e Avulsa Nota Fiscal Eletrônica Avulsa Tributada NF-e Avulsa 1 TRIBUTADA. MANUAL PARA EMISSÃO. 2014. INTRODUÇÃO A Nota Fiscal Eletrônica Avulsa - NF-e avulsa implementada pela Secretaria de Estado da Fazenda do

Leia mais

Passo a passo para emissão de Nota Fiscal de Produtor Eletrônica NFP-e

Passo a passo para emissão de Nota Fiscal de Produtor Eletrônica NFP-e Passo a passo para emissão de Nota Fiscal de Produtor Eletrônica NFP-e Natureza 44 - RETORNO DE SAÍDA COM SUSPENSÃO Por causa do sigilo fiscal, foram hachurados os dados do contribuinte. Toda NFP-e emitida

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. SISTEMA CONTÁBIL WEB versão: GA2.0.5

MANUAL DO USUÁRIO. SISTEMA CONTÁBIL WEB versão: GA2.0.5 MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA CONTÁBIL WEB versão: GA2.0.5 Atualizado em: 30/01/2010 Planeta Contábil 2009 Todos os Direitos Reservados (www.planetacontabil.com.br) 1/25 CONSIDERAÇÕES: Este manual é destinado

Leia mais

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins 29/05/2012 1 O Sped fiscal e Pis/Confins é uma arquivo gerado através do sistema da SD Informática, onde este arquivo contem todos os dados de entrada e saída

Leia mais

Conteúdo. 1.0 SPED Fiscal Regras Fiscais 2013... 3. 1.1 Perfil de apresentação do arquivo digital do SPED Fiscal... 3

Conteúdo. 1.0 SPED Fiscal Regras Fiscais 2013... 3. 1.1 Perfil de apresentação do arquivo digital do SPED Fiscal... 3 SPED Fiscal 2013 Conteúdo 1.0 SPED Fiscal Regras Fiscais 2013... 3 1.1 Perfil de apresentação do arquivo digital do SPED Fiscal... 3 2.0 Pré-requisitos para a elaboração do arquivo do SPED FISCAL... 3

Leia mais

Cordilheira Escrita Fiscal 2.109A

Cordilheira Escrita Fiscal 2.109A LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÃO SISTEMA EMISSOR DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA NF-E

MANUAL DE INSTRUÇÃO SISTEMA EMISSOR DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA NF-E MANUAL DE INSTRUÇÃO SISTEMA EMISSOR DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA NF-E SELECIONE A EMPRESA EMISSORA DA NFE CLIQUE EM INICIAR TELA DE AVISOS FAÇA A LEITURA DOS AVISOS E CLIQUE EM FECHAR EMISSÃO DA NOTA FISCAL

Leia mais

MANUAL - CONTABILIDADE

MANUAL - CONTABILIDADE MANUAL - CONTABILIDADE MANUAL - TABELAS CONTÁBEIS E ORÇAMENTÁRIAS SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...3 2. MÓDULO CONTABILIDADE...4 2.1. PLANO CONTÁBIL...4 2.2. BOLETIM CONTÁBIL...4 2.2.1. Lançamentos Contábeis...5

Leia mais

Manual de Utilização do PDV Klavix

Manual de Utilização do PDV Klavix Manual de Utilização do PDV Klavix Página 1/20 Instalando a partir do CD Se você recebeu um CD de instalação, rode o programa Instalador que se encontra no raiz do seu CD. Ele vai criar a pasta c:\loureiro

Leia mais

- No primeiro campo informe o numero da empresa que serão copiadas as informações.(ex: 9999)

- No primeiro campo informe o numero da empresa que serão copiadas as informações.(ex: 9999) 1 2 1. Duplicação das informações de uma empresa para outra Juntamente com a instalação do sistema Office encaminhamos anexada a empresa modelo, que contem cadastros que podem ser utilizados nas empresas

Leia mais

Como Emitir uma Nota Fiscal? - FS82

Como Emitir uma Nota Fiscal? - FS82 Como Emitir uma Nota Fiscal? - FS82 Sistema: Futura Server Caminho: Fiscal>Nfe Cadastro>Nfe Digitação Referência: FS82 Versão: 2016.05.09 Como funciona: A tela de Nfe Digitação é utilizada para registrar

Leia mais

SiplanPRO 07.30 Novas funcionalidades e melhorias da Versão 07.30

SiplanPRO 07.30 Novas funcionalidades e melhorias da Versão 07.30 Novas funcionalidades e melhorias da Versão 07.30 1. Criada a nova tela Consulta de Procurações para visualizar as procurações digitalizadas. Nesta tela é possível pesquisar um cliente de Assessoria pelo

Leia mais

FAQ: Parametrização para Contabilização

FAQ: Parametrização para Contabilização TDN > Softwares de Gestão > RM > Recursos Humanos > Administração de Pessoal > FAQ FAQ: Parametrização para Contabilização Produto: Ambiente: RM Unspecified Versão: 11.0 Avaliação A principal finalidade

Leia mais

INCLUSÃO DO PROCESSO IMPORTAR TABELA IBPT :

INCLUSÃO DO PROCESSO IMPORTAR TABELA IBPT : INCLUSÃO DO PROCESSO IMPORTAR TABELA IBPT : Importar tabela IBPT Através desta tela você pode importar a tabela Ibptax, fornecida pelo instituto brasileiro de planejamento tributário (IBPT). Esta tabela

Leia mais

Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS

Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS Versão Fevereiro/2013 Índice PCS - Módulo de Prestação de Contas...3 Acesso ao Módulo PCS...3 1. Contas financeiras...5 1.1. Cadastro de

Leia mais

Este documento tem por objetivo a definição das especificações necessárias para transmissão de Conhecimento de Transporte eletrônico - CT-e.

Este documento tem por objetivo a definição das especificações necessárias para transmissão de Conhecimento de Transporte eletrônico - CT-e. Conhecimento de Transporte Eletrônico OBJETIVO Este documento tem por objetivo a definição das especificações necessárias para transmissão de Conhecimento de Transporte eletrônico - CT-e. CONSIDERAÇÕES

Leia mais

Versão 8.3A-04. Versão da Apostila de Novidades: 2

Versão 8.3A-04. Versão da Apostila de Novidades: 2 Versão 8.3A-04 Versão da Apostila de Novidades: 2 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda.

Leia mais

Secretaria de Estado de Fazenda do Rio de Janeiro GIA-ICMS. Instruções de Preenchimento por meio do Programa Gerador (versão 0.3.2.

Secretaria de Estado de Fazenda do Rio de Janeiro GIA-ICMS. Instruções de Preenchimento por meio do Programa Gerador (versão 0.3.2. Secretaria de Estado de Fazenda do Rio de Janeiro GIA-ICMS Instruções de Preenchimento por meio do Programa Gerador (versão 0.3.2.6) Portaria SUACIEF nº 001/2009 SUMÁRIO 1. TELA PRINCIPAL... 3 2. MENU

Leia mais

GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS

GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS Sumário 1. Introdução... 2 2. Início Portal Coordenador... 2 2.1. Novos Pedidos... 2 2.2. Pendências... 3 2.3. Menu... 4 2.4. Sair... 4 3. Saldo de Projetos... 5 4. Extrato

Leia mais

Com Pedido de Compra Sem Pedido de Compra ou Entrada Manual Importando XML enviado do Fornecedor

Com Pedido de Compra Sem Pedido de Compra ou Entrada Manual Importando XML enviado do Fornecedor Movimentos - Entrada de Nota Fiscal Para realizar a entrada de nota fiscal no sistema, verifica-se primeiro as opções, existem vários meios para dar entrada em uma Nota Fiscal: Com Pedido de Compra é quando

Leia mais

Manual de uso do Borderô Credix

Manual de uso do Borderô Credix Manual de uso do Borderô Credix Após efetuar o download do aplicativo siga os passos para a instalação do sistema, ao final será criado um atalho na área de trabalho, como ilustra a figura 1. Figura 1

Leia mais

Informativo de Versão 18.09cb

Informativo de Versão 18.09cb Informativo de Versão 18.09cb Índice Resulth Business... 3 Movimento Cobrança Eletrônica / Remessa (Chamado 23025)... 3 Movimento Digitação e Emissão NF-e (Chamado 23538)... 4 Cadastro de Produtos (Chamado

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos PIS e COFINS sobre Reposição de Peça em Garantia

Parecer Consultoria Tributária Segmentos PIS e COFINS sobre Reposição de Peça em Garantia PIS e COFINS sobre Reposição de Peça em Garantia 06/11/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão...

Leia mais

Processo: Vendas. Acesso. Motivação. Parâmetros. Nome do Processo: Faturamento de Serviço (licenciado) - emissão NF Eletrônica Serviço

Processo: Vendas. Acesso. Motivação. Parâmetros. Nome do Processo: Faturamento de Serviço (licenciado) - emissão NF Eletrônica Serviço Desenvolvimento 26700 Versão 2006 Release 96 Autor Francisca Cruz Processo: Vendas Nome do Processo: Faturamento de Serviço (licenciado) - emissão NF Eletrônica Serviço Acesso Vendas Movimentações Motivação

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇO ELETRÔNICA (NFS-e) Manual de Utilização Envio de arquivos RPS. Versão 2.1

NOTA FISCAL DE SERVIÇO ELETRÔNICA (NFS-e) Manual de Utilização Envio de arquivos RPS. Versão 2.1 NOTA FISCAL DE SERVIÇO ELETRÔNICA (NFS-e) Manual de Utilização Envio de arquivos RPS Versão 2.1 SUMÁRIO SUMÁRIO... 2 1. INTRODUÇÃO... 3 2. LAYOUT DO ARQUIVO... 4 3. TRANSMITINDO O ARQUIVO... 5 4. CONSULTANDO

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GERENCIAMENTO DO ISSQN

SISTEMA INTEGRADO DE GERENCIAMENTO DO ISSQN SISTEMA INTEGRADO DE GERENCIAMENTO DO ISSQN MIGRAÇÃO DAS INFORMACOES DO ATUAL SISTEMA PARA O SIGISSWEB 1ª FASE: Em 1º de Maio de 2015, o sistema SIGISSWEB deverá estar carregado com todos os cadastros

Leia mais

Neste bip. Configuração da Tributação do Simples Nacional. Você Sabia? Contabilização da diferença do FGTS. Edição 65 Janeiro de 2016

Neste bip. Configuração da Tributação do Simples Nacional. Você Sabia? Contabilização da diferença do FGTS. Edição 65 Janeiro de 2016 Neste bip Configuração da Tributação do Simples Nacional... 1 Contabilização da diferença do FGTS... 1 Importação de NF-e... 2 Relatório razão dos lançamentos da folha... 3 Inconsistências ao gerar relatórios

Leia mais

Para os demais formatos, o relatório será gerado mas virá com configurações incorretas.

Para os demais formatos, o relatório será gerado mas virá com configurações incorretas. Balancete Orçamentário Produto : TOTVS Gestão Patrimonial - 12.1.6 Processo : Relatórios Subprocesso : Balancete Orçamentário Data publicação da : 17/06/2015 O Balancete é um relatório contábil oficial

Leia mais

Nome do Processo: Recebimento de produtos em consignação

Nome do Processo: Recebimento de produtos em consignação Desenvolvimento BM-1401 Recebimento de produtos em consignação Versão 5 Release 28 Autor Jaciara Silva Processo: Compras Nome do Processo: Recebimento de produtos em consignação Acesso Compras\Movimentações

Leia mais

COMO FAZER ENTRADA DE MATERIAL POR XML. Após abrir o sistema, localize o menu no canto superior esquerdo e clique em Movimentação > Entrada Material

COMO FAZER ENTRADA DE MATERIAL POR XML. Após abrir o sistema, localize o menu no canto superior esquerdo e clique em Movimentação > Entrada Material COMO FAZER ENTRADA DE MATERIAL POR XML Observação: O arquivo XML da nota fiscal deve estar salvo em seu computador. Se o seu fornecedor não enviou o arquivo por e-mail, você pode obter o arquivo pela internet,

Leia mais

Max Fatura Sistema de Gestão

Max Fatura Sistema de Gestão Sumário 1 Tela Inicial... 2 2 Tela de Pesquisa... 3 3 Tela de Vendas... 4 5 Aproveitamento de Icms... 5 6 Salvar... 5 9 Para emissão da nota fiscal... 7 10 Impressão de relatórios... 10 11 Contas a Pagar

Leia mais

Manual das planilhas de Obras v2.5

Manual das planilhas de Obras v2.5 Manual das planilhas de Obras v2.5 Detalhamento dos principais tópicos para uso das planilhas de obra Elaborado pela Equipe Planilhas de Obra.com Conteúdo 1. Gerando previsão de custos da obra (Módulo

Leia mais

Sistema de Gerenciamento de Projetos V 1.01 MANUAL DO COORDENADOR

Sistema de Gerenciamento de Projetos V 1.01 MANUAL DO COORDENADOR Roteiro para utilização do GEP Versão de referência: GEP V1.00 Índice analítico I Apresentação... 2 I.1 Controles básicos do sistema;... 2 I.2 Primeiro acesso... 2 I.3 Para trocar a senha:... 3 I.4 Áreas

Leia mais

Informativo de Versão 18.12

Informativo de Versão 18.12 Informativo de Versão 18.12 Índice ERP Posto... 2 Cadastro Contrato de Abastecimento (Chamado 21982)... 2 Resulth Business... 3 Entrada de Produtos (Chamado 24400)... 3 ERP Faturamento... 4 Consulta Preço

Leia mais

ADMINISTRADOR DE ESCRITÓRIO

ADMINISTRADOR DE ESCRITÓRIO Atualizado em 30/01/2013 ADM ADMINISTRADOR DE ESCRITÓRIO Veremos a seguir, algumas das funções do Adm, ajudando assim o melhor aproveito. Na tela abaixo ( Menu ) você encontrará o ícone de acesso ao sistema.

Leia mais

Manual Operacional do Assessor Jurídico

Manual Operacional do Assessor Jurídico Manual Operacional do Assessor Jurídico SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E SERVIÇOS - MÓDULO COMPRAS - EMISSÃO DE PARECER JURÍDICO PARA PROCESSOS DE COMPRA COM EDITAL OU DE DISPENSA DE LICITAÇÃO

Leia mais

Bem-vindo ao tópico sobre administração de listas de preços.

Bem-vindo ao tópico sobre administração de listas de preços. Bem-vindo ao tópico sobre administração de listas de preços. Nesse tópico, você aprenderá a administrar listas de preços no SAP Business One. Sua empresa atualiza múltiplas listas de preços para fornecer

Leia mais

Carrera Pessoal 2015. Guia de uso

Carrera Pessoal 2015. Guia de uso Carrera Pessoal 2015 Guia de uso Bem vindo ao Carrera Pessoal 2015, o gerenciador financeiro ideal. Utilizando o Carrera Pessoal você poderá administrar com facilidade as suas finanças e/ou da sua família.

Leia mais

TUTORIAL - SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA NA ENTRADA

TUTORIAL - SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA NA ENTRADA Apresentação Este tutorial descreve como devem ser lançadas as notas fiscais com Substituição Tributária na entrada, a fim de evitar inconsistências nos relatórios fiscais. Quando a nota fiscal de entrada

Leia mais

Histórico de mudanças no ERP

Histórico de mudanças no ERP 1:11:31 HW Sistemas e Computadores LTDA Data Inicial: 16/08/2014 - Data Final: 29/01/201 - Release 4.0.9.1 CAIXA AUXILIAR 4.0 Correção Correção 1.214 29/01/201 Após quitar parcial um crédito e valor do

Leia mais

NFe e NFCe Como emitir nota fiscal pelo Lince? COMO EMITIR NOTA FISCAL PELO LINCE?

NFe e NFCe Como emitir nota fiscal pelo Lince? COMO EMITIR NOTA FISCAL PELO LINCE? Como emitir nota fiscal pelo Lince? COMO EMITIR NOTA FISCAL PELO LINCE? O que é a Nota Fiscal Eletrônica? Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) tem como intuito emitir e armazenar eletronicamente, para fins fiscais,

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Sumário 1 CONCEITO... 3 2 REQUISITOS... 3 3 CONFIGURAÇÕES... 3 4 FUNCIONALIDADE... 4 4.1 Registrar Nota de Entrada... 4 4.1.1 Manual (Entrada das informações manualmente)...

Leia mais

Para cadastrar uma nova conta, clique sobre o botão preencha os campos habilitados.

Para cadastrar uma nova conta, clique sobre o botão preencha os campos habilitados. Contas a Pagar de Condomínio - Sami ERP++ Neste roteiro será explicado os processos de cadastro, controle e quitação das contas a pagar de condomínios. 1. Entrada Contas a Pagar Acesse o Módulo FINANCEIRO

Leia mais

SISTEMA BRENA DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL

SISTEMA BRENA DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL SISTEMA BRENA DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL VERSÃO 359 U N I P A C K NOTA FISCAL ELETRÔNICA CONTENDO ITENS COM CFOP S DISTINTOS RIO DE JANEIRO 25 DE JULHO DE 2013 SUMÁRIO 1- INTRODUÇÃO... 03 2- MOTIVAÇÃO... 03

Leia mais

Versão 8.2C-07. Versão da Apostila de Novidades: 1

Versão 8.2C-07. Versão da Apostila de Novidades: 1 Versão 8.2C-07 Versão da Apostila de Novidades: 1 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda.

Leia mais

Passo a passo para emissão de Nota Fiscal Avulsa Eletrônica NFA-e 60 - AVULSA - SAIDA INTERESTADUAL COM ISENÇÃO

Passo a passo para emissão de Nota Fiscal Avulsa Eletrônica NFA-e 60 - AVULSA - SAIDA INTERESTADUAL COM ISENÇÃO Passo a passo para emissão de Nota Fiscal Avulsa Eletrônica NFA-e 60 - AVULSA - SAIDA INTERESTADUAL COM ISENÇÃO Por causa do sigilo fiscal, foram hachurados os dados do contribuinte. Toda NFA-e emitida

Leia mais

RMS Software S.A. - Uma empresa TOTVS. 11 2699-0008 www.rms.com.br

RMS Software S.A. - Uma empresa TOTVS. 11 2699-0008 www.rms.com.br DAPI - MG RMS Software S.A. - Uma Empresa TOTVS Todos os direitos reservados. A RMS Software é a maior fornecedora nacional de software de gestão corporativa para o mercado de comércio e varejo. Este documento

Leia mais

Manual do Visualizador NF e KEY BEST

Manual do Visualizador NF e KEY BEST Manual do Visualizador NF e KEY BEST Versão 1.0 Maio/2011 INDICE SOBRE O VISUALIZADOR...................................................... 02 RISCOS POSSÍVEIS PARA O EMITENTE DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA.................

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços.

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. 1 Apresentação: O Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços ou SIG-ISS é um sistema para gerenciamento do Imposto sobre

Leia mais

Data Cempro Informática Ltda. Integração WinLivros X ContabMilenium

Data Cempro Informática Ltda. Integração WinLivros X ContabMilenium Integração WinLivros X ContabMilenium Para configurar a integração entre os sistemas WinLivros e ContabMilenium devemos primeiramente verificar se a base de dados é integrada (se está no mesmo local) ou

Leia mais

Esse é um tutorial que explica as funcionalidades da guia Cadastro na tela de compras do ces_adm. Descrição dos tópicos abaixo:

Esse é um tutorial que explica as funcionalidades da guia Cadastro na tela de compras do ces_adm. Descrição dos tópicos abaixo: Esse é um tutorial que explica as funcionalidades da guia Cadastro na tela de compras do ces_adm. Descrição dos tópicos abaixo: 1. Emissão: Determina o tipo da emissão da nota fiscal a ser cadastrada.

Leia mais

Contas a Pagar de Locação - Sami ERP++

Contas a Pagar de Locação - Sami ERP++ Contas a Pagar de Locação - Sami ERP++ Neste roteiro será explicado os processos de cadastro, controle e quitação das contas a pagar de condomínios. 1. Cadastro das Contas a Pagar Acesse o módulo FINANCEIRO/

Leia mais

Contas a Pagar: Pagamento de Contas. Este procedimento descreve como realizar o pagamento de contas e a definição das regras que envolvem o processo.

Contas a Pagar: Pagamento de Contas. Este procedimento descreve como realizar o pagamento de contas e a definição das regras que envolvem o processo. Contas a Pagar: Pagamento de Contas Este procedimento descreve como realizar o pagamento de contas e a definição das regras que envolvem o processo. PAGAMENTO DE CONTAS ACESSOS: Corporativo / Financeiro

Leia mais

Manual de Integração - E-Fiscal X Telecont

Manual de Integração - E-Fiscal X Telecont Atualizado em Maio/2008 Pág 1/36 Para integrar os dados do sistema Efiscal com o sistema Telecont, efetue os procedimentos abaixo: CADASTRO DE EMPRESAS ABA BÁSICO Acesse menu Arquivos Empresas Usuárias

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Estorno de NF-e Complementar fora do prazo determinado pela SEFAZ

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Estorno de NF-e Complementar fora do prazo determinado pela SEFAZ Estorno de NF-e Complementar fora do prazo determinado pela SEFAZ 06/09/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 3.1. Amazonas...

Leia mais

Fiscal Configurar Impostos Fiscais

Fiscal Configurar Impostos Fiscais Fiscal Configurar Impostos Fiscais Objetivo Configurar todos os impostos que refletirão na Nota Fiscal de Saída. Pré- Requisitos As Taxas Tributárias dos Produtos devem ser devidamente cadastradas ( Fiscal

Leia mais

1. O que é a Nota Fiscal Eletrônica - NF-e?

1. O que é a Nota Fiscal Eletrônica - NF-e? 1. O que é a Nota Fiscal Eletrônica - NF-e? Podemos conceituar a Nota Fiscal Eletrônica como sendo um documento de existência apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de documentar,

Leia mais

1. Reordenação da aba Fiscal 1. 2. Consulta simplificada de itens vendidos por NCM, CFOP e Alíquotas 2. 3. Parametrização de NCM 4

1. Reordenação da aba Fiscal 1. 2. Consulta simplificada de itens vendidos por NCM, CFOP e Alíquotas 2. 3. Parametrização de NCM 4 CADASTROS FISCAIS 1. Reordenação da aba Fiscal 1 2. Consulta simplificada de itens vendidos por NCM, CFOP e Alíquotas 2 3. Parametrização de NCM 4 4. Faturamento de pedidos entregues no endereço do revendedor

Leia mais

MANUAL NOVA DEVOLUÇÃO

MANUAL NOVA DEVOLUÇÃO MANUAL NOVA DEVOLUÇÃO [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de e-mail] MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA Material Desenvolvido para a Célula Materiais Autor:

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO USUÁRIO (Sistema NFSE) Acesse nossos manuais em: ead.sempretecnologia.com.br

GUIA RÁPIDO DO USUÁRIO (Sistema NFSE) Acesse nossos manuais em: ead.sempretecnologia.com.br GUIA RÁPIDO DO USUÁRIO () Acesse nossos manuais em: ead.sempretecnologia.com.br Sumário Configurações iniciais... 3 Acessando o sistema... 3 Alterando a senha de acesso... 3 Cadastrando clientes... 4 Cadastrando

Leia mais

Manual do Portal do Fornecedor. isupplier

Manual do Portal do Fornecedor. isupplier isupplier Revisão 01 Setembro 2011 Sumário 1 Acesso ao portal isupplier... 03 2 Home Funções da Tela Inicial... 05 3 Ordens de Compra Consultar Ordens de Compra... 07 4 Entregas Consultar Entregas... 13

Leia mais

Configuração de Acumuladores

Configuração de Acumuladores Configuração de Acumuladores Os acumuladores são cadastro usados pelo Módulo Domínio Sistemas Fiscal para permitir a totalização dos valores lançados nos movimentos de entradas, saídas, serviços, outras

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços.

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. 1 Sumário: Tópico: Página: 2 Apresentação: O Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços ou SIG-ISS é um sistema para gerenciamento

Leia mais

PROCEDIMENTO DE CADASTRO DE BANCOS E GERAÇÃO DE BOLETOS NO SINAI ALUGUEL

PROCEDIMENTO DE CADASTRO DE BANCOS E GERAÇÃO DE BOLETOS NO SINAI ALUGUEL O sistema SINAI ALUGUEL possui duas formas de emissão de boletos aos locatários: a) Impressão própria; b) Remessa. A primeira opção, a impressão é feita localmente e a imobiliária é responsável pelo envio

Leia mais

Manual de Frete. sobre. Compras. Reselase 1.1.0

Manual de Frete. sobre. Compras. Reselase 1.1.0 Manual de Frete sobre Compras Reselase 1.1.0 1 Indexe: 1- Tipos de Frete Pagina 03 2- Como funciona o frete sobre compras Pagina 04 3- Configurando a CFOP de frete sobre compras Pagina 05 4 Fazendo um

Leia mais