PROVA DE CULTURA GERAL E CAPACIDADE DE EXPRESSÃO ESCRITA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROVA DE CULTURA GERAL E CAPACIDADE DE EXPRESSÃO ESCRITA"

Transcrição

1 PROVAS ESPECIALMENTE ADEQUADAS DESTINADAS A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS PROVA DE CULTURA GERAL E CAPACIDADE DE EXPRESSÃO ESCRITA DATA 28/01/2013 HORA 14.30H-16.30H CANDIDATO Nº Classificação valores Júri 1

2 INFORMAÇÕES PRÉVIAS Prova que avalia capacidades e competências gerais de comunicação em língua portuguesa, cultura geral, iniciativa e expressão escrita, constituída por três partes: 1. Raciocínio lógico e conhecimentos gerais 2. Domínio da compreensão e interpretação de um enunciado 3. Domínio da conceptualização e produção de texto na Língua Portuguesa A cotação total é de 20 valores. A prova tem a duração máxima de duas horas (120 minutos); decorre entre as 14.30h e as 16.30h A sua resposta deve restringir-se exclusivamente ao número de linhas presente na prova, não sendo avaliada a informação que ultrapasse este limite. Entrega da prova: o Aguardar pela chamada o Apresentar documento de identificação o Assinar pauta de entrega de prova 2

3 CANDIDATO Nº 1. RACIOCÍNIO LÓGICO E CONHECIMENTOS GERAIS Assinale () uma resposta correcta 1-Em Química, uma solução com ph igual a 6 é? a. Ácido-básica b. Neutra c. Ácida d. Básica 2-Como se classifica a palavra «oxidação» quanto à acentuação? a. Grave b. Aguda c. Bisesdrúxula d. Esdruxula 3-Qual o nome da cidade algarvia que é a sede do distrito com o mesmo nome? a. Faro b. Tavira c. Olhão a. Lagos 4-O que mostram as moedas italianas de 1 euro a. O símbolo do homem perfeito por Leonardo da Vinci b. O presidente da República c. A Cicciolina em frente ao Coliseu d. Uma oliveira 5-A que corresponde o símbolo químico «Cu» 6-Quem é o autor da epopeia Os Lusíadas? a. Cádmio b. Chumbo c. Cálcio d. Cobre a. Dante b. Virgílio c. Luís Vaz de Camões d. Homero 3

4 7-Qual o elemento que se movimenta mais rápido no ar? a. A luz b. O som c. Um falcão d. Um foguete 8-Onde fica a República Dominicana? a. Ásia b. América central c. América do Norte d. América do Sul 9-. Qual o nome do substantivo colectivo correspondente a 12 dúzias ou 144 a. Pilha b. Grosa c. Resma d. Mão 10-Quem foi Marcelo Caetano? a. Avançado do Benfica b. Presidente da República c. Presidente do Conselho de Ministros d. Primeiro-ministro 11-Qual a afirmação que está correta? a. Os Sumérios foram os primeiros democratas b. Os Sumérios são considerados os inventores da escrita c. Os Sumérios eram ateus d. Os Sumérios foram extintos por um meteorito 12-A capital Europeia da Cultura 2012 foi? a. Guarda b. Braga c. Guimarães d. Bragança 13-Que ave fabulosa tinha a particularidade de renascer das suas próprias cinzas? a. Sfinx b. Onix c. Fénix d. Neiredes 14-Apenas uma forma verbal está correctamente escrita. Qual? e. Tu has-de ver. f. Tu hasde ver. g. Tu hás-de ver. a. Tu há-des ver. 4

5 15-Qual a cidade Portuguesa célebre pelos seus galos de barro? a. Guimarães b. Barcelos c. Fafe d. Braga 16-uma das palavras constitui um intruso: a. Krishna b. Shakira c. Shiva d. Vishnu 17-Qual o nome que está desfasado do grupo? a. Guatemala b. Omã c. Brasil d. Venezuela 18-Qual a estrela mais próxima da terra? a. Altair b. Veja c. Antares d. Sol 19-Qual a forma verbal correctamente escrita? a. Na altura, nós intervièmos em muitas áreas b. Na altura, nós intervie-mos em muitas áreas c. Na altura, nós interviemos em muitas áreas d. Na altura, nós intervimos em muitas áreas 20-Qual o significado da palavre PALOP?: a. Povos Afro-Lusitanos de Origem Portuguesa b. Países Americanos Localizados a Oeste do Perú c. Povos Americanos de Língua Original Portuguesa d. Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa 21-A quem pertence a célebre afirmação: Na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma? a. Einstein b. Marie Curie c. Copérnio d. Lavoisier 22- Qual dos filmes não foi realizado por Charlie Chaplin a. O Ditador b. O velho e o mar c. Luzes da Ribalta d. Tempos Modernos 5

6 23- Apenas uma frase está correta. Qual? a. Ouve dois alunos que vieram b. Houve dois alunos que vieram c. Ouveram dois alunos que vieram d. Houveram dois alunos que vieram 24-De onde era o marquês de Pombal? a. Pombal b. Oeiras c. Lisboa d. Sintra 25- Qual dos seguintes animais se parece mais com o homem? a. Orangotango b. Chimpanzé c. Salamandra d. Mandri Questões Cotação (valores) Valor Total (valores)

7 CANDIDATO Nº 2. DOMÍNIO DA COMPREENSÃO E INTERPRETAÇÃO DE UM ENUNCIADO Leia atentamente o seguinte excerto do texto: Declaração para uma vida melhor Níveis elevados de saúde e de bem-estar constituem a base para o desenvolvimento das diversas dimensões da cidadania, nomeadamente, a integração social e cultural, a educação, a participação na vida produtiva e o envelhecimento activo. Assegurar a saúde da população não representa apenas um imperativo ético; é também uma condição indispensável para o sucesso económico num mundo tão competitivo e globalizado. Saúde equivale a riqueza, a prosperidade. Investir em saúde é investir nas pessoas e na economia. A nível global, estima-se que 60% das mortes prematuras sejam provocadas por doenças crónicas, como as cardiovasculares, oncológicas, respiratórias e a diabetes. Muitas destas doenças têm tratamento, mas nem sempre são passíveis de cura, o que resulta numa diminuição da qualidade de vida, em avultados gastos para terapêutica prolongada e, consequentemente, em baixa de produtividade. Através da adopção de adequadas medidas promotoras da saúde e preventivas da doença, seria possível alterar este panorama. Mas, paradoxalmente, na Europa, 97% das despesas com a saúde são devidas ao tratamento e apenas 3% à prevenção. Uma mudança no sentido de robustecer a prevenção permitirá a obtenção de mais ganhos de saúde e, naturalmente, também económicos. Os investimentos na prevenção são sempre menos dispendiosos do que os aplicados na gestão e no tratamento da doença, logo, economicamente mais favoráveis. Além disso, a prevenção evita o sofrimento e promove a qualidade de vida das pessoas, das famílias e das comunidades. Esta é a principal razão por que se criou em Portugal um movimento tendente à introdução de acções inovadoras, consideradas essenciais para proteger o futuro da saúde dos portugueses. Em linha com o que se verifica por todo o mundo, um dos pressupostos desta iniciativa é congregar organizações de profissionais de saúde e de cidadãos, de modo a unir esforços que levem ao desenvolvimento urgente de políticas e de medidas para reverter o crescimento alarmante das doenças crónicas que, no contexto europeu, afectam já mais de um terço da população. 7

8 ( ) O desafio que o combate as doenças crónicas coloca à Europa e a Portugal ultrapassa largamente o sector da saúde pública, uma vez que muitos determinantes da saúde se encontram fora do âmbito de actuação dos sistemas de saúde. Por isso, compreende-se que sejam necessárias estratégias transversais a toda a sociedade. Neste contexto, reveste-se da maior importância a constituição de um amplo e sólido movimento social, com expressão e visibilidade públicas, para que, mais vigorosamente, se possa apelar aos cidadãos e às instituições da União Europeia, no sentido de exigirem políticas que visem o seu bemestar. Para além da saúde, assumem relevo outros sectores, como a investigação, educação, actividade física e lazer, planeamento urbanístico, habitação, transportes, regulação alimentar, agricultura, ambiente ou política fiscal. É necessário incentivar a vontade política para promover esta agenda, tornando o "impacte na Saúde Pública" um aspecto essencial na tomada de decisão e criando um ambiente politico que tenha como prioridade a obtenção de melhorias na saúde relativamente as doenças cronicas. Sabe-se que as famílias com menos rendimentos, os cidadãos pobres, os desempregados e os excluídos apresentam particular vulnerabilidade às doenças crónicas. Uma intervenção concreta desenhada para estes estratos sociais actuando sobre os determinantes sociais em saúde será, portanto, um factor decisivo para reduzir as desigualdades na saúde. O acesso equitativo aos Sistemas de Saúde e as medidas de prevenção deve constituir um dos pilares do plano de acção em matéria de prevenção. Documento apresentado durante o II Congresso Nacional de Saúde Pública (subscritores: Alexandre Diniz, Ana Leça, Anabela Coelho, Anabela Lopes, Emília Nunes, Francisco George, Helena Sá, Ilda Luísa Figueiredo, Isabel Baptista, Isabel Castelão, João Valente Nabais, José Manuel Boavida, José Rosado Pinto, Luís Campos, Luís Gardete Correia, Margarida Gaspar de Matos, Pedro Graça, Pedro Pimentel, Pedro Ribeiro da Silva, Rui Cruz Ferreira, Rui Matias Lima, Rui Tato Marinho, Vasco Prazeres). 8

9 Responda às seguintes questões: 1 No texto é referido que cidadania e saúde estão relacionadas. Em que contribuem os níveis de saúde da população para a efectiva cidadania? 2 É mencionado que as doenças crónicas, embora tenham possibilidade de tratamento, têm diversas consequências. Refira quais. 3 Como poderão as medidas promotoras de saúde ser economicamente favoráveis? 9

10 4 Por que razão é referido que o desafio do combate às doenças crónicas exige estratégias transversais a toda a sociedade? Para além da área da Saúde, que outras áreas devem ser envolvidas? 5 Relativamente às doenças crónicas, o texto refere a existência de grupos mais susceptíveis. Que grupos são referidos e que intervenções são sugeridas para minimizar esta situação? Questões Cotação (valores) Valor Total (valores)

11 CANDIDATO Nº 1. DOMÍNIO DA CONCETUALIZAÇÃO E PRODUÇÃO DE TEXTO NA LÍNGUA PORTUGUESA Comente a afirmação: Saúde equivale a riqueza, a prosperidade. Investir em saúde é investir nas pessoas e na economia. In: Declaração para uma vida melhor. II Congresso Nacional de Saúde Pública, Outubro 2010 _ Valor Total (valores)

* DOCUMENTOS DE APOIO *

* DOCUMENTOS DE APOIO * E m A N Á L I S E * DOCUMENTOS DE APOIO * Nº 10 Dezembro 2006 Gabinete de Investigação e Projectos Reforma da Segurança Social Síntese Portugal dispõe de um Sistema Público de Segurança Social que se desenvolveu

Leia mais

Workshop sobre Empreendedorismo

Workshop sobre Empreendedorismo Workshop sobre Empreendedorismo Vasco Pinto 11 e 12/ Dez/ 2012 O que é o Empreendedorismo? O que é ser Empreendedor? Principais Características de um Empreendedor Diferenças entre Empreendedor e Empresário

Leia mais

8 de Março 2011- E urgente acabar com as discriminações que a mulher continua sujeita em Portugal Pág. 2

8 de Março 2011- E urgente acabar com as discriminações que a mulher continua sujeita em Portugal Pág. 2 8 de Março 2011- E urgente acabar com as discriminações que a mulher continua sujeita em Portugal Pág. 1 A SITUAÇÃO DA MULHER EM PORTUGAL NO DIA INTERNACIONAL DA MULHER DE 2011 RESUMO DESTE ESTUDO No dia

Leia mais

Exmos. Senhores Membros do Governo (Sr. Ministro da Saúde - Prof. Correia de Campos e Sr. Secretário de Estado da Saúde -Dr.

Exmos. Senhores Membros do Governo (Sr. Ministro da Saúde - Prof. Correia de Campos e Sr. Secretário de Estado da Saúde -Dr. Exmos. Senhores Membros do Governo (Sr. Ministro da Saúde - Prof. Correia de Campos e Sr. Secretário de Estado da Saúde -Dr. Francisco Ramos) Ex.mo Senhor Presidente da Comissão Parlamentar da Saúde, representado

Leia mais

Declaração para uma vida melhor

Declaração para uma vida melhor É Tempo de Agir! Declaração para uma vida melhor ABORDAGEM DAS DOENÇAS CRÓNICAS ATRAVÉS DA PREVENÇÃO Níveis elevados de saúde e de bem-estar constituem a base para o desenvolvimento das diversas dimensões

Leia mais

Regulamento Interno do Voluntariado. Aprovado em 20 de Maio de 2002

Regulamento Interno do Voluntariado. Aprovado em 20 de Maio de 2002 Aprovado em 20 de Maio de 2002 www.faad.online.pt 1/1 CAPÍTULO I NATUREZA, FINS E DEFINIÇÃO ARTIGO 1º 1. A Fundação de Aurélio Amaro Diniz é uma Instituição Particular de Solidariedade Social registada

Leia mais

AS IPSS s e a ECONOMIA SOCIAL

AS IPSS s e a ECONOMIA SOCIAL AS IPSS s e a ECONOMIA SOCIAL Numa altura em que tanto se fala de Estado social, de desenvolvimento económico, de solidariedade, de coesão social, de crise, estas jornadas sobre Economia Social podem ser

Leia mais

SEMANA DA RESPONSABILIDADE SOCIAL REGENERAÇÃO URBANA E RESPONSABILIDADE SOCIAL NA INTERNACIONALIZAÇÃO

SEMANA DA RESPONSABILIDADE SOCIAL REGENERAÇÃO URBANA E RESPONSABILIDADE SOCIAL NA INTERNACIONALIZAÇÃO SEMANA DA RESPONSABILIDADE SOCIAL REGENERAÇÃO URBANA E RESPONSABILIDADE SOCIAL NA INTERNACIONALIZAÇÃO Começo por saudar os presentes e agradecer a disponibilidade demonstrada pelos distintos oradores que

Leia mais

POLÍTICA REIVINDICATIVA 2015-2016

POLÍTICA REIVINDICATIVA 2015-2016 POLÍTICA REIVINDICATIVA 2015-2016 Proposta para o Crescimento Económico e Social da RAM A UGT Madeira seguindo a linha de ação da UGT Portugal, que aprovou e tornou público, em Abril de 2015, o seu Guião

Leia mais

1. Responsabilidade Social das Empresas enquadramento teórico

1. Responsabilidade Social das Empresas enquadramento teórico O Conceito de Responsabilidade Social das Empresas 1. Responsabilidade Social das Empresas enquadramento teórico A Responsabilidade Social das Empresas tem assumido uma visibilidade crescente nos últimos

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 30 de Novembro de 2000 (13.10) (OR. fr) 14110/00 LIMITE SOC 470

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 30 de Novembro de 2000 (13.10) (OR. fr) 14110/00 LIMITE SOC 470 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 30 de Novembro de 2000 (13.10) (OR. fr) 14110/00 LIMITE SOC 470 ENVIO DE TEXTO de: Conselho (Emprego e Política Social) para: Conselho Europeu de Nice Nº doc. ant.:

Leia mais

Portuguese version 1

Portuguese version 1 1 Portuguese version Versão Portuguesa Conferência Europeia de Alto Nível Juntos pela Saúde Mental e Bem-estar Bruxelas, 12-13 Junho 2008 Pacto Europeu para a Saúde Mental e Bem-Estar 2 Pacto Europeu para

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto. Orquestra Geração

Ficha de Caracterização de Projecto. Orquestra Geração Ficha de Caracterização de Projecto Orquestra Geração 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto(s) Orquestras Sinfónicas Juvenis - Orquestra Geração Sigla Orquestra Geração Morada Rua dos Caetanos

Leia mais

Projecto de Lei nº 68/XII. Lei de Bases da Economia Social

Projecto de Lei nº 68/XII. Lei de Bases da Economia Social Projecto de Lei nº 68/XII Lei de Bases da Economia Social A Economia Social tem raízes profundas e seculares na sociedade portuguesa. Entidades como as misericórdias, as cooperativas, as associações mutualistas,

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA, IOLANDA CINTURA SEUANE, MINISTRA DA MULHER E DA ACÇÃO SOCIAL DE MOÇAMBIQUE SOBRE O TEMA DESAFIOS DA PROTECÇÃO SOCIAL PARA ALCANÇAR A SEGURANÇA ALIMENTAR

Leia mais

A DIMENSÃO CULTURAL DA UNIÃO EUROPEIA NO MUNDO FUNDOS E PROGRAMAS. Lisboa, 16 de Maio de 2006

A DIMENSÃO CULTURAL DA UNIÃO EUROPEIA NO MUNDO FUNDOS E PROGRAMAS. Lisboa, 16 de Maio de 2006 APGC Associação Portuguesa de Gestão Cultural CIEJD - Centro de Informação Europeia Jacques Delors CNC - Centro Nacional de Cultura CultDigest - Gestão Cultural A Política Cultural da União Europeia, a

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALCOCHETE

MUNICÍPIO DE ALCOCHETE MUNICÍPIO DE ALCOCHETE ASSEMBLEIA MUNICIPAL N.º 05/08 ACTA DA SESSÃO EXTRAORDINÁRIA DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL REALIZADA EM 19 DE NOVEMBRO DE 2008 1 Aos dezanove dias do mês de Novembro do ano de 2008, nesta

Leia mais

1. Marcelo Rebelo de Sousa vai ser um bom Presidente da República?, RTP 1 - Prós e Contras, 25-01-2016 1

1. Marcelo Rebelo de Sousa vai ser um bom Presidente da República?, RTP 1 - Prós e Contras, 25-01-2016 1 Tv's_25_Janeiro_2016 Revista de Imprensa 1. Marcelo Rebelo de Sousa vai ser um bom Presidente da República?, RTP 1 - Prós e Contras, 25-01-2016 1 2. Conversa com Marisa Matias, RTP 2 - Página 2, 25-01-2016

Leia mais

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA: UM DESAFIO PARA A IGUALDADE E AUTONOMIA

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA: UM DESAFIO PARA A IGUALDADE E AUTONOMIA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA UM DESAFIO PARA A IGUALDADE E AUTONOMIA CENTRO CULTURAL DE BELÉM 3 DE DEZEMBRO DE 2009 MARIA GUIDA DE FREITAS FARIA 1 AGRADEÇO

Leia mais

Estado de direito democrático...2. Tarefas fundamentais do Estado...2. Liberdade de associação...2. Direitos dos trabalhadores...3

Estado de direito democrático...2. Tarefas fundamentais do Estado...2. Liberdade de associação...2. Direitos dos trabalhadores...3 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA (Texto nos termos da última revisão constitucional (sexta revisão constitucional) operada pela Lei Constitucional n.º 1/2004, de 24 de Julho) Estado de direito democrático...2

Leia mais

Há cada vez mais empresas cidadãs

Há cada vez mais empresas cidadãs + Faça do VER a sua homepage ENTREVISTA Há cada vez mais empresas cidadãs As empresas que lideram no seu mercado são as que apresentam melhores práticas de governação. Foi com base neste pressuposto que

Leia mais

D SCUR CU S R O O DE D SUA U A EXCE

D SCUR CU S R O O DE D SUA U A EXCE DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTRO MINISTRO DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE, DR. RUI MARIA DE ARAÚJO, POR OCASIÃO DA ATRIBUIÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL DA CPLP A

Leia mais

O Ambiente na Encruzilhada. Por um futuro sustentável. Conferência Gulbenkian 2009 CONCLUSÕES

O Ambiente na Encruzilhada. Por um futuro sustentável. Conferência Gulbenkian 2009 CONCLUSÕES CONCLUSÕES Retirar conclusões desta Conferência não é uma tarefa fácil. Desde logo porque estas conclusões foram efectivamente escritas durante as intervenções e debates, e depois porque a riqueza e diversidade

Leia mais

Ministério da Educação e Ciência Resultados da 2ª Fase do Concurso Nacional de Acesso de 2013

Ministério da Educação e Ciência Resultados da 2ª Fase do Concurso Nacional de Acesso de 2013 14870896 ANA CATARINA DE JESUS RIBEIRO Não colocada 14583084 ANA CATARINA DA ROCHA DIAS Não colocada 14922639 ANA CATARINA SOARES COUTO Colocada em 7230 Instituto Politécnico do Porto - Escola Superior

Leia mais

Formação em Protecção Social

Formação em Protecção Social Formação em Protecção Social Sessão 3 A dimensão económica da PS e a relação com outras áreas da política Bilene, Moçambique, 5, 6 e 7 de Maio de 2010 A importância do investimento Ao nível da intervenção

Leia mais

O XVII Workshop sobre Processos de Adaptação Social e Familiar. Contexto

O XVII Workshop sobre Processos de Adaptação Social e Familiar. Contexto Número de Utilizadores do Evento O XVII Workshop sobre Processos de Adaptação Social e Familiar. Contexto Prisional/Imigração/Toxicodependência/Exclusão Social realizado no dia 26 Junho de 2006 no Gabinete

Leia mais

Decreto n.º 43/2003 de 24 de Setembro

Decreto n.º 43/2003 de 24 de Setembro Decreto n.º 43/2003 de 24 de Setembro Tendo presente o Tratado de Amizade, Cooperação e Consulta entre Portugal e a República Federativa do Brasil, de 22 de Abril de 2000; Considerando a importância do

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL Gabinete do Ministro

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL Gabinete do Ministro Parecer do Governo Português relativo ao Livro Verde Modernizar o direito do trabalho para enfrentar os desafios do sec. XXI Introdução O presente documento consubstancia o parecer do Governo Português

Leia mais

III. Comissão Revisora de Contas Relatório e Parecer

III. Comissão Revisora de Contas Relatório e Parecer III. Comissão Revisora de Contas Relatório e Parecer Relatório da Comissão Revisora de Contas 1. Introdução 1.1. No cumprimento do disposto nos artigos 25.º e 26.º dos estatutos da Fundação Calouste Gulbenkian,

Leia mais

Porque razão a banca e o governo querem transferir os Fundos de Pensões para a Segurança Social Pág 1

Porque razão a banca e o governo querem transferir os Fundos de Pensões para a Segurança Social Pág 1 Porque razão a banca e o governo querem transferir os Fundos de Pensões para a Segurança Social Pág 1 PORQUE RAZÃO A BANCA PRETENDE TRANSFERIR OS FUNDOS DE PENSÕES PARA A SEGURANÇA SOCIAL E OS RISCOS PARA

Leia mais

Resumo de Imprensa. Sábado e domingo, 18 e 19 de Outubro de 2008

Resumo de Imprensa. Sábado e domingo, 18 e 19 de Outubro de 2008 Resumo de Imprensa Sábado e domingo, 18 e 19 de Outubro de 2008 PÚBLICO (domingo, 19) 1. Bastaram 20 minutos de chuva intensa para criar o caos em Lisboa (pág. 1 e 25) 2. Contestação ao Governo. Manifestação

Leia mais

WORKSHOP O PAPEL DA MULHER NO DESENVOLVIMENTO RURAL

WORKSHOP O PAPEL DA MULHER NO DESENVOLVIMENTO RURAL WORKSHOP O PAPEL DA MULHER NO DESENVOLVIMENTO RURAL 3 FEVEREIRO 2010 CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO VALE GONÇALINHO ORGANIZAÇÃO: PARCEIROS: FINANCIAMENTO: O Rural Value, enquanto projecto dinamizador

Leia mais

Boletim digital do FMI: Quais são os objectivos principais do pacote de políticas acordado com Portugal?

Boletim digital do FMI: Quais são os objectivos principais do pacote de políticas acordado com Portugal? Boletim do FMI ENTREVISTA SOBRE PORTUGAL FMI delineia plano conjunto de apoio com UE para Portugal Boletim digital do FMI 6 de Maio de 2011 Café no Bairro Alto, em Lisboa. A criação de novos empregos,

Leia mais

CONFERÊNCIA PLANO DE ACÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TURISMO EM PORTUGAL

CONFERÊNCIA PLANO DE ACÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TURISMO EM PORTUGAL Parceiros Estratégicos: Hospital Particular do Algarve CONFERÊNCIA TURISMO 2020 PLANO DE ACÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TURISMO EM PORTUGAL Turismo e Fundos Comunitários. Que futuro? O caso do Algarve

Leia mais

Escola Nacional de. Saúde Pública

Escola Nacional de. Saúde Pública Escola Nacional de Saúde Pública 6º CURSO DE MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA (2002/2004) MÓDULO DE INTRODUÇÃO À PROMOÇÃO E PROTECÇÃO DA SAÚDE CUIDADOS CONTINUADOS DE SAÚDE E APOIO SOCIAL - UMA REFLEXÃO - Elaborado

Leia mais

Orçamento da saúde 2012 para onde vai o seu dinheiro?

Orçamento da saúde 2012 para onde vai o seu dinheiro? Orçamento da saúde 2012 para onde vai o seu dinheiro? José Carlos Caiado 26 de Outubro de 2011 Introdução Elaboração do orçamento da saúde Monitorização e divulgação de informação Melhoria do desempenho

Leia mais

CONCURSO DE DOCENTES ANO ESCOLAR 2014/2015

CONCURSO DE DOCENTES ANO ESCOLAR 2014/2015 CONCURSO DE DOCENTES Grupo de Recrutamento 430 - ECONOMIA E CONTABILIDADE ANO ESCOLAR 2014/2015 LISTA DEFINITIVA DE COLOCAÇÃO CANDIDATOS À CONTRATAÇÃO INICIAL 2 ª RESERVA DE RECRUTAMENTO Página 1 de 5

Leia mais

SOMOS. Programa Municipal de. Educação para a Cidadania Democrática. e Direitos Humanos. Câmara Municipal de Lisboa

SOMOS. Programa Municipal de. Educação para a Cidadania Democrática. e Direitos Humanos. Câmara Municipal de Lisboa SOMOS Programa Municipal de Educação para a Cidadania Democrática e Direitos Humanos Câmara Municipal de Lisboa Ficha Técnica Presidente da CML: Fernando Medina Vereador dos Direitos Sociais: João Carlos

Leia mais

EDUCAÇÃO FISCAL PARA A CIDADANIA. Superintendência da Receita Federal em Minas Gerais

EDUCAÇÃO FISCAL PARA A CIDADANIA. Superintendência da Receita Federal em Minas Gerais EDUCAÇÃO FISCAL PARA A CIDADANIA POR QUE EXISTE TRIBUTO? QUEM TEM O PODER DE COBRAR TRIBUTO? COMO DEVEM SER APLICADOS OS RECURSOS ARRECADADOS? O QUE A POPULAÇÃO PODE FAZER PARA CONTROLAR A APLICAÇÃO DOS

Leia mais

ESPAÇO(S) E COMPROMISSOS DA PROFISSÃO

ESPAÇO(S) E COMPROMISSOS DA PROFISSÃO ESPAÇO(S) E COMPROMISSOS DA PROFISSÃO 18 de Novembro de 2010 Teatro Municipal de Almada Senhora Presidente da Associação dos Profissionais de Serviços Social, Dr.ª Fernanda Rodrigues Senhoras e Senhores

Leia mais

CURSO: SECRETARIADO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO: SECRETARIADO DE ADMINISTRAÇÃO REGIME ESPECIAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA MAIORES DE 23 ANOS Ano 2012 ATENÇÃO: PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS SERÁ CONSTITUÍDA POR DOIS MÓDULOS. UM MÓDULO

Leia mais

CONGRESSO NACIONAL DE ENFERMAGEM DE REABILITAÇÃO 2009

CONGRESSO NACIONAL DE ENFERMAGEM DE REABILITAÇÃO 2009 CONGRESSO NACIONAL DE ENFERMAGEM DE REABILITAÇÃO 2009 A ACESSIBILIDADE NÃO É UM PRESENTE, É UM DIREITO A Associação Portuguesa dos Enfermeiros de Reabilitação (APER) realizou, em Espinho, Hotel Solverde,

Leia mais

Escola E.B. 2/3 Ciclos do Paul. Trabalho elaborado por: Frederico Matias 8ºA nº8 João Craveiro 8ºA nº5

Escola E.B. 2/3 Ciclos do Paul. Trabalho elaborado por: Frederico Matias 8ºA nº8 João Craveiro 8ºA nº5 Escola E.B. 2/3 Ciclos do Paul Trabalho elaborado por: Frederico Matias 8ºA nº8 João Craveiro 8ºA nº5 Introdução Este trabalho foi-nos proposto na aula de Área de Projecto pela Professora. Pretendemos

Leia mais

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE LOUSA ACTA N.º 01/2007

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE LOUSA ACTA N.º 01/2007 1/8 ACTA N.º 01/2007 Aos dezanove dias do mês de Abril de dois mil e sete, pelas vinte horas e trinta minutos reuniu, em Sessão Ordinária, a Assembleia de Freguesia de Lousa, no salão anexo à Junta de

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO DA CRECHE

PROJECTO EDUCATIVO DA CRECHE PROJECTO EDUCATIVO DA CRECHE Uma proposta educativa própria de uma instituição e a forma global como se organiza para proporcionar às crianças o desenvolvimento do seu potencial, a experienciá-lo e a vivenciá-lo.

Leia mais

Decreto-Lei n.º 232/2005 de 29 de Dezembro

Decreto-Lei n.º 232/2005 de 29 de Dezembro Decreto-Lei n.º 232/2005 de 29 de Dezembro Os indicadores de pobreza relativos a Portugal evidenciam a necessidade de correcção das intoleráveis assimetrias de rendimento existentes entre os Portugueses,

Leia mais

Tabela com o Resultado da Sessão de :02-06-2016

Tabela com o Resultado da Sessão de :02-06-2016 S. R. Tribunal Central Administrativo Sul 2º Juízo - 1ª Secção (Contencioso Administrativo) Tabela com o Resultado da Sessão de :02-06-2016 05819/10 Espécie Jurisdicional de Acção Administrativa Especial

Leia mais

Receção aos alunos e encarregados de educação da Educação Pré-Escolar, nos respetivos jardins de infância. Dia 18 de setembro 2015 6.

Receção aos alunos e encarregados de educação da Educação Pré-Escolar, nos respetivos jardins de infância. Dia 18 de setembro 2015 6. Receção aos alunos e encarregados de educação da Educação Pré-Escolar, nos respetivos jardins de infância Dia 18 de setembro 2015 6.ª feira 09h00 Jardim de Infância Buarcos Vila Verde Educadora Titular

Leia mais

INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT

INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT TURISMO: TENDÊNCIAS E SOLUÇÕES Exmos. Senhores Conferencistas, Antes de

Leia mais

Direcção-Geral da Acção Social

Direcção-Geral da Acção Social Direcção-Geral da Acção Social Núcleo de Documentação Técnica e Divulgação Maria Joaquina Ruas Madeira A Dimensão Social da SIDA: A Família e a Comunidade (Comunicação apresentada nas 1as Jornadas Regionais

Leia mais

Ordenação de Candidatos por Graduação Profissional. Horário 40 - Inglês

Ordenação de Candidatos por Graduação Profissional. Horário 40 - Inglês Ordenação de Candidatos por Graduação Profissional Horário 40 - Inglês Ordenação Graduação Profissional Nome Tipo de Habilitação 1 25,804 Alexandra Caladinho Chagas Narra Qualificação Profissional 2 25,092

Leia mais

O QUE PENSAM OS PORTUGUESES SOBRE O ESTADO SOCIAL? Resultados de um inquérito por questionário

O QUE PENSAM OS PORTUGUESES SOBRE O ESTADO SOCIAL? Resultados de um inquérito por questionário O QUE PENSAM OS PORTUGUESES SOBRE O ESTADO SOCIAL? Resultados de um inquérito por questionário O Inquérito Este inquérito analisa atitudes sociais sobre o Estado Social em Portugal. A informação recolhida

Leia mais

PORTUGUÊS 3 o BIMESTRE

PORTUGUÊS 3 o BIMESTRE Sistema de Ensino Unidade Portugal Série: 4 o ano (3 a série) Período: MANHÃ AVALIAÇÃO DE CONTEÚDO DO GRUPO VII PORTUGUÊS 3 o BIMESTRE Nome: Turma: Data: 2/9/2009 Valor da prova: 6,0 Nota: Eixo temático

Leia mais

CONCORDATA ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A SANTA SÉ

CONCORDATA ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A SANTA SÉ Resolução da Assembleia da República n.º 74/2004 Concordata entre a República Portuguesa e a Santa Sé, assinada em 18 de Maio de 2004 na cidade do Vaticano Aprova, para ratificação, a Concordata entre

Leia mais

Projecto de Resolução n.º 427 /X-4ª. Cria um Plano de Emergência para o Distrito de Évora

Projecto de Resolução n.º 427 /X-4ª. Cria um Plano de Emergência para o Distrito de Évora PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projecto de Resolução n.º 427 /X-4ª Cria um Plano de Emergência para o Distrito de Évora Preâmbulo O distrito de Évora vive hoje uma situação preocupante do

Leia mais

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Gabinete do Ministro INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Gabinete do Ministro INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Eng.º Mário Lino por ocasião da Sessão REDES DE NOVA GERAÇÃO 2009 Fundação das Comunicações, 7 Janeiro 2009 (Vale

Leia mais

XXV anos de FUNDOS de PENSÕES

XXV anos de FUNDOS de PENSÕES XXV anos de FUNDOS de PENSÕES 05 de Maio de 2010 - Lisboa - Francisco de Medeiros Cordeiro Provedor dos Participantes e Beneficiários de Adesões Individuais a Fundos de Pensões Abertos I ve Got a Feeling

Leia mais

CARTA DE COMPROMISSO. Combate às Desigualdades e Violência de Género. 1. As desigualdades que persistem

CARTA DE COMPROMISSO. Combate às Desigualdades e Violência de Género. 1. As desigualdades que persistem CARTA DE COMPROMISSO Combate às Desigualdades e Violência de Género A democracia portuguesa no seu quadro constitucional e legal fez grandes avanços na definição do princípio da igualdade e não discriminação

Leia mais

PROMOÇÃO TURISMO 2020 Protocolo de Cooperação. Turismo de Portugal Confederação do Turismo Português

PROMOÇÃO TURISMO 2020 Protocolo de Cooperação. Turismo de Portugal Confederação do Turismo Português PROMOÇÃO TURISMO 2020 Protocolo de Cooperação Turismo de Portugal Confederação do Turismo Português Lisboa, 25 de fevereiro 2015 1 Considerando que: 1. O Turismo é uma atividade estratégica para a economia

Leia mais

Sistema Colaborativo de Monitorização (PremoGeoU) Mockups da Solução de I&D em Desenvolvimento

Sistema Colaborativo de Monitorização (PremoGeoU) Mockups da Solução de I&D em Desenvolvimento Turismo de Saúde Agenda Enquadramento Sector da Saúde Turismo de Saúde Directrizes sobre ehealth Plataforma Tice.Healthy Sistema Colaborativo de Monitorização (PremoGeoU) Mockups da Solução de I&D em Desenvolvimento

Leia mais

PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO AO PROCESSO DE CANDIDATURA

PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO AO PROCESSO DE CANDIDATURA PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO AO PROCESSO DE CANDIDATURA 1 MANUAL DE APOIO AO PROCESSO DE CANDIDATURA AO PROGRAMA MODELAR O Programa MODELAR tem como objectivo a atribuição de apoio financeiro pelas

Leia mais

INTRODUÇÃO. Localização geográfica. Grande Lisboa. Grande Porto

INTRODUÇÃO. Localização geográfica. Grande Lisboa. Grande Porto INTRODUÇÃO presente trabalho pretende mostrar uma caracterização geral de duas sub-regiões de Portugal: as NUTE III (Numencleatura de Unidade Territorial Estatística) da Grande Lisboa e do Grande Porto,

Leia mais

22 de Maio de 2013 Centro de Congressos de Lisboa, Auditório II. Discurso de abertura

22 de Maio de 2013 Centro de Congressos de Lisboa, Auditório II. Discurso de abertura SEMINÁRIO IDE EM PORTUGAL (Atrair Capitais para Criar Emprego) 22 de Maio de 2013 Centro de Congressos de Lisboa, Auditório II Discurso de abertura Nunca, como hoje, foi tão evidente que atingir níveis

Leia mais

RESOLUÇÃO DO SECRETARIADO NACIONAL AGENDA SINDICAL PARA O DIÁLOGO SOCIAL

RESOLUÇÃO DO SECRETARIADO NACIONAL AGENDA SINDICAL PARA O DIÁLOGO SOCIAL RESOLUÇÃO DO SECRETARIADO NACIONAL AGENDA SINDICAL PARA O DIÁLOGO SOCIAL Num quadro em que se inicia uma mudança de políticas, seguindo um rumo que se afasta gradualmente da política de austeridade seguida

Leia mais

O Novo Comité Central do PCP

O Novo Comité Central do PCP O Novo Comité Central do PCP Os 26 novos membros Antónia Lopes Professora. 55 anos de idade António Magrinho Operário. 41 anos de idade Carina Castro Licenciada em Artes Plásticas. 29 anos de idade Carlos

Leia mais

1 25,144 4042182887 Marcos Martins Pereira 07/09/1975 365. 2 23,505 3870146400 Isabel Maria Gomes Correia 02/12/1979 365

1 25,144 4042182887 Marcos Martins Pereira 07/09/1975 365. 2 23,505 3870146400 Isabel Maria Gomes Correia 02/12/1979 365 Nome da Escola : Agrupamento de Escolas de Samora Correia, Benavente Nº Escola : 170331 Data final da candidatura : 2015-05-14 Nº Horário : 37 Grupo de Recrutamento: 510 - Física e Química Nº Horas: 21

Leia mais

Seminário Energia e Cidadania 23 de Abril de 2009 Auditório CIUL

Seminário Energia e Cidadania 23 de Abril de 2009 Auditório CIUL Seminário Energia e Cidadania 23 de Abril de 2009 Auditório CIUL Começo por agradecer a todos terem vindo a este seminário. Em especial à Senhora Secretária de Estado que muito nos honra com a sua presença

Leia mais

ENCONTROS E ACORDOS INTERNACIONAIS: IMPLICAÇÕES NA PRÁTICA DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL E GESTÃO AMBIENTAL

ENCONTROS E ACORDOS INTERNACIONAIS: IMPLICAÇÕES NA PRÁTICA DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL E GESTÃO AMBIENTAL DELOS Desarrollo Local Sostenible. Grupo Eumed.net y Red Académica Iberoamericana Local Global Vol 3, Nº 9 www.eumed.net/rev/delos/09/ ENCONTROS E ACORDOS INTERNACIONAIS: IMPLICAÇÕES NA PRÁTICA DA RESPONSABILIDADE

Leia mais

CONCLUSÕES Workshop 4 - Fazer melhor com o que se tem: como analisar e avaliar as políticas e as estratégias nacionais, regionais e locais para a

CONCLUSÕES Workshop 4 - Fazer melhor com o que se tem: como analisar e avaliar as políticas e as estratégias nacionais, regionais e locais para a CONCLUSÕES Workshop 4 - Fazer melhor com o que se tem: como analisar e avaliar as políticas e as estratégias nacionais, regionais e locais para a redução das desigualdades em saúde? Modelo de Intervenção

Leia mais

Projeto de lei n.º 307/XII/1ª

Projeto de lei n.º 307/XII/1ª Projeto de lei n.º 307/XII/1ª Cobrança de Comissões e outros encargos pelas Instituições de Crédito e Sociedades Financeiras devidas pela prestação de serviços aos consumidores Exposição de motivos As

Leia mais

CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA. Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66. OTA Secretariado-Geral do Conselho

CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA. Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66. OTA Secretariado-Geral do Conselho CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66 OTA de: Secretariado-Geral do Conselho para: Delegações n.º doc. ant.: 14061/1/11 REV 1 SOC 759

Leia mais

Projecto de incentivo ao desenvolvimento e organização da micro-produção. Autoria: Junta de Freguesia de Brandara

Projecto de incentivo ao desenvolvimento e organização da micro-produção. Autoria: Junta de Freguesia de Brandara Projecto de incentivo ao desenvolvimento e organização da micro-produção. Autoria: Junta de Freguesia de Brandara Índice 1 - Introdução. 3 1.1 - Objectivos da Plataforma..... 3 1.2 Os Conceitos... 4 1.3

Leia mais

Apresentação FINANÇAS PÚBLICAS. Resultados de aprendizagem. Programa. Licenciatura em Direito 2º Ano, 1º Semestre 2008/09. Finanças Públicas - 2º Ano

Apresentação FINANÇAS PÚBLICAS. Resultados de aprendizagem. Programa. Licenciatura em Direito 2º Ano, 1º Semestre 2008/09. Finanças Públicas - 2º Ano Apresentação Docente responsável: Linda G. Veiga FINANÇAS PÚBLICAS Licenciatura em Direito 2º Ano, 1º Semestre 2008/09 Equipa docente Aulas teóricas: Linda Gonçalves Veiga Gabinete: 2.36 da Escola de Economia

Leia mais

Enunciado do trabalho

Enunciado do trabalho Nome: Bruno José de Oliveira Santos 27363 Comprimento: 5.5 m, Altura de cada piso: 2.7 m, Lado de secção transversal do pilar: 33.3 cm, do piso: 25.4 cm, Módulo de Young do betão armado: 35.9 GPa, Número

Leia mais

Decreto-Lei nº 25/91, de 11 de Janeiro

Decreto-Lei nº 25/91, de 11 de Janeiro Decreto-Lei nº 25/91, de 11 de Janeiro O quadro legal das sociedades de desenvolvimento regional foi estabelecido pelo Decreto-Lei nºs 499/80, de 20 de Outubro. Desde a data da sua publicação, o sistema

Leia mais

Visita a Portugal do importador. Exclusivos Camacho

Visita a Portugal do importador. Exclusivos Camacho Visita a Portugal do importador Exclusivos Camacho Sector Cerâmica e Faiança Decorativas Espanha 14 a 16 de Janeiro de 2014 Enquadramento : Como consequência da nova situação económica em Espanha, os últimos

Leia mais

EPULMÃO. Nota de Abertura. Maio 2012 - Nº 05. Boletim informativo 05 - MAIO 2012 1

EPULMÃO. Nota de Abertura. Maio 2012 - Nº 05. Boletim informativo 05 - MAIO 2012 1 Boletim informativo Maio 2012 - Nº 05 Nota de Abertura Por Teles de Araújo Em Maio, entre as atividades da Fundação, devemos destacar a existência dum novo espaço em Lisboa que abre perspectivas para um

Leia mais

Lista de Resultados da 6ª Fase de Seleção - Curso de Tripulante de Ambulância de Socorro - TAE-INEM 01/2015 NOTA 1ª F NOTA 2ª F

Lista de Resultados da 6ª Fase de Seleção - Curso de Tripulante de Ambulância de Socorro - TAE-INEM 01/2015 NOTA 1ª F NOTA 2ª F Lista de Resultados da ase de Seleção - Curso de Tripulante de Ambulância de Socorro - TAE-INEM 01/2015 106 2165 02291253122165975318 Abílio Fernando Bragança Milheiro 15,250 14,050 18,400 12,000 12,900

Leia mais

Educação Sexual. Acção de Formação para Agentes Educativos das Escolas Católicas. Outubro de 2010

Educação Sexual. Acção de Formação para Agentes Educativos das Escolas Católicas. Outubro de 2010 Educação Sexual Acção de Formação para Agentes Educativos das Escolas Católicas Outubro de 2010 Enquadramento conceptual, Objectivos e Estrutura Programática ENQUADRAMENTO CONCEPTUAL A formação em educação

Leia mais

Lisboa 2014 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2014 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2014 Refª: 148 Janela 1750 Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60 Email - bip.zip@cm-lisboa.pt

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO VERSÃO 1

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO VERSÃO 1 EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 11.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) Curso Científico-Humanístico de Ciências Socioeconómicas PROVA 712/12 Págs. Duração da prova: 120

Leia mais

INICIATIVA EMPREGO 2009

INICIATIVA EMPREGO 2009 INICIATIVA EMPREGO 2009 SUPORTE LEGAL: Portaria 129/2009 de 30 de Janeiro CONCEITO DE ESTÁGIO Formação prática em contexto laboral, que visa a inserção ou reconversão de desempregados para a vida activa,

Leia mais

FASCÍCULO IV OS PRINCIPAIS CONCEITOS PARA A COMPREENSÃO DA IGUALDADE DE GÉNERO

FASCÍCULO IV OS PRINCIPAIS CONCEITOS PARA A COMPREENSÃO DA IGUALDADE DE GÉNERO OS PRINCIPAIS CONCEITOS PARA A COMPREENSÃO DA IGUALDADE DE GÉNERO Com a colaboração de: No âmbito dos estudos de género e das políticas de igualdade têm vindo a ser definidos inúmeros conceitos com vista

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Arronches. Metas Estratégicas para a Promoção da Cidadania ACTIVA e do Sucesso Escolar

Agrupamento de Escolas de Arronches. Metas Estratégicas para a Promoção da Cidadania ACTIVA e do Sucesso Escolar Agrupamento de Escolas de Arronches Metas Estratégicas para a Promoção da Cidadania ACTIVA e do Sucesso Escolar João Garrinhas Agrupamento de Escolas de Arronches I. PRINCIPIOS, VALORES E MISSÃO DO AGRUPAMENTO

Leia mais

Caracterização Diagnóstica da Região Norte. Nós Críticos: sinalização e consequências

Caracterização Diagnóstica da Região Norte. Nós Críticos: sinalização e consequências Seminário NORTE 2015 O Desenvolvimento Regional no Novo Horizonte Europeu: O caso do Norte de Portugal 25.Maio.2005 INCLUSÃO SOCIAL FERNANDA RODRIGUES Estrutura da Apresentação Inclusão Social vs Exclusão

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres

Leia mais

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Gostaria de começar por agradecer o amável convite que a FCT me dirigiu para

Leia mais

Portugal e a Política de Coesão 2007-2013

Portugal e a Política de Coesão 2007-2013 MINISTÉRIO DO AMBIENTE, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL Portugal e a Política de Coesão 2007-2013 2013 Rui Nuno Baleiras Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional Centro

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão dos Assuntos Constitucionais. Proposta de regulamento (COM(2003) 0077 C5-0059/03 2003/0039(COD))

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão dos Assuntos Constitucionais. Proposta de regulamento (COM(2003) 0077 C5-0059/03 2003/0039(COD)) PARLAMENTO EUROPEU 1999 2004 Comissão dos Assuntos Constitucionais 6 de Maio de 2003 PE 323.576/25-88 ALTERAÇÕES 25-88 Projecto de relatório (PE 323.576) Jo Leinen sobre a proposta de regulamento do Parlamento

Leia mais

Agrupamento de Escolas n.º 2 de Beja. Nº Candidato Nome

Agrupamento de Escolas n.º 2 de Beja. Nº Candidato Nome Nome da Escola : Agrupamento de Escolas n.º 2 de Beja Data final da candidatura : 2015-05-06 Grupo de Recrutamento: 110-1º Ciclo do Ensino Básico Ficheiro gerado em : 07/05/2015 11:05:57 Ordenação Graduação

Leia mais

LISTA DE GRADUAÇÃO DOS CANDIDATOS GRUPO DE RECRUTAMENTO 600. Horário 28

LISTA DE GRADUAÇÃO DOS CANDIDATOS GRUPO DE RECRUTAMENTO 600. Horário 28 LISTA DE GRADUAÇÃO DOS CANDIDATOS GRUPO DE RECRUTAMENTO 600 Horário 28 Graduação Profissional Nº Candidato Nome 24,508 4716699811 Vanda Isabel do Vale Silva Almeida 24,203 8219102942 Cristina Maria da

Leia mais

A Saúde Ocupacional e a Crise Actual. Álvaro Durão

A Saúde Ocupacional e a Crise Actual. Álvaro Durão Seminário ANTESHT Évora, 27 de Novembro de 2009 Conferência de Encerramento A Saúde Ocupacional e a Crise Actual Álvaro Durão Especialista em Medicina do Trabalho 1 Saúde Ocupacional, Globalização e desafios

Leia mais

Declaração de Lima sobre as linhas mestras de controlo das Finanças Públicas. Prefácio

Declaração de Lima sobre as linhas mestras de controlo das Finanças Públicas. Prefácio Declaração de Lima sobre as linhas mestras de controlo das Finanças Públicas Prefácio Quando a Declaração de Lima, das directivas sobre os princípios do controlo, foi adoptada por unanimidade pelos delegados

Leia mais

MEMORANDUM 2014 ELEIÇÕES EUROPEIAS

MEMORANDUM 2014 ELEIÇÕES EUROPEIAS MEMORANDUM 2014 ELEIÇÕES EUROPEIAS A Importância da Economia Social Economia social é uma realidade muito importante na Europa, proporcionando emprego remunerado a mais de 14,5 milhões de europeus que

Leia mais

A Imigração em Portugal

A Imigração em Portugal Immigrant Language Learning A Imigração em Portugal Relatório síntese elaborado pela DeltaConsultores - Projecto financiado pela UE no âmbito do Programa Sócrates Luísa Falcão Lisboa, Fevereiro de 2002

Leia mais

DECLARAÇÃO DE LISBOA ENCONTRO ANUAL LUSO HISPANO

DECLARAÇÃO DE LISBOA ENCONTRO ANUAL LUSO HISPANO DECLARAÇÃO DE LISBOA ENCONTRO ANUAL LUSO HISPANO ORDEM DOS MEDICOS DE PORTUGAL E CONSEJO GENERAL DE MEDICOS DE ESPAÑA Lisboa, 10-11 Novembro 2015 I.- O SISTEMA NACIONAL DE SAÚDE, EXPRESSÃO DE MODERNIDADE,

Leia mais

Documento Conclusões Seminário Juventude em Acção Rumo a 2020

Documento Conclusões Seminário Juventude em Acção Rumo a 2020 Documento Conclusões Seminário Juventude em Acção Rumo a 2020 1. Participação, Cultura e Criatividade Existem diferentes formas de participação na democracia e várias formas de utilização do programa Juventude

Leia mais

Portadores de Deficiência: pauta de discussão Marta Rovery de Souza Alguns dados são significativos para expressar a magnitude da situação das pessoas com deficiência. Segundo a Organização Mundial de

Leia mais