ESTÁGIO CURRICULAR DESENVOLVIMENTO DE CONTROLE DE ESTOQUE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTÁGIO CURRICULAR DESENVOLVIMENTO DE CONTROLE DE ESTOQUE"

Transcrição

1 VALTER JOSÉ ZIMMERMANN JÚNIOR ESTÁGIO CURRICULAR DESENVOLVIMENTO DE CONTROLE DE ESTOQUE EMPRESA: MALVA CONFECÇÕES IND. E COM. LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: MARLUCE ZIMMERMANN ORIENTADOR: JORGE FERNANDES CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGIAS - CCT UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC JOINVILLE SANTA CATARINA - BRASIL JUNHO DE 2007

2 ii APROVADO EM.../.../... Professor Jorge Fernandes Bacharel em Ciência da Computação Professor Orientador Professor Carlos Vetorazzi Mestre em Ciência da Computação Professor Maurício Pillon Doutor em Ciência da Computação. Supervisor da CONCEDENTE

3 iii Carimbo da Empresa UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: Malva Confecções Ind. e Com. Ltda. CGC/MF: / Endereço: Rua Cel. Vieira, 267 Bairro: Iririú CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Supervisor: Marluce Zimmermann Cargo: Gerente ESTAGIÁRIO Nome : Valter José Zimmermann Júnior Matrícula: Endereço: Rua Jenny Lenke, 25 Bairro: Sto. Antônio CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Curso de: Tecnologia em Sistemas de Informação Título do Estágio: Desenvolvimento de Controle de Estoque Período: 01/03/2007 a 01/08/2007 Carga horária: 120 AVALIAÇÃO FINAL DO ESTÁGIO PELO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS Representada pela avaliação do Processo de Estágio Estes campos serão preenchidos pelo professor da Disciplina, devido a avaliação ser do Processo e não somente do Relatório CONCEITO FINAL (Avaliação do Processo de Estágio) Excelente (9,1 a 10) Muito Bom (8,1 a 9,0) Bom (7,1 a 8,0) Regular (5,0 a 7,0) Reprovado (0,0 a 4,9) NOTA (Σ Processo) Rubrica do Professor da Disciplina Joinville / /

4 iv Nome do Estagiário : Valter José Zimmermann Júnior QUADRO I AVALIAÇÃO NOS ASPECTOS PROFISSIONAIS QUALIDADE DO TRABALHO: Considerando o possível. ENGENHOSIDADE: Capacidade de sugerir, projetar, executar modificações ou inovações. CONHECIMENTO: Demonstrado no desenvolvimento das atividades programadas. CUMPRIMENTO DAS TAREFAS: Considerar o volume de atividades dentro do padrão razoável. ESPÍRITO INQUISITIVO: Disposição demonstrada para aprender. INICIATIVA: No desenvolvimento das atividades. SOMA Ponto s QUADRO II AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS HUMANOS ASSIDUIDADE: Cumprimento do horário e ausência de faltas. DISCIPLINA: Observância das normas internas da Empresa. SOCIABILIDADE: Facilidade de se integrar com os outros no ambiente de trabalho. COOPERAÇÃO: Disposição para cooperar com os demais para atender as atividades. SENSO DE RESPONSABILIDADE: Zelo pelo material, equipamentos e bens da empresa. SOMA Ponto s PONTUAÇÃO PARA O QUADRO I E II Sofrível - 1 ponto, Regular - 2 pontos, Bom - 3 pontos, Muito Bom - 4 pontos, Excelente - 5 pontos LIMITES PARA CONCEITUAÇÃO AVALIAÇÃO FINAL Pontos De 57 a SOFRÍVEL SOMA do Quadro I multiplicada por 7 De 102 a REGULAR SOMA do Quadro II multiplicada por 3 De 148 a BOM SOMA TOTAL De 195 a MUITO BOM De 241 a EXCELENTE Nome da Empresa: Malva Confecções Ind. e Com. Ltda. Representada pelo Supervisor: Marluce Zimmermann

5 v CONCEITO CONFORME SOMA TOTAL Rubrica do Supervisor da Empresa Local: Data : Carimbo da Empresa

6 vi UDESC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - FEJ PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR ESTAGIÁRIO Nome: Valter José Zimmermann Júnior Matrícula: Endereço (Em Jlle): Rua Jenny Lenke, 25 Bairro: Sto. Antônio CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Endereço (Local estágio): Rua Cel. Vieira, 267 Bairro: Iririú CEP: Cdade: Joinville UF: SC Fone: Regularmente matriculado no semestre: 5 Formatura (prevista) Semestre/Ano: 2º/2007 Curso: Sistemas de Informação UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: Malva Confecções Indústria e Comércio Ltda. CGC/MF: / Endereço: Rua Cel. Vieira, 267 Bairro: Iririú CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Atividade Principal: Confecção de camisetas Supervisor: Marluce Zimmermann Cargo: Gerente DADOS DO ESTÁGIO Área de atuação: Desenvolvimento de sistemas Departamento de atuação: Informática Fone: Horário do estágio: 08:00 12:00 Total de horas: 120 Período: 01/03/ /08/2007 Nome do Professor Orientador: Jorge Fernandes Disciplina(s) simultânea(s) com o estágio Quantas: 3 Quais: REC Redes de Computadores SOR Sociologia das Organizações TES-12 Análise e Projeto de Sistemas Avançados

7 vii OBJETIVO GERAL Aplicar os conceitos práticos e teóricos obtidos na UDESC no gerenciamento da área de informática da empresa e desenvolvimento de sistemas específicos que visam controlar e agilizar os processos da empresa. ATIVIDADES OBJETIVO ESPECÍFICO HORAS Gerenciamento da área de informática da empresa Manutenção de computadores e impressoras e treinamento de funcionários na utilização de softwares. 30 Manutenção de sistemas Manutenção do sistema de pedidos e estoque que foi desenvolvido durante o estágio 1 30 Desenvolvimento do site da empresa Desenvolvimento de um site institucional para a empresa 60 Rubrica do Professor Orientador Rubrica do Coordenador de Estágios Rubrica do Supervisor da Empresa Data: Data: Data: Carimbo da Empresa

8 CRONOGRAMA FÍSICO E REAL PERÍODO (10 horas) ATIVIDADES P R Gerenciamento da área de informática da empresa P x x x R x x Manutenção de sistemas P x x x R x x Desenvolvimento do site da empresa P x x x x x x R x x x x x x P R P R P R P R P R P R P R P R P R P R

9 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - CCT COORDENADORIA DE ESTÁGIOS TERMO DE COMPROMISSO PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIOS A EMPRESA Malva Indústria e Comércio de Confecções Ltda. (1) Representada por Marluce Zimmermann Cargo Gerente (2) ESTAGIÁRIO Valter José Zimmermann Júnior (3) Da Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina, representada pelo Professor Wilson José Mafra Acertam o seguinte, na forma da Lei nº , de 07/12/77, regulamentada pelo Decreto nº , de 18/08/82, tendo em vista Convênio nº. /2004, publicado em Diário Oficial nº. de / /. Art. 1º - O ALUNO desenvolverá Estágio: Obrigatório ( x ) Não obrigatório ( ) Art. 2º - O ESTAGIÁRIO desenvolverá atividades dentro de sua linha de formação. Art. 3º - A EMPRESA elaborará Programa de Atividades a ser cumprido pelo ESTAGIÁRIO, em conformidade com as disciplinas cursadas pelo mesmo, respeitados os horários de obrigações do ESTAGIÁRIO com a UDESC/CENTRO. Art. 4º - O Estágio será desenvolvido na Área de Informática no período de 01/03/07 a 01/08/07. 1º - Este período poderá ser prorrogado mediante prévio entendimento entre as partes. 2º - Tanto a EMPRESA como o ESTAGIÁRIO poderão a qualquer momento dar por terminado o Estágio, mediante comunicação escrita. Art. 5º - Pelas reais e recíprocas vantagens técnicas e administrativas, a EMPRESA designará como Supervisor Interno de Estágios e avaliador a Senhora Marluce Zimmermann. Art. 6º - O ESTAGIÁRIO declara concordar com as normas internas da EMPRESA, conduzir-se dentro da ética profissional e submeter-se a acompanhamento e avaliação de seu desempenho e aproveitamento. Art. 7º - O ESTAGIÁRIO se obriga a cumprir fielmente a programação de estágio. Art. 8º - O ESTAGIÁRIO responderá pelas perdas e danos conseqüentes da inobservância das normas internas da EMPRESA. Art. 9º - O ESTAGIÁRIO se compromete a elaborar Relatório sobre o Estágio realizado apresentando-o à EMPRESA através de seu Supervisor, e à Universidade através do Coordenador de Estágios respectivo. Art. 10º - A EMPRESA se responsabilizará por despesas relativas a atividades extras impostas ao ESTAGIÁRIO.

10 x Art. 11º - O ESTAGIÁRIO não terá para quaisquer efeitos, vínculo empregatício com a EMPRESA, ficando aquele segurado contra acidentes pessoais durante o estágio pela apólice nº da Companhia de Seguros Aliança do Brasil (BB Seguros). Art. 12º - O ESTAGIÁRIO receberá uma bolsa no valor de R$ 400,00 (400 REAIS). Art. 13º - Fica firmado o presente em 3 (três) vias de igual teor. Joinville, de de (1) EMPRESA:... (2) ESTAGIÁRIO:... (3) INSTITUIÇÃO DE ENSINO:...

11 xi À minha família À minha namorada Isabela Cristina da Silva

12 xii AGRADECIMENTOS Agradeço à Universidade do Estado de Santa Catarina e seus professores por terem me proporcionado um ensino de qualidade e comprometimento com a minha formação. Em especial ao professor Jorge Fernandes, meu orientador do estágio. À empresa Malva Confecções que acreditou no meu trabalho e me possibilitou desenvolver habilidades profissionais e adquirir novos conhecimentos.

13 xiii SUMÁRIO LISTA DE FIGURAS... XIV RESUMO...XV 1. INTRODUÇÃO OBJETIVOS Geral Específicos Justificativa A EMPRESA HISTÓRICO PRINCIPAIS PRODUTOS PRINCIPAIS CLIENTES CONSIDERAÇÕES GERAIS DESENVOLVIMENTO VISÃO GERAL DO PROBLEMA OS REQUISITOS DIAGRAMA DE ATIVIDADES DIAGRAMA DE CLASSES BANCO DE DADOS DESENVOLVIMENTO DO SOFTWARE TELAS DO SISTEMAS CONSIDERAÇÕES FINAIS...35 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...36

14 xiv LISTA DE FIGURAS Figura 3.1: Diagrama de Casos de Uso...20 Figura 3.2: Diagrama de Atividades do Caso de Uso Entrar Produtos...22 Figura 3.3: Diagrama de Atividades do Caso de Uso Digitar Pedidos Figura 3.4: Diagrama de Classes...24 Figura 4.1: Banco de Dados...25 Figura 6.1: Tela de Login do Sistema...27 Figura 6.2: Cadastro de Usuários...28 Figura 6.3: Cadastro de Vendedores...29 Figura 6.4: Cadastro de Clientes...30 Figura 6.5: Cadastro de Produtos...31 Figura 6.6: Cadastro de Unidades de Medida...31 Figura 6.7: Entrada de Produtos...32 Figura 6.8: Digitação de Pedidos Figura 6.9: Consulta de Estoque....34

15 xv RESUMO Este relatório tem por objetivo apresentar as atividades desenvolvidas durante o período de estágio na empresa Malva Confecções. Serão apresentados de forma detalhada os processos da engenharia de software utilizados na análise e desenvolvimento do sistema de controle de estoque da empresa Malva Confecções.

16 1. INTRODUÇÃO A principal finalidade deste trabalho é descrever as atividades desenvolvidas durante o período de estágio. Serão apresentados os processos de análise e desenvolvimento do sistema de controle de estoque da empresa Malva Confecções OBJETIVOS Geral Aplicar os conceitos práticos e teóricos obtidos na UDESC no gerenciamento da área de informática da empresa e desenvolvimento de sistemas específicos que visam controlar e agilizar os processos da empresa Específicos Manutenção de computadores e impressoras e treinamento de funcionários na utilização de softwares; Manutenção do sistema de pedidos e estoque que foi desenvolvido durante o estágio 1; Desenvolvimento de um site institucional para a empresa Justificativa A empresa utilizava-se de processos manuais para controlar a entrada e saída de seus produtos. Isso muitas vezes gerava discrepâncias quando era realizado um inventário dos produtos em estoque. Portanto, viu-se a necessidade de uma solução informatizada para garantir uma maior precisão do controle de estoque e também dar maior agilidade ao processo de entrada e saída das mercadorias.

17 17 2. A EMPRESA 2.1. HISTÓRICO A Malva Confecções Indústria e Comércio Ltda. situada na cidade de Joinville, norte catarinense, iniciou suas atividades em É uma empresa do ramo de confecções que terceiriza o processo de desenvolvimento de seus produtos. A empresa se preocupa constantamente com a qualidade de seu produto, visando o conforto e a satisfação de seus usuários. Hoje, a empresa conta com representantes nos 3 estados do sul do país. Malva Confecções Indústria e Comércio Ltda. - Nome Fantasia: Free Brazil Rua Coronel Vieira, Iririú Joinville - Santa Catarina - Brasil Fone: (47) Site: PRINCIPAIS PRODUTOS Os principais produtos da empresa são as camisas gola pólo, camisetas de poliviscose, regatas e calças capri PRINCIPAIS CLIENTES Todos os clientes da empresa Malva Confecções são lojas situadas no três estados da região sul do país, dentre os quais destacam-se os seguintes: Cliente Loja Tropicana Loja Três Irmãos Loja Trevisani Loja Ótima Loja Ilza Cidade, UF São Bento do Sul, SC Papanduva, SC Canoinhas, SC União de Vitória, SC Rio Azul, SC

18 18 Loja Cristina Loja GL Loja Avenida Loja Pitol Andreoli Calçados e Confecções Ltda. Perfil Comércio de Conf. Cervi e Cia Ltda. Mallet, PR Franciso Beltrão, PR Rio Negro, PR Passo Fundo, RS Passo Fundo, RS Passo Fundo, RS Erechim, RS 2.4. CONSIDERAÇÕES GERAIS A Malva Confecções conta atualmente com 3 empregados, além dos 2 sócios. E o seu faturamento anual gira em torno de 300 mil reais.

19 3. DESENVOLVIMENTO 3.1. Visão Geral do Problema Em todo desenvolvimento de software, é importante ter uma visão geral do problema, antes mesmo de investigar o que o sistema deve fazer. No início do estágio, a empresa Malva Confecções relatou o seguinte problema: Atualmente, não possuímos um cadastro de produtos. Os pedidos enviados pelos vendedores são arquivados de forma manual e mantidos em aberto. Quando a mercadoria é enviada para o cliente este pedido é considerado fechado e então é dada a baixa no estoque. Assim, temos dificuldades em controlar o nosso estoque. Tendo em vista este relato da empresa, decidiu-se pelo desenvolvimento de um sistema de controle de estoque em que haveria uma interface para entrada de materiais para abastecer o estoque, uma interface para digitação de pedido para baixar o estoque e uma consulta de produtos em estoque Os Requisitos Após o levantamento dessas informações e conhecendo o processo manual da empresa, partiu-se para a fase de levantamento de requisitos. Existem inúmeras maneiras ou técnicas de capturar requisitos de um software, optou-se por utilizar a técnica de Use Cases (Casos de Uso) da UML. O Caso de Uso é uma maneira de demonstrar o funcionamento do sistema pela visão do usuário. Pode-se chamar o Caso de Uso de Objetivo, pois ele retrata um objetivo do Ator. Analisando-se o processo atual da empresa, chegou-se ao Caso de Uso conforme figura 1:

20 20 Figura 3.1: Diagrama de Casos de Uso O Diagrama de Casos de Uso é um resumo do sistema. Pode ser utilizado para o levantamento inicial dos Objetivos e Atores e depois descrever os textos da narrativa. Ou então pode-se escrever a narrativa e depois fazer o diagrama. De qualquer forma, para a técnica de Casos de Uso, o texto é mais importante que o diagrama, visto que ele pode prover uma narrativa passo a passo do Caso de Uso. Observando-se o primeiro Caso de Uso, é possível imaginar que se trata de um cadastro relativamente simples, portanto, não é necessária uma narrativa passo a passo. Em cadastros ou funcionalidades simples, uma descrição geral é suficiente para deixar claro as responsabilidades alocadas ao Caso de Uso. Neste levantamento inicial, este Caso de Uso teria somente uma descrição conforme abaixo: Caso de Uso: Cadastrar Usuário, Produto, Cliente e Vendedor. Descrição Geral: Este Caso de Uso é responsável por incluir, alterar, consultar e excluir um Usuário, Produto, Cliente ou Vendedor do sistema. O segundo Caso de Uso também é bastante simples. Trata-se apenas de uma consulta: Caso de Uso: Consultar Estoque Descrição Geral: O sistema lista os produtos e suas respectivas quantidades em estoque.

21 21 O terceiro Caso de Uso requer uma descrição mais detalhada, visto que se trata de um processo importante do sistema. Vale ressaltar que o sistema não fará o controle de fabricação dos produtos, assim, este Caso de Uso inicia o processo de entrada das mercadorias em estoque: Caso de Uso: Entrar Produtos em Estoque O Ator informa o número do documento, ou guia, para digitar a entrada dos produtos no estoque. O sistema sugere a data atual para a entrada das mercadorias, porém, ele deve permitir a alteração da data. [P1] O Ator informa o código e a quantidade do produto que entrará no sistema. O sistema exibe a descrição do produto. [A1] O sistema volta ao passo [P1] por quantas vezes o Ator desejar. O Ator finaliza a entrada dos produtos e o sistema calcula automaticamente a quantidade de cada produto para dar entrada no estoque. Fluxo Alternativo A1 Produto Não Existente O sistema informa que o produto não existe. Volta ao passo [P1]. A descrição do quarto Caso de Uso é semelhante ao segundo, entretanto, neste momento é dada a baixa no estoque: Caso de Uso: Digitar Pedidos O Ator inicia a digitação do pedido e o sistema informa um número seqüencial para identificar o pedido. O sistema deve permitir a alteração do número caso o Ator deseje fazê-lo. O Ator informa o código do cliente que receberá os produtos. O sistema exibe o nome do cliente. O sistema deve permitir ao Ator realizar uma consulta de clientes através do nome, caso ele não saiba o código do cliente. [A1]. O Ator informa o código do vendedor que emitiu o pedido. O sistema exibe o nome do vendedor. O sistema deve permitir ao Ator realizar uma consulta de vendedores através do nome, caso ele não saiba o código do vendedor. [A2]. O sistema exibe o percentual de comissão que o vendedor receberá pelo pedido. Este percentual já foi informado no Cadastro de Vendedores, porém, o sistema permite que seja informado outro percentual caso a comissão seja diferente para este pedido. O Ator informa a situação do pedido: Aberto, Fechado ou Cancelado. [P1] O Ator informa o código e a quantidade do produto. O sistema exibe a descrição e o preço do produto e calcula o preço total (preço x quantidade). [A3] [A4]. O sistema volta ao passo [P1] por quantas vezes o Ator desejar. O Ator finaliza a digitação de pedidos e o sistema calcula o Preço Total Final do pedido e o Preço Total Final com o desconto que será pago ao vendedor. O sistema valida a situação do pedido: se Aberto, não é feita a baixa do estoque. Se Fechado, é feita a baixa no estoque. Se cancelado, não é feita a baixa no estoque e não é mais permitido alterar o pedido.

22 22 Fluxo Alternativo A1 Cliente Não Existente O sistema informa que o cliente não existe. Volta ao início do passo atual. Fluxo Alternativo A2 Vendedor Não Existente O sistema informa que o vendedor não existe. Volta ao início do passo atual. Fluxo Alternativo A3 Produto Não Existente O sistema informa que o produto não existe. Volta ao passo [P1]. Fluxo Alternativo A4 Quantidade Indisponível no Estoque O sistema informa que o produto não está disponível no estoque. O ator informa uma nova quantidade ou volta para o passo [P1]. Uma boa narrativa de Caso de Uso deve ser clara e focada nas necessidades do Ator. É descrito somente o que o sistema responde e não como ele faz para obter essa resposta. O Caso de Uso mapeia o problema e não a solução. Com esses quatro Casos de Uso, já se pode iniciar o design e modelagem da aplicação com uma substancial segurança a respeito das necessidades mais importantes da empresa Malva Confecções Diagrama de Atividades Os diagramas de Casos de Uso não demonstram o processo do sistema, eles são focados apenas em objetivos dos atores. Para analisar o processo do sistema, utiliza-se outro diagrama da UML: o Diagrama de Atividades. Figura 3.2: Diagrama de Atividades demonstrando o Caso de Uso Entrar Produtos

23 23 Este diagrama destaca a lógica do processo de entrada de produtos no sistema. Ele inicia com o Caso de Uso Entrar Produtos em Estoque e demonstra o fluxo desta atividade no sistema. O diagrama de atividades abaixo ilustra o processo do Caso de Uso Digitar Pedidos: Figura 3.3: Diagrama de Atividades do Caso de Uso Digitar Pedidos

24 24 Os diagramas de atividades são úteis para uma compreensão rápida dos propósitos do sistema. É difícil analisar numa mesa de reunião textos muito extensos. Um diagrama como este, torna isto muito mais fácil. Isso facilita o entendimento e a visualização inicial do sistema pela empresa Malva Confecções Diagrama de Classes O Diagrama de Classes é o mais popular da UML. Uma forma de encontrar as classes deste diagrama é olhar os substantivos dos requisitos. Por exemplo: Cliente, Vendedor, Produto, Pedido, Estoque. Todos estes substantivos foram traduzidos em classes dentro do sistema da Malva Confecções. Durante o levantamento de requisitos já é possível fazer um esboço mental das classes do sistema. E uma maneira de encontrar os atributos das classes é um protótipo de tela. Alguns atributos que são apenas informativos não constam no Caso de Uso, assim, um rascunho das telas do sistema ajuda a minimizar possíveis falhas, tais como o esquecimento de algum dado importante para o usuário ou a posição dos campos na tela, durante o desenvolvimento. A figura abaixo mostra o Diagrama de Classes do Sistema: Figura 3.4: Diagrama de Classes

25 25 4. Banco de Dados Concluída a fase de análise, partiu-se para o desenvolvimento do banco de dados do sistema. Optou-se por utilizar o banco de dados PostgreSQL, que é um SGBD (Sistema Gerenciador de Bancos de Dados) relacional. Oferece mecanismos eficientes de segurança e integridade de dados, além de suportar quase todas as construções SQL. É um software de livre distribuição e, em termos de recursos, pode ser comparado aos melhores bancos de dados comerciais existentes. Na figura abaixo, pode ser observado o banco de dados com suas respectivas tabelas, atributos e tipos de dados: Figura 4.1: Banco de Dados

26 26 5. Desenvolvimento do Software Concluída a fase de análise e projeção do software, partiu-se para a escolha de ferramentas para dar suporte ao desenvolvimento do sistema. Em relação à codificação, vale ressaltar que a UML é uma ferramenta independente de plataforma ou linguagem. Portanto, durante a fase de análise não houve preocupação em relação à linguagem de programação que seria utilizada. Foram utilizadas as seguintes ferramentas durante o processo de desenvolvimento do software: - Linguagem de programação: Java 1.5; - IDE de desenvolvimento: Eclipse 3.2; - Geração de relatórios: API itext; - Ferramenta para mapeamento objeto-relacional: Hibernate. A linguagem de programação Java tem ganhado cada vez mais popularidade na indústria de software. A grande comunidade de usuários Java facilita o trabalho dos desenvolvedores, visto que há uma grande rede de contatos e pessoas que se ajudam e trocam experiências diariamente, isto pode ser observado nos fóruns do site do GUJ do Brasil em A IDE Eclipse é um ambiente de desenvolvimento bastante completo voltado à linguagem Java. E o itext é uma API para geração de relatórios em PDF e foi escolhida devido a simplicidade de uso. O Hibernate é uma ferramenta de mapeamento objeto/relacional para Java. Ela transforma os dados tabulares de um banco de dados em um grafo de objetos definido pelo desenvolvedor. Usando o Hibernate, o desenvolvedor se livra de escrever muito do código de acesso a banco de dados e de SQL que ele escreveria não usando a ferramenta, acelerando a velocidade do seu desenvolvimento de uma forma fantástica. Assim, o sistema foi desenvolvido sem a utilização da linguagem SQL, visto que o framework realiza esta abstração. Todas essas ferramentas são gratuitas e portáveis para diversos Sistemas Operacionais e Bancos de Dados, ou seja, o sistema desenvolvido não é dependente de plataforma, o que garante maior flexibilidade para a empresa. Desde o início do desenvolvimento, houve a preocupação de separar as responsabilidades da aplicação em camadas. Para isso, foi utilizado o modelo MVC (Model-View-Controller). Este modelo é bastante difundido pela comunidade mundial do Java. O MVC é um padrão comportamental composto pelos três elementos que formam o nome. O Model representa os dados, as informações. A View significa a tela ou componente visual que demonstra os dados. O Controller é responsável por captar e tratar os estímulos que o usuário efetuou na View para fazer uma atualização do Model. Antes da utilização desse padrão, era comum ter toda a responsabilidade alocada somente na View.

27 27 O principal objetivo do MVC é desacoplar os componentes segundo a sua responsabilidade. Usando o MVC é possível reescrever um componente View sem ter de alterar o Model, ou então pode-se ter vários tipos de visões para um mesmo elemento. O sistema desenvolvido para a empresa Malva Confecções utiliza a interface desktop, porém, com a utilização desse padrão, caso a empresa deseje migrar o sistema para a Web será necessário apenas reescrever a interface (View) do sistema, visto que a regra de negócio e os dados estão todos na camada de negócio (Model) e poderão ser reutilizados. 6. Telas do Sistemas A seguir, encontram-se os protótipos das telas do sistema após a conclusão do desenvolvimento do software: Login: nesta tela deve ser informado o usuário e senha para efetuar o login no sistema. Figura 6.1: Tela de Login do Sistema

28 28 Cadastro de Usuários: nesta tela são cadastrados os novos usuários do sistema. Deve ser informado o usuário, nome, , senha e quantidade de dias de validade da senha no sistema. O sistema assume a data de vigência da senha como sendo a data atual e calcula a data de validade da senha conforme a quantidade de dias de validade da senha informado pelo usuário. Por exemplo, se um novo usuário for cadastrado no dia 01/07/2007 com validade da senha por 30 dias, a senha deste usuário irá expirar no dia 31/07/2007 e o usuário terá de informar uma nova senha para continuar utilizando o software. Figura 6.2: Cadastro de Usuários

29 29 Cadastro de Vendedores: nesta tela serão cadastrados os vendedores da empresa Malva Confecções. Devem ser informados um código, o seu nome e o valor de desconto para este vendedor. O campo desconto é utilizado na digitação do pedido e será explicado logo mais. Figura 6.3: Cadastro de Vendedores

30 30 Cadastro de Clientes: nesta tela serão cadastrados os clientes da empresa Malva Confecções. Um cliente precisa estar previamente cadastrado para que se possa efetuar um pedido para este cliente. Figura 6.4: Cadastro de Clientes

31 31 Cadastro de Produtos: nesta tela são informados a referência, descrição, unidade de medida e preço do produto. A unidade de medida deve estar previamente cadastrada no sistema. Figura 6.5: Cadastro de Produtos Cadastro de Unidade de Medida: nesta tela são cadastradas as unidades de medida dos produtos. Atualmente, a empresa Malva Confecções utiliza a unidade de medida PC (Peça) para todos os seus produtos. Figura 6.5: Cadastro de Unidades de Medida

32 32 Entrada de Produtos: nesta tela é feita a entrada dos produtos no estoque. No processo manual da empresa, utilizava-se uma guia com um número para identificar os produtos que entrariam no estoque. O valor desse número agora é informado no campo Documento. O usuário digita os produtos que estão entrando no estoque e suas respectivas quantidades. Após isso, o sistema calcula a nova quantidade dos produtos em estoque. Figura 6.6: Entrada de Produtos

33 33 Digitação de Pedidos: nesta tela é informado o número do pedido, a data de digitação, o cliente para onde será enviado o pedido e o código do vendedor. Após a digitação do código do vendedor, o sistema busca o desconto para este vendedor, e informa este valor no campo Desconto. Este valor é usado para calcular a comissão do vendedor. Também é informada a situação do pedido: Aberto, Fechado ou Cancelado. Um pedido Aberto significa que ainda não deve ser feita a baixa em estoque, pois o pedido ainda não foi enviado para o cliente. Um pedido Fechado indica que deve ser calculada a baixa em estoque, pois o pedido já foi enviado. E um pedido Cancelado significa que o pedido foi emitido, porém, foi cancelado por algum motivo. Por fim, são informados os produtos e suas respectivas quantidades. Figura 6.7: Digitação de Pedidos

34 34 Consulta de Estoque: nesta tela é possível visualizar os produtos cadastrados e suas respectivas quantidade em estoque. Figura 6.8: Consulta de Estoque

35 CONSIDERAÇÕES FINAIS Desde o início do desenvolvimento do estágio, houve a preocupação em desenvolver não apenas um sistema capaz de atender as necessidades da empresa Malva Confecções, mas, também, utilizar uma metodologia condizente com o processo atual da engenharia de software. Assim, foi possível desenvolver um software de qualidade e com fácil manutenibilidade. De uma forma geral, não houve grandes dificuldades durante o período de estágio. A confiança da empresa no trabalho realizado pode ser considerada um fator de sucesso para a realização do estágio. O tempo de desenvolvimento do sistema ficou dentro do prazo estipulado, e, atualmente, a empresa Malva Confecções utiliza o sistema desenvolvido durante o período de estágio. As disciplinas que mais contribuíram para a compreensão e o desenvolvimento do estágio foram: Linguagem de Programação (LPG II), Análise de Sistemas (ANA), Engenharia de Software (SOFT), Banco de Dados (BAN) e Análise de Projetos Avançados (APS). Essas disciplinas contribuíram de uma forma efetiva para o pleno entendimento de todo o processo de engenharia de software, englobando as fases de análise, projeção do software, criação do banco de dados e desenvolvimento.

36 36 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS YOSHIMA, Rodrigo. Artigo: UML Não é Documentação. Revista Mundo Java, número 19, YOSHIMA, Rodrigo. Coluna Mundo OO: Caso de Uso, um Ilustre Desconhecido. Revista Mundo Java, número 20, YOSHIMA, Rodrigo. Coluna Mundo OO: Design Patterns para um Mundo Real parte 3. Revista Mundo Java, número 23, Linguagem de Programação Java. IDE de Desenvolvimento Eclipse. API itext para Geração de Relatórios em PDF. Framework Hibernate. Grupo de Usuários Java.

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE FERNANDO RODRIGO NASCIMENTO GUSE i ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE EMPRESA: Globalmind Serviços em Tecnologia da Informação LTDA. SETOR: Infra Estrutura SUPERVISOR:

Leia mais

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR EMPRESA: TRÍPLICE CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: RONALDO GUIZARDI ORIENTADOR: VILSON VIEIRA CURSO DE BACHARELADO EM

Leia mais

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR EMPRESA: TRÍPLICE CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: RONALDO GUIZARDI ORIENTADOR: VILSON VIEIRA CURSO DE

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DO BANCO DE DADOS

ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DO BANCO DE DADOS Bruno Luiz Corbani Garcia ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DO BANCO DE DADOS EMPRESA: Conceito W SETOR: Banco de Dados SUPERVISOR: Ademir da Cunha Junior ORIENTADOR: Edino Mariano

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO THALLES GRESCHECHEN ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO EMPRESA: NEOGRID INFORMÁTICA S/A SETOR: SUPORTE E MONITORAMENTO SUPERVISOR: FÁBIO ROBERTO MENDES ORIENTADOR: PROF. GERSON VOLNEY LAGEMANN

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO MNT FROTA

ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO MNT FROTA RAFAEL REINERT ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO DO MNT FROTA EMPRESA: NG Informática SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: Rafael Diogo Richter ORIENTADOR: Carlos Norberto Vetorazzi Júnior CURSO DE

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO KIT ALUNO ESTÁGIO PASSO A PASSO

COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO KIT ALUNO ESTÁGIO PASSO A PASSO COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO KIT ALUNO ESTÁGIO PASSO A PASSO Maceió/2014 1º PASSO: PREENCHIMENTO DO CADASTRO DO ALUNO COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS CADASTRO DO ALUNO Curso: Período que Cursa: Matrícula: Nome Completo:

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES REALIZADAS DURANTE O ESTÁGIO CURRICULAR NA OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE

ESTÁGIO CURRICULAR I DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES REALIZADAS DURANTE O ESTÁGIO CURRICULAR NA OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE BRUNO PEREIRA DAMASCENO ESTÁGIO CURRICULAR I DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES REALIZADAS DURANTE O ESTÁGIO CURRICULAR NA OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE EMPRESA: OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE SETOR: DESENVOLVIMENTO

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA QUE PERMITE VERIFICAR A RELAÇÃO ENTRE PERFIL DE EMPRESA E

ESTÁGIO CURRICULAR I e II PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA QUE PERMITE VERIFICAR A RELAÇÃO ENTRE PERFIL DE EMPRESA E Guilherme Alexandre Sant'Ana ESTÁGIO CURRICULAR I e II PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA QUE PERMITE VERIFICAR A RELAÇÃO ENTRE PERFIL DE EMPRESA E MODELO DE PROCESSO DE SOFTWARE EMPRESA: UNIVERSIDADE

Leia mais

CAIO CÉSAR MAYER. ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES WEB EM C#.NET

CAIO CÉSAR MAYER. ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES WEB EM C#.NET CAIO CÉSAR MAYER ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES WEB EM C#.NET EMPRESA: SELBETTI GESTÃO DE DOCUMENTOS SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: FABIANO PAUL ORIENTADOR: JORGE MANUEL LAGE

Leia mais

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA 2015 SUMÁRIO 1 - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 2 - OBJETIVO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO... 3 3 - ACOMPANHAMENTO E ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO... 4 4 - EXEMPLO DE ÁREAS PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO...

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO

ESTÁGIO CURRICULAR I ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO Fazel Mobini Kesheh ESTÁGIO CURRICULAR I ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO EMPRESA: MACEDON SOLUÇÕES EM INFORMAÇÃO LTDA. SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: EDÉSIO ORBEN ORIENTADOR: WESLEY DOS REIS BEZERRA CURSO

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 076. de 06 de maio de 2008.

RESOLUÇÃO nº 076. de 06 de maio de 2008. Av. Castelo Branco, 170 -CEP 88.509-900 - Lages - SC - Cx. P. 525 - Fone (0XX49) 3251-1022 Fax 3251-1051 RESOLUÇÃO nº 076. de 06 de maio de 2008. Altera o Art. 4º da Resolução nº 056 de 02 de abril de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DE ALFENAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FEDERAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DE ALFENAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FEDERAL REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE QUÍMICA DA Efoa/Ceufe Resolução Nº 007/2005 pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) O presente regulamento foi elaborado tendo

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BACHARELADO E LICENCIATURA)

REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BACHARELADO E LICENCIATURA) 1 REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BACHARELADO E LICENCIATURA) Resolução nº 015/2005 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) Capítulo

Leia mais

Universidade Federal Rural de Pernambuco. Bacharelado em Sistemas de Informação. Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação

Universidade Federal Rural de Pernambuco. Bacharelado em Sistemas de Informação. Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação Universidade Federal Rural de Pernambuco Bacharelado em Sistemas de Informação Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação Docente: Rodrigo Aluna: Thays Melo de Moraes Diagramas do Projeto

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Ponta Grossa 2012 ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Trabalho elaborado pelo

Leia mais

ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE QUÍMICA BACHARELADO COM ATRIBUIÇÕES TECNOLÓGICAS (OPCIONAL)

ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE QUÍMICA BACHARELADO COM ATRIBUIÇÕES TECNOLÓGICAS (OPCIONAL) APÊNDICE IV - NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO O Relatório de Estágio deverá ser confeccionado conforme descrição deste modelo e entregue impresso e em três vias à Comissão de

Leia mais

Faculdade Decisão Faculdade Decisão FADEC - CNPJ. 82.103.292/0001-52 Credenciada Pela Portaria MEC Nº 1029/2000 DOU: 21.07.2000

Faculdade Decisão Faculdade Decisão FADEC - CNPJ. 82.103.292/0001-52 Credenciada Pela Portaria MEC Nº 1029/2000 DOU: 21.07.2000 TERMO DE CONVÊNIO PARA ESTÁGIO CURRICULAR FADEC/EMPRESA TERMO DE CONVÊNIO PARA ESTÁGIO CURRICULAR QUE ENTRE SI CELEBRAM, DE UM LADO A FACULDADE DECISÃO E DE OUTRO LADO, A EMPRESA, VISANDO À REALIZAÇÃO

Leia mais

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Juarez Bachmann Orientador: Alexander Roberto Valdameri Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS

ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS MURILO CARLOS CARDOSO ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS EMPRESA: LOJAS SALFER S.A SETOR: TI SUPERVISOR: FABIO ADRIANO DACORREGIO MEIER. ORIENTADOR: VALMOR

Leia mais

FELIPE NUNES ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA ERP VIA WEB

FELIPE NUNES ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA ERP VIA WEB i FELIPE NUNES ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA ERP VIA WEB EMPRESA: P&P INFORMÁTICA LTDA. SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: MAURÍCIO PENSKY ORIENTADOR: FABIANO BALDO CURSO: BACHARELADO

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE ESTÁGIO VOLUNTÁRIO

SOLICITAÇÃO DE ESTÁGIO VOLUNTÁRIO SOLICITAÇÃO DE ESTÁGIO VOLUNTÁRIO Sr(a) Chefe de Departamento, Curitiba, de de. Eu,, aluno(a) regularmente matriculado(a) no Curso de matrícula nº, solicito estágio não remunerado no Departamento de, Laboratório

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE TÉCNICO AOS CLIENTES DO SISTEMA DATASUL BUSINESS INTELLIGENCE

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE TÉCNICO AOS CLIENTES DO SISTEMA DATASUL BUSINESS INTELLIGENCE KÁTIA CRISTINA CARDOSO ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE TÉCNICO AOS CLIENTES DO SISTEMA DATASUL BUSINESS INTELLIGENCE EMPRESA: Futura Soluções em Finanças Ltda. SETOR: Assistência Técnica - Suporte SUPERVISOR:

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA GUIA DE APRESENTAÇÃO DA MATÉRIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA GUIA DE APRESENTAÇÃO DA MATÉRIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA GUIA DE APRESENTAÇÃO DA MATÉRIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Serra 2013 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 OBJETIVOS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO.... 4 ACOMPANHAMENTO

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DO PARANÁ. Sistema de Gestão Escolar PROJETO FINAL Schola Ratio Versão 8

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DO PARANÁ. Sistema de Gestão Escolar PROJETO FINAL Schola Ratio Versão 8 FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DO PARANÁ Sistema de Gestão Escolar PROJETO FINAL Schola Ratio Versão 8 CURITIBA Nov 2012 DJULLES IKEDA OSNIR FERREIRA DA CUNHA Sistema de Gestão Escolar PROJETO

Leia mais

ANDERSON CELECINO BRITO DE SOUZA CASSIANO MACHADO INÁCIO JACKSON BRUTKOWSKI VIEIRA DA COSTA LOJA VIRTUAL

ANDERSON CELECINO BRITO DE SOUZA CASSIANO MACHADO INÁCIO JACKSON BRUTKOWSKI VIEIRA DA COSTA LOJA VIRTUAL ANDERSON CELECINO BRITO DE SOUZA CASSIANO MACHADO INÁCIO JACKSON BRUTKOWSKI VIEIRA DA COSTA LOJA VIRTUAL CURITIBA 2004 ANDERSON CELECINO BRITO DE SOUZA CASSIANO MACHADO INÁCIO JACKSON BRUTKOWSKI VIEIRA

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE DESIGN, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O estágio não obrigatório,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE DESIGN, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O presente documento

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP

ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP Bruno Luiz Corbani Garcia ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP EMPRESA: Microvix SETOR: Banco de Dados SUPERVISOR: Dalton Dhiergo Fernandes ORIENTADOR: Alexandre Parra Silva Carneiro

Leia mais

APEC - Associação Piauiense de Educação e Cultura CESVALE Centro de Ensino Superior do Vale do Parnaíba TERMO DE CONVÊNIO

APEC - Associação Piauiense de Educação e Cultura CESVALE Centro de Ensino Superior do Vale do Parnaíba TERMO DE CONVÊNIO TERMO DE CONVÊNIO TERMO DE CONVÊNIO que celebram entre si, de um lado a Empresa doravante denominada UNIDADE CONCENDENTE e do outro lado, o CENTRO DE ENSINO SUPERIOR VALE DO PARNAIBA CESVALE, visando a

Leia mais

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Disciplina: INF 02810 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 1. Introdução 2. Processo de Software 3. Gerência de

Leia mais

Diretrizes para criação de um padrão de desenvolvimento de sistemas de informação baseados em cots

Diretrizes para criação de um padrão de desenvolvimento de sistemas de informação baseados em cots Diretrizes para criação de um padrão de desenvolvimento de sistemas de informação baseados em cots Roosewelt Sanie Da Silva¹ 1 Ciência da Computação Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) Rodovia

Leia mais

ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA

ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA INTRODUÇÃO O projeto de um banco de dados é realizado sob um processo sistemático denominado metodologia de projeto. O processo do

Leia mais

MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ INSTITUTO DE CULTURA E ARTE CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA O Manual ora apresentado visa orientar os alunos

Leia mais

SuperStore Sistema para Automação de Óticas

SuperStore Sistema para Automação de Óticas SuperStore Sistema para Automação de Óticas MANUAL DO USUÁRIO (Administrador) Contato: (34) 9974-7848 http://www.superstoreudi.com.br superstoreudi@superstoreudi.com.br SUMÁRIO 1 ACESSANDO O SISTEMA PELA

Leia mais

Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG

Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG 2015 Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG Cliente Institucional e Atualizado em: 11 de setembro de 2015 Sumário 1. Conceito do software... 1 2. Abertura de

Leia mais

CNEC FACULDADE CENECISTA DE CAPIVARI

CNEC FACULDADE CENECISTA DE CAPIVARI CNEC FACULDADE CENECISTA DE CAPIVARI TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO SICOCC Grupo: Flávio T. M. de Toledo Márcio P. Quagliato Mateus P. Quagliato RA: 2003D025 RA: 2003D021 RA: 2003D022 Profº: Vitor Brandi

Leia mais

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML.

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML. APLICAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS PARA COMPREENSÃO DE DOMÍNIO DO PROBLEMA PARA SISTEMA DE CONTROLE COMERCIAL LEONARDO DE PAULA SANCHES Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas RENAN HENRIQUE

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II APRIMORAMENTO E MANUTENÇÃO DO SOFTWARE DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO

ESTÁGIO CURRICULAR I e II APRIMORAMENTO E MANUTENÇÃO DO SOFTWARE DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO EDUARDO KONESKI WESTPHAL ESTÁGIO CURRICULAR I e II APRIMORAMENTO E MANUTENÇÃO DO SOFTWARE DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO EMPRESA: Conceito W SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: José Alberto Nishi

Leia mais

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manual do Estágio Supervisionado Santa Rita do Sapucaí-MG Janeiro/2011 Sumário 1. Introdução 3 2. O que é

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I E II CONVERSÃO E MELHORAMENTO DE UM SISTEMA DE HELPDESK EM PROGRESS PARA JAVA

ESTÁGIO CURRICULAR I E II CONVERSÃO E MELHORAMENTO DE UM SISTEMA DE HELPDESK EM PROGRESS PARA JAVA JULIO CESAR GOMES DE OLIVEIRA ESTÁGIO CURRICULAR I E II CONVERSÃO E MELHORAMENTO DE UM SISTEMA DE HELPDESK EM PROGRESS PARA JAVA EMPRESA: WETZEL S/A SETOR: TECNOLOGIO DE INFORMAÇÃO SUPERVISOR: ILO RICARDO

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA.

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA. REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA. JUIZ DE FORA MG APRESENTAÇÃO O Instituto Superior de Educação Carlos Chagas ISECC, com sua sede na cidade de Juiz de Fora, Estado

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS THAYZE MAINKA NAIZER ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS EMPRESA: Linx Sistemas e Consultoria Ltda (Unidade Microvix) SETOR: Banco de Dados SUPERVISOR: Dalton Dhiergo

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE SAÚDE E SERVIÇOS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE SAÚDE E SERVIÇOS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE SAÚDE E SERVIÇOS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA CHRISTIAN GALAFASSI EDENIR HENRIQUE MARTINS GUSTAVO STANCK VILLAGE CLOUD

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Normatiza o Estágio Curricular Supervisionado (ECS) do Curso de Administração de Empresas, denominado no Projeto Pedagógico

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos e com o uso

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE (CEFID)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE (CEFID) CRONOGRAMA ENTREGA DE DOCUMENTOS Ficha de Estágio Termo de compromisso Controle de frequência Plano de trabalho Relatório final Seminário do Relatório final Avaliação e autoavaliação DATA PREVISTA Antes

Leia mais

Cronograma de Atividades. Processo Seletivo Simplificado Edital 06/2015

Cronograma de Atividades. Processo Seletivo Simplificado Edital 06/2015 Cronograma de Atividades Processo Seletivo Simplificado Edital 06/2015 CRONOGRAMA ATIVIDADE DATAS Publicação de Extrato de Abertura de Inscrições 08 de abril de 2015 Período de Inscrições, Entrega de Títulos

Leia mais

Concepção e Elaboração

Concepção e Elaboração UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Análise e Projeto Orientado a Objetos Concepção e Elaboração Estudo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 153/2005-CEPE/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 153/2005-CEPE/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 153/2005-CEPE/UNICENTRO Aprova o Regulamento de Estágio Curricular do Curso de Comunicação Social/Publicidade e Propaganda da UNICENTRO e dá outras providências. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL

Leia mais

Documento de Visão. Sistema de Ponto Eletrônico A2MEPonto. Versão 1.0

Documento de Visão. Sistema de Ponto Eletrônico A2MEPonto. Versão 1.0 Documento de Visão Sistema de Ponto Eletrônico A2MEPonto Versão 1.0 HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autor 23/10/2010 #1 Elaboração do documento. Eduardo Neto Versão 1.0 Documento de Visão A2ME

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I E II ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE ESTOQUE E INTEGRAÇÃO ENTRE O SISTEMA DE ESTOQUE E HELPDESK

ESTÁGIO CURRICULAR I E II ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE ESTOQUE E INTEGRAÇÃO ENTRE O SISTEMA DE ESTOQUE E HELPDESK DOUGLAS PADILHA ESTÁGIO CURRICULAR I E II ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE ESTOQUE E INTEGRAÇÃO ENTRE O SISTEMA DE ESTOQUE E HELPDESK EMPRESA: UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA SETOR: COORDENADORIA

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE Considerando o significado e a importância do Estágio como parte fundamental da formação profissional, define-se

Leia mais

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga 2º Semestre / 2011 O Processo Unificado dos autores Ivar Jacobson, Grady Booch e James

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual,

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual, DECRETO N.º 2299 R, DE 15 DE JULHO DE 2009. (Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial de 16/07/2009) Regulamenta o estágio estudantil no âmbito do Poder Executivo Estadual e dá outras providências.

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II CUSTOMIZAÇÃO DO MICROVIX ERP

ESTÁGIO CURRICULAR II CUSTOMIZAÇÃO DO MICROVIX ERP RODRIGO LUÍS DOS SANTOS ESTÁGIO CURRICULAR II CUSTOMIZAÇÃO DO MICROVIX ERP EMPRESA: Microvix S/A SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: Dalton Dhiergo Fernandes ORIENTADOR: Rebeca Schroeder CURSO DE BACHARELADO

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O

Leia mais

EDUARDO ALEXANDRE EBERHARDT

EDUARDO ALEXANDRE EBERHARDT i EDUARDO ALEXANDRE EBERHARDT ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO ACADÊMICO E FINANCEIRO DE ALUNOS EMPRESA: NOTEBOOK CENTURY SETOR: WEB SUPERVISOR: VICTOR VARGAS

Leia mais

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe:

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe: Versão Documento de Requisitos Documento de Requisitos Equipe: Bruno Harada (bhhc) Edilson Augusto Junior (easj) José Ivson Soares da Silva (jiss) Pedro Rodolfo da Silva Gonçalves (prsg) Raphael

Leia mais

Análise e projeto de sistemas PROF. REGILAN SILVA

Análise e projeto de sistemas PROF. REGILAN SILVA Análise e projeto de sistemas PROF. REGILAN SILVA Apresentação da disciplina Ver ementa... Solução Técnicas para identificação e detalhamento de requisitos Técnicas para modelagem de sistemas Definir

Leia mais

JACIARA DA SILVA ESTÁGIO CURRICULAR I E II. Reestruturação do Portal Intranet da Integral Informática em SharePoint

JACIARA DA SILVA ESTÁGIO CURRICULAR I E II. Reestruturação do Portal Intranet da Integral Informática em SharePoint JACIARA DA SILVA ESTÁGIO CURRICULAR I E II Reestruturação do Portal Intranet da Integral Informática em SharePoint EMPRESA: INTEGRAL INFORMÁTICA SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: LUIZ FERNANDO RAMOS ORIENTADOR:

Leia mais

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Workflow Processo

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR MIGRAÇÃO DO SISTEMA GSEM PARA WEB

ESTÁGIO CURRICULAR MIGRAÇÃO DO SISTEMA GSEM PARA WEB GILLES B. DE PAULA ESTÁGIO CURRICULAR MIGRAÇÃO DO SISTEMA GSEM PARA WEB EMPRESA: GESPLAN S.A. SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: FÁBIO NAKAZONI ORIENTADOR: OMIR ALVES CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE

Leia mais

AFONSO ULIANA NETO. ESTÁGIO CURRICULAR I e II PORTAL DE CLIENTE

AFONSO ULIANA NETO. ESTÁGIO CURRICULAR I e II PORTAL DE CLIENTE 1 AFONSO ULIANA NETO ESTÁGIO CURRICULAR I e II PORTAL DE CLIENTE EMPRESA: Datasul Santa Catarina SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: Pieter Cristian Trisotto ORIENTADOR: Avanilde Kemczinski CURSO DE TECNOLOGIA

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II ATIVIDADES DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS NA UNIMED FEDERAÇÃO DO ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTÁGIO CURRICULAR II ATIVIDADES DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS NA UNIMED FEDERAÇÃO DO ESTADO DE SANTA CATARINA PEDRO DE SOUZA NANDI ESTÁGIO CURRICULAR II ATIVIDADES DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS NA UNIMED FEDERAÇÃO DO ESTADO DE SANTA CATARINA EMPRESA: UNIMED FEDERAÇÃO DO ESTADO DE SANTA CATARINA SETOR:

Leia mais

o Conselho Universitário - CONSU, conforme o

o Conselho Universitário - CONSU, conforme o CENTRO UNIVERSITARlO EURÍPIDES DE MARÍLIA - UNIVEM Mantido pela Fundação de Ensino Euripides Soares da Rocha Internet: \\www.univem.edu.br - e-mail: fundação@univem.edu.br RESOLUÇÃO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

Histórico da Revisão. Data Versão Descrição Autor

Histórico da Revisão. Data Versão Descrição Autor Sistema de Gerenciamento de Loja - SIGEL Documento de Visão Versão 1.0.0 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 13/01/2011 0.1 Versão preliminar do levantamento de requisitos funcionais e não

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE ESTÁGIO DOS CURSOS

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE ESTÁGIO DOS CURSOS MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE ESTÁGIO DOS CURSOS TÉCNICO EM RADIOLOGIA ESPECIALIZAÇÕES DE NÍVEL TÉCNICO EM TOMOGRAFIA ESPECIALIZAÇÕES DE NÍVEL TÉCNICO EM MAMOGRAFIA 1 MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS

Leia mais

PRÊMIO IEL/CE- MELHORES PRÁTICAS DE ESTÁGIO/2013 REGULAMENTO

PRÊMIO IEL/CE- MELHORES PRÁTICAS DE ESTÁGIO/2013 REGULAMENTO PRÊMIO IEL/CE- MELHORES PRÁTICAS DE ESTÁGIO/2013 REGULAMENTO 2013 Prêmio IEL/CE- Melhores Práticas de Estágio 2013 1 de 16 Sumário 1. O PRÊMIO...2 2. OBJETIVOS...3 3. CATEGORIAS DA PREMIAÇÃO...3 4. FASES

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROCEU PROGRAMA DE CADASTRO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROCEU PROGRAMA DE CADASTRO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROCEU PROGRAMA DE CADASTRO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA CURITIBA 2009 HUGO ARAÚJO DE ALMEIDA RAFAEL DE MELLO LECHAKOSKI TAYLOR

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I E II MANUTENÇÃO, DESENVOLVIMENTO E CONTROLE DE QUALIDADE DE SISTEMAS DE GESTÃO EMPRESARIAL

ESTÁGIO CURRICULAR I E II MANUTENÇÃO, DESENVOLVIMENTO E CONTROLE DE QUALIDADE DE SISTEMAS DE GESTÃO EMPRESARIAL FILIPE VENTURA WOLL ESTÁGIO CURRICULAR I E II MANUTENÇÃO, DESENVOLVIMENTO E CONTROLE DE QUALIDADE DE SISTEMAS DE GESTÃO EMPRESARIAL EMPRESA: PROSYST DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS LTDA SETOR: DESENVOLVIMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Estágio Supervisionado do Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO União da Vitória/PR 2011 1 I Da Caracterização

Leia mais

Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Universidade Estadual do Oeste do Paraná Universidade Estadual do Oeste do Paraná Estudo de Requisitos de um software para uma loja de lentes de contato Bruno Eduardo Soares Leonardo Zanotto Baggio Maykon Valério da Silva Cascavel, 10 de Junho

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 44, DE 20 DE MARÇO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº 44, DE 20 DE MARÇO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº 44, DE 20 DE MARÇO DE 2015. O CONSELHO DE FACULDADE DA FACULDADE DE COMPUTAÇÃO da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições legais e considerando a Resolução

Leia mais

Engenharia de Requisitos Estudo de Caso

Engenharia de Requisitos Estudo de Caso Engenharia de Requisitos Estudo de Caso Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição / Ian Sommerville 2007 Slide 1 Engenharia de Requisitos Exemplo 1 Reserva de Hotel 1. INTRODUÇÃO Este

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE MACHADO CENTRO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA DE MACHADO

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE MACHADO CENTRO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA DE MACHADO SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2 2. OBJETIVO 2 3. DA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO 2 3.1 Requisitos para participar do estágio supervisionado 2 3.2 Como Fazer o Estágio Supervisionado Curricular 3 3.3 A empresa e o supervisor

Leia mais

Núcleo de Empregabilidade e Empreendedorismo MANUAL DA EMPRESA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO

Núcleo de Empregabilidade e Empreendedorismo MANUAL DA EMPRESA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO Núcleo de Empregabilidade e Empreendedorismo MANUAL DA EMPRESA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO SUMÁRIO Apresentação...... Considerações Iniciais.... Portal de Empregabilidade.... Requisitos Mínimos... Acesso...

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS 1/38 DOCUMENTO DE REQUISITOS GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Versão 1.1 Identificação do Projeto CLIENTE: NOME DO CLIENTE TIPO DO SISTEMA OU PROJETO Participantes Função Email Abilio Patrocinador

Leia mais

FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO FINAL DO ESTAGIÁRIO

FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO FINAL DO ESTAGIÁRIO 1 FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO FINAL DO ESTAGIÁRIO Este formulário de cunho confidencial, deve ser preenchido pelo supervisor de estágio e enviado, em envelope lacrado, ao SETOR DE ESTÁGIOS DA FEIS - FACULDADE

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA. Rodrigo Luiz da Rosa

ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA. Rodrigo Luiz da Rosa ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA Rodrigo Luiz da Rosa Estrela 2012 EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação TÍTULO: SISTEMA DE LOCADORA AUTOR:

Leia mais

Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric

Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric Versão 1.0 Autores Bruna Cirqueira Mariane Dantas Milton Alves Robson Prioli Nova Odessa, 10 de Setembro de 2013 Sumário Apoio 1. Licença deste

Leia mais

Boletim Técnico. Empresa. Vagas. Central de Estágio. Desenvolvimento/Procedimento. Acesse Atividades Acadêmicas Estágio Empresa

Boletim Técnico. Empresa. Vagas. Central de Estágio. Desenvolvimento/Procedimento. Acesse Atividades Acadêmicas Estágio Empresa Boletim Técnico Central de Estágio Produto : TOTVS Educacional 11.83.52 Processo : Central de Estágio Subprocesso : Não se aplica Data da publicação : 12/11/2013 A funcionalidade de Central de Estágio

Leia mais

MÓDULO DE CONTROLE ACADÊMICO - MCA Documento de Requisitos

MÓDULO DE CONTROLE ACADÊMICO - MCA Documento de Requisitos 1 MÓDULO DE CONTROLE ACADÊMICO - MCA Documento de Requisitos GUILHERME MANOEL CELESTE DE FREITAS GILBERTO TIMOTHEO JUNIOR RICARDO CUNHA VALE JUIZ DE FORA 2009 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 2 1.1 Propósito 2 1.2

Leia mais

1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp)

1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp) SUMÁRIO 1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp)... 3 2 REQUISITOS PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA... 4 3 ACESSO AO SISTEMA (ATORES: TRANSPES/ CLIENTE)... 5 4 PRIMEIROS PASSOS (CADASTROS)... 7 4.1 Cadastros de

Leia mais

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br 2013 inux Sistemas Ltda. s MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br Sumário 1 Introdução... 2 2 Visão Geral do Sistema... 2 3 Tela de Configuração... 3 4 Tela de Mensagens... 5 5 Tela de Importação... 8 6 Tela

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma

Leia mais

Documento de Projeto de Software

Documento de Projeto de Software Documento de Projeto de Software Projeto: Vídeo Locadora Passatempo Versão: 1.0 Responsável: Ricardo de Almeida Falbo 1. Introdução Este documento apresenta o documento de projeto (design) do sistema de

Leia mais

Conta Fácil. Manual do usuário - 8 a. edição. Financeiro, compras, vendas, estoque, faturamento, cobrança, serviços e livros. fiscais.

Conta Fácil. Manual do usuário - 8 a. edição. Financeiro, compras, vendas, estoque, faturamento, cobrança, serviços e livros. fiscais. Conta Fácil Financeiro, compras, vendas, estoque, faturamento, cobrança, serviços e livros fiscais. Manual do usuário - 8 a. edição Tecnologia que simplifica Allsoft 1 Informática Ltda. Tecnologia que

Leia mais

MURILO TONELLI DE OLIVEIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR I E II JOINVILLE - SC

MURILO TONELLI DE OLIVEIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR I E II JOINVILLE - SC MURILO TONELLI DE OLIVEIRA RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR I E II JOINVILLE - SC 2011 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 74/2010

RESOLUÇÃO Nº 74/2010 RESOLUÇÃO Nº 74/2010 Institui e regulamenta o estágio supervisionado curricular nos cursos de graduação da UFES. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO, no

Leia mais

CRM GESTÃO DOS SERVIÇOS AOS CLIENTES

CRM GESTÃO DOS SERVIÇOS AOS CLIENTES Página 1 de 6 Este sistema automatiza todos os contatos com os clientes, ajuda as companhias a criar e manter um bom relacionamento com seus clientes armazenando e inter-relacionando atendimentos com informações

Leia mais

Sistema de Memorandos On-Line. (Projeto Arquitetural)

Sistema de Memorandos On-Line. (Projeto Arquitetural) Universidade Federal de Campina Grande Pb Departamento de Sistemas e Computação Disciplina: Projeto em Computação I 2111185 Professora: Francilene Procópio Garcia, P.Sc Alunos: Arnaldo de Sena Santos;

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.04

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.04 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.04 Inventário Manual...2 Relatório de contagem...2 Contagem...3 Digitação...3 Inventário Programado...6 Gerando o lote...7 Inserindo produtos manualmente no lote...8 Consultando

Leia mais

Portal dos Convênios - SICONV. Acompanhamento e Fiscalização Concedente, Instituição Mandatária e Convenente. Manual do Usuário

Portal dos Convênios - SICONV. Acompanhamento e Fiscalização Concedente, Instituição Mandatária e Convenente. Manual do Usuário MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Portal dos Convênios - SICONV Acompanhamento e Fiscalização

Leia mais

SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2 2. OBJETIVO 2 3. DA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO 2. 3.1 Requisitos para participar do estágio supervisionado 2

SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2 2. OBJETIVO 2 3. DA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO 2. 3.1 Requisitos para participar do estágio supervisionado 2 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2 2. OBJETIVO 2 3. DA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO 2 3.1 Requisitos para participar do estágio supervisionado 2 3.2 Como Fazer o Estágio Supervisionado Curricular 3 3.3 A empresa e o supervisor

Leia mais

ANDREY DE SANTANA SILVA ESTÁGIO CURRICULAR ARMAZENAGEM

ANDREY DE SANTANA SILVA ESTÁGIO CURRICULAR ARMAZENAGEM ANDREY DE SANTANA SILVA ESTÁGIO CURRICULAR ARMAZENAGEM EMPRESA: MTM Sistemas SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: João Carlos Borges de Souza ORIENTADOR: Carlos Noberto Vetorazzi Junior CURSO DE BACHARELADO

Leia mais

APLICATIVO WEB PARA O SETOR DE EXTENSÃO IFC VIDEIRA

APLICATIVO WEB PARA O SETOR DE EXTENSÃO IFC VIDEIRA APLICATIVO WEB PARA O SETOR DE EXTENSÃO IFC VIDEIRA Autores: Claudiléia Gaio BANDT; Tiago HEINECK; Patrick KOCHAN; Leila Lisiane ROSSI; Angela Maria Crotti da ROSA Identificação autores: Aluna do Curso

Leia mais

PROJETO DA DISCIPLINA. PES II Processo de Engenharia de Software II

PROJETO DA DISCIPLINA. PES II Processo de Engenharia de Software II UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná CCET - Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática PROJETO DA DISCIPLINA PES II Processo de

Leia mais

Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional.

Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional. Unidade 3: Modelagem de requisitos e de soluções (Parte a) 1 Casos de uso 1.1 Conceitos básicos e parâmetros de descrição Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional.

Leia mais