Sumário Executivo. Pós-Graduação em Media & Entretenimento Inovação, Gestão, Estratégia e Mercado

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sumário Executivo. Pós-Graduação em Media & Entretenimento Inovação, Gestão, Estratégia e Mercado"

Transcrição

1

2 Sumário Executivo A pós-graduação em Media e Entretenimento é um curso de 211 horas destinado a fornecer competências na área dos media e do entretenimento, distribuída por seis módulos ou disciplinas e com 40 ECTS atribuídos aos alunos que façam o trabalho final (projecto) e tenham uma frequência mínima de 50 sessões. Os docentes, cujos nomes se apontam mais nos últimos slides, são especialistas e docentes de grande prestígio a nível nacional e internacional. Uma alavanca para a pós-graduação foi a 8ª Conferência Mundial de Economia e Gestão dos Media, realizada na UCP (19 e 20 de Maio de 2008). A coordenação científica está a cargo do Professor Doutor Rogério Santos e do Professor Doutor Paulo Faustino, especialista do sector e docente de Economia dos Media no mestrado de Ciências da Comunicação desta Universidade.

3 Apresentação Existe curso é inovador e especial, na medida em que: 1) Alta qualificação e prestígio nacional e internacional do corpo docente; 2) Existência de recursos didácticos inovadores e estruturados de apoio ao curso; 3) Parcerias e redes de contactos internacionais com líderes da área científica abordada; 4) Ponte com vários continentes através da combinação de três línguas no curso: inglês, português e castelhano; 5) Atenção a um sector estratégico para e articulação com a indústria dos media e entretenimento.

4 Oportunidade e Âmbito do Projecto As empresas de Media & Entretenimento converteram-se num sector estratégico e de referência no âmbito empresarial, constituindo-se como actividade fundamental no sector político e social. Além disso, estas empresas estão inseridas num ambiente cada vez mais concorrencial e possuem modelos de negócio diversos e complexos que carecem de novas abodragens teóricas e práticas. Factores como mudanças tecnológicas, aparecimento de novos suportes e alteração dos gostos dos consumidores estão a afectar as práticas e estratégias e a gestão e organização dos negócios.

5 Oportunidade e Âmbito do Projecto Desde há cerca de duas décadas que a investigação e ensino em economia e gestão aplicada à indústria de media & entretenimento cresce significativamente. Existem várias razões para este facto, nomeadamente: 1) a revolução digital está transformar os negócios dos media e a acelerar os processos de convergência e de globalização; 2) observa-se um aumento da desregulação das indústrias nacionais de media, facto que tem gerado maior atenção por parte dos governantes e académicos; 3) assiste-se a um crescimento de importância dos media como negócio, o que favoreceu a integração de gestores profissionais com MBA s nesta indústria.

6 Oportunidade e Âmbito do Projecto O curso de Media & Entretenimento surge na sequência de oportunidades identificadas no mercado nacional e também internacional. De acordo com algumas conclusões retiradas do livro (Faustino, 2009) Análise Prospectiva dos Media: Tendências, Media e Emprego, o diagnóstico de necessidades formativas subjacente à emergência de oportunidades na indústria dos media pode sintetizar-se pela seguinte frase: i) cada vez mais os jornalistas devem obter conhecimentos e sensibilidade sobre alguns aspectos relacionados com a gestão empresarial; ii) cada vez mais os gestores devem ser sensíveis aos aspectos relativos à ética e produção de conteúdos jornalísticos.

7 Oportunidade e Âmbito do Projecto Num contexto de promoção internacional desta pós-graduação, é também importante sublinhar o envolvimento da Universidade Católica Portuguesa, através do Centro de Estudos de Comunicação e Cultura (CECC), como co-organizadora, em colaboração com a Media XXI, da 8ª Conferência Mundial de Economia e Gestão dos Media (19 e 20 de Maio de 2008). Este evento possibilitou o encontro de alguns dos mais reputados especialistas internacionais nesta área e que demonstraram interesse em se associar a este projecto educativo conferindo-o uma dimensão transnacional a esta pós-graduação.

8 Objectivos e Estratégia metodológica A actividade da comunicação social está cada vez mais dependente da sua envolvente, e determinada por uma série de factores que geram maior incerteza e complexidade na organização e gestão das empresas e instituições de media. Nesse sentido, pretende-se que os alunos fiquem capacitados e motivados para atingir os seguintes objectivos no decurso da frequência da pós-graduação em Media & Entretenimento: 1) Introduzir o conceito (e problemática) da envolvente económica e empresarial da actividade da comunicação e entretenimento, como um conjunto de variáveis internas e externas que influenciam o modelo de negócio, práticas de gestão e o respectivo mercado; 2) Determinar a importância e influência que decorre do conhecimento da envolvente para a tomada de decisões das empresas e produtos de media, quer sejam de carácter estratégico ou operacional;

9 Objectivos e Estratégia metodológica 3) Sistematizar abordagens sobre dinâmicas de mercado e tendências nacionais e internacionais face à produção e consumo de produtos inerentes às actividades das empresas de media impressos e digitais; 4) Proporcionar competências aos colaboradores das empresas de media & entretenimento para adoptar melhores práticas de gestão que permitam reforçar a competitividade do sector; 5) Produzir e partilhar conhecimento com especialistas da indústria e investigadores de universidades nacionais e estrangeiras na área do media management e aproximar a indústria do ensino aplicado a este sector. Nenhuma metodologia ou recurso didáctico será válido se o aluno não se esforçar por aprender. Por isso, as aulas teóricas combinadas com aulas práticas constituirão um elemento central do curso, tendo a vantagem de canalizar o pensamento do aluno face ao(s) objectivo(s) pretendido(s) pelo professor e pelo curso.

10 Objectivos e Estratégia metodológica A função expositiva é um elemento insubstituível, na medida em que constitui um procedimento básico de transmissão do conhecimento ao aluno. No entanto, o método expositivo será complementado com outras estratégias metodológicas, razão pela qual se irá recorrer, frequentemente, à análise de estudos de caso, à concepção de projectos e à realização de leituras orientadas, assim como outras técnicas que possibilitem a aprendizagem e partilha de conhecimento. Complementarmente, e por forma a proporcionar uma reflexão e discussão mais profunda e prática dos temas e das tendências de desenvolvimento das empresas de media & entretenimento, o curso integra unidades curriculares e módulos onde participarão algumas das mais credenciadas figuras do panorama nacional e internacional ligadas a esta hiper-indústria da comunicação e entretenimento.

11 Destinatários, Conteúdos e Docentes A candidatura e frequência do curso está aberta a quem possuir o grau de licenciatura ou formação superior equivalente em qualquer área; e que pretenda, num contexto empresarial ou académico, aprofundar conhecimentos em domínios relacionadas com a produção, inovação, estratégias, gestão, marketing e economia aplicada à actividade dos media e entretenimento. Em casos muito excepcionais, admite-se a possibilidade do curso podr ser frequentado por profissionais do sector não licenciados, mas que revelem um elevado conhecimento e experiência profissional em empresas directa ou indirectamente relacionadas com esta indústria 1. O processo de selecção será realizado com base na seguinte hierarquia de critérios: 1) Qualificação e experiência profissional; 2) Formação e qualificação académica; 3) Outras actividades relevantes; 4) Entrevista com o candidato se tal se revelar necessário. 1 Neste caso, terão acesso a um certificado de frequência em estudos especializados.

12 Destinatários, Conteúdos e Docentes Os conteúdos a seguir apresentados estão estruturados de modo a dar a conhecer ao aluno conhecimentos fundamentais sobre a gestão e desenvolvimento dos negócios. Os principais temas estão relacionados com a direcção, a organização, inovação, gestão, marketing, economia e regulação da indústria da comunicão. Para além de potenciarem o aprofundamento, em termos teóricos e práticos, sobre temas fundamentais relacionados com actividade dos media e entretenimento, as aulas pretendem capacitar o aluno não só para assumir e melhorar o desempenho profissional nas empresas, como também proporcionar competências fundamentais no domínio do empreendedorismo, estratégias, e outras práticas profissionais específicas da actividade jornalística.

13 Disciplinas 1. Finanças, Economia e Mercado da Indústria da Comunicação 1.1. Estrutura, mercado, empresas e grupos de media 1.2. Os media no contexto da economia e mercado 1.3. Gestão económica e financeira de empresas de media 1.4. Financiamento e elaboração de planos de negócio 1.5. Empreendedorismo, inovação e negócios da comunicação Resumo: Esta disciplina irá abordar os aspectos macro e micro económicos aplicados à indústria da comunicação, especialmente centrado na economia e gestão das empresas de media. Neste contexto, serão apresentados alguns dados relevantes sobre o mercado e abordados os princípios fundamentais para a gestão económica e financeira. Serão analisados os negócios e produtos de media (a cadeia de valor e as estratégias empresariais), assim como algumas tendências e dinâmicas observadas no sector da comunicação. Também será conferida especial atenção aos processos de criação de empresas, espírito empreendedor e inovação como vantagem competitiva desta indústria.

14 Disciplinas 2. Novos Media, Estratégias e Produção de Conteúdos 2.1. Mudanças sociais e desenvolvimento da indústria da comunicação 2.2. História e situação das indústrias culturais e lúdicas 2.3. A produção de conteúdos em suportes multimedia 2.4. Os media e as tecnologias da informação e comunicação 2.5. Produtos inovadores e estratégias dos media e entretenimento Resumo: Parte desta disciplina abordará a evolução dos media e o impacto das tecnologias da informação e comunicação nos modelos de negócio e lógicas de produção de conteúdos de acordo com as tendências do consumo. Será prestada atenção aos impactos das mudanças sociais, nomeadamente demográficas, geográficas e psicográficas no consumo de produtos de media e entretenimento. Outro aspecto central desta parte é compreender as decisões empresariais e editoriais no que se refere às estratégias de programação, no caso das televisões e rádios; e demais decisões ao nível conteúdos informativos e publicitários nos media, incluindo imprensa. Também serão analisados alguns aspectos relacionados com a organização e actividades da redacção multimedia no contexto dos novos paradigmas da actividade jornalística.

15 Disciplinas 3. Marketing e Venda de Produtos de Media e Entretenimento 3.1. Estratégias e técnicas de marketing de produtos de media 3.2. Marketing, logística e venda de produtos de media 3.3. Compra, negociação e planeamento da publicidade nos media 3.4. Novos meios e negócios na economia do entretenimento 3.5. Marketing, comunicação e venda de produtos de media Resumo: Este módulo centrará a abordagem no marketing como filosofia de gestão das empresas de media. Neste contexto, são apresentadas algumas estratégias e (boas) práticas de marketing, assim como conceitos e tendências da comunicação de marketing, incluindo as estratégias de fidelização de clientes e gestão das marcas de media. O marketing também é referido como um aliado da política de comercialização dos produtos de media, e dos respectivos executivos de vendas. A relação e negociação com as agências de publicidade e meios, assim como os factores subjacentes ao planeamento de meios, merece também aqui uma especial atenção.

16 Disciplinas 4. Gestão, Inovação e Desenvolvimento de Empresas de Media 4.1.Tendências sectoriais da indústria dos media & entretenimento 4.2.Capital humano, estratégias e internacionalização dos media 4.3.Gestão, operações e competitividade da actividade dos media 4.4.Gestão, estratégias e ética nas empresas de media 4.5.Comunicação em projectos de media e entretenimento Resumo: esta disciplina abordará vários conceitos, teorias e conhecimentos para analisar e diagnosticar o desempenho produtividade - das pessoas na organizações de media. Neste âmbito, serão realçados aspectos relacionados com as estratégias de liderança e mobilização de equipas num contexto multimedia. A importância das pessoas e criatividade é evidenciada como factor competitivo dos media, actividade intensiva em capital humano. Serão identificados alguns elementos de prospectiva do negócio e das competências dos profissionais da indústria. Será traçada uma perspectiva internacional das principais tendências dos media, incluindo uma abordagem subsectorial. Outros aspectos a considerar serão, por um lado, as especificidades dos produtos media e, por outro, os desafios éticos que se colocam aos colaboradores e empresários num contexto de um mercado cada vez mais concorrencial.

17 Disciplinas 5. Políticas Públicas, Regulação e Direito da Comunicação 5.1. Direitos de autor e propriedade intelectual nos media 5.2. Concorrência e regulação da indústria das comunicações 5.3. Movimentos de concentração e consolidação dos media 5.4. Princípios de Jornalismo e liberdade na criação de conteúdos 5.5. Políticas públicas para a indústria da comunicação & media Resumo: para além de aspectos relacionados com o direito da comunicação, incluindo direitos de autor e propriedade intelectual, esta disciplina analisa aspectos fundamentais associados às políticas públicas para o sector da comunicação num contexto nacional e internacional. Em termos nacionais, será focado o papel dos governos e das entidades reguladoras, assim como algumas decisões emanadas por estas instituições. A nível internacional, sobretudo europeu, serão abordadas as políticas comunitárias para o sector dos media e sociedade da informação. A convergência, e a sua relação com as políticas regulatórias e estratégias empresariais, assumirão aqui também um papel central como força motriz das dinâmicas do mercado dos media. Outro aspecto relevante é a análise dos movimentos de concentração ou consolidação empresarial, assim como as dinâmicas de concorrenciais observadas no negócio dos media, incluindo os seus impactos no pluralismo da informação.

18 Disciplinas 6. Gestão de Projectos e Metodologias de Investigação Aplicada 6.1. Estudos nacionais e internacionais sobre os media 6.2. Projectos, metodologias e técnicas de investigação 6.3. Estudos de audiências e consumo de produtos de media 6.4. Investigação e projectos em economia e gestão dos media 6.5. Gestão, avaliação e desenvolvimento de projectos Resumo: aqui serão aprofundados alguns conceitos, objectivos, técnicas e tendências associadas ao estudo da economia, gestão e política dos media. No entanto, uma parte substancial desta disciplina será relacionada com a análise das audiências e públicos, assim como a identificação de técnicas e métodos de recolha de informação disponíveis para analisar o comportamento dos consumidores e a natureza dos produtos de media apresentados no mercado. Serão ainda apresentados alguns aspectos sobre as técnicas subjacentes à elaboração de sondagens e a sua aplicação à indústria da comunicação. As fontes de informação de mercado serão abordadas tendo em conta as suas implicações nas estratégias das empresas, nomeadamente ao nível da concepção e comercialização de produtos de media. Por fim, serão focadas algumas questões relacionadas com a organização e gestão de estudos e projectos na área dos media e entretenimento, nomeadamente técnicas, planos e estratégias de gestão e implementação.

19 Corpo Docente Coordenador -Professor Doutor Paulo Faustino Paulo Faustino (Leiria, 1967) foi Presidente da Media XXI Consulting, Research & Publishing, bem como da Revista MediaXXI, especializada em temas relacionados com comunicação e sociedade de informação. Possui uma vasta experiência na área dos media, quer a nível profissional, quer a nível académico. Paulo Faustino foi vice-presidente da Associação Portuguesa de Imprensa e presidente do Observatório da Comunicação. Foi também executive manager do CENJOR (Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalismo). É autor de vários artigos científicos, publicados em revistas nacionais e internacionais, bem como de vários livros na área de economia, gestão e políticas dos media, tais como: «A Imprensa em Portugal: Transformações e Tendências», 2004 (publicado também em inglês); «Manual de Gestão de Marketing das Empresas de Media Regionais e Locais», (2005). É, também, co-autor de várias obras, como: «O Alargamento da União Europeia e os Media», (2006), «Ética e Responsabilidade Social dos Media» (2007); «Análise Prospectiva dos Media em Portugal: Dinâmicas e Tendências do Mercado e Emprego» (2009), «Concentração dos Media em Portugal: Mitos e Realidades» (2009); The Changing Media Business Environment (2008); e The Media as a Driver of Information Society (2009).

20 Corpo Docente Coordenador -Professor Doutor Paulo Faustino Doutorado em Gestão dos Media pela Universidade Complutense de Madrid, é docente na Universidade Católica de Lisboa e no Instituto Politécnico de Leiria. É mestre em Sociologia Económica e das Organizações, pelo Instituto Superior de Economia e Gestão - Universidade Técnica de Lisboa. Possui um MBA em Gestão e Imagem das Organizações, pela Universidade Nova de Lisboa/Universidade Complutense de Madrid e uma Pós-Graduação em Gestão de Recursos Humanos, pelo Instituto Superior de Gestão ISG. Desenvolveu actividades de investigação não só na área da economia e gestão dos media na Stanford University, onde concluiu o curso Top Management (pós-graduado) em Publishing Industry; como também na área de economia e gestão dos media, na University California Los Angeles UCLA, onde concluiu o curso em Media Management and Entertainment, na Anderson School of Management. Neste momento, está a fazer o seu pós-doutoramento na Jonkonping International Business School (JIBS), na Suécia.

21 Corpo Docente - coodenador- Professor Doutor Rogério Santos Doutorado em Ciências da Comunicação, variante Jornalismo, Rogério Santos é, desde Novembro de 2006, coordenador cientifico do departamento de Ciências da Comunicação da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica de Lisboa. É, também, coordenador do mestrado em Comunicação da mesma faculdade. Rogério Santos editou vários livros, centrados em três áreas principais: indústrias culturais, jornalismo e história dos media e das telecomunicações, tais como: «Indústrias culturais imagens, valores e consumos» (2007). Lisboa: Edições 70; «A fonte não quis revelar um estudo sobre a produção das notícias» (2006). Porto: Campo das Letras; «As vozes da rádio, » (2005). Lisboa: Caminho; «Jornalistas e fontes de informação A sua relação na perspectiva da sociologia do jornalismo» (2003). Coimbra: MinervaCoimbra; «Os novos media e o espaço público» (1998). Lisboa: Gradiva; «A negociação entre jornalistas e fontes» (1997) Coimbra: Minerva; «Olhos de boneca uma história das telecomunicações, » (1999). Lisboa: Colibri; «História das Telecomunicações em Portugal (1877/1990) Contributos para a sua compreensão» (1992). Lisboa: TLP. Foi também co-autor, juntamente Nelson Traquina, Cristina Ponte e Ana Cabrera, do livro «O estudo do jornalismo português em análise (2001)», Lisboa: Caminho.

22 Corpo Docente - coodenador- Professor Doutor Rogério Santos Nos últimos anos, Rogério Santos tem participado em vários grupos de investigação, tais como: OberCom (Observatório de Comunicação), CIMJ (Centro de Investigação em Media e Jornalismo) e SOPCOM (Association of Sciences of Communication of Portugal). No CECC (Centro de Estudos de Comunicação e Cultura da Universidade Católica de Lisboa), é coordenador da linha de investigação em Media, Technology, Contexts.

23 Professores Professor Doutor Rogério Santos Universidade Católica Portuguesa Professor Doutor Paulo Faustino _ Universidade Católica Portuguesa Professor Doutor Alan Albarran North Texas University Professor Doutor Robert Picard Jonkonping International Business School Professor Doutor Francisco Latre Universidade de Navarra Professor Doutor Robert Baench Stanford University Professor Doutor Fernando Miguel Peinado Universidade Complutense de Madrid Professor Dr. Roberto Carneiro Universidade Católica Portuguesa Professor Doutor Alfonso Tabernero - Universidade de Navarra Professor Doutor - José Manuel Seruya - Universidade Católica Portuguesa Professora Doutora Rita Figueiras, Universidade Católica Portuguesa Professor Doutor Fernando Ilharco Universidade Católica Portuguesa Mestre Verónica Policarpo - Universidade Católica Portuguese Mestre Vera Roquete Universidade Católica Portuguesa e RTP Nota: está prevista também a participação de outros professores, sobretudo da Universidade Católica Portuguesa, que oportunamente serão referidos.

24 Especialistas da Indústria Dr. João Palmeiro Presidente da Associação Portuguesa de Imprensa Sr. José Faustino Presidente da Associação Portuguesa de Radiodifusão Dr. Hugo Correia Pires Administrador do Grupo Controlinveste Mestre Luísa Ribeiro Soneacom e Universidade do Porto Dr. Pedro Brauman RTP e Escola Superior de Comunicação Social Engº Luís Montez Administrador da Música no Coração Dr. Lopes Araújo Universidade Católica Portuguesa e RTP Dr. Luciano Patrão Accionista e Presidente da Lisgráfica Engº José Marquitos Administrador da RTP Dr. Pedro Norton Vice-Presidente do Grupo Impresa Dr. Paulo Proença Director Geral da VASP Mestre Pedro Pinto Jornalista Pivot da TVI Dr. Francisco Santos Administrador da Sojormedia/Grupo Lena Nota: está prevista também a participação de outros especialistas nacionais e estrangeiros que oportunamente serão referidos.

25 Horário do curso Pós-Graduação em Media & Entretenimento Sextas-feiras: das 18:30 às 22:30 Sábados: das 9:00 às 13:00 * * * Inscrições até 12 de Março de 2009 Para mais informações contactar: Rosário Lopes / ou Professor Doutor Paulo Professor Doutor Rogério

Com o apoio de. Programação e Gestão Cultural Formação Avançada

Com o apoio de. Programação e Gestão Cultural Formação Avançada Com o apoio de Programação e Gestão Cultural EAB Escola de Estudos Avançados das Beiras Programação Instalações da EAB, Edifício Expobeiras, Parque Industrial de Coimbrões, Viseu Contacto Ana Henriques

Leia mais

Cursos de Doutoramento

Cursos de Doutoramento PROSPECTO FACULDADE DE ECONOMIA Cursos de Doutoramento CONTACTOS FACULDADE DE ECONOMIA Av. Julius Nyerere, Campus Universitário, 3453 Tel: +258 21 496301 Fax. +258 21 496301 1 MENSAGEM DO DIRECTOR Sejam

Leia mais

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração:

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração: EngIQ Programa de Doutoramento em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química Uma colaboração: Associação das Indústrias da Petroquímica, Química e Refinação (AIPQR) Universidade de Aveiro Universidade

Leia mais

Inteligência Competitiva e Comunicação no Desporto

Inteligência Competitiva e Comunicação no Desporto Pós- Graduação em Inteligência Competitiva e Comunicação no Desporto Inteligência Competitiva I Prof. Luís Madureira Pretende- se nesta Unidade Curricular esclarecer o que é a inteligência competitiva,

Leia mais

3ª Edição 2010/2011 FEUC. mestrado. em marketing

3ª Edição 2010/2011 FEUC. mestrado. em marketing 3ª Edição 2010/2011 FEUC mestrado em marketing APRESENTAÇÃO Como Coordenadores dos programas de formação para executivos desta Faculdade,, damos-lhe as boas vindas a esta nova edição do programa de Mestrado

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA PÓS-GRADUAÇÃO EM FINANÇAS EMPRESARIAIS. 1.ª Edição 2011-2012

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA PÓS-GRADUAÇÃO EM FINANÇAS EMPRESARIAIS. 1.ª Edição 2011-2012 INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA PÓS-GRADUAÇÃO EM FINANÇAS EMPRESARIAIS 1.ª Edição 2011-2012 Nos termos do disposto no artigo 8.º, n.º 1, a), do Regime Jurídico das Instituições do Ensino Superior, aprovado

Leia mais

Licenciatura em Gestão de Marketing (LMK)

Licenciatura em Gestão de Marketing (LMK) UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE UDM DIRECÇÃO ACADÉMICA CURRÍCULO DA ÁREA DE FORMAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DE EMPRESAS AFAGE Licenciatura em Gestão de Marketing (LMK) Maputo, Julho de 2015 UDM 1

Leia mais

MESTRADOS. Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Jornalismo.

MESTRADOS. Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Jornalismo. MESTRADOS REGIME DE FREQUÊNCIA E AVALIAÇÃO JORNALISMO Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Jornalismo. Artigo 2.º Destinatários O Mestrado em Jornalismo

Leia mais

NCE/15/00099 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/15/00099 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/15/00099 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Instituto Politécnico De Setúbal

Leia mais

Fiscalidade e Contabilidade

Fiscalidade e Contabilidade Fiscalidade e Contabilidade Formação Executiva 2016 www.catolicabs.porto.ucp.pt A Católica Porto Business School Pós-Graduações Fundada em 2002, a Católica Porto Business School é a escola de negócios

Leia mais

LEADERSHIP & MANAGEMENT

LEADERSHIP & MANAGEMENT 4ª edição PÓS-GRADUAÇÃO LEADERSHIP & MANAGEMENT 2013/14 4ª edição Coordenação Científica Prof. Doutor José Manuel Veríssimo Prof.ª Dr.ª Teresa Passos Natureza do curso e perfil da formação O curso de Pós-Graduação

Leia mais

NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Évora A.1.a. Outra(s)

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO ECONOMIA DA ENERGIA, AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

PÓS-GRADUAÇÃO ECONOMIA DA ENERGIA, AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PÓS-GRADUAÇÃO ECONOMIA DA ENERGIA, AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 2015-2016 2 PÓS-GRADUAÇÃO ECONOMIA DA ENERGIA, AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COORDENAÇÃO Eng.º Nuno Ribeiro da Silva Prof.

Leia mais

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO Bem-vindo aos Mestrados do ISAG. A experiência adquirida ao longo dos anos e a atualização de conceitos, permitiu ao ISAG European Business School desenvolver programas

Leia mais

Programa Avançado de Gestão

Programa Avançado de Gestão PÓS GRADUAÇÃO Programa Avançado de Gestão Com o apoio de: Em parceria com: Nova School of Business and Economics Com o apoio de: PÓS GRADUAÇÃO Programa Avançado de Gestão A economia Angolana enfrenta hoje

Leia mais

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 3 Hemisfério esquerdo responsável pelo pensamento lógico e pela competência

Leia mais

1911 2011 A caminho do Centenário

1911 2011 A caminho do Centenário 1911 2011 A caminho do Centenário Licenciaturas ISEG 1º Ciclo de Bolonha ISEG: Uma Escola de referência. O ISEG forma Economistas e Gestores com espírito de liderança e inovação assente numa sólida capacidade

Leia mais

CURSOS DE FORMAÇÃO - Eficiência Energética em Edifícios -

CURSOS DE FORMAÇÃO - Eficiência Energética em Edifícios - CURSOS DE FORMAÇÃO - Eficiência Energética em Edifícios - No âmbito do desenvolvimento do seu centro de formação a Self Energy Innovation propõe-se executar em parceria com a Agência Municipal de Energia

Leia mais

ce tec CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA CURSO DE EMPREENDEDORISMO

ce tec CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA CURSO DE EMPREENDEDORISMO ce tec CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA CURSO DE EMPREENDEDORISMO O CEITEC é uma organização juridicamente dependente da Maiêutica Cooperativa de Ensino Superior e, em termos científicopedagógicos,

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO/MASTER EXECUTIVO 2012/2013. Organização: IPA Instituto Superior Autónomo de Estudos Politécnicos

PÓS-GRADUAÇÃO/MASTER EXECUTIVO 2012/2013. Organização: IPA Instituto Superior Autónomo de Estudos Politécnicos PÓS-GRADUAÇÃO/MASTER EXECUTIVO 2012/2013 Organização: IPA Instituto Superior Autónomo de Estudos Politécnicos Início e Duração do Curso: Outubro de 2012 a Julho de 2013 2 semestres (300 horas - 60 ECTS)

Leia mais

47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011

47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011 47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011 2) Cartas de curso identificação do Reitor da Universidade Nova de Lisboa, identificação do titular do grau, n.º do documento de identificação

Leia mais

aumento da população mundial aumento da produtividade, sustentabilidade dos recursos e segurança alimentar Necessidades:

aumento da população mundial aumento da produtividade, sustentabilidade dos recursos e segurança alimentar Necessidades: Enquadramento Desafios: aumento da população mundial aumento da produtividade, sustentabilidade dos recursos e segurança alimentar Necessidades: eficiência dos sistemas agrícolas e florestais gestão sustentável

Leia mais

A Certificação das atividades de investigação, desenvolvimento e inovação (IDI) Alter do Chão 12 Novembro. Miguel Taborda - SPI

A Certificação das atividades de investigação, desenvolvimento e inovação (IDI) Alter do Chão 12 Novembro. Miguel Taborda - SPI A Certificação das atividades de investigação, desenvolvimento e inovação (IDI) Miguel Taborda - SPI Conteúdos. 1. O CONCEITO DE IDI (INVESTIGAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO) 2. A NORMA NP 4457:2007 REQUISITOS

Leia mais

BONA PRATICA Nº 9: CURSO DE EMPREENDEDORISMO DE BASE TECNOLÓGICA UNIVERSIDAD DE COIMBRA

BONA PRATICA Nº 9: CURSO DE EMPREENDEDORISMO DE BASE TECNOLÓGICA UNIVERSIDAD DE COIMBRA BONA PRATICA Nº 9: CURSO DE EMPREENDEDORISMO DE BASE TECNOLÓGICA UNIVERSIDAD DE COIMBRA ANTECEDENTES Enquadramento A promoção de um Curso de Empreendedorismo de Base Tecnológica com o envolvimento de todas

Leia mais

GESTÃO MESTRADO DESENVOLVE CONNOSCO AS TUAS COMPETÊNCIAS EM GESTÃO. REGIME PÓS-LABORAL DURAÇÃO 3 semestres N.º DE ECTS 90 créditos OBJETIVOS DO CURSO

GESTÃO MESTRADO DESENVOLVE CONNOSCO AS TUAS COMPETÊNCIAS EM GESTÃO. REGIME PÓS-LABORAL DURAÇÃO 3 semestres N.º DE ECTS 90 créditos OBJETIVOS DO CURSO MESTRADO GESTÃO DESENVOLVE CONNOSCO AS TUAS COMPETÊNCIAS EM GESTÃO REGIME PÓS-LABORAL DURAÇÃO 3 semestres N.º DE ECTS 90 créditos O mestrado em Gestão é uma novidade da oferta formativa da ESTG, para o

Leia mais

Plano de Actividades 2009

Plano de Actividades 2009 Plano de Actividades 2009 Introdução No prosseguimento da sua missão consultiva, instituída no quadro da Lei de Bases do Sistema Educativo de 1986, e tendo por referência a Lei Orgânica (Decreto-lei nº

Leia mais

ALTA PERFORMANCE NAS VENDAS

ALTA PERFORMANCE NAS VENDAS Pós-Graduação ALTA PERFORMANCE NAS VENDAS [ Pós-Graduação na Área Comportamental e Inteligência Emocional ] 9ª Edição Atribuição de créditos (ECTS) a todas as unidades curriculares. Processo de Bolonha

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Inatel Competence Center. Business School. Gestão de Projetos

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Inatel Competence Center. Business School. Gestão de Projetos INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Inatel Competence Center Business School Gestão de Projetos Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular Aprovado no dia 15/05/2013 Pró diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

Licenciatura em Administração Pública (LAP)

Licenciatura em Administração Pública (LAP) UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE UDM DIRECÇÃO ACADÉMICA CURRÍCULO DA ÁREA DE FORMAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DE EMPRESAS AFAGE Licenciatura em Administração Pública (LAP) Maputo, Julho de 2015 UDM

Leia mais

Ciclo de Seminários de Especialização. Avaliação do risco no projecto

Ciclo de Seminários de Especialização. Avaliação do risco no projecto Ciclo de Seminários de Especialização Avaliação do risco no projecto Enquadramento O Ciclo de Seminários de especialização Avaliação do risco no projecto resulta de uma parceria entre a H.MENEZES Risk

Leia mais

Gestão da inovação A avaliação e a medição das actividades de IDI

Gestão da inovação A avaliação e a medição das actividades de IDI Gestão da inovação A avaliação e a medição das actividades de IDI Projecto GAPI 2.0 Universidade de Aveiro, 19 de Fevereiro de 2010 João M. Alves da Cunha Introdução Modelo de Interacções em cadeia Innovation

Leia mais

REGULAMENTO. Preâmbulo

REGULAMENTO. Preâmbulo REGULAMENTO Preâmbulo O espírito de iniciativa, a criatividade, a capacidade de detectar e aproveitar oportunidades, de assumir o risco e formar decisões, constituem premissas essenciais para o sucesso

Leia mais

FORMAÇÃO PROJECT MANAGEMENT CERTIFICATION

FORMAÇÃO PROJECT MANAGEMENT CERTIFICATION FORMAÇÃO PROJECT MANAGEMENT CERTIFICATION Formação Project Management Certification: Esta formação tem como objectivo a preparação para a certificação. A certificação é crucial, uma vez que reconhece os

Leia mais

SEMINÁRIO OPORTUNIDADES E SOLUÇÕES PARA AS EMPRESAS INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE FINANCIAMENTO DAS EMPRESAS OPORTUNIDADES E SOLUÇÕES

SEMINÁRIO OPORTUNIDADES E SOLUÇÕES PARA AS EMPRESAS INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE FINANCIAMENTO DAS EMPRESAS OPORTUNIDADES E SOLUÇÕES SEMINÁRIO OPORTUNIDADES E SOLUÇÕES PARA AS EMPRESAS INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE FINANCIAMENTO DAS EMPRESAS OPORTUNIDADES E SOLUÇÕES Jaime Andrez Presidente do CD do IAPMEI 20 de Abril de 2006 A inovação

Leia mais

M A T E M Á T I C A ENGENHARIA GEOGRÁFICA LICENCIATURAS MESTRADOS DOUTORAMENTOS

M A T E M Á T I C A ENGENHARIA GEOGRÁFICA LICENCIATURAS MESTRADOS DOUTORAMENTOS M A T E M Á T I C A ENGENHARIA GEOGRÁFICA LICENCIATURAS MESTRADOS DOUTORAMENTOS JÁ PENSASTE EM ESTUDAR MATEMÁTICA? Esta brochura destina-se a todos os jovens que gostam de Matemática e que querem conhecer

Leia mais

HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES

HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES 2011 HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES COM O PATROCÍNIO DE: ÍNDICE A NOSSA PROPOSTA DE VALOR 3 HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES 4 Estrutura e Coordenação 5 Conteúdos e Corpo Docente 6 Introdução: Health Servuction

Leia mais

de 9 de Março de 2005

de 9 de Março de 2005 24.3.2005 PT Jornal Oficial da União Europeia L 79/1 I (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) DECISÃO N. O 456/2005/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 9 de Março de 2005 que

Leia mais

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE UDM DIRECÇÃO ACADÉMICA CURRÍCULO DA ÁREA DE FORMAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DE EMPRESAS AFAGE

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE UDM DIRECÇÃO ACADÉMICA CURRÍCULO DA ÁREA DE FORMAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DE EMPRESAS AFAGE UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE UDM DIRECÇÃO ACADÉMICA CURRÍCULO DA ÁREA DE FORMAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DE EMPRESAS AFAGE Licenciatura em Gestão Financeira (LGF) Maputo, Julho de 2015 UDM 1 A

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM ACTIVIDADE FÍSICA NA GRAVIDEZ E PÓS-PARTO

PÓS-GRADUAÇÃO EM ACTIVIDADE FÍSICA NA GRAVIDEZ E PÓS-PARTO Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Desporto de Rio Maior PÓS-GRADUAÇÃO EM ACTIVIDADE FÍSICA NA GRAVIDEZ E PÓS-PARTO REGULAMENTO Artigo 1.º Designação A Escola Superior de Desporto de

Leia mais

MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO DOS ESTÁGIOS

MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO DOS ESTÁGIOS INSTI INSTUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO

Leia mais

INOVAÇÃO PORTUGAL PROPOSTA DE PROGRAMA

INOVAÇÃO PORTUGAL PROPOSTA DE PROGRAMA INOVAÇÃO PORTUGAL PROPOSTA DE PROGRAMA FACTORES CRÍTICOS DE SUCESSO DE UMA POLÍTICA DE INTENSIFICAÇÃO DO PROCESSO DE INOVAÇÃO EMPRESARIAL EM PORTUGAL E POTENCIAÇÃO DOS SEUS RESULTADOS 0. EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação e Formação Especialização: E-learning e Formação a Distância (Regime a Distância) 14 15 Edição Instituto

Leia mais

NOVOS LÍDERES EVOLUEM. SEMPRE.

NOVOS LÍDERES EVOLUEM. SEMPRE. NOVOS LÍDERES EVOLUEM. SEMPRE. CONHEÇA TODOS OS CURSOS DE MBA E PÓS-GRADUAÇÃO DA ESPM. 540h MBA EXECUTIVO INTERNACIONAL O MBA Executivo Internacional forma líderes com visão estratégica e atitudes adequadas

Leia mais

Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios

Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios Outubro de 2010 Agenda EM DESTAQUE Aderir à REDE! NOTÍCIAS/ EVENTOS Índice Nota Editorial Eventos/Notícias Na Primeira Pessoa Instituição do Mês Protocolos

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE NA SAÚDE

GESTÃO DA QUALIDADE NA SAÚDE valor acrescentado para a sua carreira GESTÃO DA QUALIDADE NA SAÚDE 2ª edição Coordenação Científica: Prof. Doutor José Miguel Soares Direcção Executiva: Mestre Sérgio Sousa PÓS-GRADUAÇÃO 07/08 Pós-Graduação

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO CONSULTORIA E AUDITORIA ALIMENTAR AUDITOR LÍDER ISO

PÓS-GRADUAÇÃO CONSULTORIA E AUDITORIA ALIMENTAR AUDITOR LÍDER ISO PÓS-GRADUAÇÃO CONSULTORIA E AUDITORIA ALIMENTAR AUDITOR LÍDER ISO 22000:2005 Lead Auditor Training course ENTIDADES PARCEIRAS SGS PORTUGAL SOCIEDADE GERAL DE SUPERINTENDÊNCIA, S.A. O Grupo SGS Société

Leia mais

Curso de. Pós-Graduação em Gestão de Bancos. e Seguradoras. Instituto Superior de Economia e Gestão Universidade Técnica de Lisboa

Curso de. Pós-Graduação em Gestão de Bancos. e Seguradoras. Instituto Superior de Economia e Gestão Universidade Técnica de Lisboa Curso de Pós-Graduação em Gestão de Bancos e Seguradoras Instituto Superior de Economia e Gestão Universidade Técnica de Lisboa 2 O desenvolvimento dos mercados de produtos e serviços financeiros (bancários,

Leia mais

Unidade Curricular de Projecto Empresarial, em Parceria com o ISCTE-IUL

Unidade Curricular de Projecto Empresarial, em Parceria com o ISCTE-IUL ENQUDRAMENTO Unidade Curricular de Projecto Empresarial, em Parceria com o ISCTE-IUL A Faculdade de Ciências inclui nos seus planos de estudos diversas disciplinas que têm como objectivo sensibilizar os

Leia mais

CICLO CERTIFICADO ACTIVISION CIEO Coaching Indivíduos, Equipas & Organizações

CICLO CERTIFICADO ACTIVISION CIEO Coaching Indivíduos, Equipas & Organizações CICLO CERTIFICADO ACTIVISION CIEO Coaching Indivíduos, Equipas & Organizações In partnership: 1 OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS! Adquirir as 11 competências do coach de acordo com o referencial da ICF! Beneficiar

Leia mais

A Universidade Corporativa: reflexão sobre a motivação, benefícios e implicações do conceito

A Universidade Corporativa: reflexão sobre a motivação, benefícios e implicações do conceito A Universidade : reflexão sobre a motivação, benefícios e implicações do conceito Miguel Rombert Trigo, Luis Borges Gouveia mtrigo@ufp.pt, lmbg@ufp.pt ProjEstQ, CEREM Universidade Fernando Pessoa Universidade

Leia mais

Projecto de Lei n.º 54/X

Projecto de Lei n.º 54/X Projecto de Lei n.º 54/X Regula a organização de atribuição de graus académicos no Ensino Superior, em conformidade com o Processo de Bolonha, incluindo o Sistema Europeu de Créditos. Exposição de motivos

Leia mais

1.º MÉRITO DO PROJECTO

1.º MÉRITO DO PROJECTO SISTEMA DE APOIO A ENTIDADES DO SISTEMA CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO NACIONAL CRITÉRIOS DE SELECÇÃO O Regulamento do Sistema de Apoio a Entidades do Sistema Científico e Tecnológico Nacional definiu as regras

Leia mais

PROVERE PROGRAMAS DE VALORIZAÇÃO ECONÓMICA DE RECURSOS ENDÓGENOS

PROVERE PROGRAMAS DE VALORIZAÇÃO ECONÓMICA DE RECURSOS ENDÓGENOS PROVERE PROGRAMAS DE VALORIZAÇÃO ECONÓMICA DE RECURSOS ENDÓGENOS VALORIZAÇÃO DOS RECURSOS SILVESTRES DO MEDITERRÂNEO - UMA ESTRATÉGIA PARA AS ÁREAS DE BAIXA DENSIDADE DO SUL DE PORTUGAL CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

Foram 5479 dias e noites a garantir telecomunicações de qualidade em Angola e de Angola para o mundo.

Foram 5479 dias e noites a garantir telecomunicações de qualidade em Angola e de Angola para o mundo. Comunicado de Imprensa MULTITEL Organiza Jantar Conferência alusivo aos 15 anos sobre Corporate Governance Os principais desafios da gestão corporativa em Angola. Há 15 anos que a Multitel tem garantido

Leia mais

Mestrado em Contabilidade, Fiscalidade e Finanças Empresariais. Edição 2009/2010. Cidade da Praia, Cabo Verde

Mestrado em Contabilidade, Fiscalidade e Finanças Empresariais. Edição 2009/2010. Cidade da Praia, Cabo Verde Mestrado em Contabilidade, Fiscalidade e Finanças Empresariais Edição 2009/2010 Cidade da Praia, Cabo Verde A ponte para o futuro Mestrado em Contabilidade, Fiscalidade e Finanças Empresariais Edição 2009/2010

Leia mais

MBA MASTER BUSINESS ADMINISTRATION E MBAH MASTER EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISTICA

MBA MASTER BUSINESS ADMINISTRATION E MBAH MASTER EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISTICA MBA MASTER BUSINESS ADMINISTRATION E MBAH MASTER EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISTICA Angra do Heroísmo 2007 1 MBA MASTER BUSINESS ADMINISTRATION MBAH MASTER EM GESTÃO HOTELEIRA E TURISTICA Objectivos dos dois

Leia mais

Diploma Preliminar em Estudos de Gestão

Diploma Preliminar em Estudos de Gestão Diploma Preliminar em Estudos de Gestão Acreditamos que a educação é essencial para o desenvolvimento das nações. Trabalhamos em conjunto com os alunos para contribuir para o desenvolvimento de líderes

Leia mais

NCE/10/01746 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/01746 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/01746 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico De Coimbra

Leia mais

HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO

HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO ELABORAÇÃO ASSINATURA APROVAÇÃO ASSINATURA ÍNDICE CAPÍTULO 1. POLÍTICA E ESTRATÉGIA/ÂMBITO... 3 1.1 POLÍTICA E ESTRATÉGIA DA ENTIDADE... 3 1.2 OBJECTIVO

Leia mais

ACEF/1112/20967 Relatório final da CAE

ACEF/1112/20967 Relatório final da CAE ACEF/1112/20967 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Fundação Minerva - Cultura - Ensino E Investigação

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres

Leia mais

PRESSCLIPPING FORMAÇÃO ANJE JANEIRO

PRESSCLIPPING FORMAÇÃO ANJE JANEIRO PRESSCLIPPING FORMAÇÃO ANJE JANEIRO Associação Nacional de Jovens Empresários A1 Anje ensina a elaborar um plano de negócios Tipo Meio: Internet Data Publicação: 10-01-2016 Meio: Ver Portugal Online URL:http://www.pt.cision.com/s/?l=274e4e3a

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

PÓS-GRADUAÇÃO EM INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PÓS-GRADUAÇÃO EM INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL ENQUADRAMENTO E OBJECTIVOS: Num mundo em constante aceleração económica, tecnológica e de produção de grandes quantidades de conhecimento,

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO F O R M A Ç Ã O A V A N Ç A D A CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA MEMBROS DA ORDEM DOS ENGENHEIROS ENQUADRAMENTO O CEGE/ISEG é um centro de investigação e projectos do ISEG Instituto

Leia mais

REGULAMENTO PARA A GESTÃO DE CARREIRAS DO PESSOAL NÃO DOCENTE CONTRATADO NO ÂMBITO DO CÓDIGO DO TRABALHO DA UNIVERSIDADE DO. Capítulo I.

REGULAMENTO PARA A GESTÃO DE CARREIRAS DO PESSOAL NÃO DOCENTE CONTRATADO NO ÂMBITO DO CÓDIGO DO TRABALHO DA UNIVERSIDADE DO. Capítulo I. Regulamentos REGULAMENTO PARA A GESTÃO DE CARREIRAS DO PESSOAL NÃO DOCENTE CONTRATADO NO ÂMBITO DO CÓDIGO DO TRABALHO DA UNIVERSIDADE DO PORTO Aprovado pelo Conselho de Gestão na sua reunião de 2011.01.20

Leia mais

Curso de Língua Chinesa, Cultura e Dinâmica de Negócios para Empresários e Gestores na China

Curso de Língua Chinesa, Cultura e Dinâmica de Negócios para Empresários e Gestores na China Curso de Língua Chinesa, Cultura e Dinâmica de Negócios para Empresários e Gestores na China Lisboa, Janeiro de 2014 Realizar Negócios na China é o sonho de qualquer empresário mas pode ser uma realidade

Leia mais

Presidente do Instituto Politécnico da Guarda

Presidente do Instituto Politécnico da Guarda Pós-Graduações A formação ao longo da vida é hoje uma necessidade indiscutível que constitui uma oportunidade a não perder por parte da instituição. A aposta nas pós-graduações deve ser incrementada, e

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS 2012 FORMAÇÃO DE TREINADORES FEDERAÇÃO PORTUGUESA DO PENTATLO MODERNO

PLANO DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS 2012 FORMAÇÃO DE TREINADORES FEDERAÇÃO PORTUGUESA DO PENTATLO MODERNO 1 PLANO DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS 2012 FORMAÇÃO DE TREINADORES FEDERAÇÃO PORTUGUESA DO PENTATLO MODERNO 2 1. Introdução O processo de adaptação e ajustamento ao PNFT entra em 2012 na sua fase terminal

Leia mais

Universidade Aberta. Mestrado em Supervisão Pedagógica 2007/2009. Projecto de Dissertação de Mestrado

Universidade Aberta. Mestrado em Supervisão Pedagógica 2007/2009. Projecto de Dissertação de Mestrado Universidade Aberta Mestrado em Supervisão Pedagógica 2007/2009 Projecto de Dissertação de Mestrado Aprender a «viver juntos»: Que significado curricular no 1º. Ano? 30 de Setembro de 2008 Projecto de

Leia mais

2ª Edição 2006/2007 Direcção: Professor Doutor Reginaldo de Almeida e Mestre Paulo Faustino

2ª Edição 2006/2007 Direcção: Professor Doutor Reginaldo de Almeida e Mestre Paulo Faustino 1master 06/08/01 12:44 Page 1 MASTER Gestão Empresarial e de Conteúdos dos Media & Entretenimento 2ª Edição 2006/2007 Em colaboração com: - Media Management and Transformation Centre da JIBS, Suécia -

Leia mais

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014 MBA Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2013-2014 Sines, Junho de 2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é um curso de pós-graduação desenvolvido pela Escola Superior de Ciências Empresariais

Leia mais

MESTRADO EM ARTES VISUAIS INTERMÉDIA ESCOLA DE ARTES DAVD 01/08 MESTRADO ARTES VISUAIS INTERMÉDIA 2010-2012

MESTRADO EM ARTES VISUAIS INTERMÉDIA ESCOLA DE ARTES DAVD 01/08 MESTRADO ARTES VISUAIS INTERMÉDIA 2010-2012 MESTRADO EM ARTES VISUAIS INTERMÉDIA ESCOLA DE ARTES DAVD 01/08 MESTRADO ARTES VISUAIS EM INTERMÉDIA 2010-2012 MESTRADO EM ARTES VISUAIS INTERMÉDIA ESCOLA DE ARTES DAVD 02/08 ORGANIZAÇÃO Universidade de

Leia mais

Escola Profissional do Sindicato do Escritório e Comércio da Região Autónoma dos Açores. Projeto Educativo. Educar para a Cidadania

Escola Profissional do Sindicato do Escritório e Comércio da Região Autónoma dos Açores. Projeto Educativo. Educar para a Cidadania Escola Profissional do Sindicato do Escritório e Comércio da Região Autónoma dos Açores Projeto Educativo Educar para a Cidadania Preâmbulo O Projeto Educativo é o documento que consagra a orientação educativa

Leia mais

ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DE LONGO PRAZO 2025 COMÉRCIO, LOGÍSTICA E DISTRIBUIÇÃO

ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DE LONGO PRAZO 2025 COMÉRCIO, LOGÍSTICA E DISTRIBUIÇÃO REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO COMÉRCIO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DE LONGO PRAZO 2025 COMÉRCIO, LOGÍSTICA E DISTRIBUIÇÃO Estado Entidade Promotora Nova Rede Comercial Parceiro Estratégico (Assegura)

Leia mais

ACEF/1112/14972 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/14972 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/14972 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico De Leiria A.1.a. Identificação

Leia mais

Identificação da empresa

Identificação da empresa Identificação da empresa ANA Aeroportos de Portugal, S.A. Missão, Visão e Valores Missão da ANA A ANA - Aeroportos de Portugal, SA tem como missão gerir de forma eficiente as infraestruturas aeroportuárias

Leia mais

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO ÍNDICE 11. PRESSUPOSTO BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO 25 NO ALENTEJO pág. 11.1. Um sistema regional de inovação orientado para a competitividade

Leia mais

Diploma em Turismo e Gestão Hoteleira

Diploma em Turismo e Gestão Hoteleira Diploma em Turismo e Gestão Hoteleira Acreditamos que a educação seja essencial para o desenvolvimento das nações. Trabalhamos em conjunto com os alunos para contribuir para o desenvolvimento de líderes

Leia mais

O princípio da afirmação da sociedade civil.

O princípio da afirmação da sociedade civil. Dois dos Valores do PSD O Princípio do Estado de Direito, respeitante da eminente dignidade da pessoa humana - fundamento de toda a ordem jurídica baseado na nossa convicção de que o Estado deve estar

Leia mais

Eixos Estratégicos Objectivos Estratégicos Objectivos Operacionais Acções. 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias

Eixos Estratégicos Objectivos Estratégicos Objectivos Operacionais Acções. 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias 1. Oferta Formativa 1.1. Dinamizar e consolidar a oferta formativa 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias 1.1.2. Promover o funcionamento de ciclos de estudos em regime

Leia mais

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE CURSOS DE FORMAÇÃO PÓS-GRADUADA NO ISA

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE CURSOS DE FORMAÇÃO PÓS-GRADUADA NO ISA REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE CURSOS DE FORMAÇÃO PÓS-GRADUADA NO ISA Preâmbulo É cada vez mais consensual a importância estratégica que as pessoas (vulgarmente chamadas de recursos humanos) desempenharão

Leia mais

Programa de atividades 2015

Programa de atividades 2015 Programa de atividades 2015 Programa de atividades 2015 (Documento de trabalho) Lisboa, 2015 Plano Nacional de Formação Financeira www.todoscontam.pt Edição Conselho Nacional de Supervisores Financeiros

Leia mais

Docentes Ana Barros. Investigadora do INESC Porto, desde 2011. Doutorada em Engenharia e Gestão pelo Instituto Superior Técnico, UTL. MBA em logística e empreendedorismo pela Universidade Técnica de Munique.

Leia mais

NCE/10/01771 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/01771 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/01771 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico De Tomar

Leia mais

ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Artigo 1.º Âmbito 1 - O presente regulamento de avaliação de desempenho aplica-se a todos os docentes que se encontrem integrados na carreira. 2 - A avaliação

Leia mais

PRORROGAÇÃO DE PRAZO - Candidaturas SI Qualificação PME (Diversificação e Eficiência Energética) (16/07/2010)

PRORROGAÇÃO DE PRAZO - Candidaturas SI Qualificação PME (Diversificação e Eficiência Energética) (16/07/2010) PRORROGAÇÃO DE PRAZO - Candidaturas SI Qualificação PME (Diversificação e Eficiência Energética) (16/07/2010) Foi prorrogado o prazo para apresentação de candidaturas no âmbito do Aviso N.º 03/SI/2010,

Leia mais

Apresentação... 2 Objectivos do curso... 2 Metodologia... 2 Programa... 3 Calendarização... 4 Formadores... 5

Apresentação... 2 Objectivos do curso... 2 Metodologia... 2 Programa... 3 Calendarização... 4 Formadores... 5 ÍNDICE Apresentação... 2 Objectivos do curso... 2 Metodologia... 2 Programa... 3 Calendarização... 4 Formadores... 5 Condições de acesso e inscrições... 6 Preçário... 6 Certificado de presença... 6 Local...

Leia mais

Apresentação do GIS - Grupo Imigração e Saúde / Parte 2: a utilidade do GIS para os imigrantes

Apresentação do GIS - Grupo Imigração e Saúde / Parte 2: a utilidade do GIS para os imigrantes Iolanda Évora Apresentação do GIS - Grupo Imigração e Saúde / Parte 2: a utilidade do GIS para os imigrantes Apresentado no II Fórum Rede Portuguesa de Cidades Saudáveis Viana do Castelo25-26 de Outubro

Leia mais

1. Introdução... 3 1. 1. Objetivos... 3 1.2. Destinatários... 3 2. Programa... 3 3. Estrutura funcional... 4 3.1. Custo... 4 3.2. Duração, Calendário

1. Introdução... 3 1. 1. Objetivos... 3 1.2. Destinatários... 3 2. Programa... 3 3. Estrutura funcional... 4 3.1. Custo... 4 3.2. Duração, Calendário 1. Introdução... 3 1. 1. Objetivos... 3 1.2. Destinatários... 3 2. Programa... 3 3. Estrutura funcional... 4 3.1. Custo... 4 3.2. Duração, Calendário e Horário... 5 3.3. Local... 5 3.4. Sistema de Certificação...

Leia mais

Candidatura de. António Dourado Pereira Correia. a Director da FCTUC. Programa de acção do Director da FCTUC

Candidatura de. António Dourado Pereira Correia. a Director da FCTUC. Programa de acção do Director da FCTUC Candidatura de António Dourado Pereira Correia a Director da FCTUC Programa de acção do Director da FCTUC No momento em que as regras de gestão da nossa Faculdade se alteram tão profundamente, centrando-a

Leia mais

1º Ciclo de Workshops em Empreendedorismo - 2013

1º Ciclo de Workshops em Empreendedorismo - 2013 1º CICLO DE WORKSHOPS EM Abril e Maio de 2013 EMPREENDEDORISMO AS PEQUENAS IDEIAS GERAM GRANDES NEGÓCIOS! Co-financiamento: APRESENTAÇÃO O Município de Penacova, através do Gabinete de Desenvolvimento

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE DO ALGARVE MESTRADO EM CONTABILIDADE

FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE DO ALGARVE MESTRADO EM CONTABILIDADE FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE DO ALGARVE MESTRADO EM CONTABILIDADE EDIÇÃO 2011 / 2013 ÍNDICE 1. Apresentação.. 3 2. Objectivos...... 3 3. Condições de Acesso. 3 4. Organização do Curso e Plano de

Leia mais

FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE

FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE PARTE A (a preencher pelo coordenador do departamento curricular ou pelo conselho executivo se o avaliado for coordenador de um departamento curricular)

Leia mais

CEF/0910/27086 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/27086 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/27086 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Cofac

Leia mais

Gestão Estratégica de Negócios

Gestão Estratégica de Negócios INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Inatel Competence Center Business School Gestão Estratégica de Negócios Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular Santa Rita do Sapucaí MG Setembro de 2013

Leia mais

III Conferência Anual da RELOP. Sessão de Abertura. Vítor Santos, Presidente da RELOP. Caro Dr. Haroldo Lima, Director Geral da ANP,

III Conferência Anual da RELOP. Sessão de Abertura. Vítor Santos, Presidente da RELOP. Caro Dr. Haroldo Lima, Director Geral da ANP, III Conferência Anual da RELOP Sessão de Abertura Vítor Santos, Presidente da RELOP Caro Dr. Haroldo Lima, Director Geral da ANP, Caro Dr. Nelson Hubner, Director Geral da ANEEL, Estimados colegas reguladores,

Leia mais

NCE/13/00276 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/13/00276 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/13/00276 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade Do Minho A.1.a.

Leia mais

ANEXO III 15-03-2013 RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL

ANEXO III 15-03-2013 RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL ANEXO III RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL -- ÍNDICE ÍNDICE. OBJECTIVOS E ÂMBITO DO ESTUDO. METODOLOGIA. RESUMO. INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL. INOVAÇÃO NOS ÚLTIMOS 6 ANOS 6. APRENDIZAGEM

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Empreendorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2010/2011

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Empreendorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2010/2011 Programa da Unidade Curricular Empreendorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2010/2011 1. Unidade Orgânica Serviço Social (1º Ciclo) 2. Curso Serviço Social 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE

FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE IDENTIFICAÇÃO Unidade Orgânica: Docente avaliado: Departamento

Leia mais