Professor Luis Octavio - Página 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Professor Luis Octavio - Página 1"

Transcrição

1 Simulado 1 - Administração de Materiais Professor Luis Octavio 1) ( ) A administração de materiais possui como uma de suas atribuições o controle de estoque, onde entre outras, é realizado o controle de estoque para verificar as situações de saneamento do estoque. 2) ( ) Segundo a filosofia JIT um dos problemas e o lead-time, ou seja, a espera de tempo para início de operações em uma empresa, para otimizar esse tempo deve ser utilizada a redução do setup. 3) ( ) Na filosofia JIT a organização do trabalho é ponto chave para o bom desempenho da mesma para isso a mesma deve utilizar regras como por exemplo o SEIZO, ou seja, os equipamentos devem ser colocados nos seus locais corretos, mantendo assim, um ambiente limpo. 4) ( ) Segundo os moldes do JIT uma das preocupações exclusivas da alta direção é com a qualidade total, devendo a empresa incentivar os funcionários a buscá-la e mesmo que alcançada sempre aperfeiçoá-la. 5) ( ) Uma das preocupações do JIT é em proporcionar formas de aprendizagem organizacional, inclusive incentivando a espiral do conhecimento nas organizações. 6) ( ) Segundo o sistema KANBAN nenhum produto deve ser produzido se não for solicitado, evitando assim, custos com estocagem. 7) ( ) No JIT os funcionários devem estar orientados para realizar a MPT diminuindo assim, os problemas com equipamentos. 8) ( ) A área de compras deve buscar sempre novos fornecedores, salvo nos casos onde o produto é exclusivo de um único fornecedor. 9) ( ) Uma das características da área de compras é se preocupar com a entrega do material solicitado, para tanto, utiliza um funcionário chamado follow-up. 10) ( ) O PCP realiza a elaboração de planos de produção, a partir da sua parte de planejamento e também a utilização de técnicas e métodos para fazer uma previsão de demanda, a partir da sua parte de controle. 11) ( ) O MPS define os recursos necessários para produção de cada item para se alcançar a quantidade definida no plano de produção por grupo de produto. 12) ( ) A área de armazenagem é a única responsável por suprir as unidades administrativas de material necessário a execução de suas tarefas. 13) ( ) A visão estratégica é uma das características da nova administração de materiais, não mais voltada para busca desenfreada pelo lucro e sim por manter-se no mercado. Segundo essa nova visão as áreas da administração devem ser interligadas para troca de informações, diminuindo assim, os conflitos de interesse existente entre os diversos departamentos. 14) ( ) Embora a administração de materiais se oriente para uma visão do tipo SCM, suas diversas áreas possuem interesses diferentes no tocante a quantidade a ser mantida no estoque. 15) ( ) Para área de compras é vantajoso manter grande quantidade no estoque de matéria-prima, pois assim, pode reduzir os custos a partir de descontos financeiros obtidos por compra em grande quantidade. 16) ( ) Para a área de produção é interessante manter grande quantidade de estoque de material acabado, pois assim, evita paradas desnecessárias no processo produtivo. 17) ( ) Fragilidade é a característica de material de consumo que está sujeito à dissolução, deterioração, extinção ou modificação química, perdendo sua identidade ou característica normal de uso 18) ( ) Transformabilidade é a característica de material de consumo que quando o material é agrupado a outro, não podendo ser retirado sem prejuízo das características ou condições de funcionamento do objeto. 19) ( ) Materiais críticos são os de reposição específica de um equipamento ou de um grupo de equipamentos iguais, cuja demanda não é previsível e cuja decisão de estocar é tomada com base na análise de risco que a empresa corre, caso esses materiais não estejam disponíveis quando necessário. A empresa Flores do Campo Genivaldo obteve o seguinte movimento: dia 1/Jan possuía um estoque de 40 sacos, avaliados a R$ 10,00 cada, dia 10/Jan vendeu 10 sacos a R$ 20,00 cada, dia 15/Fev vendeu 40 sacos a R$ 20,00 cada, dia 12/Fev comprou 20 sacos a R$ 15,00 cada, dia 16/Mar comprou 10 sacos a R$ 18,00 e dia 20/Mar vendeu 10 sacos R$ 25,00 cada. Segundo os dados expostos julgue os itens abaixo 20) ( ) Analisando os dados acima verifica-se ruptura de estoque. 21) ( ) Segundo o método PEPS, o valor do estoque final é de 180,00 22) ( ) Segundo o método UEPS, o valor do estoque final é de 90,00 23) ( ) Segundo o método da média pondera, o valor do estoque é de 135,00: 24) ( ) O turnover do estoque foi de 6 vezes. 25) ( ) A cobertura do estoque é para 11 dias. 26) ( ) Consumo sazonal é o tipo de evolução de consumo cujo volume diminui ou aumenta drasticamente no decorrer de um período do ano, é influenciado por fatores culturais, ambientais e econômicos, acarretando desvios de demanda negativos ou positivos. Professor Luis Octavio - Página 1

2 27) ( ) Armazenagem é a área da administração de materiais que busca gerenciar economicamente aqueles itens que permanecerão no estoque da organização, planejando a sua reposição e controlando seu comportamento e distribuição 28) ( ) Custo de indisponibilidade é o nome do custo gerado pelo dinheiro investido não estar disponível para outras utilizações. 29) ( ) Imobilização de capital, danos, obsolescência, furtos, deterioração são fatores que compõe o custo de risco. 30) ( ) Deterioração é o risco que compõe a análise do custo de risco ocasionado pela perda do valor do produto resultante de avanço tecnológico. 31) ( ) A análise da participação de cada modalidade de transporte na movimentação de materiais no Brasil revela um quase monopólio do transporte aeroviário. 32) ( ) Esteira transportadora é o equipamento utilizado quando se tem determinada área restrita, que é o caso de um almoxarifado, onde serão movimentadas cargas intermitentemente, uma das opções são os sistemas de manuseio para áreas restritas. O mais significativo equipamento de manuseio para áreas restritas, normalmente instalado em áreas de armazenamento de ferro para construção, produtos acabados como chapas de aço e bobinas, recepção de carga de grandes proporções e peso. 33) ( ) No sistema de codificação FSC os dígitos representam o local físico onde encontra-se o bem são o 3º e o 4º dígitos. 34) ( ) No sistema de codificação CSSF o 3º, 4º e 5º dígitos representam o grupo do material. 35) ( ) Indevida incorporação é o tipo de baixa quando um bem for registrado em exercício anterior e foi novamente registrado no patrimônio. 36) ( ) Se um bem for abstraído por pessoa não autorizada durante a transferência sem violência, deverá ser dada a baixa por furto. 37) ( ) Quando um bem possui um reparo com valor de 49% do seu valor deverá ser baixado por irreparabilidade. 38) ( ) Todo empréstimo gratuito de bem que deve ser restituído no tempo convencionado ou recebido por doação é chamado cessão de uso. 39) ( ) A remessa de produtos de um fornecedor fica em trânsito por dez dias. Se a demanda anual é de 5200 unidades, a média do estoque anual em movimento é de 142,5. O TST apresentou os consumos mostrados abaixo Mês Consumo Janeiro 50 Fevereiro 40 Março 100 Abril ) ( ) O valor da previsão de demanda para o mês de julho, segundo o método da média móvel trimestral é de 80 peças. Gabarito 1. E. Não é controle de estoque e sim supervisão de almoxarifado. 2. C. Redução de setup é a ferramenta do JIT onde os funcionários devem iniciar os equipamentos antes do início do trabalho. 3. E. SEIZO é a limpeza, SEITON é as coisas nos seus locais certos. 4. E. Não é preocupação exclusiva da alta direção, o CWQC do JIT define qualidade como preocupação de todos da empresa. 5. C. 6. E. Os materiais que não são mantidos no estoque são os não de estoque, pois os materiais de consumo constante devem ser mantidos em pequenas quantidades para atender a demanda e não gerar custo por falta. 7. C. MPT (manutenção produtiva do trabalho) é a ferramenta do JIT que define que os funcionários devem ser incentivados pela organização a realizarem a manutenção preventiva dos equipamentos para aumentar a durabilidade dos mesmos. 8. E. Mesmo no caso de produtos com fornecedor exclusivo, a organização deve buscar novos fornecedores. 9. C. Follow-up é acompanhante de compras. 10. E. A previsão de demanda não é função do PCP e sim da área de controle. 11. E. MPS define os itens que serão produzidos, o MRP é que define os recursos necessários. 12. C. 13. C. 14. C. 15. E. O desconto obtido por compra em grande quantidade é o desconto comercial. 16. E. Grande quantidade de matéria-prima. 17. E. Perecibilidade. 18. E. Incorporabilidade. Professor Luis Octavio - Página 2

3 19. C. 20. E. As datas estão em ordem errada para confundir e valor de venda não é o valor da saída. PEPS Data Entrada Saída Saldo Q VU VT Q VU VT Q VT 01/ / / /02 (40) / / TOTAL UEPS Data Entrada Saída Saldo Q VU VT Q VU VT Q VT 01/ / / /02 (40) / / TOTAL CUSTO MÉDIO/MÉDIA PONDERADA Data Entrada Saída Saldo Q VU VT Q VU VT Q VT CM 01/ / / / / / TOTAL C. 22. E E C. Turnover/giro = quantidade vendida/quantidade no saldo = 60/10 = 6 vezes 25. E. Cobertura do estoque/praz médio de renovação = período/giro = 80/ E. Consumo tendência. 27. E. É a área de controle (gestão de estoque). 28. E. Custo de capital. 29. E. Imobilização de capital é custo de capital. 30. E. Obsolescência. 31. E. Rodoviário. 32. E. Pontes rolantes. 33. E. 5º, 6º e 7º. 34. E. 1º e 2º 35. E. Dúplice incorporação. 36. E. Baixa por extravio. 37. E. Só será dado baixa se for superior a 50%. 38. E. Comodato. 39. C. Estoque em movimento = T x A/265 = 10 x 5200/365 Professor Luis Octavio - Página 3

4 40. E. Para calcularmos a previsão de demanda do mês de julho, devemos primeiro achar a previsão de maio pela média aritmética entre 40, 100 e 100 que dá 80. Feito isso, achamos a de junho que será /3 que dá 93 e depois a média entre que dá 91. Simulado 2 - Administração de Materiais Professor Luis Octavio 1 As atividades principais da Administração de Matérias são: cadastramento, gestão, compras, recebimento, almoxarifado e inventário físico. O cadastramento visa registrar os materiais necessários à manutenção e desenvolvimento da empresa. A gestão visa o gerenciamento dos estoques por meio de técnicas que permitem manter o equilíbrio com o consumo. Compras é a atividade que ter por finalidade suprir as necessidades da empresa. O recebimento visa garantir de forma rápida, o desembaraço dos materiais adquiridos. Almoxarifado é a atividade que tem como finalidade a guarda dos materiais confiados pela empresa. O inventário físico tem por finalidade manter o controle do material existente na empresa. 2 Just in time é a produção na quantidade certa, no momento necessário, para atender à variação de vendas com o mínimo de estoque em produtos acabados, em processos e em matéria-prima, garantindo assim a eficiência da empresa. 3 Jidoka é a técnica de controle onde cada operador é acompanhado por uma equipe de trabalho que visa detectar os desperdícios ou perdas do processo. 4 Quando a demanda sobre bruscamente deve-se elevar o estoque médio, evitando assim, o custo por falta. 5 Materias não de estoque são os de demanda imprevisível para os quais não são definidos parâmetros para o resuprimento automático, onde a aquisição somente será efetuada por solicitação direta do usuário. 6 Materias críticos são os de reposição específica de um equipamento ou de um grupo de equipamentos iguais, cuja demanda não é previsível. 7 Materiais de alta perecibilidade são que as características físico-químicas oferecem risco à segurança. 8 Atualmente o enfoque dado à Administração de Materiais é logístico. 9 Fornecedores são entidades exclusivamente externas que fornecem materiais e serviços. 10 A entrada em estoque é uma transação que completa o recebimento físico do material, tornando-o disponível para utilização. Em conjunto com o pagamento ao fornecedor esta transação completa o ciclo de compra. 11 Em toda inspeção de recebimento deve-se levar em conta puramente o aspecto qualitativo. 12 Diligenciamento é uma atividade ligada à função compras, responsável pelo acompanhamento dos pedidos já colocados junto aos fornecedores da empresa.. 13 Como há um custo, nem sempre baixo, para se efetuar o processo de licitação, é razoável padronizar fornecedores para alguns itens, dispensando-se assim os procedimentos de cotação e escolha do fornecedor para cada compra, sem a necessidade de gastar tempo e dinheiro com verificação de valores. 14 Um enfoque administrativo moderno em uma empresa de produção industrial é deixar de gerenciar departamentos isolados, onde o foco principal são as atividades internas da empresa. As atividades de gerenciamento de compras, gerenciamento de estoques, gerenciamento de produção, gerenciamento de vendas, gerenciamento de distribuição e gerenciamento de clientes, vistas em conjunto formam o que se denomina SUPPLY CHAIN, que vão dos fornecedores até os clientes, passando pela gestão de estoques, gestão da produção, gestão de vendas e gestão da distribuição. De modo mais integrado ainda, podem ser incluídas as atividades de gerenciamento dos fornecedores dos fornecedores e dos clientes dos clientes. A gestão dessas atividades de um modo integrado é o que se denomina gestão da cadeia de suprimentos 15 Antigamente a dúvida da Administração de Materiais entre comprar ou produzir era intensa, mas nos dias atuais a resposta é única comprar, pois a terceirização de serviços diminui os custos de armazenagem e o tempo de fornecimento. 16 O setor de compra de uma organização deve estar atento às modificações de preços que ocorrem em um mercado altamente competitivo. Sendo assim, pode-se utilizar a regra tradicional: comprar mais com preços que vão crescer e comprar o indispensável com preços que vão decrescer. 17 Sistema KANBAN é uma das técnicas responsáveis pela redução de estoques e eliminação de desperdícios, cuja aplicação se dá através do uso de cartões. 18 A demanda de bens de consumo depende das perspectiva de lucro que possam gerar para os clientes industriais, que postergam distribuição de lucro no presente, em benefício de maiores resultados para o futuro. 19 As atividades básicas da armazenagem são: recebimento, estocagem e distribuição. 20 O nível de renda é um fator bastante significativo para explicar flutuações de demanda de bens de consumo. Professor Luis Octavio - Página 4

5 21 MRP é o plano para fabricação de itens individuais finais, dividindo o Plano de Produção e definindo qual a quantidade de cada item a ser fabricado. 22 Um dos principais objetivos da planejamento e controle de estoques é manter a menor quantidade possível de estoque para atender aos clientes. 23 O almoxarifado de materiais auxiliares armazena as peças que servem de apoio à manutenção dos equipamentos e edifícios usados na empresa. 24 Custos de pedido são os referentes a imobilização do capital da empresa em materiais mantidos em estoque. 25 O objetivo de custo do estoque é buscar um balanceamento dos custos de armazenagem, de pedidos e de falta para melhor atender à demanda de mercado e aos anseios dos acionistas. 26 Evolução de consumo de tendência acontece quando o volume de consumo passa por oscilações regulares no decorrer de certo período do ano, é influenciado por fatores ambientais e culturais, acarretando desvios de demanda. 27 Tempo de pedido é o tempo decorrido desde da emissão do pedido de compra até que o lote esteja pronto para liberação para produção. 28 Custo de compra corresponde ao valor do material que se pretende adquirir ao longo do período de referência. 29 A Demanda independente acontece quando ela não é relacionada à demanda de outros itens. 30 Estoque de segurança é a quantidade mínima possível capaz de suportar um tempo de resuprimento superior ao programado. 31 Estoque virtual é o estoque real acrescido das quantidades de encomendas em andamento. 32 Ponto de ruptura acontece quando chega-se ao estoque mínimo. 33 A empresa Doces e Cia Ltda. obteve o seguinte movimento: dia 1/Jan possuía um estoque de 30 sacos, avaliados a R$ 10,00 cada, dia 12/Jan vendeu 10 sacos, dia 4/Fev comprou 20 sacos a R$ 5,00 cada, dia 10/Fev vendeu 30 sacos. Segundo o método PEPS, o valor do estoque final é de R$ 50, No item anterior se utilizarmos o método UEPS o valor será de R$ 75, No item 33 se utilizarmos o método média ponderada o valor será de R$ 100, Em relação ao item 33 o turnorver do período foi 4 vezes a cobertura do estoque foi de 10 dias. 37 Em um país de deflação o método de UEPS é o menos aconselhável em termos de valorizar o estoque. 38 A previsão de demanda estabelece quais produtos, quanto desses produtos e quando serão comprados pelos clientes. 39 Transação é o ato através do qual a empresa solicita ao fornecedor material para recompor seu estoque e tem obrigação o ato de pagamento correspondente. 40 O sistema inventário rotativo é quando permanentemente são contados os itens em estoque. 41 Predilecação é o método de previsão de estoque feito através das opiniões de pessoas que conhecem o comportamento dos materiais (especialistas) 42 O método de previsão extrínseca baseia-se na idéia de que o comportamento futuro de um item é semelhante ao comportamento que o mesmo teve no passado. 43 No modelo de consumo/demanda do tipo sazonal os dados se distribuem ao redor de uma curva crescente ou decrescente. 44 No método de resuprimento chamado estoque base o item é ressuprido sempre que há consumo. É o mesmo que estoque de sobressalentes. 45 A Logística é o processo de gerenciar estrategicamente a aquisição, movimentação e armazenagem de materiais, peças e produtos acabados - e os fluxos de informações correlatas - através da organização e seus canais de marketing, de modo a poder maximizar as lucratividades presente e futura através do atendimento dos pedidos a baixo custo. 46 Material sucatado é o que embora em condições de utilização, não mais satisfaz às exigências da empresa. 47 A realidade do mercado fornecedor brasileiro obriga o setor de compras a se prevenir de enventuais desvios através da implatantação do follow-up, que é a atividade que objetiva garantir o cumprimento das cláusulas contratuais. 48 O transporte rodoviário é destinado a cargas que exigem prazos relativamente rápidos de entrega. 49 No caso de cargas maiores, cujo fator tempo para entrega não seja preponderante aconselha-se o transporte aeroviário. 50 Para transporte de materiais para locais de difícil acesso ou extrema distância aconselha-lhe o transporte intermodal. Gabarito 1. C. Professor Luis Octavio - Página 5

6 2. C. 3. E. Jidoka ou autocontrole é um controle visual, em que cada operador poderá controlar sua qualidade e sua produção com um mínimo de perdas. 4. E. Deve-se revisar o chamado lote econômico. 5. C. 6. C. 7. E. São matérias de alta periculosidade. 8. C. pois além das suas atividades normais, engloba a Distribuição Física. 9. E. Podem ser internas, como no caso de filiais. 10. C. 11. E. Deve-se levar também em conta o aspecto quantitativo. 12. C. 13. E. Existem fornecedores que aproveitam dessa situação e aumentam preços. Por isso, dispensamos os processos burocráticos de licitação, mas devemos manter um monitoramento constante sobre os preços. 14. C. SUPPLY CHAIN é cadeia de suprimentos. 15. E. Terceirização é modismo, mas nem sempre é o melhor. Os fornecedores podem elevar os custos e prazos de entrega, atrapalhando o desempenho da empresa. 16. C. 17. C. 18. E. O conceito mostrado de demanda é o bens intermediários ou de capital. A demanda de bens de consumo depende das necessidades dos usuários, das utilidades do bens e das possibilidades de compra dos participantes de um mercado. 19. C. 20. C. 21. E. Esse é o conceito de MPS Máster Production Schedule. MRP Material Requirements Plan é o plano para fabricação e compra de componentes utilizados para a feitura de itens do MPS. 22. C. 23. E. Esse conceito é de almoxarifado de manutenção. Almoxarifado de materiais auxiliares: é o que armazenam material que ajuda e participa na execução e transformação do produto, porém não se agrega a ele, sendo imprescindível no processo de fabricação. 24. E. Esse é conceito de custo de manutenção de estoque. Custo de pedido: custos fixos e variáveis referentes ao processo de requisição ou pedido. 25. C. 26. E. Esse é o conceito de Evolução de consumo sazonal. Evolução de consumo de tendência é o volume de consumo diminui ou aumenta drasticamente no decorrer de um período do ano, é influenciado por fatores culturais, ambientais e econômicos, acarretando desvios de demanda negativos ou positivos. 27. C. 28. E. Esse é o conceito de custo de demanda. Custo de compra é o custo das atividades de compra e recebimento do item durante o período de referência. 29. C. 30. C. 31. C. 32. E. Ponto de ruptura é quando se atinge o estoque zero. 33. C. Data Histórico Quantidade Val. Unit Val. Total Q. Saldo Saldo Total 01/jan Estoque (+) /Jan /Fev /Fev - (30) E. R$ 100,00 Data Histórico Quantidade Val. Unit Val. Total Q. Saldo Saldo Total 01/jan Estoque (+) /Jan /Fev /Fev - (30) E. R$ 75,00 Data Histórico Quantidade Val. Unit Val. Total Q. Saldo Saldo Total Professor Luis Octavio - Página Custo Médio

7 01/jan Estoque (+) /Jan /Fev ,5 10/Fev , ,5 36. C. Turnover (Giro de Estoque, ou Rotatividade de Estoque ou Renovação de Estoque) é quantidade de vezes que o estoque foi renovado em um período. Giro = Quantidade Vendida (soma as quantidades com histórico - )/Quantidade Saldo Giro = (10+30)/10 = 40/10 = 4 vezes A cobertura de Estoque (Prazo Médio de Renovação ou Duração do Estoque) é quantidade de dias o Estoque permanece sem ser renovado. PM = Período (total de dias do período)/giro PM = 40/4 10 dias 37. E. A deflação faz com que os preços de compra sejam reduzidos. O método UEPS pegará os últimos valores sendo assim sairá menos no estoque e sobrará mais. Sendo assim, o valor do estoque será maior e não menor. 38. C. 39. E. Transação é o ato de recebimento ou envio ou transporte de mercadorias. 40. C. 41. C. 42. E. O método de previsão instrínseca que foi definido no item. Previsão extrínseca baseia-se na relação que deve existir entre a demanda de um item e a de um outro item. Através da previsão de demanda do segundo item e do índice que o relaciona com o primeiro obtém-se a demanda do primeiro. 43. E. O modelo falado é o de tendências. O método sazonal acontece quando os dados se distribuem oscilando para cima e para baixo periodicamente. 44. C. 45. C. 46. E. Material obsoleto é o que embora em condições de utilização, não mais satisfaz às exigências da empresa. Material sucatado é o que foi deteriorado pelo tempo de uso, sem qualquer outra utilização. 47. C. 48. C. 49. E. Aconselha-se o transporte ferroviário. 50. C. Simulado 3 Professor Luis Octavio Administração de Materiais 1. ( ) A Administração de Materiais é responsável pelo planejamento e fluxo de materiais na organização. Sem planejamento a organização pode ter gastos não esperados ou mesmo ter sua imagem prejudicada. 2. ( ) A Administração de Materiais teve durante a Revolução Industrial uma visão para eficácia, pois se orientava para produtividade em massa e com isso uma preocupação com o alcance do objetivo que era o lucro. 3. ( ) A Administração de Materiais com a filosofia JIT possui uma visão estratégica, definindo ferramentas para realizar suas atividades de forma sistêmica e fazendo com que a Organização seja diferente das demais. 4. ( ) A Administração de Materiais na primeira fase possuía uma visão operacional, pois se dedicava a fazer com que a organização obtivesse um destaque entre as demais pela alta produtividade. Na segunda fase a Administração possuía uma visão estratégica pois produzia com qualidade, centrando seus esforços para atender as necessidades do cliente. 5. ( ) A Administração de Material possui como uma de suas atribuições suprir as necessidades de material e financeira da organização, trazendo assim dois dos fatores de produção natureza e capital. 6. ( ) Como uma das atribuições da Administração de Materiais temos a procura por novos fornecedores, onde a Organização sempre deve manter fidelidade e exclusividade com o fornecedor escolhido para com isso ter custos de aquisição menores. 7. ( ) Na supervisão dos almoxarifados a Administração de Materiais terá a preocupação com a gestão e avaliação de estoques. 8. ( ) A Administração de Materiais deve buscar uma interligação de suas áreas de atuação através do SCM. 9. ( ) A busca pelo preço justo é permitir que a empresa obtenha um valor de venda que proporcione para Organização o maior lucro possível, inclusive tentando reduzir seus custos de aquisição. Professor Luis Octavio - Página 7

8 10. ( ) Um dos objetivos da Administração de Matérias é buscar alta rotatividade de Estoques, fazendo com que a empresa evite gastos desnecessários com estocagem e possibilite a criação de novos produtos. 11. ( ) Outro objetivo da Organização é buscar a consistência de qualidade, ou seja, fazer com a empresa busque a qualidade e ao ser atingida deve ser mantida em padrões aceitáveis pelo cliente. 12. ( ) Um dos objetivos da Administração é a busca pela qualidade através do aperfeiçoamento de seus funcionários. 13. ( ) O Sistema de Inventário Periódico é baseado contagem física do material em estoque de tempos em tempos. Esse método é considerado simples e por isso é aconselhável para controlar o estoque de materiais de alto custo. 14. ( ) No Sistema de Inventário Permanente é utilizado em sistemas rígidos de controle de estoque, onde cada produto que entra ou sai terá que ser registrado. 15. ( ) Abatimento é o desconto obtido por empresas quando efetua compras de grande quantidade de mercadoria. 16. ( ) Em empresas que trabalham com computadores o método UEPS é mais aconselhável para fins fiscais. 17. ( ) O método PEPS é o que possui maior lucro em períodos inflacionários. 18. ( ) Os materiais devem ser guardados em prateleiras apropriadas, classificadas e numeradas; 19. ( ) Os materiais deterioráveis devem ser guardados em local apropriado, classificados e numerados; 20. ( ) Os materiais deterioráveis devem ser dispostos de maneira que os mais velhos saiam em primeiro lugar. 21. ( ) o período de tempo que um material permanece estocado sem sofrer alterações capazes de comprometer o seu uso, é denominado tempo de estocagem; 22. ( ) a ordem de estocagem deve dar ao fornecedor tempo para efetuar a entrega antes que o material seja exigido para o consumo; 23. ( ) área de estocagem é o local destinado à guarda e à preservação de itens de material; 24. ( ) o almoxarifado deve ter sempre em estoque uma certa quantidade dos materiais mais usados. 25. ( ) A filosofia Just-In-Time é incompatível para tratar questões atinentes à entrega de materiais perecíveis. 26. ( ) A gravação é o modo de apor número de registro patrimonial em materiais permanentes. 27. ( ) A saída física dos materiais do estoque deve ocorrer sempre pelo método primeiro a entrar, primeiro a sair, como forma de agilizar a rotação dos estoques. 28. ( ) O método ABC na administração de estoques tem como característica básica, a armazenagem dos materiais por ordem alfabética. 29. ( ) A conservação dos materiais estocados e sua distribuição compete, essencialmente, ao órgão de Compras. Com relação à renovação de estoques, considere que, no ano de 2007, determinado órgão público utilizou resmas de papel, conforme as informações que se seguem: 1) Consumo 2007 ANO 260 JAN 270 FEV 250 MAR 286 ABR 264 MAIO 230 JUN 320 JUL 210 AGO 250 SET 246 OUT 264 NOV 270 DEZ TOTAL Professor Luis Octavio - Página 8

9 2) Tempo de Aquisição (T): 2 (dois) meses 3) Intervalo (I): 6 meses (aquisições semestrais) 4) Estoque mínimo (Em): fixado para o atendimento de requisições durante 0,25 do tempo de aquisição (T) Efetuados os cálculos com base nessas informações, julgue os itens 30. ( ) O estoque mínimo (Em) é de 160 resmas. 31. ( ) A quantidade a adquirir (Q) é de resmas. 32. ( ) O ponto de pedido (Pp) é de 560 resmas. 33. ( ) O estoque máximo (EMx) é de 1790 resmas. 34. ( ) O consumo médio semestral (CMs) é de 180 resmas. 35. ( ) A diminuição da demanda de um produto acarreta diminuição dos produtos de demanda dependente. 36. ( ) Se um produto for substituído por outro automaticamente acontecerá a redução de demanda dos produtos dependentes do produto que foi substituído. 37. ( ) A demanda dependente pode ser calculada, enquanto, a demanda independente pode ser prevista. 38. ( ) Caso um produto seja substituído por outro, automaticamente os produtos de demanda dependente do novo produto receberão aumento de demanda. Em relação aos tipos de materiais julgue os itens abaixo 39. ( ) Materiais semi-combustíveis são aqueles que apresentam baixa taxa de queima e pouco desenvolvimento de fumaça ou gases, quando submetidos a um processo de combustão, não apresentando rachaduras, derretimentos ou deformações excessivas. 40. ( ) Materiais fogo-retardantes são aqueles como a madeira e o plástico que sofreram tratamentos químicos para melhorar suas características de reação ao fogo, ou aqueles protegidos com superfícies incombustíveis ou com produtos que apresentem dificuldade de queima, quando expostos a um processo de combustão. 41. ( ) Material Permanente todo aquele que, em razão do uso, não perde sua identidade física e autonomia de funcionamento e tenha durabilidade prevista superior a dois anos. 42. ( ) Material de Consumo todo material que, em razão de uso, perca sua substância, sua identidade física, suas características individuais ou isoladas. A empresa magnatas tudo de bom s/a apresentou os consumos dos produtos. Produto Consumo Preço Unit I II III IV V VI VII VIII IX X ( ) O(s) produto(s) classificado(s) como de categoria A são o V e o VIII 44. ( ) Surgimento de novos fornecedores para o mesmo bem, aumento da quantidade a ser adquirida, surgimento de materiais similares com a mesma qualidade são situações que permite melhorar as condições de compra. 45. ( ) Se determinado material apresenta consumo de 28 peças por mês, seu tempo de reposição é de dois meses e meio e o estoque mínimo é de um mês, então, é correto inferir que o ponto de pedido é de 56 peças. 46. ( ) As modernas estratégias de negociação requerem que o negociador procure alternativas criativas que atendam não só os interesses de sua organização, mas também as necessidades do fornecedor. 47. ( ) Otimizar o investimento em estoques por meio da maximização das necessidades de capital investido é um dos objetivos da administração de materiais. 48. ( ) Uma empresa mantém um estoque anual de R$ ,00. Se a empresa estima que os custo de capital é de 15%, os custos de armazenagem são de 10%, custo de risco é de 5% e que o custo equipamentos é de 4%, o custo anual para manter o estoque é de ,00. Em relação as competências do usuário responsável pela guarda de bens do patrimônio, julgue os itens abaixo 49. ( ) É responsável por providenciar a manutenção dos bens em sua guarda 50. ( ) Deve entregar a relação de bens sob sua guarda, no caso de demissão, o mesmo não acontece em caso de exoneração. Professor Luis Octavio - Página 9

10 51. ( ) É responsável pela comunicação ao patrimônio de movimentação dos bens em sua guarda. 52. ( ) Se houver furto, roubo ou extravio de bens em sua responsabilidade é responsável por providenciar a lavratura de boletim de ocorrência. 53. ( ) Se um bem por registrado em exercício anterior e foi novamente registrado no patrimônio, será dada a baixa por Indevida incorporação. 54. ( ) Recebimento é o ato pelo qual o material que é encomendado é entregue no local previamente designado, implicando ainda na aceitação. 55. ( ) O recebimento é feito pela área de compras. 56. ( ) O aceite, assim como o recebimento, são feitos pelo almoxarifado, quando o aceite só depende de conferência. 57. ( ) O aceite que necessitar de exame qualitativo será realizado pelo departamento de administração ou por técnico especializado ou comissão especial. Gabarito 1. C 2. E. Visão para eficiência 3. C. 4. E. Na segunda fase ainda possuía uma visão operacional. 5. E. Não supre necessidade financeira. 6. E. Não deve manter exclusividade com um único fornecedor. 7. E. Gestão e Avaliação de estoque dizem respeito ao controle de estoque. Supervisão de almoxarifado cuida de parte física. 8. C. 9. E. O preço justo busca reduzir o custo para reduzir o preço de venda e não para alcançar maior lucro. 10. C. 11. E. A organização deve sempre buscar melhoria contínua KAIZEN. 12. C. 13. E. Materiais de baixo custo. 14. C. 15. E. Abatimento é desconto por produto defeituoso. Desconto comercial é pela compra em grande quantidade e desconto financeiro é por pagamento antecipado. 16. E. Produtos tecnológicos, entre eles o computador, possuem a característica deflacionária. Sendo assim, o método UEPS trará o maior estoque e o maior imposto a ser pago, não sendo aconselhável para fins fiscais. 17. E. Métodos de avaliação de estoque não possuem relação com lucro. 18. C. 19. C. 20. C. 21. C. 22. E. A ordem de estocagem não modifica o tempo que o fornecedor gasta para entrega do material. 23. C. 24. C. 25. E. A filosofia Just in time define lotes pequenos e para produtos não de estoque o sistema kanban de produção apenas com encomenda. 26. C. 27. E. Não obrigatoriamente sempre pelo primeiro que entra. Na administração pública sim. 28. E. ABC é instrumento que classifica pela rentabilidade trazida pelos produtos. 29. E. Conservação e distribuição são funções da área de armazenagem almoxarifado. 30. E. C = cm/12 = 3120/12 = 260 Em = C x f = 260 x 0.25 (FRAÇÃO) x 2 (TEMPO DE AQUISIÇÃO) = C. Q = C X I = 260 x 6 = E. PP = C X T + Em = 260 x = E. EMx = C X I + Em = 260 x = E. CMs = SOMA DOS CONSUMO DOS ÚTLIMOS 6 MESES DIVIDIDO POR 6 = E. O que acarreta a diminuição é a substituição do produto. 36. E. Não acontece automaticamente. 37. C. 38. C. 39. C. 40. C. 41. C. Professor Luis Octavio - Página 10

11 42. C. 43. E Produto Consumo Preço Unit Rentabilidade % I ,75 II ,75 III ,05 IV ,40 V ,69 VI ,65 VII ,52 VIII ,84 IX ,05 X ,31 Total ,00 Os produtos de classe A são os que possuem maior porcentagem de rentabilidade, mas desde que não ultrapassem somados 80%. Sendo assim, 62,75+15,69 dá 78,44 se incluirmos o 3º produto em rentabilidade dará 86,28% por isso apenas os produtos II e V são de classe A. 44. C 45. E. PP = 28 X = C. 47. E. Minimização das necessidades de capital investido. 48. E. Custo para manter o estoque é a soma dos custos de capital (dinheiro que se deixa de ganhar porque o capital está parado no estoque), de risco (dinheiro perdido por obsolecência, furto, roubo, deterioração dos materiais do estoque) e de estocagem/armazenagem (gastos com recursos humanos, manutenção, equipamentos e instalações). Sendo assim, o valor para manter o estoque será (15% + 10% + 5%) X ,00 que é ,00. O custo de equipamentos pertence ao custo de armazenagem. 49. C. 50. E. Deve entregar a relação mesmo que peça exoneração. 51. C. 52. C. 53. E. Baixa por dúplice incorporação. 54. E. Independe de aceitação. 55. E. Recebimento é feito pelo almoxarifado. 56. C. 57. C. PROVA CESPE 1 ADMIMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS GDF/SGA 2004 A administração de materiais pode ser entendida como a coordenação das atividades de aquisição e distribuição de materiais. Com relação a esse assunto, julgue os itens de 85 a Um dos objetivos da administração de estoques é otimizar o investimento em estoques por meio da maximização das necessidades de capital investido. 2 As decisões a respeito dos volumes de estoque devem considerar as metas organizacionais quanto aos prazos de atendimento dos pedidos dos clientes. 3. Os custos de armazenagem ocorrem quando há grandes quantidades de materiais em estoque por longo tempo de permanência. 4 As decisões de compra podem interferir no nível de competitividade da empresa no mercado. 5. Um bom negociador de compras deve desenvolver alternativas criativas que vão ao encontro das necessidades do fornecedor. 6. A tabela ao lado mostra a previsão de consumo de determinado material nos 6 primeiros meses de Considerando-se que todo o estudo de estoques tem seu início na previsão do consumo de material e utilizandose o método da média móvel para 5 períodos, é correto concluir que o consumo previsto para o mês de julho de 2005 é de 61 unidades. Professor Luis Octavio - Página 11

12 7. Na administração de compras, a negociação, o surgimento de novos fornecedores do mesmo material, o aumento da quantidade comprada, o surgimento de materiais similares com a mesma qualidade são condições que permitem melhorar os preços ou as condições de compra. ANATEL 2004 Julgue os itens subseqüentes, relativos à cadeia de suprimentos. 8. O canal de distribuição física refere-se ao hiato de tempo e espaço entre as fontes de material imediato de uma empresa e seus pontos de processamento. 9. O canal de suprimento físico refere-se ao hiato de tempo e espaço entre os pontos de processamento da empresa e seus clientes. 10. Devido às similaridades em suas atividades, o canal de suprimento físico também denominado administração de materiais e o canal de distribuição física compreendem atividades integradas na logística empresarial, cujo gerenciamento é conhecido como gerenciamento da cadeia de suprimentos. 11. Cadeia produtiva é o conjunto de atividades econômicas que se articulam progressivamente desde o início da elaboração de um produto incluindo-se as matérias-primas, as máquinas, os equipamentos e os produtos intermediários até o resultado final. A distribuição e a comercialização não fazem parte da cadeia produtiva. 12. Toda cadeia produtiva é formada por diversos elos ou fontes, os quais podem ser classificados, de maneira geral, em fontes de matéria-prima, processadores, distribuidores ou prestadores de serviços, varejistas e consumidores. Se, de um lado, a departamentalização facilita, para as empresas, a execução das tarefas, por outro pode causar sérios conflitos interdepartamentais. Em grande parte desses conflitos, os principais departamentos envolvidos são os de produção, vendas, compras e finanças. Quando se fala em administração de materiais, é natural encontrar esse tipo de conflito para ser resolvido, isso porque os departamentos têm diferentes interesses no que se refere aos estoques de materiais. Pode-se dizer que os departamentos de compras, produção e vendas, cada qual por seus motivos, têm interesses em manter altos estoques de materiais; já o departamento de finanças quer os menores estoques possíveis. Petrônio Garcia Martins e Paulo Renato Campos Alt. Administração de materiais e recursos patrimoniais, 2001 (com adaptações). Acerca do assunto abordado no texto anterior, julgue os itens. 13. O departamento de compras tende a manter alto estoque de matéria-prima (ou de produto acabado, quando se trata de uma empresa comercial), pois, em geral, obtém descontos dos fornecedores quando adquire grandes quantidades de material, reduzindo, assim, a receita total das compras. 14. O departamento de produção tende a manter sempre alto o estoque de matéria-prima e, por conseguinte, o de material em processo, para permitir a produção de lotes menores, otimizando os custos da empresa. A princípio, lotes menores significam custos de fabricação mais baixos por unidade. 15. O departamento de vendas tende a manter alto o estoque de produtos acabados, sejam eles adquiridos de terceiros ou produzidos internamente, pois depende desse estoque para poder realizar vendas e atender de forma eficiente seus clientes. Ter produtos acabados para pronta-entrega pode ser fundamental para conquistar novos clientes e manter os antigos. 16. O departamento financeiro é contrário à manutenção de altos estoques, uma vez que estes implicam desvantagens para a empresa, do ponto de vista financeiro, como, por exemplo, alto capital investido em estoques, juros pagos ou perdidos, altos custos de armazenagem, risco de obsolescência e(ou) perda de material. 17. É função da administração de materiais integrar os objetivos dos departamentos envolvidos compras, produção, vendas e finanças, aumentando, assim, a eficácia dos meios internos e otimizando os investimentos da empresa em estoques. 18. O departamento de compras é de fundamental importância para a administração de materiais. Para a empresa, a atividade de compra não se restringe ao simples ato físico de adquirir determinado item e efetuar o pagamento correspondente à transação efetuada. A responsabilidade principal do departamento de compras é localizar fontes adequadas de suprimentos e negociar preços. 19. O lote econômico de compras sem faltas ocorre quando o custo de pedido se iguala ao custo de armazenagem. 20. Estoque pode ser entendido como a acumulação de recursos materiais em um sistema de transformação ou qualquer outro tipo de recurso armazenado. Professor Luis Octavio - Página 12

13 21. A previsão de estoques caracteriza o ponto de partida para todo o processo de planejamento empresarial, sendo equivalente a uma meta de vendas. A previsão é inevitável no desenvolvimento de planos para satisfazer demandas futuras, pois a maioria das empresas não pode esperar que os pedidos sejam realmente recebidos antes de começarem a planejar o que produzir. Com relação aos conceitos e às normas atinentes ao inventário, julgue os itens que se seguem. 22. O inventário físico é um importante instrumento de controle administrativo e serve para atualizar os registros contábeis, mas não é indicado para a aferição do estado dos materiais nem para avaliar a adequação dos bens às unidades a que foram destinados. 23. Material permanente controlado é aquele sujeito ao tombamento, requerendo controle estrito de uso e responsabilidade pela sua guarda e manutenção. 24. Material considerado inservível para o órgão ou entidade deve ser classificado como ocioso quando, em perfeitas condições de uso, não estiver sendo utilizado plenamente, circunstância em que deverá ser vendido. Uma organização produz e distribui, para uma grande rede varejista no Brasil, alimentos em conserva como milho, ervilha, ameixa e pêssego. Na sede da empresa, além da unidade produtiva, existem dois depósitos de grande capacidade separados, um para a guarda de insumos ao processo produtivo e o outro para estocar os produtos prontos. A partir da situação hipotética acima e acerca de noções de administração de materiais, julgue os itens a seguir. 25. Como a organização possui depósitos separados para as matérias-primas e para os produtos acabados, o controle de estoques das matérias-primas e dos produtos deve ser feito de maneira independente, pois trata-se de conteúdos diferenciados quanto à dimensão da produção. 26. Considere que o estoque mínimo da matéria-prima milho foi calculado de modo a suprir as possíveis oscilações no consumo, os possíveis sinistros na sua distribuição e a variação na qualidade, entre outros fatores. Nessa situação, é correto afirmar que o estoque mínimo influencia diretamente na definição do período de tempo relativo ao ressuprimento desse estoque. 27. Sabendo que o processo de produção da conserva de ameixa possui um estágio em que a fruta deve ser curada, é correto afirmar que essa etapa corresponde ao estágio de estoque de matéria-prima, pois constitui material básico e necessário para a produção do produto acabado. 28. Considere que a empresa tenha decidido aumentar o estoque de matéria-prima de pêssego de 500 quilos para quilos ao mês. Nesse caso, é correto afirmar que essa decisão implica necessariamente a ampliação do espaço para estocagem desse produto, de modo a não permitir que faltem produtos para o atendimento aos clientes. 29. Estudos iniciais acerca dos estoques fundamentam-se na previsão do consumo do material. Caso o produto pêssego em conserva possua consumo caracterizado por oscilações regulares, tanto positivas quanto negativas, é correto afirmar que tal perfil de consumo é caracterizado pelo modelo de evolução de consumo sujeito a tendências. 30. Considere que, após grande aumento de demanda de ameixa em conserva no mercado brasileiro, a organização tenha decidido ampliar o lote de matéria-prima de uma tonelada para quilos de ameixa ao mês. Nesse caso, é correto afirmar que a capacidade máxima necessária de armazenamento do estoque desse produto deve ser de quilos. 31. O custo de armazenagem é proporcional ao estoque médio, pois, quando a quantidade em estoque é máxima, o custo de armazenagem é máximo e, quando o estoque é zero, o custo de armazenagem é também zero. 32. Considere que, durante a estruturação inicial do setor de controle de estoques, a organização tenha verificado que, devido à demanda, determinado produto teria seu lote consumido em 20 dias. Nesse caso, é correto afirmar que a determinação da periodicidade de estoque do referido produto é um dos princípios do controle de seu estoque. 33. Quando a ervilha estiver enlatada, etiquetada e encaixotada, é considerada produto acabado, pois trata-se de itens que já foram produzidos, mas ainda não foram vendidos. 34. Considere que, durante 2 meses, a organização tenha tido seu estoque de ameixa em conserva totalmente vendido. Nesse caso, é correto afirmar que pode ter havido nesse período uma ruptura do estoque. Considerando a tabela acima, julgue os próximos itens. 35. Pelo método PEPS, o valor de X deve ser igual a R$ 16,00, enquanto o valor de W deve ser igual a R$ 2.520,00. Professor Luis Octavio - Página 13

14 36. Pelo método UEPS, o valor de X deve ser igual a R$ 20,00, enquanto o valor de W deve ser igual a R$ 3.400,00. Acerca de controle patrimonial e inventário rotativo, julgue os itens a seguir. 37. O controle patrimonial de uma organização é feito com relação a seus bens tangíveis, ou seja, aqueles que têm forma e que podem ser tocados, como também os intangíveis, como as marcas e patentes. 38. O inventário rotativo é feito no decorrer do ano fiscal da empresa, sem qualquer tipo de parada no processo operacional, geralmente concentrando-se em cada grupo de itens em determinados períodos, que podem ser semanas ou meses. Gabarito 1. E. Minimizar as necessidades de capital investido. 2. C 3. C 4. C 5. C 6. E. ( )/5 = 63 unidades 7. C 8. E. canal de suprimento 9. E. canal de distribuição 10. C 11. E. cadeia produtiva é do cliente do cliente até o fornecedor do fornecedor. 12. C 13. E. não reduz a receita total de compras. 14. E. produção de lotes maiores. 15. C 16. C 17. E. finanças não. 18. C 19. C 20. C 21. E. não é para todo planejamento empresarial e sim para o planejamento de materiais. 22. E. o inventário físico possui função de verificar o saneamento dos almoxarifados (estado dos materiais) e disponibilidade dos bens (adequação dos bens às unidades que foram destinados). 23. C 24. E. material inservível - é aquele sem condições de uso ou com atendimento precário, dadas as alterações em suas características físicas em virtude de uso prolongado, desgaste prematuro, acidente ou outros fatores, cuja reparação ou recuperação sejam considerados tecnicamente impraticáveis e/ou antieconômicas devendo, por isso, ser alienado na forma prevista nos artigos 9º (doação) e 10 (venda) deste Decreto 25. E. não é depósito (caráter temporário) e sim almoxarifado. 26. E. o estoque mínimo não influencia no período de tempo relativo ao ressuprimento. 27. E. 28. E. não quer dizer que necessariamente tem ampliar o espaço, pois podem ser consumidas sem a necessidade de serem estocadas. 29. E. se a oscilação é regular, a evolução é constante e não por tendência. 30. E. não é a máxima e sim a mínima. 31. E. o custo de armazenagem também possui custos fixos. 32. C. 33. E. se esta etiquetada indica que o produto não é acabado e sim que já está em ponto de venda, ou seja, produto disponível. 34. C 35. E. X é 15 e w = E. X é 16 e w = C 38. C PROVA CESPE 2 ADMIMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS TRT MA 2005 De acordo com Marco Aurélio P. Dias (Administração de Materiais, Atlas, 1995, p. 12), a administração de materiais compreende o agrupamento de materiais de várias origens e a coordenação dessa atividade com a demanda de produtos ou serviços da empresa. Considerando essa assertiva, julgue os seguintes itens, acerca dos conceitos e imensionamento relativos ao controle de estoque. Professor Luis Octavio - Página 14

15 1. ( ) Matéria-prima é toda quantidade de produtos estocados em cada uma das fases produtivas. 2. ( ) Estoque é toda porção armazenada de mercadoria, ou seja, aquilo que é reservado para ser utilizado em tempo oportuno. 3. ( ) Com relação aos custos, o controle de estoque deve focar-se nos custos de pedido e de armazenagem, pois duas variáveis influenciam no aumento do custo: o custo de pedido e o custo de capital. 4. ( ) O depósito pode ser conceituado como o setor que tem por missão receber, conferir, armazenar, conservar e distribuir tudo o que é adquirido pelo setor de compras. 5. ( ) Suprimento refere-se ao amplo conjunto de procedimentos que envolvem a solicitação de fornecimento de determinados produtos por uma organização. 6. ( ) Tempo de ressuprimento é o tempo gasto desde a verificação de que o estoque precisa ser reposto até a chegada efetiva do material no almoxarifado da organização. Esse tempo é composto por: emissão do pedido, preparação do pedido e transporte. 7. ( ) O estoque mínimo é uma quantidade de estoque que, em nível ideal, não deve ser consumido. No entanto, causas como oscilação no consumo e variação na qualidade quando o controle de qualidade rejeita um lote podem impor a utilização desse estoque de segurança. 8. ( ) Quanto ao dimensionamento da estocagem de produtos, uma carga constituída de embalagens de transporte e armazenagem por meios mecânicos é considerada uma unidade. 9. ( ) Os custos de movimentação de materiais influem sobremaneira no custo final do produto e(ou) serviço, mas contribuem para agregar benefícios para o cliente. 10. ( ) Considere que uma empresa, ao codificar seu material de expediente, o define utilizando uma codificação numérica de dois dígitos. O item lápis preto n.º 1 foi identificado como 04, pois a borracha já havia sido identificada como 01. Nesse caso, é correto afirmar que esse sistema de codificação apresenta desvantagem quanto às características de expansividade e significância, no sentido de impossibilitar a inclusão, na seqüência natural da série numérica, caso ocorra a necessidade de inserção de novos itens. 11. ( ) O giro de estoque refere-se à quantidade ideal cujos custos são os menores possíveis. TRT 10 REGIÃO 2005 A administração de materiais pode ser entendida como a responsável pelas atividades de compra, armazenamento e distribuição de material. Com relação a esse assunto, julgue os itens que se seguem. 12. ( ) Um aspecto importante da administração de materiais é a política de estoques. A decisão quanto a manter altos ou baixos níveis de estoques pode influenciar no nível de satisfação dos clientes. 13. ( ) Para uma adequada gestão de estoques, é fundamental estabelecer a previsão de consumo para os períodos seguintes. Entre os métodos de previsão de consumo, o denominado método da média móvel tem a vantagem de reduzir a influência dos valores extremos no resultado final. 14. ( ) Uma medida para minimizar o risco de desabastecimento de materiais é a definição do estoque de segurança a ser utilizado. Variação na demanda e alterações em prazos de entrega são fatores que influenciam o estoque de segurança. 15. ( ) O cálculo do estoque mínimo depende do tempo de reposição, que pode ser entendido como o espaço de tempo compreendido entre a constatação da necessidade de ressuprimento e a emissão do pedido de compra. TRE RS Na gestão de materiais no setor público, existem normativos que versam sobre o recebimento, a estocagem, a distribuição, o registro e o inventário de matérias-primas e mercadorias recebidas. A respeito desse assunto, julgue os itens que se seguem. 16. ( ) O recebimento e o registro de entrada do material será sempre no almoxarifado. 17. ( ) Enquanto se aguarda o aceite do material, que deve ter a ciência do fornecedor, não se deve movimentálo, no total ou em parte, embora o pagamento possa ocorrer parcialmente antes do aceite, que representa a segunda fase ou estágio da despesa. 18. ( ) O material que apenas depende de conferências com os termos do pedido do documento de entrega será recebido e aceito pelo encarregado do almoxarifado ou por servidor designado para esse fim. Se o material depender, também, de exame qualitativo, o encarregado do almoxarifado, ou servidor designado, indicará essa condição no documento de entrega do fornecedor e solicitará ao departamento de administração ou à unidade equivalente esse exame, para a respectiva aceitação. 19. ( ) Carga é a efetiva responsabilidade pela guarda e uso de material pelo seu consignatário, sendo que o material somente assim será considerado, no almoxarifado, após o cumprimento das formalidades de recebimento e aceitação. 20. ( ) Toda movimentação de entrada e saída de carga deve ser objeto de registro, quer trate de material de consumo nos almoxarifados, quer trate de equipamentos ou material permanente em uso pelo setor competente. Em ambos os casos, a ocorrência de tais registros está condicionada à apresentação de documentos que os justifiquem. Professor Luis Octavio - Página 15

16 21. ( ) A supervisão e o controle da distribuição racional do material requisitado é de competência do departamento de administração ou de unidade equivalente, devendo obedecer aos critérios de consumo médio de cada setor da unidade, com a finalidade de evitar, sempre que possível, a demanda reprimida e a conseqüente ruptura de estoque. 22. ( ) Inventário inicial é aquele destinado a comprovar a quantidade e o valor dos bens patrimoniais do acervo de toda unidade gestora, existente em 31 de dezembro de cada exercício, sendo constituído do inventário anterior e das variações patrimoniais ocorridas durante o exercício. 23. ( ) Nos inventários destinados a atender as exigências do órgão fiscalizador (sistema de controle interno), os bens móveis (material de consumo, equipamentos, material permanente e semoventes) serão agrupados segundo as categorias patrimoniais constantes do plano de contas único. 24. ( ) A inservibilidade ocorre quando o patrimônio efetua a baixa dos bens sucateados, de acordo com informação contida no processo da comissão de desfazimento de bens. Nesse caso, os bens podem ser abandonados ou inutilizados, emitindo-se os respectivos termos de justificativa de abandono ou de inutilização, que serão assinados também pelo administrador. 25. ( ) Nenhum equipamento ou material permanente poderá ser distribuído à unidade requisitante sem a respectiva carga, que se efetiva com o competente termo de responsabilidade, assinado pelo consignatário, ressalvados aqueles de pequeno valor econômico, que deverão apenas ser relacionados. Considere o seguinte consumo de determinado material. 60 unidades em março 98 unidades em agosto 70 unidades em abril 98 unidades em setembro 85 unidades em maio 102 unidades em outubro 88 unidades em junho 105 unidades em novembro 94 unidades em julho 111 unidades em dezembro 26. Com base nos dados acima e considerando que os estudos acerca de estoques dependem da previsão do consumo de material, assinale a opção incorreta. A Com base no método da média com ponderação exponencial, apenas o consumo do mês de dezembro será utilizado na fórmula de cálculo da previsão do consumo para o mês de janeiro. B Para reduzir a influência do baixo consumo nos meses de março e abril na previsão de consumo para janeiro, é correto utilizar o método da média móvel ponderada, caracterizado pela aplicação de pesos maiores aos dados de consumo mais novos e pesos menores aos dados mais antigos. C Com base no método da média móvel para 3 períodos, a previsão de consumo para janeiro é superior a 111 unidades por causa da tendência crescente de consumo. D Com base no método do último período, a previsão de consumo para janeiro é de 111 unidades. QUESTÃO A coordenação das atividades de aquisição, guarda, movimentação e distribuição de materiais é responsabilidade da administração de materiais. Com relação a esse assunto, assinale a opção correta. A A ocorrência de custos de armazenagem depende da existência de materiais em estoque e do tempo de permanência desses materiais no estoque. B Se determinado material tem consumo mensal de 30 unidades, tempo de reposição e estoque mínimo de um mês e inexistem pedidos pendentes de atendimento desse material, então seu ponto de pedido é igual a 90 unidades. C Ruptura de estoque é o termo que caracteriza nível de estoque igual a zero e impossibilidade de atendimento a uma necessidade de consumo. D Para uma adequada gestão de materiais essenciais ao funcionamento de suas operações, as organizações devem maximizar os investimentos em estoque desses materiais. QUESTÃO Ainda acerca da administração de materiais, julgue os itens que se seguem. I Materiais que requerem cuidados especiais na armazenagem e no transporte são classificados como materiais críticos. II Os códigos de ética do setor de compras devem ser de conhecimento dos fornecedores para que eles possam reclamar no caso de qualquer ato lesivo. III Gerenciamento da cadeia de suprimentos (suply chain management) é uma técnica de administração de materiais cujo principal objetivo é a manutenção de baixos níveis de materiais em estoque. IV Na negociação de compras, o negociador deve ter como princípio o fato de que, após o acordo final e a assinatura do contrato, os itens negociados não devem ser alterados. Estão certos apenas os itens A I e II. B I e III. C II e IV. D III e IV. Professor Luis Octavio - Página 16

17 29. A administração de materiais é o conjunto de atividades responsável pela coordenação das atividades de aquisição, guarda e distribuição de materiais. A esse respeito, assinale a opção incorreta. A Eventuais problemas de estoque gerados por atraso na entrega ou aumento no consumo são solucionados com a utilização do estoque de segurança. B As responsabilidades da unidade de compras iniciam-se na definição do que comprar e vão até a entrega às unidades que utilizarão os itens adquiridos. C O sistema just-in-time minimiza os problemas gerados por se manter grandes quantidades de materiais em estoque. D Na seleção de fornecedores, além do preço, outros critérios devem ser considerados, como capacidade produtiva, prazo de entrega e condições de pagamento. QUESTÃO Ainda acerca da administração de materiais, assinale a opção correta. A Curva dente de serra é um método de avaliação de estoques que focaliza o custo médio dos bens em estoque. B Os custos de armazenagem são mínimos quando a quantidade de materiais e o tempo de permanência em estoque chegam a zero. C Diz-se que determinado material tem sazonalidade de consumo quando apresenta variação irregular de consumo em determinados períodos. D Com o aumento da competitividade entre as empresas, a negociação de compras moderna é caracterizada pela disputa acirrada entre comprador e vendedor com a vitória de apenas um deles. TJRR Os recursos patrimoniais constituem os elementos primordiais para uma organização poder operar, produzir produtos e serviços que irão atender às demandas de mercado. Hamilton Pozo. Administração de recursos materiais e patrimoniais. 3.ª ed. São Paulo: Atlas, 2004, p A respeito de recursos patrimoniais, definido acima, julgue os itens a seguir. I Depreciação de um bem patrimonial é a perda de seu valor por causa do uso, obsolescência ou deterioração. O cálculo da depreciação é embasado em parâmetros definidos pela organização detentora do bem. II Patentes e direitos autorais são recursos patrimoniais intangíveis. III A vida útil de um bem patrimonial é o período em que o bem consegue exercer as funções que dele se espera e independe da sua forma de utilização. IV A vida econômica dos recursos patrimoniais representa o período de tempo até que eles atinjam seu menor custo de operação. Estão certos apenas os itens A I e II. B I e III. C II e IV. D III e IV. QUESTÃO Administrar recursos escassos tem sido a preocupação dos gerentes, engenheiros, administradores e praticamente todas as pessoas direta ou indiretamente ligadas às atividades produtivas, tanto na produção de bens quanto na prestação de serviços. Petrônio Garcia Martins e Paulo Renato Campos Alt. Administração de materiais e recursos patrimoniais. São Paulo: Saraiva, 2000, p. 4. Considerando o assunto abordado no texto acima, assinale a opção incorreta. A O problema da conduta ética apresenta uma dimensão bastante relevante na área de compras das organizações. Para minimizar a ocorrência desse problema, os códigos de conduta ética em compras devem contemplar as atitudes do pessoal das áreas técnicas responsáveis pelas especificações dos bens a serem comprados. B O gerenciamento da cadeia de suprimentos, um método moderno de controle da produção e distribuição, tem como objetivo principal obter a satisfação do cliente quanto a tempo, qualidade e quantidade. C Sistema just in time é um método de produção que busca manter baixos os custos de estoque. D Para obtenção dos melhores resultados, em uma negociação com fornecedores para aquisição de diversos itens, é importante que os compradores apresentem claramente todas as informações acerca de seus interesses, necessidades e pressões em relação à compra. mês unidades janeiro 88 fevereiro 76 março 89 abril 91 maio 96 junho 100 Professor Luis Octavio - Página 17

18 33. Considerando a tabela acima, que apresenta a situação de consumo de determinado material em uma empresa, assinale a opção correta acerca da administração de material. A Considerando os dados da tabela, se for utilizado o método da média móvel para 4 períodos, a previsão de consumo do material para julho será de 90 unidades. B Considerando os dados da tabela, para prever corretamente o consumo de julho com base na média com ponderação exponencial, devem ser utilizados apenas os dados de abril, maio e junho. C Os registros de estoque têm como objetivo controlar os volumes físicos e financeiros armazenados. Entre os métodos de avaliação de estoques, incluem-se PEPS, UEPS, custo médio e curva dente de serra. D Para cobrir eventuais faltas de materiais, as organizações devem calcular e utilizar o estoque mínimo ou estoque de segurança. A respeito de noções de administração de material, julgue os próximos itens. 34. Considere a seguinte movimentação hipotética de determinado material em uma empresa: 10/8: entrada de 100 unidades ao valor unitário de R$ 11,00; 20/8: entrada de 50 unidades ao valor unitário de R$ 10,00; 30/8: saída de 100 unidades; 10/9: entrada de 70 unidades ao valor unitário de R$ 9,00; 20/9: saída de 40 unidades. Com base nos dados acima e considerando a avaliação de estoques pelo método PEPS, o valor do estoque em 21/9 é superior a de R$ 800, O sistema just-in-time é um método de gestão de estoques destinado a reduzir a probabilidade de desabastecimento do setor produtivo em função da maximização dos volumes em estoque. Considera-se que há sazonalidade no consumo de determinado bem quando seus dados referentes ao consumo apresentam variação regular em alguns períodos. 36. É correto utilizar a curva ABC para classificar materiais em função do valor e da quantidade de consumo. 37. A soma do estoque de segurança com o lote de compra resulta no estoque máximo. Consistentes estudos de estoques têm seu início na previsão do consumo de material. Nesse sentido, considere o seguinte consumo de determinado material. Com base nessas informações, julgue os itens a seguir. 38. Caso tivesse sido empregado o método da média móvel para 3 períodos para se calcular a previsão de consumo para o mês de abril, então o valor previsto teria sido superior ao consumo efetivo. 39. Caso seja utilizado o método da média móvel com ponderação exponencial para previsão do consumo em setembro, então os dados de junho, julho e agosto terão maior peso que os dados iniciais da série. Com base nos conceitos e aplicações relacionados à administração de recursos materiais, julgue os itens a seguir. 40. Considere-se que, para prever o consumo de um material, um gestor tenha resolvido adotar o método da média móvel. Nessa situação, sabendo-se que o consumo desse material foi de 53, 54, 60 e 57 peças nos últimos quatro períodos, e utilizando-se esse método para três períodos, a previsão de consumo do material para o próximo período é de 56 unidades. 41. Para trabalhar com estoque mínimo, é fundamental conhecer o tempo de reposição, que começa com a constatação da necessidade de reposição e termina com a entrega do material, compreendendo o ciclo de produção do fornecedor. Professor Luis Octavio - Página 18

19 42. Considere-se que, em uma análise das variações de materiais custo real versus custo-padrão, tenha sido verificado que a intenção era utilizar 5 unidades de matéria-prima por R$ 35,00 cada, mas tenham sido efetivamente utilizadas 7 unidades, sem variação de preço da unidade. Nessa situação, é correto concluir que ocorreu uma variação desfavorável de preço, de R$ 70, As variações desfavoráveis de quantidade podem ocorrer por várias razões, entre elas, a baixa qualificação da mão-de-obra, que aumenta consumo ou gera desperdícios, e equipamentos inadequados ou mal utilizados, que provocam perdas ou estragos. 44. Entre os parâmetros adotados na administração pública para se identificar um material como permanente, inclui-se a perecibilidade, que procura definir se o uso desse material acarreta modificações ou deterioração de sua característica normal. 45. A administração pública pode ceder os bens constantes de seu patrimônio, a título oneroso ou gratuito, mediante contrato. A permissão de uso é concedida por prazo determinado a pessoa jurídica de direito privado, sem remuneração ou encargos, caracterizada apenas a responsabilidade pela guarda e utilização do bem. 46. Por meio da curva ABC, considerada importante instrumento para o administrador, pode-se selecionar materiais de tal maneira que se estabeleça uma relação inversa entre o valor relativo de cada classe e a respectiva quantidade de itens. 47. Ao contrário da abordagem tradicional dos sistemas de produção, o just in time caracteriza-se como um sistema no qual qualquer movimento de produção somente é liberado na medida da necessidade sinalizada pelo usuário da peça ou do componente em fabricação. 48. Considere-se que uma empresa mantenha estoque médio de R$ ,00, cujo custo das vendas tenha sido de R$ ,00 e as mercadorias sejam vendidas com 50% de lucro sobre o custo. Considere-se, ainda, que, para aumentar suas vendas em 1/3, essa empresa admita reduzir seu lucro sobre o custo à metade. Nessa situação, para manter o mesmo estoque médio, a empresa terá de aumentar o quociente de rotação do estoque em 20%. 49. Do ponto de vista da análise de risco, prazo médio de rotação dos estoques é um indicador que se traduz por quanto maior, melhor, mantidos constantes os demais fatores. GABARITO 1) E. Durante a fase de processamento da produção não existe matéria-prima e sim material em processo, ao final da produção teremos material do tipo produto acabado. 2) C 3) E. O custo de capital é o valor que é deixado de ganhar em conseqüência ao capital estar investido em estoque ao invés de outra aplicação. Sendo assim, esse custo não aumenta o custo geral. 4) E. Depósito é um lugar temporário para armazenar materiais, com destinação já determinada. 5) E. Suprimento é o ato do almoxarifado de fornecer o material necessário para o funcionamento das unidades administrativas. 6) C 7) C 8) C 9) E. Não influem nos custos finais. 10) C 11) E. Giro de estoque é a quantidade de vezes que o estoque é renovado. 12) C 13) E. Isso porque todos os períodos terão os mesmos pesos. 14) C 15) E. O tempo de reposição é até a chegada do produto no almoxarifado. 16) E. Não obrigatoriamente o registro será feito pelo almoxarifado. 17) E. O material só pode ser pago (3 fase) após o aceite (2 fase - liquidação) 18) C 19) C 20) C 21) C 22) E. Inventário Inicial é realizado quando há criação de unidade gestora. O conceito é o de inventário anual. 23) C 24) C 25) C 26) C. Para calcular a previsão segundo a média móvel basta somar os consumos dos três últimos períodos e dividir por três (média aritmética). ( )/3 = 106, ou seja, inferior a ) C A) Não depende da existência de materiais. B) Pp = C X T + Em = 30 X = 60 unidades. C) C. D) Devem minimizar os investimentos. Professor Luis Octavio - Página 19

20 28) A I C. II C. III E. SCM é o sistema que possui a finalidade de manter a empresa suprida dos materiais necessários, levando-se em consideração do fornecedor do fornecedor até o cliente do cliente. IV E. A não alteração depende do contrato firmado. 29) B. A definição do que comprar não é responsabilidade da unidade de compras e sim da unidade administrativa solicitante. 30) B A) E. Curva dente de serra é um gráfico que demonstra o consumo durante um período, utilizando-se ou não estoque mínimo para que não aconteça a ruptura de estoque. B) C. C) E. Apresenta variação regular em determinados períodos. D) E. Pelo contrário a negociação de compras moderna tende a beneficiar os dois lados e não apenas um deles. 31) C I E. É o que governo que define os percentuais de depreciação. II C. III E. Depende da forma de utilização. IV C. 32) D. Pressões em relação à compra não devem ser informados aos fornecedores. 33) D A) E. Previsão = ( )/4 = 94 B) E. Só utiliza o consumo e previsão do mês anterior. C) E. Curva dente de serra não é método de avaliação de estoque. D) C. 34) E DATA ENTRADA SAÍDA SALDO QUANT VU VT QUANT VU VT QUANT VT 10/ / / / / TOTAL ) E. Não utiliza maximização dos volumes do estoque, pelo contrário tenta reduzir os estoques. 36) C 37) C. EM = (Q x I = LOTE DE COMPRA) + Em = LC + Em 38) E. Previsão abril = (Cjan+Cfev+Cmar)/3 = ( )/3 = 60 que é inferior a 75 (consumo real de abril). 39) E. Só é utilizado os dados do último período, no caso agosto. 40) E. Previsão = ( )/3 = 57 e não de 56 unidades. 41) C 42) E. O custo foi superior ao previsto em 2 X 35 = 70,00, mas isso não é preço. 43) C 44) C 45) E. Permissão de uso não possui prazo determinado e sim o comodato. 46) C 47) C 48) E. Giro = VENDAS/EM Giro1= [ (50%* )]/ = 7,5 Lucro pela metade = /2 = Giro2 = [ ]/ = 6,25 Se aumentar o giro1 em 20% = 7,5 + 20%*7,5 = 9 que é diferente de 6,25. 49) E. Prazo médio de renovação é o espaço de tempo que o estoque suporta sem ter que ser renovado. Quanto maior esse prazo mais gastos serão necessários, inclusive pois o custo de risco (risco de perda de material por perecibilidade, obsolescência, furtos, roubos, sinistro). Sendo assim, quanto maior pior será. PROVA CESPE 3 ADMIMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS Professor Luis Octavio - Página 20

Administração de Materiais MPU Prof. Wendell Léo w.castellano@ig.com.br

Administração de Materiais MPU Prof. Wendell Léo w.castellano@ig.com.br Administração de Materiais MPU Prof. Wendell Léo w.castellano@ig.com.br 01.A ocorrência de custos de armazenagem depende da existência de materiais em estoque e do tempo de permanência desses materiais

Leia mais

Administração de Materiais

Administração de Materiais Administração de Materiais vanessa2010.araujo@gmail.com EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO Subsistemas Adm. Materiais 1) (CESPE-SGA/AC 2008) A Administração de materiais busca coordenar os estoques e a movimentação

Leia mais

Modulo 01 Exercícios Gestão de Materiais

Modulo 01 Exercícios Gestão de Materiais QUESTÕES DE CONCURSOS Acerca de planejamento e controle da produção, e gestão da cadeia de suprimentos, julgue os seguintes itens. 01. A importância do planejamento da produção decorre principalmente da

Leia mais

Professor Márcio Micheli. Administração de Recursos Materiais. Questões CESPE

Professor Márcio Micheli. Administração de Recursos Materiais. Questões CESPE 1. A ocorrência de custos de armazenagem depende da existência de materiais em estoque e do tempo de permanência desses materiais no estoque. 2. Materiais que requerem cuidados especiais na armazenagem

Leia mais

Administração de Recursos Materiais

Administração de Recursos Materiais Administração de Recursos Materiais Prof. Cid Roberto prof.bancario@gmail.com 1. (TSE/2006) A ocorrência de custos de armazenagem depende da existência de materiais em estoque e do tempo de permanência

Leia mais

Recursos Materiais 1

Recursos Materiais 1 Recursos Materiais 1 FCC - 2008 No processo de gestão de materiais, a classificação ABC é uma ordenação dos itens consumidos em função de um valor financeiro. São considerados classe A os itens de estoque

Leia mais

Professor Márcio Micheli. Administração de Recursos Materiais. Questões CESPE

Professor Márcio Micheli. Administração de Recursos Materiais. Questões CESPE 1. (TSE 2006) A ocorrência de custos de armazenagem depende da existência de materiais em estoque e do tempo de permanência desses materiais no estoque. 2. (TSE 2006) Materiais que requerem cuidados especiais

Leia mais

Assegurar o suprimento adequado de matéria-prima, material auxiliar, peças e insumos ao processo de fabricação;

Assegurar o suprimento adequado de matéria-prima, material auxiliar, peças e insumos ao processo de fabricação; 2. ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS Área da Administração responsável pela coordenação dos esforços gerenciais relativos às seguintes decisões: Administração e controle de estoques; Gestão de compras; Seleção

Leia mais

Coletânea de questões para BACEN CESPE PARTE 2 RECURSOS MATERIAIS. Prof. Gilberto Porto

Coletânea de questões para BACEN CESPE PARTE 2 RECURSOS MATERIAIS. Prof. Gilberto Porto Coletânea de questões para BACEN CESPE PARTE 2 RECURSOS MATERIAIS Prof. Gilberto Porto Recursos Materiais Prova: CESPE - 2013 - MPU - Técnico AdministraMvo Na figura, a curva ABC representa uma situação

Leia mais

Operações Terminais Armazéns. PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007.

Operações Terminais Armazéns. PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007. Operações Terminais Armazéns AULA 3 PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007. A Gestão de Estoques Definição» Os estoques são acúmulos de matériasprimas,

Leia mais

MPU Gestão de Materiais Parte 03 Janilson Santos

MPU Gestão de Materiais Parte 03 Janilson Santos MPU Gestão de Materiais Parte 03 Janilson Santos 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAL PROF.: JANILSON EXERCÍCIOS CESPE 1) (TJ-DF Técnico)

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE

GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Prof. Rafael Roesler Aula 5 Sumário Classificação ABC Previsão de estoque Custos

Leia mais

MANUAL DO ALMOXARIFADO

MANUAL DO ALMOXARIFADO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO CAMPUS BOM JESUS DA LAPA BR 349 - Km 14 Zona Rural - Caixa Postal 34

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 11

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 11 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 11 Questões sobre o tópico Administração de Materiais. Olá Pessoal, Hoje veremos um tema muito solicitado para esse concurso do MPU! Administração de Materiais.

Leia mais

Definir os procedimentos para gestão dos bens e materiais do TJAC.

Definir os procedimentos para gestão dos bens e materiais do TJAC. Código: MAP-DILOG-004 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Bens e Materiais Aprovado por: Diretoria de Logística 1 OBJETIVO Definir os procedimentos para gestão dos bens e

Leia mais

CONTROLE DE ESTOQUES Todo erro gerencial acaba gerando estoque.

CONTROLE DE ESTOQUES Todo erro gerencial acaba gerando estoque. CONTROLE DE ESTOQUES Todo erro gerencial acaba gerando estoque. RAZÕES PARA MANTER ESTOQUES A armazenagem de mercadorias prevendo seu uso futuro exige investimento por parte da organização. O ideal seria

Leia mais

Unidade I GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA. Prof. Léo Noronha

Unidade I GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA. Prof. Léo Noronha Unidade I GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA Prof. Léo Noronha A administração de materiais A administração de materiais procura conciliar as necessidades de suprimentos com a otimização dos recursos financeiros

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES E CONTRATOS Nº 003/2015.

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES E CONTRATOS Nº 003/2015. INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES E CONTRATOS Nº 003/2015. DISPÕE SOBRE O PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE ESTOQUE, QUANTO AO RECEBIMENTO, ARMAZENAGEM, ENVIO DE MATERIAIS ADQUIRIDOS PELA

Leia mais

Ementa e Cronograma Programático...

Ementa e Cronograma Programático... Ementa e Cronograma Programático... AULA 01 Estratégia de Operações e Planejamento Agregado AULA 02 Planejamento e Controle de Operações AULA 03 Gestão da Demanda e da Capacidade Operacional AULA 04 Gestão

Leia mais

PODER EXECUTIVO. Publicado no D.O. de 14.01.2014 DECRETO Nº 44.558 DE 13 DE JANEIRO DE 2014

PODER EXECUTIVO. Publicado no D.O. de 14.01.2014 DECRETO Nº 44.558 DE 13 DE JANEIRO DE 2014 Publicado no D.O. de 14.01.2014 DECRETO Nº 44.558 DE 13 DE JANEIRO DE 2014 REGULAMENTA A GESTÃO DOS BENS MÓVEIS INTEGRANTES DO PATRIMÔNIO PÚBLICO DO PODER EXECUTIVO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E DÁ OUTRAS

Leia mais

Administração de estoques. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia

Administração de estoques. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Administração de estoques Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Administração de estoques Cabe a este setor o controle das disponibilidades e das necessidades totais do processo produtivo, envolvendo não

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUE INTRODUÇÃO

GESTÃO DE ESTOQUE INTRODUÇÃO 1 GESTÃO DE ESTOQUE Marcela Maria Eloy Paixão Oliveira Acadêmica do Curso de Ciências Contábeis email: marcela_eloy_3@hotmail.com Rafaella Machado Rosa da Silva Acadêmica do Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/99-TJAP

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/99-TJAP INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/99-TJAP O Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Amapá, o Desembargador LUIZ CARLOS GOMES DOS SANTOS, no uso das suas atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 26,

Leia mais

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht Administração Logística e Administração de. Profª. Patricia Brecht Definição - Logística O termo LOGÍSTICA conforme o dicionário Aurélio vem do francês Logistique e significa parte da arte da guerra que

Leia mais

Principais desafios do administrador de materiais na empresa atual Problema de manutenção do estoque:

Principais desafios do administrador de materiais na empresa atual Problema de manutenção do estoque: ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS A logística e a administração de materiais Logística é uma operação integrada para cuidar de suprimentos e distribuição de produtos de forma racionalizada, o que significa planejar,

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ITIQUIRA INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL Nº 002/2013, DE 22 DE JANEIRO DE 2013.

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ITIQUIRA INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL Nº 002/2013, DE 22 DE JANEIRO DE 2013. INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL Nº 002/2013, DE 22 DE JANEIRO DE 2013. Versão nº 01 Aprovação em: 22/01/2013 Ato de Aprovação: Decreto Municipal nº 010/2013 Unidade Responsável: Departamento de Compras e Patrimônio/Comissão

Leia mais

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE. Profa. Lérida Malagueta

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE. Profa. Lérida Malagueta Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE PRODUÇÃO E OPERAÇÕES Profa. Lérida Malagueta Planejamento e controle da produção O PCP é o setor responsável por: Definir quanto e quando comprar Como fabricar ou montar cada

Leia mais

25/02/2009. Tipos de Estoques. Estoque de Materiais. Estoque de Produtos Acabados. Estoque em transito. Estoque em consignação

25/02/2009. Tipos de Estoques. Estoque de Materiais. Estoque de Produtos Acabados. Estoque em transito. Estoque em consignação MSc. Paulo Cesar C. Rodrigues paulo.rodrigues@usc.br Mestre em Engenharia de Produção Posicionamento em relação à Produção e Interação com outras áreas CQ FO ORNECEDORES Matéria Prima Material de Consumo

Leia mais

O CONTROLE DE ESTOQUE COMO FERRAMENTA COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES

O CONTROLE DE ESTOQUE COMO FERRAMENTA COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES 1 O CONTROLE DE ESTOQUE COMO FERRAMENTA COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES Cesar Paulo Lomba (Discente do 4º período de Tecnologia de Gestão Financeira das Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS) Maria Luzia

Leia mais

Palavras-chaves: Análise ABC, gestão de estoques, controle, diferencial.

Palavras-chaves: Análise ABC, gestão de estoques, controle, diferencial. ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS DE GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA PRODUTORA DE BEBIDAS, COMO AUXÍLIO À GESTÃO DA LOGÍSTICA DE MATERIAIS EM UM CENÁRIO DE DEMANDA VARIÁVEL Eduardo Bezerra dos Santos

Leia mais

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem e controle Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem Armazenagem e manuseio de mercadorias são componentes essenciais do conjunto de atividades logísticas.seus custos podem absorver

Leia mais

O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS

O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS Gestão Estratégica de Estoques/Materiais Prof. Msc. Marco Aurélio C. da Silva Data: 22/08/2011 O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS 2 1 GESTÃO DE ESTOQUE Demanda Adequação do Estoque Investimento Série de ações

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 005/2011, de 19 de setembro de 2011.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 005/2011, de 19 de setembro de 2011. 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 005/2011, de 19 de setembro de 2011. Disciplina o recebimento, a armazenagem, a estocagem e a distribuição de materiais pelos almoxarifados da UDESC. O Pró-Reitor de Administração

Leia mais

PRIAD ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E LOGÍSTICA QUESTÕES SIMULADAS

PRIAD ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E LOGÍSTICA QUESTÕES SIMULADAS PRIAD - Adm. Materiais e Logística Prof. Célio 1 PRIAD ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E LOGÍSTICA QUESTÕES SIMULADAS QUESTÃO 1. Aponte a alternativa que não corresponde aos objetivos da Logística Empresarial

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Suprimentos. Controle de Estoque

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Suprimentos. Controle de Estoque Módulo Suprimentos Controle de Estoque Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Suprimentos Controle de Estoque. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

LOGÍSTICA. Curso: Gestão Comercial Prof. Daniel Rossi 1.0 UMA FUNÇÃO ESSENCIAL NA EMPRESA

LOGÍSTICA. Curso: Gestão Comercial Prof. Daniel Rossi 1.0 UMA FUNÇÃO ESSENCIAL NA EMPRESA Curso: Gestão Comercial Prof. Daniel Rossi LOGÍSTICA 1.0 UMA FUNÇÃO ESSENCIAL NA EMPRESA O conceito de Logística sempre envolve um fluxo de materiais de uma origem ou destino e, no outro sentido, um fluxo

Leia mais

Administração de Materiais e Logística. , Vendas CPD Cobrança PCP Expedição Faturamento. Completem o DHF. Melhoria Continua e Teste

Administração de Materiais e Logística. , Vendas CPD Cobrança PCP Expedição Faturamento. Completem o DHF. Melhoria Continua e Teste , Vendas CPD Cobrança PCP Expedição Faturamento Completem o DHF Melhoria Continua e Teste As Organizações como Sistemas Abertos As organizações estão em um constante estado de fluxo. AMBIENTE Estagio de

Leia mais

GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS

GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Unidade I GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Prof. Fernando Leonel Conteúdo da aula de hoje 1. Planejamento e controle de estoques. 2. A importância dos estoques. 3. Demanda na formação dos estoques.

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUES. Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 4 Prof. Rafael Roesler

GESTÃO DE ESTOQUES. Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 4 Prof. Rafael Roesler GESTÃO DE ESTOQUES Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 4 Prof. Rafael Roesler Sumário Gestão de estoque Conceito de estoque Funções do estoque Estoque de segurança

Leia mais

Capítulo 2 Controle de Estoques, Classificações e Composição.

Capítulo 2 Controle de Estoques, Classificações e Composição. Capítulo 2 Controle de Estoques, Classificações e Composição. Celso Ferreira Alves Júnior eng.alvesjr@gmail.com 1. GESTÃO DE ESTOQUE A gestão de estoque é, basicamente, o ato de gerir recursos ociosos

Leia mais

TESTE RÁPIDO (ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS)

TESTE RÁPIDO (ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS) TESTE RÁPIDO (ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS) ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS A respeito da administração de recursos materiais, julgue os itens que se seguem. 1 - ( CESPE / ANS / 2013 / TÉCNICO

Leia mais

Andrés Eduardo von Simson Graduação e v r iç i os D s i ney Background Hopi Hari Hilton Brasilton Maksoud Plaza

Andrés Eduardo von Simson Graduação e v r iç i os D s i ney Background Hopi Hari Hilton Brasilton Maksoud Plaza ENGENHARIA DE NEGÓCIOS I GESTÃO ESTRATÉGICA DE ESTOQUES AULA I Prof. Andrés E. von Simson 2009 PROFESSOR Andrés Eduardo von Simson Graduação Adm. Hoteleira Adm. de Empresas Docência pela FGV Especialização

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 12/2010

RESOLUÇÃO Nº 12/2010 RESOLUÇÃO Nº 12/2010 Dispõe sobre a incorporação, carga patrimonial, movimentação, controle, responsabilização, conservação, recuperação, baixa, reaproveitamento e alienação de bens permanentes no âmbito

Leia mais

ATA Assistente Técnico Administrativo Gestão de Materiais Questões Giovanna Carranza

ATA Assistente Técnico Administrativo Gestão de Materiais Questões Giovanna Carranza 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA Assistente Técnico Administrativo Gestão de Materiais Questões Giovanna Carranza GESTÃO DE MATERIAIS Acerca de planejamento

Leia mais

Objetivos da Adm. de Estoque 1. Realizar o efeito lubrificante na relação produção/vendas

Objetivos da Adm. de Estoque 1. Realizar o efeito lubrificante na relação produção/vendas 1 Objetivos da Adm. de Estoque 1. Realizar o efeito lubrificante na relação produção/vendas Aumentos repentinos no consumo são absorvidos pelos estoques, até que o ritmo de produção seja ajustado para

Leia mais

Unioeste Diretoria de Concursos

Unioeste Diretoria de Concursos Unioeste Diretoria de Concursos 9º Concurso Público para o Provimento de Cargos Públicos para Atuação no Hospital Universitário do Oeste do Paraná (HUOP) PROVA OBJETIVA Técnico Administrativo Instruções

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP Prof a. Nazaré Ferrão

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP Prof a. Nazaré Ferrão Centro Ensino Superior do Amapá Curso de Administração Disciplina: ADM. DE REC. MATERIAIS E PATRIMONIAIS Professor: NAZARÉ DA SILVA DIAS FERRÃO Aluno: Turma: 5 ADN FRANCISCHINI, Paulino G.; GURGEL, F.

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO

GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO GESTÃO DE ESTOQUE - 1 - Jéssica Taiani do Amaral - jessicataiani@hotmail.com Laurinda Oliveira Dourado - RESUMO A gestão de estoques é um assunto vital e, freqüentemente, absorve parte substancial do orçamento

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16(R1) Estoques

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16(R1) Estoques COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16(R1) Estoques Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 2 (IASB) Índice Item OBJETIVO 1 ALCANCE 2 5 DEFINIÇÕES 6 8 MENSURAÇÃO

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE ALMOXARIFADO. Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 7 Prof. Rafael Roesler

NOÇÕES BÁSICAS DE ALMOXARIFADO. Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 7 Prof. Rafael Roesler NOÇÕES BÁSICAS DE ALMOXARIFADO Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 7 Prof. Rafael Roesler Sumário Introdução O Almoxarifado conceito Organização do Almoxarifado: Recebimento Armazenagem

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas. Módulo: Administração de Materiais. Profª Neuza

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas. Módulo: Administração de Materiais. Profª Neuza FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo: Administração de Materiais Profª Neuza Aula Anterior: Cadastramento de Materiais CADASTRAMENTO DE MATERIAIS O QUE É??? O CADASTRAMENTO DE MATERIAIS

Leia mais

Módulo 3 Custo e nível dos Estoques

Módulo 3 Custo e nível dos Estoques Módulo 3 Custo e nível dos Estoques O armazenamento de produtos produz basicamente quatro tipos de custos. 1. Custos de capital (juros, depreciação) 2. Custos com pessoal (salários, encargos sociais) 3.

Leia mais

Unidade IV. Processo de inventário (Típico) Definir duplas de inventários. Aguardar segunda contagem. Não. Segunda dupla?

Unidade IV. Processo de inventário (Típico) Definir duplas de inventários. Aguardar segunda contagem. Não. Segunda dupla? GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Unidade IV 4 PROCESSO DE INVENTÁRIO FÍSICO Para Martins (0), consiste na contagem física dos itens de estoque. Caso haja diferenças entre o inventário físico

Leia mais

Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR.

Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR. Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR. Barbara Monfroi (Unioeste) bmonfroi@gmail.com Késsia Cruz (Unioeste) kessia.cruz@hotmail.com

Leia mais

Função: Operação da Cadeia de materiais. 1.1 Identificar princípios da organização da área de materiais.

Função: Operação da Cadeia de materiais. 1.1 Identificar princípios da organização da área de materiais. MÓDULO II Qualificação Técnica de Nível Médio ASSISTENTE DE LOGÍSTICA II.1 Gestão de Recursos e Materiais Função: Operação da Cadeia de materiais 1. Contextualizar a importância da Administração de materiais

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE NORTELÂNDIA CNPJ 15.061.773/0001-55

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE NORTELÂNDIA CNPJ 15.061.773/0001-55 PORTARIA N.º 012/GP/2010 DE 01 DE SETEMBRO DE 2.010. Dispõe sobre o controle e a baixa do material permanente e de consumo no âmbito do Poder Legislativo e nomeia a Comissão de Reavaliação, Baixa, Registro,

Leia mais

Marketing. Gestão de Produção. Gestão de Produção. Função Produção. Prof. Angelo Polizzi

Marketing. Gestão de Produção. Gestão de Produção. Função Produção. Prof. Angelo Polizzi Marketing Prof. Angelo Polizzi Gestão de Produção Gestão de Produção Objetivos: Mostrar que produtos (bens e serviços) consumidos, são produzidos em uma ordem lógica, evitando a perda ou falta de insumos

Leia mais

INVENTÁRIO ANUAL. Exercício 2011. Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes

INVENTÁRIO ANUAL. Exercício 2011. Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes INVENTÁRIO ANUAL Exercício 2011 Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes Elaboração: Fernando de Souza Guimarães : 3409-4674 / 3409-4675 : dimat@dsg.ufmg.br Belo Horizonte, 2011 SUMÁRIO

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL Tangará da Serra Estado de Mato Grosso

CÂMARA MUNICIPAL Tangará da Serra Estado de Mato Grosso PORTARIA Nº 005, DE 06 DE JANEIRO DE 2014. O Vereador WELITON ÚNGARO DUARTE, Presidente da Câmara Municipal de Tangará da Serra, Estado de Mato Grosso, usando das atribuições que lhe são conferidas pelo

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 Versão: 01 Data de aprovação: 7 de outubro de 2014. Ato de aprovação: Resolução n.º 112 /2014 Unidade

Leia mais

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO Nos dias atuais, uma das áreas que mais se desenvolvem dentro das organizações sem dúvida é a Gestão dos Estoques,

Leia mais

Capítulo 1 Conceitos e Gestão de Estoques

Capítulo 1 Conceitos e Gestão de Estoques Capítulo 1 Conceitos e Gestão de Estoques Celso Ferreira Alves Júnior eng.alvesjr@gmail.com 1. GESTÃO DE ESTOQUE 1.1 Conceito de Gestão de estoques Refere-se a decisões sobre quando e quanto ressuprir

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16. Estoques. Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 2 (IASB)

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16. Estoques. Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 2 (IASB) COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 Estoques Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 2 (IASB) Índice Item OBJETIVO 1 ALCANCE 2 5 DEFINIÇÕES 6 8 MENSURAÇÃO

Leia mais

QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE

QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE *Envie o nome de seu grupo, dos integrantes e um telefone de contato junto com as respostas do questionário abaixo para o e-mail COMMUNICATIONS.SLA@SCANIA.COM*

Leia mais

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO Carla Milanesi de Oliveira Carla_mila_lala@hotmail.com CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO Nos dias atuais, uma das áreas que mais se desenvolvem dentro das organizações sem dúvida é a Gestão dos Estoques,

Leia mais

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem e controle Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem Armazenagem e manuseio de mercadorias são componentes essenciais do conjunto de atividades logísticas.seus custos podem absorver

Leia mais

Recursos Materiais e Patrimoniais

Recursos Materiais e Patrimoniais Recursos Materiais e Patrimoniais Professor conteudista: Jean Carlos Cavaleiro Sumário Recursos Materiais e Patrimoniais Unidade I 1 OS RECURSOS...2 1.1 Administração de materiais...6 1.1.1 Medida de desempenho...6

Leia mais

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE SUMÁRIO O que é gestão de estoque...3 Primeiros passos para uma gestão de estoque eficiente...7 Como montar um estoque...12 Otimize a gestão do seu estoque...16

Leia mais

Manual de Logística ISGH

Manual de Logística ISGH Manual de Logística ISGH Página 1 ELABORAÇÃO Juniana Torres Costa Gerente do Núcleo de Logística ISGH FORMATAÇÃO Comunicação Visual ISGH DATA Novembro de 2014 Manual de Logística ISGH Página 2 SUMÁRIO

Leia mais

Administrando Estoques e Processos Adequadamente

Administrando Estoques e Processos Adequadamente Administrando Estoques e Processos Adequadamente Estoque é Dinheiro Planeje e Controle seus Estoques Rev - 1105 Engº JULIO TADEU ALENCAR e-mail: jtalencar@sebraesp.com.br 1 Serviço de Apoio às Micro e

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 205, DE 08 DE ABRIL DE 1988

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 205, DE 08 DE ABRIL DE 1988 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 205, DE 08 DE ABRIL DE 1988 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Gabinete do Ministro O MINISTRO-CHEFE DA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DA PRESIDÊNCIA

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE JANGADA

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE JANGADA PORTARIA Nº. 006/2014 Dispõe sobre a nomeação de comissão especial de inventário físico, contábil e baixa do patrimônio público no âmbito da Câmara Municipal de Jangada MT. O Presidente da Câmara Municipal

Leia mais

Câmara Municipal dos Barreiros

Câmara Municipal dos Barreiros Barreiros, 30 de Abril de 2010 SISTEMA DE CONTROLE INTERNO Ofício nº 006/2010 SCI EXMO. SR. JOSÉ GERALDO DE SOUZA LEÃO M.D. Presidente da Câmara de Vereadores dos Barreiros NESTA O Coordenador do Sistema

Leia mais

II - transferência: modalidade de movimentação de bens, com troca de responsabilidade, dentro da mesma empresa ou Administração Portuária;

II - transferência: modalidade de movimentação de bens, com troca de responsabilidade, dentro da mesma empresa ou Administração Portuária; RESOLUÇÃO Nº 443-ANTAQ, DE 07 DE JUNHO DE 2005. DISPÕE SOBRE A DESINCORPORAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE BENS DA UNIÃO SOB A GUARDA E RESPONSABILIDADE DAS ADMINISTRAÇÕES PORTUÁRIAS. O DIRETOR-GERAL DA AGÊNCIA

Leia mais

Gestão de Recursos Materiais e Controle Patrimonial

Gestão de Recursos Materiais e Controle Patrimonial Página 1 Professor Luis Octavio Administração de Materiais Gestão de Recursos Materiais e Controle Patrimonial 1. Conceito É o Sistema Integrado que se destina a dotar a administração dos meios necessários

Leia mais

UMA ABORDAGEM DE CUSTOS NA FORMAÇÃO DE ESTOQUES

UMA ABORDAGEM DE CUSTOS NA FORMAÇÃO DE ESTOQUES UMA ABORDAGEM DE CUSTOS NA FORMAÇÃO DE ESTOQUES Fernando Santos Carlomagno (G-UEM) Resumo Este trabalho trabalhar o tema uma abordagem custos na formação de estoques, nele através de pesquisa iremos relatar

Leia mais

NPC 7 ATIVO IMOBILIZADO. Objetivo

NPC 7 ATIVO IMOBILIZADO. Objetivo NPC 7 ATIVO IMOBILIZADO Objetivo 1 O objetivo deste Pronunciamento é determinar o tratamento contábil para o ativo imobilizado. As principais questões na contabilização do ativo imobilizado são: a) a época

Leia mais

Prof. Me. Vítor Hugo Dias da Silva

Prof. Me. Vítor Hugo Dias da Silva Prof. Me. Vítor Hugo Dias da Silva Programação e Controle da Produção é um conjunto de funções inter-relacionadas que objetivam comandar o processo produtivo e coordená-lo com os demais setores administrativos

Leia mais

Profa. Marinalva Barboza. Unidade IV RECURSOS MATERIAIS E

Profa. Marinalva Barboza. Unidade IV RECURSOS MATERIAIS E Profa. Marinalva Barboza Unidade IV RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS Custos dos estoques Para manter estoque, é necessário: quantificar; identificar. Quanto custa manter estoque? Quais os custos envolvidos

Leia mais

ESTOCAGEM. Processos e Serviços em Transporte. Curso Técnico em Logística Módulo II. Prof. Esp. Luís Teodoro Peixoto

ESTOCAGEM. Processos e Serviços em Transporte. Curso Técnico em Logística Módulo II. Prof. Esp. Luís Teodoro Peixoto ESTOCAGEM Processos e Serviços em Transporte Curso Técnico em Logística Módulo II Prof. Esp. Luís Teodoro Peixoto CONTEÚDO Vantagens de constituir estoques; Custos de Estoques: fixos e variáveis; Classificação

Leia mais

Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi. Logística Empresarial e Sistema Integrado. Objetivos do Tema. Logística

Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi. Logística Empresarial e Sistema Integrado. Objetivos do Tema. Logística Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi e Sistema Integrado Objetivos do Tema Apresentar: Uma visão da logística e seu desenvolvimento com o marketing. A participação da logística como elemento agregador

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Instrução Normativa CGM Nº 003/2013. Ementa: Dispõe sobre os procedimentos de recebimento, armazenagem, distribuição e controle de entradas e saídas de materiais de consumo no Almoxarifado Central da Administração

Leia mais

MRP COMO SISTEMA PROPULSOR DE MELHORIAS NA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS

MRP COMO SISTEMA PROPULSOR DE MELHORIAS NA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS ISSN 1984-9354 MRP COMO SISTEMA PROPULSOR DE MELHORIAS NA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS Jamile Pereira Cunha Rodrigues (UESC) Resumo Diante do atual cenário competitivo empresarial, as empresas estão buscando

Leia mais

DECRETO Nº 16.126 de 10 de novembro de2005

DECRETO Nº 16.126 de 10 de novembro de2005 DECRETO Nº 16.126 de 10 de novembro de2005 Dispõe sobre a classificação de material, para fins de controle do orçamento público e da descentralização da Gestão Patrimonial da administração direta do Município

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP Prof a. Nazaré Ferrão

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP Prof a. Nazaré Ferrão Centro Ensino Superior do Amapá Curso de Administração Disciplina: ADM. DE REC. MATERIAIS E PATRIMONIAIS Professor: NAZARÉ DA SILVA DIAS FERRÃO Aluno: Turma: 5 ADN FRANCISCHINI, Paulino G.; GURGEL, F.

Leia mais

MANUAL CONTROLE PATRIMONIAL

MANUAL CONTROLE PATRIMONIAL MANUAL CONTROLE PATRIMONIAL Parnaíba 2013 APRESENTAÇÃO A partir da vigência da Constituição de 1988, a Administração Pública passou a conviver com normas e leis mais rígidas de controle contábil, financeiro,

Leia mais

Logística e gestão de Redes de Surprimentos ADM 068. Professor Marcos Gilberto Dos-Santos Faculdade Anísio Teixeira

Logística e gestão de Redes de Surprimentos ADM 068. Professor Marcos Gilberto Dos-Santos Faculdade Anísio Teixeira Logística e gestão de Redes de Surprimentos ADM 068 Professor Marcos Gilberto Dos-Santos Faculdade Anísio Teixeira Programa da Disciplina I Unidade II Unidade Logística Visão geral e funções Suprimentos

Leia mais

Noções de Administração de Materiais

Noções de Administração de Materiais Noções de Administração de Materiais ANTES DA DÉCADA DE 70 POUCA IMPORTÂNCIA MATERIAL EM ABUNDÂNCIA COM POUCAS OPÇÕES CUSTOS BAIXOS DE MANTER OS ESTOQUES INVESTIMENTOS PARA AQUISIÇÃO DOS ESTOQUES CONSUMO

Leia mais

Artigo publicado na Revista CEPPG Nº 24 1/2011 ISSN 1517-8471 Páginas 37 à 44 RESUMO

Artigo publicado na Revista CEPPG Nº 24 1/2011 ISSN 1517-8471 Páginas 37 à 44 RESUMO CONTROLE DE QUALIDADE NA AVALIAÇÃO DE UM ESTOQUE Andre Luis de Souza Neto 1 RESUMO O presente trabalho justifica-se pela discussão do grande papel da avaliação e controle da qualidade de um estoque em

Leia mais

Unidade III GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS

Unidade III GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Unidade III 3 CUSTOS DOS ESTOQUES A formação de estoques é essencial para atender à demanda; como não temos como prever com precisão a necessidade, a formação

Leia mais

DECRETO 4.479 DE 01 DE AGOSTO DE 2013.

DECRETO 4.479 DE 01 DE AGOSTO DE 2013. DECRETO 4.479 DE 01 DE AGOSTO DE 2013. Dispõe sobre o controle e a baixa do material permanente e de consumo no âmbito da Prefeitura Municipal de Severínia e Autarquias, nomeia a Comissão de Reavaliação,

Leia mais

SUPLLY CHAIN MANAGEMENT NO AUXILIO DA IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE E VENDAS EM UMA MICRO EMPRESA

SUPLLY CHAIN MANAGEMENT NO AUXILIO DA IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE E VENDAS EM UMA MICRO EMPRESA SUPLLY CHAIN MANAGEMENT NO AUXILIO DA IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE E VENDAS EM UMA MICRO EMPRESA Amanda Acacia Rodrigues (UNIPAM) amandaacacia.r@gmail.com Andressa Moreira Soares

Leia mais

Administração de Materiais e Logística II.

Administração de Materiais e Logística II. A Administração de Material corresponde, no seu todo ao planejamento, organização, direção, coordenação e controle de todas as tarefas de aquisição, guarda, controle de aplicação dos materiais destinados

Leia mais

Controle de estoques. Capítulo 6. André Jun Nishizawa

Controle de estoques. Capítulo 6. André Jun Nishizawa Controle de estoques Capítulo 6 Sumário Conceito de estoque Tipos Sistemas de controle de estoques Fichas de estoque Classificação de estoque Dimensionamento de estoque Logística e Cadeia de suprimentos

Leia mais

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO 1/5 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Normatizar os procedimentos de entrada e saída de materiais adquiridos pelo Município; 1.2) Garantir recebimento dos materiais no que se refere a quantidade, qualidade e prazo

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

- Especificações; - Notas de entrega de produção; - Pedidos de Compra.

- Especificações; - Notas de entrega de produção; - Pedidos de Compra. PLANEJAMENTO, PROGRAMAÇÃO E CONTROLE DA PRODUÇÃO. CAPÍTULO 6 Planejamento, Programação e Controle da Produção (PPCP) é uma função técnica e administrativa que tem por objetivo fazer os planos que orientarão

Leia mais

Tribunal de Contas do Estado do Piauí

Tribunal de Contas do Estado do Piauí Tribunal de Contas do Estado do Piauí P R O C E D I M E N T O S A S E R E M O B S E R V A D O S Q U A N T O A O C O N T R O L E I N T E R N O M A R I A V A L É R I A S A N T O S L E A L A U D I T O R A

Leia mais

2. Esta Norma não se aplica também à mensuração dos estoques mantidos por:

2. Esta Norma não se aplica também à mensuração dos estoques mantidos por: NBC TSP 12 Estoques Objetivo 1. O objetivo deste Pronunciamento é estabelecer o tratamento contábil para os estoques. Uma questão fundamental na contabilização dos estoques é quanto ao valor do custo a

Leia mais

BROMBERGER, Dalton (UTFPR) daltonbbr@yahoo.com.br. KUMMER, Aulison André (UTFPR) aulisonk@yahoo.com.br. PONTES, Herus³ (UTFPR) herus@utfpr.edu.

BROMBERGER, Dalton (UTFPR) daltonbbr@yahoo.com.br. KUMMER, Aulison André (UTFPR) aulisonk@yahoo.com.br. PONTES, Herus³ (UTFPR) herus@utfpr.edu. APLICAÇÃO DAS TÉCNICAS DE PREVISÃO DE ESTOQUES NO CONTROLE E PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO DE MATÉRIA- PRIMA EM UMA INDÚSTRIA PRODUTORA DE FRANGOS DE CORTE: UM ESTUDO DE CASO BROMBERGER, Dalton (UTFPR) daltonbbr@yahoo.com.br

Leia mais