Índice EXPORTAÇÃO...11 REEMBOLSO DE CARTÃO DE CRÉDITO ANEXO Portaria CS 19/ Importação - realizada pelo Pesquisador...

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Índice EXPORTAÇÃO...11 REEMBOLSO DE CARTÃO DE CRÉDITO...15. ANEXO Portaria CS 19/2002...19 Importação - realizada pelo Pesquisador..."

Transcrição

1 1

2 Índice IMPORTAÇÃO Definição do Importador...2 Informações sobre: Agendamento...3 Proforma Invoice Importação via FAPESP...4 Encaminhamento de Proforma Invoice...6 Materiais Controlados...7 Entrega de Materiais...9 Geral contatos...10 EXPORTAÇÃO...11 REEMBOLSO DE CARTÃO DE CRÉDITO...15 ANEXO Portaria CS 19/ Importação - realizada pelo Pesquisador...20 FORMULARIOS Encaminhamento de proforma invoice...22 Animais não transgênicos ou do Grupo de Risco I...23 CNEN...24 Exportação para conserto (para encaminhamento da proforma invoice)...25 Exportação para troca (para encaminhamento da proforma invoice)...26 Laudo de exportação para conserto...27 Laudo da exportação para troca...28 Correspondência de exportação para conserto...29 Correspondência da exportação para troca...30 Correspondência referente a Garantia...31 Encaminhamento para solicitação de reembolso...32 Programa FAPLIVROS...33 Definição do Importador...34 Importação via FAPESP...35 Formulário encaminhamento de proforma invoice Importação via FAPESP...37 Importação via Pesquisador...38 Formulário encaminhamento de proforma invoice Importação via Pesquisador

3 Definição do Importador A FAPESP realiza importação/pagamento de serviço de terceiros no exterior: 1) dos processos que no campo de Observações do Termo de Outorga e Aceitação de Auxilio, constar a seguinte frase: Havendo concessão em moeda estrangeira, a aquisição de bens ou pagamento de serviços no exterior, será realizada pela FAPESP, devendo o Outorgado encaminhar a solicitação de agendamento para o endereço eletrônico 2) com recurso da alínea de Reserva Técnica do projeto de processos de Auxilio (não é válido para os processos de Bolsa). Neste caso, as despesas com a importação também são retiradas do montante concedido. 3) Importação de valor superior a USD 500,00. Importação realizada pelo Pesquisador/Instituição 1) quando necessário, o pesquisador pode realizar importação com recurso da alínea de reserva técnica de processo de Bolsa. 2) com recurso da alínea de Reserva Técnica do projeto de processos de Auxílio (sem necessidade de se fazer agendamento). 3) quando o valor da importação for igual ou inferior a USD 500,00. 3

4 Agendamento A solicitação de agendamento deve ser enviada para as importações ou exportações a serem realizadas pela FAPESP ou para as solicitações de reembolso de importação/pagamento efetuada pelo pesquisador com recurso concedido em moeda estrangeira nas alíneas de MPI - Material Permanente Importado, MCI - Material de Consumo Importado e STE -Serviço de Terceiros no Exterior. A solicitação pode ser enviada a partir do 5º dia útil da chegada na FAPESP do Termo de Outorga ou Aditivo devidamente assinado pelo pesquisador e dentro da vigência do projeto com tempo hábil para a realização de todo o procedimento.. A mensagem deve ser enviada para com os seguintes dados: - número do processo FAPESP; - item a ser agendado: MPI - só pode ser agendado item constante no Termo de outorga e respeitando a quantidade concedida. - deve ser informado o numero do item conforme Termo de Outorga. MCI informar somente a natureza (ex.: reagentes, membranas, colunas, etc), não precisa relacionar item a item. Quando se tratar de animais, informar se são transgênicos ou não STE informar se haverá embarque de material para a FAPESP ou não. Reserva Técnica informar se o valor corresponde a: - complementação de item concedido (e qual é o item); - se toda a importação (proforma invoice) será paga com recurso desta alínea; - e quando se tratar de pagamento de serviço, informar se haverá embarque de material para a FAPESP - informar quem fará a importação, caso não seja realizada pela FAPESP (Ex.: pelo pesquisador cartão de crédito) 4

5 Proforma Invoice Importação realizada pela FAPESP 1 - A proforma invoice deve ser emitida em papel timbrado; estar em nome da FAPESP: Ship to e Bill to: Fundação de Amparo a Pesquisa do estado de São Paulo Rua Pio XI, 1500 São Paulo SP Atn.: Processo FAPESP nº 1.3 -conter todas as informações do exportador e representante (caso haja): Nome completo, endereço, fone, fax, , domicílio bancário e comissão de agente; 1.4 conter o nome do aeroporto/porto de procedência destino final deve ser Aeroporto Internacional de Guarulhos/SP (aéreo) ou porto de Santos (marítimo) Incoterms: FCA (free Carrier) aeroporto de origem, no caso de aéreo, ou FOB para embarques marítimos. Exportador deve entregar a mercadoria no aeroporto/porto ou ao seu agente de cargas frete aéreo será pago no Brasil pela FAPESP (condição de embarque collect) seguro por conta do importador (FAPESP). 2 - Condições de pagamento aceitas pela FAPESP: - Cash Against Documents (Contra apresentação de documentos) - Sight Draft (a vista após desembaraço) - Net 30 days (Net 30 dias) - Letter of credit (carta de crédito) não aceita para materiais perecíveis, controlados e programa FAPLIVROS. Obs: A FAPESP não aceita pagamento antecipado. 3- Informações sobre os materiais: Quantidade, código de produto, descrição, valor unitário e valor total, peso líquido e bruto, temperatura de armazenamento, UM em caso de materiais perigosos. 5

6 Importante: 1 somente deve constar na proforma invoice os itens e nas quantidades que serão importadas; 2 materiais armazenados em temperatura ambiente não podem estar na mesma proforma de materiais que necessitem de armazenagem especial (perecíveis) 4- Condições de embarque PROIBIDAS: embarques parciais; 4.2 embarques via courier (UPS, FEDEX, DHL, TNT); 6

7 Encaminhamento da proforma invoice Importação via FAPESP Formulário disponível no site (formulário 1) Preencher corretamente todas as informações constantes no formulário. Importante: 1 - quando se tratar de pagamento de serviço de terceiros no exterior (ex.:software), informar se haverá embarque de materiais para a FAPESP ou não. 2 deve ser considerado o valor TOTAL da proforma invoice. - Proforma invoices com valor inferior o USD 500,00 não são importadas pela FAPESP; - Proforma Invoices com valor entre USD 500,01 e USD 1.000,00, para que a importação seja efetuada pela FAPESP, serão deduzidos USD 500,00 do processo para cobertura das despesas de importação; - Proforma invoices com valores entre USD 1.000,01 e USD ,00, onde a modalidade de pagamento seja carta de crédito (Letter of credit), serão deduzidos USD 450,00 para expedição da referida carta. 3 - Tradução dos itens, bem como associação dos mesmos ao Termo de Outorga. Identificar na própria proforma ao lado esquerdo de cada item sua associação ao termo de outorga. Formas de Envio As proforma invoices juntamente com a carta de encaminhamento devidamente preenchida e assinada pelo coordenador do projeto, podem ser encaminhadas das seguintes formas: - Por para o endereço eletrônico: - Pelo correio; - Por fax (11) ; - entrega direto na Gerência de Importação e Exportação da FAPESP. 7

8 MATERIAIS CONTROLADOS 1)Reagentes e outros itens possíveis de serem utilizados in vivo necessita de anuência da ANVISA Agencia Nacional de Vigilância Sanitária. Após abertura da importação é enviado ao pesquisador, via , Termo de Responsabilidade que deverá ser: - impresso duas vias; - preenchido os campos de numero de RG e CPF dele e do Diretor da Instituição - assinado por ele e pelo Diretor da Instituição, e - devolvido à Gerência de Importação e Exportação da FAPESP 2)Animais A importação de animais precisa ser aprovada pela CIBio - Comissão Interna de Biossegurança e Ética da Instituição do Pesquisador. 2.1)Animais não transgênicos ou transgênicos do grupo de risco biológico I Juntamente com a proforma invoice e carta de encaminhamento enviar a declaração EM PAPEL TIMBRADO e ORIGINAL da Instituição, conforme modelo em anexo. (formulário 2) 2.2)Animais transgênicos do grupo de risco biológico II Juntamente com a proforma invoice e carta de encaminhamento, deve ser enviado cópia do Diário Oficial da União com o Parecer Técnico (autorização da CTNBio Comissão Técnica Nacional de Biossegurança à solicitação enviada pelo Presidente da CIBio da Instituição, conforme Instrução Normativa CTNBio nº 13 de 01/06/1998 site 3)Isótopos Radioativos Importante: informar na carta de encaminhamento da proforma invoice que se trata de material radioativo. A aquisição pode ser feita se a Instituição e o coordenador do projeto ou um dos pesquisadores envolvidos e mencionados no projeto tiver registro válido junto à CNEN Comissão Nacional de Energia Nuclear. Após recebimento da proforma invoice a FAPESP informará o número do LI Licenciamento de Importação para que o pesquisador possa solicitar anuência da CNEN, conforme site 8

9 Esta solicitação é feita mediante preenchimento eletrônico de formulário, devendo ser incluído o formulário SLI disponível no site citando taxa TLC isenta e o importador FAPESP CNPJ / )Fontes Radioativas Importante: informar na carta de encaminhamento da proforma invoice que se trata de material radioativo. A aquisição pode ser feita se a Instituição e o coordenador do projeto ou um dos pesquisadores envolvidos e mencionados no projeto tiver registro válido junto à CNEN Comissão Nacional de Energia Nuclear. Após recebimento da proforma invoice, a FAPESP informará o número do LI Licenciamento de Importação para que o pesquisador possa solicitar anuência da CNEN, conforme site Esta solicitação é feita mediante preenchimento eletrônico de formulário, devendo ser incluído manuais, catálogos técnicos e laudos em arquivos eletrônicos citando taxa TLC isenta e o importador FAPESP CNPJ / )Difratômetros de Raios-X isentos de requisitos de radioproteção Importante: informar na carta de encaminhamento da proforma invoice que se trata de material radioativo. A aquisição pode ser feita se a Instituição e o coordenador do projeto ou um dos pesquisadores envolvidos e mencionados no projeto tiver registro válido junto à CNEN Comissão Nacional de Energia Nuclear. Após recebimento da proforma invoice, a FAPESP informará o número do LI Licenciamento de Importação para que o pesquisador possa solicitar anuência da CNEN, conforme site Esta solicitação é feita mediante preenchimento eletrônico de formulário citando taxa TLC isenta e o importador FAPESP CNPJ / e devendo ser incluído o ofício conforme modelo em anexo (formulário 3). 6)Outros materiais controlados Quando se tratar de outros materiais controlados, o pesquisador será instruído no momento oportuno. 9

10 Entrega dos materiais Importados via FAPESP 1.Os materiais são entregues na Instituição mencionada no Termo de Outorga. Esta informação é fornecida à Receita Federal na Declaração de Importação. 2.Os materiais importados são entregues no mesmo dia do desembaraço ou o mais tardar no dia seguinte quando se tratar de Instituição da cidade de São Paulo. Para as Instituições que ficam fora da cidade de São Paulo, é feita uma programação. 3. Os materiais são entregues no departamento constante no Termo de Outorga, caso a Instituição tenha elevador de serviço que permita o transporte dos bens. Caso contrario, os materiais são entregues no andar térreo ficando o transporte por conta do Pesquisador. 4.O pesquisador tem até no maximo 5 (cinco) dias corridos para informar a FAPESP de qualquer dano ou pendência relacionada aos materiais entregues. Após este período o seguro internacional e a importação é finalizada. A informação deve ser enviada para 10

11 Geral - Contatos Finalidade Solicitação de agendamento Caminho Encaminhamento da: - proforma invoice ou da solicitação de reembolso - de mensagem informando sobre mercadoria danificada ou outra pendência em referencia ao material importado pela FAPESP Acompanhamento das importações Via Sistema Agilis Contatos realizados pela FAPESP com os pesquisadores Informamos que o coordenador do projeto recebe quando: - da colocação do pre-pedido junto ao exportador ou representante (caso tenha); - da colocação do pedido oficial de compra junto ao exportador ou representante (caso tenha) com a previsão da semana de embarque; e - das cobranças de embarques realizadas pela FAPESP, quando for o caso. 11

12 EXPORTAÇÃO 12

13 Finalidades/Tipo da Exportação 1.Conserto / Upgrade 2.Troca 3.Devolução definitiva Pagamento das despesas com a exportação e re-importação Conforme Portaria CS 19/2002, estas despesas podem ser pagas com recursos da alínea de reserva técnica do projeto. Caso a responsabilidade do pagamento das despesas seja do representante ou exportador, caberá ao pesquisador efetuar esta negociação. Importante mencionar que o processo somente será iniciado após o crédito na conta FAPESP, do valor informado pela FAPESP. Importador/Exportador Importante: quem faz a exportação é responsável pelo recebimento (re-importaçao)do material. Agendamento A solicitação de agendamento deve ser enviada para as exportações a serem realizadas pela FAPESP, a partir do 5º dia útil da chegada na FAPESP do Termo de Outorga ou Aditivo devidamente assinado pelo pesquisador e dentro da vigência do projeto com tempo hábil para a realização de todo o procedimento. A mensagem deve ser enviada para com os seguintes dados: - número do processo FAPESP vigente onde o procedimento será vinculado; - Tipo de exportação - Número do Processo FAPESP que originou a importação, se for diferente do vigente. - Número da Proforma Invoice e nome do exportador da importação original. - Número do modelo, descrição e valor do equipamento. - De onde sairá a verba para pagamento de despesas de exportação e importação. - Valor em moeda estrangeira do serviço a ser prestado pela empresa no exterior, caso seja cobrado. 13

14 Cabe ao Pesquisador - providenciar embalagem (caixa de papelão ou madeira) nova, resistente para embarque internacional. Não podendo estar rasuradas, amassadas, conter etiquetas estranhas ao processo que será realizado. - embalar os materiais, devendo os equipamentos estarem envoltos em plástico bolha suficiente para garantir um seguro transporte internacional. - negociar com o fabricante ou o representante brasileiro as condições para aceite do retorno do material a origem. - providenciar documentos, tais como: a) Carta de encaminhamento preenchida e assinada. (formulário 4 ou 5) b) Laudo Técnico (original e assinado) informando o defeito do equipamento e se será exportado para conserto, troca ou definitivamente. O Documento deve ser emitido por engenheiro do representante brasileiro, em papel timbrado da empresa, com número de CREA ou declaração em papel timbrado da Instituição, no caso de o emissor do documento não ser engenheiro. (formulário 6 ou 7) c) Proforma Invoice c.1)consignada à FAPESP, no caso de haver pagamento do serviço a ser realizado no exterior. c.2)consignee: FAPESP - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo Rua Pio XI, Alto da lapa - CEP: São Paulo - SP Brasil d) Correspondência emitida pela empresa que fará o reparo ou troca, com informações necessárias à exportação. (formulário 8 ou 9) e) Contrato de garantia vigente original assinado (Somente em caso de exportação para troca). (formulário 10) f) RMA # (Return Material Authorization), este documento é emitido pela maioria dos fornecedores, não tendo um padrão ou formato especifico. Informações importantes: - O processo de exportação somente pode ser realizado com autorização da Receita Federal. - A autorização é emitida para o tipo de exportação solicitada (conserto/upgrade ou troca ou devolução). Não devendo ser alterada a finalidade após a exportação realizada. 14

15 - Não é utilizada empresas de courier ( ex.: FEDEX, UPS, DHL, TNT), correios brasileiro ou de outro país, nem correio expresso. - No caso de não haver documentos de nacionalização do equipamento Comprovante de importação, declaração de importação, commercial invoice, packing list e conhecimento aéreo ou marítimo, a exportação não poderá ser realizada. 15

16 REEMBOLSO DE CARTÃO DE CRÉDITO 16

17 PROCEDIMENTOS 1.Agendamento - mesmo procedimento que das importações realizadas pela FAPESP- vide instrução anterior 2. Encaminhamento da solicitação de reembolso Encaminhar à Gerência de Importação e Exportação da FAPESP, os cópia dos seguintes documentos: - commercial invoice. - formulário disponível no site (formulário 11) - extrato do cartão de crédito - documento da empresa de courier que trouxe o material para o Brasil Importante: a) Sempre deve ser observada a Legislação Brasileira vigente; b) Encaminhar dentro da validade do projeto c).o reembolso não valida os documentos (Prestação de Contas) 3. Formas de Envio As proforma invoices juntamente com a carta de encaminhamento devidamente preenchida e assinada pelo coordenador do projeto, podem ser encaminhadas das seguintes formas: - Por para o endereço eletrônico: - Pelo correio; - Por fax (11) ; - entrega direto na Gerência de Importação e Exportação da FAPESP. 4.Reembolso É enviado ao pesquisador, informando do reembolso efetuado. O reembolso pode ser realizado das seguintes formas: 4.1-prioritariamente, depósito na conta do Banco do Brasil, aberta em nome do coordenador em conjunto com a FAPESP; 17

18 4.2-ordem de pagamento em nome do coordenador do projeto a ser retirada em qualquer agência do Banco do Brasil 5.Prestação de Contas A responsabilidade da prestação de contas é do coordenador do projeto. A commercial invoice original e quitada juntamente com todos os outros documentos referentes a esta importação devem ser enviadas pelo Coordenador do projeto à Gerência de Auditoria no prazo estabelecido no Termo de Outorga para apresentação da Prestação de Contas. 18

19 A N E X O 19

20 Portaria CS Nº 19/2002 Estabelece normas para importação de materiais e/ou pagamento de serviços no exterior com recursos outorgados pela FAPESP. O Conselho Superior da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, no uso das atribuições que lhe confere a Lei 5918, de 18 de outubro de 1960, e objetivando disciplinar as importações de materiais e/ou pagamento de serviços no exterior com recursos outorgados pela FAPESP, baixa as seguintes normas: 1. Em face dos elevados custos fixos envolvidos, não serão efetuadas importações individuais com valor igual ou inferior a USD 500,00 (quinhentos dólares americanos) ou equivalente em outra moeda. 2. Para importação de mercadorias com valor superior a USD 500,00 (quinhentos dólares americanos) e igual ou inferior a USD 1.000,00 (mil dólares americanos), serão adotados os seguintes procedimentos: a) quando a forma de pagamento for nas modalidades de "remessa" ou "cobrança", além do valor da "proforma invoice" deverá ser deduzida da concessão ou da reserva técnica a importância equivalente a USD 500,00 (quinhentos dólares americanos) para cobertura de despesas de importação; b) quando a forma de pagamento for na modalidade de "carta de crédito", deverão ser deduzidos da concessão ou da reserva técnica o valor da "proforma invoice" mais USD 500,00 (quinhentos dólares americanos) para despesas e USD 450,00 (quatrocentos e cinquenta dólares americanos) para expedição da "carta de crédito". 3. Para importação de mercadorias com valor superior a USD 1.000,00 (hum mil dólares americanos) e igual ou inferior a USD ,00 (vinte mil dólares americanos), serão adotados os seguintes procedimentos: a) quando a forma de pagamento for nas modalidades de "remessa" ou "cobrança", deverá ser deduzida da concessão o valor da "proforma invoice"; b) quando a forma de pagamento for na modalidade de "carta de crédito", além do valor da "proforma invoice" deverá ser deduzida da concessão ou reserva técnica a importância de USD 450,00 (quatrocentos e cinquenta dólares americanos) para expedição da "carta de crédito". 4. Para importação de mercadorias com valor superior a USD ,00 (vinte mil dólares americanos), será descontado da concessão somente o valor da "proforma invoice", independentemente da modalidade de pagamento. 5. Após a autorização de todas as "proforma invoices" referentes ao material permanente constante do Termo de Outorga e Aceitação de Auxílio, o saldo eventualmente existente nesta alínea será cancelado. (O C.T.A. aprovou em reunião de 13/5/2009, a cessação dos efeitos deste item). 6. O eventual saldo na alínea destinada à importação de material de consumo ou pagamento de serviço de terceiros, igual ou inferior a USD 500,00 (quinhentos dólares americanos), será cancelado. 7. O setor de Importação da FAPESP somente autorizará a aquisição de mercadorias cuja "proforma invoice" contenha relação de materiais que requeiram o mesmo tipo de acondicionamento e/ou temperatura. Não será, portanto, permitido a inclusão na mesma "proforma invoice" de animais vivos, explosivos, corrosivos, perecíveis e/ou perigosos. Será permitido apenas um embarque por "proforma invoice"; a) "proforma invoice" do mesmo exportador e referente à aquisição de mercadorias que requeiram o mesmo tipo de acondicionamento e/ou temperatura só poderá ser enviada com intervalo mínimo de 30 dias. 8. A reserva técnica constante do Termo de Outorga e Aceitação de Auxílio poderá ser utilizada, eventualmente, para a aquisição de materiais importados e/ou pagamento de despesas de importação, deduzindo-se da dotação o valor da "proforma invoice" acrescido das despesas de importação, observada a seguinte orientação: a) quando adquirido pelo outorgado, com pagamento através de cartão de crédito, observadas as normas legais vigentes, o valor da "proforma invoice" e das despesas de importação deve ser solicitado diretamente ao setor financeiro da FAPESP; b) quando o valor da concessão for insuficiente para a cobertura das despesas mencionadas nos itens 2 (alíneas "a" e "b") e 3 (alínea "b"), tais despesas serão deduzidas da reserva técnica. 9. A FAPESP poderá efetuar o desembaraço de material não incluído no Termo de Outorga e Aceitação de Auxílio (doação/conserto/troca), deduzindo previamente da concessão ou da reserva técnica, por estimativa, o valor das despesas de importação e/ou exportação. 10. O pagamento de publicação com recursos concedidos na alínea "serviço de terceiros no exterior" será efetuado mediante o encaminhamento ao Setor de Importação da FAPESP da "proforma invoice" ou fatura do cartão de crédito e "proforma invoice", no caso de reembolso, não se aplicando neste item os limites mínimos supra mencionados. São Paulo, 07 de agosto de 2002 Carlos Alberto Vogt Presidente 20

21 Importação realizada pelo Pesquisador Com recursos concedidos nas alíneas: material permanente importado, material de consumo importado, serviço de terceiros no exterior Forma de pagamento Importante Caráter emergencial Cartão de crédito Material perecível, inflamável, corrosivo, radioativo ou controlado por qualquer órgão brasileiro não pode ser adquirido desta forma. Surgimento de uma situação não esperada que necessite da aquisição de material fundamental para a continuidade da pesquisa. Forma de Embarque Limite Legal Desembaraço via courier ou correio ( door to door ) como bagagem acompanhada até USD 3.000,00 (ou equivalente em outra moeda), por embarque. - devem ser incluídas neste valor as taxas e despesas mencionadas na proforma invoice até USD 500,00 ou equivalente em outra moeda, por passageiro. valor declarado para o embarque deve ser igual ao valor da invoice; caso o material fique alfandegado, o desembaraço será de responsabilidade do pesquisador. Não se enquadra Reembolso Prestação de Contas Pode ser solicitado reembolso para: - pagamento da mercadoria (debito no cartão de crédito) - despesa com o desembaraço - somente para embarque via courier e no valor máximo de R$ 600,00 (seiscentos reais). Ultrapassado este valor, o pesquisador poderá utilizar a reserva técnica ou pagar com recursos próprios. IMPORTANTE: o valor mínimo da despesa é de 60% (Tributos) mais 18% (ICMS) calculado em cima do valor declarado. Documentos que devem ser enviados junto com o pedido de reembolso: - formulário específico de pedido de reembolso (modelo disponível no - cópia da invoice - cópia do extrato do cartão de crédito - cópia do documento emitido pela courier (quando embarque não foi como bagagem acompanhada) FAPESP não reembolsa multa - fotocópia do extrato do cartão de crédito; - "commercial invoice" original, quitada pelo fabricante/exportador; - comprovante original de outras despesas, emitido pela companhia responsável pelo transporte internacional ou pela Receita Federal; - informação do responsável pelo projeto, sobre nome da pessoa que trouxe a mercadoria (somente para embarque como bagagem acompanhada 21

22 FORMULÁRIOS 22

23 IMPORTAÇÃO AUTORIZADA (Formulário 1) À Data: FAPESP Processo FAPESP: Proforma Invoice nº Valor: Fabricante/Exportador: Pela presente encaminho a Proforma Invoice supra para que o Setor da FAPESP realize o processo de importação (importação autorizada pela FAPESP), devendo os materiais serem entregues na Instituição constante no Termo de Outorga. Declaro para os devidos fins que serão observadas as normas vigentes no tocante ao exame de similaridade e a Portaria CS 19/02 publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo. Importante: TODOS os materiais da proforma são de mesma temperatura. Assinalar a temperatura de embarque: ( ) temperatura ambiente ou ( ) temperatura especial (gelo úmido ou gelo seco) Assinalar característica dos materiais: ( ) materiais sem nenhum controle específico ( ) radioativo (ver regras específicas) ( ) perigoso ( ) animais não transgênicos ou transgênicos do Grupo de Risco I (encaminhar com os outros documentos necessários) ( ) animais transgênicos do Grupo de Risco II (ver regras específicas, encaminhar com os outros documentos necessários) Indicar na própria proforma, à esquerda de cada item, a que alínea do Termo de Outorga e Aceitação de Auxílio se refere e quando se tratar de MP e AMP indicar o número a ele associado no referido termo. (*) Forma de pagamento mencionada na proforma: ( ) Sight draft Remessa ( ) Net 30 days Remessa ( ) Cash Against Documents CAD Cobrança ( ) letter of credit carta de crédito 1) FAPESP não faz pagamento antecipado; 2) Caso o valor da proforma seja superior a US$ 500,00 e igual ou inferior a USD 1.000,00, fica autorizado. A) Se o pagamento for na modalidade remessa ou cobrança a dedução de USD 500,00 para cobrir despesas com o desembaraço. B) caso seja na modalidade de carta de crédito a dedução de USD 950,00 para cobrir as despesas com abertura da carta de crédito e desembaraço. 3) Caso o valor da proforma invoice seja superior a USD 1.000,00 e inferior a USD ,00, fica autorizada a dedução de USD 450,00 para cobrir despesas com a abertura da carta de crédito. Obs. Os itens 2 e 3 acima visam atender a Portaria CS 19/02 publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo em 09 de agosto de ) Caso a aquisição dos materiais seja feita com recursos da reserva técnica, está autorizada a retirada do valor referente as despesas com o embarque e desembaraço (da reserva técnica). Atenciosamente, Assinatura do Outorgado (coordenador do Projeto) Nome Telefone Fax Endereço Eletrônico (*) MP (nº) - para Material Permanente; AMP (nº) - para Acessório do Material Permanente; MC - para Material de Consumo; ST - para Serviço de Terceiros. RT - para a reserva técnica Out/

24 (em papel timbrado) (formulário 2) Ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Defesa Agropecuária Deto. de Saúde Animal Ref. Proforma Invoice nº Exportador Prezados Senhores, Autorizo a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, a providenciar a importação de machos e fêmeas de camundongos (Mus musculus) da linhagem, todos (não) geneticamente modificados pertencentes ao grupo de risco I, para atividades de pesquisa em regime de contenção. Os animais serão alocados no biotério do (nome e endereço completo do Instituto), sob responsabilidade do Prof. Dr. - Processo FAPESP nº. São Paulo, (data) (assinatura) Dr. (nome completo) Presidente da CIBio do (nome do Instituto) 24

25 (formulário 3) São Paulo, (data) À Comissão Nacional de Energia Nuclear CNEN Coordenação Geral de Instalações Médicas e Industriais CGMI Rua General Severiano, 90 Botafogo Rio de Janeiro RJ Assunto: Solicitação de isenção de Requisitos de Proteção Radiológica LI nº (numero a ser fornecido pela FAPESP) Prezados Senhores, O (nome da Instituição), Depto de, estabelecido a (endereço completo), inscrito no CNPJ sob o nº, vem solicitar a Isenção dos Requisitos de Proteção Radiológica em conformidade com a Posição Regulatória 3.01/001 da Norma CNEN-NN-3.01 (Critérios de Exclusão, Isenção e Dispensa de Requisitos de Proteção Radiológica), para o equipamento Difratômetro de Raios-X, fabricante, modelo, tipo. Informamos também que o equipamento será instalado no mesmo endereço citado acima e a pessoa responsável é o Prof. Dr., sob CPF nº. Atenciosamente, (assinatura) (nome do pesquisador) (título do pesquisador) (assinatura) (nome do Diretor da Instituição) (carimbo do Diretor) 25

26 EXPORTAÇÃO PARA CONSERTO (formulário 4) Data: À FAPESP Processo FAPESP: Proforma Invoice nº Fabricante/Exportador: Valor: Pela presente encaminho os documentos abaixo relacionados para início do processo de exportação para conserto do material. 1) proforma invoice, referente ao pagamento do serviço 2) Laudo técnico 3) Correspondência emitida pela empresa para a qual será enviado o equipamento, contendo dados necessários à exportação 4) Material que será exportado foi importado com recurso FAPESP? ( ) Sim. Material importado pelo processo FAPESP nº ; exportador: ; proforma invoice nº ( ) Não. Por isso anexamos os seguintes documentos referentes a importação do material a ser exportado: - "proforma invoice, - "commercial invoice" ou fatura comercial, - conhecimento aéreo, - DI - Declaração de Importação e - CI - Comprovante de Importação. - Packing list Atenciosamente, Assinatura do Outorgado Nome do Outorgado Telefone Fax Endereço Eletrônico 26

ORIENTAÇÕES IMPORTAÇÃO Versão nº 01 (21/10/2010)

ORIENTAÇÕES IMPORTAÇÃO Versão nº 01 (21/10/2010) ORIENTAÇÕES IMPORTAÇÃO Versão nº 01 (21/10/2010) 1) O servidor interessado na aquisição de bens importados deverá encaminhar ao Setor de Compras do Centro a seguinte documentação: a) A solicitação de compra

Leia mais

Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA

Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA 1. O Que é? O Importa Fácil Ciência é destinado a pesquisadores/entidades de pesquisa cientifica ou tecnológica, devidamente credenciadas no

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE SERVIÇOS GERAIS - DSG

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE SERVIÇOS GERAIS - DSG Of. n 1216/2008 Dicomp/DSG Belo Horizonte, 01 de outubro de 2008 Aos Dirigentes das Unidades Acadêmicas e Órgãos Administrativos UFMG Assunto: Procedimentos para importação - detalhamento Senhor Dirigente.

Leia mais

2º WORKSHOP EAIP. Primeira fase a partir de 01/06/2014 e segunda fase a partir de 30/08/2014. Todos os auxílios à pesquisa vigentes

2º WORKSHOP EAIP. Primeira fase a partir de 01/06/2014 e segunda fase a partir de 30/08/2014. Todos os auxílios à pesquisa vigentes Primeira fase a partir de 01/06/2014 e segunda fase a partir de 30/08/2014 Todos os auxílios à pesquisa vigentes Termos de outorga alterados quando gerado aditivo Exceto para alguns Convênios por exigência

Leia mais

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR 1º Passo: Registro da empresa Atualizar o objeto social da empresa incluindo a atividade de importação e os tipos de produtos que serão

Leia mais

Contatos CNPq: Carlos (61) 2108-9180 seimp@cnpq.br. Ricardo Carneiro (61) 2108-9186 rcarneiro@cnpq.br

Contatos CNPq: Carlos (61) 2108-9180 seimp@cnpq.br. Ricardo Carneiro (61) 2108-9186 rcarneiro@cnpq.br 1 Contatos CNPq: Carlos (61) 2108-9180 seimp@cnpq.br Ricardo Carneiro (61) 2108-9186 rcarneiro@cnpq.br Peso e medidas máximas: 30kg e cubagem 1,5m x 1,5m Valor Máximo: US$10,000.00 SUMÁRIO 1. Proforma

Leia mais

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO.

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO. 1 2 2. COMO IMPORTAR 2.1. FLUXOGRAMA DE IMPORTAÇÃO 1 PLANEJAMENTO A fase de planejamento das importações é geralmente parte integrante do planejamento geral da empresa para atender sua necessidade de máquinas,

Leia mais

Instruções para prestação de contas de auxílio

Instruções para prestação de contas de auxílio Instruções para prestação de contas de auxílio Modalidade: Jovem Cientista do Nosso Estado JCNE 1 DÚVIDAS: Auditoria Interna da FAPERJ: Rua Erasmo Braga, 118-6º andar Centro - Rio de Janeiro Tels: 2333-1948/1957/1976/1992

Leia mais

INSTRUÇÃO DGA Nº 68 DE 17 DE JUNHO DE 2009. A Coordenadora da Administração Geral no uso de suas atribuições, e considerando a necessidade de:

INSTRUÇÃO DGA Nº 68 DE 17 DE JUNHO DE 2009. A Coordenadora da Administração Geral no uso de suas atribuições, e considerando a necessidade de: _ INSTRUÇÃO DGA Nº 68 DE 17 DE JUNHO DE 2009 #Estabelece procedimentos para formalização de processos de importação direta ou exportação de equipamentos e produtos, em nome da Universidade, destinados

Leia mais

Instruções para prestação de contas de auxílio

Instruções para prestação de contas de auxílio Instruções para prestação de contas de auxílio Modalidade: Auxílio à Projetos de Inovação Tecnológica - ADT 1 Auxílio para a Inserção de Novas Tecnologias no Mercado - ADT 2 Pessoa Jurídica 1 DÚVIDAS:

Leia mais

RESOLUÇÃO - RDC nº 6, de 2 de janeiro de 2001(*).

RESOLUÇÃO - RDC nº 6, de 2 de janeiro de 2001(*). RESOLUÇÃO - RDC nº 6, de 2 de janeiro de 2001(*). Dispõe sobre o sistema de Recolhimento da Arrecadação de Taxas de Fiscalização de Vigilância Sanitária e dá outras providências. A Diretoria Colegiada

Leia mais

Orientações Básicas. FAPERGS Edital 16/2013 TECNOVA/RS

Orientações Básicas. FAPERGS Edital 16/2013 TECNOVA/RS 1 FAPERGS Edital 16/2013 Orientações Básicas Execução Financeira dos Recursos de Subvenção Econômica FAPERGS Edital 16/2013 TECNOVA/RS 2 1. Regras Básicas Vedado alteração do objeto do Termo de Subvenção

Leia mais

Apresentar recibo original emitido pela organização do evento, constando inclusive à assinatura do recebedor.

Apresentar recibo original emitido pela organização do evento, constando inclusive à assinatura do recebedor. Apresentar recibo original emitido pela organização do evento, constando inclusive à assinatura do recebedor. acompanhado dos cartões de embarque originais utilizados; f) A FAPERJ não aceitará o pagamento

Leia mais

Perguntas Frequentes sobre liberação de processos ANVISA Pessoa Física

Perguntas Frequentes sobre liberação de processos ANVISA Pessoa Física Perguntas Frequentes sobre liberação de processos ANVISA Pessoa Física Prezado cliente, Este material foi criado com o objetivo de esclarecer todas as dúvidas que podem surgir a respeito da inspeção de

Leia mais

Informações Gerais a Viajante

Informações Gerais a Viajante Informações Gerais a Viajante 1. Bens que podem ser trazidos do exterior, em bagagem acompanhada 1, sem pagamentos de impostos. Para não pagar impostos na chegada ao país, o viajante deverá respeitar limites

Leia mais

Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea

Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea Objetivo: A presente norma tem por objetivo formalizar e agilizar os pedidos de diária e passagem a serviço da entidade bem como

Leia mais

Manual de Exportação e Formação de Preço

Manual de Exportação e Formação de Preço Manual de e Formação de Preço. Sumário FASE 1ª 1 - Planejamento de 2 - Planejamento Estratégico 3 - Canais de Distribuição FASE 2ª 4 - Procedimentos Operacionais de FASE 3ª 5 - Formação de Preço O sumário

Leia mais

Roteiro Básico para Exportação

Roteiro Básico para Exportação Roteiro Básico para Exportação As empresas interessadas em efetuar exportações deverão, em primeiro lugar, inscrever-se no RADAR, que corresponde ao Registro de Exportadores e Importadores da Inspetoria

Leia mais

2º O regime de drawback integrado isenção aplica-se também à aquisição no mercado interno ou à importação de mercadoria equivalente à empregada:

2º O regime de drawback integrado isenção aplica-se também à aquisição no mercado interno ou à importação de mercadoria equivalente à empregada: Portaria SECEX s/nº, de 15.02.2010 - DOU 1 de 16.02.2011 Dispõe sobre drawback integrado isenção. A Secretária de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior no uso

Leia mais

Passos na Importação Roteiro Básico. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012

Passos na Importação Roteiro Básico. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 Roteiro Básico Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 1º Passo Efetuar contatos com fornecedor (exportador). 2º Passo Formalizar as negociações com fornecedor (exportador). 3º Passo Negociar a condição de

Leia mais

L A E R T E J. S I L V A T R A D U T O R J U R A M E N T A D O E I N T E R P R E T E C O M E R C I A L

L A E R T E J. S I L V A T R A D U T O R J U R A M E N T A D O E I N T E R P R E T E C O M E R C I A L SERVIÇOS CONSULARES LEGALIZAÇÃO DE DOCUMENTOS Para que serve a legalização de documentos? Quais documentos podem ser legalizados no Consulado-Geral? Como faço para legalizar documentos no Consulado-Geral?

Leia mais

UNIDADE PRESTAÇÃO DE CONTAS

UNIDADE PRESTAÇÃO DE CONTAS UNIDADE PRESTAÇÃO DE CONTAS Fluxo do Processo de Prestação de Contas Workshop de Alinhamento Estratégico São Paulo Maio 2010 PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS PRESTAÇÃO DE CONTAS TÉCNICA FINANCEIRA Unidade

Leia mais

A TODOS OS USUÁRIOS DA FFM. Referente: Norma para compras internacionais (importações) via FFM.

A TODOS OS USUÁRIOS DA FFM. Referente: Norma para compras internacionais (importações) via FFM. Dir.Circ. 08/2007 São Paulo, 14 de fevereiro de 2007. A TODOS OS USUÁRIOS DA FFM Referente: Norma para compras internacionais (importações) via FFM. Comunicamos as regras, prazos e trâmites legais que

Leia mais

Inscrição para o PROGRAMA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM PEQUENAS EMPRESAS

Inscrição para o PROGRAMA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM PEQUENAS EMPRESAS 4 13 Proc: PROTOCOLO Inscrição para o PROGRAMA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM PEQUENAS EMPRESAS FASE I FASE II SOLICITANTE (Pesquisador responsável ou Coordenador da Equipe - não omita nem abrevie nomes) CÓDIGO

Leia mais

Índice. Política Geral de Garantia...3. Equipamento com Defeito...4. Envio de Equipamentos...5. Pessoa Física...5. Pessoa Jurídica...

Índice. Política Geral de Garantia...3. Equipamento com Defeito...4. Envio de Equipamentos...5. Pessoa Física...5. Pessoa Jurídica... Índice Política Geral de Garantia...3 Equipamento com Defeito...4 Envio de Equipamentos...5 Pessoa Física...5 Pessoa Jurídica...5 Emissão da Nota Fiscal (Pessoa Jurídica)...4 Pessoa Jurídica sem inscrição

Leia mais

EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO INFORMAÇÕES E PROCEDIMENTOS BÁSICOS. CM Claudia Mainardi ccmainardi@cmcomex.com.br ccmainardi@gmail.com

EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO INFORMAÇÕES E PROCEDIMENTOS BÁSICOS. CM Claudia Mainardi ccmainardi@cmcomex.com.br ccmainardi@gmail.com EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO INFORMAÇÕES E PROCEDIMENTOS BÁSICOS Providências básicas para iniciar atividades no comércio exterior Ser registrado no RADAR Registro de Exportadores e importadores na Receita Federal;

Leia mais

ANEXO C MANUAL DE POLÍTICA DE FORNECIMENTO PARA ATENDIMENTO ÀS LOJAS DA REDE PRÓPRIA

ANEXO C MANUAL DE POLÍTICA DE FORNECIMENTO PARA ATENDIMENTO ÀS LOJAS DA REDE PRÓPRIA ANEXO C MANUAL DE POLÍTICA DE FORNECIMENTO PARA ATENDIMENTO ÀS LOJAS DA REDE PRÓPRIA Prezados Senhores, Face à constante processo de melhoria contínua nos procedimentos da Rede de Valor Le Postiche, elaboramos

Leia mais

Manual de Solicitação da Autorização de Importação Específica

Manual de Solicitação da Autorização de Importação Específica 2014 Manual de Solicitação da Autorização de Importação Específica Autorização de Importação Específica destinada a órgãos de repressão a entorpecentes, entidades importadoras de controle de dopagem, laboratórios

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO COMERCIO EXTERIOR FATEC FRANCA PROF. DR. DALTRO OLIVEIRA DE CARVALHO

DOCUMENTAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO COMERCIO EXTERIOR FATEC FRANCA PROF. DR. DALTRO OLIVEIRA DE CARVALHO DOCUMENTOS EXIGIDOS NAS OPERAÇÕES DE EXPORTAÇÃO DISPONIVEL EM: HTTP://WWW.APRENDENDOAEXPORTAR.GOV.BR/SITIO/PAGINAS/COMEXPORTAR/CONTRATOS.HTML No comércio internacional, os documentos desempenham importante

Leia mais

CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE PROGRAMAS DE VIAGENS

CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE PROGRAMAS DE VIAGENS 1 CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE PROGRAMAS DE VIAGENS IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES O(a)Sr(a)., RG n.º, CPF, telefone(s),e-mail, endereço, Bairro,Cidade, Cep, de ora em diante denominado(a) simplesmente

Leia mais

ENVIAR APÓLICE POR E-MAIL CORREIO INFORMAÇÕES DE PAGAMENTO

ENVIAR APÓLICE POR E-MAIL CORREIO INFORMAÇÕES DE PAGAMENTO PROPOSTA DE SEGURO EMPRESARIAL ORIGEM: 39 Nº PROPOSTA: RAZÃO SOCIAL ESTIPULANTE: CNPJ: ¹Pessoa Politicamente Exposta: Sim Não Relacionamento Próximo Nacionalidade: Reside no Brasil: Sim Não ¹Pessoa Politicamente

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE GARANTIA

POLÍTICA NACIONAL DE GARANTIA POLÍTICA NACIONAL DE GARANTIA 1 Conteúdo Introdução... 3 Objetivo... 3 Esclarecimentos... 3 O que é considerado garantia... 4 O que são considerados itens de manutenção... 4 O que são considerados materiais

Leia mais

Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto.

Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto. Orientações para aquisição de Bens Móveis Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto. Lembrando que a análise do seu

Leia mais

Dúvidas - Perguntas e Respostas - Remessa Expressa Secretaria da... e Respostas. O que é uma Remessa Expressa? Como ocorre a tributação nas Remessas

Dúvidas - Perguntas e Respostas - Remessa Expressa Secretaria da... e Respostas. O que é uma Remessa Expressa? Como ocorre a tributação nas Remessas 1 de 7 13/07/2015 12:00 Menu Dúvidas - Perguntas e Respostas - Remessa Expressa por Subsecretaria de Aduana e Relações Internacionais publicado 22/05/2015 16h36, última modificação 18/06/2015 15h00 Remessas

Leia mais

NIEx. 30º AgroEx Manaus. 26 de novembro de 2009

NIEx. 30º AgroEx Manaus. 26 de novembro de 2009 NIEx NÚCLEO DE INTEGRAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO Caminhos para Exportar 30º AgroEx Manaus 26 de novembro de 2009 FASES DO PROCESSO EXPORTADOR Fase Mercadológica Fase Comercial Fase Administrativa Fase Aduaneira

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE ORÇAMENTO

SOLICITAÇÃO DE ORÇAMENTO CENTRAL DE PEQUISA DE PREÇO CPP/SEINF SHIS Quadra 01 Conjunto B - Bloco A -Edifício Santos Dumont - Lago Sul, Brasília - DF CEP: 71605-001 Telefone: 61 3211 9222 / Fax - 61 3211-9219 E-mail : melquizedeque.coutinho@cnpq.br

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Manual de Procedimentos 1º TREINAMENTO DO ESCRITÓRIO REGIONAL DE APOIO À PESQUISA Faculdade de Ciências Farmacêuticas Setembro 2012 Faculdade de Ciências Farmacêuticas 1

Leia mais

ANEXO I PROCEDIMENTOS PARA A IMPORTAÇÃO DE PRODUTOS DESTINADOS À ALIMENTAÇÃO ANIMAL

ANEXO I PROCEDIMENTOS PARA A IMPORTAÇÃO DE PRODUTOS DESTINADOS À ALIMENTAÇÃO ANIMAL ANEXO I PROCEDIMENTOS PARA A IMPORTAÇÃO DE PRODUTOS DESTINADOS À ALIMENTAÇÃO ANIMAL 1. OBJETIVO Estabelecer os procedimentos para a importação de produtos destinados à alimentação animal visando garantir

Leia mais

Procedimentos para Importação de Armas e Acessórios para CACs

Procedimentos para Importação de Armas e Acessórios para CACs Procedimentos para Importação de Armas e Acessórios para CACs Prezado CAC (Colecionador, Atirador e Caçador), Todo o procedimento abaixo descrito está de acordo com o Decreto Federal Nº 3665 de 20/Nov/2000

Leia mais

RELAÇÃO DE SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS PELA ELETROBRÁS NO ESPAÇO DA CIDADANIA DE TERESINA

RELAÇÃO DE SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS PELA ELETROBRÁS NO ESPAÇO DA CIDADANIA DE TERESINA RELAÇÃO DE SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS PELA ELETROBRÁS NO ESPAÇO DA CIDADANIA DE TERESINA 1 PARCELAMENTO DE DÉBITO 1.1 No caso de titular da conta 1. Original e cópia do RG ou da Carteira de Habilitação;

Leia mais

PORTARIA Nº 135/GSER

PORTARIA Nº 135/GSER PORTARIA Nº 135/GSER João Pessoa, 9 de junho de 2015. O SECRETÁRIO DE ESTADO DA RECEITA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 3º, inciso VIII, alíneas a e g, da Lei nº 8.186, de 16 de março de

Leia mais

FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO

FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO FLUXOGRAMA DE EXPORTAÇÃO 1. PLANEJAMENTO Novos mercados; Mais lucros; Mais empregos Separar uma parte da produção para o mercado interno e outra para o mercado externo, pois a exportação é um processo

Leia mais

Caminhos para Exportar

Caminhos para Exportar NIEx NÚCLEO DE INTEGRAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO Caminhos para Exportar 33º AgroEx Marco-CE ADILSON OLIVEIRA FARIAS Assessor técnico JULIANA CAETANO JALES Assistente técnico FASES DO PROCESSO EXPORTADOR Fase

Leia mais

Perguntas Frequentes sobre processos de liberação ANVISA para Pessoa Jurídica

Perguntas Frequentes sobre processos de liberação ANVISA para Pessoa Jurídica Perguntas Frequentes sobre processos de liberação ANVISA para Pessoa Jurídica Prezado cliente, Este material foi criado com o objetivo esclarecer possíveis dúvidas a respeito da inspeção de remessas importadas

Leia mais

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento;

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento; CAPÍTULO : 10 - Viagens Internacionais, Cartões de Uso Internacional e Transferências Postais SEÇÃO : 1 - Viagens Internacionais 1. Esta seção trata das compras e das vendas de moeda estrangeira, inclusive

Leia mais

Guia de importação formal. Para clientes.

Guia de importação formal. Para clientes. Guia de importação formal. Para clientes. Um cliente nos EUA recebe um pedido de envio para o Brasil não A remessa deve ser enviada como courier? sim O remetente preenche o AWB e a fatura comercial O remetente

Leia mais

Manual Cartão Pesquisa /CNPq. Atualizado em 25/08/2014

Manual Cartão Pesquisa /CNPq. Atualizado em 25/08/2014 Manual Cartão Pesquisa /CNPq Atualizado em 25/08/2014 Sumário Introdução... 3 Cartão BB Pesquisa... 4 Passo a Passo... 8 Perguntas e Respostas.... 14 Cartão BB Pesquisa O Cartão BB Pesquisa éresultado

Leia mais

Ficha Cadastral de Fornecedores

Ficha Cadastral de Fornecedores de Fornecedores Informações Jurídicas Razão Social: CNPJ: Nome Fantasia: Responsáveis legais: CPF: Responsável técnico: Nº Documento: Órgão emissor: CNES: ANS: Endereço Completo: Fone/Fax: e-mail vendas:

Leia mais

1. Acesso ao Agilis...2. 2. Elaborar Prestação de contas...4. 3. Inclusão do Material Permanente...6. 4. Inclusão do Material de Consumo...

1. Acesso ao Agilis...2. 2. Elaborar Prestação de contas...4. 3. Inclusão do Material Permanente...6. 4. Inclusão do Material de Consumo... TUTORIAL PRESTAÇÃO DE CONTAS SUMARIO 1. Acesso ao Agilis...2 2. Elaborar Prestação de contas...4 3. Inclusão do Material Permanente...6 4. Inclusão do Material de Consumo...8 5. Inclusão de Serviços de

Leia mais

NORMA RESSARCIMENTO POR DANO ELÉTRICO

NORMA RESSARCIMENTO POR DANO ELÉTRICO PÁGINA 1 de 7 ÍNDICE DO CONTEÚDO 1. Objetivo 1 2. Norma e Documentos Complementares 1 3. Definições 1/2 4. Condições Gerais 2 5. Procedimentos 3/4/5 6. Anexo 6 7. Ficha de Vida 7 1. Objetivo: Esta norma

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Regime de Tributação Simplificada Importações por Remessas Postais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Regime de Tributação Simplificada Importações por Remessas Postais SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Regime de Tributação Simplificada Importações por Remessas Postais RFB/SUARI/COANA/COFIA/DIDES Buenos Aires, 08 de novembro de 2011 Tópicos: 1. Panorama Atual do

Leia mais

EDITAL 10/2010 PROPESP/FADESP PROGRAMA DE APOIO À PUBLICAÇÃO QUALIFICADA - PAPQ

EDITAL 10/2010 PROPESP/FADESP PROGRAMA DE APOIO À PUBLICAÇÃO QUALIFICADA - PAPQ PRÓ-REITORIA DE E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL 10/2010 PROPESP/FADESP PROGRAMA DE APOIO À PUBLICAÇÃO QUALIFICADA - PAPQ A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPESP) e a Fundação de Amparo e Desenvolvimento

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 040, de 09 de abril de 1999. O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL, no uso de suas atribuições, resolve:

Instrução Normativa SRF nº 040, de 09 de abril de 1999. O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL, no uso de suas atribuições, resolve: DOU de 13/04/1999, pág. 5 Instrução Normativa SRF nº 040, de 09 de abril de 1999 Dispõe sobre o despacho aduaneiro de bens de caráter cultural. Alterada pela IN SRF nº 63/99, de 8 de junho de 1999. Alterada

Leia mais

INSTRUÇÕES - RESCISÃO DE CONTRATO DE ARRENDAMENTO MERCANTIL

INSTRUÇÕES - RESCISÃO DE CONTRATO DE ARRENDAMENTO MERCANTIL INSTRUÇÕES - RESCISÃO DE CONTRATO DE ARRENDAMENTO MERCANTIL 1. RESCISÃO DE CONTRATO Para dar início ao processo de Rescisão Contratual Leasing é necessário entrar em contato com a Central de Atendimento

Leia mais

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento;

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento; CAPÍTULO : 10 - Viagens Internacionais, Cartões de Uso Internacional e Transferências Postais SEÇÃO : 1 - Viagens Internacionais 1. Esta seção trata das compras e das vendas de moeda estrangeira, inclusive

Leia mais

São Paulo, Janeiro de 2014

São Paulo, Janeiro de 2014 Comunicado - Reembolso Prezado Cliente, Com o objetivo de aprimorarmos nossas rotinas operacionais e visando preservar a agilidade nos pagamentos dos atendimentos ocorridas na Livre-Escolha, informamos

Leia mais

Serviços de Comércio Exterior. Gerência Regional de Apoio ao Comércio Exterior GECEX São Paulo III

Serviços de Comércio Exterior. Gerência Regional de Apoio ao Comércio Exterior GECEX São Paulo III BANCO DO BRASIL Serviços de Comércio Exterior Gerência Regional de Apoio ao Comércio Exterior GECEX São Paulo III Programação 1) Acesso ao Gerenciador Financeiro 2) Criação de Chave de Acesso 3) Autorização

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE CONTAS A PAGAR

PROCEDIMENTOS DE CONTAS A PAGAR São Paulo, 6 de dezembro de 2013 PROCEDIMENTOS DE CONTAS A PAGAR Este procedimento visa estabelecer o processo, prazos e orientações aos funcionários do Instituto Ethos para recebimento de notas fiscais

Leia mais

REGULAMENTO. Presenteador: É a pessoa física ou jurídica que adquire o VALE-VIAGEM CVC, mediante a compra direta de cargas de valores.

REGULAMENTO. Presenteador: É a pessoa física ou jurídica que adquire o VALE-VIAGEM CVC, mediante a compra direta de cargas de valores. REGULAMENTO A CVC BRASIL OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS S.A., o Presenteador e o Presenteado do VALE-VIAGEM CVC, a primeira, na qualidade de prestadora de serviços de turismo, e o segundo, aderindo às

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP Instrução nº 2552 Dispõe sobre o ressarcimento de diárias e transporte aos Senhores Funcionários, quando em viagem a serviço, reuniões, eventos e treinamentos dentro e fora do Estado, formalmente convocados

Leia mais

Profa. Lérida Malagueta. Unidade IV SISTEMÁTICA DE

Profa. Lérida Malagueta. Unidade IV SISTEMÁTICA DE Profa. Lérida Malagueta Unidade IV SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Importação Importar consiste em uma operação de compra de produtos no mercado exterior e sua respectiva entrada em um país Necessidade

Leia mais

SISTEMA DE REGISTRO ELETRÔNICO

SISTEMA DE REGISTRO ELETRÔNICO SISTEMA DE REGISTRO ELETRÔNICO Prezados Srs. Transportadores O Sistema de Registro Eletrônico faz parte de um composto ( Averbação Eletrônica + Registro Eletrônico ), que propicia a Transportadora um rápido

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA BOLSISTAS CUBANOS

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA BOLSISTAS CUBANOS MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA BOLSISTAS CUBANOS PROGRAMA CAPES/MES - CUBA BRASIL-CUBA PROGRAMA CAPES/MES CUBA PROJETOS Todas as informações aqui descritas devem ser interpretadas em consonância com as normas

Leia mais

Políticas de Garantia

Políticas de Garantia Políticas de Garantia RMA RETURN MERCHANDISE AUTHORIZATION (Autorização de Devolução de Mercadoria) SUMÁRIO 1. OBJETIVO 3 2. VISÃO GERAL SOBRE GARANTIA 3 3. PROCESSO DE DEVOLUÇÃO 3 4. MODALIDADE DE RMA

Leia mais

NOVAS REGRAS DE OPERAÇÕES CAMBIAIS IMPORTAÇÃO, EXPORTAÇÃO E REEXPORTAÇÃO DE MERCADORIAS

NOVAS REGRAS DE OPERAÇÕES CAMBIAIS IMPORTAÇÃO, EXPORTAÇÃO E REEXPORTAÇÃO DE MERCADORIAS NOVAS REGRAS DE OPERAÇÕES CAMBIAIS IMPORTAÇÃO, EXPORTAÇÃO E REEXPORTAÇÃO DE MERCADORIAS O Aviso n.º 19/2012, de 19.04., do Banco Nacional de Angola estabelece o novo regime para as operações cambiais referentes

Leia mais

Correios é o parceiro de 9 em cada 10 sites de e-commerce no Brasil.

Correios é o parceiro de 9 em cada 10 sites de e-commerce no Brasil. Correios é o parceiro de 9 em cada 10 sites de e-commerce no Brasil. Sabe por quê? Porque os Correios têm as melhores soluções de ponta a ponta para todas as etapas do e-commerce. Porque têm a melhor cobertura

Leia mais

Manual do Prestador SEPACO. Saúde. ANS - n 40.722-4

Manual do Prestador SEPACO. Saúde. ANS - n 40.722-4 Manual do Prestador Saúde o ANS - n 40.722-4 SEPACO Prezado prestador, Este manual tem como objetivo formalizar a implantação das rotinas administrativas do Sepaco Saúde, informando as características

Leia mais

MANUAL DE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA - ART (SP/MT/MS)

MANUAL DE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA - ART (SP/MT/MS) MANUAL DE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA - ART (SP/MT/MS) Sumário 1 - Procedimentos para obter 1ª ART Eletrônica... 2 2 Como obter o Termo de Responsabilidade Técnica... 3 3 - Encaminhar documentos

Leia mais

1. PRAZOS... 1 2. SOLICITAÇÃO DE DEVOLUÇÃO... 1 3. MOTIVOS DE DEVOLUÇÃO... 2 4. TIPOS DE DEVOLUÇÃO...

1. PRAZOS... 1 2. SOLICITAÇÃO DE DEVOLUÇÃO... 1 3. MOTIVOS DE DEVOLUÇÃO... 2 4. TIPOS DE DEVOLUÇÃO... ÍNDICE 1. PRAZOS... 1 2. SOLICITAÇÃO DE DEVOLUÇÃO... 1 3. MOTIVOS DE DEVOLUÇÃO... 2 4. TIPOS DE DEVOLUÇÃO... 3 4.1. Integral ato da entrega... 3 4.2. Integral pós-recebimento... 3 4.3. Parcial pós-recebimento...

Leia mais

TERMO DE ADESÃO DE USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO ITU. Para interpretação do Termo de Adesão e Uso do Loja Virtual VT Urbano Itu, considera-se:

TERMO DE ADESÃO DE USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO ITU. Para interpretação do Termo de Adesão e Uso do Loja Virtual VT Urbano Itu, considera-se: TERMO DE ADESÃO DE USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO ITU 1. Definições Para interpretação do Termo de Adesão e Uso do Loja Virtual VT Urbano Itu, considera-se: Empresa Concessionária: Viação Itu Ltda, pessoa

Leia mais

Autorização para débitos de MULTAS, AUTUAÇÕES e IPVA.

Autorização para débitos de MULTAS, AUTUAÇÕES e IPVA. Autorização para débitos de MULTAS, AUTUAÇÕES e IPVA. Declaro para os devidos fins que autorizo à GENERALI DO BRASIL COMPANHIA DE SEGUROS a debitar de minha indenização, as MULTAS, AUTUAÇÕES e IPVA existentes

Leia mais

TERMO DE ADESÃO E USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO VA Legal. Para interpretação do Termo de Adesão e Uso da Loja Virtual VT URBANO VA Legal considera-se:

TERMO DE ADESÃO E USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO VA Legal. Para interpretação do Termo de Adesão e Uso da Loja Virtual VT URBANO VA Legal considera-se: TERMO DE ADESÃO E USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO VA Legal 1. DEFINIÇÕES: Para interpretação do Termo de Adesão e Uso da Loja Virtual VT URBANO VA Legal considera-se: EMPRESA CONCESSIONÁRIA Viação Atibaia

Leia mais

CHECK LIST DO IMPORTADOR. Passo a passo para começar do zero

CHECK LIST DO IMPORTADOR. Passo a passo para começar do zero CHECK LIST DO IMPORTADOR Passo a passo para começar do zero ÍNDICE 1) Preparando a empresa 2) Pesquisando fornecedores 3) Calculando os custos 4) Fazendo o pedido 5) Controlando a produção 6) Embarcando

Leia mais

GUIA PRÁTICO DE APOIO ÀS EXPORTAÇÕES

GUIA PRÁTICO DE APOIO ÀS EXPORTAÇÕES GUIA PRÁTICO DE APOIO ÀS EXPORTAÇÕES 1. Aspectos operacionais 1.1 Roteiro para exportação 1º Passo Efetuar o registro de exportador na Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento,

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 19, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2003

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 19, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2003 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 19, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2003 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

IMPORTAÇÕES Definição e Tratamento Administrativo

IMPORTAÇÕES Definição e Tratamento Administrativo IMPORTAÇÕES Definição e Tratamento Administrativo CURSO: Administração DISCIPLINA: Logística Internacional FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo: Atlas,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA TOUR OPERATOR SISTEM (TOS)

CONDIÇÕES GERAIS DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA TOUR OPERATOR SISTEM (TOS) CONDIÇÕES GERAIS DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA TOUR OPERATOR SISTEM (TOS) As presentes Condições Gerais de Utilização do Sistema Tour Operator Sistem da Schultz Operadora regulam as obrigações entre a proprietária

Leia mais

IMPORTAÇÃO SIMPLIFICADA. Passo a passo para começar

IMPORTAÇÃO SIMPLIFICADA. Passo a passo para começar IMPORTAÇÃO SIMPLIFICADA Passo a passo para começar ÍNDICE 1) Introdução 2) Produtos 3) Impostos 4) Transporte 5) Documentos 6) Câmbio 7) DSI 3 8 13 16 20 23 25 Introdução Produtos Impostos Transporte Documentos

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA MAA N 14, DE 29 DE OUTUBRO DE 1999

INSTRUÇÃO NORMATIVA MAA N 14, DE 29 DE OUTUBRO DE 1999 REVOGADA PELA IN SEAP N 03/2004 INSTRUÇÃO NORMATIVA MAA N 14, DE 29 DE OUTUBRO DE 1999 O Ministro de Estado da Agricultura e do Abastecimento, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo

Leia mais

1. REGISTRO DE ESTABELECIMENTO DE PRODUÇÃO, PREPARAÇÃO, MANIPULAÇÃO, BENEFICIAMENTO, ACONDICIONAMENTO E EXPORTAÇÃO DE BEBIDA E FERMENTADO ACÉTICO.

1. REGISTRO DE ESTABELECIMENTO DE PRODUÇÃO, PREPARAÇÃO, MANIPULAÇÃO, BENEFICIAMENTO, ACONDICIONAMENTO E EXPORTAÇÃO DE BEBIDA E FERMENTADO ACÉTICO. ANEXO NORMAS SOBRE REQUISITOS, CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS PARA O REGISTRO DE ESTABELECIMENTO, BEBIDA E FERMENTADO ACÉTICO E EXPEDIÇÃO DOS RESPECTIVOS CERTIFICADOS. 1. REGISTRO DE ESTABELECIMENTO DE PRODUÇÃO,

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. O que é Importação via Correio? PERGUNTAS E RESPOSTAS A importação via Correios é o serviço que lhe permite comprar/adquirir produtos de qualquer parte do mundo por meio da Internet, de catálogos ou

Leia mais

Importação: Regras básicas

Importação: Regras básicas Importação: Regras básicas Pagamentos de importação de mercadorias em Angola 1 Procure o Ministério do Comércio (MINCO) para proceder ao registo de Exportador e Importador (REI). 3 Negocie com seu Exportador/Fornecedor:

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.293, de 21 de setembro de 2012

Instrução Normativa RFB nº 1.293, de 21 de setembro de 2012 Instrução Normativa RFB nº 1.293, de 21 de setembro de 2012 DOU de 24.9.2012 Dispõe sobre o despacho aduaneiro de bens procedentes do exterior destinados à utilização na Copa das Confederações Fifa 2013

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR MF - 01.007 MANUAL DE ENTREGAS

MANUAL DO FORNECEDOR MF - 01.007 MANUAL DE ENTREGAS VERSÃO: 7 PAG: 1 / 16 Esta Instrução tem por finalidade estabelecer o fluxo de operações para entrega de confecções previamente encabidadas, abrangendo a elaboração do Pedido de Compra, a retirada dos

Leia mais

4) O CLIENTE deverá a fornecer seus dados pessoais de forma completa e real, devendo atualizá-los sempre que necessário e/ou solicitado;

4) O CLIENTE deverá a fornecer seus dados pessoais de forma completa e real, devendo atualizá-los sempre que necessário e/ou solicitado; TERMOS E CONDIÇÕES Estes Termos e Usos (doravante denominados "Termos e Condições") regulamenta a prestação de serviço por parte da TUDO DA GRINGA (doravante denominada EMPRESA ) oferece ao seu CLIENTE.

Leia mais

Orientações sobre Adiantamento de Despesas de Pequeno Valor (Versão n.º 03, de 16/09//2013)

Orientações sobre Adiantamento de Despesas de Pequeno Valor (Versão n.º 03, de 16/09//2013) 1. Conceito Orientações sobre Adiantamento de Despesas de Pequeno Valor (Versão n.º 03, de 16/09//2013) 1.1 Adiantamento consiste na entrega de numerário a servidor, sempre precedida de empenho gravado

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA TRIBUTAÇÃO 1ª UNIDADE REGIONAL DE TRIBUTAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA TRIBUTAÇÃO 1ª UNIDADE REGIONAL DE TRIBUTAÇÃO GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA TRIBUTAÇÃO 1ª UNIDADE REGIONAL DE TRIBUTAÇÃO REQUERIMENTO DE ALTERAÇÃO/EXCLUSÃO DE TADF 1 ELETRÔNICO Empresa: Inscrição: Sr. Diretor, Pelo

Leia mais

14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24. 25. O

14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24. 25. O ÍNDICE 1. Como proceder para realizar uma importação? 2. Para importar um produto, sempre há necessidade de licenciamento? 3. Como verificar se determinada importação requer ou não licenciamento? 4. Existe

Leia mais

Após o recebimento de todos os documentos originais processaremos o pedido e o notificaremos dentro de (2) dois dias úteis.

Após o recebimento de todos os documentos originais processaremos o pedido e o notificaremos dentro de (2) dois dias úteis. Prezado cliente em potencial, Agradecemos por escolher a tecnologia. como seu fornecedor de soluções e serviços de alta Temos a satisfação de abrir uma conta para a sua empresa e esperamos lhe fornecer

Leia mais

TERMO DE USO TERMOS DE USO DO CLIENTE

TERMO DE USO TERMOS DE USO DO CLIENTE TERMO DE USO TERMOS DE USO DO CLIENTE A) APLICABILIDADE 1. Os presentes termos de uso são aplicáveis aos Usuários da INTERNET POOL COMÉRCIO ELETRONICO LTDA, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 09.491.113/0001-01,

Leia mais

PROCESSO DE EXPORTAÇÃO DE EXPORTAÇÃO FLUXOGRAMA. Planejamento. Pesquisa de Mercado. Cadastramento REI

PROCESSO DE EXPORTAÇÃO DE EXPORTAÇÃO FLUXOGRAMA. Planejamento. Pesquisa de Mercado. Cadastramento REI PROCESSO DE FLUXOGRAMA DE Planejamento Pesquisa de Mercado Cadastramento REI 1 Cadastramento do REI O registro é feito automaticamente no sistema, quando da primeira importação e exportação (Portaria SECEX

Leia mais

REGULAMENTO. Capítulo 1º. Definições:

REGULAMENTO. Capítulo 1º. Definições: REGULAMENTO A OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS CVC TUR LTDA., o Presenteador e o Presenteado do VALE-VIAGEM CVC, a primeira, na qualidade de prestadora de serviços de turismo, e o segundo, aderindo às condições

Leia mais

SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO

SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO PROCEDIMENTOS DE IMPORTAÇÃO 1º Passo - Habilitação Legal A inscrição no Registro de Exportadores e Importadores (REI) da Secretaria de Comércio Exterior constitui condição preliminar

Leia mais

Processo de Solicitação de Viagem GENS S.A. Manual do Colaborador

Processo de Solicitação de Viagem GENS S.A. Manual do Colaborador Processo de Solicitação de Viagem GENS S.A. Manual do Colaborador 1 Apresentação Apresentamos o Processo de Viagens GENS Manual do Colaborador. Este Manual é parte integrante do Processo de Viagens GENS.

Leia mais

FORMULÁRIO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS PROINFRA/IFCE -PRPI

FORMULÁRIO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS PROINFRA/IFCE -PRPI PRESTAÇÃO DE CONTAS FORMULÁRIO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS PROINFRA/IFCE -PRPI 1. A prestação de contas deve ser constituída dos seguintes documentos: a) Encaminhamento de Prestação de Contas Anexo I; b) Relação

Leia mais

Importação de Produtos para Saúde

Importação de Produtos para Saúde Importação de Produtos para Saúde Gerência de Inspeção de Produtos e Autorização de Empresas em Portos, Aeroportos Fronteiras e Recintos Alfandegados GIPAF Mônica Cristina A. F. Duarte Organograma - ANVISA

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO À PUBLICAÇÃO QUALIFICADA - PAPQ

PROGRAMA DE APOIO À PUBLICAÇÃO QUALIFICADA - PAPQ EDITAL 01/2015 PROPESP/FADESP PROGRAMA DE APOIO À PUBLICAÇÃO QUALIFICADA - PAPQ A Pró- Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação (PROPESP) e a Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (FADESP) tornam

Leia mais

Importação Passo a Passo

Importação Passo a Passo 1º Passo Defina o que quer importar Importação Passo a Passo O mercado internacional, principalmente a China, apresenta uma ampla oportunidade de produtos para se importar. Antes de iniciar sua operação

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO À PUBLICAÇÃO QUALIFICADA - PAPQ

PROGRAMA DE APOIO À PUBLICAÇÃO QUALIFICADA - PAPQ EDITAL 01/2016 PROPESP PROGRAMA DE APOIO À PUBLICAÇÃO QUALIFICADA - PAPQ A Pró- Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação (PROPESP) torna pública a seleção de propostas no âmbito do Programa de Apoio à Publicação

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0020, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0020, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0020, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005 Publicada no DOE(Pa) de 29.11.05. Alterada pela IN 05/13. Dispõe sobre a apresentação da Declaração de Informações Econômico-Fiscais - DIEF relativa

Leia mais