CONCURSO "IDEIA BRILHANTE"

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONCURSO "IDEIA BRILHANTE""

Transcrição

1 CONCURSO "IDEIA BRILHANTE" REGULAMENTO DO CONCURSO Concorrentes 1ª Fase 2ª Fase 3ª Fase Vencedores Avaliação de ideias Avaliação de planos de negócio Apresentação do plano de negócios REGULAMENTO DE CONCURSO "Ideia Brilhante" Página 1

2 Título I Regras Gerais Artigo 1º Organização e objectivo 1. O concurso "Ideia Brilhante!" ("Concurso") é promovido pelo INAPEM (Instituto Nacional de Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas) e enquadra-se no âmbito do Programa Angola Investe. 2. Para efeitos de implementação e divulgação do Concurso, o INAPEM poderá seleccionar um conjunto de entidades promotoras/parceiras. 3. O Concurso tem como objectivos: i. Estimular a iniciativa e criatividade empresarial dos cidadãos angolanos; e ii. Identificar ideias inovadoras e oportunidades de negócio para a criação de novas empresas, sendo estas empresas passíveis de classificação como MPME, detidas por pelo menos 75% de capital social Angolano, nas condições definidas pela lei 30/11 de 13 de Setembro. Artigo 2º Ideias de negócio admissíveis a concurso 1. Serão admitidas a concurso ideias de negócio referentes a qualquer sector de actividade, sendo particularmente encorajadas ideias de negócio nos seguintes sectores de actividade: i. Agricultura, pecuária e pescas ii. Geologia e minas (extracção) iii. Construção Civil e Industria de Materiais de Construção iv. Indústria transformadora v. Geologia e minas (transformação) vi. Serviços de apoio ao sector produtivo vii. Tecnologia, média e telecomunicações 2. As ideias apresentadas a concurso deverão ser inovadoras, seja por corresponderem a um novo produto ou serviço, seja por consubstanciarem uma nova aplicação de um produto ou serviço já existente, devendo em qualquer caso satisfazer necessidades do mercado angolano. Artigo 3º Elegibilidade 1. Serão admitidos como candidatos a Concurso as equipas constituídas por uma a cinco pessoas singulares nacionais angolanos ("Equipas"), cujo projecto se enquadre no desenvolvimento de uma ideia para a criação de um projecto de negócio/empresa. 2. Os membros das equipas podem pertencer a qualquer escalão etário, não existindo igualmente qualquer tipo de restrição quanto ao nível de educação exigido. 3. Não será admitida a apresentação de candidaturas a Concurso por parte de empresas, associações ou qualquer outro tipo de organização de pessoas em nome colectivo já constituídas, excepto se consistirem em sociedades comerciais constituídas segundo a lei angolana há menos de dois anos e cuja facturação bruta verificada no último exercício não tenha excedido kwanzas, e estando certificadas como MPME como "Micro-empresa", sendo detidas em pelo menos 75% por capital social angolano nas condições previstas na Lei 30/11 de 13 de Setembro. REGULAMENTO DE CONCURSO "Ideia Brilhante" Página 2

3 4. Está também excluída a participação no Concurso de pessoas pertencentes aos quadros do INAPEM bem como de quaisquer outras entidades promotoras/parceiras do Concurso ou aquelas que de uma forma ou de outra estiverem directamente relacionados com o desenvolvimento do Concurso. 5. Cada Equipa apenas pode apresentar a Concurso uma ideia de negócio. Artigo 4º Formato do concurso 1.O Concurso decorrerá em 3 fases eliminatórias: i. 1.ª Fase (Avaliação de Ideias): as Equipas apresentam as respectivas Candidaturas nos termos do artigo 9.º do presente Regulamento, sendo as mesmas avaliadas por uma Comissão de Avaliação nomeada pelo INAPEM que selecionará as 60 Equipas apuradas para a 2.ª Fase; ii. 2.ª Fase (Avaliação dos Planos de Negócios): as Equipas apuradas entregam os respectivos planos de negócios nos termos do artigo 11.º do presente Regulamento, os quais serão avaliados por uma Comissão de Avaliação nomeada pelo INAPEM que selecionará as 20 Equipas apurados para a 3.ª Fase; iii. 3.ª Fase (Apresentação dos Planos de Negócios): as Equipas apuradas apresentam presencial e oralmente os seus planos de negócios perante um Painel de Júris nomeado pelo INAPEM que seleccionará os 10 primeiros classificados do concurso aos quais serão atribuídos os prémios monetários referidos no artigo 14.º. 2. As Equipas apurados para as 2.ª e 3.ª Fases do Concurso deverão, em cada uma delas, desenvolver a ideia de negócio apresentada na 1.ª Fase. Artigo 5º Prazos 1. Cada fase do concurso deverá respeitar os seguinte prazos: i. 1.ª Fase: - Apresentação de candidaturas: Datas a publicar em anexo - Anúncio das equipas apuradas para a 2.ª Fase: Semana seguinte ao final de prazo de entrega de candidaturas. ii. 2.ª Fase: - Entrega dos planos de negócio: Datas a publicar em anexo - Anúncio das equipas apuradas para a 3.ª Fase: Semana seguinte ao final de prazo de entrega de candidaturas. iii. 3.ª Fase: - Apresentação dos planos de negócio: Data a publicar em anexo - Anúncio da Classificação Final do Concurso: em cerimónia a realizar pelo INAPEM em data a comunicar às equipas seleccionadas 2. O INAPEM reserva-se o direito de alterar os prazos acima enunciados caso as circunstâncias assim o exijam, o que será devida e atempadamente comunicado às Equipas e anunciado no portal do INAPEM Artigo 6º Comissão de Avaliação e Painel de Júris 1. A Comissão de Avaliação será nomeada pelo Conselho de Administração do INAPEM e será composta por um máximo de 6 membros: REGULAMENTO DE CONCURSO "Ideia Brilhante" Página 3

4 i. O(a) administrador(a) do INAPEM para a área de mercados e capitais, o(a) qual assumirá as funções de Presidente e que terá voto de qualidade para efeitos de desempate de votações da Comissão de Avaliação; e ii. Até 5 membros nomeados pelo Conselho de Administração do INAPEM de entre os elementos das equipas de formação e consultoria do INAPEM. 2. O Painel de Júris será nomeado pelo Conselho de Administração do INAPEM e será constituído por 7 membros de reconhecido valor na sociedade, representando diversas áreas dos sectores público e privado, entre os quais se encontrará o Presidente do Conselho de Administração do INAPEM. 3. O INAPEM garante a capacitação, imparcialidade e alinhamento com os critérios de avaliação definidos no presente Regulamento por parte dos membros da Comissão de Avaliação e do Painel de Júris. 4. As decisões e avaliações do INAPEM, da Comissão de Avaliação e do Painel de Júris que respeitem ao presente Concurso são finais e não admitem qualquer recurso ou revisão. Artigo 7º Comunicações e divulgação de resultados 1. As comunicações dirigidas ao INAPEM e referentes ao presente concurso, incluindo a apresentação de candidaturas (1.ª Fase) e a entrega de plano de negócios (2.ª Fase), deverão ser enviadas para o seguinte endereço de correio electrónico: 2. Os resultados de cada uma das fases do concurso serão publicados no portal do INAPEM e no Jornal de Angola, sendo igualmente notificados às Equipas participantes na fase a que respeitem os resultados, através dos endereços de correio electrónico indicados no Formulário de Candidatura. 3. As questões que as empresas tiverem sobre o concurso podem ser colocadas ao INAPEM via os contactos referidos nos formulários e no portal do INAPEM. Artigo 8º Obrigações das Equipas 1. No âmbito do presente Concurso, as Equipas obrigam-se a: i. Empenhar-se de forma activa na defesa e promoção da sua ideia de negócio ao longo das diversas fases do Concurso; ii. Comunicar ao INAPEM quaisquer factos que impliquem a desistência do presente Concurso, no prazo de 5 dias úteis a contar da ocorrência desses factos; iii. Participar nas acções de divulgação do Concurso, ao longo das diversas fases do Concurso; iv. Tomar as medidas adequadas para efeitos de protecção dos direitos de propriedade intelectual/industrial de que forem titulares e que estejam relacionados com a documentação/informação apresentada no âmbito do presente Concurso; v. Caso fiquem classificados entre os 10 primeiros classificados, proceder à implementação da ideia de negócio apresentada a Concurso, através de (i) constituição de uma sociedade comercial de Direito Angolano com um capital social equivalente ao prémio monetário atribuído nos termos do artigo 14.º ou de (ii) reforço do capital social, caso se tratem de equipas que se enquadram no artigo 3.º, n.º 3.º, do presente Regulamento (em qualquer caso REGULAMENTO DE CONCURSO "Ideia Brilhante" Página 4

5 vi. deduzido dos eventuais encargos legais devidos pela constituição da sociedade ou aumento de capital social), sob pena de perderem o direito ao prémio monetário previsto no artigo 14.º; Caso fiquem classificados entre os 10 primeiros classificados, informar o INAPEM sobre o desenvolvimento da ideia de negócio apresentada a Concurso e da sociedade comercial constituída para esse efeito, respondendo aos inquéritos enviados pelo INAPEM, durante um período de dois anos após a conclusão do Concurso. Título II 1.ª Fase: Avaliação de Ideias Artigo 9º Apresentação de Candidatura 1. As Equipas poderão apresentar candidatura ao Concurso até ao final do dia definido como prazo para a entrega de Candidaturas (a consultar em anexo ou no portal do INAPEM 2. Para efeitos de candidatura ao Concurso, as Equipas deverão entregar, na sede do INAPEM ou através do a seguinte documentação: i. Formulário de Candidatura devidamente preenchido e ii. Sumário Executivo contendo uma breve descrição da ideia de negócio submetida a concurso. 3. O Formulário de Candidatura, em anexo ao presente Regulamento, encontra-se disponível: i. Na sede do INAPEM; ii. No portal do INAPEM 4. O Sumário Executivo deverá conter uma breve descrição da ideia de negócio, ser redigido em língua portuguesa, não poderá exceder duas páginas A4 redigidas em formato word com fonte de tamanho (mínimo) 10 e deverá cobrir os seguintes tópicos: i. Explicação da ideia de negócio, descrevendo o produto ou serviço na base da ideia de negócio, a tecnologia subjacente a esse produto ou serviço e as necessidades que o produto ou serviço pretende satisfazer; ii. Área de actividade se insere; iii. Mercado (ou segmento de mercado) visado: os destinatários/clientes potenciais do produto ou serviço; iv. Breve descrição da equipa; v. Razões para o sucesso da ideia de negócio. 5. A falta de algum dos elementos referidos nos n. os 2 a 4 do presente artigo será tida em consideração pela Comissão de Avaliação para efeitos da avaliação prevista no artigo seguinte, podendo determinar a exclusão da Equipa do Concurso. Artigo 10º Avaliação de ideias 1. As candidaturas apresentadas em conformidade com o disposto no artigo anterior serão avaliadas pela Comissão de Avaliação, à luz dos seguintes critérios: A. Inovação da ideia de negócio REGULAMENTO DE CONCURSO "Ideia Brilhante" Página 5

6 B. Potencial de mercado C. Nível de exequibilidade D. Estruturação e clareza na apresentação da ideia 2. Cada candidatura será avaliada por 1 membros da Comissão de Avaliação ("1.ª Avaliação"), nos seguintes termos 2.1 Para cada um dos critérios definidos no n.º 1 do presente artigo será atribuída uma pontuação de 0-Mínimo a 100-Máximo; 2.2. A pontuação total da candidatura será dada pela média ponderada das pontuações atribuídas a cada um dos critérios acima definidos, calculada com base na seguinte fórmula: Pontuação Total (P) = 20%*A + 35%*B + 35%*C + 10%*D 3. Com base na Pontuação Total apurada no âmbito da 1.ª Avaliação, a Comissão de Avaliação seleccionará as 60 Equipas com melhor classificação global para prosseguirem para a 2.ª Fase do Concurso, nos seguintes termos: 3.1 A Comissão de Avaliação seleccionará as 100 Equipas que obtenham melhor Pontuação Total; 3.2 As 40 Equipas que obtenham Pontuação Total mais elevada ficarão directamente apuradas para a 2.ª Fase do Concurso; 3.3 As candidaturas de cada uma das restantes 60 Equipas serão avaliadas por outro membro da Comissão de Avaliação ("2.ª Avaliação") à luz dos critérios estabelecidos nos n. os 1 e 2 do presente artigo e a respectiva pontuação total final será dada pela média das Pontuações Totais resultantes da 1.ª e 2.ª Avaliações ("Pontuação Total Final") 3.4 Ficam igualmente apuradas para a 2.ª Fase do Concurso as 20 Equipas que obtenham uma Pontuação Total Final mais elevada. 4. Em caso de empate, a Comissão de Avaliação decidirá, por maioria simples, quais as Equipes apuradas para a 2.ª Fase, dispondo o Presidente da Comissão de Avaliação de voto de qualidade para efeitos de desempate. 6. O INAPEM anunciará as 60 Equipes apuradas para a 2.ª Fase do Concurso até uma semana após o final do prazo de entrega da primeira fase. Título III - 2.ª Fase: Avaliação dos Planos de Negócios Artigo 11º Entrega do plano de negócio 1. As 60 Equipas apuradas para a 2.ª Fase do Concurso terão de elaborar um plano de negócios com base na ideia de negócio apresentada durante a 1.ª Fase. 2. O plano de negócios deverá ser regido em língua portuguesa e não deverá exceder as 12 páginas A4, redigidas em formato word, com fonte de tamanho (mínimo) 10. REGULAMENTO DE CONCURSO "Ideia Brilhante" Página 6

7 3. O plano de negócios deverá incluir os seguintes tópicos: i. Identificação da Equipa (nome ou designação da equipa e identificação dos respectivos membros) ii. Descrição detalhada do produto ou serviço na base da ideia de negócio, incluindo a tecnologia subjacente e as necessidades que o produto ou serviço pretende satisfazer; iii. Descrição do mercado: clientes, concorrência, cadeia de valor e fornecedores iv. Descrição da estratégia comercial v. Estimativa do investimento necessário vi. Previsão de proveitos e custos nos 3 primeiros anos de actividade vii. Descrição da equipa: curriculum vitae de cada um dos elementos da Equipa e adequação do respectivo perfil ao desenvolvimento do negócio proposto. 4. As Equipas deverão apresentar os planos de negócio elaborados nos termos acima referidos até ao final do dia de prazo definido: i. Na sede do INAPEM; ou ii. Através do correio electrónico 5. A falta de algum dos elementos referidos nos n. os 2 e 3 do presente artigo será tida em consideração pela Comissão de Avaliação para efeitos da avaliação prevista no artigo seguinte, podendo determinar a exclusão da Equipa do Concurso. Artigo 12º Avaliação do plano de negócios 1. A Comissão de Avaliação avaliará os 60 planos de negócios apurados para a 2.ª Fase do Concurso, tendo em conta os seguintes critérios: A. Grau de inovação B. Potencial do negócio (económico e social) C. Viabilidade financeira D. Qualidade do plano de negócios apresentado E. Adequabilidade do perfil da Equipa à ideia de negócio apresentada 2. Cada plano de negócios será avaliado por 3 membros da Comissão de Avaliação, nos seguintes termos: 2.1 Cada um dos 3 membros da Comissão de Avaliação atribuirá, individualmente, uma pontuação de 0-Mínimo a 5-Máximo para cada um dos critérios de avaliação indicados no n.º 1 do presente artigo Cada um dos 3 membros da Comissão de Avaliação atribuirá ao plano de negócios uma Pontuação Total calculada de acordo com a seguinte fórmula: Pontuação Total (P) = 20%*A + 30%*B + 25%*C + 15%*D + 10%*E 3. A classificação final dos planos de negócios será dada pela média da Pontuação Total atribuída por cada um dos 3 membros da Comissão de Avaliação. REGULAMENTO DE CONCURSO "Ideia Brilhante" Página 7

8 4. As 20 Equipas que obtenham melhor classificação final apurada nos termos do presente artigo serão apuradas para a 3.ª Fase do Concurso. 5. Em caso de empate, os planos de negócio em igualdade de circunstâncias serão avaliados pelos restantes membros da Comissão de Avaliação nos termos referidos no n.º 2 do presente artigo e a classificação final de cada plano de negócios será dada pela média ponderada das Pontuações Totais atribuídas por todos os membros da Comissão de Avaliação. 6. Caso subsista uma situação de empate, o Presidente da Comissão de Avaliação utilizará o seu voto de qualidade para decidir quais as Equipas apuradas para a 3.ª Fase. 7. O INAPEM anunciará as 20 Equipas apuradas para a 3.ª Fase do Concurso até uma semana após o final do prazo de entrega da segunda fase. Título IV 3.ª Fase: Apresentação dos Planos de Negócios Artigo 13º Apresentação presencial de planos de negócio 1. As 20 Equipas apuradas para a 3.ª Fase do Concurso deverão apresentar o plano de negócios, presencial e oralmente, perante o Painel de Júris nomeado pelo INAPEM. 2. As apresentações terão lugar em data e local a definir pelo INAPEM, o que será notificado às Equipas com a antecedência devida. 3. A apresentação deverá respeitar um máximo de 15 minutos de duração, dispondo posteriormente o Painel de Júris de um período de cerca de 10 minutos para questões relacionadas com o plano de negócios apresentado. 4. Os materiais de suporte para a realização da apresentação são do livre critério das Equipas, podendo estes utilizar qualquer dispositivo multimédia como power point, projecção de áudio e vídeo e apresentação de protótipos devendo, em qualquer caso, comunicar antecipadamente ao INAPEM quais os meios a utilizar. 5. Cada apresentação será avaliada por cada um dos membros do Painel de Júris nomeado pelo INAPEM, com base os seguintes critérios: A. Grau de inovação B. Potencial do negócio (económico e social) C. Qualidade do plano de negócios apresentado D. Viabilidade financeira E. Adequabilidade do perfil da Equipa à ideia de negócio apresentada F. Qualidade da apresentação G. Exequibilidade da ideia de negócio 6. Cada apresentação de plano de negócios será avaliada por todos os membros do Painel de Júris, nos seguintes termos: REGULAMENTO DE CONCURSO "Ideia Brilhante" Página 8

9 6.1 Cada um dos membros do Painel de Júris atribuirá, individualmente, uma pontuação de 0- Mínimo a 5-Máximo para cada um dos critérios de avaliação indicados no n.º 5 do presente artigo Cada um dos membros do Painel de Júris atribuirá à apresentação do plano de negócios uma Pontuação Total calculada de acordo com a seguinte fórmula: Pontuação Total (P) = 5%*A + 20%*B + 10%*C + 20%*D + 15%*E +15%*F+ 15%*G 6.3 A classificação final das apresentações dos planos de negócios será dada pela média da Pontuação Total atribuída por cada um dos membros do Painel de Júris. 7. Com base nas pontuações apuradas nos termos dos números anteriores, o Painel de Júris seleccionará os 10 primeiros classificados no Concurso, aos quais serão atribuídos os prémios monetários previstos no artigo 14.º. 8. Em caso de empate, o Painel de Júris decidirá, por maioria simples, qual a classificação final a atribuir às Equipas empatadas, dispondo o Presidente do Conselho de Administração do INAPEM de voto de qualidade para efeitos de desempate. 8. O INAPEM anunciará a classificação final do Concurso em dia a anunciar durante a sessão apresentação dos Planos de Negócio. Artigo 14º Prémios 1. Em função da prestação no Concurso, às Equipas serão atribuídas prémios monetários e bem como diversos apoios ao lançamento das suas iniciativas empreendedoras. 2. A todos as Equipas apuradas para a 2.ª Fase do Concurso será atribuído acesso gratuito aos cursos de formação desenvolvidos pelo INAPEM no âmbito do Programa Angola Investe, durante o período de 2 anos. 3. A todos as Equipas apuradas para a 3.ª Fase do Concurso serão atribuídos os seguintes apoios: i. Acesso durante 2 anos à incubadora de negócio do INAPEM para desenvolvimento do negócio; ii. Acompanhamento e orientação sobre o desenvolvimento do negócio, tendo acesso gratuito, durante o período de 2 anos, aos serviços de fomentos empresarial do INAPEM; iii. Acesso aos cursos de formação do INAPEM, durante o período de 2 anos; iv. Acesso gratuito à consultoria do INAPEM durante o período de 2 anos; v. Apoio na preparação de candidatura de financiamento junto da banca ou fundo de capital de risco. 4. Aos 10 primeiros classificados será atribuído um prémio monetário no valor global de kwanzas, a atribuir na forma de: i. Capital social de empresas a constituir nos 6 meses posteriores à divulgação da classificação final do concurso; ou REGULAMENTO DE CONCURSO "Ideia Brilhante" Página 9

10 ii. Reforço de capital social de Equipas que se encontrem nas condições referidas no artigo 3.º, n.º 3, do presente Regulamento. 5. O prémio monetário referido no número anterior será distribuído do seguinte modo: i. 1.º Classificado: kwanzas; ii. 2.º Classificado: kwanzas; iii. 3.º Classificado: kwanzas; iv. 4.º Classificado: kwanzas; v. 5.º Classificado: kwanzas; vi. 6.º-10.º Classificados: kwanzas. 5. O INAPEM reserva-se o direito de alargar o número de beneficiários ou distinguir outras equipas através de menções honrosas. 6. O INAPEM reserva-se o direito de não atribuir qualquer dos prémios ou apoios previstos no presente Regulamento, caso considere que as candidaturas têm por base ideias de negócio que não satisfazem os critérios acima enunciados, bem como caso se verifiquem situações consideradas anómalas ao presente Concurso. Título V Disposições Finais Artigo 15º Interpretação, aplicação e alterações 1. Quaisquer dúvidas relativas à interpretação e aplicação do presente Regulamento serão resolvidas, de forma definitiva, pelo INAPEM. 2. Se razões ponderosas assim o justifiquem, o INAPEM poderá, em qualquer altura, introduzir alterações ao presente Regulamento. Artigo 16º Confidencialidade 1. Compete às Equipas acautelar o eventual registo dos direitos de propriedade intelectual/industrial ou outros direitos relativos ao conteúdo da documentação e informação apresentada nas diversas fases do presente Concurso, não se responsabilizando o INAPEM por qualquer facto susceptível de os pôr em causa. 2. As Equipas comprometem-se a identificar clara e inequivocamente a informação/documentação apresentada em sede do presente Concurso que se encontra protegida por direitos de propriedade intelectual ou industrial. 3. Sem prejuízo de eventuais direitos de propriedade intelectual/industrial que o INAPEM se compromete a respeitar nos termos da lei, as Equipas reconhecem que toda a documentação/informação apresentada nas diversas fases do presente Concurso é não confidencial e REGULAMENTO DE CONCURSO "Ideia Brilhante" Página 10

11 autorizam o INAPEM a proceder à sua divulgação pública no quadro do presente Concurso, incluindo o conteúdo constante do plano de negócios. REGULAMENTO DE CONCURSO "Ideia Brilhante" Página 11

12 FORMULÁRIO DE CANDIDATURA I. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome equipa: CONCURSO "IDEIA BRILHANTE!" Formulário de Candidatura 1 Capitão 2 Identificação dos membros da equipa: Nome Telefone Telemóvel N.º BI Ocupação Morada II. IDENTIFICAÇÃO DA IDEIA DE NEGÓCIO Designação da ideia (max. 10 palavras): Sector de Actividade: REGULAMENTO DE CONCURSO "Ideia Brilhante" Página 12

13 III. PROPRIEDADE INDUSTRIAL/INTELECTUAL Caso algum dos membros da equipa for titular de quaisquer direitos de propriedade intelectual/industrial associados à ideia de negócio apresentada a Concurso, por favor especificar quais os direitos em causa: IV. DOCUMENTOS A JUNTAR EM ANEXO Cópia dos documentos de identificação dos membros da equipa Sumário Executivo V. DECLARAÇÃO E ASSINATURAS Data: Os membros da equipa declaram ter tomado conhecimento e aceitar os termos e condições previstos do Regulamento do Concurso "Faz o teu Negócio" promovido pelo INAPEM: Assinatura capitão de Equipa Assinatura membro de equipa Assinatura membro de equipa Assinatura membro de equipa Assinatura membro de equipa REGULAMENTO DE CONCURSO "Ideia Brilhante" Página 13

CRIAR 2008 Regulamento. Capítulo I Disposições gerais

CRIAR 2008 Regulamento. Capítulo I Disposições gerais CRIAR 2008 Regulamento Capítulo I Disposições gerais Artigo 1.º Organização 1. O CRIAR 2008 é uma iniciativa da Liberty Seguros, S.A., com o objectivo de identificar e apoiar ideias de negócio inovadoras

Leia mais

REGULAMENTO. Preâmbulo

REGULAMENTO. Preâmbulo REGULAMENTO Preâmbulo O espírito de iniciativa, a criatividade, a capacidade de detectar e aproveitar oportunidades, de assumir o risco e formar decisões, constituem premissas essenciais para o sucesso

Leia mais

Empreendedorismo Negócios

Empreendedorismo Negócios CONCURSO DE IDEIAS Empreendedorismo Negócios Enquadramento O Concurso de Ideias apresenta como objetivo desenvolver o espírito empreendedor da população em geral, contribuindo desta forma para a promoção

Leia mais

Concurso de Ideias promovido pela OTIC UTL

Concurso de Ideias promovido pela OTIC UTL Concurso de Ideias promovido pela OTIC UTL 2010 Patrocinadores: Preâmbulo A Oficina de Transferência de Tecnologia e de Conhecimento da Universidade Técnica de Lisboa (OTIC UTL) com o lançamento do concurso

Leia mais

Normas de Participação no Concurso Jovens Talentos - «Almada, Cidade Educadora»

Normas de Participação no Concurso Jovens Talentos - «Almada, Cidade Educadora» Normas de Participação no Concurso Jovens Talentos - «Almada, Cidade Educadora» 1. Disposições Gerais A Câmara Municipal de Almada promove o «Concurso Jovens Talentos 2012 - Almada, Cidade Educadora» com

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS E PLANOS DE NEGÓCIO ARRISCA C 2016

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS E PLANOS DE NEGÓCIO ARRISCA C 2016 REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS E PLANOS DE NEGÓCIO ARRISCA C 2016 1. Este concurso visa estimular o desenvolvimento de conceitos de negócio em torno dos quais se perspetive a criação de novas empresas.

Leia mais

Prémio Santander Totta / Universidade NOVA de Lisboa, de Jornalismo Económico. Regulamento

Prémio Santander Totta / Universidade NOVA de Lisboa, de Jornalismo Económico. Regulamento Prémio Santander Totta / Universidade NOVA de Lisboa, de Jornalismo Económico Regulamento Considerando que se mostra da maior relevância: a) Reconhecer e premiar a excelência de trabalhos jornalísticos

Leia mais

REGULAMENTO PONTO VERDE OPEN INNOVATION

REGULAMENTO PONTO VERDE OPEN INNOVATION REGULAMENTO PONTO VERDE OPEN INNOVATION A Sociedade Ponto Verde, doravante designada SPV, é uma instituição privada, sem fins lucrativos, que tem por missão organizar e gerir a retoma e valorização de

Leia mais

Envie-nos os seus trabalhos jornalísticos sobre o sector rodoviário, publicados em 2011. Participe entre 1 de Novembro de 2011 e 31 de Janeiro de

Envie-nos os seus trabalhos jornalísticos sobre o sector rodoviário, publicados em 2011. Participe entre 1 de Novembro de 2011 e 31 de Janeiro de Envie-nos os seus trabalhos jornalísticos sobre o sector rodoviário, publicados em 2011. Participe entre 1 de Novembro de 2011 e 31 de Janeiro de 2012. ENQUADRAMENTO 2ºs PRÉMIOS DE JORNALISMO CEPSA ESTRADAS

Leia mais

REGULAMENTO PARA PLANOS DE COMERCIALIZAÇÃO E VENDA. Capítulo I. Objecto e condições de elegibilidade das candidaturas. Artigo 1º.

REGULAMENTO PARA PLANOS DE COMERCIALIZAÇÃO E VENDA. Capítulo I. Objecto e condições de elegibilidade das candidaturas. Artigo 1º. REGULAMENTO PARA PLANOS DE COMERCIALIZAÇÃO E VENDA Capítulo I Objecto e condições de elegibilidade das candidaturas Artigo 1º (Objecto) O Presente Regulamento tem por objecto a fixação das condições de

Leia mais

REGULAMENTO BOLSA DE IDEIAS. Preâmbulo

REGULAMENTO BOLSA DE IDEIAS. Preâmbulo REGULAMENTO Preâmbulo A Bolsa de Ideias CAIE (BI) é uma iniciativa desenvolvida pelo Projecto CAIE Centro de Apoio à Inovação e ao Empreendedorismo, financiado pela Iniciativa Comunitária EQUAL. Esta iniciativa

Leia mais

REGULAMENTO DA IV EDIÇÃO DO CONCURSO REGIONAL IDEIAÇORES Educação Empreendedora: O Caminho do Sucesso! Ano letivo 2013/2014

REGULAMENTO DA IV EDIÇÃO DO CONCURSO REGIONAL IDEIAÇORES Educação Empreendedora: O Caminho do Sucesso! Ano letivo 2013/2014 REGULAMENTO DA IV EDIÇÃO DO CONCURSO REGIONAL IDEIAÇORES Educação Empreendedora: O Caminho do Sucesso! Ano letivo 2013/2014 Preâmbulo O Projeto Educação Empreendedora: O Caminho do Sucesso! é uma iniciativa

Leia mais

Concurso de Ideias Empreende +

Concurso de Ideias Empreende + Concurso de Ideias Empreende + REGULAMENTO Preâmbulo A Universidade de Aveiro, através da sua Unidade de Transferência de Tecnologia (UATEC), a seguir denominada Organização, promove o «Concurso de Ideias

Leia mais

Empreender no Feminino Projecto IDEIA Empreendedorismo e Gestão Empresarial

Empreender no Feminino Projecto IDEIA Empreendedorismo e Gestão Empresarial O projecto Empreender no Feminino resulta de uma candidatura apresentada pela AEP Associação Empresarial de Portugal à Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género na Tipologia de Intervenção 7.6 Apoio

Leia mais

Concurso de Design Criação de cartaz REGULAMENTO

Concurso de Design Criação de cartaz REGULAMENTO Concurso de Design Criação de cartaz REGULAMENTO 1. Introdução O presente concurso, destinado à apresentação de projectos de criação de um cartaz original, é uma iniciativa da Associação 25 de Abril (doravante

Leia mais

Regulamento PAPSummer 2016

Regulamento PAPSummer 2016 Regulamento PAPSummer 2016 Artigo 1º Objetivos do programa, montante e designação das bolsas 1. O programa PAPSummer pretende dar a oportunidade a estudantes portugueses ( Estudante ) de desenvolver um

Leia mais

Regulamento. Prémio Desafio OUSAR: Criar a minha Empresa

Regulamento. Prémio Desafio OUSAR: Criar a minha Empresa Regulamento Prémio Desafio OUSAR: Criar a minha Empresa 2011/2012 Artigo 1º Organização e objetivo A AIMinho Associação Empresarial (AIMinho) leva a efeito o Prémio Desafio OUSAR: Criar a minha Empresa

Leia mais

Regulamento do Prémio para as Ciências Sociais e Humanas - Maria Cândida da Cunha

Regulamento do Prémio para as Ciências Sociais e Humanas - Maria Cândida da Cunha Regulamento do Prémio para as Ciências Sociais e Humanas - Maria Cândida da Cunha Artigo 1.º Âmbito do Prémio O Instituto Nacional para a Reabilitação, INR, I.P., no âmbito das suas competências, promove

Leia mais

Prémio Santander Totta / Universidade NOVA de Lisboa, de Jornalismo Económico. Regulamento

Prémio Santander Totta / Universidade NOVA de Lisboa, de Jornalismo Económico. Regulamento Prémio Santander Totta / Universidade NOVA de Lisboa, de Jornalismo Económico Regulamento Considerando que se mostra da maior relevância: a) Reconhecer e premiar a excelência de trabalhos jornalísticos

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA 7ª Edição da Feira do Inventor / Criador Angolano 2ª Edição da Feira de Ciência e Tecnologia 2ª Edição da Feira Internacional de Ideias Invenções

Leia mais

Concurso Tecnologia e Inovação Portuguesa

Concurso Tecnologia e Inovação Portuguesa Concurso Tecnologia e Inovação Portuguesa Artigo 1.º - Enquadramento A Mundiventos Consultoria e Organização de Eventos Lda, tem vindo a desenvolver um ambicioso e cada vez mais inadiável projeto para

Leia mais

REGULAMENTO DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS. uma iniciativa

REGULAMENTO DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS. uma iniciativa REGULAMENTO DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS uma iniciativa 1/5 1. Enquadramento O Ciência em Cena é um concurso anual de ideias criativas dinamizado pelo programa Descobrir Gulbenkian Programa Educação para

Leia mais

Manual de Utilizador Plataforma de Estágios TIC. www.estagiostic.gov.pt

Manual de Utilizador Plataforma de Estágios TIC. www.estagiostic.gov.pt Manual de Utilizador Plataforma de Estágios TIC www.estagiostic.gov.pt 1 Índice 1 Introdução 3 1.1 Programa de Estágios TIC 3 1.2 Objectivo da plataforma 3 1.3 Perfis 4 1.3.1 Escola 4 1.3.2 Empresa 4 1.3.3

Leia mais

PRÉMIO DE EMPREENDEDORISMO FCSH-NOVA/SANTANDER-UNIVERSIDADES. Melhores Ideias de Negócio

PRÉMIO DE EMPREENDEDORISMO FCSH-NOVA/SANTANDER-UNIVERSIDADES. Melhores Ideias de Negócio PRÉMIO DE EMPREENDEDORISMO FCSH-NOVA/SANTANDER-UNIVERSIDADES Melhores Ideias de Negócio 2016 GUIA DE CANDIDATURA Preâmbulo Consciente dos novos cenários económicos, que se observam à escala global, e atenta

Leia mais

Concurso de Criação do Logótipo para a Freguesia de Coronado REGULAMENTO

Concurso de Criação do Logótipo para a Freguesia de Coronado REGULAMENTO Concurso de Criação do Logótipo para a Freguesia de Coronado REGULAMENTO Artigo 1.º Promotor 1. A Freguesia de Coronado organiza um Concurso Local, tendo em vista a criação do primeiro logótipo, isto é,

Leia mais

melhoria e inovação da contratação colectiva; dignificação e melhoria das condições de trabalho.

melhoria e inovação da contratação colectiva; dignificação e melhoria das condições de trabalho. REGULAMENTO O Prémio Manuel Lopes foi instituído 1 pelo Ministério do Trabalho e da Solidariedade no sentido de homenagear Manuel Lopes considerando a sua dedicação à implementação da contratação colectiva

Leia mais

CONCURSO NACIONAL PARA A CRIAÇÃO DA IMAGEM DA GALA DO COMITÉ PARALÍMPICO DE PORTUGAL REGULAMENTO

CONCURSO NACIONAL PARA A CRIAÇÃO DA IMAGEM DA GALA DO COMITÉ PARALÍMPICO DE PORTUGAL REGULAMENTO CONCURSO NACIONAL PARA A CRIAÇÃO DA IMAGEM DA GALA DO COMITÉ PARALÍMPICO DE PORTUGAL REGULAMENTO Artigo 1º - Promotor 1. O Comité Paralímpico de Portugal (CPP) organiza um Concurso Nacional, adiante designado

Leia mais

Regulamento Financeiro do Partido Social Democrata (Aprovado na Comissão Política Nacional de 11.12.2006)

Regulamento Financeiro do Partido Social Democrata (Aprovado na Comissão Política Nacional de 11.12.2006) Regulamento Financeiro do Partido Social Democrata (Aprovado na Comissão Política Nacional de 11.12.2006) PREÂMBULO O presente regulamento define as normas relacionadas com a actividade financeira a observar

Leia mais

Prémio Santander Totta / Universidade Nova de Lisboa, de Jornalismo Económico. Regulamento

Prémio Santander Totta / Universidade Nova de Lisboa, de Jornalismo Económico. Regulamento Prémio Santander Totta / Universidade Nova de Lisboa, de Jornalismo Económico Regulamento Considerando que se mostra da maior relevância: a) Reconhecer e premiar a excelência de trabalhos jornalísticos

Leia mais

Concurso de Ideias de Negócio

Concurso de Ideias de Negócio Concurso de Ideias de Negócio Preâmbulo O Concurso de Ideias é uma iniciativa desenvolvida através do Contrato Local de Desenvolvimento Social (CLDS) de Estarreja 7 Desafios em Rede, promovido pela DESTAC

Leia mais

REGULAMENTO. a) Imagem gráfica e documentos do Projecto da Melhor Turma do Curso;

REGULAMENTO. a) Imagem gráfica e documentos do Projecto da Melhor Turma do Curso; REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS PARA A CRIAÇÃO DO LOGÓTIPO DO PROJECTO DA MELHOR TURMA DO CURSO 1. Objectivo 1.1. O presente regulamento estabelece as regras do concurso de ideias para a criação do logótipo

Leia mais

CONCURSO ANUAL DE IDEIAS PARA JOVENS

CONCURSO ANUAL DE IDEIAS PARA JOVENS CONCURSO ANUAL DE IDEIAS PARA JOVENS REGULAMENTO ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO 2 OBJETIVO EIXOS DE INTERVENÇÃO 4 PARTICIPANTES 5 CALENDARIZAÇÃO 4 PROCEDIMENTOS CONCURSAIS 4 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 5 8 AVALIAÇÃO 9

Leia mais

FUNCHAL 500 Maiores e Melhores Prémio de Responsabilidade Social REGULAMENTO. Preâmbulo

FUNCHAL 500 Maiores e Melhores Prémio de Responsabilidade Social REGULAMENTO. Preâmbulo FUNCHAL 500 Maiores e Melhores Prémio de Responsabilidade Social REGULAMENTO Preâmbulo Num mercado cada vez mais globalizado, a iniciativa das 500 Maiores e Melhores pretende dinamizar e enaltecer o núcleo

Leia mais

BOLSAS DE FINANCIAMENTO A PROJECTOS DE APOIO A DOENTES REGULAMENTO. Artigo 1º (Objecto)

BOLSAS DE FINANCIAMENTO A PROJECTOS DE APOIO A DOENTES REGULAMENTO. Artigo 1º (Objecto) BOLSAS DE FINANCIAMENTO A PROJECTOS DE APOIO A DOENTES REGULAMENTO Artigo 1º (Objecto) 1. A ROCHE concederá 5 Bolsas a projectos que visem a dinamização de iniciativas por parte das Associações de Doentes

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO A BOLSAS DE QUALIFICAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO ARTÍSTICA 2016. Preâmbulo

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO A BOLSAS DE QUALIFICAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO ARTÍSTICA 2016. Preâmbulo REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO A BOLSAS DE QUALIFICAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO ARTÍSTICA 2016 Preâmbulo O departamento de Acção Cultural da Fundação GDA, através do programa de Apoio a Bolsas de Qualificação

Leia mais

REGULAMENTO NOVA Idea Competition 2015

REGULAMENTO NOVA Idea Competition 2015 REGULAMENTO NOVA Idea Competition 2015 Preâmbulo O NOVA IDEA COMPETITION é uma iniciativa anual do Gabinete de Empreendedorismo da Reitoria da NOVA que pretende proporcionar aos alunos da Universidade

Leia mais

Regulamento do concurso de ideias com o objetivo de selecionar uma designação original. para o futuro Parque de Ciência e Tecnologia da Ilha Terceira

Regulamento do concurso de ideias com o objetivo de selecionar uma designação original. para o futuro Parque de Ciência e Tecnologia da Ilha Terceira Regulamento do concurso de ideias com o objetivo de selecionar uma designação original 1. Objeto para o futuro Parque de Ciência e Tecnologia da Ilha Terceira 1.1. O presente regulamento estabelece as

Leia mais

SESSÃO TÉCNICA SOBRE O VALE I&DT E VALE INOVAÇÃO NOS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

SESSÃO TÉCNICA SOBRE O VALE I&DT E VALE INOVAÇÃO NOS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS SI À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO SI À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME SESSÃO TÉCNICA SOBRE O VALE I&DT E VALE INOVAÇÃO NOS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Data: 13 de Outubro

Leia mais

MUNICIPIO DE REDONDO NORMAS DE ALIENAÇÃO DE LOTES DA ZONA INDUSTRIAL DE REDONDO - 2ª FASE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

MUNICIPIO DE REDONDO NORMAS DE ALIENAÇÃO DE LOTES DA ZONA INDUSTRIAL DE REDONDO - 2ª FASE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS NORMAS DE ALIENAÇÃO DE LOTES DA ZONA INDUSTRIAL DE REDONDO - 2ª FASE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Âmbito de aplicação O presente documento tem por objetivo o estabelecimento das regras e condições

Leia mais

Regulamento Acredita Portugal Realize o seu Sonho

Regulamento Acredita Portugal Realize o seu Sonho Regulamento Acredita Portugal Realize o seu Sonho REGULAMENTO DA 4ª EDIÇÃO DO CONCURSO "BES REALIZE O SEU SONHO" Capítulo I - Introdução e Objetivos 1.º(Introdução e Objetivos) O Concurso Realize o Seu

Leia mais

Regulamento de Venda de Lotes na Zona Industrial de Almodôvar. Regulamento

Regulamento de Venda de Lotes na Zona Industrial de Almodôvar. Regulamento Regulamento de Venda de Lotes na Zona Industrial de Almodôvar Regulamento junho de 2011 Regulamento de Venda de Lotes na Zona Industrial de Almodôvar Projeto aprovado por Deliberação da Câmara Municipal,

Leia mais

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA Página 1 de 11

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA Página 1 de 11 MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA Página 1 de 11 PREÂMBULO Compete ao município promover acções de interesse municipal, de âmbito cultural, social, recreativo e outros, e exercer um papel dinamizador junto

Leia mais

SISTEMA DE APOIO AO FINANCIAMENTO E PARTILHA DE RISCO DA INOVAÇÃO (SAFPRI)

SISTEMA DE APOIO AO FINANCIAMENTO E PARTILHA DE RISCO DA INOVAÇÃO (SAFPRI) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Nº 03 / SAFPRI / 2009 SISTEMA DE APOIO AO FINANCIAMENTO E PARTILHA DE RISCO DA INOVAÇÃO (SAFPRI) CONSTITUIÇÃO OU REFORÇO DE FUNDOS DE CAPITAL DE RISCO (FCR) PROJECTOS FASE

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS PELO MUNÍCIPIO DE MORA. Nota justificativa

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS PELO MUNÍCIPIO DE MORA. Nota justificativa REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS PELO MUNÍCIPIO DE MORA Nota justificativa A prossecução do interesse público municipal concretizado, designadamente através de políticas de desenvolvimento cultural,

Leia mais

Regulamento dos Estágios de Formação do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, I. P. (INSA, I. P.)

Regulamento dos Estágios de Formação do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, I. P. (INSA, I. P.) Regulamento dos Estágios de Formação do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, I. P. (INSA, I. P.) É atribuição do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, I. P. (INSA, I. P.) no sector da

Leia mais

Concurso de Ideias para a Criação do Novo Logótipo do Parque Ambiental do Montinho REGULAMENTO

Concurso de Ideias para a Criação do Novo Logótipo do Parque Ambiental do Montinho REGULAMENTO Concurso de Ideias para a Criação do Novo Logótipo do Parque Ambiental do Montinho REGULAMENTO 1. Promotor A RESIALENTEJO, EIM leva a efeito o concurso de ideias para apresentação de uma proposta de criação

Leia mais

REGULAMENTO SOBRE INSCRIÇÕES, AVALIAÇÃO E PASSAGEM DE ANO (RIAPA)

REGULAMENTO SOBRE INSCRIÇÕES, AVALIAÇÃO E PASSAGEM DE ANO (RIAPA) REGULAMENTO SOBRE INSCRIÇÕES, AVALIAÇÃO E PASSAGEM DE ANO (RIAPA) CAPÍTULO I REGIME DE FUNCIONAMENTO Artigo 1º - Âmbito O disposto no presente Regulamento aplica-se apenas aos cursos de graduação da Universidade

Leia mais

REGULAMENTO DO PRÉMIO INOVEMPREENDE PREÂMBULO

REGULAMENTO DO PRÉMIO INOVEMPREENDE PREÂMBULO REGULAMENTO DO PRÉMIO INOVEMPREENDE PREÂMBULO A Associação Industrial Portuguesa - Câmara de Comércio e Indústria (AIP-CCI) no âmbito do projeto INOVEMPREENDE, uma iniciativa QREN com o apoio da União

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado Regulamento para Atribuição do Título de Especialista na Escola Superior de Enfermagem Artigo 1º Objecto e âmbito 1. O Presente Regulamento titula as normas jurídicas aplicáveis ao procedimento de atribuição

Leia mais

PASSATEMPO CUTTY SARK O Mundo é Nosso, o Design é Teu

PASSATEMPO CUTTY SARK O Mundo é Nosso, o Design é Teu PASSATEMPO CUTTY SARK O Mundo é Nosso, o Design é Teu Objectivos O Passatempo O Mundo é Nosso, o Design é Teu!, a seguir referido como Passatempo, é promovido pela SOGRAPE DISTRIBUIÇÃO, S.A., DISTRIBUIDOR

Leia mais

Índice. Como aceder ao serviço de Certificação PME? Como efectuar uma operação de renovação da certificação?

Índice. Como aceder ao serviço de Certificação PME? Como efectuar uma operação de renovação da certificação? Índice Como aceder ao serviço de Certificação PME? Como efectuar uma operação de renovação da certificação? Como efectuar uma operação de confirmação de estimativas? Como aceder ao Serviço de Certificação

Leia mais

Fazer Acontecer a Regeneração Urbana. Plano de Regeneração Urbana. Alto de Beja Rua das Lojas e Praça da República AUSCULTAÇÃO PÚBLICA

Fazer Acontecer a Regeneração Urbana. Plano de Regeneração Urbana. Alto de Beja Rua das Lojas e Praça da República AUSCULTAÇÃO PÚBLICA Fazer Acontecer a Regeneração Urbana Plano de Regeneração Urbana Alto de Beja Rua das Lojas e Praça da República AUSCULTAÇÃO PÚBLICA Artigo 1º. Enquadramento REGENERAÇÃO URBANA UM NOVO IMPULSO, é uma iniciativa

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DO CONCURSO PARA ATRIBUIÇÃO DE 7 BOLSAS INDIVIDUAIS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESA

AVISO DE ABERTURA DO CONCURSO PARA ATRIBUIÇÃO DE 7 BOLSAS INDIVIDUAIS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESA AVISO DE ABERTURA DO CONCURSO PARA ATRIBUIÇÃO DE 7 BOLSAS INDIVIDUAIS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESA PROGRAMA DE DOUTORAMENTO RESEARCH AND DEVELOPMENT OF DRUGS (DRUGS R&D) Ref.ª PDE/00017/2013 INTRODUÇÃO O

Leia mais

2.2. Podem, ainda, candidatar-se entidades agrupadas num projecto comum, devendo ser indicado o líder do mesmo.

2.2. Podem, ainda, candidatar-se entidades agrupadas num projecto comum, devendo ser indicado o líder do mesmo. 1. Do Programa EDP SOLIDÁRIA 1.1. A Fundação EDP, adiante designada por FEDP, no âmbito das suas actividades nas áreas da solidariedade e da inovação social, promove uma iniciativa anual o Programa EDP

Leia mais

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:293146-2015:text:pt:html

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:293146-2015:text:pt:html 1/7 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:293146-2015:text:pt:html Grécia-Tessalónica: Desenvolvimento de tecnologias de informação e informações sobre o mercado

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO Nº 17/2015 Regulamento Relativo ao Pessoal Docente Especialmente Contratado da Universidade de Évora

ORDEM DE SERVIÇO Nº 17/2015 Regulamento Relativo ao Pessoal Docente Especialmente Contratado da Universidade de Évora ORDEM DE SERVIÇO Nº 17/2015 Regulamento Relativo ao Pessoal Docente Especialmente Contratado da Universidade de Évora Considerando que cabe às instituições de ensino superior aprovar a regulamentação necessária

Leia mais

Avisos do Banco de Portugal. Aviso nº 2/2007

Avisos do Banco de Portugal. Aviso nº 2/2007 Avisos do Banco de Portugal Aviso nº 2/2007 O Aviso do Banco de Portugal nº 11/2005, de 13 de Julho, procedeu à alteração e sistematização dos requisitos necessários à abertura de contas de depósito bancário,

Leia mais

Ministério dos Petróleos

Ministério dos Petróleos Ministério dos Petróleos Decreto Executivo nº 197/08 de 16 de Setembro Considerando a necessidade do estabelecimento de disposições relativas ao estatuto das entidades inspectoras das redes e ramais de

Leia mais

MUNICÍPIO DE CASTRO VERDE

MUNICÍPIO DE CASTRO VERDE MUNICÍPIO DE CASTRO VERDE Concurso Público Arrendamento (para fins não habitacionais) do Estabelecimento Comercial Café Paraíso, em Castro Verde PROGRAMA DE CONCURSO Castro Verde, 04 de Janeiro de 2016

Leia mais

REGULAMENTO Prémio de Jornalismo na área da DOR 4ª Edição, 2014/2015

REGULAMENTO Prémio de Jornalismo na área da DOR 4ª Edição, 2014/2015 REGULAMENTO Prémio de Jornalismo na área da DOR 4ª Edição, 2014/2015 Preâmbulo De acordo com a International Association for the Study of Pain, a dor é uma experiência multidimensional desagradável, envolvendo

Leia mais

DELEGAÇÃO DA UNIÃO EUROPEIA EM ANGOLA. Regulamento

DELEGAÇÃO DA UNIÃO EUROPEIA EM ANGOLA. Regulamento UNIÃO EUROPEIA DELEGAÇÃO DA UNIÃO EUROPEIA EM ANGOLA CONCURSO DE IDEIAS PARA A CRIAÇÃO DE LOGOTIPO PARA CELEBRAÇÃO DOS 30 ANOS DE COOPERAÇÃO ENTRE A UNIÃO EUROPEIA E A REPÚBLICA DE ANGOLA Regulamento PREÂMBULO

Leia mais

III Meeting dos Profissionais do Direito Privado Brasileiro

III Meeting dos Profissionais do Direito Privado Brasileiro III Meeting dos Profissionais do Direito Privado Brasileiro EDITAL OLIMPÍADAS DO CONHECIMENTO JURÍDICO A Academia Brasileira de Direito Civil (ABDC), nos termos do presente edital, torna público que estão

Leia mais

REGULAMENTO DO VI CONCURSO ESCOLAS EMPREENDEDORAS DE CASCAIS REGULAMENTO DO VI CONCURSO ESCOLAS EMPREENDEDORAS DE CASCAIS.

REGULAMENTO DO VI CONCURSO ESCOLAS EMPREENDEDORAS DE CASCAIS REGULAMENTO DO VI CONCURSO ESCOLAS EMPREENDEDORAS DE CASCAIS. REGULAMENTO DO VI CONCURSO ESCOLAS EMPREENDEDORAS DE CASCAIS Preâmbulo O concurso de Escolas Empreendedoras de Cascais é uma iniciativa da Agência DNA Cascais. O presente documento visa regular o VI Concurso

Leia mais

NOVO REGIME JURÍDICO DA REABILITAÇÃO URBANA. Decreto-Lei n.º 309/2007, de 23 de Outubro Workshop IHRU 12 Abril 2010

NOVO REGIME JURÍDICO DA REABILITAÇÃO URBANA. Decreto-Lei n.º 309/2007, de 23 de Outubro Workshop IHRU 12 Abril 2010 NOVO REGIME JURÍDICO DA REABILITAÇÃO URBANA Decreto-Lei n.º 309/2007, de 23 de Outubro Workshop IHRU 12 Abril 2010 DOIS CONCEITOS FUNDAMENTAIS «área de reabilitação urbana» - cuja delimitação pelo município

Leia mais

1º Call for Ideas. Artigo 1º. Artigo 2º. [Type text] [Type text] [Type text] - Criação do Próprio Emprego, Negócio ou Empresa - Regulamento.

1º Call for Ideas. Artigo 1º. Artigo 2º. [Type text] [Type text] [Type text] - Criação do Próprio Emprego, Negócio ou Empresa - Regulamento. 1º Call for Ideas - Criação do Próprio Emprego, Negócio ou Empresa - Regulamento Artigo 1º Âmbito 1. O 1º Call for Ideas Criação do Próprio Emprego, Negócio ou Empresa é um programa de candidaturas para

Leia mais

Regulamento do Fundo de Responsabilidade Social do Hospital Vila Franca de Xira

Regulamento do Fundo de Responsabilidade Social do Hospital Vila Franca de Xira Regulamento do Fundo de Responsabilidade Social do Hospital Vila Franca de Xira 1 de 9 Regulamento do Fundo de Responsabilidade Social do Hospital Vila Franca de Xira PREÂMBULO O Hospital Vila Franca de

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIO FINANCEIRO ÀS ASSOCIAÇÕES AMBIENTAIS, CÍVICAS, CULTURAIS, DESPORTIVAS E JUVENIS DO MUNICÍPIO DA LOUSÃ

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIO FINANCEIRO ÀS ASSOCIAÇÕES AMBIENTAIS, CÍVICAS, CULTURAIS, DESPORTIVAS E JUVENIS DO MUNICÍPIO DA LOUSÃ REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIO FINANCEIRO ÀS ASSOCIAÇÕES AMBIENTAIS, CÍVICAS, CULTURAIS, DESPORTIVAS E JUVENIS DO MUNICÍPIO DA LOUSÃ CAPÍTULO I Disposições Comuns Artigo 1.º Lei Habilitante O presente

Leia mais

REGULAMENTO FINANCEIRO DO CDS/PP

REGULAMENTO FINANCEIRO DO CDS/PP DO CDS/PP (APROVADO EM CONSELHO NACIONAL A 24 DE NOVEMBRO DE 2007) Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º (Âmbito de aplicação) 1. O presente Regulamento aplica-se a todos os órgãos nacionais, regionais

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENFERMAGEM

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENFERMAGEM 01 APROVADO POR: CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO 16 03 2012 Data: 16/03/2012 REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENFERMAGEM REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENFERMAGEM Artigo 1º (Natureza e âmbito de aplicação)

Leia mais

AVISO (20/GAOA/2015)

AVISO (20/GAOA/2015) AVISO (20/GAOA/2015) Humberto Fernando Leão Pacheco de Brito, Presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, submete a consulta pública, para recolha de sugestões, por um período de 30 dias, a contar

Leia mais

MANUAL DA INCUBADORA DO TAGUSPARK

MANUAL DA INCUBADORA DO TAGUSPARK MANUAL DA INCUBADORA DO TAGUSPARK Data: Outubro de 2013 Índice 1. Introdução... 1 2. Âmbito... 1 3. Modelo de incubação... 2 3.1 Pré-Incubação... 2 3.2 Incubação... 3 3.3 Desenvolvimento Empresarial...

Leia mais

Junta de Freguesia de Ançã

Junta de Freguesia de Ançã REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIOS ÀS ACTIVIDADES DAS ASSOCIAÇÕES DESPORTIVAS, RECREATIVAS E CULTURAIS DA FREGUESIA DE ANÇÃ A importância do associativismo para o desenvolvimento harmonioso da freguesia

Leia mais

7 REGULAMENTO DE UNIDADES CURRICULARES DE DISSERTAÇÃO

7 REGULAMENTO DE UNIDADES CURRICULARES DE DISSERTAÇÃO 7 REGULAMENTO DE UNIDADES CURRICULARES DE DISSERTAÇÃO De acordo com o estipulado no artigo 20º do Decreto-Lei nº 74/2006 de 24 de Março, o ciclo de estudos conducente ao grau de mestre conferido pelo IST

Leia mais

Regulamento do Concurso de Fotografia. Preâmbulo

Regulamento do Concurso de Fotografia. Preâmbulo Regulamento do Preâmbulo No ano de 2015 o Provedor de Justiça Português comemorará 40 anos ao serviço da democracia, do Estado de Direito e dos direitos fundamentais dos cidadãos. Este órgão do Estado

Leia mais

ATRIBUIÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO MUNICIPAL DE GOUVEIA HASTA PÚBLICA

ATRIBUIÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO MUNICIPAL DE GOUVEIA HASTA PÚBLICA ATRIBUIÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS NO MERCADO MUNICIPAL DE GOUVEIA HASTA PÚBLICA PROGRAMA 1.Entidade Competente A entidade concedente é o Município de Gouveia, com sede na Avenida 25 de abril,

Leia mais

Prémio Inovação Valorpneu 2014. Regulamento. Índice

Prémio Inovação Valorpneu 2014. Regulamento. Índice Regulamento Prémio Inovação Valorpneu 2014 Índice Artigo 1º... 2 Denominação... 2 Artigo 2º... 2 Objetivos... 2 Artigo 3º... 2 Âmbito... 2 Artigo 4º... 2 Destinatários... 2 Artigo 5º... 3 Prémios a atribuir...

Leia mais

regulamento Inovação no Sector da Floresta

regulamento Inovação no Sector da Floresta regulamento Inovação no Sector da Floresta 2014-2015 Regulamento Concurso Universitário CAP Cultiva o teu futuro 4.ª Edição CAP - Confederação dos Agricultores de Portugal Mais do que imaginas 4 regulamento

Leia mais

Normas Regulamentares do Curso de Jornalismo Comunicação e Cultura

Normas Regulamentares do Curso de Jornalismo Comunicação e Cultura 0 APROVADO POR: Conselho Técnico-Científico 20 10 2010 Data: / / 20 10 2010 Normas Regulamentares do Curso de Jornalismo Comunicação e Cultura 1. INTRODUÇÃO As presentes normas aplicam se aos cursos de

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO PARA ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS

REGULAMENTO DO CONCURSO PARA ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS REGULAMENTO DO CONCURSO PARA ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas pelas quais o Instituto de Gestão Financeira da Segurança

Leia mais

NOVO REGULAMENTO DO CONCURSO APLIKA SIKA 2016 VERSÃO SIMPLIFICADA 16/06/2016

NOVO REGULAMENTO DO CONCURSO APLIKA SIKA 2016 VERSÃO SIMPLIFICADA 16/06/2016 NOVO REGULAMENTO DO CONCURSO APLIKA SIKA 2016 VERSÃO SIMPLIFICADA 16/06/2016 1. O concurso APLIKA SIKA 2016 é uma iniciativa da Sika Portugal direccionada ao mercado dos aplicadores profissionais de pequena/média

Leia mais

Concurso público para a prestação de serviços de iluminação, som e palco para a Feira do Livro a realizar entre 20 e 29 de Maio de 2011

Concurso público para a prestação de serviços de iluminação, som e palco para a Feira do Livro a realizar entre 20 e 29 de Maio de 2011 Concurso público para a prestação de serviços de iluminação, som e palco para a Feira do Livro a realizar entre 20 e 29 de Maio de 2011 Programa de concurso CMF Abril de 2011 Programa de concurso Pág.

Leia mais

Regulamento do Concurso de Ideias para. a Elaboração de um Novo Logótipo da. Associação de Municípios do Oeste

Regulamento do Concurso de Ideias para. a Elaboração de um Novo Logótipo da. Associação de Municípios do Oeste Regulamento do Concurso de Ideias para a Elaboração de um Novo Logótipo da Associação de Municípios do Oeste Briefing A Associação de Municípios do Oeste organiza o Concurso de Ideias para a Criação de

Leia mais

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE OURÉM - CLASO -

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE OURÉM - CLASO - CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE OURÉM - CLASO - CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Objecto O presente regulamento interno destina-se a definir e dar a conhecer os princípios a que obedece a constituição,

Leia mais

Regulamento do Centro de Investigação em Educação e Psicologia da Universidade de Évora (CIEP-UE)

Regulamento do Centro de Investigação em Educação e Psicologia da Universidade de Évora (CIEP-UE) Regulamento do Centro de Investigação em Educação e Psicologia da Universidade de Évora (CIEP-UE) Sob proposta da Directora do CIEP-UE, com parecer favorável da Assembleia de Representantes da Escola de

Leia mais

R E G U L A M E N T O. concurso. mortagua MUNICÍPIO

R E G U L A M E N T O. concurso. mortagua MUNICÍPIO R E G U L A M E N T O concurso de mortagua MUNICÍPIO Regulamento do Concurso Doce de Mortágua Nota Justificativa (nos termos do art.º 116.º do Código do Procedimento Administrativo): Cada vez mais a gastronomia

Leia mais

REGULAMENTO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO. Preâmbulo

REGULAMENTO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO. Preâmbulo REGULAMENTO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO Preâmbulo A Universidade do Porto, doravante designada UP, considera que a protecção e valorização dos resultados de I&D e de outras actividades

Leia mais

VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 1009/2012 de 20 de Julho de 2012

VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 1009/2012 de 20 de Julho de 2012 VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 1009/2012 de 20 de Julho de 2012 O Decreto Regulamentar n.º 84-A/2007, de 10 de dezembro, alterado pelos Decretos

Leia mais

Bélgica-Bruxelas: Apoio a iniciativas voluntárias de promoção da gestão de diversidade no local de trabalho na UE 2014/S 039-063712

Bélgica-Bruxelas: Apoio a iniciativas voluntárias de promoção da gestão de diversidade no local de trabalho na UE 2014/S 039-063712 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:63712-2014:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Apoio a iniciativas voluntárias de promoção da gestão de diversidade no local

Leia mais

Auxílio estatal n SA.32012 (2010/N) Portugal Alteração do regime de auxílios para a modernização empresarial (SIRME)

Auxílio estatal n SA.32012 (2010/N) Portugal Alteração do regime de auxílios para a modernização empresarial (SIRME) COMISSÃO EUROPEIA Bruselas, 16.11.2011 C(2011)8317 final Assunto: Auxílio estatal n SA.32012 (2010/N) Portugal Alteração do regime de auxílios para a modernização empresarial (SIRME) Excelência, Procedimento

Leia mais

MESTRADOS. Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Jornalismo.

MESTRADOS. Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Jornalismo. MESTRADOS REGIME DE FREQUÊNCIA E AVALIAÇÃO JORNALISMO Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Jornalismo. Artigo 2.º Destinatários O Mestrado em Jornalismo

Leia mais

1º STARTUP DAY CHAPECÓ REGULAMENTO

1º STARTUP DAY CHAPECÓ REGULAMENTO 1º STARTUP DAY CHAPECÓ REGULAMENTO 1. DA REALIZAÇÃO O 1º Startup Day Chapecó será realizado pela FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA DO DESENVOLVIMENTO DO OESTE - FUNDESTE, inscrita no CNPJ sob o n. 82.804.642/0001-08,

Leia mais

4.1. A verba máxima disponível por projecto será de 200.000 Euros. A ajuda solicitada poderá ser aplicada para financiar pessoal, aquisição de

4.1. A verba máxima disponível por projecto será de 200.000 Euros. A ajuda solicitada poderá ser aplicada para financiar pessoal, aquisição de Bases reguladoras para a concessão das ajudas destinadas a dar apoio à valorização de projectos de investigação ao abrigo da Rede Universitária Iberoamericana de Incubação de Empresas (RedEmprendia) Em

Leia mais

Estatutos das Distinções Honoríficas da Nobre Casa de Cidadania

Estatutos das Distinções Honoríficas da Nobre Casa de Cidadania Estatutos das Distinções Honoríficas da Nobre Casa de Cidadania Enquadramento A Nobre Casa de Cidadania atua no âmbito da sensibilização e educação para a Cidadania promovendo o exemplo individual como

Leia mais

Anúncio de concurso. Serviços

Anúncio de concurso. Serviços 1 / 8 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:102558-2016:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Serviços de subscrição de periódicos, publicações informativas, bases de

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS CONCESSÃO DE USO PRIVADO DE ESPAÇO DO DOMÍNIO PÚBLICO NO JARDIM MUNICIPAL PARA INSTALAÇÃO E EXPLORAÇÃO DE DIVERSÕES

CADERNO DE ENCARGOS CONCESSÃO DE USO PRIVADO DE ESPAÇO DO DOMÍNIO PÚBLICO NO JARDIM MUNICIPAL PARA INSTALAÇÃO E EXPLORAÇÃO DE DIVERSÕES CADERNO DE ENCARGOS CONCESSÃO DE USO PRIVADO DE ESPAÇO DO DOMÍNIO PÚBLICO NO JARDIM MUNICIPAL PARA INSTALAÇÃO E EXPLORAÇÃO DE DIVERSÕES Cláusula 1ª Princípio geral O presente Caderno de Encargos compreende

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO DE AUDITORIA BANCO ESPÍRITO SANTO, S. A. Artigo 1.º Composição

REGULAMENTO DA COMISSÃO DE AUDITORIA BANCO ESPÍRITO SANTO, S. A. Artigo 1.º Composição REGULAMENTO DA COMISSÃO DE AUDITORIA BANCO ESPÍRITO SANTO, S. A. Artigo 1.º Composição 1. A Comissão de Auditoria do Banco Espírito Santo (BES) (Comissão de Auditoria ou Comissão) é composta por um mínimo

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las PFC Valorização PSI 20 Entidade Emitente:

Leia mais

RMABE-Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo Preâmbulo

RMABE-Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo Preâmbulo RMABE-Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo Preâmbulo Os Municípios são as Autarquias Locais que têm como objectivo primordial a prossecução dos interesses próprios e comuns dos respectivos

Leia mais

Artigo 1.º. Âmbito e objeto

Artigo 1.º. Âmbito e objeto PROJETO DE REGULAMENTO DO CONCURSO PÚBLICO PARA A SELEÇÃO DE INFRAESTRUTURAS DE INVESTIGAÇÃO E SUA INTEGRAÇÃO NO ROTEIRO NACIONAL DE INFRAESTRUTURAS DE INVESTIGAÇÃO DE INTERESSE ESTRATÉGICO Artigo 1.º

Leia mais

REGULAMENTO PARA CONCURSO LOGOTIPO SÍMBOLO LETTERING

REGULAMENTO PARA CONCURSO LOGOTIPO SÍMBOLO LETTERING REGULAMENTO PARA CONCURSO LOGOTIPO SÍMBOLO LETTERING A Administração Regional de Saúde do Norte, I.P. (ARSN) desafia o talento dos alunos de design para a concepção de logótipo, símbolo institucional a

Leia mais