O DESAFIO BRASILEIRO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O DESAFIO BRASILEIRO"

Transcrição

1 O DESAFIO BRASILEIRO 1

2 Principais desafios do comércio mundial para o Brasil O comércio global brasileiro por meio de contêineres principal motor para a globalização do país está crescendo cerca de 4% em 2013, contra 2,3% em A previsão deste ano está abaixo das expectativas anteriores de 8%-9% anunciado em novembro passado. É mais barato enviar um contêiner do Brasil para a China do que transportar carga em um caminhão de Campinas a Santos. O Brasil está em uma guerra global de commodities com outros países da América Latina e da África (ex.: Peru e África do Sul), e ainda assim, as exportações representam apenas 13% do PIB, ante 26% no Peru, 28% na África do Sul, 24% na Índia e 34% no Chile *. O Brasil fornece poucos produtos finais. Produtores brasileiros encontram dificuldade para competir em um país que depende tanto de caminhões como o principal modal de transporte. *2012 Indicadores de Desenvolvimento do Banco Mundial

3 Eficiência portuária global, comparação com os melhores do mundo Comparação de produtividade de Santos com os 20 maiores portos do mundo. Santos conseguiu aumentar a produtividade de 39 (2011) para 64 (2012) BMPH (movimento de atracação por hora). A comparação é feita entre os portos e não entre os terminais, já que há grandes diferenças na capacidade e produtividade entre os terminais de Santos. Fonte: Produtividade de Portos JOC, julho de

4 Contribuição da Maersk para resolver esses desafios MAERSK NO BRASIL 4

5 A.P. Moller - Maersk Group no mundo US$ 60 bilhões em receita 130 países funcionários barris de petróleo por dia 26 unidades de perfuração 70 terminais de contêineres 600 navios de contêineres

6 Oportunidades que agregam valor ao Brasil DESAFIO Gargalos comerciais e custos logísticos Custos logísticos 15 18% do PIB OPORTUNIDADE Expansão das exportações e desenvolvimento econômico Exportação 13% do PIB A receita da Maersk é de USD 1,9 bilhão =0.1% do PIB brasileiro empregos criados em todo o país US$ 373 milhões em compras no Brasil US$ 135 milhões em impostos diretos e indiretos pagos no Brasil 6

7 Grupo A.P. Moller-Maersk investe no Brasil A AP Moller-Maersk está no meio de um programa de investimentos de US$ 6 bilhões, iniciado em Os investimentos no Brasil buscam eliminar os gargalos, bem como desenvolver o negócio de petróleo e gás. A APM Terminals, em conjunto com seu parceiro de joint venture, a Terminal Investment Limited, está investindo cerca de US$ 1 bilhão na BTP terminal para contêineres e granéis líquidos, o que aumentará a capacidade do porto de Santos em 40%. A Maersk Line investiu US$ 2,2 bilhões em 16 novos navios SAMMAX, desenvolvidos especialmente para as águas rasas do Brasil. A Mercosul Line investiu US$ 200 milhões em três novos navios. A Maersk Training está investindo R$ 10 milhões em um novo centro de treinamento inaugurado em 10 de julho de 2013 com simuladores de última geração e com o objetivo de formar brasileiros por ano até 2016.

8 Razões para usar cabotagem Caminhões são excessivamente caros, mas transportam 72 milhões de TEUs por ano, ante 415 mil via cabotagem Se 2,7milhões de contêineres (TEU) fossem transportados via cabotagem ao invés de utilizarem caminhões, isso reduziria: Emissões em 4,4 milhões de toneladas de CO 2 Acidentes rodoviários em aproximadamente 36 mil Custos de manutenção de estradas em US$125 milhões Cenário brasileiro: acidentes rodoviários por ano Fonte: Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (2010) Fonte: IPEA & DENATRAN, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada e Departamento Nacional de Trânsito (2006) 8

9 SAMMAX Como MAXimizamos o comércio no Brasil Navios sob medida para as condições locais Transporta até contêineres (TEUs) e navega em águas rasas 10% mais eficiente no consumo de combustível 37% de melhoria na produtividade de atracação contêineres (TEUs) aumento no potencial de comércio Isso corresponde a laranjas! 9

10 Contêineres por atracação Movimento de atracação por hora (BMPH) SAMMAX x Navios anteriores da Maersk 72% a mais de contêineres por atracação e BMPH 37% superior Contêineres por atracação, SAMMAX x outras embarcações Produtividade (BMPH), SAMMAX x outras embarcações Navios anteriores Others da Maersk vessels SAMMAX Navios anteriores Others da Maersk vessels SAMMAX Nota: Fonte: As outras embarcações da Maersk têm capacidade de TEUs e foram substituídas pelo SAMMAX. Maersk Line Nota: Fonte: As outras embarcações da Maersk têm capacidade de TEUs e foram substituídas pelo SAMMAX. Maersk Line 10

11 Solução para os gargalos de infraestrutura BTP: Impulsiona o comércio e o desenvolvimento em Santos 40% de aumento na capacidade de contêiner em Santos empregos durante a construção O aumento do portencial de comércio é avaliado em US$15,3 bilhões por ano empregos durante a fase operacional Empregos indiretos quando o terminal iniciar as operações US$100 milhões em impostos por ano Brasil Terminal Portuário (BTP) no Porto de Santos 11

12 Temos que nos preparar para um HUB System Os navios internacionais estão aumentando de tamanho Navios Atuais TEU Próxima geração TEU Infraestrutura de Terminais em desenvolvimento HUB para o Brasil e América do Sul Fortalecimento da cabotagem 12

13 OBRIGADO!

14 29 de Abril de 2015 A.P. Moller-Maersk Group Comércio no Brasil 14

15 Pares globais ultrapassam o Brasil O Brasil é a 7ª maior economia global, com 200 milhões de habitantes, mas o movimento nos portos em 2012 foi de apenas 8 milhões de TEUs equivalente a carga movimentada no porto de Los Angeles. Santos, o maior porto de contêineres do Brasil e o mais movimentado da América do Sul, ocupa apenas o 42ª posição entre os maiores portos de contêineres do mundo em termos de tráfego, com 3 milhões de TEUs movimentados em Um contêiner com commodities ou produtos finais demora, em média, 21 dias para ser liberado após a chegada no porto de Santos. Em Rotterdam, a média é de dois dias. Os navios de cabotagem também lidam com o excesso de burocracia. Cada vez que atracam em um porto, eles preenchem os mesmos papéis novamente, como se estivessem navegando por águas internacionais. O Brasil ocupa a 84ª posição no ranking de 132 países do Índice Enabling Trade do Fórum Econômico Mundial (2012). Os principais problemas são custo alto/atrasos causados pelo transporte doméstico, barreiras tarifárias e não-tarifárias e procedimentos onerosos de importação. O Brasil ocupa a 123ª posição no ranking de 185 países no Índice Ease of Doing Business (2013) do Banco Mundial, que mensura tempo, custo e documentação para a exportação ou importação de produtos.

16 Milhões TEU Índice de Qualidade Por que o Brasil está ficando para trás? O tráfego de contêiners triplicou, e mesmo assim não houve melhorias na infraestrutura dos portos = Gargalos com altos custos logísticos. Tráfego de Contêineres nos Portos, Brasil, ,0 8,0 7,9 Qualidade de infraestrutura portuária, Brasil, ,0 6,0 5,0 4, ,6 2,7 3,0 2,0 1,0 2, , Ano Fonte: Anuário de Conteinerização Internacional, 2012 Grau: 1=Extramemente subdesenvolvido; 7=Bem desenvolvido e eficiente pelas normas internacionais Fonte: Banco Mundial, Fórum Econômico Mundial, Relatório de Competitividade Global, Ano

17 O que está elevando os custos logísticos no Brasil Despesas médicas relacionadas a acidentes rodoviários chegam a US$3,7 bilhões anuais Acesso inadequado aos portos Maior tempo de espera nos portos Acidentes rodoviários Reparos e manutenção de estradas Custos médicos relacionados Burocracia Alfândega Falta de mão de obra qualificada Taxas de frete de caminhões Roubo de carga de caminhões Danos a carga Manutenção de estradas Em 2011, o Brasil gastou US$ 16,6 bilhões na reconstrução, restauração e manutenção em km de seus km aproximados de estradas pavimentadas. Custos médicos Os custos médicos relacionados a acidentes rodoviários são estimados em US$ 3,7 bilhões ao ano. Esse é o segundo custo de saúde mais alto para o país, seguido da desnutrição. Taxas de frete Taxas de frete rodoviário são cerca de 3-4 vezes maiores do que o frete para transporte via cabotagem. Acidentes nas estradas Acidentes rodoviários são a segunda principal causa de mortes por lesões no Brasil, perdendo apenas para homicídios, e estão substancialmente acima de mortes por suicídios. Roubo de carga Brasil é um dos três países, junto com o México e a África do Sul, com maior risco de roubo de cargas de caminhões. Danos a carga Apenas cerca de 15-16% das rodovias brasileiras são pavimentadas, uma das principais razões pela danificação de mercadorias durante o transporte.

18 Acesso precário aos portos eleva custos logísticos O custo do transporte rodoviário para Santos é 25-40% mais caro do que para outros grandes portos Estradas de acesso obstruídas no Porto de Santos Estudo de 2012 do Banco Mundial conclui que o transporte terrestre é o gargalo mais importante em Santos. Apenas uma pequena fração do transporte fretado para Santos é realizada em transporte intermodal, devido à insuficiência de ferrovias e à falta de integração dos modais. A grande maioria dos clientes precisa usar o transporte rodoviário. Os custos de transporte terrestre podem ser reduzidos pelo uso de soluções intermodais, que são de 16% a 20% mais econômicas. Acidentes frequentes nas estradas de acesso provocam longos engarrafamentos

19 Horas Horas % Gargalos estão aumentando no porto de Santos Em 2012, o tempo de espera foi de 16 horas, e está aumentando, assim como a proporção total de tempo nos portos Tempo de Espera, Santos, Tempo total de Estadia no Porto, Santos, % % % % Ano 0% Tempo de espera (% de tempo no Waiting time (% of port time) Berthing Tempo para time atracação (% of port (% porto) time) de tempo no porto) Port Tempo time no (hours) porto (horas) Nota: O tempo de espera é definido como o tempo desde a chegada dos navios nos portos até a atracação para a movimentação de carga. Fonte: Estatísticas da Antaq - "Indicadores de Desempenho Operacional" Nota: O tempo no porto é definido como o tempo de espera e tempo no cais. Fonte: Estatísticas da Antaq - "Indicadores de Desempenho Operacional"

20 Custo da burocracia nos portos brasileiros Evidências sugerem que os atrasos na liberação alfandegária em países da América Latina e Caribe aumentam os custos de transporte entre 4% a 12%. Ou seja, se o tempo para o desembaraço aduaneiro for reduzido pela metade, os custos de transporte podem ser reduzidos pelo mesmo percentual (Guasch e Schwartz, 2008). (O Brasil figura entre os piores em termos de alfândega na região, veja acima) Segundo estimativas, a escassez de armazenagem no Brasil é de cerca de 40 milhões de toneladas por ano. Se o Brasil dobrar seu número de terminais intermodais de transferência dos atuais 250, os custos de inventário total e de armazenagem poderiam ser reduzidos em até US$ 1 bilhão por ano. (Guasch, 2011)

21 Cabotagem: reduzindo os custos do comércio Redução dos custos de transporte via navegação costeira Custos extras dos caminhões para empresas privadas O uso excessivo de caminhões eleva os custos devido a congestionamentos, demora e falta de previsibilidade de entrega da carga, roubo e danos. As taxas de frete rodoviário são cerca de 3 a 4 vezes superiores as de navegação costeira. Isso reduz o potencial de comércio e enfraquece a competitividade nacional. Cabotagem tem potencial sócioeconômico Estimamos que 2,7 milhões de TEUs podem ser transferidos de caminhões para navios costeiros. Esta é uma parcela relativamente pequena do volume total transportado por caminhão, mas poderia corresponder a um aumento de 700% no volume transportado via cabotagem no Brasil. Isso reduziria os acidentes rodoviários em aproximadamente por ano; os custos de acidentes entre US$ 1,5 e US$ 1,7 bilhão; e a manutenção das estradas em US$ 125 milhões. Comércio reduzido Muitos caminhões Altos custos econômicos extras Poucos navios Custos ocultos dos caminhões para os contribuintes Os caminhões tem alto custo sócio-econômico. A cabotagem representa apenas 4% do total do transporte rodoviário, mas em comparação com os caminhões, a navegação costeira impede acidentes rodoviários por ano e proporciona uma economia de US$ 189 a US$ 212 milhões em custos com manutenção de estradas e acidentes, além de emitir 500 mil toneladas de CO2 a menos. Os custos logísticos no Brasil são altos, cerca de 15% a 18% do PIB. Uma razão para isso é o uso extensivo de caminhões em comparação a outros modais, como trens e navios. Atualmente, os modais no Brasil são divididos em 58% caminhões, 25% trem, 13% navio e 4% aéreo e oleoduto. Apesar de uma longa faixa costeira de cerca de km, com 40 portos, e população nas proximidades da costa, o Brasil é culturalmente mais dependente de caminhões. O potencial de navegação de cabotagem ainda não foi totalmente explorado no Brasil. A Mercosul Line é uma das quatro empresas de transporte no Brasil que oferece cabotagem.

22 Maersk Line: reduzindo os custos do comércio O SAMMAX atenua as consequências dos atrasos de dragagem e de águas rasas No Porto de Santos, os navios SAMMAX melhoraram o tempo de carga e descarga geral do porto em cerca de 7%. As embarcações têm o potencial de aumentar o comércio em TEUs por ano. Enquanto as emissões de CO2 aumentam em termos absolutos, o dano causado por um contêiner seria menor, tendo em vista que o SAMMAX é 10% mais eficiente no consumo de energia em comparação com outras embarcações do mesmo tamanho. Alta produtividade portuária Portos precários Superando os gargalos Atrasos de dragagem Os portos brasileiros precisam de mais capacidade e maior produtividade. Muitos portos brasileiros estão localizados em rios. A combinação de águas rasas e um considerável atraso de dragagem limita a capacidade dos portos a embarcações menores. SAMMAX eleva a capacidade apesar dos atrasos de dragagem e águas rasas Cada vez que um navio SAMMAX atraca em um porto brasileiro, ele entrega mais contêineres do que os antigos navios da Maersk, e em maior velocidade. Isso significa que tanto a capacidade quanto a produtividade são maiores para as embarcações SAMMAX, gerando um impacto direto sobre o desempenho global do porto. Em 2011, a Maersk Line colocou em operação 16 novas embarcações SAMMAX em seus serviços entre a América do Sul, Europa e Ásia. Os navios são projetados de maneira que lhes permita a atracação na maioria dos portos brasileiros, ao mesmo tempo em que transportam até TEUs. SAMMAX é um acrônimo em inglês para South America Maximum. 22

23 BTP ajudará a reduzir os custos atuais do comércio em 8% BTP elimina gargalos e aumenta o comércio A BTP tem potencial para reduzir os altos custos do transporte marítimo em até 8% e aumentar o comércio entre e TEUs, correspondentes a um valor comercial de US$ 6 a 8 bilhões. Nos próximos anos, a BTP vai evitar uma perda de 5% no comércio, o que corresponde a TEUs e a um valor comercial de US$ 7,4 bilhões. Em 2010, a APM Terminals adquiriu 50% das ações da Brasil Terminal Portuário (BTP), um novo terminal de contêineres em Santos. A BTP terá capacidade de 1,2 milhão de TEUs quando entrar em operação sua primeira fase. Considerando que o porto de Santos tem atualmente uma taxa de movimentação de 3,2 milhões de TEUs, a BTP vai aumentar a capacidade portuária total em 40%. A expectativa é que a BTP tenha uma produtividade de 80 contêineres por hora e receba navios com capacidade de até TEUs assim que estiver operando por completo. Clientes enfrentam custos crescentes O Banco Mundial (2012) estima que as sobretaxas para o atraso na entrega de um produto cheguem a US$ 700 milhões por ano no Brasil devido à falta de terminais. A Confederação Nacional da Agricultura avalia que os produtores brasileiros são no mínimo 20% menos rentáveis em relação a outras nações exportadoras de grãos por conta do transporte ineficiente. 23

24 BTP ajudará a melhorar o fluxo em Santos Acesso rodoviário é questão importante Estradas de acesso precário e com capacidade insuficiente são uma parte importante do problema. A maioria dos contêineres é transportada por caminhões para o porto de Santos e as vias atuais de acesso não são capazes de lidar com o tráfego. Isso resulta em graves congestiomentos, que elevam o custo do transporte entre 25% e 40% no porto de Santos. A BTP chegou a um acordo com a Autoridade Portuária de Santos para avançar as obras em cerca de 1000 metros no início da estrada principal do porto (Perimetral). Ao mesmo tempo, o projeto contempla uma via lateral e um portão para estacionamento para eliminar qualquer impacto sobre a avenida decorrente das operações. Porto de Santos perde velocidade Os terminais de contêineres no porto de Santos estão atingindo a capacidade limite e aumentando o tempo de espera e o tempo de estadia no porto. O tempo de espera total subiu de 24% em 2003 para 44% em A produtividade não avançou o suficiente para diminuir o tempo de atracação, que é constante desde O aumento do tempo de espera é o principal motivo para a elevação do tempo de estadia no porto de 26 horas em 2003 para 35 horas em 2012.

25 Nossos Executivos Mario Veraldo Diretor Comercial da Maersk Line Brasil Paulo Simoes Diretor de Relações Institucionais da BTP Roberto Rodrigues Diretor Presidente da Mercosul Line Peter Gyde CEO da Maersk Line Brasil

26 EM BUSCA DE NOVAS SOLUÇÕES 26

27 Comércio no Brasil: Soluções para os gargalos logísticos atuais Estamos convidando stakeholders e especialistas para um seminário, que será realizado no dia 6 de Novembro, a fim de discutir os grandes desafios, catalisar um novo pensamento e soluções para: Infraestrutura terrestre Cabotagem Produtividade portuária Educação O conteúdo gerado no seminário resultará em um relatório com recomendações concretas para elevar a competitividade do Brasil no comércio global. 27

28 Soluções para quatro desafios irão impulsionar o comércio Infraestrutura terrestre: Grandes projetos de terminais no Porto de Santos entram em operação este ano (incluindo a BTP), e, com isso, a capacidade do porto não é mais um problema. O principal obstáculo agora é terrestre: acessos rodoviários precários e falta de infraestrutura ferroviária. Cabotagem: Oportunidade para aumentar o uso de hidrovias para o transporte de contêineres e, assim, reduzir a dependência excessiva em caminhões no mix logístico. Produtividade nos portos: Aumentar a eficácia das operações aduaneiras e reduzir a burocracia nos portos. Educação: Há uma grave escassez de mão de obra qualificada nos setores de transporte marítimo, portos e offshore. Este problema retarda a internacionalização do Brasil e limita a competitividade da indústria.

Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados,

Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, Deputado Edson Ezequiel PMDB/RJ 19/05/2014 Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, Venho a esta tribuna para falar de um assunto altamente preocupante para o nosso país. Trata-se do CUSTO BRASIL,

Leia mais

A A Mineração e o Novo Cenário Socioeconômico Painel 3: A Infraestrutura no Brasil e a Expansão da Produção dos Bens Minerais José de Freitas Mascarenhas Vice-Presidente e Presidente do Coinfra (CNI) Belo

Leia mais

Logística do Agronegócio: Entraves e Potencialidades para o setor. Andréa Leda Ramos de Oliveira Pesquisadora Científica andrealeda@gmail.

Logística do Agronegócio: Entraves e Potencialidades para o setor. Andréa Leda Ramos de Oliveira Pesquisadora Científica andrealeda@gmail. Logística do Agronegócio: Entraves e Potencialidades para o setor Andréa Leda Ramos de Oliveira Pesquisadora Científica andrealeda@gmail.com Algumas Questões Estamos no caminho correto do desenvolvimento

Leia mais

Logística e desenvolvimento regional PRISCILA SANTIAGO

Logística e desenvolvimento regional PRISCILA SANTIAGO Logística e desenvolvimento regional PRISCILA SANTIAGO Brasília, 27 de agosto de 2013 O setor de transporte no Brasil Agente indutor de desenvolvimento e integração; Histórico de baixos investimentos em

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM TRANSPORTES

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM TRANSPORTES DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM TRANSPORTES Sistema de Tranporte Sob qualquer ponto de vista econômico, político e militar o transporte é,, inquestionavelmente, a indústria mais importante no mundo. Congresso

Leia mais

Entraves às exportações brasileiras limitam o crescimento das vendas ao exterior

Entraves às exportações brasileiras limitam o crescimento das vendas ao exterior propostas de política comercial Entraves às exportações brasileiras limitam o crescimento das vendas ao exterior Marcelo Souza Azevedo O Brasil não pode cair na armadilha de acreditar que o mercado consumidor

Leia mais

APIMEC SP. Mauro Dias Diretor Presidente e de Relações com Investidores. 8 de Agosto de 2007

APIMEC SP. Mauro Dias Diretor Presidente e de Relações com Investidores. 8 de Agosto de 2007 APIMEC SP Mauro Dias Diretor Presidente e de Relações com Investidores 8 de Agosto de 2007 1 Agenda A Log-In Logística Intermodal A Indústria Performance Estratégia 2 A Log-In Logística Intermodal 3 Único

Leia mais

A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências

A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências Prof. Manoel A. S. Reis, PhD I SEMINÁRIO DE INFRAESTRUTURA DA BRITCHAM Segmento de Transportes no Brasil São Paulo 18 de Novembro de 2010 1. Características

Leia mais

64 FÓRUM DE DEBATES BRASILIANAS.ORG LOGÍSTICA E INTEGRAÇÃO TERRITORIAL NO BRASIL

64 FÓRUM DE DEBATES BRASILIANAS.ORG LOGÍSTICA E INTEGRAÇÃO TERRITORIAL NO BRASIL 64 FÓRUM DE DEBATES BRASILIANAS.ORG LOGÍSTICA E INTEGRAÇÃO TERRITORIAL NO BRASIL PALESTRA: DESAFIOS DA INFRAESTRUTURA AQUAVIÁRIA Painel - Um modelo institucional para a infraestrutura logística dentro

Leia mais

Riscos versus Oportunidades. Riscos versus Oportunidades no BRASIL

Riscos versus Oportunidades. Riscos versus Oportunidades no BRASIL Riscos versus Oportunidades Riscos versus Oportunidades no BRASIL Um parceiro de confiança / www.portugalglobal.pt Riscos versus Oportunidades no BRASIL Tendências de Mercado CURTO E MÉDIO PRAZOS Contração

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E TRANSPORTES PROF. JUTORIDES

TELECOMUNICAÇÕES E TRANSPORTES PROF. JUTORIDES TELECOMUNICAÇÕES E TRANSPORTES PROF. JUTORIDES Prof. - Prof. - Prof. 1998: Privatização da telefonia; Em 1997, antes da privatização, o Brasil tinha 17 milhões de linhas fixas em serviço e 4,5 milhões

Leia mais

Apresentação: Cesar Meireles, MSc.

Apresentação: Cesar Meireles, MSc. Apresentação: Cesar Meireles, MSc. Qual agenda positiva é necessária para ser discutida em ano eleitoral para alavancar novos investimentos? Sobreposição de funções institucionais. Racionalização dos papéis

Leia mais

MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA

MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA Rodrigo Vilaça Diretor-Executivo da ANTF São Paulo, dia 11 de maio de 2010 MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA Fórum de Transporte Multimodal de Cargas Os entraves na Multimodalidade e a Competitividade Associação

Leia mais

SIMULAÇÃO DA UTILIZAÇAO DO MODAL MARÍTIMO DE CABOTAGEM COMO ALTERNATIVA AO MODAL RODOVIÁRIO

SIMULAÇÃO DA UTILIZAÇAO DO MODAL MARÍTIMO DE CABOTAGEM COMO ALTERNATIVA AO MODAL RODOVIÁRIO SIMULAÇÃO DA UTILIZAÇAO DO MODAL MARÍTIMO DE CABOTAGEM COMO ALTERNATIVA AO MODAL RODOVIÁRIO Filipe de Freitas Aguiar (UNIFEB) filipe.aguiar68@yahoo.com.br Gilberto Domingues Junior (UNIFEB) gilberto.domingues.junior@gmail.com

Leia mais

Congestionamento de Porto + Desembaraço + Infraestrutura = Impacto no Custo Brasil Fabiana Nakai, Gerente de Soluções para Clientes, Automotivo

Congestionamento de Porto + Desembaraço + Infraestrutura = Impacto no Custo Brasil Fabiana Nakai, Gerente de Soluções para Clientes, Automotivo Congestionamento de Porto + Desembaraço + Infraestrutura = Impacto no Custo Brasil Fabiana Nakai, Gerente de Soluções para Clientes, Automotivo Outubro, 2013 UTi Provedor de Soluções Logísticas Financeiro

Leia mais

O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira

O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira Mauro Dias Diretor-Presidente 1 Seminário Cabotagem Brasileira Agosto 2009 Mercado de Cabotagem de Contêineres O mercado de contêineres

Leia mais

A Importância da Logística para o Desenvolvimento Regional Wagner Cardoso

A Importância da Logística para o Desenvolvimento Regional Wagner Cardoso A Importância da Logística para o Desenvolvimento Regional Wagner Cardoso Secretário-Executivo do Conselho de Infraestrutura da Confederação Nacional da Indústria CNI Brasília, 4 de maio de 2011 1 Qualidade

Leia mais

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014 Logística, Supply Chain e Infraestrutura Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura Autores Paulo Tarso Vilela de Resende Paulo Renato de Sousa Bolsistas Fapemig

Leia mais

Custeio do Transporte Aquaviário - Ferroviário - Aéreo - Dutoviário de Cargas

Custeio do Transporte Aquaviário - Ferroviário - Aéreo - Dutoviário de Cargas Custeio do Transporte Aquaviário - Ferroviário - Aéreo - Dutoviário de Cargas SUMÁRIO 1. Link Aula Anterior; 2. Conceitos Gerais de Custos de Transporte; 3. Decisões que afetam os custos; 4. Fatores que

Leia mais

José de F. Mascarenhas Presidente do Conselho de Infraestrutura da CNI

José de F. Mascarenhas Presidente do Conselho de Infraestrutura da CNI José de F. Mascarenhas Presidente do Conselho de Infraestrutura da CNI Os nós da infraestrutura OS CENÁRIOS CONSIDERADOS Patinando na infraestrutura deficitária Atingindo a velocidade de cruzeiro Para

Leia mais

Navegação de Cabotagem no Brasil. João Guilherme Araujo. Novembro/2013

Navegação de Cabotagem no Brasil. João Guilherme Araujo. Novembro/2013 Navegação de Cabotagem no Brasil João Guilherme Araujo Novembro/2013 Agenda Porque falar de Cabotagem? Cabotagem no Brasil Pontos Favoráveis e Desfavoráveis Números da Cabotagem no Brasil Cabotagem de

Leia mais

Navegação de Cabotagem

Navegação de Cabotagem Reunião Conjunta Câmaras Setoriais da Cadeia Produtiva de Milho e Sorgo e da Cadeia Produtiva de Aves e Suínos Identificação das formas de movimentação dos excedentes de milho no Brasil Navegação de Cabotagem

Leia mais

Logística. Oliveira, Felipe Flausino de. O48l Logística: modais / Felipe Flausino de Oliveira. Varginha, 2015. 40 slides; il.

Logística. Oliveira, Felipe Flausino de. O48l Logística: modais / Felipe Flausino de Oliveira. Varginha, 2015. 40 slides; il. Logística Oliveira, Felipe Flausino de. O48l Logística: modais / Felipe Flausino de Oliveira. Varginha, 2015. 40 slides; il. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World Wide Web 1. Logística

Leia mais

A PRODUÇÃO AGRÍCOLA SOBRE TRILHOS EM MATO GROSSO. Valéria Cristina Campos¹

A PRODUÇÃO AGRÍCOLA SOBRE TRILHOS EM MATO GROSSO. Valéria Cristina Campos¹ A PRODUÇÃO AGRÍCOLA SOBRE TRILHOS EM MATO GROSSO Valéria Cristina Campos¹ Resumo. A eficiência ferroviária em transporte de grandes quantidades a grandes distâncias, adequada aos países de dimensões continentais

Leia mais

As Dificuldades para o Transporte de Carga Geral na Cabotagem Brasileira

As Dificuldades para o Transporte de Carga Geral na Cabotagem Brasileira As Dificuldades para o Transporte de Carga Geral na Cabotagem Brasileira A matriz brasileira de transporte de cargas é distorcida quando comparada à de países com extensões e características geográficas

Leia mais

Prof. Esp. Romoaldo J S do Carmo E-mail: romoaldo.carmo@hotmail.com Prof.: Romoaldo J S do Carmo

Prof. Esp. Romoaldo J S do Carmo E-mail: romoaldo.carmo@hotmail.com Prof.: Romoaldo J S do Carmo Prof. Esp. Romoaldo J S do Carmo E-mail: romoaldo.carmo@hotmail.com Comércio Exterior UNIPAC Logística Internacional: Conceitos Estratégias Modais Transportes Tendências Logística Internacional CONCEITOS

Leia mais

ENCONTRO 4 Transporte Rodoviário e Ferroviário

ENCONTRO 4 Transporte Rodoviário e Ferroviário ENCONTRO 4 Transporte Rodoviário e Ferroviário ENCONTRO 4 Transporte Rodoviário e Ferroviário TÓPICO 1: Contextualizando o encontro Olá! No encontro passado você conheceu as particularidades e características

Leia mais

Gargalos logísticos e o novo corredor de exportação agrícola pelo norte do país

Gargalos logísticos e o novo corredor de exportação agrícola pelo norte do país Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais Gargalos logísticos e o novo corredor de exportação agrícola pelo norte do país Seminários Folha de S.Paulo - Fórum de Exportação Daniel Furlan Amaral

Leia mais

Logística Integrada na Prestação de Serviços de Cabotagem De Porto-a-Porto a Porta-a-Porta

Logística Integrada na Prestação de Serviços de Cabotagem De Porto-a-Porto a Porta-a-Porta Logística Integrada na Prestação de Serviços de Cabotagem De Porto-a-Porto a Porta-a-Porta Renata de Oliveira Carvalho. Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Negócios da Universidade

Leia mais

Eixo Temático: Estratégia e Internacionalização de Empresa MODAL FLUVIAL: UMA ALTERNATIVA DE ESCOAMENTO DE MERCADORIAS A SEREM EXPORTADAS

Eixo Temático: Estratégia e Internacionalização de Empresa MODAL FLUVIAL: UMA ALTERNATIVA DE ESCOAMENTO DE MERCADORIAS A SEREM EXPORTADAS Eixo Temático: Estratégia e Internacionalização de Empresa MODAL FLUVIAL: UMA ALTERNATIVA DE ESCOAMENTO DE MERCADORIAS A SEREM EXPORTADAS MODAL FLUVIAL: AN ALTERNATIVE FLOW OF GOODS TO BE EXPORTED RESUMO

Leia mais

Transformando Crise em Oportunidade

Transformando Crise em Oportunidade ESTUDOS E PESQUISAS Nº 478 Transformando Crise em Oportunidade Otávio M. Azevedo * XXV Fórum Nacional (Jubileu de Prata 1988/2013) O Brasil de Amanhã. Transformar Crise em Oportunidade. Rio de Janeiro,

Leia mais

Aspectos atuais da navegação de Interior, Cabotagem e Longo Curso

Aspectos atuais da navegação de Interior, Cabotagem e Longo Curso Aspectos atuais da navegação de Interior, Cabotagem e Longo Curso Nelson Carlini 26 de Agosto de 2015 Hidrovias Europa Movimentação e Matriz Modal Diferentemente do Brasil, as hidrovias na Europa são largamente

Leia mais

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm ESTUDO DA CNT APONTA QUE INFRAESTRUTURA RUIM AUMENTA CUSTO DO TRANSPORTE DE SOJA E MILHO As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm impacto significativo na movimentação

Leia mais

2o. Congresso Brasileiro de Supply Chain & Logística

2o. Congresso Brasileiro de Supply Chain & Logística 2o. Congresso Brasileiro de Supply Chain & Logística O Grande Desafio do Supply Chain e da Logística: o limite da Infraestrutura Brasileira 23 E 24 DE MARÇO HILTON MORUMBI SÃO PAULO, Brasil WTG-World Trade

Leia mais

2o. Congresso Brasileiro de Supply Chain & Logística

2o. Congresso Brasileiro de Supply Chain & Logística 2o. Congresso Brasileiro de Supply Chain & Logística O Grande Desafio do Supply Chain e da Logística: o limite da Infraestrutura Brasileira 23 e 24 DE MARÇO HILTON MORUMBI SÃO PAULO, Brasil WTG-World Trade

Leia mais

Bruno Batista Diretor Executivo da CNT Brasília, Abril de 2009

Bruno Batista Diretor Executivo da CNT Brasília, Abril de 2009 Gargalos no Sistema de Transporte de Cargas no Brasil Bruno Batista Diretor Executivo da CNT Brasília, Abril de 2009 Panorama do Transporte Composição da Matriz de Transportes comparação outros países

Leia mais

Connections with Leading Thinkers

Connections with Leading Thinkers Instituto de Alta Performance Connections with Leading Thinkers A economista Fernanda de Negri discute os méritos e deficiências das políticas de inovação brasileiras. Fernanda De Negri é diretora de Estudos

Leia mais

O Terminal Desempenho Operacional. Financeiro Acessibilidade ao Porto Desenvolvimento de Negócios

O Terminal Desempenho Operacional. Financeiro Acessibilidade ao Porto Desenvolvimento de Negócios TECON Salvador O Terminal Desempenho Operacional Financeiro Acessibilidade ao Porto Desenvolvimento de Negócios TECON Salvador Antes da Expansão Sem os portêineres, o cais de Ligação era voltado para a

Leia mais

ASPECTOS DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL SOB A ÓTICA DA LOGÍSTICA. J. G. VANTINE Campinas, 10 de Novembro de 2010

ASPECTOS DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL SOB A ÓTICA DA LOGÍSTICA. J. G. VANTINE Campinas, 10 de Novembro de 2010 ASPECTOS DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL SOB A ÓTICA DA LOGÍSTICA J. G. VANTINE Campinas, 10 de Novembro de 2010 1 GASES DE EFEITO ESTUFA Fonte: Cetesb / Fiesp 2 GEE POR SETOR Fonte: Cetesb / Fiesp 3 EMISSÕES

Leia mais

Resumo do Estudo da Oxford Economics sobre o Impacto Econômico do projeto Hub Nordeste Brasil, encomendado pelo Grupo LATAM

Resumo do Estudo da Oxford Economics sobre o Impacto Econômico do projeto Hub Nordeste Brasil, encomendado pelo Grupo LATAM Resumo do Estudo da Oxford Economics sobre o Impacto Econômico do projeto Hub Nordeste Brasil, encomendado pelo Grupo LATAM Data da divulgação do estudo 17/09/2015 CONTEXTO A consultoria Oxford Economics,

Leia mais

Conjuntura Global Dá uma Guinada Rumo ao Desenvolvimento

Conjuntura Global Dá uma Guinada Rumo ao Desenvolvimento Volume 11, Number 4 Fourth Quarter 2009 Conjuntura Global Dá uma Guinada Rumo ao Desenvolvimento As economias pelo mundo estão emergindo da recessão, embora em diferentes velocidades. As economias em desenvolvimento

Leia mais

Janeiro 2016. PORTO DO AÇU Soluções de Infraestrutura para o Brasil

Janeiro 2016. PORTO DO AÇU Soluções de Infraestrutura para o Brasil Janeiro 2016 PORTO DO AÇU Soluções de Infraestrutura para o Brasil Estrutura Societária 74,3% 6,7% Outros Minoritários 19% FERROPORT PORTO DO AÇU GNA AÇU PETROLEO T-MULT BP-PRUMO 100% 100% 100% 50% 20%

Leia mais

A palavra transporte vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Transporte é o movimento de pessoas ou coisas de um lugar para

A palavra transporte vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Transporte é o movimento de pessoas ou coisas de um lugar para A palavra transporte vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Transporte é o movimento de pessoas ou coisas de um lugar para outro. Os transportes podem se distinguir pela possessão:

Leia mais

Integração latino-americana no contexto da crise mundial: a perspectiva empresarial 27/09/2011 Comissão de Assuntos Sociais

Integração latino-americana no contexto da crise mundial: a perspectiva empresarial 27/09/2011 Comissão de Assuntos Sociais Integração latino-americana no contexto da crise mundial: a perspectiva empresarial 27/09/2011 Comissão de Assuntos Sociais Temas da Apresentação 1. Exportação de Serviços de Engenharia e Integração Regional

Leia mais

O Futuro da Economia Brasileira: baixa eficiência e baixo crescimento? Pedro Cavalcanti Ferreira Fundação Getulio Vargas

O Futuro da Economia Brasileira: baixa eficiência e baixo crescimento? Pedro Cavalcanti Ferreira Fundação Getulio Vargas O Futuro da Economia Brasileira: baixa eficiência e baixo crescimento? Pedro Cavalcanti Ferreira Fundação Getulio Vargas Pontos Principais Teorias e políticas de crescimento tradicionais enfatizaram o

Leia mais

PRONUNCIAMENTO SOBRE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES

PRONUNCIAMENTO SOBRE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES PRONUNCIAMENTO SOBRE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Senadores, Amigos que nos assistem e nos ouvem pela Rádio Senado e pela TV Senado Há poucos dias, um fato foi amplamente

Leia mais

Global Index Innovation 2015 Highlights

Global Index Innovation 2015 Highlights Global Index Innovation 2015 Highlights 141 países avaliados. Brasil: 70º lugar geral em 2015 (61º lugar em 2014). - 1º lugar: Suíça - 2º lugar: Reino Unido - 3º lugar: Suécia Top Performers Renda Alta

Leia mais

A logística para exportação de frutas do Brasil e do Chile

A logística para exportação de frutas do Brasil e do Chile Comparativo A logística para exportação de frutas do Brasil e do Chile Rufino Fernando Flores Cantillano* Goiabas em embalagens de feijoa: específicas para o transporte a longa distância A logística de

Leia mais

REVISTA CONTEÚDO COMÉRCIO INTERNACIONAL: UM ESTUDO DAS PRINCIPAIS DIFICULDADES ENCONTRADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO COMÉRCIO EXTERIOR 1

REVISTA CONTEÚDO COMÉRCIO INTERNACIONAL: UM ESTUDO DAS PRINCIPAIS DIFICULDADES ENCONTRADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO COMÉRCIO EXTERIOR 1 COMÉRCIO INTERNACIONAL: UM ESTUDO DAS PRINCIPAIS DIFICULDADES ENCONTRADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO COMÉRCIO EXTERIOR 1 Leibi Roque 2 RESUMO O presente artigo tem como propósito identificar os principais

Leia mais

EQUIPE DE PROJETO NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM

EQUIPE DE PROJETO NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM EQUIPE DE PROJETO NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM Brasília, Outubro de 2015 EQUIPE DE PROJETO INTRODUÇÃO E MOTIVAÇÃO A área marítima e portuária deverão atrair no próximos anos muitos investimentos; Motivos para

Leia mais

Desafio Logístico 2013

Desafio Logístico 2013 1 Desafio Logístico 2013 Índice Introdução 3 A situação O desafio 5 5 Regras gerais 6 2 Introdução O desenvolvimento econômico do Brasil enfrenta inúmeros desafios sendo que um dos mais complexos está

Leia mais

REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES CORREDOR DO ATLÂNTICO

REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES CORREDOR DO ATLÂNTICO RTE-T -CEF REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES CORREDOR DO ATLÂNTICO Rui Rodrigues - Consultor 3 de Outubro de 2014 Congresso da APAT TEMAS EM DEBATE PREÇO DO PETRÓLEO CUSTOS DO TRANSPORTE PROBLEMA DA DIFERENÇA

Leia mais

Operador de Transporte Multimodal: Desafios e Perspectivas. André Dulce G. Maia Especialista em Regulação - ANTT

Operador de Transporte Multimodal: Desafios e Perspectivas. André Dulce G. Maia Especialista em Regulação - ANTT Operador de Transporte Multimodal: Desafios e Perspectivas André Dulce G. Maia Especialista em Regulação - ANTT Lei 9.611, de 19 de fevereiro de 1998 Art. 2º - Transporte Multimodal de Cargas é aquele

Leia mais

32º Seminário de Logística

32º Seminário de Logística 32º Seminário de Logística Antônio Bacelar Teixeira Painel 3: Impacto da Logística na competitividade da Siderurgia 1 A provocação e o desafio... Seminário ABM 2012 (BH) (Leal / Rogério / Carlos Fernandes)

Leia mais

PANORAMA MUNDIAL DA EDUCAÇÃO E O BRASIL: CENÁRIOS E PERSPECTIVAS

PANORAMA MUNDIAL DA EDUCAÇÃO E O BRASIL: CENÁRIOS E PERSPECTIVAS PANORAMA MUNDIAL DA EDUCAÇÃO E O BRASIL: CENÁRIOS E PERSPECTIVAS Márcio de Souza Pires, Dr.¹ A educação mundial é fortemente analisada e acompanhada por importantes instituições, em busca de avanços no

Leia mais

A navegação de cabotagem no Brasil

A navegação de cabotagem no Brasil A navegação de cabotagem no Brasil Um imenso potencial com grandes desafios e barreiras João Guilherme Araujo Diretor de Desenvolvimento de Negócios ILOS - Instituto de Logística e Supply Chain Ultimamente

Leia mais

APRESENTAÇÃO CARAMURU ALIMENTOS A HIDROVIA QUE GARANTE COMPETITIVIDADE E SUSTENTABILIDADE

APRESENTAÇÃO CARAMURU ALIMENTOS A HIDROVIA QUE GARANTE COMPETITIVIDADE E SUSTENTABILIDADE APRESENTAÇÃO CARAMURU ALIMENTOS A HIDROVIA QUE GARANTE COMPETITIVIDADE E SUSTENTABILIDADE Novembro/2011 Introdução A demanda mundial por produtos originados de recursos naturais renováveis e não-renováveis

Leia mais

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam.

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam. Conjuntura Econômica Brasileira Palestrante: José Márcio Camargo Professor e Doutor em Economia Presidente de Mesa: José Antonio Teixeira presidente da FENEP Tentarei dividir minha palestra em duas partes:

Leia mais

Unidade: Transporte Multimodal. Revisor Textual: Profa. Esp. Márcia Ota

Unidade: Transporte Multimodal. Revisor Textual: Profa. Esp. Márcia Ota Unidade: Transporte Multimodal Revisor Textual: Profa. Esp. Márcia Ota Transporte Multimodal O transporte multimodal se caracteriza pela utilização de mais de um modal de transporte entre a origem e o

Leia mais

A logística de transportes e telecomunicações no noroeste do Mato Grosso: entrave ao desenvolvimento ou oportunidade de negócios.

A logística de transportes e telecomunicações no noroeste do Mato Grosso: entrave ao desenvolvimento ou oportunidade de negócios. A logística de transportes e telecomunicações no noroeste do Mato Grosso: entrave ao desenvolvimento ou oportunidade de negócios. III SASEL SIMPÓSIO DE ADMINISTRAÇÃO Professora Ma. Terezinha Márcia de

Leia mais

Balanço do Transporte Ferroviário de Cargas 1997 2011

Balanço do Transporte Ferroviário de Cargas 1997 2011 Balanço do Transporte Ferroviário de Cargas 1997 2011 Resultados positivos dos quinze anos de concessões ferroviárias comprovam a importância das ferrovias para o desenvolvimento do País Crescimento de

Leia mais

Novas perspectivas para o Comércio entre Brasil e China. Resenha Economia e Segurança

Novas perspectivas para o Comércio entre Brasil e China. Resenha Economia e Segurança Novas perspectivas para o Comércio entre Brasil e China Resenha Economia e Segurança Daniel Mendes 21 de outubro de 2004 Novas perspectivas para o Comércio entre Brasil e China Resenha Economia e Comércio

Leia mais

Infraestrutura: situação atual e investimentos t planejados. Setembro 2011 Paulo Fleury

Infraestrutura: situação atual e investimentos t planejados. Setembro 2011 Paulo Fleury Infraestrutura: situação atual e investimentos t planejados Setembro 2011 Paulo Fleury Agenda Infraestrutura Logística Brasileira PAC: Investimentos e Desempenho PAC: Investimentos e Desempenho Necessidade

Leia mais

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Mobilidade Urbana Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Apresentação A política de desenvolvimento urbano é estratégica para a promoção de igualdade de oportunidades, para a desconcentração

Leia mais

ESTUDO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SETOR DE CABOTAGEM NO BRASIL. WORKSHOP Nº2: Revisão do diagnóstico e dos incentivos à Cabotagem

ESTUDO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SETOR DE CABOTAGEM NO BRASIL. WORKSHOP Nº2: Revisão do diagnóstico e dos incentivos à Cabotagem ESTUDO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SETOR DE CABOTAGEM NO BRASIL WORKSHOP Nº2: Revisão do diagnóstico e dos incentivos à Cabotagem Brasília, 11 Junho 2015 Índice A. Objetivos da reunião B. Explicação da metodologia

Leia mais

FATORES CRÍTICOS À COMPETITIVIDADE DA SOJA NO PARANÁ E NO MATO GROSSO

FATORES CRÍTICOS À COMPETITIVIDADE DA SOJA NO PARANÁ E NO MATO GROSSO FATORES CRÍTICOS À COMPETITIVIDADE DA SOJA NO PARANÁ E NO MATO GROSSO Por: Carlos Eduardo Cruz Tavares 1 São várias as cadeias produtivas que constituem o complexo agroalimentar, destacando-se entre elas,

Leia mais

Otimizada para Crescimento:

Otimizada para Crescimento: Quinta Pesquisa Anual de Mudança na Cadeia de Suprimentos RESUMO REGIONAL: AMÉRICA LATINA Otimizada para Crescimento: Executivos de alta tecnologia se adaptam para se adequar às demandas mundiais INTRODUÇÃO

Leia mais

As exportações brasileiras ficaram mais competitivas com a desvalorização do real?

As exportações brasileiras ficaram mais competitivas com a desvalorização do real? As exportações brasileiras ficaram mais competitivas com a desvalorização do real? Paulo Springer de Freitas 1 No final de 2007, o saldo da balança comercial começou a apresentar uma trajetória declinante,

Leia mais

Curso Superior de tecnologia em Logística

Curso Superior de tecnologia em Logística Curso Superior de tecnologia em Logística Prof. Rodolpho W. Ruiz Tema: Arranjos Operacionais Logísticos e Tipos de Modais Agenda da tele-aula Instalações Locais ou Centralizadas. Cross-Docking. Sistemas

Leia mais

TÍTULO: MATRIZ DE TRANSPORTE UM ESTUDO EXPLORATÓRIO NOS PAÍSES DO BRICS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM

TÍTULO: MATRIZ DE TRANSPORTE UM ESTUDO EXPLORATÓRIO NOS PAÍSES DO BRICS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MATRIZ DE TRANSPORTE UM ESTUDO EXPLORATÓRIO NOS PAÍSES DO BRICS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS TRANSPORTES

A IMPORTÂNCIA DOS TRANSPORTES MODOS DE TRANSPORTE A IMPORTÂNCIA DOS TRANSPORTES Os transportes evoluíram com o processo de desenvolvimento económico. A sua utilização é fundamental para a economia mundial, para o desenvolvimento das

Leia mais

Conferência sobre Administração Executiva para a América Latina e Caribe

Conferência sobre Administração Executiva para a América Latina e Caribe Conferência sobre Administração Executiva para a América Latina e Caribe Setor Público e Setor Privado: o que devem fazer para trabalhar na mesma Direção? Fernando Antonio Brito Fialho Diretor-Geral da

Leia mais

Seminário de Portos e Vias Navegáveis: Um olhar sobre a infraestrutura Brasília, 22 de setembro de 2011

Seminário de Portos e Vias Navegáveis: Um olhar sobre a infraestrutura Brasília, 22 de setembro de 2011 PAINEL Navegação Marítima de Cabotagem A experiência do armador nacional como investidor em navios no Brasil Seminário de Portos e Vias Navegáveis: Um olhar sobre a infraestrutura Brasília, 22 de setembro

Leia mais

Intermodal 2015 CABOTAGEM NO BRASIL

Intermodal 2015 CABOTAGEM NO BRASIL Intermodal 2015 CABOTAGEM NO BRASIL São Paulo, 07 de abril de 2015 Fernando Fonseca Diretor da ANTAQ Definição legal da navegação de cabotagem BAHIA Art. 2º, IX navegação de cabotagem: a realizada entre

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO OPORTUNIDADES E DESAFIOS SENADO FEDERAL AUDIÊNCIA MEDIDA PROVISÓRIA 595 MARÇO 2013 Enfrentamento dos gargálos logísticos Programa rodoviário Programa

Leia mais

Oportunidades em Infr In aes aes rutura rutur 8º FÓRUM PERSPECTIV PERSPECTIV S 2014 Novembro 2013

Oportunidades em Infr In aes aes rutura rutur 8º FÓRUM PERSPECTIV PERSPECTIV S 2014 Novembro 2013 Oportunidades em Infraestrutura 8º FÓRUM PERSPECTIVAS 2014 8º FÓRUM PERSPECTIVAS 2014 Novembro 2013 1 ATIVOS DE INFRAESTRUTURA x INVESTIDOR INSTITUCIONAL 2 EXPERIÊNCIA ASSET CAIXA 3 OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO

Leia mais

SUPERPORTO DO AÇU. Rio de Janeiro Junho de 2013

SUPERPORTO DO AÇU. Rio de Janeiro Junho de 2013 SUPERPORTO DO AÇU Rio de Janeiro Junho de 2013 SUPERPORTO DO AÇU X PORTOS BRASILEIROS Típico Porto brasileiro: estrangulado pelo crescimento da cidade X Superporto do Açu: Complexo Industrial de 90Km²

Leia mais

Logística Lean: exemplos apresentados no Lean Summit 2010

Logística Lean: exemplos apresentados no Lean Summit 2010 Logística Lean: exemplos apresentados no Lean Summit 2010 Autor: José Roberto Ferro Novembro de 2010 Ao adotar conceitos do Sistema Lean na logística, como Sistema Puxado, Milk Run e Rotas de Abastecimento,

Leia mais

LOGÍSTICA & BRASIL Artigo

LOGÍSTICA & BRASIL Artigo O artigo aborda relações entre logística, formação profissional e infra-estrutura do país. São debatidas questões sobre a evolução da logística no Brasil, a preparação educacional do profissional de logística

Leia mais

Perspectivas da Mineração no Mundo e no Brasil

Perspectivas da Mineração no Mundo e no Brasil Perspectivas da Mineração no Mundo e no Brasil 2ª edição ISEE Brazil Porto Alegre, 24 de outubro de 2014 UFRGS Universidade Federal do Rio Grande do Sul PERSPECTIVAS DA MINERAÇÃO NO MUNDO E NO BRASIL SUMÁRIO

Leia mais

Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a

Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a economia nacional registra um de seus piores momentos

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES TRANSPORTE NO BRASIL. Fórum Intermodal FGV-CELog São São Paulo, abril de de 2006

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES TRANSPORTE NO BRASIL. Fórum Intermodal FGV-CELog São São Paulo, abril de de 2006 AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES 1 TRANSPORTE NO BRASIL Fórum Intermodal FGV-CELog São São Paulo, abril de de 2006 2 1 ROTEIRO GERAL DA PALESTRA 1) Função Transporte e Eficiência; 2) Considerações

Leia mais

Reunião Pública Prumo. 25 de Novembro de 2015

Reunião Pública Prumo. 25 de Novembro de 2015 Reunião Pública Prumo 25 de Novembro de 2015 Estrutura Societária 74,3% 6,7% Outros Minoritários 19% FERROPORT PORTO DO AÇU GNA AÇU PETROLEO BP-PRUMO 100% 100% 50% 20% 50% 2 Porto do Açu Características:

Leia mais

Confederação Nacional da Indústria. - Manual de Sobrevivência na Crise -

Confederação Nacional da Indústria. - Manual de Sobrevivência na Crise - RECOMENDAÇÕES PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS - Manual de Sobrevivência na Crise - Janeiro de 1998 RECOMENDAÇÕES PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS - Manual de Sobrevivência na Crise - As empresas, principalmente

Leia mais

Global Development Finance: uma perspectiva mais positiva para os países em desenvolvimento

Global Development Finance: uma perspectiva mais positiva para os países em desenvolvimento Global Development Finance: uma perspectiva mais positiva para os países em desenvolvimento Os países em desenvolvimento estão se recuperando da crise recente mais rapidamente do que se esperava, mas o

Leia mais

O Papel do Operador Portuário Privado. Desafios para o investimento e para a exploração

O Papel do Operador Portuário Privado. Desafios para o investimento e para a exploração O Papel do Operador Portuário Privado Desafios para o investimento e para a exploração Port Finance International Brasil 2015 Rio de Janeiro, 5 de março de 2015 Propósito da Lei 12.815. de 2013 Fortalecimento

Leia mais

Desafio mundial. Paralelamente a questões

Desafio mundial. Paralelamente a questões KPMG Business Magazine 31 Getty Images/Alexander Bryljaev Muitas tendências apontadas pelo estudo já são evidentes, e a lentidão na busca de soluções para mitigá-las trará sérias consequências para a população

Leia mais

A INSERÇÃO DO BRASIL NO MUNDO CAP. 14 EXERCÍCIOS DE REVISÃO

A INSERÇÃO DO BRASIL NO MUNDO CAP. 14 EXERCÍCIOS DE REVISÃO A INSERÇÃO DO BRASIL NO MUNDO CAP. 14 EXERCÍCIOS DE REVISÃO 1- O que são multinacionais? São empresas que possuem sua matriz em um país, geralmente desenvolvido, e filiais em outros países, muitos deles

Leia mais

Felipe Jens Odebrecht Investimentos em Infraestrutura 29 de novembro de 2009

Felipe Jens Odebrecht Investimentos em Infraestrutura 29 de novembro de 2009 Inovações nas infraestruturas de transporte Felipe Jens Odebrecht Investimentos em Infraestrutura 29 de novembro de 2009 Agenda Organização ODEBRECHT Desafios para o Crescimento Sustentável da América

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Setembro 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

CONJUNTURA DA ECONOMIA BRASILEIRA EM 2015: CONTEXTUALIZAÇÃO VIA RESTRIÇÕES INTERNAS E EXTERNAS

CONJUNTURA DA ECONOMIA BRASILEIRA EM 2015: CONTEXTUALIZAÇÃO VIA RESTRIÇÕES INTERNAS E EXTERNAS CONJUNTURA DA ECONOMIA BRASILEIRA EM 2015: CONTEXTUALIZAÇÃO VIA RESTRIÇÕES INTERNAS E EXTERNAS OBJETIVO: ILUSTRAR CONCEITOS TRABALHADOS EM MACROECONOMIA Patricia Bonini - patriciabonini@gmail.com Roteiro

Leia mais

Logística e infraestrutura para o escoamento da produção de grãos no Brasil

Logística e infraestrutura para o escoamento da produção de grãos no Brasil Logística e infraestrutura para o escoamento da produção de grãos no Brasil Denise Deckers do Amaral 1 - Economista - Assessora Técnica - Empresa de Planejamento e Logística - EPL, Vice Presidente da Associação

Leia mais

LOGÍSTICA. O Sistema de Transporte

LOGÍSTICA. O Sistema de Transporte LOGÍSTICA O Sistema de Transporte O TRANSPORTE 1. Representa o elemento mais importante do custo logístico; MODALIDADE (UM MEIO DE TRANSPORTE) MULTIMODALIDADE (UTILIZAÇÃO INTEGRADA DE MODAIS) Tipos de

Leia mais

Propostas do setor avícola para a superação de gargalos na infraestrutura logística

Propostas do setor avícola para a superação de gargalos na infraestrutura logística Propostas do setor avícola para a superação de gargalos na infraestrutura logística (PORTOS, FERROVIAS, RODOVIAS, FISCALIZAÇÃO E ÓRGÃOS FEDERAIS) UNIÃO BRASILEIRA DE AVICULTURA (UBABEF) A UNIÃO BRASILEIRA

Leia mais

A NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM COMO SOLUÇÃO DE LOGÍSTICA COSTEIRA PARA O BRASIL Thiago Gonçalves Maio de 2014

A NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM COMO SOLUÇÃO DE LOGÍSTICA COSTEIRA PARA O BRASIL Thiago Gonçalves Maio de 2014 A NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM COMO SOLUÇÃO DE LOGÍSTICA COSTEIRA PARA O BRASIL Thiago Gonçalves Maio de 2014 SOBRE LOG-IN QUEM SOMOS? Quem Somos Números 96% 96% DE REDUÇÃO EM EMISSÕES DE CO 2 EM RELAÇÃO AO

Leia mais

Automotive Logistics 2014. Making the Connections. Gustavo Bonini Coordenador da Comissão de Logística ANFAVEA

Automotive Logistics 2014. Making the Connections. Gustavo Bonini Coordenador da Comissão de Logística ANFAVEA Automotive Logistics 2014 Making the Connections Gustavo Bonini Coordenador da Comissão de Logística ANFAVEA Novembro/ 2014 Mapa da Indústria Catalão / Anápolis - GO Manaus - AM Horizonte - CE (Ford) Goiana

Leia mais

Em busca do elo da competitividade logística

Em busca do elo da competitividade logística Em busca do elo da competitividade logística MASSIMO GIAVINA Presidente da T Trans O comércio mundial, que nos últimos dez anos cresceu 100%, já movimenta US$ 9 trilhões em transações internacionais. O

Leia mais

O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global

O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global Jorge A r bache U n i v e r s i d a d e d e B r a s í l i a S E M P E X 2 0 1 4 M a c e i ó, 2 2 / 5 / 2 0 1 4 0,45

Leia mais

PLATAFORMA LOGÍSTICA MULTIMODAL DA REGIÃO METROPOLITANA DE

PLATAFORMA LOGÍSTICA MULTIMODAL DA REGIÃO METROPOLITANA DE Fórum Nacional de Logística Belo Horizonte, 09 de novembro de 2011 PLATAFORMA LOGÍSTICA MULTIMODAL DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE: DESAFIOS E OPORTUNIDADES Paula de Medeiros Andrade Secretaria

Leia mais

Resultados Consolidados

Resultados Consolidados 1ª Consulta aos associados para identificar as dificuldades enfrentadas para exportar e sobre temas de comércio exterior Resultados Consolidados Equipe de Assuntos de Comércio Exterior Maio de 2012 Total

Leia mais