ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS DE MARKETING EM EMPRESAS INDUSTRIAIS DO SETOR DE ALIMENTOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS DE MARKETING EM EMPRESAS INDUSTRIAIS DO SETOR DE ALIMENTOS"

Transcrição

1 1 ÁREA-4 ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS DE MARKETING EM EMPRESAS INDUSTRIAIS DO SETOR DE ALIMENTOS Claudio Sunao Saito i Ismael Rocha Júnior ii Andréas Ricardo Belck iii RESUMO O objetivo do artigo é analisar a utilização das práticas de marketing descritas e estudadas por acadêmicos e pesquisadores da área. Para isso, foi realizada uma revisão teórica sobre o assunto e aplicada uma pesquisa em empresas industriais do setor de alimentos localizadas no Estado de São Paulo visando identificar as práticas de marketing adotadas pelas empresas segundo a visão dos profissionais entrevistados. As análises dos dados coletados demonstram, entre outros fatores, o baixo índice de elaboração de planejamentos de marketing, o maior envolvimento dos departamentos de marketing na execução das atividades relacionadas aos Ps de produto e promoção e nas ferramentas ligadas ao sistema de informação e menor envolvimento nas atividades relacionadas aos Ps de preço e distribuição, a baixa utilização das matrizes de portfólio (Boston Consulting Group e General Eletric), de ferramentas de gestão do relacionamento com clientes e análise de ciclo de vida do produto (CVP), a existência de padrão de utilização de algumas ferramentas quando considerado o porte da empresa e a utilização de medidas de desempenho financeiras e análise da concorrência na avaliação dos resultados em marketing. Palavras-chave: Marketing, Práticas, Planejamento, Gestão, Indústria, Alimentos. i Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) Professor do Departamento de Marketing - Av. Mascote, 1241 Apto 32 Vila Mascote São Paulo SP CEP ii Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) Diretor de Extensão e Operações - - Rua Dr. Álvaro Alvim, Vila Mariana - CEP iii Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) - Chefe do Departamento de Finanças e do Depto. de Matemática e Estatística - - Rua Dr. Álvaro Alvim, Vila Mariana - CEP

2 2 1 INTRODUÇÃO Nos meios acadêmicos, professores e pesquisadores estudam teorias apresentadas em livros e artigos sobre as práticas de marketing nas empresas. De forma geral, eles concordam que a prática do marketing nas empresas está relacionada à aplicação do processo de administração de marketing - planejamento, execução e controle das ações e das ferramentas e técnicas específicas necessárias para implementação dessas atividades nas empresas. Por outro lado, profissionais do mercado têm autonomia para decidir se recorrem ou não às mesmas teorias no desempenho de suas atividades. Se existe a busca do referencial teórico e acadêmico para o desenvolvimento das atividades de marketing nas empresas, surgem as seguintes questões: quais técnicas e processos estudados nas academias estão sendo realmente aplicados? E de que forma? Enfim, até que ponto a prática de marketing nas empresas está alinhada às teorias descritas nos livros e artigos acadêmicos? Essas são algumas das questões que nortearam a elaboração deste trabalho. O objetivo do artigo é analisar a aplicação, por parte das empresas, das práticas de marketing estudadas nas academia. Neste estudo são consideradas como práticas de marketing todas as atividades envolvidas no processo de administração de marketing: planejamento, execução e controle das atividades de marketing. O trabalho tem como objeto de estudo as indústrias do setor de alimentos. Para a Associação Brasileira da Industria da Alimentação ABIA, a indústria de produtos alimentares é dividida em segmentos: laticínios, beneficiamento de café, chá e cereais, derivados de carne, óleos e gorduras, derivados do trigo e açúcares derivados de frutas e vegetais, diversos, chocolate, cacau e balas e conservas de pescados. Nos últimos três anos, a participação da indústria de alimentos em relação ao PIB nacional foi de 8,8% em 2006, 8,9% em 2007 e 9,3% em Em relação à taxa de emprego, a indústria de alimentos empregou pessoas em 2006, pessoas em 2007 e de pessoas em 2008 (ABIA, 2009). A pesquisa, com abordagem exploratória, foi realizada através de entrevistas junto a 114 profissionais da área de marketing de empresas industriais do setor de alimentos, localizados no Estado de São Paulo. Após a coleta de dados, foram realizadas análises estatísticas - simples e cruzadas - além de testes do tipo qui-quadrado para independência e análises de agrupamento e fatoriais.

3 3 O artigo está dividido em cinco seções: introdução, referenciais teóricos, metodologia, resultados da pesquisa e conclusão. Na introdução são apresentados o tema do trabalho, os objetivos, a justificativa, a metodologia e principais capítulos do artigo. Na seqüência é realizada uma revisão teórica em relação aos principais processos da administração de marketing. A terceira seção descreve a metodologia da pesquisa realizada. Na quarta seção são apresentados os resultados gerados pela análise das informações coletadas na pesquisa. Por fim, na última seção, são apresentadas as conclusões do artigo. As informações e resultados apresentados podem ser utilizados para fins acadêmicos ou profissionais, servindo como subsídio para avaliação e melhoria contínua de processos e práticas adotadas pelas empresas e, principalmente, para a construção do conhecimento relativo ao assunto. 2 REVISÃO TEÓRICA Nessa seção estão apresentados os principais pressupostos teóricos que serviram de base para a elaboração do artigo: administração, planejamento, execução e controle das ações de marketing. 2.1 Administração de marketing A administração pode ser definida como um conjunto de princípios e normas que tem por objetivo planejar, organizar, dirigir, coordenar e controlar os esforços de um grupo de indivíduos que se associam para atingir um resultado comum. Segundo Lacombe (2003), essa definição está baseada em termos usados por Fayol fundador da Teoria Clássica da Administração - e aperfeiçoados por vários autores para designar funções ou atividades que cabem ao administrador. Dentro da mesma linha de pensamento, mas focando na área de marketing, Dias (2006) afirma que a administração de marketing é o conceito que resume a função do marketing, podendo ser entendido como o processo de planejamento, execução e controle das estratégias e táticas de marketing, visando otimizar os resultados para os clientes e stakeholders da empresa. Nesse sentido, a administração de marketing pode ser desmembrada em duas grandes áreas de responsabilidades: a estratégica e a operacional. Por responsabilidade estratégica entende-se o conjunto de decisões das estratégias de marketing, que incluem a análise e a segmentação de mercado, a decisão de quais produtos e serviços

4 4 oferecer (estratégia de produtos e serviços), a que preço (estratégia de preço), por quais canais (estratégia de distribuição) e meios de comunicação (estratégia de comunicação e promoção). A responsabilidade operacional engloba as ações táticas e operacionais de marketing, como a execução de vendas, o desenho e produção dos materiais de comunicação, a atração, o desenvolvimento e o controle dos canais de vendas, como lojistas, atacadistas, distribuidores, vendedores e agentes autônomos; o gerenciamento dos estoques nos canais de distribuição; a implementação operacional das ações promocionais, como descontos de vendas, distribuição de prêmios e brindes, realização de sorteios, distribuição de amostras grátis etc. Essa definição de administração de marketing, apresentada por Dias (2006), é compartilhada, com poucas modificações, por autores como McCarthy (2006) e Baker (2005). 2.2 Planejamento de marketing Para Campomar e Ikeda (2006), o planejamento de marketing pode ser visto como um processo sistemático para avaliar oportunidades de marketing. O processo do planejamento de marketing encobre todos os elementos da administração de marketing: análise, desenvolvimento de estratégias, implementação do marketing mix e acompanhamento. O plano de marketing inicia-se com a análise da situação, possibilitando assim um diagnóstico da organização considerando o passado até o presente. A análise da situação é fundamental para avaliar até onde a organização pode ir (objetivos). Da análise detalhada da situação são pinçados os pontos fortes e fracos (análise interna) e as situações favoráveis e desfavoráveis do ambiente (análise externa). São focados os pontos e situações mais importantes e nos cruzamentos são identificadas às ameaças e oportunidades. 2.3 Execução das ações de marketing Segundo Kotler e Keller (2006), a implementação do marketing consiste no processo que transforma os planos de marketing em ações e assegura que elas sejam executadas de maneira que se realizem os objetivos declarados no plano. Enquanto a estratégia aborda o quê e o porquê das atividades de marketing, a implementação aborda quem, onde, quando e como. Churchill Jr. e Peter (2000) afirmam que o sucesso da implementação do plano de marketing depende do preenchimento de cargos, da coordenação dos trabalhos, da comunicação com pessoas de dentro e fora da organização e da motivação dos funcionários. Para Campomar e

5 5 Ikeda (2006), o programa de ações deve compreender as decisões de marketing como: organização/estrutura de marketing; segmentação e posicionamento; decisões sobre os 4Ps (produto, preço, praça e promoção), decisões sobre o sistema de informações e do próprio planejamento de marketing. O programa de ações advém naturalmente e em consonância com os objetivos. Semenik e Bamossy (1995) e Ferrell e Hartline (2005) também apresentam as decisões do marketing mix (produto, preço, promoção e distribuição) como principais atividades ligadas à execução do marketing. 2.4 Controle das ações de marketing Em relação ao controle das ações de marketing, Campomar e Ikeda (2006) afirmam que o decisor de marketing pode usar inúmeras ferramentas, para análise de resultados via diversos programas disponíveis para computador, pesquisas de marketing e análise da contabilidade de vendas e lucros. As mudanças tecnológicas e especialmente a internet mudaram radicalmente as formas de controle e o ferramental disponível para isso. Kotler e Keller (2006) afirmam que os profissionais de marketing empregam uma ampla variedade de medidas para quantificar, comparar e interpretar o desempenho de marketing (indicadores de marketing). Muitos indicadores dizem respeito ao cliente sua atitude e comportamento, por exemplo. Outros dizem respeito à marca participação de mercado, nível de preço ou lucratividade. As empresas também podem monitorar um conjunto de indicadores internos como, por exemplo, a capacidade inovadora. Em relação ao plano de marketing, podem-se utilizar quatro ferramentas para avaliar desempenho: análise de vendas (vendas reais x metas), análise de participação de mercado, análise de despesas de marketing em relação às vendas e análises financeiras. 3 METODOLOGIA DA PESQUISA Para a elaboração do estudo, foi realizada uma pesquisa no segundo semestre de 2008 junto a empresas industriais do setor de alimentos localizadas no Estado de São Paulo. Nessa pesquisa são identificadas as práticas de Marketing adotadas pelas empresas segundo a visão dos profissionais entrevistados. Em relação ao método, pode-se classificar a pesquisa como quantitativa, pois emprega mensuração tanto nas modalidades de coleta de informações, quanto no tratamento dessas

6 6 através de técnicas estatísticas (RICHARDSON, 1985). Também pode ser classificada como exploratória, pois apresenta o objetivo de familiarizar-se com o fenômeno ou conseguir nova compreensão deste, freqüentemente para poder formular um problema mais preciso de pesquisa ou criar novas hipóteses (SELLTIZ et Al., 1975). A amostra é do tipo não-probabilística intencional (LAKATOS e MARCONI, 1985). A coleta de dados, realizada junto aos profissionais da área de marketing, foi realizada através de entrevistas por telefone. O banco de dados para realização da pesquisa foi montado através de listas de contatos particulares dos autores e visitas às feiras do setor. Ao final das entrevistas, foram validados 114 questionários sem dados omissos. Os questionários apresentaram questões abertas e fechadas. Nas questões fechadas foram utilizadas escalas Likert com variação de 01 a 05, onde 01 indicava nenhuma utilização e 05 indicava muita utilização. Os dados obtidos foram submetidos a análises estatísticas, entre elas, o teste de qui-quadrado (BUSSAB e MORETTIN, 2002), análise de agrupamentos e análise fatorial (MALHOTRA, 2001). Para isso, foi utilizado o software STATISTICA 7.0. Nas análises dos dados, as empresas foram divididas em portes segundo o critério utilizado pela Federação das indústrias do estado de São Paulo: microempresa - 0 a 9 empregados; pequena empresa - 10 a 99 empregados; média empresa: 100 a 499 empregados e grande empresa: 500 e mais empregados (FIESP, 2009). Os itens utilizados no questionário para capturar os diversos aspectos relacionados às práticas de planejamento, execução e controle das ações de marketing foram baseados em livros (DIAS, 2006; KOTLER e KELLER, 2006; CHURCHILL, Jr. e PETER, 2000; BAKER, 2005; KERIN, 2007), artigos (ALBAUM, 2006; CAMPOMAR e IKEDA, 2006) e tese de doutorado (SCARE, 2008). 4 APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DA PESQUISA Nesta seção são apresentados os resultados obtidos através de análise dos dados e informações coletadas na pesquisa.. Os dados foram consolidados por porte de empresa (micro, pequena, média e grande) ou totalizados, de acordo com o tipo de análise. Os dados relativos às microempresas não foram demonstrados em todos os itens devido à baixa representatividade das microempresas na amostra. O perfil dos entrevistados está apresentado no quadro 01.

7 7 Quadro 1 Perfil dos entrevistados Cargo: 25,5% Gerente de marketing; 16,0% Gerentes não-marketing; 14,9% Estagiário de marketing; 12,8% Coordenador de marketing; 10,6% Analista de marketing; 20,2% Outros. Idade: 23,2% de 21 a 25 anos; 22,3% de 26 a 30 anos; 20,5% de 31 a 35 anos; 15,2% de 36 a 40 anos; 8,9% de 41 a 45 anos; 4,5% de 46 a 50 anos; 5,4% acima de 50 anos. Sexo: 51% feminino; 49% masculino. Formação: 39,5% Comunicação Social; 31,6% Administração de Empresas; 6,1% Engenharia; 4,4% Economia; 1,8% Não possui; 16,7% Outros. Porte da empresa onde trabalha: 3% micro empresa; 18% pequena empresa; 27% média empresa e 53% grande empresa. Fonte: Pesquisa realizada pelos autores 4.1 Planejamento de marketing Na teoria, todas as empresas deveriam iniciar o processo de administração de marketing com um planejamento de marketing. Mas segundo os dados apresentados na pesquisa (Tabela 1), apenas 18% das pequenas e 27% médias empresas realizam planejamento de marketing. Nas grandes empresas, a porcentagem sobe para 53%. Tabela 1 - Elaboração de planejamento de marketing Pequena Média Grande 18% 27% 53% Fonte: Pesquisa realizada pelos autores.

8 8 Entre as empresas que realizam o planejamento de marketing, buscou-se verificar o nível de utilização de conceitos e modelos recomendados por pesquisadores e acadêmicos da área (DIAS, 2006; KOTLER E KELLER, 2006; CHURCHILL E PETER, 2000; BAKER, 2005; KERIN, 2007;ALBAUM, 2006; CAMPOMAR E IKEDA, 2006; SCARE, 2008). Os dados (Tabela 2) mostram que a utilização dos itens apresentados em pequenas empresas é baixa, girando em torno de 15% de utilização. Nesse caso, os respondentes que afirmaram utilizar a primeira das ferramentas também responderam positivamente para todas as demais alternativas, com exceção do tópico Matriz BCG, que não foi citado por nenhuma das pequenas empresas. Nas médias empresas, a utilização dos tópicos apresentados variou de 13% a 29% e nas grandes empresas, a utilização foi maior, variando de 20% a 53% de utilização. Nos últimos dois casos, a matriz BCG foi o tópico menos utilizado, com apenas 13% de utilização nas médias empresas e 20% nas grandes empresas. Tabela 2 - Itens abordados no planejamento de marketing Itens / Porte Pequena Média Grande Objetivo e metas 15% 29% 53% Análise da concorrência 15% 29% 48% Principais ações e verbas 15% 29% 47% Posicionamento 15% 23% 47% Análise do marketing mix 15% 23% 47% Definição dos segmentos e público alvo 15% 26% 43% Cronograma de ação 15% 26% 43% Análise SWOT (forças, fraquezas, ameaças, oportunidades) 15% 19% 40% Matriz Boston Consulting Group (BCG) 0% 13% 20% Fonte: Pesquisa realizada pelos autores 4.2 Execução das atividades de marketing Para Campomar e Ikeda (2006), Semenik e Bamossy (1995) e Ferrell e Hartline (2005) as principais atividades de marketing estão relacionadas à execução do marketing mix (produto, preço, distribuição e comunicação) e do sistema de informação. Nos tópicos a seguir, o assunto será dividido em duas partes: em primeiro lugar será analisada a execução

9 9 das atividades pelo departamento de marketing e, em seguida, será apresentado e discutido o grau de utilização das ferramentas de marketing e comunicação pelas empresas entrevistadas Execução das atividades pelo departamento de marketing A pesquisa avaliou o envolvimento do departamento de marketing e outros departamentos na execução das atividades relacionadas ao marketing mix e sistema de informação (Tabela 3). Os dados mostram que, em média, 40% das atividades apresentadas são executadas exclusivamente pelo departamento de marketing e em 14% das atividades são executadas pelo marketing em conjunto com o departamento comercial. Em média, em 29% das respostas, o departamento comercial executa as atividades consideradas de responsabilidade de marketing. A atividade mais executada exclusivamente pelo departamento de marketing é a gestão de ferramentas ligadas à comunicação (propaganda e marketing direto), seguida respectivamente pela atividade de gestão de produtos e das ferramentas ligadas ao sistema de informação (análise da concorrência e pesquisa de mercado). Nas atividades de definição do preço e políticas de distribuição, existe menor participação exclusiva do departamento de marketing e aumenta a exclusividade do departamento de vendas. Na execução de estratégias de ponto de venda, sobressai a participação conjunta dos departamentos de marketing e comercial. Tabela 3 - Atividades realizadas por departamento Atividades / Departamento Marketing Comercial Mkt. e Coml. Outros Propaganda e marketing direto 72% 1% 11% 16% Gestão de produtos 58% 20% 7% 15% Pesquisa de mercado 56% 18% 5% 20% Análise da concorrência 52% 30% 11% 7% Definição do preço 18% 52% 13% 17% Promoção no ponto de venda 14% 25% 41% 19% Políticas de distribuição 8% 58% 8% 26% Média dos setores 40% 29% 14% 17% Desvio-padrão 26% 20% 12% 6% Mediana 52% 25% 11% 17%

10 10 Coeficiente de assimetria -18% 34% 238% -40% Fonte: Pesquisa realizada pelos autores A maior variabilidade foi observada nas tarefas executadas pelo departamento de marketing (desvio = 26%), já que há uma variabilidade de resposta que vai de 8% a 72% entre as atividades que são efetivamente realizadas por esse departamento, segundo a percepção dos respondentes. Também é possível verificar que a atividade de promoção no ponto de venda é realizada exclusivamente pelo trabalho conjunto do departamento de marketing e o comercial em 41% das respostas, fato que elevou a média das respostas desse grupo (evidenciado pelo elevado coeficiente de assimetria). Nessa situação o mais honesto é afirmar que 50% das atividades têm até 11% de execução pelo departamento de marketing em conjunto com o departamento comercial e não os 14% que, no primeiro parágrafo, é afirmado com uma rápida análise das médias. Para verificar se há exclusividade na realização de cada uma das atividades descritas na Tabela 3 pelo departamento de marketing ou se são exclusividades do departamento comercial ou de outros departamentos foram realizados testes do tipo qui-quadrado (Tabela 4) supondo que as respostas deveriam ser distribuídas homogeneamente, caso não houvesse exclusividade de um departamento sobre o outro (Bussab e Morettin, 2002). Os testes mostraram que, para as quatro primeiras atividades descritas na Tabela 3 e 4 (com valor p<0,00), outros departamentos tendem a não executar essas atividades quando as mesmas são de responsabilidade do departamento de marketing. Além disso, o teste para a atividade de definição de preço revelou que essa atividade ainda é prioridade do departamento comercial (com valor p<0,01). Por fim, não parece haver exclusividade de realização das tarefas de promoção no ponto de venda (valor p=0,05) e políticas de distribuição (valor p=0,12) para os departamentos estudados na Tabela 3. Tabela 4 - Teste qui-quadrado Propaganda e marketing direto Gestão de produtos Pesquisa de mercado Análise da concorrência Definição do preço p<0,00 p<0,00 p<0,00 p<0,00 p<0,01

11 11 Promoção no ponto de venda Políticas de distribuição Fonte: Pesquisa realizada pelos autores p<0,05 p<0,12 Analisando a porcentagem de execução dessas atividades pelo departamento de marketing - exclusivamente ou em conjunto com o departamento comercial - por porte (Tabela 5), percebe-se que nas grandes empresas a atuação do departamento de marketing é maior nas atividades de comunicação (propaganda e marketing direto), gestão de produtos e ferramentas relacionadas ao sistema de informação (pesquisa de mercado e análise da concorrência). Nas empresas de porte médio a porcentagem de execução das ferramentas pelo departamento de marketing é relativamente menor, mas apresenta resultados similares. Nas pequenas empresas, as porcentagens de realização das atividades pelo departamento de marketing apresentam-se muito inferiores aos demais portes. Tabela 5 - Atividades realizadas pelo marketing por porte Atividades / Porte Pequena Média Grande Propaganda e marketing direto 35% 74% 87% Gestão de produtos 25% 61% 82% Análise da concorrência 35% 58% 77% Pesquisa de mercado 40% 58% 73% Promoção no ponto de venda 35% 65% 58% Definição do preço 0% 29% 45% Políticas de distribuição 0% 29% 13% Fonte: Pesquisa realizada pelos autores Pode-se perceber que as atividades de promoção no ponto de venda e políticas de distribuição, embora pareçam ser realizadas em menor grau pelo departamento de marketing, não o são, já que os testes de homogeneidade mostraram não haver exclusividade dessas atividades por nenhum departamento. Já a definição de preço é executada em menor grau pelo departamento de marketing. Por conseqüência, em relação ao marketing mix, existe maior execução das atividades relacionadas aos Ps de produto e promoção (exceto promoção no ponto de venda) pelo departamento de marketing e execução indiferente em relação aos Ps de preço e distribuição.

12 Grau de utilização das ferramentas de marketing e comunicação Além de avaliar a responsabilidade do departamento de marketing na execução das atividades, a pesquisa também avaliou o grau de utilização das principais ferramentas de marketing e comunicação nas empresas. A escala Likert, variou de 01 (não utiliza) a 05 (utiliza muito). Nas pequenas empresas (Tabela 6), a utilização foi inexistente ou baixa na maioria das ferramentas apresentadas, com exceção dos itens participação em feiras, descrição do posicionamento dos produtos e página na internet, onde houve grande variabilidade de respostas. Entre as ferramentas menos utilizadas destacam-se a utilização do CRM (customer relationship management) e a análise do ciclo de vida do produto (CVP). Tabela 6 - Grau de utilização de ferramentas de marketing e comunicação-pequenas empresas Ferramentas / Grau de utilização Utilizar CRM 60% 0% 10% 20% 10% Análise do ciclo de vida de produto 50% 15% 5% 15% 15% marketing 40% 25% 25% 0% 10% Propaganda 40% 35% 15% 10% 0% Promoção de vendas 35% 10% 25% 10% 20% Marketing direto 35% 20% 30% 10% 5% Sistema estruturado para análise da concorrência 35% 25% 15% 15% 10% Promover eventos / patrocínio 30% 40% 15% 10% 5% Participação em feiras 25% 15% 20% 25% 15% Descrição do posicionamento dos produtos 25% 25% 20% 20% 10% Página na internet 5% 30% 25% 15% 25% Fonte: Pesquisa realizada pelos autores Nas médias empresas (Tabela 7), as ferramentas menos utilizadas são, na seqüência, o marketing direto e a utilização do CRM. No caso do marketing e promoção de eventos e patrocínios e utilização de propaganda, os resultados foram mais dispersos. Nos demais itens, a pesquisa demonstra que existe maior utilização das ferramentas.

13 13 Tabela 7 - Grau de utilização de ferramentas de marketing e comunicação - médias empresas Ferramentas / Grau de utilização Marketing direto 39% 16% 16% 13% 16% Utilizar CRM 32% 23% 32% 13% 0% marketing 29% 7% 29% 26% 10% Promover eventos / patrocínio 26% 13% 26% 26% 10% Análise do ciclo de vida de produto 23% 13% 16% 23% 26% Página na internet 13% 7% 26% 16% 39% Propaganda 13% 26% 23% 7% 32% Sistema estruturado para análise da concorrência 7% 13% 16% 39% 26% Participação em feiras 7% 19% 36% 3% 36% Descrição do posicionamento dos produtos 3% 13% 23% 32% 29% Promoção de vendas 0% 6% 10% 42% 42% Fonte: Pesquisa realizada pelos autores Nas grandes empresas (Tabela 8), a utilização das ferramentas de CRM, análise do ciclo de vida do produto, marketing e marketing direto obtiveram menores notas, com destaque novamente para o CRM. O item sistema estruturado para análise de concorrência obteve maior porcentagem de resposta em posições medianas da escala. Para os demais itens, apesar da variabilidade, as respostas indicam bastante utilização das ferramentas. Tabela 8 - Grau de utilização de ferramentas de marketing e comunicação - grande empresas Ferramentas / Grau de utilização Utilizar CRM 42% 25% 23% 8% 2% Análise do ciclo de vida de produto 28% 22% 23% 18% 8% marketing 28% 32% 23% 12% 5% Marketing direto 27% 25% 30% 12% 7% Descrição do posicionamento dos produtos 12% 12% 25% 25% 27% Propaganda 12% 22% 23% 25% 18% Página na internet 8% 18% 23% 20% 30%

14 14 Promoção de vendas 3% 12% 15% 33% 37% Participação em feiras 3% 15% 28% 27% 27% Promover eventos / patrocínio 2% 28% 28% 20% 22% Sistema estruturado para análise da concorrência 2% 28% 32% 28% 10% Fonte: Pesquisa realizada pelos autores Em relação ao assunto, segundo a amostra pesquisada, pode-se afirmar que pequenas empresas apresentam baixa utilização de ferramentas descritas pelos acadêmicos e pesquisadores pesquisados. As médias e grandes empresas apresentam comportamentos similares, com maior utilização das ferramentas, apesar da dispersão apresentada nas respostas. 4.3 Controle das atividades de marketing No controle das atividades de marketing as empresas utilizam, entre as alternativas apresentadas (Tabela 9), principalmente as medidas de desempenho financeiras (faturamento, volume de vendas e margem por produto ou linha de produto) e análise da concorrência, havendo pouca diferença na proporção de utilização dessas análises por empresas de diferentes portes. Da mesma forma, as ferramentas menos utilizadas para o controle, independentemente do porte, está ligada à avaliação de portfólio de produto: matrizes BCG (Boston Consulting Group) e GE (General Eletric). Enquanto médias e grandes empresas apresentam poucas variações, as pequenas empresas apresentam, em média, menor utilização das análises apresentadas para controle das atividades de marketing. Tabela 9 - Análises para controle de marketing - por porte Análises / Porte Pequena Média Grande Faturamento/Vendas 80% 87% 90% Margem por produto/linha de produto 50% 65% 75% Análise de concorrência 65% 65% 62% Posicionamento de marcas e produtos 30% 42% 43% Análise de pesquisas (Nielsen, Latin Panel, etc.) 15% 45% 47% Ciclo de vida do produto (CVP) 15% 32% 50%

15 15 Índice de satisfação dos clientes 20% 26% 27% Market Share 10% 23% 32% Matriz Boston Consulting Group (BCG) 5% 26% 22% Matriz General Eletric (GE) 0% 6% 12% Fonte: Pesquisa realizada pelos autores 5 CONCLUSÃO Neste artigo, foram apresentadas as informações e análises em relação a aplicação, por parte das empresas industriais do setor de alimentos, das práticas de marketing apresentadas pelos acadêmicos e pesquisadores pesquisados na referência teórica. A pesquisa revelou que nas grandes empresas, em geral maiores usuárias das ferramentas de marketing na pesquisa, aproximadamente cinqüenta por cento (50%) elaboram planejamentos de marketing. A utilização dos tópicos do plano de marketing apresentados variou de 20% a 53% de utilização nas grandes empresas, com destaque para o tópico menos utilizado, a matriz BCG, com apenas 20% de utilização. Nas médias e pequenas empresas a utilização do planejamento e tópicos do planejamento é ainda menor. Apesar da recomendação dos acadêmicos e pesquisadores, a maioria das empresas não elabora o planejamento de marketing e, quando o faz, apresenta baixa utilização das tradicionais ferramentas tradicionalmente estudadas. A gestão do marketing mix é definida, pelos acadêmicos pesquisados, como a principal atividade dos departamentos de marketing, mas na realidade da indústria de alimentos, existe maior envolvimento dos profissionais desses departamentos nas atividades relacionadas aos Ps de produto e promoção (exceto promoção no ponto de venda) e nas ferramentas ligadas ao sistema de informação (análise da concorrência e pesquisa de mercado), com menor envolvimento nas atividades relacionadas aos Ps de preço e distribuição. No caso da definição do preço existe maior envolvimento do departamento comercial. Portanto, para que o profissional de marketing possa realmente agir de acordo com a teoria, influindo em todo o marketing mix, deve estar muito próximo dos colegas do departamento comercial e outros departamentos responsáveis por atividades que não são exercidas predominantemente pelo departamento de marketing (promoção no ponto de venda e políticas de distribuição), negociando e alinhando as estratégias e ações dos departamentos. Entre as ferramentas menos executadas pelo departamento de marketing, em todos os tamanhos de empresas, destaca-se a utilização do CRM. Além do CRM, nas médias empresas

16 16 a ferramenta menos utilizada foi o marketing direto e nas pequenas e grandes empresas a análise do ciclo de vida do produto (CVP) e o marketing. O CRM e a teoria do CVP são assuntos muito discutidos na academia, mas, segundo a pesquisa, não muito aplicados nas indústrias do setor de alimentos. No controle das atividades de marketing, todas as empresas utilizam principalmente as medidas de desempenho financeiras (faturamento, volume de vendas e margem por produto ou linha de produto) e análise da concorrência. Nesse item não existe muita diferença entre os critérios apresentados pelos autores estudados e os utilizados pelas empresas. Enfim, pode-se concluir que as principais práticas de marketing, apresentadas pelos acadêmicos e pesquisadores no artigo, podem ser utilizados com maior intensidade nas indústrias do setor de alimentos. Para os pesquisadores, cabe a continuidade do trabalho de pesquisa e desenvolvimento para aprimoramento de novos modelos e teorias que possam ser mais utilizadas nas empresas. Aos acadêmicos, a continuidade do trabalho de transmissão e discussão das teorias e práticas de marketing para os profissionais de marketing, demonstrando o valor desse conhecimento no desempenho das pessoas e organizações. Aos profissionais, cabe a aplicação ou não das práticas de marketing e do conhecimento adquirido na academia, pois, no final, são eles que definem as práticas realmente importantes no desempenho de suas atividades e na busca dos resultados para suas empresas.

17 1 ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS DE MARKETING EM EMPRESAS INDUSTRIAIS DO SETOR DE ALIMENTOS ABSTRACT This article aims to examine the use of marketing practices by businesses as described and studied by scholars and researchers. For this, we performed a theoretical review on general marketing practices. We structured a research for the industrialized and packaged food sector located in the State of São Paulo in Brazil to identify the marketing practices adopted by companies as understood by the interviewed professionals. The analysis of the collected data indicate, among other factors, a low usage index for the practice of developing marketing plans, a greater involvement of marketing departments in implementing activities related to the marketing "Ps" of Product and Promotion and also in using tools for the marketing information system. We also detected a lower involvement of marketing departments in using activities related to the marketing "Ps" of Price and Place (distribution), a low usage of portfolio matrices like BCG (Boston Consulting Group) and G&E (General Electric), of tools for managing the customer relationships and for analyzing the product life cycle (PLC). We could observe the existence of usage patterns for some tools when considering the size of the companies and usage of financial indexes for performance measures as well as the analysis of the competition to evaluate the marketing results. Keywords: Marketing, Practices, Planning, Management, Industry, Food.

18 2 REFERÊNCIAS Associação Brasileira da Indústria da Alimentação. Indústria da alimentação: Principais indicadores econômicos. Disponível em: < >. Acesso em: 02 mar ALBAUM, Gerald et al. Differences in marketing managers decision making styles within the Asia-Pacific region: implications for strategic alliances. Journal of Global Marketing, v. 21, n.1, p , BAKER, Michael. Administração de marketing. Rio de Janeiro: Elsevier, BUSSAB, Wilton de O; MORETTIN; Pedro Alberto. Estatística básica. 5. ed. São Paulo: Saraiva, CAMPOMAR, Marcos C; IKEDA, Ana A. Tomada de decisão e planejamento e Marketing. In: ENCONTRO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 30., 2006, Salvador, Anais... Salvador: Enampad, CHURCHILL Jr., Gilbert A; PETER, J. Paul. Marketing: criando valor para o cliente. São Paulo: Saraiva, DIAS, Sérgio R. Gestão de Marketing. São Paulo: Saraiva, EVERITT, B. S. The Analysis of Contingency Tables. London: Chapman & Hill, FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO. Classificação por porte de empresa. Disponível em: <http://www.fiesp.com.br>. Acesso em: 02 mar FERRELL, O.C.; HARTLINE, Michael D. Estratégia de Marketing. In: SCARE, Roberto F. A influencia da estrutura organizacional na execução das atividades de marketing f. Tese (Doutorado em Adminstração) Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008 KERIN, Roger A. et al. Marketing. São Paulo: MacGraw-Hill, KOTLER, Philip; KELLER, Kevin L. Administração de marketing. São Paulo: Pearson Prentice Hall, LACOMBE, Francisco José Masset. Administração: princípios e tendências. São Paulo: Saraiva, MacCARTHY, E. Jerome; PERREAULT Jr, William D. Marketing essencial: uma abordagem gerencial e global. São Paulo: Atlas, MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing. Porto Alegre: Bookman, RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1985

19 3 SCARE, Roberto F. A influencia da estrutura organizacional na execução das atividades de marketing f. Tese (Doutorado em Adminstração) Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, SELLTIZ et al. Métodos de pesquisa nas relações sociais. São Paulo: EPU, SEMENIK, Richard J.; BAMOSSY, Gary J. Princípios de marketing: uma perspectiva global. In: SCARE, Roberto F. A influencia da estrutura organizacional na execução das atividades de marketing f. Tese (Doutorado em Adminstração) Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING Monique Michelon 1 Lorete Kossowski 2 RESUMO O empreendedorismo no Brasil vive hoje um cenário promissor,

Leia mais

Prof: Carlos Alberto

Prof: Carlos Alberto AULA 1 Marketing Prof: Carlos Alberto Bacharel em Administração Bacharel em Comunicação Social Jornalismo Tecnólogo em Gestão Financeira MBA em Gestão de Negócios Mestrado em Administração de Empresas

Leia mais

Prof. Jessé Rodrigues FORMAÇÃO PARA GERENTES DE MARKETING DIGITAL

Prof. Jessé Rodrigues FORMAÇÃO PARA GERENTES DE MARKETING DIGITAL Prof. Jessé Rodrigues FORMAÇÃO PARA GERENTES DE MARKETING DIGITAL Conteúdo Programático Módulo 3 Primeiros Passos do Planejamento Como identificar norteadores estratégicos Como definir seus objetivos quantitativos

Leia mais

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG 1 OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG Camila Alves Teles 1 Maria Solange dos Santos 2 Rodrigo Honório Silva 3 Romenique José Avelar 4 Myriam Angélica Dornelas 5 RESUMO O presente

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 1 PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( X ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Administração

Leia mais

APLICABILIDADE DA GESTÃO EM MARKETING DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO NORTE E NOROESTE DO PARANÁ RESUMO

APLICABILIDADE DA GESTÃO EM MARKETING DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO NORTE E NOROESTE DO PARANÁ RESUMO APLICABILIDADE DA GESTÃO EM MARKETING DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO NORTE E NOROESTE DO PARANÁ Pedro Henrique Coelho de Farias - FAFIJAN Marilei Kroll - FAFIJAN Geise Barbosa Correa - FAFIJAN José Antonio

Leia mais

PESQUISA DE MARKETING: FERRAMENTA INDISPENSÁVEL PARA GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES

PESQUISA DE MARKETING: FERRAMENTA INDISPENSÁVEL PARA GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES PESQUISA DE MARKETING: FERRAMENTA INDISPENSÁVEL PARA GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES Daniele Schneider 1 Débora Wuttke 2 Heinrich Führ 3 Ivanete Schneider 4 RESUMO Este artigo aborda a importância do uso da pesquisa

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: São José do Rio Pardo Código: 150 Município: São José do Rio Pardo Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA: UMA ANÁLISE DO SETOR DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO

FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA: UMA ANÁLISE DO SETOR DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA: UMA ANÁLISE DO SETOR DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO Leandro Azevedo Da Silva Rosadas Marcelo Alvaro Da Silva Macedo Resumo: A questão da formação do preço de venda de produtos e

Leia mais

PLANO DE ENSINO. As atividades da disciplina estão orientadas no sentido de alcançar os seguintes objetivos abaixo relacionados:

PLANO DE ENSINO. As atividades da disciplina estão orientadas no sentido de alcançar os seguintes objetivos abaixo relacionados: I IDENTIFICAÇÃO PLANO DE ENSINO Curso Bacharelado em Administração Disciplina GADM11 - Fundamentos de Marketing Pré-Requisitos: Não há Professor Marcos Severo II EMENTA Período 5º CH. Semanal 04h/a Ano/Sem

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATEGICO NAS EMPRESAS DA AMAZÔNIA: O CASO DE CRUZEIRO DO SUL/AC.

PLANEJAMENTO ESTRATEGICO NAS EMPRESAS DA AMAZÔNIA: O CASO DE CRUZEIRO DO SUL/AC. PLANEJAMENTO ESTRATEGICO NAS EMPRESAS DA AMAZÔNIA: O CASO DE CRUZEIRO DO SUL/AC. César Gomes de Freitas, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre, Campus Cruzeiro do Sul/Acre, Brasil

Leia mais

Pesquisa de Marketing

Pesquisa de Marketing Pesquisa de Marketing CONCEITOS INICIAIS Prof. Daciane de Oliveira Silva Fonte: MALHORTA, Naresh K. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. 4 ed. Porto Alegre: Bookman, 2006. MATTAR, Fauze Najib.

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014

Plano de Trabalho Docente 2014 Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC Profª Nair Luccas Ribeiro Código: 156 Município: Teodoro Sampaio Eixo Tecnológico: Gestão e Negócio Habilitação Profissional: Técnico em Administração

Leia mais

e-mail: professor@luisguilherme.adm.br / www.luisguilherme.adm.br FONE: (62) 9607-2031

e-mail: professor@luisguilherme.adm.br / www.luisguilherme.adm.br FONE: (62) 9607-2031 INSTITUTO UNIFICADO DE ENSINO SUPERIOR OBJETIVO - IUESO PLANO DE ENSINO CURSO: Administração PROF. Luis Guilherme Magalhães SÉRIE: 7º e 8º Período TURNO: Matutino DISCIPLINA: Gestão Mercadológica CARGA

Leia mais

Tema Nº 7 Gestão Comercial

Tema Nº 7 Gestão Comercial Tema Nº 7 Gestão Comercial Habilidades a Desenvolver: Identificar as diferenças entre marketing e vendas. Definir as ações de marketing a serem adotadas pela empresa. Estruturar os procedimentos comerciais

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÂ Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO Qualificação:

Leia mais

Logística no Ponto de Venda (PDV)

Logística no Ponto de Venda (PDV) Logística no Ponto de Venda (PDV) Pesquisa: Percepção do Varejo em Relação às Ações Promocionais Maio de 2005 Objetivo: Avaliar o impacto dos vários tipos de promoções praticadas em supermercados junto

Leia mais

Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA

Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA SWOT Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças) Forças Oportunidades Fraquezas Ameaças Interno Externo Ajudam Atrapalham

Leia mais

MARKETING: UMA FERRAMENTA DA ADMINISTRAÇÃO APLICADA EM UMA ESCOLA DE INFORMÁTICA DE PEQUENO PORTE

MARKETING: UMA FERRAMENTA DA ADMINISTRAÇÃO APLICADA EM UMA ESCOLA DE INFORMÁTICA DE PEQUENO PORTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 118 MARKETING: UMA FERRAMENTA DA ADMINISTRAÇÃO APLICADA EM UMA ESCOLA DE INFORMÁTICA DE PEQUENO PORTE Diogo Xavier

Leia mais

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing Questão 01: (ENADE 2009): Um fabricante de sapatos pode usar a mesma marca em duas ou mais linhas de produtos com o objetivo de reduzir os custos de

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II Atividades Gerenciais de MKT Produto Testar Novos Produtos; Modificar Atuais; Eliminar; Política de Marcas; Criar Satisfação e Valor; Embalagem. 2 1 Atividades Gerenciais

Leia mais

REVISANDO O CONCEITO E A EVOLUÇÃO DO MARKETING

REVISANDO O CONCEITO E A EVOLUÇÃO DO MARKETING PROGRAMA PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA PRIME GESTÃO MERCADOLÓGICA 2009 REVISANDO O CONCEITO E A EVOLUÇÃO DO MARKETING Todo comprador poderá adquirir o seu automóvel da cor que desejar, desde que seja preto.

Leia mais

Pesquisa sobre a integração da Logística com o Marketing em empresas de grande porte

Pesquisa sobre a integração da Logística com o Marketing em empresas de grande porte III SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 Pesquisa sobre a integração da Logística com o Marketing em empresas de grande porte Alexandre Valentim 1 Heloisa Nogueira 1 Dário Pinto Junior

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAS APLICADAS - GESTÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAS APLICADAS - GESTÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1 UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAS APLICADAS - GESTÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO MICHELA APARECIDA SCHUTZ ESTUDO DO COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR NA TOMADA DE DECISÃO DE COMPRA DO CLIENTE

Leia mais

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE MARKETING

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE MARKETING O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE MARKETING Mayara Sanches de Souza 1 Hiroshi Wilson Yonemoto 2 RESUMO: O estratégico de marketing é um processo de variáveis controláveis e incontroláveis que afetam as relações

Leia mais

COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA CONTEXTO. Professora Rosicler Bettarelli rbettarelli@cidadesp.edu.br

COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA CONTEXTO. Professora Rosicler Bettarelli rbettarelli@cidadesp.edu.br COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA CONTEXTO Professora Rosicler Bettarelli rbettarelli@cidadesp.edu.br A COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA...... deve ser elaborada a partir do quadro sociocultural do consumidor alvo COMUNICAÇÃO

Leia mais

TÍTULO: PLANO DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA DE MARKETING (CIM): UM ESTUDO DE CASO DA EMPRESA PINTANDO 7 BRINDES

TÍTULO: PLANO DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA DE MARKETING (CIM): UM ESTUDO DE CASO DA EMPRESA PINTANDO 7 BRINDES Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: PLANO DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA DE MARKETING (CIM): UM ESTUDO DE CASO DA EMPRESA PINTANDO 7 BRINDES

Leia mais

Palavras-chave: Comunicação Estratégica; Composto de Marketing e micro e pequenas empresas.

Palavras-chave: Comunicação Estratégica; Composto de Marketing e micro e pequenas empresas. A COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA E O COMPOSTO DE MARKETING: UMA INTEGRAÇÃO DE SUCESSO NA GESTÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE JOÃO PESSOA Evalena Lima Cabral (1) ; Patrícia Morais da Silva (3), Mitchell Figueiredo

Leia mais

Sobre os autores. Apresentação

Sobre os autores. Apresentação Sobre os autores Apresentação 1 Gestão de marketing, 1 1.1 Estratégia e as forças competitivas, 2 1.1.1 Primeira força: ameaça de entrada de novos concorrentes, 3 1.1.2 Segunda força: pressão dos produtos

Leia mais

P L A N O D E E N S I N O

P L A N O D E E N S I N O Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Administração Departamento de Ciências Administrativas Semestre: 2007/1 P L A N O D E E N S I N O Disciplina: ADM 1141 - Introdução ao Marketing. Turma

Leia mais

O PLANO DE MARKETING COMO ESTRATÉGIA DE GESTÃO NO SEGMENTO DE SERVIÇOS DE UMA EMPRESA DO INTERIOR DE SÃO PAULO.

O PLANO DE MARKETING COMO ESTRATÉGIA DE GESTÃO NO SEGMENTO DE SERVIÇOS DE UMA EMPRESA DO INTERIOR DE SÃO PAULO. 2 O PLANO DE MARKETING COMO ESTRATÉGIA DE GESTÃO NO SEGMENTO DE SERVIÇOS DE UMA EMPRESA DO INTERIOR DE SÃO PAULO. (THE MARKETING PLAN AS A STRATEGY FOR MANAGING THE SERVICES OF A COMPANY OF SÃO PAULO)

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Administração Qualificação:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015

Plano de Trabalho Docente 2015 Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: GARÇA / SP Eixo tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

MBA Gestão da Tecnologia de Informação

MBA Gestão da Tecnologia de Informação MBA Gestão da Tecnologia de Informação Informações: Dias e horários das aulas: Segundas e Terças-feiras das 18h00 às 22h00 aulas semanais; Sábados das 08h00 às 12h00 aulas quinzenais. Carga horária: 600

Leia mais

1 Introdução 1.1 Contextualização do Problema

1 Introdução 1.1 Contextualização do Problema 1 Introdução 1.1 Contextualização do Problema O papel do líder é muito relevante numa pequena empresa familiar. Isso se dá devido a vários fatores, dentre outros, deve-se enfatizar a dificuldade de criação

Leia mais

Importância e utilização de atividades e ferramentas para a obtenção de informações de marketing no setor da construção civil de Londrina/ PR

Importância e utilização de atividades e ferramentas para a obtenção de informações de marketing no setor da construção civil de Londrina/ PR Mario Nei Pacagnan, Renato da Rocha Neto & Natália Pagan de Araújo Importância e utilização de atividades e ferramentas para a obtenção de informações de marketing no setor da construção civil de Londrina/

Leia mais

Capítulo 7 Medidas de dispersão

Capítulo 7 Medidas de dispersão Capítulo 7 Medidas de dispersão Introdução Para a compreensão deste capítulo, é necessário que você tenha entendido os conceitos apresentados nos capítulos 4 (ponto médio, classes e frequência) e 6 (média).

Leia mais

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo:

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo: 3 METODOLOGIA Apresenta-se a seguir a descrição da metodologia utilizada neste trabalho com o objetivo de expor os caminhos que foram percorridos não só no levantamento dos dados do estudo como também

Leia mais

O USO DE INDICADORES DE DESEMPENHO NO ÂMBITO DAS EMPRESAS DO PORTO DIGITAL

O USO DE INDICADORES DE DESEMPENHO NO ÂMBITO DAS EMPRESAS DO PORTO DIGITAL O USO DE INDICADORES DE DESEMPENHO NO ÂMBITO DAS EMPRESAS DO PORTO DIGITAL Antônio André Cunha Callado UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Aldo Leonardo Cunha Callado UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDO

Leia mais

Capítulo 7. As Informações e o Processo de Tomada de Decisão do Gestor Público

Capítulo 7. As Informações e o Processo de Tomada de Decisão do Gestor Público Capítulo 7 As Informações e o Processo de Tomada de Decisão do Gestor Público Pós Graduação Gestão Pública Administração de Marketing Conteúdo - Capítulo 7 Imagem e conhecimento do mercado: A imagem da

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG 26/09/2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG

Leia mais

Plano de Negócios PLANEJAMENTO DO PROJETO FINAL. Sumário

Plano de Negócios PLANEJAMENTO DO PROJETO FINAL. Sumário Plano de Negócios Plano de Negócios Sumário Introdução... 3 Plano de Negócios... 3 Etapas do Plano de Negócio... 3 Fase 1... 3 Fase 2... 8 Orientação para entrega da Atividade de Avaliação... 12 Referências

Leia mais

Coordenador do Insights Corporativos

Coordenador do Insights Corporativos Autor, Consultor, Palestrante e Professor : Anhanguera/ UNIP/ SENAC e ESPM Coordenador do Insights Corporativos Diretor comercial da CRMK Uniformes Industriais. Mestre em Gestão de Pessoas e Organizações

Leia mais

Faculdade da Alta Paulista

Faculdade da Alta Paulista Plano de Ensino Disciplina: Marketing Aplicado aos Negócios Código: Série: 3ª Série Obrigatória ( x ) Optativa ( ) CH Teórica: CH Prática: CH Total: 80 horas Período Letivo: 2015 Obs: Objetivo Geral: Apresentar

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO DE MARKETING PARA A EMPRESA MONTECIELO ARTES E DECORAÇÕES CRISTIAN ALESSANDRO ATKINSON MONTECIELO.

PLANO ESTRATÉGICO DE MARKETING PARA A EMPRESA MONTECIELO ARTES E DECORAÇÕES CRISTIAN ALESSANDRO ATKINSON MONTECIELO. UNIJUI UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DACEC DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS, CONTÁBEIS, ECONÔMICAS E DA COMUNICAÇÃO. CURSO DE ADMINISTRAÇÃO BACHARELADO MODALIDADE

Leia mais

MARKETING. CAMINHO PARA A SATISFAÇÃO E FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE

MARKETING. CAMINHO PARA A SATISFAÇÃO E FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE MARKETING. CAMINHO PARA A SATISFAÇÃO E FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE Felipe Alessandro Dória felipealessandro10@yahoo.com.br Rua Agostinho Andery, 293 Arvore Grande Pouso Alegre MG CEP: 37.550-000 Everson Danilo

Leia mais

O presente processo de seleção tem por objetivo preencher vaga e formar cadastro de docentes para ministrar as disciplinas/áreas abaixo:

O presente processo de seleção tem por objetivo preencher vaga e formar cadastro de docentes para ministrar as disciplinas/áreas abaixo: A Faculdade de Economia e Finanças Ibmec/RJ torna pública a abertura de processo seletivo para contratação de professores PJ para o curso de Pós Graduação Executiva - CBA. I Das vagas abertas para seleção

Leia mais

A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO

A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO 122 A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO Edilene Mayumi Murashita Takenaka, Sérgio Luís Destro, João Vitor Minca Campioni, Dayane Magalhães Fernandes, Giovana Maria

Leia mais

CONTROLADORIA: UM MECANISMO DE AUXILIO A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E A TOMADA DE DECISÃO 1 RESUMO

CONTROLADORIA: UM MECANISMO DE AUXILIO A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E A TOMADA DE DECISÃO 1 RESUMO CONTROLADORIA: UM MECANISMO DE AUXILIO A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E A TOMADA DE DECISÃO 1 GELAIN, Anna Júlia Lorenzzon 2 ; LORENZETT, Daniel Benitti 3 ; GODOY, Taís Pentiado 4 ; LOSEKANN, Andresa Girardi

Leia mais

MBA em Gestão Empresarial com Ênfase na Transformação Organizacional

MBA em Gestão Empresarial com Ênfase na Transformação Organizacional MBA em Gestão Empresarial com Ênfase na Transformação Organizacional Coordenação Acadêmica: Wankes da Silva Ribeiro Coordenação da Ênfase: Wankes Leandro Ribeiro JUSTIFICATIVA O MBA em Gestão Empresarial

Leia mais

Estratégia de Orientação para o Mercado (OPM): breve revisão de conceitos e escalas de mensuração

Estratégia de Orientação para o Mercado (OPM): breve revisão de conceitos e escalas de mensuração Estratégia de para o Mercado (OPM): breve revisão de conceitos e escalas de mensuração Miguel Rivera PERES JÚNIOR 1 ; Jordan Assis REIS 2 1 Professor do IFMG Campus Formiga. Rua Padre Alberico, s/n. Formiga,MG

Leia mais

Implementação Estratégica da TI com foco nos Negócios

Implementação Estratégica da TI com foco nos Negócios Implementação Estratégica da TI com foco nos Negócios Projeto para a disciplina Sistemas de Informação Gerencial Curso: MBA em Gestão e Negócios UNIMEP Elaborada por: Profº. Ms Flávio Ibelli Callegari

Leia mais

Plano de marketing Um roteiro para a ação

Plano de marketing Um roteiro para a ação Plano de marketing Um roteiro para a ação 1. Planejar, planejar, planejar 2. Planejamento de marketing e plano de marketing 3. Processo de elaboração e roteiro do plano de marketing 4. Detalhamento do

Leia mais

Desenvolvimento da aplicação para gerenciamento de vendas da Natura. Acadêmico: Rangel Wiliam Leithold Prof. Orientador: Dr.

Desenvolvimento da aplicação para gerenciamento de vendas da Natura. Acadêmico: Rangel Wiliam Leithold Prof. Orientador: Dr. Desenvolvimento da aplicação para gerenciamento de vendas da Natura baseado em CRM Acadêmico: Rangel Wiliam Leithold Prof. Orientador: Dr. Oscar Dalfovo Roteiro da apresentação Introdução Objetivos Fundamentação

Leia mais

Inteligência Competitiva

Inteligência Competitiva Inteligência Competitiva Coleta, análise e divulgação de informações para uma melhor tomada de decisão Ivan Freitas da Costa Março de 2008 Agenda Diagnóstico Inteligência Competitiva Framework Leituras

Leia mais

3 Indicadores de Resultados da gestão comercial. Série Indicadores Essenciais Volume 3

3 Indicadores de Resultados da gestão comercial. Série Indicadores Essenciais Volume 3 3 Indicadores de Resultados da gestão comercial Série Indicadores Essenciais Volume 3 Gestão Comercial de Alta Performance Clique abaixo e saiba como podemos colaborar com o desenvolvimento de sua equipe.

Leia mais

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Fabiano Akiyoshi Nagamatsu Everton Lansoni Astolfi Eduardo Eufrasio De

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos 2010 0 O Processo pode ser entendido como a sequência de atividades que começa na percepção das necessidades explícitas

Leia mais

FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 2.1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 Fundamentos de Risco e Retorno Se todos soubessem com antecedência qual seria o preço futuro de uma ação, o investimento

Leia mais

Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática

Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática Evandro Polese Alves Ricardo de Almeida Falbo Departamento de Informática - UFES Av. Fernando Ferrari, s/n, Vitória - ES - Brasil

Leia mais

4/2/2008. 2) Tomar grandes decisões = 1)Analisar a situação externa e interna. Leitura do mercado e das condições internas da organização

4/2/2008. 2) Tomar grandes decisões = 1)Analisar a situação externa e interna. Leitura do mercado e das condições internas da organização PLANO DE MARKETING Ferramenta importante do plano estratégico de uma empresa. Deve estar em perfeita sintonia com os objetivos estabelecidos pela empresa. É um passo para a elaboração do PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Campus de Francisco Beltrão Estágio Supervisionado em Administração

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Campus de Francisco Beltrão Estágio Supervisionado em Administração UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Campus de Francisco Beltrão Estágio Supervisionado em Administração Formulário de Roteiro do Diagnóstico Organizacional Seqüência das partes

Leia mais

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta.

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta. ESPE/Un SERE plicação: 2014 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( ) Presencial

Leia mais

A avaliação de um modelo de comprometimento do consumidor com livrarias virtuais

A avaliação de um modelo de comprometimento do consumidor com livrarias virtuais Augusto César Ferreira Lima A avaliação de um modelo de comprometimento do consumidor com livrarias virtuais Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação em Administração

Leia mais

Planejamento e Implementação de Ações de Marketing

Planejamento e Implementação de Ações de Marketing Planejamento e Implementação de Ações de Marketing Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA PROJETO INTEGRADOR. Suzano

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA PROJETO INTEGRADOR. Suzano CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA PROJETO INTEGRADOR Suzano PROJETO INTEGRADOR 1. Introdução O mercado atual de trabalho exige dos profissionais a capacidade de aplicar os conhecimentos

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas 2010 0 Unidade: Gerenciamento de Marketing e Vendas É necessário o entendimento de como os produtos chegam

Leia mais

Área Temática: Marketing e Comunicação. Plano de Marketing e Apreçamento: Um Estudo Exploratório

Área Temática: Marketing e Comunicação. Plano de Marketing e Apreçamento: Um Estudo Exploratório Área Temática: Marketing e Comunicação Plano de Marketing e Apreçamento: Um Estudo Exploratório AUTORES CLAUDIO ALBERTO DE MORAES Universidade Presbiteriana Mackenzie camoraes@mackenzie.com.br FAUZE NAJIB

Leia mais

Palavras-chaves: Empresa Júnior da Fadergs, Critérios PGPK, site, divulgação.

Palavras-chaves: Empresa Júnior da Fadergs, Critérios PGPK, site, divulgação. 1 Estudo de caso: aplicação dos critérios do PGPK com a implantação do site da Empresa Júnior da Fadergs Melissa Schiavon Lima RESUMO Este estudo em andamento apresenta um estudo de caso relacionando os

Leia mais

Plano de Direcionamento. Conhecimento de Mercado

Plano de Direcionamento. Conhecimento de Mercado Plano de Direcionamento Conhecimento de Mercado Conhecimento de Mercado É necessário conhecer o mercado para que sejam desenvolvidos produtos que atendam as necessidades e expectativas dos clientes. Segmentação

Leia mais

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos 3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos Este capítulo tem como objetivo a apresentação das principais ferramentas e metodologias de gerenciamento de riscos em projetos, as etapas do projeto onde o processo

Leia mais

Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro

Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro 1 Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro Atuamos junto a estes três grupos de empresas, ajudando-os a atender da melhor maneira às necessidades do consumidor 2 Atendemos às necessidades

Leia mais

Mônica Lima Universidade Federal da Bahia Monica Aparecida Tomé Pereira Universidade Federal do Vale do São Francisco

Mônica Lima Universidade Federal da Bahia Monica Aparecida Tomé Pereira Universidade Federal do Vale do São Francisco 349 PERCEPÇÃO DOS ESTUDANTES SOBRE INFRAESTRUTURA DOS CURSOS DE PSICOLOGIA: CONSIDERAÇÕES A PARTIR DO ENADE-2006 Mônica Lima Universidade Federal da Bahia Monica Aparecida Tomé Pereira Universidade Federal

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA DE MARKETING PARA GESTORES DE NEGÓCIO

A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA DE MARKETING PARA GESTORES DE NEGÓCIO A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA DE MARKETING PARA GESTORES DE NEGÓCIO Mariana Ferreira Soares, Priscila Petrusca Messias Gomes Silva e Marcos Alexandre de Melo Barros. Faculdade Senac de Pernambuco. E-mail:

Leia mais

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA Habilidades Computacionais 32 h/a Oferece ao administrador uma visão sobre as potencialidades da tecnologia

Leia mais

17º Congresso de Iniciação Científica MARCAS PRÓPRIAS: UMA ANÁLISE DO PANORAMA BRASILEIRO

17º Congresso de Iniciação Científica MARCAS PRÓPRIAS: UMA ANÁLISE DO PANORAMA BRASILEIRO 17º Congresso de Iniciação Científica MARCAS PRÓPRIAS: UMA ANÁLISE DO PANORAMA BRASILEIRO Autor(es) MARIANE BERTAGNA Orientador(es) ANTÔNIO CARLOS GIULIANI Apoio Financeiro PIBIC/CNPQ 1. Introdução O Brasil

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS ALUNOS EM RELAÇÃO ÀS ATIVIDADES COMPLEMENTARES NO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LASALLE UNILASALLE

PERCEPÇÃO DOS ALUNOS EM RELAÇÃO ÀS ATIVIDADES COMPLEMENTARES NO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LASALLE UNILASALLE 1 PERCEPÇÃO DOS ALUNOS EM RELAÇÃO ÀS ATIVIDADES COMPLEMENTARES NO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LASALLE UNILASALLE Jesse Alencar da Silva Centro Universitário La Salle (UNILASALLE-RS)

Leia mais

Análise SWOT. A Análise SWOT (FOFA) SWOT e FOFA FUNÇÃO DA SWOT

Análise SWOT. A Análise SWOT (FOFA) SWOT e FOFA FUNÇÃO DA SWOT Análise SWOT A Análise SWOT (FOFA) Prof. Cláudio Márcio cmarcio@gmail.com Diagnóstico estratégico que permite estabelecer relação entre os pontos fortes e fracos, oportunidades e ameaças no ambiente organizacional

Leia mais

Objetivos da comunicação

Objetivos da comunicação Prof. Edmundo W. Lobassi Use palavras simples, que todos compreendam, assim todos irão entendê-lo. (Prof. Edmundo W. Lobassi) 1 Estude algumas pesquisas e ouça pessoas experts, pois nada é mais importante

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO 2º.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO 2º. UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO 2º. SEMESTRE 2015 DISCIPLINA: Pesquisa Quantitativa com Análise de Dados PROFESSOR:

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING PÓS-GRADUAÇÃO / FIB-2009 Prof. Paulo Neto O QUE É MARKETING? Marketing: palavra em inglês derivada de market que significa: mercado. Entende-se que a empresa que pratica

Leia mais

IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE

IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE GEduc 2012 - Novos Rumos para a Gestão Educacional Pág 1 Temas Pressupostos teórico-metodológicos As necessidades

Leia mais

O perfil do consumidor de pizza na cidade de Juazeiro-BA 1

O perfil do consumidor de pizza na cidade de Juazeiro-BA 1 O perfil do consumidor de pizza na cidade de Juazeiro-BA 1 Gabriela Cristina Sá Campelo dos ANJOS 2 Adna Alana Coelho ANDRADE 3 Adolfo Ivo Santos de ANDRADE 4 Leticia Marinho PIRES 5 Kelma Nunes PEREIRA

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria no 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01

CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria no 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria no 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: MARKETING APLICADO A ENGENHARIA Código: ENGP - 587 Pré-requisito: ----- Período Letivo:

Leia mais

Fatores Influenciadores do Comportamento do Consumidor Organizacional dos Shoppings de Confecção Atacadistas de Maringá e Cianorte

Fatores Influenciadores do Comportamento do Consumidor Organizacional dos Shoppings de Confecção Atacadistas de Maringá e Cianorte Fatores Influenciadores do Comportamento do Consumidor Organizacional dos Shoppings de Confecção Atacadistas de Maringá e Cianorte Daniel Malgarin da Costa (Bacharel em Administração UEM) Olga Maria Coutinho

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E SOCIAIS APLICADAS CAMPUS VII GOVERNADOR ANTÔNIO MARIZ CURSO: BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E SOCIAIS APLICADAS CAMPUS VII GOVERNADOR ANTÔNIO MARIZ CURSO: BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E SOCIAIS APLICADAS CAMPUS VII GOVERNADOR ANTÔNIO MARIZ CURSO: BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO BRUNA NOGUEIRA XAVIER A INFLUÊNCIA DO MIX DE PRODUTOS

Leia mais

A maior pesquisa sobre consumo de calçados femininos já realizada no Brasil

A maior pesquisa sobre consumo de calçados femininos já realizada no Brasil A maior pesquisa sobre consumo de calçados femininos já realizada no Brasil Categoria: Consumo - Moda Segmento: Sapatos femininos Mercado: Brasil Edição 02 www.azimute720.com.br 2011 Quem Somos Uma agência

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL ZAROS, Raíssa Anselmo. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais/ACEG E-mail: raissa_zaros@hotmail.com LIMA, Sílvia Aparecida Pereira

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 COMPETITIVIDADE SOB A ÓTICA DAS CINCO FORÇAS DE PORTER: UM ESTUDO DE CASO DA EMPRESA OXIFOR OXIGÊNIO FORMIGA LTDA JUSSARA MARIA SILVA RODRIGUES OLIVEIRA 1, LÍVIA COUTO CAMBRAIA 2 RESUMO: Neste trabalho,

Leia mais

Como Gerenciar seu Negócio no Mercado de Festas! Com Kika Duarte

Como Gerenciar seu Negócio no Mercado de Festas! Com Kika Duarte Como Gerenciar seu Negócio no Mercado de Festas! Com Kika Duarte Maio de 2015 Kika Duarte Há 14 anos no mercado de São Paulo e região. Áreas de atuação Festas Infantis Eventos Sociais Casamentos Eventos

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Empresarial

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Empresarial CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Empresarial Coordenação Acadêmica FGV : Professora Denize Dutra CÓDIGO NO SIGA : VIANNA0/TMBAGE*1225-14 1. ECONOMIA EMPRESARIAL Fundamentos

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR PROJETO INTEGRADOR 1. INTRODUÇÃO Conforme as diretrizes do Projeto Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia da Faculdade Unida de Suzano

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS PAIS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS PAIS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS PAIS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG 06/08/2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DOS PAIS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG Professores

Leia mais

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Bruna Jheynice Silva Rodrigues 1 ; Lauriene Teixeira Santos 2 ; Augusto Chaves Martins 3 ; Afonso Régis Sabino

Leia mais