Escolas Eficientes. O que isso significa para os líderes evangélicos das nossas escolas? David K. Wilcox, Ph.D. International Area Director ACSI

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Escolas Eficientes. O que isso significa para os líderes evangélicos das nossas escolas? David K. Wilcox, Ph.D. International Area Director ACSI"

Transcrição

1 Escolas Eficientes O que isso significa para os líderes evangélicos das nossas escolas? David K. Wilcox, Ph.D. International Area Director ACSI

2 Eficiência Escreva o que Eficiência significa para você como líder Cristão na sua escola. Compartilhe a sua definição com alguém do seu lado.

3 Ponto de Partida: Visão: Como as pessoas se tornariam se a escola prestasse serviços eficientes. Missão: O que a escola oferecerá ao público alvo para que sua visão seja cumprida.

4 Para Alegar Eficiência: 1. Vocês precisam saber com o quê o sucesso se parece: a. Resultados Estabelecidos b. O Perfil do Formado 2. Vocês precisam concordar o modo de medir a. as habilidades, b. o conhecimento c. e as perspectivas.

5 A Eficiência Exige um Compromisso com a Melhora O que você quer que seja feito? VISÃO Qual o futuro que você esta buscando? Qual atitudes você tomará para melhorar? RESULTADOS PLANO PERFIL Qual é sua realidade atual?

6 Perfil Um perfil é uma coleção, compilação e análise da informação significativa; uma descrição da realidade atual; acostumado a informar e guiar decisões; identificar pontos fortes e melhorar as prioridades; um documento que sempre será mudado, um arquivo.

7 Desenvolvendo um Perfil O perfil contem descrições e análises do Desempenho do aluno Perspectivas dos que têm uma voz Capacidade Instrucional e de Organização Demografia dos alunos e da comunidade Características da Escola Condições externas que afetam a aprendizagem

8 Planejamento O que pode ser melhorado? Prioridade da melhora Afirmação da meta Indicadores de desempenho Como saberemos? Instrumentos de Avaliação Nível de Desempenho Atual Parâmetros para Melhora Que ações tomaremos? Estratégias e Atividades Recursos e Apoio Sistema de Monitoramento

9 Atividade Compare/ Contraste Reflita e compartilhe com os outros. O que o melhoramento da escola e uma tempestade tem em comum?

10 Lições Aprendidas Através das Pesquisas sobre Escolas Eficientes A educabilidade dos alunos - todos podem aprender! Um Foco nos Resultados Tomando a responsabilidade pela aprendizagem dos alunos Prestando atenção a uniformidade na escola inteira Murphy, J. (1992). Effective Schools: Legacy and Future Directions. In Reynolds, D., and Cuttance, P. (1992) 9Eds.) School Effectiveness research, Policy and Practices, London: Cassell pp

11 As Pesquisas sobre Escolas Eficientes perguntaram: Quais são as características dentro da escola que ajudariam a adicionar valor, isso é, ajudariam os alunos a alcançarem além do que normalmente seria previsto dado o status econômico, nível econômico e estrutura familiar? O que pode ser feito que sem ter que usar mais dinheiro?

12 As Pesquisas sobre Escolas Eficientes perguntaram, Quais fatores farão a diferença? Se Implementados Se Maximizados Se Aplicados Simultaneamente Se Aplicados com Persistência

13 Os dados descobertos foram Forte Liderança no nível de construção Melhores métodos usados no ensino Um clima organizado que apoia um trabalho eficiente pela parte dos professores Currículo que acolhe intensidade acadêmica Uma Avaliação Sistemática da Aprendizagem do Aluno que procura informar como Melhorar o Ensino.

14 Eficiência com uma Definição Inadequada Definida como: Notas mais Altas nas provas em Numeração Alfabetização

15 Os Australianos disseram NÃO! Eles definiram Eficiência como: 1. Relacionamento positivo com a aprendizagem 2. Desenvolvimento de um Conceito Próprio positivo 3. Senso de disciplina-própria e valor-próprio 4. Habilidades de sobrevivência do Aluno - se tornando um membro produtivo e seguro no mundo adulto 5. Um desenvolvimento apropriado de um sistema de valores 6. A preparação do aluno para a próxima fase da aprendizagem. (McGaw et al., 1992)

16 Problemas com Eficiência É uma característica estável de uma escola ou varia de ano em ano? É melhor examinado matéria por matéria ou pelo currículo como um todo? O que mais nós cristãos precisamos estar buscando?

17 Cristãos e a Eficiência da Escola Não deveríamos estar abrindo um espaço para uma aprendizagem onde a obediência e a verdade são praticadas? Parker Palmer

18 Escolas Eficientes Desejamos resultados diferentes para nós? A Eficiência nas escolas Cristãs não deveria ter características com essas?: 1. Os professores ajudam os alunos a reconhecerem e desenvolverem os dons que Deus deu a cada um. 2. As escolas providenciam oportunidades para os alunos praticarem e implementarem uma cosmovisão bíblica.

19 Escolas Eficientes Desejamos resultados diferentes para nós? 3. O ensino da escola guiará o aluno a fazer perguntas fundamentais, como, a. Quando Deus criou essa parte da criação quais eram suas intenções? b. Essa parta da criação esta do jeito propositado por Deus? c. O que deveríamos estar fazendo para resgatar o propósito original dessa parte da criação? 4. Os alunos compartilham as alegrias e carregam as dores uns dos outros

20 O que mais você adicionaria?

21 VISÃO É a visão da Escola Cristã que nossos formados tenham uma cosmovisão cristã que alcance todos os aspectos da vida, estejam preparados para os estudos do nível superior e que eles:

22 Espiritualmente, tenham um relacionamento pessoal com Jesus Cristo, demonstrando um desejo e a habilidade de por em prática os princípios bíblicos em casa, na igreja, no trabalho, na comunidade, servindo a Deus e aos outros;

23 Academicamente, consigam pensar com discernimento, se comunicar claramente, usar eficazmente a matemática, o conhecimento científico e computadores, achar, examinar e avaliar informação, e apreciar a literatura e as artes;

24 Na Cidadania, entendam e implementem como serem cidadãos exemplares e utilizem o discernimento na cultura, história e governo de outros países, atendendo o chamado de Deus para alcançarem outros povos;

25 Nas Habilidades para Sobrevivência, se respeitem e se relacionem apropriadamente uns com os outros, praticando os princípios da integridade, compromisso e moralidade bíblica. Que eles consigam resolver problemas, tomar decisões, apreciar o trabalho e ser bons mordomos da saúde física, junto com todos os outros recursos e oportunidades.

26 A Missão da Escola Cristã é: Educar alunos para a glória de Deus que são capazes de ter um desempenho no nível de ou acima de seu ano escolar com um esforço razoável num ambiente de escola tradicional e num programa que prepara os alunos para faculdade ou universidade enquanto desenvolve e implementa uma cosmovisão bíblica que penetra todos os aspectos da vida.

27 Versão da Xícara de Café...educando alunos para serem fiéis seguidores de Deus.

28 Princípios Orientadores Escola Cristã é fundamentada com um firme compromisso com Deus e fé em Cristo. Alunos aprendem que o conteúdo da Bíblia é relacionado a todas as áreas do conhecimento humano. Os alunos são ensinados a descobrirem a importância das Escrituras para suas vidas diárias.

29 Grupo Alvo Alunos cujos pais desejam uma educação cristã; capazes de terem preparo para faculdade; com distúrbios de aprendizagem limitados; da pré-escola, ensino fundamental e médio.

30 RESULTADOS ESPERADOS Vendo Cristo como o centro da verdade e o modelo da imagem de Deus para nós, o objetivo de aprendizagem da Escola Cristã é desenvolver formados que:

31 ESPIRITUALMENTE Refletem um entendimento de Deus e um desejo de terem um compromisso com Ele através de um relacionamento com Jesus Cristo. Têm um conhecimento da palavra de Deus e como aplicá-la a vida diária. Estão ativamente envolvidos na comunidade da igreja servindo a Deus e a outras pessoas.

32 ACADEMICAMENTE Sabem como achar, examinar, avaliar e usar a informação. Têm um conhecimento das pessoas e acontecimentos importantes na história da Igreja Cristã. Têm uma apreciação pelas artes.

33 NA CIDADANIA Entendem, valorizam e praticam as características de um cidadão eficaz. Entendem as culturas, histórias e Entendem as culturas, histórias e governos de outros povos e países e consideram atividades apropriadas para alcançarem os outros.

34 nas HABILIDADES PARA SOBREVIVÊNCIA Respeitam e se relacionam apropriadamente com outras pessoas com que trabalham, brincam e vivem. Usam tempo livre apropriadamente. São capazes de resolverem problemas e tomarem decisões.

Introdução à participação infantil

Introdução à participação infantil Seção 1 Introdução à participação 1.1 Uma visão bíblica da criança Em muitas culturas, as crianças são subestimadas. No entanto, Deus valoriza as crianças tanto quanto os adultos. Todos os seres humanos

Leia mais

Identificação do projeto

Identificação do projeto Seção 1 Identificação do projeto ESTUDO BÍBLICO Respondendo a uma necessidade Leia Neemias 1 Neemias era um judeu exilado em uma terra alheia. Alguns dos judeus haviam regressado para Judá depois que os

Leia mais

Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015]

Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015] Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015] Introdução As Organizações da Aliança Global Wycliffe desejam expressar a unidade e a diversidade do Corpo

Leia mais

JPEG JOVENS EM PEQUENO GRUPO

JPEG JOVENS EM PEQUENO GRUPO ORIENTAÇÕES BÁSICAS JPEG JOVENS EM PEQUENO GRUPO JPEG é Jovens em Pequenos Grupos. A nova identidade dos pequenos grupos para jovens. NECESSIDADE DE ORGANIZAÇÃO DA IGREJA PEQUENOS GRUPOS Pequenos grupos

Leia mais

UNIDADE 2: APRENDENDO A BRILHAR REVISÃO E CELEBRAÇÃO PARA PEQUENOS GRUPOS

UNIDADE 2: APRENDENDO A BRILHAR REVISÃO E CELEBRAÇÃO PARA PEQUENOS GRUPOS Frutos-3 Impact0 LIÇÃO 13 VIVENDO A VIDA COM DEUS UNIDADE 2: APRENDENDO A BRILHAR REVISÃO E CELEBRAÇÃO PARA PEQUENOS GRUPOS 9-11 Anos Neste Trimestre, as crianças aprenderão sobre Graça, Crescimento e

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ASSISTENTE SOCIAL NOS PROJETOS SOCIAIS E NA EDUCAÇÃO - UMA BREVE ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA DO PROJETO DEGRAUS CRIANÇA

A IMPORTÂNCIA DO ASSISTENTE SOCIAL NOS PROJETOS SOCIAIS E NA EDUCAÇÃO - UMA BREVE ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA DO PROJETO DEGRAUS CRIANÇA A IMPORTÂNCIA DO ASSISTENTE SOCIAL NOS PROJETOS SOCIAIS E NA EDUCAÇÃO - UMA BREVE ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA DO PROJETO DEGRAUS CRIANÇA Tamara Nomura NOZAWA 1 Telma Lúcia Aglio GARCIA 2 Edmárcia Fidelis ROCHA

Leia mais

O Marco de Ação de Dakar Educação Para Todos: Atingindo nossos Compromissos Coletivos

O Marco de Ação de Dakar Educação Para Todos: Atingindo nossos Compromissos Coletivos O Marco de Ação de Dakar Educação Para Todos: Atingindo nossos Compromissos Coletivos Texto adotado pela Cúpula Mundial de Educação Dakar, Senegal - 26 a 28 de abril de 2000. 1. Reunidos em Dakar em Abril

Leia mais

O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA

O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA SANTOS *, Josiane Gonçalves SME/CTBA josiane_2104@hotmail.com Resumo Os tempos mudaram, a escola mudou. Refletir sobre a escola na contemporaneidade

Leia mais

Unidade 3: Acampamento Balaio

Unidade 3: Acampamento Balaio FRUTOS-3 DESAFIO Vivendo a Vida com Deus Unidade 3: Acampamento Balaio Fazendo Diferença ao Estar em um Pequeno Grupo LIÇÃO 13 7-8 Anos Neste Trimestre, as crianças continuarão a pesquisar os cinco frutos

Leia mais

Mosaicos #7 Escolhendo o caminho a seguir Hb 13:8-9. I A primeira ideia do texto é o apelo à firmeza da fé.

Mosaicos #7 Escolhendo o caminho a seguir Hb 13:8-9. I A primeira ideia do texto é o apelo à firmeza da fé. 1 Mosaicos #7 Escolhendo o caminho a seguir Hb 13:8-9 Introdução: Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e para sempre. Não se deixem levar pelos diversos ensinos estranhos. É bom que o nosso coração seja

Leia mais

ANEXO II DOS TERMOS DE REFERÊNCIA

ANEXO II DOS TERMOS DE REFERÊNCIA ANEXO II DOS TERMOS DE REFERÊNCIA GLOSSÁRIO DE TERMOS DO MARCO ANALÍTICO Avaliação de Projetos de Cooperação Sul-Sul: exercício fundamental que pretende (i ) aferir a eficácia, a eficiência e o potencial

Leia mais

A INCLUSÃO DOS DIREITOS HUMANOS NAS TURMAS DO EJA POR MEIO DAS NOVAS TECNOLOGIAS

A INCLUSÃO DOS DIREITOS HUMANOS NAS TURMAS DO EJA POR MEIO DAS NOVAS TECNOLOGIAS A INCLUSÃO DOS DIREITOS HUMANOS NAS TURMAS DO EJA POR MEIO DAS NOVAS TECNOLOGIAS Gisllayne Rufino Souza UFPB gisllayne.souza@gmail.com Profa. Dra. Marlene Helena de Oliveira França UFPB/Centro de Educação/Núcleo

Leia mais

Guia do Facilitador. Aprendizagem Baseada em Projetos. http://www.intel.com/educacao. Série Elementos Intel Educar Aprendizagem Baseada em Projetos

Guia do Facilitador. Aprendizagem Baseada em Projetos. http://www.intel.com/educacao. Série Elementos Intel Educar Aprendizagem Baseada em Projetos Série Elementos Intel Educar Guia do Facilitador http://www.intel.com/educacao Copyright 2010 Intel Corporation. Página 1 de 19 Termos de Uso para o Guia do Facilitador da Série Elementos Intel Educar

Leia mais

Décima Primeira Lição

Décima Primeira Lição 70 Décima Primeira Lição AUTORIDADE NA EDUCAÇÃO DOS FILHOS A EDUCAÇÃO DOS FILHOS NO LAR A) O lar tem suma importância na vida humana, pois é o berço de costumes, hábitos, caráter, crenças e morais de cada

Leia mais

DISCIPULADO. Um estilo de vida

DISCIPULADO. Um estilo de vida DISCIPULADO Um estilo de vida TRANSIÇÃO O QUE VOCÊ DESEJA? Uma grande Igreja? Uma Igreja saudável? O QUE UMA TRANSIÇÃO SAUDÁVEL EXIGE? I. COMPROMETIMENTO O Pastor/a é a chave. Só vale a pena mudar quando

Leia mais

ESTUDO 1 - ESTE É JESUS

ESTUDO 1 - ESTE É JESUS 11. Já vimos que Jesus Cristo desceu do céu, habitou entre nós, sofreu, morreu, ressuscitou e foi para a presença de Deus. Leia João 17:13 e responda: Onde está Jesus Cristo agora? Lembremo-nos que: Jesus

Leia mais

Comportamento Organizacional: A Comunicação como Instrumento de Trabalho. Júlio Pontes - PhD Ciências da Decisão

Comportamento Organizacional: A Comunicação como Instrumento de Trabalho. Júlio Pontes - PhD Ciências da Decisão Comportamento Organizacional: A Comunicação como Instrumento de Trabalho Júlio Pontes - PhD Ciências da Decisão Observações Colaboração com equipe Comunicação em voz alta Dedicação ao trabalho Excelência

Leia mais

Serviços e programas que influenciam as transições escolares de crianças pequenas

Serviços e programas que influenciam as transições escolares de crianças pequenas TRANSIÇÃO ESCOLAR Serviços e programas que influenciam as transições escolares de crianças pequenas Diane Early, PhD. FPG Child Development Institute University of North Carolina at Chapel Hill,EUA Julho

Leia mais

Relação entre as organizações cristãs e as igrejas locais

Relação entre as organizações cristãs e as igrejas locais Seção Relação entre as organizações cristãs e as Conforme discutido na Seção 1, as desempenham um papel na proclamação e na demonstração do evangelho. Entretanto, com muita freqüência, o papel da igreja

Leia mais

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031 COORDENADOR PEDAGÓGICO E SUA IMPORTÂNCIA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Polyana Marques Lima Rodrigues 1 poly90lima@hotmail.com Willams dos Santos Rodrigues Lima 2 willams.rodrigues@hotmail.com RESUMO

Leia mais

As 5 grandes tendências em tecnologia para Educação. Compartilhe este guia:

As 5 grandes tendências em tecnologia para Educação. Compartilhe este guia: As 5 grandes tendências em tecnologia para Educação 1 Introdução: A educação iniciou o século XXI de maneira bastante disruptiva. Uma série de inovações por parte de educadores e alunos fez com que os

Leia mais

Lição. outros. Versículo Bíblico Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações Mateus 28:19

Lição. outros. Versículo Bíblico Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações Mateus 28:19 FRUTOS-3 Descoberta Lição 9 4-6 Anos Unidade 3: Aprendendo a Viver Como Um Amigo de Jesus Amigos de Jesus Falam de Jesus para os Outros A s crianças de quatro e seis anos irão descobrir os desafios da

Leia mais

O exercício e a gestão da responsabilidade social empresarial nas instituições de ensino

O exercício e a gestão da responsabilidade social empresarial nas instituições de ensino O exercício e a gestão da responsabilidade social empresarial nas instituições de ensino Ricardo Young Instituto Ethos VII Congresso Brasileiro de Gestão Educacional São Paulo - SP 25/03/2009 Instituto

Leia mais

COLEÇÃO LER E SER - Parecer Técnico Penildon Silva Filho

COLEÇÃO LER E SER - Parecer Técnico Penildon Silva Filho COLEÇÃO LER E SER - Parecer Técnico Penildon Silva Filho Dois assuntos atualmente recebem muita atenção dos educadores e gestores em Educação: o acompanhamento da evolução do Índice de Desenvolvimento

Leia mais

Discipulado Pastor Emanuel Adriano (Mano) DISCIPULADO

Discipulado Pastor Emanuel Adriano (Mano) DISCIPULADO Discipulado Pastor Emanuel Adriano (Mano) DISCIPULADO Em vários textos a Bíblia relata visões que Deus deu a seu povo. Essas visões tinham por objetivo trazer uma orientação ou direção, em outros momentos

Leia mais

1. IDENTIDADE Cristocêntrica Missional Multiplicadora

1. IDENTIDADE Cristocêntrica Missional Multiplicadora FUNDAMENTOS DA IGREJA EM PEQUENOS GRUPOS 1. IDENTIDADE Cristocêntrica Missional Multiplicadora 2. APRENDIZAGEM Responsabilidade Pessoal Aprendizagem Relacional Círculo de Aprendizagem FUNDAMENTOS DA IGREJA

Leia mais

Lição 3 O Plano de Deus Para os Obreiros

Lição 3 O Plano de Deus Para os Obreiros Lição 3 O Plano de Deus Para os Obreiros O António estudou as razões por que os crentes da Igreja primitiva se reuniam. Observou que muitos tipos de necessidades reuniam os crentes a necessidade de ensino,

Leia mais

Implementação e avaliação

Implementação e avaliação Seção 3 Implementação e avaliação ESTUDO BÍBLICO Respondendo às mudanças No início de Neemias 4, vemos que algumas pessoas se opuseram ao projeto. Qual foi a resposta de Neemias? (versículo 9) Como Neemias

Leia mais

TIPOS DE REUNIÕES. Mariangela de Paiva Oliveira. mariangela@fonte.org.br. As pessoas se encontram em diferentes âmbitos:

TIPOS DE REUNIÕES. Mariangela de Paiva Oliveira. mariangela@fonte.org.br. As pessoas se encontram em diferentes âmbitos: TIPOS DE REUNIÕES Mariangela de Paiva Oliveira mariangela@fonte.org.br As pessoas se encontram em diferentes âmbitos: no âmbito do pensar: quando acontece uma troca de idéias, opiniões ou informações;

Leia mais

Treinamento de Líderes Ministério da Mulher

Treinamento de Líderes Ministério da Mulher 1 Treinamento de Líderes Ministério da Mulher Introdução A liderança feminina sempre encontra barreiras impostas pelas tradições; é necessário que a mulher vença o seu interior, disponha-se a liderar e

Leia mais

Elaboração do projeto

Elaboração do projeto Elaboração do projeto Há muitas formas possíveis de se realizar um projeto, e o grupo deve discutir e decidir como irá fazê-lo. É fundamental refletir sobre algumas questões que deverão nortear as ações:

Leia mais

31 dias de oração pelo seu marido por Nancy Leigh DeMoss

31 dias de oração pelo seu marido por Nancy Leigh DeMoss 31 dias de oração pelo seu marido por Nancy Leigh DeMoss A palavra do Senhor nos ensina a orarmos uns pelos outros, e isso inclui a responsabilidade e grande privilégio das esposas em orarem pelos seus

Leia mais

COMO APRENDER E DAR PRIORIDADE A SUAS ATIVIDADES

COMO APRENDER E DAR PRIORIDADE A SUAS ATIVIDADES COMO APRENDER E DAR PRIORIDADE A SUAS ATIVIDADES A seguir, descreveremos os principais vilões que fazem com que você disperse suas energias e por isso, perca o foco com muita facilidade. De posse dessas

Leia mais

Treinamento Missionário realidade ou ficção? JAMI Consulta Missionária Bruce R. e Ann E. C. Borquist Abril 2007

Treinamento Missionário realidade ou ficção? JAMI Consulta Missionária Bruce R. e Ann E. C. Borquist Abril 2007 Treinamento Missionário realidade ou ficção? JAMI Consulta Missionária Bruce R. e Ann E. C. Borquist Abril 2007 Mito #1 Treinamento é desnecessário. O que é necessário é só o chamado e a capacitação de

Leia mais

Unidade 3: Acampamento Balaio

Unidade 3: Acampamento Balaio FRUTOS-3 DESAFIO Vivendo a Vida com Deus Unidade 3: Acampamento Balaio Fazendo Diferença ao Doar e Servir LIÇÃO 12 7-8 Anos Neste Trimestre, as crianças continuarão a pesquisar os cinco frutos do Trimestre

Leia mais

AS PRÁTICAS DE ALFABETIZAÇÃO E A CONSTRUÇÃO DA LEITURA E DA ESCRITA PELA CRIANÇA

AS PRÁTICAS DE ALFABETIZAÇÃO E A CONSTRUÇÃO DA LEITURA E DA ESCRITA PELA CRIANÇA AS PRÁTICAS DE ALFABETIZAÇÃO E A CONSTRUÇÃO DA LEITURA E DA ESCRITA PELA CRIANÇA Eliane Aparecida Galvão dos Santos 1 Dóris Pires Vargas Bolzan 2 Resumo Este trabalho é um recorte da pesquisa de Mestrado

Leia mais

Lição 8 Trabalhar com Líderes

Lição 8 Trabalhar com Líderes Lição 8 Trabalhar com Líderes Já havia mais de um ano que o António se tornara membro da sua igreja. Ele tinha aprendido tanto! Começou a pensar nos líderes da igreja que o tinham ajudado. Pensava naqueles

Leia mais

Guia para o Líder AUTOSSUFICIÊNCIA

Guia para o Líder AUTOSSUFICIÊNCIA PREFÁCIO Há grandes necessidades entre nós. Muitos membros não são autossuficientes e não têm a capacidade de satisfazer as necessidades espirituais e materiais da vida para si próprio e a família. 1 Levar

Leia mais

Como criar e manterumaequipe motivada

Como criar e manterumaequipe motivada Como criar e manterumaequipe motivada O SEBRAE E O QUEELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e

Leia mais

PROGRAMA WEBFAMÍLIA APRENDE BRASIL 2015

PROGRAMA WEBFAMÍLIA APRENDE BRASIL 2015 PROGRAMA WEBFAMÍLIA APRENDE BRASIL 2015 Programa de Webfamília Sistema de Ensino Aprende Brasil O Centro de Formação e o Sistema de Ensino Aprende Brasil oferecem um como A Criança e o Adolescente em Foco,

Leia mais

WEBQUEST: UM RECURSO TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÃTICA

WEBQUEST: UM RECURSO TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÃTICA WEBQUEST: UM RECURSO TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÃTICA Patrícia Sândalo Pereira UNIOESTE Foz do Iguaçu patriciasandalop@uol.com.br Cleonice Salateski Colégio Estadual Alberto Santos Dumont maucleo@seed.pr.gov.br

Leia mais

Desafios e oportunidades do planejamento e implementação de investimentos sociais sustentáveis na América Latina:

Desafios e oportunidades do planejamento e implementação de investimentos sociais sustentáveis na América Latina: Desafios e oportunidades do planejamento e implementação de investimentos sociais sustentáveis na América Latina: Perspectivas da Indústria de Óleo e Gás Janice Dias Gerente de Programas Sociais da Petrobras

Leia mais

OS 14 PONTOS DA FILOSOFIA DE DEMING

OS 14 PONTOS DA FILOSOFIA DE DEMING OS 14 PONTOS DA FILOSOFIA DE DEMING 1. Estabelecer a constância de propósitos para a melhoria dos bens e serviços A alta administração deve demonstrar constantemente seu comprometimento com os objetivos

Leia mais

FORMANDO PEDAGOGOS PARA ENSINAR CIÊNCIAS NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

FORMANDO PEDAGOGOS PARA ENSINAR CIÊNCIAS NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL FORMANDO PEDAGOGOS PARA ENSINAR CIÊNCIAS NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Erika Zimmermann 1 Universidade de Brasília Faculdade de Educação Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino Paula Cristina

Leia mais

IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR SECRETARIA GERAL DE MISSÕES- SGM FORMULÁRIO PARA CANDIDATOS

IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR SECRETARIA GERAL DE MISSÕES- SGM FORMULÁRIO PARA CANDIDATOS IGREJA DO EVANGELHO QUADRANGULAR SECRETARIA GERAL DE MISSÕES- SGM FORMULÁRIO PARA CANDIDATOS Data: / / Favor preencher todas as informações à máquina ou letra de forma. Se for casado, o cônjuge deverá

Leia mais

O que a Bíblia diz sobre o dinheiro

O que a Bíblia diz sobre o dinheiro Seção 2 O que a Bíblia diz sobre o A questão do e das posses é mencionada muitas vezes na Bíblia. Esta seção examina o que a Bíblia nos ensina sobre a nossa atitude para com o. Ela vai nos ajudar a considerar

Leia mais

Projeto Jornal Educativo Municipal

Projeto Jornal Educativo Municipal Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Santa Bárbara de Goiás Secretaria Municipal da Educação Santa Bárbara de Goiás - GO Projeto Jornal Educativo Municipal Santa Bárbara de Goiás Janeiro/2013 Estado

Leia mais

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA - APRESENTAÇÃO 1- COMO SURGIU A IDÉIA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 2- O QUE SIGNIFICA INCLUSÃO ESCOLAR? 3- QUAIS AS LEIS QUE GARANTEM A EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 4- O QUE É UMA ESCOLA

Leia mais

3º ENCONTRO DE LÍDERES BETELENSES

3º ENCONTRO DE LÍDERES BETELENSES 3º ENCONTRO DE LÍDERES BETELENSES Se é dar ânimo, que assim faça; se é contribuir, que contribua generosamente; se é exercer liderança, que exerça com zelo; se é mostrar misericórdia, que o faça com alegria.

Leia mais

Gestão escolar para resultados de aprendizagem: direitos, autonomia e equidade Ricardo Henriques

Gestão escolar para resultados de aprendizagem: direitos, autonomia e equidade Ricardo Henriques Gestão escolar para resultados de aprendizagem: direitos, autonomia e equidade Ricardo Henriques 02 de setembro de 2015 Direitos de aprendizagem garantidos? Porcentagem de jovens que aos 16 anos já completaram

Leia mais

TRADUÇÃO Angelino Junior do Carmo

TRADUÇÃO Angelino Junior do Carmo TRADUÇÃO Angelino Junior do Carmo Sumário Obtendo o máximo de Tiago... 5 1. Confiança ou dúvida Tiago 1.1-18... 9 2. Palavras, palavras, palavras Tiago 1.19-27... 12 3. Não discrimine as pessoas Tiago

Leia mais

Conclusões do Encontro do Laicato Dominicano

Conclusões do Encontro do Laicato Dominicano Conclusões do Encontro do Laicato Dominicano História OP Quatro elementos foram tomados como pontos de reflexão e ação para os dois primeiros anos. Um dos pontos ou aspetos sobre o qual trabalhar é a compaixão.

Leia mais

ANEXO I FORMULÁRIOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL FORMULÁRIO 1: COMISSÃO DE ANÁLISE E SISTEMATIZAÇÃO DA PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

ANEXO I FORMULÁRIOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL FORMULÁRIO 1: COMISSÃO DE ANÁLISE E SISTEMATIZAÇÃO DA PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL EDUCAÇÃO INFANTIL 1 ANEXO I FORMULÁRIOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL FORMULÁRIO 1: COMISSÃO DE ANÁLISE E SISTEMATIZAÇÃO DA PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL Nome Completo Cargo/Função Turno 1º 2º Integral

Leia mais

Introdução. Escritório de projetos

Introdução. Escritório de projetos Introdução O Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK ) é uma norma reconhecida para a profissão de gerenciamento de projetos. Um padrão é um documento formal que descreve normas,

Leia mais

5ª Lição: O que o Islam? As Crenças Essenciais do Islam

5ª Lição: O que o Islam? As Crenças Essenciais do Islam 5ª Lição: O que o Islam? As Crenças Essenciais do Islam Existem muitos aspectos da crença nos quais aquele que adere ao Islam deve ter firme convicção. Desses aspectos, os mais importantes são seis, conhecidos

Leia mais

QUANTO VALE O MEU DINHEIRO? EDUCAÇÃO MATEMÁTICA PARA O CONSUMO.

QUANTO VALE O MEU DINHEIRO? EDUCAÇÃO MATEMÁTICA PARA O CONSUMO. RESUMO QUANTO VALE O MEU DINHEIRO? EDUCAÇÃO MATEMÁTICA PARA O CONSUMO. Francinilda Raquel Cardoso Silva (1); José Jorge Casimiro dos Santos (2) Faculdade São Francisco da Paraíba raquelmk06@gmail.com ¹

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Página 1 NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio (votação 10/02/96. Rev.1) 0. INTRODUÇÃO 0.1 Resumo geral 0.2 Benefícios de se ter um Sistema

Leia mais

A INFLUÊNCIA DE LUTERO NA EDUCAÇÃO DE SUA ÉPOCA Gilson Hoffmann

A INFLUÊNCIA DE LUTERO NA EDUCAÇÃO DE SUA ÉPOCA Gilson Hoffmann A INFLUÊNCIA DE LUTERO NA EDUCAÇÃO DE SUA ÉPOCA Gilson Hoffmann 1 DELIMITAÇÃO Ao abordarmos sobre as razões para ser um professor numa escola e falar sobre o amor de Deus, encontramos algumas respostas

Leia mais

O GERENTE DE PROJETOS

O GERENTE DE PROJETOS O GERENTE DE PROJETOS INTRODUÇÃO Autor: Danubio Borba, PMP Vamos discutir a importância das pessoas envolvidas em um projeto. São elas, e não os procedimentos ou técnicas, as peças fundamentais para se

Leia mais

CARTA INTERNACIONAL. Indice:

CARTA INTERNACIONAL. Indice: CARTA INTERNACIONAL Indice: Introdução. I. Equipas de Jovens de Nossa Senhora II. A equipa III. As funções na equipa IV. A vida em equipa V. Abertura ao mundo, compromisso VI. O Movimento das E.J.N.S.

Leia mais

Elaboração de Projetos

Elaboração de Projetos Elaboração de Projetos 2 1. ProjetoS John Dewey (1859-1952) FERRARI, Márcio. John Dewey: o pensador que pôs a prática em foco. Nova Escola, São Paulo, jul. 2008. Edição especial grandes pensadores. Disponível

Leia mais

DESENVOLVIMENTO INTEGRAL NA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR

DESENVOLVIMENTO INTEGRAL NA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DESENVOLVIMENTO INTEGRAL NA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR A BASE A Base Nacional Comum é um conjunto de conhecimentos e habilidades essenciais que cada estudante brasileiro tem o direito de aprender a

Leia mais

METODOLOGIA: O FAZER NA EDUCAÇÃO INFANTIL (PLANO E PROCESSO DE PLANEJAMENTO)

METODOLOGIA: O FAZER NA EDUCAÇÃO INFANTIL (PLANO E PROCESSO DE PLANEJAMENTO) METODOLOGIA: O FAZER NA EDUCAÇÃO INFANTIL (PLANO E PROCESSO DE PLANEJAMENTO) Celi Terezinha Wolff 24 de Junho de 2014 Em trios caracterizar e apresentar para o grande grupo: processo de planejamento; plano

Leia mais

CONHECER A DEUS E FAZER SUA VONTADE

CONHECER A DEUS E FAZER SUA VONTADE CONHECER A DEUS E FAZER SUA VONTADE Conhecer as Sagradas Escrituras é conhecer a Vida e dela usufruir enquanto atravessamos por esse planeta caótico. Cada um tem o seu papel no ensino de modo geral, quer

Leia mais

Setor Pós-matrimonio. Fundamentos, Missão, Prioridades, Prática e Subsídios.

Setor Pós-matrimonio. Fundamentos, Missão, Prioridades, Prática e Subsídios. Setor Pós-matrimonio Fundamentos, Missão, Prioridades, Prática e Subsídios. Fundamentação: Familiaris Consortio Amar a família significa estimar os seus valores e possibilidades, promovendo-os sempre.

Leia mais

Educação Integral Desafios para a implementação

Educação Integral Desafios para a implementação Educação Integral Desafios para a implementação Educação Integral: uma demanda da sociedade Enfrentamento da desigualdade social: Garantia de direitos Ampliação das redes de proteção para crianças e adolescentes

Leia mais

Pedagogia da Autonomia na prática da EAD

Pedagogia da Autonomia na prática da EAD Pedagogia da Autonomia na prática da EAD Tecnologia Processos Competências 08/06/04 A autonomia na prática da EAD Pólo SP Autonomia em Paulo Freire e ambientes virtuais Respeito ao saber do educando, às

Leia mais

Um Guia para Usar a Carta da Terra na Educação

Um Guia para Usar a Carta da Terra na Educação Um Guia para Usar a Carta da Terra na Educação VERSÃO 1 2 de abril de 2009 Desenvolvido por Earth Charter International Favor enviar comentários para info@earthcharter.org I. INTRODUÇÃO A Carta da Terra

Leia mais

Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum

Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum 1. O direito constitucional à educação é concretizado, primeiramente, com uma trajetória regular do estudante, isto é, acesso das crianças e jovens a

Leia mais

Lição Dois. Mordomia Cristã. Conceito Básico: O alicerce da mordomia cristã é o conceito de que tudo que existe pertence a

Lição Dois. Mordomia Cristã. Conceito Básico: O alicerce da mordomia cristã é o conceito de que tudo que existe pertence a Livrinho 2 Pàgina 12 Lição Dois Mordomia Cristã Conceito Básico: O alicerce da mordomia cristã é o conceito de que tudo que existe pertence a Deus. Ele é o Criador e Sustentador de tudo. Isto incluí a

Leia mais

Reformas educacionais no Brasil Adaptando soluções genéricas a contextos específicos

Reformas educacionais no Brasil Adaptando soluções genéricas a contextos específicos Reformas educacionais no Brasil Adaptando soluções genéricas a contextos específicos Matt Andrews Harvard Kennedy School 8 de dezembro de 2010 Seminário Fundação Lemann Resumo da apresentação Reformas

Leia mais

DESAFIOS DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA O SÉCULO XXI: CONCEPÇÕES E ESTRATÉGIAS DE INTERVENÇÃO

DESAFIOS DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA O SÉCULO XXI: CONCEPÇÕES E ESTRATÉGIAS DE INTERVENÇÃO Encontro Água & Floresta: Resultados e Perspectivas Bragança Paulista - 1 a 3 dez 2009 DESAFIOS DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA O SÉCULO XXI: CONCEPÇÕES E ESTRATÉGIAS DE INTERVENÇÃO Renata Ferraz de Toledo

Leia mais

REGIMENTO DO ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGIMENTO DO ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGIMENTO DO ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Os estágios não obrigatórios do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo do

Leia mais

Por que devo discipular?

Por que devo discipular? Por que devo discipular? Muito me alegrei (...) que falaram a respeito da sua fidelidade, de como você continua andando na verdade. Não tenho alegria maior do que ouvir que meus filhos estão andando na

Leia mais

Curso Realizando Meu Potencial

Curso Realizando Meu Potencial Introdução Ralph Waldo Emerson, pensador americano do Século 19, possivelmente baseado na Parábola dos Talentos, de Mateus 25, afirmou: Aquilo que está para trás de você e aquilo que está à frente de você

Leia mais

2002 Franklin Covey Co.

2002 Franklin Covey Co. 1 Passos para Planejamento 1 Reveja missão e papeis. 2 2 Identifique suas pedras grandes. Planeje a semana (reservando tempo para as pedras grandes). 2 AGENDAMENTO TRADICIONAL S T Q Q S S D AGENDAMENTO

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID ESPANHOL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID ESPANHOL PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID ESPANHOL A língua espanhola na Educação Básica A implantação da língua espanhola por meio da lei federal 11.161, que diz respeito à sua oferta

Leia mais

Rubricas e guias de pontuação

Rubricas e guias de pontuação Avaliação de Projetos O ensino a partir de projetos exibe meios mais avançados de avaliação, nos quais os alunos podem ver a aprendizagem como um processo e usam estratégias de resolução de problemas para

Leia mais

METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS

METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS 1 O Método do Caso e o Ensino em Administração O uso do Método do Caso nas escolas de administração no Brasil é relativamente recente, embora não haja

Leia mais

LIÇÃO 1 Deus Tem Dons para Nós

LIÇÃO 1 Deus Tem Dons para Nós LIÇÃO 1 Deus Tem Dons para Nós Esta é a primeira de duas lições que lhe darão um bom fundamento para tudo quanto estudar neste curso. Nesta primeira lição, estudará a sua importância no corpo de Cristo.

Leia mais

PESSOAS, TAREFAS E OBJECTIVOS

PESSOAS, TAREFAS E OBJECTIVOS PESSOAS, TAREFAS E OBJECTIVOS ESTUDOS SOBRE LIDERANÇA CRISTÃ Por Billie Davis LIVRO DE ESTUDO AUTODIDÁTICO Universidade Global Instituto de Correspondência Internacional 1211 South Glenstone Avenue Springfield,

Leia mais

Informações gerais Colégio Decisão

Informações gerais Colégio Decisão 1 Informações gerais Colégio Decisão 2 Carta da Diretora Colégio Decisão Venha, que estamos de portas abertas para você. Carta da Direção Prezados país e responsáveis, A Organização de uma escola pede

Leia mais

PESQUISA-AÇÃO DICIONÁRIO

PESQUISA-AÇÃO DICIONÁRIO PESQUISA-AÇÃO Forma de pesquisa interativa que visa compreender as causas de uma situação e produzir mudanças. O foco está em resolver algum problema encontrado por indivíduos ou por grupos, sejam eles

Leia mais

Unidade I. Estrutura e Organização. Infantil. Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro

Unidade I. Estrutura e Organização. Infantil. Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro Unidade I Estrutura e Organização da Escola de Educação Infantil Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro Introdução A disciplina Estrutura e Organização da Escola de Educação Infantil tem o objetivo de provocar reflexões

Leia mais

RESUMO Sobre o que trata a série?

RESUMO Sobre o que trata a série? TODOS PODEM APRENDER ALER E A ESCREVER Nível de Ensino/Faixa Etária: Série indicada para professores Ensino Fundamental inicial Áreas Conexas: Letramento/Alfabetização Artes Cultura Consultor: Marina Rampazzo

Leia mais

Fundamentação teórica para a presença do Xadrez nas actividades curriculares e extracurriculares no Real Colégio de Portugal

Fundamentação teórica para a presença do Xadrez nas actividades curriculares e extracurriculares no Real Colégio de Portugal Fundamentação teórica para a presença do Xadrez nas actividades curriculares e extracurriculares no Real Colégio de Portugal O Lúdico na Sala de Aula O lúdico tem vindo a desempenhar um importante papel

Leia mais

Lição 9 Desafios de um ministério local Parte 1

Lição 9 Desafios de um ministério local Parte 1 Lição 9 Desafios de um ministério local Parte 1 Texto bíblico: 1Tessalonicenses 3.1-13 Todas as igrejas surgidas da missão apostólica de Paulo no mundo gentílico enfrentaram muitos desafios, por causa

Leia mais

Sumário. Introdução - O novo hábito... 1. Capítulo 1 - Pra que serve tudo isso?... 3. Sobre o vocabulário... 4. Benefícios... 7

Sumário. Introdução - O novo hábito... 1. Capítulo 1 - Pra que serve tudo isso?... 3. Sobre o vocabulário... 4. Benefícios... 7 Sumário Introdução - O novo hábito... 1 Capítulo 1 - Pra que serve tudo isso?... 3 Sobre o vocabulário... 4 Benefícios... 7 Perguntas Frequentes sobre o Orçamento Doméstico... 10 Capítulo 2 - Partindo

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável

Desenvolvimento Sustentável Desafios para as lideranças na criação de ambientes favoráveis à leitura Lucila Martínez Cáceres Educadora, Mestre em Biblioteconomia e Informação Especialização em Desenvolvimento Sustentável Local e

Leia mais

APROVADO EM: I APRECIAÇÃO

APROVADO EM: I APRECIAÇÃO INTERESSADO(A): Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso SEDUC EMENTA : Projeto Reorganização da Trajetória Escolar para alunos com Distorção idade/ano escolar RELATOR(A) : Consª Carmen Lúcia de

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico OBJETIVOS E DESAFIOS EMPRESARIAIS Roberto César 1 OBJETIVOS E DESAFIOS EMPRESARIAIS Os objetivos podem ser conceituados como o estado, situação ou resultado futuro que o executivo

Leia mais

GARANTIR ÀS NOSSAS CRIANÇAS MARANHENSES O DIREITO DE APRENDER IMPLICA TRABALHAR PARA UMA POLITICA DE GESTAO EFICAZ

GARANTIR ÀS NOSSAS CRIANÇAS MARANHENSES O DIREITO DE APRENDER IMPLICA TRABALHAR PARA UMA POLITICA DE GESTAO EFICAZ Experiências de Gestão: Educação e Direitos Humanos GARANTIR ÀS NOSSAS CRIANÇAS MARANHENSES O DIREITO DE APRENDER IMPLICA TRABALHAR PARA UMA POLITICA DE GESTAO EFICAZ Ana Karolina Salomão Estado do Maranhão

Leia mais

Um currículo de alto nível

Um currículo de alto nível Não existe uma única versão de um currículo que possa ser comprado pronto e usado eficazmente em qualquer escola do mundo. Um currículo verdadeiramente deverá estar enraizado em seu próprio contexto, e

Leia mais

GESTÃO DE GENTE. Modelo de Competências da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro ALINHAMENTO DE METAS E AÇÕES. O nosso jeito de servir: Sou + o Rio

GESTÃO DE GENTE. Modelo de Competências da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro ALINHAMENTO DE METAS E AÇÕES. O nosso jeito de servir: Sou + o Rio Secretaria da Casa Civil Modelo de Competências da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro O nosso jeito de servir: Sou + o Rio GESTÃO DE GENTE ALINHAMENTO DE METAS E AÇÕES Conteúdo 1 2 3 4 Objetivo O que

Leia mais

Habilidades e competências no Cuidado à pessoa idosa. Karla Giacomin, MD, PhD

Habilidades e competências no Cuidado à pessoa idosa. Karla Giacomin, MD, PhD Habilidades e competências no Cuidado à pessoa idosa Karla Giacomin, MD, PhD Roteiro Seminário Preâmbulo Envelhecimento ativo Cuidado Habilidades e competências Ferramentas da gestão 2003 Estatuto do

Leia mais

REVISTA CONTEÚDO O JOGAR E O BRINCAR EM UM CONTEXTO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

REVISTA CONTEÚDO O JOGAR E O BRINCAR EM UM CONTEXTO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL O JOGAR E O BRINCAR EM UM CONTEXTO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Nara Fernanda de Campos 1 RESUMO Considerando os jogos e as brincadeiras infantis como uma ferramenta ideal ao aprendizado, podemos dizer

Leia mais

Escola Básica e Secundária Pedro Ferreiro, Ferreira do Zêzere. Que mais-valias pode trazer um projeto desta natureza à escola?

Escola Básica e Secundária Pedro Ferreiro, Ferreira do Zêzere. Que mais-valias pode trazer um projeto desta natureza à escola? Escola Básica e Secundária Pedro Ferreiro, Ferreira do Zêzere Maria Isabel Saúde Ferreira da Silva, Diretora Que mais-valias pode trazer um projeto desta natureza à escola? Um projeto desta natureza, ou

Leia mais

OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO

OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO Profa. Drª. Ana Maria Maranhão 1 Resumo: A tecnologia da Informação e de modo específico o computador, oferece as diferentes

Leia mais

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA Antonio Carlos Pavão Quero saber quantas estrelas tem no céu Quero saber quantos peixes tem no mar Quero saber quantos raios tem o sol... (Da canção de João da Guabiraba

Leia mais

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching,

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, 5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, Consultoria, Terapias Holísticas e Para Encher Seus Cursos e Workshops. Parte 01 Como Se Posicionar e Escolher os Clientes dos Seus Sonhos 1 Cinco Etapas Para

Leia mais