NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DE REDES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DE REDES"

Transcrição

1 NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DE REDES

2 Sumário Sumário 1. DO OBJETIVO DO PRINCÍPIO BÁSICO DAS DEFINIÇÕES DO DIREITO DE USO DAS RESPONSABILIDADES INDIVIDUAIS DO LICENCIAMENTO DE SOFTWARE E PROPRIEDADE INTELECTUAL DA CLASSIFICAÇÃO DAS INFORMAÇÕES DO USO E ORGANIZAÇÃO DAS INFORMAÇÕES DO USO DO DA AUDITORIA DAS PENALIDADES DOS CASOS OMISSOS DAS DISPOSIÇÕES FINAIS ANEXO I - CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO CLT ANEXO II MODELO DA DECLARAÇÃO DE RESPONSABILIDADE Normas de Utilização dos Recursos Computacionais e de Redes - Versão 1.02 julho Documento Público

3 NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DE REDES DA UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO - UNISA 1. DO OBJETIVO Assegurar aos usuários dos recursos computacionais e de redes da UNISA serviços de alta qualidade e ao mesmo tempo prover a ética e o profissionalismo na utilização destes recursos. Propiciar a continuidade operacional e garantir a integridade e confidencialidade das informações. 2. DO PRINCÍPIO BÁSICO O uso de computadores e redes deve estar relacionado ao trabalho, ao ensino, à pesquisa autorizada, à execução de atividades e à disseminação e ao acesso de informações de interesse da UNISA e de suas Unidades. 3. DAS DEFINIÇÕES Para entendimento da terminologia destas normas são utilizadas as seguintes definições: 3.1. Recursos Computacionais e de Redes: são os equipamentos, as instalações ou bancos de dados direta ou indiretamente administrados, mantidos ou operados pelo Departamento de Tecnologia da Informação (DTI) ou pelas Unidades de Ensino e Pesquisa, Centros, Núcleos e Órgãos Administrativos, tais como: a. Computadores e terminais de qualquer espécie; b. Softwares e Sistemas; c. Impressoras; d. Redes; e. Bancos de dados ou documentos residentes em discos, fitas ou outros meios; f. Salas de computadores e laboratórios de informática Usuário: É qualquer pessoa autorizada que utiliza, de qualquer forma, os Recursos Computacionais e de Redes da UNISA; 3.3. Conta: Login e senha que identificam um usuário na rede; 3.4. Hardware: Componente ou conjunto de componentes físicos de um computador ou de seus periféricos, como teclado, mouse, impressoras, scanners, no-breaks, estabilizadores, webcams, monitores e outros; 3.5. Software: Conjunto dos componentes que não fazem parte do equipamento físico propriamente dito e que incluem as instruções e programas, bem como os dados a eles associados, empregados durante a utilização do sistema; 3.6. Internet: Conjunto de computadores interligados em uma rede de abrangência mundial que se comunicam utilizando o protocolo TCP/IP; 3.7. Correio Eletrônico: Serviço que possibilita a troca assíncrona e ubíqua de mensagens através de recursos da Internet; 3.8. Rede: Os recursos de rede, como também os elementos que a compõem tais como microcomputadores, impressoras e vídeos; 3.9. Sistemas: Serviços disponíveis na rede que beneficiam os usuários e são compostos por software, hardware, banco de dados, recursos humanos, processos, procedimentos e instalações. Normas de Utilização dos Recursos Computacionais e de Redes - Versão 1.02 julho Documento Público 3

4 4. DO DIREITO DE USO 4.1. São considerados usuários autorizados dos recursos computacionais e de redes: alunos regularmente matriculados, empregados, prestadores de serviços, voluntários, estagiários e outros que possuírem autorização expedida pelos órgãos superiores; 4.2. Para obter a autorização de uso dos recursos computacionais e de redes o usuário deve assinar a Declaração de Responsabilidade (Anexo II), declarando conhecer as presentes normas e comprometendo-se a cumpri-las; 4.3. Ao desligar-se da UNISA (graduar-se, encerrar suas atividades ou na rescisão do contrato de trabalho) ou no caso de licença e/ou afastamento de suas funções por qualquer motivo ou ao ser nomeado para assumir uma nova função e/ou novas responsabilidades para com a UNISA, o usuário deverá ter sua autorização de uso revista e não poderá fazer uso de benefícios, contas, senhas de acesso, direitos especiais e/ou informações aos quais não está autorizado em sua nova situação. Nenhum acesso concedido pela UNISA poderá ser considerado como direito adquirido pelo usuário; 4.4. O tempo máximo de inatividade de uma conta é de três meses. O usuário será avisado após o segundo mês de inatividade da conta e quando da extinção da mesma. 5. DAS RESPONSABILIDADES INDIVIDUAIS 5.1. O usuário é inteiramente responsável pelo uso de sua conta de acesso à rede, senha e outros tipos de autorização, que são de uso individual e intransferível, e não podem ser compartilhados com terceiros; 5.2. O usuário é responsável pela manutenção de senhas seguras, devendo seguir normas e procedimentos padronizados e divulgados publicamente pelo DTI da UNISA. O usuário é totalmente responsável por ações indevidas que venham a ser efetuadas a partir de sua conta de acesso à rede, caso alguém obtenha o acesso à sua conta devido a não utilização de senhas seguras; 5.3. O usuário deve respeitar a legislação sobre direitos autorais, não copiando, reproduzindo, distribuindo e/ou modificando textos, artigos, programas ou qualquer outro material sem a permissão expressa, prévia e por escrito do detentor dos direitos patrimoniais da obra; 5.4. O usuário não deve acessar as pastas da rede de terceiros e copiar, alterar ou remover seus arquivos sem autorização prévia, ressalvados casos especiais protegidos por lei ou regulamento; 5.5. É proibida a divulgação de documentos e informações confidenciais da Instituição em grupos de discussão, listas, bate-papos e s, independente da divulgação ter sido deliberada ou inadvertida, sendo possível sofrer as penalidades previstas nas normas e procedimentos internos e na legislação que versa sobre a matéria; 5.6. Nenhum membro da comunidade de usuários pode, sob quaisquer circunstâncias, usar os recursos computacionais e de redes pertencentes ou administrados pela UNISA para difamar, caluniar, injuriar e/ou molestar outras pessoas, fomentar ou promover ações que incentivem o racismo e a discriminação ou que violem quaisquer outros direitos. Entende-se por molestamento o uso indevido dos recursos computacionais e de redes para: a. Perturbar, amedrontar, ameaçar e ofender pessoas usando linguagem ou qualquer outro mecanismo ou material que comprometam a integridade física ou moral do receptor e/ou de sua família; b. Contatar alguém várias vezes com a intenção de perturbá-la, enviando ou não mensagens, seja quando não existe uma proposta de comunicação ou quando o receptor expressa o desejo de finalizar a comunicação; 4 Normas de Utilização dos Recursos Computacionais e de Redes - Versão 1.02 julho Documento Público

5 c. Indisponibilizar recursos computacionais de forma intencional; d. Causar danos ou prejudicar as pesquisas ou a administração acadêmica; e. Invadir a privacidade da UNISA e/ou de suas Unidades Materiais de natureza pornográfica, racista e discriminatória não podem ser acessados, expostos, armazenados, distribuídos, editados e/ou gravados através dos recursos computacionais e de redes; 5.8. É proibida a instalação ou remoção de softwares que não forem devidamente acompanhadas por um técnico do DTI. Os softwares utilizados devem estar licenciados pela UNISA; 5.9. É vedada a abertura de computadores para qualquer tipo de reparo. Caso seja necessário, o reparo deverá ocorrer pelo departamento técnico responsável; Não é permitida a alteração das configurações dos equipamentos e da rede, exceto pelos técnicos do DTI; É vedada aos usuários da rede a adição de quaisquer recursos, sejam eles microcomputadores, impressoras ou outros equipamentos. A adição de novos equipamentos por parte do usuário deve ser solicitada por comunicação interna e deverá ser aprovada pelo DTI; É proibida a movimentação e o transporte de equipamentos sem autorização explícita do Departamento de Patrimônio e/ou do DTI; É obrigatório armazenar os arquivos inerentes ao departamento no servidor de arquivos para garantir o backup dos mesmos; É proibido o uso dos recursos computacionais e de redes da UNISA em campanhas políticas ou propaganda de qualquer espécie. A veiculação de nomes de empresas, instituições ou pessoas junto aos sistemas de informação da UNISA só poderá ser realizada se houver o estabelecimento oficial e reconhecido de convênios de cooperação ou parceria acadêmica, técnica ou científica; Os recursos computacionais e de redes não podem ser usados para trabalhos particulares ou em benefício de organizações que não tenham relação com a UNISA. 6. DO LICENCIAMENTO DE SOFTWARE E PROPRIEDADE INTELECTUAL 6.1. São patrimônio da UNISA todas as licenças de uso adquiridas comercialmente, formalmente doadas e os sistemas e aplicativos com seus respectivos códigos fontes desenvolvidos internamente e/ou adquiridos de terceiros; 6.2. Todo o trabalho desenvolvido pelos empregados com os recursos da UNISA é de propriedade desta e somente desta, não podendo ser comercializado ou repassado a terceiros; 6.3. A propriedade intelectual da UNISA inclui códigos, fontes de programas, executáveis, projetos, diretivas, atas de reuniões, documentos, formatos de documentos e quaisquer outros trabalhos desenvolvidos internamente ou fora da Instituição por seus empregados com recursos da UNISA. Normas de Utilização dos Recursos Computacionais e de Redes - Versão 1.02 julho Documento Público 5

6 7. DA CLASSIFICAÇÃO DAS INFORMAÇÕES 7.1. Os documentos e informações devem ser identificados e classificados conforme a sua natureza crítica ou sigilosa e o seu meio de armazenamento deve receber a mesma classificação; 7.2. A classificação dos documentos e informações é de responsabilidade da diretoria/gerência/coordenação em que eles são gerados; 7.3. Aos documentos e informações deve ser atribuído um dos seguintes níveis: a) Confidencial Restrita: documentos e informações protegidos por segredo de justiça ou sigilo legal, associados aos interesses estratégicos da UNISA, de posse da diretoria, dos comitês, dos colegiados e dos órgãos superiores. Seu conhecimento deve ser limitado a um número reduzido de pessoas autorizadas, pois se revelados ou adulterados, poderão trazer sérios prejuízos financeiros, favorecer a concorrência e gerar impactos negativos nos negócios ou na imagem da Instituição, de seus empregados e de seus clientes. Requerem medidas de controle e proteção rigorosas contra acessos, cópias ou reproduções não autorizadas; b) Confidencial: documentos e informações cujo conhecimento está limitado aos empregados que, pela natureza da função que desempenham, dela necessitam para o exercício profissional. Sua divulgação ou adulteração pode trazer impactos negativos nos negócios e na gestão de processos ou prejuízos à imagem da Instituição, de seus empregados, seus parceiros ou seus clientes. Requerem medidas de controle e proteção contra acessos não autorizados; c) Interna: documentos e informações cujo conhecimento e uso estão restritos exclusivamente ao ambiente interno e aos propósitos da Instituição, estando disponível aos empregados e podendo ser revelada ao público externo apenas mediante autorização; d) Pública: documentos e informações que podem ou devem ser divulgados para o público externo à Instituição, sem implicações de proteção e controle de acesso. 8. DO USO E ORGANIZAÇÃO DAS INFORMAÇÕES 8.1. O armazenamento e controle de acesso dos documentos e informações são de responsabilidade da diretoria/gerência/coordenação em que eles são gerados; 8.2. Cada diretoria, coordenadoria, gabinete, departamento ou núcleo possuirá uma pasta para armazenar os documentos de seu interesse; 8.3. Os arquivos devem ser armazenados, exclusivamente, nas pastas da rede identificadas de acordo com a classificação dos documentos. Por exemplo: 8.4. Todo documento deve ser rotulado com seu título, versão, data e classificação no rodapé do arquivo; 6 Normas de Utilização dos Recursos Computacionais e de Redes - Versão 1.02 julho Documento Público

7 8.5. Os documentos classificados como Confidencial Restrito ou Confidencial devem conter uma capa com seu título, autor, versão, data, classificação e texto de alerta de confidencialidade (conforme exemplo abaixo). Os arquivos devem ser protegidos por senha e armazenados em diretório na rede com a mesma classificação. Cópias impressas deverão ser destruídas em triturador de papel após o uso; Alerta: Este documento contém informações confidenciais. Caso V.Sa. receba o documento por engano, solicitamos que notifique o remetente imediatamente sob pena das sanções legais Os documentos Internos ficam restritos à circulação nas dependências da UNISA, salvo autorização prévia da diretoria/gerência/coordenação responsável pela informação; 8.7. Os documentos Públicos devem ser divulgados por meio da área responsável pela comunicação institucional. 9. DO USO DO O sistema de s não é inteiramente seguro e está suscetível à demora e a serviços potencialmente não confiáveis. O gera um arquivo permanente e qualquer mensagem enviada pode ser retransmitida pelo destinatário para outras pessoas, além de permanecer no sistema da Instituição por algum tempo. Recomenda-se, desta forma, muita precaução e polidez ao se enviar um e verificação prévia de seu conteúdo Regras gerais para usuários: a. Os usuários com acesso a contas de s seguirão a seguinte regra para formação do nome da caixa postal: - Os empregados utilizarão o domínio para atividades estritamente profissionais; - Os alunos utilizarão o domínio no desenvolvimento de suas atividades acadêmicas e pessoais. b. O deve ser utilizado de forma consciente, evitando qualquer tipo de perturbação a outras pessoas, seja através da linguagem utilizada, freqüência ou tamanho das mensagens; c. O envio de s deve ser efetuado somente para pessoas que desejam recebê-los. Se for solicitada a interrupção do envio, a solicitação deve ser acatada e o envio não deverá acontecer; d. É proibido o envio de grande quantidade de s (spam) que, de acordo com a capacidade técnica da rede, seja prejudicial ou gere reclamações de outros usuários. Isso inclui qualquer tipo de mala direta como publicidade, comercial ou não, anúncios e informativos; e. É proibido propagar mensagens em cadeia independentemente da vontade do destinatário de receber tais mensagens; f. É proibido forjar qualquer das informações do cabeçalho do remetente e de seu texto; g. É obrigatória a manutenção da caixa de , evitando acúmulo de s e arquivos inúteis; h. Caso a UNISA julgue necessário, haverá bloqueios: - De com arquivos anexos que comprometa o uso de banda ou perturbe o bom andamento dos trabalhos; - De para destinatários ou domínios que comprometa o uso de banda ou perturbe o bom andamento dos trabalhos. Normas de Utilização dos Recursos Computacionais e de Redes - Versão 1.02 julho Documento Público 7

8 9.2. Regras específicas para empregados: a. O é uma ferramenta de trabalho e não de benefício contratual indireto. Logo, o acesso ao correio eletrônico não se qualifica como espaço eminentemente privado. O sistema de é de propriedade da UNISA e suscetível ao controle por parte da Instituição, o que não caracteriza quebra de sigilo de correspondência; b. A UNISA se reserva ao direito de estabelecer mecanismos de supervisão, fiscalização e vigilância da utilização de seu correio eletrônico, podendo a qualquer tempo acessar suas contas com essa finalidade ou reprimir a utilização indevida; c. Mensagens de correio eletrônico são consideradas documentos de caráter oficial e o remetente é o responsável pelas informações contidas; d. A divulgação de informações da Instituição por meio de correio eletrônico e da Internet somente deve ocorrer se sua classificação permitir. Documentos Confidenciais Restritos ou Confidenciais não devem ser transmitidos via ; e. O da UNISA não deve ser utilizado para fins pessoais; f. Não é permitida a má utilização da linguagem em respostas aos s comerciais, como abreviações de palavras e uso de gírias; g. É obrigatória a utilização de assinatura nos s do com o seguinte formato: <Nome do Empregado> <Função> Universidade de Santo Amaro - UNISA Tel.: <DDD> <Telefone Comercial> Visite nosso site: A informação transmitida destina-se apenas à pessoa a quem foi endereçada e pode conter informação confidencial, legalmente protegida e para conhecimento exclusivo do destinatário. Se o leitor desta advertência não for o destinatário da informação, fica ciente de que sua leitura, divulgação ou cópia é estritamente proibida. Caso a mensagem tenha sido recebida por engano, favor comunicar ao remetente e apagar o texto do computador. h. A função na assinatura do deve corresponder ao cargo vigente do empregado. Caso o cargo seja alterado por motivo de transferência de setor e/ ou promoção, deverá também ocorrer a alteração na assinatura eletrônica. 10. DA AUDITORIA Todos os usuários estão sujeitos à auditoria de redes. Os procedimentos de auditoria e de monitoramento de rede serão realizados periodicamente pelo DTI ou profissional contratado para este fim. Havendo evidência de atividade que possa comprometer a segurança da rede, será permitido ao administrador da rede auditar e monitorar as atividades de um usuário, além de inspecionar seus arquivos, s e registros de acesso O usuário que utilizar os recursos de computação e redes da UNISA concorda com esta regra e autoriza as ações de auditoria eventualmente necessárias. 8 Normas de Utilização dos Recursos Computacionais e de Redes - Versão 1.02 julho Documento Público

9 11. DAS PENALIDADES Os usuários que desrespeitarem estas normas estarão sujeitos a uma série de sanções, incluindo perda do acesso a computadores e redes, ações disciplinares e rescisão do contrato de trabalho Desde já fica estabelecido que não haverá progressividade como requisito para a configuração da dispensa por justa causa nas hipóteses previstas no artigo 482 da Consolidação das Leis do Trabalho, alíneas a até g (conforme Anexo I); Os incidentes envolvendo telecomunicações ou transmissão de dados que forem considerados crimes de acordo com leis municipais, estaduais e federais deverão ser denunciados às autoridades competentes. O possível desconhecimento desse regulamento por parte do usuário não o isenta das responsabilidades e das sanções aplicáveis, nem pode minimizar as medidas cabíveis. 12. DOS CASOS OMISSOS Casos omissos a este regulamento serão tratados pela Comissão de Informática nomeada pela Diretoria da Instituição em consonância com o Departamento de TI - DTI. 13. DAS DISPOSIÇÕES FINAIS As presentes normas entram em vigor no dia 1º de setembro de 2008, revogadas as disposições em contrário. Universidade de Santo Amaro - UNISA Normas de Utilização dos Recursos Computacionais e de Redes - Versão 1.02 julho Documento Público 9

10 ANEXO I CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO CLT TÍTULO IV DO CONTRATO INDIVIDUAL DO TRABALHO CAPÍTULO V DA RESCISÃO Art Constituem justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo empregador: a) ato de improbidade; b) incontinência de conduta ou mau procedimento; c) negociação habitual por conta própria ou alheia sem permissão do empregador, e quando construir ato de concorrência à empresa para a qual trabalha o empregado, ou for prejudicial ao serviço; d) condenação criminal do empregado, passada em julgado, caso não tenha havido suspensão da execução da pena; e) desídia no desempenho das respectivas funções; f) embriaguez habitual ou em serviço; g) violação de segredo da empresa; h) ato e indisciplina ou de insubordinação; i) abandono de emprego; j) ato lesivo da honra ou da boa fama praticado no serviço contra qualquer pessoa, ou ofensas físicas, nas mesmas condições, salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem; k) ato lesivo de honra e boa fama ou ofensas físicas praticada contra o empregador e superiores hierárquicos, salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem: l) prática constante de jogos de azar. 10 Normas de Utilização dos Recursos Computacionais e de Redes - Versão 1.02 julho Documento Público

11 ANEXO II MODELO DECLARAÇÃO DE RESPONSABILIDADE PARA USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E ACESSO À REDE DE COMPUTADORES DA UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO - UNISA Nome: Vínculo com a Instituição: Aluno ( ) Empregado ( ) Prestador de serviço ( ) Voluntário ( ) Estagiários ( ) outro: Documento de Identificação (R.G. ou passaporte): Endereço completo: Telefone res./com.: Nome da conta (login/username): Caixa Postal: Data do término da validade (definida pelo responsável pela autorização da conta): / /. Declaro ser responsável pela conta acima solicitada, sendo conhecedor(a) das determinações contidas na NORMAS DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DE REDES DA UNISA ( Comprometo-me a respeitar as normas da UNISA, assumindo as conseqüências administrativas, cíveis e penais decorrentes do desvio de finalidade e do desrespeito às normas. Reconheço que é expressamente vedado utilizar os acessos e as informações confidenciais com outro fim que não aquele relacionado à consecução das atividades específicas para as quais os acessos e as informações me foram fornecidas. Por ser verdade, firmo a presente. Usuário Local: Data: / / Normas de Utilização dos Recursos Computacionais e de Redes - Versão 1.02 julho Documento Público 11

Baixa o Regulamento Geral para Uso e Administração de Recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na UNESP

Baixa o Regulamento Geral para Uso e Administração de Recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na UNESP Portaria UNESP - 385, de 25-06-2012 Baixa o Regulamento Geral para Uso e Administração de Recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na UNESP O Vice-Reitor no Exercício da Reitoria da Universidade

Leia mais

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DA REDE DE COMPUTADORES DA FACULDADE CENECISTA DE OSÓRIO

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DA REDE DE COMPUTADORES DA FACULDADE CENECISTA DE OSÓRIO REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DA REDE DE COMPUTADORES DA FACULDADE CENECISTA DE OSÓRIO 1. INTRODUÇÃO O presente documento define o regulamento para o uso apropriado da rede de computadores da Faculdade Cenecista

Leia mais

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS (UFPelNet)

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS (UFPelNet) REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS (UFPelNet) A Universidade Federal de Pelotas (UFPel), através de seu Comitê de Tecnologia da Informação (PORTARIA

Leia mais

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX. Empresa XX LTDA

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX. Empresa XX LTDA 1 REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX Empresa XX LTDA A EMPRESA XX LTDA, através de seu Comitê de Tecnologia da Informação, órgão responsável pela normatização e padronização

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO ASSESSORIA TÉCNICA DIVISÃO DE APOIO TÉCNICO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO ASSESSORIA TÉCNICA DIVISÃO DE APOIO TÉCNICO PORTARIA Nº 018/DIAT/ASTEC/SEMAD Porto Velho, 17 de dezembro de 2007. Normatiza os procedimentos e critérios para uso e segurança dos equipamentos de informática e banco de dados da Prefeitura de Porto

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE RIO VERDE NORMATIZAÇÃO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO CEFET RIO VERDE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE RIO VERDE NORMATIZAÇÃO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO CEFET RIO VERDE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE RIO VERDE NORMATIZAÇÃO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO CEFET RIO VERDE Capítulo I DAS DEFINIÇÕES Art. 1º Para os fins desta Norma,

Leia mais

Política de TI. 1 - Direitos do Colaborador

Política de TI. 1 - Direitos do Colaborador Política de TI A Política de segurança da informação da OPERARIO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO aplica-se a todos os colaboradores e prestadores de serviços, incluindo trabalhos executados externamente ou por

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PRESIDÊNCIA PORTARIA CNMP-PRESI N.030, DE 07 DE ABRIL DE 2010.

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PRESIDÊNCIA PORTARIA CNMP-PRESI N.030, DE 07 DE ABRIL DE 2010. CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PRESIDÊNCIA PORTARIA CNMP-PRESI N.030, DE 07 DE ABRIL DE 2010. Dispõe sobre critérios de uso e segurança dos recursos de Tecnologia da Informação do Conselho Nacional

Leia mais

versão 1.0 26/02/2010

versão 1.0 26/02/2010 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Espírito Santo POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO versão 1.0 26/02/2010 Pró-Reitoria

Leia mais

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES - PUR

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES - PUR 1. INTRODUÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO DO PLANALTO DE ARAXÁ POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES - PUR Este documento pretende descrever como deverá ser o uso apropriado dos recursos de computação

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCESSÃO E DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL INSTITUCIONAL DO IF FARROUPILHA

REGULAMENTO DE CONCESSÃO E DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL INSTITUCIONAL DO IF FARROUPILHA REGULAMENTO DE CONCESSÃO E DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL INSTITUCIONAL DO IF FARROUPILHA REGULAMENTAÇÃO Nº 1, DE 29 DE JANEIRO DE 2014. Regulamenta o uso do correio eletrônico institucional e normatiza as regras

Leia mais

REGULAMENTO PARA USO DOS COMPUTADORES DO LABORATORIO DE INFORMATICA E BIBLIOTECA DA FACULDADE ESEFAP

REGULAMENTO PARA USO DOS COMPUTADORES DO LABORATORIO DE INFORMATICA E BIBLIOTECA DA FACULDADE ESEFAP REGULAMENTO PARA USO DOS COMPUTADORES DO LABORATORIO DE INFORMATICA E BIBLIOTECA DA FACULDADE ESEFAP CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1 - O presente regulamento tem por finalidade facilitar e democratizar

Leia mais

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Ibirubá Conselho de Câmpus REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO

Leia mais

MENINO JESUS Educando para a Paz e o respei t o à vi da

MENINO JESUS Educando para a Paz e o respei t o à vi da Centro Educacional MENINO JESUS Educando para a Paz e o respei t o à vi da Rua Esteves Júnior, 696 CEP: 88015-130 Fone/Fax: (48) 3251-1900 Centro - Florianópolis - SC www.meninojesus.com.br P O L Í T I

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO I - Aspectos Gerais... 2 II - Proteção da Informação... 2 III - Responsabilidades... 3 IV - Informações Confidenciais... 3 V - Informações Privilegiadas... 4

Leia mais

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Janeiro 2016 O NÃO CUMPRIMENTO DESTE MANUAL PODERÁ RESULTAR EM AÇÕES DISCIPLINARES APROPRIADAS, INCLUINDO ADVERTÊNCIAS, QUE PODERÃO

Leia mais

O Prefeito Constitucional de Picuí/PB, usando de suas atribuições legais,

O Prefeito Constitucional de Picuí/PB, usando de suas atribuições legais, DECRETO Nº 012, de 05 de agosto de 2009. DISPÕE SOBRE O USO DOS SERVIÇOS DE ACESSO À INTERNET AOS ÓRGÃOS E DEPARTAMENTOS QUE INTEGRAM A ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL DE PICUÍ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito

Leia mais

C O N C E I T O E I M A G E M. Transparência nas Ações

C O N C E I T O E I M A G E M. Transparência nas Ações C O N C E I T O E I M A G E M. Transparência nas Ações 1. TERMOS GERAIS Este é um serviço de usuários de web ou mesmo de criação espontânea de grupos virtuais, destinado à troca de assuntos interligados

Leia mais

DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO 1 OBJETIVO: 1.1 A presente

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SECRETARIA GERAL DOS CONSELHOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SECRETARIA GERAL DOS CONSELHOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SECRETARIA GERAL DOS CONSELHOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 006/2014 EMENTA: Aprova Normas da Política de

Leia mais

REGIMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E REDES DO CAMPUS DE BARRA DO BUGRES

REGIMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E REDES DO CAMPUS DE BARRA DO BUGRES REGIMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E REDES DO CAMPUS DE BARRA DO BUGRES REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA E REDES DO CAMPUS

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 021/2003 CONEPE

RESOLUÇÃO Nº. 021/2003 CONEPE RESOLUÇÃO Nº. 021/2003 CONEPE Aprova o Regimento Geral para Uso e Administração do Laboratório de Informática e Redes do Campus Deputado Estadual Rene Barbour. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa

Leia mais

TI - Política de Segurança da Informação FSB Comunicações

TI - Política de Segurança da Informação FSB Comunicações T TI - Política de Segurança da Informação FSB Comunicações Versão 1.2 24/08/2015 1 1. Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a FSB Comunicações, devendo ser adequadamente utilizada

Leia mais

Art.2º O Correio Eletrônico Institucional será composto por 3 (três) tipos de serviços de e-mail distintos: I pessoal; II setorial; e III - lista.

Art.2º O Correio Eletrônico Institucional será composto por 3 (três) tipos de serviços de e-mail distintos: I pessoal; II setorial; e III - lista. DECRETO nº 1784, de 13 de fevereiro de 2012 Disciplina a criação de e-mail institucional para todos os servidores da Administração Direta do Poder Executivo do Município de Contagem. A PREFEITA DO MUNICÍPIO

Leia mais

O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições,

O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições, flas RESOLUÇÃO 01 05 NORMAS DE USO ACEITÁVEL DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO INPE IMEDIATA O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições, RESOLVE Estabelecer

Leia mais

9.6. Política de segurança para Usuários(PSU)... 14 9.7. Questionários de Segurança da Informação... 14 10. CONCLUSÃO... 14

9.6. Política de segurança para Usuários(PSU)... 14 9.7. Questionários de Segurança da Informação... 14 10. CONCLUSÃO... 14 ANEXO I PSI Índice 1. FINALIDADE... 4 2. ABRANGÊNCIA... 4 3. FREQUÊNCIA DE REVISÃO... 4 4. PORTAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 4 5. TERMOS E DEFINIÇÕES... 4 5.1. Segurança da Informação... 4 5.2. Confidencialidade...

Leia mais

POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE. Versão 1.0

POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE. Versão 1.0 POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE Versão 1.0 Versão 1.0 Pág. 1 Considerações Gerais 1 - A Tecnologia da Informação fica definida como a responsável pela gestão dos Sistemas de Informação e dos Recursos de

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DATA: 25/01/2016 VERSÃO 2.0 VERSÃO 2 25/01/2016 ÁLVARO BARBOSA SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO... 3 II. PAPÉIS E RESPONSABILIDADES... 4 II.1 - COMITÊ EXECUTIVO... 4 II.2 - CONTROLES

Leia mais

FACULDADE PROCESSUS Recredenciamento da Faculdade Processus - PORTARIA Nº- 1.394, DE 23/11/2012, D.O.U nº 227 de 26/11/2012, Seção 1 P. 17.

FACULDADE PROCESSUS Recredenciamento da Faculdade Processus - PORTARIA Nº- 1.394, DE 23/11/2012, D.O.U nº 227 de 26/11/2012, Seção 1 P. 17. REGULAMENTO INTERNO DO USO E ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DA REDE DA FACULDADE PROCESSUS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este ato tem como objetivo definir o uso e administração

Leia mais

REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO O presente documento define o regulamento para o uso apropriado da rede de computadores

Leia mais

REGULAMENTO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E INTERNET

REGULAMENTO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E INTERNET 1 REGULAMENTO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E INTERNET Ricardo Machado Torres Ricardo Ariel Correa Rabelo Renata Azevedo Santos Carvalho José Albérico Gonçalves Ferreira Fábio Severo da Silva ARACAJU

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 22/2007, DE 19 DE JULHO DE 2007

RESOLUÇÃO Nº 22/2007, DE 19 DE JULHO DE 2007 RESOLUÇÃO Nº 22/2007, DE 19 DE JULHO DE 2007 Normatiza a utilização dos recursos de tecnologia da informação e comunicação da Fundação Universidade Regional de Blumenau FURB, na forma do Anexo. O PRESIDENTE

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO TERMOS E CONDIÇÕES DE USO 1 DA ACEITAÇÃO DOS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO... 2 2 DA PLATAFORMA DIGITAL DE APRENDIZAGEM... 2 3 DO CADASTRO... 2 4 DO REGISTRO DE DADOS PESSOAIS... 3 5 DA UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA

Leia mais

regras - Companytec Automação e Controle Ltda. Automação de Postos de Combustíveis

regras - Companytec Automação e Controle Ltda. Automação de Postos de Combustíveis COMPANYTEC AUTOMAÇÃO E CONTROLE LTDA. REGRAS GERAIS DE UTILIZAÇÃO DO SITE COMPANYTEC A navegação e/ou utilização do Site implica na aceitação tácita, sem quaisquer restrições, das referidas normas. A aceitação

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO TERMOS E CONDIÇÕES DE USO Bem-vindo ao website do O Não-Monstro/The Not-Monster. Este Site, o livro virtual O Não-Monstro/The Not-Monster e todo seu conteúdo (o Site ) são controlados e operados por CAROLINE

Leia mais

TERMOS DE USO. a A duração do(s) curso(s) da CONTRATADA terão tempo de duração determinado.

TERMOS DE USO. a A duração do(s) curso(s) da CONTRATADA terão tempo de duração determinado. TERMOS DE USO 1. O acesso ao(s) curso(s) contratado(s) só será efetivado com o correto preenchimento do cadastro de inscrição e após a confirmação do pagamento, conforme especificações no item 4 5, abaixo.

Leia mais

POLÍTICA DE USO REDE UFAL.MACEIO / SERVIDOR SAMBA-MACEIO

POLÍTICA DE USO REDE UFAL.MACEIO / SERVIDOR SAMBA-MACEIO POLÍTICA DE USO REDE UFAL.MACEIO / SERVIDOR SAMBA-MACEIO O objetivo desta política de uso é prestar esclarecimentos sobre os recursos disponíveis na rede local UFAL.MACEIO e no servidor SAMBA-MACEIO, informando

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Faculdade de Tecnologia Política de Segurança da Informação Alunos: Anderson Mota, André Luiz Misael Bezerra Rodrigo Damasceno. GTI 5 Noturno Segurança da Informação Prof. Dinailton Junho 2015 Goiânia

Leia mais

TÍTULO I CAPÍTULO I DA UTILIZAÇÃO

TÍTULO I CAPÍTULO I DA UTILIZAÇÃO ORDEM DE SERVIÇO Nº 01, Amparo, 09 abril de 2013. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DE INFORMÁTICA E REDES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE AMPARO, VISANDO ESTABELECER UMA POLÍTICA DE

Leia mais

CONTRATO DE CESSÃO DE DIREITO DE USO (LICENÇA) DO BOMBIRÔ PLATAFORMA ONLINE E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO RELACIONADOS

CONTRATO DE CESSÃO DE DIREITO DE USO (LICENÇA) DO BOMBIRÔ PLATAFORMA ONLINE E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO RELACIONADOS CONTRATO DE CESSÃO DE DIREITO DE USO (LICENÇA) DO BOMBIRÔ PLATAFORMA ONLINE E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO RELACIONADOS ATENÇÃO: Ao selecionar a opção Eu aceito os termos de licença e uso do BomBirô

Leia mais

TERMO DE RESPONSABILIDADE

TERMO DE RESPONSABILIDADE TERMO DE RESPONSABILIDADE Pelo presente instrumento particular, declaro assumir a total responsabilidade pela utilização do CARTÃO FUNCIONAL e SENHA ELETRÔNICA, doravante chamados de IDENTIDADE DIGITAL

Leia mais

ANEXO I TERMO DE ADESÃO. Atenção: Leia cuidadosamente este contrato antes de se tornar um usuário do PMA

ANEXO I TERMO DE ADESÃO. Atenção: Leia cuidadosamente este contrato antes de se tornar um usuário do PMA ANEXO I TERMO DE ADESÃO Atenção: Leia cuidadosamente este contrato antes de se tornar um usuário do PMA INTERNET GRATUITA. 1. ÍNTEGRA DO TERMO 1.1. Os termos abaixo se aplicam aos serviços oferecidos pela

Leia mais

ARTEC FACULDADE DE IMPERATRIZ

ARTEC FACULDADE DE IMPERATRIZ POLÍTICA DE USO DE EQUIPAMENTO DE INFORMATICA Objetivo: Definir responsabilidades e orientar a conduta dos técnicos administrativos, alunos e professores da FACIMP na utilização dos recursos computacionais,

Leia mais

Plano de Segurança da Informação

Plano de Segurança da Informação Faculdade de Tecnologia SENAC - Goiás Projeto Integrador Governança da Tecnologia da Informação Plano de Segurança da Informação Diego Miranda José Rodrigues Neto Romário Sena Warley Gabriel Plano de Segurança

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO CLARO WI-FI

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO CLARO WI-FI TERMOS E CONDIÇÕES DE USO CLARO WI-FI O presente termo tem a finalidade de regular as relações entre a CLARO S.A., empresa autorizatária do Serviço Móvel Pessoal, inscrita no CNPJ/MF sob o nº. 40.432.544/0001-47,

Leia mais

Faculdade de Tecnologia de Barueri Padre Danilo José de Oliveira Ohl. Portaria nº 05/2014

Faculdade de Tecnologia de Barueri Padre Danilo José de Oliveira Ohl. Portaria nº 05/2014 Página 1 de 9 Portaria nº 05/2014 Estabelece e Regulamenta a Política de Uso dos Computadores, Laboratórios de Informática e Equipamentos Eletrônicos da Faculdade de Tecnologia de Barueri. O Diretor da

Leia mais

REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES

REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES Faculdade de Filosofia e Ciências REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES Versão 1.0 Abril de 1998 REGULAMENTO GERAL PARA USO E ADMINISTRAÇÃO DE COMPUTADORES E REDES 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação Documento Política de Segurança da Informação Data Revisão Responsável Área 14/07/2008 1.0 Thiago Lima da Silva Suporte Interno ÍNDICE Introdução...4 1.Pessoal...4 1.1.Prestadores

Leia mais

PORTARIA Nº 992, DE 8 DE SETEMBRO DE 2004

PORTARIA Nº 992, DE 8 DE SETEMBRO DE 2004 PORTARIA Nº 992, DE 8 DE SETEMBRO DE 2004 O Ministro da Previdência Social, no uso de sua competência estabelecida no art. 87 da Constituição Federal e considerando o disposto no art. 23 da Lei nº 8.159,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CÂMARA MUNICIPAL DE CABECEIRAS DE BASTO INTRODUÇÃO O presente Regulamento tem como objetivo estabelecer diretrizes e regular a utilização dos

Leia mais

CÂMARA DE VEREADORES DE ITAQUI - RS PALÁCIO RINCÃO DA CRUZ

CÂMARA DE VEREADORES DE ITAQUI - RS PALÁCIO RINCÃO DA CRUZ ORDEM DE SERVIÇO Nº 01-2012 O Presidente,Vereador LAURO LUIZ HENDGES, no uso das atribuições que lhe confere o Art. 35, inciso V do Regimento Interno, Considerando a necessidade de regulamentar a utilização

Leia mais

PORTARIA N. TC 347/2007

PORTARIA N. TC 347/2007 PORTARIA N. TC 347/2007 Dispõe sobre a política de segurança e utilização dos recursos de tecnologia da informação e cria o Comitê de Assunto de Informática do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES HPE SOFTWARE-AS-A-SERVICE (SaaS)

TERMOS E CONDIÇÕES HPE SOFTWARE-AS-A-SERVICE (SaaS) Contrato Número: HPE: Cliente: Data de Início: Prazo de Vigência: TERMOS E CONDIÇÕES HPE SOFTWARE-AS-A-SERVICE (SaaS) 1. Partes e Objeto. O presente instrumento e respectivo Pedido (em conjunto denominados

Leia mais

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5 SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5 CAPÍTULO III 5 DA INFRAESTRUTURA 5 Seção I 6 Das Dependências 6 Seção II 6 Do Hardware e Software 6 Seção III 7 Das Manutenções 7

Leia mais

CONTRATO CURSOS EAD PRONTITEC ENGENHARIA E INSTALAÇÕES ELETRICAS LTDA - ME OBJETO: NOSSA REFERÊNCIA: ADMINISTRATIVO CONTRATO CURSOS EAD

CONTRATO CURSOS EAD PRONTITEC ENGENHARIA E INSTALAÇÕES ELETRICAS LTDA - ME OBJETO: NOSSA REFERÊNCIA: ADMINISTRATIVO CONTRATO CURSOS EAD PRONTITEC ENGENHARIA E INSTALAÇÕES ELETRICAS LTDA - ME 2016 CONTRATO CURSOS EAD OBJETO: CONTRATO CURSOS EAD NOSSA REFERÊNCIA: INISTRATIVO PRONTITEC ENGENHARIA Março/2016 Índice 1. DO OBJETO... 2 2. DA

Leia mais

Perguntas Frequentes.

Perguntas Frequentes. O presente documento estabelece um conjunto de ações e condições gerais sobre o uso do FideliZii incluindo aqui o sistema, hardware e site da marca de propriedade da ViZii Comunicação Ltda. aqui determinada

Leia mais

Ao se cadastrar, o USUÁRIO compromete se a fornecer informações verdadeiras, atualizadas e completas, conforme solicitado nas páginas de registro.

Ao se cadastrar, o USUÁRIO compromete se a fornecer informações verdadeiras, atualizadas e completas, conforme solicitado nas páginas de registro. CADASTRO DO CURRÍCULO DO USUÁRIO Ao se cadastrar, o USUÁRIO compromete se a fornecer informações verdadeiras, atualizadas e completas, conforme solicitado nas páginas de registro. Fica expressamente estipulado

Leia mais

ADENDO DE TREINAMENTO DE CLOUD SERVICES DA ORACLE ao CONTRATO DA ORACLE PARTNERNETWORK

ADENDO DE TREINAMENTO DE CLOUD SERVICES DA ORACLE ao CONTRATO DA ORACLE PARTNERNETWORK ADENDO DE TREINAMENTO DE CLOUD SERVICES DA ORACLE ao CONTRATO DA ORACLE PARTNERNETWORK Este Adendo de Treinamento de Cloud Services da Oracle (o "adendo") é firmado entre você e a entidade da Oracle com

Leia mais

ANEXO I Solicitação de acesso à rede corporativa (S.A.R.C) Poder Executivo do (RS) Cadastramento Bloqueio Desbloqueio Exclusão Justificativa Nome: Setor: Função: CPF: Identidade: Matricula: Ramal: Nome

Leia mais

CONTRATO DE ASSINATURA, CESSÃO DE DIREITO DE USO, LICENÇA DE USO DE SOFTWARE E OUTRAS AVENÇAS.

CONTRATO DE ASSINATURA, CESSÃO DE DIREITO DE USO, LICENÇA DE USO DE SOFTWARE E OUTRAS AVENÇAS. CONTRATO DE ASSINATURA, CESSÃO DE DIREITO DE USO, LICENÇA DE USO DE SOFTWARE E OUTRAS AVENÇAS. MÓDULO SISTEMAS DE GESTÃO LTDA, com sede na cidade de Ribeirão Preto, Estado de São Paulo, na Rua Amapá, 309

Leia mais

TERMO DE PARCERIA e POLÍTICA DE USO. 1. Considerações preliminares do Portal e aplicativos Vets4Vet

TERMO DE PARCERIA e POLÍTICA DE USO. 1. Considerações preliminares do Portal e aplicativos Vets4Vet TERMO DE PARCERIA e POLÍTICA DE USO 1. Considerações preliminares do Portal e aplicativos Vets4Vet 1.1 O Portal Vets4Vet, encontrado na internet sob o domínio www.vets4vet.com.br, tem por objetivo aproximar

Leia mais

Disseminação das Redes Sociais e Impacto nas Relações de Trabalho

Disseminação das Redes Sociais e Impacto nas Relações de Trabalho Disseminação das Redes Sociais e Impacto nas Relações de Trabalho Renato Rossato Amaral rrossato@tozzinifreire.com.br TozziniFreire Advogados Fundado em 1976 Atuação em todas as áreas do Direito Empresarial

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco Curso de Engenharia Naval Departamento de Engenharia Mecânica

Universidade Federal de Pernambuco Curso de Engenharia Naval Departamento de Engenharia Mecânica REGULAMENTO LABORATÓRIO DE SIMULAÇÃO E VISUALIZAÇÃO (LSIVI) Este regulamento visa melhorar o aproveitamento dos recursos computacionais do Laboratório de Simulação e Visualização da Engenharia Naval, satisfazendo

Leia mais

Termos de responsabilidade para uso de site

Termos de responsabilidade para uso de site Termos de responsabilidade para uso de site Este documento contém os Termos de Uso do site oficial da Secretaria Municipal de Educação de Três Rios, estado do Rio de Janeiro, com o seguinte domínio: www.educacaotresrios.rj.gov.br.

Leia mais

TERMOS DE USO Versão de 15-01-2011 eadvantage

TERMOS DE USO Versão de 15-01-2011 eadvantage TERMOS DE USO Versão de 15-01-2011 eadvantage Acessando e utilizando o eadvantage, ou qualquer informação e/ou conteúdo presente em qualquer área do eadvantage, você estará reconhecendo que leu e concorda

Leia mais

WEBMAIL Política de Uso Aceitável

WEBMAIL Política de Uso Aceitável WEBMAIL Política de Uso Aceitável Bem-vindo ao Correio Eletrônico da UFJF. O Correio Eletrônico da UFJF (Correio-UFJF) foi criado para ajudá-lo em suas comunicações internas e/ou externas à Universidade.

Leia mais

TERMO DE USO DO SISTEMA CARTÃO NACIONAL DE SAÚDE (SISTEMA CARTÃO) POR OPERADORAS DE PLANOS PRIVADOS DE SAÚDE

TERMO DE USO DO SISTEMA CARTÃO NACIONAL DE SAÚDE (SISTEMA CARTÃO) POR OPERADORAS DE PLANOS PRIVADOS DE SAÚDE TERMO DE USO DO SISTEMA CARTÃO NACIONAL DE SAÚDE (SISTEMA CARTÃO) POR OPERADORAS DE PLANOS PRIVADOS DE SAÚDE 1. Como parte do projeto de emissão do Cartão Nacional de Saúde para beneficiários de planos

Leia mais

Termos Gerais e Condições de Uso do AtlasGeo

Termos Gerais e Condições de Uso do AtlasGeo Termos Gerais e Condições de Uso do AtlasGeo 1. Aceitação dos Termos Gerais e Condições de Uso O uso do AtlasGeo oferecido pela Central de Outdoor está condicionado à aceitação e ao cumprimento dos Termos

Leia mais

Termos de Uso. 1. Escopo

Termos de Uso. 1. Escopo Termos de Uso 1. Escopo 1.1 A utilização da página de Internet disponibilizada pela Siemens Aktiengesellschaft e / ou suas subsidiárias ("Siemens"), " Web Site da Siemens ", está sujeita a estas Condições

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO BASEADO NA NORMA ABNT 21:204.01-010 A Política de segurança da informação, na empresa Agiliza Promotora de Vendas, aplica-se a todos os funcionários, prestadores de

Leia mais

FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA Art. 1 O Laboratório de Informática destina-se aos acadêmicos e professores com prioridade de utilização aos acadêmicos. Art. 2 As atividades desempenhadas

Leia mais

FACULDADE CARLOS GOMES

FACULDADE CARLOS GOMES FACULDADE CARLOS GOMES MANTIDA PELA ARTE E MÚSICA LTDA. POLÍTICA DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA FACULDADE CARLOS GOMES POLÍTICA DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E DA REDE Artigo 1º. Artigo 2º.

Leia mais

Código de Ética LLTECH

Código de Ética LLTECH Código de Ética LLTECH Quem somos A LLTECH é uma empresa que oferece soluções inovadoras para automação e otimização de processos industriais, fornecendo toda a parte de serviços e produtos para automação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO CÂMPUS POSSE-GO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO CÂMPUS POSSE-GO Normas para uso dos Laboratórios de Informática vinculados a Coordenação do Curso de Informática e ao Departamento de Tecnologia da Informação do IF Goiano Câmpus Posse GO. POSSE GO 2015 Sumário TÍTULO

Leia mais

Cartilha de Segurança da Informação Boas práticas para usuários

Cartilha de Segurança da Informação Boas práticas para usuários Cartilha de Segurança da Informação Boas práticas para usuários Tribunal Regional do Trabalho 13 a Região Núcleo de Tecnologia e Suporte Técnico NTST suporte@trt13.gov.br Versão 1.0 Autor: Rodrigo Mafra

Leia mais

TERMOS DE USO. Decathlon.com.br

TERMOS DE USO. Decathlon.com.br TERMOS DE USO Decathlon.com.br INTRODUÇÃO 1 - RECURSOS OFERECIDOS PELO SITE 2 - CONDIÇÕES DE USO 3 - DEPÓSITO DE CONTEÚDO NO SITE 4 - CONDUTA NO SITE 5 - DIREITOS DE PROPRIEDADE INTELECTUAL 6 - RESPONSABILIDADE

Leia mais

ATO EXECUTIVO N 09/10. Considerando o disposto no, inciso I, do Art. 57, e seu 1º., do Regimento Geral da Universidade Estadual do Norte do Paraná;

ATO EXECUTIVO N 09/10. Considerando o disposto no, inciso I, do Art. 57, e seu 1º., do Regimento Geral da Universidade Estadual do Norte do Paraná; ATO EXECUTIVO N 09/10 Considerando o disposto no, inciso I, do Art. 57, e seu 1º., do Regimento Geral da Universidade Estadual do Norte do Paraná; uso de suas atribuições legais, O Reitor da Universidade

Leia mais

LEIA AS INFORMAÇÕES E O TERMO DE USO ABAIXO COM ATENÇÃO. AO CLICAR NO BOTÃO "CONCORDO" VOCÊ, ESTARÁ ADERINDO INTEGRALMENTE AOS SEUS TERMOS.

LEIA AS INFORMAÇÕES E O TERMO DE USO ABAIXO COM ATENÇÃO. AO CLICAR NO BOTÃO CONCORDO VOCÊ, ESTARÁ ADERINDO INTEGRALMENTE AOS SEUS TERMOS. TERMOS E CONDIÇÕES DE USO APLICATIVO OMNI CARTÕES LEIA AS INFORMAÇÕES E O TERMO DE USO ABAIXO COM ATENÇÃO. AO CLICAR NO BOTÃO "CONCORDO" VOCÊ, ESTARÁ ADERINDO INTEGRALMENTE AOS SEUS TERMOS. A OMNI CARTÕES

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA Carta do CEO Caros colaboradores, Apresento a vocês o nosso código de ética. Este importante documento é um conjunto de atitudes a serem praticadas por todos nós no exercício da nossa atividade profissional.

Leia mais

Estado do Piauí Tribunal de Contas

Estado do Piauí Tribunal de Contas RESOLUÇÃO TCE N O 08/2015, de 12 de março de 2015. Disciplina a utilização dos recursos de Tecnologia da Informação no Tribunal de Contas do Estado do Piauí O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO PIAUÍ, no

Leia mais

Termos de Utilização - 11-06-2012 by jenniferkarg - Entendendo a Radiação Médica - http://medicalradiation.preview.spiritlink.de?

Termos de Utilização - 11-06-2012 by jenniferkarg - Entendendo a Radiação Médica - http://medicalradiation.preview.spiritlink.de? Termos de Utilização by jenniferkarg - Tuesday, November 06, 2012 http://medicalradiation.preview.spiritlink.de/servico/termos-de-utilizacao/?lang=pt-br 1. Escopo 1.1 O uso destas páginas de internet fornecidas

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA EAD

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA EAD CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA EAD CONTRATANTE: A PESSOA FÍSICA identificada no formulário de matrícula do curso, que, para todos os efeitos,

Leia mais

TERMO DE USO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE

TERMO DE USO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE TERMO DE USO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE A Organex Serviços de Software LTDA ( Organex ) estabelece nestes Termos de Uso e Política de Privacidade as condições para utilização do site www.organex.com.br

Leia mais

Política de Segurança. Aldair Chaves, Alan Messias, Fábio Maia, Naiane Reis, Raul Libório

Política de Segurança. Aldair Chaves, Alan Messias, Fábio Maia, Naiane Reis, Raul Libório Política de Segurança Aldair Chaves, Alan Messias, Fábio Maia, Naiane Reis, Raul Libório Salvador, Novembro de 2007 NECESSIDADE DA IMPLEMENTAÇÃO DE SEGURANÇA NA EMPRESA Gerencia de recursos e funcionários,

Leia mais

Manual de SQUI Uso da Internet

Manual de SQUI Uso da Internet PE Manual de SQUI Uso da Internet Conteúdo Introdução...3 Finalidade... 3 Internet...4 Regras e Normas... 4 Monitoramento.....9 Causas à Desrespeito das Regras...10 Declaração de Acordo...11 Copyright

Leia mais

Termo de Adesão ao Programa de Afiliados de aprendahebraico.com.br

Termo de Adesão ao Programa de Afiliados de aprendahebraico.com.br Termo de Adesão ao Programa de Afiliados de aprendahebraico.com.br Versão 1.2 07/08/2013 O presente TERMO DE ADESÃO AO PROGRAMA DE AFILIADOS contém as regras que se aplicam à participação de Pessoas Físicas

Leia mais

IINSTRUÇÃO DO SISTEMA. Código de conduta

IINSTRUÇÃO DO SISTEMA. Código de conduta 1 de 7 Revisão Data Assunto / revisão / modificação 00 16/04/15 Emissão Inicial. Nome Cargo Data Assinatura Consultor / Gerente EMITENTE Maciel Amaro Técnico / RD Valéria Ap. R. Amaro Diretora administrativa

Leia mais

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PARA REVENDAS

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PARA REVENDAS CONTRATO DE FORNECIMENTO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PARA REVENDAS FORNECEDOR: WORKSOFT INFORMÁTICA LTDA., pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ/MF sob nº. 08.707.221/0001-06, com sede

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO DA PLATAFORMA VOXY

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO DA PLATAFORMA VOXY TERMOS E CONDIÇÕES DE USO DA PLATAFORMA VOXY 1. ACEITAÇÃO DOS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO O uso do website VOXY, que é um programa de curso de inglês online oferecido pela UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DO IFSUL

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DO IFSUL POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DO IFSUL 1 OBJETIVO A Política de Segurança da Informação do Instituto Federal Sul-rio-grandense estabelece as diretrizes para a segurança da informação, visando preservar

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL RESOLUÇÃO CUNI Nº 054, DE 5 DE JULHO DE 2011. Dispõe sobre a Política de Segurança da Informação e Comunicações da Universidade Federal de Lavras. O Conselho Universitário da Universidade

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regimento tem por finalidade disciplinar as atividades do Núcleo de Tecnologia da Informação,

Leia mais

Assunto: Política de uso dos Recursos Computacionais SUMÁRIO ITEM TÓPICO _ PG I. OBJETIVO... 02 II. ABRANGÊNCIA... 02 III. RESPONSÁVEIS...

Assunto: Política de uso dos Recursos Computacionais SUMÁRIO ITEM TÓPICO _ PG I. OBJETIVO... 02 II. ABRANGÊNCIA... 02 III. RESPONSÁVEIS... PÁGINA: 1 SUMÁRIO ITEM TÓPICO _ PG I. OBJETIVO... 02 II. ABRANGÊNCIA... 02 III. RESPONSÁVEIS... 02 IV. CONCEITO... 02 1. Recursos computacionais... 02 2. Usuário... 03 V. ATRIBUIÇÕES... 03 VI. POLÍTICA

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES. Compatibilidade com uso da linha na rede móvel. Recebimento de chamadas a cobrar Sim Não -

TERMOS E CONDIÇÕES. Compatibilidade com uso da linha na rede móvel. Recebimento de chamadas a cobrar Sim Não - TERMOS E CONDIÇÕES 1. Definições e compatibilidade 1.1 O serviço TU Go está disponível para clientes Vivo Móvel pessoa física e pessoa jurídica (com exceção de clientes que possuam o serviço Vivo Gestão).

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TIC

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TIC Código: NO01 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região Comissão de Segurança da Informação Núcleo de Governança Corporativa de TIC Setor de Segurança da Informação Revisão: 1.1 Vigência: 12/02/2016 Classificação:

Leia mais

FACULDADE DE ARARAQUARA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

FACULDADE DE ARARAQUARA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA O Laboratório de Informática é um espaço destinado ao acesso de usuários, estando aberto para livre utilização pelo público interno da Faculdade. O Laboratório oferece espaço e equipamento de informática

Leia mais

CONTRATO DE SUBLICENCIAMENTO DE SOFTWARE E HOSPEDAGEM DE APLICATIVO

CONTRATO DE SUBLICENCIAMENTO DE SOFTWARE E HOSPEDAGEM DE APLICATIVO CONTRATO DE SUBLICENCIAMENTO DE SOFTWARE E HOSPEDAGEM DE APLICATIVO UNIVERSO ONLINE S.A., com sede na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Brigadeiro Faria Lima, nº 1384, 6º andar, CEP

Leia mais

Política de Segurança Corporativa da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Política de Segurança Corporativa da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará Política de Segurança Corporativa da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará Agenda Projeto Realizado Política de Segurança da ALCE Próximos passos Projeto realizado Definição/Revisão da Política de

Leia mais

CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PARA CENTRAL DE RASTREAMENTO

CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PARA CENTRAL DE RASTREAMENTO CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PARA CENTRAL DE RASTREAMENTO Por este instrumento particular e melhor forma de direito, de um lado, Mundo 7 Soluções em Informática Ltda ME, estabelecida em AV ADALBERTO

Leia mais

PORTARIA Nº 056, DE 30 DE JUNHO DE 2015

PORTARIA Nº 056, DE 30 DE JUNHO DE 2015 PORTARIA Nº 056, DE 30 DE JUNHO DE 2015 O DIRETOR DO CENTRO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO RENATO ARCHER CTI, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, nomeado por meio da Portaria

Leia mais