DO ^ (CENTHO-) 0E3TEIj 4. o S^ < Ui li 2^ o 5 m EDITOBIAL Traba3.hadorj quan lhe falta comida ;" name="description"> DO ^ (CENTHO-) 0E3TEIj 4. o S^ < Ui li 2^ o 5 m EDITOBIAL Traba3.hadorj quan lhe falta comida ;">

S^ < NESTE NUMERO -PIANEJAMEN TO FAMÍÜAR: pqq.07. comício rracassado:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "S^ < NESTE NUMERO -PIANEJAMEN TO FAMÍÜAR: pqq.07. comício rracassado:"

Transcrição

1 AÍJO II -L p) SETCE"CIíBíEIA ' LESTB-GC. IãUIA/GC IAS MKSMOM fc» L itmarx: # M3M B/.ÍÍDIDO \MAIS EAPIDO > DO ^ (CENTHO-) 0E3TEIj 4. o S^ < Ui li 2^ o 5 m EDITOBIAL Traba3.hadorj quan lhe falta comida ; casa e ton que ' do A do ien J chegar ao ponto outar para roder y "idontar sua fani- s ^qtflla o a nolicia pogg mfvw^vye prosoj espandado o /-"l,.jf so 'brinóar ainda ó ' ^Ju < '', l/k--^aortoo Has rico, / / \*í* Vorincipalnionte se / 4 ^ "" V \ :for orofoito do f / M * " ""J/v-è > Goiâniaj quando \»A^wS5rTSf /roulm, adenas pa w ^ TV f^^p' ra aume!1 " fca;t: '3 a::i -' :1 - / \ 'da mais o saldo do sua conta ^ I.. r^ 31 Hjaffoaria, a DO- Áioia fí?^ questão do ntaa tonar aonhocinento c ajjida áoaba sondo candidato a gc/emiador do Estado a Esta provado por A mais B quo.^ quando na gerencia dó Banco do Estado de Goiás e na Cai xego, o Sr. Índio Artiaga aproveitoíh-so do cargo para conseguir alguns favores pessoais*' c alguns enprestincs (on dinheiro) para si noano s con juros supor baixos. Ora, todos / nos sabonos que osso tipo do atitude o ilegal, ou nolhor di 2 endc- o roubo, Cono ja vinos ontao ;, dosde nuito aatos! de ontrar para a profeitura, o prefeito de Goiânia já o dado a osgaé'praticas ilogais o depois que entrou ôíitrao»«,0 valor total dos 1 impostos pagos pelo goianiense o enomo nas, no entanto, a cada iia'que passa a nossa cida CLíí çsta mais esquecida. 3 Nao vanos nuito longe, o so o lixamos o estado de abandono en que se encontra a nossajsidadoo ÍJo crimeia, por excn pio,'as ruas estão quase que intransitáveis s a Av, Central, todo nundo esta vondo í so' Q central porque ten os buracos nais centrais! do bairro 5 o serviço do ônibus o deficitário^ nao da para atender a todos os noradores^ ain da nais agora com esses blocos do apartamentos,; quo quase^ duplicou a nossa-população; ITo posto nedico nao ha medioo clinico geral, nãó toa renedio, nao ton material dentário, etc E então? Ba para entender uma coisa dessa?ccn tanto dinheiro entrando na prefeitura o no- nhun beneficio para os bairros? Deve ficar ben claro o seguinte: esse ' prefeito que agora acaba com a nossa cidade 9 representa uma parcela pequena de nossa sócio dade, que e a p ola^da burguesia* dos ricos s dos explorador os. Batao nao adianta nos enganarnos? enquanto eçtiyer no poder mi grande r c tín A o ico i ura r, m JíUí trla2 eu T HlCíKKKFí^srrJ fazendeiro, um rico industrial ou seja, a classe dominantej que sao os ricos, o tra balhador sempre será roubado, sempre Será enganado, sempre Bora explorado, A classe trabalhadora e quam deve escolher seus ad ministradores e escolher bem, quer dizor_; trabalhador dóve escolher trabalhador para representa-lo. Para encerrar, o lançamento_da candidatura dá mdio Artiaga a governador^ foi - : feitadapanqjbrdsrarquo Sc/áçamaaèc deixas se -^ mos ^3 lado o caso do BEG e da CAIXEGO,mas por outro lado, já imaginou? se ele faz o que faz como prefeito, o que faria então como governador?*,,. / NESTE NUMERO -PIANEJAMEN TO FAMÍÜAR: pqq.07 / V comício rracassado: pag.04 Associação de moradores'.pac], 06 Industrio do doença; pag.08 Esporte: pog.12 "Lazer: pa g.i.:

2 PAG. 0^ Dar OOK os do.in partidos qiae o prouriil. >,«.continuaçac numero anterior* no «avxa üriaa-oí" Os interesses ào governo sao clàrcsoo :j; Bit 74 G is as lutas ^o:7i.i.lar es s è fo qu «9a antorior já não funciona mais, A orisc taleceran., üs ODerarios üziam^^ao" ao & - 00 on6vnioa esta cada ves mais grave. A oiasáâ remo e a exploração, fazendo greves e oaja ~ o^arári.a- atraws do movimento sindica/,, es- Danhas VQJ-^ liberdnde sindical, ^ i. r avançando, Bitao, o governo Imsca taaa no«0 movimento contra a oarostia se organiyq, so i a ç a o o a'chama democratisaçao--^ ^sua- zava e reunia cada voa mais gente Uo oairipo, oa tràbíiüadóres enfrentaram! - a luta com decisão cada ves maior,. Foi tudo isso que levo«o J; r Ii:B a uma nova vitoria sobre a ABBNA. em 1978* Mas houve uma diferenya v A q.uestao s am 19?ü } Jâ nao s era simpleamente diiser nao ao go-verno» 0 ^o«- vo começava a dizer SIM as odosiçoes que lhe intearessavam«. democratização,. r 0 governo sabe que a orati tk PAR T í D O <"-., E ansxs começava a ser nresnchldo o é&. naç o ttolitioo criado DQIO svemo em 1974^ Mas o que aconteceu cle.uois das eleições de 197S mostrou claramente qo.e o?u)3 nunca :í \ ""vy*'' * s fs/ foi um Dartidoí ele ora tón ajuntamento onde i^-**,^ J-*** \ ^\lrj cabiam "desde oposicionistas à ditadura* Ver-ír ^^^--r^^ : dadeiramonto cornrroaot;i.^)s com o aovoj ars. ^ V-rf"**^ 1 í li. ^ oporrunistas que so entraram no wjxb T legenda estava dando voto* Mesmo-asste o M3B m-eteu modo no govexno, porquoj por mcio^de uma parto'delej o vo: estava dizendo NAG ao EDOvemoa e muito ' inipor tanto-, Tú cato que a ' política se >y,,\ \, imonte através ' ^// $^ 1 \ ^XC Ú>i^*-y^o s pa3btidos,e o f'// ^^L^^.j^H^veitio sabe, tao % \Q mr ^za***. cem, que o tipo de politica que se f az do p on do' muito da os^e de pari.laos^ v!» l\^ x^'ã t T 'C- isso que qüe o v j ^^ i *** <«.»iimi a ^gpvotoc decxclui v^,.^ acabar Com a AfiiüiiA o o MÉB-s :>arn, -n novos partidos» Slé quer dofiner quais Assúv^ co homens âo govomo Dorceberam» s ão as ferramentas com as quais o yovo CQPS- que era- preciso fazer algitma coisa., antes ' + *,,' n -oi 'hi-hr-r-rr, que a peteca oalsac no chão», A HHDRGAITI3ACÃC PABTIDÁSIA Continuaremos a tratar do assunto no próximo A partir de 19Í& e""i3!a chamada -abertura numero r política", o governo começou a falar tambeásí ^xbth Í áo da revista Á DBIOCEACU,publicada - 0 que* queria discr esta expressão bonita? Vamos ver. 0 governo percebeu que tinha checado a hora do acabar cem o biaartidarisuioj, ou eeja> oom a ARENA e om o MDB«Mas»«.por que aoa - íom' anneircss ~],uxs Pafau -João Pires mi ~-Aüpio íjeto -Marlenô lieis GMa^í HOYA?3C C0K3SLH0 ~, ~ 9 i^-o^, ^ -Marcos ântônio No dia 7 do fevereiro do 1982, polo fato ^ione Rocha ' do haver aumentado o numero de participan j,,^.^-,.-.. e!p M + oe / ' y tos, foi eleito 6 nove oonsolne editorial' «^ícacir Jr«do JORKAI CRUIELÃDj substituindo assim o gn n ^.,. j 'A t 's,\ sw\ antigo^ composto DOIOS companheirost Lula' pj^/v' ^S^^ Vá?ce ^ l 1 ' j Pafau., õj-ioíe Uocha, Dianary :',on3acs e /, ^/* {, i Alan KorcGC -?-,._-, i/ r. 7^,-, H C' / "H' = '7 Este novo ccnsoilic vou n ser uma grande \ O-s-Sii** + 1 U " $ h/ vitoria, DOia se ele aumentou o porque au montou tombou o numere de pessoas que pmv tioipam do jomalj ficando assia o Jorna.!,' bem nais forte o boa mais estruturado, Nesta re uniac s^onde participou tedo o pessoal do Orioei-r, ondo todos tlverou dj. roito a voto, ficaram eleitos 00 so^uibtss IDH tv A IL V ris* -quipe NFl/sl C^TAr Cnsn * luc/ou ^^ A FREqUâNCIà DC SUCSSXi SOM S LLDMUÍAÇÃO Dl; FESTAS, Contratos a rua Senador Miguel Rocha Lima ne 84. a, 21 Setor Oajuéía Los te Tratar 00a ODEKÍI HSKR: HEKRl^lE! VENDE DE TüDC-, 3;íGCS & MCLHADCS, AUMARI- NHO, F0G-C'S LE ártipício, BCMBONLJãIL âhj 1.íiloIG, "* â^usle WR2IAL Av«Sen.rodso Lustoviâo, 374 S.Crlméia Leste XTUX 'VZt-vS-cr :v.'-rj. ^^t^sfi HÍÜIBiJl

3 Ü JGMAL CI?BiELÃc4lARg0/82/Nal9 ^SERVfÇO^ OOCüMEiTTOS PERDIDOS; Encontra-se em nossc poder a carteira do INAMPS de TEREZINHA. FÁTIfiTADE AZ EUEDOi, Comunique-se pelo fone 224 s 5618 com Ariene. VISOS & f""i- / >/ PAG, C3 /////O nosso endereço pax-g corri es p onde n-» cia e: JORNAL CRIITíÉLHO; ;.'. ', CAIXA POSTAL 5222 GOIÂNIA-GCIAS--. \ CEP ,.- y DOCUÍÍIENTDS PERDIDOS; Encontía-se era nossd poder os seguintes' documentos em nome de AUTTNA CEL! FEnREIRA DA SILUA: C.Identi-,,,,,.. (m., /^///Nossa URNa est oolbcada no ropetíade/pis/nefe leitor/cpf e C.de Nasci^' Ç^0 Chopp _ mento. Gomünicáx pelos-telefones 224S r 618 ;; /////O 30RNAL CRIÍ^ELaO 'nao tem firo iu-' (Ariana) ou'22<a794(alan).. ' ' '" 1 '" _. G cratiuo,- sendo facultativa qualquer co- DOCUMENTOS PENDIDOS- -Encontra-se: em no S -so iaboraçao para manutenção do mèsmó* poder á Carteira de Identidade deíílarla /////As pessoas interessadas em particx LÚCIA LüJ-Z. COSTa BASBOSA.: Comunicar pelo p ar do grupo de teatro que esta em fortelefone 224.>-iD7S4 (Alan),,,:,,.t,., :,: - ^ J:;-:. ~ A mação L ;em nosso setcr^^podem ir aos sabá L^l.^^ P - ti '» : -i«'-ki^+a >^^«r,í dos no Centro Comunit.afio João XXIII no t/ewde-se-í Umacasa-a rua Dose Neto Carnei,p u "V Tia nn ^-.^- r,.. Hrta-r nn-,--, -, ~ - --,-;T-, > - ncrti c r^-jmhi 4 r 0 o+á Tfiorarxo. das 17:00 horas ou ligai paxá a ro QoSls LsSls p.~62i- S. Cnmeia Leste. " 7" ^, ^^^ 00/l ^. Si p T, ^, -.,.,,,.:,',. -v T re-xí - -Arlene no telefone , Tratar no toe?! ^ fl. _,.. / - x; - ;. ~" " j /////Também esta ensaiando rio Centro Co SENSACIONAL^ Vamos entrar o ano novo de '"^ - ^' ~ Y V ~VV "' ~=. ^~ nnminnn«nn hn T, j. J c *^^ muni tano João XAüX aos üorningoa no no roupa no\/a. fi central do costura do Setor ^"t 1^, ononn...,,,,;,..... rirlinn HP rianta".'/.-.' '. o,,..-rar 10 das 2UíUU noras' : -o grupo ae oanva Cnmeia Leste esta o&m ótimos preços. Hou^í±u u^ % * n f,. T.,.;'...,. nr. HpT.."., <?,< > _ r ^^. do nosso setor, us linxeressaaos pooerau G pas feitas para adtíflto-s e^çy^e^^a^^faze, ^u.,?_, Jll- cinc,.,, I r., t..^,-,, nrnrnr«r a mos encomendas s5-no.locil: Centrolfimu^ ^ "O local dos ensaxos Oü procurai a nicar* 1 auau loao XXHI/fWAv. AA>-.LX /11a HV. Central'peirtç UUII UXCU. pej, ^J Arlene pelo fone 224.S616. do ponto fl na l/doí^uni bus do Setor Críme- /////Próxima rèuniao do'jornal CRIÍYIELA "0 ia Leste..,A ^Hc AT., _. 1 -gera no dia 21/03/82 as.l4soq horas n üma casa a rua Luiz M. Camargo Av. Sen. Pedro_Ludovicon' 88 Co Leste..6 Setor Criméia Leste. Tratfer" Uenha e partioxpe conosco» VENDE-SEs Q 9 35 Lt no local» / " geruiços 0 3ÜRNAL CRIIY1ELÃ0 coloca à /sua disposição a coluna de serviços e^e dis^ poe a publicar grataiitamerte qualquer a- núncla,, Barata colocar erti nossa urna no ' Tropeçao Chopp ou ligar para CTISTUP; era -g e r aio D * fftartá Apaire c 1 d a..'- ^VÍL'- a rua Antônio-.lílartirvé Burges in%-\554'^^ ' nmeia Leste*. -^. 1 ^~*y w- j,,, Cr /////AS pessoas interessada em criar '.novos, Oornais de Bairro na sua rrgiao? podem contar com o nossc apoio inicialj» pois e de nosso interesse a ampliação ' deste tipo de trabalho como alternativa a o s grandes grupos a c c s t u m a d o s a m s m pu, lar a informação =, Estamos esperando no endereço acima. /////[\s pessoas interessadas em colabo- ^. rar com gapel, tinta ouestêncil para a!.gejial v. ilílqjízete.-rodjàgi es. manutenção deste Dürnal-í parlem se cornu S^Ç.LjesLLe. nicar pelos fones: 224.6t31tí U.riene) ou CQSTURri-SE. R. Cel«Francisco!Fr_gèp Pr AULAS PMR11CUtARESt de Matemática e Fisi ca7 Falar com. Zplaq^élp fpner 22480è0.i AUL hs PART CULAR Sjs, de ^Químicae Biolqgi "ala-c com " intonio/cesar. fone;2610^90, (Alan), it ^ARTAS^C ii. B o o o <s oquerçiaos registrar a ca^ta qúe recebemos de um desconliecido amigjoj BdmuncLo Brandão Dantas. Vinda cia cidade de Brasilia. Diz um i trecho:/'tenho recebido seus trabalhoâ B $ li» teralmentôj babado em cima d.eles. Sabe como; é que e, a vontade do fazer alguma ooisa.,nem sempre rode ser conseguida? resultador morro, do invejando vocês 11,. Outro trocho? "B isso ' meemo, meus.aculgosc.estou rodindo licença/para assumir..um; esoaçozinho do sou univorso, ou seòa/rart"iqipíir a com vouâs,. do QlKbQí.POdtiQO.Posasoq",'dq^Ççamelao*^ i,'^o No final da oarta Edmundo oédb quo^divul^iàtíioís o^aeu livro "VIIJHO,, PABOFá'e^ RáPAIílJRA''(vGaa na pagana oultural una do suas roosiíi^)> Bitãó estão avisadóv. r: quaa...quizor.sp comunicar con o Sâmundo os çreva oaraj QI oi Bld'bo"W;ap'iò, ÍJ' 111 GUARÁ II. ; 0 preço :do lisro, para os poetas do Crinoi e^do/crf 200 ciuzoiros» :v: r^socobomos tambán a carta da leitora Ednalva Sousa Brito, qu.o nc enviou algmas pco,,yçmos publioá-las brevemente, pode aguardar e mandar mais também o,.«eooo leitor Carlos Roberto da Silva nos qscrovo dando algumas sugestões e f! m as perguntas íom respeito ao jornal. Olha aí Carlos, agradoóomos pol suposto OI o as res posta?,a suas fflias indagações já foian enviadas,através do correio, eoeoa^quorobios lembrar que você podo colocar, sua colaboraça na nossa urna,no TROPEÇAO CEOPP

4 jomal CEILISlio / MAIíÇO-82 / HO PAG, 04 i! \ \ I V a TENTATIVA DE COMÍCIO - \ Ho ultdna dia 06/02/82, /os senhores "Goianesio ' / Luca,s(DrGSidQnte do PDS ' /rnotrodolitano), q p senhor / Castro Neto(candidato a yo / reador nelo PDS), estive*' /paa no nosso setor, na Av, Pc X\^rV.--->^//dr9 Ludovico r-ara uma reunião íí\i bentos moradoljos, Na verdade, \x ^ v^j^^^í^,/^,a reunião foi uma toeítatjfc** - ; ítf y' ""^"^"l 1.^va fracassada de tjm comi- 1 ' f\ CASIHoSsi / c i 0 3 Q. 110 contou: coq- a ; D^e- V \ NETO y' / éença de no naxino 40 uesso- Jy * AW 0 Sr 7 Goianosio abriu a routtiap dizendos " Preferimos ouvir do povo a nuilo que elo tem T?ara Dódir, pois estamos ar-"'' q_ui para ajuda-loâo ^0 Sr o Castro Neto o um com Dgateirp de voces, É muito mais que um comaa-"'' nhoir 0 o vm amigo e Ato agora,, do todas as - Dossoae com quem conversei, não escutei nin-- «guen falar mal dôsse moço 0 Ele esta ai reoufe-i' soniando o setor. Ora^ EO ninguém fala mal do Io o porguo ele o tomo Por isso queremos que ' vocos oscrevam o nome dele na cédula, em no-' vontro deste ano, pois estamos ^qui, tamhem, ' par-a olcgô^lo",, No decorrer do discússo, o Sr«Antônio ' Quedos,'rósidonte na Pça Antônio Perilio Q,28 Li»^0 SoC^Losto, indagou os candidatos sobre'' os rroèlemas das ruas do setor. Segundo o Sr, Antônio Quedes, "mora aqui dosde o ato hojo nao tonos asfalto«de pronesèas já estou cheiol* disse elo, Ba seguida o Sr, Castro Neto podui ao pessoal que estava presente para fa- zer silêncio para que ele pudesse escutar as.rolvindicaçogs dõs moradoresc, Quando o Sr, Goianosio começou a falar so bre a educação, dizendo que " a educação ora gratuita o havia vagas para todos', o Sr, CaroliHOj morador do setor perguntou; " E por quo o que eu tenho três filhos e nao pude botar e- los na escola porque e muito caro?" 0 Sr, Gola OCSio disso que o "governo tem daddo ensino grátis oara todos; a erjeola publica.nao cobra 'nada, so cobra a taza de matricula,'inclusive, sorve para a alimentação dos alunos, Se o Sr, tem difiouldaddes em comprar o unifoime, pagar a taxa do matricula, pode procurar aqui o Cas- r V A DíE:NTE. ENDiiEEQO PAIÍA COREESPONDKKCIAs \: JORNAL CR3MELÃ0""- : " : CAIXA POSTAL ^222 CENTIíO GCIÂNIâ - GOIÁS- CEP '- M.:.E0C/82 EDIÇÃO ne 19 ANO II "- ' ;, ;-,; GOífim, 07 DE MAEÇO DE 1,982 tro Netç, ò, candidato polo setor f 'c 0'Sr, ' Goiano sio finalizando disses n lsa'yê *0"que.vocês saibem votar no Castro Kuto cr: ' '":..A-NOSSA. OPINIÃO...-,, Segundo o Sr, Goiancsio, as Dessoas cem-; quem ole' "ja convorsou. aqui: no sotor, njnguon : ; falou mal do "Castro, Neto, No mazinoj essas, ^^ possoas dòvom ser paretítes DU^f unc i onar 3 0 g s- - da''panificadora LxsboaiV''0'povão moêno esta v ' de :-otelha em p'ê' com:'esse candidato,-. Af inal...jv.; ; ele e candidato' polo partido do governo,, la^-,:.., clusive, elè-'cumprg muito bem o papel do. HB5Ü J candidato pelo PDS,.paia,no^ seu disci7.sso : 3, OJ que,nao falta r sao promes-sas e mais promessasc 0 Sr», -Castro Neto-, como todo bom pa "' deiro, deve saber muito bom a diferença auc 2 '"'," 1, ha entre amassa quo'o sr, usa oara fazer b' ' pao (aquela que o Sí*" bate, joga pra Ia, tíaã ->' pra ca, usa e'abusaj^-poô bromato, amassa,oxa..": la pisado põe pra queimar), com essa massa K;^ que esta aqui fora se-ôrganizandob criando '..\ Consciência de Classe e lutando pelos seus 5 ":., éjrçqí^qbm ' - ' - ' -^^.. ; : : ' ' 0 sr," acha-qucos&a 'faassa" que esta s ': aqui fora vai acreditar em tudo que o senhor t fala? Duvido, Ainda mais o senhor, una pes * soa quo nao tom'nenhum: compromisso com a olàsrr so trabalhadora, Essa 'bassa" um dia explode o E um pássaro? É um avião? E^um disco voador?^) Nao, e o Castro Neto, o defensor/ do partido da,; opress^p (PDS), G A M P A N H A DQrMATERiAL ; l-,t;on.t-inua^. ainda,'a :CMPAÍIEA DC MTB- RIAL,'^s inte-rassados podem contribuir s com o Jornal Crimelao, nos enviando pa; * pel, estêncil ou tinta para mimeografo,, Qualquer colaboração^ p0de'ser comunica,- da pelos fonóss j, ,,15( ar leno);--224,07.94 (Alan); ou deixar na se cretariá do centro comunitário que iremos buscar»..' : : Aproveitamos para agradecer aó Sr 0 Luiz Rocha pela^calxà de estôncilo? TIEílGMI DESTA EDIÇAC; 1,000 EXEMPLARES -:$BRIGADC l

5 JOIgIAL CRMELáO/^IARÇO^g/nS 19 PA r. ãu v. ^z CRMBIA LESTE..,. INSEGURANÇA» AP criticar a administração municipal de Soiânia raoraebres do-setor Crimeia Leste denunciam os vário blemas,do "bairro, sao ; inúmeras as ruas esburacadas 1! rua José Carneiro o trânsito de. carro nem mais e vos além do matagal 'Unenso* que existe naquele setorj servindo ^a" ;abrigar marginais que a^em quando b^n entenderem. Duas ueesoa s J ; fõram assassinadas nos últimos dias no bairro quando tentatan tir aos bandidos, Qs motoristas de táxis já nem querem maic le passageiros aq.uele setor, por ter^n.que transitar emru : ruas -'talmente esburacadas e a merèe dós. marginais.^já foram..muitas clamáçoes feitas-pelos,.oradores à administração sem conceguir eu problemas sejam resolvidos pela prefeitura.,~.,~...,, A (lixtraido do jornal Top News da semana passada),. MORADORES GD'OTISTAM SEGÜTOO GRAU 0 co.iegioqlga Ifensur 3 ;, : app.s. muito tempo, de ; pressão per pr^t,g. r dos morado Crimeia Leste,, Nova Vila s ;ViÍaSv Jarag^a,e, ifontloelli,; junto 'á prefeituraj iia plantou ; uo^:enein i Q..de.,.segundo grau. Ijfnbora seja^um^.çursid 4üe?.:de^xa muito'a:, desejar-, como ja era de s^,. esperar,, esse 'curso vem facilitar a vida- dos ^alunos^do segundo grau^^das localidades já ci~ tadasj ja que nao precisam cõ' se deslocarei para'o pen tro da cidade ou \.para.,outros setores de Goiânia, Agora isso nao quer dizer que^devamos agradecer a quem quer ^que- seja~p la.-iibplan.tação-do-cursg- de segundo grau no Colégio Olga Mansur, pois comô^é^sabido,: o governo tem 'a obrigação dé. dar ensino gratuito a to das as pessoasc Alipio Neto, DENDIJCIA DE UM MORADOR IJn norador <aqui do bairro^ residente à rua Jose Neto Carneiro., no 621, ao anunciar a ven qualquer coisa parecida, ' "para resolver tan problona que e de todos". -'; íelo, visto, e -nreciso que a comunidade da dé sua cassa neste jornal, denunciou um- se' imponha, também nesse caso, para evitàic gravo problema quô vem preocupando a ele e^ que obras' superficiais e elèitoreiras como aos exkfeo-sisinhos. Tr^ta^-se d -mais..uma'prova- é-ssa, coloquem nos ombros do povo trabalha da incompetência adm.iniàlírativa da nossa pre- clcr os gastos que a burguesia tem na feitura, o que, nara no's, 'já* não é nenh-umá no traiçoeira pela manutenção do -Doder ínili - vidade 0. ""; tar e capitalista, que explorado oprime cs Segundo este-benhor, por ocasião da inaugu brasileiros, há ^muitas décadas, ração da ponte,/que'liga o Crimeia Leste ao s"e : ^ 'Fé ; ita a denuncia, colocamos as nossas 2 tor Santa GerioVeva- a avenida onde mora deve- páginas e a nossa disposição de ibaj ra ser asfaltada sem ser servida, anteriermen serviço deâsa luta. :, to, de q ualquer serviço de infra-estrutura^ ao;: Antônio César água e esgotop principalmente).. Ele acrescenta que somente os lotes de esquina têm água, por oausa da rede ciuo chega as outras ruas e que "por esquecimento ou. de.spreso do prefeito, nao chegou a Neto Carneiro,,...."V,.'. "" &, #**i> Ele conclama os-seus companheiros de rua a se juntarem,:-atrcives de abaixo-assinado ou T*"?^ 6Á. M Vi* \ BAR E AMAZ3M GOIÁS Socos & Molhados Completo surtimento de bebi das, comr)l0to mantimento de ~ mercadorias. De Plávio H. Stanciarine e.v-altex. L.StanGiarini / Av. Re dro Lu do viço, 39?. S-. Crimeia Leste. p 3 - DEPOSITO TAMBAU.,., Tijolo furado milhôiro-,iii;icr$ 7;600 r) 00 Tijolo comum milheiroi^i;;;icr$ BíJOOJOO 'Telha' plan milheiro,,. >; *,...CÍ^W^OOOjOO Areia Cimento oarrada-6;500,00-metro8í :,OCC Areia reboco carrada -5i500,00-metros 900 ' A*eia saibro carrada^^^ogo, 00-metrog '800 Cascalho carrada ,00 - metros 1,200 Rua Coriolano Loyola Q.l Lote 7 S.Crimeia L,

6 JORxJAL nmwrmr.ãü / MARÇO-82 / Hé 19 SURGE LMA BOVA ASSOCIAÇÃO lei cloita no dia 8 de fevereiro üitimo a diretoria da Associação dos DTofesso^s de Educação Pisica de Goias s tendo como vencedora a chap seguintej «Prssiàentej Lenir de Lima Amaral *>Y:Loe"Fresidetitéi Maria Helena "Secretarias Perpetua do Socorro Esta Associarão esta vincu laàa as reais necessidades e OTO - "blomas que efetuam ^oâ profissionain dn, Educação física de Goicás, esta empenhada também na luta pelo reajuste semestral, pela valoriza- 'çap de prcfossorj_ pelo^ exercício t..orry. ãa profissão e pela compa, Brat^ ração salarial aos outros pro 'f s figciionais de niveis superiores. PAG. Gò A Associarão "fé-álizá," enc&i^.r.o'-; do professores, promove'.!do aeota a qualifiiüaçao prof issic.a] ;, a3" sim como também outras ativiàa - des comunitárias comosrua cj ro - creio, esporte para o DOVO (, c oom 1 tudo isso mostrar que Educcçai },. c;:_- ca nao e esporte de eliten nas sim^tuma atividade para todos, ela taabcá tenta modificar a visão dosta^ pois' todo mundo acha que educação jtirçloe^ e simplesmente um esporte, nao Q so isto, os objetivos reais dela o pro-» mover o indivíduo integrajmentq GE seus aspectos de educação r, É :?n «sc\ portante também saber que a Edu- cação Fisica esta relacionada tia própria educação da pessoaõ,.jíarcos Antênáo e _«ÍAquele sinaleiro^ DMA CÒJJQUIS^A FOPUIiAR á O^sinaleiro da Uova Vila, assim como a escola do Segunde ^^^^ { í ' oi fa- v or de ^grau,^sao provas de que as ^reivindicações do nós, moradox^os^'- / \ % candidato 'nao sao em vao, Isso que aí está não e nenhum favor^do ninguek, XCfO;9^' /s~^ nonhuml mas sim um direito de - todos no's. Esses-benefícios nao forgsab na \py \j. da mais nlma menos, de que uma conquista popular, uma luta'travada polor^mo' J w rador GS ^ Hova Vila, Vila Monticolll o Çrime'ia._ em geral. IfiS - Ml?f a nossa c aninhada não ^p ara por aí, muito mais coisas ainda ten * * -^í' J^VT feitas; e, a medida que no's nos organizamos, conseguiremos todos os bene ficios para o nosso bairro,.- J^. ""., ; /Alan Kardoc/ do no 30 m; me Q^BIA OESTE TM ASSOCIAÇÃO Dcnlngo, dia 28 de fevereiro,, os morar- es co Crimeia Oeste deram mais um passo ' omifiho certo para reivindicar melhorias ra o setor e defender'todos OB interesses' a moradores do bairro, Foi criada a Associação de Moradores do imo&a Oeste., tendo ganhado a chapa Pro'-me- Ui orauentosado Criméia Oeste, tendo como pre lente Antônio CGomes^.leyice Presidente ~ aniiton Pirata; 22 vice presidente, prof..-u rij Secretario Geral, Margot Silva;29. ge _ etário, ouvenalj Io tesoureiro geral -Alzilíibeiro} ífl tesoureiro, Francisco Lopes j te soure iro itoân cio,> vj.o isto ^sirva de estimulo para os mora res do Crlmeia Leste, para que aqui também forme una associação de moradores, pois ' com o povo unido e organizado é que podes lutar pelos nossos ^direitos, e contra a :iloraçno(que nao e' so' os moradores.do Criia Io ato) que estamos passando, Vmos Ia pessoal, vamos formar tamván a nossa associação. por Moacir Jr, GeNERALl A COISA / y*^^ "PÁ FICANDO FEIA, / f ) > ELES FUNDARAM v J-t/"!^ " (MAIS UMA ^ /'// 'fr-m >~^ V ASSOCIAçãO-/ -Xft Ktl P^C ;,- ; (, DE MORADOBES.. J MXy l-^x / v Xx^i C^" a ^ <-,. ^. f mm M^s I ^-^g^xl 1 * 1 \ [ fçeiitro.educacional TUMA^ \ DA MQNICÃ \ ' J Maternai-Pre-primário- \. \ -primário completo/matuti j,/ no e vespertino,,_, -'.AGENCIA BATISTA Especializada em bicicletas. mot o s c tro-domesticos em'geral, Funcion ario mado g capacitado. Com total gsr tuií.às plantão de 24 horas por dia. Venha tomar conosco aquele c c7 \ - \ V,1 u. Pça. Setor Atilio Correia Lima, 35 Crimeia Leste. ' Fone? 223,62.47 Rua? na 151 s.crim eia ; J íd L/ Ç

7 ^x JOVIAL CR31IELÃO /^^gq-og / 13^19 PAG. 07,^-^111! - l^.lwnpiimb I i I IMUIMI llipi.l».h 1 "IMUWI - IMU H1^! «IIIMIB II m M a PÔ/JJEJAMElíTO FAMILIAR o)e encontrado com preço um pouco mais ao - ' ~... T '. -' * ' ' ' 'M aicance do povo, c^pode ser usado» "Camisinha" ou preservativo'.,-.' ^<. _. ^--h r- ;'.^.- *T* até. dez vezes seguidas, conforme a A camisijaha/^astáhte iponheçida de todos, tem a }.fbiífra de uma bol.9a, longada, gçra-lmènté : de'late±,"que en-í ^U^^^-'? volve externam enteio,ps-gaó sexual masculino ^E f t acil-^ /fj^ mente encontrada n.asfarim cias o swóôimercaab s relação ios- dentais., método ticoncepcionais^''de baixo ço. 0 material de que "sao tos esses preservativos.'s_ borracha ou ^o látex r sendo que os de látex sao os m.aí usados por serem mais finos e, com isso, provocav rem menor diminuição da.-séi sibilidade sexual do pênis Esse método e"mu?.-tò u em todos os paises, Stfa','110 ridade se devo as seg^ijitojlj! tagens-s- v-'' a)alem de impedir a penetr^ç dos espormatozoidos( có4ul sexuais masculinas); na..,va^íst LÍ i ta T lbfem protege- marca do produto e os cuidados (íjuc lavar e botar pra secar..'e. 'tun matodo realmente o 'icieiite e seguro, mas postui, t-ambem; algumas desvanta íp-s que de^vom ser conheci.das ;ó" an v alizadas s á')müitas camisinhas vêm' 1 con defeitos do fabrica*' Para evitar b risco, dovo se/soprar com fumaça do ' veigarro para dentro dela ^ ^ e observar se a fumaa'sai por algum orifiiítv--~ _ _; ; \;: o' memento do se colocar pre sèryativo," so nao ' speitadp^ ^pode causar ',çroblemas',e que muitos ' hemóns""preferem começar' ' ; Go"ito(relação sexual) õmti) pênis nu, para d pois',- no/meio do coio '' roti^a-dò da vagio'vesti-lo com a camisinha. Desse modo. a segurança fica diminui da,...porque, mesmo" antes que o homem <i gozc,o -llgjttido que escorro de sou pênis ja pos - contra as infecçops vene^iag^.'esáa proteção, entretanto, nao deve :; --á(5r eóns^idcrad. Gpffio sen do de cem por cento (100%). b)a camisinha Q, o aríticoncepcio^l-mai^sogu-/^*^9 _7 ^ÉÍ^Q-á^^&Satpzp s V^üai^- ide ro dos que cxistoni: tom, o^pode^aer' o' podc%'s.er""iiebdo' t^^do sem no - ""^ a^oútr^^e-íprincipal, desvantagem o que cessidade de sup Oe-rVi^bTinècfíca, Cdípo e o ca ;aso da pilula o do KSTC ^ "J^AggA CAMIJIPA^O EELC : EAIPRO "" > r^íiz "^./^\. : - T Na semana passadá s nt's do Jornal Crimelão fomos infernados, através-.dp ura membro'-d.: nú-,^. clec do Partido dos Trabaíhadoroi(-pT) db jse- 1 ter Crimeía Losto, quo no dia 28/C2/82, houve uma reunao na casa do senhor Alóxandre(mili- 4 tanto do partido), situada à Av, Sen. Pedro Lu do viço n^ 88 Scotr Crimêia Lesto:y:: A-reunião contou com a.articipaçãô de mais de,:40 pesso a s, filiadas ou:simpatizantes do PT. Segundo o Sr, Alcxindre, "depois de uma «demorada discussão democrática, o núcleo deci diu indicar o nome do 5 um dos militantes do Pai tido dos Trabalhadores para candidato a vereador per essa região" Continuando, o senhor i Alexandre disse quo "de acordo com os arite i rios do PT,.o. :Ç, candidato deves está ligado, '-as '. : lutas pnptílà^ibs, mo-raf^ra; região^ ser'intica- do per uma assembléia de. militantes do partido í e sér filiado or nucloado-no partido pela rcgi- ao ii Após vários nomes serem indicados o e CLQPOis aiscutidos., dií,o companheiro Luiz."-Antônio de Oliveira^ o Fafau., fp.i indicado pelo núcleo ' para ser candidato,,a r yeròàdòr polo. Partido, dos Trabalhadores(pT) J nesta, região-^'- disse : o senhor Aloxandroo...,:;: ;.,. f^, '^ ^,;'.., :'. ^Continuando, o Senhor Alcxaiidro ^disse,: H que o núcleo vai fazer uína campanha politica.:nessa região diferente das campanhas feitas pelo.; - camisinha impede o contato direto entro' o pênis e as paredes da vaginá o que, tanto para a multíer quanto para. o'homem, vem' a ser incêmodo, havendo casos, inclusive, ide-pessoas jq^g'"nao ç.pbsoguem o orgasmo( satisfação sosialt^ porquê:"-seus organismos ' rejeitam a presença do preservativo," PÍÍ3 e pelo PMDB, -Nosovamos discutir politica oom os moradores o nao iludi-los Cum promessas, finalizou o senhor Alexandre, "PE TUDO QUE SE TEM OUVIDO, 0 FBI E TMEE : ;À' ; Í)EUS E GUARDAR.A SUA PALAVRA" (Eclesiasto.cap.12;. vers.13). Jpafljoá leitores, o:,''nosso alerta es volte o teu.'olíbar ê Veja que.já^e hora para o seu en contro com Deus; o se nap, ha temor no seu coração," como você vai ap'arecer diant o tribu nal de Cristdt : yi -. ;..[.,-,, :' 0 meu apelo e.ipara.que todos aceitem Jesus oomo seu salvador, :-;,,,. :. IJás.sos cultas, continuam as quintas e aos,ídqm^ngo : s às 19s > 30hs ; o 21s00hs, na Av, Central :3Í9 Sotor Crimeía Leste*. ' iintonío Catarino(Evangelista)

8 1 i r;i!:&etão.alarço-.82/ííe..í9. PAG. C8 'EOJG no Erasilj o descaso,-em relaçaov\ à saídé está COíISS;atado devido á / *' 0^\ ' OS PROFISSIOMIS DA - nr i II ~ - MEDICINA a 5r:'iv.ulc. rn.aioria do UOVD braplaa ' le;",::o«: c.u.o ce apresenta com--diye_r,.r.,o;-: tl^os ds dcoíxçabj princitialpien; ^to i;ra'dí.caií3(lgt)ras chagas. to 3SCÜK) e> G te ),.- p. A. dçcn^aj nesse "oals, ao ir^vps c.e ser oombatid-a $éía jéía raizs raizj pas í.yi a Eê_ [;rátáãa"de fo paiiatrvr,. s icto éj de foim íhao Go-rv;: : ^ir dofinitivam s/o&e.z ''"raporarianente». Ne do--a c"og';:,ça nasaa a ser-ma 't ia cçnsuaidoía de remédio vsíi'inala orsrbco JS o -Dlcr ai: "tjiíg oseos remédios sao fa SOíJVDGí oóprosãs 1 - estrangeir : :, EvllGníinente que a c '^:-'''.:-.c :i^h:.:j?5.a por essas doenças^^e^^ül^jee trabauiadora. Isso acinteefe 'âevido a PO. c:. -:T^;:r;;vi^i-,:-;-,(.linitada)J em termos de saúde por esse regime poiitico e econômico que,:;...' A --.L^^r,,, trabalhadora, que se organiza'ná dia-a^-dia, fortalecendo suas entidades a.--. waai, a a soluçcão maiâ imediata e o incentivo à mediciná^càseirar cultura OPüJ ---.qu! aa naaaa ydm sendo^e-smágada nela propaganda de remédios que nao curam e so ngea : aa.a aca asterasses econômicos. /JEPFEESOK/. A musica popular tira POPULAP. sileira, essa que cons^e galu sobreviver no meio 'de tanta influência colo nizadora da pior musioa ame ^/L^^ricana e realmente a mior '.J&r*~^tQT$Q. de expressão de nosso 1 &^^jt%r vovó* É expressão.cultural, soei & -.,' r^ f x "1 5 espiritual, e,, Jaoje mais ' de f mw.&ç, i Iqüe ontem, exaressf. isao política, / ' WJí í"/ Eo 63?itaelao nao ^abre mao des- ^'^'^. Ir,-- /aavargumento. Através de sua batu 1;.^/ v ''\/\rac;a, procura despertar, fazer ex /' V.lodir esse grito contido na gar~ Santa Ia cada UT S ' interrompido a cada yez-que'be esquece de oantaia. QA-.b^tuqiueirôs' do Crimelão» nao,a; J 3..- ya?aaooaí' Elas se fazoa pr sen,tes,;onde^,se o b c orva a, pc s sibü 1 dade ^"ou" m e : smer a n ec e ssidade, da valoríshçio "da nossa musioa, elemento deteimi nante í-á'nos.ta cultura, da nossa razão de- ser,de" existira f ^,. ;.- : ; A u7i\;i:aa atuação da nossa batucada, foi no oamaval do PE;, IííQS passado (o mais barato da! 'ci dado, Ej.^a-pe ae passagem),, Quem quiser conhecer e,so ficar de butuoa s que,, qualquer hora a gente' ts.tocando por aá, s isso;, ai. Temos que procurar alternativas populares de lazer. O FIM DO kazeb Np nosso setor,, como nao tem ' opções de diversão, todos os moradoas.": optam para o eaporte» B o mais pratica do e' o futebol, Mas existe uma certa ' duvida quanto a que tipo de^esdorte / nos poderíamos pra-ticau^a nao ser o fu tebol? Una pergunta difícil pois o RCS so "estádio Beira Rio "(rtô ^ponto fina^y. em breve será uma praça» E isso aijuma praça com plantas e bancos'como as de-.mais existentes^em Goiânia, E será rae nos moradores nao poderíamos ter um campo de futebol como os demais setores do Goiânia? Se o nosso campo de futebol for retirado-, acabará a alegria do crime:'- ense, aos sábados e domingos o nosso estádio fica cheio de pessoas a sua ; volta, vibrando o seu entusiasmo, en - quanto uma praça seria apenas para aumentar, ás : ar ruaç as ê o numero de margâ nais no nosso setor. Vamos-lutar em prol do nosso baia ro para que possamos residi» melhor Antônio Araújo (Tony) 5 O duras / E:aaaros / BalaS / bombon s roa. / CaiGinc / Gorais / Etc, í ' tr C-! n...pedro Eaãoviúo ne 39D rcor -Cai aoia» Eeoté o. í \K% ^--^t.j.v 9HH.t '- ia l -U «MESA DE BAB- Ouça todos os sábados, das 14 às 17 horas, na RÁDIO UNIVER- SITÁRIA o programa MESA DE BAR» Un proframa de radio a servi ço da comunidade. e> «' O O C if " t srr- - l / \ W

9 V/9A^âS Bõtamos ciie«;iriáo áa?.,6 dos saldomos^"gsto G, viá aíio'cio,ru:'^ T,.'5 -prqinegsas õo^ oarte dos vaaxlòs: üolxti^oco Ma:r-'á QCGaniotí caasado' ác sator que escas promesgab sao fal servindo atjonas para que' ossos politicon to clojan (o roal monto, enganaiidc o povo- Q^JpssaôfjÇaSaá» promes "" sas, consoguen-si ^OIOGGZ"), ' ' :, '' :i "..;-,,.."" :í^ó"'-fe^ ^'tó^^^^.quqwíd^l^lfeâ infor m aç ao do DO vo "br 3.~ :L1 G iro_,_ sot^yo" o pajririxios politico o sobro SGüS candíclai:3sxapí5 âí^rsog^carsos (preígito, voroadorj do-nutada ^stadnal o íéde ral, govornadox» abonado ;r)c. ^3'é^Ba &a. i^ q_uo o povo olffja com sauáptçgpc litioos quo nao ^pm nada a^.-ror-cçui òs sous interossos. Por isso o olóitor" dove'ctiií-p oc^. informado sob-ro ò partido ou Èotro-os candidatos do.süa preforôncia;, pois o at^sroè, do ;, oloiçao q_ug o POVO o-sooilio FGU's.:ropro&GntantGS,; ^ue. irão, dofender sous interossos dubí.j.: : mais ou monos 4 áiiás* Jséo porquo^fô.0 oloitor hao tivor convicção na hora do voíai\, v^d^á do nos. candidatos que'ry.a.c3g:ito oij^orj sabendo era quem vai,votar o o porquov.de^esba: «o «J tando, cò'rre o r : ;. ; jeo do eles,):.? polaticosquo'naô tom nada a. ver pom, õ povo F ÍPo-iitico so utilizam do c?^^ conjiiistado para provoito'próprio, t::, I ' : : --». ] '"~"~~'-- : ---:J:~:, Alxpio ffètô»,-' ';- : ;:;E)ICIJ';A POPUMH COéEO tè do s s abeno s, privilegio de bodãsc, Prin< HB'!SPTOS CASEIROS ;er Saúde nao e.daimente a: elas se trabalhadora terá sido osqueolda,. polo fato. ' do ser a que tdn xm moncr podei aquisitivo, sondo que a industria fa33nao^t2tíoàj do capital estrangeiro, neo proâaci 7.:Ã r^nclo o. bem estar da por-uiaoao cue u?a de feedioçjnentos 3 nas visando eèqljisi"^áéieht.e o iü-prov Sabedo - '."P desse fato. o -DOVO toa i/rbcu^sdo novas.. r : - Flores Katurráis Coroas K Corbeilles EâmálhotoG Decorações ' ei. y- TI ~""*-- '-. 'Gorai Poriog 225e93 <,55 Av«Araguaia na 360 c-utro'' /^ ^cp^'^ - _., 'j? i -:.-> /}' -.-m.aneiras para tratar-do algumas..dpçnçaá mais'comuns a baseado modicamont-oí? caííèi.ros. Q. jornal (Üfimelao publica algaman -d-icas-s DOB DE OUlTlDe-^ Corto um^donto de. ar!.o. - três pedaços, coloque os...6m uma colhei' ' sopa com oloo de amondoine Lovó a.-,f'"ip ',' sando fritar ato dourar o alho 0 ifeíxá oeí ar o cologuo, uma gota, em cada ouvi do o BHOUQUITE - Corte uma beterraba o coloque no fogo com bastante açuea"-'" o im èouoo Io agua«deixo apurar ato fioax- cm ponto mel» 1 Tomo uma colher três vezes ao dia? TOSSE - Faça,,um chá com três; folhas Doanonas de figo, umá folha.do eucalipto c duas sdoa ras de água. Adoc.ó com uma colher do mel o tomo 'j. quentoo' PgDEA UOS R-II-JS.- Tomo chá de folha do saiais um copo após as refeicoon., durante quatro ' dias,. ;... SAEDAS Misture em partes Iguala fôzoo do limão,.chade salsa'o água. de arroso /'ipli que sobro as sardas. ESPINHAS - Misture, em um copo do água mema suco do moio limão o três gotas do iodo, An tos de do im ir, lave. o rosto com esta mlstu»» -ra,' durante cinco dias o AFTAS - Ppça um ohá de.folhas do alfavaoa «Bocheche com o cha de três a quatro vezes ''- ao dia,. DIABETE - Faça um Oha com alguma folhas do mororo (pe-de-boi). Tome imaa xícara, três ve ZGS ao dia* -Verduras Frutas PIÍUTARIA TüIÉÃ Al.Perimotral Q,B L.8 * h n

10 CMMELÃO / MARCO-O2 / ne 19 PÁ». 'JA A COITCOHHÊNCIA MO DEVE IM PEDAÇO DEVIDAS CUJO TMA Es MULHEE ESTAR A NÍVEL DE HOMEM I já é comum ouvimos falar da situação de MULHER MAS A NÍVEL DE grande maioria das mulheres da exploração OPRESSOR E OPRIMIDOi áo i geu seu oo:w)j corpo, da falta de r respeito que as ^ im ' -ges:se tem pela sua capacidade de trabalho, que ; vezes exerce a mesma função de um homem com, salário menor, quand aíiíã.i po: se fala então na mulher que tem filho a coiisa complica maic e assim por diante, poderíamos enumerar outras dificuldadec passou a grande maioria das mulheres. Mas, oste é apenas um lado dajjoisa porque o problema nao e seconte que existem mulheres em situação inferior a dos homens, mas que ôx tem homens e mulheres em situação inferior a outros homens e mulhoies' Eu não quero di z er v-'- com isso que ^a mulher nao tenha problemas OBVC cíficos,'ou melhor, problemas que so' elas possuom, dificuldades delas. TV "TT' pro'prias. E para se resolver essa diferença entre homens e mulheres ;. Jk^^i tj^» out:ros honens e mulheres, ou melhor, entre pessoas pobres^c posso: rxcãsj noffsffíth pessoas que mio e o^r^tot^nn.jloram a n. pessoas TIA que sao exploradas, pessoas que tem direito se educar, comer, so tratar e pessoas que dao o sangue e nao tom direito a nada. ENSINO GRATIBs UM-DIREITO DE--TODOS Acione Lúcia,, do. Como sabomos cs que sabem-mais dominom que. sabem menos. Por isso devemos defendi ensino gratuito cp todos os níveis da ecuu ção, pois isso não e um favor'quo o gove^m nos faz mas sim uma obrigação. ;:; Alípio Neto. Esta oada voz mais difícil a classe traba- Ihadora estudar, Para começar, nos colégios públicos existo uma grando difúcuidade de so ouoontrar vagas, ou soja, o tao grande o nunioro do pessoas quo dosejani so matricular quo nao rara vozes, o necessário ficar em- filas ' durante um dia inteiro 6u mais. Alguns nem " ' cansofgaon so matricular. Depois vom o gasto ' com o uniformo escolar que tira muito do di- 1 nhoirò do trabalhador. Tom também os gaètos,' rcr sinal os maiores, com o material escolar. A isso tudo vom se juntar a ja bem^conhecida tass. escolar o as conduções, pois as vezes, ' os estudantes Se matriculam erai cologios longo do sou local de residência Isso tudo o com relação ao ebsino de 1$'o graus, Existe também ó ensino superior. Ja ora o o dificil alguom da classe trabalhadora conseguir entrar na universidade, pois os gastos ainda sao maiores. Agora surgo um projeto quo defende a implantação do ensino pag o no curso superior. Esse o um projeto que, segundo Pubom Ludwig^ ministro da Ssdáca oao, ainda esta -em estudo, Mas esse ô um projoto que fatalmente ira ser aprovado. A conclusão que podemos tirar de tudo isso o a do que a classe dominante pretende deixar som instrução a classe trabalhadora. Com isso o senso critico dessa classe ira ser diminui II fi '" -AUTQNCMIA DO MOVIMENTO KPULAR Pensaraos a aoutonomia das cl ass os, dos se tores dominados da sociedade, como o movinie; de negação da dominação. A autonomia do mov; monto popular, asstoj se identifica cora sou. vom ente de oposição a dominação oardtalista Neste sentido a autonomia do movimento, popu. que representa os diversos setores dominado; ou explorados é a afirmação do sua,oposição dominação ou exploração de quo o vitima. Desta forma, é importante dizer que o nov; mento popular, obra das classes dominada:,, : ra cada vez mais forte, se forlivro o pendente de quaisquer instituições? as. Partidos Políticos, religiões, etc, Se manipulação de alguma instituição, so ore vimento popular, inevitavelmente, esto monto perderá a sua força, /o autonomia representatividade o haverá divisão dor; nheiros. f, '..Como nos sabemos, que ha partidos ção e determinadas religiões, que s cas, de'certa foxma contribui com o d D.as mo" popular, Essa contribuição, dovo ser' sentido de não manipular o movimento. "Ninguém, ninguém vai mo'sujeitar a no peito a minha paixão. Ninguém, ninguém vai me segurarjiin do me fechar^as portas do coração. Eu não,, ou não vou desesperar, ou n renunciar-, fugir. Ninguém, ninguém vai me acorrentar, enquanto eu puder luaiar, enquanto ou puder sentir, enquanto ou puder organizarj Alguém vai ter qüó'mo ouvir. Eu nao vou calar... " Jefferson/Marcos.

11 JORNAL CRIMELB'/MARÇO-82/na 19 - CULTURAL - PAG. 11 ESTRUTURAS Meus queridos vira^-latas Künoa virom suas lataa O "aa» ^au", do outro lado B^Derigpso o inteligente Nao soirve ^ra cachorro Neni gento Mas so latires duvidando Fazendo ou conhecendo tenho coloiras muito módicas Do composto ideológico Pra convencer com muita lógica Ifa colo ira da defesa 0 heroísmo q uma empresa O oroduto nó fabricado Con medalhas de dourado Feito no escuro I Mas osposto no olaro Na vttrino do futuro Sempra teta horo'i passado Ofuscaaáo tma rotina Ou em po^gando a um soldado Na'ct)lelra da cultura Tenho "^rgulvo do faturas Pela edã^ra do enlatados Pe2.os ^^cotoquizados Pia, "n^ta^líos do pi-ozor Faço horois numa tendência $9T toí»^ elqb oloqgônoia.t 3 «Idade na r tendência (Jil^apenaB tende "il nao entende rs tender cora horoíaao pender no manobriaao í^ue o haso, e piso ío mordomiano-do juiz, Geraldo.H.Poro ira (loo) Rua Algustq Paráhhoâ Setor Orimóia Losto. fejüm PADECER DE ESPERANÇA ' (ALEGRIA REINANTE DA FELICIDADE) Eu ainda nao hayi^ Percebido o arco-íris Ele envolvo parte-^-do cou ^ Veio avisar que nao haverá mais tempestades -Os raios do sol chegaram Costuraram.as negras nuvons Fazondo seus pingos d^agua s embaraçarem» Os raios do sol estão a refletir na torra -E eu ostou a refletir om vocô Parto do mundo abre um sorriso para elo Biquanto que para mim so o óbano mo sufoca a Noitò-oü olho Vênus brilhar do alegria no E a lua-deurada borda o vou negro do oou. Outrã's estrelas rospingam esto véu de purpurina Para "à noiva que brovo^sora esposa tua. :.-,i- -. Na aura da madrugada, nubontes cavalgam no, galopo do amor E o bordado do vou negro solosfag Tornando-se apenas trovas cinzentas., '? ' ;W:: Que estão a vagar o mo rodoar o odiar < x: t--- r -: 3 _c SimBo que a infolicidado sorri do alegria ' "{ ;. ;;.u' oa, r Por, somente, eu-estar assim. ' *< >.. i V TBn povo dia raiou "" ' «.; E o velho.'-sol brilhou forte o radiante ^ " ~ " Biquanto eu ressonava a espera do alguém - _ "i^:.: Alguém para quebar esto r sufoco, mas que aindfi. liaõ sei E enquanto duíirio/;-d\ vento sussu^rra'ao meu;, ouvidos" Espera...Espera f,»,urâ dia ele vira f : -. : ', ü!j r't- n í Q oup ' >( Poesia nos enviada por xm leitor(e poeta) anônimõi 0 OSJjj wn ron HOJE E OUTRO DIA In Desde aquela data, muita coisa se modificou. Sinto que tu nr' es o mesmo. pois pretendo ir embora' para nunca mais voltar. Süv'-''.^ sei que nao voltarás, que vai embora do mim o que minha prosonça 2, j nao,.sigaificou nada pra vocô. -^;, > íf. Vai, - parto ont"silêncio, será bem melhor^ so nosso amor nao da, v. via sor futuro, foi molhor abreviar., sou fim. ' SEPEI APENAS IM ACASO EM: SUA YIDA\ "; Nao fr condeno^ ttem' te recrimino.; Ninguén tem;i3ü-lr^ -,.., ' \ do que' aconteceu. Vaü siga 'seu caminho, so dôsejo que,c Serei alguém que passou envolto, \ nesta sua^viagem você consiga ser muito feliz. ; '" no clariar do dia..,! V S alguém perguntar por mim, diga apenas uma historiá^j^ Soroi paio vocoi-um;passado,frio o \ qyo todo isso aóontooeu do uma pura e simplesmente bri^t ^?i 0 «í'., \cadeira do amor. -, J ";'1i Serg: que você se lonbrara da nossa\ Laoimar Quintiliana União? / ; _. I' ] '\, %^j \ ' S.Criméia LostcW DoB nossos desejos eaíía.eibs? * Da nossa sedo, vontade e coragem' de encarnar o amor o a esperança? Do nosso amor, que ora raiz proibida?' NaO você nao mais se lembrará; Pois na sua vida, serei o nada., Serei um passado desconhecido, o do raizos oordidas. Perdidas pelo tempo e pelos fatos. Uu acaáo, serei atonas, nada mais que um simples acaso. Nilza Marques 4 S.Crimoia Leste abriras os olhos do mundo' para as çoguoiras da vida. - escrovoras poesias^ assim como lovitaras, enzergaras alem. alteraras o mundo com xaaa. chuva do raios ^ na esperança de um'estimulo. chamaiwte ei poetai Edmundo Brandão Dantas, do 1 ivro:' VINHO sfarofa &' ' RAPADURA. '/Vi MAIORIA OA5VE^E^/ A f?éal' >AÍ> Qyc PEfseovitocs A/ãO err* ALEM r>t VOSSA PORTA. R«se< 'IO-!Oí

12 JCMAL CRIMELÃC / MAnçC^82 / ns 82 *o^ êm.- se RESPOSTA DA PAIAVM CRUZADA -AUTEEICRs Vortloals; a gonte corro para sontar, 5lIJDICATC»HorÍ2ontaissl)SISTBIA;2)FEVEREIK0; 3) lc)vooó ó -Doquenininha, nas± tom a bundínhc OnaAIJIZADCRj4)DITADUEAi5) AS SALARIADC; 6 ) C ADAJSR quente, 7 ) ASSOCIAÇÃC; 8) HABITAÇAC, 9 ) H> SSEIRC. PIADAS Soo ^ciio Artiaga for^olo-ite-go-võrsador, ja" toa- o seus"secretarios esooihidosj^-ett- soja; >:" AliÈába o sous quarenta ladrogs-. Dois noradpros do Crimoia convcrsandot ^Voco viu -Zc, o novo' addsivo da voro^dora Kcuza^Póroira? virãol -.ò-ta' escrito o quo? iitouga Poroira 8-2 -'os ido ais ^o mane cem. DitaOv',quer idizer que ola continuara traindo-- o povoic \ :.. i V \.. fclllíf í " A LiiGCA TAÍ /.; Dois compadres trabalhavam na roça, CG_r ^0' dia vim disso ao 'outro, 7 «Sabe compadre, ou tô cansado desta'vida aqui.. dg roça, amanha vo cnhora ura cidado.. E o outro' rosdondouí - ^Clha com padre, ^di gas^ "So Deus quiso".^ -.Ahl So Deus quise éu vo, agora se Deus nac quisó, ou vo também. : '. Resnondou com raiva. Deus ouvindo aquilo, castigou-o, transfor mando-o em sapo durante 7 anos» Quando elo vol tou ao. - noímalj foi trabalhar novamente com o compadre. Num belo dia, disso ao compadres -Ehl Compadre,'èU-' ; tô : 'óansado desta Vida a-' qui da roça. Amanha ou vou embora pra cidade. -Olha compadre/ di^as"sb Dou&.,qúisé' t ^:' : ;'- Bom, se Deus quise eu vo, mas 'âé "Deus nao qulso a lagoa ta ai,, ^. r;i, : :,,. r ;3;: ^- PERGUNTAS-1.;;.-,;:'-: ". C'"..^ IV Porque o boi "babá? * ;,,,v í ; r 2JPorque o oao entra na igreja? 3)Porqu e o galo canta com os olhas fechados? 4)Porque^o porco ^nao olha para cima? 5)0 que ó o que é que tem os joelhos para trás? 6)C que o o que o que quanto.-maior mçnòs-se. V^S TjQuem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha? r 81 Qual a diferença entro o. padre e o. bula??;'-',;',^' 9)Qual a diferença eptre. a B<>^ e.^vásò (saiíj, tário)? ;....;;,. ^;^ ^-ys'^''-''" ' "^,':,^: ^-'^'^ 10) O qu o-pires disse para a xicara?,,,>;:' -.V,. 11} C que c que tem pó^de ^POç-CO,,;. rabo de poròo' orelha dq porco, mas nao ç porpo? -. RESPCSTA&-t. 7"^' 1)Porque ele vê a vaca de '^opiossí'.; -^r. 2)Porque a porta oa: ta aberta." '-.; 3)Porque ele sabo a musicando cor, V-. j : 4)Porque tem Vergonha da mao dele" que e porca, 5)Gaio íiescuridao.-:. i 7^ A galinha -y - ; V"-7 8jo bule o de vôr oaf e, e o padíe e rdekniu 9)lfa moto a gente senta para correrjà rw.,. Lr^M '-!_ t í 11)Se você pensou/om^foig 0 a» - - i " v J^iH^ ^J^laboraç^CTzaura. y.^s -Pauíô voòe sabe o,-que'.vai-dar'^ beca?, ;: rit:.^ "f Nao, vócô sabo?. M";,'^'-'' ;x D -Eu sol, e piolho.,i- Dois fuliõos conversando apos..o : carnavalf ' -Este ano eu^sai fantasiado,.de í j:i)lsy^valáaáo. -Uai, voco não disso" qüq/i.a^sjaij^s&pebaüi^o de-palhaço? Jv v.'". V t..-,^ ^cot,.o, -' r5 '" ; ' v ' : ' 1 ' E tem alguma diférehç^?!:^';'..;,.^-àolou í).fio'. Havia um cara sentado' 1 n'á beira do rio oc ;.;^ vara de- pescar; dentro 'd' água esperando;' ^utt.iá fisgar a ; -isca.'.nisso, chegou um -sonhgirt.g^.fi^ ecu sentado do lado dole observando yj ^ T;^ umas quatro m cinco horas, C vdso^â<^^-o&^ broiro' com^aquilo, virèú^para o sonharí^ü^-^ dlssog ^!.. -, r ' ';/ ; n.'^:' - * "> -C senhor,. nao quer' pò-sáar.u^ potrqyriníío?'_.' Ai o sonho* respondoug ^ ;"."^,.F : OVXíí.'';'., V-íí. -Eu não tenho 1 ; pacicneaa : ''tirã.,'isgo: aaoe \!:Jl--^ >ia rr,t- Io n,- - _, A --,;.i..'j'"'- :-olc ' No-dia 26 ultimo,-o time do Êútobq salão do Crinolao jigoü. Ot^?^^^^^^.;^ O jogo^fo-í disputad5\na qy^^ídaíj^âíãr^f* do Co légio, Diga Man suç.. No. tei pfe. of ie-iál.;..ô jogo torminou :ompâtadçr, mas; ja. na prbi-fd?^" jão, o Arroyo voncou^por^ois rpls a rzero^-' '' -'As o soa,! aço es dò's, -ác'is ; tinos foram,.ás-'!',^ seguintes? 'j; -^ : : ^^ "' '.^,. ; :> ". ORIlíELÃCs Alberdos/Alípio Alor,c-??/l/7illion -e ; Natal(tilularos)} Celio e Adovajb^i do(roservas) ^ ' ' ;- í Técnico! Joso Aitcnio,, ;, i- -.P' I * ' /IRRCYO». Chicão/ Luizinho/ DDausdote/.MatiBel ' ;^:'.,/,. ;' e Yaldeaar(Tilülaros)^ Brasiliano e ^-Gilberto(réservas^^''!^-"''. : *'TG04d^W'Jyigelo- Reis. r": Í^Tif,i -Í Alipio-Nòto LE? R EUMa;.. 'f 3 '7 T T! - 1 mam 3; OI; Í

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

Vamos Subir Nova Voz

Vamos Subir Nova Voz c c Vamos Subir Nova Voz 2 Letra e Música: Lucas Pimentel Arr: Henoch Thomas 2 5 2 to Eu-pos tem - po te-nho ou vi - do a pro- 2 g g 8 mes - sa de que vi - rás pra res -ga -tar os fi-lhos Teus Nem sem-pre

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Escola Municipal de Ensino Fundamental David Canabarro Florianópolis, 3892 Mathias Velho/Canoas Fone: 34561876/emef.davidcanabarro@gmail.com DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome: Stefani do Prado Guimarães Ano

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23.

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23. Tema: DEUS CUIDA DE MIM. Texto: Salmos 23:1-6 Introdução: Eu estava pesando, Deus um salmo tão poderoso até quem não está nem ai prá Deus conhece uns dos versículos, mas poderosos da bíblia e o Salmo 23,

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 1 a Começa assim Este jogo começa com todos os participantes procurando as PA LAVRAS SEMENTES. E isso não é nada difícil! Basta as pessoas que vão jogar o jogo saírem conversando

Leia mais

Ainda há Tempo, Volta

Ainda há Tempo, Volta Ainda há empo, Volta Letra e Música: Diogo Marques oprano ontralto Intro Envolvente (q = 60) enor aixo Piano Ó Œ. R.. F m7 2 A b 2 E b.. 2 Ó Œ É 2 Ó Œ F m7 2.. 2 2 A b 2 2 Ainda há empo, Volta Estrofe

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA. (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico)

TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA. (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico) TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico) Januária setembro/2011 CENÁRIO: Livre, aberto, porém, deve se haver por opção uma cadeira, uma toalha e uma escova

Leia mais

Roteiro para curta-metragem. Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO

Roteiro para curta-metragem. Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO Roteiro para curta-metragem Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO SINOPSE Sérgio e Gusthavo se tornam inimigos depois de um mal entendido entre eles. Sérgio

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA sumário executivo w w w. v o c e s a. c o m. b r w w w. e x a m e. c o m. b r melhores empresas para você trabalhar São Pau lo, setembro de 2010. Pre za do(a) Sr(a)., SEFAZ BAHIA Em pri mei ro lu gar,

Leia mais

Versículo Biblíco Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Salmos 139:14 (NVI)

Versículo Biblíco Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Salmos 139:14 (NVI) Versículo Biblíco Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Salmos 139:14 (NVI) Objetivos O QUE? (GG): As crianças ouvirão a história de Marcinelo, um boneco de madeira que não se sentia

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

Versículo para memorizar: Deus ama quem dá com alegria (2 Coríntios 9:7)

Versículo para memorizar: Deus ama quem dá com alegria (2 Coríntios 9:7) A ALEGRIA DE OFERTAR A lição a seguir é relato de um fato ocorrido durante a Campanha de Missões de Setembro /2001. O objetivo principal é desenvolver nas crianças o amor pela contribuição na obra missionária.

Leia mais

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009 MATEMÁTICA 1. O transporte de carga ao porto de Santos é feito por meio de rodovias, ferrovias e dutovias. A tabela abaixo for ne ce al guns da dos re la ti vos ao trans por te ao por to no pri me i ro

Leia mais

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Apresentaremos 4 lições, que mostram algum personagem Bíblico, onde as ações praticadas ao longo de sua trajetória abençoaram a vida de muitas

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão , Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão Santa Cruz de Cabrália-BA, 28 de setembro de 2005 Meu caro governador Paulo Souto, governador do estado da Bahia, Meu querido companheiro Miguel

Leia mais

MATERIAL DE APOIO OFICINA EVANGELISMO PESSOAL MIN. FILIPE ARAÚJO

MATERIAL DE APOIO OFICINA EVANGELISMO PESSOAL MIN. FILIPE ARAÚJO MATERIAL DE APOIO OFICINA EVANGELISMO PESSOAL MIN. FILIPE ARAÚJO DO CONCEITO PARA PRATICA E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos

Leia mais

MULHER SOLTEIRA. Marcos O BILAU

MULHER SOLTEIRA. Marcos O BILAU MULHER SOLTEIRA REFRÃO: Ei, quem tá aí Se tem mulher solteira dá um grito que eu quero ouvir Ei, quem tá aí Se tem mulher solteira dá um grito que eu quero ouvir (Essa música foi feita só prás mulheres

Leia mais

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI REFORMA POLÍTICA Capítulo VI REFORMA QUE O GOVERNO LULA E O CONGRESSO NACIONAL DEVEM PRIORIZAR [espontânea e única, em %] Pe so 1 0 0 % Re fe rê ncia s a re form a s Re form a Agrá ria 7 Re form a Tra

Leia mais

CAMINHOS. Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves

CAMINHOS. Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves CAMINHOS Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves Posso pensar nos meus planos Pros dias e anos que, enfim, Tenho que, neste mundo, Minha vida envolver Mas plenas paz não posso alcançar.

Leia mais

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão Jorge Esteves Objectivos 1. Reconhecer que Jesus se identifica com os irmãos, sobretudo com os mais necessitados (interpretação e embora menos no

Leia mais

O Coração Sujo. Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse? Tuca Parece cheiro de gambá morto afogado no esgoto.

O Coração Sujo. Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse? Tuca Parece cheiro de gambá morto afogado no esgoto. O Coração Sujo Personagens - Tuca - Teco - Tatá - Tia Tuca e Tatá estão conversando. Teco chega. Teco Oi, meninas, sobre o que vocês estão falando? Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse?

Leia mais

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades PNV 289 Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades Orides Bernardino São Leopoldo/RS 2012 Centro de Estudos Bíblicos Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal 1051 93121-970

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

ABRI AS PORTAS A CRISTO (Hino ao Beato João Paulo II)

ABRI AS PORTAS A CRISTO (Hino ao Beato João Paulo II) Órg. 6 11 q = 60 me mf ortas a ris to! Não te mais, não te nhais do: 'scanca rai o vosso cora ção ao mor de Deus. RI POR RIO (Hino ao eato João Paulo II) ortas a ris to! Não te mais não te nhais me do;

Leia mais

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série.

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. EE Bento Pereira da Rocha HISTÓRIA DE SÃO PAULO Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. História 1 CENA1 Mônica chega

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

5 Eu vou fazer um horário certo para tomar meus remédios, só assim obterei melhor resultado. A TV poderia gravar algum programa?

5 Eu vou fazer um horário certo para tomar meus remédios, só assim obterei melhor resultado. A TV poderia gravar algum programa? Antigamente, quando não tinha rádio a gente se reunia com os pais e irmãos ao redor do Oratório para rezar o terço, isso era feito todas as noites. Eu gostaria que agora a gente faça isso com os filhos,

Leia mais

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem Quadro de conteúdos Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano Língua Portuguesa Matemática História Geografia Ciências Naturais Arte Inglês ABC da passarinhada O alfabeto Quantidade A ideia de quantidade Eu, criança

Leia mais

CIFRAS - CUKA FRESCA

CIFRAS - CUKA FRESCA INTRODUÇÃO: D9 A/C# Bm7/11 G7+ D9 A/C# G7+ G/A A/C# CIFRAS - CUKA FRESCA EU VOU TE AMAR Bm7/11 G7+ G/A A/C# QUANDO SENTIR TRISTEZA E NÃO PUDER TE ACALMAR Bm7/11 G7+ G/A QUANDO HOUVER UM VAZIO QUE NÃO POSSA

Leia mais

Quem Desiste num momento de crise é porque realmente é um fraco!

Quem Desiste num momento de crise é porque realmente é um fraco! Paixão do Povo de Cristo x Paixão de Cristo Texto Base: provérbios 24.10 na Linguagem de Hoje: Quem é fraco numa crise, é realmente fraco. Na Bíblia A Mensagem : Quem Desiste num momento de crise é porque

Leia mais

Nós não estamos aqui para dizer que Davi foi o maior exemplo de pai

Nós não estamos aqui para dizer que Davi foi o maior exemplo de pai E há de ser que, se ouvires tudo o que eu te mandar, e andares pelos meus caminhos, e fizeres o que é reto aos meus olhos, guardando os meus estatutos e os meus mandamentos, como fez Davi, meu servo, eu

Leia mais

Datas das próximas viagens da UFMG. Visitas às casas dos moradores de Lagedo e Riacho

Datas das próximas viagens da UFMG. Visitas às casas dos moradores de Lagedo e Riacho Ano 2 Lagedo, Domingo, 25 de janeiro de 2015 N o 8 Datas das próximas viagens da UFMG Data Casa 8 23 a 25 de janeiro de 2015 Lúcia 9 27 de fevereiro a 1 de março de 2015 Irene/Paulo 10 27 de março a 29

Leia mais

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos Lição 3: Alegria LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos RESUMO BÍBLICO Gálatas 5:23; Gálatas 6:1; 2 Timóteo 2:25; Tito 3; 1 Pedro 3:16 Como seres humanos estamos sempre à mercê de situações sobre

Leia mais

======================== ˆ_ ˆ«

======================== ˆ_ ˆ« Noss fest com Mri (Miss pr os simpes e pequenos, inspirdo em Jo 2,112) ( Liturgi I Puus) 1) eebremos n egri (bertur) Rgtime & c m m.. _ m m.. _ e e bre mos n_ e gri, nos s fes t com M ri : & _.. _ º....

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR O Sonho de Renato O Sonho de Renato a e i o u A E I O U so nho de Re na to Eu sou Renato Valadares Batista. Tenho 14 anos. Sou filho de Pedro Batista e Luzia Valadares.

Leia mais

Marcos Leôncio suka02@uol.com.br 1 VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio. Elenco: Olga Barroso. Renato Beserra dos Reis

Marcos Leôncio suka02@uol.com.br 1 VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio. Elenco: Olga Barroso. Renato Beserra dos Reis VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio Elenco: Olga Barroso Renato Beserra dos Reis Zilânia Filgueiras Sérgio Francatti Dodi Reis Preparação de Atores e Direção: Dodi Reis Coordenação

Leia mais

COMO SE PREPARAR PARA ORAR

COMO SE PREPARAR PARA ORAR COMO SE PREPARAR PARA ORAR PR. OTILONE LOPES DE OLIVEIRA VEJA: COMO SE PREPARAR PARA ORAR A- HOJE TEMOS EM NOSSAS IGREJAS, ESCOLAS PARA TODOS OS FINS, MENOS PARA ENSINAR A ORAR. B- SEGUNDO PESQUISA, A

Leia mais

I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. (5 pontos)

I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. (5 pontos) I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. Hoje. domingo e o tempo. bom. Por isso nós. todos fora de casa.. a passear à beira-mar.. agradável passar um pouco de tempo

Leia mais

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. www.hinarios.org 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. www.hinarios.org 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR HINÁRIO O APURO Tema 2012: Flora Brasileira Araucária Francisco Grangeiro Filho 1 www.hinarios.org 2 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR Precisa se trabalhar Para todos aprender A virgem mãe

Leia mais

FUGA de Beatriz Berbert

FUGA de Beatriz Berbert FUGA de Beatriz Berbert Copyright Beatriz Berbert Todos os direitos reservados juventudecabofrio@gmail.com Os 13 Filmes 1 FUGA FADE IN: CENA 1 PISCINA DO CONDOMÍNIO ENTARDECER Menina caminha sobre a borda

Leia mais

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

LIVRO DE CIFRAS Página 1 colodedeus.com.br

LIVRO DE CIFRAS Página 1 colodedeus.com.br LIVRO DE CIFRAS Página 1 Página 2 Página 3 ACENDE A CHAMA AUTOR: HUGO SANTOS Intro: A F#m D A F#m D A F#m D Quero Te ver, acende a Chama em mim Bm F#m A Vem com Teu Fogo, vem queimar meu coração Bm F#m

Leia mais

1. A cessan do o S I G P R H

1. A cessan do o S I G P R H 1. A cessan do o S I G P R H A c esse o en de reç o w w w.si3.ufc.br e selec i o ne a o p ç ã o S I G P R H (Siste m a I n te g ra d o de P la ne ja m e n t o, G estã o e R e c u rs os H u m a n os). Se

Leia mais

FESTA DO PERDÃO. Igreja de S. José de S. Lázaro. 2º ano

FESTA DO PERDÃO. Igreja de S. José de S. Lázaro. 2º ano FESTA DO PERDÃO Igreja de S. José de S. Lázaro 2º ano 5 de Março de 2005 FESTA DO PERDÃO As crianças com o seu respectivo catequista estão sentadas nos bancos. Na procissão de entrada, o sacerdote segurando

Leia mais

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS João Pedro Cordeiro Resumo O presente artigo versa sobre as práticas de gestão de recursos humanos pelas empresas, e mais especificamente

Leia mais

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. Tema 2012: Flora Brasileira Araucária

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. Tema 2012: Flora Brasileira Araucária HINÁRIO O APURO Tema 2012: Flora Brasileira Araucária Francisco Grangeiro Filho 1 www.hinarios.org 2 01 PRECISA SE TRABALHAR Marcha Precisa se trabalhar Para todos aprender A virgem mãe me disse Que é

Leia mais

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira.

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira. Q u a, 3 0 d e J u l h o d e 2 0 1 4 search... REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES Selecione a Edição ANTIGAS C l i q u e n o l i n k a b a i xo p a r a a c e s s a r a s e d i ç õ e s a n

Leia mais

Solidão PROCURA-SE MULHER PROCURA-SE MULHER

Solidão PROCURA-SE MULHER PROCURA-SE MULHER Edna estava caminhando pela rua com sua sacola de compras quando passou pelo carro. Havia um cartaz na janela lateral: Ela parou. Havia um grande pedaço de papelão grudado na janela com alguma substância.

Leia mais

andréa del fuego os malaquias

andréa del fuego os malaquias andréa del fuego os malaquias 1 Serra Morena é ín gre me, úmi da e fértil. Aos pés de la vi vem os Malaquias, ja ne la com ta manho de porta, porta com autoridade de madeira escura. Corre, Adolfo! Donana

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

CANTOS - Novena de Natal

CANTOS - Novena de Natal 1 1 - Refrão Meditativo (Ritmo: Toada) D A7 D % G Em A7 % Onde reina o amor, frater---no amor. D A7 D % G A7 D Onde reina o amor, Deus aí está! 2 - Deus Trino (Ritmo: Balada) G % % C Em nome do Pai / Em

Leia mais

Assunto: Entrevista com a primeira dama de Porto Alegre Isabela Fogaça

Assunto: Entrevista com a primeira dama de Porto Alegre Isabela Fogaça Serviço de Rádio Escuta da Prefeitura de Porto Alegre Emissora: Rádio Guaíba Assunto: Entrevista com a primeira dama de Porto Alegre Isabela Fogaça Data: 07/03/2007 14:50 Programa: Guaíba Revista Apresentação:

Leia mais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais Datas Comemorativas White Paper Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais As datas comemorativas podem ser exploradas para rentabilizar o seu comércio, seja ele físico ou online. Dedique

Leia mais

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR INTRODUÇÃO Você está cansado de falsas promessas uma atrás da outra, dizendo

Leia mais

A Última Carta. Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead)

A Última Carta. Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead) A Última Carta Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead) E la foi a melhor coisa que já me aconteceu, não quero sentir falta disso. Desse momento. Dela. Ela é a única que

Leia mais

Tempo para tudo. (há tempo para todas as coisas por isso eu preciso ouvir meus pais)

Tempo para tudo. (há tempo para todas as coisas por isso eu preciso ouvir meus pais) Tempo para tudo (há tempo para todas as coisas por isso eu preciso ouvir meus pais) Família é ideia de Deus, geradora de personalidade, melhor lugar para a formação do caráter, da ética, da moral e da

Leia mais

Acólitos. São João da Madeira. Cancioneiro

Acólitos. São João da Madeira. Cancioneiro Acólitos São João da Madeira Cancioneiro Índice Guiado pela mão...5 Vede Senhor...5 Se crês em Deus...5 Maria a boa mãe...5 Quanto esperei por este momento...6 Pois eu queria saber porquê?!...6 Dá-nos

Leia mais

Entrevistado: Data da Entrevista: Entrevista: 1- Como você percebe o processo de criação de marcas?

Entrevistado: Data da Entrevista: Entrevista: 1- Como você percebe o processo de criação de marcas? Entrevistado: Guto Lacaz Data da Entrevista: 19 de Julho de 2011 Entrevista: Pessoalmente Formado em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura de São José dos Campos, faculdade onde também realizou cursos

Leia mais

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um.

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um. coleção Conversas #10 - junho 2014 - Eu sou Estou garoto num de programa. caminho errado? Respostas para algumas perguntas que podem estar sendo feitas Garoto de Programa por um. A Coleção CONVERSAS da

Leia mais

Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país

Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país Brasil Você sabia que... A pobreza e a desigualdade causam a fome e a malnutrição. Os alimentos e outros bens e serviços básicos que afetam a segurança dos alimentos, a saúde e a nutrição água potável,

Leia mais

CD EU QUERO DEUS. 01- EU QUERO DEUS (Irmã Carol) 02- SIM, SIM, NÃO, NÃO (Irmã Carol)

CD EU QUERO DEUS. 01- EU QUERO DEUS (Irmã Carol) 02- SIM, SIM, NÃO, NÃO (Irmã Carol) CD EU QUERO DEUS 01- EU QUERO DEUS (Irmã Carol) EU QUERO DEUS \ EU QUERO DEUS SEM DEUS EU NÃO SOU NADA EU QUERO DEUS Deus sem mim é Deus \ Sem Deus eu nada sou Eu não posso viver sem Deus \ Viver longe

Leia mais

Flavia Mariano. Equilíbrio. a vida não faz acordos. 1ª Edição POD

Flavia Mariano. Equilíbrio. a vida não faz acordos. 1ª Edição POD Flavia Mariano Equilíbrio a vida não faz acordos 1ª Edição POD Petrópolis KBR 2011 Edição e revisão KBR Editoração APED Capa KBR Imagem da capa fotomontagem sobre arquivo Google Copyright 2011 Flavia Mariano

Leia mais

Princípios de Fé Estudo 1

Princípios de Fé Estudo 1 Estudo 1 1 Tema: A fé e a comunhão Texto Base: o que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com

Leia mais

Lista de Diálogo - Cine Camelô

Lista de Diálogo - Cine Camelô Lista de Diálogo - Cine Camelô Oi amor... tudo bem? Você falou que vinha. É, eu tô aqui esperando. Ah tá, mas você vai vir? Então tá bom vou esperar aqui. Tá bom? Que surpresa boa. Oh mano. Aguá! Bolha!

Leia mais

WebNovela Ligadas pelo Coração Capítulo 21

WebNovela Ligadas pelo Coração Capítulo 21 WebNovela Ligadas pelo Coração Capítulo 21 Cena 17 Jardim da casa dos Di Biasi/ Dia/ Externa O noivo já está no altar junto com os padrinhos e seus pais. Eis que a marcha nupcial toca e lá do fundo do

Leia mais

Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007

Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007 Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007 Meus queridos brasileiros e brasileiras, É com muita emoção

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau , Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita às obras da usina hidrelétrica de Jirau Porto Velho-RO, 12 de março de 2009 Gente, uma palavra apenas, de agradecimento. Uma obra dessa envergadura não poderia

Leia mais

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing White Paper Boas Práticas de E-mail Marketing Saiba como alguns cuidados simples podem melhorar os resultados de suas campanhas de e-mail marketing Para garantir a qualidade no mix de comunicação atual,

Leia mais

ESTUDO SOBRE FRUTIFICAÇÃO: JOÃO 15:5-15

ESTUDO SOBRE FRUTIFICAÇÃO: JOÃO 15:5-15 ESTUDO SOBRE FRUTIFICAÇÃO: JOÃO 15:5-15 TEMA DIA 30/01/2011 MOVER PROFÉTICO Deus não é aquele que dizemos ser o nosso deus, DEUS é aquele a quem adoramos a quem dedicamos mais tempo da nossa vida na sua

Leia mais

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque Fantasmas da noite Uma peça de Hayaldo Copque Peça encenada dentro de um automóvel na Praça Roosevelt, em São Paulo-SP, nos dias 11 e 12 de novembro de 2011, no projeto AutoPeças, das Satyrianas. Direção:

Leia mais

SUA APARIÇÃO E SUA VINDA

SUA APARIÇÃO E SUA VINDA SUA APARIÇÃO E SUA VINDA QUAL É A DIFERANÇA ENTRE SUA APARIÇÃO E SUA VINDA I Timóteo 6.14Que guardes este mandamento sem mácula e repreensão, até à aparição de nosso Senhor Jesus Cristo; Tito 2.13 13 Aguardando

Leia mais

Pós-Modernismo. Literatura Professor: Diogo Mendes 19/09/2014. Material de apoio para Aula ao Vivo. Texto I. Poema Brasileiro

Pós-Modernismo. Literatura Professor: Diogo Mendes 19/09/2014. Material de apoio para Aula ao Vivo. Texto I. Poema Brasileiro Pós-Modernismo Texto I Poema Brasileiro No Piauí de cada 100 crianças que nascem 78 morrem antes de completar 8 anos de idade No Piauí de cada 100 crianças que nascem 78 morrem antes de completar 8 anos

Leia mais

O Menino do Futuro. Dhiogo José Caetano

O Menino do Futuro. Dhiogo José Caetano O Menino do Futuro Dhiogo José Caetano 1 Início da história Tudo começa em uma cidade pequena do interior de Goiás, com o nome de Uruana. Havia um garoto chamado Dhiogo San Diego, um pequeno inventor que

Leia mais

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP GIS Gertran Integration Suite Guia de T ransferência de Arquivos Entidade x DATAPREV Versão 1.0 HTTPS G I S G ui a de T ra n sf er ên ci a d e Ar qu i vo s 1/ 8 ÍNDICE ANALÍT ICO 1. INTRODU ÇÃO......4

Leia mais

o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te s t o rn e m -s e a u tô no m o s.

o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te s t o rn e m -s e a u tô no m o s. O r ie n ta ç õ e s In i ci ai s E u, R ic k N e ls o n - P e rs on a l & P rof e s s io n al C o a c h - a c re dito qu e o o bje tiv o f in a l d o C oa c h in g é fa z e r c o m qu e o s c lie n te

Leia mais

Por Carol Alvarenga, em 17 de junho de 2014, 15h Esquemaria.com.br

Por Carol Alvarenga, em 17 de junho de 2014, 15h Esquemaria.com.br Esquemaria.com.br / Dicas de estudos / 4 mitos sobre estudos: saiba mais como evitar estes erros Talvez você conheça estes mitos sobre estudos, mas você sabe a verdade por trás deles? Hoje eu trago um

Leia mais

As 12 Vitimas do Medo.

As 12 Vitimas do Medo. As 12 Vitimas do Medo. Em 1980 no interior de São Paulo, em um pequeno sítio nasceu Willyan de Sousa Filho. Filho único de Dionizia de Sousa Millito e Willian de Sousa. Sempre rodeado de toda atenção por

Leia mais

DOC: INF: DOC: INF: DOC: INF: DOC: INF: DOC: INF: DOC: INF: DOC

DOC: INF: DOC: INF: DOC: INF: DOC: INF: DOC: INF: DOC: INF: DOC Ficha Social Nº 184 Informante: R.S.O Idade: 73 anos Sexo: Masculino Escolarização: 1º série/1º grau Localidade: Caririaçu Profissão: Diretor Documentadora: Verinha A Leite. Transcritora: Raquel de Lima

Leia mais

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário Capítulo 10 Controle Orçamentário Essa etapa acon te ce após a exe cu ção das tran sa ções dos even tos eco nô mi cos pre vis - tos no plano orça men tá rio. Não se con ce be um plano orça men tá rio sem

Leia mais

Consagração do Aposento. Hinos de DESPACHO Hinos de CONCENTRAÇÃO Hinário CRUZEIRINHO Mestre Irineu Hinos de ENCERRAMENTO

Consagração do Aposento. Hinos de DESPACHO Hinos de CONCENTRAÇÃO Hinário CRUZEIRINHO Mestre Irineu Hinos de ENCERRAMENTO Oração Pai Nosso Ave Maria Chave Harmonia Hinos da ORAÇÃO Consagração do Aposento Hinos de DESPACHO Hinos de CONCENTRAÇÃO Hinário CRUZEIRINHO Mestre Irineu Hinos de ENCERRAMENTO Pai Nosso - Ave Maria Prece

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

Tenho Sede - Gilberto Gil

Tenho Sede - Gilberto Gil Tenho Sede - Gilberto Gil Traga-me um copo d'água, tenho sede E essa sede pode me matar Minha garganta pede um pouco d'água E os meus olhos pedem teu olhar A planta pede chuva quando quer brotar O céu

Leia mais

Músicas Para Casamento

Músicas Para Casamento Músicas Para Casamento 01. Você e Eu - Eliana Ribeiro 7M 7M C#m7 F#7/5+ F#7 Bm7 Quero estar com você, / Lembrar de cada momento bom; C#m7 m7 C#m7 #m7 Em7 7/9 Reviver a nossa história, nosso amor. 7M #m7/5-

Leia mais

PESQUISA DE CABELEIREIRA/TÉCNICO DE ESTÉTICA:

PESQUISA DE CABELEIREIRA/TÉCNICO DE ESTÉTICA: Fundo Perpétuo de Educação PESQUISA DE CABELEIREIRA/TÉCNICO DE ESTÉTICA: Os depoimentos, ensinamentos e metas dos participantes mais bem sucedidos. A escolha da escola fez a diferença na sua colocação

Leia mais