Fiorella Del Bianco. Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fiorella Del Bianco. Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto."

Transcrição

1 Fiorella Del Bianco Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto. Objetivo: Nesta aula, o aluno conhecerá os estágios iniciais do ciclo de vida do produto (CVP), que são de introdução e de crescimento. Serão apresentadas suas principais características e as estratégias mais adequadas para cada marketing mix. Os conceitos e ferramentas, vistos nos módulos dois e três, são fundamentais para diferenciar adequadamente a oferta perante o mercado consumidor e a concorrência. É necessário complementá-los, conhecendo as diferentes características de cada estágio, pelo qual passará a oferta após seu lançamento no mercado, até seu desaparecimento. Esse trajeto, percorrido pela oferta, é denominado ciclo de vida do produto. Você sabia que: As ofertas podem ser comparadas aos seres vivos: Nascem; crescem; amadurecem; envelhecem até o seu desaparecimento. A diferença, nesse caso, é que os bons produtos e serviços ao atingirem a maturidade, podem se tornar perenes! De acordo com Kotler, os estágios do ciclo de vida do produto são: introdução, crescimento, maturidade e declínio. Outros autores apresentam denominações diferentes, assim como alguns apresentam conceitos ligeiramente diversos. Portanto, no decorrer desse módulo, seguiremos a linha conceitual, adotada por Philip Kotler em seus livros. Vejamos, inicialmente, a representação gráfica do ciclo de vida do produto e suas divisões por estágio. Tendo em mente o desenho em forma de sino, que corresponde à maioria das trajetórias percorridas pelas ofertas, sejam bens ou serviços. 1 1

2 Vale lembrar que há produtos específicos, em determinados mercados, que possuem trajetórias totalmente diferentes. Comportamento das vendas e lucros da oferta durante o CVP Fonte: Adaptação da autora com base em Kotler (2000, p. 326), Figura 10.4 Ciclos de vida de vendas e lucros. A curva, representada pela linha vermelha, refere-se ao nível de vendas do produto em cada estágio do ciclo de vida do produto (CVP), já a curva, representada pela linha azul, demonstra o comportamento dos lucros em cada estágio. É possível observar que o comportamento da lucratividade não se reflete na mesma proporção com relação ao comportamento das vendas. A explicação para este fato está nas características inerentes a cada estágio, as quais devem ser conhecidas e consideradas pelo profissional de marketing ao estabelecer as estratégias para um plano de marketing, evitando assim eventuais falhas nos cálculos do retorno financeiro previsto para a oferta. Agora, podemos passar à análise dos estágios do ciclo de vida do produto. Primeiro estágio: introdução 2

3 Características gerais do estágio de introdução É o momento do lançamento de um novo produto no mercado. Atenção ao fato de que um novo produto não necessita ser, obrigatoriamente, uma inovação total. Ou seja, ser o primeiro em sua categoria, pode ser um produto que está sendo reposicionado no mercado através da identificação de uma lacuna no mercado. Ou, por exemplo, lançando apenas uma nova variedade de sabor como estratégia de extensão de linha de produtos para agregar um novo valor inesperado à oferta (todas as estratégias destacadas em negrito foram apresentadas nos módulos dois e três). Baixo crescimento (vendas): Suas vendas são restritas, pois o público-alvo ainda está tomando conhecimento da oferta e de seu benefício. Principalmente no caso de produtos totalmente inovadores, os primeiros a comprá-los são os consumidores com o perfil de adotantes inovadores, ou adotantes imediatos (aqueles que não resistem a uma novidade, querem ser os primeiros a experimentá-la), esses, porém, representam uma minoria da população, de forma geral, a maior parte dos consumidores precisa sentir confiança na oferta primeiro para que passe a consumi-la. Existe uma relutância natural dos consumidores em mudar os hábitos de compra, é necessário desenvolver um processo de conscientização sobre os valores do produto por meio de uma estratégia adequada de comunicação. Outra característica que requer tempo, investimento e negociação é a distribuição do produto no mercado para suprir os canais intermediários e pontos de venda. Baixos lucros (ou prejuízo): São um reflexo das grandes despesas com pesquisas e desenvolvimento (P&D), que ocorrem antes de o produto ser colocado no mercado para a comercialização e dos processos de distribuição, divulgação e promoção iniciais, os quais requerem grandes investimentos. A baixa lucratividade também ocorre em função do baixo nível de vendas iniciais da oferta. Pouco ou nenhum concorrente: Não é uma regra geral! Aplica-se apenas aos casos de produtos que adotam as estratégias de posicionamento: o primeiro em sua categoria e identificação de uma lacuna no mercado, pois são ofertas realmente inovadoras que, no momento inicial do CVP, não encontram concorrência direta no mercado em função dos altos investimentos e do alto risco normalmente inerente às inovações. 3 3

4 É possível lançar um produto com novos valores inesperados no mercado, como uma extensão de linha. Imagine, por exemplo, o lançamento de uma nova opção de biscoitos por uma marca já estabelecida no mercado. Ela lançará seu novo produto em um mercado já estabelecido e com diversos concorrentes, logo, a única forma de sobreviver será adotando uma estratégia de Pacote de Valores IDEAL para seu mercado consumidor. Preços: Com um nível de produção pequeno (conforme o tipo de estratégia de posicionamento adotada) e altos custos de desenvolvimento, a tendência neste estágio seria o estabelecimento de preços altos.. Há, porém, muitas empresas que adotam a estratégia de preços baixos (também denominada: preço de penetração no mercado), em que o objetivo é garantir rápido aumento na participação de mercado, visando atingir a liderança antes de seus concorrentes. Trata-se de uma estratégia apropriada para o lançamento de ofertas em mercados já existentes com diversos concorrentes estabelecidos e também, bastante adequada para criar uma barreira de entrada a novos concorrentes em razão da baixa lucratividade proporcionada. Com esse tipo de estratégia, a lucratividade inicial é prejudicada, mas a finalidade é oferecer incentivo adicional aos consumidores potenciais, levandoos a experimentarem a oferta para que possam perceber os reais diferenciais com relação aos outros produtos do mercado (valores agregados inesperados), aumentando assim as chances para que decidam por sua marca como primeira escolha. No próximo estágio do CVP, com um consumidor já fidelizado, é possível aumentar paulatinamente os preços até a obtenção da margem de lucratividade desejada. Todas as opções de estratégias de preços, analisadas no módulo três e denominadas posicionamentos de valor agregado X preço, são válidas como estratégias de preços para o estágio de introdução (assim como para todos os demais). A definição da estratégia deve estar baseada na análise prévia do mercado, do consumidor, de concorrente etc... Estratégias para uma relação preço e promoção (baseada em Kotler): Penetração rápida no mercado : significa preço baixo com muita comunicação, indicada para o lançamento de um produto totalmente novo em um grande mercado de massa (sensível a preço), com fortíssima concorrência, visando ganhos em escala. Penetração lenta no mercado : significa preço baixo com pouca comunicação, indicada para o lançamento de um produto em uma categoria já conhecida pelo mercado. Essa estratégia também tem como foco o mercado de massa (sensível a preço) e os ganhos em escala, porém com pouca concorrência. 4

5 Skimming rápido : lançamento de um novo produto em uma categoria de produto nova com preço alto e com muita comunicação. É indicado para lançamentos de produtos diferenciados, pois os consumidores alvo passam a desejá-los e pagam o preço alto para serem os primeiros a desfrutarem da oferta, há um bom mercado potencial, porém há também muita concorrência. Skimming lento : lançamento de um novo produto, em uma categoria já conhecida pelo mercado com preço alto e com pouca comunicação para um mercado limitado e pouca concorrência. O significa exatamente a estratégia de Skimming? Também chamada de Estratégia da Nata, ou ainda Desnatamento do Mercado, é utilizada no lançamento de produto de alta tecnologia a um preço alto para extrair o máximo da camada mais alta do mercado (por esse motivo, chama-se nata ) e posteriormente, os preços são diminuídos para atenderem os demais níveis do mercado, mas ao mesmo tempo como um ciclo constante, a empresa lança novos produtos com tecnologia de ponta para atender às novas expectativas da nata. Esta estratégia é indicada sob as seguintes condições: Público consumidor de um segmento específico (a nata ) insensível a preço. Não prevê concorrência em curto prazo, apropriada para produtos com alta tecnologia aplicada (fortes investimentos em P&D - altas barreiras de entrada). Os compradores são limitados, o mercado é restrito, porém o produto possui alta rentabilidade dentro de um preço aceitável pelo seu público alvo. Os consumidores inovadores estão dispostos a pagar caro para serem os primeiros a utilizá-lo (exclusividade). Este público é ávido por inovações freqüentes, portanto se sua empresa opta pela estratégia de skimming e deseja atuar com esse perfil específico de consumidor, deverá apresentar constantemente inovações para essa nata antes que a concorrência o faça. Cada lançamento com nova tecnologia aplicada deverá apresentar o valor inesperado da oferta para esse público. Como estamos referindo-nos a produtos com alta tecnologia, no mercado atual esses produtos tornam-se obsoletos com rapidez. O profissional de marketing deve programar a obsolescência da oferta, estabelecendo o momento de retirá-la do público com alto poder aquisitivo, reduzindo ligeiramente os preços e disponibilizando assim a oferta à próxima camada sócio-econômica do mercado. Ao mesmo tempo, a empresa lançará um novo produto com a mais nova tecnologia para a nata e assim sucessivamente, até que a primeira versão da oferta atinja a massa da população com preços baixíssimos porém com alta lucratividade no decorrer de todo o processo. Grande parte do investimento realizado é recuperada desde o lançamento. 5 5

6 Para exemplificar, pense nos aparelhos telefônicos celulares. Não há modelos sofisticados (com alta tecnologia aplicada) que são lançados com preços proibitivos? Isso acontece porque esses modelos são inacessíveis para a classe sócio-econômica intermediária, apenas a nata tem acesso a eles. Esses aparelhos, inicialmente, são direcionados especificamente para a nata. Assim que são desenvolvidas novas tecnologias que possam ser aplicadas para a criação de um novo aparelho celular substituto, o modelo anterior terá seu preço diminuído e simultaneamente um novo aparelho é lançado no mercado. Novamente, com um preço tão diferenciado quanto sua tecnologia de ponta. Aquele modelo anterior continuará tendo seu preço paulatinamente diminuído, conforme o ciclo se repete e novos lançamentos são oferecidos à nata, até que o modelo antigo chegue à massa com valores bastante acessíveis. Nesse momento, o aparelho estará com tecnologia bastante obsoleta. Pioneirismo (prós e contras): Os pioneiros desenvolvem um forte predomínio no mercado através da fixação de marca e maiores participações de mercado (ex.: Coca-Cola, Kodak, Xerox etc.). Apesar de ser muito vantajoso, o pioneirismo é arriscado e caro. As empresas que chegam depois têm mais tempo para testarem a tecnologia e realizarem alterações a fim de obterem melhor adequação do produto. A estratégia escolhida deve estar relacionada à capacidade de investir pesadamente em pesquisas e desenvolvimento de forma a garantir que a inovação não seja rapidamente copiada. Principal objetivo de marketing para o estágio de introdução: Criar a consciência do produto, provocar interesse e curiosidade no público consumidor, levando-o à experimentação e ao consumo do produto. Estratégias para o marketing mix (4 Ps), no estágio de introdução: Produto: alto risco iniciar com pouca variedade para testar o mercado e quando possível, com produtos inovadores, porém sempre agregados a valores inesperados. Preço: estratégia de skimming (para produtos de alta tecnologia), estratégia de penetração (mercado de massa), ou outras (mais por mais, mais pelo mesmo, mais por menos etc.). Distribuição: alto investimento iniciar com poucos canais de distribuição, pontos de vendas selecionados (ex.: Pepsi Twist - somente no mercado Rio Grande do Sul como teste, para verificar a aceitação). 6

7 Propaganda: alto investimento para tornar o produto conhecido e estimular a experimentação do lançamento, as ferramentas utilizadas podem ser: publicidade, promoção no ponto de venda (displays, promotoras, degustação ou demonstração), relações públicas, entre outras. Para serviços, a propaganda e as promoções devem incentivar a utilização. O foco é informar as características e benefícios da nova oferta aos consumidores, distribuidores, varejistas etc.. 2º estágio: crescimento Rápido crescimento nas vendas: Adotantes imediatos gostam do produto, repetem a compra e influenciam outros consumidores a comprarem. A demanda da oferta começa a crescer rapidamente. Chamando a atenção da concorrência, por este motivo, neste estágio surgem diversos novos concorrentes motivados pelas ótimas oportunidades de expansão apresentadas ao mercado. Em função dos lançamentos da concorrência, os produtos começam a sofrer pequenas alterações para se diferenciar dos novos entrantes e para manter o valor inesperado, na percepção do seu público-alvo. Saiba + Como saber o momento em que a oferta passa para o estágio de crescimento? É difícil identificar, exatamente, em qual momento o seu produto entra efetivamente no estágio de crescimento. Há dois indícios principais: forte aumento na taxa de crescimento das vendas e a entrada de diversos concorrentes. No caso de um mercado com concorrência já estabelecida, o sinal é a concorrência copiando (ou tentando copiar) o seu valor inesperado. 7 7

8 Lucros crescentes: Os lucros da empresa aumentam porque os custos passam a ser diluídos em um volume maior de vendas, ou seja, a oferta terá menor custo unitário. Os investimentos com comunicação são mantidos ou aumentados com relação ao estágio anterior e também são diluídos com o aumento no volume de vendas. A estratégia de preços para este estágio está diretamente relacionada à estratégia de preços estabelecida para o lançamento, a análise de retorno financeiro já contemplará a possível alteração do preço final ao consumidor (aumento, manutenção ou redução) conforme a definição da margem de lucratividade esperada, considerando-se o significativo aumento das vendas do estágio de crescimento. Estratégias de expansão: Melhorias na qualidade do produto (novas características, estilo etc.) com o objetivo de diferenciar-se da concorrência e manter o valor agregado identificado no lançamento pelo seu consumidor. Cuidado: qualquer diferenciação, realizada no produto neste estágio, não deve descaracterizá-lo com relação à oferta original (aquela apresentada ao mercado no estágio de introdução), pois se as vendas dispararam, significa que seu público alvo percebeu sua oferta como algo que atende a seus desejos e necessidades. Se a melhoria descaracterizar a proposta principal de seu produto, o consumidor pode não reconhecer mais a oferta como algo importante para ele. Dessa forma, a melhor opção é desenvolver novos modelos e produtos dentro da mesma linha (diferentes tamanhos, sabores, funções etc.); Com relação a expansão, na distribuição da oferta, esse é o momento para ampliar a cobertura geográfica de distribuição e também a identificação de novos intermediários. No estágio anterior, os canais de distribuição, assim como as localidades para a distribuição, foram cuidadosamente selecionados de forma que tivessem uma boa parcela representativa do público alvo, principalmente de adotantes inovadores. Com a confirmação da aceitação do novo produto através do aumento das vendas, deve-se disponibilizar o produto para uma parcela maior do mercado, por exemplo, colocando o produto em outras cidades não atingidas anteriormente. Principais objetivos de marketing: A empresa deve decidir entre alta participação de mercado, ou lucratividade. Sacrificar uma grande lucratividade, no estágio de crescimento, pode possibilitar sua manutenção na liderança com grande participação de mercado. A comunicação da oferta deve ser ajustada ao objetivo de estabelecer a preferência pela sua marca e não mais pelo produto genérico, já que existem diversos concorrentes. 8

9 Estratégias para o marketing mix (4 Ps) para o estágio de crescimento: Produto: ampliações na oferta como extensões de linha (cor, perfumes, sabores, tamanhos). Deve-se aproveitar o forte crescimento para apresentar com maior ênfase os diferenciais e valores, estabelecendo o posicionamento do produto na mente do consumidor. Preço: manutenção da estratégia do estágio anterior e aumento ou redução, conforme a reação dos concorrentes e dos consumidores. Distribuição: intensiva mercado. visando ampliar ao máximo a participação no Propaganda: manter a mesma intensidade ou aumentá-la para uma adequação à nova estratégia de distribuição, A mensagem comunicada deve ter enfoque para a preferência da marca. No estágio de crescimento, não é aconselhável a utilização de promoção de vendas, pois o principal objetivo da promoção é incentivar a experimentação ou realizar um up-grade nas vendas em função de queda ou estabilização, assim, não se justifica a utilização a promoção de vendas em um estágio com forte crescimento das vendas. KOTLER, Philip. Administração de Marketing: a edição do novo milênio. 10. ed. Págs. 326 a 337. COBRA, Marcos. Administração de marketing. 2. ed. Págs. 395 a 403. ETZEL, Michael J.; WALKER, Bruce J.; SANTON, Wiliam J. Marketing. 11. ed. Págs. 230 a 237. BIBLIOGRAFIA Bibliografia básica COBRA, Marcos. Administração de marketing. 2.ed. São Paulo: Atlas, KOTLER, Philip. Administração de Marketing: a edição do novo milênio. 10.ed. São Paulo: Prentice Hall, SEMENIK, Richard J.; BAMOSSY, Gary J.. Princípios de Marketing: uma perspectiva global. São Paulo: Makron Books, Bibliografia complementar KOTLER, Philip. Marketing para o século XXI: como criar, conquistar e dominar mercados. São Paulo: Futura,

10 ANOTAÇÕES 10

Fiorella Del Bianco. 3º estágio: maturidade. Tema: Estágios de maturidade e declínio do ciclo de vida do produto.

Fiorella Del Bianco. 3º estágio: maturidade. Tema: Estágios de maturidade e declínio do ciclo de vida do produto. Fiorella Del Bianco Tema: Estágios de maturidade e declínio do ciclo de vida do produto. Objetivo: Nessa aula o aluno conhecerá em detalhes os estágios de maturidade e declínio do ciclo de vida do produto

Leia mais

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO.

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. 1 ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. Juliana da Silva RIBEIRO 1 RESUMO: O presente trabalho enfoca as estratégias das operadoras de telefonia móvel TIM,VIVO e CLARO

Leia mais

Tema: Apresentação de alguns conceitos de posicionamento. Posicionamento: uma batalha por sua mente, além das definições de Philip Kotler.

Tema: Apresentação de alguns conceitos de posicionamento. Posicionamento: uma batalha por sua mente, além das definições de Philip Kotler. Fiorella Del Bianco Tema: Apresentação de alguns conceitos de posicionamento. Objetivo: Através desta aula o aluno obterá o conhecimento de algumas opções de estratégias para posicionar adequadamente a

Leia mais

10.1. Estratégias para desenvolvimento de novos produtos

10.1. Estratégias para desenvolvimento de novos produtos Módulo 10. Planejamento de novos produtos Uma economia sofrendo as conseqüências de um mercado globalizado, onde a concorrência não dorme nem perdoa atrasos ou percalços. Esta é o macro ambiente onde estão

Leia mais

Administração Estratégica

Administração Estratégica introdução Administração Estratégica 2. OPORTUNIDADES E AMEAÇAS DO AMBIENTE EXTERNO A administração estratégica envolve três níveis de análise: O Macroambiente da empresa. O Setor que a empresa opera.

Leia mais

Fiorella Del Bianco. Roteiro para o desenvolvimento de novas ofertas. Posicionamento de produto e de marca

Fiorella Del Bianco. Roteiro para o desenvolvimento de novas ofertas. Posicionamento de produto e de marca Fiorella Del Bianco Roteiro para o desenvolvimento de novas ofertas Tema: Passos e estratégias mercadológicas para o desenvolvimento de novas ofertas (DNO). Objetivo: Esta aula visa apresentar os últimos

Leia mais

Como identificar, vender e comercializar com os prospectos de pequenas empresas Parte 3/3

Como identificar, vender e comercializar com os prospectos de pequenas empresas Parte 3/3 Como identificar, vender e comercializar com os prospectos de pequenas empresas Parte 3/3 A pequena empresa é um mercado massivo em importante crescimento, que alcançou uma maturidade em termos de oportunidade

Leia mais

Marketing, Planejamento e Desenvolvimento de Produto. Professor Carpi. 3.1 Produto 3.2 Preço 3.3 Praça 3.4 Promoção

Marketing, Planejamento e Desenvolvimento de Produto. Professor Carpi. 3.1 Produto 3.2 Preço 3.3 Praça 3.4 Promoção Professor Carpi 3. OS 4 P s DO MARKETING 3. OS 4 P s DO MARKETING 3.1 Produto 3.2 Preço 3.3 Praça 3.4 Promoção Preço Valor que o consumidor troca para obter benefícios por ele esperado. Funções e objetivos

Leia mais

Marketing Básico Capítulo II. O Composto de Marketing Os 4 P s

Marketing Básico Capítulo II. O Composto de Marketing Os 4 P s Marketing Básico Capítulo II O Composto de Marketing Os 4 P s O Produto Podemos definir produto como sendo o ator principal da relação de troca, onde o mesmo deve resultar como amplamente satisfatório

Leia mais

Prof. Wilson Real ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING

Prof. Wilson Real ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING Prof. Wilson Real ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING MARKETING Marketing vem da palavra MARKET que significa mercado. Logo, Marketing é a ação de comprar, vender ou produzir artigos para mercados específicos.

Leia mais

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR KOTLER, 2006 AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR. OS CANAIS AFETAM TODAS AS OUTRAS DECISÕES DE MARKETING Desenhando a estratégia

Leia mais

04/09/2014. Parte 10 GESTÃO EMPRESARIAL. Administração de marketing. Objetivos de aprendizagem. Conteúdo

04/09/2014. Parte 10 GESTÃO EMPRESARIAL. Administração de marketing. Objetivos de aprendizagem. Conteúdo Parte 10 GESTÃO EMPRESARIAL Administração de marketing Profº Adm.Cláudio Fernandes, Ph.D Ph.D em Business Administration - EUA www.claudiofernandes.com.br 1 Conteúdo Objetivos de aprendizagem Administração

Leia mais

Formação do Preço de Venda

Formação do Preço de Venda CURSO DE ADM - 5º PERÍODO - FASF Objetivo Refletir sobre a importância de se conhecer e identificar a FORMAÇÃO DE PREÇO, como fator determinante para a sobrevivência da exploração da atividade da empresa.

Leia mais

Felipe Oliveira, JPMorgan:

Felipe Oliveira, JPMorgan: Felipe Oliveira, JPMorgan: Bom dia a todos. Minha pergunta é em relação ao nível de despesa operacional, se você acredita conseguir, ao longo dos próximos trimestres, capturar no seu resultado operacional

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS PROFISSIONAL BÁSICO COMUNICAÇÃO SOCIAL

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS PROFISSIONAL BÁSICO COMUNICAÇÃO SOCIAL Questão n o 1 a) O candidato deverá apresentar seis dentre as seguintes vantagens: Domínio de tecnologia capaz de produzir bens preferidos por certas classes de compradores Aumento dos índices de qualidade

Leia mais

ELEMENTOS DO PLANO DE NEGÓCIOS

ELEMENTOS DO PLANO DE NEGÓCIOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ - CAMPUS DE PARNAÍBA CURSO: Técnico em Informática DISCIPLINA: Empreendedorismo PROFESSORA: CAROLINE PINTO GUEDES FERREIRA ELEMENTOS DO PLANO

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS MOMENTO ECONÔMICO Os investimentos dos Fundos de Pensão, e o PRhosper não é diferente, têm por objetivo a formação de capital para uso previdenciário, portanto, de longo prazo. Exatamente por essa razão,

Leia mais

MARKETING DE VENDAS. Maiêutica - Curso de Processos Gerenciais

MARKETING DE VENDAS. Maiêutica - Curso de Processos Gerenciais MARKETING DE VENDAS Alcioni João Bernardi Prof. Ivanessa Felicetti Lazzari Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Processos Gerenciais (EMD0130) Prática do Módulo IV 27/11/12 RESUMO Este trabalho

Leia mais

7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso

7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso 7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso Saiba como colocar o PINS em prática no agronegócio e explore suas melhores opções de atuação em rede. Quando uma empresa

Leia mais

Palavras-chave: Comunicação Estratégica; Composto de Marketing e micro e pequenas empresas.

Palavras-chave: Comunicação Estratégica; Composto de Marketing e micro e pequenas empresas. A COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA E O COMPOSTO DE MARKETING: UMA INTEGRAÇÃO DE SUCESSO NA GESTÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE JOÃO PESSOA Evalena Lima Cabral (1) ; Patrícia Morais da Silva (3), Mitchell Figueiredo

Leia mais

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA 1 TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA Alan Nogueira de Carvalho 1 Sônia Sousa Almeida Rodrigues 2 Resumo Diversas entidades possuem necessidades e interesses de negociações em vendas, e através desses

Leia mais

-Resumo- Marketing Internacional Professor Doutor Jorge Remondes. Joana Rita Rodrigues da Silva, Número 7989. Comunicação Empresarial, 2º ano

-Resumo- Marketing Internacional Professor Doutor Jorge Remondes. Joana Rita Rodrigues da Silva, Número 7989. Comunicação Empresarial, 2º ano Marketing Internacional Professor Doutor Jorge Remondes Joana Rita Rodrigues da Silva, Número 7989 Comunicação Empresarial, 2º ano -Resumo- As estratégias de marketing são uma aposta importante tanto para

Leia mais

Unidade I MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino

Unidade I MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino Unidade I MARKETING DE VAREJO E NEGOCIAÇÃO Profa. Cláudia Palladino O que é varejo Setor do comércio que vende diretamente para os consumidores finais. Fabricantes e atacadistas quando vendem para o consumidor

Leia mais

UNOCHAPECÓ Programação Econômica e Financeira

UNOCHAPECÓ Programação Econômica e Financeira Estruturas de mercado UNOCHAPECÓ Programação Econômica e Financeira Texto para Discussão 1 De acordo com a natureza do mercado em que estão inseridas, as empresas deparam-se com decisões políticas diferentes,

Leia mais

CAPITAL DE GIRO: ESSÊNCIA DA VIDA EMPRESARIAL

CAPITAL DE GIRO: ESSÊNCIA DA VIDA EMPRESARIAL CAPITAL DE GIRO: ESSÊNCIA DA VIDA EMPRESARIAL Renara Tavares da Silva* RESUMO: Trata-se de maneira ampla da vitalidade da empresa fazer referência ao Capital de Giro, pois é através deste que a mesma pode

Leia mais

Aula 12. Definição do Orçamento do Plano de Marketing. Profa. Daniela Cartoni

Aula 12. Definição do Orçamento do Plano de Marketing. Profa. Daniela Cartoni Aula 12 Definição do Orçamento do Plano de Marketing Profa. Daniela Cartoni Orçamento do Plano de Marketing Em paralelo ao plano de ação, é necessário que a empresa constitua um orçamento de apoio. Na

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO: COMPRA PESSOAL E COMPRA ONLINE RESUMO

ESTUDO COMPARATIVO: COMPRA PESSOAL E COMPRA ONLINE RESUMO ESTUDO COMPARATIVO: COMPRA PESSOAL E COMPRA ONLINE Maira Couto Curtinove 1 João Antonio Jardim Silveira 2 RESUMO O presente trabalho enfoca o conhecimento dos hábitos dos consumidores varejistas, quanto

Leia mais

Os 4 P s. P de PRODUTO

Os 4 P s. P de PRODUTO Os 4 P s P de PRODUTO O que é um Produto? Produto é algo que possa ser oferecido a um mercado para aquisição, uso ou consumo e que possa satisfazer a um desejo ou necessidade. Os produtos vão além de bens

Leia mais

PASSO-A-PASSO DO PROJETO EDUCACIONAL

PASSO-A-PASSO DO PROJETO EDUCACIONAL PASSO-A-PASSO DO PROJETO EDUCACIONAL 1 2 Projeto Gestão de Educacional 3 Canais 4 5 de 6 Mapa de competências Plano Desenvolvimento Gestão da Monitor/aval formação de ações implementação e ROI Diagnóstico

Leia mais

Administração Estratégica

Administração Estratégica Centro de Economia e Administração - CEA Administração Estratégica AULA 3 ANÁLISE SETORIAL Cinco forças competitivas básicas (Porter, 1980): Ameaça de novos concorrentes Intensidade de rivalidade Ameaça

Leia mais

DETERMINAÇÃO DO PREÇO NA EMPRESA

DETERMINAÇÃO DO PREÇO NA EMPRESA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS - UNICAMP INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS - IFCH DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E PLANEJAMENTO ECONÔMICO - DEPE CENTRO TÉCNICO ECONÔMICO DE ASSESSORIA EMPRESARIAL

Leia mais

Logística e Valor para o Cliente 1

Logística e Valor para o Cliente 1 1 Objetivo da aula Esta aula se propõe a atingir os seguintes objetivos: 1. Discutir a importância do gerenciamento da interface entre marketing e logística. 2. Reconhecer a necessidade de entender os

Leia mais

UNIDADE 3 Identificação de oportunidades

UNIDADE 3 Identificação de oportunidades UNIDADE 3 Identificação de oportunidades Provavelmente seja um dos maiores mitos sobre as novas idéias para negócios: a idéia deve ser única. Na realidade pouco importa se a idéia é única ou não, o que

Leia mais

5 Considerações finais

5 Considerações finais 5 Considerações finais A dissertação traz, como foco central, as relações que destacam os diferentes efeitos de estratégias de marca no valor dos ativos intangíveis de empresa, examinando criticamente

Leia mais

Desenvolvimento de Marcas Fortes. Criação de Brand Equity

Desenvolvimento de Marcas Fortes. Criação de Brand Equity Desenvolvimento de Marcas Fortes Criação de Brand Equity 1. O que é brand equity? Equity significa valor/patrimônio. Brand equity = valor da marca/patrimônio de marca. A American Marketing Association

Leia mais

A QUALIDADE DOS SERVIÇOS BANCÁRIOS NO BRASIL

A QUALIDADE DOS SERVIÇOS BANCÁRIOS NO BRASIL A QUALIDADE DOS SERVIÇOS BANCÁRIOS NO BRASIL RESUMO O setor bancário sofre crescente modificação no que tange aos seus canais de vendas e comunicação com os clientes. O atendimento, que era feito através

Leia mais

Gestão de. O que é Marketing? Steven Albuquerque. Steven Albuquerque DISCIPLINA. Conceituação de Marketing. Conceituação de Marketing 15/02/2016

Gestão de. O que é Marketing? Steven Albuquerque. Steven Albuquerque DISCIPLINA. Conceituação de Marketing. Conceituação de Marketing 15/02/2016 2 Gestão de Mestre em Administração Univ. Federal de Pernambuco - UFPE Master em International Business Universidad de Barcelona MBA em Estratégico Univ. Federal de Pernambuco - UFPE Administrador Univ.

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIO. EMPRESA (inserir logo) SET/14

PLANO DE NEGÓCIO. EMPRESA (inserir logo) SET/14 PLANO DE NEGÓCIO EMPRESA (inserir logo) SET/14 Índice 1 INTRODUÇÃO-Sumário Executivo 04 1.1 Identificação da Empresa 04 1.1.1 Histórico da empresa 04 1.1.2 Definição do modelo de negócio 05 1.1.3 Constituição

Leia mais

TÉCNICAS AVANÇADAS PARA CRIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE VALORIZAÇÃO DE MARCA

TÉCNICAS AVANÇADAS PARA CRIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE VALORIZAÇÃO DE MARCA TÉCNICAS AVANÇADAS PARA CRIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE VALORIZAÇÃO DE MARCA ALMEIDA, Gabriela Maria de. Discente do Curso de Administração de Empresas da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerencias MICHEL, Murillo

Leia mais

A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA COMO CRIADORA DE VANTAGEM COMPETITIVA

A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA COMO CRIADORA DE VANTAGEM COMPETITIVA A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA COMO CRIADORA DE VANTAGEM COMPETITIVA Paulo Alexandre da SILVA 1 Murilo Gustavo BOTT 2 Orientador: Prof.Alexandre Hideo SASSAKI 3 Resumo: Diante das constantes mudanças e dos intensos

Leia mais

1ºAgroMarketing O ALINHAMENTO DO PLANEJAMENTO DE MARKETING AO BUSINESS-PLAN DE EMPRESAS DO AGRONEGÓCIO. Mauricio Sampaio

1ºAgroMarketing O ALINHAMENTO DO PLANEJAMENTO DE MARKETING AO BUSINESS-PLAN DE EMPRESAS DO AGRONEGÓCIO. Mauricio Sampaio 1ºAgroMarketing O ALINHAMENTO DO PLANEJAMENTO DE MARKETING AO BUSINESS-PLAN DE EMPRESAS DO AGRONEGÓCIO Mauricio Sampaio Definições e Conceitos Visão Missão Administração Estratégica Planejamento Estratégico

Leia mais

Administração de Preços. Administração de Preços. Panorama para o tema Vamos definir preço e sua relação com o composto mercadológico;

Administração de Preços. Administração de Preços. Panorama para o tema Vamos definir preço e sua relação com o composto mercadológico; Panorama para o tema Vamos definir preço e sua relação com o composto mercadológico; O escopo da precificação e os métodos mais comuns, incluindo as principais táticas; Uma sugestão: amplie seu nível de

Leia mais

Design de Produtos. Marketing Prof. Donizete de Camargo. Posicionamento da oferta. Posicionamento da oferta. Vamos analisar:

Design de Produtos. Marketing Prof. Donizete de Camargo. Posicionamento da oferta. Posicionamento da oferta. Vamos analisar: Marketing Prof. Donizete de Camargo Design de Produtos Posicionamento da oferta Vamos analisar: Quais são os principais atributos diferenciadores de um produto? Como definir e comunicar um posicionamento

Leia mais

SEGMENTAÇÃO E TERCEIRA IDADE, UMA OPORTUNIDADE DE MERCADO

SEGMENTAÇÃO E TERCEIRA IDADE, UMA OPORTUNIDADE DE MERCADO 1 SEGMENTAÇÃO E TERCEIRA IDADE, UMA OPORTUNIDADE DE MERCADO Orientação: Drª. Arlete Eni GRANERO Mariana AYRES e Mohara VALLE 1 Resumo: Este artigo se propõe a discutir a relação entre a importância e as

Leia mais

MBA EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS

MBA EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS MBA EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 1 Prof. Martius v. Rodriguez y Rodriguez, pdsc. PRINCÍPIOS ANÁLISE ESTRATÉGICA (FOfA) BALANCED SCORECARD (BSC) EVOLUÇÃO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ESCOLAS DE PENSAMENTO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO SÓCIO ECONÔMICO FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ANA RUTH MESQUITA DOS SANTOS - 05010004901

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO SÓCIO ECONÔMICO FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ANA RUTH MESQUITA DOS SANTOS - 05010004901 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO SÓCIO ECONÔMICO FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ANA RUTH MESQUITA DOS SANTOS - 05010004901 SIDNEY SOARES DE LIMA 05010004401 TURMA: 01030 TURNO: NOITE PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

Bens duráveis: duram muito tempo como, por exemplo, casas, carros, etc.

Bens duráveis: duram muito tempo como, por exemplo, casas, carros, etc. A3 - Produto e Preço O que é produto? Produto é o conjunto de benefícios que satisfaz o desejo e/ou a necessidade do consumidor, pelo qual ele está predisposto a pagar em função da sua disponibilidade

Leia mais

FINOM- FACULDADE DO NOROESTE DE MINAS WOLTER FRANCISCO NEVES LIBERATO DE MATOS JUNIOR

FINOM- FACULDADE DO NOROESTE DE MINAS WOLTER FRANCISCO NEVES LIBERATO DE MATOS JUNIOR FINOM- FACULDADE DO NOROESTE DE MINAS WOLTER FRANCISCO NEVES LIBERATO DE MATOS JUNIOR QUALIDADE DO ATENDIMENTO NO SISTEMA BANCÁRIO BRASILEIRO Wolter Francisco Neves Liberato de Matos Júnior ESPERA FELIZ

Leia mais

Capítulo 2 Objetivos e benefícios de um Sistema de Informação

Capítulo 2 Objetivos e benefícios de um Sistema de Informação Capítulo 2 Objetivos e benefícios de um Sistema de Informação 2.1 OBJETIVO, FOCO E CARACTERÍSTICAS DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Os Sistemas de Informação, independentemente de seu nível ou classificação,

Leia mais

Prof. Marcopolo Marinho

Prof. Marcopolo Marinho Aula 05 Marketing Modelo E-C-D; Modelo de cinco forças de ameaças ambientais; Análise do Ambiente Externo; Ferramenta de mapeamento de processos e de planificação estratégica - 5w2h; O Plano Estratégico:

Leia mais

Objetivos das Famílias e os Fundos de Investimento

Objetivos das Famílias e os Fundos de Investimento Objetivos das Famílias e os Fundos de Investimento Objetivos das Famílias e os Fundos de Investimento Prof. William Eid Junior Professor Titular Coordenador do GV CEF Centro de Estudos em Finanças Escola

Leia mais

Entenda a tributação dos fundos de previdência privada O Pequeno Investidor 04/11/2013

Entenda a tributação dos fundos de previdência privada O Pequeno Investidor 04/11/2013 Entenda a tributação dos fundos de previdência privada O Pequeno Investidor 04/11/2013 Antes de decidir aplicar seu dinheiro em fundos de previdência privada, é preciso entender que é uma aplicação que

Leia mais

por que essa rede assusta os varejistas Confira no tablet mais informações sobre a Rede Dia% agosto 2015 SM.com.br 39

por que essa rede assusta os varejistas Confira no tablet mais informações sobre a Rede Dia% agosto 2015 SM.com.br 39 p e r a T e x t o a l e s s a n d r a m o r i t a a l e s s a n d r a. m o r i t a @ s m. c o m. b r divulgaçãoo v t Lojas localizadas perto da casa do consumidor e que praticam preços difíceis de copiar.

Leia mais

Desenvolvimento do Mix de Marketing

Desenvolvimento do Mix de Marketing Desenvolvimento do Mix de Marketing Mix de Marketing O composto de marketing é conhecido no escopo mercadológico como os 4Ps denominados por Jeronme Mc Carthy como: product, price, place e promotion. Na

Leia mais

INTRODUÇÃO AO TRADE MARKETING Fazendo a diferença no Ponto de Venda. www.pdvativo.com.br

INTRODUÇÃO AO TRADE MARKETING Fazendo a diferença no Ponto de Venda. www.pdvativo.com.br Fazendo a diferença no Ponto de Venda EBOOK Sumário Revisão O que é Trade Marketing? Entenda o Comportamento de Compra do Consumidor O que é Merchandising? Revisão Para entender sobre Trade Marketing devemos

Leia mais

Titulo Pesquisa e Criação em Moda. Autor Iara Mesquita da Silva Braga * Resumo

Titulo Pesquisa e Criação em Moda. Autor Iara Mesquita da Silva Braga * Resumo Titulo Pesquisa e Criação em Moda Autor Iara Mesquita da Silva Braga * Resumo A moda é um setor de mercado complexo, de vasta abrangência de atividades e significados. O atual profissional de moda deve

Leia mais

PROPOSTA DE UM MODELO DE ANÁLISE ESTRATÉGICA COM ENFOQUE EM MARKETING PARA EMPRESAS DE SERVIÇOS

PROPOSTA DE UM MODELO DE ANÁLISE ESTRATÉGICA COM ENFOQUE EM MARKETING PARA EMPRESAS DE SERVIÇOS PROPOSTA DE UM MODELO DE ANÁLISE ESTRATÉGICA COM ENFOQUE EM MARKETING PARA EMPRESAS DE SERVIÇOS Rogério Chimionato Escola de Engenharia de São Carlos - USP - Área de Engenharia de Produção - Av. Dr. Carlos

Leia mais

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR SUBSTITUTIVO AO PROJETO DE LEI Nº 29, DE 2007 (APENSOS OS PROJETOS DE LEI Nº 70, DE 2007, Nº 332, DE 2007 E Nº 1908, DE 2007) Dispõe sobre a comunicação audiovisual eletrônica

Leia mais

Fiorella Del Bianco. Tema: Estratégias para gerenciar filas de espera.

Fiorella Del Bianco. Tema: Estratégias para gerenciar filas de espera. Fiorella Del Bianco Tema: Estratégias para gerenciar filas de espera. Objetivo: Apresentar opções de estratégias para minimizar problemas gerados pelas esperas, como desconforto e insatisfação. Em termos

Leia mais

OS NEGÓCIOS LUCRO = VOLUME PRODUZIDO X PREÇO - CUSTO

OS NEGÓCIOS LUCRO = VOLUME PRODUZIDO X PREÇO - CUSTO OS NEGÓCIOS Odilio Sepulcri* INTRODUÇÃO A sobrevivência dos negócios, dentre outros fatores, se dará pela sua capacidade de gerar lucro. O lucro, para um determinado produto, independente da forma como

Leia mais

Aula 4. Objetivos Estratégicos e Metas

Aula 4. Objetivos Estratégicos e Metas Aula 4 Objetivos Estratégicos e Metas Profa. Ms. Daniela Cartoni daniela.cartoni@veris.edu.br Declarações Estratégicas Missão Visão Valores Planejamento Estratégico Plano Estratégico = Plano de Negócios

Leia mais

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing Questão 01: (ENADE 2009): Um fabricante de sapatos pode usar a mesma marca em duas ou mais linhas de produtos com o objetivo de reduzir os custos de

Leia mais

COMECE A TRABALHAR COM A INTERNET

COMECE A TRABALHAR COM A INTERNET COMECE A TRABALHAR COM A INTERNET Comece a trabalhar com a internet Trabalhar na internet se tornou um dos principais focos das pessoas nos dias atuais devido a possibilidade de operar em mercados distintos

Leia mais

Design Estratégico. Profa. Dra. Cristianne Cordeiro Nascimento criscordeiro@uel.br Universidade Estadual de Londrina

Design Estratégico. Profa. Dra. Cristianne Cordeiro Nascimento criscordeiro@uel.br Universidade Estadual de Londrina Profa. Dra. Cristianne Cordeiro Nascimento criscordeiro@uel.br Universidade Estadual de Londrina Design Estratégico Vamos ver neste final de semana... Criatividade e inovação, design e sociedade contemporânea.

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução O que são

Leia mais

Transcrição da Teleconferência Resultados do 3T09 - Inpar 18 de novembro de 2009

Transcrição da Teleconferência Resultados do 3T09 - Inpar 18 de novembro de 2009 Transcrição da Teleconferência Resultados do 3T09 - Inpar 18 de novembro de 2009 Bom dia, e obrigada por aguardarem. Sejam bem-vindos à teleconferência da Inpar para discussão dos resultados referentes

Leia mais

REVISANDO O CONCEITO E A EVOLUÇÃO DO MARKETING

REVISANDO O CONCEITO E A EVOLUÇÃO DO MARKETING PROGRAMA PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA PRIME GESTÃO MERCADOLÓGICA 2009 REVISANDO O CONCEITO E A EVOLUÇÃO DO MARKETING Todo comprador poderá adquirir o seu automóvel da cor que desejar, desde que seja preto.

Leia mais

Aula 08 Programas de Treinamento

Aula 08 Programas de Treinamento Aula 08 Programas de Treinamento Objetivos da aula: Conhecer os programas de desenvolvimento e métodos de treinamento utilizados nas empresas como sua política e prática de Recursos Humanos. Compreender

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO MARKETING (PROPAGANDA E PUBLICIDADE) EM PERÍODOS DE CRISE:

A IMPORTÂNCIA DO MARKETING (PROPAGANDA E PUBLICIDADE) EM PERÍODOS DE CRISE: A IMPORTÂNCIA DO MARKETING (PROPAGANDA E PUBLICIDADE) EM PERÍODOS DE CRISE: um caso de sucesso na empresa Jota Print Comunicação Visual na cidade de Muritiba Bahia Jamylle Carvalho Cardoso Correia 1 Jorge

Leia mais

Os rumos do Email Marketing

Os rumos do Email Marketing Marketing Os rumos do Email Marketing Confira alguns pontos que podem fazer a diferença na utilização desta ferramenta, como um maior investimento na equipe De 1 a 3 de fevereiro, tive a oportunidade de

Leia mais

Novos Modelos de Remuneração. José Cechin I Fórum ANAHP de Relacionamento com as Operadoras SP, 02 junho 2009

Novos Modelos de Remuneração. José Cechin I Fórum ANAHP de Relacionamento com as Operadoras SP, 02 junho 2009 Novos Modelos de Remuneração José Cechin I Fórum ANAHP de Relacionamento com as Operadoras SP, 02 junho 2009 Agenda Indivíduo - fim último dos cuidados médicos Objetivos da forma de remuneração Formas

Leia mais

FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING. Professor: Arlindo Neto

FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING. Professor: Arlindo Neto FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING Professor: Arlindo Neto Competências a serem trabalhadas GESTÃO DE MARKETING PUBLICIDADE E PROPAGANDA GESTÃO COMERCIAL FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM

Leia mais

ELEMENTOS BÁSICOS NA ELABORAÇÃO DO ORÇAMENTO DE CAPITAL

ELEMENTOS BÁSICOS NA ELABORAÇÃO DO ORÇAMENTO DE CAPITAL ELEMENTOS BÁSICOS NA ELABORAÇÃO DO ORÇAMENTO DE CAPITAL 16/08/2011 1 CAPITAL: Refere-se aos ativos de longo prazo utilizados na produção; ORÇAMENTO: é o plano que detalha entradas e saídas projetadas durante

Leia mais

Mas do ponto de vista do grosso, o grande percentual de discussões acumuladas e passadas que tínhamos, já está absolutamente eliminado.

Mas do ponto de vista do grosso, o grande percentual de discussões acumuladas e passadas que tínhamos, já está absolutamente eliminado. Carlos Macedo, Goldman Sachs: Bom dia. Obrigado pela oportunidade. Duas perguntas, a primeira se refere à sinistralidade em seguro de saúde. Na página sete do release, vocês falam de uma despesa extraordinária

Leia mais

CASE ANÁLISE DE PORTER

CASE ANÁLISE DE PORTER CASE ANÁLISE DE PORTER C onfidencialidade do documento. Neste documento será apresentada a Análise de Porter da empresa em questão, não sendo possível divulgar sua identidade, mas todos os dados necessários

Leia mais

Desempenho de Operações. EAD 0763 Aula 2 Livro Texto Cap.2 Leonardo Gomes

Desempenho de Operações. EAD 0763 Aula 2 Livro Texto Cap.2 Leonardo Gomes Desempenho de Operações EAD 0763 Aula 2 Livro Texto Cap.2 Leonardo Gomes Agenda da aula 1 Desempenho de operações 2 Estudo de caso Capítulo 2- Desempenho de Operações Desempenho de operações Como avaliar

Leia mais

3. O Mercado Consumidor

3. O Mercado Consumidor 3. O Mercado Consumidor Pode ser analisado as causas e conseqüências do mercado consumidor atual, baseado na elasticidade de mercado. Produtos com Alta Elasticidade possuem os seguintes elementos de análise:

Leia mais

Mercadologia capítulo IV

Mercadologia capítulo IV Mercadologia capítulo IV Por quanto vender? Muitas empresas, especialmente as varejistas, adotam a estratégia de redução de preços para aumentar suas vendas e não perder mercado para a concorrência. Mas

Leia mais

Boletim informativo: Brasil em Foco

Boletim informativo: Brasil em Foco mar/02 dez/02 set/03 jun/04 mar/05 dez/05 set/06 jun/07 mar/08 dez/08 set/09 jun/10 mar/02 dez/02 set/03 jun/04 mar/05 dez/05 set/06 jun/07 mar/08 dez/08 set/09 jun/10 Edição 3 Boletim informativo: Brasil

Leia mais

soluções inovadoras para desafios de negócios Manual explicativo do quadro do modelo de negócios passo a passo com exemplos

soluções inovadoras para desafios de negócios Manual explicativo do quadro do modelo de negócios passo a passo com exemplos soluções inovadoras para desafios de negócios Manual explicativo do quadro do modelo de negócios passo a passo com exemplos O quadro do modelo de negócios O Business Model Canvas (Quadro do Modelo de Negócios)

Leia mais

CONSUMO ALIENADO Desafios para os Profissionais do Século XXI

CONSUMO ALIENADO Desafios para os Profissionais do Século XXI CONSUMO ALIENADO Desafios para os Profissionais do Século XXI RESUMO Consumo é o ato de a sociedade adquirir algo para atender as suas necessidades e seus desejos. Quando a pessoa compra de uma forma para

Leia mais

Administração 7ª Série Administração Mercadológica

Administração 7ª Série Administração Mercadológica Administração 7ª Série Administração Mercadológica A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de etapas, acompanhadas pelo professor,

Leia mais

(PERREAULT JR.; McCARTHY, 2002)

(PERREAULT JR.; McCARTHY, 2002) Posicionamento de Mercado Parte 01 Visão do processo de planejamento de estratégias de marketing Estreitamento para uma estratégia focada com critérios de filtro quantitativos e qualitativos Consumidores

Leia mais

Rodobens é destaque no website Infomoney

Rodobens é destaque no website Infomoney Rodobens é destaque no website Infomoney Por: Conrado Mazzoni Cruz 19/04/07-09h55 InfoMoney SÃO PAULO - Atualmente, falar sobre o mercado imobiliário brasileiro é entrar na discussão sobre um possível

Leia mais

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES! A análise do desempenho histórico! Análise setorial! Análise de múltiplos! Elaboração de projeções de resultados! Determinação

Leia mais

A Análise dos Custos Logísticos: Fatores complementares na composição dos custos de uma empresa

A Análise dos Custos Logísticos: Fatores complementares na composição dos custos de uma empresa Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Engenharia de Custos e Orçamentos Turma 01 10 de outubro de 2012 A Análise dos Custos Logísticos: Fatores complementares na composição dos custos de uma

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso:

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso: PLANO DE NEGÓCIOS Causas de Fracasso: Falta de experiência profissional Falta de competência gerencial Desconhecimento do mercado Falta de qualidade dos produtos/serviços Localização errada Dificuldades

Leia mais

RISCO E RETORNO FINANCEIRO NAS DECISÕES EMPRESARIAIS Renata Foltran MANCINI 1 Hiroshi Wilson YONEMOTO 2

RISCO E RETORNO FINANCEIRO NAS DECISÕES EMPRESARIAIS Renata Foltran MANCINI 1 Hiroshi Wilson YONEMOTO 2 RISCO E RETORNO FINANCEIRO NAS DECISÕES EMPRESARIAIS Renata Foltran MANCINI 1 Hiroshi Wilson YONEMOTO 2 RESUMO: O presente artigo tem como objetivo desenvolver a reflexão sobre o Risco e Retorno Financeiro,

Leia mais

percorrem 60% do ciclo de compra antes mesmo de entrar em contato com a empresa

percorrem 60% do ciclo de compra antes mesmo de entrar em contato com a empresa O marketing digital está revolucionando a forma como as empresas conquistam clientes. Consumidores tornaram-se mais independentes e, segundo pesquisas na área, percorrem 60% do ciclo de compra antes mesmo

Leia mais

Unidade II RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS

Unidade II RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS Unidade II 2 TENDÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS 2.1 Gestão de compras 1 A gestão de compras assume papel estratégico na Era da competição global, devido ao volume de recursos envolvidos no processo,

Leia mais

CSU CardSystem - 2010

CSU CardSystem - 2010 CSU CardSystem - 2010 Considerações Iniciais Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários

Leia mais

LICENCIAMENTO: ALTO RETORNO COM BAIXO RISCO PARA QUEM QUER ABRIR UM NOVO NEGÓCIO

LICENCIAMENTO: ALTO RETORNO COM BAIXO RISCO PARA QUEM QUER ABRIR UM NOVO NEGÓCIO ebook LICENCIAMENTO: ALTO RETORNO COM BAIXO RISCO PARA QUEM QUER ABRIR UM NOVO NEGÓCIO IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO E QUALIDADE COM RAPIDEZ E BAIXO CUSTO. TAMBÉM PARA A PEQUENA EMPRESA. PROCESSO

Leia mais

COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO

COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO No Modelo de Plano de Negócio, disponível no seu ambiente do Concurso você terá um passo a passo para elaborar o seu Plano, bem como todo o conteúdo necessário

Leia mais

PREÇO DE VENDA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO

PREÇO DE VENDA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PREÇO DE VENDA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO Estabelecer o preço de venda é um dos mais importantes momentos nas decisões a serem implantadas na empresa. A simples questão Por quanto devem ser vendidos os serviços

Leia mais

Sejam bem-vindos. Como Elaborar um Plano de Negócios. Educação Sebrae. Unidade de Educação e Desenvolvimento da Cultura Empreendedora 1

Sejam bem-vindos. Como Elaborar um Plano de Negócios. Educação Sebrae. Unidade de Educação e Desenvolvimento da Cultura Empreendedora 1 Sejam bem-vindos Unidade de Educação e Desenvolvimento da Cultura Empreendedora 1 Curso 5 dias 1º 2º 3º 4º 5º Curso 10 dias OBJETIVOS 1º Apresentação do curso, empreendedorismo e CCE's 2º Cenário macroeconômico,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CENTRO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MAX ALEXANDRE AMERICO CANAL DE VENDA - INTERNET

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CENTRO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MAX ALEXANDRE AMERICO CANAL DE VENDA - INTERNET UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CENTRO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MAX ALEXANDRE AMERICO CANAL DE VENDA - INTERNET CURITIBA 2014 MAX ALEXANDRE AMERICO CANAL DE VENDA - INTERNET Monografia

Leia mais

Processos Administrativos de Compras

Processos Administrativos de Compras Processos Administrativos de Compras INTRODUÇÃO A função compras é um segmento essencial do Departamento de Materiais e Suprimentos, que tem pôr finalidade suprir as necessidades de materiais ou serviços

Leia mais

1. INTRODUÇÃO. Espero que faça um bom proveito do conteúdo e que, de alguma forma, este e-book facilite a sua decisão de adquirir um planejamento.

1. INTRODUÇÃO. Espero que faça um bom proveito do conteúdo e que, de alguma forma, este e-book facilite a sua decisão de adquirir um planejamento. 1. INTRODUÇÃO Muitas pessoas ficam em dúvida sobre o que considerar na hora de contratar um planejamento de estudos. Esta é uma dificuldade aceitável, tendo em vista que existem opções no mercado que não

Leia mais

17/10/2011. Construindo Planos de Negócios. Capítulo 1: Aspectos gerais do plano de negócios

17/10/2011. Construindo Planos de Negócios. Capítulo 1: Aspectos gerais do plano de negócios do plano Construindo Planos de Negócios 2011.2 Tipos Empresa de prestação de serviços Empresa de venda a varejo Empresa de vendas por atacado Distribuidora Empresa Industrial Empresa Mista do plano do

Leia mais

Uma empresa só poderá vender seus bens/serviços aos consumidores se dois requisitos básicos forem preenchidos:

Uma empresa só poderá vender seus bens/serviços aos consumidores se dois requisitos básicos forem preenchidos: Módulo 4. O Mercado O profissional de marketing deverá pensar sempre em uma forma de atuar no mercado para alcançar os objetivos da empresa. Teoricamente parece uma tarefa relativamente fácil, mas na realidade

Leia mais