ISS/SP: NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS ROTEIRO DE PROCEDIMENTOS FONTE: 13/07/2006. Líris Silvia Zoega Tognoli do Amaral

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ISS/SP: NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS ROTEIRO DE PROCEDIMENTOS FONTE: www.fiscosoft.com.br 13/07/2006. Líris Silvia Zoega Tognoli do Amaral"

Transcrição

1 ISS/SP: NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS ROTEIRO DE PROCEDIMENTOS FONTE: 13/07/2006. Líris Silvia Zoega Tognoli do Amaral I - Introdução A Prefeitura Municipal de São Paulo instituiu por meio da Lei nº /2005 a chamada Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - (NF-e), a ser utilizada exclusivamente pelos contribuintes do ISS estabelecidos em seu território. A instituição do sistema que gera a NF-e não possui qualquer relação com o projeto da "Nota Fiscal Eletrônica - NF-e" que vem sendo desenvolvido pelas Fazendas Estaduais e Receita Federal, no âmbito do CONFAZ (Ato COTEPE/ICMS CONFAZ 72/05), e que terá abrangência nacional. A Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - (NF-e) substituirá gradativamente as tradicionais Notas Fiscais impressas, conforme cronograma estabelecido pelo Fisco Municipal. Conforme veremos, existem contribuintes que devem utilizar obrigatoriamente o sistema e existem outros para os quais a adesão é opcional. É importante lembrarmos que conjuntamente com a instituição da NF-e também está sendo implantado o sistema de geração de créditos do ISS, que poderá ser utilizado para abatimento do valor do IPTU. Com isso, os tomadores de serviços (pessoas físicas e jurídicas) passarão cobrar do prestador a utilização do sistema, já que somente o ISS registrado na NF-e gerará crédito para o IPTU. II - Legislação Aplicável Os Atos legais que regulamentam a Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - (NF-e) são os seguintes: a) Lei nº /2005; b) Decreto nº /2006; c) Portaria SF nº 72/2006; d) Portaria SF nº 73/2006; e) Portaria nº 76/2006. III - Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - (NF-e) - Definição Legal Considera-se Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - (NF-e) o documento emitido e armazenado eletronicamente em sistema próprio da Prefeitura do Município de São Paulo, com o objetivo de registrar as operações relativas à prestação de serviços. Notas Fiscais convencionais são todos os demais modelos previstos no Regulamento do ISS. IV - Modelo da NF-e A Legislação instituiu um modelo para a Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - (NF-e) que deve conter as seguintes informações: a) número seqüencial; b) código de verificação de autenticidade; c) data e hora da emissão; d) identificação do prestador de serviços, com nome ou razão social, endereço e ; Inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas - CPF ou no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica - CNPJ; Inscrição no Cadastro de Contribuintes Mobiliários - CCM; e) identificação do tomador de serviços, com nome ou razão social; endereço e ; Inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas - CPF ou no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica - CNPJ; 1) A identificação do tomador de serviços é opcional se este for pessoa física; 2) O do tomador é opcional. f) discriminação do serviço; g) valor total da NF-e; h) valor da dedução, se houver; i) valor da base de cálculo; j) código do serviço; k) alíquota e valor do ISS; l) valor do crédito gerado para abatimento do IPTU, quando for o caso; m) indicação de isenção ou imunidade relativas ao ISS, quando for o caso; n) indicação de serviço não tributável pelo Município de São Paulo, quando for o caso; o) indicação de retenção de ISS na fonte, quando for o caso; p) número e data do documento emitido, nos casos de substituição. 1) A NF-e conterá, no cabeçalho, as expressões "Prefeitura do Município de São Paulo" e "Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - NF-e".

2 2) O número da NF-e será gerado pelo sistema, em ordem crescente seqüencial, sendo específico para cada estabelecimento do prestador de serviços. V - Quem está obrigado a utilizar a NF-e Para saber se está obrigado a utilizar a Nota Fiscal Eletrônica de Serviços o contribuinte deve: a) ter auferido no exercício de 2005, receita bruta de serviços igual ou superior a R$ ,00 (duzentos e quarenta mil reais). O valor de R$ ,00 corresponde a R$ ,00 por mês de faturamento. b) prestar um dos serviços previstos na Tabela de Serviços da Nota Fiscal Eletrônica de Serviços; O contribuinte deve enquadrar-se nos dois critérios para estar obrigado ao uso da NF-e. Analisaremos cada um desses critérios separadamente. V.1 - Faturamento - Receita Bruta Estão obrigados a utilizar a NF-e os prestadores dos serviços que auferiram, no exercício de 2005, receita bruta de serviços igual ou superior a R$ ,00 (duzentos e quarenta mil reais); A receita bruta será apurada considerando-se todos os estabelecimentos da pessoa jurídica situados no Município de São Paulo. 1) O prestador de serviços que iniciou a atividade em 2005 deverá considerar a receita bruta de serviços proporcionalmente ao número de meses decorridos entre o mês de início de atividade e o mês de dezembro do mesmo exercício. 2) Os prestadores dos serviços que iniciarem a atividade a partir de 2006, deverão apurar em janeiro de 2007 a receita bruta de serviços de 2006, relativamente a todos os estabelecimentos situados no Município de São Paulo, obrigando-se a emitir NF-e, a partir do próprio mês da apuração, caso a receita bruta de serviços apurada em 2006 seja igual ou superior a R$ ,00. Regra válida também para os prestadores dos serviços que não atingiram, no exercício de 2005, a receita bruta de serviços igual ou superior a R$ ,00. 3) A obrigatoriedade da emissão da NF-e não cessa caso o prestador venha a auferir, em determinado exercício, receita bruta de serviços inferior aos limites estabelecidos. V.2 - Tabela de Serviços para os quais a NF-e é obrigatória Conforme vimos, não basta que o contribuinte tenha faturado no ano de 2005 valor igual ou superior a R$ ,00 para estar obrigado a emitir a Nota Fiscal Eletrônica de Serviços. É preciso também que ele preste um dos serviços previstos na Tabela de Serviços da Nota Fiscal Eletrônica de Serviços. Clique aqui para consultar a Tabela de Serviços da Nota Fiscal Eletrônica de Serviços. Lembramos que o contribuinte somente estará obrigado a utilizar a Nota Fiscal Eletrônica de Serviços se atender aos dois requisitos concomitantemente, ou seja, faturamento e enquadramento na Tabela de Serviços da Nota Fiscal Eletrônica de Serviços. O contribuinte que estiver obrigado a emitir NF-e deverá fazê-lo para todos os serviços prestados. V.3 - A partir de quando deverá ser utilizada a NF-e A Prefeitura fixou um calendário para definir a data a partir da qual será obrigatória a utilização da Nota Fiscal Eletrônica de Serviços. Portanto, caso o contribuinte enquadre-se nos dois requisitos que analisamos, deverá utilizar obrigatoriamente a NF-e a partir da data fixada no referido calendário. Clique aqui para consultar o calendário da Nota Fiscal Eletrônica de Serviços. Na hipótese do contribuinte se enquadrar em mais de um código de prestação de serviços constante da tabela, deverá adotar, para todos demais códigos, a mesma data de início, assim considerada a mais próxima de 1º de junho de VI - Quem está dispensado e proibido de utilizar a NF-e Existem duas categorias de profissionais que estão dispensadas e ao mesmo tempo impedidas de utilizarem a Nota Fiscal Eletrônica de Serviços (NF-e). Não podem utilizar a NF-e: a) os profissionais autônomos; Os Autônomos recolhem o ISS pelo chamado Recolhimento. Neste sistema o Imposto é calculado sobre um valor fixo que independe do faturamento (preço do serviço). b) as seguintes sociedades de profissionais na forma do 1º do artigo 15 da Lei nº /2003. Estas sociedades recolhem ISS pelo chamado Recolhimento. Neste sistema o Imposto é calculado sobre um valor fixo que independe do faturamento (preço do serviço).

3 Os códigos de serviços correspondentes a esses tipos de sociedades são os seguintes: Código de Serviço Descrição Tributação Engenharia, agronomia, arquitetura, urbanismo e congêneres (regime especial - sociedade) Agrimensura, geologia e congêneres (regime especial - sociedade) Advocacia (regime especial - sociedade) Auditoria (regime especial - sociedade) Contador, técnico em contabilidade, guarda-livros e congêneres (regime especial - sociedade) Economistas (regime especial - sociedade) Medicina e biomedicina (regime especial - sociedade) Análises clínicas, patologia, eletricidade médica, radioterapia, quimioterapia, ultrasonografia, ressonância magnética, radiologia, tomografia e congêneres (regime especial - sociedade) Enfermagem, inclusive serviços auxiliares (regime especial - sociedade) Fisioterapia (regime especial - sociedade) Fonoaudiologia (regime especial - sociedade) Terapia ocupacional (regime especial - sociedade) Obstetrícia (regime especial - sociedade) Odontologia (regime especial - sociedade) Ortóptica (regime especial - sociedade) Próteses sob encomenda (regime especial - sociedade) Psicologia, clínica ou não (regime especial - sociedade) Medicina veterinária e zootecnia (regime especial - sociedade). As sociedades enquadráveis nos códigos de serviços mencionados nesta Tabela estão desobrigadas da emissão da Nota Fiscal Eletrônica de Serviços e ainda que queiram estão impedidas de utilizá-la. É importante esclarecermos que todas as demais sociedades, cujos códigos de serviços não estão na Tabela acima, recolhem o ISS calculado sobre o Preço do Serviço, razão pela qual ficam sujeitas às regras do sistema NF-e. Vale dizer, ou estarão obrigadas a emitir a NF-e ou poderão utilizá-la por opção.

4 VII - Quem pode optar pela utilização da NF-e Todos os prestadores de serviços inscritos no Cadastro de Contribuintes Mobiliários - CCM, desobrigados da emissão de NF-e, poderão optar por sua emissão, desde que não sejam autônomos ou sociedades de profissionais. Conforme adiantamos, somente o Imposto registrado por meio da NF-e gerará crédito de ISS para o tomador dos serviços, que poderá utilizá-lo para abatimento no valor do IPTU do ano seguinte. Por esta razão, esses tomadores passarão a exigir que o prestador passe a utilizar a Nota Fiscal Eletrônica de Serviços. VII.1 - Requisitos para optar pela utilização da NF-e Os contribuintes que embora desobrigados da utilização da NF-e, queiram optar pela sua utilização, deverão solicitar autorização da Secretaria Municipal de Finanças. Importante lembramos que: 1) os contribuintes que optarem pela utilização da NF-e ficam proibidos de emitir as Notas Fiscais tradicionais. 2) a opção uma vez deferida é irretratável, ou seja, o contribuinte não poderá mais utilizar as Notas Fiscais convencionais. Clique aqui para acessar a página oficial da Secretaria de Finanças que permitirá requerer a utilização da NF-e. Para acessar o requerimento o sistema exige que o contribuinte utilize a sua "senha da web". A Secretaria Municipal de Finanças comunicará o contribuinte, por " ", qual o resultado de sua solicitação. Nestes casos, o contribuinte somente iniciará a emissão da NF-e no dia seguinte ao do deferimento da autorização. Todas as notas fiscais convencionais emitidas no mês do deferimento deverão ser substituídas pela Nota Fiscal Eletrônica de Serviços. VIII - Como emitir a Nota Fiscal Eletrônica de Serviços A NF-e deve ser emitida diretamente na página oficial da Secretaria de Finanças, no chamado sistema "on-line". Clique aqui para acessar a página que permite emitir a NF-e. Somente os prestadores de serviços estabelecidos no Município de São Paulo podem emitir a NF-e. Em regra a NF-e emitida deverá ser impressa em via única que deverá ser entregue ao tomador de serviços. Caso o tomador opte por receber a NF-e por , poderá ser dispensada a impressão. A Secretaria Municipal de Finanças poderá autorizar, por regime especial, a impressão da NF-e em modelo definido pelo prestador de serviços, tendo por base a integração de seu sistema de emissão de notas fiscais com o sistema da Prefeitura do Município de São Paulo. As NF-e emitidas poderão ser consultadas na página oficial da Secretaria de Finanças até que tenha transcorrido o prazo decadencial. Após transcorrido este prazo a consulta às NF-e emitidas somente poderá ser realizada mediante solicitação de envio de arquivo em meio magnético. No caso de eventual impedimento da emissão "online" da NF-e, o prestador de serviços emitirá Recibo Provisório de Serviços - RPS, que deverá ser substituído posteriormente pela NF-e. Alternativamente ao sistema de emissão "on-line" o prestador de serviços poderá emitir RPS a cada prestação de serviços, podendo, nesse caso, efetuar a sua substituição por NF-e, mediante a transmissão em lote dos RPS emitidos. Trataremos do Recibo Provisório de Serviços - RPS em tópico específico deste trabalho. 1) Exportação dos dados da NF-e para o contribuinte. Conforme dissemos, a NF-e deve ser emitida na página oficial da Prefeitura na Internet, pelo chamado sistema "on line", consequentemente, as informações digitadas são transmitidas diretamente para o banco de dados da Secretaria de Finanças e o contribuinte não fica com nenhuma cópia disso. Para obter os dados relativos às NF-e emitidas o contribuinte deve acessar, mediante senha, a página oficial da Prefeitura na Internet. Clique aqui para acessar a página do sistema NF-e. Por meio da Portaria nº 76/2006 a Prefeitura definiu o layout dos registros para transferência eletrônica das informações referentes à NF-e, da base de dados da Prefeitura para o contribuinte.

5 IX - Autenticidade da NF- e Toda Nota Fiscal Eletrônica de Serviços, ao ser emitida, recebe um número seqüencial e um código de verificação de autenticidade. Com esses dados basta acessar a página oficial da Prefeitura que será possível confirmar se o documento é autentico. O sistema também permite visualizar e imprimir o documento. X - Cancelamento da Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - NF-e A Nota Fiscal Eletrônica de Serviços poderá ser cancelada pelo contribuinte emitente, por meio do próprio sistema, antes do pagamento do Imposto. Após o pagamento do Imposto, a NF-e somente poderá ser cancelada mediante requerimento do contribuinte. XI - Recibo Provisório de Serviços - RPS XI.1 - RPS - Definição O Fisco Municipal instituiu o RPS para ser emitido apenas nas situações em que não é possível emitir a NF-e. Todas as informações constantes dos RPS devem ser transferidas para as Notas Fiscais Eletrônicas de Serviços - NF-e. XI.2 - RPS - Quem poderá utilizar Somente poderão utilizar o RPS: a) os contribuintes que estiverem obrigados a emitir a NF-e; b) os contribuintes que, embora desobrigados, venham a optar pela emissão da NF-e. Todo Recibo Provisório de Serviços deve ser convertido em Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - NF-e. XI.3 - RPS - Quando utilizar Podemos dizer que o RPS possui basicamente duas funções e poderá ser utilizado: a) provisoriamente nos momentos em que o sistema "on-line" estiver indisponível ou inacessível; b) por contribuintes que emitam uma grande quantidade de Nota Fiscal. Nestes casos o prestador emitirá um RPS para cada transação e providenciará sua conversão em NF-e mediante o envio de arquivos (processamento em lote). XI.4 - RPS - Modelo Não há um modelo pré-definido para o Recibo Provisório de Serviços - RPS, no entanto ele deverá ser confeccionado ou impresso contendo todos os dados que permitam a sua conversão para a NF-e, em especial o CPF ou CNPJ do tomador de serviços. As alternativas para utilização do RPS são as seguintes: a) Nota Fiscal Convencional b) RPS confeccionado por gráfica c) RPS emitido por sistema do contribuinte d) Cupom Fiscal como RPS Vejamos cada um deles separadamente. a) Nota Fiscal Convencional como RPS A Nota Fiscal de Serviços convencional poderá ser utilizada como RPS nos momentos em que o sistema "on-line" estiver indisponível ou inacessível. 1) A Nota Fiscal convencional deverá conter todos os dados que permitam a sua conversão em Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - NF-e. 2) É preciso lembrar que os contribuintes que estiverem obrigados à emissão da Nota Fiscal Eletrônica de Serviços e também aqueles que a adotarem por opção, não poderão mais utilizar a Nota Fiscal de Serviços convencional. As Notas Fiscais convencionais já impressas poderão ser utilizadas apenas como Recibo Provisório de Serviços - RPS e até o término dos blocos em estoque. 3) Caso as Notas Fiscais convencionais em estoque não venham a ser utilizadas como RPS deverão ser inutilizadas pela Secretaria de Finanças. Os contribuintes que possuem Nota Fiscal de Serviços (convencional) conjugada com a Nota Fiscal Estadual regulamentada pela Legislação do ICMS, também podem utilizá-la como RPS. Neste caso, apenas a parte referente a serviços deverá ser convertida pela NF-e (individualmente ou mediante transmissão em lote). No campo referente à discriminação dos serviços, deverá ser impressa a seguinte frase: "o registro das operações relativas à prestação de serviços, constante deste documento, deverá ser convertido por nota fiscal eletrônica de serviços - NF-e." b) RPS confeccionado por gráfica Caso o contribuinte mande imprimir um bloco de RPS em gráfica não haverá necessidade de solicitar a Autorização de Impressão de Documento Fiscal - AIDF. 1) O RPS impresso deverá conter todos os dados que permitam a sua conversão em Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - NF-e. 2) Havendo indício, suspeita ou prova fundada de que a emissão do RPS esteja impossibilitando a perfeita apuração dos serviços prestados, da receita auferida e do imposto devido, a Secretaria

6 Municipal de Finanças poderá obrigar o contribuinte a emitir o RPS mediante Autorização de Impressão de Documento Fiscal - AIDF. c) RPS emitido por sistema do contribuinte Caso o contribuinte possua um sistema informatizado, poderá utilizá-lo para gerar e imprimir o Recibo Provisório de Serviços - RPS. Isto é interessante para os contribuintes que emitem grande quantidade de Notas Fiscais por dia, como no caso dos serviços de guarda e estacionamento de veículos. As informações armazenadas serão transmitidas para a Prefeitura em lote (arquivo texto). d) Cupom Fiscal como RPS Para utilizar o Cupom Fiscal no lugar do RPS o prestador de serviços deverá adequar o sistema de emissão dos cupons fiscais de maneira a permitir o registro do nº do CPF/CNPJ do tomador dos serviços. Em seguida, os cupons fiscais emitidos deverão ser convertidos por NF-e, individualmente ou mediante transmissão em lote. XI.5 - RPS - Regras para emissão Para emissão do RPS o contribuinte deverá observar as seguintes regras: a) O RPS deve ser emitido em 2 (duas) vias, sendo a 1ª (primeira) entregue ao tomador de serviços, ficando a 2ª (segunda) em poder do contribuinte; b) O RPS será numerado obrigatoriamente em ordem crescente seqüencial a partir do número 1 (um); c) Para quem já é emitente de nota fiscal convencional, o RPS deverá manter a seqüência numérica do último documento fiscal emitido; d) Caso o estabelecimento tenha mais de 1 (um) equipamento emissor de RPS, a numeração deverá ser precedida de até 5 (cinco) caracteres alfanuméricos capazes de individualizar os equipamentos. XI.6 - RPS - Conversão para NF-e Para substituir o RPS pela Nota Fiscal Eletrônica de Serviços o contribuinte poderá optar por: a) transferir as informações de cada RPS, um a um, diretamente na página oficial da Prefeitura na Internet; A digitação dos dados do RPS é efetuada em área restrita da página da Secretaria de Finanças. Para acessá-la o contribuinte necessita de senha. b) transmitir em lote os dados dos Recibos Provisórios de Serviços - RPS emitidos em determinado período. Neste caso é necessário gerar um arquivo texto. A Prefeitura definiu um layout para os registros do arquivo texto a serem transmitidos em lote pelos contribuintes, para fins de substituí-los pelas Notas Fiscais Eletrônicas de Serviços - NF-e. Para envio do arquivo texto o contribuinte deve acessar, mediante senha, uma área restrita da página da Secretaria de Finanças. Clique aqui para acessar a Portaria nº 76/2006 que definiu o layout dos registros do arquivo texto a ser transmitido em lote. XI.7 - RPS - Prazo para conversão em NF-e Vimos que a principal função do RPS é substituir temporariamente a NF-e quando esta não puder ser emitida imediatamente, ou seja, no ato da operação. Em vista disso, a Prefeitura fixou um prazo para o Recibo ser convertido em Nota Fiscal Eletrônica de Serviços. O RPS deverá ser convertido em NF-e até o 10º (décimo) dia subseqüente ao de sua emissão, não podendo ultrapassar o dia 5 (cinco) do mês seguinte ao da prestação de serviços. 1) O prazo inicia-se no dia seguinte ao da emissão do RPS, não podendo ser postergado caso vença em dia não-útil. 2) Os RPS emitidos no 1º (primeiro) decêndio de junho de 2006 poderão ser substituídos por NF-e até o dia 20 (vinte) do mesmo mês. Os RPS emitidos após este período sujeitam-se á regra geral. 3) O RPS emitido, para todos os fins de direito, perderá sua validade depois de transcorrido o prazo acima mencionado. XI.8 - Conseqüências da não substituição do RPS pela NF-e A não-substituição do Recibo pela Nota Fiscal Eletrônica de Serviços, ou a substituição fora do prazo, sujeitará o prestador de serviços às penalidades previstas na legislação. Prevê ainda a Legislação que a não-substituição do RPS pela NF-e equipara-se à não emissão de nota fiscal convencional. XII - Documento de Arrecadação Outra inovação da Secretaria de Finanças refere-se ao recolhimento do ISS registrado na Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - NF-e. Para esses casos o contribuinte deverá utilizar obrigatoriamente o documento de arrecadação emitido pelo sistema. O documento de arrecadação emitido pelo sistema deverá ser utilizado inclusive pelo Responsável Tributário que receber a Nota Fiscal Eletrônica e for efetuar o recolhimento do ISS retido na fonte. Clique aqui para acessar o modelo do DAMSP. O documento de arrecadação emitido pelo sistema NF-e não será utilizado:

7 a) pelos responsáveis tributários, quando o prestador de serviços deixar de efetuar a substituição de RPS por NF-e; b) pelos órgãos da administração pública direta da União, dos Estados e do Município de São Paulo, bem como suas autarquias, fundações, empresas públicas, sociedades de economia mista e demais entidades controladas direta ou indiretamente pela União, pelos Estados ou pelo Município, que recolherem o ISS retido na fonte por meio dos sistemas orçamentário e financeiro dos governos federal, estadual e municipal; c) pelas microempresas estabelecidas no Município de São Paulo e enquadradas no Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições - SIMPLES - Federal, instituído pela Lei Federal nº 9.317, de 5 de dezembro de 1996, enquanto vigente o convênio de adesão celebrado entre a União e a Prefeitura do Município de São Paulo. 1) O Documento de Arrecadação poderá ser cancelado após a sua emissão, desde que o ISS não tenha sido recolhido. 2) A rede bancária receberá o Documento de Arrecadação até a data de validade nele constante. 3) Após a data de validade, novo Documento de Arrecadação deverá ser emitido acessando-se, necessariamente, o sistema da Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - NF-e. Neste caso já incluirá os acréscimos legais previstos na Legislação Municipal São considerados comprovantes de recolhimentos relativos ao DAMSP: Forma de Pagamento Comprovante a) Recolhimento por meio da Internet Comprovante emitido pelo "site" do Banco b) Recolhimento por meio de Terminal de Auto-Atendimento Comprovante emitido pelo próprio Terminal c) Recolhimento no Guichê de Caixa Comprovante autenticado mecanicamente pelo Caixa XIII - Situação Tributária das Microempresas Municipais Instituído pela Lei nº /1989 o Regime de Microempresa do Município de São Paulo estabelece um tratamento tributário diferenciado e menos oneroso para os contribuintes do ISS. O conceito e o Regime de Microempresa adotado pela Lei Municipal é totalmente independente e não possui qualquer relação com o Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Microempresas e das Empresas de Pequeno Porte, SIMPLES/Federal. Os contribuintes do ISS inscritos no Regime de Microempresa também podem aderir ao sistema da Nota Fiscal Eletrônica de Serviços (NF-e). As conseqüências da adesão ao sistema NF-e são as seguintes: a) as regras do Regime de Microempresa permanecem inalteradas e o contribuinte continua sujeito a elas; b) com a adesão, os contribuintes inscritos no Regime de Microempresa ficam sujeitos as mesmas regras da NF-e aplicáveis aos demais contribuintes do ISS. É importante observarmos que as Microempresas que aderirem ao sistema NF-e também utilizarão obrigatoriamente o Documento de Arrecadação gerado pelo sistema. Neste caso, deverão informar no campo "Valor Total das Deduções", da NF-e, o valor correspondente ao percentual de desconto que fazem jus, nos termos da Legislação que trata das Microempresas. XIV - Situação Tributária dos Contribuintes do ISS inscritos no SIMPLES/Federal A Prefeitura do Município de São Paulo, por meio da Lei nº /1998, firmou convênio com a União aderindo ao regime tributário das microempresas, ou seja, o Sistema Integrado de Pagamento de Imposto e Contribuições das Microempresas e das Empresas de Pequeno Porte - SIMPLES/Federal. Somente podem aderir ao SIMPLES/Federal os contribuintes estabelecidos no Município de São Paulo que enquadrarem-se no conceito de microempresa. Esses contribuintes, embora enquadrados no SIMPLES/Federal, também podem utilizar-se do sistema da Nota Fiscal Eletrônica de Serviços NF-e. As conseqüências da adesão ao sistema NF-e são as seguintes: a) as regras do SIMPLES/Federal permanecem inalteradas e o contribuinte continua sujeito a elas; b) com a adesão, os contribuintes do SIMPLES/Federal ficam sujeitos as mesmas regras da NF-e aplicáveis aos demais contribuintes do ISS. Os contribuintes do ISS enquadrados no SIMPLES/Federal não podem utilizar o Documento de Arrecadação gerado pelo sistema da NF-e. Para recolhimento devem continuar a utilizar o DARF. Clique aqui para acessar o nosso Roteiro ISS/SP - Prestadores de Serviços Enquadrados no SIMPLES/Federal - (Convênio do Município com a União) - Roteiro de Procedimentos - Atualizado até 07 de Abril de 2006.

8 XV - Situação Tributária dos Contribuintes do ISS enquadrados em Estimativa No Município de São Paulo existem atividades específicas que estão enquadradas no chamado regime de estimativa. Como exemplo podemos citar os casos estacionamento, hospedagem em hotéis, motéis, pensões e congêneres, conserto, restauração e manutenção de veículos, entre outros. Todos os contribuintes enquadrados em Estimativa que optarem ou forem obrigados à emissão de NF-e passam a recolher o ISS com base no movimento econômico. Isto que significa que serão desenquadrados, de ofício, do regime de estimativa e devem calcular o ISS sobre o seu faturamento mensal. Para recolhimento do ISS esses contribuintes utilizarão obrigatoriamente o documento de arrecadação gerado pelo sistema NF-e. XVI - Situação Tributária dos Contribuintes do ISS com Regime Especial Os regimes especiais concedidos pelo Fisco permitem que o contribuinte recolha o ISS ou cumpra as obrigações acessórias de uma forma diferente da regra geral. Na prática o regime é muito utilizado para estabelecer procedimentos diferenciados em relação à escrituração dos Livros, emissão de Notas Fiscais e também recolhimento do Imposto. Com a instituição do sistema NF-e os regimes especiais existentes deixam de ser aplicados aos contribuintes que optarem ou forem obrigados à emissão da NF-e. Consequentemente, para recolhimento do ISS esses contribuintes utilizarão obrigatoriamente o documento de arrecadação gerado pelo sistema NF-e. XVII - Declaração Eletrônica de Serviços - DES e NF-e - Implicações As Notas Fiscais Eletrônicas de Serviços (NF-e) não precisam ser declaradas na Declaração Eletrônica de Serviços - DES. Portanto, os prestadores de serviços, bem como os tomadores ou intermediários de serviços, responsáveis ou não pelo recolhimento do Imposto, ficam dispensados de informar, na Declaração Eletrônica de Serviços - DES, as NF-e emitidas ou recebidas.

DECRETO Nº 47.350, DE 6 DE JUNHO DE 2006

DECRETO Nº 47.350, DE 6 DE JUNHO DE 2006 DECRETO Nº 47.350, DE 6 DE JUNHO DE 2006 Regulamenta a Lei nº 14.097, de 8 de dezembro de 2005, que institui a Nota Fiscal Eletrônica de Serviços e dispõe sobre a geração e utilização de créditos tributários

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Cortesia: FARO CONTÁBIL (www.farocontabil.com.br) Matéria publicada originalmente no Diário do Comércio Data: 01/08/2006 01 - CONCEITOS? 1.01.

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇO ELETRÔNICA (NFS-e) Acesso ao Sistema - Pessoa Física

NOTA FISCAL DE SERVIÇO ELETRÔNICA (NFS-e) Acesso ao Sistema - Pessoa Física Acesso ao Sistema - Pessoa Física Página 2 de 37 Índice ÍNDICE... 2 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS... 4 1.1. DEFINIÇÃO... 4 1.2. OBRIGATORIEDADE DE EMISSÃO DA NFS-E... 4 1.3. CONTRIBUINTES IMPEDIDOS DA EMISSÃO

Leia mais

DECRETO Nº 072/2012. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE OLINDA, no uso de suas atribuições legais, DECRETA:

DECRETO Nº 072/2012. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE OLINDA, no uso de suas atribuições legais, DECRETA: DECRETO Nº 072/2012. EMENTA: REGULAMENTA a Lei Complementar nº 39, de 29 de dezembro de 2011, que institui o Sistema Eletrônico de Escrituração Fiscal SEEF, a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica NFS-e,

Leia mais

PUBLICADO NO ÓRGÃO OFICIAL DO MUNICÍPIO Nº 1750 DO DIA 06/08/2012.

PUBLICADO NO ÓRGÃO OFICIAL DO MUNICÍPIO Nº 1750 DO DIA 06/08/2012. PUBLICADO NO ÓRGÃO OFICIAL DO MUNICÍPIO Nº 1750 DO DIA 06/08/2012. DECRETO N 1427/2012 Regulamenta a Lei municipal nº 8748/2010, que institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) e dá outras providências.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURO BRANCO ESTADO DE MINAS GERAIS Procuradoria Geral DECRETO Nº 6.487, DE 27 DE OUTUBRO DE 2011.

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURO BRANCO ESTADO DE MINAS GERAIS Procuradoria Geral DECRETO Nº 6.487, DE 27 DE OUTUBRO DE 2011. DECRETO Nº 6.487, DE 27 DE OUTUBRO DE 2011. REGULAMENTA A UTILIZAÇÃO DA NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFSE E DECLARAÇÃO FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NO MUNICÍPIO DE OURO BRANCO, E DÁ OUTRAS PRIVIDÊNCIAS.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE NITERÓI Atos do Prefeito DECRETO Nº 10767/2010. Disciplina a emissão de notas fiscais de serviços no Município, define forma

PREFEITURA MUNICIPAL DE NITERÓI Atos do Prefeito DECRETO Nº 10767/2010. Disciplina a emissão de notas fiscais de serviços no Município, define forma PREFEITURA MUNICIPAL DE NITERÓI Atos do Prefeito DECRETO Nº 10767/2010. Disciplina a emissão de notas fiscais de serviços no Município, define forma e prazo de recolhimento do Imposto sobre Serviços de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPOÁ CHEFIA DE GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPOÁ CHEFIA DE GABINETE DO PREFEITO DECRETO MUNICIPAL Nº 1388/2011 Data: 27 de outubro de 2011 INSTITUI A NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS - NF-E NO MUNICÍPIO DE ITAPOÁ. ERVINO SPERANDIO, Prefeito Municipal de Itapoá (SC),

Leia mais

01 CONCEITOS 02 - RECIBO PROVISÓRIO DE SERVIÇOS - RPS. 1.01. O que é Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - NF-e?

01 CONCEITOS 02 - RECIBO PROVISÓRIO DE SERVIÇOS - RPS. 1.01. O que é Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - NF-e? 01 CONCEITOS 1.01. O que é Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - NF-e? Considera-se Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - NF-e documento emitido e armazenado eletronicamente em sistema próprio da Prefeitura

Leia mais

Quarta-feira, 14 de Maio de 2014 N 628

Quarta-feira, 14 de Maio de 2014 N 628 LEI N 812 de 12 de maio de 2014. Institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e, a Ferramenta de Declaração Eletrônica de Serviços - DES, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUAPIMIRIM,,

Leia mais

DECRETO Nº 659 DE 26 DE MAIO DE 2014. O PREFEITO MUNICIPAL DE TUPANDI, no uso de suas atribuições legais, D E C R E T A

DECRETO Nº 659 DE 26 DE MAIO DE 2014. O PREFEITO MUNICIPAL DE TUPANDI, no uso de suas atribuições legais, D E C R E T A DECRETO Nº 659 DE 26 DE MAIO DE 2014. REGULAMENTA A LEI MUNICIPAL N.º 1.209, DE 02 DE MAIO DE 2014, QUE INSTITUI A NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS, A DECLARAÇÃO ELETRÔNICA DE SERVIÇOS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

DECRETO Nº 057, de16 denovembro de 2011.

DECRETO Nº 057, de16 denovembro de 2011. DECRETO Nº 057, de16 denovembro de 2011. Regulamenta a Lei Municipal nº 1.874, de 11 de novembro de 2011, que instituiu a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) O Prefeito do Município de Campina Verde,

Leia mais

DECRETO Nº 5627, de 10 de janeiro de 2013. O PREFEITO MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO, no uso de suas atribuições legais,

DECRETO Nº 5627, de 10 de janeiro de 2013. O PREFEITO MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO, no uso de suas atribuições legais, DECRETO Nº 5627, de 10 de janeiro de 2013. Introduz as alterações que menciona no Decreto Municipal nº 1751/2004, de 29 de junho de 2004 e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO,

Leia mais

DECRETO Nº. 4.562/ 2008

DECRETO Nº. 4.562/ 2008 DECRETO Nº. 4.562/ 2008 REGULAMENTA A LEI COMPLEMENTAR N 012, DE 06 DE DEZEMBRO DE 2006, DISPÕE SOBRE A NOTA FISCAL DIGITAL, O COMPONENTE DE EMISSÃO DE NOTA FISCAL DIGITAL, O RECIBO TEMPORÁRIO E DÁ OUTRAS

Leia mais

DECRETO Nº. 024, de 11 de Maio de 2010.

DECRETO Nº. 024, de 11 de Maio de 2010. DECRETO Nº. 024, de 11 de Maio de 2010. REGULAMENTA O PARÁGRAFO ÚNICO DO ARTIGO 2º DA LEI Nº 891, DE 11 DE MAIO DE 2010, QUE INSTITUI A NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS E DISPÕE SOBRE A GERAÇÃO E UTILIZAÇÃO

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE ARACATI, no uso de suas atribuições legais, conforme lhe confere a Lei Orgânica Municipal,

O PREFEITO MUNICIPAL DE ARACATI, no uso de suas atribuições legais, conforme lhe confere a Lei Orgânica Municipal, DECRETO N.º 060 /2013. REGULAMENTA A NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NO MUNICÍPIO DE ARACATI E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE ARACATI, no uso de suas atribuições legais, conforme lhe

Leia mais

DECRETO Nº. 1336/11, DE 01 DE SETEMBRO DE 2011

DECRETO Nº. 1336/11, DE 01 DE SETEMBRO DE 2011 DECRETO Nº. 1336/11, DE 01 DE SETEMBRO DE 2011 Regulamenta a Lei Complementar nº. 92/07 de 13 de Dezembro de 2007, que dispõe sobre o Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISSQN) - que altera o sistema

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PIRIPÁ ESTADO DA BAHIA C.N.P.J. 13.694.658/0001-92

PREFEITURA MUNICIPAL DE PIRIPÁ ESTADO DA BAHIA C.N.P.J. 13.694.658/0001-92 Decreto n 015/2015 Piripá, 19 de maio de 2015. Regulamenta o gerenciamento da Nota Fiscal Eletrônica de Serviços - NFS-e Sped, sua escrituração, a emissão de guia de recolhimento do Imposto sobre Serviços

Leia mais

DECRETO Nº 32.250 DE 11 DE MAIO DE 2010. (Com as alterações introduzidas pelo Decreto nº 39.340 de 20/10/2014)

DECRETO Nº 32.250 DE 11 DE MAIO DE 2010. (Com as alterações introduzidas pelo Decreto nº 39.340 de 20/10/2014) DECRETO Nº 32.250 DE 11 DE MAIO DE 2010 (Com as alterações introduzidas pelo Decreto nº 39.340 de 20/10/2014) Dispõe sobre a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica-NFS-e NOTA CARIOCA e dá outras providências.

Leia mais

NFSE - Nota Fiscal de Serviços Eletrônica 1

NFSE - Nota Fiscal de Serviços Eletrônica 1 1 DSF - Desenvolvimento de Sistemas Fiscais Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução total ou parcial deste documento sem o pagamento de direitos autorais, contanto que as cópias sejam feitas

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº672013 DATA: 31/07/2013

PROJETO DE LEI Nº672013 DATA: 31/07/2013 PROJETO DE LEI Nº672013 DATA: 31/07/2013 SÚMULA: INSTITUI A NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS E ESTABELECE OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DO MUNICÍPIO DE SANTA IZABEL DO OESTE,

Leia mais

Indice. O que é NFSe?... 5

Indice. O que é NFSe?... 5 DSF - Desenvolvimento de Sistemas Fiscais Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução total ou parcial deste documento sem o pagamento de direitos autorais, contanto que as cópias sejam feitas

Leia mais

DECRETO Nº. 2187, DE 23 DE JULHO DE 2015. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE RESERVA, ESTADO DO PARANÁ, no uso de suas atribuições legais,

DECRETO Nº. 2187, DE 23 DE JULHO DE 2015. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE RESERVA, ESTADO DO PARANÁ, no uso de suas atribuições legais, DECRETO Nº. 2187, DE 23 DE JULHO DE 2015 SÚMULA: Institui o Gerenciamento Eletrônico do ISSQN, a Escrituração Econômico-Fiscal e a Emissão de GUIA de recolhimento por meios eletrônicos; estabelece obrigações

Leia mais

DECRETO Nº. 104 DE 06 DE OUTUBRO DE 2011

DECRETO Nº. 104 DE 06 DE OUTUBRO DE 2011 DECRETO Nº. 104 DE 06 DE OUTUBRO DE 2011 REGULAMENTA A NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e, SISTEMA DE GERENCIAMENTO DAS NOTAS FISCAIS E A SUA UTILIZAÇÃO, DISCIPLINA OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS PELA INTERNET

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica de Serviços Acesso ao Sistema - Pessoa Física

Nota Fiscal Eletrônica de Serviços Acesso ao Sistema - Pessoa Física Nota Fiscal Eletrônica de Serviços Acesso ao Sistema - Pessoa Física Versão 2.6 Nota Fiscal Eletrônica de Serviços NF-e Versão do Manual: 2.6 pág. 2 Manual do Sistema da Nota Fiscal Eletrônica de Serviços

Leia mais

ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11

ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11 MANUAL DE USO DO SISTEMA GOVERNO DIGITAL ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11 2.0. SOLICITAÇÕES DE AIDF E AUTORIZAÇÃO DE EMISSÃO DE NOTA

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO PESSOA FÍSICA

MANUAL DO USUÁRIO PESSOA FÍSICA MANUAL DO USUÁRIO PESSOA FÍSICA 1 Índice DSF - Desenvolvimento de Sistemas Fiscais Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução total ou parcial deste documento sem o pagamento de direitos autorais,

Leia mais

Assunto: NF-e Municipal Nota Fiscal Eletrônica de Serviços

Assunto: NF-e Municipal Nota Fiscal Eletrônica de Serviços São Paulo, 26 de Setembro de 2006. Assunto: NF-e Municipal Nota Fiscal Eletrônica de Serviços Prezado Associado, Buscando minimizar os impactos trazidos pela implantação do mais recente projeto da Prefeitura

Leia mais

DECRETO Nº. 531 DE 01 DE JULHO DE 2012.

DECRETO Nº. 531 DE 01 DE JULHO DE 2012. DECRETO Nº. 531 DE 01 DE JULHO DE 2012. Regulamenta o uso da Nota Fiscal de Serviços Eletrônica no ISSQN, a forma e o prazo de recolhimento dos tributos municipais e respectivos acréscimos perante o Código

Leia mais

NFSE - Nota Fiscal de Serviços Eletrônica 1

NFSE - Nota Fiscal de Serviços Eletrônica 1 1 DSF - Desenvolvimento de Sistemas Fiscais Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução total ou parcial deste documento sem o pagamento de direitos autorais, contanto que as cópias sejam feitas

Leia mais

DECRETO Nº 297, DE 28 DE AGOSTO DE 2014.

DECRETO Nº 297, DE 28 DE AGOSTO DE 2014. DECRETO Nº 297, DE 28 DE AGOSTO DE 2014. "Dispõe sobre a instituição do Regime Especial de Escrituração Fiscal e Recolhimento relativos ao ISSQN e, Recadastramentos Fiscais Mobiliários e Imobiliários,

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e. Prefeitura Municipal de Tupãssi

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e. Prefeitura Municipal de Tupãssi NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e Prefeitura Municipal de Tupãssi PERGUNTAS E RESPOSTAS O QUE É A NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e? R NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e) é um documento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TIETÊ

PREFEITURA MUNICIPAL DE TIETÊ PREFEITURA MUNICIPAL DE TIETÊ Nota Fiscal Digital de Serviços A Nota Fiscal Digital é um documento cujo valor é de um arquivo eletrônico assinado digitalmente, que apresenta algumas características como

Leia mais

DECRETO Nº 2225, DE 15 DE JUNHO DE 2011.

DECRETO Nº 2225, DE 15 DE JUNHO DE 2011. DECRETO Nº 2225, DE 15 DE JUNHO DE 2011. Regulamenta a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica NFS-e no Município de Lucas do Rio Verde, seu sistema de gerenciamento e a sua utilização, disciplina obrigações

Leia mais

Nota Salvador - NFS-e Acesso ao Sistema - Pessoa Física

Nota Salvador - NFS-e Acesso ao Sistema - Pessoa Física Nota Salvador - NFS-e Acesso ao Sistema - Pessoa Física Versão 1.0 Nota Salvador NFS-e Versão do Manual: 1.0 pág. 2 Manual do Sistema Nota Salvador NFS-e Acesso ao Sistema para Pessoa Física ÍNDICE 1.

Leia mais

http://www.itcnet.com.br/materias/printable.php

http://www.itcnet.com.br/materias/printable.php Página 1 de 5 17 de Maio, 2011 Impresso por ANDERSON JACKSON TOASSI ECF/TEF - Obrigatoriedade do Uso em Santa Catarina Matéria elaborada com base na Legislação vigente em: 12.05.2011. SUMÁRIO: 1 - INTRODUÇÃO

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA GOVERNO DE BIGUAÇU SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA GUIA DE ORIENTAÇÕES. NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS (NFS-e)

ESTADO DE SANTA CATARINA GOVERNO DE BIGUAÇU SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA GUIA DE ORIENTAÇÕES. NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS (NFS-e) ESTADO DE SANTA CATARINA GOVERNO DE BIGUAÇU SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA GUIA DE ORIENTAÇÕES NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS (NFS-e) Diretoria Geral de Tributos Biguaçu, Janeiro de 2012 INTRODUÇÃO

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-e - NOTA CARIOCA

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-e - NOTA CARIOCA NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-e - NOTA CARIOCA Acesso ao Sistema - Pessoa Jurídica Página 2 de 125 Índice ÍNDICE... 2 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS... 6 1.1. DEFINIÇÃO... 6 2. REGRAS PARA CADASTRAMENTO...

Leia mais

1. O que é a Nota Fiscal Eletrônica - NF-e?

1. O que é a Nota Fiscal Eletrônica - NF-e? 1. O que é a Nota Fiscal Eletrônica - NF-e? Podemos conceituar a Nota Fiscal Eletrônica como sendo um documento de existência apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de documentar,

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE TABOÃO DA SERRA - Estado de São Paulo -

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE TABOÃO DA SERRA - Estado de São Paulo - CONSIDERANDO o disposto nos artigos 66 e 67 da Lei Complementar nº 193/2009, que impõem ao prestador de serviços a obrigatoriedade de apresentar documentos fiscais na forma do que dispuser o regulamento;

Leia mais

DECRETO Nº 4.252 DE 13 DE MARÇO DE 2014

DECRETO Nº 4.252 DE 13 DE MARÇO DE 2014 DECRETO Nº 4.252 DE 13 DE MARÇO DE 2014 (Dispõe sobre a instituição e obrigatoriedade da nota fiscal eletrônica de serviços, da declaração eletrônica de prestadores e tomadores de serviços, com pertinência

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE DELTA Estado de Minas Gerais

PREFEITURA MUNICIPAL DE DELTA Estado de Minas Gerais DECRETO Nº 1454/2013 Regulamenta a Lei Municipal nº 018, 30 de dezembro de 1997, que instituiu o Código Tributário Municipal que dispõe sobre o Imposto sobre Serviço de Qualquer Natureza e institui a Nota

Leia mais

Prefeitura Municipal de Belém Secretaria Municipal de Finanças

Prefeitura Municipal de Belém Secretaria Municipal de Finanças INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004/2009 GABS/SEFIN Disciplina a emissão de Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) e dá outras providências. O Secretário de Finanças do Município de Belém, no uso das atribuições

Leia mais

DECRETO N.º 3.937, DE 27 DE MARÇO DE 2012.* (JOM DE 30/03 E 04/04/2012)

DECRETO N.º 3.937, DE 27 DE MARÇO DE 2012.* (JOM DE 30/03 E 04/04/2012) DECRETO N.º 3.937, DE 27 DE MARÇO DE 2012.* (JOM DE 30/03 E 04/04/2012) Institui a Nota Fiscal Eletrônica de Serviços, NFS e e o Recibo Provisório de Serviço RPS e dá outras providências. A PREFEITA MUNICIPAL

Leia mais

DMS ( Declaração Mensal de Serviços ) Perguntas freqüentes

DMS ( Declaração Mensal de Serviços ) Perguntas freqüentes DMS ( Declaração Mensal de Serviços ) Perguntas freqüentes 1. O que é a DMS? Declaração Mensal de Informações Fiscais e Tributárias Municipais do ISS. 2. Quais os instrumentos legais que instituíram a

Leia mais

Prefeitura Municipal de Cruzeiro

Prefeitura Municipal de Cruzeiro DECRETO Nº. 345, DE 28 DE JUNHO DE 2012. Dispõe sobre a instituição do regime especial de emissão de nota fiscal de Serviço Eletrônica nfs-e, aos contribuintes prestadores de serviços sujeitos à tributação

Leia mais

Faço saber a todos os habitantes do Município de Lages, que a Câmara de Vereadores aprovou e eu sanciono a seguinte, LEI:

Faço saber a todos os habitantes do Município de Lages, que a Câmara de Vereadores aprovou e eu sanciono a seguinte, LEI: LEI COMPLEMENTAR Nº 285, de 31 de maio de 2007. DISPÕE SOBRE A CONSOLIDAÇÃO DA LEGISLAÇÃO QUE TRATA DA EMISSÃO, CONFECÇÃO, AUTORIZAÇÃO PARA IMPRESSÃO DE DOCUMENTOS FISCAIS E SOBRE O REGIME ESPECIAL DE

Leia mais

Prefeitura Municipal de Ibirataia Estado da Bahia

Prefeitura Municipal de Ibirataia Estado da Bahia DECRETO Nº 3857, de 29 de setembro de 2015. "Institui e Regulamenta a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS e) no Município de Ibirataia e dá outras providências." O Prefeito do Município de Ibirataia,,

Leia mais

Eletrônica Município do Rio de Janeiro NFS-e - Nota Carioca. www.notacarioca.rio.gov.br

Eletrônica Município do Rio de Janeiro NFS-e - Nota Carioca. www.notacarioca.rio.gov.br Nota Fiscal de Serviços Eletrônica Município do Rio de Janeiro NFS-e - Nota Carioca www.notacarioca.rio.gov.br Objetivo Apresentar na prática os procedimentos para acesso e manuseio do sistema da Nota

Leia mais

Sistema Serviço de Valet

Sistema Serviço de Valet Sistema Serviço de Valet Manual do Usuário Página 1 Sistema Serviço de Valet Manual do Usuário Versão 1.0.0 Sistema Serviço de Valet Manual do Usuário Página 2 Índice 1. Informações gerais... 3 2. Passo-a-passo...

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SMF Nº 06/07 1

INSTRUÇÃO NORMATIVA SMF Nº 06/07 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA SMF Nº 06/07 1 Define contribuintes do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza obrigados a efetuar a Declaração Mensal - escrituração eletrônica mensal do livro fiscal, a ser realizada

Leia mais

Guia de Emissão de NF-e

Guia de Emissão de NF-e Guia de Emissão de NF-e Índice Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)...3 Configuração de Perfil... 4 Configurando o Perfil no Sistema... 6 Configuração de Emissão de RPS... 6 Gerando os Arquivos para Emissão de

Leia mais

- GUIA DO EMPRESÁRIO -

- GUIA DO EMPRESÁRIO - - GUIA DO EMPRESÁRIO - NF ELETRONICA LUCRO PRESUMIDO MUNICIPIO DE SÃO PAULO Planeta Contábil 2008 Todos os Direitos Reservados (www.planetacontabil.com.br) 1/14 Este é um roteiro para emissão de NF-eletronica.

Leia mais

Assunto: NF-e Municipal Nota Fiscal Eletrônica de Serviços

Assunto: NF-e Municipal Nota Fiscal Eletrônica de Serviços São Paulo, 29 de Julho de 2011. Assunto: NF-e Municipal Nota Fiscal Eletrônica de Serviços Prezado Associado, Buscando minimizar os impactos trazidos pela implantação da NF-e Nota Fiscal Eletrônica (instituída

Leia mais

NFS-e. Nota Legal Porto Alegre

NFS-e. Nota Legal Porto Alegre NFS-e Nota Legal Porto Alegre APRESENTAÇÃO DA NFS-e A Nota Fiscal de Serviços Eletrônica é um documento digital, gerado e armazenado eletronicamente pela prefeitura e que substitui as tradicionais notas

Leia mais

DECRETO Nº 160/12, DE 15 DE AGOSTO DE 2012

DECRETO Nº 160/12, DE 15 DE AGOSTO DE 2012 DECRETO Nº 160/12, DE 15 DE AGOSTO DE 2012 INSTITUI a nota fiscal de serviços eletrônica - NFS-E, e dá outras providências O PREFEITO MUNICIPAL DE NÃO-ME-TOQUE - RS, Sr. Antônio Vicente Piva, no uso das

Leia mais

DECRETO Nº. 14.726/11 DE 16 DE SETEMBRO DE 2011

DECRETO Nº. 14.726/11 DE 16 DE SETEMBRO DE 2011 DECRETO Nº. 14.726/11 DE 16 DE SETEMBRO DE 2011 Institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e no Município de São José dos Campos e dá outras providências. O Prefeito Municipal de São José dos

Leia mais

DECRETO Nº 160/12, DE 15 DE AGOSTO DE 2012

DECRETO Nº 160/12, DE 15 DE AGOSTO DE 2012 DECRETO Nº 160/12, DE 15 DE AGOSTO DE 2012 INSTITUI a nota fiscal de serviços eletrônica - NFS-E, e dá outras providências O PREFEITO MUNICIPAL DE NÃO-ME-TOQUE - RS, Sr. Antônio Vicente Piva, no uso das

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS. NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-e TUTORIAL DE USO DA FERRAMENTA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS. NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-e TUTORIAL DE USO DA FERRAMENTA PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-e TUTORIAL DE USO DA FERRAMENTA PINHAIS - 2014 SUMÁRIO 2 1. Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e)... 3 1.1 Considerações Iniciais...

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MATEUS ESTADO DO ESPÍRITO SANTO GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MATEUS ESTADO DO ESPÍRITO SANTO GABINETE DO PREFEITO 1 LEI Nº. 949/2010 INSTITUI A NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS E DISPÕE SOBRE A DECLARAÇÃO MENSAL DO IMPOSTO SOBRE A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE QUALQUER NATUREZA - ISSQN. O Prefeito Municipal de São Mateus,

Leia mais

DECRETO Nº 2.232 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013

DECRETO Nº 2.232 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 DECRETO Nº 2.232 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 Regulamenta o regime de substituição tributária do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza ISSQN, instituído pela Lei Complementar n 03, de 17 de setembro

Leia mais

Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e

Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e Acesso ao Sistema Pessoa Física Versão: 1.0 Para baixar a versão mais atualizada deste documento, acesse o link: http://nfse.manaus.am.gov.br 1/8/2007 Página

Leia mais

D E C R E T O Nº 9460 de 30 de novembro de 2011

D E C R E T O Nº 9460 de 30 de novembro de 2011 Publicado em 09/12/2011 no Diário Oficial nº 362. D E C R E T O Nº 9460 de 30 de novembro de 2011 (Altera e acrescenta dispositivos ao Decreto n 8063, de 15 de outubro de 2007, ampliando funcionalidades

Leia mais

MANUAL DO CONTADOR 1ª

MANUAL DO CONTADOR 1ª ISSQN Escrituração e Nota Fiscal Eletrônica MANUAL DO CONTADOR 1ª edição 2011 Conteúdo Introdução...3 1. Enquadramento das empresas no item da lista de serviços municipal...4 1.1 Lista de serviços municipal...4

Leia mais

Acesso ao Credenciamento

Acesso ao Credenciamento 2 1 Credenciamento Para todas as pessoas jurídicas que acessarem o sistema da NFS-e, será necessário inicialmente efetuar o credenciamento. O credenciamento é obrigatório para todas as empresas estabelecidas

Leia mais

I quando o prestador de serviços estabelecido no Município do Rio de Janeiro executar serviço;

I quando o prestador de serviços estabelecido no Município do Rio de Janeiro executar serviço; DECRETO N.º 32.250 DE 11 DE MAIO DE 2010. [Publicado no D.O. Rio de 12.05.2010.] [Alterado pelo Decreto nº 32.549, de 20.07.2010, publicado no D.O. Rio de 21.07.2010.] [Alterado pelo Decreto nº 32.601,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GOTARDO CNPJ: 18.602.037/0001-55 Insc. Est. Isento São Gotardo Minas Gerais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GOTARDO CNPJ: 18.602.037/0001-55 Insc. Est. Isento São Gotardo Minas Gerais Decreto nº 250, de 10 de junho de 2013. Regulamenta a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica NFS-e no Município, sistema de gerenciamento das notas fiscais e a sua utilização, disciplina obrigações acessórias

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE DUARTINA

PREFEITURA MUNICIPAL DE DUARTINA LEI Nº 2173 Institui a Nota Fiscal Eletrônica de Prestação de Serviços e regulamenta a Lei Municipal nº. 1.725, de 08 de dezembro de 2003, que dispõe sobre o imposto sobre serviço de qualquer natureza

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAMBUÍ Praça Mozart Torres, 68 Bairro Centro Cep.: 38.900-000 BAMBUÍ - MG CNPJ: 20.920.567/0001-93

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAMBUÍ Praça Mozart Torres, 68 Bairro Centro Cep.: 38.900-000 BAMBUÍ - MG CNPJ: 20.920.567/0001-93 . DECRETO Nº 1.763 DE 18 DE MARÇO DE 2014. PREFEITO MUNICIPAL DE BAMBUÍ, em vigor, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais, DECRETA: CAPÍTULO I DO SISTEMA ELETRÔNICO DE GESTÃO DO ISSQN

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 459, DE 12 DE JUNHO DE 2014.

LEI COMPLEMENTAR Nº 459, DE 12 DE JUNHO DE 2014. LEI COMPLEMENTAR Nº 459, DE 12 DE JUNHO DE 2014. Altera e acresce dispositivos na Lei Complementar nº 12, de 28 de dezembro de 1994 (Código Tributário Municipal). O PREFEITO MUNICIPAL DE CAXIAS DO SUL

Leia mais

- GUIA DO EMPRESÁRIO -

- GUIA DO EMPRESÁRIO - - GUIA DO EMPRESÁRIO - NF ELETRONICA SIMPLES NACIONAL MUNICIPIO DE SÃO PAULO Planeta Contábil 2008 Todos os Direitos Reservados (www.planetacontabil.com.br) 1/11 Este é um roteiro para emissão de NF-eletronica.

Leia mais

Prefeitura Municipal de Barra Mansa

Prefeitura Municipal de Barra Mansa Prefeitura Municipal de Barra Mansa Sistema de Prefeitura Eletrônica (SPE) Manual de Declaração de Serviços Sistema desenvolvido por Tiplan Tecnologia em Sistema de Informação. Todos os direitos reservados.

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO MANUAL PARA CONVERSÃO DE RECIBOS PROVISÓRIOS DE SERVIÇO EM NF-E

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO MANUAL PARA CONVERSÃO DE RECIBOS PROVISÓRIOS DE SERVIÇO EM NF-E PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO MANUAL PARA CONVERSÃO DE RECIBOS PROVISÓRIOS DE SERVIÇO EM NF-E (Modelo II) 1 Introdução Este manual apresenta e detalha os procedimentos para a realização do processo

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS PUBLICADO NO DOMP Nº 1.040 DE: 02/07/2014 PÁG: 07 PREFEITURA DE PALMAS DECRETO Nº 797, DE 1º DE JULHO DE 2014. Regulamenta a nova Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e, a sua utilização e disciplina

Leia mais

DECLARAÇÃO ELETRÔNICA DE SERVIÇOS

DECLARAÇÃO ELETRÔNICA DE SERVIÇOS DECLARAÇÃO ELETRÔNICA DE SERVIÇOS Versão 1.6 Manual do Sistema de Declaração Eletrônica de Serviços - DES Sumário 1. Informações Gerais... 3 1.1 Obrigatoriedade da entrega da DES... 3 1.2 Cadastrando um

Leia mais

MUNICÍPIO DE ESTEIO SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-E MANUAL DE ACESSO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO ON-LINE

MUNICÍPIO DE ESTEIO SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-E MANUAL DE ACESSO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO ON-LINE MUNICÍPIO DE ESTEIO SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-E MANUAL DE ACESSO E UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO ON-LINE Versão 1.0.5 Março/2014 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO... 6 2.

Leia mais

Definição: Documentação que comprova os atos e fatos que originam o lançamento na escrituração contábil da entidade Ministério da Previdência Social.

Definição: Documentação que comprova os atos e fatos que originam o lançamento na escrituração contábil da entidade Ministério da Previdência Social. Definição: Documentação que comprova os atos e fatos que originam o lançamento na escrituração contábil da entidade Ministério da Previdência Social. Documentos que possuem validade fiscal perante o fisco

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Nota Fiscal Carioca Serviços Tomados - RJ

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Nota Fiscal Carioca Serviços Tomados - RJ Nota 27/03/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Período de Competência... 4 3.2 FAQ da Prefeitura Municipal do Rio

Leia mais

ISS. www.aparecida.go.gov.br MAIS FÁCIL MAIS SIMPLES MAIS RÁPIDO NOVO PROGRAMA DE ARRECADAÇÃO DO

ISS. www.aparecida.go.gov.br MAIS FÁCIL MAIS SIMPLES MAIS RÁPIDO NOVO PROGRAMA DE ARRECADAÇÃO DO O SAC é um canal de comunicação com todos os contribuintes, um lugar onde você poderá esclarecer suas dúvidas, negociar pendências e regularizar sua situação. NOVO PROGRAMA DE ARRECADAÇÃO DO ISS MAIS FÁCIL

Leia mais

Sumário PANORAMA... 6 APRESENTAÇÃO... 6 PORTAL GISSONLINE... 7 ACESSO PARA CONTRIBUINTES COM IDENTIFICAÇÃO E SENHA... 8

Sumário PANORAMA... 6 APRESENTAÇÃO... 6 PORTAL GISSONLINE... 7 ACESSO PARA CONTRIBUINTES COM IDENTIFICAÇÃO E SENHA... 8 Sumário PANORAMA... 6 APRESENTAÇÃO... 6 O QUE É GISSONLINE?... 6 FILOSOFIA DA GISSONLINE... 6 BENEFÍCIOS QUE A GISSONLINE OFERECE... 6 PORTAL GISSONLINE... 7 ACESSO PARA CONTRIBUINTES COM IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

EMPARI SAT CFE MANUAL DO USUÁRIO

EMPARI SAT CFE MANUAL DO USUÁRIO EMPARI SAT CFE MANUAL DO USUÁRIO Índice SAT Fiscal Sobre o equipamento CF e SAT Equipamentos sugeridos pelo suporte Empari Empari SAT CFe Configuração Inicial Tela principal do Empari SAT CFe Configurar

Leia mais

SECRETARIA DE FINANÇAS ATO NORMATIVO Nº 001/2010 - GAB

SECRETARIA DE FINANÇAS ATO NORMATIVO Nº 001/2010 - GAB SECRETARIA DE FINANÇAS ATO NORMATIVO Nº 001/2010 - GAB Dispõe sobre a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e; a obrigatoriedade de credenciamento; a obtenção de número do usuário e senha e outras providências.

Leia mais

Copyright 2004/2014 - VLC

Copyright 2004/2014 - VLC Escrituração Fiscal Manual do Usuário Versão 7.2 Copyright 2004/2014 - VLC As informações contidas neste manual são de propriedade da VLC Soluções Empresariais Ltda., e não poderão ser usadas, reproduzidas

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços.

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. 1 Apresentação: O Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços ou SIG-ISS é um sistema para gerenciamento do Imposto sobre

Leia mais

O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, e

O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, e DECRETO Nº 24.113 DE 14 DE ABRIL DE 2004 (Publicado no D O Rio de 15/04/2004) (Com as alterações do Decreto nº 24.170, de 05/05/2004) Altera a regulamentação das disposições da Lei 2.538, de 3 de março

Leia mais

Guia Prático da Escrituração Fiscal DIgital - EFD Infrmações Gerais sobre a EFD

Guia Prático da Escrituração Fiscal DIgital - EFD Infrmações Gerais sobre a EFD Guia Prático da Escrituração Fiscal DIgital - EFD Infrmações Gerais sobre a EFD Sumário: 1. INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A EFD 1. 1 APRESENTAÇÃO 1. 2 LEGISLAÇÃO 1. 3 DA APRESENTAÇÃO DO ARQUIVO DA EFD 1. 4

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA 6/07

INSTRUÇÃO NORMATIVA 6/07 INSTRUÇÃO NORMATIVA 6/07 Define contribuintes do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza obrigados a efetuar a Declaração Mensal- escrituração eletrônica mensal do livro fiscal, a ser realizada por

Leia mais

DECRETO Nº 1286/2015 Art. 1º Art. 2º

DECRETO Nº 1286/2015 Art. 1º Art. 2º DECRETO Nº 1286/2015 Regulamenta a Lei Complementar nº 048/2015, de 25 de março de 2015, que alterou o inciso I do 3º do artigo 13 da Lei Complementar nº 050 de 1988 Código Tributário Municipal. O PREFEITO

Leia mais

Pergunte à CPA. Nota Fiscal Eletrônica Modalidades de Contingência

Pergunte à CPA. Nota Fiscal Eletrônica Modalidades de Contingência 30/04/2013 Pergunte à CPA Nota Fiscal Eletrônica Modalidades de Contingência Apresentação: Helen Mattenhauer Oliveira 2 Conceito de Contingência para a NF- e A contingência é apenas de comunicação ou de

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-e NOTA CARIOCA. Acesso ao Sistema - Pessoa Física

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA - NFS-e NOTA CARIOCA. Acesso ao Sistema - Pessoa Física ELETRÔNICA - NFS-e NOTA CARIOCA Acesso ao Sistema - Pessoa Física Página 2 de 36 Índice ÍNDICE... 2 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS... 4 1.1. DEFINIÇÃO... 4 2. REGRAS PARA CADASTRAMENTO... 5 3. SENHA WEB... 6

Leia mais

Institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e e a Declaração Eletrônica de Serviços no Município de Seberi - RS, e dá outras providências.

Institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e e a Declaração Eletrônica de Serviços no Município de Seberi - RS, e dá outras providências. LEI MUNICIPAL N.º 3.835 /2014. Institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e e a Declaração Eletrônica de Serviços no Município de Seberi - RS, e dá outras providências. RENATO GEMELLI BONADIMAN,

Leia mais

DECRETO Nº 11.551 ----------------------------

DECRETO Nº 11.551 ---------------------------- Volta Redonda Sede do Governo do antigo Povoado de Santo Antônio, inicialmente Distrito de Paz, emancipada aos 17 dias do mês de Julho de 1954, berço da Siderurgia no Brasil. Dispõe sobre a instituição

Leia mais

1 CONCEITOS 2 - RECIBO PROVISÓRIO DE SERVIÇOS RPS

1 CONCEITOS 2 - RECIBO PROVISÓRIO DE SERVIÇOS RPS 1 CONCEITOS 1.01. O que é Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e? Considera-se Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e o documento de existência exclusivamente digital, gerado e armazenado eletronicamente

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO. Município de São Paulo

NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO. Município de São Paulo NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO Município de São Paulo 01. O que é Nota Fiscal Eletrônica de Serviços (NF-e)? Nota Fiscal Eletrônica de Serviços (NF-e) é o documento emitido e armazenado eletronicamente

Leia mais

Nota Fiscal de Serviço eletrônica NFSe. Manual de acesso e utilização do sistema

Nota Fiscal de Serviço eletrônica NFSe. Manual de acesso e utilização do sistema PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LEOPOLDO Nota Fiscal de Serviço eletrônica NFSe Manual de acesso e utilização do sistema Versão: 1.0.30 Maio/2011 SUMÁRIO 1. TELA INICIAL... 3 2. CADASTRO DO PRESTADOR... 4

Leia mais

NOVAS REGRAS DA NFS-e

NOVAS REGRAS DA NFS-e NOVAS REGRAS DA NFS-e Março/2012 2008 Decreto nº 8.596 de 27/11/2008. Portaria 064/2008 de 26/11/2008. Portaria 065/2008 de 26/11/2008. 2009 Decreto nº 8.683 de 26/03/2009. Portaria 022/2009 de 01/04/2009.

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO II DA DEFINIÇÃO DE MICROEMPRESA SOCIAL

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO II DA DEFINIÇÃO DE MICROEMPRESA SOCIAL ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR LEI Nº 6.559, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2004 Publicada no DOE em 31 de dezembro de 2004 DISPÕE SOBRE A MICROEMPRESA SOCIAL, ESTABELECENDO TRATAMENTO TRIBUTÁRIO DIFERENCIADO,

Leia mais

LEI MUNICIPAL N 4.884 de 13 de dezembro de 2013

LEI MUNICIPAL N 4.884 de 13 de dezembro de 2013 LEI MUNICIPAL N 4.884 de 13 de dezembro de 2013 Institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica NFS-e no Município de Três Passos. JOSÉ CARLOS ANZILIERO AMARAL, Prefeito em exercício de Três Passos, Estado

Leia mais

DECRETO Nº 10767/2010

DECRETO Nº 10767/2010 Publicado em 23/07/10. DECRETO Nº 10767/2010 Disciplina a emissão de notas fiscais de serviços no Município, define forma e prazo de recolhimento do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISSQN,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SMFA Nº 01/2010

INSTRUÇÃO NORMATIVA SMFA Nº 01/2010 INSTRUÇÃO NORMATIVA SMFA Nº 01/2010 Define as regras e os prestadores de serviços e substitutos tributários do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza obrigados a efetuar a Declaração Eletrônica Mensal

Leia mais