Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral. Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins. Dra. Luísa Maria do Rosário Roque

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral. Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins. Dra. Luísa Maria do Rosário Roque"

Transcrição

1 Modelo de Governo Mandato ( ) Quadro III Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Mesa da Assembleia Geral Presidente Secretário Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins Dra. Luísa Maria do Rosário Roque Presidente Vogal Executivo Conselho de Administração Dr. Eduardo Jorge dos Santos Carvalho Eng.º Luís Miguel Rochartre Álvares Fiscal Único Efectivo Suplente Pricewaterhousecoopers & Associados, Sociedade de Revisores Oficiais de Contas, Lda., representada pelo Dr. César Abel Rodrigues Gonçalves Dr. José Manuel Henriques Bernardo

2 Mandato ( ) Quadro II Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Mesa da Assembleia Geral Presidente Secretário Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins Dra. Luísa Maria do Rosário Roque Presidente Vogal Executivo Vogal Executivo Conselho de Administração Dr. Rui Jorge de Carvalho Vicente Ferreira Dr. Luís Miguel Peixoto Novais (1) Eng.º António Alexandre Martins Mendonça (2) Vogal Executivo Dr. Eduardo Jorge dos Santos Carvalho (3) CA Vogal Executivo M. Gen. José David Moura Marques Vogal não Executivo Eng.º Jorge Joaquim Crujo Camões Vogal não Executivo A designar Fiscal Único Efectivo Suplente PricewaterhouseCoopers & Associados, Sociedade de Revisores Oficiais de Contas, Lda., representada pelo Dr. César Abel Rodrigues Gonçalves Dr. José Manuel Henriques Bernardo DUE (1) Apresentou carta de renúncia com efeitos a partir de (2) Apresentou carta de renúncia com efeitos a partir de (3) Por cooptação, ratificado em de

3 Mandato ( ) Quadro I Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Mesa da Assembleia Geral Presidente Secretário Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins Dra. Luísa Maria do Rosário Roque Presidente Presidente Conselho de Administração Eng. Arnaldo Navarro Machado (1) Dr. António Jorge Fernandes Garcia Rolo (2) DUE Vogal Executivo Vogal Executivo Dr. Fernando Manuel Cardoso Vaz de Medeiros Dr. Marco Capitão Ferreira (3) DUE Vogal não Executivo Dr. Carlos Alberto Veiga Anjos Vogal não Executivo Dr. Bernardino António do Carmo Gomes Vogal não Executivo Dr. Pedro José Duarte Estrelo Rodrigues DUE Comissão de Auditoria Presidente Dr. Carlos Alberto Veiga Anjos Vogal Vogal não Executivo Dr. Bernardino António do Carmo Gomes Dr. Pedro José Duarte Estrelo Rodrigues Efectivo ROC Abreu & Cipriano, Auditores, SROC, representada por Dr. João Amaro Santos Cipriano (ROC nº 631) DUE (1) Apresentou carta de renúncia com efeitos a partir de (2) De até Vogal Executivo. Apresentou carta de renúncia com efeitos a partir de (3) De até Vogal não Executivo.

4 Estatuto remuneratório fixado Mandato Conforme estabelecido na Ata da Assembleia Geral realizada em 19 de Setembro de 2014, segue Estatuto remuneratório dos órgãos sociais: Mesa da Assembleia Geral Presidente: 650,00 Secretário : 400,00 A estes valores, correspondentes a senhas de presença, serão aplicadas as reduções remuneratórias vigentes, bem como outras que venham a ser legalmente determinadas. Conselho de Administração Presidente: Valor mensal ilíquido de 5.722,75, pago 14 vezes por ano, acrescido de 40% a título de abono mensal para despesas de representação, no montante de 2.289, 10 pago 12 vezes por ano; Vogal executivo: Valor mensal ilíquido de 4.578,20, pago 14 vezes por ano, acrescido de 40% a título de abono mensal para despesas de representação, no montante de 1.831,28, pago 12 vezes por ano; A estes valores ilíquidos serão aplicadas as reduções remuneratórias vigentes, bem como outras que venham a ser legalmente definidas. Os membros executivos do Conselho de Administração auferem ainda as seguintes regalias ou benefícios remuneratórios: i) Benefícios sociais de aplicação generalizada a todos os trabalhadores da empresa; ii) O valor mensal de combustível e portagens afeto às viaturas de serviço é de um quarto do valor do abono mensal para despesas de representação fixadas, nos termos definidos no n. º 3 do artigo 33.º do EGP; iii) Abono para despesas com comunicações, onde se inclui o telefone móvel, o telefone domiciliário e a internet, cujo valor máximo global mensal não pode exceder 80,00, nos termos do disposto nos n. os 3 e 4 do artigo 32.º do EGP.

5 Não é permitida: i) A atribuição de subsídio de refeição de valor superior ao fixado na Portaria n.º D/2008, de 31 de dezembro, alterada pela Portaria n.º 1 458/2009, de 31 de dezembro, nas condições previstas no artigo 43.º da Lei n.º 83-C/2013, de 31 de dezembro; ii) A utilização de cartões de crédito e outros instrumentos de pagamento, tendo por objeto a realização de despesas ao serviço da empresa, nos termos do disposto no n.º 1 do artigo 32.º do EGP; e iii) O reembolso de quaisquer despesas que possam ser consideradas como despesas de representação pessoal nos termos do disposto no n.º 2 do artigo 32.º do Estatuto do Gestor Público. De acordo com o disposto no artigo 4. º do Decreto-Lei n.º 8/2012, de 18 de janeiro, e no n.º 4 da RCM n.º 36/2012, de 26 de março, durante a vigência do Programa de Assistência Económica e Financeira, não há lugar à atribuição de prémios de gestão, conforme o disposto no artigo 41.º da Lei n.º 83-C/2013, de 31 de dezembro. Órgão de Fiscalização A remuneração anual ilíquida do fiscal único efetivo será a constante do contrato de prestação de serviços a celebrar entre o conselho de administração da empresa e o respetivo fiscal único efetivo, com o limite máximo equivalente a 22,5% da remuneração global mensal ilíquida atribuída, nos termos legais, ao presidente do conselho de administração da empresa. Ao valor mensal determinado serão aplicadas as reduções remuneratórias vigentes, bem como outras disposições que venham a ser legalmente determinadas. O valor da prestação de serviços será pago 12 vezes ao ano, ao qual acresce o IVA, à taxa legal em vigor. Deverão ser reembolsadas pela entidade ao fiscal único efetivo as despesas de transporte e alojamento bem como quaisquer outras realizadas no exercício das suas funções. Normas gerais Nos termos do artigo 256.º da Lei n.º 83-C/2013, de 31 de dezembro, que prorroga até 31 de dezembro de 2014 as medidas e efeitos, de natureza temporária, diretamente dependentes da vigência do Programa de Assistência Económica e Financeira, as remunerações a auferir efetivamente pelos membros dos órgãos sociais não podem exceder os montantes atribuídos à data de 1 de março de 2012, data de entrada em vigor da Resolução do Conselho de Ministros n.º 16/2012, de 14 de fevereiro, de

6 acordo com o disposto no n.º 21 da Resolução do Conselho de Ministros n.º 16/2012, de 14 de fevereiro, e no n.º 3 da Resolução do Conselho de Ministros n.º 36/2012, de 26 de março, sem prejuízo do eventual exercício da opção pelo vencimento do lugar de origem nas novas nomeações. Mandato A partir de 1 de Abril de 2012 (ver último ponto deste parágrafo) e conforme estabelecido na Ata da Assembleia Geral realizada em 17 de Outubro de 2012, as remunerações ilíquidas dos membros do Conselho de Administração, fixadas nos termos da Resolução de Conselho de Ministros n.º 16/2012, de 14 de fevereiro, e da Resolução de Conselho de Ministros n.º 36/2012, de 26 de março, são as seguintes: Presidente: Valor ilíquido de 5.722,75, acrescido de 40% a título de despesas de representação, no montante de 2.289,10. Vogais executivos: Valor ilíquido de 4.578,20, acrescido de 40% a título de despesas de representação, no montante de 1.831,28. Vogais não executivos: Valor ilíquido de 1.144,55, devendo, porém, acautelar-se o conjunto das disposições legais referentes à situação de acumulação de funções. A estes valores ilíquidos sejam aplicadas as reduções de 5% e 10%, respetivamente, nos termos do artigo 12º da Lei nº 12-A/2010 e do artigo 19ºda Lei nº 55-A/2010. Os gestores poderão optar pelo vencimento do lugar de origem, nos termos do disposto no n.º 9 do artigo 28.º do EGP articulado com o n.º 14 da RCM n.º 16/2012, de 14 de fevereiro. Para os membros da Mesa da Assembleia Geral sejam fixados os seguintes valores para as senhas de presença: Presidente: Valor ilíquido de 650 ; Secretário: Valor ilíquido de 400 ; A estes valores ilíquidos seja aplicada a redução nos termos do artigo 19º da Lei nº 55- A/2010. Ao Revisor Oficial de Contas seja atribuída uma remuneração ilíquida com o limite máximo equivalente a 22,5% da remuneração global do Presidente do Conselho Administração. Ao valor ilíquido seja aplicada a redução prevista no artigo 19º da Lei nº 55-A/2010. A todas estas remunerações sejam aplicadas outras reduções que vierem a ser legalmente determinadas.

7 Fixar em 80,00 mensais, o valor máximo das despesas associadas a comunicações, previstas no n.º 3 do artigo 32º do DL n.º 71/2007, de 27 de março, na redação dada pelo DL n.º 8/2012, de 18 de janeiro. Fixar em um quarto do valor do abono mensal para despesas de representação, o valor máximo de combustível e portagens afeto mensalmente às viaturas de serviço, nos termos do n.º 3 do artigo 33º do DL n.º 71/2007, de 27 de março, na redação dada pelo DL n.º 8/2012, de 18 de janeiro. Em cumprimento do preceituado no artigo 2.º da Lei n.º 28/2009, de 19 de Junho, declarar que, durante a vigência do PAEF, não há lugar à atribuição de prémios de gestão. Encontrase suspenso o pagamento dos subsídios de férias e de natal. As remunerações a auferir efetivamente pelos membros dos Órgãos Sociais não podem exceder os montantes atribuídos à data de , data de entrada em vigor da Resolução do Conselho de Ministros n.º 16/2012, de 14 de fevereiro. A fixação das remunerações dos membros dos órgãos sociais vertente reporta os seus efeitos à data de As remunerações dos órgãos sociais no ano de 2011, para o mandato e até 31 de Março de 2012, mantiveram o que foi definido na Ata n.º 1/2008, de 17 de julho de 2008 da Comissão de Fixação de Remunerações da EMPORDEF, (SGPS), SA.: Mesa Assembleia Geral: Presidente: senha de presença no valor de 500 euros Secretário: senha de presença no valor de 400 euros Conselho de Administração: Presidente: remuneração mensal ilíquida de euros (14 vezes/ano) Vogais executivos: remuneração mensal ilíquida de euros (14 vezes/ano) Vogais não executivos: remuneração mensal ilíquida de euros (14 vezes/ano) Vogais não executivos que integrem a Comissão de Auditoria: remuneração mensal ilíquida de 3.601,50 euros (14 vezes/ano) A estes valores forma deduzidos 5% e, adicionalmente, mais 10%, no cumprimento do determinado em Lei.

8 Remunerações e outras regalias (valores anuais) Remunerações de 2014 Mesa Assembleia Geral Mandato Remuneração Anual 2014 ( ) CARGO Nome Valor da Senha Fixado ( ) Bruta Reduções Remuneratórias (2) Valor após (Inicio-Fim) (1) Reduções (3)=(1)-(2) Presidente Mª Fernanda Joanaz Silva Martins 650, ,00 130, , Secretaria Luisa Mª do Rosário Roque 400,00 800,00 69,60 730,40 Remunerações de 2013 Mandato Estatuto Remuneração Anual ( ) (Inicio-Fim) CARGO Nome Remuneratório Bruta (2) Reduções Bruta após Fixado ( ) (1) (Lei OE) Reduções Presidente Mª Fernanda Joanaz Silva Martins 650, ,00 780, , Secretaria Luisa Mª do Rosário Roque 400, ,00 469,60 730,40 Legenda: (1) - Valor da Senha de presença fixada (2) - Antes de reduções remuneratórias Mesa da Assembleia Geral Mandato I Presidente Secretario Remuneração anual fixa/ Senhas Presença 0,00 400,00 Redução remuneratória* 0,00 0,00 Remuneração anual efetiva/ Senhas Presen. 0,00 400,00 * Decorrente da Lei 55-A/2010 ou Lei 64-B/2011, conforme aplicável 2012

9 Remunerações de 2014 Conselho de Administração Mandato Mandato Designação QPRLO (Inicio-Fim) CARGO Nome Forma (1) Data Identificar Entidade Pagadora (O/D) Presidente Eduardo Jorge dos Santos Carvalho Ata 19/09/2014 O Vogal Luis Miguel Rochartre Álvares Ata 19/09/2014 O Legenda: (1) - indicar Resolução (RV/DUE/Despacho (D) Nota: OPRLO - Opção pela Remuneração do Lugar de Origem; O/D: Origem/Destino EGP Membro do CA Valores mensais Brutos (Nome) Fixado Classificação Remuneração Base Despesas (S/N) (A/B/C) Representação Eduardo Jorge dos Santos Carvalho S A 5.772, ,10 Luis Miguel Rochartre Álvares S A 4.578, ,28 Nota: EGP - Estatuto do Gestor Público Remuneração Anual ( ) Membro do CA Reduções Valor após Reduções (Nome) Variável Fixa ** Bruta Remuneratorias (1) (2) (3)=(1)-(2) Eduardo Jorge dos Santos Carvalho 0, , , , ,09 Luis Miguel Rochartre Álvares 0, , , , ,92 Nota: Redução de anos anteriores: refere a remunerações regularizadas no ano em referencia pertencentes anos anteriores * Indicar os motivos subjacentes a este procedimento ** Incluir a remuneração + despesas de representação Membro do CA Sub. Refeição Beneficios Sociais ( ) Regime de Protecção Social Outros (Nome) Valor/Dia Montante pago Seguro de Saude Seguro de Vida Ano Identificar Valor Identificar Valor Eduardo Jorge dos Santos Carvalho 5, ,69 Segurança Social ,93 0,00 0,00 0,00 0,00 Luis Miguel Rochartre Álvares 5,71 365,44 Segurança Social 4.158,88 245,94 0,00 0,00 0,00 Gastos com Comunicações Móveis ( ) Membro do CA Plafond (Nome) mensal Valor Anual Observações Definido Eduardo Jorge dos Santos Carvalho 60,00 616,49 Luis Miguel Rochartre Álvares 50,00 86,52

10 Encargos com Viaturas Membro do CA Viatura Celebração Valor de referência Modalidade Ano Ano Valor da Gasto Anual com Nº Prestações (Nome) atribuida de Contrato da viatura (1) Inicio Termo Renda Mensal Rendas Contratuais (S/N) (S/N) ( ) (Identificar) ( ) ( ) Remanescentes Eduardo Jorge dos Santos Carvalho S N ,61 AOV , ,58 35 Luis Miguel Rochartre Álvares a) S N 0, Legenda: (1) aquisição; ALD; Leasing ou outra a) Esta a utilizar a viatura da Defloc,SA Planfond mensal Gastos anuais associados a Viaturas ( ) Membro do CA defenido para Combustivel Portagens Outras Seguro Observações (Nome) combustivel Reparações Eduardo Jorge dos Santos Carvalho 489, ,71 571,35 895,80 521,13 Luis Miguel Rochartre Álvares 391,43 635,89 361,70 0,00 0,00 Gastos anuais associados a Deslocações em Serviço Membro do CA Deslocações Custo com Ajudas de Outras Gasto total (Nome) em serviço alojamento custo Identificar Valor com viagens ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) Eduardo Jorge dos Santos Carvalho ,16 165,00 446,75 Visto e Refeições 121, ,33 Luis Miguel Rochartre Álvares 0,00 0,00 0,00-0,00 0,00 Remunerações de 2013 Remuneração Anual ( ) Nome Variável Fixa ** Outra Redução Redução Redução Bruta após Lei 12-A/2010 (Lei OE) anos anteriores * Reduções Rui Jorge de Carvalho Vicente Ferreira 0, ,51 0, , , ,46 Eduardo Jorge dos Santos Carvalho 0, ,16 0, , , ,92 José David Moura Marques 0, ,16 0, , , ,92 Jorge Joaquim Crujo Camões 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 Nota: Redução de anos anteriores: refere a remunerações regularizadas no ano em referencia pertencentes anos anteriores * Indicar os motivos subjacentes a este procedimento ** Incluir a remuneração + despesas de representação EGP QPRLO Despesas Identificar Nome Fixado Classificação Vencimento Representação Entidade Pagadora (S/N) (A/B/C) Valor (mensal) (Identifica/n.a) (O/D) Rui Jorge de Carvalho Vicente Ferreira Sim A 5.722, ,10 n.a n.a Eduardo Jorge dos Santos Carvalho Sim A 4.578, ,28 n.a n.a José David Moura Marques Sim A 4.578, ,28 n.a n.a Jorge Joaquim Crujo Camões Sim A n.a n.a ENVC,SA O Nota: EGAP - Estatuto do Gestor Público; OPRLO - Opção pela Remuneração do Lugar de Origem; O/D: Origem/Destino

11 Beneficios Sociais ( ) Sub. Regime de Protecção Seguro Seguro Seguro de Outros Nome Refeição Social de de acidentes Identificar Valor Saúde Vida pessoais Identificar Valor Rui Jorge de Carvalho Vicente Ferreira 1.279,04 Seg. Social ,63 0,00 0,00 0,00 n.a 0,00 Eduardo Jorge dos Santos Carvalho 1.393,24 Seg. Social ,05 0,00 0,00 0,00 n.a 0,00 José David Moura Marques 1.267,62 CGA ,92 0,00 0,00 0,00 n.a 0,00 Jorge Joaquim Crujo Camões 0,00 Seg. Social 0,00 0,00 0,00 0,00 n.a 0,00 Acumulação de funções - valores Anuais ( ) Nome Entidade Função Regime Bruta Redução (Lei OE) Bruta após Reduções (Identificar) (Identificar) (Publico/Privado) ( ) ( ) ( ) Rui Jorge de Carvalho Vicente Ferreira n.a n.a n.a 0,00 0,00 0,00 Eduardo Jorge dos Santos Carvalho Defaerloc,SA Vogal Publico 0,00 0,00 0,00 Defloc,SA Vogal Publico 0,00 0,00 0,00 Extra,SA Vogal Publico 0,00 0,00 0,00 IDD,SA Vogal Publico 0,00 0,00 0,00 Ribeira d'atalaia,sa Vogal Publico 0,00 0,00 0,00 Ogma Imobiliária,SA Vogal Publico 0,00 0,00 0,00 José David Moura Marques n.a n.a n.a 0,00 0,00 0,00 Jorge Joaquim Crujo Camões Empordef,SGPS,SA Vogal - não executivo Publico 0,00 0,00 0,00 ENVC,SA Presidente Publico , , ,92 A.A.,SA Presidente Publico 0,00 0,00 0,00 Nota: no caso do exercicio de funções ser em regime privado colocar n.a ( não Aplicável) nos campos reduções Gastos com Comunicações Móveis ( ) Nome Plafond Valor mensal Anual Observações Definido Rui Jorge de Carvalho Vicente Ferreira 60,00 191,30 Eduardo Jorge dos Santos Carvalho 50,00 337,15 José David Moura Marques 50,00 35,76 Jorge Joaquim Crujo Camões n.a n.a Encargos com Viaturas Viatura Celebração Matricula Valor de referência Modalidade Ano Ano Nº Valor da Valor Nome atribuida de Contrato da viatura (1) Inicio Termo Prestações Renda Mensal Anual (S/N) (S/N) ( ) (Identificar) ( ) ( ) Rui Jorge de Carvalho Vicente Ferreira Sim Não 09-IR ,00 AOV , ,52 Eduardo Jorge dos Santos Carvalho Sim Não 75-HM ,91 AOV , ,88 Eduardo Jorge dos Santos Carvalho Sim Não PX ,32 Aquisição José David Moura Marques Sim Não ZR ,00 Aquisição Jorge Joaquim Crujo Camões a) Sim Não n.a n.a n.a n.a n.a n.a n.a Legenda: (1) aquisição; ALD; Leasing ou outra a) Viatura dos ENVC,SA

12 Planfond Gastos anuais associados a Viaturas ( ) Nome mensal Combustivel Portagens Outras Seguro Observações defenido para Reparações Rui Jorge de Carvalho Vicente Ferreira 489, ,23 321,25 554, ,72 Eduardo Jorge dos Santos Carvalho 391, ,65 224,35 965,91 376,82 Total das duas viaturas José David Moura Marques 391, ,00 257, ,25 586,05 Jorge Joaquim Crujo Camões n.a n.a n.a n.a n.a n.a Gastos anuais associados a Deslocações em Serviço Nome Deslocações Custo com Ajudas de Outras Gasto total em serviço alojamento custo Identificar Valor com viagens ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) Rui Jorge de Carvalho Vicente Ferreira , ,61 987,36 Seguro Viagem 794, ,39 Eduardo Jorge dos Santos Carvalho 625,36 140,00 0,00 Seguro Viagem 36,71 802,07 José David Moura Marques 2.667,17 731,43 826,50 Seguro Viagem 323, ,15 Jorge Joaquim Crujo Camões n.a n.a n.a n.a n.a n.a

13 2. Conselho de Administração 2012 Presidente Dr. Vicente Ferreira Vogal Dr. Luis Miguel Novais Vogal Eng. António Mendonça Vogal Dr. Eduardo Carvalho VogalGen. José Moura Marques Vogal Não Executivo Eng. Jorge Camões Mandato I I I I I I Adaptado ao EGP (Sim/Não) Sim Sim Sim Sim Sim Sim Remuneração Total ( ) , , , , ,74 0,00 OPRLO Não Não Não Não Não Não Entidade de Origem (identificar) Entidade pagadora (origem/destino) 1.1.Remuneração Anual , , , , ,55 0, Despesas de Representação (Anual) ,62 0, , , ,35 0, Senha de presença (Valor Anual) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0, Redução decorrente da Lei 12-A/ , , , ,42 579,90 0, Redução decorrente da Lei 64-B/ , , , , ,82 0, Suspensão do pagamento dos subsidios de férias e natal , , , , ,44 0, Reduções de anos anteriores 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1. Remuneração Anual Efetiva Líquida ( ) , , , , ,74 0,00 2. Remuneração variável 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 3.Isenção de Horário de Trabalho (IHT) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 4.Outras (Sub. Ferias de 2011 (propocional)) 3.816, , ,31 0,00 0,00 0,00 Subsídio de deslocação 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 Subsídio de refeição 1.713,00 0,00 508,19 976,41 359,73 0,00 Encargos com benefícios sociais Regime de Proteção Social (ADSE/Seg.Social/Outros) , , , , ,92 0,00 Seguros de saúde 0,00 62,61 166,96 0,00 0,00 0,00 Seguros de vida 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 Seguro de Acidentes Pessoais 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 Outros (indicar) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 Acumulação de Funções de Gestão (S/N) Sim Não Sim Sim Não Sim Entidade (identificar) EID; OGMA a) b) c) Remuneração Anual 0,00 0, ,40 0,00 0, ,28 a) Defaerloc,SA; Extra,SA; Ribeira d'atalaia,sa; Ogma Imobiliária,SA; Defloc,SA;IDD,SA (parte do ano de 2012 de Set a Dez) b) Defaerloc,SA; Extra,SA; Ribeira d'atalaia,sa; Ogma Imobiliária,SA; Defloc,SA;IDD,SA c) ENVC,SA e Arsenal do Alfeite,SA Parque Automóvel Presidente Dr. Vicente Ferreira Vogal Dr. Luis Miguel Novais Vogal Eng. António Mendonça Vogal Dr. Eduardo Carvalho VogalGen. José Moura Marques Vogal Não Executivo Eng. Jorge Camões Mandato I I I I I I Modalidade de Utilização Operacional - - Operacional Operacional - Valor de referência da viatura nova 0, ,00 0,00 - Ano Inicio Ano Termo N.º prestações (se aplicável) Valor Residual , , Valor de renda/prestação anual da viatura de serviço 7.354, , Combustível gasto com a viatura 3.565, ,90 506,69 - Plafond anual Combustivel atribuído 4.403, , ,29 - Outros (Portagens / Reparações / Seguro) 838, ,20 747,45 - Limite definido conforme Art.º 33 do EGP (Sim/Não) Sim - - Sim Sim -

14 Parque Automóvel Presidente Dr. Vicente Ferreira Vogal Dr. Luis Miguel Novais Vogal Eng. António Mendonça Vogal Dr. Eduardo Carvalho VogalGen. José Moura Marques Vogal Não Executivo Eng. Jorge Camões Mandato I I I I I I Modalidade de Utilização Operacional Operacional Operacional Operacional - - Valor de referência da viatura nova 0,00 0,00 0,00 0, Ano Inicio Ano Termo N.º prestações (se aplicável) Valor Residual 5.036, , , , Valor de renda/prestação anual da viatura de serviço 2.234, , , , Combustível gasto com a viatura 0, , ,73 810, Plafond anual Combustivel atribuído 0, , , , Outros (Portagens / Reparações / Seguro) 0,00 0, ,34 736, Limite definido conforme Art.º 33 do EGP (Sim/Não) Sim Sim Sim Sim - - ROC/FU Remunerações de 2014 Mandato Identificação Designação Remuneração ( ) Nº de Mandatos (Inicio-Fim) SROC/ROC exercicios CARGO Nome Número Doc (1) Data Limite Fixado Contratada na sociedade Fiscal Único PricewaterhouseCoopers & Associados, Soc.Rev. Ofic. de Contas: 183 Ata 19/09/ , ,00 2 Representante Cesar Abel Rodrigues Gonçalves 740 Representante Ana Maria A vila de Oliveira Lopes Bertão 902 Fiscal Suplente José Manuel Henriques Bernardo 903 Nota: Deve ser identificada o efetivo (SROC e ROC) Legenda: (1) - indicar Resolução (RV/DUE/Despacho (D) Remuneração Anual 2014 ( ) Nome Bruta Redução Remuneratória Bruta após reduções (1) (2) (3)=(1)-(2) PricewaterhouseCoopers & Associados, Soc.Rev. Ofic. de Contas (a) , , ,60 (a) não facturada Remunerações de 2013 Remuneração Anual ( ) Nome Bruta Redução (Lei OE) Bruta após ( ) ( ) Reduções ( ) PricewaterhouseCoopers & Associados, Soc.Rev. Ofic. de Contas , , ,50

15 Unid: Fiscal Único Mandato I + II a) Remuneração anual auferida , ,74 Redução remuneratória* 0, ,74 Remuneração anual efetiva 0, ,00 * Decorrente da Lei 55-A/2010 ou Lei 64-B/2011, conforme aplicável a) Incluido valores referentes a 2011

16 Funções e Responsabilidades Áreas de Responsabilidade dos Membros do Conselho de Administração EMPORDEF Empresa Portuguesa de Defesa (SGPS), S.A. Pelouros/ Áreas Eduardo Carvalho Luís Rochartre Álvares Organização interna e dos Órgãos Sociais do Contratação de Serviços e Compras Grupo Relações com outros accionistas Gestão da partilha de serviços intra Grupo Controlo financeiro Interno e das Participadas Compliance Interno e do Grupo Auditorias Internas e Externas Gestão de Recursos Humanos Aprovação e Apresentação de Contas Representação Externa Institucional Controlo de Gestão e Reporting do Grupo Gestão Activos Imobiliários Relações com a Banca Relações Públicas e Media Relações com a DGTF e IGCP Gestão da Frota Automóvel Assessoria Jurídica Secretário-geral Eduardo Carvalho ENVC EEN Ribeira d Atalaia/Extra Edisoft Naval Rocha Empresas AA, SA IDD Defaerloc ETI Defloc EID OGMA Luís Rochartre Álvares

17 Síntese Curricular 1. Membros da Mesa da Assembleia-Geral 1.1 Presidente Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins Dados pessoais Estado Civil Casada Data de Nascimento 12 de setembro de 1959 Nacionalidade Portuguesa Habilitações académicas Licenciatura em Economia, pela Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa (1983) Pós Graduação em Gestão e Controlo de Dinheiros Públicos, pela Universidade Autónoma de Lisboa (2000) Curso conducente ao Mestrado em Gestão e Administração Pública, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (2006) Atividade profissional Na Administração Pública Direção-Geral do Tesouro e Finanças, Ministério das Finanças e da Administração Pública Diretora da Direção de Serviços das Participações do Estado (desde novembro/2007) Direção-Geral do Tesouro e Finanças, Ministério das Finanças e da Administração Pública Assessora na área de acompanhamento das empresas do Setor Empresarial do Estado ( ) INETI Instituto de Engenharia, Tecnologia e Inovação, Ministério da Inovação e Tecnologia Diretora de Serviços, responsável pelas áreas financeira e de património ( ) INGA Instituto Nacional de Garantia Agrícola Ministério da Agricultura Chefe de Serviço, responsável pela gestão financeira do Instituto ( ) Gabinete do Secretário de Estado do Tesouro e Finanças Ministério das Finanças Assessora (2000) IGCP Instituto de Gestão do Crédito Público Ministério das Finanças Técnico Superior do Gabinete de Estudos ( ) Direção-Geral da Junta do Crédito Público Ministério das Finanças Técnico Superior do Gabinete de Estudos ( ) Direção-Geral do Tesouro Ministério das Finanças Chefe de Divisão, responsável pelas Operações Ativas do Estado ( ) Direção-Geral do Tesouro Ministério das Finanças Técnico Superior, na área dos apoios financeiros dos Estado ( ) Outras Responsável pela representação de Portugal nos comités do FEOGA-Garantia ( ) Membro do Conselho Consultivo da Portugal Vela 2007, SA ( ) Secretária da Mesa da Assembleia Geral da EP Estradas de Portugal, SA Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Docapesca-Portos e Lotas, SA Vice-Presidente da Mesa da Assembleia Geral da AdP-Águas de Portugal, SA Presidente do Conselho Fiscal da Metro do Porto, SA

18 1.2. Secretária Dra. Luísa Maria do Rosário Roque Data de Nascimento: 25 de maio de 1965 Habilitações Académicas Especialização em Mercados Financeiros pelo I.F.B. Licenciatura em Gestão de Empresas pelo I.S.L.A. Bacharelato em Gestão de Empresas pelo I.S.L.A. Atividade Profissional 2001/ Quadro superior da DGTF, no âmbito da Departamento de Serviços de Participações do Estado, a exercer funções de assessoria técnica. 1996/2001 Quadro superior da DGTF, no âmbito da Direção de Apoios financeiros. 2000/2002 Exerceu funções de formadora no âmbito da DGTF 1989/1998 Exerceu funções de docente no ensino Secundário Outros Cargos: Presidente da Mesa da ANA Aeroportos de Portugal, SA Vice-Presidente da NAER Novo Aeroporto, SA Secretária da Mesa da Empordef Empresa Portuguesa de Defesa, SGPS, SA Presidente do Conselho Fiscal da FNMF Fundação Nacional Museu Ferroviário Presidente do Conselho Fiscal da APDL Administração dos Portos do Douro e Leixões, SA Representante do acionista Estado em várias empresas do SEE 2. Membros do Conselho de Administração 2.1. Administradores Executivos Presidente CA Dr. Eduardo Jorge dos Santos Carvalho Natural do Porto (nascido em 3 de julho de 1957) Casado e pai de 3 Filhos FORMAÇÃO ESCOLAR LICENCIATURA EM ECONOMIA PELA FACULDADE DE ECONOMIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS EUROPEUS PELA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA (PORTO).

19 MBA PELO ISCTE INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E EMPRESA. ATIVIDADE PROFISSIONAL REGULAR EM ORGANIZAÇÕES ADMINISTRADOR EXECUTIVO, CFO, na EMPORDEF EMPRESA PORTUGUESA DE DEFESA, SGPS, SA / Moçambique - ASSESSOR DA ADMINISTRAÇÃO DA SOPREL / Moçambique Diretor DE PLANEAMENTO E CONTROLO DE GESTÃO DO GRUPO DE EMPRESAS "JOÃO FERREIRA DOS SANTOS" / Moçambique, Angola e Quénia - Direção DA HLB-LISMÉTODO (MOÇAMBIQUE) AUDITORES E CONSULTORES, S.A.R.L / Moçambique - Direção (COM PARTICIPAÇÃO SOCIETÁRIA) DO CEAD - CENTRO DE ESTUDOS E APOIO AO DESENVOLVIMENTO / Moçambique Diretor, BCI - BANCO COMERCIAL E DE INVESTIMENTOS / Portugal Direção ADMINISTRATIVA e FINANCEIRA DE GRUPO DE EMPRESAS INDUSTRIAIS, EM DIFERENTES Setores DE Atividade (CONSTRUÇÃO CIVIL, GESTÃO IMOBILIÁRIA, FABRICO DE CALÇADO, REVENDA DE COMBUSTÍVEIS E Extração E COMERCIALIZAÇÃO DE ÁGUAS MINERAIS). ASSESSOR DA ADMINISTRAÇÃO, HERCULANO ALFAIAS RÍCOLAS, S.A. CONSULTOR, INREGILDE, S.A. ORIENTAÇÃO DA GESTÃO GLOBAL, 2002 CALÇADO, S.A / Portugal - RESPONSABILIDADE ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA, GRUPO PRATIK / JEFAR S / Portugal CONSULTOR, EUROEXPANSÃO-ESTUDOS E Projetos, S.A / Portugal - CONTROLER, COMPANHIA PORTUGUESA DO COBRE (PORTO).

20 ATIVIDADE DOCENTE Experiência de docência universitária, desde 1980, nas áreas da contabilidade, controlo de gestão e gestão financeira, em Portugal, Moçambique e Angola, nas seguintes escolas: UNIVERSIDADE CATÓLICA DE ANGOLA, I.S.C.T.E.M. - INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DE MOÇAMBIQUE, ISPU INSTITUTO SUPERIOR E POLITÉCNICO UNIVERSITÁRIO, FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO, UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA (NÚCLEO REGIONAL DO PORTO), I.E.S.F. - INSTITUTO SUPERIOR DE ESTUDOS FINANCEIROS E FISCAIS (PORTO), ESCOLA SUPERIOR DE BIOTECNOLOGIA (UNIVERSIDADE CATÓLICA - PORTO), INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO - IS (PORTO), INSTITUTO SUPERIOR DE ASSISTENTES E INTÉRPRETES ISAI (PORTO), ISCAP - INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO DO PORTO, UNIVERSIDADE PORTUCALENSE e FACULDADE DE ECONOMIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO. ATIVIDADE PROFISSIONAL / CONSULTORIA Vasta experiência de consultadoria económica, financeira, de gestão, investimento, fiscal, planeamento estratégico, sistemas de informação, patrimonial e formação, em Portugal, Moçambique, Angola, Cabo Verde, Tanzânia e Malawi. Trabalhos em grandes empresas e PME s, Associações empresariais, Governo, Administração Pública, Organizações Não Governamentais, Bancos multilaterais e Ordens profissionais. Vogal do CA Eng.º Luís Miguel Rochartre Álvares DADOS PESSOAIS Data de Nascimento: 10 de julho de 1962 Cédula Profissional nº da Ordem dos Engenheiros, com Nível de Qualificação de Membro Sénior SITUAÇÃO PROFISSIONAL Administrador Executivo da Empordef Empresa Portuguesa de Defesa (SGPS), S.A. Presidente do Conselho de Administração da Defloc Locação de Equipamentos de Defesa S.A.

21 Presidente do Conselho de Administração da Defaerloc Locação de Aeronaves Militares S.A. Administrador Executivo da ETI - Empordef Tecnologias de Informação SA HABILITAÇÕES ACADÉMICAS Licenciado em Engenharia Florestal pela Universidade de Trás os Montes e Alto Douro, em agosto de 1987 Executive Program for Non Profit Leaders, Graduate School of Business, Stanford University, Corporate Social Responsibility Strategies to create business and social value Harvard Business School, Harvard University, Business Strategies for Environmental Sustainability Graduate School of Business, Stanford University, EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL 1 - Funções dezembro de 1987 a novembro de Técnico superior no Projeto nº2 do PIDR de Trás-os-Montes. novembro de 1988 a setembro de Assistente 1ª Triénio da área científica de Silvicultura Geral na Escola Superior Agrária do Instituto Superior Politécnico de Bragança. setembro de 1989 a outubro de Responsável pelo sector de Investigação e Desenvolvimento na Silvicaima, Sociedade Silvícola Caima Lda. (atualmente Altri Florestal). outubro de 1996 a março de Secretário-Geral da AFLOPS - Associação de Produtores Florestais de Setúbal. março de 2000 a setembro Diretor Executivo da AFLOPS Associação de Produtores Florestais. De setembro 2002 a fevereiro de 2004 Secretário-geral da UNAC União da Floresta Mediterrânica. De maio de 2003 a novembro de 2011 Secretário-geral do BCSD Portugal Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável. De novembro 2011 a abril de Presidente do Conselho de Administração da IDD Indústria de Desmilitarização e Defesa S.A.

22 De Novembro 2011 a Setembro de 2014 Secretário-geral Empordef Empresa Portuguesa de Defesa (SGPS) SA 2 Outras funções Presidente da Comissão Técnica de Normalização 145 (CT145) Gestão Florestal Sustentável IPQ/ICNF, desde junho de Membro do conselho editorial da revista Indústria e Ambiente, desde Membro do Conselho Consultivo de Stakeholders do CITAB (Centro de Investigação de Teconologias Agro-Ambientais e Biológicas) UTAD, desde outubro Professor Convidado no ISEG, desde Membro do Conselho Geral da UTAD Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, desde 2013 Vogal do Conselho Regional Sul do Colégio de Engenharia Florestal, da Ordem dos Engenheiros, Distinções 2009 Stanford University Centre for Social Innovation Fellow 2011 WBCSD World Business Council for Sustainable Development, Order of Outstanding Contributors for Sustainable Development. 3. ROC/Fiscal Único A fiscalização da sociedade é exercida por um fiscal único, sendo que a entidade nomeada para o desempenho dessa função é a PricewaterhouseCoopers & Associados, SROC, Lda., inscrita na lista das Sociedades de Revisores Oficiais de Contas sob o nº 183 e na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários sob o nº 9077.

Estatuto remuneratório fixado

Estatuto remuneratório fixado Estatuto remuneratório fixado De acordo com o estabelecido pela Comissão de Vencimentos em 14 de abril de 2004, os membros dos Órgãos Sociais podem auferir as seguintes remunerações principais brutas:

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Conselho de Administração. Fiscal Único

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Conselho de Administração. Fiscal Único Modelo de Governo II 2014-2016 Cargo Órgãos Sociais Eleição Conselho de Administração Presidente Vogal (1) Vogal (2) Francisca Passo Valente Carneiro Fernandes José Manuel Matos da Silva Sandra Bela de

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Henrique Manuel Gil Martins Rogério Pereira Rodrigues Artur Manuel Trindade Mimoso.

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Henrique Manuel Gil Martins Rogério Pereira Rodrigues Artur Manuel Trindade Mimoso. Modelo de Governo Mandato III Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Presidente Vogal (1) Vogal (2) Henrique Manuel Gil Martins Rogério Pereira Rodrigues Artur Manuel Trindade Mimoso RCM nº8/2014 de 25.02

Leia mais

1. Estatuto remuneratório fixado para os Membros do Conselho de Administração

1. Estatuto remuneratório fixado para os Membros do Conselho de Administração Órgãos Sociais 1. Estatuto remuneratório fixado para os Membros do Conselho de Administração A. Competência para a Determinação Compete à Assembleia Geral a aprovação da política de remunerações dos membros

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração. Carlos José Cadavez Fernando Miguel P. Oliveira Pereira. José Joaquim Costa

Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração. Carlos José Cadavez Fernando Miguel P. Oliveira Pereira. José Joaquim Costa Modelo de Governo O Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, E. P. E, reveste a natureza de entidade pública Empresarial, e foi criado através do Decreto-Lei n.º 50-A/2007 de 28 de Fevereiro,

Leia mais

Finantia SGFTC, S.A. Relatório e Contas 2012

Finantia SGFTC, S.A. Relatório e Contas 2012 Finantia SGFTC, S.A. Relatório e Contas 2012 Finantia S.G.F.T.C., S.A. Rua General Firmino Miguel, nº 5 1º 1600-100 Lisboa Matrícula na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa e Pessoa Colectiva nº

Leia mais

Remunerações e outras regalias

Remunerações e outras regalias Remunerações e outras regalias 1. Mesa Assembleia Geral Não se aplica 2. Conselho de Administração Exercício de 2012 Adaptado ao EGP (Sim/Não) sim sim sim sim sim sim Remuneração Total (1.+2.+3.+4.) 69,863.78

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração FISCAL ÚNICO. Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração

Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração FISCAL ÚNICO. Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração Modelo de Governo Mandato 2015-2017 Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato Conselho de Administração Presidente Vogal (1) Vogal (2) Vogal (3) Vogal (4) José Manuel de Araújo Cardoso Manuel Basto Carvalho

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral Modelo de Governo Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Mesa da Assembleia Geral Presidente Secretário Secretário Professora Doutora Maria Helena Vaz de Carvalho Nazaré Dr. José Carlos Moreira Amaral (cessou

Leia mais

Estatuto remuneratório fixado

Estatuto remuneratório fixado Estatuto remuneratório fixado O estatuto remuneratório dos órgãos sociais para o mandato 2015-2017, fixado por deliberação social unânime por escrito de 1 de julho de 2015, estabelece: 1. Mesa Assembleia

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Modelo do Governo Mandato I - 2013-2015 Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Conselho de Administração Presidente: Fernando Manuel Marques Vogal Executivo: Diretora Clínica: Enfermeiro Diretor: Augusta

Leia mais

Revisor Oficial de Contas, desde 1990.

Revisor Oficial de Contas, desde 1990. 1. Dados pessoais Nome: Vitor Manuel Batista de Almeida Data de nascimento: 14 de Julho de 1956 Naturalidade: Lisboa Residência: Calçada das Lages, Lote 3, Nº 61-A, 14º C 1900-291 Lisboa Telefone casa:

Leia mais

SPORTING CLUBE DE PORTUGAL FUTEBOL, SAD

SPORTING CLUBE DE PORTUGAL FUTEBOL, SAD SPORTING CLUBE DE PORTUGAL FUTEBOL, SAD Sociedade Aberta Capital Social: 39 000 000 euros Capital Próprio: (42.442.000) euros Sede Social: Estádio José Alvalade - Rua Professor Fernando da Fonseca, Lisboa

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral Modelo de Governo Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Mesa da Assembleia Geral Vice- Secretário Dra. Sara Alexandra Pereira Simões Duarte Ambrósio Dra. Rita Maria Pereira Silva Dr. Cláudio José Sarmento

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quinta-feira, 30 de abril de 2015. Série. Número 77

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quinta-feira, 30 de abril de 2015. Série. Número 77 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quinta-feira, 30 de abril de 2015 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DOS ASSUNTOS PARLAMENTARES E EUROPEUS Despacho n.º 176/2015 Nomeia em regime de substituição,

Leia mais

BANCO SANTANDER TOTTA, SA 20. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES)

BANCO SANTANDER TOTTA, SA 20. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES) 20.1. Linhas de crédito e contas correntes [Empréstimos a taxa variável] Linha PME Crescimento 2015 Euribor a 6 meses + Spread 2,700% a 4,300% Entre 2,611% e 4,254% Prazo Máximo: 4 anos (inclui possibilidade

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral. Francisco Torres Sampaio Inês Alexandra Gomes da Costa. Conselho de Administração

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral. Francisco Torres Sampaio Inês Alexandra Gomes da Costa. Conselho de Administração Modelo de Governo O modelo de governo adoptado pela Polis Litoral Norte é o modelo clássico, composto pelo Conselho de Administração, Assembleia Geral e Fiscal Único, constituindo estes os seus órgão sociais

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER SGPS, S.A. (28.03.08) PROPOSTA RELATIVA AO PONTO 7 DA ORDEM DE TRABALHOS

ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER SGPS, S.A. (28.03.08) PROPOSTA RELATIVA AO PONTO 7 DA ORDEM DE TRABALHOS ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER SGPS, S.A. (28.03.08) PROPOSTA RELATIVA AO PONTO 7 DA ORDEM DE TRABALHOS (Deliberar sobre a eleição dos membros do Conselho Fiscal, para exercerem funções durante o quadriénio

Leia mais

2013/2015 2010/2012. 2. Fiscal Único 2013/2015

2013/2015 2010/2012. 2. Fiscal Único 2013/2015 Modelo de Governo O Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, E. P. E, reveste a natureza de entidade pública Empresarial, e foi criado através do Decreto-Lei n.º 50-A/2007 de 28 de Fevereiro,

Leia mais

PROPOSTA. relativa ao Ponto Cinco da Ordem do Dia da reunião da Assembleia Geral de Acionistas da. Espírito Santo Saúde SGPS. S.A.

PROPOSTA. relativa ao Ponto Cinco da Ordem do Dia da reunião da Assembleia Geral de Acionistas da. Espírito Santo Saúde SGPS. S.A. PROPOSTA relativa ao Ponto Cinco da Ordem do Dia da reunião da Assembleia Geral de Acionistas da Espírito Santo Saúde SGPS. S.A. Sociedade aberta (a Sociedade ) Convocada para dia 23 de maio de 2014 às

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER - SGPS, S.A. 14 de Maio de 2015

ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER - SGPS, S.A. 14 de Maio de 2015 ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER - SGPS, S.A. 14 de Maio de 2015 PROPOSTA RELATIVA AO PONTO 8 DA ORDEM DE TRABALHOS (Deliberar sobre a eleição dos membros do Conselho Fiscal para exercerem funções durante

Leia mais

A ação da Docapesca cinge-se, fundamentalmente, a duas atividades de negócio:

A ação da Docapesca cinge-se, fundamentalmente, a duas atividades de negócio: I - GOVERNO DA SOCIEDADE PRINCÍPIOS DE BOM GOVERNO 1. MISSÃO, OBJETIVOS E POLÍTICAS DA EMPRESA ENQUADRAMENTO A Docapesca Portos e Lotas, SA é a entidade que, nos termos do Decreto-Lei n.º 107/90, de 27

Leia mais

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS MESA DA ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS ABRIL 2011 PEDRO NUNO FERNANDES DE SÁ PESSANHA DA COSTA ABRIL 2011 PEDRO Nuno Fernandes de Sá PESSANHA da Costa Nascido em 1956. Habilitações: Licenciado em Direito

Leia mais

Europass curriculum vitae

Europass curriculum vitae Europass curriculum vitae DADOS E INFORMAÇÕES PESSOAIS Nome: João Paulo do Nascimento Pereira da Silva HABILITAÇÕES ACADÉMICAS Curso Superior de Contabilidade e Administração Fiscal (Ano letivo 1999/2000)

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Membro estagiária da Ordem dos Revisores Oficiais de Contas nº 112-E-2005 no período de 01/10/2005 a 30/09/2008.

CURRICULUM VITAE. Membro estagiária da Ordem dos Revisores Oficiais de Contas nº 112-E-2005 no período de 01/10/2005 a 30/09/2008. CURRICULUM VITAE I. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome: Catarina Gonçalves dos Santos Silva Siquet II. HABILITAÇÕES LITERÁRIAS, inscrita na Ordem dos Revisores Oficiais de Contas com o nº 1398, por deliberação

Leia mais

Mesa da Assembleia Geral

Mesa da Assembleia Geral Mesa da Assembleia Geral Remuneração Anual ( ) Cargo (Início Fim) Fixada (1) Bruto Pago 2009-2011 (*) Presidente da Mesa Paulo Marques Fernandes 640 1.280 (2) 2009-2011 (*) Vice-Presidente António Lorena

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia-geral. Não Aplicável. Conselho de Administração

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia-geral. Não Aplicável. Conselho de Administração Modelo de Governo Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Presidente Vice-Presidente Secretário Mesa da Assembleia-geral Não Aplicável Presidente Conselho de Administração Izabel Maria Nunes Rodrigues Daniel

Leia mais

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS MESA DA ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS ABRIL 2011 PEDRO NUNO FERNANDES DE SÁ PESSANHA DA COSTA ABRIL 2011 PEDRO Nuno Fernandes de Sá PESSANHA da Costa Nascido em 1956. Habilitações: Licenciado em Direito

Leia mais

Governo Mandato 2015 2017

Governo Mandato 2015 2017 Governo Mandato 2015 2017 Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato Conselho de Administração Presidente Vogal (1) Vogal (2) Vogal (3) Vogal (4) Margarida Fernanda Coelho Murta Rebelo da Silveira José Gaspar

Leia mais

Princípios de Bom Governo

Princípios de Bom Governo Princípios de Bom Governo Regulamentos internos e externos a que a empresa está sujeita Regulamentos Internos - Nova estrutura interna da sociedade: A EMPORDEF observa na organização da sua atividade os

Leia mais

PROPOSTA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONTABILIDADE

PROPOSTA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONTABILIDADE PROPOSTA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONTABILIDADE PROPOSTA Empresa/Sector: A constituir / Construção Civil Contacto: Lurdes Coelho Projeto: Prestação de serviços de contabilidade; Gestão do Projeto: Vitória

Leia mais

Legislação MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

Legislação MINISTÉRIO DAS FINANÇAS Diploma Decreto-Lei n.º 62/2005 11/03 Estado: Vigente Legislação Resumo: Transpõe para a ordem jurídica interna a Directiva n.º 2003/48/CE, do Conselho, de 3 de Junho, relativa à tributação dos rendimentos

Leia mais

TEATRO NACIONAL S. JOÃO

TEATRO NACIONAL S. JOÃO TEATRO NACIONAL S. JOÃO PLANO DE PREVENÇÃO DE RISCOS E CORRUPÇÃO E INFRAÇÕES CONEXAS 1 ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Missão... 4 3. Modelo de Governo e identificação dos responsáveis... 6 4. Organigrama...

Leia mais

Currículos. 1. Membros do Conselho de Administração. 1.1. Administradores Executivos. 1.1.1. Presidente CA Luís Filipe Ottolini Coimbra

Currículos. 1. Membros do Conselho de Administração. 1.1. Administradores Executivos. 1.1.1. Presidente CA Luís Filipe Ottolini Coimbra Currículos 1. Membros do Conselho de Administração 1.1. Administradores Executivos 1.1.1. Presidente CA Luís Filipe Ottolini Coimbra Ano de Nascimento: 1944 - Licenciatura em Engenharia Aeronáutica e Mecânica

Leia mais

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS MESA DA ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS ABRIL 2011 PEDRO NUNO FERNANDES DE SÁ PESSANHA DA COSTA ABRIL 2011 PEDRO Nuno Fernandes de Sá PESSANHA da Costa Nascido em 1956. Habilitações: Licenciado em Direito

Leia mais

Portaria 560/2004, de 26 de Maio

Portaria 560/2004, de 26 de Maio Portaria 560/2004, de 26 de Maio Aprova o Regulamento Específico da Medida «Apoio à Internacionalização da Economia A Resolução do Conselho de Ministros n.º 103/2002, de 17 de Junho, publicada em 26 de

Leia mais

Conferência Liberdade de Escolha da Escola - Os instrumentos da liberdade 30 de janeiro de 2015

Conferência Liberdade de Escolha da Escola - Os instrumentos da liberdade 30 de janeiro de 2015 2º PAINEL - LIBERDADE DE ESCOLHA DA ESCOLA: INSTRUMENTOS DE FINANCIAMENTO DA ESCOLA E DA ESCOLHA DAS FAMÍLIAS Luís Farrajota Subdiretor-Geral do Planeamento e Gestão Financeira Resumo O MEC além das despesas

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 16 de agosto de 2013. Série. Número 111

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 16 de agosto de 2013. Série. Número 111 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 16 de agosto de 2013 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS Portaria n.º 73/2013 Portaria que altera a Portaria n.º 129/2011,

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quinta-feira, 4 de junho de 2015. Série. Número 101

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quinta-feira, 4 de junho de 2015. Série. Número 101 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quinta-feira, 4 de junho de 2015 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DA ECONOMIA, TURISMO E CULTURA Despacho n.º 281/2015 Nomeia a licenciada em Ciências da Comunicação

Leia mais

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Trabalhadores por Conta de Outrem

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Trabalhadores por Conta de Outrem de Segurança Social Trabalhadores por Conta de Outrem Ficha Técnica Autor: (DGSS) - Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação (DSIA) - Direção de Serviços da Definição de Regimes Editor: DGSS Conceção

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA MADEIRA. --- DATA DA REUNIÃO: Dezassete de julho de dois mil e doze. --------------------------

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA MADEIRA. --- DATA DA REUNIÃO: Dezassete de julho de dois mil e doze. -------------------------- REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA MADEIRA AT A N º 18/2012 - JULHO --- DATA DA REUNIÃO: Dezassete de julho de dois mil e doze. -------------------------- --- LOCAL DA REUNIÃO: Sala das

Leia mais

Orçamento de Estado 2013 Workshop O que muda!

Orçamento de Estado 2013 Workshop O que muda! www.pwc.pt/academy Orçamento de Estado 2013 Workshop O que muda! Lisboa, 6 de março de 2013 Academia da PwC 3ª Edição Eficiência e eficácia para a sua gestão fiscal e económica! Orçamento de Estado 2013

Leia mais

CURRÍCULOS DOS MEMBROS PROPOSTOS PARA O CONSELHO FISCAL

CURRÍCULOS DOS MEMBROS PROPOSTOS PARA O CONSELHO FISCAL CURRÍCULOS DOS MEMBROS PROPOSTOS PARA O CONSELHO FISCAL Daniel Bessa Daniel Bessa Fernandes Coelho é desde junho de 2009 diretor geral da COTEC Portugal, Associação Empresarial para a Inovação. Desde junho

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Conselho de Administração. Fiscal Único. Fiscal Único. Conselho Consultivo

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Conselho de Administração. Fiscal Único. Fiscal Único. Conselho Consultivo Modelo de Governo Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Conselho de Administração (1) (2) Director Clínico (3) Enf. Director (4) Eng. Joaquim Nabais Esperancinha Dr. António José Horta Lérias Eng. João

Leia mais

Modelo de Governo. Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração. Presidente 2015-2017. Resolução 12/2015, de 12.

Modelo de Governo. Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração. Presidente 2015-2017. Resolução 12/2015, de 12. Modelo de Governo Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato Conselho de Administração Presidente João Manuel Alves da Silveira Ribeiro 12/2015, de 12.02(*) 2015-2017 Vogal (1 Mário de Figueiredo Bernardes

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 18 de julho de 2014. Série. Número 131

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 18 de julho de 2014. Série. Número 131 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 18 de julho de 2014 Série Número 131 Sumário SECRETARIA REGIONAL DA CULTURA, TURISMO E TRANSPORTES Despacho n.º 125/2014 Delega na Diretora Regional

Leia mais

Ministério da Ciência e Tecnologia

Ministério da Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência e Tecnologia Conselho de Ministros DECRETO nº.../07 de... de... Considerando que as aplicações pacíficas de energia atómica assumem cada vez mais um papel significativo no desenvolvimento

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação Empresarial da Região Autónoma da Madeira - Inovar 2020.- Portaria n.º 86/2016 de 2 de Março de 2016

Sistema de Incentivos à Inovação Empresarial da Região Autónoma da Madeira - Inovar 2020.- Portaria n.º 86/2016 de 2 de Março de 2016 FICHA TÉCNICA INOVAR 2020 Sistema de Incentivos à Inovação Empresarial da Região Autónoma da Madeira - Inovar 2020.- Portaria n.º 86/2016 de 2 de Março de 2016 Introdução O INOVAR 2020, Sistema de Incentivos

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 22 de janeiro de 2014. Série. Número 15

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 22 de janeiro de 2014. Série. Número 15 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 22 de janeiro de 2014 Série Suplemento Sumário SECRETARIA REGIONAL DO PLANO E FINANÇAS Aviso n.º 13/2014 Celebra o contrato de trabalho por tempo

Leia mais

Mesa da Assembleia Geral. Dr. Paulo Manuel Marques Fernandes Dr. Paulo Miguel Garcês Ventura Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins.

Mesa da Assembleia Geral. Dr. Paulo Manuel Marques Fernandes Dr. Paulo Miguel Garcês Ventura Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins. Modelo de Governo MANDATO ATUAL (*) Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Vice- Conselho de Administração Dr. António Manuel Palma Ramalho Dr. José Serrano Gordo Eng.º José Luis Ribeiro dos Santos Dr. Alberto

Leia mais

LEI DO ORÇAMENTO DE ESTADO PARA 2012. Lei n.º 64-B/2011, de 30 de Dezembro

LEI DO ORÇAMENTO DE ESTADO PARA 2012. Lei n.º 64-B/2011, de 30 de Dezembro LEI DO ORÇAMENTO DE ESTADO PARA 2012 Lei n.º 64-B/2011, de 30 de Dezembro Principais normas aplicáveis aos Municípios Este é um documento de trabalho que pretende agregar as principais normas aplicáveis

Leia mais

GESTÃO MESTRADO DESENVOLVE CONNOSCO AS TUAS COMPETÊNCIAS EM GESTÃO. REGIME PÓS-LABORAL DURAÇÃO 3 semestres N.º DE ECTS 90 créditos OBJETIVOS DO CURSO

GESTÃO MESTRADO DESENVOLVE CONNOSCO AS TUAS COMPETÊNCIAS EM GESTÃO. REGIME PÓS-LABORAL DURAÇÃO 3 semestres N.º DE ECTS 90 créditos OBJETIVOS DO CURSO MESTRADO GESTÃO DESENVOLVE CONNOSCO AS TUAS COMPETÊNCIAS EM GESTÃO REGIME PÓS-LABORAL DURAÇÃO 3 semestres N.º DE ECTS 90 créditos O mestrado em Gestão é uma novidade da oferta formativa da ESTG, para o

Leia mais

Lei Orgânica da Provedoria de Justiça

Lei Orgânica da Provedoria de Justiça Lei Orgânica da Provedoria de Justiça Decreto-Lei n.º 279/93, de 11 de Agosto (alterado pelo Decreto Lei N.º15/98, de 29 de Janeiro) (alterado pelo Decreto-Lei n.º 195/2001, de 27 de Junho) (alterado pelo

Leia mais

Manual do Revisor Oficial de Contas. Directriz de Revisão/Auditoria 841

Manual do Revisor Oficial de Contas. Directriz de Revisão/Auditoria 841 Directriz de Revisão/Auditoria 841 1 Dezembro de 2001 Verificação das Entradas em Espécie para Realização de Capital das Sociedades ÍNDICE Parágrafos INTRODUÇÃO 1-6 OBJECTIVO 7-8 PROCEDIMENTOS DE VERIFICAÇÃO

Leia mais

MEDIDAS DE CONSOLIDAÇÃO ORÇAMENTAL ADICIONAIS (PENSÕES, AJUDAS DE CUSTO E SUBSÍDIOS DE TRANSPORTE) Introdução

MEDIDAS DE CONSOLIDAÇÃO ORÇAMENTAL ADICIONAIS (PENSÕES, AJUDAS DE CUSTO E SUBSÍDIOS DE TRANSPORTE) Introdução MEDIDAS DE CONSOLIDAÇÃO ORÇAMENTAL ADICIONAIS (PENSÕES, AJUDAS DE CUSTO E SUBSÍDIOS DE TRANSPORTE) Introdução No âmbito da estratégia de consolidação orçamental adoptada pelo Governo, foi também publicado,

Leia mais

CTE Elegibilidades 2014 2020

CTE Elegibilidades 2014 2020 CTE Elegibilidades 2014 2020 Nota: O Comité de Acompanhamento de cada Programa poderá definir normas de elegibilidade adicionais próprias atenção aos termos da convocatória Sessão de esclarecimentos sobre

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 73/2013 de 1 de Julho de 2013

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 73/2013 de 1 de Julho de 2013 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 73/2013 de 1 de Julho de 2013 Tendo por aceite que os órgãos de gestão das unidades de saúde devem manter os seus representantes clínicos, mas

Leia mais

ESTATUTOS DA IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA, S. A. CAPÍTULO I. Natureza, denominação, duração, sede e objeto. Artigo 1.º. Natureza e denominação

ESTATUTOS DA IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA, S. A. CAPÍTULO I. Natureza, denominação, duração, sede e objeto. Artigo 1.º. Natureza e denominação ESTATUTOS DA IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA, S. A. CAPÍTULO I Natureza, denominação, duração, sede e objeto Artigo 1.º Natureza e denominação A sociedade tem a natureza de sociedade anónima de capitais

Leia mais

Comissões Euros (Mín/Máx) Em %

Comissões Euros (Mín/Máx) Em % 2.1. Crédito à habitação e contratos conexos Crédito Habitação /Conexo Produtos de Taxa indexada / Produtos de Taxa Fixa / Crédito Não residentes / Crédito Deficientes / Crédito Terreno iniciais 1. Iniciais

Leia mais

Princípios de Bom Governo

Princípios de Bom Governo Princípios de Bom Governo Regulamentos internos e externos a que a empresa está sujeita Sendo a STCP uma sociedade anónima, rege-se pelo previsto nos seus estatutos, aprovados pelo Decreto-Lei 202/94,

Leia mais

27 MARÇO 2014 A T A Nº. 07/2014

27 MARÇO 2014 A T A Nº. 07/2014 ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE VALENÇA REALIZADA NO DIA 27 DE MARÇO DE 2014. ------------------ - - - Aos vinte e sete dias do mês de março do ano dois mil e catorze, nesta cidade de Valença

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral Prof. Dr. Miguel Jorge de Campos Cruz

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral Prof. Dr. Miguel Jorge de Campos Cruz Modelo de Governo Mandato I Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Presidente Secretário Presidente não Executivo Vogal Vogal Presidente Vogal Efetivo - ROC Vogal Efetivo Vogal Suplente - ROC Mesa da Assembleia

Leia mais

II CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO EMPRESARIAL

II CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO EMPRESARIAL II CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO EMPRESARIAL (2012/2013) Organização Instituto de Direito do Trabalho da Faculdade de Direito de Lisboa Coordenação científica Profª Doutora Rosário Palma Ramalho Professora

Leia mais

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo da Cofidis, contém

Leia mais

OBRIGAÇÕES DECLARATIVAS 2016

OBRIGAÇÕES DECLARATIVAS 2016 OBRIGAÇÕES DECLARATIVAS 2016 Última atualização: janeiro 2016 IRS ATÉ AO DIA 11 Entrega da Declaração Mensal de Remunerações, por transmissão eletrónica de dados, pelas entidades devedoras de rendimentos

Leia mais

Simtejo - Saneamento Integrado dos Municípios do Tejo e Trancão, S.A. Relatório de Governo Societário 2014

Simtejo - Saneamento Integrado dos Municípios do Tejo e Trancão, S.A. Relatório de Governo Societário 2014 Relatório de Governo Societário 2014 Simtejo - Saneamento Integrado dos Municípios do Tejo e Trancão, S.A. Relatório de Governo Societário 2014 Índice 09 Introdução 09 1. Missão, Objetivos e Políticas

Leia mais

Curriculum Vitae. Elementos de identificação. Nome: Monteiro de Macedo /João Carlos. Natural de: (Angola) Nacionalidade: Portuguesa

Curriculum Vitae. Elementos de identificação. Nome: Monteiro de Macedo /João Carlos. Natural de: (Angola) Nacionalidade: Portuguesa 1 Curriculum Vitae Elementos de identificação Nome: Monteiro de Macedo /João Carlos Natural de: (Angola) Nacionalidade: Portuguesa Nascido em: 10 de Maio de 1959 Estado civil: Casado Cartão do cidadão

Leia mais

Revisão da Qualidade da Função de Auditoria Interna

Revisão da Qualidade da Função de Auditoria Interna www.pwc.pt/academia Revisão da Qualidade da Função de Auditoria Interna Lisboa, 5 de fevereiro de 2013 Academia da PwC 1ª Edição Líder na formação de executivos Revisão da Qualidade da Função de Auditoria

Leia mais

Informação Privilegiada DELIBERAÇÕES DA ASSEMBLEIA GERAL ANUAL

Informação Privilegiada DELIBERAÇÕES DA ASSEMBLEIA GERAL ANUAL DELIBERAÇÕES DA ASSEMBLEIA GERAL ANUAL Reuters: EDP.LS Bloomberg: EDP PL Lisboa, 22 de Abril de 2015: A EDP Energias de Portugal, S.A. ( EDP ) vem informar os accionistas e o mercado em geral de que, na

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO 3962-(2) Diário da República, 1.ª série N.º 147 31 de julho de 2012 MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO Portaria n.º 225-A/2012 de 31 de julho As importantes reformas que estão a ser implementadas na economia

Leia mais

ALGUMAS REGRAS DE FUNCIONAMENTO PARA A CONTABILIDADE DO DECIVIL. 1. Enquadramento

ALGUMAS REGRAS DE FUNCIONAMENTO PARA A CONTABILIDADE DO DECIVIL. 1. Enquadramento ALGUMAS REGRAS DE FUNCIONAMENTO PARA A CONTABILIDADE DO DECIVIL 1. Enquadramento É essencial assegurar a uniformidade de procedimentos em todos os Serviços de Contabilidade do IST que dispõem de autonomia

Leia mais

Decreto n.º 30/79 Acordo Especial de Cooperação no Sector Eléctrico entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da República Popular de Angola

Decreto n.º 30/79 Acordo Especial de Cooperação no Sector Eléctrico entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da República Popular de Angola Decreto n.º 30/79 Acordo Especial de Cooperação no Sector Eléctrico entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da República Popular de Angola O Governo decreta, nos termos da alínea c) do artigo

Leia mais

1.827.036,84 + IVA E APROVAÇÃO DE MINUTA DO CONTRATO...

1.827.036,84 + IVA E APROVAÇÃO DE MINUTA DO CONTRATO... PONTO 1 APROVAÇÃO DA ACTA DA REUNIÃO ANTERIOR.... PONTO 2 PERÍODO DE ANTES DA ORDEM DO DIA ASSUNTOS DE INTERESSE CONCELHIO.... PONTO 3 - INFORMAÇÃO PRESTADA PELO CHEFE DE DIVISÃO DE OBRAS MUNICIPAIS ENG.º

Leia mais

Técnico Oficial de Contas de diversas empresas do Grupo.

Técnico Oficial de Contas de diversas empresas do Grupo. 1. Identificação Nome: David Miguel Ribeiro Maurício Bedo Data de nascimento: 6 de Março de 1977 Nacionalidade: Portuguesa e-mail: davidbedo@uac.pt 2. Actividade Actual Grupo Paim Responsável pelo Departamento

Leia mais

Preçário. Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas de Crédito Agrícola Mútuo

Preçário. Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas de Crédito Agrícola Mútuo Preçário CAIXA CENTRAL - CAIXA CENTRAL DE CRÉDITO AGRICOLA MÚTUO, CRL E CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO DO SISTEMA INTEGRADO DO CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas

Leia mais

Docentes Ana Barros. Investigadora do INESC Porto, desde 2011. Doutorada em Engenharia e Gestão pelo Instituto Superior Técnico, UTL. MBA em logística e empreendedorismo pela Universidade Técnica de Munique.

Leia mais

TERMO DE ACEITAÇÃO DA DECISÃO DE APROVAÇÃO

TERMO DE ACEITAÇÃO DA DECISÃO DE APROVAÇÃO DA DECISÃO DE APROVAÇÃO Entidade Beneficiária Principal: Acrónimo e Designação do Projecto: Referência PAD 2003-2006: Considerando que, por despacho do Ministro Adjunto do Primeiro-Ministro, foi aprovada

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 231 29 de novembro de 2012 6815

Diário da República, 1.ª série N.º 231 29 de novembro de 2012 6815 Diário da República, 1.ª série N.º 231 29 de novembro de 2012 6815 Artigo 7.º São revogadas as Portarias n. os 513/2007, 518/2007, 556/2007 e 561/2007, todas de 30 de abril. Artigo 8.º O Ministro de Estado

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS ORGANIZAÇÃO

CONDIÇÕES GERAIS ORGANIZAÇÃO CONDIÇÕES GERAIS O presente programa/ catálogo é o documento informativo no qual se inserem as presentes condições gerais, dele fazendo parte integrante e que constituem, na ausência de documento autónomo

Leia mais

MGI Internacional. Presença em mais de 80 países

MGI Internacional. Presença em mais de 80 países MGI Internacional Presença em mais de 80 países Presente em mais de 80 países e com mais de 280 escritórios em todos os Continentes, a MGI é uma das maiores associações internacionais de empresas independentes

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE. L. Graça, R. Carvalho & M. Borges, SROC, Lda.

APRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE. L. Graça, R. Carvalho & M. Borges, SROC, Lda. APRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE L. Graça, R. Carvalho & M. Borges, SROC, Lda. I A SOCIEDADE RAZÃO SOCIAL : L. GRAÇA, R. CARVALHO & CONSTITUIÇÃO : 17 DE OUTUBRO DE 2001. INSCRIÇÃO : N.º 177 na Ordem dos Revisores

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA. Lei n.º 2/13 de 7 de Março

REPÚBLICA DE ANGOLA. Lei n.º 2/13 de 7 de Março REPÚBLICA DE ANGOLA ASSEMBLEIA NACIONAL Lei n.º 2/13 de 7 de Março O Orçamento Geral do Estado é o principal instrumento da política económica e financeira do Estado Angolano que, expresso em termos de

Leia mais

18. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES)

18. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES) 18.1. Crédito à habitação e contratos conexos Empréstimos a taxa variável Taxa anual nominal (TAN) Taxa anual efetiva (TAE) CH Taxa Indexada - Euribor 12M Euribor 12 m + spread 1,95% a 5,8% 2,998% 13 a

Leia mais

DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL N.º 014/2003

DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL N.º 014/2003 DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL N.º 014/2003 REESTRUTURA OS FUNDOS ESCOLARES DOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO E EXTINGUE O FUNDO REGIONAL DE ACÇÃO SOCIAL ESCOLAR Criado pelo Decreto Regulamentar Regional n.º

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Conselho de Administração

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Conselho de Administração Modelo de Governo Mandato 2012 (a partir de 25 de janeiro de 2012) - 2014 Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Conselho de Administração Presidente Vogal (1) Vogal (2) Vogal (3) Vogal (4) Margarida Fernanda

Leia mais

30 Novembro 2012. Especial Tax News Flash - OE 2013 Medidas que fazem diferença

30 Novembro 2012. Especial Tax News Flash - OE 2013 Medidas que fazem diferença 30 Novembro 2012 Especial Tax News Flash - OE 2013 Medidas que fazem diferença Índice Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS) 4 Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) 5 Imposto do selo

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Segunda-feira, 4 de maio de 2015. Série. Número 78

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Segunda-feira, 4 de maio de 2015. Série. Número 78 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 4 de maio de 2015 Série Suplemento Sumário SECRETARIA REGIONAL DOS ASSUNTOS PARLAMENTARES E EUROPEUS Despacho n.º 191/2015 Nomeia em regime de substituição,

Leia mais

Flash fiscal Memorando de Entendimento Principais medidas fiscais 13 Maio de 2011

Flash fiscal Memorando de Entendimento Principais medidas fiscais 13 Maio de 2011 www.pwc.com/ptpt Flash fiscal Memorando de Entendimento Principais medidas fiscais 13 Maio de 2011 Foi divulgado o Memorando de Entendimento entre o Português, a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu

Leia mais

Junta de Freguesia de S. Victor Município de Braga Regulamento Geral de Taxas e Licenças

Junta de Freguesia de S. Victor Município de Braga Regulamento Geral de Taxas e Licenças Junta de Freguesia de S. Victor Município de Braga Regulamento Geral de Taxas e Licenças da Freguesia de S. Victor 1 REGULAMENTO GERAL DE TAXAS E LICENÇAS FREGUESIA DE S. VICTOR Em conformidade com o disposto

Leia mais

3574 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 139 18 de Junho de 2003 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E DO ENSINO SUPERIOR

3574 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 139 18 de Junho de 2003 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E DO ENSINO SUPERIOR 3574 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 139 18 de Junho de 2003 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E DO ENSINO SUPERIOR Decreto-Lei n. o 120/2003 de 18 de Junho A Lei Orgânica do Ministério da Ciência e do Ensino Superior,

Leia mais

SOLUÇÕES MOÇAMBIQUE-EMPRESAS JULHO 2013

SOLUÇÕES MOÇAMBIQUE-EMPRESAS JULHO 2013 JULHO 2013 EM MOÇAMBIQUE, COMO EM PORTUGAL O BPI e o BCI disponibilizam as Soluções Moçambique-Empresas, um conjunto de produtos e serviços desenhados para empresas que pretendam investir ou exportar para

Leia mais

IBERSOL S.G.P.S., S.A.

IBERSOL S.G.P.S., S.A. IBERSOL S.G.P.S., S.A. Ex.º(ª) Senhor(ª) Presidente da Mesa PROPOSTA que apresenta o Conselho de Administração da IBERSOL, SGPS, SA. sobre o ponto 1 da Convocatória da Assembleia Geral Anual de Accionistas

Leia mais

Artigo 33.º * Zona Franca da Madeira e Zona Franca da ilha de Santa Maria

Artigo 33.º * Zona Franca da Madeira e Zona Franca da ilha de Santa Maria ESTATUTO DOS BENEFÍCIOS FISCAIS CAPÍTULO IV Benefícios fiscais às zonas francas Artigo 33.º * Zona Franca da Madeira e Zona Franca da ilha de Santa Maria 1- (Revogado pela Lei 64-B/2011, de 30 de Dezembro)

Leia mais

Ficha do Produto Postal PPR Plus (1)

Ficha do Produto Postal PPR Plus (1) Público-alvo Clientes interessados em constituir, a médio-longo prazo, um capital para complemento de reforma. Âmbito Seguro de Vida, do tipo capitalização. Entidade Gestora Companhia de Seguros: MAPFRE

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 09.03.2001 COM(2001) 128 final 2001/0067 (ACC) VOLUME IV Proposta de DECISÃO DO CONSELHO Relativa à posição da Comunidade no Conselho de Associação sobre a

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Diário da República, 1.ª série N.º 107 3 de junho de 2016 1731

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Diário da República, 1.ª série N.º 107 3 de junho de 2016 1731 Diário da República, 1.ª série N.º 107 3 de junho de 2016 1731 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Decreto do Presidente da República n.º 22/2016 de 3 de junho O Presidente da República decreta, nos termos do artigo

Leia mais

APCMG - Associação Portuguesa de Clínicas Médicas, Clínicas de Medicina Dentária, Médicos, Médicos Dentistas e Gestores de Clínicas NIPC: 508826020

APCMG - Associação Portuguesa de Clínicas Médicas, Clínicas de Medicina Dentária, Médicos, Médicos Dentistas e Gestores de Clínicas NIPC: 508826020 ESTATUTOS Artigo Primeiro (Denominação e sede social) 1 - A associação, sem fins lucrativos, adopta a denominação de APCMG - Associação Portuguesa de Clínicas Médicas, Clínicas de Medicina. 2 - A sociedade

Leia mais

GUIA PRÁTICO INSCRIÇÃO/ALTERAÇÃO MEMBROS ÓRGÃOS ESTATUTÁRIOS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO INSCRIÇÃO/ALTERAÇÃO MEMBROS ÓRGÃOS ESTATUTÁRIOS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO INSCRIÇÃO/ALTERAÇÃO MEMBROS ÓRGÃOS ESTATUTÁRIOS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÈCNICA TÍTULO Guia Prático - Inscrição/Alteração Membros dos Órgãos Estatutários (MOE) (1008 V5.13)

Leia mais

Linha de Crédito Comércio Investe - Documento de Divulgação - V.1

Linha de Crédito Comércio Investe - Documento de Divulgação - V.1 A presente linha de crédito surge como uma resposta às dificuldades das empresas no acesso ao financiamento, permitindo desta forma melhorar o suporte financeiro dos projetos aprovados no âmbito da Medida

Leia mais

ADITAMENTO AO RELATÓRIO DO GOVERNO DA SOCIEDADE 2007

ADITAMENTO AO RELATÓRIO DO GOVERNO DA SOCIEDADE 2007 ADITAMENTO AO RELATÓRIO DO GOVERNO DA SOCIEDADE 2007 SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS,SA Sociedade Aberta Capital Social: EUR 169.764.398 NIPC: 503 219 886 Matriculada na CRC da Amadora sob o

Leia mais