A REVISÃO FORMAL NOS ESTADOS UNIDOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A REVISÃO FORMAL NOS ESTADOS UNIDOS"

Transcrição

1 A REVISÃO FORMAL NOS ESTADOS UNIDOS

2 A arquitetura estadunidense já tem importância entre o final do século XIX e meados do século XX, mas é a partir de 1945 que a importância do país se transforma em liderança predominante. A II Guerra Mundial foi o resultado de uma profunda crise na Europa. A partir desta, algumas cidades ficam destruídas, suas organizações sociais se desarticulam e alguns de seus melhores intelectuais : Na filosofia Theodor Adorno, Herbert Marcuse, etc. Nas artes Max Ernst, Marcel Duchamp, etc. Na arquitetura Mies van der Rohe, Walter Gropius, Marcel Breuer Josep Lluís Sert, Ludwig Hiberseimer, Erich Mendelsohn, etc. emigram para os EUA. Outros já haviam emigrado anos antes (Richard Neutra, Eliel Saarinen, p. ex.) Alguns se instalaram de forma definitiva e outros regressaram mais tarde à Europa

3 Ao enorme potencial intrínseco dos EUA, acrescentaram-se as ideias e iniciativas destes europeus, e isso gerou uma enorme vantagem. No que se refere ao contexto estadunidense, a chegada das influências das vanguardas europeias provoca uma maior dispersão ao longo do país. Estas influências internacionais interagem sobre: -a grande variedade que apresenta a arquitetura estadunidense do final do séc XIX; - a diversidade de correntes autóctones e regionais, entre as quais se destacam a tradição de Wright e Neutra dentro da arquitetura californiana; - e a arquitetura do chamado Bay Region Style Outro fato relevante é o destacado potencial econômico que possui o país. Isso permitiu uma forte transformação do território e das cidades e provocou a geração de grandes escritórios de arquitetura não como os tradicionais escritórios dos arquitetos europeus, mas como autênticas empresas.

4 A CONTINUIDADE DA TRADIÇÃO DE WRIGHT: O MUSEU GUGGENHEIM Frank Lloyd Wright ( ) A mútua relação entre arquiteturas estadunidense e europeias é um fato que aconteceu durante todo o século XX. As obras dos precursores da arquitetura moderna e seus primeiros arranha-céus, assim como a arquitetura industrial dos EUA. Talvez seja Frank Lloyd Wright que ilustra melhor a constante influência entre EUA e Europa. A edição de revistas europeias dedicadas à obra de Wright foi uma referência chave para uma parte das experiências das vanguardas europeias, especialmente para o grupo holandês De Stijl. Por outro lado, Wright representava uma posição radicalmente individualista dentro do panorama da arquitetura. Devido a isso, sua obra se desenvolve como unidade esteticamente autônoma, independente de todo padrão comercial ou acadêmico.

5 Wtight odiava todo sistema e seguia confiando no controle individual do artista sobre seu próprio produto. Nos anos 50, uma obra de Wight voltou a apresentar-se como um paradigma da arquitetura, da intervenção urbana e dos edifícios: trata-se do Museu Solomom R. Guggenheim, em Nova York ( ), que em muitos aspectos é uma perfeita síntese das ideias arquitetônicas chave desenvolvidas ao longo dos anos por Wright. A obra se situa dentro da linha de projetos experimentados durante os anos 40 com base na figura do círculo e da espiral: toda uma série de casas unifamiliares casa Llewellyn Wright (1923), a casa Friedmann (1949).

6 Wright sintetiza no Guggenheim de Nova York dois dos aspectos essenciais de sua obra, aparentemente contraditórios, fruto de uma grande variedade de influências. Por um lado, a referência ao sólido, ao tectônico, às rochas, cavernas, que são expressas essencialmente no interior introvertido do edifício. Por outro lado, a busca do dinamismo das formas de união e das plataformas, das formas esbeltas e em movimento, em sintonia com o neoplasticismo, expressado nesse caso na rampa interior e nas faixas helicoidais que crescem no exterior.

7 O Neoplasticismo defendia uma total limpeza espacial para a pintura, reduzindo-a a seus elementos mais puros e buscando suas características mais próprias. Muitos de seus ideais foram expostos na revista De Stijl Composição II em vermelho, azul e amarelo Essa aproximação das artes revela-se nitidamente na grande participação e influência de arquitetos no De Stijl, visando a produção de um ambiente que fosse em si mesmo uma expressão artística. Composição com amarelo,azul e vermelho

8 O Guggenheim se trata de uma obra singular situada em Manhattan que rejeita qualquer relação tipológica de escala e de modulação com o entorno urbano. Em forma de espiral, a base do volume é mais estreita que a cobertura. Sobre a trajetória interior, a grande cúpula de vidro relembra o óculo do Panteão de Roma. Devido ao seu tratamento ornamental, a cúpula faz referência a um edifício religiosos A primeira experiência estética desse edifício é marcada pelo elevador, que ganha altura e o deposita no início da suave inclinação helicoidal, que o empurra lentamente até o nível do solo, em um movimento em espiral que permite saborear a ideia pura do espaço. Wright não pensou em um museu convencional, tradicional, mas sim em um lugar dedicado a experimentação e criação artística. Algumas dessas intervenções foram apresentadas no edifício conseguiram mostrar a singular capacidade de seu espaço helicoidal e central como suporte à experimentação artística de vanguarda.

9 O Guggenheim ocupa um lugar destacado dentro da história dos modelos arquitetônicos. Em certos aspectos formais lembra a ideia do espaço puro do Panteão de Roma, símbolo da passagem entre a primeira idade do espaço para a segunda idade do espaço. Em um reduzido espaço urbano, recria a nova forma de volumes articulados sobre plataformas que a segunda metade do século XX desenvolveu e que alguns autores irão chamar de terceira idade do espaço Nesta idade, recupera-se o valor dos volumes escultóricos da primeira idade do espaço. Ao mesmo tempo que o último Wright apresenta o balanço magistral de sua extensa obra, surpreende também com obras como o Centro Cívico de Marin Country em San Rafael, na Califórnia ( ), onde o excesso de formalismo parece anunciar pastiches pós-modernos.

10 FORMALISMO E ECLETISMO NA OBRA DE EERO SAARINEN Outro arquiteto cuja obra atualmente nos parece mais atraente e enigmática é Eero Saarinen nascido em 1910, na Finlândia. Emigrou para os EUA em 1923, formou-se em arquitetura por Yale em Em 1949, conseguiu o primeiro prêmio do concurso para o monumento a Jefferson em Saint Louis. Desde então até sua prematura morte em 1961 desenvolve atividade frenética, realizando uma grande quantidade de projetos e criando um grande escritório. Entre 1934 e 1936, viaja pela Europa e se interessa pelo sistema estrutural das antigas catedrais góticas. A obra de Saarinen embora esteja baseada na arquitetura moderna e na difusão do Estilo Internacional nos EUA, se desloca entre dois pontos muito distantes: -obras estritamente racionalistas com base nas formas retas e simples, de ascendência miesiana -obras exageradamente expressionistas, simbólicas e ornamentadas baseadas no alarde estrutural, nas formas livres e orgânicas.

11 De maneira incansável, Saarinen experimentava para cada um de seus projetos uma variedade enorme de soluções que se moviam entre os dois pólos formais contrapostos. No primeiro caso podemos encontrar obras como os cubos e prismas do Centro Técnico da General Motors, em Warren, Michigan (1955), ou como o Centro John Deere concluído em 1965, após a sua morte pro Kevin Roche. No segundo caso encontramos tanto terminais de aeroportos TWA no aeroporto Kennedy de Nova York ( ); como edifícios coletivos e esportivos em centros universitários, tais como o Hockey Ring da Universidade de Yale ( ), ou o Krege Auditorium, no MIT (1955)

12 Mediante esses projetos, Saarinen foi um dos primeiros arquitetos posteriores ao Movimento Moderno que tentou incorporar a metáfora à arquitetura contemporânea, situando as exigências funcionais em uma posição secundária. No segundo grupo de obras, Saarinen busca novas formas estruturais e de coberturas que permitam um novo repertório formal. Utiliza novos materiais, especialmente o concreto armado, e recorre a claras configurações orgânicas e referenciais simbólicos, como a forma de uma grande ave para o terminal da TWA. O fato de que as questões estéticas e simbólicas sabem estar sempre por cima das razões meramente materiais, estruturais, industriais e matemáticas, aproxima Saarinen de Jorn Utzon. A busca de formas curvas, que sejam simultaneamente estrutura e suporte de apoio, definem e qualificam os espaços, é um recurso que vai além do cálculo e das leis da estática para explorar os recursos mais expressivos monumentais e criativos da arquitetura.

13 Na embaixada americana em Londres, Saarinen recorre à forma funcionalista de um prisma deitado e consegue expressar o máximo de riqueza e exuberância com a utilização de uma série de recurosos: -duplo sistema sobreposto de modelos de janelas (dentro do mecanismo de dupla fachada previsto por Louis Kahn; -ornamentação no coroamento do edifício; -ênfase axial e monumental que introduz com a grande águia no cnetro da fahcada. No entanto, o edifício não consegue se adaptar ao ambiente urbano londrino. Uma série de fatos confluíram para um desenvolvimento inconcluso na sua experimentação arquitetônica: -sua ascendência nórdica e, concretamente, nórdica; -a influência das ideias organicistas e cirativas de seu pai -realização de suas obras nos anos 50, coincidindo com a crise dos princípios do Movimento Moderno -a necessidade de realizar uma grande quantidade de obras altamente representativas em muito pouco tempo.

Internacional. Singular geometria

Internacional. Singular geometria Internacional Singular geometria Escultórica e geometricamente complexa, a Casa da Música, criação do arquiteto holandês Rem Koolhaas, torna-se o mais novo edifício-ícone de Portugal. Criticada por sua

Leia mais

O MODERNISMO - ARQUITECTURA

O MODERNISMO - ARQUITECTURA O MODERNISMO - ARQUITECTURA ARTE VS TÉCNICA TRADIÇÃO VS MODERNIDADE ACADEMISMO VS FUNCIONALISMO FORMA VS FUNÇÃO BELO VS ÚTIL PAPEL DO ARQUITECTO NA SOCIEDADE O MODERNISMO - ARQUITECTURA ESCOLAS DE BELAS-ARTES

Leia mais

vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo

vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo 1. INTRODUÇÃO O curso de Arquitetura e Urbanismo da UNICAMP tem o propósito de preparar o arquiteto para ser um profissional capaz de compreender

Leia mais

PAISAGISMO MODERNO NA EUROPA E EUA

PAISAGISMO MODERNO NA EUROPA E EUA PAISAGISMO MODERNO NA EUROPA E EUA Euler Sandeville Jr. (FAU/USP; PROCAM/USP) Aion Poéticas da Paisagem e Ações Socioambientais fevereiro 2009 1 APRESENTAÇÃO OBJETIVOS O curso apresenta aspectos introdutórios

Leia mais

História da Arquitetura

História da Arquitetura História da Arquitetura Subdivisão da História da Arte - estudo da evolução histórica da arquitetura. Seus princípios Idéias Realizações História da arte Evolução das expressões artísticas, a constituição

Leia mais

REVITALIZAÇÕES PORTUÁRIAS NO MUNDO A TRANSFORMAÇÃO DAS CIDADES E A INCORPORAÇÃO DE NOVOS CONCEITOS

REVITALIZAÇÕES PORTUÁRIAS NO MUNDO A TRANSFORMAÇÃO DAS CIDADES E A INCORPORAÇÃO DE NOVOS CONCEITOS REVITALIZAÇÕES PORTUÁRIAS NO MUNDO A TRANSFORMAÇÃO DAS CIDADES E A INCORPORAÇÃO DE NOVOS CONCEITOS FRENTE MARÍTIMA ALGUMAS DAS CIDADES MAIS FASCINANTES DO MUNDO, COMO GÊNOVA, LISBOA, LONDRES, BARCELONA,

Leia mais

VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA

VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA Em seu sentido literal, vanguarda (vem do francês Avant Garde, guarda avante ) faz referência ao batalhão militar que precede as tropas em ataque durante

Leia mais

ILUMINAÇÃO NATURAL BREVE RETROSPECTIVA HISTÓRICA

ILUMINAÇÃO NATURAL BREVE RETROSPECTIVA HISTÓRICA ILUMINAÇÃO NATURAL BREVE RETROSPECTIVA HISTÓRICA A HISTÓRIA DA ILUMINAÇÃO NATURAL NA ARQUITETURA FAZ PARTE DA PRÓPRIA HISTÓRIA DA ARQUITETURA EGITO ANTIGO 2780 A.C A 2280 A.C. O GRANDE TEMPLO DE AMMON,

Leia mais

Fauvismo. Cubismo. Arte Conceptual, a Street Art e muitas outras.

Fauvismo. Cubismo. Arte Conceptual, a Street Art e muitas outras. A arte nasceu na Pré-História, quando o Homem primitivo decidiu fazer uns desenhos com sangue de animais, nas cavernas onde vivia, sendo denominada por Arte Rupestre. Por fim, chegamos á arte da actualidade,

Leia mais

Arquitetura: do repertório à prática

Arquitetura: do repertório à prática Arquitetura: do repertório à prática Arquiteto: - tecton, em grego, designava um artífice ligado à construção de objetos por junção de peças; - arqui, prefixo que indica superioridade. Arquitetura: Aurélio:

Leia mais

Pablo Picasso, 1907. MOMA, NY

Pablo Picasso, 1907. MOMA, NY Pablo Picasso, 1907. MOMA, NY Georges Braque, Homenagem à Bach, 1912 FrankLoyd Wright, Robie House, 1909. Chicago. Frank kloyd dwi Wright, Fallingwater house, 1936. Pensilvânia. i O art nouveau (arte

Leia mais

ESTUDO PARA INTERVENCAO EM MONUMENTOS E SITIOS HISTORICOS: O Caso do Mercado de Farinha de Caruaru-PE

ESTUDO PARA INTERVENCAO EM MONUMENTOS E SITIOS HISTORICOS: O Caso do Mercado de Farinha de Caruaru-PE ESTUDO PARA INTERVENCAO EM MONUMENTOS E SITIOS HISTORICOS: O Caso do Mercado de Farinha de Caruaru-PE TENORIO, LUCIENE A. (1); CARVALHO, AMANDA B. (2); ZHAYRA, ADELAIDE C. (3) 1. LVF Empreendimentos LTDA.

Leia mais

Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves

Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves História da Arquitetura 2008 O Concurso O Grand Palais começou a ser construído em 1897 para abrigar a Exposição Universal de 1900, envolvendo um complexo processo

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA CASA VIZINHA

Leia mais

UNIDADE I Arquitetura e Urbanismo: introdução conceitual Notas de aula Parte 1

UNIDADE I Arquitetura e Urbanismo: introdução conceitual Notas de aula Parte 1 DISCIPLINA: INTRODUÇÃO A ARQUITETURA E URBANISMO PROFESSORA: ELOANE CANTUÁRIA TURMAS: 1ARQV-1 e 1ARQN-1 UNIDADE I Arquitetura e Urbanismo: introdução conceitual Notas de aula Parte 1 MACAPÁ-AP MARÇO/2006

Leia mais

HISTÓRIA DO MOBILIÁRIO: BAUHAUS¹. Mazzini JR., E. G.²; Bisognin, E. L.², Côrrea, L.³, Bortoluzzi. C. G.³; Beck, L. A 4. RESUMO

HISTÓRIA DO MOBILIÁRIO: BAUHAUS¹. Mazzini JR., E. G.²; Bisognin, E. L.², Côrrea, L.³, Bortoluzzi. C. G.³; Beck, L. A 4. RESUMO HISTÓRIA DO MOBILIÁRIO: BAUHAUS¹ Mazzini JR., E. G.²; Bisognin, E. L.², Côrrea, L.³, Bortoluzzi. C. G.³; Beck, L. A 4. 1 Trabalho da linha de pesquisa: Design e Gestão do Produto, História, Estética e

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL Curso Superior de Tecnologia em Construção de Edifícios MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL Prof. Leandro Candido de Lemos Pinheiro leandro.pinheiro@riogrande.ifrs.edu.br Porque construir? Necessidade de se

Leia mais

ARQUITETURA A PARTIR DOS ANOS DE 1950 AULA 04 - ARQUITETURA BRITÂNICA DO PÓS GUERRA new brutalism e urban structuring

ARQUITETURA A PARTIR DOS ANOS DE 1950 AULA 04 - ARQUITETURA BRITÂNICA DO PÓS GUERRA new brutalism e urban structuring ARQUITETURA A PARTIR DOS ANOS DE 1950 AULA 04 - ARQUITETURA BRITÂNICA DO PÓS GUERRA new brutalism e urban structuring ARQUITETURA BRITÂNICA ARQUITETURA DESENVOLVIMENTO DO BRUTALISMO URBANISMO REVISÃO E

Leia mais

Modernismo nos EUA Antonio Castelnou

Modernismo nos EUA Antonio Castelnou Modernismo nos EUA Antonio Castelnou CASTELNOU Assinado de forma digital por CASTELNOU DN: cn=castelnou, c=

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA MURO CERCA

Leia mais

Estruturas de Aço - Dimensionamento Prático - 7ª Ed. Walter Pfeil Ed. LTC

Estruturas de Aço - Dimensionamento Prático - 7ª Ed. Walter Pfeil Ed. LTC Aula 1: Aula 01 Bibliografia Estruturas de Aço - Dimensionamento Prático - 7ª Ed. Walter Pfeil Ed. LTC Estruturas de aço, concreto e madeira : atendimento da expectativa dimensional Rebello, Yopanan Conrado

Leia mais

A CRISE DO MOVIMENTO MODERNO

A CRISE DO MOVIMENTO MODERNO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO Curso: Arquitetura e Urbanismo HISTÓRIA DA ARQUITETURA E DO URBANISMO III Prof. a Raquel Portes A CRISE

Leia mais

JAKOBSON, DUCHAMP E O ENSINO DE ARTE

JAKOBSON, DUCHAMP E O ENSINO DE ARTE JAKOBSON, DUCHAMP E O ENSINO DE ARTE Terezinha Losada Resumo: A obra Fonte de Marcel Duchamp é normalmente apontada pela crítica de arte como a síntese e a expressão mais radical da ruptura com a tradição

Leia mais

CONSTRUÇÃO PRÉ-FABRICADA TORRE DO BURGO CATARINA CARVALHO MIGUEL SIMÕES RAFAEL SANTOS C2 FAUP

CONSTRUÇÃO PRÉ-FABRICADA TORRE DO BURGO CATARINA CARVALHO MIGUEL SIMÕES RAFAEL SANTOS C2 FAUP CONSTRUÇÃO PRÉ-FABRICADA TORRE DO BURGO CATARINA CARVALHO MIGUEL SIMÕES RAFAEL SANTOS C2 FAUP ABSTRACT A construção pré-fabricada trata-se da utilização de elementos já produzidos antes do processo construtivo

Leia mais

2.2 FRANK LLOYD WRIGHT: ORIGENS DO DESIGN NA HOTELARIA? No ano de 1915, o arquiteto norte-americano Frank Lloyd Wright foi

2.2 FRANK LLOYD WRIGHT: ORIGENS DO DESIGN NA HOTELARIA? No ano de 1915, o arquiteto norte-americano Frank Lloyd Wright foi 30 2.2 FRANK LLOYD WRIGHT: ORIGENS DO DESIGN NA HOTELARIA? No ano de 1915, o arquiteto norte-americano Frank Lloyd Wright foi convidado para projetar o Hotel Imperial em Tóquio, no Japão. A obra deveria

Leia mais

Neoclássico. França: Panteão de Paris (Soufflot) Brasil: Casa França (Montigny) Bruno Maxwel 5715682 Franciele Santana 5935510 Lucas Calixto 5847264

Neoclássico. França: Panteão de Paris (Soufflot) Brasil: Casa França (Montigny) Bruno Maxwel 5715682 Franciele Santana 5935510 Lucas Calixto 5847264 Neoclássico França: Panteão de Paris (Soufflot) Brasil: Casa França (Montigny) Bruno Maxwel 5715682 Franciele Santana 5935510 Lucas Calixto 5847264 Definição Neoclássico Movimento cultural dado no século

Leia mais

Contexto do Dadaísmo

Contexto do Dadaísmo O Movimento Dadá Contexto do Dadaísmo O Movimento Dadá O movimento Dadá ou Dadaísmo foi uma vanguarda moderna iniciada em Zurique, em 1916, no chamado Cabaret Voltaire, por um grupo de escritores e artistas

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA A CASA HUBBE, PROJETADA POR MIES VAN DER ROHE, POSSUI

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA A CASA HUBBE, PROJETADA POR MIES VAN DER ROHE, POSSUI FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA ESQUADRIAS/PANOS

Leia mais

EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX

EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX História da Arte Profª Natalia Pieroni IDADE CONTEMPORÂNEA LINHA DO TEMPO - HISTORIOGRAFIA Período PRÉ-HISTÓRIA Origens do homem até 40000 a. C IDADE ANTIGA 40000

Leia mais

Telma de Barros Correia 1

Telma de Barros Correia 1 dossiê ART DÉCO O art déco na arquitetura brasileira Telma de Barros Correia 1 1 Docente na Escola de Engenharia de São Carlos USP. 1. Art déco na arquitetura Nada marcou mais o cenário das cidades brasileiras

Leia mais

INTERPRETAÇÃO DO ESPAÇO. Antonio Castelnou

INTERPRETAÇÃO DO ESPAÇO. Antonio Castelnou INTERPRETAÇÃO DO ESPAÇO Antonio Castelnou CASTELNOU Introdução No decorrer da história, nem todos os espaços arquitetônicos mereceram a atenção dos estudiosos, mas apenas aqueles que possuíam algum valor

Leia mais

EDITAL Nº 12/2011. Art. 1º O processo seletivo compreende o acesso de professores para ao quadro de docentes da Estácio FIC.

EDITAL Nº 12/2011. Art. 1º O processo seletivo compreende o acesso de professores para ao quadro de docentes da Estácio FIC. EDITAL Nº 12/21 Processo Seletivo de Docentes para os Cursos de Arquitetura e Urbanismo e Moda da Estácio FIC 21. A DIRETORA GERAL da Faculdade Estácio do Ceará - Estácio FIC, no uso de suas atribuições

Leia mais

minimalismo na arte e na publicidade

minimalismo na arte e na publicidade Minimalismo é o nome que se dá a um conjunto de movimentos artísticos na arte do século XX. Três são os principais: Construtivismo Vanguarda russa Modernismo. Ideologia fundamental: A geometria e as cores

Leia mais

HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I

HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I União Educacional do Norte Faculdade Uninorte Professora: Edinete Oliveira Arquiteta e Urbanista Tema: A ignorância da Arquitetura & As várias idades do

Leia mais

Intervenção em Bens Culturais. Centro de Ensino Superior do Amapá (CEAP) Prof.: Msc. Dinah Tutyia

Intervenção em Bens Culturais. Centro de Ensino Superior do Amapá (CEAP) Prof.: Msc. Dinah Tutyia Intervenção em Bens Culturais Edificados Centro de Ensino Superior do Amapá (CEAP) Prof.: Msc. Dinah Tutyia O QUE É UM PROJETO DE INTERVENÇÃO NO PATRIMÔNIO EDIFICADO? Compreende-se por Projeto de Intervenção

Leia mais

Shusterman insere cultura pop na academia

Shusterman insere cultura pop na academia São Paulo, quinta, 21 de maio de 1998 Shusterman insere cultura pop na academia PATRICIA DECIA da Reportagem Local O filósofo americano leva a cultura pop à academia. Em "Vivendo a Arte - O Pensamento

Leia mais

Paulo Mendes da Rocha Obra Completa

Paulo Mendes da Rocha Obra Completa Paulo Mendes da Rocha Obra Completa O livro com maior relevância sobre a obra da vida do arquiteto de Paulo Mendes da Rocha é lançando pela editora GGBrasil. Um estudo profundo em que o autor Daniele Pisani

Leia mais

O RELÓGIO CLÁSSICO SEGUNDO A ROLEX

O RELÓGIO CLÁSSICO SEGUNDO A ROLEX 2 O RELÓGIO CLÁSSICO SEGUNDO A ROLEX A Rolex apresenta a nova coleção Cellini, celebração contemporânea do estilo clássico e da elegância eterna dos relógios tradicionais. Composta de doze modelos de inspiração

Leia mais

Nº2 JUNHO 2002 SISTEMA DE FACHADA PLANAR VIDRO EXTERIOR AGRAFADO

Nº2 JUNHO 2002 SISTEMA DE FACHADA PLANAR VIDRO EXTERIOR AGRAFADO Nº2 JUNHO 2002 SISTEMA DE FACHADA PLANAR VIDRO EXTERIOR AGRAFADO Pedro Filipe Quaresma A monografia apresentada foi realizada no âmbito da cadeira de Tecnologias da Construção do 11ª Mestrado em Construção

Leia mais

O ROMPIMENTO DA TRADIÇAO NA ARQUITETURA CONTEMPORANEA PETER EISENMAN

O ROMPIMENTO DA TRADIÇAO NA ARQUITETURA CONTEMPORANEA PETER EISENMAN 369 O ROMPIMENTO DA TRADIÇAO NA ARQUITETURA CONTEMPORANEA PETER EISENMAN Natalia Catarine Tomé Marcondes¹, Bruna Bertoldo Marcondes¹, Eduardo Guimaraes¹, Fernando Piffer¹, Juliana Elaine dos Santos¹, Korina

Leia mais

05/09/12. ANÁLISE DOS PROJETOS: ARQUITETÔNICO/ URBANO Guia para estudo do projeto e estudos de caso

05/09/12. ANÁLISE DOS PROJETOS: ARQUITETÔNICO/ URBANO Guia para estudo do projeto e estudos de caso TEORIA E HISTÓRIA DA ARQUITETURA V Profa. Dra Deusa Maria R. Boaventura ANÁLISE DOS PROJETOS: ARQUITETÔNICO/ URBANO Guia para estudo do projeto e estudos de caso REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS SUGESTÃO DE

Leia mais

ARQUITETURA MODERNA BRASILEIRA (a partir de 1944)

ARQUITETURA MODERNA BRASILEIRA (a partir de 1944) ARQUITETURA MODERNA BRASILEIRA (a partir de 1944) Lúcio Costa e Oscar Niemeyer TEORIA E HISTÓRIA DA ARQUITETURA IV Profa. Dra. Deusa Maria R. Boaventura Profa. Isabela Ferrante 1. Arquitetura Moderna Brasileira

Leia mais

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2013 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO 2010-2012 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA ARQUITETURA E URBANISMO

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2013 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO 2010-2012 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA ARQUITETURA E URBANISMO PAVILHÕES Os edifícios para grandes exposições têm marcado a história da Arquitetura desde 1851, com a construção do Palácio de Cristal, concebido por Joseph Paxton para a primeira Exposição Universal,

Leia mais

LUZ E SOMBRA NA ARTE

LUZ E SOMBRA NA ARTE LUZ E SOMBRA NA ARTE A luz e a sombra são elementos fundamentais da linguagem visual. Com elas podemos criar no desenho, na pintura e escultura belíssimos efeitos como o de dilatação do espaço, o de profundidade

Leia mais

Título: A Influência Modernista na Formação dos Museus

Título: A Influência Modernista na Formação dos Museus Título: A Influência Modernista na Formação dos Museus Autor: Marina Byrro Ribeiro Formação: 1983 Graduação em Arquitetura na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Leia mais

HISTÓRIA DAS ARTES 12º ANO. Curriculo e Avaliação

HISTÓRIA DAS ARTES 12º ANO. Curriculo e Avaliação HISTÓRIA DAS ARTES 12º ANO Curriculo e Avaliação Bloco 1 - A arte, do Impressionismo ao Expressionismo Abstracto - Módulo 1 A Arte Impressionista e Pós-Impressionista. - Módulo 2 Arte, indústria, arquitectura

Leia mais

Mies e Artigas: a delimitação do espaço através de uma única cobertura 1

Mies e Artigas: a delimitação do espaço através de uma única cobertura 1 Mies e Artigas: a delimitação do espaço através de uma única cobertura 1 Marcio Cotrim A delimitação do espaço através de uma única cobertura, e da projeção da sombra resultante, esteve presente ao longo

Leia mais

Vanguardas Históricas I

Vanguardas Históricas I Vanguardas Históricas I As transformações do início do século XX e as vanguardas históricas Os avanços da ciência realizados a partir do século XIX mudaram a percepção da realidade e conduziram, no campo

Leia mais

06. Explique o método de pintura impressionista. Neste texto, correlacione a escolha da cor com o formato da pincelada?

06. Explique o método de pintura impressionista. Neste texto, correlacione a escolha da cor com o formato da pincelada? Estudo dirigido para o segundo ano do ensino médio, Artes Milton Gomes Coelho A arte do Impressionismo 01. Liste fatos que modificaram o ritmo das cidades no século XIX. Resposta: pág. 223 02. Relacione,

Leia mais

INTERVENÇÕES METÁLICAS EM EDIFICAÇÕES DE VALOR HISTÓRICO E CULTURAL: ESTUDOS DE CASO DE INTERFACES

INTERVENÇÕES METÁLICAS EM EDIFICAÇÕES DE VALOR HISTÓRICO E CULTURAL: ESTUDOS DE CASO DE INTERFACES INTERVENÇÕES METÁLICAS EM EDIFICAÇÕES DE VALOR HISTÓRICO E CULTURAL: ESTUDOS DE CASO DE INTERFACES Profª. Msc. Carolina Albuquerque de Moraes Prof. Dr. Luiz Fernando Loureiro Ribeiro São Paulo, Brasil

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO CÓDIGO 042 CÓD. CURSO CÓD. DISC. 17032441 CRÉDITOS UNIDADE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO DISCIPLINA Evolução das Artes Visuais II ETAPA 2ª Período

Leia mais

Análise de obra arquitetônica: O prédio do Museu Brasileiro da Escultura (MUBE), de Paulo Mendes da Rocha.

Análise de obra arquitetônica: O prédio do Museu Brasileiro da Escultura (MUBE), de Paulo Mendes da Rocha. Análise de obra arquitetônica: O prédio do Museu Brasileiro da Escultura (MUBE), de Paulo Mendes da Rocha. Por Talles Lucena, educador do MuBE. O prédio do Museu Brasileiro da Escultura é um projeto do

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

Aeroporto de Carrasco - Uruguai EM SINTONIA COM O MERCADO. À ALTURA DO SEU PROJETO.

Aeroporto de Carrasco - Uruguai EM SINTONIA COM O MERCADO. À ALTURA DO SEU PROJETO. Aeroporto de Carrasco - Uruguai EM SINTONIA COM O MERCADO. À ALTURA DO SEU PROJETO. Aeroporto de Carrasco - Uruguai Alumínio. Esta é a principal matéria-prima da Belmetal. Atuamos fortemente na distribuição

Leia mais

Daniel Senise Fernando Cocchiarale

Daniel Senise Fernando Cocchiarale Texto publicado no catálogo da exposição do artista na XX Bienal de São Paulo, em 1989 Fundada na necessidade essencial de marcar sua diferença em relação à representação naturalista, elaborada pelo Renascimento,

Leia mais

História da Arte - Linha do Tempo

História da Arte - Linha do Tempo História da Arte - Linha do Tempo PRÉ- HISTÓRIA (1000000 A 3600 a.c.) Primeiras manifestações artísticas. Pinturas e gravuras encontradas nas paredes das cavernas. Sangue de animais, saliva, fragmentos

Leia mais

Gestalt do Objeto. Teoria Geral da Gestalt. Fundamentado Cientificamente na

Gestalt do Objeto. Teoria Geral da Gestalt. Fundamentado Cientificamente na Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma Teoria Geral da Gestalt Fundamentado Cientificamente na Psicologia i da Percepção da Forma Prof. Dr. João Gomes Filho... Setembro. 2006 BIBLIOGRAFIA

Leia mais

Casa Tugendhat. A Casa Tugendhat foi projectada pelo Arquitecto Ludwing Mies Van Der Rohe ( 1886-1969) e localiza-se em Brno, na República Checa.

Casa Tugendhat. A Casa Tugendhat foi projectada pelo Arquitecto Ludwing Mies Van Der Rohe ( 1886-1969) e localiza-se em Brno, na República Checa. Casa Tugendhat Casa Tugendhat A Casa Tugendhat foi projectada pelo Arquitecto Ludwing Mies Van Der Rohe ( 1886-1969) e localiza-se em Brno, na República Checa. O ARQUITECTO Ludwing Mies Van der Rohe nasceu

Leia mais

6) - D A D A I S M O VANGUARDAS PROFESSORA CABRIELLA NOVELLO

6) - D A D A I S M O VANGUARDAS PROFESSORA CABRIELLA NOVELLO 6) - D A D A I S M O 1916 VANGUARDAS PROFESSORA CABRIELLA NOVELLO DADAISMO Dadaísmo Movimento de contestação artística que recusa todos os modelos plásticos e a própria ideia de arte. Nascido na Suiça,

Leia mais

EDITAL Nº 43/2012. Art. 4º O candidato deverá atender ao perfil estabelecido no quadro abaixo: 01*(CR)

EDITAL Nº 43/2012. Art. 4º O candidato deverá atender ao perfil estabelecido no quadro abaixo: 01*(CR) EDITAL Nº 43/22 Processo Seletivo de Docentes do Curso de e Urbanismo Estácio FIC 22. A REITORIA do Centro Universitário Estácio do Ceará - Estácio FIC, no uso de suas atribuições e regimentais, torna

Leia mais

C2faup. Construção em Light Steel Frame. Ana Luísa Mesquita Marco Moreira Orlando Guimarães

C2faup. Construção em Light Steel Frame. Ana Luísa Mesquita Marco Moreira Orlando Guimarães C2faup Construção em Light Steel Frame Ana Luísa Mesquita Marco Moreira Orlando Guimarães Introdução Neste trabalho pretendemos estudar o sistema construtivo de estrutura em aço leve, ou Light Steel Frame.

Leia mais

Aula 4 - Design Moderno e Contemporâneo 1920-Atualmente. professor Rafael Hoffmann

Aula 4 - Design Moderno e Contemporâneo 1920-Atualmente. professor Rafael Hoffmann Aula 4 - Design Moderno e Contemporâneo 1920-Atualmente professor Rafael Hoffmann Art Déco (1923-1938) Art Déco - Fim da Primeira Guerra. - Retorno a normalidade. - Tempos de paz e prosperidade. - Celebra

Leia mais

A ARQUITETURA. Professor H. Oliveira

A ARQUITETURA. Professor H. Oliveira A ARQUITETURA Professor H. Oliveira Quando os primeiros colonizadores portugueses fortificaram o litoral brasileiro e as ordens religiosas construíram os conventos e as igrejas, a arquitetura figurou como

Leia mais

Integração Laser Scanner - BIM

Integração Laser Scanner - BIM Fernando Cesar Ribeiro Toppar Engenharia de Levantamentos Marcelo Nepomuceno Uso da nuvem de pontos geradas em levantamentos por Laser Scanner para modelagem de geometria e informações para construção

Leia mais

APLICABILIDADE DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP

APLICABILIDADE DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP APLICABILIDADE DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP Autores: Nayra Yumi Tsutsumoto (1); Cesar Fabiano Fioriti (2) (1) Aluna de Graduação

Leia mais

Introducción a Museos y Arquitectura

Introducción a Museos y Arquitectura Versión digital en : http://www.uam.es/mikel.asensio Introducción a Museos y Arquitectura Paulo Roberto Sabino Universidade Federal de Minas Gerais Editor invitado del Volumen 8 O tema da arquitetura de

Leia mais

MASP. -Museu de Arte de São Paulo - Bruna Gimenez Maria Fernanda Piccoli Leandro Portela Thaís Fernandes

MASP. -Museu de Arte de São Paulo - Bruna Gimenez Maria Fernanda Piccoli Leandro Portela Thaís Fernandes -Museu de Arte de São Paulo - Bruna Gimenez Maria Fernanda Piccoli Leandro Portela Thaís Fernandes LINA BO BARDI Achillina Bo nasce em Roma a 5 de dezembro de 1914 Iniciado sua vida profissional, muda-se

Leia mais

Você se lembra da sua primeira experiência com vidro laminado? Como foi e como o vidro o ajudou em seu design?

Você se lembra da sua primeira experiência com vidro laminado? Como foi e como o vidro o ajudou em seu design? Notícias sobre vidro laminado 2014 ENTREVISTA MURPHY & JAHN ARCHITECTS FRANCISCO GONZALEZ-PULIDO: "EU REALMENTE QUERIA SER PARTE DO DESIGN" LGN conversou com Francisco Gonzalez-Pulido, presidente e sócio

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO DE ARTE PÚBLICA VIARTES

REGULAMENTO DO CONCURSO DE ARTE PÚBLICA VIARTES REGULAMENTO DO CONCURSO DE ARTE PÚBLICA VIARTES O ViaCatarina Shopping é um empreendimento comercial emblemático da baixa da cidade do Porto. A sua localização central na zona comercial mais antiga da

Leia mais

DAS ARTES. 1º semestre / 2012. Aula 4. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com

DAS ARTES. 1º semestre / 2012. Aula 4. Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão. masiscao@hotmail.com ESTÉTICA TICA E HISTÓRIA DAS ARTES 1º semestre / 2012 Aula 4 Prof. a M. a Marcela Provinciatto Siscão masiscao@hotmail.com 1 ANTIGUIDADE OCIDENTAL ARTE ANTIGA: ROMANA 2 Roma Antiga Extensão máxima território

Leia mais

AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO

AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO MÁRCIA MARIA PALHARES (márcia.palhares@uniube.br) RACHEL INÊS DA SILVA (bcpt2@uniube.br)

Leia mais

Movimentos, tendências e conceitos da arquitetura e urbanismo contemporâneo O Modernismo na Arquitetura: Le Corbusier no Brasil

Movimentos, tendências e conceitos da arquitetura e urbanismo contemporâneo O Modernismo na Arquitetura: Le Corbusier no Brasil O Modernismo na Arquitetura: Le Corbusier no Brasil Super-quadra (Brasília) Palácio Gustavo Capanema (Min. Educação Rio de Janeiro) Lúcio Costa Brasília / Superquadras Arquitetura Brasileira Pós-Brasília:

Leia mais

Arquitetura e Urbanismo na Cidade Brasileira Contemporânea Jacareí

Arquitetura e Urbanismo na Cidade Brasileira Contemporânea Jacareí Arquitetura e Urbanismo na Cidade Brasileira Contemporânea Jacareí A produção literária referente à arquitetura e urbanismo sempre foi caracterizada pela publicação de poucos títulos, baixa diversidade

Leia mais

PORTAS E JANELAS: A LIGAÇÃO DA CASA COM O MUNDO

PORTAS E JANELAS: A LIGAÇÃO DA CASA COM O MUNDO PORTAS E JANELAS: A LIGAÇÃO DA CASA COM O MUNDO É dito no ditado popular que os olhos de uma pessoa são as janelas de sua alma, trazendo este pensamento para uma residência, podemos entender que as janelas

Leia mais

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis. A casa # 8 1

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis. A casa # 8 1 A casa # 8 1 Marta Peixoto 2 1 Este trabalho se insere em uma pesquisa desenvolvida aqui no UniRitter - junto com o professor da FAU Sergio Moacir Marques - intitulada Domesticidade, tecido e o gosto neoplástico:

Leia mais

A concisa história de um projeto pedagógico para o design

A concisa história de um projeto pedagógico para o design A concisa história de um projeto pedagógico para o design Na Europa formaram dois eixos artísticos de diferentes orientações e que marcaram atuação nas primeiras décadas do século 20. Grupos, pelo choque

Leia mais

LINHAS ESPECIAIS CONSTRUÇÃO CIVIL

LINHAS ESPECIAIS CONSTRUÇÃO CIVIL LINHAS ESPECIAIS CONSTRUÇÃO CIVIL 01 Sumário 04 Esquadrias Master Inova Extrema Gold IV Única 08 Fachadas Soluta Citta Due ACM 12 Proteção & Estilo Brises Guarda-corpo Grades e Gradis Portão Vidro Temperado

Leia mais

ECO SHOPPING LAGOA DO PERI

ECO SHOPPING LAGOA DO PERI Boletim do Investimento Urbano Sustentável ECO SHOPPING LAGOA DO PERI A agenda estratégica de desenvolvimento sustentável Floripa 2030, constitui um marco para a mudança das formas de uso e ocupação do

Leia mais

Recreio dos Bandeirantes. Fotos Ilustrativas

Recreio dos Bandeirantes. Fotos Ilustrativas Praia, sol e mar inspirando seus negócios e suas férias. No Heritage você terá um belíssimo cartão postal na sua janela e serviços de primeira classe ao seu alcance. Ande descalço, sinta a leveza do mar,

Leia mais

Ivo Poças Martins, Fevereiro 2007. Texto da proposta seleccionada do concurso Intervenções na Cidade Trienal de Arquitectura de Lisboa

Ivo Poças Martins, Fevereiro 2007. Texto da proposta seleccionada do concurso Intervenções na Cidade Trienal de Arquitectura de Lisboa Ivo Poças Martins, Fevereiro 2007 Texto da proposta seleccionada do concurso Intervenções na Cidade Trienal de Arquitectura de Lisboa Praça de Espanha www.pocasmartins-seabra.com ( 1 ) ( 2 ) Com a União

Leia mais

Projeto, Lugar e Tempo

Projeto, Lugar e Tempo Arq. Caio Nogueira H. Cordeiro Projeto, Lugar e Tempo de Helio Piñón, in Teoria do Projeto Entre as lendas que contribuíram para o desconhecimento da arquitetura moderna, uma das falsidades assumidas com

Leia mais

PROFESSOR: EQUIPE DE EDUCAÇÃO ARTÍSTICA

PROFESSOR: EQUIPE DE EDUCAÇÃO ARTÍSTICA PROFESSOR: EQUIPE DE EDUCAÇÃO ARTÍSTICA BANCO DE QUESTÕES - EDUCAÇÃO ARTÍSTICA 3ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO - PARTE 3 =============================================================================================

Leia mais

Ensino em Dessau. Walter Gropius, Bauhaus de Dessau

Ensino em Dessau. Walter Gropius, Bauhaus de Dessau 1. Preliminar 2. Instrução em artesanato e Instrução em problemas da Forma 3. Instrução em arquitetura 4. Pesquisa individual no departamento de pesquisa da Bauhuas Ensino em Weimar Ensino em Dessau Maior

Leia mais

FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINAS DO 1º PERÍODO

FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINAS DO 1º PERÍODO FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINAS DO 1º PERÍODO Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 02406 Projeto A 068 FAU Projeto B 136 76074

Leia mais

Instauração: um conceito na filosofia de Goodman

Instauração: um conceito na filosofia de Goodman 92 Instauração: um conceito na filosofia de Goodman Noéli Ramme O artigo apresenta o conceito de instauração, noção fundamental na filosofia da arte de Nelson Goodman e com o qual se pretende tratar do

Leia mais

Prova Escrita de História da Cultura e das Artes

Prova Escrita de História da Cultura e das Artes EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 7/00, de 6 de Março Prova Escrita de História da Cultura e das Artes.º/.º Anos de Escolaridade Prova 7/.ª Fase 0 Páginas Duração da Prova: 0 minutos.

Leia mais

Releitura Fotográfica Jornalística das Obras de Vincent van Gogh 1

Releitura Fotográfica Jornalística das Obras de Vincent van Gogh 1 Releitura Fotográfica Jornalística das Obras de Vincent van Gogh 1 Gustavo KRELLING 2 Maria Zaclis Veiga FERREIRA 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR RESUMO O produto artístico é uma releitura fotográfica

Leia mais

L U M E A R Q U I T E T U R A. Projetores Air Landing, normalmente utilizados para faróis de aviões, enfatizam a leveza do monumento.

L U M E A R Q U I T E T U R A. Projetores Air Landing, normalmente utilizados para faróis de aviões, enfatizam a leveza do monumento. Projetores Air Landing, normalmente utilizados para faróis de aviões, enfatizam a leveza do monumento. c a p a Salas de exposições do mezanino. Obras de arte receberam mesmo sistema de iluminação flexível

Leia mais

Coberturas duráveis, com galvanização

Coberturas duráveis, com galvanização Coberturas duráveis, com galvanização A Fifa definiu que a Copa do Mundo de Futebol no Brasil, em 2014, deverá perseguir o que chamou de Green goals, ou seja, metas verdes, numa alusão à desejada sustentabilidade

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Coordenação do Curso de Arquitetura e Urbanismo

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Coordenação do Curso de Arquitetura e Urbanismo DISCIPLINAS OPTATIVAS ARQUITETURA E URBANISMO 2º semestre 2015 Bem-vinda(o). Conheça aqui as disciplinas optativas oferecidas neste semestre. Você deve escolher pelo menos 5 (cinco) disciplinas optativas

Leia mais

PAINÉIS METÁLICOS: PROSPECTANDO INOVAÇÕES. Autores: Vanda Alice Garcia Zanoni José Manoel Morales Sánchez

PAINÉIS METÁLICOS: PROSPECTANDO INOVAÇÕES. Autores: Vanda Alice Garcia Zanoni José Manoel Morales Sánchez PAINÉIS METÁLICOS: PROSPECTANDO INOVAÇÕES Autores: Vanda Alice Garcia Zanoni José Manoel Morales Sánchez PAINÉIS METÁLICOS: PROSPECTANDO INOVAÇÕES Objetivo: Apresentar uma revisão bibliográfica do uso

Leia mais

HISTÓRIA DO PRÉDIO DO MUSEU DA ESCOLA CATARINENSE

HISTÓRIA DO PRÉDIO DO MUSEU DA ESCOLA CATARINENSE HISTÓRIA DO PRÉDIO DO MUSEU DA ESCOLA CATARINENSE UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC Reitor: Prof. Antonio Heronaldo de Souza Vice Reitor: Prof. Marcus Tomasi Coordenação do Museu da Escola

Leia mais

Consumidores da Felicidade 1 : Um estudo sobre Consumo, Narcisismo e Pós- Modernidade. BRAGA, Moema Mesquita da Silva

Consumidores da Felicidade 1 : Um estudo sobre Consumo, Narcisismo e Pós- Modernidade. BRAGA, Moema Mesquita da Silva Consumidores da Felicidade 1 : Um estudo sobre Consumo, Narcisismo e Pós- Modernidade BRAGA, Moema Mesquita da Silva Resumo: Palavras Chave: Felicidade, Pós Modernidade, Narcisismo, Consumo. O Objetivo

Leia mais

aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaa Barroco Barroco Profª Adalgiza

aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaaa aaa Barroco Barroco Profª Adalgiza aaa Barroco Origem em Roma no final do século XVI; Disseminado por toda a Europa e, através dos colonizadores espanhóis e portugueses, pelas Américas; Pouco influente nos países protestantes. Suas características

Leia mais

Decoração de inverno. Hora de mudar o visual da casa, preparando-a para receber o frio

Decoração de inverno. Hora de mudar o visual da casa, preparando-a para receber o frio Foto Sérgio Israel Com a chegada da estação fria, vem também a oportunidade de tirar do armário os tapetes felpudos, as mantas de tricô e as almofadas de veludo. É o período do ano em que a casa se torna

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL RETROFIT DO EDIFÍCIO SUL AMÉRICA Autor(es): Fernando Pinheiro Monte Filho e Alessandra Nascimento de Lima O retrofit do edifício Galeria Sul América encontra-se em uma sequência temporal de modificação

Leia mais

Modelagem de informações de. construçãocapítulo1: Capítulo. Objetivo do capítulo

Modelagem de informações de. construçãocapítulo1: Capítulo. Objetivo do capítulo construçãocapítulo1: Capítulo 1 Modelagem de informações de A modelagem de informações de construção (BIM) é um fluxo de trabalho integrado baseado em informações coordenadas e confiáveis sobre um empreendimento,

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES REVISÃO. Aula 6.1 Conteúdo: Revisão da Unidade II

CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES REVISÃO. Aula 6.1 Conteúdo: Revisão da Unidade II Aula 6.1 Conteúdo: Revisão da Unidade II 1 Habilidades: Revisar os Conteúdos da Unidade II para realizar avaliação II. 2 Revisão 1 Barroco: expressão, do português homônimo, tem o sentido pérola imperfeita,

Leia mais

FLORENÇA. Data do Sec. I a. C.

FLORENÇA. Data do Sec. I a. C. FLORENÇA Data do Sec. I a. C. Cópia do Sec. XIX Pianta della Catena A cidade nasce da política, da observação do que existe, dos levantamentos feitos e da meditação na realidade a cidade não nasce, vai-se

Leia mais

Apresenta-se a seguir fotografias atuais do campus da Universidade de Virginia.

Apresenta-se a seguir fotografias atuais do campus da Universidade de Virginia. RIBEIRO, André 101 2.4 IMAGENS ATUAIS DO CAMPUS Apresenta-se a seguir fotografias atuais do campus da Universidade de Virginia. Fig.: 118 Fotografia de satélite do campus atual Fonte: Tele atlas Google

Leia mais