UNIX: Uma Breve Apresentação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIX: Uma Breve Apresentação"

Transcrição

1 Material Complementar EA869 (Prof. Von Zuben DCA/FEEC/Unicamp) 1 1. Introdução Este documento procura explorar os aspectos históricos envolvidos no desenvolvimento do sistema operacional UNIX com o objetivo de compreender melhor os princípios básicos associados a este sistema operacional interativo, de tempo compartilhado e multiprogramado (paralelismo aparente utilizando um único processador). Os pontos fortes do sistema operacional UNIX estão em sua portabilidade através de múltiplas plataformas de hardware, sua interface de programação de aplicativos e sua adoção como sistema operacional de um grande número de sistemas de computadores independentes. A essência do UNIX está no fato dele ter sido projetado por programadores para programadores, com o objetivo de apresentar um pequeno número de elementos básicos que possam ser combinados de diversas formas na realização dos mais variados tipos de tarefas. No entanto, é fato que as versões mais recentes do UNIX refletem cada vez menos os aspectos associados com sua idéia original de simplicidade e portabilidade, apresentando inclusive problemas de padronização e versões incompatíveis. Apesar disso, as diversas versões do UNIX ainda rodam em mais arquiteturas de computador do que qualquer outro sistema operacional conhecido, tendo inclusive sobrevivido a diversas mudanças tecnológicas ocorridas desde seu lançamento. 2. Breve relato da história do UNIX Boa parte dos textos que se ocupam em descrever o sistema operacional UNIX apresentam inicialmente um relato dos aspectos históricos envolvidos em seu desenvolvimento, sem, no entanto, explicar por que a história do UNIX é importante para o seu entendimento. Todos os pontos fortes e fracos do UNIX podem ser diretamente relacionados com a história do seu desenvolvimento, que teve início em meados dos anos 60 com a criação de um projeto conjunto entre Massachusetts Institute of Technology (MIT), General Electric e Bell Labs (mais especificamente Bell Telephone Laboratories, companhia controlada pela AT&T) para o desenvolvimento de um sistema operacional com compartilhamento de tempo. Este sistema operacional foi denominado MULTICS (MULTiplexed Information and Computing Service), não tendo o sucesso esperado, principalmente porque o projeto era muito ambicioso para a época e, além disso, o sistema operacional foi escrito em uma linguagem muito pesada, com compilador ineficiente (TANENBAUM, 1992). A equipe da Bell Labs abandonou o projeto em Mas Ken Thompson, um dos membros desta equipe e conhecedor do potencial do MULTICS, sentiu a necessidade de desenvolver um sistema operacional com os mesmos propósitos, mas de uma forma bem mais simples e utilizando linguagem assembly. Como o sistema desenvolvido por Thompson funcionou muito bem, ele começou a atrair a atenção de seus colegas da Bell Labs, sendo que um deles, Brian Kernighan, chamou-o de UNICS (UNiplexed Information and

2 Material Complementar EA869 (Prof. Von Zuben DCA/FEEC/Unicamp) 2 Computing Service), parodiando MULTICS. Esta denominação pegou, sendo, mais tarde, reduzida definitivamente para UNIX. Conforme o sistema UNIX ia sendo transportado para arquiteturas de computador cada vez mais poderosas, ficou evidente que era preciso eliminar a necessidade de se reescrever todo o sistema operacional em linguagem assembly para cada nova máquina. Esta foi uma visão inovadora, pois até então a linguagem assembly era considerada indispensável para garantir funcionalidade efetiva e acesso irrestrito ao hardware. Depois de uma tentativa sem muito sucesso de reescrever o UNIX em uma linguagem de alto nível desenvolvida pelo próprio Ken Thompson (denominada linguagem B), foi seu colega Dennis Ritchie quem projetou uma linguagem especificamente voltada para a implementação de um sistema operacional, a qual ele denominou linguagem C. A linguagem C é uma linguagem de alto nível, mas apenas o suficiente para manter a portabilidade junto a várias arquiteturas de computador. Uma vez implementado o compilador C, Ritchie e Thompson reescreveram a maior parte do UNIX em C (RITCHIE & THOMPSON, 1974). Em linhas gerais, a versão original do sistema operacional UNIX satisfazia os seguintes requisitos, considerados inovadores no contexto de sistemas operacionais: simplicidade e elegância; escrito quase que totalmente em uma linguagem de alto nível (linguagem C). Apenas uma pequena parte do código do sistema UNIX teve que ser escrita em linguagem assembly (denominada núcleo do sistema operacional), por depender das características da máquina alvo. Destacam-se como códigos dependentes da máquina as rotinas para tratamento de interrupção, parte das rotinas para gerência de memória e drivers de dispositivos do sistema de entrada/saída; permissão de reutilização de código. Uma vez controlada pela AT&T, monopólio da área de telecomunicações, a Bell Labs não tinha permissão para operar comercialmente na área de computação. Sendo assim, a Bell Labs não impunha muitos obstáculos para licenciar o UNIX, o que motivou muitas universidades a solicitarem cópias deste sistema operacional. Foram três as principais razões para o enorme sucesso do UNIX junto às universidades: a última implementação do UNIX na Bell Labs havia sido desenvolvida para a máquina PDP-11, a qual equipava boa parte dos departamentos de computação das universidades; o sistema operacional original da PDP-11 era muito ruim; o UNIX era fornecido com o código-fonte completo, o que permitiu que novas idéias e muitos melhoramentos fossem rapidamente incorporados ao sistema. Com acesso ao código-fonte e contando com a presença de Ken Thompson em seu ano sabático, a University of California at Berkeley ganhou condições para desenvolver mais rapidamente sua própria versão do UNIX, que gradativamente adicionou recursos como o editor vi, o C shell, memória virtual,

3 Material Complementar EA869 (Prof. Von Zuben DCA/FEEC/Unicamp) 3 envio de mensagens eletrônicas e suporte para TCP/IP (Transmission Control Protocol/Internet Protocol). Por outro lado, a AT&T se desmembrou em 1984, por imposição do governo norte-americano, em várias companhias independentes. Uma destas companhias foi a UNIX System Laboratories (USL) 1. Como conseqüência destes acontecimentos, o UNIX passou a apresentar duas versões principais: System V: mais conservativa, comercial e com melhor suporte, desenvolvida pelo UNIX System Laboratories (USL); BSD (Berkeley Software Distribution): desenvolvida na University of California at Berkeley. Há muitas outras versões além destas duas, mas que geralmente derivam de uma delas. Recentemente, as versões de UNIX que são efetivamente empregadas incorporam características das duas versões principais, sendo que o UNIX de hoje é bem diferente do UNIX do início dos anos 70, tendo sofrido desde então um processo evolutivo contínuo, com suas principais fases ilustradas na figura 1. UNICS (1969) 5 a edição (1973) 6 a edição (1976) 7 a edição (1978) SVR5 (1983) BSD (1979) SunOS 5.x/Solaris (SUN) HP-UX (HP) AIX (IBM) IRIX (SGI) Digital UNIX (DEC) SunOS 4.x (SUN) ULTRIX (DEC) NextStep (NeXT) Figura 1 - A árvore genealógica do UNIX 2.1. A padronização do UNIX Até por volta de 1988, o UNIX não conseguia emplacar fora do meio acadêmico e das grandes empresas comerciais, principalmente devido à existência de duas versões principais incompatíveis: System V e BSD. Isto porque não era possível que fornecedores de software escrevessem pacotes de programas UNIX que rodassem em qualquer sistema UNIX, como ocorre com o Windows. 1 A UNIX System Laboratories (USL) passou em 1993 a ser uma subsidiária da Novell (maior fornecedora mundial de softwares de rede). Em 1995, a SCO (Santa Cruz Operation), empresa de Douglas Michels no norte da Califórnia, adquiriu da Novell os direitos de licenciamento do código-fonte do UNIX.

4 Material Complementar EA869 (Prof. Von Zuben DCA/FEEC/Unicamp) 4 O Comitê de Padronização do IEEE representou a primeira tentativa séria em estabelecer um padrão para o sistema operacional UNIX. O nome escolhido para o projeto foi POSIX (Portable Operating System), com o sufixo IX lembrando UNIX. A linguagem C também foi padronizada pela ISO e pela ANSI. No entanto, para rivalizar com a AT&T, um grupo de empresas liderado por IBM, DEC e Hewlett-Packard (HP) formou o consórcio OSF (Open Software Foundation), cujo objetivo era seguir não apenas o padrão POSIX, mas padrões adicionais para definição de janelas, interface gráfica e processamento distribuído. A reação da AT&T foi a formação de seu próprio consórcio, o UI (UNIX International). Os padrões definidos por estes dois consórcios estão evoluindo em direções diferentes, o que certamente não trará benefícios para usuários e fornecedores de software para UNIX. 3. A linguagem C e a interface de programação de aplicativos Muitos sistemas operacionais apresentam uma visão simplificada do conjunto de operações a serem realizadas por um aplicativo. Um aplicativo típico lê algum dado em disco, fita ou terminal e realiza algum processamento. A saída é produzida em disco, fita, terminal ou impressora. Sendo assim, os sistemas operacionais geralmente fornecem recursos implementados otimamente e de fácil acesso para suportar estes tipos de operações. No entanto, quando as operações se tornam mais sofisticadas, um sistema operacional necessita de novos recursos, como acesso à rede, gerenciamento simultâneo de múltiplas tarefas e comunicação entre processos. Em sistemas operacionais tradicionais, estes novos recursos não estão diretamente disponíveis, não são bem documentados e são implementados apenas em linguagem assembly. Com isso, quando um aplicativo precisa recorrer a estas operações sofisticadas, os programas associados podem ser muito mais complexos e de difícil manutenção. Pelo fato da linguagem C ter sido escrita especificamente para ser utilizada na implementação de um sistema operacional, ao invés de atender apenas às aplicações tradicionais de entrada-processamentosaída, o uso destes novos recursos pode ser implementado diretamente, sem recorrer a qualquer tipo de código em linguagem assembly. Além disso, a documentação associada a estas operações sofisticadas está no mesmo formato e localização que a documentação associada aos aplicativos normais. O padrão de desenvolvimento do UNIX fornece uma interface de programação de aplicativos que permite, com base na linguagem de programação C, o acesso imediato a estas novas facilidades. Isto possibilita que aplicativos muito mais sofisticados sejam prontamente desenvolvidos. Como exemplo, boa parte dos pacotes de software disponíveis para UNIX e de domínio público são distribuídos como programas em linguagem C, que devem ser compilados antes de serem utilizados. Logo, os desenvolvedores de sistemas UNIX e de aplicativos (para sistema operacional UNIX) escrevem seus programas na mesma linguagem e utilizando a mesma interface de programação. Este quadro se opõe àquele existente no caso de sistemas operacionais tradicionais, em que os desenvolvedores do sistema operacional programam em linguagem assembly e têm acesso a inúmeros recursos não disponíveis aos desenvolvedores de aplicativos.

5 Material Complementar EA869 (Prof. Von Zuben DCA/FEEC/Unicamp) 5 4. A popularidade do UNIX estão: Dentre os motivos mais empregados para justificar o sucesso do sistema operacional UNIX apenas uma pequena parcela do código do UNIX é escrito em linguagem assembly, o que aumenta a portabilidade de hardware (capacidade de rodar nos mais variados tipos de sistemas de computadores); sua interface de programação de aplicativos permite que os mais diferentes tipos de aplicativos sejam facilmente implementados sob o sistema operacional UNIX sem a necessidade de se recorrer à linguagem assembly. Com isso, a portabilidade destes aplicativos junto a diferentes plataformas de hardware é relativamente elevada; como muitas empresas de computadores adotaram o sistema UNIX, é possível construir redes compostas por múltiplos sistemas de computadores; a interface do UNIX com o ambiente de rede já é parte integrante do sistema operacional, permitindo, por exemplo, uma implementação eficiente de correio eletrônico e conexão via Internet; como a filosofia do UNIX é projetar cada programa para desempenhar otimamente uma única função, ele é flexível e fácil de adaptar para necessidades específicas. Com isso, o UNIX pode ser considerado um sistema aberto, que permite portabilidade de hardware, de aplicativos e de usuário (apresentando a mesma interface com o usuário independente da máquina). Embora os usuários finais não sejam os beneficiários diretos da portabilidade de hardware e da portabilidade de aplicativos, a existência de diversas empresas fornecendo o mesmo sistema operacional e as mesmas soluções de software contribuiu para uma queda acentuada no custo dos sistemas de computação. Este é um dos pontos chaves para explicar o sucesso do sistema operacional UNIX. O UNIX representou um papel decisivo no processo de substituição gradual dos grandes computadores (mainframes) por computadores de mesa, dotados de hardware mais rápido, mais moderno e mais barato. A importância do UNIX neste processo se deve aos seguintes fatores: boa parte das bem-sucedidas empresas de computação, que emergiram a partir do início dos nos 80, produziam um melhor hardware que as grandes fabricantes, como DEC e IBM; estas mesmas empresas emergentes de computação não podiam arcar com os custos de tempo e dinheiro para desenvolver um sistema operacional proprietário, e acabaram recorrendo ao UNIX. Portanto, principalmente a partir de 1985, se alguém precisasse adquirir um computador moderno e barato, esta pessoa certamente iria adquirir um computador rodando UNIX. Um outro fator importante para o sucesso do UNIX é o papel representado pelas universidades. Por questões históricas, já mencionadas anteriormente, o UNIX teve uma grande aceitação no meio acadêmico, fazendo com que praticamente todos os alunos vinculados à área de computação entrassem em contato com este sistema operacional. Sendo assim, a cada ano as universidades têm fornecido ao

6 Material Complementar EA869 (Prof. Von Zuben DCA/FEEC/Unicamp) 6 mercado de trabalho uma legião de especialistas em UNIX. Com isso, empresas que operam com o sistema operacional UNIX não têm qualquer dificuldade em encontrar mão-de-obra qualificada, atualizada e imediatamente disponível. Um último fator decisivo tem sido o processo de contínua evolução do sistema operacional UNIX, para atender inovações tecnológicas que geram demandas por novos recursos. Enquanto os usuários reclamam por novos recursos, os desenvolvedores de versões do UNIX são compelidos a criar novos recursos que impulsionem suas vendas com base em requisitos de marketing. No entanto, a incorporação sem critérios de novos recursos não é um ponto positivo do UNIX, que vai ganhando versões mais complexas e com portabilidade reduzida, além do perigo representado pela evolução das diversas versões em direções distintas. Apesar disso, o sistema operacional UNIX não pode prescindir deste processo evolutivo sob pena de perder sua atratividade em comparação com outros sistemas operacionais concorrentes. 5. Referências bibliográficas TANENBAUM, A.S. Modern Operating Systems. Prentice Hall Inc., RITCHIE, D.M. and THOMPSON, K. The UNIX Timesharing System. Commun. of the ACM, vol. 17, pp , 1974.

PLANO DE AULA. Ambiente Operacional Unix Profa. Morganna

PLANO DE AULA. Ambiente Operacional Unix Profa. Morganna PLANO DE AULA 1. Sistema operacional Unix 2. Sistema operacional Linux 3. Utilização dos sistemas operacionais 1 - Sistema Operacional UNIX História 1964 sistema operacional MULTICS (Multiplexed Information

Leia mais

Introdução ao Sistema UNIX

Introdução ao Sistema UNIX Volnys & Midorikawa (c) 1 Introdução ao Sistema UNIX Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~volnys Edson Toshimi Midorikawa emidorik@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~emidorik Laboratório

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais O que é um sistema operacional? Sistema operacional (do inglês OS - operating system) é um programa ou conjunto de programas, que tem a função de gerencias o sistema. O sistema é o todo o hardware (computador),

Leia mais

UNIX & Linux. Histórico, distribuição licença, características. Taisy Weber

UNIX & Linux. Histórico, distribuição licença, características. Taisy Weber UNIX & Linux Histórico, distribuição licença, características Taisy Weber História de UNIX 1969 - Ken Thompson Bell Laboratories, PDP-7 Dennis Ritchie logo juntou-se a Thompson Ritchie havia trabalhado

Leia mais

História dos SOs. Tópicos

História dos SOs. Tópicos História dos SOs Cap. 1 - Tanenbaum Prof. Alexandre Beletti Ferreira 1ª Geração 2ª Geração 3ª Geração 4ª Geração Tópicos 1 1ª Geração 1ª Geração: 1945 a 1955 Computadores: em meados da década de 40 Máquinas

Leia mais

Prof. Antonio Torres antonioctorres@gmail.com @_antonioctorres. Fundamentos de Sistemas Operacionais UNIP/2015

Prof. Antonio Torres antonioctorres@gmail.com @_antonioctorres. Fundamentos de Sistemas Operacionais UNIP/2015 Prof. Antonio Torres antonioctorres@gmail.com @_antonioctorres Fundamentos de Sistemas Operacionais UNIP/2015 Disciplinas FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS Horários Quarta-feira Fundamentos de Sistemas

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS

SISTEMAS OPERACIONAIS 1 SISTEMAS OPERACIONAIS Profª Josiane T. Ferri Licenciada em Computação prof.jositf@yahoo.com.br facebook.com/josiferri AVALIAÇÕES A avaliação se dará mediante a observação dos seguintes pontos: Organização

Leia mais

Aula 2. Objetivo: Saber qual a funcionalidade de um sistema operacional de rede.

Aula 2. Objetivo: Saber qual a funcionalidade de um sistema operacional de rede. Aula 2 Objetivo: Saber qual a funcionalidade de um sistema operacional de rede. Sistema Operacional de Rede Definição: Conjunto de módulos que ampliam as tarefas dos sistemas operacionais locais, complementando-os

Leia mais

Conceitos Básicos sobre Sistemas Operacionais

Conceitos Básicos sobre Sistemas Operacionais Conceitos Básicos sobre Sistemas Operacionais Ivanovitch Medeiros Dantas da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação DCA0800 - Algoritmos e

Leia mais

Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.br

Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.br Programação Estruturada Linguagem C Introdução Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.br Sumário Um pouco da história Por que aprender a programar em C Ambiente de Desenvolvimento

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais UNIVERSIDADE BANDEIRANTE DE SÃO PAULO INSTITUTO POLITÉCNICO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Sistemas Operacionais Notas de Aulas: Tópicos 7 e 8 Estrutura do Sistema Operacional São Paulo 2009 1 Sumário

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS. Apostila 03 Estrutura do Sistema Operacional UNIBAN

SISTEMAS OPERACIONAIS. Apostila 03 Estrutura do Sistema Operacional UNIBAN SISTEMAS OPERACIONAIS Apostila 03 Estrutura do Sistema Operacional UNIBAN 1.0 O Sistema Operacional como uma Máquina Virtual A arquitetura (conjunto de instruções, organização de memória, E/S e estrutura

Leia mais

Cursos de Computação. Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 01 - História e Funções dos Sistemas Operacionais

Cursos de Computação. Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 01 - História e Funções dos Sistemas Operacionais Cursos de Computação Sistemas Operacionais Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira Aula 01 - História e Funções dos Sistemas Operacionais Visão do Sistema Operacional programadores e analistas usuários programas,

Leia mais

Sistemas Operacionais Arquitetura e organização de sistemas operacionais: Introdução. Prof. MSc. Hugo Souza

Sistemas Operacionais Arquitetura e organização de sistemas operacionais: Introdução. Prof. MSc. Hugo Souza Sistemas Operacionais Arquitetura e organização de sistemas operacionais: Introdução Prof. MSc. Hugo Souza Começando nossa disciplina sobre os sistemas operacionais modernos iremos abordar inicialmente

Leia mais

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade I Introdução. 11/02/2014 Prof. Valeria M. Bastos

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade I Introdução. 11/02/2014 Prof. Valeria M. Bastos UFRJ IM - DCC Sistemas Operacionais I Unidade I Introdução 11/02/2014 Prof. Valeria M. Bastos 1 ORGANIZAÇÃO DA UNIDADE Introdução Conceituação de SO Funções Básicas Breve Histórico Tipos de SO Fundamentos

Leia mais

A Evolução dos Sistemas Operacionais

A Evolução dos Sistemas Operacionais Capítulo 3 A Evolução dos Sistemas Operacionais Neste capítulo, continuaremos a tratar dos conceitos básicos com a intensão de construirmos, agora em um nível mais elevado de abstração, o entendimento

Leia mais

SOP Sistemas Operacionais Módulo 03: História e Evolução

SOP Sistemas Operacionais Módulo 03: História e Evolução SOP Sistemas Operacionais Módulo 03: História e Evolução Prof. Charles Christian Miers e mail: charles.miers@udesc.br História dos Computadores / SOs Primeira Geração (1945 1955): válvula Sem SO, programação

Leia mais

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I UFRJ IM - DCC Sistemas Operacionais I Unidade I 18/9/2009 Prof. Antonio Carlos Gay Thomé Prof. Aux. Simone Markenson Pech 1 ORGANIZAÇÃO DA UNIDADE Conceituação de SO Funções Básicas Breve Histórico Tipos

Leia mais

Computador Digital Circuitos de um computador (Hardware)

Computador Digital Circuitos de um computador (Hardware) Computador Digital SIS17 - Arquitetura de Computadores (Parte I) Máquina que pode resolver problemas executando uma série de instruções que lhe são fornecidas. Executa Programas conjunto de instruções

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Operacionais Machado/Maia. Arquitetura de Sistemas

Arquitetura de Sistemas Operacionais Machado/Maia. Arquitetura de Sistemas Arquitetura de Sistemas Operacionais Capítulo 4 Estrutura do Sistema Operacional Cap. 4 Estrutura do Sistema 1 Sistemas Operacionais Pitágoras Fadom Divinópolis Material Utilizado na disciplina Sistemas

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação O que é um SO? Introdução a Computação Sistemas Operacionais PII Consiste em: Hardware Programas de Sistema Programas de Aplicativos 1 2 O que é um SO? Hardware não proporciona controle de alto nível disponível

Leia mais

Breve Histórico de Sistemas Operacionais

Breve Histórico de Sistemas Operacionais Breve Histórico de Sistemas Operacionais A primeira geração dos computadores ocorreu de 1945 a 1955 e tinha como principal característica o uso de válvulas e painéis de programação. Eram enormes e ocupavam

Leia mais

Sistema Operacional. História Sistema Operacional 1. QI Escolas e Faculdades Apostila de Linux

Sistema Operacional. História Sistema Operacional 1. QI Escolas e Faculdades Apostila de Linux 4 Capítulo 1 Sistema Operacional É uma coleção de programas que inicializa hardwares, fornece rotinas básicas para controle de dispositivos, mantém a integridade de um sistema. Um sistema operacional de

Leia mais

Introdução a Banco de Dados Aula 03. Prof. Silvestri www.eduardosilvestri.com.br

Introdução a Banco de Dados Aula 03. Prof. Silvestri www.eduardosilvestri.com.br Introdução a Banco de Dados Aula 03 Prof. Silvestri www.eduardosilvestri.com.br Arquiteturas de Banco de Dados Arquiteturas de BD - Introdução Atualmente, devem-se considerar alguns aspectos relevantes

Leia mais

Introdução a Sistemas Operacionais Aula 04. Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com

Introdução a Sistemas Operacionais Aula 04. Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com Introdução a Sistemas Operacionais Aula 04 Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com Um computador sem software nada mais é que um conjunto inútil de metal (Tanembaum); É o software que viabiliza

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Aula 01 - Introdução Edirlei Soares de Lima O que é um sistema operacional? Um computador moderno consiste em: Um ou mais processadores; Memória principal;

Leia mais

Introdução ao Sistema UNIX

Introdução ao Sistema UNIX 1 1997-2007 Volnys Bernal 1 1997-2007 Volnys Bernal 2 Agenda Introdução ao Sistema UNIX Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~volnys Arquitetura Geral do Sistema UNIX Características

Leia mais

Sistemas Operacionais. Professor Leslier Soares Corrêa

Sistemas Operacionais. Professor Leslier Soares Corrêa Sistemas Operacionais Professor Leslier Soares Corrêa Objetivos Conhecer o Professor e a matéria. Importância da Matéria no dia a dia. Por que é necessário um sistema operacional O que é um Sistema Operacional

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Prof. Dr. Márcio Andrey Teixeira Estrutura de sistemas operacionais Estruturas de sistemas operacionais A estrutura e o funcionamento de um SO são tópicos de difícil compreensão.

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 3

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 3 ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 3 Índice 1. História da Arquitetura de Computadores - Continuação..3 1.1. Primeira Geração Válvulas (1945 1955)... 3 1.2. Segunda Geração Transistores (1955 1965)...

Leia mais

Martin Vincent Bloedorn. GNU/Linux

Martin Vincent Bloedorn. GNU/Linux Martin Vincent Bloedorn Índice Motivação o que é? Breve história SO e abstrações GNU Origens Liberdade e escolha GNU O começo GNU GPL Free Software Foundation Desenvolvimentos Algo faltando... Linus e

Leia mais

Agenda do Mini-Curso. Sérgio Yoshio Fujii. Ethan Boardman. sergio.fujii@areva-td.com. ethan.boardman@areva-td.com

Agenda do Mini-Curso. Sérgio Yoshio Fujii. Ethan Boardman. sergio.fujii@areva-td.com. ethan.boardman@areva-td.com Agenda do Mini-Curso Sérgio Yoshio Fujii sergio.fujii@areva-td.com Ethan Boardman ethan.boardman@areva-td.com Agenda do Mini-Curso Evolução de sistemas SCADA/EMS nos Centros de Controle: Sistemas operacionais

Leia mais

Figura 01 Kernel de um Sistema Operacional

Figura 01 Kernel de um Sistema Operacional 01 INTRODUÇÃO 1.5 ESTRUTURA DOS SISTEMAS OPERACIONAIS O Sistema Operacional é formado por um Conjunto de rotinas (denominado de núcleo do sistema ou kernel) que oferece serviços aos usuários e suas aplicações

Leia mais

SO Sistemas Operacionais

SO Sistemas Operacionais GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDAÇÃO DE APOIO A ESCOLA TÉCNICA ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL REPÚBLICA SO Sistemas Operacionais Curso de Informática ETE REPÚBLICA - Rua Clarimundo de Melo, 847, Quintino

Leia mais

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C/C++

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C/C++ INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C/C++ História da Linguagem C/C++ Dennis Ritchie, funcionário do Bell Telephone Laboratories, iniciou em 1972 o desenvolvimento da linguagem C. Ele elaborou grande parte de seu trabalho

Leia mais

Curso Introdução ao Linux. Desmistificando o Software Livre. Nícholas André - www.iotecnologia.com.br - nicholas@iotecnologia.com.

Curso Introdução ao Linux. Desmistificando o Software Livre. Nícholas André - www.iotecnologia.com.br - nicholas@iotecnologia.com. Curso Introdução ao Linux Desmistificando o Software Livre Nícholas André - www.iotecnologia.com.br - nicholas@iotecnologia.com.br Índice 1 O que é Software Livre? 2 A história por trás do Software Livre.

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA

SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA Prof. Ulisses Cotta Cavalca Belo Horizonte/MG 2015 1 SUMÁRIO 1. Histórico do sistema operacional 2. Licença de softwares 3. Aspectos

Leia mais

Arquitetura de Computadores. AULA 1 Introdução

Arquitetura de Computadores. AULA 1 Introdução Arquitetura de Computadores AULA 1 Introdução Adaptação do material desenvolvido pelo Profs. Eduardo Moresi e Edilson Ferneda UCB - DF Histórico Sumário Computadores Mecânicos Computadores Eletrônicos

Leia mais

História do GNU/Linux

História do GNU/Linux História do GNU/Linux Antes de mais nada, o que é um sistema operacional? Sistema operacional é um software básico que permite aos programas executarem suas tarefas. É o sistema operacional que fornece

Leia mais

Linux. Guia do Administrador do Sistema. Rubem E. Ferreira. Novatec Editora Ltda. www.novateceditora.com.br

Linux. Guia do Administrador do Sistema. Rubem E. Ferreira. Novatec Editora Ltda. www.novateceditora.com.br Linux Guia do Administrador do Sistema Rubem E. Ferreira Novatec Editora Ltda. www.novateceditora.com.br 1 O início de tudo Entre os vários sistemas operacionais existentes, o Unix é um exemplo de maturidade

Leia mais

1 http://www.li.facens.br/eletronica

1 http://www.li.facens.br/eletronica UNIX...2 1. HISTÓRICO...2 2. CARACTERÍSTICAS...3 3. ESTRUTURA DO SISTEMA...4 HARDWARE...4 KERNEL...4 BIBLIOTECA...4 UTILITÁRIOS...5 4. PROCESSO...5 5. SISTEMAS DE ARQUIVOS...6 ARQUIVOS E PATHNAMES...8

Leia mais

Introdução à Sistemas Operacionais. Glauber Magalhães Pires

Introdução à Sistemas Operacionais. Glauber Magalhães Pires Introdução à Sistemas Operacionais Glauber Magalhães Pires Agenda O que são sistemas operacionais? Histórico Primeira geração (1945-1955) Segunda geração (1955-1965) Terceira geração (1965-1980) Quarta

Leia mais

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1 Informática I Aula 19 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1 Ementa Histórico dos Computadores Noções de Hardware e Software Microprocessadores Sistemas Numéricos e Representação

Leia mais

Montagem e Manutenção. Luís Guilherme A. Pontes

Montagem e Manutenção. Luís Guilherme A. Pontes Montagem e Manutenção Luís Guilherme A. Pontes Introdução Qual é a importância da Montagem e Manutenção de Computadores? Sistema Binário Sistema Binário Existem duas maneiras de se trabalhar e armazenar

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Aula 6 http://www.ic.uff.br/~bianca/introinfo/ Aula 6-21/09/2007 1 Ementa Conceitos Básicos de Computação (Hardware, Software e Internet) Softwares Aplicativos Tutorial: Word Tutorial:

Leia mais

É uma linguagem portável.(bom... desde de que siga algum padrão: ISO, ANSI)

É uma linguagem portável.(bom... desde de que siga algum padrão: ISO, ANSI) Capítulo 1 Introdução aturalmente, você como leitor, deve estar esperando que eu faça uma intro- repleta de elogios ao C e que justifiquem o tempo gasto com a leitura Ndução desse texto. Bom, infelizmente,

Leia mais

Nível do Sistema Operacional

Nível do Sistema Operacional Nível do Sistema Operacional (Aula 14) Introdução a Sistemas Operacionais Roberta Lima Gomes - LPRM/DI/UFES Sistemas de Programação I Eng. Elétrica 2007/1 Introdução Hardware Provê os recursos básicos

Leia mais

Arquitetura dos Sistemas Operacionais

Arquitetura dos Sistemas Operacionais Arquitetura dos Sistemas Operacionais Arquitetura de um Sistema Operacional Basicamente dividido em shell é a interface entre o usuário e o sistema operacional é um interpretador de comandos possui embutido

Leia mais

UNIP - UNIVERSIDADE PAULISTA. Arquitetura de computadores

UNIP - UNIVERSIDADE PAULISTA. Arquitetura de computadores UNIP - UNIVERSIDADE PAULISTA Arquitetura de computadores ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Bibliografia: MONTEIRO, M. A. Introdução à organização de computadores. 4 ed. RJ. LTC 2001. TANEMBAUM, A. S. Organização

Leia mais

Programador Web - Pronatec

Programador Web - Pronatec Programador Web - Pronatec Introdução à Computação Aula 2 Sistemas Operacionais José Antonio dos Santos Barbosa josebarbosa@uai.com.br (31) 9-8275-0330 O que é um Sistema Operacional: Funções de um sistema

Leia mais

CLOUD COMPUTING NAS EMPRESAS: NUVEM PÚBLICA OU NUVEM PRIVADA? nubeliu.com

CLOUD COMPUTING NAS EMPRESAS: NUVEM PÚBLICA OU NUVEM PRIVADA? nubeliu.com CLOUD COMPUTING NAS EMPRESAS: NUVEM PÚBLICA OU NUVEM PRIVADA? nubeliu.com SUMÁRIO Introdução... 4 Nuvem pública: quando ela é ideal... 9 Nuvem privada: quando utilizá-la... 12 Alternativas de sistemas

Leia mais

Introdução ao Sistema UNIX

Introdução ao Sistema UNIX 1997-2017 Volnys Bernal 1 Introdução ao Sistema UNIX Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~volnys 1997-2017 Volnys Bernal 2 Agenda História do sistema UNIX Arquitetura Geral do

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Evolução Edson Moreno edson.moreno@pucrs.br http://www.inf.pucrs.br/~emoreno Sumário Introdução Componentes de um sistema computacional Conceituação Características desejáveis Organização

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS UNIX/LINUX. Conceitos básicos em sistemas operacionais e arquitetura de computador.

CONCEITOS BÁSICOS UNIX/LINUX. Conceitos básicos em sistemas operacionais e arquitetura de computador. CONCEITOS BÁSICOS UNIX/LINUX agosto/2014 Conceitos básicos em sistemas operacionais e arquitetura de computador. 1 - UNIX: DEFINIÇÃO O Unix teve origem no projeto MULTICS 1, que por ser complexo demais

Leia mais

soluções inovadoras para desafios de negócios Manual explicativo do quadro do modelo de negócios passo a passo com exemplos

soluções inovadoras para desafios de negócios Manual explicativo do quadro do modelo de negócios passo a passo com exemplos soluções inovadoras para desafios de negócios Manual explicativo do quadro do modelo de negócios passo a passo com exemplos O quadro do modelo de negócios O Business Model Canvas (Quadro do Modelo de Negócios)

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Sistemas Operacionais: Software Oculto Introdução a Computação Sistemas Operacionais Serve como um intermediário entre o hardware e os softwares aplicativos. Sistema Operacional Software de sistemas Kernel

Leia mais

IBM System Storage. Projeta suas informações de negócios importantes com soluções de segurança de informações da IBM

IBM System Storage. Projeta suas informações de negócios importantes com soluções de segurança de informações da IBM IBM System Storage Projeta suas informações de negócios importantes com soluções de segurança de informações da IBM As organizações sempre se esforçaram para gerenciar o crescimento exponencial de informações

Leia mais

Breve Histórico & Conceitos Básicos

Breve Histórico & Conceitos Básicos Breve Histórico & Conceitos Básicos compiladores interpretadores montadores filtros pré-processadores carregadores linkers compilador cruzado (cross-compiler) auto-compilável (bootstraping) auto-residente

Leia mais

Organização de Computadores 1. Prof. Luiz Gustavo A. Martins

Organização de Computadores 1. Prof. Luiz Gustavo A. Martins Organização de Computadores 1 1 - INTRODUÇÃO Prof. Luiz Gustavo A. Martins Arquitetura Define os elementos que impactuam diretamente na execução lógica do programa. Corresponde aos atributos visíveis veis

Leia mais

The Application of The Principles of GLP to Computerised

The Application of The Principles of GLP to Computerised APLICAÇÃO DOS PRINCÍPIOS BPL AOS SISTEMAS INFORMATIZADOS NORMA N o NIT-DICLA-038 APROVADA EM SET/2011 N o 01/13 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico da revisão 5 Siglas

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Sistemas Operacionais Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Estruturas de Sistemas Operacionais Um sistema operacional fornece o ambiente no qual os programas são executados. Internamente,

Leia mais

CABEAMENTO ESTRUTURADO INTRODUÇÃO E HISTÓRICO. Professor Carlos Muniz

CABEAMENTO ESTRUTURADO INTRODUÇÃO E HISTÓRICO. Professor Carlos Muniz CABEAMENTO ESTRUTURADO INTRODUÇÃO O principal objetivo de um ambiente de rede é o compartilhamento de informações e recursos por várias máquinas com qualidade, eficiência, velocidade e segurança. Para

Leia mais

Sumário. Organização de Computadores Módulo 3. Primeira Geração Válvulas (1945 1955) Primeira Geração Válvulas (1945 1955)

Sumário. Organização de Computadores Módulo 3. Primeira Geração Válvulas (1945 1955) Primeira Geração Válvulas (1945 1955) Sumário M. Sc. Luiz Alberto lasf.bel@gmail.com www.professorluizalberto.com.br Organização de Computadores Módulo 3 1. História da Arquitetura de Computadores - Continuação 1.1. 1.2. Segunda Geração Transistores

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 05 Estrutura e arquitetura do SO Parte 2. Cursos de Computação

Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 05 Estrutura e arquitetura do SO Parte 2. Cursos de Computação Cursos de Computação Sistemas Operacionais Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira Aula 05 Estrutura e arquitetura do SO Parte 2 Referência: MACHADO, F.B. ; MAIA, L.P. Arquitetura de Sistemas Operacionais. 4.ed. LTC,

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software 2.1 Capítulo 2 QUALIDADE DE SOFTWARE 1. INTRODUÇÃO Como foi mencionado no capítulo anterior, o papel da Engenharia de Software é, principalmente, fornecer métodos e ferramentas para

Leia mais

perspectivas e abordagens típicas de campos de investigação (Senra & Camargo, 2010).

perspectivas e abordagens típicas de campos de investigação (Senra & Camargo, 2010). 1 Introdução Os avanços na tecnologia da informação, bem como o crescimento da sociedade da informação através do uso da Internet, obrigaram os governos de inúmeros países, em seus mais variados níveis,

Leia mais

Estudo de Caso II: LINUX

Estudo de Caso II: LINUX Estudo de Caso II: LINUX AULA 9 Flávia Maristela (flavia@flaviamaristela.com) ( romildo@romildo.net ) Romildo Martins Na aula de hoje Histórico do Linux Personagens Características Licença Distribuição

Leia mais

Conceitos Básicos de Rede. Um manual para empresas com até 75 computadores

Conceitos Básicos de Rede. Um manual para empresas com até 75 computadores Conceitos Básicos de Rede Um manual para empresas com até 75 computadores 1 Conceitos Básicos de Rede Conceitos Básicos de Rede... 1 A Função de Uma Rede... 1 Introdução às Redes... 2 Mais Conceitos Básicos

Leia mais

Introdução à Linguagem C/C++ Parte I

Introdução à Linguagem C/C++ Parte I Linguagem de Programação I Introdução à Linguagem C/C++ Parte I Professor Mestre Ricardo Alexandre Carmona SÃO PAULO - 2014 Introdução à Linguagem C/C++ - Parte I 1 - HISTÓRICO A Linguagem de Programação

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS OPERACIONAIS SEMANA 03

INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS OPERACIONAIS SEMANA 03 INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS OPERACIONAIS SEMANA 03 fevereiro/2011 Surgimento, desenvolvimento e evolução dos sistemas operacionais até os sistemas modernos. 1 - Introdução A evolução dos sistemas operacionais

Leia mais

A primeira geração dos computadores ocorreu de 1945 a 1955 e tinha como principal característica o uso de válvulas e painéis de programação.

A primeira geração dos computadores ocorreu de 1945 a 1955 e tinha como principal característica o uso de válvulas e painéis de programação. A primeira geração dos computadores ocorreu de 1945 a 1955 e tinha como principal característica o uso de válvulas e painéis de programação. Eram enormes e ocupavam salas inteiras com dezenas de milhares

Leia mais

2. NÍVEL DE SISTEMA OPERACIONAL (Cont.) 2.6. Exemplos de Sistemas Operacionais

2. NÍVEL DE SISTEMA OPERACIONAL (Cont.) 2.6. Exemplos de Sistemas Operacionais 2. NÍVEL DE SISTEMA OPERACIONAL (Cont.) 2.6. Exemplos de Sistemas Operacionais Aqui estudaremos 3 características que muitos sistemas operacionais oferecem: Memória virtual; E/S virtual, e; Processamento

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 1

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 1 ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 1 Índice 1. Introdução...3 1.1. O que é um Computador?... 3 1.2. Máquinas Multiníveis... 3 2 1. INTRODUÇÃO 1.1 O QUE É UM COMPUTADOR? Para estudarmos como um computador

Leia mais

2 Um Primeiro Programa em C

2 Um Primeiro Programa em C 2 Um Primeiro Programa em C Ronaldo F. Hashimoto, Carlos H. Morimoto e José A. R. Soares OobjetivodessaaulaéintroduzirvocêàlinguagemCemambienteLinux,primeiramentemostrandoasua estrutura, e a seguir com

Leia mais

Administração de Sistemas Operacionais de Rede Linux. Prof. Michel Moron Munhoz michel.moron@aes.edu.br

Administração de Sistemas Operacionais de Rede Linux. Prof. Michel Moron Munhoz michel.moron@aes.edu.br Administração de Sistemas Operacionais de Rede Linux Prof. Michel Moron Munhoz michel.moron@aes.edu.br Conteúdo da disciplina (1 de 2) Visão Geral (multitarefa, mono-tarefa, memória virtual, ambiente gráfico

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS 2007

SISTEMAS OPERACIONAIS 2007 SISTEMAS OPERACIONAIS 2007 VISÃO GERAL Sumário Conceito Máquina de Níveis Conceituação de SO Componentes do SO Visões do SO Conceito de Sistemas O que se espera de um sistema de computação? Execução de

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 05 Estrutura e arquitetura do SO Parte 1. Cursos de Computação

Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 05 Estrutura e arquitetura do SO Parte 1. Cursos de Computação Cursos de Computação Sistemas Operacionais Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira Aula 05 Estrutura e arquitetura do SO Parte 1 Referência: MACHADO, F.B. ; MAIA, L.P. Arquitetura de Sistemas Operacionais. 4.ed. LTC,

Leia mais

Conceitos e Evolução Capítulos 1 e 2

Conceitos e Evolução Capítulos 1 e 2 Aula 2 ARQUITETURA DE COMPUTADORES Conceitos e Evolução Capítulos 1 e 2 Prof. Osvaldo Mesquita E-mail: oswaldo.mesquita@gmail.com 1/48 CONTEÚDO DA AULA Conceitos Importantes O que é arquitetura de computadores?

Leia mais

Sistemas Operacionais Arquitetura e organização de sistemas operacionais: Uma visão estrutural hardware & software. Prof. MSc.

Sistemas Operacionais Arquitetura e organização de sistemas operacionais: Uma visão estrutural hardware & software. Prof. MSc. Sistemas Operacionais Arquitetura e organização de sistemas operacionais: Uma visão estrutural hardware & software Prof. MSc. Hugo Souza Continuando nossas aulas relativas ao Módulo 1, veremos a seguir

Leia mais

Software 3. Software. Quando pessoas e empresas compram computadores, em geral, háh Entretanto, é o software que torna um computador útil

Software 3. Software. Quando pessoas e empresas compram computadores, em geral, háh Entretanto, é o software que torna um computador útil 1 Software 3 Software Formado por algoritmos e suas representações para o computador (programas) Instruções codificadas necessárias para transformar dados em informações 2 X Quando pessoas e empresas compram

Leia mais

LINUX. Lapro I Profa. Fernanda Denardin Walker. - Aula 2 - Material adaptado de: Isabel Mansour, Marcia Moraes e Silvia Moraes SISTEMA OPERACIONAL

LINUX. Lapro I Profa. Fernanda Denardin Walker. - Aula 2 - Material adaptado de: Isabel Mansour, Marcia Moraes e Silvia Moraes SISTEMA OPERACIONAL LINUX Lapro I Profa. Fernanda Denardin Walker - Aula 2 - Material adaptado de: Isabel Mansour, Marcia Moraes e Silvia Moraes SISTEMA OPERACIONAL Para que o computador funcione e possibilite a execução

Leia mais

Aspectos Estratégicos da Computação Distribuída Aula 2

Aspectos Estratégicos da Computação Distribuída Aula 2 Aspectos Estratégicos da Aula 2 Mudanças no Ambiente de Negócios Reengenharia Padrões e Sistemas Abertos Framework para Discussão Processos e Ambientes de Negócios Padronização Introdução à Infra-Estrutura

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES HISTÓRICO E CONCEITOS

REDES DE COMPUTADORES HISTÓRICO E CONCEITOS REDES DE COMPUTADORES HISTÓRICO E CONCEITOS BREVE HISTÓRICO A década de 60 Surgiram os primeiros terminais interativos, e os usuários podiam acessar o computador central através de linhas de comunicação.

Leia mais

Introdução à Computação: Sistemas de Computação

Introdução à Computação: Sistemas de Computação Introdução à Computação: Sistemas de Computação Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes), Vitória,

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Software em Sistemas Distribuídos Aplicativo ou Sistema Operacional Sincronismo Interação Controles Um sistema operacional moderno provê dois serviços fundamentais para o usuário

Leia mais

Instalação e Configuração de Servidores Linux Server. Prof. Alex Furtunato

Instalação e Configuração de Servidores Linux Server. Prof. Alex Furtunato Instalação e Configuração de Servidores Linux Server Prof. Alex Furtunato alex.furtunato@academico.ifrn.edu.br Roteiro Definições Histórico Características Principais Distribuições Shell Partições Sistemas

Leia mais

INFORMÁTICA. Sistemas Operacionais. Professor: Rogério Vargas 2014/2

INFORMÁTICA. Sistemas Operacionais. Professor: Rogério Vargas 2014/2 INFORMÁTICA Sistemas Operacionais Professor: Rogério Vargas 2014/2 Introdução Computador é um sistema composto de dois importantes componentes: hardware e software. Hardware é o equipamento físico, e software,

Leia mais

Introdução à Arquitetura de Computadores. Renan Manola Introdução ao Computador 2010/01

Introdução à Arquitetura de Computadores. Renan Manola Introdução ao Computador 2010/01 Introdução à Arquitetura de Computadores Renan Manola Introdução ao Computador 2010/01 Introdução Conceitos (1) Computador Digital É uma máquina que pode resolver problemas executando uma série de instruções

Leia mais

Trabalho de TI. Elaborado por: Francisco Gonçalves João Pias

Trabalho de TI. Elaborado por: Francisco Gonçalves João Pias Trabalho de TI Elaborado por: Francisco Gonçalves João Pias índice Introdução Freeware o que é? Shareware o que é? Open source Download o que é? Upload o que é? Peer to peer Programas de download Emule

Leia mais

Convertendo Algoritmos para a Linguagem C

Convertendo Algoritmos para a Linguagem C onvertendo Algoritmos para a Linguagem Notas de Aula Prof. Francisco Rapchan www.geocities.com/chicorapchan O objetivo deste texto é mostrar alguns programas em, dando uma breve descrição de seu funcionamento

Leia mais

Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server

Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server André Luiz Silva de Moraes chameandre@gmail.com Faculdade Senac http://www.senacrs.com.br Feira das Oportunidades 04 de Maio de 2011 1 / 11 1 Conceitos Básicos Definições

Leia mais

Roteiro. Administração de Sistemas. Administração de Sistemas. discutir algumas regras básicas para melhorar a convivência e o aproveitamento do curso

Roteiro. Administração de Sistemas. Administração de Sistemas. discutir algumas regras básicas para melhorar a convivência e o aproveitamento do curso Roteiro 1 Curso Superior de Tecnologia em Telemática Administração de Sistemas Apresentação da disciplina Copyright 2011 Prof. Anderson Costa De maneira geral, apresentar a disciplina e discutir algumas

Leia mais

SCO UNIX. conhecida por vender três variantes de Unix para os processadores Intel x86: Xenix, SCO UNIX, e o UnixWare.

SCO UNIX. conhecida por vender três variantes de Unix para os processadores Intel x86: Xenix, SCO UNIX, e o UnixWare. SCO UNIX Corporação Tarantella foi empresa norte americana sede da Santa Cruz, Califórnia que desenvolveu e vendeu o Secure Global Desktop conjunto de aplicações de "terminal services". conhecida por vender

Leia mais

No projeto das primeiras redes de computadores, o hardware foi a principal preocupação e o software ficou em segundo plano.

No projeto das primeiras redes de computadores, o hardware foi a principal preocupação e o software ficou em segundo plano. No projeto das primeiras redes de computadores, o hardware foi a principal preocupação e o software ficou em segundo plano. Essa estratégia foi deixada para trás. Atualmente, o software de rede é altamente

Leia mais

4 Estrutura do Sistema Operacional. 4.1 - Kernel

4 Estrutura do Sistema Operacional. 4.1 - Kernel 1 4 Estrutura do Sistema Operacional 4.1 - Kernel O kernel é o núcleo do sistema operacional, sendo responsável direto por controlar tudo ao seu redor. Desde os dispositivos usuais, como unidades de disco,

Leia mais

Banco de Dados Orientado a Objetos

Banco de Dados Orientado a Objetos Banco de Dados Orientado a Objetos MODELAGEM, ANÁLISE, PROJETO e CLASSIFICAÇÃO Interação combinando lógica, através de objetos que contém os dados. Estes divididos conforme seus tipos e métodos (classe),

Leia mais

Projeto de Sistemas Distribuídos. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com

Projeto de Sistemas Distribuídos. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Projeto de Sistemas Distribuídos Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Exemplos de SD Quais podem ser? Ex. de SD: Internet Internet é um conjunto de redes de computadores, de muitos tipos diferentes,

Leia mais

Sobre C. Linguagem de Programação C

Sobre C. Linguagem de Programação C Sobre C Linguagem de Programação C As Origens de C Ken Thompson e Dennis Ritchie (da esquerda pra direita), os criadores das linguagens B e C, respec4vamente: 2 As origens de C Nas palavras de D. Ritchie:

Leia mais

INFORMÁTICA INFORMÁTICA BÁSICA

INFORMÁTICA INFORMÁTICA BÁSICA INFORMÁTICA BÁSICA PROF. MARCOS VINICIUS GRADUADO EM ANÁLISES DE SISTEMAS. PÓS-GRADUADO EM ADMINISTRAÇÃO E SEGURANÇA DE SISTEMAS COMPUTACIONAIS FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ. ANALISTA DE SISTEMAS E DBA SQL SERVER

Leia mais