Gabinete de Programas e Relações Internacionais Universidade da Beira Interior. Guia do Estudante Internacional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gabinete de Programas e Relações Internacionais Universidade da Beira Interior. Guia do Estudante Internacional 2012.2013"

Transcrição

1 Gabinete de Programas e Relações Internacionais Universidade da Beira Interior Guia do Estudante Internacional

2 Edição Gabinete de Programas e Relações Internacionais (Vice-Reitoria Ensino e Internacionalização) índice Mensagem do Reitor Mensagem do Vice-rector Gabinete de Programas e Relações Internacionais (GPRI) ESN Covilhã Associação de Estudantes Universidade da Beira Interior Faculdades Faculdade de Ciências Faculdade de Engenharia Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Faculdade de Artes e Letras Faculdade de Ciências da Sáude Informação Académica Sistema Académico Candidatura Inscrição na UBI Calendário Académico Créditos ECTS Instalações Serviços Sociais Alojamento Serviços de Saúde Alimentação Desporto Universitário Bibliotecas Universitárias Núcleos Museológicos da UBI Informação Geral Portugal Covilhã Como chegar à Covilhã Lazer Telecomunicações Bancos Feriados Nacionais Checklist Contactos e Telefones Úteis Embaixadas Mapas Este guia é dirigido a todos os estudantes estrangeiros que pretendam estudar na Universidade da Beira Interior. Este guia pode ser acedido em https://www.ubi.pt/pagina.aspx?p=gpri_guia_internacional

3 mensagem do reitor A Universidade da Beira Interior é uma instituição orientada para a criação, transmissão e difusão da ciência e tecnologia, do saber e da cultura em todas as suas vertentes e em comunhão com a sua região e o mundo. Este manual é apenas uma pequena mostra do que poderão encontrar na Universidade, com a apresentação das várias Faculdades que a integram, da oferta formativa, das unidades de investigação e alguns exemplos das muitas parcerias estabelecidas com o tecido empresarial. A instituição está apetrechada com os melhores equipamentos e preparada para os desafios do futuro, com cursos adaptados a um mercado de trabalho cada vez mais competitivo, fomentando o empreendedorismo e a inovação. A competitividade da UBI é alicerçada hoje na implementação de uma cultura de qualidade e certificação global. Uma cultura de qualidade que, por definição, abrange uma missão e um conjunto de valores que devem ser partilhados pela comunidade académica. A UBI é uma universidade jovem, dinâmica e em constante desenvolvimento. Servir a região, o país e o mundo é a nossa prioridade através de uma formação exigente e de uma investigação ao mais alto nível. A internacionalização da universidade constitui um processo de aprofundamento e integração de uma dimensão internacional e intercultural, em sede das actividades de ensinoaprendizagem, I&D e prestação de outros serviços. Este movimento implica conferir, sob o ponto de vista de análise estratégica, uma especial ênfase às forças existentes, o reforço de áreas em que o processo de internacionalização seja imprescindível ao desenvolvimento sustentável da instituição, bem como uma maior internalização das actividades com dimensão internacional, no sentido de acrescentar valor e aumentar o know-how e experiência dos estudantes, docentes, investigadores e pessoal não docente. Deste modo, asseguram-se mudanças, de modo sustentável, e conquistam-se novas vantagens competitivas. Nos próximos anos, afirmar-nos-emos pela nossa energia e pelo que ela produzir. Acredito numa UBI que se afirma pela positiva. Acredito numa UBI que olha para o mundo e nele se integra, sem esquecer a região que a acolhe. João Queiroz Reitor da Universidade da Beira Interior 3

4 mensagem do vice-reitor É com muita honra e enorme satisfação que dou as boas-vindas a todos os estudantes em mobilidade, neste momento em que a Universidade da Beira Interior celebra o 25º aniversário de existência. Desejo que os tempos que irão passar nesta instituição de Ensino Superior sejam, não só de aprendizagem, mas também que constituam uma ocasião para aproveitar a experiência única de estar num país estrangeiro, partilhando experiências pessoais, culturais e diferentes estilos de vida. Desfrutem do momento único em que terão ocasião para crescer científica, social e culturalmente como cidadãos de um mundo global e fraterno, aqui representado por esta comunidade académica. Haverá, seguramente, inumeras oportunidades que se vos irão oferecer e muitas amizades inesquecíveis que irão estabelecer. Por seu turno, a cidade da Covilhã e a região da Beira Interior oferecer-vos-ão um vasto leque de atividades culturais, que espero apreciem. Nas próximas páginas encontrarão uma descrição geral da nossa Universidade, Faculdades e cursos oferecidos nas diferentes áreas do conhecimento, alguma informação académica como, por exemplo, o registo no nosso sistema e o calendário académico, informação relativa às infraestruturas oferecidas pela UBI e também informação geral sobre a cidade e o país. Espero que este manual vos seja útil. No entanto, nunca hesitem em recorrer ao Gabinete de Programas e Relações Internacionais para obter qualquer ajuda que possam vir a necessitar. Tenham em mente que estamos sempre ao vosso dispor para vos auxiliar e facilitar a vossa integração na nossa intensa vida académica e cultural. Espero que a escolha e interesse pela nossa Universidade seja uma das melhores decisões da vossa vida. Saudações académicas. Paulo Almeida Vice-reitor Coordenador Institucional de mobilidade 5

5 gabinete de programas e relações internacionais Coordenador Institucional da UBI Vice-reitor para o Ensino e Internacionalização Paulo Jorge da Silva Almeida Gabinete de Programas e Relações Internacionais Universidade da Beira Interior Rua Marquês d Ávila e Bolama Covilhã, Portugal https://www.ubi.pt/entidade.aspx?id=gpri Programas de mobilidade Santander Universidades, intercâmbios institucionais, Programa de Licenciaturas Internacionais, Ciência sem Fronteiras, Programa Vulcanus Maria Vitória Torrão Fiadeiro Telefone: Fax: Programa Aprendizagem ao Longo da Vida/Erasmus, Programa de Mobilidade Nacional Almeida Garrett, IAESTE, Programa Fullbright Sofia Lemos Telefone: Fax:

6 ESN covilhã Embora jovem, a Universidade da Beira Interior (UBI) já recebeu reconhecimento nacional e internacional. Os programas de mobilidade da UBI constituem um dos aspetos mais importantes na área de internacionalização. Desde o início que a Universidade presta apoio aos estudantes Estrangeiros. O projeto ESN começou com dois alunos da UBI que efetuaram um programa de mobilidade Erasmus, numa Universidade polaca, tendo tido contato com esta organização. Quando regressaram à Covilhã, decidiram criar a ESN Covilhã. Formaram uma equipa e começaram a trabalhar em 2011/2012. Os estudantes estão a fazer um bom trabalho neste campo de forma a fazer os nossos alunos estrangeiros viverem os melhores dias das suas vidas. Erasmus Student Network (ESN) é uma organização internacional sem fins lucrativos. A missão é representar os estudantes internacionais, promovendo oportunidades de conhecimento cultural e desenvolvimento próprio no princípio de que estudante ajuda estudante. A ESN conta com membros de 396 seções presentes em 36 países que trabalham, voluntariamente, com as Universidades oferecendo serviço a estudantes. Contatos Sede: Rua Senhor da Paciência, Covilhã Portugal Telefone: Responsável: Francisca Santos 9

7 associação de estudantes A Associação Académica da UBI é um corpo estudantil que visa defender, ajudar e, sempre que necessário, acompanhar os alunos nos seus percalços estudantis, bem como na incorporação da vida académica. A Associação Académica da UBI foi criada sob a premissa de defender, lutar e alcançar vitórias por todos os estudantes que representa, 24 anos depois, esse trabalho continua com a mesma dedicação e princípios de outrora. Assim as sucessivas direções têm trabalhado em prol desta causa, arquitetando estruturas que permitam aproximar a AAUBI aos alunos e ajudá-los de forma responsável e sustentável. Aumentando a credibilidade e a eficácia da nossa instituição através de um trabalho conjunto com a equipa Reitoral para com os alunos, pois nunca deve ser esquecido que o primeiro objetivo da AAUBI, e da equipa Reitoral, é o de estar viva, presente e capaz perante todas as situações a que os alunos possam estar sujeitos. Deste modo, pronunciar-nos-emos sobre os problemas sociais com que os alunos se debatem e trabalharemos em conjunto - com a Reitoria e com todos os Ubianos que precisem ou queiram de alguma forma colaborar connosco. Apesar de esse ser o nosso objetivo principal e ser a razão da nossa instituição existir, a AAUBI desenvolve, ao longo do ano, atividades lúdicas e recreativas, atividades essas reconhecidas, em alguns casos, a nível nacional (Receção ao Caloiro e Semana Académica). A par disto, a sede da AAUBI dispõe de serviços imprescindíveis para o aluno da UBI, tal como uma biblioteca, uma papelaria assim como outros serviços os quais estão a ser desenvolvidos. Contatos Sede: Rua Senhor da Paciência, Covilhã Portugal Telefone: Fax: Responsável: Pedro Bernardo 11

8 universidade da beira interior A Universidade da Beira Interior é hoje uma instituição de referência a nível nacional e internacional, ao nível do ensino, da investigação, da inovação e do empreendedorismo. Apostando cada vez mais na qualidade, a UBI tem investido na criação de laboratórios bem equipados, na expansão das suas instalações - quer as dedicadas às actividades de ensino e investigação, como as necessárias para oferecer aos seus estudantes melhores condições de trabalho e de apoio social -, no progressivo envolvimento em projetos de investigação de âmbito nacional e internacional e, ainda, num corpo docente altamente qualificado. A evolução do número de cursos e do número de estudantes tem vindo a crescer ao longo dos anos, tendo estes últimos já ultrapassado os 7000 alunos provenientes de todo o país e 200 oriundos do resto do mundo. Com uma aposta constante numa formação sólida nas mais diversas áreas do saber, a UBI conta atualmente com mais de 30 cursos de 1º ciclo/licenciatura, cerca de 50 cursos de 2º ciclo/mestrado e cerca de 30 cursos de 3º ciclo/doutoramento, distribuídos pelas cinco faculdades: Faculdade de Ciências, Faculdade de Engenharia, Faculdade Ciências Sociais e Humanas, Faculdade de Artes e Letras e Faculdade de Ciências da Saúde. Ao nível dos recursos humanos, a UBI conta hoje com mais de 600 docentes e 270 funcionários distribuídos pelas suas cinco faculdades e serviços. 13

9 nota histórica Os primeiros passos a caminho do que é hoje a Universidade da Beira Interior (UBI) foram dados na década de 70, quando nasceu o Instituto Politécnico da Covilhã (IPC), em A cidade, outrora considerada Manchester portuguesa, pela longa tradição, dinâmica e qualidade dos seus lanifícios, foi atingida, nessa década, por uma crise ao nível da indústria: grandes e pequenas fábricas começam a revelar debilidades graves que levariam ao seu encerramento, com consequências sociais e económicas desastrosas para a região. Foi neste panorama, e no âmbito das actividades do grupo de trabalho para o Planeamento Regional da Cova da Beira, que surgiu a ideia de criar na região uma instituição de ensino superior, de forma a facultar aos seus naturais a possibilidade de prosseguirem os estudos pós-secundários sem que, para isso, tivessem de se deslocar para outros pontos do país, a maioria das vezes a título definitivo. Assim, na sequência da publicação do Decreto-Lei 402/73, de 11 de Agosto, no quadro da chamada Reforma Veiga Simão - que deu lugar à expansão e diversificação do Ensino Superior -, foi criado o IPC, que recebeu, em 1975, os seus primeiros 143 alunos, nos cursos de Engenharia Têxtil e Administração e Contabilidade. Em Julho de 1979, seis anos passados, a instituição converteu-se em Instituto Universitário da Beira Interior (IUBI) (Lei 44/79, de 11 de Setembro). A conversão do IUBI em UBI veio a acontecer em 1986 (Decreto-Lei 76-B/86, de 30 de Abril), tendo as áreas de expansão e proteção dos polos I, II e III sido regulamentadas através do Decreto do Governo n.º 33/87, de 2 de Novembro. O Pólo IV surgiu posteriormente, em 1996, acolhendo cursos de Ciências Sociais e Humanas. O seu primeiro Reitor foi o Prof. Doutor Cândido Manuel Passos Morgado, que se manteria no cargo entre 21 de Agosto de 1980 e 19 de Janeiro de 1996, data em que assumiu funções como Reitor o Prof. Doutor Manuel José dos Santos Silva, que se mantém no cargo até 19 de Junho de Nesta data, tomou posse como terceiro Reitor da instituição o Professor Doutor João António de Sampaio Rodrigues Queiroz. antigas fábricas convertidas em instalações universitárias Uma das características físicas mais interessantes da UBI resulta da recuperação de antigos edifícios, de elevado valor histórico, cultural e arquitetónico. Ao mesmo tempo que se preservam marcos históricos da cidade, estes são revitalizados em espaços agora vocacionados para o ensino e para a investigação. Já a edificação do IPC havia começado através da recuperação das anteriores instalações do quartel do Batalhão de Caçadores 2, instalado na pombalina Real Fábrica de Panos, localizada num dos núcleos tradicionais de concentração fabril da Covilhã, junto à Ribeira da Goldra. Durante as obras de reconversão, em 1975, foram descobertas, soterradas, estruturas arqueológicas que pertenciam às tinturarias da Real Fábrica de Panos, uma importante manufactura de lanifícios mandada construir, no século XVIII, pelo Marquês de Pombal. Após duas campanhas de intervenção arqueológica e uma ampla investigação, foi criada a estrutura que deu lugar ao primeiro núcleo do Museu de Lanifícios da UBI, aberto ao público em Assim, as antigas edificações fabris localizadas na entrada Sul da Covilhã tornaram-se, quase naturalmente, não só uma solução lógica e de continuidade, no que respeita à expansão física da universidade, mas também uma opção que resultou num enorme benefício para a cidade, em termos urbanísticos e de impacto ambiental, através da recuperação de edifícios abandonados ou em ruínas que constituíam parte significativa do património industrial covilhanense, fazendo da instituição um caso único na Universidade portuguesa. Entre o património edificado mais icónico poderão encontrar o Convento de Santo António, no Pólo II, local onde se encontra sediada a Reitoria; o antigo palácio da família Mello e Castro; o edifício das antigas: Fábrica do Rato; Fábrica das Carpetes; Fábrica do Moço; Fábrica Paulo de Oliveira; o edifício da Setecentista Real Fábrica de Panos e a Capela de São Martinho, monumento românico do final do séc. XII, classificado como imóvel de interesse público e que está destinada ao serviço religioso da UBI. Foi adquirida também a antiga casa da família Mendes Veiga que, após as obras do projeto de reabilitação, passou a albergar a Biblioteca Geral da Universidade. No Pólo I, o redesenvolvimento urbano culminou com o complexo do Programa Polis, um interessante parque de lazer que funciona como extensão natural deste Pólo e que inclui o projeto da histórica Ribeira da Goldra. Na década de 90, optou-se por expandir a Universidade para o extremo norte da cidade, junto à Ribeira da Carpinteira, local onde foi criado o Pólo IV. A UBI continuou a espandir-se. Em 2004, iniciou-se a construção da Faculdade de Ciências da Saúde no Pólo III, tendo sido inaugurada a 30 de abril de 2007, cumprindo-se, assim, o programa de instalação das infra-estruturas do curso de Medicina. Atualmente, a UBI extende-se por uma área que atinge já os 134,500m 2. 14

10 faculdades Em termos de ensino, a Universidade da Beira Interior estrutura-se em Faculdades que agrupam as áreas do saber que, por natureza, lhe estão afins. Assim, a UBI compreende cinco Faculdades: Faculdade de Ciências, Faculdade de Engenharia, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Faculdade de Artes e Letras e Faculdade de Ciências da Saúde. Seguidamente, encontrará uma breve caracterização de cada uma delas, com menção às principais áreas de formação que englobam. A estrutura dos cursos da Universidade segue um esquema de três anos de licenciatura, dois anos de mestrado e três anos de doutoramento, existindo alguns cursos de cinco anos de formação básica, designados mestrados integrados. A UBI viu reconhecida a sua excelência na aplicação do Suplemento ao Diploma com a atribuição do DS Label pela Comissão Europeia. Suplemento ao Diploma A Comissão Europeia, o Conselho da Europa e a UNESCO/CEPES desenvolveram um modelo para o Suplemento ao Diploma que foi concebido como uma ferramenta para ser facilmente adaptável e permitir uma descrição o mais completa possível das qualificações e que descreve de forma normalizada a natureza, o nível, o contexto, o conteúdo e o estatuto dos estudos seguidos e concluídos com sucesso pelo diplomado tendo em vista promover a transparência e o reconhecimento das qualificações quer para fins académicos quer profissionais. Com a Declaração de Bolonha, o Suplemento ao Diploma torna-se num dos instrumentos primordiais para facilitar a mobilidade e a empregabilidade dos diplomados, inserindo-se nos princípios consignados no texto aprovado. 17

11 faculdade de ciências cursos 1º ciclo licenciaturas Bioquímica Biotecnologia Química Medicinal cursos 2º ciclo mestrados Bioquímica Biotecnologia Ensino de Física e Química no 3º ciclo do ensino básico e no ensino secundário Ensino de Matemática no 3º ciclo do ensino básico e no ensino secundário Química Industrial cursos 3º ciclo doutoramentos Bioquímica Didática da Matemática Física Matemática Matemática Aplicada Química Situada no Pólo I da Universidade, foi aqui que, através da recuperação de diversos edifícios fabris em ruínas e da sua reconversão para instalações de ensino, se deram os primeiros passos para a implementação do ensino superior na Covilhã e, por conseguinte, para a implantação da Faculdade de Ciências. Integram a Faculdade os Departamentos de Física, Química, e Matemática. Apetrechados com os melhores laboratórios de ensino e investigação, estes são os departamentos das ciências basilares da maior parte dos cursos da instituição, através das quais os alunos são conduzidos ao mundo fascinante da Física, Química e Matemática, criando-se em cada aula, em cada experiência, em cada projeto de investigação a oportunidade para testar a criatividade, a independência e a capacidade para compreender e explorar o mundo. Muitas são as saídas profissionais relacionadas com a Física, Química e Matemática, nomeadamente, algumas empresas de spin-offs que exploram, todos os dias, ideias destas áreas do saber. A própria internet é, tal como a conhecemos hoje e em grande medida, uma spin-off de investigação fundamental em Física, Química e Matemática. A Faculdade de Ciências inclui uma unidade de I&D, o Centro de Matemática, que desenvolve projetos aprovados e financiados pela FCT. Esta unidade estuda probabilidade e estatísticas; equações em derivados parciais; álgebra; geometria; topologia e sistemas dinâmicos; processamento de informação. Coordenadores Departamentais Bioquímica Profª. Cristina Cabral Biotecnologia Profª. Cristina Cabral Faculdade de Ciências Física Prof. Santiago Cortes Matemática Prof. Rui Almeida Química Medicinal Profª. Isabel Ismael 19

12 faculdade de engenharia mestrados integrados Arquitetura Engenharia Aeronáutica Engenharia Civil cursos 1º ciclo licenciaturas Bioengenharia Engenharia Informática Engenharia Eletromecânica Engenharia Eletrotécnica e de Computadores Tecnologia e Sistemas de Informação cursos 2º ciclo mestrados Engenharia Eletromecânica Engenharia Eletrotécnica e de Computadores Engenharia Informática Engenharia e Gestão Industrial Engenharia Têxtil Sistemas de Informação Geográfica Tecnologias e Sistemas da Informação cursos 3º ciclo doutoramentos Engenharia Aeronáutica Engenharia Civil Engenharia Eletrotécnica e de Computadores Engenharia e Gestão Industrial Engenharia Informática Engenharia Mecânica Engenharia do Papel Engenharia Têxtil Instalada na antiga Empresa Transformadora de Lãs, a Faculdade de Engenharia estende-se ao longo da Ribeira da Goldra, no sopé da serra, onde a tecnologia e a natureza se encontram e se inspiram mutuamente. Equipada com laboratórios e salas de trabalho de e para todos, acolhe seis unidades de investigação, financiadas pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), que se encontram em permanente contato com o tecido empresarial. Duas destas unidades de investigação, com avaliações externas muito positivas, são polos de laboratórios associados, instituições de excelência na investigação em Portugal. Integram a Faculdade de Engenharia, os Departamentos de Ciências e Tecnologias Têxteis, Ciências Aeroespaciais, Engenharia Civil e Arquitetura, Engenharia Eletromecânica e Engenharia de Informática. No âmbito do Processo de Bolonha, o qual veio introduzir alterações significativas ao nível da formação universitária, a UBI adequou com sucesso, em 2006, as suas licenciaturas em Engenharia, fomentando uma proximidade cada vez maior do ensino e da investigação às necessidades reais da indústria. A Faculdade de Engenharia promove, regularmente, a divulgação científica e tecnológica através da organização de seminários e conferências sobre temas relacionados com as áreas dos cursos coordenados pelos Departamentos, onde participam docentes, alunos e especialistas nacionais e estrangeiros. Paralelamente à divulgação científica, a Faculdade apoia e estimula atividades culturais e lúdicas desenvolvidas pelos docentes, investigadores, colaboradores e pelos Núcleos de Estudantes. 21

13 Coordenadores Departamentais Engenharia Aeronáutica Prof. José Silva Engenharia Civil e Arquitetura Profª. Cláudia Beato Prof. José Páscoa (Engenharia Eletromecânica) Prof. Felippe de Souza (Engenharia Eletrotécnica) Faculdade de Engenharia Engenharia Eletromecânica Prof. Pedro Dinis (Engenharia Mecânica) Prof. João Matias (Engenharia e Gestão Industrial) Prof. João Monteiro (Design Industrial) Engenharia Têxtil e Tecnologia Profª. Rita Salvado (Engenharia Têxtil) Informática Prof. Paul Crocker (Bioengenharia; Engenharia Informática; Tecnologias e Sistemas da Informação) 22

14 faculdade de ciências sociais e humanas cursos 1º ciclo licenciaturas Ciências do Desporto Ciência Política e Relações Internacionais Economia Gestão Marketing Psicologia Sociologia cursos 2º ciclo mestrados Ciências do Desporto Ciência Política Economia Educação Social e Comunitária Empreendedorismo e Criação de Empresas Empreendedorismo e Serviço Social Ensino de Educação Física nos Ensinos Básico e Secundário Gestão Gestão de Unidades de Saúde Marketing Relações Internacionais Sociologia: Exclusão e Políticas Sociais Supervisão Pedagógica cursos 3º ciclo doutoramentos Economia Educação Gestão Marketing e Es tratégia Psicologia Sociologia Ciências do Desporto Edificada na antiga fábrica do Ernesto Cruz, como é conhecida entre os estudantes e a população da Covilhã, a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH), no Pólo IV, acolhe os Departamentos de Gestão e Economia, Psicologia e Educação, Sociologia e ainda o Departamento de Ciências do Desporto que se encontra no Pólo II. Dotada das mais recentes tecnologias, a Faculdade privilegia a comunicação interna e externa, através das suas páginas de internet, permitindo aos futuros alunos conhecer a sua Escola, nomeadamente as estruturas de ensino e de investigação, e oferece ao exterior, em particular aos atuais e futuros parceiros nacionais e internacionais, um panorama das atividades que são desenvolvidas nesta Faculdade. É prioridade da FCSH promover o processo de ensino-aprendizagem intercultural e aumentar o envolvimento dos alunos nas atividades de investigação, desde os primeiros anos. Paralelamente, criam-se e fomentam-se estágios e oportunidades de aprendizagem profissional nas entidades com as quais se tem vindo a estabelecer protocolos de cooperação na região, no país e no estrangeiro. A FCSH está a trabalhar para se posicionar corretamente perante os desafios do século XXI, fomentando as capacidades e qualidades transversais dos seus estudantes e professores; treinando líderes nas diversas áreas da sua intervenção, nomeadamente nas áreas emergentes de ensino. Tem vindo ainda a intensificar a presença de professores externos nas suas atividades de ensino e de investigação, assim como os seus docentes têm cooperado nas atividades de outras Universidades nacionais e estrangeiras, potenciando as oportunidades para programas doutorais interdisciplinares. A Faculdade de Ciências Sociais e Humanas é hoje uma referência nas suas áreas de ação, reunindo as melhores condições para aprender, ensinar e investigar. 25

15 Coordenadores Departamentais Ciências do Desporto Prof. Rui Brás Ciência Política e Relações Internacionais Profª. Teresa Cierco Ciência Política / Relações Internacionais Prof. André Barata Empreendedorismo e Serviço Social Prof. Alcides Monteiro Prof. José Pires Manso (Economia) Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Gestão e Economia Prof. Ricardo Rodrigues (Empreendedorismo e Criação de Empresas; Gestão; Gestão de Unidades de Saúde) Prof. Paulo Pinheiro (Marketing) Psicologia Profª. Graça Esgalhado Sociologia Profª. Johanna Schouten 26

16 faculdade de artes e letras cursos 1º ciclo licenciaturas Ciências da Comunicação Cinema Design Industrial Design de Moda Design Multimédia Estudos Portugueses e Espanhóis Filosofia cursos 2º ciclo mestrados Branding e Design de Moda Ciências da Comunicação Ciências Documentais Cinema Comunicação Estratégica: Publicidade e Relações Públicas Design Industrial Tecnológico Design de Moda Design Multimédia Ensino de Artes Visuais no 3º Ciclo do Ensino Básico e no Ensino Secundário Ensino de Educação Visual e Tecnológica no Ensino Básico Ensino de Filosofia no Ensino Secundário Ensino do Português no 3º Ciclo do Ensino Básico e Ensino Secundário e de Espanhol nos Ensinos Básico e Secundário Estudos Didáticos, Culturais, Linguísticos e Literários Estudos Ibéricos Filosofia Ética e Política Jornalismo cursos 3º ciclo doutoramentos Ciências da Comunicação Filosofia A Faculdade de Artes e Letras compreende dois Departamentos, Comunicação e Artes e Departamento de Letras. O Departamento de Comunicação e Artes inclui duas Unidades I&D, o Instituto de Filosofia Prática (IFP) e o Laboratório de Comunicação Online (LABCOM), que desenvolvem projetos aprovados e financiados pela FCT. Estas Unidades organizam eventos científicos de caráter nacional e internacional; editam livros nas coleções Estudos em Comunicação e Ubianas (Ciências da Comunicação), e na Ta Pragmata (Filosofia). O LABCOM publica, em formato digital, os Livros Labcom e a revista Estudos em Comunicação. Em matéria de cooperação com o exterior, destacam-se: a programação de cinema da Cinubiteca, destinada à comunidade universitária e ao público em geral; a publicação do jornal Urbi et Orbi, em versão online; as emissões regulares da Tubiweb e da Rubiweb, as TV e rádio da UBI; a produção de programas em rádios regionais; a colaboração regular nos jornais Notícias da Covilhã e O Interior ; a realização de conferências em Escolas e outras instituições. Dotado de um corpo docente de atestada competência científica e pedagógica, na sua maioria doutorados, o Departamento de Letras é constituído por professores provenientes de diversas áreas como: História; Linguística; Língua e Cultura Espanhola; Língua e Cultura Inglesa; Línguas e Culturas Africanas e Brasileiras; Literatura Portuguesa; Pedagogia e Ciências da Educação; Línguas e Culturas Clássicas. Para além das instalações que utiliza no Pólo I da Universidade da Beira Interior, o Departamento de Letras dinamiza o Laboratório de Línguas, onde proporciona a frequência de cursos livres em diversas línguas como o Mandarim, o Italiano, o Russo, o Alemão e o Português para estrangeiros, incluindo os estudantes Erasmus, mas não só. Por todas estas razões, integrar o espaço da Faculdade de Artes e Letras implica a participação dinâmica numa dimensão de desenvolvimento e de aprofundamento de uma grande variedade de conhecimentos e de competências, de forma integradora, aprazível e estimulante. 29

17 Coordenadores Departamentais Prof. Eduardo Camilo (Ciências da Comunicação Prof. Francisco Paiva (Design Multimédia) Faculdade de Artes e Letras Comunicação e Artes Prof. André Barata (Filosofia) Prof.ª Rita Salvado (Design de Moda) Prof.ª Manuela Penafria (Cinema) Letras Prof.Paulo Osório (Estudos Portugueses e Espanhóis; Estudos Ibéricos) 30

18 faculdade de ciências da saúde mestrados integrados Ciências Farmacêuticas Medicina cursos 1º ciclo licenciaturas Ciências Biomédicas Optometria - Ciências da Visão cursos de 2º ciclo mestrados Ciências Biomédicas Gerontologia Optometria em Ciências da Visão cursos 3º ciclo doutoramentos Biomedicina Ciências Farmacêuticas Medicina A forte consciência da necessidade de um salto qualitativo no desenvolvimento dos recursos humanos nos domínios da saúde motivou a aprovação Governamental da criação de mais duas Faculdades de Medicina no país. No entanto, ficou estabelecido, desde logo, que os projetos candidatos teriam que apresentar alterações profundas no curriculum médico permitindo, assim, renovar o ensino da Medicina em Portugal. Em conformidade com essa disposição, a Universidade da Beira Interior lançou-se em mais um grande desafio e apresentou uma candidatura para um projeto inovador de licenciatura em Medicina, projeto esse que foi aprovado pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 140/98 de 4 de Dezembro. Nele propunha-se o desenvolvimento de modelos inovadores de formação, pautados por padrões científicos, pedagógicos e assistenciais de elevada qualidade, em que também a articulação com as unidades de prestação de cuidados de saúde seria assegurada por um modelo organizacional diferente e inovador. Com base nos pressupostos enunciados, foram delineadas três diretrizes para a metodologia pedagógica a praticar na Faculdade de Ciências da Saúde: - Criação de um modelo pedagógico que substitua o sistema de ensino tradicional, de adição de cadeiras, por um sistema de ensino integrado, baseado no estabelecimento de objetivos e recorrendo, sempre que possível, à aprendizagem baseada em problemas; - Ênfase na aprendizagem, por parte do aluno, em detrimento dos processos que conduzem ao armazenamento de informação. Assim, no binómio ensino-aprendizagem é imprescindível colocar ênfase na aprendizagem, entendendo o ensino como um sistema para a facilitar; - Controlo continuado da metodologia pedagógica. Coordenadores Departamentais Ciências Biomédicas Ciências Farmacêuticas Profª. Mafalda Fonseca Faculdade de Ciências da Saúde Medicina Prof. Samuel Silvestre Profª. Luiza Granadeiro Optometria e Ciências da Visão Prof. Francisco Ferreira 33

19 ubi informação académica

20 sistema académico candidatura inscrição na UBI calendário académico O ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado (1º ciclo) no ensino universitário tem 180 ou 240 créditos e uma duração normal compreendida entre 6 e 8 semestres curriculares de trabalho dos alunos. No 1º ciclo de estudos das instituições universitárias o grau de licenciado é conferido aos estudantes que, através da aprovação em todas as unidades curriculares que integram o plano de estudos do curso de licenciatura, tenham obtido o número de créditos fixado. O ciclo de estudos conducente ao grau de mestre (2º ciclo) tem 90 a 120 créditos e uma duração normal compreendida entre 3 e 4 semestres curriculares de trabalho dos alunos. No ensino universitário, o ciclo de estudos conducente ao grau de mestre deve assegurar, predominantemente, a aquisição de uma especialização de natureza académica com recurso à atividade de investigação ou que aprofunde competências profissionais. O grau de mestre pode ser, igualmente, conferido após um ciclo de estudos integrado, com 300 a 360 créditos e uma duração normal compreendida entre 10 e 12 semestres curriculares de trabalho dos alunos nos casos em que a duração para o acesso ao exercício de uma determinada atividade profissional seja fixada por normas legais da União Europeia ou resulte de uma prática estável e consolidada na União Europeia. Neste ciclo de estudos é conferido o grau de licenciado aos estudantes que tenham realizado os 180 créditos correspondentes aos primeiros 6 semestres curriculares de trabalho. No 2º ciclo de estudos das instituições universitárias o grau de mestre é conferido aos alunos que através da aprovação em todas as unidades curriculares que integram o plano de estudos do curso de mestrado e da aprovação no ato público de defesa da dissertação, do trabalho de projeto ou do relatório de estágio, tenham obtido o número de créditos fixado. O grau de doutor (3º ciclo) é conferido pelas instituições universitárias aos estudantes que tenham obtido aprovação nas unidades curriculares do curso de doutoramento, quando exista, e no ato público de defesa da tese. Os estudantes que pretendam realizar um período de mobilidade na UBI, que poderá ter a duração de um ou dois semestres, no máximo, deverão contatar o Gabinete de Relações Internacionais da Universidade de origem para submeterem a sua candidatura. Caso o aluno seja aceite pela Universidade de acolhimento, o Gabinete de Programas e Relações Internacionais da UBI enviará uma Carta de Aceitação destinada à obtenção do visto de estudante VITEM IV RN 65/2005. Documentos necessários: Formulário de candidatura Plano de Estudos Histórico Curricular / Plano Curricular Curriculum Vitae (abreviado) Comprovativo de seguro de saúde internacional ou PB4 (quando aplicável) Cópia do passaporte (quando aplicável) Ofício assinado pelo responsável do intercâmbio a acompanhar o processo Aquando da chegada à UBI, o estudante deverá dirigir-se ao Gabinete de Programas e Relações Internacionais (GPRI). Deverá apresentar o bilhete de identidade ou passaporte, duas fotos e o seguro de saúde internacional ou PB4 (apenas para estudantes oriundos do Brasil). Seguidamente será orientado para todas as formalidades inerentes à inscrição junto dos balcões dos Serviços Académicos da UBI. O ano académico na UBI compreende 2 semestres: o primeiro tem a duração de cerca de 21 semanas, a partir de meados de setembro até meados de fevereiro; o segundo tem a duração de cerca de 20 semanas, a partir de meados de fevereiro até finais de junho. As férias de Natal têm a duração de 2 semanas e as férias da Páscoa duram uma semana. No início do ano letivo há também 1 semana sem aulas, dedicada à receção ao caloiro

Guia do Estudante Internacional 2013.2014

Guia do Estudante Internacional 2013.2014 Guia do Estudante Internacional 2013.2014 Edição Gabinete de Internacionalização e Saídas Profissionais índice Gabinete de Internacionalização e Saídas Profissionais (GISP) ESN Covilhã Associação de Estudantes

Leia mais

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA INED INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROJETO EDUCATIVO MAIA PROJETO EDUCATIVO I. Apresentação do INED O Instituto de Educação e Desenvolvimento (INED) é uma escola secundária a funcionar desde

Leia mais

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 I SÉRIE Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 ÍNDICE SUPLEMENTO Ministério da Educação e Ciência Portaria n.º 292-A/2012: Cria uma experiência-piloto de oferta formativa de cursos vocacionais

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Educação Intercultural Edição Instituto de Educação da Universidade de Lisboa julho de 2015

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: História da Educação (Regime a Distância) Edição Instituto de Educação da Universidade de

Leia mais

EDITAL PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (BGCT) ATRIBUIÇÃO DE 6 (SEIS) BOLSAS DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA

EDITAL PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (BGCT) ATRIBUIÇÃO DE 6 (SEIS) BOLSAS DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EDITAL PARA A ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (BGCT) ATRIBUIÇÃO DE 6 (SEIS) BOLSAS DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA No âmbito de protocolo celebrado com a Fundação de Ciência e

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Administração Educacional Edição Instituto de Educação da Universidade de Lisboa julho de

Leia mais

UNIVERSIDADE DE LISBOA ESTUDANTE INTERNACIONAL

UNIVERSIDADE DE LISBOA ESTUDANTE INTERNACIONAL UNIVERSIDADE DE LISBOA ESTUDANTE INTERNACIONAL EM PORTUGAL, A ULISBOA É LÍDER NOS PRINCIPAIS RANKINGS INTERNACIONAIS Academic Ranking of World Universities 2014 (Shanghai) 2.ª Universidade Ibero-Americana

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Curso Pós-Graduado de Especialização em Educação Especialização: Liderança e Gestão Intermédia na Escola Edição Instituto de Educação

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA. (Edição 2012-2014)

EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA. (Edição 2012-2014) 1/10 EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA (Edição 2012-2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de março, com as alterações que lhes

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Gabinete do Reitor

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Gabinete do Reitor DESPACHO N.º 014/R/39 1. Nos termos dos Despachos n.ºs 17/007 e 18/007, de 0 de julho, as vagas para os Concursos Especiais de Acesso e para Regimes de Mudança de Curso e Transferência, 1.º ano, 1.º semestre,

Leia mais

FUNDAÇÃO CONVENTO DA ORADA - ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA. Regulamento de Bolsas de Investigação Científica. Capítulo I Disposições gerais

FUNDAÇÃO CONVENTO DA ORADA - ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA. Regulamento de Bolsas de Investigação Científica. Capítulo I Disposições gerais FUNDAÇÃO CONVENTO DA ORADA - ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA Regulamento de Bolsas de Investigação Científica Capítulo I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, segue o modelo aprovado pela

Leia mais

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional para estágio dos estudantes de Licenciatura

Leia mais

Vou entrar no Ensino Secundário. E agora? Que via escolher?

Vou entrar no Ensino Secundário. E agora? Que via escolher? Vou entrar no Ensino Secundário. E agora? Que via escolher? A publicação da Lei n.º 85/2009, de 27 de Agosto, estabelece o regime de escolaridade obrigatória para as crianças e jovens em idade escolar,

Leia mais

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Relatório Resumo Junho de 2012 Índice 1. Objectivo... 3 2. Enquadramento... 3 3. Trabalho realizado... 3 4. Dados síntese da Licenciatura

Leia mais

Programa de Licenciaturas Internacionais CAPES/ Universidade de Lisboa

Programa de Licenciaturas Internacionais CAPES/ Universidade de Lisboa Programa de Licenciaturas Internacionais / (23 Dezembro de 2011) 1. Introdução 2. Objectivos 3. Organização e procedimentos 4. Regime de Titulação do Programa de Licenciaturas Internacionais /UL 5. Regime

Leia mais

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx SUPLEMENTO AO DIPLOMA Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer dados independentes

Leia mais

I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S. C T e S P. Cursos Técnicos Superiores Profissionais

I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S. C T e S P. Cursos Técnicos Superiores Profissionais I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S C T e S P Cursos Técnicos Superiores Profissionais GESTÃO ADMINISTRATIVA DE RECURSOS HUMANOS GESTÃO COMERCIAL E DE MARKETING ORGANIZAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO (ISCIA) Disposições Gerais

REGULAMENTO CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO (ISCIA) Disposições Gerais REGULAMENTO CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO (ISCIA) Disposições Gerais O presente regulamento visa aplicar o regime estabelecido

Leia mais

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx SUPLEMENTO AO DIPLOMA Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer dados independentes

Leia mais

E R A S M U S Guia do Estudante ERASMUS. Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Guia do Estudante

E R A S M U S Guia do Estudante ERASMUS. Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Guia do Estudante ERASMUS Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa Guia do Estudante Normas Gerais A mobilidade de estudantes, uma das acções mais frequentes do Programa, inclui duas vertentes de actividade: realização

Leia mais

GABINETE DO REITOR COORDENAÇÃO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

GABINETE DO REITOR COORDENAÇÃO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS GABINETE DO REITOR COORDENAÇÃO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS PROGRAMA DE GRADUAÇÃO / POSGRADUAÇÃO / MESTRADO E DOUTORADO / PESSOAL ACADEMICO FELLOW-MUNDUS Edital de Seleção de bolsas Fellow Mundus. 01.2015

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

Formação e Tendências de Mercado da Formação Graduada e Pós graduada 1

Formação e Tendências de Mercado da Formação Graduada e Pós graduada 1 Número de Alunos Formação e Tendências de Mercado da Formação Graduada e Pós graduada 1 Susana Justo, Diretora Geral da Qmetrics 1. Formação em ensino superior, graduada e pós graduada. Em Portugal continua

Leia mais

Ciência sem Fronteiras Alemanha (CsF) Oferta curricular para bolsistas CsF. Programa de Engenharia de Processos Resumo

Ciência sem Fronteiras Alemanha (CsF) Oferta curricular para bolsistas CsF. Programa de Engenharia de Processos Resumo Bernburg Dessau Köthen Hochschule Anhalt Fachbereich Angewandte Biowissenschaften und Prozesstechnik Ciência sem Fronteiras Alemanha (CsF) Oferta curricular para bolsistas CsF Departamento de Biociências

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO DE BOLSAS SANTANDER TOTTA/ UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2015

REGULAMENTO DO CONCURSO DE BOLSAS SANTANDER TOTTA/ UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2015 REGULAMENTO DO CONCURSO DE BOLSAS SANTANDER TOTTA/ UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2015 Este concurso visa reforçar a cooperação existente entre a Universidade de Coimbra (UC) e as instituições suas parceiras,

Leia mais

REGULAMENTO DE CREDITAÇÃO DE COMPETÊNCIAS, FORMAÇÃO E EXPERIENCIA PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE CREDITAÇÃO DE COMPETÊNCIAS, FORMAÇÃO E EXPERIENCIA PROFISSIONAL REGULAMENTO DE CREDITAÇÃO DE COMPETÊNCIAS, FORMAÇÃO E EXPERIENCIA PROFISSIONAL Considerando que, nos termos do n 3 do artigo 45. do Decreto -Lei n 74/2006, de 24 de margo, alterado pelos Decretos-Lei n

Leia mais

Plano de Atividades 2015

Plano de Atividades 2015 Plano de Atividades 2015 Instituto de Ciências Sociais Universidade do Minho 1. Missão Gerar, difundir e aplicar conhecimento no âmbito das Ciências Sociais e áreas afins, assente na liberdade de pensamento,

Leia mais

REGULAMENTO ACADÉMICO

REGULAMENTO ACADÉMICO I. Disposições Gerais Artigo 1º Objetivo O regulamento académico tem por objetivo definir a aplicação das normas que organizam e regulam todas as formações conducentes à obtenção do grau de licenciado

Leia mais

FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE

FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE O presente Regulamento tem como lei habilitante o Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março,

Leia mais

Seminário Ensino Vocacional e Profissional Centro de Formação Ordem de Santiago

Seminário Ensino Vocacional e Profissional Centro de Formação Ordem de Santiago Seminário Ensino Vocacional e Profissional Centro de Formação Ordem de Santiago Isabel Hormigo (Ministério da Educação e Ciência, Lisboa) Setúbal, 7 de fevereiro de 2014 Ciclos de estudos e duração Idade

Leia mais

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS Ensino Básico 2º e 3º Ciclo e Cursos Secundários Científico-Tecnológicos Resultados Escolares Ano Letivo 211/212 1. Introdução Cada jovem, rapaz ou rapariga, que escolhe

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA Regulamento do Curso Vocacional Artes e Multimédia Ensino Básico 3º ciclo Artigo 1.º Âmbito e Enquadramento O presente regulamento estabelece as diretrizes essenciais

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Universidade de Évora, 10 de março de 2015 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral

Leia mais

9ºANO E AGORA? SPO. Agrupamento de Escolas Sebastião da Gama

9ºANO E AGORA? SPO. Agrupamento de Escolas Sebastião da Gama 9ºANO E AGORA? SPO Agrupamento de Escolas Sebastião da Gama Cursos Vocacionais CET TESP Escolha consciente Orientação Escolar Interesses Aptidões Percurso Escolar Papel dos Pais no processo de DECISÃO

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa Curso de Pós-Graduação em Qualidade na Saúde 3.

Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa Curso de Pós-Graduação em Qualidade na Saúde 3. Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa Curso de Pós-Graduação em Qualidade na Saúde 3.ª Edição 2014/2015 EDITAL A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de

Leia mais

LÍDERES DA CPLP ENCONTRO DE JOVENS. Este desafio é nosso! Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA

LÍDERES DA CPLP ENCONTRO DE JOVENS. Este desafio é nosso! Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA ENCONTRO DE JOVENS Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA Aveiro, 22 a 24 de Junho de UNIVERSIDADE DE AVEIRO Entidades Promotoras Parceiros Apoios O que é o Festival

Leia mais

Centros Desportivos para a Preparação Olímpica

Centros Desportivos para a Preparação Olímpica Centros Desportivos para a Preparação Olímpica Exposição de motivos A prática desportiva de alto rendimento é pautada por critérios de excelência o que a obriga a padrões de exigência elevados. Essas exigências

Leia mais

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 3 Hemisfério esquerdo responsável pelo pensamento lógico e pela competência

Leia mais

O que somos hoje. Empreendedorismo

O que somos hoje. Empreendedorismo O que somos hoje Ensino Investigação Empreendedorismo O que podemos ser Ensino Investigação Inovação O que podemos fazer Linhas de brinquedos historicamente informados Roteiros de turismo sénior Aplicações

Leia mais

DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA

DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO 2015/2016 PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO 2015-2016 POR UM AGRUPAMENTO DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA JI Fojo EB 1/JI Major David Neto EB 2,3 Prof. José Buísel E.S. Manuel Teixeira Gomes

Leia mais

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade

Leia mais

DESPACHO SP/3/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA

DESPACHO SP/3/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA DESPACHO SP/3/2015 CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO PARA ESTUDANTES INTERNACIONAIS, DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA Nos termos dos artigos 2.º e 3.º do Regulamento do Estatuto do Estudante Internacional

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR Departamento de Psicopedagogia e Orientação Vocacional ACESSO AO ENSINO SUPERIOR Serviços de Psicologia e Orientação Escola Secundária Francisco Rodrigues Lobo A psicóloga: Paula Jerónimo (paula.jeronimo@colegio-j-barros.com)

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus

Escola Superior de Educação João de Deus Regulamento do 2.º Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Mestre em Educação Especial: Domínio Cognitivo e Motor Artigo 1.º Objectivos Os objectivos dos cursos de Mestrado (2.º ciclo), da Escola Superior

Leia mais

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique.

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Um mar de oportunidades Mestrado em Gestão Portuária Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique A ENIDH é a Escola Superior pública portuguesa que assegura a formação de

Leia mais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA Seção I Das Disposições Gerais Art. 22. A educação básica tem por finalidades desenvolver o educando, assegurar-lhe

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)*

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* Bolsa / / Reservado aos Serviços A preencher pelo candidato Nome completo: Domínio científico principal (indicar apenas

Leia mais

REGULAMENTO Mobilidade Macau

REGULAMENTO Mobilidade Macau Face à parceria estabelecida entre a Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHTE) e o Instituto de Formação Turística em Macau (IFT Macau) no âmbito da qual são facultadas possibilidades de

Leia mais

Ministério da Educação e Ciência

Ministério da Educação e Ciência Despacho O Despacho Normativo n.º 24/2000, de 11 de maio, com as alterações que lhe foram introduzidas pelo Despacho Normativo n.º 36/2002, de 4 de junho, estabelece as regras orientadoras para a organização

Leia mais

Regulamento Erasmus 2011/2012

Regulamento Erasmus 2011/2012 1. Preâmbulo O Programa Erasmus tem como objetivo geral apoiar a criação de um Espaço Europeu de Ensino Superior e reforçar o contributo do ensino superior para, entre outros, o processo de inovação a

Leia mais

PROGRAMA DE MOBILIDADE ACADÊMICA

PROGRAMA DE MOBILIDADE ACADÊMICA OOBJETIVO PROGRAMA DE MOBILIDADE ACADÊMICA FACULDADE INTERNACIONAL SIGNORELLI E UNIVERSIDAD NACIONAL DE CUYO PROJETO DE INTEGRAÇÃO ACADÊMICA ENTRE BRASIL E ARGENTINA 1.1 O Programa de Mobilidade Acadêmica

Leia mais

REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS

REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Ciências Sociais e Humanas REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS Artigo 1º Natureza O presente regulamento

Leia mais

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade

Leia mais

O que pode a União Europeia fazer pelas pessoas? O Fundo Social Europeu é uma resposta a esta questão

O que pode a União Europeia fazer pelas pessoas? O Fundo Social Europeu é uma resposta a esta questão 1 2 O que pode a União Europeia fazer pelas pessoas? O Fundo Social Europeu é uma resposta a esta questão 3 A origem do Fundo Social Europeu O Fundo Social Europeu foi criado em 1957 pelo Tratado de Roma,

Leia mais

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração:

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração: EngIQ Programa de Doutoramento em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química Uma colaboração: Associação das Indústrias da Petroquímica, Química e Refinação (AIPQR) Universidade de Aveiro Universidade

Leia mais

CRITÉRIOS DE QUALIFICAÇÃO DE PESSOAL DOCENTE PARA A ACREDITAÇÃO DE CICLOS DE ESTUDOS

CRITÉRIOS DE QUALIFICAÇÃO DE PESSOAL DOCENTE PARA A ACREDITAÇÃO DE CICLOS DE ESTUDOS CRITÉRIOS DE QUALIFICAÇÃO DE PESSOAL DOCENTE PARA A ACREDITAÇÃO DE CICLOS DE ESTUDOS Versão 1.1 Setembro 2013 1. Critérios (mínimos) de referência quanto à qualificação do corpo docente para a acreditação

Leia mais

Pós-Graduação em Arte Contemporânea Normas regulamentares. Artigo 1.º Grau

Pós-Graduação em Arte Contemporânea Normas regulamentares. Artigo 1.º Grau Pós-Graduação em Arte Contemporânea Normas regulamentares Artigo 1.º Grau A Escola Superior Artística do Porto confere a Pós-Graduação em Arte Contemporânea Artigo 2.º Objectivos do curso 1. A Pós-Graduação

Leia mais

FAQ S ESTUDOS ERASMUS

FAQ S ESTUDOS ERASMUS FAQ S ESTUDOS ERASMUS 1. Quem se pode candidatar? Podem-se candidatar ao programa Erasmus todos os estudantes cidadãos, ou com estatuto de residente permanente de um dos 27 países da União Europeia, e

Leia mais

PROGRAMA DE MOBILIDADE ACADÊMICA

PROGRAMA DE MOBILIDADE ACADÊMICA PROGRAMA DE MOBILIDADE ACADÊMICA FACULDADE INTERNACIONAL SIGNORELLI E UNIVERSIDAD NACIONAL DE CUYO PROJETO DE INTEGRAÇÃO ACADÊMICA ENTRE BRASIL E ARGENTINA OBJETIVO Oferecer aos estudantes dos cursos de

Leia mais

www.pucrs.br/pos *AVALIAÇÃO CAPES POR QUE A PUCRS?

www.pucrs.br/pos *AVALIAÇÃO CAPES POR QUE A PUCRS? A Pós-Graduação da PUCRS é a porta de entrada para um novo momento da sua vida profissional e acadêmica. Você pode ampliar habilidades, fomentar ideias e adquirir conhecimento com experiências inovadoras

Leia mais

INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E DA ATMOSFERA, I.P.

INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E DA ATMOSFERA, I.P. INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E DA ATMOSFERA, I.P. REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTIFICA Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, aplica-se às bolsas atribuídas pelo Instituto Português do Mar

Leia mais

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT Desde já, agradecemos a sua participação nesta nova etapa do Projecto de Tutoria a Estudantes ERASMUS versão OUT. Com este inquérito, pretendemos

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PONTE DA BARCA

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PONTE DA BARCA ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PONTE DA BARCA Uma escola de todos Para todos Transformar Vidas, Alimentar Sonhos, Projetar Carreiras! SPO Serviço de Psicologia e Orientação 9.º ANO e agora? Cursos Científico

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

NCE/11/01396 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/11/01396 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/11/01396 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: E.I.A. - Ensino, Investigação

Leia mais

INQUÉRITO AOS ESTUDANTES DO IST QUE REALIZARAM UM PERÍODO DE ESTUDOS FORA DA ESCOLA. Área de Estudos e Planeamento (AEP) Alexandra Sevinate Pontes

INQUÉRITO AOS ESTUDANTES DO IST QUE REALIZARAM UM PERÍODO DE ESTUDOS FORA DA ESCOLA. Área de Estudos e Planeamento (AEP) Alexandra Sevinate Pontes INQUÉRITO AOS ESTUDANTES DO IST QUE REALIZARAM UM PERÍODO DE ESTUDOS FORA DA ESCOLA INQUÉRITOS AOS ESTUDANTES EM MOBILIDADE histórico Designação interna Objetivos População alvo Serviço Modalidade Responsável

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)*

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* Bolsa / / Reservado aos Serviços A preencher pelo candidato Nome completo: Domínio científico principal (indicar apenas

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus

Escola Superior de Educação João de Deus Regulamento do 2.º Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Mestre em Educação pela Arte Artigo 1.º Objectivos Os objectivos dos cursos de mestrado (2.º ciclo), da Escola Superior de Educação João de Deus

Leia mais

1. Objectivos. 2. Destinatários. 3. Competências

1. Objectivos. 2. Destinatários. 3. Competências DEPARTAMENTO DE POLÍTICA E TRABALHO SOCIAL REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DE LIDERANÇA E GESTÃO DE EQUIPAMENTOS SOCIAIS 1ª EDIÇÃO 2013/2014. 1 1. Objectivos Na sociedade atual as organizações de

Leia mais

Plano de Atividades 2014

Plano de Atividades 2014 Plano de Atividades 2014 Escola de Ciências Universidade do Minho 1. Missão A Escola de Ciências tem como missão gerar, difundir e aplicar conhecimento no âmbito das Ciências Exatas e da Natureza e domínios

Leia mais

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014 MBA Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2013-2014 Sines, Junho de 2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é um curso de pós-graduação desenvolvido pela Escola Superior de Ciências Empresariais

Leia mais

Regulamento dos Cursos de Língua Estrangeira da Universidade de Trásos-Montes

Regulamento dos Cursos de Língua Estrangeira da Universidade de Trásos-Montes Regulamento dos Cursos de Língua Estrangeira da Universidade de Trásos-Montes e Alto Douro Artigo 1º Objeto O presente regulamento define um conjunto de normas e orientações dos Cursos de Língua Estrangeira

Leia mais

S. R. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR

S. R. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR Regulamento de Formação Avançada e Qualificação de Recursos Humanos da Direção-Geral do Ensino Superior (Aprovado por despacho, de 15 de junho de 2012, do Presidente do Conselho Diretivo da Fundação para

Leia mais

A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO

A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO OUI- IOHE MISSÃO OUI DE UNIVERSIDADES CANADENSES NO BRASIL 28 de novembro a 2 de dezembro de 2011 Programa preliminar A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO À luz dos excelentes

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DEPENDENTES DA DGPC CARTA DO VOLUNTÁRIO (MINUTA) VOLUNTARIADO NOS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DA DGPC CARTA DO VOLUNTÁRIO DE MONUMENTOS,

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA. (Edição 2015-2017)

EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA. (Edição 2015-2017) EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA (Edição 2015-2017) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2014-2015 Departamento de Ciências Humanas

Plano Anual de Atividades 2014-2015 Departamento de Ciências Humanas Visita de estudo Geografia Conhecer o funcionamento de uma unidade industrial; Reconhecer a importância da atividade industrial na economia. Geografia e Alunos do 9º Ano Unidade Industrial 2ºPeríodo Visita

Leia mais

Regulamento de Ingresso e Acesso para Estudantes Internacionais da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Disposição geral Objeto

Regulamento de Ingresso e Acesso para Estudantes Internacionais da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Disposição geral Objeto Regulamento de Ingresso e Acesso para Estudantes Internacionais da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa SECÇÃO A Disposição geral Artigo 1.º Objeto O presente regulamento define as normas aplicáveis

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE INVESTIGADOR/A DOUTORADO/A EM CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

CONTRATAÇÃO DE INVESTIGADOR/A DOUTORADO/A EM CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS CONTRATAÇÃO DE INVESTIGADOR/A DOUTORADO/A EM CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS a. Descrição do Concurso: O Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra, Laboratório Associado (LA) por contrato assinado

Leia mais

REGULAMENTO PARA A CREDITAÇÃO DA FORMAÇÃO. Artigo 1º Objectivo e âmbito

REGULAMENTO PARA A CREDITAÇÃO DA FORMAÇÃO. Artigo 1º Objectivo e âmbito REGULAMENTO PARA A CREDITAÇÃO DA FORMAÇÃO Artigo 1º Objectivo e âmbito 1. O presente Regulamento estabelece as normas relativas aos processos de creditação no ISCIA para efeitos do disposto no artigo 45.º

Leia mais

LICENCIATURA EM HISTÓRIA. fgv.br/vestibular

LICENCIATURA EM HISTÓRIA. fgv.br/vestibular LICENCIATURA EM HISTÓRIA fgv.br/vestibular IDEALISMO, EXCELÊNCIA E CREDIBILIDADE A Fundação Getulio Vargas surgiu em 20 de dezembro de 1944 com o objetivo de preparar profissionais qualificados em Administração

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM EMPREENDEDORISMO E CRIAÇÃO DE EMPRESAS Artigo 1.º Criação A Universidade

Leia mais

Pixel. Aprenda Italiano em Florença Cursos Individuais para Estrangeiros

Pixel. Aprenda Italiano em Florença Cursos Individuais para Estrangeiros Certified Quality System in compliance with the standard UNI EN ISO 9001:2000. Certificate n SQ.41823. Pixel Aprenda Italiano em Florença Cursos Individuais para Estrangeiros CURSOS INDIVIDUAIS PARA ESTRANGEIROS

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 215-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados Instit. Curso Instituição Curso Grau Vagas Iniciais Ministério da Educação e Ciência - Direcção Geral do Ensino Superior

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO GAYA

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO GAYA NORMAS REGULAMENTARES DAS LICENCIATURAS DO ISPGAYA Preâmbulo As presentes normas visam dar cumprimento ao estabelecido no artigo n.º14.º do Decreto- Lei n.º 74/2006, de 24 de março, na sua redação atual,

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM MARKETING Artigo 1.º Criação A Universidade da Beira Interior, através

Leia mais

Assunto: Candidatura a eventual vaga no Aldeamento Pedras del Rei

Assunto: Candidatura a eventual vaga no Aldeamento Pedras del Rei Assunto: Candidatura a eventual vaga no Aldeamento Pedras del Rei Tavira, 17 de Julho de 2012 Exmo/a Sr/a do Departamento de Recursos Humanos Acabo de me Licenciar no curso de Gestão, na Escola Superior

Leia mais

47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011

47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 47720 Diário da República, 2.ª série N.º 233 6 de Dezembro de 2011 UNIVERSIDADE DA MADEIRA Aviso (extracto) n.º 23548/2011 Nos termos do disposto no n.º 6 do artigo 12.º da Lei n.º 12 -A/2008, de 27 de

Leia mais

SAÍDAS PROFISSIONAIS

SAÍDAS PROFISSIONAIS SAÍDAS PROFISSIONAIS Telf: 234 340 220 * Fax: 234 343 272 * info@aesbernardo.pt * www.aesbernardo.pt Página 1 de 6 CURSO CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS ÁREA DAS CIÊNCIAS ÁREA DA ANIMAÇÃO ÁREA DA SAÚDE AREA DO

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Sines Tecnopolo Pós-Graduação MBA em Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2012-2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é

Leia mais

> MENSAGEM DE BOAS VINDAS

> MENSAGEM DE BOAS VINDAS > MENSAGEM DE BOAS VINDAS A (DPE), da (DREQP), inicia, com o primeiro número desta Newsletter, um novo ciclo de comunicação e aproximação ao público em geral e, de forma particular, aos seus parceiros

Leia mais

Cursos Científico-Humanísticos Natureza e Organização

Cursos Científico-Humanísticos Natureza e Organização Cursos Científico-Humanísticos Natureza e Organização O que são? Os cursos cientifico-humanísticos constituem uma oferta educativa vocacionada para o prosseguimento de estudos de nível superior (universitário

Leia mais

CENTRO DE ALTO RENDIMENTO DO JAMOR

CENTRO DE ALTO RENDIMENTO DO JAMOR CENTRO DE ALTO RENDIMENTO DO JAMOR Documento orientador de integração de Praticantes Critérios de financiamento às Federações Desportivas 2014/2015 O Centro de Alto Rendimento do Jamor (CAR Jamor) é uma

Leia mais

Regulamento de Aplicação do Sistema do Europeu de Transferência de Créditos (ECTS) à formação ministrada pelo Instituto Politécnico de Santarém (IPS)

Regulamento de Aplicação do Sistema do Europeu de Transferência de Créditos (ECTS) à formação ministrada pelo Instituto Politécnico de Santarém (IPS) Regulamento de Aplicação do Sistema do Europeu de Transferência de Créditos (ECTS) à formação ministrada pelo Instituto Politécnico de Santarém (IPS) CAPÍTULO I Objecto, âmbito e conceitos Artigo 1º Objecto

Leia mais

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE IV. CÂMARA TEMÁTICA DA EDUCACÃO, CULTURA E DESPORTOS Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE Meta 1 Toda criança e jovem de 4 a 17 anos na escola; Meta 2 Até 2010, 80% e,

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de e Economia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM GESTÃO Artigo 1.º Criação A Universidade da Beira Interior, através do Departamento

Leia mais

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico De Lisboa

Leia mais

Orientação Escolar e Profissional. 9.º ano! Escola Secundária Inês de Castro 2011/2012

Orientação Escolar e Profissional. 9.º ano! Escola Secundária Inês de Castro 2011/2012 Orientação Escolar e Profissional 9.º ano! E AGORA? Escola Secundária Inês de Castro 2011/2012 Antes de fazer uma escolha é fundamental saber o que se quer e para isso há que recordar e avaliar tudo o

Leia mais