OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO"

Transcrição

1 OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO Profa. Drª. Ana Maria Maranhão 1 Resumo: A tecnologia da Informação e de modo específico o computador, oferece as diferentes maneiras de utilização determinadas pelas teorias que orientam o Processo Ensino-Aprendizagem e que são norteadoras pela prática pedagógica do Educador, onde a Informática se apresenta como um diferencial à qualidade do profissional de Educação, que utiliza a Internet como ferramenta de aprendizagem na ligação dos alunos ao mundo da tecnologia da informação e das comunicações, entendendo que a Web proporciona oportunidades para desenvolver experiências de aprendizado ativo e customizado que favorece um universo de informação digital em constante expansão, evidências empíricas que demonstram o valor do aprendizado cooperativo em explosão na compreensão e na utilização da tecnologia da informação como um forte aliado para desenvolver projetos, para trabalhar temas geradores, respeitando o "ato de educar", criando cumplicidade e comprometimento. Palavras-chave: formação, tecnologia, web, educador,ensino aprendizagem. INTRODUÇÃO A tecnologia da informação deve ser um instrumento pedagógico à disposição na construção do conhecimento em todas as disciplinas escolares, tanto para Alunos quanto para Educadores. Como todo instrumento pedagógico, deve ser assimilado à prática educativa. É importante que os alunos compreendam os recursos tecnológicos como alternativas possíveis para a realização de determinadas tarefas. O computador por si só não faz nada. O seu potencial será determinado pela teoria escolhida e pela metodologia de uso adotada. É de extrema importância que a máquina e os softwares sejam vivenciados 1 Ana Maria Maranhão Porto da Silveira Doutorado em Ciência da Educação

2 em contextos educativos práticos, provocativos e inovadores. Além disso, quando o Educador utiliza um recurso tecnológico, como fonte de informação ou como recurso didático para a atividade de ensino, está também possibilitando que os alunos aprendam sobre as práticas sociais que utilizam tecnologias e desenvolvam habilidades e atitudes para se relacionarem com a Tecnologia na vida. Utilizar recursos tecnológicos não significa utilizar técnicas simplesmente, e não é condição suficiente para garantir a aprendizagem dos conteúdos escolares nas diversas disciplinas. Por isso, é fundamental criar um ambiente de aprendizagem em que os alunos possam ter iniciativas, problemas a resolver, possibilidades para corrigir erros e criar soluções pessoais. O QUE É TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO? A Tecnologia da Informação (TI) pode ser definida como um conjunto de todas as atividades e soluções providas por recursos de computação. Na verdade, as aplicações para TI são tantas - estão ligadas às mais diversas áreas - que existem várias definições e nenhuma consegue determiná-la por completo. Sendo a informação um bem que agrega valor a uma empresa ou a um indivíduo, é necessário fazer uso de recursos de TI de maneira apropriada, ou seja, é preciso utilizar ferramentas, sistemas ou outros meios que façam das informações um diferencial competitivo. Além disso, é necessário buscar soluções que tragam bons resultados, mas que tenham o menor custo possível. A TI é algo cada vez mais comum no dia-a-dia das pessoas e das empresas. E tudo gira em torno da informação. Portanto, quem souber reconhecer a importância disso, certamente se tornará um profissional com qualificação para as necessidades do mercado. Da mesma forma, a empresa que melhor conseguir lidar com 102

3 a informação, certamente terá vantagens competitivas em relação aos concorrentes. (ALECRIM 2004, p. 94). A Tecnologia da Informação é um termo comumente utilizado para designar o conjunto de recursos não humanos dedicados ao armazenamento, processamento e comunicação da informação, bem como o modo de como esses recursos estão organizados num sistema capaz de executar um conjunto de tarefas. A TI não se restringe a equipamentos (hardware), programas (software) e comunicação de dados. Existem tecnologias relativas ao planejamento de informática, ao desenvolvimento de sistemas, ao suporte ao software, aos processos de produção e operação, ao suporte de hardware, entre outros recursos. A sigla TI, Tecnologia da Informação, abrange todas as atividades desenvolvidas na sociedade pelos recursos da Informática. É a difusão social da informação em larga escala de transmissão, a partir destes sistemas tecnológicos inteligentes. Seu acesso pode ser de domínio público ou privado, na prestação de serviços das mais variadas formas. Novas maneiras de pensar e de conviver estão sendo elaboradas no mundo das comunicações e da Informática. As relações entre os homens, o trabalho, a própria inteligência dependem, na verdade, da metamorfose incessante de dispositivos informacionais de todos os tipos. Escrita, leitura, visão, audição, criação e aprendizagem são capturadas por uma Informática cada vez mais avançada. (LEVY 1994, p. 97) Considerando que o conhecimento, segundo Franz (2007, p. 64) pode ser construído a partir das relações e experiências do indivíduo com o ambiente e das informações coletivas no local onde está inserido, parece surgir a necessidade de um novo padrão educacional onde é 103

4 primordial o acompanhamento do desenvolvimento tecnológico. Além disso, tal desenvolvimento facilitou e intensificou a comunicação pessoal e institucional, através de programas de processamento de texto, de formação de bancos de dados, de editoração eletrônica, bem de tecnologias que permitem a transmissão de documentos, envio de mensagens e arquivos, assim como consultas a computadores remotos (via rede mundiais de computadores, como a internet). O desenvolvimento cada vez mais rápido de novas tecnologias de informação modificou as bibliotecas e os centros de documentação (principais locais de armazenamento de informação) introduzindo novas formas de organização e acesso aos dados a obras armazenadas; reduziu custos e acelerou a produção dos jornais e possibilitou a formação instantânea de redes televisivas de âmbito mundial. A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E O PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM O Processo Ensino Aprendizagem pode ser definido como um conjunto de métodos e técnicas de aprendizagem para utilização em grupos estruturados, assim como de estratégias de desenvolvimento de competências mistas (aprendizagem e desenvolvimento pessoal e social), onde cada membro do grupo é responsável, quer pela sua aprendizagem quer pela aprendizagem dos demais elementos. Tem se por finalidade apresentar um ambiente de aprendizagem, empregando a internet, baseado na Pedagogia de Projetos, onde os professores têm a possibilidade de disponibilizar seus projetos para os alunos, bem como os alunos podem encaminhar para os professores seus trabalhos. Permeando o ambiente, existe a possibilidade do professor se comunicar com os alunos por intermédio de um mural e/ou pelo chat. 104

5 Constata-se que uma evolução está acontecendo na Internet no que diz respeito à aplicação das tecnologias da rede ao processo de ensino/aprendizagem, visto que educadores e profissionais da área de tecnologia estão trabalhando com o objetivo de desenvolver nova maneira para introduzir a Internet no currículo escolar e compartilhar as informações de ensino pela web, permitindo dessa forma usar a Internet como uma parte integrante das metodologias para ensinar qualquer assunto a qualquer nível de escolaridade. O impacto das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) na sociedade e na educação tem gerado uma verdadeira revolução que afeta tanto os setores ligados à produção e ao trabalho, quanto à educação e formação continuada, transformando nossas concepções acerca dos processos de ensinar e de aprender a aprender (Guerra, 2001, p. 79). O contexto em que a tecnologia deve ser entendida na educação é o da aprendizagem. Em especial, isso significa integrar a utilização da Internet no currículo de um modo significativo e incorporá-la às atuais práticas de sala de aula bem sucedidas, a exemplo da educação baseada em resultados e da aprendizagem colaborativa. Os projetos de Internet podem fornecer um contexto autêntico em que os alunos desenvolvem conhecimento, habilidades e valores. Entre estes projetos encontra-se o protótipo WEBQUEST, desenvolvido em um ambiente orientado para atividades de pesquisa no contexto de um processo de ensino, obedecendo aos seguintes princípios gerais: algumas ou todas as informações tratadas no ambiente são consideradas como recursos provenientes da Internet. Do ponto de vista do processo de ensino, tais informações podem ser definidas como de curto prazo (até uma semana) ou de longo 105

6 prazo (de uma semana até um mês ou mais); com o WEBQUEST podese trabalhar em diferentes áreas do currículo escolar. Trabalha-se em forma de projetos, utilizando a idéia de aprendizagem colaborativa. A mesma abordagem pode ser utilizada em situações de aprendizagem extracurriculares. O WEBQUEST adota uma estratégia para incentivar a aprendizagem, estratégia em que o objetivo instrucional é a aquisição e integração do conhecimento, procurando colocar o aluno em contato com uma gama de novas informações que inclusive podem ser compartilhadas entre professores e alunos de diferentes escolas. A idéia básica é dotar o ambiente de funcionalidades que possibilitem trabalhar dentro de uma única disciplina ou dentro de um projeto interdisciplinar. As escolas, professores e alunos podem ser fornecedores de informações, valorizando assim, seu potencial e seu trabalho. Assim, procura-se criar um espaço na web que irá facilitar e enriquecer o uso da Internet por professores e alunos. A obediência a tais princípios é motivada pelo objetivo de fazer do WEBQUEST um ambiente de apoio efetivo a processos de ensino reais, ao menos como um ambiente de experimentação e exploração de conceitos. A Internet traz muitos benefícios para a educação, tanto para os professores como para os alunos. Com ela é possível facilitar as pesquisas, sejam grupais ou individuais, e o intercâmbio entre os professores e alunos, permitindo a troca de experiências entre eles. (Tajra 2000, p. 125). Dessa forma, pode-se mais rapidamente tirar as dúvidas dos próprios professores e dos alunos, e através da Internet sugerir muitas fontes de pesquisa. Com essas vantagens a aula e sua preparação se tornam mais dinâmicas. Já segundo Tajra (2000, p. 125), usando as funcionalidades da rede, "o professor terá à sua disposição a possibilidade de elaborar um processo de ensino-aprendizagem de forma mais aberta, flexível, inovadora e contínua". 106

7 As novas tendências de uso do computador na educação mostram que ele pode ser um importante aliado neste processo que estamos começando a entender (Valente, 2004.p.85). Cabe mais uma vez salientar que, na moderna concepção da Pedagogia de Projetos e na aprendizagem colaborativa à distância, é inegável ser a Internet o pilar básico. Assim, reportando-se a este trabalho, faz-se necessário fazer a transposição didática utilizando a Internet na educação através de projetos colaborativos a distância, analisando formas de aprender com recursos telemáticos que visam trocas interpessoais e estudos interdisciplinares. Salienta-se aqui a possibilidade de maior comunicação, cooperação e compreensão de mecanismos cognitivos usados pelos sujeitos participantes da própria comunicação. Trata-se, então, do trabalho da construção de um novo ambiente para transmissão do conhecimento, através do enfoque colaborativo e consciente das mudanças sociais e tecnológicas sempre em curso. A Educação baseada na Web (EBW) é uma abordagem inovadora que utiliza a Web como meio de entrega da instrução. O fator principal para o emprego do aprendizado baseado na Web é a necessidade de se trazer o treinamento diretamente para o desktop, em uma forma just-in-time contínuo. Precisamos entender como os sistemas consagrados de instrução (ex., salas de aula) podem migrar para uma organização mais aberta, onde partes das aulas pudessem ser ministradas de acordo com o "modelo de comunidade dinâmica para o aprendizado. Como outro recurso, tem-se a AULANET, um ambiente com 107

8 uma abordagem cooperativa. Também se descreve as tendências de desenvolvimento do ambiente a fim de permitir a avaliação de cursos, acompanhamento do fluxo de aprendizado dos alunos, reutilização de conteúdos e engajamento dos aprendizes com a utilização de simulação. O ambiente AULANET foca a abordagem cooperativa, guiada pelos três conceitos comunicação, coordenação e cooperação. O professor pode combinar os mecanismos oferecidos pelo ambiente para criar serviços que serão consumidos pelos aprendizes no processo de aprendizado. Faz-se necessário incluir diretrizes futuras de desenvolvimento, quais sejam: a coleta de dados estatísticos dos cursos; a criação de uma estrutura flexível de workflow; o desenvolvimento de um suporte de biblioteca, para reutilização de conteúdos; e, finalmente, o suporte ao engajamento com simulação e imersão. Dado, que aprender se torna uma atividade de toda vida, buscase desenvolver um ambiente que permite o compartilhamento de experiências entre trabalhadores do conhecimento e o cidadão do futuro, a fim de criar comunidades de conhecimento. CONCLUSÃO A Escola deve possibilitar e incentivar que os alunos usem seus conhecimentos sobre Tecnologia para realizar trabalhos das diferentes áreas, oferecendo um grau diferenciado de contextualização dos conteúdos vinculados. A concepção de ensino e aprendizagem revela-se na prática de sala de aula e na forma como Educadores e Alunos se relacionam com as diferentes metodologias, gerando um processo de transformação onde todos têm um papel a desempenhar. A mudança da função do computador como meio educacional acontece justamente com um questionamento da função da escola e do papel do professor. A verdadeira função é a de criar condições de aprendizagem. O professor deixa de repassar o conhecimento - o 108

9 computador pode fazer isto e passa a ser o criador de ambientes de aprendizagem e o facilitador do processo de desenvolvimento intelectual do aluno. Conclui-se que o pressuposto fundamental de qualquer trabalho educacional é acreditar que as coisas podem mudar. A Educação nasce da e na esperança. Sendo assim, o Educador precisa ter esperança, confiar na possibilidade de mudança de si mesmo, do outro, da realidade, do seu trabalho, do sentido de viver, do que é verdadeiro, e para isto basta olhar para o sorriso de uma criança quando ela aprende. REFERÊNCIAS ALECRIM, Emerson. A tecnologia da Informação. SP. Independente FRÓES, Jorge R. M. Educação e Informática: A Relação Homem/Máquina e a Questão da Cogniçãohttp//www.proinfo.gov.br/biblioteca/textos/txtie4doc.pdf. GUERRA, G. O uso da informática. Nova Fronteira. RJ LÉVY, Pierre. - As Tecnologias da Inteligência. Nova Fronteira, RJ, PEREIRA Franz Kreuther. Apostila do curso de formação de professores em informática educacional Belém/PA Sites visitados: ; TAJRA, J. O computador e a Educação. Nova Fronteira.RJ VALENTE. J. O professor e a TI. Independente.SP

ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO

ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO 1 ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO CELINA APARECIDA ALMEIDA PEREIRA ABAR Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Brasil abarcaap@pucsp.br - VIRTUAL EDUCA 2003-1 INTRODUÇÃO

Leia mais

I SEMINÁRIO POLÍTICAS PÚBLICAS E AÇÕES AFIRMATIVAS Universidade Federal de Santa Maria Observatório de Ações Afirmativas 20 a 21 de outubro de 2015

I SEMINÁRIO POLÍTICAS PÚBLICAS E AÇÕES AFIRMATIVAS Universidade Federal de Santa Maria Observatório de Ações Afirmativas 20 a 21 de outubro de 2015 I SEMINÁRIO POLÍTICAS PÚBLICAS E AÇÕES AFIRMATIVAS Universidade Federal de Santa Maria Observatório de Ações Afirmativas 20 a 21 de outubro de 2015 A GESTÃO ESCOLAR E O POTENCIAL DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

Leia mais

Palavras-Chave: PIBID, Formação Inicial de Professores, Ensino de Informática.

Palavras-Chave: PIBID, Formação Inicial de Professores, Ensino de Informática. DESAFIOS DO ENSINO DA INFORMÁTICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES RESUMO Jéssyca Edly Messias Ribeiro (IFRN) jeh_edly@hotmail.com Jefferson Hernane da Silva

Leia mais

O CONHECIMENTO PEDAGÓGICO NA ORGANIZAÇÃO: ESPAÇO DE QUEM?

O CONHECIMENTO PEDAGÓGICO NA ORGANIZAÇÃO: ESPAÇO DE QUEM? O CONHECIMENTO PEDAGÓGICO NA ORGANIZAÇÃO: ESPAÇO DE QUEM? Marlene Fernandes Universidade Luterana do Brasil RESUMO O mundo está em constante transformação, com segmentos funcionais altamente globalizados,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO USO DA INFORMÁTICA NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA

A IMPORTÂNCIA DO USO DA INFORMÁTICA NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA A IMPORTÂNCIA DO USO DA INFORMÁTICA NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA Gabriela Staub 1 Luciana Mendes da Costa 2 Maria Preis Welter³ RESUMO O presente trabalho bibliográfico tem como finalidade

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA ATUAÇÃO EM AMBIENTE INFORMATIZADO: RELATO DE EXPERIÊNCIA

FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA ATUAÇÃO EM AMBIENTE INFORMATIZADO: RELATO DE EXPERIÊNCIA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA ATUAÇÃO EM AMBIENTE INFORMATIZADO: RELATO DE EXPERIÊNCIA Resumo BALADELI, Ana Paula Domingos UEM annapdomingos@yahoo.com.br ALTOÉ, Anair UEM aaltoe@uem.br Eixo temático: Comunicação

Leia mais

Cidadania Global na HP

Cidadania Global na HP Cidadania Global na HP Mensagem abrangente Com o alcance global da HP, vem sua responsabilidade global. Levamos a sério nossa função como ativo econômico, intelectual e social para as Comunidades em que

Leia mais

PIBID MATEMÁTICA DA UNISUL: O DESAFIO DA IMPLANTAÇÃO E OS PRIMEIROS RESULTADOS

PIBID MATEMÁTICA DA UNISUL: O DESAFIO DA IMPLANTAÇÃO E OS PRIMEIROS RESULTADOS Anais do III Simpósio sobre Formação de Professores SIMFOP Universidade do Sul de Santa Catarina, Campus de Tubarão Tubarão, de 28 a 31 de março de 2011 PIBID MATEMÁTICA DA UNISUL: O DESAFIO DA IMPLANTAÇÃO

Leia mais

Tecnologia da Informação e Comunicação. Conceitos Básicos 01 E-mail: euberchaia@yahoo.com.br. Site: www.echaia.com

Tecnologia da Informação e Comunicação. Conceitos Básicos 01 E-mail: euberchaia@yahoo.com.br. Site: www.echaia.com Redes Tipos e a e Internet tecnologias de redes de acesso Tecnologia da Informação e Comunicação Conceitos Básicos 01 E-mail: euberchaia@yahoo.com.br Site: www.echaia.com Ementa Introdução à evolução da

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DA CONSTRUÇÃO CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE MARKETING NA MODALIDADE EAD DA UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ

A EXPERIÊNCIA DA CONSTRUÇÃO CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE MARKETING NA MODALIDADE EAD DA UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ 1 A EXPERIÊNCIA DA CONSTRUÇÃO CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE MARKETING NA MODALIDADE EAD DA UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ Maio/2007 Fabiano Palhares Galão - Unopar Universidade

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS ALUNOS SOBRE SUA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

PERCEPÇÃO DOS ALUNOS SOBRE SUA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 PERCEPÇÃO DOS ALUNOS SOBRE SUA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Brasília - DF- Fevereiro 2013 Priscila Alessandra da Silva Universidade Federal de Brasília priscilaalesilva@gmail.com Fernanda Carla Universidade

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 432 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2 O USO DO COMPUTADOR COMO FERRAMENTA PARA TRABALHAR COM PESSOAS COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA. Jane Aparecida de Souza Santana (FCT/Unesp) Ms. Flaviana dos Santos Silva Profª Drª Elisa Tomoe Moriya Schlünzen

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE O USO DA INTERNET NO PROCESSO EDUCACIONAL: O DESAFIO PARA OS PROFESSORES

Leia mais

Palavras-chave: Informática na Educação, Computador na Escola, Blogs

Palavras-chave: Informática na Educação, Computador na Escola, Blogs O USO DO BLOG NO PROCESSO EDUCACIONAL: RELATO DE EXPERIÊNCIA DA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL PROFESSORA CÂNDIDA ZASSO DE NOVA PALMA. Franciele Liliane Vendruscolo 1 Kássia Quadros Ferreira 2

Leia mais

RESUMO. 140 Saber Digital. Gabriela do Carmo Fernandes gabihfernandes.gcf@gmail.com Discente da FAETERJ Paracambi

RESUMO. 140 Saber Digital. Gabriela do Carmo Fernandes gabihfernandes.gcf@gmail.com Discente da FAETERJ Paracambi 140 Saber Digital O USO DA TECNOLOGIA EM PROL DA EDUCAÇÃO: IMPORTÂNCIA, BENEFÍCIOS E DIFICULDADES ENCONTRADAS POR INSTITUIÇÕES DE ENSINO E DOCENTES COM A INTEGRAÇÃO NOVAS TECNOLOGIAS À EDUCAÇÃO. Gabriela

Leia mais

USO DOS SOFTWARES GEOGEBRA E WXMAXIMA: COMO RECURSO METODOLÓGICO NO ENSINO DE MATEMÁTICA

USO DOS SOFTWARES GEOGEBRA E WXMAXIMA: COMO RECURSO METODOLÓGICO NO ENSINO DE MATEMÁTICA USO DOS SOFTWARES GEOGEBRA E WXMAXIMA: COMO RECURSO METODOLÓGICO NO ENSINO DE MATEMÁTICA Fernanda Caroline de Alcântara da Costa 1 Universidade Federal do Pará Fernandalcantara01@yahoo.com.br Aldo Moreira

Leia mais

Palavras-chave: Formação de professores, software livre e TIC s.

Palavras-chave: Formação de professores, software livre e TIC s. INFORMÁTICA EDUCATIVA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM UMA ESCOLA PÚBLICA: PROCESSOS DE POTENCIALIZAÇÃO DOS SABERES E PRÁTICAS Jardel Silva 1 Alex Sandro C. Sant Ana 2 RESUMO Aliada às discussões

Leia mais

Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem

Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem Prof. Dr. Luis Paulo Leopoldo Mercado Programa de Pós-Graduação em Educação Universidade Federal de Alagoas Conteúdos

Leia mais

O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA

O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA SANTOS *, Josiane Gonçalves SME/CTBA josiane_2104@hotmail.com Resumo Os tempos mudaram, a escola mudou. Refletir sobre a escola na contemporaneidade

Leia mais

WEBQUEST: UM RECURSO TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÃTICA

WEBQUEST: UM RECURSO TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÃTICA WEBQUEST: UM RECURSO TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÃTICA Patrícia Sândalo Pereira UNIOESTE Foz do Iguaçu patriciasandalop@uol.com.br Cleonice Salateski Colégio Estadual Alberto Santos Dumont maucleo@seed.pr.gov.br

Leia mais

SOFTWARE EDUCACIONAL: RECURSO PEDAGÓGICO PARA MELHORAR A APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA

SOFTWARE EDUCACIONAL: RECURSO PEDAGÓGICO PARA MELHORAR A APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA SOFTWARE EDUCACIONAL: RECURSO PEDAGÓGICO PARA Resumo MELHORAR A APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA Clara Celina Ferreira Dias Universidade Federal de Santa Maria UFSM claracelinafd@professor.rs.gov.br

Leia mais

A APRENDIZAGEM DE LOGÍSTICA, RH, OSM, ÉTICA: OPINIÃO DE ADMINISTRADORES E GRADUANDOS SOBRE A METODOLOGIA DE ENSINO ¹

A APRENDIZAGEM DE LOGÍSTICA, RH, OSM, ÉTICA: OPINIÃO DE ADMINISTRADORES E GRADUANDOS SOBRE A METODOLOGIA DE ENSINO ¹ A APRENDIZAGEM DE LOGÍSTICA, RH, OSM, ÉTICA: OPINIÃO DE ADMINISTRADORES E GRADUANDOS SOBRE A METODOLOGIA DE ENSINO ¹ DIOSKELLY ABDO² LORHANNY RODRIGUES SANTOS³ LILIANA ARAUJO⁴ MARCO AURÉLIO CAIXETA⁵ PEDRO

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS SIMONSEN INTERVENÇÃO EDUCATIVA INSTITUCIONAL PROJETO PSICOPEDAGÓGICO

FACULDADES INTEGRADAS SIMONSEN INTERVENÇÃO EDUCATIVA INSTITUCIONAL PROJETO PSICOPEDAGÓGICO FACULDADES INTEGRADAS SIMONSEN INTERVENÇÃO EDUCATIVA INSTITUCIONAL PROJETO PSICOPEDAGÓGICO Justificativa O conhecimento contemporâneo apresenta, entre outras características, as do crescimento acelerado,

Leia mais

05/2008. Categoria (Conteúdos e Habilidades) Setor Educacional (Educação Universitária) Natureza do Trabalho (Descrição de Projeto em Andamento)

05/2008. Categoria (Conteúdos e Habilidades) Setor Educacional (Educação Universitária) Natureza do Trabalho (Descrição de Projeto em Andamento) UM RELATO SOBRE A TRANSIÇÃO DO PROFESSOR DO ENSINO PRESENCIAL PARA A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA ELABORAÇÃO DE MATERIAIS INSTRUCIONAIS - ÓTICA DO DESIGNER INSTRUCIONAL 05/2008 Danielli Veiga Carneiro; Msc.

Leia mais

INCLUSÃO TECNOLÓGICA ATRAVÉS DE CONSTRUÇÃO COMPARTILHADA NA INTERNET

INCLUSÃO TECNOLÓGICA ATRAVÉS DE CONSTRUÇÃO COMPARTILHADA NA INTERNET 110. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Síntese do Projeto Pedagógico do curso Objetivos do curso Objetivo Geral O curso em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da ESADE,

Leia mais

ABRIL/2004 UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR O PROFESSOR NO ENSINO À DISTÂNCIA

ABRIL/2004 UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR O PROFESSOR NO ENSINO À DISTÂNCIA 1 ABRIL/2004 UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR O PROFESSOR NO ENSINO À DISTÂNCIA Andréa Pereira de Castro Universidade de Cruz Alta UNICRUZ, Cruz Alta andreap@unicruz.edu.br Adriana Pereira Cocco Universidade

Leia mais

Gestão por Competências

Gestão por Competências Gestão por Competências Definição de Gestão Gerir, assim como administrar tem a ver com todo o controle e ações propostas de um conjunto que pode envolver pessoas, empresas e clientes. Gerir é conseguir

Leia mais

LOGO: Educação Matemática e Novas Tecnologias

LOGO: Educação Matemática e Novas Tecnologias LOGO: Educação Matemática e Novas Tecnologias Denice Aparecida Fontana Nisxota MEMEGAIS 1 denice@unemat.br, Adriana Cristina da SILVA 2 crystinaadri@hotmail.com Cleyton Borges dos SANTOS 3 cleyton.borges@gmail.com

Leia mais

VII ENCONTRO ENSINO EM ENGENHARIA

VII ENCONTRO ENSINO EM ENGENHARIA VII ENCONTRO ENSINO EM ENGENHARIA PROGRAMA COOPERATIVO EDUCAÇÃO CONTINUADA E CAPACITAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES DOS CURSOS SUPERIORES DE ENGENHARIA: INICIANDO A DISCUSSÃO Sandra Maria Dotto Stump - sstump@mackenzie.com.br

Leia mais

INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO : PARA UMA BOA INFORMÁTICA EDUCATIVA, UM BOM PEDAGOGO

INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO : PARA UMA BOA INFORMÁTICA EDUCATIVA, UM BOM PEDAGOGO INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO : PARA UMA BOA INFORMÁTICA EDUCATIVA, UM BOM PEDAGOGO Jorge, A. M. UEM alinemjorge@hotmail.com Eixo Temático: Didática: Comunicação e Tecnologia Agência Financiadora: Não contou

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 0 2014 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FUNDAÇÃO EDUCACIONAL CLAUDINO FRANCIO FACULDADE CENTRO MATO-GROSSENSE SORRISO/MT Portaria Nº 004/2015 Dispõe sobre Relatório Apresentado pela Comissão Própria

Leia mais

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO MEDIADOR DE NOVOS CONHECIMENTOS 1

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO MEDIADOR DE NOVOS CONHECIMENTOS 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PROGRAMA NACIONAL ESCOLA DE GESTORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO MEDIADOR DE NOVOS CONHECIMENTOS

Leia mais

PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013

PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013 PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013 INSTITUIÇÃO PROPONENTE: Ministério da Educação CNPJ: 00.394.445/0124-52 SETOR RESPONSÁVEL PELO PROJETO: Secretaria de Educação Básica(SEB) ENDEREÇO: Esplanada dos Ministérios,

Leia mais

PROFESSORES E O LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: EM BUSCA DE UMA FORMAÇÃO CONTINUADA

PROFESSORES E O LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: EM BUSCA DE UMA FORMAÇÃO CONTINUADA PROFESSORES E O LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: EM BUSCA DE UMA FORMAÇÃO CONTINUADA GONÇALVES, Claudia Cristine Souza Appel UFPR clauealex@yahoo.com.br BRITO, Glaucia da Silva UFPR glaucia@ufpr.br Eixo Temático:

Leia mais

A INFORMÁTICA NO ENSINO

A INFORMÁTICA NO ENSINO A INFORMÁTICA NO ENSINO Renato Vairo Belhot Escola de Engenharia de São Carlos - USP Departamento de Engenharia de Produção Caixa Postal 359-13560-970 - São Carlos - SP RVBELHOT@SC.USP.BR RESUMO A informática

Leia mais

Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula.

Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula. Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula. Sabrine Denardi de Menezes da Silva Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha - Campus São Vicente do Sul RESUMO: A

Leia mais

Educação, Tecnologias e Formação de Professores

Educação, Tecnologias e Formação de Professores Educação, Tecnologias e Formação de Professores Luís Paulo Leopoldo Mercado Universidade Federal de Alagoas Coordenadoria Institucional de Educação a Distância Universidade Aberta do Brasil Aula Inaugural

Leia mais

W H I T E P A P E R O s B e n e f í c i o s d a E m p r e s a S o c i a l n o M u n d o W e b 2. 0

W H I T E P A P E R O s B e n e f í c i o s d a E m p r e s a S o c i a l n o M u n d o W e b 2. 0 Av Eng. Luiz Carlos Berrini 1645, 8 andar, 04571-000 Brooklin Novo, São Paulo SP Brazil. Tel: 55 11 5508-3400 Fax: 55 11 5508 3444 W H I T E P A P E R O s B e n e f í c i o s d a E m p r e s a S o c i

Leia mais

O MOODLE COMO FERRAMENTA DIDÁTICA

O MOODLE COMO FERRAMENTA DIDÁTICA 1 O MOODLE COMO FERRAMENTA DIDÁTICA Andréia de Souza Alencar Fernanda Cristina de Paula Matias Fernanda Pereira Guimarães Rodrigo Sanches de Oliveira Resumo: Educação a distância (EaD) e Software Livre

Leia mais

INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: O BINÔMIO COMPUTADOR E EDUCAÇÃO

INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: O BINÔMIO COMPUTADOR E EDUCAÇÃO INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: O BINÔMIO COMPUTADOR E EDUCAÇÃO por Wesley José Silva Setembro, 2004 A informática hoje vem sendo uma das soluções a ser implantada na didática de ensino aprendizagem, tendo como

Leia mais

FORMAÇÃO DOCENTE: UMA REFLEXÃO SOBRE O USO DAS TIC NO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE APRENDIZAGEM 1

FORMAÇÃO DOCENTE: UMA REFLEXÃO SOBRE O USO DAS TIC NO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE APRENDIZAGEM 1 AYRES, Sandra Regina Braz; MILANESI, Irton; MILHOMEM, André Luiz Borges. Formação Docente: Uma reflexão sobre o uso das TIC no desenvolvimento de projetos de aprendizagem. SemiEdu2010 - ISSN:1518-4846

Leia mais

A MEDIAÇÃO DOCENTE E PROCESSO DE CATÁLISE COMO PERSPECTIVA DE MUDANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR

A MEDIAÇÃO DOCENTE E PROCESSO DE CATÁLISE COMO PERSPECTIVA DE MUDANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR A MEDIAÇÃO DOCENTE E PROCESSO DE CATÁLISE COMO PERSPECTIVA DE MUDANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR Resumo SILVEIRA, Lisiane Fernandes da 1 - UFPR FINK, Rosane 2 - UFPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias

Leia mais

Núcleos de Tecnologia Educacional NTE/NTM Caracterização e Critérios para Criação e Implantação

Núcleos de Tecnologia Educacional NTE/NTM Caracterização e Critérios para Criação e Implantação MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância - SEED Diretoria de Infraestrutura em Tecnologia Educacional DITEC Esplanada dos Ministérios, Bloco L, 1º Andar, Sala 119 70047-900 Brasília/DF

Leia mais

BRINCANDO DE MATEMÁTICO

BRINCANDO DE MATEMÁTICO BRINCANDO DE MATEMÁTICO Carlos Alberto Rezende de Carvalho Junior Universidade Federal do Paraná (UFPR) carloscarvalhoj@gmail.com Janio de Jesus Cardoso Universidade Federal do Paraná (UFPR) ijanio_pt@yahoo.com.br

Leia mais

VI@CALCULO: CONTRIBUINDO PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO NA ERA DIGITAL

VI@CALCULO: CONTRIBUINDO PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO NA ERA DIGITAL VI@CALCULO: CONTRIBUINDO PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO NA ERA DIGITAL Diogo Israel Schwanck (1) Bárbara Bernardine Almeida da Silva (2) Liara Aparecida dos Santos Leal (3) Resumo O presente trabalho

Leia mais

CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância

CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância ATOS LEGAIS DO CURSO: Nome do Curso: Pedagogia Tempo de Integralização: Mínimo: 8 semestres Máximo: 14 semestres Nome da Mantida: Centro Universitário

Leia mais

Indaial SC Abril 2012. Setor Educacional: 3. Educação Universitária

Indaial SC Abril 2012. Setor Educacional: 3. Educação Universitária MATERIAL DIDÁTICO PARA O ENSINO A DISTÂNCIA: PRODUÇÃO E CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAIS DIDÁTICOS UTILIZADOS PELOS CURSOS DE PÓS- GRADUAÇÃO EAD DA UNIASSELVI Indaial SC Abril 2012 Hiandra Bárbara Götzinger

Leia mais

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS CRIZÓSTOMO, Cilene Delgado MILANEZ, Maria Rosa de Morais SOUSA, Rejane Lúcia Rodrigues Veloso ALBUQUERQUE, Judith

Leia mais

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS Ana Lúcia Cunha Duarte UCB duart_ana@hotmail.com Resumo: A prática investigativa desenvolvida no curso de Pedagogia do Centro de Educação,

Leia mais

JOGOS EM PROCESSOS DE TREINAMENTOS

JOGOS EM PROCESSOS DE TREINAMENTOS JOGOS EM PROCESSOS DE TREINAMENTOS AULA 16 1 Professora Ms Karen Reis 2011 JOGOS DIGITAIS Educação Corporativa e a abordagem e cooperativa dos Jogos de Empresa FMU Faculdades Metropolitanas Unidas Prof.

Leia mais

Trilha 4 Como estimular conteúdos e plataformas nacionais na rede mundial

Trilha 4 Como estimular conteúdos e plataformas nacionais na rede mundial Coordenador da Trilha Lisandro Zambenedetti Granville (CGI.br, UFRGS) Oradores iniciais indicados pelo setores do CGI.br: 3º Setor Nelson Pretto (UFBA) Academia Regina Melo Silveira (LARC-USP) e Guido

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais Introdução as redes de comunicação e redes de computadores Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Sistemas de Informações Gerenciais Introdução as redes de comunicação e redes de computadores Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Sistemas de Informações Gerenciais Introdução as redes de comunicação e redes de computadores Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados

Leia mais

Marcos Baptista Lopez Dalmau Eduardo Lobo Luiz Ricardo Uriarte Maurício Fernandes Pereira Amir Mattar Valente Ricardo Miranda Barcia.

Marcos Baptista Lopez Dalmau Eduardo Lobo Luiz Ricardo Uriarte Maurício Fernandes Pereira Amir Mattar Valente Ricardo Miranda Barcia. O Ensino a Distância como Alternativa para a Capacitação e/ou Formação Profissional Continuada para os Profissionais de Administração de Custos - O Caso LED/PPGEP Marcos Baptista Lopez Dalmau Eduardo Lobo

Leia mais

Sobre o Instituto Desenvolve T.I

Sobre o Instituto Desenvolve T.I Sobre o Instituto Desenvolve T.I A empresa Desenvolve T.I foi fundada em 2008, em Maringá, inicialmente focando a sua atuação em prestação de serviços relacionados à Tecnologia da Informação e atendendo

Leia mais

Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento

Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento Maio/2010 AMARAL, Rita de Cássia Borges de Magalhães

Leia mais

AULA 5 O E-BUSINESS E OS SISTEMAS DE APOIO ÀS DECISÕES E DE INFORMAÇÃO EXECUTIVA

AULA 5 O E-BUSINESS E OS SISTEMAS DE APOIO ÀS DECISÕES E DE INFORMAÇÃO EXECUTIVA AULA 5 O E-BUSINESS E OS SISTEMAS DE APOIO ÀS DECISÕES E DE INFORMAÇÃO EXECUTIVA APOIO ÀS DECISÕES DE E-BUSINESS E SISTEMAS DE APOIO ÀS DECISÕES Conceito O conceito básico de e-business é simples: negócios

Leia mais

Pedagogia Estácio FAMAP

Pedagogia Estácio FAMAP Pedagogia Estácio FAMAP # Objetivos Gerais: O Curso de Graduação em Pedagogia da Estácio FAMAP tem por objetivo geral a formação de profissionais preparados para responder às diferenciadas demandas educativas

Leia mais

Contribuições do Uso de Representações Semióticas no Ensino de Sistemas de Equações no Ensino Fundamental

Contribuições do Uso de Representações Semióticas no Ensino de Sistemas de Equações no Ensino Fundamental Contribuições do Uso de Representações Semióticas no Ensino de Sistemas de Equações no Ensino Fundamental Michelsch João da Silva 1 GD2 Educação Matemática nos anos finais do Ensino Fundamental Resumo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA PARTICIPAÇÃO DOS PAIS NA EDUCAÇÃO DOS FILHOS NO CONTEXTO ESCOLAR

A IMPORTÂNCIA DA PARTICIPAÇÃO DOS PAIS NA EDUCAÇÃO DOS FILHOS NO CONTEXTO ESCOLAR A IMPORTÂNCIA DA PARTICIPAÇÃO DOS PAIS NA EDUCAÇÃO DOS FILHOS NO CONTEXTO ESCOLAR Stefania Germano Dias; Flávio Pereira de Oliveira; Josefa Nandara Pereira de Souza; Larissa Brito da Silva; Maria Aparecida

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: ELABORAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE PROJETOS PEDAGÓGICOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: ELABORAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE PROJETOS PEDAGÓGICOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: ELABORAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE PROJETOS PEDAGÓGICOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM Resumo Gisele Gomes Avelar Bernardes- UEG 1 Compreendendo que a educação é o ponto chave

Leia mais

GESTÃO ESCOLAR: Motivação para melhorar

GESTÃO ESCOLAR: Motivação para melhorar GESTÃO ESCOLAR: Motivação para melhorar Betina Waihrich Teixeira 1 Sandra Maria do Nascimento de Oliveira 2 Resumo: O gestor escolar deve ter uma boa liderança de comunicação, sabendo interagir com sua

Leia mais

Implantação de um Laboratório de Trabalho Colaborativo e de Simulação no CEFET-RJ

Implantação de um Laboratório de Trabalho Colaborativo e de Simulação no CEFET-RJ Implantação de um Laboratório de Trabalho Colaborativo e de Simulação no CEFET-RJ Antonio José C. Pithon (CEFET-RJ) pithon@cefet-rj.br Marina Rodrigues Brochado (CEFET-RJ) marina@cefet-rj.br Resumo Atualmente

Leia mais

II ENCONTRO DE MATEMÁTICA

II ENCONTRO DE MATEMÁTICA Perspectivas atuais para pesquisa em : Ensino e TECNOLOGIA EDUCACIONAL: POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO ENTRE PROFESSOR DE MATEMÁTICA E O ALUNO NO AMBIENTE ESCOLAR Ediênio Farias Célia Gomes Resumo: O presente

Leia mais

Capítulo 2 Objetivos e benefícios de um Sistema de Informação

Capítulo 2 Objetivos e benefícios de um Sistema de Informação Capítulo 2 Objetivos e benefícios de um Sistema de Informação 2.1 OBJETIVO, FOCO E CARACTERÍSTICAS DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Os Sistemas de Informação, independentemente de seu nível ou classificação,

Leia mais

PREPARANDO-SE PARA EMPREENDER

PREPARANDO-SE PARA EMPREENDER PREPARANDO-SE PARA EMPREENDER C. Bringhenti, M. Eng.* E. M. Lapolli, Dra.** G. M. S. Friedlaender, M. Eng* * Doutorandos do Curso de Pós Graduação em Engenharia de Produção. Universidade Federal de Santa

Leia mais

ESCOLA DE APLICAÇÃO INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO. 24 de outubro de 2010. Serviço Público Federal Universidade Federal do Pará ------/UFPA

ESCOLA DE APLICAÇÃO INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO. 24 de outubro de 2010. Serviço Público Federal Universidade Federal do Pará ------/UFPA Serviço Público Federal Universidade Federal do Pará Concurso Público para a Carreira do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico ESCOLA DE APLICAÇÃO ------/UFPA 24 de outubro de 2010 INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO

Leia mais

A VIVÊNCIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

A VIVÊNCIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO A VIVÊNCIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Autor (1) Sergio Morais Cavalcante Filho Universidade Estadual da Paraíba (UEPB CCEA Patos) email: sergio.smcf@gmail.com RESUMO O presente artigo expõe uma experiência

Leia mais

A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR

A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR Resumo A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR Ana Regina Donato de Moraes 1 Lourdes Keila Casado Pulucena 2 Lucieni Vaz dos Santos 3 Aprender brincando não é apenas um passatempo, quando se trata de ensinar.

Leia mais

Sobre o Instituto Desenvolve T.I

Sobre o Instituto Desenvolve T.I Sobre o Instituto Desenvolve T.I A empresa Desenvolve T.I foi fundada em 2008, em Maringá, inicialmente focando a sua atuação em prestação de serviços relacionados à Tecnologia da Informação e atendendo

Leia mais

Estudo do processo de comunicação, de construção e de uso da informação no contexto da Ciência da Informação

Estudo do processo de comunicação, de construção e de uso da informação no contexto da Ciência da Informação Estudo do processo de comunicação, de construção e de uso da informação no contexto da Ciência da Informação Andressa Mello Davanso Faculdade de Biblioteconomia Centro de Ciências Humanas Sociais Aplicadas

Leia mais

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA: NOVOS DESAFIOS DA CARREIRA DOCENTE

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA: NOVOS DESAFIOS DA CARREIRA DOCENTE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA: NOVOS DESAFIOS DA CARREIRA DOCENTE Resumo O estudo objetiva discutir os desafios dos cursos de formação de professores frente à inserção

Leia mais

USO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PRESENCIAL E A DISTÂNCIA

USO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PRESENCIAL E A DISTÂNCIA USO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PRESENCIAL E A DISTÂNCIA Daricson Caldas de Araújo (IFPE) daricsoncaldas@gmail.com RESUMO Este artigo de revisão de literatura

Leia mais

WEBQUEST NO ENSINO DE HISTÓRIA: Ligações interdisciplinares e aceitação dos alunos diante esta ferramenta.

WEBQUEST NO ENSINO DE HISTÓRIA: Ligações interdisciplinares e aceitação dos alunos diante esta ferramenta. WEBQUEST NO ENSINO DE HISTÓRIA: Ligações interdisciplinares e aceitação dos alunos diante esta ferramenta. Michelle Mattar Pereira de Oliveira * Bianca Luiza Silva ** INTRODUÇÃO Primeiramente é necessário

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA VOLMIR CARDOSO PEREIRA LUCIENE MARIA DA SILVA

ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA VOLMIR CARDOSO PEREIRA LUCIENE MARIA DA SILVA ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA VOLMIR CARDOSO PEREIRA LUCIENE MARIA DA SILVA CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA PARA OS PROFESSORES DA EE IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA E SILVA Nova Andradina MS 2009

Leia mais

Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais

Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais Cristina Novikoff c_novikoff@yahoo.com.br UNIGRANRIO Natália Xavier Pereira nxpereira@hotmail.com UNIGRANRIO Resumo:O uso da tecnologia

Leia mais

MANUAL DO ALUNO GRADUAÇÃO MODALIDADE SEMIPRESENCIAL

MANUAL DO ALUNO GRADUAÇÃO MODALIDADE SEMIPRESENCIAL MANUAL DO ALUNO GRADUAÇÃO MODALIDADE SEMIPRESENCIAL Prezado(a) aluno(a); Este material que você está começando a ler trata-se do manual do aluno, referente às disciplinas que serão ministradas através

Leia mais

O USO DAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

O USO DAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM O USO DAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM Luiz Carlos Chiofi Universidade Estadual de Londrina - PDE luizquinzi@seed.pr.gov.br Marta Regina Furlan

Leia mais

A INFORMÁTICA E O ENSINO DA MATEMÁTICA

A INFORMÁTICA E O ENSINO DA MATEMÁTICA A INFORMÁTICA E O ENSINO DA MATEMÁTICA Nélia Caires da Silva Acadêmico de Matemática da FACITEC Andreia Júlio de Oliveira Rocha MSc. Em Ensino de Ciências Naturais e Matemática FACITEC Resumo Essa pesquisa

Leia mais

Nome Instituição Função Professor 1Artemizia Ribeiro Lima FVJ Coordenador de Área - Pedagogia Professor 2 Angélica Rodrigues de Souza

Nome Instituição Função Professor 1Artemizia Ribeiro Lima FVJ Coordenador de Área - Pedagogia Professor 2 Angélica Rodrigues de Souza PIBID FVJ PROJETO INSTITUCIONAL 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO Nome e Sigla: Faculdade do Vale do Jaguaribe - FVJ Responsável legal da IES: Eduardo Neto Mopreira de Souza Proposta - Edital nº 61/2013 Número da

Leia mais

Tema: Capacitación profesional. 7.- El acceso y la reinserción al mercado laboral mediante el e-learning. SCHLÜNZEN, Elisa Tomoe Moriya 1

Tema: Capacitación profesional. 7.- El acceso y la reinserción al mercado laboral mediante el e-learning. SCHLÜNZEN, Elisa Tomoe Moriya 1 TelEduc: Um Ambiente Virtual na Formação de Educadores à Distância para a Potencializar a Inclusão Social, Digital e Escolar de Pessoas com Necessidades Especiais PNE s. Tema: Capacitación profesional

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO CENTRO DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTANCIA PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP 2007 IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Índice. 1. Os desafios das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (NTICs)...3. Grupo 7.3 - Módulo 17

Índice. 1. Os desafios das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (NTICs)...3. Grupo 7.3 - Módulo 17 GRUPO 7.3 MÓDULO 17 Índice 1. Os desafios das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (NTICs)...3 2 1. OS DESAFIOS DAS NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (NTICS) Chamam-se Novas Tecnologias

Leia mais

SUPLEMENTO Nº 02. O presente Suplemento tem por finalidade introduzir no Edital da Licitação as seguintes alterações:

SUPLEMENTO Nº 02. O presente Suplemento tem por finalidade introduzir no Edital da Licitação as seguintes alterações: SUPLEMENTO Nº 02 O presente Suplemento tem por finalidade introduzir no Edital da Licitação as seguintes alterações: 1. A data limite de acolhimento de propostas fica alterada para 19.02.2008. 2. A CLÁUSULA

Leia mais

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS REFLEXÕES PEDAGÓGICAS A forma como trabalhamos, colaboramos e nos comunicamos está evoluindo à medida que as fronteiras entre os povos se tornam mais diluídas e a globalização aumenta. Essa tendência está

Leia mais

INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO.

INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO. INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO. Grupo PET Administração Universidade Federal de Lavras UFLA Resumo Os jovens formam o conjunto

Leia mais

O ENSINO DE PROGRAMAÇÃO PARA CRIANÇAS DA REDE PÚBLICA DE CAMPINA GRANDE

O ENSINO DE PROGRAMAÇÃO PARA CRIANÇAS DA REDE PÚBLICA DE CAMPINA GRANDE O ENSINO DE PROGRAMAÇÃO PARA CRIANÇAS DA REDE PÚBLICA DE CAMPINA GRANDE Diogo Cabral de Sousa (1); Augusto José Silva Firmo (1); Lucas de Luna Lima (2); Rafaela Quinto da Costa Melo (3); José Luiz Cavalcante

Leia mais

As 5 grandes tendências em tecnologia para Educação. Compartilhe este guia:

As 5 grandes tendências em tecnologia para Educação. Compartilhe este guia: As 5 grandes tendências em tecnologia para Educação 1 Introdução: A educação iniciou o século XXI de maneira bastante disruptiva. Uma série de inovações por parte de educadores e alunos fez com que os

Leia mais

DO EMAIL AO SITE: TECNOLOGIA EDUCACIONAL NO CURSO DE PEDAGOGIA

DO EMAIL AO SITE: TECNOLOGIA EDUCACIONAL NO CURSO DE PEDAGOGIA DO EMAIL AO SITE: TECNOLOGIA EDUCACIONAL NO CURSO DE PEDAGOGIA SILVA, José Roberto Alves da 1 - UEPA Resumo Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora: não contou

Leia mais

Questionário para área Operacional

Questionário para área Operacional Questionário para área Operacional Pontualidade Chega no horário e cumpre os horários estipulados pela empresa, além de respeitar o cronograma do setor no atendimento às solicitações de serviços. Zelo

Leia mais

ANÁLISE DE SOFTWARE EDUCATIVO NO ENSINO DE MATEMÁTICA. Palavras chave: Software Educativo; Construção do Conhecimento; Aprendizagem.

ANÁLISE DE SOFTWARE EDUCATIVO NO ENSINO DE MATEMÁTICA. Palavras chave: Software Educativo; Construção do Conhecimento; Aprendizagem. ANÁLISE DE SOFTWARE EDUCATIVO NO ENSINO DE MATEMÁTICA. Débora Janaína Ribeiro e Silva Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Paraíba debora_jr10@yahoo.com.br Resumo Este trabalho teve como

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP Regulamento do Curricular Supervisionado do Curso de Graduação em Pedagogia - Licenciatura Faculdade de

Leia mais

Metadados. 1. Introdução. 2. O que são Metadados? 3. O Valor dos Metadados

Metadados. 1. Introdução. 2. O que são Metadados? 3. O Valor dos Metadados 1. Introdução O governo é um dos maiores detentores de recursos da informação. Consequentemente, tem sido o responsável por assegurar que tais recursos estejam agregando valor para os cidadãos, as empresas,

Leia mais

A INCLUSÃO DIGITAL NO ENSINO DE GEOGRAFIA E A UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS EM SALA DE AULA

A INCLUSÃO DIGITAL NO ENSINO DE GEOGRAFIA E A UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS EM SALA DE AULA 106 A INCLUSÃO DIGITAL NO ENSINO DE GEOGRAFIA E A UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS EM SALA DE AULA Introdução MELLO, Amarildo da Silva GRIZIO-ORITA, Edinéia Vilanova O tema inclusão digital

Leia mais

Título: O moodle como ambiente virtual de aprendizagem colaborativa: o caso do Curso Introdutório Operacional Moodle na UEG.

Título: O moodle como ambiente virtual de aprendizagem colaborativa: o caso do Curso Introdutório Operacional Moodle na UEG. Título: O moodle como ambiente virtual de aprendizagem colaborativa: o caso do Curso Introdutório Operacional Moodle na UEG. Noelma Silva noelmasilv@yahoo.com.br Elisabete Tomomi Kowata betinha@ueg.br

Leia mais

EaD = O futuro é agora!

EaD = O futuro é agora! Objetivos EaD = O futuro é agora! Apresentar e discutir os princípios fundamentais da EaD; Mostrar a evolução desta tecnologia no Brasil; Apresentar a proposta de EaD para os Formadores do Saber. Prof.

Leia mais

R0BÓTICA EDUCACIONAL. Curso Extracurricular de Robótica educacional

R0BÓTICA EDUCACIONAL. Curso Extracurricular de Robótica educacional R0BÓTICA EDUCACIONAL Curso Extracurricular de Robótica educacional Robótica na educação: Curso extracurricular Com o avanço da tecnologia, criou se um mundo de possibilidades que geram escolhas e responsabilidades.

Leia mais

AVANÇOS DAS AÇÕES EDUCATIVAS EM EAD, UTILIZANDO TELEDUC, DESENVOLVIDAS NA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DE SANTOS COMPARTILHANDO SABERES NA REDE

AVANÇOS DAS AÇÕES EDUCATIVAS EM EAD, UTILIZANDO TELEDUC, DESENVOLVIDAS NA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DE SANTOS COMPARTILHANDO SABERES NA REDE AVANÇOS DAS AÇÕES EDUCATIVAS EM EAD, UTILIZANDO TELEDUC, DESENVOLVIDAS NA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DE SANTOS COMPARTILHANDO SABERES NA REDE Santos/SP- 02/2014 Carlos Eduardo da Silva Fontoura SEDUC/Santos

Leia mais