X CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 08 e 09 de agosto de Introdução

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "X CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 08 e 09 de agosto de 2014. Introdução"

Transcrição

1 ISSN MARKETING DE SERVIÇOS E E-MARKETING NO COMÉRCIO ELETRÔNICO: UM ESTUDO DE CASO NO CIBERESPAÇO Rhanica Evelise Toledo Coutinho, Marcus Vinícius BARBOSA, Salete Leone FERREIRA, Ana Carolina Oliveira Silva (UNIFOA / IFRJ / FASF / UNESA) Resumo: O Comércio Eletrônico teve um enorme crescimento na virada do milênio quando o setor de serviços passou a ser beneficiado pelo ciberespaço trazendo praticidade e comodidade para vida dos consumidores. Com relação a este assunto o estudo indaga: como o marketing de serviços e o e-marketing são utilizados nos sites de empresas do segmento bancário como forma de potencializar o comércio eletrônico? Acredita-se que o marketing de serviços e o e-marketing possibilitam a empresa maior qualidade na comunicação com seus clientes e consequentemente maior lucratividade. O objetivo geral deste estudo visa verificar a aplicação do uso do marketing de serviços e do e-marketing no ambiente virtual do Banco Itaú, os objetivos específicos analisar como acontecem as comunicações a partir dos serviços oferecidos por esta empresa, assim como, verificar de que maneira a empresa viabiliza as ações comerciais neste espaço. A metodologia deste estudo foi didaticamente organizada: epistemológica, teórica, técnica, morfológica e analítico-conclusiva, com o uso da Tabela Análise de texto das Dimensões Novikoff, seguido por uma análise de conteúdo, conforme Bardin (1979:31) do ambiente virtual do Banco Itaú. O resultado a partir dos conceitos teóricos permitiu que se compreendesse que o site pesquisado encontra-se atualizado. De acordo com a Análise dos 4P sob a Luz de Kotler (2008) todos os quesitos foram considerados bons. Já com relação à análise dos 7C do Projeto eficaz de um Web Site sob a luz de Kotler e Armstrong (2008), pode-se constatar que os quesitos Contexto, Conteúdo, Conexão e Comércio foram considerados bons uma vez que pode ser identificado ações que viabilizam a funcionalidade de cada quesito. Já o quesito Comunidade não foi identificado nenhuma relação de comunicação entre o site e seus clientes diretos ou indiretos, sendo considerado inexistente, contrariando a hipótese inicial deste estudo. Denotando assim, a necessidade de se criar uma estratégia para viabilizar a comunicação a partir de depoimentos sobre a empresa deixados neste ambiente por clientes antigos e atuais. Com relação aos quesitos Customização e Comunicação foram considerados ruins, denotando assim a necessidade de ampliar a customização do site, como por exemplo, oferecendo a tradução também em inglês, por ser a língua universal, quanto a comunicação destaca-se a necessidade de se oferecer o uso de atendimento online via chat em tempo integral, e um espaço de comunicação entre clientes. Palavras-chaves: Análise do trabalho do pedagogo na empresa, descrição dos postos de trabalho, competências essenciais.

2 Introdução O Comércio Eletrônico teve um enorme crescimento na virada do milênio quando o setor de serviços passou a ser beneficiado pelo ciberespaço, lócus onde foram surgindo novos consumidores, e consequentemente, oportunizando ambientes mais comunicativos, fazendo com que a mensagem propagada pelas empresas chegasse ao consumidor de forma muito mais rápida a partir das redes de comunicação. A prestação de serviços no ambiente virtual, trouxe a praticidade e comodidade para vida dos consumidores, dessa forma, o marketing de serviços e o e-marketing, objetos deste estudo, possibilitam as empresas maior qualidade na comunicação com seus clientes e consequentemente maior lucratividade. O avanço tecnológico oportuniza ao consumidor a chance de efetuar ou contratar um serviço independentemente de onde quer que ele esteja, permitindo que o mesmo, seja realizado através da internet. Dessa forma, o consumidor pode de maneira rápida verificar a disponibilidade da prestação deste serviço, assim como também, comparar preços, obter informações e características do serviço desejado, estando em contato com todos os tipos de concorrentes ao mesmo tempo. Entende-se por prestação de serviços como sendo uma atividade mercantil que atende a uma gama de necessidades específicas de um determinado grupo, transformando-se no centro de atividade econômica de qualquer sociedade (COBRA, 2004). Já o E-marketing auxilia o prestador de serviço a expor de forma atraente, relevante e personalizada cada tipo de serviço através de seus sites, atingindo com isso cada mercado específico, utilizando-se dos meios de comunicação em massa para uma interatividade em potencial aos consumidores (REEDY et al. 2001). Com a era da competição e da concorrência constante entre as organizações, cada empresa prestadora de serviços deve-se prevenir contra o risco da perda de espaço no mercado. As inovações e mudanças ocorridas no ambiente virtual têm favorecido a atuação dessas empresas. Neste contexto, o objetivo geral deste estudo visa verificar a aplicação do uso do marketing de serviços e do e-marketing no ambiente virtual do Banco Itaú, com isso, propõe-se como objetivos específicos analisar como acontecem as comunicações a partir dos serviços oferecidos por esta empresa, assim como, verificar de que maneira a empresa viabiliza as ações comerciais neste espaço. A metodologia adotada neste estudo será didaticamente organizada para nortear cada fase da pesquisa: epistemológica, teórica, técnica, morfológica e analítico-conclusiva, com o uso da 2

3 Tabela Análise de texto das Dimensões Novikoff, seguido por uma análise de conteúdo, conforme Bardin (1979:31) do ambiente virtual do Banco Itaú. A análise de conteúdo destes sites perpassará por quatro grandes áreas denominadas de Identificação, Atualização, Análise dos 4P sob a Luz de Kotler (2009) e a Análise dos 7C do projeto eficaz de um web site sob a Luz de Kotler e Armstrong (2008), sendo: - Identificação: endereço eletrônico e o nome referente ao site do Banco Itaú, lócus escolhido para este estudo; - Atualização: são apresentadas três classificações, sendo: atualizado, desatualizado e sem informação e considerados níveis de qualidade como bom, ruim ou não informado ; - Análise dos 4P sob a Luz de Kotler: mostra o Mix de Marketing que traz como critérios de avaliação os 4P, sendo eles: Praça, Preço, Promoção e Produto, sendo que cada uma das médias áreas tem como critério qualidade as classificações: bom, ruim e inexistente ; Análise dos 7Cs do projeto eficaz de um web site sob a Luz de Kotler e Armstrong: são apresentados como itens da média área os seguintes tópicos: Contexto, Conteúdo, Comunidade, Customização, Comunicação, Conexão e Comércio, sendo que cada uma das médias áreas tem como critério de qualidade as avaliações: bom, ruim e inexistente. Visa-se responder: como o marketing de serviços e o e-marketing são utilizados nos sites de empresas do segmento bancário como forma de potencializar o comércio eletrônico? Acreditase que o marketing de serviços e o e-marketing possibilitam a empresa maior qualidade na comunicação com seus clientes e consequentemente maior lucratividade. O Marketing e a Prestação de Serviços Para o pai do marketing Kotler (1998:33) [...] marketing é um processo social e gerencial pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação, oferta e troca de produtos de valor com outros. Como principal elemento de definição, pode-se destacar o aspecto de orientação para os consumidores, que visa dirigir toda a atividade mercadológica para a satisfação dos clientes de um determinado mercado. Portanto, o marketing desenvolve a função organizacional de um conjunto de processos que envolvem: a criação, a comunicação e a entrega de valor para os clientes. Outro ponto chave do marketing, visa pontencializar a administração do relacionamento com os clientes, de tal forma a beneficiar a organização e o seu público alvo.nesse percurso, Las Casas (2002) aponta a finalidade do marketing como sendo de satisfação e lucro. 3

4 Entende-se que o marketing constitui-se num processo gerencial que utiliza as informações extraídas de pesquisas de mercado e do relacionamento com seus clientes para a elaboração de estratégias inovadoras. Segundo Kotler (2003), o profissional de marketing, deve saber a maneira de conquistar e manter seus clientes, visando desenvolver relacionamentos lucrativos para ambas as partes. E-marketing A humanidade encontra-se na era da internet, e juntamente com ela, chegaram os recursos do marketing eletrônico, como por exemplo, , pesquisa de consumidores, sites da Web, redes sociais, serviços aos consumidores on-line, agentes inteligentes de compras, entre outras ferramentas eletrônicas, acrescentados aos programas de marketing que tem por objetivo aumentar a eficácia do contato com o público alvo (REEDYet al. 2001). Os avanços tecnológicos permitem que o profissional de marketing localize consumidores em potencial para apresentar produtos e serviços para cada mercado específico, utilizando meios de comunicação em massa. O e-marketing também conhecido por marketing eletrônico, ajuda o profissional a desenvolver serviços e/ou produto,utilizando ferramentas de pesquisas on-line, permitindo uma análise da opinião e da satisfação pós-venda dos consumidores após a aquisição do serviço prestado ou produto. Conforme Reedy et al. (2001): Marketing eletrônico são todas as atividades on-line ou eletrônicas que facilitam a produção e a comercialização de produtos ou serviços para satisfazer os desejos e necessidades do consumidor. O marketing eletrônico depende muito da tecnologia de redes para coordenar pesquisa de mercado e desenvolvimento de produtos, desenvolver estratégias e táticas para persuadir os consumidores, proporcionar distribuição on-line, manter registro dos consumidores, realizar serviços de atendimento aos consumidores e coleta de feedback dos clientes (REEDYET AL. 2001:26). Segundo Reedyet al.(2001), marketing eletrônico (e-marketing) consiste em ações de comunicação pela internet e outros meios digitais para divulgação de serviços, marcas e produtos, assim, permitindo que a mensagem chegue aos consumidores de forma rápida, relevante e personalizada. O recurso do e-marketing explora sempre a pesquisa, o conhecimento dos perfis e os comportamentos de segmentos do mercado-alvo, para que de forma inovadora possam proporcionar os maiores benefícios e satisfação ao consumidor. Com o e-marketing, o poder de segmentação de público fica mais fácil e possível, as inovações da tecnologia e as possibilidades 4

5 de comunicação aumentaram de formas consideráveis e as opções de divulgação são quase infinitas. Outra abordagem do e-marketing, vem a partir de Strauss e Frost (2012), ao afirmar que esta ferramenta consiste no resultado da junção da Tecnologia da Informação (TI) aplicada ao marketing tradicional. Desta forma, o marketing tradicional acaba sendo influenciado pelo e- marketing, principalmente no sentido estratégico. Já Las Casas (2006:335) destaca que o marketing on-line é um conjunto de transações eletrônicas que visam à transferência de produtos e serviços do produtor ao consumidor. Para uma redução de custo com divulgação e uma maior abrangência de público, as organizações tem investindo muito no e-marketing e em suas ferramentas. Assim, afirma Las Casas (2006), quando diz que a utilização da internet facilita bastante o conjunto de venda no marketing, o ambiente virtual permite que o consumidor visualize vários tipos de mercados ao mesmo tempo com custos reduzidos, beneficiando assim, os consumidores. O crescimento do marketing pela internet deveu-se aos vários benefícios proporcionados. Entre eles, destacam-se conforto, rapidez, custos mais baixos, informações, relacionamento mais próximo e ainda a possibilidade de coletar dados com detalhamento maior (LAS CASAS, 2006:336). O consumidor tem a possibilidade, através do ambiente virtual, de poder analisar a todo o momento os sites de várias organizações, como são expostos seus serviços e/ou produtos, o design, as ferramentas, facilidade de acesso, dentre outros fatores, assim Strauss e Frost (2012), destacam que as empresas se valem da análise SWOT Strengths, Weaknesses, Opportunities e Threats em inglês e conhecido em português como pontos fortes, fracos, oportunidades e ameaça, com a intenção de identificar quais pontos fortes e fracos que necessitam se utilizados frente as ameaças e oportunidades, com isso, espera-se um direcionamento referente as estratégias de negócios e e-marketing. Segundo Kotler e Armstrong (2008), para um bom desenvolvimento de um site web, a organização tem a intenção e o desafio de expor seu serviço e/ou produto de forma que seus visitantes façam uma primeira visita e que seja atraente e interessante o suficiente, para incentivar visitas repetidas. Para conquistar este espaço, às organizações devem saber utilizar e implantar os 7C do projeto eficaz de um site web, que são as ferramentas do e-marketing. 5

6 Os 7C vêm com a proposta de organizar e direcionar a comunicação a partir de vários contextos, visando respeitar alguns quesitos como layout e design do site, a parte textual, recursos de comunicação entre os usuários, e entre o site e seus usuários, capacidade de personalização, nível de conexão com outros sites e recursos para transações comerciais, fundamentados por Kotler e Armstrong (2008) a partir de sete contextos, conforme apresentados na Tabela 1. Tabela 1: Descrição do 7C do projeto eficaz de um site web. Descrição dos 7C 1º C Contexto O layout e o design do site. 2º C Conteúdo O texto, as imagens, os sons e os vídeos contidos no site Web. 3º C Comunidade Os recursos para permitir a comunicação entre os usuários. 4º C Customização A capacidade do site de se adequar a diferentes usuários ou de permitir que os usuários personalizem o site. 5º C Comunicação Os recursos do site para possibilitar a comunicação do site para o usuário, do usuário para o site ou em ambos os sentidos. 6º C Conexão O nível no qual o site está conectado a outros sites. 7º C Comércio Os recursos do site para permitir transações comerciais. Fonte: Kotler e Armstrong (2008:450) Dessa forma, deve-se manter uma constante manutenção e análise do site, focando sempre no desenvolvimento fácil e dinâmico a partir da integração entre o cliente e a proposta da empresa no mundo digital. Compostos de Marketing O composto de Marketing tornou-se conhecido internacionalmente como sendo os 4P do Marketing. Por esse motivo, diversos países trataram de traduzir para o seu idioma, as quatros palavras, para que mantivessem a grafia iniciada por P. Dessa forma, no Brasil as atividades passaram a ser: Produto, Preço, Promoção e Praça (ou ponto de venda) (KOTLER, 2000).A partir da ideia do que pode ser um Composto de Marketing, a organização pode adaptar cada um desse composto para sua empresa, diminuindo erros e respeitando sua capacidade para o futuro da própria empresa. 6

7 O composto de marketing serve de apoio para desenvolver, compreender e avaliar as tendências e comportamentos. As descrições a seguir darão base para uma utilização correta e eficiente do chamado composto de marketing conhecido como os 4P. Kotler (1998:97) conceitua o composto de marketing como um (...) conjunto de ferramentas que a empresa usa para atingir seus objetivos de marketing no mercado-alvo. Após observar a Figura 1, pode-se conceituar conforme alguns autores, cada um dos 4P. Para começar, define-se como P de Produto tudo associado ao produto ou serviço, como suas características principais, seus diferenciais de mercado, sua marca e sua forma de apresentação. Kotler (2000:13) destaca que o produto é qualquer coisa que possa ser oferecido ao mercado para satisfazer uma necessidade ou um desejo. O conceito não se limita em objetos físicos, qualquer coisa capaz de satisfazer uma necessidade pode ser chamado de produto. O P de Preço,englobar tudo referente à precificação do produto, como política de descontos, financiamento, condições de pagamentos e tabela de preços. A relação do preço está muito ligada ao sucesso das estratégias de marketing, pelo motivo de que os consumidores sabem muito bem qual valor está disposto a desembolsar por determinado produto. Pode-se afirmar a partir de Rocha e Christensen (1999:53) que o preço é um dos atributos usados pelo consumidor para avaliar a qualidade do produto. O P de Promoção trata de tudo que tem ligação com a divulgação e exposição do produto. Segundo Cobra (1997:45) esta serve para informar, motivar e persuadir. Funciona como a ferramenta do marketing que informa os consumidores sobre o produto, atingindo o interesse e desejo do consumidor ao consumo final. A promoção vem seguida pela propaganda, que está ligada a venda pessoal, merchandising e as relações públicas. De acordo com Kotler e Armstrong (2003) a Propaganda transmite a mensagem ao público através da internet, de jornais, rádios, TV e revistas. As ações realizadas pelos profissionais de Relações Públicas visam transmitir a imagem conveniente da empresa. Já o Merchandising são atividades relacionadas ao ponto de venda. E com relação a Venda Pessoal trata de definir o público alvo, que podem ser interno ou externo. Para finalizar tem-se o P de Praça ou ponto de venda, este por sua vez cuida de como o produto será exposto, movimentado e entregue ao cliente, abrange a logística, os canais de distribuição, à entrega e a estocagem do produto e a exposição do produto. Cobra (1992:491) afirma que a função básica de um canal de distribuição é escoar a produção de bens em geral, sejam bens de consumo, sejam bens de industriais ou ainda serviços. 7

8 Os canais de Marketing, segundo Kotler (2000) executam todas as funções chaves como a informação, promoção, negociação, financiamento e pagamento, pedidos, riscos e a propriedade física. Funções essa de imensa importância para o desenvolvimento das estratégias de Marketing, provido como acompanhador no planejamento. Portanto, para que um programa de marketing seja bem sucedido, ele deve coordenar todos os elementos do marketing mix com as estratégias de marketing da empresa para que possa superar as ações de seus concorrentes por meio da melhor entrega de valor ao cliente. Conceitos de administração de Serviços As organizações estão cada vez mais competitivas e agregando maior valor aos serviços prestados. A administração de serviço aposta principalmente em seu público alvo, e busca dar importância na aproximação com seus consumidores. Dessa forma, pode-se oferecer produtos e serviços que se aproximam mais das necessidades dos clientes. Esse pode ser um grande diferencial competitivo para as empresas que possuem muitos concorrentes diretos em seu mercado de atuação (KOTLER, 1998). Outro diferencial competitivo pode ser apresentado a partir de Marques (1997:65) ao afirmar que é a forma pela qual a empresa proporciona tantas satisfações quantas forem possíveis pela aquisição do produto, são também as formas de resolver questões que importam ao cliente, é, sobretudo uma forma de agregar valor ampliando o produto. Serviços são atividades econômicas que criam valor e fornecem benefícios para clientes em tempos e lugares específicos, eles variam à medida que são baseados para cada tipo de mercado. Para Kotler (1998:412), serviço é qualquer ato ou desempenho que uma parte possa oferecer a outra e que seja essencialmente intangível e não resulte na propriedade da nada. Sua produção pode ou não estar vinculada a um produto físico. Portanto, a execução de um serviço pode estar ou não ligada a um produto concreto. Já a administração de serviços procura construir uma cultura de serviços que faz da excelência do serviço prestado ao cliente uma missão reconhecida para todos os membros da organização, inclusive os administradores. Gestão do Relacionamento com Cliente 8

9 Baseado em um modelo de negócio, a gestão de relacionamento com clientes pode ser considerado um dos mercados mais lucrativos, pois tem como principal elemento o cliente onde se descobre suas expectativas e necessidades, sendo assim, essa união produz benefícios para ambos onde há uma busca de produtos e serviços de qualidades. Customer Relationship Management (CRM) conhecido no termo em inglês que pode ser traduzida para a língua portuguesa como Gestão de Relacionamento com o Cliente, criada para definir toda uma classe de ferramentas que automatizam as funções de contato com o cliente. Conforme Bretzek (2000): O CRM é hoje a maior inspiração para as unidades produtoras que desejam construir relacionamentos mutuamente vantajosos e duradouros com seus clientes. Tem como objetivo da organização a busca por todas as informações necessárias, integrando várias áreas para se implantar um modelo necessário, para que essa relação seja realizada com excelência, a empresa pode identificar recrutar e selecionar os melhores clientes (BRETZEK, 2000: 215). Segundo Bretzek (2000), o elo entre empresa e cliente pode ser baseado não na troca única de benefícios entre as partes envolvidas, mas em um processo de comunicação que permita uma ligação constante e um atendimento personalizado. Tendo por objetivo a aproximação com o consumidor atual, em que a empresa relaciona-se com ele com objetivando manter sua fidelidade. Estrategicamente, o interesse dos profissionais da área tem como objetivo cultivar seus clientes, pelo fato de que reter o consumidor torna-se muito mais lucrativo, principalmente ao longo do tempo, do que apenas direcionar esforços para atrair novos clientes. Para Dornelas e Xavier (2003): O CRM é a combinação da filosofia do marketing de relacionamento, que mostra a importância de atrair e reter clientes, cultivando um relacionamento estável e duradouro em buscada lealdade, com a tecnologia da informação, que provê recursos integrados de informática e telecomunicações, provocando um impacto na gestão da empresa quanto aos processos, às estratégias de negócio e as posturas gerenciais (DORNELAS e XAVIER, 2003:35). Apresenta-se três tipos de CRM que as organizações podem aplicar e obter resultados diferentes de acordo com as funções de cada um deles: o CRM operacional, o analítico e colaborativo. O CRM operacional trata, visa à criação de canais de relacionamento com o cliente, voltados a dar suporte ao mesmo e ao mercado, de certa forma interferindo na automação de processos em venda, marketing e atendimento ao cliente.em seguida vem o CRM Analítico. Por 9

10 sua vez, utiliza-se de dados recolhidos pelo CRM operacional para fazer um estudo do cliente. Através dessas informações coletadas cria-se ou modifica produtos visando maior aceitação no mercado e do cliente, melhorando as condições de atendimento e a oferta de desses. E para finalizar, o CRM Colaborativo que visa o contato com os clientes, fornecedores e parceiros através de contato telefônico, chat, , autoatendimento e redes sociais, criando assim uma rede de relacionamento. Portanto, entender os tipos de CRM consiste em um primeiro passo para se ter sucesso em uma estratégia de negócio, e com isso, elaborar um bom planejamento e diminuir as chances de fracasso. A gestão de relacionamento com o cliente torna-se cada vez mais importante nas organizações de qualquer setor, a relação estabelecida entre organização e cliente, a qualidade nas informações e nos serviços prestados, a necessidade de importar-se mais com as pessoas, todos esses fatores podem ajudar as organizações a manterem seus clientes satisfeitos e atingirem o sucesso de mercado. Comércio eletrônico Considera-se como comércio eletrônico, uma forma de transação capaz de promover o desenvolvimento econômico, reduzir as limitações geográficas e de transformar completamente os sistemas econômicos das organizações. Impulsionadas pela alta visualização e forte expansão do comercio eletrônico, empresas, instituições financeiras, consumidores e órgãos governamentais, cada vez mais se incorporam através da grande rede mundial. Através da internet, o desenvolvimento na prestação de serviços, em produtos, produção, distribuição e comercialização de produtos e serviços, são totalmente extensos conforme abordado Reedy et el.(2001): Comércio eletrônico (e-commerce) é a realização de comunicação e transações de negócios através de redes e computadores, mais especificamente a compra e a venda de produtos e serviços, e a transferência de fundos através de comunicação digitais (REEDYET AL, 2001: 26). Esse tipo de transação pode ser feita eletronicamente através de aparelhos eletrônicos, como por exemplo: celulares, tablet, computadores que tenham acesso à internet. Tais equipamentos são como ferramentas criadoras de novos relacionamentos e ambientes comunicativos, ou seja, os serviços em redes. De acordo com Cobra (2004:32) [...] o setor de 10

11 serviços é dos que melhor tem se utilizado o comercio eletrônico para disponibilizar a venda, tudo pode ser realizado pela internet: pagamento de contas, compras, reserva de qualquer tipo, entre outros serviços, sem terem que sair de casa. Muitos setores da economia estão ligados ao comércio eletrônico devido sua facilidade e comodidade. O comércio eletrônico, conforme a definição de Albertin (2010) pode ser qualquer negócio transacionado eletronicamente, em que essas transações ocorrem entre dois parceiros de negócio ou entre um negócio e seus clientes. O comércio eletrônico é a realização de toda a cadeia de valor dos processos de negócio num ambiente eletrônico, por meio da aplicação intensa das tecnologias de comunicação e de informação, atendendo aos objetivos de negócio. Os processos podem ser realizados de forma completa ou parcial, incluindo as transações negócio-a-negócio, negócioa-consumidor e intra-organizacional, numa infra-estrutura predominantemente pública de fácil e livre acesso e baixo custo (ALBERTIN, 2010:15). O comércio eletrônico obtém aplicações revolucionárias e inovadoras nos processos de negócio entre vários setores econômicos. Vantagens e desvantagens do Comércio Eletrônico O comércio eletrônico traz várias vantagens tanto para os usuários quanto para as empresas presente deste ambiente virtual, como por exemplo: segurança e rapidez no pagamento das mercadorias, maior comodidade para o cliente, aumento dos lucros da empresa, pesquisa de preço do produto, diminuição dos impostos, redução da mão de obra, comercialização global entre outros. Segundo Cobra (2004), o consumidor tem uma maior comodidade na hora da compra, podendo acessar e efetuar a compra a qualquer momento e obter informações sobre produtos ou serviços através de vários tipos de pesquisas on-line. Para a organização, têm-se como vantagens a valorização de sua marca, um amigável relacionamento com cliente, aumentando seu banco de dado e conquistando a confiança do consumidor a cada dia. O comércio eletrônico também possui desvantagens para as empresas, para os clientes e para a sociedade, como por exemplo, diminuição da qualidade dos produtos entregues aos clientes e o aumento do número de desemprego. De acordo com Cobra (2004), o consumidor tem como 11

12 desvantagens, atrasos na entrega e envio de mercadorias erradas, dados pessoais de clientes ficam vulneráveis a certos tipos de transações comercias. Caminho Metodológico Este estudo foi organizado sob a abordagem da pesquisa qualitativa do tipo descritiva pautada nas Dimensões Novikoff. Esta [...] trata-se de uma abordagem teórico-metodológica, com todas as dimensões de preparação, estudo, desenvolvimento e apresentação de pesquisa acadêmico-científica (NOVIKOFF, 2010). As dimensões passam por cinco etapas, didaticamente organizadas para nortear cada fase da pesquisa, quais sejam: epistemológica, teórica, técnica, morfológica e analítico-conclusiva, com o uso da Tabela Análise de texto das Dimensões Novikoff, seguido por uma análise de conteúdo, conforme Bardin (1979:31), consiste em um conjunto de técnicas de análise das comunicações e trata-se, portanto, de uma técnica que não tem modelo pronto, mas que se constrói através de um vai-e-vem contínuo e tem que ser reinventada a cada momento, onde se organiza o material se analisado, formular hipóteses ou questões norteadoras, elaborar indicadores que fundamentem a interpretação final. A partir deste caminho metodológico buscou-se verificar e compreender como o marketing de serviços, mix de marketing e o e-marketing podem ser utilizado no ambiente virtual do Banco Itaú. A análise de conteúdo destes sites possibilitaram a geração de quatro grandes áreas denominadas de acordo com Identificação, Atualização, Análise dos 4P sob a Luz de Kotler (2009) e a Análise dos 7C do projeto eficaz de um web site sob a Luz de Kotler e Armstrong (2008), sendo: - Identificação: endereço eletrônico e o nome referente ao site do Banco Itaú, lócus escolhido para este estudo; - Atualização: são apresentadas três classificações, sendo: atualizado, desatualizado e sem informação e considerados níveis de qualidade como bom, ruim ou não informado ; - Análise dos 4P sob a Luz de Kotler: mostra o Mix de Marketing que traz como critérios de avaliação os 4P, sendo eles: Praça, Preço, Promoção e Produto, sendo que cada uma das médias áreas tem como critério qualidade as classificações: bom, ruim e inexistente ; Análise dos 7Cs do projeto eficaz de um web site sob a Luz de Kotler e Armstrong: são apresentados como itens da média área os seguintes tópicos: Contexto, Conteúdo, Comunidade, Customização, Comunicação, Conexão e Comércio, sendo que cada uma das médias áreas tem como critério de qualidade as avaliações: bom, ruim e inexistente. 12

13 Caracterização da empresa O Banco Itaú ocupa a segunda a posição de maior banco privado do país e sua história foi marcada por algumas operações de fusões e aquisições. O Itaú tornou-se um banco múltiplo que opera nas carteiras comercial de investimentos. O Banco Itaú ficou conhecido como uma empresa de capital social privado, onde produtos e serviços bancários são oferecidos a seus clientes. Atualmente a marca Itaú é a mais valiosa do Brasil, segundo estudo realizado pela Interbrand, consultoria global pioneira em avaliação de marcas. Apresentações dos Dados Serão apresentados a seguir, dados relevantes encontrado em algumas do Banco Itaú visando fundamentar a elaboração da análise crítica deste estudo. A primeira marcação na página inicial está disponibilizada a ferramenta de acesso a sua conta, na segunda marcação tem a ferramenta de acesso rápido, seguida por todos os itens que o site oferece em ordemalfabética e na terceira marcação, apresenta-se o acesso a outros tipos de ferramentas de serviços, os quais são: Produtos, Seus objetivos e atendimento Figura 1 Página inicial do site do Banco Itaú Fonte Site Banco Itaú (2013) A ferramenta produtos contém os seguintes itens, o Para Você, Para Empresas e Para Poder Público. Será detalhando alguns itens apresentados na figura 2. 13

14 Figura 2 Ferramenta Produtos Fonte Site Banco Itaú (2013) De acordo com a quarta marcação, ao abrir o link referente à ferramenta Para Você, observa-se a disponibilidade dos serviços e/ou produtos oferecidos pelo Banco Itaú para pessoas físicas, de forma segmentada, tanto para clientes correntistas, não correntistas e não clientes. Por sua vez, no link Para Empresa a Instituição oferece um leque de opções de serviços voltados à empresas, além de ofertar um atendimento todo segmentado de acordo com o porte da organização cliente. O Poder Público também conta com um canal exclusivo de serviços, que vão desde Pagamentos, Investimentos, Produtos Direcionados, soluções desenvolvidas especialmente para atende ao Poder Público, oferecendo ferramentas direcionadas à administração pública. De forma a simplificar a pesquisa do cliente, o banco fornece a aba Seus Objetivos, onde são propostos itens de compra, além do serviço de conta corrente, acrescido de simuladores de serviços e financiamentos. A ferramenta Atendimento, direciona o cliente a opções de atendimento para cada perfil de cliente. Em uma única aba, ainda constam os seguintes itens: Sobre o Itaú, suas histórias, Imprensa, que são Comunicados, anúncios e informações elaborados por nossa assessoria de imprensa Relações com investidores, Analises econômicas, o Trabalhe no Itaú e Mais segurança. Resultados e Discussões 14

15 Com a revisão bibliográfica, pode-se constatar que o marketing corresponde a uma atividade que busca atrair, conquistar e fidelizar clientes, mantendo relacionamentos constantes e duradouros, proporcionando experiências satisfatórias aos clientes. Dentre suas ferramentas podese destacar o mix de marketing que através dos 4P proporciona uma visão ampla de como gerir nossos esforços e recursos tornando um negócio melhor administrado e mais rentáveis, visando reduzir os custos e os investimentos pode-se destacar o e-marketing, porém este deve ser bem estruturado, para isso existem os 7C do projeto eficaz de um web site, que aponta paraum caminho certo, no que tange a construção de um site bem estruturado e focado em bons resultados. De acordo com a pesquisa realizada no ciberespaço, detalhada na Tabela de análise de sites das instituições bancárias, desenvolvida a partir de Coutinho e Novikoff (2013).Nesta pesquisa foram utilizados como critérios de análise o Mix de Marketing caracterizado pelos 4P (preço, praça, produto e promoção) (J. McCarthy, 1960) e E-marketing a partir da utilização dos 7C do projeto eficaz de um Web Site (Kotler e Armstrong, 2008). A partir desta utilização seguem abaixo as figuras e seus itens relacionados, seguida das discussões pertinentes a cada item. Na página inicial, pode-se verificar que no quesito atualização o site pesquisado encontrase atualizado, além da comodidade de em uma única janela contar com todos os serviços disponíveis em ambiente virtual para sua clientela, podendo dialogar com o conceito de P de Praça, este considerado bom, visto que o site apresenta páginas com linguagem simplificada, diretas, de fácil acesso e com clareza em suas informações. Por sua vez o P de Promoção, foi considerado como bom, visto que o Banco Itaú possui links para redes sociais, como, FacebookTwitter, Instagram e vários vídeos de propagandas institucionais no site Youtube. Com relação ao P de Preço,foi considerado bom, uma vez que se a exposição de serviços e tarifas para os mais variados segmentos. Outrossim, o P de Produto, foi considerado como bom, uma vez que ele apresenta uma diversidade de ofertas, tem um design criativo, e leve na navegação, apesar de que ícones alocados em barras ao longo das extremidades do navegador podem causar estranheza no primeiro momento ao cliente. Com relação às ferramentas do e-marketing, à luz dos 7 C s, de Kotler e Armstrong, verifica-se que: - o C de Contexto, o qual foi considerado bom, devido ao uso imagens claras de com cores neutras nítidas, todas bem organizadas dialogando com o contexto, assim facilitando o acesso as informações; 15

16 - o C de Conteúdo, foi classificado bom, por apresentar textos descritivos, bem explicados, de acordo com cada ferramenta e de fácil localização. Assim facilitando a visibilidade para o cliente. - o C de Comunicação, foi considerado ruim, por oferecer ferramentas de comunicação online, porém sem funcionamento permanente; - o quesito C de Customização, considera-se ruim, uma vez que a sua aplicação ainda encontra-se limitada apenas para o espanhol, porém a Holding conta com a mais variada gama de investidores institucionais e individuais de países que não possuem origem latina; - quanto ao C de Conexão que foi classificado como bom, por apresentar links ou ícones de sites de terceiros para utilização de seus clientes que se localizam no exterior. - com relação ao C de Comunidade, foi considerado inexistente em seu site, pelo fato de não haver um feedback de seus clientes com relação ao serviço prestado no site. - o C de Comércio, foi consideração bom, visto que oferece ferramentas que facilitam a vida dos clientes como pagamentos, compras de produtos, simuladores para seus clientes, entre outros. Considerações Finais Destaca-se a relevância frente à necessidade de se analisar a forma como vem sendo direcionada as ações de marketing de serviços e-marketing no Banco Itaú, como forma de compreender como a empresa tem utilizado essas ferramentas no processo de conquista, manutenção e fidelização de clientes, levando em conta o cenário atual competitivo. A partir da imersão nos conceitos teóricos acerca do marketing de serviços e-marketing abordados neste estudo, verificou-se como o marketing de serviços e o e-marketing são utilizados pelo site da empresa pesquisada. Sendo assim, compreende-se que o site pesquisado encontra-se atualizado. De acordo com a Análise dos 4P sob a Luz de Kotler (2008) todos os quesitos foram considerados bons. Já com relação à análise dos 7C do Projeto eficaz de um Web Site sob a luz de Kotler e Armstrong (2008), pode-se constatar que os quesitos Contexto, Conteúdo, Conexão e Comércio foram considerados bons uma vez que pode ser identificado ações que viabilizam a funcionalidade de cada quesito. Já o quesito Comunidade não foi identificado nenhuma relação de comunicação entre o site e seus clientes diretos ou indiretos, sendo considerado inexistente, contrariando a hipótese inicial deste estudo. Denotando assim a necessidade de se criar uma estratégia para viabilizar a comunicação a partir de depoimentos sobre 16

17 a empresa deixados neste ambiente por clientes antigos e atuais. Com relação aos quesitos Customização e Comunicação foram considerados ruins, denotando assim a necessidade de ampliar a customização do site, como por exemplo, oferecendo a tradução também em inglês, por ser a língua universal, quanto a comunicação destaca-se a necessidade de se oferecer o uso de atendimento online via chat em tempo integral, e um espaço de comunicação entre clientes. Nesse cenário de transformações nota-se a importância das empresas buscarem uma comunicação clara e objetiva, principalmente com relação a extensão de seu negócio no ciberespaço. Neste caso, o bom relacionamento entre a empresa e seus clientes devem se pautar no bom uso do marketing de serviços e do e-marketing visto que conforme a fundamentação teórica deste estudo pautadas em Cobra (2004) e Kotler e Armstrong (2008), essas ferramentas contidas no marketing de serviços e do e-marketing podem ampliar a lucratividade da empresa e a economia dos clientes uma vez que o caminho entre eles torna-se direto, ou seja, existe uma redução de intermediários, todas as facilidades deste negócio virtual têm por objetivo garantir uma maior segurança e quando bem utilizadas, causam efeitos positivos na visibilidade da empresa. REFERÊNCIAS ALBERTIN, Alberto Luiz. Comércio eletrônico: aspectos e contribuições de sua aplicação. São Paulo: Atlas, BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 3. Ed. - Lisboa, BRETZEK, Mirian; Marketing de Relacionamento e Competição em Tempo Real com CRM. São Paulo: Atlas, Marketing Básico. São Paulo: Atlas, Marketing de Serviço Financeiro. São Paulo: Cobra, CERVO, Amado Luis, BERVIAN, Pedro Alcino e SILVA, Roberto da. Metodologia Científica. 6 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, CRESWELL J. W. Projeto de Pesquisa: método qualitativo, quantitativo e misto. Tradução Luciana de Oliveira Rocha. 2ª edição. Porto Alegre: Artmed, COBRA, Marcos. Serviços: como construir valor para o cliente. São Paulo: Cobra Editora e Marketing,

18 COUTINHO, Rhanica Evelise Toledo; NOVIKOFF, Cristina. Dissertação de Mestrado: O Ciberespaço como ferramenta de ensino para Educação Ambiental. MECSMA Mestrado Profissional em Ensino em Ciências da Saúde e do Meio Ambiente, UNIFOA. Volta Redonda, DORNELAS, Jairo Simão; XAVIER, Edson Anthony. Quando o CRM será efetivo em uma empresa? In: Simpósio de Engenharia da Produção. Ed UNESP, KOTLER, Philip. Administração de Marketing: Análise, planejamento, implementação e controle. 5. Ed. São Paulo: Atlas, Princípios de Marketing. 7. Ed. - Rio de Janeiro: Ltc, Administração de Marketing, 10 Ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, KOTLER, Philip. Administração de Marketing: Análise, Planejamento, Implementação e Controle. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 205. KOTLER, Philip. Marketing para o século XXI: como criar, conquistar e dominar o mercado. São Paulo: Ediouro, KOTLER, Philip; KELLER, Kevin Lane. Administração de Marketing. 12ª Ed. - São Paulo: Pearson Prentice Hall, KOTLER, Philip; ARMSTRONG, Gary. Princípios de Marketing. 9 Ed.- São Paulo: Pearson Prentice Hall, KOTLER, Philip; ARMSTRONG, Gary. Princípios de Marketing 12. Ed - São Paulo, Pearson Prentice Hall, KRIPPENDORF, K. Principales metáforas de la comunicación y algunas reflexiones constructivistas acerca de su utilización. In: PAKMAN, M (Org.). Construcciones de la experiencia humana. Barcelona: Gedisa, LAS CASAS, Alexandre Luzzi.Marketing de Serviços. 3 Ed. - São Paulo: Atlas, Administração de Marketing: Conceitos, Planejamento e aplicações à realidade brasileira. São Paulo, Atlas, MARQUES, Fábio, Guia Prático da Qualidade Total em Serviços: São Paulo: APMS, NOVIKOFF, C. (orgs.). Dimensões Novikoff: um constructo para o ensino um constructo para o ensino-aprendizado da pesquisa. In ROCHA, J.G. e. Desafios da práxis educacional à promoção humana na contemporaneidade. Rio de Janeiro: Espalhafato Comunicação, p , Os Caminhos da Construção Pedagógica: Instituindo o Ser Professor In: Escola Competente. 1 Ed. - Rio de Janeiro: Wak Editora, 2003, v.01, p

19 NOVIKOFF, C. Módulo Métodos de pesquisa na educação. Notações de aula no MECSMA Mestrado Profissional e Ensino de Ciências da Saúde e do Meio Ambiente do Unifoa Centro Universitário de Volta Redonda. Rio de Janeiro REEDY, Joel; SHAUNA, Schullo; ZIMMERMAN, Kenneth. Marketing Eletrônico: A integração de recursos eletrônicos ao processo de marketing. Porto Alegre, ROCHA, Ângela; CHRISTENSEN, Carl. Marketing. 2. Ed - São Paulo: Atlas, ROMANOWSKI, Joana Paulin e ENS, Romilda Teodora. As pesquisas denominadas do tipo Estado da Arte em educação. In: Revista Diálogo Educacional, Set./Dez. 2006, n.º 19, v.6. STRAUSS, Judy; FROST, Raymond. E-marketing 6. Ed., São Paulo: Pearson,

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce).

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). A natureza global da tecnologia, a oportunidade de atingir

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

Prof: Carlos Alberto

Prof: Carlos Alberto AULA 1 Marketing Prof: Carlos Alberto Bacharel em Administração Bacharel em Comunicação Social Jornalismo Tecnólogo em Gestão Financeira MBA em Gestão de Negócios Mestrado em Administração de Empresas

Leia mais

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr,br Profº Dr. Luciano

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: São José do Rio Pardo Código: 150 Município: São José do Rio Pardo Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível

Leia mais

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Fabiano Akiyoshi Nagamatsu Everton Lansoni Astolfi Eduardo Eufrasio De

Leia mais

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA João Antonio Jardim Silveira 1 Amilto Muller ¹ Luciano Fagundes da Silva ¹ Luis Rodrigo Freitas ¹ Marines Costa ¹ RESUMO O presente artigo apresenta os resultados

Leia mais

Anúncio Impresso: Estado do conhecimento no Expocom 1

Anúncio Impresso: Estado do conhecimento no Expocom 1 Anúncio Impresso: Estado do conhecimento no Expocom 1 Milena Aparecida SANTOS 2 Lucas Barroso PEREZ 3 Rebeca Carlos de AGUIAR 4 Thamiris Theodoro da SILVA 5 Rhanica Evelise Toledo COUTINHO 6 Salete Leone

Leia mais

A APLICAÇÃO DE CONCEITOS DE MARKETING DIGITAL AO WEBSITE INSTITUCIONAL

A APLICAÇÃO DE CONCEITOS DE MARKETING DIGITAL AO WEBSITE INSTITUCIONAL A APLICAÇÃO DE CONCEITOS DE MARKETING DIGITAL AO WEBSITE INSTITUCIONAL Victor Nassar 1 O advento da internet e o consequente aumento da participação do consumidor nos websites, representou uma transformação

Leia mais

REDES DE RELACIONAMENTO: MAIS QUE UM MEIO DE CONTATO, UM LUGAR ONDE SE CONSTROEM MARCAS RESUMO. Palavras-chave: redes - público-alvo - fidelização.

REDES DE RELACIONAMENTO: MAIS QUE UM MEIO DE CONTATO, UM LUGAR ONDE SE CONSTROEM MARCAS RESUMO. Palavras-chave: redes - público-alvo - fidelização. REDES DE RELACIONAMENTO: MAIS QUE UM MEIO DE CONTATO, UM LUGAR ONDE SE CONSTROEM MARCAS Djúlia Denise Bohn 1 Lidiane Kasper 2 Alexandre Rafael Mattjie 3 RESUMO Este artigo pretende trazer uma contribuição

Leia mais

MARKETING MARKETING TRADICIONAL MARKETING ATUAL DEVIDO AO PANORAMA DO MERCADO, AS EMPRESAS BUSCAM: ATRAÇÃO E RETENÇÃO DE CLIENTES

MARKETING MARKETING TRADICIONAL MARKETING ATUAL DEVIDO AO PANORAMA DO MERCADO, AS EMPRESAS BUSCAM: ATRAÇÃO E RETENÇÃO DE CLIENTES MARKETING Mercado Atual Competitivo Produtos / Serviços equivalentes Globalizado Conseqüências Infidelidade dos clientes Consumidores mais exigentes Desafio Conquistar clientes fiéis MARKETING TRADICIONAL

Leia mais

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA.

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. 93 SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. ¹Camila Silveira, ¹Giseli Lima ¹Silvana Massoni ²Amilto Müller RESUMO O presente artigo tem como objetivo apresentar os estudos realizados

Leia mais

A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1

A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1 A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1 Tiago Miranda RIBEIRO 2 Kenney Alves LIBERATO 3 Thays Regina Rodrigues PINHO 4 PALAVRAS-CHAVE: comunicação; marketing; estratégia.

Leia mais

Estado do Conhecimento no Seget sobre E-marketing nos Meios de Hospedagem em Paraty

Estado do Conhecimento no Seget sobre E-marketing nos Meios de Hospedagem em Paraty Estado do Conhecimento no Seget sobre E-marketing nos Meios de Hospedagem em Paraty Passos, Felipe Gustavo Dos Santos pousadacamila@ig.com.br UniFOA PINTO, Ramon Gasparoni ramongasparoni@yahoo.com.br UniFOA

Leia mais

O que é comércio eletrônico?

O que é comércio eletrônico? COMÉRCIO ELETRÔNICO O que é comércio eletrônico? O comércio eletrônico ou e-commerce é a compra e venda de mercadorias ou serviços por meio da Internet, onde as chamadas Lojas Virtuais oferecem seus produtos

Leia mais

O CRM e a TI como diferencial competitivo

O CRM e a TI como diferencial competitivo O CRM e a TI como diferencial competitivo Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Profº Dr. Luciano Scandelari (UTFPR) luciano@cefetpr.br

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 1 PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( X ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Administração

Leia mais

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS ADRIELI DA COSTA FERNANDES Aluna da Pós-Graduação em Administração Estratégica: Marketing e Recursos Humanos da AEMS PATRICIA LUCIANA

Leia mais

possibilidades para comunicação on-line

possibilidades para comunicação on-line Central de Cases NEOM: possibilidades para comunicação on-line www.espm.br/centraldecases Central de Cases NEOM: possibilidades para comunicação on-line Preparado pelo Professor Vicente Martin Mastrocola,

Leia mais

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Prof Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br Prof Dr. Antonio Carlos de Francisco (UTFPR) acfrancisco@pg.cefetpr.br

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Daniela Valdez Rodrigues

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Daniela Valdez Rodrigues UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS Daniela Valdez Rodrigues A RELAÇÃO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO COM RELAÇÕES PÚBLICAS São Leopoldo

Leia mais

PRIAD: GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES

PRIAD: GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES PRIAD: GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM CLIENTES ALUNO RA: ASSINATURA: DATA: / / AS RESPOSTAS DEVERRÃO SER TOTALMENTE MANUSCRITAS Prof. Claudio Benossi Questionário: 1. Defina o que é Marketing? 2. Quais são

Leia mais

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG 1 OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG Camila Alves Teles 1 Maria Solange dos Santos 2 Rodrigo Honório Silva 3 Romenique José Avelar 4 Myriam Angélica Dornelas 5 RESUMO O presente

Leia mais

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Metodologia de Ensino 1) Noções de Marketing 2) Marketing de Serviço 3) Marketing de Relacionamento 1 2 1) Noções de Marketing 3 4 5 6 www.lacconcursos.com.br

Leia mais

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta.

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta. ESPE/Un SERE plicação: 2014 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento

Leia mais

com seu consumidores e seu fornecedores. Trazemos para aqui 40 dicas que vão ajudar no amadurecimento, crescimento e no sucesso da sua loja.

com seu consumidores e seu fornecedores. Trazemos para aqui 40 dicas que vão ajudar no amadurecimento, crescimento e no sucesso da sua loja. Com a consolidação do comércio eletrônico no Brasil e mundo, fica cada vez mais claro e a necessidade de estar participando, e mais a oportunidade de poder aumentar suas vendas. Mas é claro que para entrar

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

E-COMMERCE E COMÉRCIO FÍSICO 1 *

E-COMMERCE E COMÉRCIO FÍSICO 1 * E-COMMERCE E COMÉRCIO FÍSICO 1 * Antonio Wilson Nogueira Filgueiras UEMG Unidade Carangola Henrique Santos Pinheiro UEMG Unidade Carangola Márcio Ferreira dos Passos UEMG Unidade Carangola Rogério de Oliveira

Leia mais

INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS

INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS Amanda Cristina Nunes Alves (SSP) amandac.06@hotmail.com Anne Sthefanie Santos Guimaraes (SSP) annesthefanie14@hotmail.com

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (AULA 04)

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (AULA 04) Prof. Breno Leonardo Gomes de Menezes Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (AULA 04) 1 CRM Sistema de Relacionamento com clientes, também

Leia mais

GUIA RÁPIDO: ANÁLISE SWOT

GUIA RÁPIDO: ANÁLISE SWOT GUIA RÁPIDO: ANÁLISE SWOT A melhor ferramenta para você se preparar para o planejamento estratégico da sua empresa e conseguir ter informações essenciais do que priorizar SUMÁRIO 02 Introdução 03 1. A

Leia mais

Apostila. Comércio Eletrônico. e-commerce. Professor: Edson Almeida Junior. Comércio Eletrônico

Apostila. Comércio Eletrônico. e-commerce. Professor: Edson Almeida Junior. Comércio Eletrônico Apostila Comércio Eletrônico e-commerce Professor: Edson Almeida Junior Material compilado por Edson Almeida Junior Disponível em http://www.edsonalmeidajunior.com.br MSN: eajr@hotmail.com E-Mail: eajr@hotmail.com

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO

PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO Bruna Carolina da Cruz Graduando em administração Unisalesiano Lins bruna-estella@hotmail.com Rafael Victor Ostetti da Silva Graduando

Leia mais

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto CURRÍCULO DO PROFESSOR Administradora com mestrado e doutorado em engenharia de produção

Leia mais

Brechó de Luxo: um estudo de caso no ciberespaço.

Brechó de Luxo: um estudo de caso no ciberespaço. Brechó de Luxo: um estudo de caso no ciberespaço. Bárbara Rodrigues Beltrame brodri.beltrame@gmail.com Unifoa Rhanica Evelise Toledo Coutinho rhanica@oi.com LAGERES / UniFOA Resumo:Este estudo apresenta

Leia mais

Comunicação Integrada de marketing.

Comunicação Integrada de marketing. Comunicação Integrada de marketing. - COMPOSTO DE COMUNICAÇÃO - 4 A s - 4 C s Comunicação: é a transmissão de uma mensagem de um emissor para um receptor, de modo que ambos a entendam da mesma maneira.

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANTÔNIO TAVARES PEREIRA ROMILSON BARSANULFO DA SILVA

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANTÔNIO TAVARES PEREIRA ROMILSON BARSANULFO DA SILVA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANTÔNIO TAVARES PEREIRA ROMILSON BARSANULFO DA SILVA A IMPORTÂNCIA DAS REDES SOCIAIS PARA A COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

Leia mais

TÍTULO: MARKETING DE RELACIONAMENTO COMO ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES

TÍTULO: MARKETING DE RELACIONAMENTO COMO ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES TÍTULO: MARKETING DE RELACIONAMENTO COMO ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DE JALES AUTOR(ES):

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV Bloco Comercial CRM e AFV Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos CRM e AFV, que fazem parte do Bloco Comercial. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

AUTOR(ES): MAITHÊ CORSI DA SILVA, FERNANDO TEIXEIRA CARVALHO, RENAN GUSTAVO MOLINA

AUTOR(ES): MAITHÊ CORSI DA SILVA, FERNANDO TEIXEIRA CARVALHO, RENAN GUSTAVO MOLINA TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DO E-COMMERCE NAS PEQUENAS EMPRESAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA AUTOR(ES): MAITHÊ CORSI DA

Leia mais

MARKETING NO AGRONEGÓCIO

MARKETING NO AGRONEGÓCIO MARKETING NO AGRONEGÓCIO O QUE VOCÊ ENTENDE DE MARKETING? Marketing é um processo social e gerencial pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação, oferta e troca de

Leia mais

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Sistemas web e comércio eletrônico Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Tópicos abordados Arquitetura do e-commerce Aspectos importantes do e-commerce Modelos de negócios Identificação do modelo

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial Sistemas de Informação Empresarial SIG Sistemas de Informação Gerencial Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional ] [ Nível Organizacional ] Estratégico SAD Gerência sênior

Leia mais

Logística e Distribuição

Logística e Distribuição Logística e Distribuição 02 Disciplina: LOGÍSTICA E DISTRIBUIÇÃO Plano de curso PLANO DE CURSO Objetivos Proporcionar aos alunos os conhecimentos básicos sobre logística e distribuição como elemento essencial

Leia mais

*Todos os direitos reservados.

*Todos os direitos reservados. *Todos os direitos reservados. A cada ano, as grandes empresas de tecnologia criam novas ferramentas Para o novo mundo digital. Sempre temos que nos renovar para novas tecnologias, a Karmake está preparada.

Leia mais

O QUE FAZEMOS MISSÃO VISÃO QUEM SOMOS

O QUE FAZEMOS MISSÃO VISÃO QUEM SOMOS O QUE FAZEMOS Provemos consultoria nas áreas de comunicação online, especializados em sites focados na gestão de conteúdo, sincronização de documentos, planilhas e contatos online, sempre integrados com

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes Mais que implantação, o desafio é mudar a cultura da empresa para documentar todas as interações com o cliente e transformar essas informações em

Leia mais

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO UM BREVE HISTÓRICO COMÉRCIO ELETRÔNICO O comércio sempre existiu desde que surgiram as sociedades. Ele é dito como o processo de comprar, vender e trocar produtos e serviços. Inicialmente praticado pelos

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz COMPETÊNCIAS A SEREM DESENVOLVIDAS CONHECER A ELABORAÇÃO, CARACTERÍSTICAS E FUNCIONALIDADES UM PLANO DE NEGÓCIOS.

Leia mais

Autoatendimento Digital. Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas.

Autoatendimento Digital. Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas. Autoatendimento Digital Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas. Oferece aos clientes as repostas que buscam, e a você,

Leia mais

MARKETING: UMA FERRAMENTA DA ADMINISTRAÇÃO APLICADA EM UMA ESCOLA DE INFORMÁTICA DE PEQUENO PORTE

MARKETING: UMA FERRAMENTA DA ADMINISTRAÇÃO APLICADA EM UMA ESCOLA DE INFORMÁTICA DE PEQUENO PORTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 118 MARKETING: UMA FERRAMENTA DA ADMINISTRAÇÃO APLICADA EM UMA ESCOLA DE INFORMÁTICA DE PEQUENO PORTE Diogo Xavier

Leia mais

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale 1.1 Histórico da Prática Eficaz Por meio do Departamento

Leia mais

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE MARKETING

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE MARKETING O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE MARKETING Mayara Sanches de Souza 1 Hiroshi Wilson Yonemoto 2 RESUMO: O estratégico de marketing é um processo de variáveis controláveis e incontroláveis que afetam as relações

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO CRM NAS GRANDES ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS

A IMPORTÂNCIA DO CRM NAS GRANDES ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS ISSN 1984-9354 A IMPORTÂNCIA DO CRM NAS GRANDES ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS Marcelo Bandeira Leite Santos (LATE/UFF) Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância

Leia mais

. Indice. 1 Introdução. 2 Quem Somos. 3 O que Fazemos. 4 Planejamento. 5 Serviços. 6 Cases. 9 Conclusão

. Indice. 1 Introdução. 2 Quem Somos. 3 O que Fazemos. 4 Planejamento. 5 Serviços. 6 Cases. 9 Conclusão . Indice 1 Introdução 2 Quem Somos 3 O que Fazemos 4 Planejamento 5 Serviços 6 Cases 9 Conclusão . Introdução 11 Segundo dados de uma pesquisa Ibope de 2013, o Brasil ocupa a terceira posição em quantidade

Leia mais

Programas de Comunicação Interativa

Programas de Comunicação Interativa Prof. Edmundo W. Lobassi O final do século XX marca uma nova configuração econômica no mundo. A globalização obriga o mercado a posicionar-se de forma diferenciada e esse fato exige, dos anunciantes e

Leia mais

TECNOLOGIAS DIGITAIS NO MARKETING DE RELACIONAMENTO E FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES

TECNOLOGIAS DIGITAIS NO MARKETING DE RELACIONAMENTO E FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES TECNOLOGIAS DIGITAIS NO MARKETING DE RELACIONAMENTO E FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES Alxandres Ferreira Barbosa xandebarbosa25@hotmail.com Carloney Alves de Oliveira carloneyalves@gmail.com RESUMO Este trabalho

Leia mais

Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente

Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente Redesenhando a forma como empresas operam e envolvem seus clientes e colaboradores no mundo digital. Comece > Você pode construir de fato uma

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Módulo 15 AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO E DA INSATISFAÇÃO DOS CLIENTES Objetivo: Ao final desta aula, você deverá saber (1) sobre os fatores que causam a satisfação

Leia mais

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO DESIGN CRIAÇÃO AGÊNCIA USABILIDA ARKETING INTERNET SEO DIGIT CRIATIVIDADE DESDE 1999 NO MERCADO, A M2BRNET É UMA AGÊNCIA DE MARKETING DIGITAL ESPECIALIZADA EM SOLUÇÕES PERSONALIZADAS. SI ARQ Desde 1999

Leia mais

Rhanica Evelise Toledo Coutinho Cristina Novikoff BLOG. semeareducacaoambiental.com.br

Rhanica Evelise Toledo Coutinho Cristina Novikoff BLOG. semeareducacaoambiental.com.br Rhanica Evelise Toledo Coutinho Cristina Novikoff BLOG semeareducacaoambiental.com.br FUNDAÇÃO OSWALDO ARANHA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO DE CIÊNCIAS

Leia mais

Marco Antonio P. Gonçalves. Planejamento Estratégico na Advocacia + Workshop. 22 de Setembro, 2012

Marco Antonio P. Gonçalves. Planejamento Estratégico na Advocacia + Workshop. 22 de Setembro, 2012 Marco Antonio P. Gonçalves Planejamento Estratégico na Advocacia + Workshop 22 de Setembro, 2012 Marco Antonio P. Gonçalves Administrador especializado em estratégias de marketing e desenvolvimento de

Leia mais

MARKETING ONLINE. Antônio Donizete Lemes Docente-Especialista; Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS

MARKETING ONLINE. Antônio Donizete Lemes Docente-Especialista; Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS MARKETING ONLINE Luana Polato Benez Graduanda em Administração Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS Thainara Oliveira de Aguiar Graduanda em Administração Faculdades Integradas de Três Lagoas

Leia mais

Índice. 03 A Empresa. 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente

Índice. 03 A Empresa. 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente MÍDIA KIT 2014 Índice 03 A Empresa 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente A empresa Fundada em 2007, a empresa possui uma grade anual com diversos

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO E - COMMERCE UM ESTUDO DE CASO NA LOJASMEL

A IMPORTÂNCIA DO E - COMMERCE UM ESTUDO DE CASO NA LOJASMEL 1 A IMPORTÂNCIA DO E - COMMERCE UM ESTUDO DE CASO NA LOJASMEL Jaqueline Kelly Stipp 1 Jéssica Galindo de Souza 2 Luana Alves dos Santos Lemos 3 Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO Esse artigo tem como objetivo

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Usando o SI como vantagem competitiva Vimos

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO Porto Alegre RS Abril 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação,

Leia mais

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING Gestão de Negócios Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING 3.1- CONCEITOS DE MARKETING Para a American Marketing Association: Marketing é uma função organizacional e um Marketing é uma função organizacional

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE RELACIONAMENTO PARA AS ORGANIZAÇÕES: FOCO NO CLIENTE EXTERNO

A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE RELACIONAMENTO PARA AS ORGANIZAÇÕES: FOCO NO CLIENTE EXTERNO A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE RELACIONAMENTO PARA AS ORGANIZAÇÕES: FOCO NO CLIENTE EXTERNO 1 GOLVEIA, Francielli José Primo. 2 DA ROSA, MsC. Wanderlan Barreto. RESUMO Nesta pesquisa, será abordada a importância

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIR CAMPUS DE CACOAL DEPARTAMENTO ACADÊMICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DENISE TATIANA SOARES PEREIRA

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIR CAMPUS DE CACOAL DEPARTAMENTO ACADÊMICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DENISE TATIANA SOARES PEREIRA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIR CAMPUS DE CACOAL DEPARTAMENTO ACADÊMICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DENISE TATIANA SOARES PEREIRA UMA ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DO MARKETING DIRETO COMO FERRAMENTA

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ DANUBIA SANTANA NATALIA TEIXEIRA GUIMARÃES

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ DANUBIA SANTANA NATALIA TEIXEIRA GUIMARÃES UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ DANUBIA SANTANA NATALIA TEIXEIRA GUIMARÃES INSTRUMENTO DE PESQUISA PARA SALÕES DE BELEZA: uma perspectiva teórica Balneário Camboriú 2008. DANUBIA SANTANA NATALIA TEIXEIRA

Leia mais

Americanas.com x Lojas Americanas 1

Americanas.com x Lojas Americanas 1 Americanas.com x Lojas Americanas 1 Rayra Costa da SILVA 2 Gabriela Lima RIBEIRO 3 Hugo Osvaldo ACOSTA REINALDO 4 Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE RESUMO Mesmo que no site Americanas.com haja

Leia mais

Pesquisa FGV-EAESP de Comércio Eletrônico no Mercado Brasileiro 16 a Edição 2014

Pesquisa FGV-EAESP de Comércio Eletrônico no Mercado Brasileiro 16 a Edição 2014 Resumo Introdução O Comércio Eletrônico é um dos aspectos relevantes no ambiente empresarial atual e tem recebido atenção especial das empresas nos últimos anos, primeiro por ser considerado como uma grande

Leia mais

PLANO DE MARKETING: PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO NA EMPRESA PAULA MODAS ESPERANÇA -PB.

PLANO DE MARKETING: PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO NA EMPRESA PAULA MODAS ESPERANÇA -PB. PLANO DE MARKETING: PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO NA EMPRESA PAULA MODAS ESPERANÇA -PB. Monailza de Sousa Oliveira monailza@hotmail.com UEPB Nara Cristina da Silva Costa naracristina.sc@hotmail.com UEPB Suzane

Leia mais

Marketing de Relacionamento e CRM Dr. Manoel Veras

Marketing de Relacionamento e CRM Dr. Manoel Veras Marketing de Relacionamento e CRM Dr. Manoel Veras Introdução Os Desafios dos Negócios Nova Era Proliferação de ofertas Mercados saturados Taxas de respostas decrescentes Custos de aquisição de clientes

Leia mais

Gestão de Negócios Internacionais. Aula-tema 07: Marketing Internacional

Gestão de Negócios Internacionais. Aula-tema 07: Marketing Internacional Gestão de Negócios Internacionais Aula-tema 07: Marketing Internacional O que é Marketing? Marketing se define como um processo administrativo e social pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE CURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA CRM. Prof. Wilson Míccoli, MsC

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA CRM. Prof. Wilson Míccoli, MsC IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA CRM 1 Fase 1: Contextualização Fase 2: Revisão do Plano Estratégico da Organização Fase 3: Revisão do Portfólio de Produtos Fase 4: Definição da Visão e dos Objetivos do CRM Fase

Leia mais

E-commerce Fundamentos

E-commerce Fundamentos E-commerce Fundamentos Flávio Augusto Martins Wanderley Professor flavio@mwan.com.br 1 / 65 Conteúdo desta aula Conceitos. Evolução do comércio eletrônico. Modalidades. O que vem no futuro. 2 / 65 Conceito

Leia mais

Item 2- Marketing. Atendimento

Item 2- Marketing. Atendimento Item 2- Marketing Atendimento Item 2- Marketing Atendimento Processo usado para determinar quais produtos ou serviços poderão interessar aos consumidores e qual a melhor estratégia a ser utilizada nas

Leia mais

Orientadora: Profa. Dra. Sonia Aparecida Cabestré (USC)

Orientadora: Profa. Dra. Sonia Aparecida Cabestré (USC) Título (Limite de 250 caracteres incluindo os espaços) Título: Relações Públicas e Ferramentas de Comunicação um estudo abordando à realidade de Ibitinga A capital nacional do bordado 1 Autores (Incluir

Leia mais

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA 1 TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA Alan Nogueira de Carvalho 1 Sônia Sousa Almeida Rodrigues 2 Resumo Diversas entidades possuem necessidades e interesses de negociações em vendas, e através desses

Leia mais

Plano de Ensino 2014.2

Plano de Ensino 2014.2 Plano de Ensino Marketing Eletrônico Módulo E Ementa Bibliografia Básica: Carga Horária: 47h Introdução, conceito e aplicação prática do comércio eletrônico. Estudos estratégicos, táticos e operacionais

Leia mais

40% dos consumidores da Copa das Confederações da FIFA 2013 consideraram a agilidade no atendimento como fator mais importante no comércio

40% dos consumidores da Copa das Confederações da FIFA 2013 consideraram a agilidade no atendimento como fator mais importante no comércio 440mil pequenos negócios no Brasil, atualmente, não utilizam nenhuma ferramenta de gestão, segundo o Sebrae Varejo 2012 27% 67% de comerciantes que não possuíam computadores dos que possuíam utilizavam

Leia mais

Objetivos. Universo. Transformação. Administração 10/10/2012. Entender as definições de e-business e e- commerce;

Objetivos. Universo. Transformação. Administração 10/10/2012. Entender as definições de e-business e e- commerce; Objetivos Administração Profª Natacha Pouget Módulo: Gestão de Inovação e Ativos Intangíveis Tema da Aula: E-Business e Tecnologia da Informação I Entender as definições de e-business e e- commerce; Conhecer

Leia mais

APLICABILIDADE DA GESTÃO EM MARKETING DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO NORTE E NOROESTE DO PARANÁ RESUMO

APLICABILIDADE DA GESTÃO EM MARKETING DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO NORTE E NOROESTE DO PARANÁ RESUMO APLICABILIDADE DA GESTÃO EM MARKETING DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO NORTE E NOROESTE DO PARANÁ Pedro Henrique Coelho de Farias - FAFIJAN Marilei Kroll - FAFIJAN Geise Barbosa Correa - FAFIJAN José Antonio

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro Anexo 3 PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro 1. Capa 2. Sumário 3. Sumário executivo 4. Descrição da empresa 5. Planejamento Estratégico do negócio 6. Produtos e Serviços 7. Análise de Mercado 8. Plano de Marketing

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS.

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. CATEGORIA: CONCLUÍDO

Leia mais

A importância do marketing de relacionamento na gestão de bibliotecas universitárias

A importância do marketing de relacionamento na gestão de bibliotecas universitárias Autorização concedida ao Repositório da Universidade de Brasília (RIUnB) pelo organizador do evento, em 31 de janeiro de 2014, com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 3.0, que

Leia mais

Planejamento de Campanha Publicitária

Planejamento de Campanha Publicitária Planejamento de Campanha Publicitária Prof. André Wander UCAM O briefing chegou. E agora? O profissional responsável pelo planejamento de campanha em uma agência de propaganda recebe o briefing, analisa

Leia mais

Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA

Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA SWOT Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças) Forças Oportunidades Fraquezas Ameaças Interno Externo Ajudam Atrapalham

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática para

Leia mais