COLÉGIO SECULUS - PORQUE O SUCESSO TEM PRESSA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COLÉGIO SECULUS - PORQUE O SUCESSO TEM PRESSA"

Transcrição

1 1

2 2 Linguagens, Códigos e suas Tecnologias REDAÇÃO PROF. VANESSA Após leitura atenciosa dos textos a seguir, elabore um texto dissertativo-argumentativo em que você exponha seus pontos de vista com base no tema: A NECESSIDADE DE UM NOVO CÓDIGO PENAL NO BRASIL. Para desenvolver suas ideias, leve em consideração a realidade social penal da atualidade e os seus conhecimentos de mundo. Use linguagem na variação padrão culta da língua materna. Texto I: APÓS SUGESTÕES, NOVO CÓDIGO PENAL DEVE IR PARA VOTAÇÃO EM JUNHO São Paulo O projeto do novo Código Penal deve ir à votação no plenário do Senado em junho. A previsão é do senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), presidente de comissão especial de senadores responsável por examinar a proposta, elaborada por um grupo de juristas nomeados pelo presidente José Sarney (PMDB-AP). Segundo Eunício, a comissão de senadores vai realizar audiências públicas nos estados em março e abril, de forma a concluir os trabalhos até o fi m de maio, para que a proposta seja enviada ao Plenário no início de junho. A sugestão para a elaboração de um projeto de reforma do Código Penal, vigente há 70 anos, foi do senador Pedro Taques (PDT-MT), agora relator da comissão especial composta por 11 senadores. De acordo com Eunício, o texto já recebeu mais de 30 mil sugestões, principalmente de organizações da sociedade civil e de entidades da área jurídica. Também os senadores têm feito sugestões. Ao todo, já foram protocoladas mais de 350 emendas, mas o número deve aumentar, uma vez que o prazo será reaberto no próximo mês. Em fevereiro também vamos divulgar o calendário para as audiências públicas que realizaremos nos estados, informou o senador, ressaltando que extremismos como a pena de morte não deverão ser incluídos. A reforma do Código Penal reúne alguns temas controversos, a exemplo da descriminalização do porte de drogas para uso pessoal e de novas hipóteses de aborto legal, o que já ocorre em caso de risco de vida para a gestante ou quando a gravidez decorrer de estupro. Texto II: CADEIA 5 ESTRELAS Diário do Nordeste De repente as maiores figuras do governo descobriram que o sistema penitenciário brasileiro é um dos piores de todo o planeta. E que os nossos presidiários vivem em condições desumanas, amontoados em cubículos imundos, comendo lavagens e sofrendo as piores torturas físicas e mentais de que se tem conhecimento. São tantos que hoje já não mais fogem, transbordam. Mas o que houve para, de repente, essa preocupação com as cadeias? O problema é mais do que secular e nunca ninguém se lembrou de abordá-lo. É que até agora só quem ia para as cadeias infectas no Brasil era pobre, preto e prostituta. Gente fina, importante, figurão de colarinho branco, político, esses estavam a salvo de tamanho constrangimento. Não são pessoas comuns, como disse o cara. Agora até o ministro da Justiça mostrou-se revoltado com a barbárie do nosso sistema carcerário. Mas o que despertou de repente as nossas autoridades para essa questão? Simplesmente o fato de que, pela primeira vez na história do Brasil, deputados federais, ex-ministros, dirigentes de partidos do governo e outros não comuns estão arrumando a maleta para passar uma temporada na cadeia. Não é justo para um companheiro que um colega vá para o xadrez só porque é corrupto. Mas, como a cadeia parece inevitável, se faz necessário que os ilustres bandidos tenham na prisão estilo e condições de vida dignos de suas importâncias. O País não tem, dizem os petistas, cadeias em condições de abrigar gente tão ilustre. Uma diretora de banco não encontrará lugar decente para passar alguns anos entre grades. É preciso urgentemente mudar a coisa. José Dirceu já quer prisão especial, quando sabe que seu diploma de advogado só dá direito a isso no período anterior à condenação definitiva. Cada um quer coisa melhor. Infelizmente, parece que dona Dilma não se dispõe a construir uma cadeia de luxo só para a turma do mensalão, aqueles que se lambuzaram demais com o poder. E eles vão mesmo para a galé. O que os companheiros querem é mordomia, facilidades, privilégios e conforto. Vale lembrar aqui a piada que corria na ditadura, durante os anos de chumbo do general Médici. Dizem que o ministro da Educação, o nosso Jarbas Passarinho, foi reclamar do presidente que as verbas para as universidades não estavam sendo libertadas, quando o seu colega da Justiça, o Alfredo Buzaid, recebia gordas dotações para construir uma penitenciária de luxo. A resposta do presidente: Ora, Jarbas, para onde você pensa que nós vamos quando sairmos daqui? Não é para a universidade! Lula infelizmente não pensava assim. E os seus amigos não terão cadeias cinco estrelas. Quem quiser morar numa delas que vá cometer crimes na Suécia. De Brasília, Rangel Cavalcante Diário do Nordeste, 6 de janeiro de 2013 INGLÊS PROF. LUIS MENESES Chocolate Why is Dark Chocolate Healthy?: Chocolate is made from plants, which means it contains many of the health benefits of dark vegetables. These benefits are fromflavonoids, which act as antioxidants. Antioxidants protect the body from aging caused by free radicals, which can cause damage that leads to heart disease. Dark chocolate contains a large number of antioxidants (nearly 8 times the number found in strawberries). Flavonoids also help relax blood pressure through the production ofnitric oxide, and balance certain hormones in the body. Lower Blood Pressure: Studies have shown that consuming a small bar of dark chocolate everyday can reduce blood pressure in individuals with high blood pressure. Lower Cholesterol: Dark chocolate has also been shown to reduce LDL cholesterol (the bad cholesterol) by up to 10 percent. Here is some more good news -- some of the fats in chocolate do not impact your cholesterol. The fats in chocolate are 1/3 oleic acid, 1/3 stearic acid and 1/3 palmitic acid: Oleic Acid is a healthy monounsaturated fat that is also found in olive oil.

3 3 Stearic Acid is a saturated fat but one which research is shows has a neutral effect on cholesterol. Palmitic Acid is also a saturated fat, one which raises cholesterol and heart disease risk. ESPANHOL PROF. DIANA MÁRCIA That means only 1/3 of the fat in dark chocolate is bad for you. This information doesn't mean that you should eat a pound of chocolate a day. Chocolate is still a high-calorie, high-fat food. Most of the studies done used no more than 100 grams, or about 3.5 ounces, of dark chocolate a day to get the benefits O objetivo do texto é (A) Divulgar uma nova marca de chocolate. (B) Alerta sobre o perigo do chocolate. (C) Informar sobre os efeitos do chocolate escuro no organismo. (D) Mostrar as diferenças entre o chocolate branco e o chocolate escuro. (E) Alerta pessoas obesas sobre o dano de ingestão de gordura saturada. 02. O chocolate escuro é bom para a saúde porque (A) É de origem animal (B) Não contém gordura saturada. (C) Não causa impacto no colesterol bom. (D) Contém 2/3 de gordura monoinsaturada. (E) Contém muitos dos benefícios de vegetais escuros. 03. Quanto aos efeitos do chocolate escuro no organismo, o texto diz que (A) São três os benefícios que traz ao coração. (B) Ele reduz a pressão arterial em hipertensos. (C) Ele reduz o colesterol bom em até 10 por cento. (D) Ele pode causar depressão problemas ao coração. (E) Ocorrem benefícios com o consumo diário de duas barras. 04. Para que os benefícios do chocolate escuro ocorram, (A) Seu consumo deve ser livre. (B) É preciso consumir mais 400 calorias diariamente (C) É necessário diminuir o consumo de calorias diárias. (D) Basta a ingestão diária de 100 gramas de chocolate. (E) O consumo deve variar de acordo como o peso da pessoa. 01. A tira acima, do cartunista argentino Liniers, aborda a questão da modificação dos alimentos naturais em laboratório, um tema que muitas vezes divide a opinião publica. A contradição expressa na argumentação do personagem principal da tira pode ser explicada da seguinte maneira (A) Um animal não pode fazer compras em um supermercado, uma vez que pode colher na própria natureza os meios para sua subsistência. (B) Uma mulher não pode conversar com um animal, pois este não é dotado de linguagem. (C) 0 personagem quer pedir a um alimento supostamente alterado quimicamente que deixem de introduzir produtos químicos nos alimentos. (D) 0 personagem quer comprar um pepino quimicamente modificado para lhe fazer pedidos. (E) 0 personagem confunde o pepino com uma lâmpada mágica e, ao tocá-lo, liberta de seu interior uma gênia que pode atender a seus pedidos. TEXTO I 05. O enunciado que contém uma advertência é (A) Dark chocolate is good for your heart. (B) Some of the fats in chocolate do not impact your cholesterol. (C) This information doesn t men you should eat a pound of chocolate a day. (D) Stearic Acid is a saturated fat but one which research shows has a neutral effect on cholesterol. (E) Studies have shown that consuming a small bar of dark chocolate everyday can reduce blood presume in individuals with high blood pressure. TEXTO II La polémica feria de La Salada nació en 1991 gracias a un puñado de 100 puestos que vendían productos fabricados por ellos mismos en un reducido predio de Lomas de Zamora. Hoy, en cambio, sus dimensiones explotaron.

4 4 Abarca tres islas propias: Ocean, Urkupiña y Pinta Morgotes que, a su vez, engloban más de puestos de venta. Y su operatoria involucraría la complicidad del combito político, punteros provinciales y la policía bonaerense y federal, según los empresarios consultados. En los tablones, equivalentes a los mostradores de los negocios que operan en blanco, hay de todo un poco: productos electrónicos, ropa para grandes y chicos, DVD, CD, calzados, juguetes y cosméticos. No hay un solo probador, ni tickets, ni escaleras mecánicas como en los shoppings. Ahí se compra a ojo y es el reino exclusivo del regateo y del pago en efectivo. (A) ter tirado férias. (B) estar carregado de objetos. (C) ter olhos grandes. (D) caminhar sem prestar atenção onde pisa. (E) ter esquecido de levar chinelos. GALLO, Alejandra. Seis de cada diez prendas se fabrican de manera ilegal. Clarln (Argentina). 12 abr. 2009, p A partir da leitura dos dois textos (a charge e o trecho da reportagem) é possível inferir que La Salada (A) é um shopping center que conta com mais de lojas. (B) é o nome de uma loja multimarcas que comercializa desde roupas a produtos eletrônicos. (C) é uma feira popular que comercializa produtos de forma ilegal com a conivência de parte do poder publico. (D) é uma marca de roupas de adultos, com fábricas em três ilhas da região. (E) permite que seus clientes experimentem os produtos antes de comprar e escolham a melhor forma de pagamento. 03. Em meios de comunicação impressos, como jornais e revistas, é comum que alguns textos sejam acompanhados por charges, que retomam de maneira irônica e bem-humorada o conteúdo apresentado aos leitores. Na charge do cartunista argentino Sendra (A) a grafia das marcas adquiridas pelo personagem é o resultado de um erro de impressão do jornal. (B) o personagem não sabe pronunciar corretamente o nome das marcas que usa. (C) é possível inferir que o personagem não se preocupa com a marca das roupas que veste. (D) as marcas citadas pelo personagem são usadas por ele e por seus filhos. (E) o personagem confessa usar produtos ilegais ao citar as marcas que compra. TEXTO 2 Misión Elige Vivir Sana 04. Boa parte do humor proveniente das tiras de Gaturro provêm das duras críticas que a personagem tece a respeito de seu dono, satirizando-o. Na tira acima, a crítica se refere ao fato de o dono de Gaturro Aportar a la construcción de una cultura de hábitos saludables entre los chilenos y las chilenas, atreves de una estrategia socioeducativa, positiva, transversal, y propositiva, procurando la autonomía en la elección de alternativas de las personas en pro de su calidad de vida,

5 5 Objetivos Elige Vivir Sano Contribuir a la instalación de prácticas de vida saludable en toda la población. Diseñar e implementar una política pública intersectorial que promueva la participación ciudadana, internalice las iniciativas privadas y se lleve a cabo a nivel nacional, regional y local, para el cambio de hábitos de las personas y a fin de prevenir las Enfermedades No Trasmisibles y los factores de riesgo asociados a ellas. Aportar al cumplimiento de las Metas de la Estrategia Nacional de Salud. Disponible en: <http://www.eligevivirsano.cl/acerca/que-es-eligevivir-sano/>. Accedidoel 14 abr Uma campanha que visa atingir um público grande se vale de diversos suportes para sua divulgação, como folhetos, cartazes, sites promocionais etc. Com base no folheto e no fragmento de texto extraído do site o- ficial de Elige vivir sano, e possível afirmar que se trata de (A) uma campanha de uma rede de restaurantes chilenos. (B) uma campanha educativa, promovida pelo governo do Chile e apoiada por empresas privadas. (C) uma campanha publicitária promovida por uma famosa marca de produtos. (D) uma campanha publicitária de uma rede de escolas de culinária, com o patrocínio de marcas famosas. (E) uma campanha de lançamento de um novo produto. 07. levantados pela Secretaria, ela foi de 36,26% nos últimos 12 meses, o que não é nada desprezível. Embora a situação seja sem dúvida grave, como se vê, há pelo menos um sinal animador que também merece destaque. Quando a comparação dos homicídios dolosos de janeiro é feita com dezembro do ano passado, na capital e no estado, fica evidente que o ritmo de crescimento desse crime teve significativa diminuição. Respectivamente de 37% e 21,36%. o Estado de S. Pau/o. Disponível em: <www.estadao.com.br/noticiaslimpresso.seguranca-exigetempo-, ,0.htm>. Acesso em: l' mar O texto defende uma série de ideias acerca do aumento dos índices de violência em São Paulo e a demanda de tempo para sanar tal situação. Tal defesa de pontos de vista se faz por meio do gênero textual (A) expositivo. (B) argumentativo. (C) descritivo. (D) epistolar. (E) injuntivo. 06. GRAMÁTICA PROF. FERNANDO LIRA Segurança exige tempo As estatísticas sobre a criminalidade em São Paulo, relativas a janeiro, divulgadas pela Secretaria da Segurança Pública, devem ser consideradas de dois ângulos. Se comparadas com igual período do ano passado, o aumento da criminal idade continua preocupante, tanto na capital como em todo o estado. Esta é uma realidade a ser enfrentada sem subterfúgios. Mas, se elas forem comparadas com dezembro do ano passado, embora os números continuem elevados, há uma clara desaceleração em seu ritmo de crescimento. Este é também um dado da realidade, igualmente importante, que não pode deixar de ser levado em conta. O aumento dos homicídios dolosos, em comparação com janeiro de 2012, ficou muito próximo na capital e no estado, respectivamente de 16,7% e 16,9%. Tiveram também forte aumento na capital outros crimes, especialmente o latrocínio - um dos que mais assustam a população -, com 114% (de 7 para 15 ocorrências), os estupros (23,4%), roubos diversos (10,3%), roubos de carro (10,1%), roubos a banco (42,9%), furtos diversos (13,8%) e furtos de veículos (16,8%). No estado, os latrocínios cresceram 61%; os roubos diversos, 9,3%; e roubo de carros, 18,7%. Há alguns dados positivos como a queda das lesões corporais na capital (4,9%) e a de roubos de cargas tanto na capital (2,4%) como no estado (1,55%). O mais importante no que se refere à redução de crimes é a de extorsões mediante sequestro, crime também muito temido pelos paulistas. Segundo os dados Disponível em: <http:/kibeloco.com.br/2013/03/01/parabens-4/>. Acesso em: l' mar Analisando a imagem, aliada ao texto que a acompanha, percebe-se que o efeito humorístico é provocado pelo(a) (A) uso de uma imagem da cidade do Rio de Janeiro em horário de maior movimentação, nas rodoviárias. (B) utilização da variedade coloquial da linguagem, manifestada pelo uso da expressão "levar bolo", referindo-se ao sistema de transporte público. (C) fato de mostrar que o Rio de Janeiro, mesmo em seu aniversário, não possui um bolo festivo. (D) quantidade de pessoas nas paradas de ônibus que desconhecem a importância do aniversário da cidade.

6 6 08. (E) superlotação nas rodoviárias, problema que atingiu até o dia de comemoração da cidade do Rio de Janeiro. Letramento Alfabetização pode ser conceituada como a capacidade de decodificar os sinais gráficos (na leitura), transformando-os em sons, e, na escrita, a capacidade de codificar os sons da fala, transformando-os em sinais gráficos dentro de um processo de ensinoaprendizagem da leitura e da escrita. No entanto, o aprendizado da escrita não se reduz apenas ao domínio de "sons" e "letras", mas se caracteriza como um processo ativo no qual a criança constrói e reconstrói hipóteses sobre o funcionamento da língua escrita, compreendida como um sistema de representação. Progressivamente, o termo alfabetização passou a designar o processo não apenas de ensinar e aprender as habilidades de codificação e decodificação, mas também o domínio de conhecimentos que permitem o uso dessas habilidades práticas sociais de leitura e de escrita. É diante dessas novas exigências que surge um novo nome para o termo: alfabetização funcional, criada com a finalidade de incorporar as habilidades de uso da leitura e da escrita em situações sociais e, posteriormente, a palavra letramento. sem mencionar o controle excepcional da respiração quando estiver de cabeça para baixo na água. Desenvolvido na década de 1900 no Canadá, é um esporte executado quase exclusivamente por mulheres, embora haja alguma participação de homens. Disponivel em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/nata%c3%a7%c3%a30_ sincronizadai>. Acesso em: l' mar Disponivel em: <http://edisantiago3.blogspot.com.br/> (adaptado). Acesso em: l' mar Com relação às ideias de alfabetização e letramento, expostas no texto, infere-se que (A) alfabetização pode ser conceituada como a capacidade de decodificar os sinais gráficos (na leitura), transformando-os apenas em sons, podendo, na escrita, prejudicar a capacidade de codificar os sons da fala. (B) surge um novo nome para o termo "alfabetização funcional", criada com a finalidade de incorporar as habilidades de uso da leitura e da escrita em situações sociais com o intuito de desmerecer o termo "Letramento". (C) o termo "alfabetização" passou a designar o processo não apenas de ensinar e aprender as habilidades de codificação e decodificação, mas também o domínio de conhecimentos que interferem no uso dos mecanismos de leitura e escrita. (D) a criança constrói e reconstrói hipóteses sobre o funcionamento da língua escrita, compreendida como um sistema de representação a partir do conceito de letramento, tornando a alfabetização um conceito arcaico. (E) o aprendizado da escrita se reduz apenas ao domínio de "sons" e "letras" e se caracteriza como um processo ativo no qual a criança constrói e produz hipóteses sobre o funcionamento da língua escrita, compreendida como um sistema de representação. A natação sincronizada é um esporte híbrido, que inclui conceitos da natação, da ginástica e da dança, consistindo aos nadadores (indivíduos, duetos, trios, equipes ou combos) executar uma rotina sincronizada de movimentos elaborados e dramáticos na água, a- companhada de uma música. A natação sincronizada exige habilidades de primeira ordem na água ao exigir força, resistência, flexibilidade, benevolência, arte e o sincronismo preciso, 10. Disponível em: <http://olimpiadas.ig.com.brflnfografico-vejanumeros-e-movimentosdcrnadcrsincronizado/n html>. Acesso em: l' mar Acerca da relação existente entre o texto e a imagem, ambos demonstrando definições e movimentos do nado sincronizado, pode-se inferir que (A) o movimento "can can" exige um grau de flexibilidade superior a todos os outros, devido ao esforço quanto ao uso dos membros. (B) o grau de equilíbrio corporal na água deve ser aliado ao controle respiratório no movimento "vertical", pois ocorre a imersão do atleta na água. (C) na movimentação denominada "arco" ocorre pouco uso da musculatura, afinal a preocupação maior do atleta é com a respiração. (D) os movimentos "guindaste" e "can can" são similares, diferindo apenas no sentido em que os movimentos são realizados. (E) o nado sincronizado, de modo geral, apresenta movimentos independentes do consenso entre controle corporal e nivelamento respiratório. Disponivel em: <http://especiais.ig.com.brflnfograficos/?cat=21&m= Todos&s=+>. Acesso em: l' mar

7 7 11. O infográfico apresenta a evolução das ações da Apple na bolsa de valores, mostrando a oscilação dessas a- ções em função dos avanços tecnológicos apresentados por seus novos produtos no decorrer dos anos. Diante da análise do gráfico, permite-se notar que (A) à medida que recursos inovadores foram sendo apresentados com os novos produtos, não houve um aumento notável nas ações da empresa. (B) produtos como ipad e iphone 48 encontram-se no mesmo patamar gráfico, pois não provocaram oscilações de vendas. (C) o primeiro imac não revolucionou tanto o mercado quanto os outros produtos, pois, provavelmente, a empresa ainda não havia se firmado no mercado. (D) o primeiro iphone mostra um período de declínio nas ações da Apple, que sempre se apresentaram crescentes ou estáveis. (E) no período de lançamento entre novos e velhos ipods, nota-se uma mudança drástica nas ações, pois houve o fortalecimento da empresa. SÃO PAULO - O futebol é mágico. Tem o dom de fazer pessoas inteligentes defenderem posições que, dificilmente, sustentariam em outros campos de atividade. Refiro-me à decisão da Conmebol de punir o Corinthians, excluindo sua torcida de todas as partidas da Libertadores. À primeira leitura, essa pode parecer uma sanção razoável, diante da enormidade que foi a morte do garoto boliviano atingido por um sinalizador disparado pelas hostes corintianas na última quarta-feira, em Oruro. A esmagadora maioria dos comentaristas que li a- provou a medida. Pessoalmente, tenho medo da lógica que sustenta o código de punições da Conmebol e de outras confederações que se apoiam numa ética puramente consequencialista, na qual só o que importa são os resultados das ações. Tudo o que produza mais bem do que mal fica inapelável mente autorizado. Para evitar novas mortes e disciplinar o mau comportamento das torcidas organizadas, torna-se lícito fechar os portões do estádio para corintianos, mesmo que isso prejudique os jogadores e milhares de simpatizantes do time, que não fizeram nada de errado. Não sou um inimigo do consequencialismo. Ao contrário, tenho grande simpatia por ele, notadamente na bioética. Mas não podemos perder de vista que, em estado puro, ele leva a paradoxos. Em uma visão estritamente consequencialista, o Estado pode deter um criminoso, ameaçando matar sua família, e o médico pode sacrificar um paciente saudável para, com seus órgãos, salvar a vida de cinco pessoas na fila do transplante. Hélio Schwartsman. Disponível em: <vvww1.folha.uol.com.br/colunas helioschwartsman/ a magia-do-futebol.shtml>. Acesso em: l' mar O jornalista Hélio Schwartsman procurou expor uma ideia acerca da violência nos estádios de futebol, em decorrência das torcidas organizadas. Quanto à sequência textual apresentada, a tese exposta pelo colunista se baseia na ideia de que Disponivel em: <http://portaldoprofessor.mec.gov.brlfichatecnicaaula.html?aula~34 906/>. Acesso em: l' mar Funções da linguagem são recursos de ênfase que a- tuam segundo a intenção do produtor da mensagem, cada qual abordando um diferente elemento da comunicação. De acordo com a ideia acerca das funções da linguagem e com o foco expresso por cada uma, notase que o elemento do processo comunicativo na mensagem transmitida pelo anúncio é o (a) (A) emissor. (B) mensagem. (C) língua. (D) assunto. (E) receptor. 13. (A) concorda plenamente com a ação do Estado de punir o time do Corinthians, proibindo quaisquer manifestações de torcedores. (B) aceita que as punições impostas pela Conmebol são suficientes diante da problemática da violência nos estádios. (C) a violência nos estádios de futebol não necessariamente se encontra atrelada à presença de torcidas organizadas. (D) mantém um equilíbrio quanto ao que pensa, pois, embora não concorde com a violência nos estádios, acredita que certas punições são exageradas. (E) sempre que existirem punições, deve-se também pensar o quanto podem ser atingidos os torcedores não membros de torcidas organizadas. 12. A magia do futebol Disponivel em: <http://obviousmag.org/archives/2007/10/publicidade_ cri_1.html>. Acesso em: l' mar

8 8 A imagem apresentada fez parte de uma campanha sobre a conscientização da humanidade quanto ao uso indevido de recursos naturais renováveis e não renováveis. Quanto à ideia exposta pela imagem, infere-se que 15. (A) o uso indiscriminado de elementos usuais no cotidiano, pode refletir futuramente em algum tipo de catástrofe natural. (B) as formas de utilização dos recursos naturais independem do uso dos produtos originados por tais matérias-primas. (C) há uma relação entre uso de recursos naturais e tempo de utilização, podendo resultar em catástrofes irreversíveis. (D) todas as formas indevidas de uso dos recursos naturais não possuem relação específica com desastres naturais. (E) a natureza depende exclusivamente das formas de utilização em função da necessidade humana, sempre consciente. 14. Com o nome ironicamente tirado de um livro de Vladimir liich Lenin, a Jovem Guarda entreteu a juventude brasileira, com diversos programas de televisão, shows pelo país e milhares de discos gravados, entre LPs e compactos. Aléni disso, foi com a Jovem Guarda que se consolidou uma música específica para o consumo jovem. Foi uma das primeiras grandes vendas de discos nacionais como reflexo da beatlemania e a invasão do rock britânico nos Estados Unidos. Disponível em: <httpjlwww.brasilescola.comlhistoriab~ovemguarda.htm>. Acesso em: l' mar Mesmo tendo adquirido um espaço marcante entre os jovens brasileiros das décadas de 1960 e 1970, a turma do iê-iê-iê foi tachada como alienada, pois (A) não expressava um ideal politizado em suas letras, restringindo-se apenas a apresentar os modismos juvenis da época. (B) criticava a Bossa Nova, apresentando inovações musicais provocativas, como o uso da falacantada. (C) apresentou um apoio explícito aos membros da Tropicália, mostrando ao Brasil uma postura exclusivamente direitista. (D) usou da postura idealizada dos jovens da época, a fim de subverter a juventude brasileira com ideais falsos. (E) manteve fiel ao ideal do movimento hippie, apresentando a liberdade acima de tudo, por meio de letras complexas. 16. Disponivel em: <http://minhavidavai.blogspot.com.br/2010/09/opensador.html>. Acesso em: l' mar A charge utilizou-se de uma famosa escultura do famoso escultor francês Rodin a fim de promover uma sátira, fato que se caracteriza como (A) paráfrase. (B) metáfora. (C) paródia. (D) símile. (E) plágio. O uso da hashtag Na prática, o uso da hashtag, iniciado de forma espontânea por usuários do Twitter, serve para categorizar as mensagens. Quando o internauta clica em uma hashtag colocada em qualquer mensagem posta-

9 9 da no Twitter, vê todas as outras mensagens enviadas sobre aquele assunto para o Twitter. Não existe medida correta para determinar quais #hashtags vão ganhar mais destaque. Tudo depende do tamanho que a discussão tomar, mesmo que a audiência esteja baixa. "Em momentos como uma sextafeira à noite, #hashtags com menos acesso podem ficar em destaque. Depende muito de quando ela está sendo inserida na rede", explica o professor. Hoje, segundo reportagem do BBC Brasil, o Twitter gera mais de 200 milhões de mensagens por dia. Em dezembro do ano passado, o índice era de 95 milhões. O site monitora o volume de termos mencionados constantemente. Tópicos cujo uso sobe de forma dramática são incluídos nos Trending Topics. Leonardo Quarto. Disponível em: <http://gazetaonline.globo.ooml_oonteudoi2011/08/noticiasl especiais/ a-palavra-e-hashtag-hashoque.html> (adaptado). Acesso em: l' mar De acordo com a relação existente entre a charge e o texto, permite-se notar que (A) a popularização da hashtag nos meios de comunicação tornou-se tão intensa que até nas situações consideradas mais sérias e inusitadas ela serve como forma de expressão. (B) o uso da hashtag foi algo não muito aceito entre os internautas, que a veem como uma representação meramente exagerada e desnecessária. (C) em determinados momentos, a hashtag pode representar falhas comunicativas e expressivas, como na charge. (D) a diferença quanto aos usos de expressões demarcadas pela hashtag representa situações de completa subversão da norma padrão. (E) quanto ao uso da hashtag por parte de grandes autoridades, ainda há muitas dificuldades quanto ao real entendimento de sua utilização. Acesso em: lº mar A partir da análise da tirinha, nota-se que o efeito crítico foi produzido com base na ideia de que (A) as movimentações populares sempre surtem efeito crítico quanto ao fato de elevarem seus ideais de movimentação. (B) os políticos zombam da ineficácia das movimentações populares de insatisfação com o atual sistema político. (C) os políticos embora zombem da pouca importância das manifestações políticas, ainda temem o seu poder de mudança. (D) há uma certa tendência de as movimentações populares, de cunho político, caírem em descrédito devido à falta de centralização. (E) a internet tem surtido efeito como aliada dos movimentos políticos no intuito de retirar do poder políticos corruptos. 18. De acordo com a análise do gráfico, infere-se que (A) há uma grande parcela de usuários que usa a internet com o intuito de entender os processos e- timológicos de uma palavra. (B) o número de usuários buscando informações úteis equipara-se à quantidade de pessoas que buscam mecanismos mais fáceis de acessos a sites. (C) proporcionalmente, ainda há inúmeros usuários procurando a internet para procurar informações referentes às pesquisas escolares, ou ao material de estudo.

10 (D) o número de usuários buscando conteúdo "pirata" é considerado exorbitante se comparado aos que buscam informações consideradas úteis. (E) o número de usuários que buscam análises ortográficas, equipara-se à soma de usuários que buscam por informações úteis e por acesso facilitado a outros sites. Mudança linguística É fato que as línguas mudam com o passar do tempo. Porém, tal mudança sempre foi vista como uma coisa negativa, como decadência da língua. Com o avanço dos mais profundos estudos sobre a linguagem em relação a mudanças linguísticas tendo como base a língua e a sociedade é que esse processo de mudança das línguas foi visto com um olhar diferente. Na prática docente, percebemos muitos erros, tanto no falar como em uma produção escrita praticados pelos alunos. No entanto o erro tem explicação, existe sempre um porquê. Alguns professores de Língua Portuguesa acreditam que a maioria dos alunos fala "tudo errado". No entanto, falta um pouco mais de entendimento e informação sobre a realidade de vida desses alunos, suas condições socioeconômicas, nível de escolarização e fazer uma reflexão sobre isso pois está relacionado com mudanças presentes na língua falada e escrita. Não podemos contribuir para a exclusão e discriminação social. A língua pode se tornar um instrumento de repressão; alguns alunos, quando são ridicularizados pelos colegas, por seu jeito de falar, a- cabam evitando participar das aulas por medo de sofrer humilhação. A língua é dinâmica. Nela percebemos a presença de formas antigas e novas, ou seja, o velho e o novo convivem na língua atual. Como foi dito anteriormente, a língua não é homogênea, está sempre em movimento, se transformando. Portanto, a língua é um sistema essencialmente heterogêneo e variável. Essas transformações da língua ocorrem como uma espécie de competição em que uma da formas usadas de um determinado vocábulo acaba vencendo, e a outra, por estar em desuso, acaba desaparecendo, ou seu uso ficando restrito a um determinado grupo social. 20. Metalinguagem é a propriedade que tem a língua de voltar-se para si mesma, é a forma de expressão dos dicionários e das gramáticas. O significado do termo, entretanto, ampliou-se e hoje o encontramos associado aos vários tipos de linguagem. Uma música cujo tema seja o próprio fazer musical terá empregado esse recurso. Tal recurso se manifesta em (A) (B) (C) Disponível em: <http://edísantiago3.blogspot.com.br>(adaptado). Acessoem: l' mar Sabe-se que a linguagem se adapta às mais diversas circunstâncias, fato que caracteriza o vasto campo de estudos das variações linguísticas. Diante da discussão proposta no texto, acerca das variações linguísticas, nota-se que (A) os professores culpam os alunos devido à constante falta de atenção destes no tocante à aquisição da norma padrão da linguagem. (B) o dinamismo da linguagem deve ser encarado como um fato, afinal, a linguagem como fator mutável é passível de constantes alterações. (C) deve-se apresentar aos alunos que a forma oralizada da linguagem deve ser abolida, pois representa uma ameaça à norma culta. (D) embora existam situações de dinamismo linguístico constantes, a norma padrão supera a variedade oralizada da linguagem. (E) ainda há, por parte dos alunos, o desinteresse sem motivações secundárias quanto ao aprendizado de formas corretas da linguagem. (D) (E)

11 Com ajuda de aplicativo, homem "fala" pela 1ª vez em 27 anos Kevin Beverley consegue montar frases usando tablet. Um britânico voltou a falar graças a um aplicativo para ipad depois de 27 anos sem conseguir se comunicar por voz. Kevin Beverley era faixa preta de caratê e estava em forma quando foi agredido por um grupo e sofreu danos no cérebro. Ele ficou parcialmente paralisado e não conseguia mais falar depois de uma traqueotomia, se comunicando apenas por gestos e pelos poucos ruídos que emitia. Usando os comandos do aplicativo Grid Player, Beverley contou que, antes de conhecer a nova tecnologia, era difícil se comunicar e que ele se sentia muito frustrado. Atualmente, a rotina de Kevin inclui uma interação limitada com membros mais próximos da família. Agora, ele está aprendendo muito mais coisas novas em um tempo curto, o que pode ser cansativo. Mas Kevin afirma que tudo o que está a- prendendo é interessante e agora ele está mais feliz por finalmente poder explicar o que quer. Fábio Marques. Disponivel em: <http://t.co/2ow7rqc837>. Acessoem: 22 fev De acordo com a leitura da notícia, podemos inferir que as novas tecnologias (A) ampliaram o conceito de linguagem ao introduzirem novos símbolos na comunicação. (B) desenvolveram novas ferramentas de comunicação capazes de substituir a linguagem. (C) reduziram as oportunidades de comunicação verbal das pessoas hospitalizadas com danos cerebrais. (D) desestabilizaram os antigos códigos de comunicação por meio da formulação de uma linguagem que abdica do simbólico. (E) introduziram uma linguagem artificial e desprovida de afetividade no cotidiano do homem contemporâneo. Tempo perdido Nosso suor sagrado É bem mais belo Que esse sangue amargo E tão sério E Selvagem! Selvagem! Selvagem! Veja o sol Dessa manhã tão cinza A tempestade que chega É da cor dos teus olhos Castanhos Então me abraça forte E diz mais uma vez Que já estamos Distantes de tudo Temos nosso próprio tempo Temos nosso próprio tempo Temos nosso próprio tempo Não tenho medo do escuro Mas deixe as luzes Acesas agora O que foi escondido É o que se escondeu E o que foi prometido Ninguém prometeu Nem foi tempo perdido Somos tão jovens Tão Jovens! Tão Jovens! 23. Legião Urbana. Disponível em: <http:jnetras.mus.brnegiao-urbana/22489/>. Acesso em: l' mar Quanto ao uso dos termos destacados na música, evidencia-se que (A) o primeiro que possui valor de referencial anafórico, retomando o termo tempo. (B) o segundo que retoma o verbo dizer, presente no mesmo verso. (C) o terceiro e o quarto que apontam para um mesmo referencial anafórico, o termo luzes. (D) o primeiro que possui apenas valor de conjunção, não assumindo valor anafórico. (E) o quarto que refere-se ao. termo jovens, consolidando-se como referencial catafórico. Todos os dias quando acordo Não tenho mais O tempo que passou Mas tenho muito tempo Temos todo o tempo do mundo Todos os dias Antes de dormir Lembro e esqueço Como foi o dia Sempre em frente Não temos tempo a perder

12 12 raspado) e estava na moda. Mas também porque Cuba vivia uma crise econômica tão grande com o fim da União Soviética que conseguir xampu era quase impossível. Em meio a esse colapso houve um surto de piolho. Para não ter esses problemas, raspei". Yoani diz que não se maquia e não faz as unhas. Mas isso não quer dizer que não seja vaidosa. "A minha vaidade se reflete em outra coisa. Mais que a vaidade física, não passo minha vida vendo as coisas que não escolhi, compreende? Tenho vivido sem nada, sei que posso sobreviver sem nada e sigo sendo eu mesma. Posso ter muito pouco, porque o mais importante está desta pele para dentro, diz Yoani, beliscando a pele de seu braço. Disponivel em: <http://t.co/xu01p2hi5k>. Acesso em: 221ev De acordo com o que foi expresso, o humor da tirinha consiste na ideia de que (A) as crianças sempre estão criando histórias mirabolantes com o intuito de entreterem seus pais. (B) os pais sempre acreditam que tudo o que seus filhos falam não passa de mera criação imaginativa. (C) houve uma referência implícita na ideia de fantasia infantil com afirmações sobre se alcançar a paz mundial. (D) o pai de Mafalda percebeu somente depois que a ideia de sua filha poderia ser uma verdade que foi desconsiderada. (E) as tentativas de desarmamento nuclear podem ter sido consideradas criações mirabolantes do jornal. Yoani Sánchez: "Posso ter muito pouco, porque o mais importante está desta pele para dentro" 25. Reconhecendo a linguagem corporal como meio de interação social, podemos perceber na reportagem com a blogueira Yoani Sánchez que (A) Cuba e União Soviética são referenciados por ela como espaços decadentes e desprovidos de liberdade política. (B) os brincos com as iniciais de seu blog, associados à fitinha do Senhor do Bonfim, revelam seu aspecto religioso. (C) seu corpo é uma metáfora da teia de ideologias que sustenta os textos de seu blog Generecion Y. (D) seus gestos revelam-na como uma pessoa insolente, marcada por uma vivência solitária e silenciosa. (E) a despreocupação com a beleza física a torna uma pessoa portadora de uma baixa autoestima. A blogueira cubana fala a ÉPOCA sobre política, liberdade, cabelos e vaidade O longuíssimo cabelo ondulado está, como de costume, ajeitado ao longo do corpo. No rosto, nada de maquiagem. Nas orelhas, brincos com as letras G e Y, formando o logo de seu blog, Generación Y. No pulso, uma fitinha do Senhor do Bonfim, sinal de sua passaçsrn pela Bahia. Foi assim que a blogueira cubana Yoani Sánchez recebeu ÉPOCA. Na conversa de quase 40 minutos, Yoani falou sobre as impressões que teve do Brasil, as manifestações contra a sua visita, a política e o futuro de Cuba e também sobre vaidade incluindo seus enormes fios de cabelo. "Meu cabelo é livre e selvagem como eu. Tem seu espaço e eu tenho o meu. Nós nos respeitamos (risos)." Esse respeito à cabeleira vem desde Foi naquele ano, segundo ela, a última vez que cortou o cabelo. Yoani revela que já teve um visual bem diferente: "De 1992 a 1994, raspei a cabeça. Primeiro porque era a época de Sinéad O'Connor (cantora irlandesa que tinha o cabelo Disponivel em: <http://wwn.lucroextraonline.comunidades.net/index.php>. Acesso em: 22 mar Nos textos em geral, é comum a manifestação simultânea de várias funções da linguagem, com predomínio, entretanto, de uma sobre as outras. No anúncio anterior, a função de linguagem predominante é a conativa, pois (A) o discurso do enunciador tem como foco o próprio código. (B) a atitude do enunciador se sobrepõe àquilo que está sendo dito.

13 13 (C) o interlocutor é o foco do enunciador na construção da mensagem. (D) o referente é o elemento que se sobressai em detrimento dos demais. (E) o enunciador tem como objetivo principal a manutenção da comunicação. LITERATURA PROF. JORGE ALBERTO 26. (CEUT) Tendo em vista a literatura brasileira no início do século XX, é certo afirmar-se que (A) A publicação de OS SERTÕES, de Euclides da Cunha (1902), e de ESTÉTICA DA VIDA, de Graça Aranha (1921) marca o início do MODERNISMO. (B) A SEMANA DE ARTE MODERNA, realizada em fevereiro de 1922, foi uma mera exposição de artes plásticas. (C) Monteiro Lobato, com o lançamento do romance URUPÊS foi o maior incentivador do MODERNIS- MO. (D) O MODERNISMO representou um movimento de ruptura com o passado, tanto na temática como na linguagem. (E) Os participantes da SEMANA DE ARTE MODERNA permaneceram unidos, formando um único grupo literário até (FUVEST) O último poema Assim eu queria o meu último poema Que fosse terno dizendo as coisas mais simples e menos intencionais Que fosse ardente como um soluço sem lágrimas Que tivesse a beleza das flores quase sem perfume A pureza da chama em que se consomem os diamantes mais límpidos A paixão dos suicidas que se matam sem explicação (Manuel Bandeira, Libertinagem) Nesse texto, ao indicar as qualidades que deseja para o último poema, o poeta retoma dois temas centrais para a sua poesia. Um deles é a valorização da simplicidade e o outro é (A) A verificação da inutilidade da poesia diante da morte. (B) A coincidência da morte com o máximo de intensidade vital. (C) A capacidade, própria da poesia, de eliminar a dor. (D) A autodestruição da poesia em um meio hostil da arte. (E) A aspiração a uma poesia pura e lapidar, afastada da vida. 28. De Manuel Bandeira, autor do poema acima, entendemos que (A) foi um poeta típico do período crepuscular anterior ao Modernismo. (B) voltou-se sobretudo para o mundo interior, procuran-do captar, com sua sensibilidade delicada, as nuanças da sombra, do indefinido, da morte. (C) foi um dos grandes agitadores da literatura brasilei-ra e, em sua obra, salientam-se experiências semânticas que fazem dele um precursor da poesia concreta. (D) soube conciliar a notação intimista com o registro mundo exterior, e sua obra poética abrange desde poemas de tom parnasiano até experiências concretistas. (E) exaltou a cidade natal, fez a apologia da preguiça criadora, valorizou os mitos amazônicos. 29. (AESPI) A poesia modernista caracteriza-se, formalmente pelo predomínio de (A) Versos regulares, metrificados, sem rima. (B) Versos brancos, sem metrificação regular, com estrofes regulares. (C) Versos livres, sem metrificação regular, sem rima. (D) Versos regulares, metrificados, com rima. (E) Versos irregulares, com rima e preferência pelo soneto. 30. (FMU-SP) O tema da pátria distante foi retomado por muitos poetas. Um deles, Oswald de Andrade, do Modernismo. São características do Modernismo (A) Linguagem coloquial; valorização do nacional; tom irônico; liberação absoluta da forma. (B) Nacionalismo; tom irônico; linguagem retórica; liberdade de composição. (C) Saudosismo; crítica social; verde-amarelismo; regras rígidas de composição. (D) Linguagem retórica; saudosismo; nacionalismo; regras rígidas de composição. (E) Linguagem retórica; liberdade de composição; cientificismo; tom irônico. 31. (UESPI) Com relação à Semana de Arte Moderna, pode-se concluir acertadamente (A) Foi aberta com a conferência de Menotti Del Picchia. (B) Realizou-se no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. (C) Recebeu apoio da opinião pública. (D) Apresentou artistas de diferentes campos: escritores, poetas, pintores, escultores, arquitetos e músicos. (E) Deixou reflexos muito débeis ao longo da história da literatura brasileira. 32. (FACID) No Brasil, um advento marcou o início de uma trajetória de constantes leituras e releituras críticas por parte de poetas, músicos, arquitetos, pintores, escritores influenciados pelas mais variadas correntes estéticas e que terminaram por provocar os mais diferentes comportamentos na sociedade. O texto acima faz referência (A) Ao desencanto elegante proporcionado pelo Simbolismo. (B) À reforma literária presente no Pré-Modernismo. (C) Ao remanejamento de ideias proposto pelo movimento concretista nos anos 50. (D) À Semana de Arte Moderna de 1922, que, em São Paulo, fez ecoar um grito iconoclasta contra o conservadorismo nas letras. (E) Ao lançamento das obras Missal e Broqueis, de Cruz e Sousa, no final do século XIX.

14 (UFPI) A respeito do Modernismo brasileiro, podemos compreender que (A) Apesar de inovador, não revela uma profunda a- desão aos problemas da nossa terra e nem se compromete com a história contemporânea. (B) Do ponto de vista estilístico, rompeu com os padrões gramaticais portugueses sem, contudo, criar uma linguagem nova que se aproximasse do falar brasileiro. (C) Contrariamente ao que se pensa, desprezou tudo o que indicasse a presença da civilização industrial, voltando ao passado para revisar a história brasileira. (D) No primeiro momento, rompeu as barreiras entre a poesia e a prosa, valorizando o prosaico e o humor, através de uma atitude demolidora e de uma crítica corrosiva contra o academicismo. (E) Mesmo impregnado pela xenofobia, foi uma cópia do futurismo italiano, pela abordagem dos temas do cotidiano. 34. (UFRS) O Modernismo Brasileiro, através de seus autores mais representativos na Semana de Arte Moderna, propôs (A) o apego às normas clássicas oriundas do neoclassicismo mineiro. (B) a ruptura com as vanguardas europeias, tais como o futurismo e o dadaísmo. (C) uma literatura que investisse na idealização da figura indígena como ancestral do brasileiro. (D) a focalização do mundo numa perspectiva apenas psicanalítica. (E) a literatura como espaço privilegiado para a expressão dos falares brasileiros. 35. (UFV-MG/ADAPTADA) O Modernismo de 1922 foi uma ruptura radical diante da cultura tradicional brasileira o início do século XX, notando-se (A) uma continuação em relação às posições estéticas do passado, quebra total da rotina literária. (B) caráter turbulento, polemista, de reafirmação de valores tradicionais. (C) exaltação exagerada de fatores como o nacionalismo ufanista dos românticos. (D) movimento de inquietação e de reafirmação de valores parnasianos e realistas. (E) uma preocupação dos modernistas com a linguagem coloquial e a cultura brasileira. 36. (FACID) O Modernismo, enquanto estilo de época, representou uma mudança nos padrões estéticos que vigoravam até que se fizesse valer a fluência do cotidiano, a oralidade... E mais, (A) a reprodução das características do Parnasianismo; o nacionalismo ufanista. (B) o amor platônico; o idealismo (C) a revalorização do passado; o resgate dos feitos heróicos de Portugal. (D) a iconoclastia; a liberdade de expressão poética. (E) o culto à forma fixa; a rebeldia sintática. Leia o texto de Manuel Bandeira e responda às 09 questões seguintes. O BICHO Vi ontem um bicho Na imundície do pátio Catando comida entre os detritos. Quando achava alguma coisa Não examinava, nem cheirava: Engolia com voracidade. O bicho não era um cão, Não era um gato, Não era um rato. O bicho, meu Deus, um homem. 37. A primeira sensação comunicativa que o autor nos dá é (A) Olfativa (B) Auditiva (C) Gustativa (D) Visual (E) Tátil 38. A palavra que responde ao item anterior é (A) Ontem (B) Vi (C) Pátio (D) Imundície (E) Comida 39. Marque a expressão que denota uma ação contínua do sujeito (A) O bicho não era um cão (B) Não examinava nem cheirava (C) Não era um rato (D) Catando comida entre os detritos (E) Engolia com voracidade 40. Marque a expressão que denota uma ação rápida do sujeito (A) Não examinava nem cheirava (B) Não era um gato (C) Vi ontem um bicho (D) Catando comida entre os detritos (E) Engolia com voracidade 41. A Expressão Meu Deus tem valor exclamativo e significa que o autor (A) Alegrou-se com a cena (B) Ficou indiferente (C) Solucionou o problema social (D) Ficou chocado com o espetáculo (E) Fez apenas uma invenção fantasiosa 42. A causa principal de nossa admiração pela poesia é por que (A) O autor retratou uma cena que humilha a nossa condição humana. (B) O autor procurou comparar o homem a cães e a gatos (C) O homem já não vive mais nesse ambiente de miséria (D) É falsa a notícia de que a humanidade passa fome (E) Dos pobres é o reino dos céus

15 Essa admiração denota um sentimento no eu-lírico de (A) Prazer ao presenciar tal fato. (B) admiração pela voracidade do homem. (C) estupefação diante da miséria humana. (D) desprezo pela condição humana. (E) força diante das adversidades. 44. A intenção do autor, ao usar a palavra bicho parece que (A) Procurou chamar a nossa atenção para esses animais do lixo (B) A história é mesma sobre um bicho (C) O homem é um animal racional (D) O homem se viu reduzido à condição de animal (E) O homem deve ser tratado como animal 45. Sobre os fatos que antecederam a Semana de Arte Moderna, destaca-se (A) O ano de 1917 foi extremamente importante, pois Oswald de Andrade inicia o Modernismo com a publicação de seu primeiro livro. (B) O grande líder que trazia as novidades da Europa e aqui as divulgava era Manuel Bandeira. (C) Manuel Bandeira nada produziu nesse período e somente após a Semana viria engrossar as fileiras dos jovens autores. (D) Monteiro Lobato patrocinou uma exposição cubista e foi criticado por uma jovem pintora, Anita Malfatti. (E) Manuel bandeira em 1919 o livro Carnaval, contem-do o poema Os sapos, o que lhe valeu o título de São João Batista do Modernismo. (A) R$ 0,27. (B) R$ 0,29. (C) R$ 0,32. (D) R$ 0,34. (E) R$ 0, Uma fecularia (empresa que produz farinha de milho, mandioca etc.) compõe os seus preços por duas funções: a primeira, dos custos e manipulação da matéria-prima, dada por f(x) = 3x - 1, onde x é a quantidade de produto; a segunda, g(x) = 2x + 2, que diz respeito ao processamento, embalagem e entrega às revendas. Ou seja, o custo total é composto pelos custos e manipulação da matéria-prima. Nessas condições, o preço de venda de uma unidade é (A) R$ 5,00 (B) R$ 6,00 (C) R$ 7,00 (D) R$ 8,00 (E) R$ 9, O termo agronegócio não se refere apenas à agricultura e à pecuária, pois as atividades ligadas a essa produção incluem fornecedores de equipamentos, serviços para a zona rural, industrialização e comercialização dos produtos. O gráfico seguinte mostra a participação percentual do agronegócio no PIB brasileiro: Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA PROF. FERNANDO GOMES 46. A tabela compara o consumo mensal, em kwh, dos consumidores residenciais e dos de baixa renda, antes e depois da redução da tarifa de energia no estado de Pernambuco. Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA). Almanaque abril São Paulo: Abril, ano 36 (adaptado). Esse gráfico foi usado em uma palestra na qual o orador ressaltou uma queda da participação do agronegócio no PIB brasileiro e a posterior recuperação dessa participação, em termos percentuais. Segundo o gráfico, o período de queda ocorreu entre os anos de (A) 1998 e (B) 2001 e (C) 2003 e (D) 2003 e (E) 2003 e Diário de Pernambuco. 28 abr (adaptado). 49. Para conseguir chegar a um número recorde de produção de ovos de Páscoa, as empresas brasileiras começam a se planejar para esse período com um ano de antecedência. O gráfico a seguir mostra o número de ovos de Páscoa produzidos no Brasil no período de 2005 a Considere dois consumidores: um que é de baixa renda e gastou 100 kwh e outro do tipo residencial que gastou 185 kwh. A diferença entre o gasto desses consumidores com 1 kwh, depois da redução da tarifa de energia, mais aproximada, é de

16 16 Analisando os dados apresentados, pode-se concluir que o gráfico que representa a produtividade média por hectare de cana-de-açúcar no período considerado é Revista Veja, São Paulo: Abril, ed. 2107, nº14, ano 42. De acordo com o gráfico, o biênio que apresentou maior produção acumulada foi (A) (B) (C) (D) (E) Um restaurante cobra de seus clientes um preço fixo por pessoa: R$ 15,00 no almoço e R$ 12,00 no jantar. Certo dia, dos 120 clientes que compareceram a esse restaurante, x foram atendidos no jantar. Se foram gastos R$ 6,00 no preparo de cada refeição, a expressão que define o lucro L, em reais, obtido nesse dia, em função de x é (A) L(x) = 120x (B) L(x) = 1440x (C) L(x) =- 6x (D) L(x) =- 4x (E) L(x) =- 3x A tabela abaixo mostra a evolução da área plantada e a produção de cana-de-açúcar no estado de Goiás, nas safras de 2001/2002 a 2008/ A obsidiana é uma pedra de origem vulcânica que, em contato com a umidade do ar, fixa água em sua superfície formando uma camada hidratada. A espe-ssura da camada hidratada aumenta de acordo com o tempo de permanência no ar, propriedade que pode ser utilizada para medir sua idade. O gráfico ao lado mostra

17 17 como varia a espessura da camada hidratada, em mícrons (1 mícron = 1 milésimo de milímetro) em função da idade da obsidiana. (A) 8 (B) 10 (C) 12 (D) 14 (E) O lucro de uma microempresa, em função do número de funcionários que nela trabalham, é dado, em milhares de reais, pela fórmula L(n) = 48n 3n 2. Com base nessas informações, pode-se afirmar que o lucro dessa microempresa é máximo quando nela trabalham (A) 6 funcionários (B) 8 funcionários (C) 10 funcionários (D) 12 funcionários (E) 16 funcionários Com base no gráfico, pode-se concluir que a espessura da camada hidratada de uma obsidiana (A) é diretamente proporcional à sua idade. (B) dobra a cada anos. (C) aumenta mais rapidamente quando a pedra é mais jovem. (D) aumenta mais rapidamente quando a pedra é mais velha. (E) a partir de anos não aumenta mais. 53. Newton quer imprimir folhetos com a propaganda de sua empresa. Na gráfica A, o custo para a montagem deste folheto é de R$ 120,00 e o valor da impressão por unidade é R$ 0,20. A gráfica B cobra R$ 80,00 para a montagem e R$ 0,25 para impressão de cada unidade. Após análise cuidadosa, Newton concluiu que (A) é vantagem fazer a encomenda na gráfica B para qualquer quantidade de folhetos. (B) a gráfica A oferece um custo menor que a B para um número de folhetos menor que 800. (C) se encomendar folhetos da gráfica B, irá gastar R$ 320,00. (D) se desejar folhetos gastará menos se encomendar da empresa A. (E) para a quantidade de 800 folhetos, o custo de qualquer das empresas é igual a R$ 290, Numa farmácia de manipulação, fez-se uma mistura de x mg de um produto P e 40 mg de um outro produto. Com essa mistura, obteve-se uma quantidade, em mg, maior que o triplo da quantidade usada do produto P. Com base nessas informações, pode-se concluir que, em mg, (A) 0 < x < 20 (B) x = 20 (C) 20 < x < 40 (D) 40 < x < 120 (E) x > Por uma mensagem dos Estados Unidos para o Brasil, via fax, a Empresa de Correio e Telégrafos (ECT) cobra R$ 1,37 pela primeira página e R$ 0,67 por página que se segue, completa ou não. O número primo de páginas de uma dessas mensagens para que seu preço ultrapasse o valor de R$ 10,00 é 57. Um engenheiro, estudando a resistência de uma viga de certo material, obteve os seguintes dados: O engenheiro suspeita que a deformação D pode ser dada em função do peso x por uma expressão do tipo D(x) = ax 2 + bx + c. Usando os dados da tabela, ele escreve um sistema de equações lineares e determina os valores dos coeficientes a, b, c. O valor de a é (A) 9 (B) 3 (C) 1 3 (D) 12 1 (E) Segundo dados de uma pesquisa, a população de certa região do país vem decrescendo em relação ao tempo t, contado em anos, aproximadamente, segundo a relação P(t) = P(0).2-0,25t. Sendo P(o) uma constante que representa a população inicial dessa região e P(t) a população t anos após, determine quantos anos se passarão para que essa população fique reduzida à quarta parte da que era inicialmente. (A) 6 (B) 8 (C) 10 (D) 12 (E) 15

18 O valor de um automóvel (em unidades monetárias) sofre um depreciação de 4% ao ano. Sabendo-se que o valor atual de um carro é de unidades monetátiras, pode-se dizer que o valor desse carro será de unidades monetárias após X anos. X representa, em anos, Use o valor 0,3 para log 2 e o valor 0,48 para log 3. (A) 3 (B) 6 (C) 10 (D) 15 (E) Um médico, após estudar o crescimento médio das crianças de uma determinada cidade, com idades que variavam de 1 a 12 anos, obteve a fórmula h = log (10 0,6.i), onde h é a altura (em metros) e i é a idade (em anos). Pela fórmula, uma criança de 10 anos desta cidade terá de altura 7,8 g/cm 3, o Cebolinha tentava levantar aproximadamente, em quilogramas (Use: = 22/7 ) (A) 18 (B) 16 (C) 15 (D) 12 (E) A figura indica algumas das dimensões de um bloco de concreto formado a partir de um cilindro circular oblíquo, com uma base no solo, e de um semicilindro. Dado que o raio da circunferência da base do cilindro o- blíquo mede 10cm, o volume do bloco de concreto, em cm 3, é (A) 150 cm (B) 160 cm (C) 170 cm (D) 180 cm (E) 190 cm MATEMÁTICA PROF. CHAGUINHA 61. Uma empresa usa, para um determinado produto, as embalagens fechadas da figura, confeccionadas com o mesmo material, que custa R$ 0,10 o cm 2. Supondo = 3, a diferença entre os custos das embalagens A e B é de (A) (B) (C) (D) (E) A capacidade aproximada de um aterro sanitário com a forma apresentada na figura a seguir é (A) R$ 9,00 (B) R$ 7,00 (C) R$10,00 (D) R$ 8,00 (E) R$ 0, A tira seguinte mostra o Cebolinha tentando levantar um haltere, que é um aparelho feito de ferro, composto de duas esferas acopladas a um bastão cilíndrico. (A) 1135 m 3 (B) 1800 m 3 (C) 2187 m 3 (D) 2742 m 3 (E) 3768 m (PUC-SP) O recipiente em forma de cone circular reto tem raio 12 cm e altura 16 cm. O líquido ocupa 8 1 do volume do recipiente. A altura x do líquido é Suponha que cada esfera tenha 10,5 cm de diâmetro e que o bastão tenha 50 cm de comprimento e diâmetro da base medindo 1,4 cm. Se a densidade do ferro é (A) 1 cm (B) 2 cm (C) 4 cm (D) 6 cm (E) 8 cm

19 (UFPI) A hipotenusa de um triângulo retângulo mede 6 cm e um dos ângulos agudos deste triângulo mede 30. Girando-se este triângulo em torno do cateto menor obtém-se um cone. O volume desse cone, em cm 3, é igual a (A) 18 (B) 21 (C) 24 (D) 27 (E) Os três recipientes da figura têm formas diferentes, mas a mesma altura e o mesmo diâmetro da boca. Neles são colocados líquido até a metade de sua altura, conforme indicado nas figuras. Representando por V1, V2 e V3 o volume de líquido em cada um dos recipientes, tem-se (A) 1,08 (B) 1,28 (C) 1,75 (D) 2,18 (E) 2, (Cefet-RJ) Deseja-se pintar duas faces laterais de uma pirâmide de base quadrada, cuja altura mede 4 m. Sabe-se que a área da base é 36 m 2 e que o custo da pintura é R$ 12,00 por metro quadrado. A despesa com a pintura será de (A) R$ 298,00 (B) R$ 360,00 (C) R$ 576,00 (D) R$ 720,00 (E) R$ 1.152, (UFCE) Um prisma reto tem por base um triângulo retângulo cujos catetos medem 3 m e 4 m. Se a altura deste prisma é igual à hipotenusa do triângulo da base, então seu volume, em m 3, é igual a (A) V1 = V2 = V3 (B) V1 < V3 <V2 (C) V1 = V3 < V2 (D) V3 < V1 < V2 (E) V1 < V2 = V3 68. (U. Caxias do Sul-RS) A calha da figura a seguir tem a forma de um prisma triangular reto. O ângulo ABC mede 90º, e as medidas citadas são internas e em metros. O volume máximo de água que a calha poderá conter, em metros cúbicos, é igual a (A) 45 2 (B) 90 (C) 180 (D) 1800 (E) 2700 (A) 60 (B) 30 (C) 24 (D) 12 (E) (U. Católica-DF) Um reservatório em forma de cone circular reto, de eixo vertical, com altura igual a 4 cm e raio da base igual a 3 cm, está completamente cheio de água. Uma esfera é colocada no cone até se apoiar na parede do mesmo, de modo que os centros da esfera e da base do cone coincidam. O volume de água, em cm 3, que transborda do cone é (A) menor que 24; (B) maior que 24 e menor que 26; (C) maior que 26 e menor que 28; (D) maior que 28 e menor que 30; (E) maior que (UFR-RJ) Considerando um lustre de formato cônico com altura e raio da base igual a 0,25 m, a distância do chão (H) em que se deve pendurá-lo para obter um lugar iluminado em forma de círculo com área de 25 m 2, é de 69. (Unifor-CE) Um combustível líquido ocupa uma altura de 8 m em um reservatório cilindrico. Por motivos técnicos, deseja-se transferir o combustível para outro reservatório, também cilíndrico, com raio igual a 2,5 vezes o do primeiro. A altura ocupada pelo combustível nesse segundo reservatório, em metros é (A) 12 m (B) 10 m (C) 8 m (D) 6 m (E) 5 m

20 (Unifor-CE) Pretende-se construir uma caixa d água, com a forma de um cilindro reto, cujo diâmetro da base mede 3 m. Se essa caixa deve comportar no máximo litros d água, ela deverá ter de altura, em metros, (Use: 3,1). (A) 2,75 (B) 2,40 (C) 2,25 (D) 1,80 (E) 1, (PUC-PR) Tem-se um recipiente cilíndrico, de raio 3 cm, com água. Se mergulharmos inteiramente uma bolinha esférica nesse recipiente, o nível da água sobe cerca de 1,2 cm. Sabe-se, então, que o raio da bolinha vale aproximadamente (A) 1 cm (B) 1,5 cm (C) 2 cm (D) 2,5 cm (E) 3 cm MATEMÁTICA PROF. DHIAN CARLOS 76. (UFF-Modificada) Uma pessoa ia gastar R$ 180,00 para comprar x caixas de um determinado produto. Ao receber o pedido de compra, a empresa fornecedora fez um desconto de R$ 1,00 no preço de cada caixa. Devido a isto, a pessoa conseguiu comprar duas caixas a mais, pagando os mesmos R$ 180,00. A quantidade de caixas do produto que tal pessoa compraria sem o desconto é (A) 9 (B) 12 (C) 15 (D) 18 (E) (UNIRIO) Um engenheiro, ao fazer o levantamento do quadro de pessoal de uma fábrica, obteve os seguintes dados - 28% dos funcionários são mulheres; - 1/6 dos homens são menores de idade; - 85% dos funcionários são maiores de idade. A porcentagem dos menores de idade que são mulheres é (A) 30% (B) 28% (C) 25% (D) 23% (E) 20% 78. Diamantino colocou em um recipiente três litros de água e um litro de suco composto de 20% de polpa e 80% de água. Depois de misturar tudo, a porcentagem do volume final que é polpa é (A) 5% (B) 7% (C) 8% (D) 20% (E) 60% 79. Um aventureiro chama a atenção para o impacto do plástico no meio ambiente, atravessando a maior concentração de lixo do mundo em um veleiro feito totalmente de recipientes recicláveis. O basco flutua graças a 12 mil garrafas plásticas. No Brasil, a produção mensal de garrafas plásticas é de 9 bilhões de unidades, sendo que 47% dessas garrafas são reaproveitadas e o restante vai para o lixo. A quantidade de barcos como esse que é possível construir com as garrafas que vão para o lixo no Brasil é (A) (B) (C) (D) (E) (UNIFESP-04) Num determinado local, o litro de combustível, composto de 75% de gasolina e 25% de álcool, é comercializado ao preço de R$ 2,05, sendo o litro de álcool comercializado ao preço de R$ 1,00. Se os preços são mantidos proporcionais, o preço do litro de gasolina é (A) R$ 2,15 (B) R$ 2,30. (C) R$ 3,05. (D) R$ 2,20. (E) R$ 2, Para combater o avanço de uma praga na lavoura, foram feitas várias aplicações de um composto químico. A cada aplicação metade dos insetos era exterminada. Considerando que após 10 aplicações restavam ainda cerca de insetos, pode-se dizer que a quantidade de insetos antes da primeira aplicação era da ordem de (A) 1, (B) 1, (C) 1, (D) 1, (E) 1, (Estácio-RJ) Mário comprou um carro à vista, obtendo 10% de desconto sobre o preço de tabela. Além desse valor, teve uma despesa de R$ 700,00 com despachante. Um mês depois, esse veículo foi vendido com um lucro de R$ 575,00 que corresponde a 5% do total gasto por Mário na ocasião da compra. Pode-se afirmar que o preço de tabela desse carro era, em reais, igual a (A) (B) (C) (D) (E) O preço de um objeto foi aumentado em 20% de seu valor. Como as vendas diminuíram, o novo preço for reduzido em 10% de seu valor. Em relação ao preço inicial, o preço final apresenta (A) uma diminuição de 10%. (B) uma diminuição de 2%. (C) um aumento de 2%.

Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua

Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua É a palavra que identifica o ser humano, é ela seu substrato que possibilitou a convivência humana

Leia mais

SIMULADO DE PORTUGUÊS

SIMULADO DE PORTUGUÊS SIMULADO DE PORTUGUÊS Professora: Fabyana Muniz Texto I O desafio da qualidade É uma conquista civilizatória para o Brasil ter a imensa maioria das crianças em idade escolar com acesso às salas de aula,

Leia mais

FUNÇÃO GERAL. Texto para as questões 1 e 2.

FUNÇÃO GERAL. Texto para as questões 1 e 2. FUNÇÃO GERAL Texto para as questões 1 e 2. (ENEM) No quadro abaixo estão as contas de luz e água de uma mesma residência. Além do valor a pagar, cada conta mostra como calculá-lo, em função do consumo

Leia mais

Série. MAT Disciplina: Arte Professor: FERNANDA CARDOSO ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO

Série. MAT Disciplina: Arte Professor: FERNANDA CARDOSO ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO Polícia Militar do Estado de Goiás CPMG Hugo de Carvalho Ramos Ano Letivo - 2015 Série ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO - Todas essas atividades, tanto as perguntas como respostas deverão ser COPIADAS E RESPONDIDAS

Leia mais

MODERNISMO. História da Arte Profº Geder 1ª Série Ensino Médio (2012)

MODERNISMO. História da Arte Profº Geder 1ª Série Ensino Médio (2012) MODERNISMO História da Arte Profº Geder 1ª Série Ensino Médio (2012) O século XX inicia-se no Brasil com muitos fatos que vão moldando a nova fisionomia do país. - progresso técnico - novas fábricas surgidas

Leia mais

Roteiro semanal. 3º ano Matutino. Deus é bom e sua bondade dura para sempre. (Salmos 106:1)

Roteiro semanal. 3º ano Matutino. Deus é bom e sua bondade dura para sempre. (Salmos 106:1) Roteiro semanal 3º ano Matutino De 23 a 27 de fevereiro Colégio Guilherme Ramos. Goiânia, 23 de fevereiro de 2015. Professora: Nome: Turma: 3 ano Ensino Fundamental Segunda-feira 23/02/2015 Português no

Leia mais

Thaísa Fortuni. 15 dicas de Mídias Sociais para Moda. Copyright 2015 - Todos os direitos reservados

Thaísa Fortuni. 15 dicas de Mídias Sociais para Moda. Copyright 2015 - Todos os direitos reservados Thaísa Fortuni Thaísa Fortuni 15 dicas de Mídias Sociais para Moda Copyright 2015 - Todos os direitos reservados Sobre Thaísa Fortuni Publicitária por formação, escritora e empreendora digital. Trabalha

Leia mais

A SEMANA DE ARTE MODERNA FEVEREIRO DE 1922

A SEMANA DE ARTE MODERNA FEVEREIRO DE 1922 A SEMANA DE ARTE MODERNA FEVEREIRO DE 1922 1822 1922 100 anos da Independência do Brasil ANTECEDENTES DA SEMANA DE ARTE MODERNA 1912 CHEGADA DE OSWALD DE ANDRADE DA EUROPA Oswald de Andrade retorna de

Leia mais

Educação alimentar e nutricional

Educação alimentar e nutricional Educação alimentar e nutricional Disciplinas envolvidas: Matemática, Português, Sociologia, Educação Física, História e Arte. Justificativa: A Educação Alimentar e Nutricional é um campo de conhecimento

Leia mais

------------------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------------------ POR QUE É QUE A GENTE É ASSIM? Eng. ------------------------------------------------------------------------------------ É batata! Toda vez que, numa conversa qualquer, o assunto "comportamento no mercado"

Leia mais

Tu e a publicidade. A publicidade está em toda a parte. Exercício. Início. Sabia que?

Tu e a publicidade. A publicidade está em toda a parte. Exercício. Início. Sabia que? 1 Tu e a publicidade Temas abordados A publicidade à nossa volta. Objectivos da aprendizagem Compreender as diferentes utilizações da publicidade, tais como vender, convencer ou expor um ponto de vista.

Leia mais

*Não foi propriamente um movimento ou escola literária; * Trata-se de uma fase de transição para o Modernismo, nas duas primeiras décadas do século

*Não foi propriamente um movimento ou escola literária; * Trata-se de uma fase de transição para o Modernismo, nas duas primeiras décadas do século *Não foi propriamente um movimento ou escola literária; * Trata-se de uma fase de transição para o Modernismo, nas duas primeiras décadas do século XX; * É quando surge uma literatura social, através de

Leia mais

Leitura de textos não verbais e de quadrinhos

Leitura de textos não verbais e de quadrinhos Nome: Nº: Turma: Português 3º ano Análise de textos não verbais Wilton Jun/10 Leitura de textos não verbais e de quadrinhos Analisaremos um texto não-verbal e três tirinhas. O primeiro texto é um quadro

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE

PLANO DE TRABALHO DOCENTE COLÉGIO ESTADUAL CRISTO REI ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Rua das Ameixeiras, 119 Núcleo Cristo Rei Fone/Fax: 0xx42 3624 3095 CEP 85060-160 Guarapuava Paraná grpcristorei@seed.pr.gov.br PLANO DE TRABALHO

Leia mais

O PRECONCEITO LINGUÍSTICO REVELADO SOB UM OLHAR POÉTICO

O PRECONCEITO LINGUÍSTICO REVELADO SOB UM OLHAR POÉTICO O PRECONCEITO LINGUÍSTICO REVELADO SOB UM OLHAR POÉTICO Carina Pereira de Paula Cristina Monteiro da Silva Juliana Aparecida Chico de Morais (Gdas-CLCA-UENP/CJ) Marilúcia dos Santos Domingos Striquer (Orientadora-

Leia mais

PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula!

PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula! PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula! Bete Masini A pontuação é, sem dúvida, um dos principais elementos coesivos do nosso texto. Certamente, não podemos crer no que muitos já falaram (e ainda falam):

Leia mais

Conversando com os pais

Conversando com os pais Conversando com os pais Motivos para falar sobre esse assunto, em casa, com os filhos 1. A criança mais informada, e de forma correta, terá mais chances de saber lidar com sua sexualidade e, no futuro,

Leia mais

Educação inclusiva para surdos: desmistificando pressupostos

Educação inclusiva para surdos: desmistificando pressupostos Educação inclusiva para surdos: desmistificando pressupostos Paula Botelho Mestre em Educação pela Faculdade de Educação da UFMG. Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação de Surdos (GEPES),

Leia mais

08/11/2012. Palestrante: Jéssica Pereira Costa Mais frequente na população universitária

08/11/2012. Palestrante: Jéssica Pereira Costa Mais frequente na população universitária A arte da apresentação oral de trabalhos científicos Como se comportar durante a apresentação de um pôster em um evento científico? Fobia Social ou Timidez??? (Medo excessivo contato ou exposição social)

Leia mais

LENDO, ESCREVENDO E PRODUZINDO JORNAL: A APROPRIAÇÃO DA ESCRITA POR ALUNOS DE EJA

LENDO, ESCREVENDO E PRODUZINDO JORNAL: A APROPRIAÇÃO DA ESCRITA POR ALUNOS DE EJA LENDO, ESCREVENDO E PRODUZINDO JORNAL: A APROPRIAÇÃO DA ESCRITA POR ALUNOS DE EJA CENTRO MUNICIPAL DE REFERÊNCIA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS PROFESSORA FABÍOLA DANIELE DA SILVA A lingüística moderna

Leia mais

CARTAS: REGISTRANDO A VIDA

CARTAS: REGISTRANDO A VIDA CARTAS: REGISTRANDO A VIDA A carta abaixo foi escrita na época da ditadura militar. Ela traduz a alegria de um pai por acreditar estar próxima sua liberdade e, assim, a possibilidade do reencontro com

Leia mais

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco REDAÇÃO AULA 5 Professora Sandra Franco DISSERTAÇÃO 1. Definição de Dissertação. 2. Roteiro para dissertação. 3. Partes da dissertação. 4. Prática. 5. Recomendações Gerais. 6. Leitura Complementar. 1.

Leia mais

Nível Médio Prova 1: Compreensão leitora e língua em uso

Nível Médio Prova 1: Compreensão leitora e língua em uso TEXTO 1 Leia o texto abaixo e nas alternativas de múltipla escolha, assinale a opção correta. INTERCÂMBIO BOA VIAGEM 1 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 Cursos de intercâmbio são uma

Leia mais

- GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins

- GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins - GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins Planeta Contábil 2008 Todos os Direitos Reservados (www.planetacontabil.com.br) 1/5 Lucros Bons e Lucros Ruins Podemos pensar que lucrar é sempre bom,

Leia mais

Alfabetização e Letramento

Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento Material Teórico A Escrita no Processo de Alfabetização Responsável pelo Conteúdo e Revisor Textual: Profª. Ms Denise Jarcovis Pianheri Unidade A Escrita no Processo de Alfabetização

Leia mais

Unidade I Tecnologia Corpo, movimento e linguagem na era da informação.

Unidade I Tecnologia Corpo, movimento e linguagem na era da informação. A A Unidade I Tecnologia Corpo, movimento e linguagem na era da informação. 2 A A Aula 1.2 Conteúdo: Semana de Arte Moderna. 3 A A Habilidade: Reconhecer, diferenciar e saber utilizar diversas técnicas

Leia mais

PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA

PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: LEVANTAR HIPÓTESES SOBRE A AUTORA, SOBRE O LIVRO, INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO Para o professor Ou isto

Leia mais

BOLSA QUINZE 2015 6ª ANO (5ª SÉRIE) DO ENSINO FUNDAMENTAL LÍNGUA PORTUGUESA

BOLSA QUINZE 2015 6ª ANO (5ª SÉRIE) DO ENSINO FUNDAMENTAL LÍNGUA PORTUGUESA BOLSA QUINZE 2015 6ª ANO (5ª SÉRIE) DO ENSINO FUNDAMENTAL LÍNGUA PORTUGUESA Leia atentamente o conto abaixo e depois faça o que se pede: O CABOCLO, O PADRE E O ESTUDANTE (Luís da Câmara Cascudo) Um estudante

Leia mais

PROJETO DE LEITURA E ESCRITA LEITURA NA PONTA DA LÍNGUA E ESCRITA NA PONTA DO LÁPIS

PROJETO DE LEITURA E ESCRITA LEITURA NA PONTA DA LÍNGUA E ESCRITA NA PONTA DO LÁPIS PROJETO DE LEITURA E ESCRITA LEITURA NA PONTA DA LÍNGUA E ESCRITA NA PONTA DO LÁPIS A língua é um sistema que se estrutura no uso e para o uso, escrito e falado, sempre contextualizado. (Autor desconhecido)

Leia mais

SENADO FEDERAL SONO COM QUALIDADE SENADOR CLÉSIO ANDRADE

SENADO FEDERAL SONO COM QUALIDADE SENADOR CLÉSIO ANDRADE SENADO FEDERAL SONO COM QUALIDADE SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Sono com qualidade apresentação Uma boa noite de sono nos fazer sentir bem e com as forças renovadas. O contrário também vale. Uma péssima noite

Leia mais

A turma. parte I Língua Portuguesa parte II Matemática

A turma. parte I Língua Portuguesa parte II Matemática parte I Língua Portuguesa parte II Matemática A turma 5 10 15 20 25 Eu também já tive turma, ou melhor, fiz parte de turma e sei como é importante em certa idade essa entidade, a turma. A gente é um ser

Leia mais

Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1

Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1 Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1 BOGUSZEWSKI, Luiza. 2 SCHETTERT, Gabriela Antunes. 3 MENEZES, Sérgio. 4 Universidade Positivo, Curitiba, PR. 2013 RESUMO Com a disseminação da cultura norte-americana

Leia mais

dobrar pelo tracejado para dentro furo ÁLBUM de aventuras furo dobrar pelo tracejado para dentro pôr cola no outro lado

dobrar pelo tracejado para dentro furo ÁLBUM de aventuras furo dobrar pelo tracejado para dentro pôr cola no outro lado Você acha que consegue plantar uma floresta inteirinha? E de transformar o seu bairro? Ah, mas criar uma ação em conjunto com o mundo inteiro, você consegue? Claro que sim! Todos têm super poderes, e o

Leia mais

ENSINO MÉDIO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 001/2015 LÍNGUA PORTUGUESA. (1 à 10) 1/11

ENSINO MÉDIO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 001/2015 LÍNGUA PORTUGUESA. (1 à 10) 1/11 LÍNGUA PORTUGUESA (1 à 10) 1/11 Leia o texto: O HOMEM CUJA ORELHA CRESCEU Estava escrevendo, sentiu a orelha pesada. Pensou que fosse cansaço, eram 11 da noite, estava fazendo hora-extra. Escriturário

Leia mais

Questões com textos não verbais. Prof. Bruno Augusto

Questões com textos não verbais. Prof. Bruno Augusto Questões com textos não verbais Prof. Bruno Augusto (ENEM) Em uma conversa ou leitura de um texto, corre-se o risco de atribuir um significado inadequado a um termo ou expressão, e isso pode levar a certos

Leia mais

RECADO AOS PROFESSORES

RECADO AOS PROFESSORES RECADO AOS PROFESSORES Caro professor, As aulas deste caderno não têm ano definido. Cabe a você decidir qual ano pode assimilar cada aula. Elas são fáceis, simples e às vezes os assuntos podem ser banais

Leia mais

OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL. A prática da educação infantil deve se organizar de modo que as crianças desenvolvam as seguintes capacidades:

OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL. A prática da educação infantil deve se organizar de modo que as crianças desenvolvam as seguintes capacidades: OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANUAL EDUCAÇÃO INFANTIL INFANTIL V - 2012 A prática da educação infantil deve se organizar de modo que as crianças desenvolvam as seguintes capacidades:

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO 1

PROJETO PEDAGÓGICO 1 PROJETO PEDAGÓGICO 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Título: Maricota ri e chora Autor: Mariza Lima Gonçalves Ilustrações: Andréia Resende Formato: 20,5 cm x 22 cm Número de páginas: 32

Leia mais

PROPORCIONANDO UMA APRENDIZAGEM DINÂMICA E CONTEXTUALIZADA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL MÚSICA

PROPORCIONANDO UMA APRENDIZAGEM DINÂMICA E CONTEXTUALIZADA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL MÚSICA PROPORCIONANDO UMA APRENDIZAGEM DINÂMICA E CONTEXTUALIZADA A PARTIR DO GÊNERO TEXTUAL MÚSICA RAVENA FLÁVIA MEDEIROS DE FREITAS, POLIANA SALDANHA DE SOUSA, PATRICIA FERREIRA DOS SANTOS, AIVONEIDE DE OLIVEIRA

Leia mais

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos.

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos. 1) Como está sendo a expectativa do escritor no lançamento do livro Ser como um rio que flui? Ele foi lançado em 2006 mas ainda não tinha sido publicado na língua portuguesa, a espera do livro pelos fãs

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS NAT. CIÊNCIAS HUM. CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Conteúdo:

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS NAT. CIÊNCIAS HUM. CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Conteúdo: CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I Conteúdo: - Alguns aspectos que interferem na saúde das pessoas - Saúde como Direito Constitucional dos brasileiros

Leia mais

Projeto São João Literário Promovendo a cultura popular, incentivando a leitura e a produção literária.

Projeto São João Literário Promovendo a cultura popular, incentivando a leitura e a produção literária. Projeto São João Literário Promovendo a cultura popular, incentivando a leitura e a produção literária. Histórico e Justificativa No ano de 2012, ao participar de uma quadrilha temática, em homenagem ao

Leia mais

Prefeitura Municipal de Gravatá Concurso Público 2008 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. O texto 1 serve de base para as questões de 1 a 4.

Prefeitura Municipal de Gravatá Concurso Público 2008 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. O texto 1 serve de base para as questões de 1 a 4. O texto 1 serve de base para as questões de 1 a 4. Texto 1 Compesa, queremos água! Há muitos anos, os moradores da Rua Charles Darwin, no bairro de Vila da Fábrica, em Camaragibe, sofrem e fazem pergunta

Leia mais

Teoria da Comunicação Funções da Linguagem

Teoria da Comunicação Funções da Linguagem Teoria da Comunicação Funções da Linguagem Professor Rafael Cardoso Ferreira O que é linguagem? A linguagem é o instrumento graças ao qual o homem modela seu pensamento, seus sentimentos, suas emoções,

Leia mais

Poder: Jornal Fortuna

Poder: Jornal Fortuna Aqui você enriquece sua leitura Jornal Fortuna Volume 1, edição 1 Data do boletim informativo Nesta edição: Poder: Há vários tipos de poder, poder militar, poder da natureza, poder político, o poder da

Leia mais

Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos

Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos Caro professor, Este link do site foi elaborado especialmente para você, com o objetivo de lhe dar dicas importantes para o seu

Leia mais

Turma: 3º ano FG e ADM

Turma: 3º ano FG e ADM COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 2ª Etapa 2013 Disciplina: Literatura Ano: 2013 Professor (a): Felipe Amaral Turma: 3º ano FG e ADM Caro aluno, você está recebendo o conteúdo

Leia mais

Unidade IV Cultura A pluralidade na expressão humana.

Unidade IV Cultura A pluralidade na expressão humana. Unidade IV Cultura A pluralidade na expressão humana. 25.2 Conteúdo: Gênero dissertativo-argumentativo. Habilidade: Reconhecer a tese defendida em um texto. (D19) REVISÃO A REDAÇÃO DO ENEM 1 Domínio da

Leia mais

Para pensar o. livro de imagens. Para pensar o Livro de imagens

Para pensar o. livro de imagens. Para pensar o Livro de imagens Para pensar o livro de imagens ROTEIROS PARA LEITURA LITERÁRIA Ligia Cademartori Para pensar o Livro de imagens 1 1 Texto visual Há livros compostos predominantemente por imagens que, postas em relação,

Leia mais

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática 1 Sumário Introdução...04 O segredo Revelado...04 Outra maneira de estudar Inglês...05 Parte 1...06 Parte 2...07 Parte 3...08 Por que NÃO estudar Gramática...09 Aprender Gramática Aprender Inglês...09

Leia mais

SUPERAÇÃO JÁ! ETAPA DEterminaÇÃO CADERNO DO ESTUDANTE

SUPERAÇÃO JÁ! ETAPA DEterminaÇÃO CADERNO DO ESTUDANTE Escola de Tempo Integral Experiências Matemáticas 7º ANO (6ª série) SUPERAÇÃO JÁ! ETAPA DEterminaÇÃO CADERNO DO ESTUDANTE Este é um material em construção que contém os capítulos de apoio das atividades

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Alfabetização e Letramento. Formação do Leitor. Leitura.

PALAVRAS-CHAVE Alfabetização e Letramento. Formação do Leitor. Leitura. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Leitura e escrita são tarefas da escola e não só do professor de português

Leitura e escrita são tarefas da escola e não só do professor de português Leitura e escrita são tarefas da escola e não só do professor de português Paulo Coimbra Guedes e Jane Mari de Souza A tarefa de ensinar a ler e a escrever um texto de história é do professor de história

Leia mais

JAKOBSON, DUCHAMP E O ENSINO DE ARTE

JAKOBSON, DUCHAMP E O ENSINO DE ARTE JAKOBSON, DUCHAMP E O ENSINO DE ARTE Terezinha Losada Resumo: A obra Fonte de Marcel Duchamp é normalmente apontada pela crítica de arte como a síntese e a expressão mais radical da ruptura com a tradição

Leia mais

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação I - Proposta de Redação INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação A proposta de redação do vestibular do ITA pode ser composta de textos verbais, não verbais (foto ou ilustração,

Leia mais

NOSSO CURRÍCULO A EDUCAÇÃO QUE PRATICAMOS ÁREA DAS CIÊNCIAS HUMANAS. Adotamos uma pedagogia:

NOSSO CURRÍCULO A EDUCAÇÃO QUE PRATICAMOS ÁREA DAS CIÊNCIAS HUMANAS. Adotamos uma pedagogia: A EDUCAÇÃO QUE PRATICAMOS NOSSO CURRÍCULO Adotamos uma pedagogia: - que faz da escola uma instância efetiva de assimilação crítica, sistemática e integradora do saber e da cultura geral; - que trata os

Leia mais

1ª PARTE: MÚLTIPLA ESCOLHA

1ª PARTE: MÚLTIPLA ESCOLHA 1ª PARTE: MÚLTIPLA ESCOLHA (Marque com um X a única opção que atende ao que é solicitado em cada questão.) TEXTO I GENTE É BICHO E BICHO É GENTE 01 Querido Diário, não tenho mais dúvida de que este mundo

Leia mais

Orientações de Como Estudar Segmento II

Orientações de Como Estudar Segmento II Orientações de Como Estudar Segmento II Aprender é uma tarefa árdua que exige esforço e método e por isso organizamos algumas dicas para ajudá-lo(la) a aprender Como Estudar! Você verá que as orientações

Leia mais

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido 1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido No estudo da Comunicação, a publicidade deve figurar como um dos campos de maior interesse para pesquisadores e críticos das Ciências Sociais e Humanas.

Leia mais

COMO CRIAR UMA LISTA DE EMAILS GASTANDO MUITO POUCO

COMO CRIAR UMA LISTA DE EMAILS GASTANDO MUITO POUCO COMO CRIAR UMA LISTA DE EMAILS GASTANDO MUITO POUCO O dinheiro está na lista Junte emails e você estará mais perto da lista dos homens mais ricos do mundo. Essa é uma frase repleta de exageros, mas foi

Leia mais

QUESTÃO 04 QUESTÃO 05

QUESTÃO 04 QUESTÃO 05 QUESTÃO 01 Arte abstrata é uma arte: a) que tem a intenção de representar figuras geométricas. b) que não pretende representar figuras ou objetos como realmente são. c) sequencial, como, por exemplo, a

Leia mais

Os Impressionistas. Episódio: Vincent Van Gogh. Palavras-chave Pintura, biografia, Van Gogh, impressionismo, França

Os Impressionistas. Episódio: Vincent Van Gogh. Palavras-chave Pintura, biografia, Van Gogh, impressionismo, França Os Impressionistas Episódio: Vincent Van Gogh Resumo Este vídeo, da série Os impressionistas, aborda a vida e obra do artista holandês Vincent Van Gogh. Autodidata, Van Gogh é um dos mais aclamados e mitificados

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

Atividade de Língua Portuguesa 3ª Etapa/2013 6 ano - Profª Maria de Lourdes

Atividade de Língua Portuguesa 3ª Etapa/2013 6 ano - Profª Maria de Lourdes Atividade de Língua Portuguesa 3ª Etapa/2013 6 ano - Profª Maria de Lourdes Hoje em dia, quem brinca com a criança é o brinquedo e não o contrário. Walter Benjamim Brincar é uma arte que encanta o ser

Leia mais

1ª a 5ª série. (Pró-Letramento, fascículo 1 Capacidades Linguísticas: Alfabetização e Letramento, pág.18).

1ª a 5ª série. (Pró-Letramento, fascículo 1 Capacidades Linguísticas: Alfabetização e Letramento, pág.18). SUGESTÕES PARA O APROVEITAMENTO DO JORNAL ESCOLAR EM SALA DE AULA 1ª a 5ª série A cultura escrita diz respeito às ações, valores, procedimentos e instrumentos que constituem o mundo letrado. Esse processo

Leia mais

PARA QUEM CURSA O 7.O ANO EM

PARA QUEM CURSA O 7.O ANO EM Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 7.O ANO EM 2014 Disciplina: Prova: PoRTUGUÊs desafio nota: Analise o cartaz abaixo e responda às questões 1 e 2. 1 PORTUGUÊS DESAFIO

Leia mais

A ESCRITA CRIATIVA: ESCREVENDO EM SALA DE AULA E PUBLICANDO NA WEB Solimar Patriota Silva (UNIGRANRIO) solimar.silva@unigranrio.edu.

A ESCRITA CRIATIVA: ESCREVENDO EM SALA DE AULA E PUBLICANDO NA WEB Solimar Patriota Silva (UNIGRANRIO) solimar.silva@unigranrio.edu. A ESCRITA CRIATIVA: ESCREVENDO EM SALA DE AULA E PUBLICANDO NA WEB Solimar Patriota Silva (UNIGRANRIO) solimar.silva@unigranrio.edu.br RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar algumas sugestões de

Leia mais

Considerando a função social das informações geradas nos sistemas de comunicação e informação, o ambiente virtual descrito no texto exemplifica

Considerando a função social das informações geradas nos sistemas de comunicação e informação, o ambiente virtual descrito no texto exemplifica 01) O "Portal Domínio Público", lançado em novembro de 2004, propõe o compartilhamento de conhecimentos de forma equânime e gratuita, colocando à disposição de todos os usuários da Internet, uma biblioteca

Leia mais

MURAL DEZEMBRO 2015. Compromisso NATAL SOLIDÁRIO. O Natal está chegando e nessa data não podemos esquecer de ajudar quem precisa!!

MURAL DEZEMBRO 2015. Compromisso NATAL SOLIDÁRIO. O Natal está chegando e nessa data não podemos esquecer de ajudar quem precisa!! Compromisso NATAL SOLIDÁRIO O Natal está chegando e nessa data não podemos esquecer de ajudar quem precisa!! Todos os anos os Correios fazem uma ação muito bacana para que as crianças carentes possam ter

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Crianças do Brasil Suas histórias, seus brinquedos, seus sonhos elaborada por ANA CAROLINA CARVALHO livro de JOSÉ SANTOS ilustrações

Leia mais

Linguística Aplicada ao ensino de Língua Portuguesa: a oralidade em sala de aula (Juliana Carvalho) A Linguística Aplicada (LA) nasceu há mais ou menos 60 anos, como uma disciplina voltada para o ensino

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE MATERNAL I

PLANEJAMENTO ANUAL DE MATERNAL I COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE MATERNAL I SÉRIE: EDUCAÇÃO INFANTIL MATERNAL

Leia mais

LUZ E SOMBRA NA ARTE

LUZ E SOMBRA NA ARTE LUZ E SOMBRA NA ARTE A luz e a sombra são elementos fundamentais da linguagem visual. Com elas podemos criar no desenho, na pintura e escultura belíssimos efeitos como o de dilatação do espaço, o de profundidade

Leia mais

MATEMÁTICA U F R N FÁBIO FININHO

MATEMÁTICA U F R N FÁBIO FININHO O professor Fábio Marcelino da Silva (Fininho) é licenciado em matemática pela UFRN e pós graduando no ensino de educação matemática. Desde o ano de 001 dedica-se á área de concursos públicos no IAP Cursos

Leia mais

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA AULA 11 PG 1 Este material é parte integrante da disciplina Linguagem e Argumentação Jurídica oferecido pela UNINOVE. O acesso às atividades, as leituras interativas, os exercícios, chats, fóruns de discussão

Leia mais

GUIA PEDAGÓGICO PARA OS PAIS Jardim I

GUIA PEDAGÓGICO PARA OS PAIS Jardim I EDUCAÇÃO INFANTIL Maceió, 12 de março de 2015. GUIA PEDAGÓGICO PARA OS PAIS Jardim I Senhores pais ou responsáveis Iniciamos esta semana os projetos pedagógicos do 1 Trimestre letivo. As turmas de Jardim

Leia mais

Matemática - Professor: Leonardo Maciel

Matemática - Professor: Leonardo Maciel Colégio Nossa Senhora de Lourdes Matemática - Professor: Leonardo Maciel ESTATÍSTICA TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Uma pesquisa de opinião foi realizada para avaliar os níveis de audiência de alguns canais

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2006 / 2ª FASE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL TÉCNICO E ENSINO MÉDIO REDAÇÃO

PROCESSO SELETIVO 2006 / 2ª FASE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL TÉCNICO E ENSINO MÉDIO REDAÇÃO PROCESSO SELETIVO 2006 / 2ª FASE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL TÉCNICO E ENSINO MÉDIO REDAÇÃO TEMA 1 O Adolescente (Mário Quintana) A vida é tão bela que chega a dar medo. Não o medo que paralisa e gela,

Leia mais

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Curso: Nome do (a) Aluno (a): Ano: 3º Componente Curricular: Língua Portuguesa Professor

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

O Livro de informática do Menino Maluquinho

O Livro de informática do Menino Maluquinho Coleção ABCD - Lição 1 Lição 1 O Livro de informática do Menino Maluquinho 1 2 3 4 5 6 7 8 Algumas dicas para escrever e-mails: 1. Aprender português. Não adianta fi car orgulhoso por mandar um e-mail

Leia mais

Projetos 2013. Turmas: Maternal e Mini Maternal PROJETO AMIZADE. Justificativa

Projetos 2013. Turmas: Maternal e Mini Maternal PROJETO AMIZADE. Justificativa Projetos 2013 Turmas: Maternal e Mini Maternal Justificativa PROJETO AMIZADE Devido aos constantes conflitos e preconceitos que se encontram e que presencia-se no dia a dia das crianças no seu meio social,

Leia mais

CONTEÚDOS OBJETIVOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CONTEÚDOS OBJETIVOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PLANO DE TRABALHO ELABORAÇÃO: JOSIANE DE LIMA GÊNERO: Notícia PERÍODO APROXIMADAMENTE: 4º Ano CONTEÚDOS OBJETIVOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - Ritmo, fluência e entonação na leitura; - Apreensão das ideias

Leia mais

MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho

MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho VERSÍCULOS PARA DECORAR ESTA SEMANA Usamos VERSÍCULOS a Bíblia na PARA Nova DECORAR Versão Internacional ESTA SEMANA NVI Usamos

Leia mais

A importância da leitura na fase infantil.

A importância da leitura na fase infantil. EDIÇÃO II VOLUME 3 01/04/2011 A importância da leitura na fase infantil. O desenvolvimento de interesses e hábitos permanentes de leitura é um processo constante, que principia no lar, aperfeiçoa-se sistematicamente

Leia mais

1 o Período Educação Infantil

1 o Período Educação Infantil 1 o Período Educação Infantil Eixo temático: O tema Imaginação visa a estimular as distintas áreas de desenvolvimento integral das crianças, bem como favorecer o crescimento de suas habilidades e competências.

Leia mais

Sentimentos e emoções Quem vê cara não vê coração

Sentimentos e emoções Quem vê cara não vê coração Material pelo Ético Sistema de Ensino Elaborado para Educação Infantil Publicado em 2011 Projetos temáticos EDUCAÇÃO INFANTIL Data: / / Nível: Escola: Nome: Sentimentos e emoções Quem vê cara não vê coração

Leia mais

BARTOLOMEU CAMPOS QUEIRÓS. Onde tem bruxa tem fada

BARTOLOMEU CAMPOS QUEIRÓS. Onde tem bruxa tem fada Leitor iniciante Leitor em processo Leitor fluente BARTOLOMEU CAMPOS QUEIRÓS Onde tem bruxa tem fada ILUSTRAÇÕES: SUPPA PROJETO DE LEITURA Maria José Nóbrega Rosane Pamplona Onde tem bruxa tem fada BARTOLOMEU

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ZERO Instruções REDAÇÃO Você deve desenvolver seu texto em um dos gêneros apresentados nas propostas de redação. O tema é único para as três propostas. O texto deve ser redigido em prosa. A fuga do tema

Leia mais

COLÉGIO MONS. JOVINIANO BARRETO

COLÉGIO MONS. JOVINIANO BARRETO GABARITO 3ª ETAPA INGLÊS COLÉGIO MONS. JOVINIANO BARRETO 52 ANOS DE HISTÓRIA ENSINO E DISCIPLINA Rua Frei Vidal, 1621 São João do Tauape/Fone/Fax: 3272-1295 www.jovinianobarreto.com.br 1º ANO Nº TURNO:

Leia mais

ESTILO E IDENTIDADE. Autores: TACIANA CORREIA PINTO VIEIRA DE ANDRADE E CARMEM LÚCIA DE OLIVEIRA MARINHO

ESTILO E IDENTIDADE. Autores: TACIANA CORREIA PINTO VIEIRA DE ANDRADE E CARMEM LÚCIA DE OLIVEIRA MARINHO ESTILO E IDENTIDADE Autores: TACIANA CORREIA PINTO VIEIRA DE ANDRADE E CARMEM LÚCIA DE OLIVEIRA MARINHO Introdução Por milhares de anos, foi possível concordar que a mais importante linguagem do homem

Leia mais

CONHECIMENTOS BÁSICOS

CONHECIMENTOS BÁSICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens a seguir se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com o

Leia mais

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA SEED/MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA MÍDIAS NA EDUCAÇÃO.

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA SEED/MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA MÍDIAS NA EDUCAÇÃO. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA SEED/MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Ieda Maria Alves de Souza Laura Jane Pereira Fernandes Lia Jussara Leães

Leia mais

COMO AVALIAR O TEXTO LITERÁRIO CRITÉRIOS DE ANÁLISE

COMO AVALIAR O TEXTO LITERÁRIO CRITÉRIOS DE ANÁLISE COMO AVALIAR O TEXTO LITERÁRIO CRITÉRIOS DE ANÁLISE Literatura Infantil aspectos a serem desenvolvidos A natureza da Literatura Infanto-Juvenil está na Literatura e esta é uma manifestação artística. Assim,

Leia mais

PRONUNCIAMENTO SOBRE VIGÊNCIA DA PORTARIA 1.220/2007, DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, QUE ATRASA A PROGRAMAÇÃO DA

PRONUNCIAMENTO SOBRE VIGÊNCIA DA PORTARIA 1.220/2007, DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, QUE ATRASA A PROGRAMAÇÃO DA PRONUNCIAMENTO SOBRE VIGÊNCIA DA PORTARIA 1.220/2007, DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, QUE ATRASA A PROGRAMAÇÃO DA TELEVISÃO ABERTA NOS ESTADOS DO AMAZONAS, MATO GROSSO DO SUL, PARÁ, RONDÔNIA, RORAIMA E ACRE

Leia mais

PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: LEVANTAR HIPÓTESES SOBRE O LIVRO, INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO

PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: LEVANTAR HIPÓTESES SOBRE O LIVRO, INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: LEVANTAR HIPÓTESES SOBRE O LIVRO, INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO. Atividade 1 Antes de você iniciar a leitura

Leia mais

dicas para usar o celular nas aulas

dicas para usar o celular nas aulas E-book 11 dicas para usar o celular nas aulas Sugestões de atividades com os aplicativos mais básicos e simples de um aparelho Por Talita Moretto É permitido compartilhar e adaptar este material, desde

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia

Universidade Federal de Uberlândia PRIMEIRA QUESTÃO A) É importante que o candidato ressalte o fato de que, na ilha, a princípio, tudo é eletivo : cabe aos indivíduos escolher os seus papéis. Esta liberdade da constituição do sujeito deve

Leia mais

TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS

TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS Sétimo Fórum Nacional de Professores de Jornalismo Praia dos Ingleses, SC, abril de 2004 GT: Laboratório de Jornalismo Eletrônico Trabalho: TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS Autora: Célia Maria Ladeira

Leia mais