NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DE ÔNIBUS / MICRO ÔNIBUS / VAN Subfrota Câmpus de São José do Rio Preto VIGÊNCIA A PARTIR DE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DE ÔNIBUS / MICRO ÔNIBUS / VAN Subfrota Câmpus de São José do Rio Preto VIGÊNCIA A PARTIR DE 01.07.2009"

Transcrição

1 NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DE ÔNIBUS / MICRO ÔNIBUS / VAN Subfrota Câmpus de São José do Rio Preto VIGÊNCIA A PARTIR DE PRIORIDADES 1.1. Atividades didáticas; 1.2. Atividades científicas; 1.3. Congressos, Simpósios e Reuniões Científicas; 1.4. Atividades de Extensão e Serviços; 1.5. Outros Eventos de interesse da Comunidade; OBS: - Observada sempre a Programação Anual de Excursões. 2- PROCEDIMENTOS PARA REQUISIÇÃO E ANÁLISE DAS SOLICITAÇÕES 2.1. A requisição (modelo anexo) deverá ser preenchida na íntegra e encaminhada à Seção de Atividades Auxiliares. A autorização final caberá à Direção O requisitante indicará o responsável que acompanhará a viagem As requisições deverão ser entregues, mesmo que a viagem já conste da Programação Anual de Excursões, com antecedência mínima de 30 dias da realização da viagem As solicitações com prazos inferiores a 30 dias serão apreciadas e concedidas, observando-se a seqüência de prioridades A lista definitiva de usuários (datilografada ou digitada) com nomes, endereços e números de RG ou códigos de matrícula (se aluno) deverá ser entregue na Seção de Atividades Auxiliares, no mínimo com cinco dias úteis de antecedência do início da viagem. As alterações na lista de passageiros, por questão de segurança, somente serão aceitas com 24 horas de antecedência, observando-se os dias úteis. 3- CUSTOS 3.1. O requisitante se responsabilizará pelas despesas de combustível, pedágios e diárias dos motoristas. (Cotas Departamentais, Projetos etc.) Serão da responsabilidade do requisitante outras despesas não inerentes à conservação e manutenção do veículo, que surgirem, além das previstas Havendo disponibilidade de recursos, as despesas relativas às atividades didáticas da Graduação serão custeadas pela Administração, após autorização da Direção Quando as despesas de viagem forem de responsabilidade dos usuários, o requisitante deverá efetuar o recolhimento do valor estimado até dois dias úteis antes da viagem, junto à Seção de Finanças.

2 4- VIAGENS 4.1. O número de passageiros no veículo não poderá exceder o de poltronas disponíveis Considerando que a vida útil do veículo deve ser maximizada, fica estabelecido que o percurso se restringirá a localidades que distem até km compreendendo ida e volta Por motivo de segurança, viagens acima de 800 km ou 08hs (ida e volta), no mesmo dia ou não, dependendo do roteiro, deverão ter dois motoristas O ônibus se deslocará apenas para os locais indicados na requisição, sendo vedado o transporte com a finalidade de lazer Ao final, os responsáveis deverão preencher e assinar o Controle de Tráfego A viagem iniciará e terminará no Campus da UNESP, utilizando-se, preferencialmente, a BR-153, evitando-se a passagem pela região central e bairros. 5- RESTRIÇÕES - NÃO É PERMITIDO 5.1. Usar e transportar bebidas alcoólicas e outras substâncias vedadas por lei Transportar pessoas estranhas aos corpos Docente, Discente e Técnico- Administrativo, exceto quando expressamente autorizado pela Direção Pessoas que não constam da relação de passageiros poderão, durante o percurso, ser incluídas, mediante autorização escrita do responsável, até o limite do número de poltronas disponíveis Ter conduta pessoal que possa denegrir ou prejudicar o nome da UNESP Atirar objetos pela janela Danificar ou prejudicar o bom estado do coletivo, tanto interno quanto externo Ajoelhar-se no assento, sentar-se nos braços da poltrona ou outras atitudes que prejudiquem o estado do veículo Fumar no interior do veículo, inclusive na cabine do motorista, estacionado ou em movimento, nos termos da legislação em vigor Havendo insistência do fumante, o motorista deverá parar o veículo, fazer o registro da ocorrência e seguir viagem Permanecer na cabine do motorista, exceto o segundo condutor ou o responsável pela viagem. 6- CONDUTOR

3 6.1. Obedecer aos dispositivos do Código Nacional de Trânsito e os Regulamentos e Normas Internas da UNESP Apresentar-se pontualmente para atender aos deslocamentos, comunicando aos responsáveis pela viagem, com a antecedência possível, qualquer impedimento nesse sentido No caso de o responsável não comparecer no horário citado para a saída, o condutor concederá tolerância de 30 minutos, após o que o veículo será recolhido à garagem da Unidade Apresentar-se devidamente uniformizado Conferir a relação de passageiros, que deverá estar assinada pelo responsável. É proibido iniciar a viagem com irregularidade nesse sentido Fiscalizar com rigor o cumprimento das normas, inclusive parar e estacionar o veículo em lugar seguro, no caso de alguma irregularidade Guardar o veículo em local que, a seu critério, esteja seguro, preferencialmente em garagens oficiais, ficando facultado o recolhimento a estacionamento particular A cada três horas de viagem, proceder a um descanso de 15 minutos. Na impossibilidade, procurar adequar a situação a este dispositivo Ater-se à jornada diária de oito horas de trabalho, podendo, a critério do responsável, excedê-la, excepcionalmente, em duas horas Efetuar repouso de, no mínimo, 08 (oito) horas consecutivas entre duas jornadas diárias de trabalho. Após 48 (quarenta e oito) horas, o descanso deverá ser obrigatoriamente fora do veículo Vistoriar o veículo, juntamente com o responsável, antes de iniciar a viagem e após o desembarque dos usuários. Na ocorrência de algum dano, será obrigatório o registro no controle de tráfego, com visto do responsável Os danos causados por imperícia serão de responsabilidade do condutor Responsabilizar-se pela limpeza do ônibus e do toalete Em caso de acidente, priorizar a sinalização e atendimento aos usuários, comunicando, em seguida, a Polícia Militar, Rodoviária ou Civil e a Diretoria de Serviço de Atividades Auxiliares e/ou Seção de Atividades Auxiliares Em situações de emergência que venham prejudicar a continuidade da viagem, o condutor e o(s) responsável(is) terão autonomia para tomar as medidas necessárias, para dar continuidade ao percurso.

4 7- RESPONSÁVEL 7.1. Caberá ao responsável pela viagem informar aos usuários sobre estas normas O responsável deverá apresentar relatório da viagem, incluindo a conduta do(s) motorista(s) - modelo anexo -, no prazo de cinco dias úteis, contados a partir do término da viagem. 8- MULTAS (Portaria UNESP n.º 173/86 artigo 50º) 8.1. As multas impostas serão de responsabilidade: do condutor, quando transgredir a legislação vigente por iniciativa particular; do usuário, quando a transgressão se der por sua ordem; da Administração, quando a transgressão se der por motivos independentes da vontade do motorista e do usuário. 9- VEÍCULO 9.1. Fica vedada a sua liberação para uso de entidades não ligadas à UNESP Em caso de empréstimo do veículo a outra unidade, os motoristas deverão ser, necessariamente, do IBILCE, ficando todas as despesas e eventuais danos sob a responsabilidade da solicitante Após cada viagem, o ônibus deverá permanecer na garagem o tempo necessário para eventuais reparos e manutenção. 10- O requisitante que descumprir as normas estabelecidas neste regulamento ficará impedido de ter atendidas novas solicitações. 11. Os casos omissos serão analisados pela D.S.A.A. / S.A.A. e submetidos à consideração do Diretor desta Unidade. LEMBRETES NÃO É PERMITIDO: - Transportar ou consumir bebidas alcoólicas dentro do veículo. - Parar em Shoppings, boates, bares e praias. - Jogar lixo pelas janelas do veículo. - Mexer com transeuntes. - Colocar o corpo para fora da janela do veículo. - Praticar atos obscenos nas janelas. - Parar nos acostamentos para aguardar passageiros, o que é passível de multa. Lembrar que o acostamento é para ser usado somente em emergências. Declaro pleno conhecimento das normas de utilização do Ônibus Rodoviário, Micro-ônibus e Van. São José do Rio Preto, / /. (Assinatura do Responsável pela viagem)

5 REQUISIÇÃO PARA UTILIZAÇÃO DE VEÍCULO E TERMO DE RESPONSABILIDADE VEÍCULO REQUISITADO: 1. Departamento / Seção / Entidade: ( ) Ônibus Rodoviário (42 lugares) ( ) Microônibus (17 lugares) ( ) Van (15 lugares) 1.1. Finalidade da Viagem: (observar item 1 da norma prioridades) ( ) Atividades didáticas. ( ) Atividades científicas. ( ) Congressos, Simpósios e Reuniões Científicas. ( ) Atividades de Extensão e Serviços. ( ) Outros Eventos de interesse da Comunidade Consta da Programação Anual de Excursões: Sim Não 1.2. Destino (incluído o transporte interno, se houver) Distância: Km Endereço: Telefone: ( ) Cidade: Estado: Indicar, se possível, rodovias a serem percorridas (asfaltadas ou não) 1.3. Nº de Usuários (incluindo os responsáveis): Passageiros 2. Período de Uso: 2.1. Saída do Campus: Data: / / Hora: : 2.2. Previsão de chegada ao destino: Data: / / Hora: : 2.3. Previsão de retorno ao Campus: Data: / / Hora: : 3. Paradas previstas: Ida Local: Volta Local: Tempo: Tempo:

6 4. Tempo de Permanência no Local: 4.1. Visitas Programadas: 5. Requisitante: (Deverá possuir vínculo empregatício com o Campus) Nome: R.G.: Endereço: Telefone: ( ) Cidade: Departamento / Seção: Função: 6. Responsável pela viagem: Nome: R.G.: Endereço: Telefone: ( ) Cidade: Departamento / Seção: Função: LEMBRETES NÃO É PERMITIDO: - Transportar ou consumir bebidas alcoólicas dentro do veículo. - Parar em Shoppings, boates, bares e praias. - Jogar lixo pelas janelas do veículo. - Mexer com transeuntes. - Colocar o corpo para fora da janela do veículo. - Praticar atos obscenos nas janelas. - Parar nos acostamentos para aguardar passageiros, o que é passível de multa. Lembrar que o acostamento é para ser usado somente em emergências. São José do Rio Preto, / / Assinatura do Requisitante

7 Itens a serem preenchidos pela Administração do Câmpus I - Disponibilidade do veículo período: II - Previsão de Roteiro: 1. Tempo Calculado Para a Viagem: 2. Rodovia (s) Utilizada (s): 3. Tipo de Pavimentação: 4. Quilometragem total: 5. Número de Motorista: III - Previsão de Despesas: Descrição Unidade Valor R$ - Combustível - Pedágios - Lavagem e Lubrificação (*) - Diárias - Outras Custo Estimado (será atualizado à época da viagem) * Esta despesa poderá ser incluída ou não nos custos finais, dependendo das condições climáticas da época, das condições da estrada, da quilometragem percorrida e principalmente do estado geral do veículo ao retornar ao Câmpus. Seção de Atividades Auxiliares, / /

8 IV - A presente solicitação se enquadra na seguinte prioridade: ( ) A- Atividades Didáticas; ( ) B- Atividades Científicas; ( ) C- Congressos, Simpósios e Reuniões Científicas; ( ) D- Atividades de Extensão e Serviços; ( ) E- Outros Eventos de interesse da Comunidade da Unesp; As despesas serão de responsabilidade: ( ) do requisitante; ( ) da Administração do Câmpus. Despacho do Diretor: Diretoria, / /

9 RELATÓRIO DE VIAGEM-(RESPONSÁVEL) ( ) Atividades didáticas ( ) Atividades científicas ( ) Congressos, Simpósios e Reuniões Científicas ( ) Atividades de Extensão e Serviços ( ) Outros Eventos de interesse da Comunidade TÍTULO: Prof.(s) Responsável(eis): Saída: Dia / / Horário: : Chegada: Dia / / Horário: : Local das Atividades: Cidade: Estado: Nº. Total de Participantes: Professores: Alunos: Outros: Curso: Série: Roteiro simplificado do percurso: Observações sobre viagem e o condutor do veículo: Data / / Assinatura do(s) responsável (eis) Cientes: Data / / Chefe do Depto. Data / / Diretoria Técnica Administrativa

REQUISIÇÃO PARA UTILIZAÇÃO DO MICRO-ÔNIBUS e VAN

REQUISIÇÃO PARA UTILIZAÇÃO DO MICRO-ÔNIBUS e VAN ANEXO I REQUISIÇÃO PARA UTILIZAÇÃO DO MICRO-ÔNIBUS e VAN Justificativa para participação do evento: Finalidade da Viagem: (observar art. 2º das Normas prioridades) ( ) Atividades didáticas. ( ) Atividades

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CAMPUS DE PARNAÍBA COORDENAÇÃO ADMINISTRATIVA FINANCEIRA. Manual Setor de Transportes

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CAMPUS DE PARNAÍBA COORDENAÇÃO ADMINISTRATIVA FINANCEIRA. Manual Setor de Transportes Manual Setor de Transportes 1. OBJETIVO Estabelecer procedimento para utilização dos veículos em viagem visando atendimento das necessidades da comunidade da UFPI - campus de Parnaíba. 2. CAMPO DE APLICAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 10, DE 20 DE OUTUBRO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 10, DE 20 DE OUTUBRO DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 10, DE 20 DE OUTUBRO DE 2010 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sessão de 20/10/2010, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 19 do Estatuto, consubstanciado

Leia mais

Versão: 1ª. Palavras-chave: Veículos Oficiais; Transportes; transporte institucional, serviços comuns

Versão: 1ª. Palavras-chave: Veículos Oficiais; Transportes; transporte institucional, serviços comuns 1. OBJETIVO 1. Este Regulamento Interno-RI objetiva definir os procedimentos e responsabilidades a serem observados na utilização de veículos oficiais em serviços de interesse da EPL. 2. APLICAÇÃO 1. Este

Leia mais

RECOMENDAÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 13 DE JULHO DE 2012.

RECOMENDAÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 13 DE JULHO DE 2012. Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Osório RECOMENDAÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 13 DE JULHO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS REGULAMENTO DE USO DOS VEÍCULOS: ONIBUS, VAN E KOMBI DA UFGD PARA VIAGENS CAPÍTULO I DAS SOLICITAÇÕES E RESERVAS Art.1º - Este regulamento tem como objetivo a normatização do uso dos veículos: Ônibus,

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE USO DE VEÍCULOS OFICIAIS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE USO DE VEÍCULOS OFICIAIS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ Universidade Federal do Oeste do Pará Pró-Reitoria de Administração Coordenação de Transportes MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE USO DE VEÍCULOS OFICIAIS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ SANTARÉM PA 2015

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA GRE Nº 001, DE 21 DE MARÇO DE 2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA GRE Nº 001, DE 21 DE MARÇO DE 2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA GRE Nº 001, DE 21 DE MARÇO DE 2011 Dispõe sobre a padronização de atos processuais e a uniformização de procedimentos, visando a otimização e a racionalização da tramitação dos processos

Leia mais

PORTARIA Nº 15, DE 08 DE MARÇO DE 2007.

PORTARIA Nº 15, DE 08 DE MARÇO DE 2007. PORTARIA Nº 15, DE 08 DE MARÇO DE 2007. Regulamenta o uso dos veículos da frota oficial e estabelece normas gerais sobre as atividades de transporte de usuários da FHDSS-Unesp. O Diretor da Faculdade de

Leia mais

ESCRITÓRIO CENTRAL DO PROGRAMA LBA Departamento de logística NORMATIZAÇÃO DO SERVIÇO DE TRANSPORTE E UTILIZAÇÃO DOS VEÍCULOS

ESCRITÓRIO CENTRAL DO PROGRAMA LBA Departamento de logística NORMATIZAÇÃO DO SERVIÇO DE TRANSPORTE E UTILIZAÇÃO DOS VEÍCULOS NORMATIZAÇÃO DO SERVIÇO DE TRANSPORTE E UTILIZAÇÃO DOS VEÍCULOS I Do Funcionamento Geral do Serviço de Transporte 1. Os veículos do Programa LBA destinam-se ao uso exclusivo de seus pesquisadores, funcionários

Leia mais

Estado de Alagoas CONSELHO ESTADUAL DE SEGURANÇA PÚBLICA RESOLUÇÃO N 18/2010

Estado de Alagoas CONSELHO ESTADUAL DE SEGURANÇA PÚBLICA RESOLUÇÃO N 18/2010 RESOLUÇÃO N 18/2010 Dispõe sobre regulamentação para uso de veículos oficiais de todos os órgãos e corporações vinculadas a Defesa Social. O, com fundamento no disposto no 5º do art. 6º do seu Regimento

Leia mais

Art. 2º Para os fins da presente Resolução, adotam-se as seguintes

Art. 2º Para os fins da presente Resolução, adotam-se as seguintes RESOLUÇÃO N o 004, de 16 de março de 2015. Estabelece procedimentos para utilização de veículos oficiais da UFSJ, e dá outras providências. A PRESIDENTE DO CONSELHO DIRETOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Diretoria de Planejamento e Administração Departamento de Serviços Gerais CÂMPUS DOIS VIZINHOS

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Diretoria de Planejamento e Administração Departamento de Serviços Gerais CÂMPUS DOIS VIZINHOS UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Diretoria de Planejamento e Administração Departamento de Serviços Gerais CÂMPUS DOIS VIZINHOS Normas de utilização de veículos oficiais Universidade Tecnológica

Leia mais

PORTARIA Nº 58, DE 30 DE SETEMBRO DE 2011

PORTARIA Nº 58, DE 30 DE SETEMBRO DE 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS BAMBUÍ GABINETE DO DIRETOR-GERAL Fazenda Varginha Rodovia

Leia mais

ROTINA PARA ELABORAÇÃO DE VIAGEM DE CAMPO CONSIDERAÇÕES INICIAIS

ROTINA PARA ELABORAÇÃO DE VIAGEM DE CAMPO CONSIDERAÇÕES INICIAIS ROTINA PARA ELABORAÇÃO DE VIAGEM DE CAMPO CONSIDERAÇÕES INICIAIS Antes da programação das viagens de campo, caberá ao docente ter conhecimento da Instrução Normativa Nº 04/2011, que estabelece as diretrizes

Leia mais

CONSIDERANDO, ainda, a necessidade e conveniência de consolidar todas as regras relativas aos veículos oficiais; CAPÍTULO I. Das Disposições Gerais

CONSIDERANDO, ainda, a necessidade e conveniência de consolidar todas as regras relativas aos veículos oficiais; CAPÍTULO I. Das Disposições Gerais Instrução Normativa DPG nº 02 de 23 de outubro de 2014 Dispõe sobre a gestão operacional e patrimonial da frota de veículos oficiais da Defensoria Pública do Estado do Paraná e dá outras providências.

Leia mais

Coordenadoria da Moralidade Administrativa INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12/CMA/2008 ÁREA: ADMINISTRAÇÃO DIRETA, FUNDOS E FUNDAÇÕES DO MUNICÍPIO DE ITAJAÍ

Coordenadoria da Moralidade Administrativa INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12/CMA/2008 ÁREA: ADMINISTRAÇÃO DIRETA, FUNDOS E FUNDAÇÕES DO MUNICÍPIO DE ITAJAÍ INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12/CMA/2008 ÁREA: ADMINISTRAÇÃO DIRETA, FUNDOS E FUNDAÇÕES DO MUNICÍPIO DE ITAJAÍ ASSUNTO: INSTRUMENTO NORMATIVO HISTÓRICO DELIBERAÇÃO VIGÊNCIA PROTOCOLO Nº DESCRIÇÃO Nº DATA A PARTIR

Leia mais

Cel. Vicente, 281 Centro Porto Alegre RS www.poa.ifrs.edu.br

Cel. Vicente, 281 Centro Porto Alegre RS www.poa.ifrs.edu.br A presente publicação tem por objetivo divulgar as normas relacionadas à utilização do serviço de veículos fretados (ônibus, micro-ônibus e vans) pelo IFRS Campus Porto Alegre. A padronização das rotinas

Leia mais

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS Página 1 ÍNDICE CAPÍTULO 1 -DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS... 3 CAPÍTULO 2 - DA DESTINAÇÃO DOS LABORATÓRIOS... 3 CAPÍTULO 3 - DAS ATRIBUIÇÕES E COMPETÊNCIAS... 5 CAPÍTULO 4 - UTILIZAÇÃO

Leia mais

O Reitor da Universidade Federal de São Carlos, no uso de suas atribuições legais e estatutárias,

O Reitor da Universidade Federal de São Carlos, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS Gabinete do Reitor Via Washington Luís, km 235 Caixa Postal 676 13565-905 São Carlos SP - Brasil Fones: (16) 260-8101/260-8102 Fax: (16) 261-4846/261-2081 E-mail: reitoria@ufscar.br

Leia mais

PORTARIA FAIBI Nº 006/2012 de 07/03/2012

PORTARIA FAIBI Nº 006/2012 de 07/03/2012 PORTARIA FAIBI Nº 006/2012 de 07/03/2012 Estabelece critérios e diretrizes gerais que nortearão a realização de visitas técnicas e atividades externas realizadas pelos discentes e docentes dos Cursos Superiores

Leia mais

DOS PROCEDIMENTOS QUANTO À OCORRÊNCIA DE SINISTROS COM VEÍCULOS... 7. DO RECEBIMENTO DE BENS DOADOS PELA Receita Federal do Brasil (RFB)...

DOS PROCEDIMENTOS QUANTO À OCORRÊNCIA DE SINISTROS COM VEÍCULOS... 7. DO RECEBIMENTO DE BENS DOADOS PELA Receita Federal do Brasil (RFB)... Manual de Frota 2 SUMÁRIO DO CONTRATO DE MOTORISTAS TERCEIRIZADOS... 3 DAS SOLICITAÇÕES DE VEÍCULOS OFICIAIS... 3 DO ABASTECIMENTO... 4 Do Abastecimento de veículos de outros órgãos... 5 DA MANUTENÇÃO

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA N.º 784/2007. (republicada no DOAL nº 9212, de 12 de março de 2008) (vide publicação original abaixo)

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL PORTARIA Nº 1.383 DE 23 DE OUTUBRO DE 2012

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL PORTARIA Nº 1.383 DE 23 DE OUTUBRO DE 2012 PORTARIA Nº 1.383 DE 23 DE OUTUBRO DE 2012 O Reitor da Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições vem, nos termos do inciso XI do art. 26 do Regimento Geral da UNIFAL-MG e do

Leia mais

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ OLIMPICO DE PORTUGAL CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ OLIMPICO DE PORTUGAL CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ OLIMPICO DE PORTUGAL CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objeto 1. O Presente Regulamento estabelece as condições

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 006, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2010, DO REITOR DA UFTM.

RESOLUÇÃO N. 006, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2010, DO REITOR DA UFTM. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO UBERABA-MG RESOLUÇÃO N. 006, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2010, DO REITOR DA UFTM. Dispõe sobre a solicitação, autorização, concessão e prestação

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Av. João Naves de Ávila, 2121 Campus Santa Mônica CP 593 38400-902 Uberlândia MG

Universidade Federal de Uberlândia Av. João Naves de Ávila, 2121 Campus Santa Mônica CP 593 38400-902 Uberlândia MG RESOLUÇÃO N o 08/2010, DO CONSELHO DIRETOR Dispõe sobre a utilização de espaços físicos da Universidade Federal de Uberlândia para a promoção de eventos artísticos, científicos, culturais, esportivos,

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO AUDITÓRIO DO COMITÉ OLIMPICO DE PORTUGAL

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO AUDITÓRIO DO COMITÉ OLIMPICO DE PORTUGAL REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO AUDITÓRIO DO COMITÉ OLIMPICO DE PORTUGAL Artigo 1.º Âmbito O presente Regulamento estabelece as normas gerais e condições de utilização do auditório do Comité Olímpico de Portugal,

Leia mais

Município de Alfândega da Fé Câmara Municipal

Município de Alfândega da Fé Câmara Municipal Município de Alfândega da Fé Câmara Municipal REGULAMENTO INTERNO DE USO DE VEÍCULOS MUNICIPAIS Artigo 1º Objectivo O Regulamento Interno de Uso de Veículos Municipais visa definir o regime de utilização

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 01, de 29 de janeiro de 2015.

RESOLUÇÃO Nº 01, de 29 de janeiro de 2015. RESOLUÇÃO Nº 01, de 29 de janeiro de 2015. Dispõe sobre o uso e condução de veículos oficiais do Instituto de Previdência do Município de Jacareí. A Presidência do Instituto de Previdência do Município

Leia mais

INSTRUÇÃO nº 01/09 - PREVIMPA

INSTRUÇÃO nº 01/09 - PREVIMPA INSTRUÇÃO nº 01/09 - PREVIMPA Regulamenta, no âmbito do PREVIMPA, o uso de Transporte Administrativo, estabelece competências para o gerenciamento, controle e uso dos veículos automotores, e dá outras

Leia mais

PORTARIA FATEC / PRESIDENTE PRUDENTE Nº 18/2008 DE 23 DE JUNHO DE 2008.

PORTARIA FATEC / PRESIDENTE PRUDENTE Nº 18/2008 DE 23 DE JUNHO DE 2008. PORTARIA FATEC / PRESIDENTE PRUDENTE Nº 18/2008 DE 23 DE JUNHO DE 2008. Estabelece normas para utilização da Biblioteca da Faculdade de Tecnologia de Presidente Prudente. O Diretor da Faculdade de Tecnologia

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA EM CIÊNCIAS HUMANAS - CEP-CH -

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA EM CIÊNCIAS HUMANAS - CEP-CH - SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS Estrada de São Lázaro, 197. Federação. Salvador/Bahia. CEP.: 40210-730. Tel/Fax: +55 71 3331-2755 REGIMENTO

Leia mais

REGIMENTO DA BIBLIOTECA. Rosmar Tobias FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÃ DO NORTE

REGIMENTO DA BIBLIOTECA. Rosmar Tobias FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÃ DO NORTE REGIMENTO DA BIBLIOTECA Rosmar Tobias FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÃ DO NORTE SUMÁRIO 1 DOS OBJETIVOS... 3 2 DA ORGANIZAÇÃO TÉCNICA... 3 3 DA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA... 3 4 DO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO...

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO DO PAVILHÃO GIMNODESPORTIVO NORMA JUSTIFICATIVA

PROJETO DE REGULAMENTO DO PAVILHÃO GIMNODESPORTIVO NORMA JUSTIFICATIVA PROJETO DE REGULAMENTO DO PAVILHÃO GIMNODESPORTIVO NORMA JUSTIFICATIVA O Pavilhão Gimnodesportivo Municipal, constituído pelo recinto de jogos principal, ginásio e sala de musculação, é propriedade da

Leia mais

PORTARIA Nº 1871/GR, DE 12 DE AGOSTO DE 2013.

PORTARIA Nº 1871/GR, DE 12 DE AGOSTO DE 2013. O REITOR DO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS, no uso das atribuições que lhe conferem os artigos 11 e 14 da Lei n 11.892, de 29/12/2008, publicada no DOU em 30/12/2008, nomeado pela Portaria n 987, do, de

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referentes ao funcionamento do Sistema de Bibliotecas do Centro Universitário Lusíada

Leia mais

Estabelecer os critérios e os procedimentos para a disponibilização de veículos para deslocamento de pessoas e materiais no âmbito do PJAC.

Estabelecer os critérios e os procedimentos para a disponibilização de veículos para deslocamento de pessoas e materiais no âmbito do PJAC. Código: MAP-DILOG-006 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Instalações Aprovado por: Diretoria de Logística 1 OBJETIVO Estabelecer os critérios e os procedimentos para a disponibilização

Leia mais

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 09/2014

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 09/2014 CONSÓRCIO PÚBLICO INTERMUNICIPAL DE SAÚDE DO NORTE PIONEIRO RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 09/2014 A Diretoria Administrativa do Consórcio Público Intermunicipal de Saúde do Norte Pioneiro -, no uso de suas

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO CEARÁ RESOLUÇÃO Nº 415 (1º DE SETEMBRO DE 2010)

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO CEARÁ RESOLUÇÃO Nº 415 (1º DE SETEMBRO DE 2010) TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO CEARÁ RESOLUÇÃO Nº 415 (1º DE SETEMBRO DE 2010) Dispõe sobre a frota oficial de veículos, em complementação à Resolução n. 83/2009, do Conselho Nacional de Justiça - CNJ.

Leia mais

A REITORA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL, no uso de suas atribuições legais, resolve:

A REITORA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL, no uso de suas atribuições legais, resolve: SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul INSTRUÇÃO NORMATIVA N O 009, de

Leia mais

- Responsabilidades do Motorista -

- Responsabilidades do Motorista - NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS OFICIAIS - Responsabilidades do Motorista - 1. Operar conscientemente o veículo, obedecidas as suas características técnicas, e observando rigorosamente

Leia mais

o Vereador que firma o presente vem pelas prerrogativas garantidas na Lei Orgânica Municipal

o Vereador que firma o presente vem pelas prerrogativas garantidas na Lei Orgânica Municipal .. CÂMARA MUNICIPAL DA SERRA ESTADO DO ESPIRITO SANTO Aos Excelentíssimos Senhores Vereadores da Câmara Municipal de Serra o Vereador que firma o presente vem pelas prerrogativas garantidas na Lei Orgânica

Leia mais

Faculdade de Tecnologia de Barueri Padre Danilo José de Oliveira Ohl. Portaria nº 05/2014

Faculdade de Tecnologia de Barueri Padre Danilo José de Oliveira Ohl. Portaria nº 05/2014 Página 1 de 9 Portaria nº 05/2014 Estabelece e Regulamenta a Política de Uso dos Computadores, Laboratórios de Informática e Equipamentos Eletrônicos da Faculdade de Tecnologia de Barueri. O Diretor da

Leia mais

BOLETIM DE SERVIÇO Nº 07/II 2014 09 de julho de 2014

BOLETIM DE SERVIÇO Nº 07/II 2014 09 de julho de 2014 BOLETIM DE SERVIÇO Nº 07/II 2014 09 de julho de 2014 Câmpus Barbacena Rua Monsenhor José Augusto, nº 204 - São José CEP: 36.205-018 Barbacena MG BOLETIM DE SERVIÇO Nº 07/II 09/07/2014 Edição Extra Página

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. PÍNDARO MACHADO SOBRINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. PÍNDARO MACHADO SOBRINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. PÍNDARO MACHADO SOBRINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este regulamento disciplina o funcionamento da Biblioteca Prof.

Leia mais

REGULAMENTO PARA INSCRIÇÃO E SELEÇÃO DE APLICADORES DE PROVAS EM PROCESSOS SELETIVOS DA UFOP

REGULAMENTO PARA INSCRIÇÃO E SELEÇÃO DE APLICADORES DE PROVAS EM PROCESSOS SELETIVOS DA UFOP REGULAMENTO PARA INSCRIÇÃO E SELEÇÃO DE APLICADORES DE PROVAS EM PROCESSOS SELETIVOS DA UFOP 1. DO OBJETIVO A Seleção de Aplicadores de Provas em Processos Seletivos - Vestibulares e Processos Isolados

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS DELIBERAÇÃO Nº 039/2015 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Regimento Interno da Comissão Permanente de Perícia Médica, Segurança e Higiene do Trabalho CPMSHT

Regimento Interno da Comissão Permanente de Perícia Médica, Segurança e Higiene do Trabalho CPMSHT Título I Da Comissão Capítulo I Disposições Gerais Art. 1º - A Comissão Permanente de Perícia Médica, Segurança e Higiene do Trabalho CPMSHT, instituída pelo Decreto nº 9.321, de 1 de março de 2011, integrante

Leia mais

IN- 13-05 RECURSOS HUMANOS ÍNDICE 09/2011 AUXÍLIO-TRANSPORTE GENERALIDADES 1 1/2 NORMAS GERAIS 2 1/5 BENEFICIÁRIOS 3 1/1 PAGAMENTO 4 1/3

IN- 13-05 RECURSOS HUMANOS ÍNDICE 09/2011 AUXÍLIO-TRANSPORTE GENERALIDADES 1 1/2 NORMAS GERAIS 2 1/5 BENEFICIÁRIOS 3 1/1 PAGAMENTO 4 1/3 0 ÍNDICE 09/0 ASSUNTO GENERALIDADES / NORMAS GERAIS /5 BENEFICIÁRIOS 3 / PAGAMENTO 4 /3 DISPOSIÇÕES FINAIS 5 / ANEXOS 6 /3 GENERALIDADES 09/0 I REFERÊNCIAS 0 Medida Provisória.65-36, de 3 de agosto de

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA N 119, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010

PORTARIA NORMATIVA N 119, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010 INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE PORTARIA NORMATIVA N 119, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010 Dispõe sobre o horário de funcionamento do Instituto Chico Mendes, jornada de trabalho e controle

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACADÊMICA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACADÊMICA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACADÊMICA Aprovado pela Resolução Consuni nº. 15/08, de 21/05/08. CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DO FUNCIONAMENTO Art. 1º A Biblioteca Acadêmica, órgão de apoio às atividades do

Leia mais

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento CAPÍTULO V Da Garagem e Estacionamento Art 37. Cada unidade autônoma tem direito a uma vaga de estacionamento, perfazendo um total de 967 (novecentos e sessenta e sete) vagas, distribuídas de acordo com

Leia mais

PORTARIA DETRAN/RS Nº 456, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2010. Institui a Biblioteca do DETRAN/RS e dá outras disposições. O DIRETOR-PRESIDENTE DO

PORTARIA DETRAN/RS Nº 456, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2010. Institui a Biblioteca do DETRAN/RS e dá outras disposições. O DIRETOR-PRESIDENTE DO PORTARIA DETRAN/RS Nº 456, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2010. Institui a Biblioteca do DETRAN/RS e dá outras disposições. O DIRETOR-PRESIDENTE DO DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA RESOLUÇÃO N o 24/2012, DO CONSELHO DE GRADUAÇÃO Aprova as Normas Gerais de Estágio de Graduação da Universidade Federal de Uberlândia, e dá outras providências. O CONSELHO DE GRADUAÇÃO DA, no uso das competências

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DESTE CAMPUS EM: VISITAS TÉCNICAS CAPÍTULO I

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DESTE CAMPUS EM: VISITAS TÉCNICAS CAPÍTULO I REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DESTE CAMPUS EM: VISITAS TÉCNICAS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS Artigo 1º - Visita técnica é atividade complementar dos componentes curriculares dos cursos

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO INSTITUTO FEDERAL DE RONDÔNIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO INSTITUTO FEDERAL DE RONDÔNIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO INSTITUTO FEDERAL

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE TURISMO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE TURISMO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE TURISMO CAPÍTULO I - OBJETIVOS Art. 1º. O presente regulamento tem por finalidade normatizar as atividades de Estágio Supervisionado desenvolvidas no da

Leia mais

REGULAMENTO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA GETÚLIO VARGAS

REGULAMENTO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA GETÚLIO VARGAS REGULAMENTO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA GETÚLIO VARGAS A Presidente da Academia de Educação Montenegro, no uso de suas atribuições regimentais e regulamentares, tendo em vista o Regimento Interno das Faculdades

Leia mais

MANUAL PARA SOLICITAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS EM VIAGENS

MANUAL PARA SOLICITAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS EM VIAGENS DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E LOGÍSTICA SEÇÃO DE TRANSPORTES MANUAL PARA SOLICITAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS EM VIAGENS Documento de orientação aos servidores e alunos Agosto de 2012 Equipe de Gestão: Reitor

Leia mais

Diretoria: Diretoria de Administração e Finanças Área de origem: Gerência Administrativa Assunto: VIAGEM DE PESSOAL NO PAÍS

Diretoria: Diretoria de Administração e Finanças Área de origem: Gerência Administrativa Assunto: VIAGEM DE PESSOAL NO PAÍS SISTEMA DE NORMALIZAÇÃO CORPORATIVA SUBSISTEMA NORMAS ORGANIZACIONAIS Diretoria: Diretoria de Administração e Finanças Área de origem: Gerência Administrativa Assunto: VIAGEM DE PESSOAL NO PAÍS Número:

Leia mais

PORTARIA Nº 14 DE 01 DE JUNHO DE 2013.

PORTARIA Nº 14 DE 01 DE JUNHO DE 2013. PORTARIA Nº 14 DE 01 DE JUNHO DE 2013. Instituir o Manual de condução, utilização e conservação de veículos oficiais do IFMG Campus Sabará. A Diretora-Geral Pro Tempore do Campus Sabará do Instituto Federal,

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL

INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL Art. 1 o O Estágio regulamentado pela Lei N o 11.788, de

Leia mais

18/09/2013 UNN-OP-P0XX Versão 1.1, 18/09/2013 Página: 1 de 7. Nome: Política de Transportes. Aprovação - CEO. Nome: Depto.: Nome: Raimundo Expedito

18/09/2013 UNN-OP-P0XX Versão 1.1, 18/09/2013 Página: 1 de 7. Nome: Política de Transportes. Aprovação - CEO. Nome: Depto.: Nome: Raimundo Expedito Versão 1.1, 18/09/2013 Página: 1 de 7 Código do Documento CO-P0XX Nome: Política de Transportes Autor Data: (dd/mm/aaaa) Aprovação - COO Data: (dd/mm/aaaa) Nome: Depto.: Cargo: Karen Ribeiro Operações

Leia mais

EDITAL Nº 004/2013. 1.4- As funções públicas deverão ser tão somente as vinculadas ao impedimento de titular.

EDITAL Nº 004/2013. 1.4- As funções públicas deverão ser tão somente as vinculadas ao impedimento de titular. EDITAL Nº 004/2013 O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS PÚBLICOS E O SECRETARIO MUNICIPAL DE SÁUDE, no uso de suas atribuições legais e com base nos dispositivos de leis municipais vigentes,

Leia mais

REGULAMENTO. deslocações em serviço e ajudas de custo. agrupamento de escolas da abelheira VIANA DO CASTELO ÍNDICE

REGULAMENTO. deslocações em serviço e ajudas de custo. agrupamento de escolas da abelheira VIANA DO CASTELO ÍNDICE agrupamento de escolas da abelheira VIANA DO CASTELO REGULAMENTO deslocações em serviço e ajudas de custo ÍNDICE I Disposições Gerais 2 II Deslocações em serviço: modalidades 2 III Despesas de Transporte

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 21 - CONSU, DE 05 DE SETEMBRO DE 2014.

RESOLUÇÃO N.º 21 - CONSU, DE 05 DE SETEMBRO DE 2014. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI Conselho Universitário (CONSU) RESOLUÇÃO N.º 21 - CONSU, DE 05 DE SETEMBRO DE 2014. Regulamenta o uso de veículos oficiais

Leia mais

NORMAS DE ATENDIMENTO DA REDE DE BIBLIOTECAS

NORMAS DE ATENDIMENTO DA REDE DE BIBLIOTECAS 1. OBJETIVO As presentes NORMAS DE ATENDIMENTO regulam os procedimentos para utilização do espaço físico e acervo das Bibliotecas da Estácio. 2. DEFINIÇÕES Pergamum - Sistema Integrado de Bibliotecas utilizado

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referente ao funcionamento da Biblioteca da Faculdade do Vale do Itapecuru - FAI, objetivando

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CIDADE LUZ FACILUZ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. CAPÍTULO I Dos usuários e das inscrições

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CIDADE LUZ FACILUZ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. CAPÍTULO I Dos usuários e das inscrições 1 REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CIDADE LUZ FACILUZ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º - Este regulamento disciplina as normas que regem o funcionamento da biblioteca e as relações funcionais

Leia mais

Regulamento de Visitas de Estudo e Intercâmbios Escolares

Regulamento de Visitas de Estudo e Intercâmbios Escolares Cod. 152602 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MELGAÇO Regulamento de Visitas de Estudo e Intercâmbios Escolares REGULAMENTO DAS VISITAS DE ESTUDO E INTERCÂMBIOS ESC0LARES I - DEFINIÇÕES 1.1. Considera-se Visita

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 567/GDGSET.GP, DE 15 DE SETEMBRO DE 2009

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 567/GDGSET.GP, DE 15 DE SETEMBRO DE 2009 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 567/GDGSET.GP, DE 15 DE SETEMBRO DE 2009 Estabelece normas para aquisição, locação e uso de veículos no âmbito do Tribunal Superior do Trabalho e dá outras

Leia mais

TÍTULO I DA SUBORDINAÇÃO E COMPETÊNCIA

TÍTULO I DA SUBORDINAÇÃO E COMPETÊNCIA S u m á r i o DA SUBORDINAÇÃO E COMPETÊNCIA... 2 DO FUNCIONAMENTO... 3 DO USUÁRIO... 3 DAS INSCRIÇÕES... 4 DA CONSULTA... 4 DO EMPRÉSTIMO, RESERVA E DEVOLUÇÃO... 5 DAS SANÇÕES... 6 DO EXTRAVIO E DANOS...

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Edina Watfa Elid Duenhas

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Edina Watfa Elid Duenhas REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Edina Watfa Elid Duenhas Bibliotecária Esp. - Mara Liz Souza da Cunha 2ª revisão atualizada O Regulamento da Biblioteca foi aprovado pelo CONSUP mediante a Resolução nº 012/2013

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DE VIAGENS DE GRADUAÇÃO

REGULAMENTAÇÃO DE VIAGENS DE GRADUAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700 Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000 Fax: (35) 3299-1063 REGULAMENTAÇÃO DE VIAGENS DE GRADUAÇÃO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004/2014 SGA SISTEMA GERAL DE ADMNISTRAÇÃO

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004/2014 SGA SISTEMA GERAL DE ADMNISTRAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004/2014 SGA SISTEMA GERAL DE ADMNISTRAÇÃO VERSÃO: 01 DATA DE APROVAÇÃO: 4 de novembro de 2014 ATO DE APROVAÇÃO: Resolução N.º 116, de 5 de novembro de 2014 UNIDADE RESPONSÁVEL:

Leia mais

REGULAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

REGULAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO CAMPUS DE GUANAMBI Distrito de Ceraíma, s/n - Zona Rural - Cx Postal

Leia mais

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5 SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5 CAPÍTULO III 5 DA INFRAESTRUTURA 5 Seção I 6 Das Dependências 6 Seção II 6 Do Hardware e Software 6 Seção III 7 Das Manutenções 7

Leia mais

Orientações Gerais de Acordo com o Regimento Escolar (parecer favorável do COMED 006/05)

Orientações Gerais de Acordo com o Regimento Escolar (parecer favorável do COMED 006/05) Orientações Gerais de Acordo com o Regimento Escolar (parecer favorável do COMED 006/05) Dos Discentes Todos os alunos matriculados na Unidade Escolar integram o corpo discente tendo o DIREITO de: Valer-se

Leia mais

Universidade Estadual do Paraná Unespar Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Universidade Estadual do Paraná Unespar Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Universidade Estadual do Paraná Unespar Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação EDITAL 13/2015 PRPPG/Unespar Apoio à Participação de Docentes e Discentes de Programas de Pós-Graduação em Eventos Científicos

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento estabelece normas de uso e funcionamento da biblioteca do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

MANUAL DE SOLICITAÇÃO DE VIAGENS INSTITUCIONAIS

MANUAL DE SOLICITAÇÃO DE VIAGENS INSTITUCIONAIS MANUAL DE SOLICITAÇÃO DE VIAGENS INSTITUCIONAIS ELIANO VIEIRA PESSOA Diretor Geral WILTON BEZERRA DE FRAGA Diretor de Ensino LUIZ HERNESTO ARAÚJO DIAS Diretor de Administração e Planejamento MARCO ANTÔNIO

Leia mais

REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ

REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referentes ao funcionamento da Biblioteca das Faculdades MAGSUL, objetivando sempre o aperfeiçoamento

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO CEARÁ Autarquia Federal criado pela Lei Nº 5.905/73 Filiado ao Conselho Internacional de Enfermeiros Genebra

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO CEARÁ Autarquia Federal criado pela Lei Nº 5.905/73 Filiado ao Conselho Internacional de Enfermeiros Genebra DECISÃO COREN/CE Nº 02/2011 DETERMINA REGRAS PARA USO DOS VEÍCULOS OFICIAIS, QUE COMPÕEM A FROTA DO CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO CEARÁ COREN/CE. O CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO CEARÁ COREN/CE,

Leia mais

LEI DOS CAMINHONEIROS (LEI 13.103/2015)

LEI DOS CAMINHONEIROS (LEI 13.103/2015) LEI DOS CAMINHONEIROS (LEI 13.103/2015) Seguem comentários sobre as principais matérias tratadas na Lei dos Caminhoneiros, com dispositivos aplicáveis aos Transportadores Autônomos, às Transportadoras

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SOF Nº

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SOF Nº PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SOF Nº 06, de 17.2.09 O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO o disposto nos arts.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS EDITAL N o 002/2013, DO CONSELHO DA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS Regulamenta a eleição

Leia mais

ESCOLA DE ENFERMAGEM WENCESLAU BRAZ BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGE REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGIE

ESCOLA DE ENFERMAGEM WENCESLAU BRAZ BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGE REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGIE ESCOLA DE ENFERMAGEM WENCESLAU BRAZ BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGE REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA MADRE MARIE ANGIE ITAJUBÁ-MG 2012 CAPÍTULO I Da Biblioteca e seu funcionamento CAPÍTULO II Do usuário Seção

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 010/2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 010/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA N 010/2011 Dispõe sobre o regulamento interno para administração e utilização dos laboratórios de ensino da Universidade Federal de Integração Latino-Americana UNILA. A Pró-Reitoria

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº, DE DE DE 2014

RESOLUÇÃO Nº, DE DE DE 2014 Dispõe sobre a regulamentação da prestação do serviço de transporte rodoviário coletivo interestadual ou internacional de passageiros, em regime de fretamento. A Diretoria da Agência Nacional de Transportes

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008 ATA DO REGISTRO DE PREÇOS CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DO RAMO DE PRESTAÇÃO DE

Leia mais

*DECRETO Nº 2.101, DE 18 DE AGOSTO DE 2009.

*DECRETO Nº 2.101, DE 18 DE AGOSTO DE 2009. Diário Oficial nº : 25145 Data de publicação: 24/08/2009 Matéria nº : 238068 *DECRETO Nº 2.101, DE 18 DE AGOSTO DE 2009. Dispõe sobre a concessão de diárias a servidores públicos civis ou militares e empregados

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS LABORATÓRIOS DA FACULDADE TECSOMA REGRAS DE BIOSSEGURANÇA

REGULAMENTO GERAL DOS LABORATÓRIOS DA FACULDADE TECSOMA REGRAS DE BIOSSEGURANÇA REGULAMENTO GERAL DOS LABORATÓRIOS DA FACULDADE TECSOMA REGRAS DE BIOSSEGURANÇA 2 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 03 REGULAMENTO GERAL DE USO DOS LABORATÓRIOS DA ÁREA DA SAÚDE... 04 TÍTULO I DAS NORMAS DE BIOSSEGURANÇA...

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 36 DO CONSELHO SUPERIOR, DE 20 DE JULHO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº. 36 DO CONSELHO SUPERIOR, DE 20 DE JULHO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº. 36 DO CONSELHO SUPERIOR, DE 20 DE JULHO DE 2015. O Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano, no uso de suas atribuições

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MONÇÃO RI ANEXO V REGULAMENTO DAS VISITAS DE ESTUDO E INTERCÂMBIOS ESCOLARES

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MONÇÃO RI ANEXO V REGULAMENTO DAS VISITAS DE ESTUDO E INTERCÂMBIOS ESCOLARES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MONÇÃO RI ANEXO V REGULAMENTO DAS VISITAS DE ESTUDO E INTERCÂMBIOS ESCOLARES Aprovado em 26 de março de 2013 0 ANEXO V REGULAMENTO DAS VISITAS DE ESTUDO E INTERCÂMBIOS ESC0LARES

Leia mais

ACADEMIA PIONEIROS Férias

ACADEMIA PIONEIROS Férias sempre a mexer (regime OCUPAÇÃO ABERTA) Regulamento Interno Férias 2013 Art.º 1 - Informações Gerais 1. As Férias Academia decorrem nas instalações da Academia Pioneiros e seus parceiros, em regime fechado;

Leia mais

1. OBJETO DOS SERVIÇOS

1. OBJETO DOS SERVIÇOS CONDIÇÕES GERAIS DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA A VEÍCULOS 1. OBJETO DOS SERVIÇOS 1.1. Ao contratar os serviços de Assistência a Veículos 24 horas, o Contratante declara estar de acordo e ciente das condições

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE GOIÁS CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE GOIÁS CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE GOIÁS CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA REGIMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE CARTOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO JOSÉ COELHO Seção I - Das Disposições

Leia mais

DECRETO Nº 3.102 - R, DE 30 de AGOSTO DE 2012

DECRETO Nº 3.102 - R, DE 30 de AGOSTO DE 2012 DECRETO Nº 3.102 - R, DE 30 de AGOSTO DE 2012 Altera o Art. 19 do Regulamento do Sistema de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do Serviço de Fretamento e/ou Turismo, aprovado

Leia mais

Reitoria Coordenadoria de Relações Internacionais. Edital No. 004/2014 COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS/INGLÊS SEM FRONTEIRAS

Reitoria Coordenadoria de Relações Internacionais. Edital No. 004/2014 COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS/INGLÊS SEM FRONTEIRAS Edital No. 004/2014 COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS/INGLÊS SEM FRONTEIRAS A coordenadoria de Relações Internacionais da UENP torna pública a abertura de inscrições e demais procedimentos relativos

Leia mais