ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS APR PASSO A PASSO DOS PROCEDIMENTOS TÉCNICOS, OPERACIONAIS E DE SEGURANÇA DO TRABALHO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS APR PASSO A PASSO DOS PROCEDIMENTOS TÉCNICOS, OPERACIONAIS E DE SEGURANÇA DO TRABALHO"

Transcrição

1 1. Passo Receber o Pedido de Desligamento para execução de trabalhos de manutenção em linhas de distribuição, da área de manutenção e outras áreas da CEB-D, FURNAS, CELG, METRÔ, CAESB, CEB) GERAÇÃO, CORUMBÁ CONCESSÕES (COD) 1.1 de Segurança 1.1 de Segurança 1.1 de Segurança - Sistema Máximo - Equipe de programação de serviços. - Possibilidade de assumir postura inadequada; - Doenças relacionadas a coluna vertebral, membros superiores e inferiores (braços e pernas); - Distensão muscular; - Adotar posturas adequadas; - Queda no mesmo nível. 1.2 Técnicos - Falha no Sistema Máximo. - Lesão corporal (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, luxações, etc.). 1.2 Técnicos na execução do serviço. - Redobrar a atenção no ambiente. 1.2 Técnicos - Realizar manutenções preventivas no sistema de comunicação.

2 2. Passo Aprovar o Pedido de Desligamento para execução de trabalhos de manutenção em linhas de distribuição, da área de manutenção e outras áreas da CEB-D, FURNAS, CELG, METRÔ, CAESB, CEB) GERAÇÃO, CORUMBÁ CONCESSÕES (COD); 2.1 de Segurança 2.1 de Segurança 2.1 de Segurança - Sistema Máximo - Equipe de programação de serviços. - Possibilidade de assumir postura inadequada; - Queda no mesmo nível. - Doenças relacionadas a coluna vertebral, membros superiores e inferiores (braços e pernas); - Distensão muscular; - Lesão corporal (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, luxações, etc.). - Adotar posturas adequadas; - Redobrar a atenção no ambiente. 2.2 Técnicos - Falha no Sistema Máximo. 2.2 Técnicos na execução do serviço. 2.2 Técnicos - Realizar manutenções preventivas no sistema de comunicação.

3 3. Passo Programar a execução da manobra de liberação dos trabalhos de manutenção em linhas de distribuição desenergizadas da área de manutenção e outras áreas da CEB-D, FURNAS, CELG, METRÔ, CAESB, CEB) GERAÇÃO, CORUMBÁ CONCESSÕES (COD); 3.1 de Segurança 3.1 de Segurança 3.1 de Segurança - Sistema Máximo - Equipe de programação de serviços. - Possibilidade de assumir postura inadequada; - Queda no mesmo nível. - Doenças relacionadas a coluna vertebral, membros superiores e inferiores (braços e pernas); - Distensão muscular; - Lesão corporal (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, luxações, etc.). - Adotar posturas adequadas; - Redobrar a atenção no ambiente. 3.2 Técnicos - Falha no Sistema Máximo. 3.2 Técnicos na execução do serviço. 3.2 Técnicos - Realizar manutenções preventivas no sistema de comunicação.

4 4. Passo Executar o Check list da viatura na Subestação no início do turno. 4.1 de Segurança 4.1 de Segurança 4.1 de Segurança - Uniforme padrão completo; - Radiação não ionizante (raio solar) - Queimadura, câncer de pele e insolação. - Uso de bloqueador solar, capacete e vestimenta de trabalho com mangas longas. - Óculos; - Bloqueador solar. - Formulário de Checklist da Viatura; - Caneta; - Prancheta. - Equipe de operadores. - Possibilidade de assumir postura inadequada; - Queda no mesmo nível. 4.2 Técnicos - Deixar de conferir intens. básicos; - Defeito no aparelho de comunicação da viatura. - Doenças relacionadas a coluna vertebral, membros superiores e inferiores (braços e pernas); - Distensão muscular; - Lesão corporal (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, luxações, etc.). 4.2 Técnicos na execução do serviço. - multa/apreensão ao deposito - Adotar posturas adequadas; - Redobrar a atenção no ambiente. 4.2 Técnicos - Conferir com atenção todos os itens do veiculo, inclusive a documentação. - Realizar manutenções preventivas no sistema de comunicação.

5 5. Passo Executar o Check list das ferramentas, materiais e equipamentos. 5.1 de Segurança 5.1 de Segurança 5.1 de Segurança - Uniforme padrão completo;. - Óculos; aba total. - Formulário de Checklist da Viatura; - Caneta; - Prancheta. - Equipe de operadores. - Possibilidade de assumir postura inadequada;. - Queda no mesmo nível. 5.2 Técnicos - Ferramenta e materiais com defeito. - Doenças relacionadas a coluna vertebral, membros superiores e inferiores (braços e pernas); - Distensão muscular; - Lesão corporal (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, luxações, etc.). 5.2 Técnicos - Atraso na execução do serviço. - Assumir postura correta durante a conferência. - Redobrar a atenção no ambiente e ao manusear os equipamentos e ferramentas. 5.2 Técnicos preventivos e corretivospara manutenção

6 6. Passo. Cadastrar a viatura no sistema de comunicação ou preencher a permissão de manobra PPT. 6.1 de Segurança 6.1 de Segurança 6.1 de Segurança - Uniforme padrão completo; - Protetor solar. - Radiação não ionizante - Queimadura, câncer de pele e insolação. - Uso de protetor solar. - Caneta; - Prancheta; - Viatura. - Equipe de operadores Técnicos comunicação;. 6.2 Técnicos - Atraso na execução do serviço Técnicos preventivos e corretivospara manutenção do sistema de comunicação e de equipamentos.

7 7. Passo Receber o Programa de Desligamentos PDD e Manobra Padrão MP. Conferência geral no PDD. 7.1 de Segurança 7.1 de Segurança 7.1 de Segurança - Uniforme padrão completo; Provocar choque elétrico e curto circuito por erro na identificação de equipamento ou da linha de distribuição. - Lesão corporal e morte (queimaduras, cortes eletroplessão, luxações perfurações, torções, esmagamentos, etc.). - Redobrar a atenção na leitura do documento e conferência por mais de um profissional nos itens de Manobra entre operador e despachante. - Óculos; aba total. - Formulário de Checklist da Viatura; - Caneta; - Prancheta. - Equipe de operadores. Trabalho em turno e - Queda no mesmo nível. 7.2 Técnicos - EPI ou EPC com defeito. - Lesão corporal (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, luxações, etc.). 7.2 Técnicos - Atraso na execução do serviço. - Redobrar a atenção no ambiente e ao manusear os equipamentos e ferramentas. 7.2 Técnicos preventivos e corretivospara manutenção adequada dos EPI s e

8 8. Passo Planejar e Analisar Programa de Desligamentos PDD e Manobra Padrão MP. Conferir os dados do PDD. Conferir as Programar o deslocamento. 8.1 de Segurança 8.1 de Segurança 8.1 de Segurança - Uniforme padrão completo; - d4ergência ou erro na identificação de equipamento da linha de distribuição e provocar choque elétrico e curto circuito. - Lesão corporal e morte (queimaduras, cortes eletroplessão, torções perfurações, luxações esmagamentos, etc.). - Redobrar a atenção na leitura do documento e conferência por mais de um profissional nos itens de Manobra entre operador e despachante. - Óculos; aba total. - Formulário PDD e a Manobra Padrão. - Telefone celular e fixo. - Prancheta e caneta. - Desenho Unifilar. - Sistema de comunicação em funcionamento e redundância. - Equipe de operadores e despachantes. Trabalho em turno e 8.2 Técnicos - Falta ou falha de conferência por ruído ou distorção na comunicação ou falta de conferência, atrasos ou deslocamento. 8.2 Técnicos da execução da tarefa. 8.2 Técnicos - Redobrar a atenção na conferência por mais de um profissional e utilizar desenho atualizado.

9 9. Passo Deslocar-se para o local de realização do trabalho. 9.1 de Segurança 9.1 de Segurança 9.1 de Segurança - Uniforme padrão completo; Radiação não ionizante (solar). - Insolação; - Câncer de pele. - Usar protetor solar. - Protetor solar; - Cinto de. - Viatura; - Telefone celular da empresa. - Condutor da equipe. - Risco inerente ao trânsito. 9.2 Técnicos - Problema mecânico ou elétrico na viatura - Lesões corporais; - Traumatismos; - Fraturas; - Morte. 9.2 Técnicos - Atraso na execução do serviço. - Obedecer às leis de trânsito; - Praticar a direção segura/defens4a; - Redobrar atenção. 9.2 Técnicos preventivos e corretivospara manutenção da viatura.

10 10. Passo Equipar-se com EPI s necessários de Segurança de Segurança de Segurança - Uniforme padrão completo;. aba total; - Luvas de vaqueta; - Óculos de Proteção... - Equipe de operadores. - Queda no mesmo nível. - Lesão corporal (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, luxações, etc.).. - Redobrar a atenção no ambiente. - Emitir e solicitar reparo na iluminação 10.2 Técnicos Técnicos Técnicos.

11 11. Passo Preparar materiais, ferramentas e equipamentos que serão utilizados na execução da manobra de Segurança de Segurança de Segurança - Uniforme padrão completo;. aba total; - Luvas de vaqueta; - Óculos de proteção... - Equipe de operadores. - Possibilidade de ocorrência de postura inadequada; - Doenças relacionadas à coluna vertebral, membros superiores e inferiores (braços e pernas); - Distensão muscular; - Adotar posturas adequadas; - Queda no mesmo nível, animais peçonhentos, probabilidade de incêndio ou explosão, eletricidade Técnicos. - Lesão corporal (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, fraturas; escoriações, luxações, etc.); - Fibrilação muscular, queimaduras, parada cardíaca e morte. - Envenenamento, reações alérgicas. - Intoxicação Técnicos. - Redobrar a atenção no ambiente, - Dedetização periódica, 11.2 Técnicos.

12 12. Passo Realizar a Análise Preliminar de Risco APR. - inspeção visual nos equipamentos. - contato manual com as partes mecânicas. - verificar aterramentos existentes nas estruturas de sustentação. Verificação de fusíveis de Segurança. - Choque elétrico. - Explosão de equipamentos de Segurança. - Lesão corporal (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, luxações, etc.); - Fibrilação ventricular, queimaduras, parada cardíaca e morte de Segurança - Uniforme padrão completo;. - Uso de EPI s. - Redobrar a atenção no ambiente; - Antes da aproximação no local verificar: a presença de animais, vestígios de óleo na brita, barulho estranho, etc. aba total; - Óculos de proteção.. - Telefone celular e corporat4o; - Prancheta; - Caneta; - Ordem de serviço. - Equipe de operadores. Trabalho em turno e - Queda no mesmo nível, animais peçonhentos, probabilidade de incêndio ou explosão, eletricidade. - Lesão corporal (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, luxações, etc.); - Fibrilação ventricular, queimaduras, parada cardíaca e morte; - Envenenamento, reações alérgicas; - Perda audit4a; - Intoxicação. - Redobrar a atenção no ambiente; - Dedetização periódica, - Uso de lanterna Técnicos Técnicos Técnicos.

13 EXECUTAR A MANOBRA PADRÃO DE DESENERGIZAÇÃO DA LINHA DE DISTRIBUIÇÃO 13. Passo Executar o bloqueio de religamento automático (R79) nas Subestações envolvidas de Segurança de Segurança de Segurança - Uniforme padrão completo,. - Óculos de ; aba total. - Cartão de bloqueio. - Coordenador de Sistema e Operador de subestação.. - Postura in - Lesão ou luxação na coluna cervical. - Adequar a postura para cada atividade. - Priorizar a utilização de ações pelo COD ou IHM. - Queda no mesmo nível, - Ataque de insetos (escorpião, etc.); - Eletricidade (choque por contato). - Lesão corporal (cortes, torções, luxações, etc.); - Intoxicação ou reações alérgicas causadas por picadas de insetos. - Choque elétrico com risco de fibrilação ou parada cardíaca. adequado de EPI s e EPC s; - Dedetização periódica, - Priorizar a utilização de ações por telecomando (COD ou IHM) Técnicos - Falha no comando Técnicos - Atraso na execução do serviço Técnicos - Redobrar a atenção e concentração.

14 14. Passo Executar manobra de desligamento e bloqueio do disjuntor da subestação, lado da carga Risco de Segurança 14.1 Risco de Segurança 14.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo; - Radiação não ionizante - Câncer de pele; - Utilizar Bloqueador solar e - Óculos de (raios solares). EPI padrão.., aba total. Luva de isolação com cobertura, Classe 4. - Cartão de impedimento. - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. IHM ou computador local; - Lanterna. - Coordenadores de Sistema e Operadores de - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso Risco Técnico - Falha no comando de abertura. comunicação. - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, - Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (c orte, torção, luxação, etc.) Risco Técnico na execução das adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Risco Técnico preventivos e corretivosde manutenção.

15 15. Passo Executar a manobra de abertura e bloqueio da chave seccionadora necessária para isolar a linha de distribuição, lado da carga Risco de Segurança 15.1 Risco de Segurança 15.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo, - Radiação não ionizante - Câncer de pele; - Utilizar Bloqueador solar e - Óculos de (raio solar). - Queimaduras na pele; EPI padrão. ;., aba total. - Luva de isolação com cobertura, classe 4. - Cartão de impedimento. - Vara de manobra com quantidade adequada de estágios - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação. - Lanterna. - Coordenadores de Sistema e Operadores de - Esforço e possibilidade de assumir postura in - Lesão corporal (torção, luxação, etc.); Adequar a postura e realizar manobra em dupla. - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso Risco Técnico - Falha no comando de abertura. comunicação. - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, - Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.) Risco Técnico na execução das adequado de EPI s e EPC s. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Risco Técnico preventivos e corretivosde manutenção.

16 16. Passo Executar manobra de desligamento e bloqueio do disjuntor da subestação, lado da fonte Risco de Segurança 16.1 Risco de Segurança 16.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo. - Radiação não ionizante - Câncer de pele; - Utilizar Bloqueador solar e - Óculos de (raio solar). - Queimaduras na pele; EPI padrão..., aba total. - Luva de isolação com cobertura, classe 4. - Cartão de impedimento. - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. IHM ou computador local; - Lanterna - Coordenadores de Sistema e Operadores de - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso. - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.); adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Risco Técnico - Falha no comando. comunicação Risco Técnico na execução das Risco Técnico preventivos e corretivosde manutenção;

17 17. Passo Executar a manobra de abertura e bloqueio da chave seccionadora necessária para isolar a linha de distribuição, lado da fonte. Notas: 1) Para os casos de subestações com barramentos duplo executar o bloqueio e sinalização da chave de linha de distribuição seletoras de barras, mantendo-a aberta. 2) Para os casos de subestações com barramentos duplo executar o bloqueio e sinalização da chave de by-pass linha de distribuição, mantendo-a aberta Risco de Segurança 17.1 Risco de Segurança 17.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo, - Radiação não ionizante.. - Esoforço excess4o e exigência de postura in - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso. - Câncer de pele; - Queimaduras da pele; - Lesão corporal (torção, luxação, etc.); - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, - Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.); - Utilizar Bloqueador solar e EPI padrão. Adequar a postura e realizar manobra em dupla. adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva. - Óculos de ;, aba total. Luva de isolação com cobertura, classe 4. - Cartão de impedimento. - Vara de manobra com quantidade adequada de estágios - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação. - Lanterna - Coordenadores de Sistema e Operadores de Risco Técnico - Falha no comando. comunicação Risco Técnico na execução das Risco Técnico preventivos e corretivosde manutenção.

18 18. Passo Executar manobra de retirada de fusíveis dos terminais do secundário do transformador de potencial, caso exista, lado da carga Risco de Segurança 18.1 Risco de Segurança 18.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo, - Radiação não ionizante.. - postura in - Câncer de pele; - Lesão corporal (torção, luxação, etc.); - Utilizar Bloqueador solar e EPI padrão. - Adequar a postura. - Óculos de ;, aba total. - Luva de isolação com cobertura, classe 4. - Cartão de impedimento. - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação. - chave inglesa, tamanho médio com cabo isolado. - Lanterna. - Coordenadores de Sistema e Operadores de - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso Risco Técnico. comunicação - Choque elétrico, fibrilação, parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.); Risco Técnico na execução das adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Risco Técnico preventivos e corretivos de manutenção.

19 19. Passo Executar manobra de retirada de fusíveis dos terminais do secundário do transformador de potencial, caso exista, lado da fonte Risco de Segurança 19.1 Risco de Segurança 19.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo, - Radiação não ionizante.. - Câncer de pele; - Utilizar Bloqueador solar e EPI padrão. - Óculos de ;, aba total. - Luva de isolação com cobertura, classe 4. - Cartão de impedimento. - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação. - Chave inglesa, tamanho médio com cabo isolada. - Lanterna. - Coordenadores de Sistema e Operadores de - postura in - Lesão corporal (torção, luxação, etc.). - Adequar a postura. - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso. - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.). adequado de EPI s e EPC s. - Dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Risco Técnico. comunicação Risco Técnico na execução das Risco Técnico preventivos e corretivos de manutenção.

20 20. Passo Solicitar ao Centro de Operações do Sistema COD a autorização para Execução da manobra de aterramento da linha de distribuição Risco de Segurança Risco de Segurança Risco de Segurança... - Uniforme padrão completo, - Óculos de ;, aba total. - Luva de borracha isolante Classe 4, com luvas de cobertura de vaqueta. Sistema de comunicação operat4a.. - Coordenadores de Sistema e Operadores de Risco Técnico. comunicação Risco Técnico na execução das Risco Técnico preventivos e corretivos de manutenção.

21 21. Passo Executar o teste de ausência de tensão no vão (bay) e linha de distribuição, lado da carga Risco de Segurança 21.1 Risco de Segurança 21.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo, - Óculos de - Radiação não ionizante - Câncer de pele; - Utilizar Bloqueador solar e ; (raios solares). EPI padrão., aba total.. - Luva de borracha isolante Classe 4, com luvas de cobertura de vaqueta. - Vara de manobra com quantidade adequada de estágios. -Detector de tensão tipo indução. - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação. - Lanterna - Operadores de - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso Risco Técnico. comunicação. Falha no detector de tensão. - Choque elétrico, fibrilação, parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.) Risco Técnico na execução das adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Risco Técnico preventivos e corretivos de manutenção e conferir sempre a bateria do detector.

22 22. Passo Executar a manobra para fechar e bloquear a chave seccionadora de terra da linha de distribuição, lado da carga Risco de Segurança 22.1 Risco de Segurança 22.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo, - Óculos de - Radiação não ionizante. - Câncer de pele; - Utilizar Bloqueador solar e ; EPI padrão., aba total.. - Luvas de borracha isolante Classe 4, com luvas de cobertura de vaqueta. - Cartão de impedimento. - Vara de manobra com quantidade adequada de estágios. - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação. - Lanterna. - Operadores de - Sobre-esforço e postura in - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso. - Lesão corporal (torção, luxação, etc.). - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.). Adequar a postura e realizar manobra em dupla. adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva. - Não executar a tarefa de modo individual. Sempre em 2 (dois) profissionais no mínimo Risco Técnico - Falha no comando. comunicação Risco Técnico na execução das Risco Técnico preventivos e corretivos de manutenção.

23 23. Passo Executar o teste de ausência de tensão no vão (bay) e linha de distribuição, lado da fonte Risco de Segurança - Radiação não ionizante Risco de Segurança - Câncer de pele; 23.1 Risco de Segurança - Utilizar Bloqueador solar e - Uniforme padrão completo, - Óculos de ; EPI padrão., aba total. - Luva de borracha. isolante Classe 4, com luvas de cobertura de vaqueta. - Vara de manobra com quantidade adequada de estágios. - Detector de tensão tipo indução. - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação. - Lanterna - Operadores de - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso Risco Técnico. comunicação. Falha no detector de tensão. - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.) Risco Técnico na execução das adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva. - Não executar a tarefa de modo individual. Sempre em 2 (dois) profissionais no mínimo Risco Técnico preventivos e corretivos de manutenção.

24 24. Passo Executar a manobra de fechar e bloquear a chave seccionadora de terra da linha de distribuição, lado da carga Risco de Segurança - Radiação não ionizante Risco de Segurança - Câncer de pele; 24.1 Risco de Segurança - Utilizar Bloqueador solar e - Uniforme padrão completo, - Óculos de ; EPI padrão., aba total. - Luvas de borracha. isolante Classe 4, com luvas de cobertura de vaqueta. - Cartão de impedimento. - Vara de manobra com quantidade adequada de estágios - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação. - Lanterna. - Operadores de - Sobre-esforço e postura in - Incêndio e explosão; - Iluminação inadequada; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso Risco Técnico - Falha no comando. comunicação. alterações nos rítmos - Lesão corporal (torção, luxação, etc.). - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.) Risco Técnico na execução das Adequar a postura e realizar manobra em dupla. adequado de EPI s e EPC s. - uso de lanterna. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva. - Não executar a tarefa de modo individual. Sempre em 2 (dois) profissionais no mínimo Risco Técnico preventivos e corretivos de manutenção.

25 25 Passo Executar delimitação (balizamento) sinalização torno equipamentos manobrados; a e em dos 25.1 Risco de a) Físico - Radiação não ionizante. b) Químico. c) Biológico Risco de a) Físico - Câncer de pele; b) Químico. c) Biológico Risco de a) Físico - Utilizar bloqueador solar. b) Químico. c) Biológico. - Uniforme padrão completo; - Luvas de vaqueta; - Cones; - Carretel; rebobinador com fita refletiva; - Bandeirola de sinalização. - Cartões de Impedimento. - Lanterna. Equipe de Manutenção de Linhas de Distribuição. d) Ergonômico. d) Ergonômico. d) Ergonômico. -Cartões de restrição operativa. e) Acidentes - Explosão; - Queda de mesmo nível; - Animais peçonhentos e insetos; - Acidente de trânsito. - Deixar de sinalizar os equipamentos que se encontram entre trecho energizado e desenergizado. e) Acidentes - Choque elétrico; - Lesões corporais (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, fraturas, luxações, escoriações, olhos, ouvidos, etc); - Intoxicação, envenamento, reações alérgicas. e) Acidentes - Redobrar a atenção; - Utilizar EPI s adequados; - Obedecer as leis de trânsito técnicos - Falha de sinalização ou na delimitação técnicos dos trabalhos de manutenção técnicos - Redobrar a atenção;

26 26. Passo Executar o teste de ausência de tensão nos equipamentos desligados, em conjunto com o responsável pelo trabalho de manutenção de linha de distribuição. Nota: O operador devera informar ao responsável pelos trabalhos de manutenção na linha de distribuição os pontos de fronteira entre as partes energizadas e desenergizadas Risco de Segurança 26.1 Risco de Segurança 26.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo, - Óculos de - Radiação não ionizante. - Câncer de pele; - Utilizar Bloqueador solar e ; EPI padrão., aba total.. - Luvas de borracha isolante Classe 4, com luvas de cobertura de vaqueta. - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso. - Choque elétrico, fibrilação, parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.). adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva. - Vara de manobra com quantidade adequada de estágios. - Detector de tensão tipo indução. - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação. - Lanterna - Operadores de Risco Técnico. comunicação, no detector de tensão, ou na sinalização Risco Técnico na execução das Risco Técnico preventivos e corretivos de manutenção;

27 27. Passo Executar a liberação da linha de distribuição para o responsável pelos trabalhos de manutenção, por meio de Ordem de Serviço OS com as devidas assinaturas do operador e do responsável pelo trabalho de manutenção. Nota: O operador em conjunto com o responsável pelos trabalhos de manutenção de linha de distribuição deverá executar inspeção visual para a verificação dos pontos de instalação do conjunto de aterramento temporário, quando instalados nas proximidades ou dentro das instalações da subestação Risco de Segurança 27.1 Risco de Segurança 27.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo chuva; - Queda no nível do piso. B Químicos - Descarga elétrica, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.); adequado de EPI s e EPC s. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva.. - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação.. - Operadores de Risco Técnico. comunicação. chuva Risco Técnico na execução das Risco Técnico preventivos e corretivos de manutenção no sistema de comunicação; - Planejamento antecipado com avaliação da previsão clímatico do tempo.

28 28. Passo Recolher ferramentas, materiais equipamentos. e 28.1 Risco de Segurança 28.1 Risco de Segurança 28.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo;. B - Químicos - Óculos de Segurança; aba total... - Equipe de operadores. - Possibilidade de assumir postura inadequada;. - Queda no mesmo nível. - Postura in 28.2 Técnicos - Ferramenta e materiais com defeito. - Doenças relacionadas a coluna vertebral, membros superiores e inferiores (braços e pernas); - Distensão muscular; - Lesão corporal (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, luxações, etc.). - Lesão na coluna cervical Técnicos Atrasou ou cancelamento do serviço e provocar acidente. - assumir postura correta durante a conferência. - Redobrar a atenção no ambiente e ao manusear os equipamentos e ferramentas Técnicos - Providenciar reposição; - Inspeção permanente 1 (um) dia antes da execução do serviço.

29 29. Passo Colocar-se à disposição da operação para um novo trabalho, caso necessário Risco de Segurança 29.1 Risco de Segurança 29.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo;. B - Químicos. - Sistema de Comunicação. - Equipe de operadores. ; ;.. - Queda no mesmo nível. - Lesão corporal (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, luxações, etc.). - Redobrar a atenção no ambiente e ao manusear os equipamentos e ferramentas Técnicos - Não comunicar disponibilidade Técnicos - Prejudicar a realização de outros serviços Técnicos - Adotar a sistemática de avisar ao COD.

30 EXECUTAR A MANOBRA PADRÃO DE REENERGIZAÇÃO DA LINHA DE DISTRIBUIÇÃO 30. Passo Deslocar para o local de realização da manobra (Subestação) Risco de a) Físico - Radiação não ionizante. b) Químico Risco de a) Físico - Câncer de pele; b) Químico Risco de a) Físico - Utilizar bloqueador solar. b) Químico. - Uniforme padrão completo;. - Viatura equipada com Sistema OminSat. Motorista e Equipe de Manutenção de Linhas de Distribuição e Operador de c) Biológico. c) Biológico. c) Biológico. d) Ergonômico. d) Ergonômico. d) Ergonômico. e) Acidentes - Acidentes de Trânsito. e) Acidentes - Lesões corporais (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, fraturas, luxações, escoriações). e) Acidentes - Redobrar a atenção; - Obedecer as leis de trânsito técnicos - Falha na viatura; - Errar o trajeto técnicos na execução da manutenção; - Desligamentos não programados por falta de manutenção técnicos - Manutenção preventiva na viatura; - Utilizar mapas da região e GPS.

31 31. Passo Equipar-se com EPI s necessários para a execução de manobra Risco de Segurança 31.1 Risco de Segurança 31.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo;... aba total; - Luvas de vaqueta; - Óculos de Proteção... - Equipe de operadores. - Queda no mesmo nível Técnicos. - Lesão corporal (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, luxações, etc.) Técnicos. - Redobrar a atenção no ambiente Técnicos.

32 32. Passo Receber a liberação para a energização da linha de distribuição pelo responsável dos trabalhos de manutenção, por meio de documento oficial da CEB-D, com as devidas assinaturas do operador e do responsável pelos trabalhos de manutenção Risco de Segurança 32.1 Risco de Segurança 32.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo;.. alterações nos rítmos. aba total; - Luvas de vaqueta; - Óculos de Segurança... - Equipe de operadores. -Iluminação inadequada - Queda no mesmo nível, chuva. - Lesão corporal (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, luxações, etc.). - Choque elétrico, fibrilação, parada cardíaca. - Redobrar a atenção no ambiente, - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Técnicos comunicação. chuva; 32.2 Técnicos - Atraso na execução das 32.2 Técnicos preventivos e corretivos de manutenção.

33 33. Passo Preparar materiais, ferramentas e equipamentos que serão utilizados na execução da manobra Risco de Segurança 33.1 Risco de Segurança 33.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo;... aba total; - Luvas de vaqueta; - Óculos de Segurança... - Equipe de operadores. - Possibilidade de ocorrência de postura inadequada; - Queda no mesmo nível, - Animais peçonhentos e insetos, - Incêndio ou explosão, - Eletricidade Técnicos - Falta ou defeito em ferramentas, ou materiais, ou equipamentos. - Doenças relacionadas a coluna vertebral, membros superiores e inferiores (braços e pernas); - Distensão muscular; - Lesão corporal (cortes, torções, escoriações, fraturas; luxações, etc.); - Fibrilação, queimaduras, parada cardíaca. - Envenenamento, reações alérgicas. - Intoxicação Técnicos - Atraso na execução das - Adotar posturas adequadas; - Redobrar a atenção no ambiente, - Dedetização periódica, 33.2 Técnicos - Inspeção preventiva dias antes da realização serviço.

34 34. Passo Realizar a Análise Preliminar de Risco APR, conversa no pátio da subestação, para cada manobra de equipamento Risco de Segurança 34.1 Risco de Segurança 34.1 de Segurança - Uniforme padrão completo;. - Radiação não ionizante (raios solares).. - Câncer de pele;. - Utilizar Bloqueador solar e EPI padrão.. - Telefone celular e corporativo; - Prancheta; - Caneta; - Ordem de serviço. - Equipe de operadores. Trabalho em turno e - Queda no mesmo nível, animais peçonhentos, probabilidade de incêndio ou explosão, eletricidade Técnicos. - Lesão corporal (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, luxações, etc.); - Fibrilação muscular, queimaduras e parada cardíaca; - Envenenamento, reações alérgicas; - Perda auditiva; - Intoxicação Técnicos. - Redobrar a atenção no ambiente; - Dedetização periódica Técnicos.

35 35 Passo Executar a retirada da sinalização e delimitação (balizamento) em torno dos equipamentos manobrados; 35.1 Risco de a) Físico - Radiação não ionizante. b) Químico. c) Biológico Risco de a) Físico - Câncer de pele; b) Químico. c) Biológico Risco de a) Físico - Utilizar bloqueador solar. b) Químico. c) Biológico. - Uniforme padrão completo; - Luvas de vaqueta; - Cones ; - Carretel rebobinador com fita refletiva; - Bandeirola de sinalização. - Cartões de Impedimento. - Lanterna. Operadores de subestação. d) Ergonômico. d) Ergonômico. d) Ergonômico. -Cartões de restrição operativa. e) Acidentes - Explosão; - Queda de mesmo nível; - Animais peçonhentos e insetos; - Acidente de trânsito. - A não sinalização dos equipamentos limites entre trecho energizado e desenergizado. e) Acidentes - Choque elétrico; - Lesões corporais (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, fraturas, luxações, escoriações, olhos, ouvidos, etc); - Intoxicação, envenamento, reações alérgicas. e) Acidentes - Redobrar a atenção; - Utilizar EPI s adequados; - Obedecer as leis de trânsito técnicos - Falha de sinalização ou na delimitação técnicos - atrasos das manobras de reenergização técnicos - Redobrar a atenção.

36 36. Passo Executar a manobra de retirada do bloqueio e abertura da chave seccionadora de terra da linha de distribuição, lado da carga Risco de Segurança - Radiação não ionizante 36.1 Risco de Segurança - Câncer de pele; 36.1 Risco de Segurança - Utilizar Bloqueador solar e - Uniforme padrão completo, - Óculos de ; (raios solares). EPI padrão., aba total. - Luvas de borracha. isolante Classe 4, com luvas de cobertura de vaqueta. - Cartão de impedimento. - Vara de manobra com quantidade adequada de estágios - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação. - Lanterna. - Operadores de - Esforço excessivo e exigência de postura in - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso Risco Técnico - Falha no comando de abertura. comunicação. alterações nos rítmos - Lesão corporal (torção, luxação, etc.). - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.) Risco Técnico na execução das Adequar a postura e realizar manobra em dupla. adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Risco Técnico preventivos e corretivosde manutenção.

37 37. Passo Executar a manobra de retirada do bloqueio e abertura da chave seccionadora de terra da linha de distribuição, lado da fonte Risco de Segurança - Radiação não ionizante Risco de Segurança - Câncer de pele; 37.1 Risco de Segurança - Utilizar Bloqueador solar e - Uniforme padrão completo, - Óculos de ; EPI padrão., aba total. - Luvas de borracha. isolante Classe 4, com luvas de cobertura de vaqueta. - Cartão de impedimento. - Vara de manobra com quantidade adequada de estágios - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação. - Lanterna. - Operadores de - Esforço excessivo e exigência de postura in - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso Risco Técnico - Falha no comando de abertura. comunicação. - Lesão corporal (torção, luxação, etc.). - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.) Risco Técnico na execução das Adequar a postura e realizar manobra em dupla. adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Risco Técnico preventivos e corretivosde manutenção.

38 38. Passo Executar manobra de reposição dos fusíveis dos terminais do secundário do transformador de potencial, caso exista, lado da carga Risco de Segurança - Radiação não ionizante Risco de Segurança - Câncer de pele; 38.1 Risco de Segurança - Utilizar Bloqueador solar e - Uniforme padrão completo, - Óculos de ; EPI padrão., aba total. - Luvas de borracha. isolante Classe 4, com luvas de cobertura de vaqueta. - Cartão de impedimento. - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação. - Chave inglesa, tamanho médio com cabo isolada. - Lanterna. - Coordenadores de Sistema e Operadores de - Esforço excessivo e exigência de postura in - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso Risco Técnico. comunicação - Lesão corporal (torção, luxação, etc.). - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.) Risco Técnico na execução das - Adequar a postura. adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Risco Técnico preventivos e corretivos de manutenção do sistema.

39 39. Passo Executar manobra de reposição dos fusíveis dos terminais do secundário do transformador de potencial, caso exista, lado da fonte Risco de Segurança - Radiação não ionizante Risco de Segurança - Câncer de pele; 39.1 Risco de Segurança - Utilizar Bloqueador solar e - Uniforme padrão completo, - Óculos de ; EPI padrão., aba total. - Luvas de borracha. isolante Classe 4, com luvas de cobertura de vaqueta. - Cartão de impedimento. - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação. - Chave inglesa, tamanho médio com cabo isolado. - Lanterna. - Coordenadores de Sistema e Operadores de - Esforço excessivo e exigência de postura in - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso Risco Técnico. comunicação - Lesão corporal (torção, luxação, etc.). - Choque elétrico, fibrilação, parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.) Risco Técnico na execução das - Adequar a postura. adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Risco Técnico preventivos e corretivos de manutenção.

40 40. Passo Executar a manobra de retirar bloqueio e fechar da chave seccionadora da linha de distribuição, lado da fonte Risco de Segurança - Radiação não ionizante Risco de Segurança - Câncer de pele; 40.1 Risco de Segurança - Utilizar Bloqueador solar e - Uniforme padrão completo, - Óculos de ; EPI padrão., aba total. - Luvas de borracha. isolante Classe 4, com luvas de cobertura de vaqueta. - Vara de manobra com quantidade adequada de estágios - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação. - Lanterna - Coordenadores de Sistema e Operadores de - Esforço excessivo e exigência de postura in - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso Risco Técnico - Falha no comando. comunicação. - Lesão corporal (torção, luxação, etc.). - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.) Risco Técnico na execução das Adequar à postura e realizar manobra em dupla. adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Risco Técnico preventivos e corretivos de manutenção do sistema.

41 41. Passo Executar a manobra de retirar bloqueio e fechar a chave seccionadora da linha de distribuição, lado da carga Risco de Segurança - Radiação não ionizante Risco de Segurança - Câncer de pele; 41.1 Risco de Segurança - Utilizar Bloqueador solar e - Uniforme padrão completo, - Óculos de ; EPI padrão., aba total. - Luvas de borracha. isolante Classe 4, com luvas de cobertura de vaqueta.. - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação. - Lanterna - Coordenadores de Sistema e Operadores de - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso Risco Técnico - Falha no comando. comunicação. - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.) Risco Técnico na execução das adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Risco Técnico preventivos e corretivosde manutenção.

42 42. Passo Executar a manobra de retirada de bloqueio e normalização da chave seccionadora da linha de distribuição, lado da fonte Risco de Segurança - Radiação não ionizante Risco de Segurança - Câncer de pele; 42.1 Risco de Segurança - Utilizar Bloqueador solar e - Uniforme padrão completo, - Óculos de ; EPI padrão., aba total. - Luvas de borracha. isolante Classe 4, com luvas de cobertura de vaqueta.. - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação. - Lanterna - Coordenadores de Sistema e Operadores de - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso Risco Técnico comunicação. - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.) Risco Técnico na execução das adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Risco Técnico preventivos e corretivos de manutenção.

43 43. Passo Solicitar ao Centro de Operação da Distribuição - COD a autorização para a execução da manobra de fechamento dos disjuntores da linha de distribuição nas subestações Risco de Segurança Risco de Segurança Risco de Segurança. - Uniforme padrão completo, - Óculos de ;, aba total. - Luvas de borracha isolante Classe 4, com luvas de cobertura de vaqueta.. - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. - Computador (IHM) da subestação. - Coordenadores de Sistema e Operadores de - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso Risco Técnico comunicação. - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.) Risco Técnico na execução das adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Risco Técnico preventivos e corretivos de manutenção.

44 44. Passo Executar manobra de desbloqueio e religamento do disjuntor da subestação, lado da fonte Risco de Segurança 44.1 Risco de Segurança 44.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo, - Óculos de - Radiação não ionizante. - Câncer de pele; - Utilizar Bloqueador solar e ; EPI padrão., aba total. - Luvas de borracha. isolante Classe 4, com luvas de cobertura de vaqueta.. - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. IHM ou computador local; - Lanterna - Coordenadores de Sistema e Operadores de - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso Risco Técnico - Falha no comando. comunicação - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.) Risco Técnico na execução das. adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Risco Técnico preventivos e corretivosde manutenção;

45 45. Passo Executar manobra de desbloqueio e religamento do disjuntor da subestação, lado da carga Risco de Segurança 45.1 Risco de Segurança 45.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo, - Óculos de - Radiação não ionizante. - Câncer de pele; - Utilizar Bloqueador solar e ; EPI padrão., aba total. - Luvas de borracha. isolante Classe 4, com luvas de cobertura de vaqueta.. - SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. IHM ou computador local; - Lanterna. - Coordenadores de Sistema e Operadores de - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso Risco Técnico - Falha no comando. comunicação. - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.) Risco Técnico na execução das adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Risco Técnico preventivos e corretivosde manutenção.

46 46. Passo Executar inspeção visual nos equipamentos religados Risco de Segurança 46.1 Risco de Segurança 46.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo, - Óculos de - Radiação não ionizante. - Câncer de pele; - Utilizar Bloqueador solar e ; EPI padrão., aba total. - Luvas de borracha. isolante Classe 4, com luvas de cobertura de vaqueta.. - Lanterna. - Coordenadores de Sistema e Operadores de - Incêndio e explosão; - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; chuva; - Queda no nível do piso Risco Técnico - Falha no comando. comunicação. - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; - Queimaduras, -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.) Risco Técnico na execução das adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica. - Evitar deslocamento ao pátio nos períodos de chuva Risco Técnico preventivos e corretivos de manutenção.

47 47. Passo Executar a verificação nos instrumentos de medição instalados na sala de comando e controle para certificar-se da normalização da carga da linha de distribuição reenergizada Risco de Segurança 47.1 Risco de Segurança 47.1 Risco de Segurança - Uniforme padrão completo, SSc) Sistema de Supervisão e controle através do ACTION VIEW. IHM ou computador local; - Lanterna - Coordenadores de Sistema e Operadores de - Ataque de Animais peçonhentos e insetos; - Queda no nível do piso Risco Técnico comunicação - Choque elétrico, fibrilação, Parada cardíaca; -.Envenenamento ou Intoxicação e reações alérgicas; - Lesão corporal (corte, torção, luxação, etc.); Risco Técnico na execução das adequado de EPI s e EPC s. - dedetização periódica Risco Técnico preventivos e corretivos de manutenção.

48 48. Passo Executar o desbloqueio de religamento automático (R79) nas Subestações envolvidas de Segurança de Segurança de Segurança - Uniforme padrão completo,. - Óculos de ; aba total... - Coordenador de Sistema e Operador de subestação. - Postura in - Lesão ou luxação na coluna cervical. -.Adequar a postura para cada atividade; - Priorizar a utilização de ações pelo COD ou IHM. - Queda no mesmo nível, - Ataque de insetos (escorpião, etc); - Eletricidade (choque por contato). - Lesão corporal (cortes, torções, luxações, etc.); - Intoxicação ou reações alérgicas causadas por picadas de insetos. - Choque elétrico com risco de fibrilação ou parada cardíaca. adequado de EPI s e EPC s; - Dedetização periódica, - Priorizar a utilização de ações por telecomando (COD ou IHM) Técnicos - Falha no comando Técnicos - Atraso na execução do serviço Técnicos preventivos e corretivos na manutenção.

49 49 Passo Recolher ferramentas, materiais equipamentos. e 49.1 Risco de a) Físico - Radiação não ionizante Risco de a) Físico - Câncer de pele; 49.1 de a) Físico - Utilizar bloqueador solar. - Uniforme padrão completo; - Luvas de vaqueta; - Não aplica. Equipe de Operadores. b) Químico. b) Químico. b) Químico. c) Biológico. c) Biológico. c) Biológico. d) Ergonômico. d) Ergonômico. d) Ergonômico. e) Acidentes - Explosão; - Queda de mesmo nível; - Animais peçonhentos e insetos; e) Acidentes - Choque elétrico; - Lesões corporais (cortes, perfurações, torções, esmagamentos, fraturas, luxações, escoriações, olhos, ouvidos, etc); - Intoxicação, envenamento, reações alérgicas. e) Acidentes - Redobrar a atenção; - Utilizar EPI s adequados; 49.2 técnicos 49.2 técnicos 49.2 técnicos...

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS APR PASSO A PASSO DOS PROCEDIMENTOS TÉCNICOS, OPERACIONAIS E DE SEGURANÇA DO TRABALHO

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS APR PASSO A PASSO DOS PROCEDIMENTOS TÉCNICOS, OPERACIONAIS E DE SEGURANÇA DO TRABALHO 1. Passo Receber a informação sobre a ocorrência do desligamento emergencial da linha de distribuição (despachante); 1.1 de Segurança 1.1 de Segurança 1.1 de Segurança - Uniforme padrão completo; - Radiação

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA DA DISTRIBUIÇÃO Nº 002.13 GRNT

INSTRUÇÃO NORMATIVA DA DISTRIBUIÇÃO Nº 002.13 GRNT Nº 002.13 GRNT PROCEDIMENTOS DE OPERAÇÃO PARA DESENERGIZAÇÃO E LIBERAÇÃO DE LINHAS DE DISTRIBUIÇÃO NAS TENSÕES DE 34,5; 69 E 138 kv PARA EXECUÇÃO DE TRABALHOS DE 1ª EDIÇÃO MAIO - 2013 DIRETORIA DE ENGENHARIA

Leia mais

RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL EM TRANSFORMADOR, EM REDE DESENERGIZADA.

RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL EM TRANSFORMADOR, EM REDE DESENERGIZADA. Página: 1/8 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para Substituição e Manutenção de Chaves Fusíveis de Transformador em rede desenergizada. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento

Leia mais

RES. 227/2010 de 28/12/2010 Título: PROCEDIMENTO PARA OPERAÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL E CHAVE FACA

RES. 227/2010 de 28/12/2010 Título: PROCEDIMENTO PARA OPERAÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL E CHAVE FACA Página: 1/11 DO-OP-01/P-2 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia na operação de chaves fusíveis e chaves facas. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento aplica-se a todas as Empresas

Leia mais

PROCEDIMENTO. RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CONDUTOR DE MÉDIA TENSÃO, EM VÃO DE REDE DESENERGIZADA.

PROCEDIMENTO. RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CONDUTOR DE MÉDIA TENSÃO, EM VÃO DE REDE DESENERGIZADA. Página: 1/8 1. OBJETIVO Determinar a metodologia para substituição de condutor de média tensão, em vão de rede desenergizada. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento aplica-se a todas as Empresas de Distribuição

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Coordenação: Jildésio Souza Beda. Participantes: Jildésio Souza Beda, José Cezar Nonato, Kamila Franco Paiva.

FICHA TÉCNICA. Coordenação: Jildésio Souza Beda. Participantes: Jildésio Souza Beda, José Cezar Nonato, Kamila Franco Paiva. NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO DISTRIBUIÇÃO COM A REDE AÉREA PRIMÁRIA 2ª EDIÇÃO JULHO - 2014 DIRETORIA DE ENGENHARIA SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E PROJETOS GERÊNCIA DE NORMATIZAÇÃO E TECNOLOGIA FICHA

Leia mais

RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL E CHAVE FACA, EM REDE ENERGIZADA.

RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL E CHAVE FACA, EM REDE ENERGIZADA. Página: 1/13 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para substituição de chave fusível e chave faca, em rede energizada. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento aplica-se a todas

Leia mais

LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO

LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO Conforme NR-10 ACME S.A Ind. Com. 1 de 9 IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO Identificação do Responsável pela Execução do Serviço. Nome: Empresa: Registro: Local de Execução do Serviço.

Leia mais

PROCEDIMENTO. Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para realizar emenda e reparo em condutores, em redes energizadas.

PROCEDIMENTO. Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para realizar emenda e reparo em condutores, em redes energizadas. Página: 1/13 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para realizar emenda e reparo em condutores, em redes energizadas. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento aplica-se a todas

Leia mais

Encarregado e Eletricistas

Encarregado e Eletricistas 1/11 Item: 1 Passo: Planejar Ao tomar conhecimento da Ordem de Serviço o Encarregado deve junto com os eletricistas: - Verificar se o veículo, equipamento e ferramental disponíveis estão em boas condições

Leia mais

FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A.

FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. MEDIDAS DE SEGURANÇA APLICADAS NA UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE ATERRAMENTO ELÉTRICO TEMPORÁRIO Autores: Luiz Antonio Bueno Gerente da Divisão de Segurança e Higiene Industrial Sueli Pereira Vissoto Técnica

Leia mais

PROCEDIMENTO. RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: INSTALAÇÃO E SUBSTITUIÇÃO DE PÁRA-RAIOS EM TANQUE DE TRANSFORMADOR, EM REDE ENERGIZADA.

PROCEDIMENTO. RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: INSTALAÇÃO E SUBSTITUIÇÃO DE PÁRA-RAIOS EM TANQUE DE TRANSFORMADOR, EM REDE ENERGIZADA. Página: 1/7 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para instalação e substituição de pára-raios em tanque de transformador, em rede energizada. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ASSISTÊNCIA À CONTAGEM EM PT S E SISTEMAS DE ALIMENTAÇÃO E COMANDO IP (ILUMINAÇÃO PÚBLICA)

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ASSISTÊNCIA À CONTAGEM EM PT S E SISTEMAS DE ALIMENTAÇÃO E COMANDO IP (ILUMINAÇÃO PÚBLICA) PP. 1/9 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ASSISTÊNCIA À CONTAGEM EM PT S E SISTEMAS DE ALIMENTAÇÃO E COMANDO IP (ILUMINAÇÃO PÚBLICA) 2 DESCRIÇÃO Trabalhos diversos relacionados com a

Leia mais

Prever, separar e inspecionar os equipamentos, ferramentas, aparelhos, dispositivos, materiais, EPI s e EPC s necessários. Capacete de segurança

Prever, separar e inspecionar os equipamentos, ferramentas, aparelhos, dispositivos, materiais, EPI s e EPC s necessários. Capacete de segurança 80 - COMISSÃO TRIPARTITE PERMANENTE DE NEGOCIAÇÃO DO SETOR ELETRICO NO ESTADO DE SP QUADRO DEMONSTRATIVO DAS ETAPAS DE SEGURANÇA: Objetivo: Padronizar os procedimentos de segurança Inspeção Geral em TP

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA MANUTENÇÃO DE POSTO DE TRANFORMAÇÃO (CABINE ALTA) 2 DESCRIÇÃO Trabalhos de manutenção e reparação em posto de transformação de cabine alta (MT/BT)

Leia mais

Avaliação Serviço em Eletricidade Básica- NR10

Avaliação Serviço em Eletricidade Básica- NR10 Empresa: Instrutor: Nome: DATA: Questões: 01- A NR10 Instalação e Serviços de eletricidade fixam as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalha em instalações elétricas,

Leia mais

Instalações elétricas provisórias na construção civil

Instalações elétricas provisórias na construção civil Instalações elétricas provisórias na construção civil São Paulo, 12 de agosto de 2014 NBR-5410 NR-18 10.1. Objetivo e campo de aplicação 10.2. Medidas de controle 10.3. Segurança no projeto 10.4. Segurança

Leia mais

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA;

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; CONTEÚDO DO TRABALHO Doenças ocupacionais e riscos da construção civil; Quedas; Choque elétrico; Soterramento. A construção é um dos ramos mais antigos do

Leia mais

PLANO DE CURSO PARCERIA SENAI

PLANO DE CURSO PARCERIA SENAI PLANO DE CURSO PARCERIA SENAI 1 - NOME DO CURSO: Aperfeiçoamento para instalador de equipes de serviços comerciais leves de Rede de Distribuição Aérea de energia elétrica. 2 - ÁREA: Eletrotécnica Sub área

Leia mais

NR 31 - NORMA REGULAMENTADORA DE SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS

NR 31 - NORMA REGULAMENTADORA DE SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS PORTARIA N.º 30, DE 22 DE OUTUBRO DE 2002 Divulgar para consulta pública a proposta de texto de criação da Norma Regulamentadora N. º 31 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados. A SECRETÁRIA

Leia mais

NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NR 10: Portaria n.º 598, de 07/12/2004 (D.O.U. de 08/12/2004 Seção 1) Ementas: Portaria n.º 126, de 03/06/2005 (D.O.U. de 06/06/2005 Seção 1) NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

Leia mais

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho 1 0 Dia Realizar a apresentação dos participantes 1. Técnica de Lista de presença; apresentação e O multiplicador

Leia mais

Referência: Reunião Técnica, Memorial Descritivo Rev: 2. Proteções Existentes. Observações (O)/ Recomendações (R) Meio Ambiente.

Referência: Reunião Técnica, Memorial Descritivo Rev: 2. Proteções Existentes. Observações (O)/ Recomendações (R) Meio Ambiente. Ambiente Imagem 1 Vazamento de produto inflamável armazenado em frascos, bombonas ou tambores. - Falha durante o manuseio ou transporte do recipiente provocando tombamento ou queda; - Recipiente em más

Leia mais

Mitos e verdades sobre a NR-10 na fabricação de painéis elétricos de baixa e média tensão

Mitos e verdades sobre a NR-10 na fabricação de painéis elétricos de baixa e média tensão Mitos e verdades sobre a NR-10 na fabricação de painéis elétricos de baixa e média tensão Por Nunziante Graziano A finalidade deste artigo é analisar se é possível responder a uma pergunta clássica: Esse

Leia mais

Capítulo VI. Lista de verificação para prontuário, projetos e ensaios elétricos Por Marcus Possi* Inspeção de instalações elétricas

Capítulo VI. Lista de verificação para prontuário, projetos e ensaios elétricos Por Marcus Possi* Inspeção de instalações elétricas 44 Capítulo VI Lista de verificação para prontuário, projetos e ensaios elétricos Por Marcus Possi* Da mesma forma que se deve fazer com os elementos que formam uma instalação elétrica no seu sentido físico,

Leia mais

Encarregado. Encarregado e Eletricistas

Encarregado. Encarregado e Eletricistas 1/11 Passo 01: Receber a ordem de serviço e formulário de preenchimento dos serviços executados. Passo 02: Planejar a execução da tarefa: - Separar materiais e ferramentas necessários para a execução da

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI Conforme Norma Regulamentadora nº.6, Equipamento de Proteção Individual EPI é todo dispositivo de uso individual utilizado pelo empregado, destinado à proteção de

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil LUCIANO DINIZ MENDONÇA LIMA Efacec do Brasil Ltda. luciano.diniz@efacecenergy.com.br

Leia mais

Subsídio ConstruBusiness Grupo de Trabalho sobre Segurança em Edificações

Subsídio ConstruBusiness Grupo de Trabalho sobre Segurança em Edificações Subsídio ConstruBusiness Grupo de Trabalho sobre Segurança em Edificações SEGURANÇA EM EDIFICAÇÕES EXISTENTES (construídas há mais de 10 ou 15 anos) OBJETIVOS 1) Criação de obrigatoriedade de inspeção

Leia mais

PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA MINISTRAR TREINAMENTO REFERENTE A CURSO BÁSICO E COMPLEMENTAR DA NR-10.

PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA MINISTRAR TREINAMENTO REFERENTE A CURSO BÁSICO E COMPLEMENTAR DA NR-10. PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA MINISTRAR TREINAMENTO REFERENTE A CURSO BÁSICO E COMPLEMENTAR DA NR-10. Abril/2007 PROJETO BÁSICO Página 1 PROJETO BÁSICO PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA MINISTRAR

Leia mais

ANEXO X. Referente ao Edital de Tomada de Preços nº. 001/2016

ANEXO X. Referente ao Edital de Tomada de Preços nº. 001/2016 ANEXO X Referente ao Edital de Tomada de Preços nº. 001/2016 NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Página 1 de 5 1 - CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1 As normas aplicáveis aos serviços a serem

Leia mais

NR-10 MEDIDAS DE CONTROLE DO RISCO ELÉTRICO

NR-10 MEDIDAS DE CONTROLE DO RISCO ELÉTRICO NR-10 MEDIDAS DE CONTROLE DO RISCO ELÉTRICO Prof. Pedro Armando da Silva Jr. Engenheiro Eletricista, Dr. pedroarmando@ifsc.edu.br DESENERGIZAÇÃO A desenergização é um conjunto de ações coordenadas, sequenciadas

Leia mais

Este procedimento aplica-se a todas as Empresas de Distribuição da Eletrobras - EDEs em serviços de campo.

Este procedimento aplica-se a todas as Empresas de Distribuição da Eletrobras - EDEs em serviços de campo. Página: 1/8 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para inspeção de postes em redes de distribuição Rural e Urbana em média e baixa tensão, visando garantir a uniformidade,

Leia mais

Manual do Usuário e Instalação - FIT100

Manual do Usuário e Instalação - FIT100 Manual do Usuário e Instalação - FIT100 1. APRESENTAÇÃO: O Rastreador Locktronic FIT100 é um dispositivo eletrônico para lhe auxiliar na proteção de seu veículo. As funções disponíveis neste produto são

Leia mais

Manual de Instalação, Operação e Manutenção

Manual de Instalação, Operação e Manutenção Manual de Instalação, Operação e Manutenção Argamassadeira 240 litros 02 Manual de Instalação, Operação e Manutenção Argamassadeira 240 litros! ADVERTÊNCIA Este símbolo irá ilustrar alertas de segurança

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA NA GESTÃO DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA

NORMAS DE SEGURANÇA NA GESTÃO DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA NORMAS DE SEGURANÇA NA GESTÃO DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA Eng. Edson Martinho Universolambda.com.br 1 Edson Martinho Engenheiro Eletricista (pós Mkt / Docência) Diretor executivo ABRACOPEL Diretor Técnico Portal

Leia mais

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9)

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) 10.1. Esta Norma Regulamentadora - NR fixa as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalham em instalações

Leia mais

Procedimento Prático Para Manutenção de Cabine Introdução Manutenção preventiva Manutenção corretiva Procedimento, verificações e ensaios

Procedimento Prático Para Manutenção de Cabine Introdução Manutenção preventiva Manutenção corretiva Procedimento, verificações e ensaios Procedimento Prático Para Manutenção de Cabine Introdução Nos equipamentos elétricos se faz necessária a manutenção, para que os mesmo possam estar sempre disponível, prolongando sua vida útil, Esta manutenção

Leia mais

Mitos e verdades sobre a NR-10 na fabricação de painéis elétricos de baixa e média tensão.

Mitos e verdades sobre a NR-10 na fabricação de painéis elétricos de baixa e média tensão. Mitos e verdades sobre a NR-10 na fabricação de painéis elétricos de baixa e média tensão. Eng. Nunziante Graziano, M.Sc. Gerente de Projetos e Desenvolvimento Data: 31/03/2011 Horário: 19h ÍNDICE Apresentação

Leia mais

Higiene e segurança no trabalho

Higiene e segurança no trabalho Higiene e segurança no trabalho Mourão Saldanha E-mail: veniciopaulo@gmail.com / Site: www.veniciopaulo.com ESPAÇOS CONFINADOS LIVRETO DO TRABALHADOR NR 33 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados

Leia mais

Reyder Knupfer Goecking Engenheiro Eletricista Mestre em Processos Industriais -IPT Membro do CB 3 e CB32 - ABNT

Reyder Knupfer Goecking Engenheiro Eletricista Mestre em Processos Industriais -IPT Membro do CB 3 e CB32 - ABNT Um Enfoque Frente a Tecnologias e Utilização de EPI s - NR10 d f G k Reyder Knupfer Goecking Engenheiro Eletricista Mestre em Processos Industriais -IPT Membro do CB 3 e CB32 - ABNT NR 10 Risco de Arco

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA DO LIVRAMENTO SECRETARIA DA FAZENDA

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA DO LIVRAMENTO SECRETARIA DA FAZENDA CUSTO 1 - Salário - Oficial CUSTO DE PESSOAL Salário Mínimo R$ 545,00 Piso Oficial R$ 937,20 Piso Meio Oficial R$ 754,60 Cargo: Eletricista 1.1 Salário Mensal hora 220 4,26 937,20 1 Adicional de Periculosidade

Leia mais

Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim)

Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim) PROCEDIMENTO DE SMS Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim) PR-99-993-CPG-009 Revisão: 00 Aprovação: 30/05/2014 Página: 1/7 1. OBJETIVO Estabelecer requisitos de segurança para

Leia mais

Finalidade... : ILUMINAÇÃO PÚBLICA PRAÇA JOÃO PESSOA Nº08

Finalidade... : ILUMINAÇÃO PÚBLICA PRAÇA JOÃO PESSOA Nº08 MEMORIAL DESCRITIVO 1. INTRODUÇÃO: O presente memorial tem por objetivo possibilitar uma visão global do projeto elétrico e da implantação da rede de distribuição em Baixa Tensão e iluminação pública do

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA MANUTENÇÃO ICA 66-29 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS COM ELETRICIDADE NO SISCEAB 2014 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE

Leia mais

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP PCMSO/GEAP 6.1.23.1 Providenciar atestados e exames Todo trabalho em eletricidade deve ser planejado, organizado e executado por empregado capacitado e autorizado. Para executar trabalhos em altura, o

Leia mais

Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em alturas

Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em alturas SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE COORDENAÇÃO DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL SUBGERÊNCIA DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em

Leia mais

INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS. Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP. Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP

INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS. Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP. Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP 2014 1. INTRODUÇÃO Com o decorrer do tempo e os avanços tecnológicos tornando

Leia mais

ANEXO IX. 1.1. As normas aplicáveis aos serviços a serem realizados existentes na Portaria 3214/MTB/78 deverão ser seguidas integralmente.

ANEXO IX. 1.1. As normas aplicáveis aos serviços a serem realizados existentes na Portaria 3214/MTB/78 deverão ser seguidas integralmente. ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA SERVIÇOS DE REFORMA, CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO PREVENTINA DE EQUIPAMENTOS DE SUBESTAÇÃO E USINAS 1.) CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1. As normas

Leia mais

Anexo II Descrição da Área/Processo. Cargos de Nível Médio

Anexo II Descrição da Área/Processo. Cargos de Nível Médio Anexo II Descrição da Área/Processo Cargos Cargo Área Pré-requisito Trajetória Processo de Agrimensura de Edificações/ Construção Civil de Edificações de Edificações Agrimensura. Edificações. Edificações.

Leia mais

Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços.

Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. 1/6 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

Qualidade e segurança a solução perfeita. SST Sistema de Segurança no Trabalho

Qualidade e segurança a solução perfeita. SST Sistema de Segurança no Trabalho Qualidade e segurança a solução perfeita SST Sistema de Segurança no Trabalho História da Segurança do Trabalho no Mundo O HOMEM conseguiu através da história, criar uma tecnologia que possibilitou sua

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/7 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA GRUAS TORRE 2 DESCRIÇÃO As gruas torre são máquinas utilizadas para elevação de cargas (por meio de um cabo), e transporte dentro de um raio

Leia mais

ESPAÇO CONFINADO CONTROLE DE REVISÃO

ESPAÇO CONFINADO CONTROLE DE REVISÃO Elaborado por Ana Karolina Kalil Visto Aprovado por Márcio Flávio Ribeiro Pereira Visto CONTROLE DE REVISÃO Revisão Data Item Natureza das alterações 0 25/04/2014 - Emissão inicial 1. OBJETIVO Estabelecer

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA REDES DE IP (MONTAGEM/SUBSTITUIÇÃO/MANUTENÇÃO DE REDES DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA)

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA REDES DE IP (MONTAGEM/SUBSTITUIÇÃO/MANUTENÇÃO DE REDES DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA) PP. 1/16 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA REDES DE IP (MONTAGEM/SUBSTITUIÇÃO/MANUTENÇÃO DE REDES DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA) 2 DESCRIÇÃO Trabalhos de montagem/substituição/manutenção em redes

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Aplicação da NR 10 nos canteiros de obras

SEGURANÇA E SAÚDE NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Aplicação da NR 10 nos canteiros de obras SEGURANÇA E SAÚDE NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Aplicação da NR 10 nos canteiros de obras Campinas 20/05/2011 Luiz Carlos de Miranda Júnior Gerente de Segurança, Saúde e Qualidade de Vida 2 NR-10: norma regulamentadora

Leia mais

Otimização da interrupção de RDs para atividades de lançamento de cabos de LT. Dircélio Marcos Silva. CEMIG Distribuição S.A.

Otimização da interrupção de RDs para atividades de lançamento de cabos de LT. Dircélio Marcos Silva. CEMIG Distribuição S.A. XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia 06 a 10 de Outubro de 2008 Olinda Pernambuco - Brasil Otimização da interrupção de RDs para atividades de lançamento de cabos de LT. Luis Fernando Santamaria

Leia mais

CÓPIA NÃO CONTROLADA

CÓPIA NÃO CONTROLADA DC-S-1/2011 2/14 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. CONDIÇÕES GERAIS... 3 2.1. Campo de Aplicação... 3 2.2. Responsabilidade... 3 2.2.1. Produção Terra e Rocha... 3 2.2.2. Planejamento/Engenharia... 3 2.2.3. Administração

Leia mais

NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NR 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE ENSINANDO A PREVENIR, SALVAR E COMBATER INTRODUÇÃO Os trabalhos em eletricidade são potencialmente perigosos e anualmente são responsáveis por inúmeros acidentes fatais. Muitos destes acidentes poderiam

Leia mais

Equipamentos de Proteção Individual (EPI)

Equipamentos de Proteção Individual (EPI) Equipamentos de Proteção Individual (EPI) SEGURANÇA NA SOLDAGEM Segurança na Soldagem 1.1 - Principais riscos para um soldador 1.1.1 - Poluição por fumos de soldagem 1.1.2 - Radiações visíveis e invisíveis

Leia mais

Atualmente o uso desses é regulamentado pela NR-6 (Norma Regulamentadora).

Atualmente o uso desses é regulamentado pela NR-6 (Norma Regulamentadora). Introdução Os acidentes do trabalho constituem a face visível de um processo de desgaste e destruição física de parcela da força de trabalho no sistema capitalista. O Brasil, depois de ocupar durante a

Leia mais

A segurança como sinónimo de prevenção de acidentes engloba vários aspetos:

A segurança como sinónimo de prevenção de acidentes engloba vários aspetos: Fundamentos da segurança no trabalho A segurança como sinónimo de prevenção de acidentes engloba vários aspetos: Aspeto ético-sociais Segurança social 1 Aspeto jurídicos Legislação do trabalho Aspeto económicos

Leia mais

Manual de Instalação e Operações

Manual de Instalação e Operações Manual de Instalação e Operações Acionador On/Off Bivolt Sistema de Aquecimento para banheira de hidromassagem PARA SUA SEGURANÇA: Antes de Instalar este produto, leia atentamente este manual de instruções.

Leia mais

Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional PRODIST. Módulo 4 Procedimentos Operativos do Sistema de Distribuição

Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional PRODIST. Módulo 4 Procedimentos Operativos do Sistema de Distribuição Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional PRODIST Módulo 4 Procedimentos Operativos do Sistema de Distribuição Revisão 0

Leia mais

DESENERGIZAÇÃO. Seccionamento. Impedimento de reenergização. Constatação da ausência de tensão

DESENERGIZAÇÃO. Seccionamento. Impedimento de reenergização. Constatação da ausência de tensão DESENERGIZAÇÃO A desenergização é um conjunto de ações coordenadas, seqüenciadas e controladas, destinadas a garantir a efetiva ausência de tensão no circuito, trecho ou ponto de trabalho, durante todo

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PROTEÇÃO DE SISTEMA AÉREO DE DISTRIBUIÇÃO 2B CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO

DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PROTEÇÃO DE SISTEMA AÉREO DE DISTRIBUIÇÃO 2B CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO 1 DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PROTEÇÃO DE SISTEMA AÉREO DE DISTRIBUIÇÃO 2B CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO Durante um curto-circuito, surge uma corrente de elevada intensidade

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA RG PS 02 01 REVISÃO: 02 FOLHA de Emergência Manuseio a objetos cortantes (tesoura, estilete) N D 1 Corte 3 NS 2013 Técnico Descarga elétrica no manuseio de equipametos energizados Pisos com superfície

Leia mais

Vice-Presidência de Engenharia e Meio Ambiente Instrução de Trabalho de Meio Ambiente

Vice-Presidência de Engenharia e Meio Ambiente Instrução de Trabalho de Meio Ambiente VicePresidência de Engenharia e Meio Ambiente IGR 4.4.632 ÍNDICE 1. OBJETIVO 2. REFERÊNCIAS 3. DEFINIÇÕES 4. APLICAÇÃO 5. DESCRIÇÃO DO PROCESSO 6. FLUXO DO PROCESSO 7. RESPONSABILIDADES 8. ANEXOS 9. CONTROLE

Leia mais

PLANO DE TRABALHOS COM RISCOS ESPECIAIS Execução de pinturas

PLANO DE TRABALHOS COM RISCOS ESPECIAIS Execução de pinturas Página 1 de 7 PLANO DE TRABALHOS COM RISCOS ESPECIAIS Execução de pinturas Página 2 de 7 PROCESSO CONSTRUTIVO 1. EECUÇÃO DE PINTURAS Esta actividade consiste nos trabalhos de pinturas nas paredes simples

Leia mais

ANEXO XI NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO

ANEXO XI NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO ANEXO XI NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO 1 - CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1 As normas aplicáveis aos serviços a serem realizados existentes na Portaria 3214/MTB/78 deverão ser seguidas

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE 10.1- OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Orientações objetivas quanto às especificidades e genéricas quanto as finalidades e aplicabilidade,

Leia mais

CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES

CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES C1 OBJETIVOS DA CIPA Prevenção de Doenças e Acidentes de Trabalho, mediante o controle dos Riscos presentes: no ambiente nas condições e na organização do

Leia mais

Perfil Profissional de Conclusão do Curso Técnico de Instrumentação

Perfil Profissional de Conclusão do Curso Técnico de Instrumentação Perfil Profissional de Conclusão do Curso Técnico de Instrumentação Área Profissional: Indústria Segmento Tecnológico: Eletroeletrônica Qualificação ou Habilitação Profissional: Técnico em Instrumentação

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP DIVISÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL - DVSS Sumário 1. OBJETIVO...

Leia mais

Normalização do sistema de bloqueio conforme a NR 10

Normalização do sistema de bloqueio conforme a NR 10 Normalização do sistema de bloqueio conforme a NR 10 Robson Guilherme Ferreira (II) Jackson Duarte Coelho (III) Julio César Agrícola Costa da Silveira (I) Resumo O trabalho a ser apresentado tem como objetivo

Leia mais

NOTA TÉCNICA 6.005. Página 1 de 20. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição

NOTA TÉCNICA 6.005. Página 1 de 20. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição Página 1 de 0 NOTA TÉCNICA 6.005 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR PARTICULAR DE CONSUMIDOR PRIMÁRIO COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA AES ELETROPAULO UTILIZANDO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA GUINCHO VELOX e HUCK ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. INFORMAÇÕES TÉCNICAS... 2 2. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA... 2 2.1. USO DOS GUINCHOS... 3 2.2. LUBRIFICAÇÃO... 3 2.3.

Leia mais

Aula 8. Equipamentos de Proteção Coletiva e Individual META DA AULA OBJETIVOS

Aula 8. Equipamentos de Proteção Coletiva e Individual META DA AULA OBJETIVOS Aula 8 Equipamentos de Proteção Coletiva e Individual META DA AULA Compreender os aspectos essenciais de Combate a Incêndio e os Equipamentos de Proteção Coletiva e Individual. OBJETIVOS Ao final desta

Leia mais

REGULAMENTO PARA USO DO LABORATÓRIO PRÉ- CLÍNICO MULTIDISCIPLINAR DO CURSO DE ODONTOLOGIA DA ASSOCIAÇÃO CARUARUENSE DE ENSINO SUPERIOR/ASCES

REGULAMENTO PARA USO DO LABORATÓRIO PRÉ- CLÍNICO MULTIDISCIPLINAR DO CURSO DE ODONTOLOGIA DA ASSOCIAÇÃO CARUARUENSE DE ENSINO SUPERIOR/ASCES REGULAMENTO PARA USO DO LABORATÓRIO PRÉ- CLÍNICO MULTIDISCIPLINAR DO CURSO DE ODONTOLOGIA DA ASSOCIAÇÃO CARUARUENSE DE ENSINO SUPERIOR/ASCES DOS OBJETIVOS Art. 1º São objetivos deste regulamento: I maximizar

Leia mais

Lista de Materiais para a Arena Desenho da estrutura

Lista de Materiais para a Arena Desenho da estrutura Lista de Materiais para a Arena Desenho da estrutura Desenho da estrutura (detalhes) Lista de materiais para Arena V RODEIO NACIONALDE ELETRICISTAS Lista de Materias para Arena Item Descrição Quantidade

Leia mais

PROCEDIMENTO. Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para realizar poda de arvores em rede energizada.

PROCEDIMENTO. Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para realizar poda de arvores em rede energizada. Página: 1/14 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para realizar poda de arvores em rede energizada. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento aplica-se a todas as Empresas de

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO CONCORRÊNCIA Nº 017/2015 ANEXO Q12 DIRETRIZES DE SAÚDE, MEIO AMBIENTE E SEGURANÇA PARA CONTRATOS SERVIÇOS ÍNDICE

EDITAL DE LICITAÇÃO CONCORRÊNCIA Nº 017/2015 ANEXO Q12 DIRETRIZES DE SAÚDE, MEIO AMBIENTE E SEGURANÇA PARA CONTRATOS SERVIÇOS ÍNDICE ANEXO Q12 DIRETRIZES DE SAÚDE, MEIO AMBIENTE E SEGURANÇA PARA CONTRATOS SERVIÇOS ÍNDICE 1. OBJETIVO 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA E COMPLEMENTARES 3. NOMENCLATURA 4. DEFINIÇÕES 5. RESPONSABILIDADES 6. REQUISITOS

Leia mais

PROCEDIMENTO. Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para execução de poda de árvore.

PROCEDIMENTO. Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para execução de poda de árvore. Página: 1/25 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para execução de poda de árvore. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento aplica-se a todas as Empresas de Distribuição da

Leia mais

NR-10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS COM ELETRICIDADE

NR-10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS COM ELETRICIDADE 1 NR-10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS COM ELETRICIDADE Maildo Barros da Silva Eng.Eletricista/Mecânico/Segurança do Trabalho Especialista em Eng.Eletrica PANORAMA NACIONAL A IMPORTÂNCIA DA NR-10,

Leia mais

DDS Efeitos do choque elétrico no organismo humano

DDS Efeitos do choque elétrico no organismo humano Choque Elétrico : É o conjunto de perturbações de natureza e efeitos diversos, que se manifesta no organismo humano ou animal, quando este é percorrido por corrente elétrica. A condição básica para se

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO NR 01 RISCOS FÍSICOS QUÍMICOS BIOLÓGICOS ERGONOMICOS ACIDENTES. Micro Organismo Patogênicos Doenças Infectocontagiosas

ORDEM DE SERVIÇO NR 01 RISCOS FÍSICOS QUÍMICOS BIOLÓGICOS ERGONOMICOS ACIDENTES. Micro Organismo Patogênicos Doenças Infectocontagiosas Ordem de Serviço Logo da empresa ORDEM DE SERVIÇO NR 01 N de Registro xxx/xx Data de Atualização xx/ xx/ xxxx Função: Técnico em Radiologia Área de Aplicação: Toda área hospitalar RISCOS FÍSICOS QUÍMICOS

Leia mais

0800-55 03 93 Segunda à Sexta, das 8h às 20h. Sábado, das 8h às 17h.

0800-55 03 93 Segunda à Sexta, das 8h às 20h. Sábado, das 8h às 17h. 1 ANO DE GARANTIA SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR Manual de Instruções L I G U E G R Á T I S 0800-55 03 93 Segunda à Sexta, das 8h às 20h. Sábado, das 8h às 17h. M.K. Eletrodomésticos Ltda. Estrada

Leia mais

ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012

ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012 ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012 1.) CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1. As empreiteiras que admitam trabalhadores deverão cumprir a Norma Regulamentadora nº

Leia mais

COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO Certificação de Competências

COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO Certificação de Competências COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO Certificação de Competências CARGO TÉCNICO DE SINALIZAÇÃO DE TRÂNSITO Área de Concentração: Sinalização Semafórica 1. Na condução de veículos da frota da CET/DSV, em

Leia mais

1. EVENTOS VINCULADOS AO EMPREENDIMENTO. EVENTO Aceite da Ordem de Serviço/Consolidação do Cronograma.

1. EVENTOS VINCULADOS AO EMPREENDIMENTO. EVENTO Aceite da Ordem de Serviço/Consolidação do Cronograma. GERAL O objetivo deste documento é definir critérios para ressarcimento de eventos de pagamentos e Eventos Críticos e permitir a emissão, por parte do Contratado, do Relatório de Cumprimento de Eventos.

Leia mais

Especificações Técnicas

Especificações Técnicas ANEXO IV Referente ao Edital de Pregão nº. 010/2015 Especificações Técnicas 1. OBJETIVO 1.1. A presente licitação tem como objeto a prestação de serviços para realização de cursos para os colaboradores

Leia mais

NORMA TÉCNICA SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 3 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3 RESPONSABILIDADES... 3 4 DEFINIÇÕES... 3

NORMA TÉCNICA SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 3 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3 RESPONSABILIDADES... 3 4 DEFINIÇÕES... 3 30 / 08 / 2012 1 de 19 SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 3 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3 RESPONSABILIDADES... 3 4 DEFINIÇÕES... 3 4.1 Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT... 3 4.2 Agência Nacional de Energia

Leia mais

Termos de Uso do Laboratório de Mecânica

Termos de Uso do Laboratório de Mecânica Termos de Uso do Laboratório de Mecânica 1. SEGURANÇA 1- Não utilizar acessório corporais (Anéis, Correntes, Alianças, Brincos ou qualquer outro acessório). 2- Sempre que utilizar qualquer maquinário ou

Leia mais

E NOS TRAB E NOS TR ALHOS EM

E NOS TRAB E NOS TR ALHOS EM SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS DEZ/2014 1 ÍNDICE Objetivo Definição... 04 Oque É Espaço Confinado... 05 Onde É Encontrado O Espaço Confinado... 06 Quais São Os Tipos De Trabalhos

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO OPERADOR DE EMPILHADEIRA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL BÁSICA

Leia mais

ED-25 ESTUFA MANUAL DE INSTRUÇÕES & OPERAÇÃO DE MÁQUINA. DEOX MÁQUINAS LTDA www.deox.com.br

ED-25 ESTUFA MANUAL DE INSTRUÇÕES & OPERAÇÃO DE MÁQUINA. DEOX MÁQUINAS LTDA www.deox.com.br ED-25 ESTUFA MANUAL DE INSTRUÇÕES & OPERAÇÃO DE MÁQUINA www.deox.com.br Página 1 de 7 SUMÁRIO 1 ESTUFA... 2 2 INSTRUÇÕES GERAIS... 2 3 ESPECIFICAÇÕES DO EQUIPAMENTO... 3 4 INSTALAÇÃO... 3 4.1 SOLICITAÇÕES

Leia mais

IT - 32 SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS

IT - 32 SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS IT - 32 SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo - Figuras, separações e afastamentos entre equipamentos e edificações. 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas 4 Definições 5 Procedimentos

Leia mais

ANEXO XII NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA MANUTENÇÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA CONCORRÊNCIA 001/2014

ANEXO XII NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA MANUTENÇÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA CONCORRÊNCIA 001/2014 ANEXO XII NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA MANUTENÇÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA CONCORRÊNCIA 001/2014 1.) CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1. As normas aplicáveis aos serviços a serem realizados

Leia mais

NOTA TÉCNICA 6.010. Página 1 de 19. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição

NOTA TÉCNICA 6.010. Página 1 de 19. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição Página 1 de 19 NOTA TÉCNICA 6.010 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR PARTICULAR DE CONSUMIDOR SECUNDÁRIO COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA AES ELETROPAULO UTILIZANDO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA

Leia mais

CAPÍTULO 5 EQUIPAMENTOS UTILIZADOS NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR. 2. Classificação dos Equipamentos e Materiais

CAPÍTULO 5 EQUIPAMENTOS UTILIZADOS NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR. 2. Classificação dos Equipamentos e Materiais Fig 5.2 Rádio portátil Equipamentos Utilizados no Atendimento Pré-Hospitalar CAPÍTULO 5 EQUIPAMENTOS UTILIZADOS NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR 1. Introdução No atendimento a uma situação de emergência é

Leia mais