ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO FIENRIQUES DE SÁ E I3ENEVIDES.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO FIENRIQUES DE SÁ E I3ENEVIDES."

Transcrição

1 DECISÃO ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO FIENRIQUES DE SÁ E I3ENEVIDES. Apelação Cível n /001 7" Vara Cível de Campina Grande Relator: Des. Saulo Henriques de Sá e Benevides Apelante: Willyhaus Restaurante Chouperia LTDA. e Otto Wilhelin Steinmuller LTDA. Advogado: Thélio Farias Apelado: ECAD Escritório Central de Arrecadação de Direitos Autorais Advogado: José Alves Cardoso APELAÇÃO CÍVEL DIREITOS AUTORAIS -- RETRANSMISSÃO RADIOFÔNICA ESTABELECIMENTO COMERCIAL NEXO DE ADEQUABILIDADE ENTRE A SONORIZAÇÃO AMBIENTAL E O SERVIÇO PRESTADO EXIGIBILIDADE A PARTIR DA LEI 9.610/98 NÃO PROVIMENTO. "Silo devidos direitos autorais pela retransmissão radiofônica de músicas em estabelecimentos comerciais - (Súmula 63 do ST.I). Havendo nítido nexo de pertinência entre a.vonorilaçr-io ambiental e o serviço prestado, como fôrma de qualificação ilesic, resultando, destarte, em lucro indireto, é exigível o direito autoral. "O relator negará seguimento a recurso manif estamente inadmissível, inwrocedente, prejudicado ou em confronto com súmula ou com. uri.sprudência dominante do respectivo tribunal, dó Supremo Tribunal Federal, ou de Tribunal Superior." (art. 557,caput, CPC). Vistos, etc. RELATÓRIO. Cuida-se de. Apelação Cível interposta por Willyhaus Restaurante Chouperia LTDA. e Otto Wilhelm Steinmuller LTDA., contra a sentença (fls.142/146) do MM. Juiz de Direito Titular da 7' Vara Cível de Campina Grande, que julgou improcedente o pedido da Ação Declaratória de Inexistência de Relação Jurídica c/c Repetição de Indébito. ajuizada em face do ECAD - Escritório Central de Arrecadação de Direion. Preliminarmente, as apelantes aduzem fls.155/169 que houve ao due processo of law em primeiro grau de jurisdição, vez que não lhes teria sido conferido o contraditório para produção de provas, pedindo, assim, a anulação da sentença. Alegam, ainda.. que o Juízo a quo não expôs as razões pelas quais foram rejeitados os argumentos de sua peça vestibular, relacionado à suposta. "dupla cobrança" efetuada pelo ECAD. No mérito, alega, em síntese, que suas empresas não se utilizam de qualquer forma de captação de clientela via música, e que veiculam apenas músicas de domínio público (músicas clássicas alemãs), fora da abrangência da Lei de Direitos Autorais. Em contra-razões (11s.173/183), a apelada sustenta que seria desnecessária a produção de prova testemunhal, visto tratar-se de matéria eminentemente de direito, e que, ainda assim, as apelantes não compareceram à audiência de instrução. Alega, ainda, que no caso é cabível o julgamento antecipado da lide. Outrossim, argumenta que os recorrentes trouxeram, indevidamente, fato novo no que atina às músicas de domínio público, já.

2 - - este fundamento não foi deduzido na inicial. No mais, reitera os termos da contestação sobre a legitimidade da cobrança de direitos autorais. ÀS lis. 190/193, Parecer ministerial, sem manifestação de nieruo. entendendo o Parquet estar ausente interesse público que obrigue sua intervenção. É o relatório. DECIDO: A primeira objeção ventilada pela apelante (fl.155), consistente na afronta ao devido processo legal e ao contraditório, não procede. Ora, como ensina a melhor doutrina, o princípio do contraditório 6 informado pelo binômio informação-reação, com a ressalva de que, não obstante a primeira tnformação seja absolutamente necessária sob pena de ilegitimidade do processo e nulidade de seus atos, a segunda reação é somente possível. Como destaca Dinamareo, "esse é, de certo modo, um culto ao valor da liberdade no processo, podendo a parte optar entre atuar ou omitir-se segundo sua escolha." 1 In caszt, foi oportunizado aos recorrentes o momento propício para a produção de provas, já que ambos foram regularmente intimados, por Nota de Foro, da Audiência de Instrução, como se vê à fl Ou seja: o pressuposto "informação" resultou satisfeito. Nesse passo, se os recorrentes não compareceram à Audiência de Instrução para a produção probatória de seu interesse, esta discussão paira na idéia ou princípio da liberdade processual, com seus conseqüentes ônus e preclusão temporal. De igual maneira, o segundo argumento também não logra acolhimento. Ora, a fundamentação da sentença vergastada mostrou-se coerente com sua lógica, íntegra em seus argumentos e bastante em seu convencimento, de modo que, em sua globalidade, o argumento autoral da "dupla cobrança" foi rebatido, na medida em que lhe é logicamente incompatível. Aliás, mesmo que não o fosse, destaque-se que não é o juiz obrigd,i:., discorrer individualmente sobre cada um dos argumentos trazidos pelas partes, hast,ando que adote motivação suficiente pai:a decidir a lide dentro dos limites em que foi proposta. Destarte, assim vem decidindo o Superior Tribunal de Justiça: Não viola os artigos 165, 458 e 535 do CPC, nem importa negativa de prestação jurisdicional, o acórdão que, mesmo sem ter examinado individualmente cada um dos argumentos trazidos pelo vencic.l, entretanto, fundamentação suficiente para decidir de modo intopi;_il controvérsia posta. (Origem: STJ - SUPERIOR TRIBUNAL DE JUS I IL;/1/4 Classe: RESP RECURSO ESPECIAL Processo: UF: PR Órgão Julgador: PRIMEIRA TURMA Data da decisão: 26/09/2006; DJ DATA:09/10/2006 PÁGINA:262; Relator: TEORI ALBINO ZAVASCKI) Como é de sabença geral, o julgador não está obrigado a discorrer sobre todos os regramentos legais ou todos os argumentos alavancados pelas partes. As proposições poderão ou não ser explicitamente dissecadas pelo magistrado, que só estará obrigado a examinar a contenda nos limites da demanda, fundamentando o seu proceder de acordo com o seu livre convencimento, baseado nos aspectos pertinentes à hipótese sub judice e com a legislação que entender aplicável ao caso concreto. Precedentes: REsp /DF, Rel. Min. JOSE DELGADO, DJ de 01/07/2002 e AGREsp n /PR, Rel. Min. CASTRO MEIRA, DJ de 08/09/2003.( Origem: STJ - SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA Classe: RESP RECURSO ESPECIAL Processo: UF: RJ Órgão Julgador: PRIMEIRA TURMA Data da decisão: 12/09/2006; DJ DATA:05/10/2006 PÁGINA:276; Relator: FRANCISCO FALCÃO) Argumentos da decisão a quo que são claros e nítidos. Não dão lugar a omissões, obscuridades, contradições ou ausência de fundamentação. O não- 1 DINAMARCO, Cândido Rangel. Instituições cie Direito Processual Civil. 4 8 cd., São Paulo: Mallieiros, 2004, p. 218.

3 acatamento das teses contidas no recurso não implica cerceamento de defesa. Ao julgador cabe apreciar a questão de acordo com o que ele entender atinente à lide. Não está obrigado o magistrado a julgar a questão posta a seu exame de acordo com o pleiteado pelas partes, mas sim com o seu livre convencimento (art. 131 do CPC), utilizando-se dos fatos, provas, jurisprudência, aspectos pertinentes ao tema e da legislação que entender aplicável ao caso.( Origem: STJ - SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA Classe: AGA - AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO Processo: UF: BA Órgão Julgador: PRIMEIRA TURMA Data da decisão: 15/12/2005 Documento: STJ ; DJ DATA:20102/2006 PÁGINA:219; Relator: JOSÉ DELGADO) No que atina à matéria de fundo propriamente dita, não merece reparo a sentença vergastada. Com efeito, o Direito de Autor, assim como a jurisprudência dominante dos Tribunais Pátrios, inclinam-se no sentido de tutelar os direitos autorais em casos como o sub jtidice. O Direito de Autor é regulado, em nosso País, pela Lei Federal , de 19 de fevereiro de, Esse diploma legal encontra fundamento de validade no artigo 50, XXVII e XXVIII, da Constituição Federa1. 2 O objeto do Direito de Autor é a obra intelectual. A Lei tf 9.610/98, em seu art. 7, considera obras intelectuais protegidas "as criações do espírito, expressas por qualquer meio ou fixadas em qualquer suporte, tangível ou intangível, conhecido ou que se invente no futuro..". E conforme o inciso V do mesmo artigo, a título exemplificativo, as composiçõcs musicais, tenham ou não letra, estão albergadas dentro da proteção do capal. Demais disto, assim prevê a Lei 9.610/98: Art. 68. Sem prévia e expressa autorização do autor 011 titular, não poderão ser utilizadas obras teatrais, composições musicais ou lítero-musicais e fonogramas, em representações e execuções públicas. ;, 2 Considera-se execução pública o laili2-,oçào composiçoe.v lítero-musicais., mediante a participação de artistas, remunerado nc, ' utilização de.fonograntas e obras audiovisuais, em locais de freqii9:',,m, ; coletiva, por quaisquer processos, inclusive a radiodifilsão (01 tranymissão por qualquer modalidade, e a exibição cinematográfica. 3' Consideram-se locais de freqüência coletiva os teatros, cinemas, salões de baile ou concertos, boates, bares, clubes ou associações de qualquer natureza, lojas, estabelecimentos comerciais e indusiriais, estádios, circos...leiras. restaurantes, hotéis, motéis, clínicas, hospitais, órgãos públicos administração direta ou indireta, finulacionais e estataiṡ, meios de iraii.sparfc dc passageiros terrestre, marítimo, fluvial ou aéreo, ou onde quer que se representem, executem ou transmitam obras literárias, artísticas ou cientificas. (grifo nosso) Por outro vértice, realizando pesquisa jurisprudencial, conclui-se que é cabível a cobrança de direitos autorais em virtude da sonorização ambiental em estabelecimentos comerciais. Outrossim, quando a reprodução radiofônica funciona corno coadjuvante na atração de clientela, qualificando, destarte, o serviço prestado, configura nítida utilização lucrativa da obra musical. Nesse sentido, vem decidindo "o Colendo Superior Tribunal de Justiça dc maneira uníssona: 2 Art. 5 0 CF aos autores pertence o direito exclusivo de utilização, publicação ou reprodução de suas obras, transmissível aos herdeiros pelo tempo que a lei fixar. XXVIII são assegurados, nos termos da lei: A - a proteção às participações individuais em obras coletivas e à reprodução da imagem e voz humana, inclusive nas atividades desportivas; R - o direito de fiscalização do aproveitamento econômico das obras que criarem ou de que participarem sindicais e associativas.

4 DIREITOS AUTORAIS. RÁDIO RECEPTOR E APARELHO DE TV A CABO DISPONÍVEIS AOS HÓSPEDES EM APOSENTOS DE FIOTEL. EXIGIBILIDADE A PARTIR DA VIGÊNCIA DA LEI N , DE Consoante a Lei n , de , a disponibilização de aparelhos de rádio e de TV em quartos de hotel, lugares de freqüência coletiva, sujeita o estabelecimento comercial ao pagamento dos direitos autorais. Precedente da Segunda Seção: Resp n MG. Descabimento da multa prevista no art. 109 da Lei n /98 (REsp MG) Recurso especial conhecido, 'em parte, e nessa parte, provido. (Origem: STJ - SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA Classe: RESP - RECURSO ESPECIAL Processo: UF: RJ Órgão Julgador: QUARTA TURMA Data da decisão: 09/11/2004; DJ DATA:01/ PÁGINA:564; Relator: BARROS MONTEIRO) Direito autoral. Sonorização ambiental. Prova da efetiva execução. Súmula n 63 da Corte. Precedentes. 1. A Súmula n 63 da Corte consolidou a jurisprudência no sentido de que cabível a cobrança de direitos autorais em virtude da sonorização ambiental. 2. Precedente da Corte assentou que a "cobrança de direitos autorais em caso de sonorização ambiental não exige a discriminação dos autores e das músicas tocadas, sob pena de inviabilizar-se o sistema, como bem assinalado em precedente da Corte" (REsp n /3F, de minha relataria, DJ de 4/12/2000). 2. Recurso especial conhecido P providn (Origem: STJ - SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTICA Classe: RESP - RECURSO ESPECIAL Processo: UF: RS Órgão Julgador: TERCEIRA TURMA Data da decisão: 15/12/2005 Documento: STJ ; DJ DATA:10/04/2006 PÁGINA:174; Relator: CARLOS ALBERTO MENEZES DIREITO) DIREITOS AUTORAIS. SONORIZAÇÃO AMBIENTAL POR MEIO DE ESTAÇÕES DE RÁDIO. CONDOMÍNIO DE ES1ADELECIfv1E.N I Ub COMERCIAIS. LEI N /98. Configurada a utilização de obra musical captada de trangraiçn,=i, i mediante sonorização ambiental, são devidos os cl ii independentemente da eventual auferição de lucro. Recurso espeutdi conhecido e provido. (Origem: STJ - SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA Classe: RESP - RECURSO ESPECIAL Processo: UF: RJ Órgão Julgador: QUARTA TURMA Data da decisão: 15/04/2004 Documento:, STJ ; 1:),J DATA:04/10/2004 PÁGINA:305 RNDJ VOL.:00061 PÁGINA:140 RSTJ VOL.:00185 PÁGINA:451; Relator: CESAR ASFOR ROCHA) CIVIL. DIREITO AUTORAL. COBRANÇA. ECAD. LEGIT PREQUESTIONAMENTO. AUSÊNCIA. CAPTAÇÃO DE MÚSICA F.11\1 1 i POR EMPRESA ESPECIALIZADA EM SONORIZAÇÃO AMBIFNIAI RESTAURANTE. LUCRO INDIRETO. SÚMULA N. 63-STJ. LEI N /73. I. A sonorização ambiental de restaurante, inclusive proporcionada por empresa especializada em tal espécie de serviço de seleção musical, constitui hipótese de incidência de direitos autorais, ao teor do art. 73 da Lei n /73. II. "São devidos direitos autorais pela retransmissão radiofônica de músicas em estabelecimentos comerciais" - Súmula n. 63-STJ. III. Recurso especial conhecido e provido. (Origem: STJ - SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA Classe: RESP - RECURSO ESPECIAL Processo: UF: PR Órgão Julgador: QUARTA TURMA Data da decisão: 19/12/2002 Documento: STJ ; DJ DATA:16106/2003; Relator: ALDIR PASSARINHO JUNIOR) DIREITOS AUTORAIS. MUSICAS. RETRANSMISSÃO RADIOFONICA. RESTAURANTE. HOTEL. RECURSO PARCIALMENTE ACOLHIDO. - OS HOTEIS QUE PROPICIAM MUSICA AMBIENTE A SEUS HOSPEDES, SEJA NAS AREAS COMUNS, SEJA EM CONFERENCIAS, CONGRESSOS, RESTAURANTES, TORNEIOS ESPORTIVOS E OUTROS, FICAM OBRIGADOS AO PAGAMENTO DE DIREITOS AUTORAIS. NOS QUARTOS, ENTRETANTO, TEM OSCILADO A JURISPRUDENCIA. (Origem: STJ - SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTICA Classe: RESP - RECURSO ESPECIAL Processo: UF: RJ Órgão Julgador: QUARTA TURMA Data da decisão: 24/02/1997; DJ DATA:24/03/1997; Relator: SÁLVIO DE FIGUEIREDO TEIXEIRA) CIVIL. DIREITO AUTORAL. COBRANÇA. ECAD. LEGITIMIDADE. PREQUESTIONAMENTO. AUSÊNCIA. CAPTAÇÃO DE MÚSICA COM

5 AMBIENTAÇÃO POR MEIO DE SONORIZAÇÃO MECÂNICA. BAR/RESTAURANTE E ACADEMIA DE GINÁSTICA. LUCRO INDIRETO. SÚMULA N. 63-STJ. LEI N /73. I. O ECAD tem legitimidade ativa para, como substituto processual, cobrar direitos autorais em nome dos titulares das composições litero-musicais, inexigível a prova de filiação e autorização respectivas. II. A captação de música em rádio e a sua divulgação através de sonorização ambiental em estabelecimentos comerciais que dela se utilizam como 'elemento coadjuvante na atração de clientela, constitui hipótese de incidência de direitos autorais, nos termos do art. 73 da Lei n /73. III. "São devidos direitos autorais pela retransmissão radiofônica de músicas em estabelecimentos comerciais" - Súmula n. 63-STJ. IV. Recurso especial conhecido e provido em parte. (Origem: STJ - SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA Classe: RESP RECURSO ESPECIAL Processo: UF: PR Órgão Julgador: QUARTA TURMA Data da decisão: 21/11/2002; DJ DATA:10/02/2003; Relator: AI nin PASSARINHO JUNIOR) A legitimar todo este repertório de decisões do STJ sobre a matéria, some-se sua Súmula 63, in verbis: Súmula 63 STJ: São devidos direitos autotitis pelo í di radiofônica de músicas em estabelecimentos comerciais -. Ora, ressalte evidente o caráter comercial das recorrentes. Com recorrente "Willyhaus Restaurante e Choperia Ltda." tem como objeto social - Bar e restauranl" conforme consta na Cláusula Segunda de seu contrato social. Aliás, há até previsão estatutária de recebimento pró-labore e de distribuição de lucros (Cláusula Oitava). Por sua vez, e de igual modo, a segunda recorrente, i.e., "Otto Wilhelm Steinmuller", titular de firma individual (que tem como nome de fantasia "Chopp do Alemão"), ostenta indelével fim comercial, pelo seu próprio objeto social de "bar e restaurante". Quanto à alegação de que as recorrentes veiculam apenas clássicas alemãs", ou seja, músicas de domínio público, gize-se que o art. 517' do (. ódigo de Processo Civil estabelece a proibição de inovar no juízo de apelação, já que a instância reclusa' é de controle, e não de criação. Como exceção, aquele dispositivo permite que as questõês de fato não suscitadas no juízo inferior possam ser argüidas na apelação, se a parte comprovar que deixou de fazê-lo anteriormente por motivo de força maior. Ia casu, mostra-se manifestamente descabida a referida alegação de fato, mormente tendo-se em vista que é impossível pensar nalguma hipótese de força maior a interditar a inclusão, na causa de pedir e na instância a quo, da alegação de veiculação de músicas de domínio público. ANTE O EXPOSTO, e nos termos do art. 557, caput, do CPC, conheço do recurso e, monocraticamente, NEGO-LHE PROVIMENTO. Publique-se e Intime-se. João Pessoa, 14 de novembro de Saulo Henri ues de Sá e Benevides Relator 3 Art As questões de fato, não propostas no juízo inferior, poderão ser suscitadas na apelação, lu_ que deixou de fazê-lo por motivo de força maior.

6 Op.2,14515g02/

(ambas sem procuração).

(ambas sem procuração). ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 001.2009.006097-9 / 001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa. Agravante: Itatj Seguros S/A. Advogado:

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa Agravo de Instrumento n 2 073.2012.001287-4 /001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa Agravante: Marina Jacaré Clube Advogado:

Leia mais

PODER JUDIGÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR MANOEL PAUUNO DA LUZ

PODER JUDIGÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR MANOEL PAUUNO DA LUZ 1' t PODER JUDIGÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR MANOEL PAUUNO DA LUZ ACÓRDÃO Embargos de Declaração na Apelação Cível n 001.2004.027809-3/001 7' Vara Cível da Comarca

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 809.962 - RS (2006/0007992-0) RELATOR : MINISTRO LUIZ FUX RECORRENTE : COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO - CORSAN ADVOGADO : OSVALDO ANSELMO REGINATO E OUTROS RECORRIDO : JARBAS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.084.748 - MT (2008/0194990-5) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO SIDNEI BENETI : AGRO AMAZÔNIA PRODUTOS AGROPECUÁRIOS LTDA : DÉCIO JOSÉ TESSARO E OUTRO(S) :

Leia mais

Nº 70020131579 COMARCA DE PORTO ALEGRE BANCO DO BRASIL S/A MARINA HELENA ALENCASTRO

Nº 70020131579 COMARCA DE PORTO ALEGRE BANCO DO BRASIL S/A MARINA HELENA ALENCASTRO AÇÃO DE INDENIZAÇÃO. LITISCONSÓRCIO PASSIVO. SENTENÇA DE PARCIAL PROCEDENCIA, CONDENANDO APENAS UMA DAS PARTES DEMANDADAS. NÃO INCIDÊNCIA DO ART. 191, DO CDC. SÚMULA 641, DO STF. PRAZO SIMPLES PARA RECORRER.

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa APELAÇÃO E RECURSO ADESIVO N. 2001997051712-0/001 Relator Des. José Di Lorenzo Serpa 1 Apelante Banco do Nordeste do Brasil

Leia mais

Direitos Autorais e a Hotelaria Câmara dos Deputados 05/11/2015

Direitos Autorais e a Hotelaria Câmara dos Deputados 05/11/2015 Direitos Autorais e a Hotelaria Câmara dos Deputados 05/11/2015 Sobre o FOHB Criado em 2002, o FOHB Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil é uma entidade associativa sem fins lucrativos que representa

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA o. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO ALVES DA SILVA DECISÃO MONOCRÁTICA AGRAVO DE INSTRUMENTO NQ 001.2010.006903-6/001 RELATOR : Desembargador João Alves da Silva AGRAVANTE

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA APELAÇÃO CÍVEL N. 001.2008.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA APELAÇÃO CÍVEL N. 001.2008. Ntátuald, TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA - APELAÇÃO CÍVEL N. 001.2008.012051-0/002, ORIGEM :Processo n. 001.2008.012051-0 da 3 a Vara

Leia mais

NULIDADE POR FALTA DE INTIMAÇÃO DA AVALIAÇÃO.

NULIDADE POR FALTA DE INTIMAÇÃO DA AVALIAÇÃO. NULIDADE POR FALTA DE INTIMAÇÃO DA AVALIAÇÃO. A inexistência de intimação para o devedor se manifestar em relação à avaliação realizada implica em nulidade do processo. Esse fato macula de nulidade a arrematação

Leia mais

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 157.303-4/9-00, da Comarca de

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 157.303-4/9-00, da Comarca de TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA REGISTRADO(A) SOB N *024022V:* Vistos, relatados e discutidos estes autos de APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 575.590 - RS (2003/0130567-7) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI RECORRENTE : ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADOR : LUCIANA MABILIA MARTINS E OUTROS RECORRIDO : BANCO DO BRASIL

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto DECISÃO MONOCRÁTICA APELAÇÃO CÍVEL N. 001.2010.019169-9/001 CAMPINA GRANDE RELATOR : Des. José Ricardo

Leia mais

Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios

Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Órgão 1ª Turma Cível Processo N. Agravo de Instrumento 20130020241390AGI Agravante(s) GOLDEN CROSS ASSISTENCIA INTERNACIONAL

Leia mais

A apelante aduziu serem devidas as verbas relativas às férias não gozadas e, por conseqüência, aos terços constitucionais decorrentes das férias.

A apelante aduziu serem devidas as verbas relativas às férias não gozadas e, por conseqüência, aos terços constitucionais decorrentes das férias. ESTADO rj'à PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Ga6inete d Desembargador José Lorenzo Seipa APELAÇÃO CÍVEL N 055.2005.000.156-3/002 Relator Miguel de Britto Lyra Filho, Juiz Convocado em substituição ao Des. José

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 695.205 - PB (2004/0145940-1) RELATOR RECORRENTE ADVOGADOS RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO CARLOS ALBERTO MENEZES DIREITO : BANCO DO BRASIL S/A : MAGDA MONTENEGRO PAULO LOPES DA SILVA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA GERÊNCIA DE PROCESSAMENTO CERTIDÃO

PODER JUDICIÁRIO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA GERÊNCIA DE PROCESSAMENTO CERTIDÃO o. PODER JUDICIÁRIO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DIRETORIA JUDICIÁRIA GERÊNCIA DE PROCESSAMENTO CERTIDÃO Certifico, para que esta produza os devidos efeitos, que os presentes autos foram-me entregues,

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.190.426 - SP (2010/0068750-3) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO HUMBERTO MARTINS : MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA : JOÃO FERNANDO ALVES

Leia mais

:João Batista Barbosa - Juiz Convocado. Apelante :Unibanco AIG Seguros S/A (Adv. Vanessa Cristina de Morais Ribeiro e outros).

:João Batista Barbosa - Juiz Convocado. Apelante :Unibanco AIG Seguros S/A (Adv. Vanessa Cristina de Morais Ribeiro e outros). APELAÇÃO CÍVEL N 200.2008.032.045-61 001. Relator :João Batista Barbosa - Juiz Convocado. Apelante :Unibanco AIG Seguros S/A (Adv. Vanessa Cristina de Morais Ribeiro e outros). Apelado :Evaldo de Lima

Leia mais

MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR

MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR : MIN. GILMAR MENDES REQUERENTE(S) : PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA REQUERIDO(A/S) : UNIÃO ADVOGADO(A/S) : ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO REQUERIDO(A/S) :

Leia mais

Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete do Desembargador Marcos A. Souto Maior

Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete do Desembargador Marcos A. Souto Maior Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete do Desembargador Marcos A. Souto Maior DECISÃO APELAÇÃO CIVEL N 048.2003.001021-8/001 CUITEGI RELATOR: Juíza Maria das Neves do Egito

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 996.613 - ES (2007/0244394-3) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS RECORRENTE : ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PROCURADOR : RAFAEL INDUZZI DREWS E OUTRO(S) RECORRIDO : COLATINA DIESEL LTDA

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES DECISÃO TERMINATIVA Agravo de Instrumento 200.2011.026679-4/001 2 1' Vara Civel da Capital. Relator : Des. Saulo Henriciues

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto DECISÃO MONOCRÁTICA AGRAVO DE INSTRUMENTO N 200.2011.047193-1/001 Capital. itelator : Desembargador

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 712.998 - RJ (2004/0180932-3) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN RECORRENTE : MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO PROCURADOR : MARIANA RODRIGUES KELLY E SOUSA E OUTRO(S) RECORRIDO : ADELINO

Leia mais

RELATÓRIO. Informações do MM. Juízo a quo, às fls. 55/56, comunicando a manutenção da decisão agravada.

RELATÓRIO. Informações do MM. Juízo a quo, às fls. 55/56, comunicando a manutenção da decisão agravada. RELATOR : DESEMBARGADOR FEDERAL ALBERTO NOGUEIRA AGRAVANTE : FRANCISCO RECAREY VILAR ADVOGADO : MARCIO ANDRE MENDES COSTA AGRAVADO : FAZENDA NACIONAL ORIGEM : TERCEIRA VARA FEDERAL DO RIO DE JANEIRO (200151015086382)

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS fls. 122 Processo: 0135890-46.2012.8.06.0001 - Apelação Apelante: Sindicato dos Guardas Municipais da Região Metrolitana de Fortaleza - SINDIGUARDAS Apelado: Município de Fortaleza Vistos etc. DECISÃO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA ADVOGADO : LUIZ ANTÔNIO MUNIZ MACHADO E OUTRO(S) EMENTA DIREITO SINDICAL. CONTRIBUIÇÃO SINDICAL RURAL. ART. 8º, IV, DA CF/88. COMPETÊNCIA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. PUBLICAÇÃO

Leia mais

Nº 70048989578 COMARCA DE PORTO ALEGRE BARBARA DE PAULA GUTIERREZ GOOGLE BRASIL INTERNET LTDA A C Ó R D Ã O

Nº 70048989578 COMARCA DE PORTO ALEGRE BARBARA DE PAULA GUTIERREZ GOOGLE BRASIL INTERNET LTDA A C Ó R D Ã O APELAÇÃO CÍVEL. DIREITO PRIVADO NÃO ESPECIFICADO. SITE DE BUSCA. O trabalho da demandada é tão somente de organizar o conteúdo já existente na internet, cuja elaboração é realizada por terceiros. Ou seja,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO VÁLIDO E REGULAR DO PROCESSO - QUESTÃO DE ORDEM PÚBLICA - EXTINÇÃO DO FEITO SEM JULGAMENTO DO MÉRITO - ART. 557, DO CPC.

DESENVOLVIMENTO VÁLIDO E REGULAR DO PROCESSO - QUESTÃO DE ORDEM PÚBLICA - EXTINÇÃO DO FEITO SEM JULGAMENTO DO MÉRITO - ART. 557, DO CPC. AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 929977-6, DO FORO REGIONAL DE FAZENDA RIO GRANDE DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA - VARA CÍVEL E ANEXOS AGRAVANTE : ROBERTO GOMES DA SILVA AGRAVADO : BANCO SANTANDER

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 963.454 - SC (2007/0143805-5) RELATOR RECORRENTE ADVOGADOS RECORRIDO PROCURADOR INTERES. : MINISTRO PAULO DE TARSO SANSEVERINO : LIBERTY PAULISTA SEGUROS S/A : SÉRGIO ALEXANDRE SODRÉ

Leia mais

DECISÃO. Relatório. 2. A decisão impugnada tem o teor seguinte:

DECISÃO. Relatório. 2. A decisão impugnada tem o teor seguinte: DECISÃO RECLAMAÇÃO. CONSTITUCIONAL. ALEGADO DESCUMPRIMENTO DA SÚMULA VINCULANTE N. 10 DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. RECLAMAÇÃO PROCEDENTE. Relatório 1. Reclamação, com pedido de antecipação de tutela, ajuizada

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO JORGE SCARTEZZINI EMENTA PROCESSO CIVIL - AGRAVO DE INSTRUMENTO - NEGATIVA DE PROVIMENTO - AGRAVO REGIMENTAL - SEGURO - ALEGAÇÃO DE DOENÇA PRÉ-EXISTENTE - MÁ-FÉ - REEXAME DE PROVA SÚMULA

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO JUIZ FRANCISCO CAVALCANTI

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO JUIZ FRANCISCO CAVALCANTI APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO Nº 15708 CE (0007321-11.2010.4.05.8100) APELANTE : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL APELADO : UFC - UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ REPTE : PROCURADORIA REGIONAL FEDERAL - 5ª REGIÃO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 437.853 - DF (2002/0068509-3) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI RECORRENTE : FAZENDA NACIONAL PROCURADOR : DANIEL AZEREDO ALVARENGA E OUTROS RECORRIDO : ADVOCACIA BETTIOL S/C

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOSÉ RICARDO PORTO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOSÉ RICARDO PORTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOSÉ RICARDO PORTO DECISÃO MONOCRÁTICA REMESSA NECESSÁRIA N. 011.2010.000052-7/001 CABACEIRAS. Relator : Des. José Ricardo

Leia mais

: MIN. GILMAR MENDES SÃO PAULO

: MIN. GILMAR MENDES SÃO PAULO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 680.724 SÃO PAULO RELATOR RECTE.(S) ADV.(A/S) RECDO.(A/S) PROC.(A/S)(ES) ASSIST.(S) ASSIST.(S) ADV.(A/S) : MIN. GILMAR MENDES :LINO INÁCIO DE SOUZA : LUIZ GONZAGA DE CARVALHO

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL Ng- 018.2006.002439-7/001 (Oriunda da 4fī Vara da Comarca de Guarabira/PB)

APELAÇÃO CÍVEL Ng- 018.2006.002439-7/001 (Oriunda da 4fī Vara da Comarca de Guarabira/PB) ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO DECISÃO APELAÇÃO CÍVEL Ng- 018.2006.002439-7/001 (Oriunda da 4fī Vara da Comarca de Guarabira/PB) RELATOR APELANTE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 777.906 - BA (2005/0144695-7) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO : MINISTRO JOSÉ DELGADO : ADALTRO FERRERA DE SOUZA : YOLANDA SANTOS DE SANTANA E OUTROS : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF :

Leia mais

AGRAVO INTERNO EM APELACAO CIVEL 2002.02.01.005234-7

AGRAVO INTERNO EM APELACAO CIVEL 2002.02.01.005234-7 RELATOR : DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO BARATA AGRAVANTE : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS PROCURADOR : JANE MARIA MACEDO MIDOES AGRAVADO : O FORTE DO SABAO LTDA ADVOGADO : SAULO RODRIGUES DA

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: PRT da 4ª Região Órgão Oficiante: Dr. Roberto Portela Mildner Interessado 1: Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região. Interessado 2: Banco Bradesco S/A. Assuntos: Meio ambiente do trabalho

Leia mais

41,14'1 ti. tha. ojlnt. Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça ACÓRDÃO

41,14'1 ti. tha. ojlnt. Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça ACÓRDÃO . - - 41,14'1 ti tha ojlnt Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 200.2007.792.417-9/001 João Pessoa RELATOR: Miguel de Britto Lyra Filho, Juiz de Direito Convocado

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE 10ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE NATAL

PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE 10ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE NATAL \d \w1215 \h1110 FINCLUDEPICTURE "brasoes\\15.bmp" MERGEFORMAT PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE 10ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE NATAL Processo n. 001.08.020297-8 Ação: Ação Civil Pública Autor: Ministério

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.374.048 - RS (2013/0073161-8) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO HUMBERTO MARTINS : FAZENDA NACIONAL : PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL : EMERSON DA SILVA

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Saulo Henriques de Sá e Benevides. Vistos, etc.

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Saulo Henriques de Sá e Benevides. Vistos, etc. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Saulo Henriques de Sá e Benevides APELAÇÃO CÍVEL n 2 073.2003.012900-8/001 Comarca de Cabedelo RELATOR: João Benedito da Silva Juiz Convocado

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATÓRIO O EXMO. SR. MINISTRO RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA (Relator): Trata-se de recurso especial interposto contra acórdão proferido pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo assim ementado: "Exceção

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL Nº 0006418 17.2004.4.03.6103/SP 2004.61.03.006418 7/SP RELATOR APELANTE : No. ORIG. : Desembargador Federal FABIO PRIETO Conselho

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal AGRAVO DE INSTRUMENTO 822.386 SÃO PAULO RELATOR : MIN. LUIZ FUX AGTE.(S) :CONSLADEL - CONSTRUTORA E LAÇOS DETETORES E ELETRÔNICA LTDA E OUTRO(A/S) ADV.(A/S) :LEONARDO GUERZONI FURTADO DE OLIVEIRA E OUTRO(A/S)

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 116320/PB (0008159-67.2011.4.05.0000) AGRTE : MÁRIO CÉSAR CALIMAN ADV/PROC : LUCIANA PEREIRA ALMEIDA DINIZ AGRDO : CEF - CAIXA ECONÔMICA FEDERAL ADV/PROC : AURÉLIO HENRIQUE FERREIRA

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL N 9 001.2007.023970-0 / 001.

APELAÇÃO CÍVEL N 9 001.2007.023970-0 / 001. ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa APELAÇÃO CÍVEL N 9 001.2007.023970-0 / 001. Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa. Apelante: Banco do Brasil S/A. Advogado: Mércia

Leia mais

'j-8.9,1-4v1/ TS je., strki -0) PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA PRESIDÊNCIA

'j-8.9,1-4v1/ TS je., strki -0) PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA PRESIDÊNCIA 'j-8.9,1-4v1/ TS je., strki -0) PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA PRESIDÊNCIA RECURSO ORDINÁRIO N". 999.2008.000582-3/001 RECORRENTE :Horizonte Express Transportes Ltda. ADVOGADOS :Holdermes

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL 1 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº 0038505-77.2008.8.19.0001 APELANTE: OFC CONSULTORES ASSOCIADOS LTDA APELADO: MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO BARROS DIAS PROCESSO: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM APELAÇÃO CÍVEL Nº 183923/RN (99.05.45463-2) APTE : POTY REFRIGERANTES LTDA ADV/PROC : MANUEL LUÍS DA ROCHA NETO E OUTROS APDO : INSS - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 957.245 - RJ (2007/0227082-3) RELATÓRIO O EXMO. SR. MINISTRO ALDIR PASSARINHO JUNIOR: Cargolux Airlines Internacional S/A opõe agravo regimental contra decisão com o seguinte

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DO DES. LUIZ SÍLVIO RAMALHO JÚNIOR

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DO DES. LUIZ SÍLVIO RAMALHO JÚNIOR ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DO DES. LUIZ SÍLVIO RAMALHO JÚNIOR Apelação Ove! n 200.2003.037.668-1/001 Relator: Des. Luiz Silvio Ramalho Júnior -- Apelante: Condomínio

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.054.847 - RJ (2008/0099222-6) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO REPR. POR RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO LUIZ FUX : TEREZINHA FUNKLER : LÍDIA MARIA SCHIMMELS E OUTRO(S) : BANCO

Leia mais

PROJETO DE LEI N o, DE 2012 (Do Sr. Romero Rodrigues) O Congresso Nacional decreta:

PROJETO DE LEI N o, DE 2012 (Do Sr. Romero Rodrigues) O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI N o, DE 2012 (Do Sr. Romero Rodrigues) Permite ao terceiro prejudicado intentar ação diretamente contra o segurador. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta Lei faculta ao terceiro prejudicado

Leia mais

D E C I S Ã O. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG

D E C I S Ã O. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 4ª CÂMARA CÍVEL Relator: Desembargador SIDNEY HARTUNG APELAÇÃO CÍVEL Nº 0193026-72.2011.8.19.0001 Apelante (Autor): AMANDA PEIXOTO MARINHO DOS SANTOS Apelado

Leia mais

4ª Câmara Cível AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 55413-2/180 (200701476731) COMARCA DE URUANA

4ª Câmara Cível AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 55413-2/180 (200701476731) COMARCA DE URUANA 4ª Câmara Cível AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 55413-2/180 (200701476731) COMARCA DE URUANA AGRAVANTE MAFRE VERA CRUZ SEGURADORA S/A AGRAVADA MARIA FRANCISCA DE OLIVEIRA RELATOR Juiz GILMAR LUIZ COELHO RELATÓRIO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.237.894 - MT (2011/0026945-1) RELATOR : MINISTRO SIDNEI BENETI RECORRENTE : BANCO DO BRASIL S/A ADVOGADO : NAGIB KRUGER E OUTRO(S) RECORRIDO : SUSSUMO SATO E OUTRO ADVOGADO : GILMAR

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PODER JUDICIÁRIO Comarca da Capital 4ª Vara Cível

ESTADO DE SANTA CATARINA PODER JUDICIÁRIO Comarca da Capital 4ª Vara Cível Autos n 0057619-24.2010.8.24.0023 Ação: Procedimento Ordinário/PROC Autor: Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão - ACAERT Réu: ECAD - Escritório Central de Arrecadação e Distribuição

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.228.778 - MT (2010/0217471-4) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO RECORRIDO : MINISTRO SIDNEI BENETI : WANDER CARLOS DE SOUZA : SÉRGIO DONIZETE NUNES : GILBERTO LUIZ DE REZENDE : DANIELA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA AGRAVANTE : ONDREPSB LIMPEZA E SERVIÇOS ESPECIAIS LTDA ADVOGADO : IVAR LUIZ NUNES PIAZZETA E OUTRO(S) AGRAVADO : FAZENDA NACIONAL PROCURADORES : ANGELA T GOBBI ESTRELLA

Leia mais

1,4, 4,f4ã4' #2."" "ru3 muni r5" ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES

1,4, 4,f4ã4' #2. ru3 muni r5 ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES 1,4, 4,f4ã4' #2."" "ru3 muni r5" ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES 1111 ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N 200.2003.517143-4/001 7' Vara da Fazenda

Leia mais

XV Exame de Ordem 2ª Fase OAB Civil - ProfessorAoVivo Qual a peça Juquinha? Prof. Darlan Barroso

XV Exame de Ordem 2ª Fase OAB Civil - ProfessorAoVivo Qual a peça Juquinha? Prof. Darlan Barroso XV Exame de Ordem 2ª Fase OAB Civil - ProfessorAoVivo Qual a peça Juquinha? Prof. Darlan Barroso 2ª Fase OAB - Civil Juquinha Junior, representado por sua genitora Ana, propôs ação de investigação de paternidade

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa APELAÇÃO CÍVEL N. 200.2007.735845-1 / 001

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa APELAÇÃO CÍVEL N. 200.2007.735845-1 / 001 ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa APELAÇÃO CÍVEL N. 200.2007.735845-1 / 001 Relator : Des. José Di Lorenzo Serpa. Apelante : Itapuan Botto Targino (Adv.: Luiz

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.187.146 - MT (2010/0053786-4) RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : ELÓI BRUNETTA : EUCLIDES RIBEIRO S JUNIOR E OUTRO(S) : BUNGE ALIMENTOS S/A : FÁBIO SCHNEIDER E OUTRO(S) RELATÓRIO

Leia mais

IV - APELACAO CIVEL 1988.51.01.013682-0

IV - APELACAO CIVEL 1988.51.01.013682-0 RELATOR : JUIZ FEDERAL CONV. MARCELO LEONARDO TAVARES, EM AUXÍLIO À 1ª TURMA ESPECIALIZADA APELANTE : INSTITUTO NACIONAL DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL - INPI PROCURADOR : MARCIA VASCONCELLOS BOAVENTURA APELANTE

Leia mais

PROCESSO Nº TST-RR-144000-70.2005.5.15.0036 - FASE ATUAL: E-ED

PROCESSO Nº TST-RR-144000-70.2005.5.15.0036 - FASE ATUAL: E-ED A C Ó R D Ã O SESBDI-1 VMF/ots/pcp/mmc RECURSO DE EMBARGOS EM RECURSO DE REVISTA IRREGULARIDADE DE REPRESENTAÇÃO ALTERAÇÃO DA RAZÃO SOCIAL DA EMPRESA NOVO MANDATO NECESSIDADE SÚMULA Nº 164 DO TST. Embora

Leia mais

Limitações na ação de consignação em pagamento. Sumário: 1 Conceito. 2 Sua disciplina legal. 3 Limites da ação em consignação em pagamento.

Limitações na ação de consignação em pagamento. Sumário: 1 Conceito. 2 Sua disciplina legal. 3 Limites da ação em consignação em pagamento. Limitações na ação de consignação em pagamento Kiyoshi Harada* Sumário: 1 Conceito. 2 Sua disciplina legal. 3 Limites da ação em consignação em pagamento. 1 Conceito O que significa consignação em pagamento?

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 200.2006.016167-2/001.

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 200.2006.016167-2/001. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 200.2006.016167-2/001. O RELATOR Desembargador João Machado de Souza. AGRAVANTE : Sistema Educacional Genius LTDA - (Adv.

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 730.228 MATO GROSSO DO SUL RELATORA ADV.(A/S) RECTE.(S) RECDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. CÁRMEN LÚCIA :RENATA GONÇALVES PIMENTEL :ITAMAR JOSÉ POTYGUARA PRATA DE PINHO E OUTRO(A/S)

Leia mais

i iiiiii uni uni mil uni mil mil mil llll llll

i iiiiii uni uni mil uni mil mil mil llll llll sajfâu PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO 397 ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SAC>PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA REGISTRADO(A) SOB N i iiiiii uni uni mil uni mil mil mil llll llll Vistos,

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO ALVES DA SILVA DECISÃO MONOCRÁTICA APELAÇÃO CÍVEL N. 048.2009.000261-8/001 RELATOR : Desembargador João Alves da Silva APELANTE : Sérgio Pia

Leia mais

LABORATÓRIO 3. VI EXAME DE ORDEM UNIFICADO 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO LABORATÓRIO 3 PROFA. Maria Eugênia Conde @mageconde.

LABORATÓRIO 3. VI EXAME DE ORDEM UNIFICADO 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO LABORATÓRIO 3 PROFA. Maria Eugênia Conde @mageconde. Caso Prático Emerson Lima propôs reclamação trabalhista, pelo rito ordinário, em face de Rancho dos Quitutes, alegando que trabalhava como atendente em uma loja de conveniência localizada em um posto de

Leia mais

Os agravados ingressaram com AÇÃO DE

Os agravados ingressaram com AÇÃO DE ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO DECISÃO MONOCRÁTICA AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 073.2010.001.316-5/001 RELATOR : DES. MANOEL SOARES MONTEIRO AGRAVANTE

Leia mais

Dados Básicos. Legislação. Ementa. Íntegra

Dados Básicos. Legislação. Ementa. Íntegra Dados Básicos Fonte: 1.0024.05.707278-7/001(1) Tipo: Acórdão TJMG Data de Julgamento: 27/04/2011 Data de Aprovação Data não disponível Data de Publicação:13/05/2011 Estado: Minas Gerais Cidade: Belo Horizonte

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Da Obrigação Dos Avós Da Legitimidade Passiva Thaís Lopes e Bernardo Alves* Importa colocar a obrigação dos avós no que tange ao complemento dos alimentos, com o fito de deixar claro

Leia mais

:,,, r,,..., ir airsaic ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DO DES. JÚLIO PAULO NETO

:,,, r,,..., ir airsaic ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DO DES. JÚLIO PAULO NETO Cuida-se de agravo interno interposto pela COSESP Companhia de Seguros do Estado da São Paulo contra decisão de fls. 144/147 a qual negou seguimento à apelação cível por ela intentada por estar em confronto

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 361.758 - SP (2001/0116921-9) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS RECORRENTE : FAZENDA DO ESTADO DE SÃO PAULO PROCURADOR : CLÁUDIA BOCARDI ALLEGRETTI E OUTRO(S) RECORRIDO : ANELCORP

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Decisão sobre Repercussão Geral Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 10 29/11/2012 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 692.186 PARAÍBA RELATOR RECTE.(S) RECTE.(S) RECTE.(S)

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ; ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa AGRAVO DE INSTRUMENTO N 2 001.2009.023327-9 / 001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa Agravante: Johnson de Lima ME Advogado:

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 593.196 - RS (2003/0164484-3) RELATOR : MINISTRO HÉLIO QUAGLIA BARBOSA EMENTA RECURSO ESPECIAL. SEGURO. ATRASO NO PAGAMENTO DOS VALORES DEVIDOS PELA SEGURADORA. LUCROS CESSANTES. OCORRÊNCIA.

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 (Do Sr. Marcos Rogério) Acrescenta o 8º ao art. 68 da Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998, a fim de vedar a cobrança de direitos autorais sobre a execução pública de composições

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL PROCESSO N. : 14751-89.2012.4.01.3400 AÇÃO ORDINÁRIA/SERVIÇOS PÚBLICOS CLASSE 1300 AUTOR (A): ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ESPECIALISTAS EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL RÉ: UNIÃO SENTENÇA TIPO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. Gabinete da Desembargadora Elizabeth Maria da Silva

PODER JUDICIÁRIO. Gabinete da Desembargadora Elizabeth Maria da Silva APELAÇÃO CÍVEL Nº 481605-21.2009.8.09.0143 (200994816057) COMARCA DE SÃO MIGUEL DO ARAGUAIA 4ª CÂMARA CÍVEL APELANTES : ADEMIR CARDOSO DOS SANTOS E OUTRA APELADO : MINISTÉRIO PÚBLICO RELATOR : Juiz SÉRGIO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0052654-08.2013.8.19.0000 Agravante: Município de Armação de Búzios Agravado: Lidiany da Silva Mello

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 550.302 - DF (2003/0167033-6) RELATOR : MINISTRO ALDIR PASSARINHO JUNIOR AGRAVANTE : JOÃO DA SILVA CARNEIRO ADVOGADO : ADILSON RAMOS E OUTRO AGRAVADO : GISELE EVELEEN HRDINA

Leia mais

EMENTA ACÓRDÃO RELATÓRIO. A controvérsia foi assim relatada pelo juiz da causa:

EMENTA ACÓRDÃO RELATÓRIO. A controvérsia foi assim relatada pelo juiz da causa: PELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO Nº 5011683-79.2010.404.7200/SC RELATOR : Juiz Federal LUIZ CARLOS CERVI APELANTE : UNIÃO - FAZENDA NACIONAL APELADO : ALPHA TRADE IMPORTACAO DE ELETRONICOS LTDA ADVOGADO : JOSÉ

Leia mais

DECISÃO DO STJ NO RECURSO ESPECIAL Nº 1196671 Relatora Ministra ASSUSETE MAGALHÃES Trata-se de Recurso Especial interposto por MARIA ALICE MARQUES

DECISÃO DO STJ NO RECURSO ESPECIAL Nº 1196671 Relatora Ministra ASSUSETE MAGALHÃES Trata-se de Recurso Especial interposto por MARIA ALICE MARQUES DECISÃO DO STJ NO RECURSO ESPECIAL Nº 1196671 Relatora Ministra ASSUSETE MAGALHÃES Trata-se de Recurso Especial interposto por MARIA ALICE MARQUES RIPOLL DE MACEDO e OUTROS, com fundamento no art. 105,

Leia mais

RELATÓRIO. O Sr. Des. Fed. FRANCISCO WILDO (Relator):

RELATÓRIO. O Sr. Des. Fed. FRANCISCO WILDO (Relator): APELAÇÃO CÍVEL Nº 511146/AL (0002840-14.2010.4.05.8000) APTE : CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS DA 6ª REGIÃO (AL/PE/PB/RN/CE/PI/MA) ADV/PROC : ALINE JANISZEWSKI LINS APDO : SHBRS/AL - SINDICATO DOS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 447.888 - RO (2002/0084713-3) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI RECORRENTE : ADMINISTRADORA E CORRETORA DE SEGUROS - RONSEG ADVOGADO : ODAILTON KNORST RIBEIRO RECORRENTE : SUL AMÉRICA

Leia mais

D E C I S Ã O. Contra-razões ofertadas as fls. 176/184 em total prestígio a. sentença.

D E C I S Ã O. Contra-razões ofertadas as fls. 176/184 em total prestígio a. sentença. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA QUARTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº 0168239-18.2007.8.19.0001 APELANTE: BRADESCO VIDA E PREVIDÊNCIA S/A APELADO: CATIA MARIA DA SILVA COUTO RELATOR:

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 704.881 - RS (2004/0126471-0) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN AGRAVANTE : TRANSPORTADORA DE CARGAS MERCOSUL LTDA ADVOGADO : CLÁUDIO LEITE PIMENTEL E OUTRO(S) AGRAVADO

Leia mais

SENTENÇA (EMBARGOS DE DECLARAÇÃO) RELATÓRIO

SENTENÇA (EMBARGOS DE DECLARAÇÃO) RELATÓRIO SENTENÇA (EMBARGOS DE DECLARAÇÃO) RELATÓRIO ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS DA JUSTIÇA DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO, qualificada nos autos, interpôs embargos declaratórios à sentença de fls. 181/182, que extinguiu

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 6.247, DE 2013 (Do Sr. Marcos Rogério)

PROJETO DE LEI N.º 6.247, DE 2013 (Do Sr. Marcos Rogério) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 6.247, DE 2013 (Do Sr. Marcos Rogério) Acrescenta o 8º ao art. 68 da Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998, a fim de vedar a cobrança de direitos autorais sobre

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - WILLIAM COUTO GONÇALVES 9 de outubro de 2012

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - WILLIAM COUTO GONÇALVES 9 de outubro de 2012 ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - WILLIAM COUTO GONÇALVES 9 de outubro de 2012 APELAÇÃO CIVEL Nº 0020860-15.2004.8.08.0024 (024040208605) - VITÓRIA - VARA ESPECIALIZADA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 627.970 - RJ (2004/0015047-6) RELATORA : MINISTRA ELIANA CALMON EMENTA TRIBUTÁRIO - ICMS - IMPORTAÇÃO - DESEMBARAÇO ADUANEIRO - COMPROVANTE DE RECOLHIMENTO, ISENÇÃO OU NÃO-INCIDÊNCIA

Leia mais

Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso do Sul

Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso do Sul fls. 286 1 Procedimento Ordinário nº 0833500-60.2013.8.12.0001 Requerente: Rodrigues & Chilante LTDA e outro Requerido: ESCRITORIO CENTRAL DE ARRECADAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO- ECAD e outro Sentença. I. Relatório.

Leia mais