(Inquérito Nacional Sobre Saúde Reprodutiva e Comportamento Sexual dos Jovens e ADolescentes)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "(Inquérito Nacional Sobre Saúde Reprodutiva e Comportamento Sexual dos Jovens e ADolescentes)"

Transcrição

1 INJAD (Inquérito Nacional Sobre Saúde Reprodutiva e Comportamento Sexual dos Jovens e ADolescentes)

2 OBJECTIVOS DO INJAD Proporcionar informação sobre saúde reprodutiva dos jovens e adolescentes que seja útil para: Desenho e implementação de programas educativos sobre a saúde e sexualidade dos jovens e adolescentes, Elaboração de estratégias para a provisão de serviços de saúde reprodutiva e de prevenção de doenças.

3 AMOSTRA A amostra foi desenhada para ser representativa a nível nacional, provincial e áreas de residência urbano-rural. Foram Inquiridos Jovens de anos: Taxa de resposta País País Urbano Rural Raparigas 5,342 2,980 2, Rapazes 5,150 3,108 2,

4 EDUCAÇÃO SEXUAL (Transmissão de Conhecimentos, Atitudes e Comportamentos Sobre a Vida Sexual) Sim à Educação Sexual dos Jovens Total Urbano Rural 0 Raparigas Rapazes

5 EDUCAÇÃO SEXUAL Onde Receber a Educação Sexual? Raparigas Rapazes Escola Em casa Grupo de Igreja Ritos de Jovens Iniciação

6 EDUCAÇÃO SEXUAL Em Que Nível de Escolaridade se Deveria Receber a Educação Sexual? Raparigas Rapazes Primário EP1 Primário EP2 Secundário e mais Não Sabe

7 EDUCAÇÃO SEXUAL Opinião das Raparigas sobre a Idade Ideal Para Iniciar as Relações Sexuais 49.8 Idade para Raparigas Idade para Rapazes < Depois do Não Sabe Idade Casamento

8 EDUCAÇÃO SEXUAL Opinião dos Rapazes sobre a Idade Ideal Para Iniciar as Relações Sexuais 46.5 Idade para Raparigas Idade para Rapazes < Depois do Não Sabe Idade Casamento

9 CONHECIMENTO DE MÉTODOS CONTRACEPTIVOS (Meios para Prevenir a Gravidez e Doenças de Transmissão Sexual) Os 5 Mais Conhecidos Raparigas Rapazes 0 Camisinha Pílula Injecção Dispositivo Esterilização Intra-Uterino Feminina

10 CONHECIMENTO DE MÉTODOS CONTRACEPTIVOS Quem Deve Tomar a Iniciativa Para Usar o Método Contraceptivo? Não Sabe Outros Qualquer dos Rapazes Raparigas Ambos A Mulher O Homem

11 EXPERIÊNCIA SEXUAL (Prática ou Não em Manter Relações Sexuais) Momento da 1ª Experiência Sexual Raparigas 3 Rapazes Antes do Casamento/União Depois do Casamento/União

12 EXPERIÊNCIA SEXUAL Idade da 1ª Relação Sexual 100 (Rapazes) 91.8 (Raparigas, -24) Antes do Casamento Depois do Casamento

13 EXPERIÊNCIA SEXUAL Método Contraceptivo Usado na 1ª Relação Sexual < Usou Não Usou Usou Não Usou

14 EXPERIÊNCIA SEXUAL 4 Motivos Principais Para Não Usar Métodos Contraceptivos na 1ª Relação Sexual < Não Não Conhecia os os Métodos Não Não se se Preocupou Não Não Esperava Ter Ter Relações Desejava Ter Ter Um Um Filho Filho

15 EXPERIÊNCIA SEXUAL 4 Motivos Principais Para Não Usar Métodos Contraceptivos na 1ª Relação Sexual < Não Não Conhecia os os Métodos Não Não se se Preocupou Não Não Esperava Ter Ter Relações Desejava Ter Ter Um Um Filho Filho

16 EXPERIÊNCIA SEXUAL Percepção Sobre os Métodos Contraceptivos Mais Adequados Raparigas Rapazes Camisinha Pílula Injecção Dispositivo Intra Uterino Abstinência Periódica

17 EXPERIÊNCIA SEXUAL Opinião Sobre a Eficácia do Preservativo Para Evitar Doenças de Transmissão Sexual Não Sabe Não Protege Protege Pouco Protege Raparigas Rapazes

18 REPRODUÇÃO E ATENÇÃO PRÉ-NATAL (Nascimentos e Assistência Médica Durante a Gravidez) DAS JOVENS ENTREVISTADAS: 49.3% já são mães 3.4% encontravam-se grávidas no momento do Inquérito 52.7% alguma vez ficaram grávidas

19 REPRODUÇÃO E ATENÇÃO PRÉ-NATAL Tencionava Engravidar Quando Teve o Último Filho? Sim Não Não Sabe

20 REPRODUÇÃO E ATENÇÃO PRÉ-NATAL Local Onde Foi Realizada a 1ª Consulta Pré-Natal Outro 1 Posto Saúde 28.6 Centro Saúde 34.4 Hosp/Maternidade Não 23.6 Consulta Pré-Natal Durante a Última Gravidez Sim

21 DOENÇAS DE TRANSMISSÃO SEXUAL E SIDA (Doenças Transmitidas Através de Relações Sexuais) Que Tipo de Doenças de Transmissão Sexual Já Ouviu Falar? Gonorreia Sífilis Cancro Condiloma Herpes Gonorreia Sífilis Cancro Condiloma Herpes Mole Genital Mole Genital

22 DOENÇAS DE TRANSMISSÃO SEXUAL E SIDA (Doenças Transmitidas Através de Relações Sexuais) Já Ouviu Falar do SIDA Onde Ouviu Falar do SIDA? º Rádio 2º Amigos/Familiares 3º Escola/Professores 4º Agentes de Saúde 5º Televisão 6º Folhetos/Cartazes Raparigas Rapazes

Educação Sexual: Quem ama cuida. Cuide-se!*

Educação Sexual: Quem ama cuida. Cuide-se!* Educação Sexual: Quem ama cuida. Cuide-se!* SANTOS, Jessica Suriano dos 1 ; ANJOS, Antônio Carlos dos 2 ; RIBEIRO, Álvaro Sebastião Teixeira 3 Palavras-chave: Educação Sexual; Doenças Sexualmente Transmissíveis;

Leia mais

Estudo quantitativo. Fevereiro 2012. Em parceria com

Estudo quantitativo. Fevereiro 2012. Em parceria com Estudo quantitativo Duarte Vilar Fevereiro 2012 Em parceria com CARACTERIZAÇÃO GERAL CARACTERIZAÇÃO DA AMOSTRA 40 35 44,6 Masculino 30 25 55,0 Feminino 20 15 10 5 0 19 E MENOS 20-29 MAIS DE 30 35,0 30,0

Leia mais

iagnóstico de Situação Secundária com 3º Ciclo do Marco de Canaveses

iagnóstico de Situação Secundária com 3º Ciclo do Marco de Canaveses No Marco Sabemos Mais Sobre @ Doenças Sexualmente Transmissíveis / Métodos Contracetivos (SMS@DST) Dia iagnóstico de Situação na Escola Secundária com 3º Ciclo do Marco de Canaveses Realizado pela: ASSOCIAÇÃO

Leia mais

Contracepção de Emergência entre Estudantes de Ensino Médio e Público do Município de S. Paulo

Contracepção de Emergência entre Estudantes de Ensino Médio e Público do Município de S. Paulo Contracepção de Emergência entre Estudantes de Ensino Médio e Público do Município de S. Paulo Regina Figueiredo Instituto de Saúde SES/SP reginafigueiredo@uol.com.br Equipe de Pesquisa: Regina Figueiredo,

Leia mais

ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Vírus do Herpes

ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Vírus do Herpes Este módulo tem por objectivo ensinar aos alunos o modo como a actividade sexual pode levar à transmissão de micróbios e doenças. O Capítulo 2.3, Infecções Sexualmente Transmissíveis, ensina aos alunos

Leia mais

Contracepção de Emergência entre Estudantes de Ensino Médio e Público do Município de S. Paulo

Contracepção de Emergência entre Estudantes de Ensino Médio e Público do Município de S. Paulo Contracepção de Emergência entre Estudantes de Ensino Médio e Público do Município de S. Paulo Regina Figueiredo Instituto de Saúde SES/SP reginafigueiredo@uol.com.br Equipe de Pesquisa: Regina Figueiredo,

Leia mais

Projecto Educação Para a Saúde

Projecto Educação Para a Saúde AGRUPAMENTO VERTICAL FERNANDO CASIMIRO Escola Básica Integrada Fernando Casimiro Introdução Projecto Educação Para a Saúde No seguimento do Ofício-Circular nº 69 de 20 de Outubro de 2006 procedente do

Leia mais

< Maria Inês; nº 17; 9ºB > < Ricardo Santos; nº18; 9ºB >

< Maria Inês; nº 17; 9ºB > < Ricardo Santos; nº18; 9ºB > Índice < Maria Inês; nº 17; 9ºB > < Ricardo Santos; nº18; 9ºB > Índice Índice... 2 Métodos Contraceptivos... 3 O que são?... 3 Métodos Reversíveis... 4 Métodos Contraceptivos Hormonais... 4 Pílula Contraceptiva...

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS DESAFIO DO DIA. Aula: 10.1. Conteúdo:

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS DESAFIO DO DIA. Aula: 10.1. Conteúdo: CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Aula: 10.1 Conteúdo: Doenças sexualmente transmissíveis 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA

Leia mais

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS: A PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DA ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR JOSÉ GOMES, PATOS, PARAÍBA, BRASIL

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS: A PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DA ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR JOSÉ GOMES, PATOS, PARAÍBA, BRASIL DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS: A PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DA ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR JOSÉ GOMES, PATOS, PARAÍBA, BRASIL Kelvy Fellipe Gomes de Lima 1 ; Lucas Silva Leite 1 ; Anna Fernanda Beatriz Amorim

Leia mais

Os ritos de iniciação: Identidades femininas e masculinas e estruturas de poder

Os ritos de iniciação: Identidades femininas e masculinas e estruturas de poder Os ritos de iniciação: Identidades femininas e masculinas e estruturas de poder Por Conceição Osório Este texto foi apresentado num encontro que teve lugar em Maputo, em 2015, com parceiros da CAFOD (agência

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL DOS AÇORES. Decreto Legislativo Regional Nº 18/2000/A de 8 de Agosto

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL DOS AÇORES. Decreto Legislativo Regional Nº 18/2000/A de 8 de Agosto ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL DOS AÇORES Decreto Legislativo Regional Nº 18/2000/A de 8 de Agosto Planeamento Familiar e Educação Afectivo-sexual No quadro normativo nacional, aplicável à Região Autónoma

Leia mais

GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA POR: AMANDA REIS NORMANDIA AG.EDUCADOR II SMERJ

GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA POR: AMANDA REIS NORMANDIA AG.EDUCADOR II SMERJ GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA POR: AMANDA REIS NORMANDIA AG.EDUCADOR II SMERJ OBJETIVO: DISCUTIR A INCIDÊNCIA DA GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA ASSUNTOS ABORDADOS: ADOLESCÊNCIA GRAVIDEZ PRECOCE PREVENÇÃO DA GRAVIDEZ

Leia mais

Gravidez precoce e a saúde da mulher. Geografia da Saúde Prof. Raul Borges Guimarães

Gravidez precoce e a saúde da mulher. Geografia da Saúde Prof. Raul Borges Guimarães Gravidez precoce e a saúde da mulher Geografia da Saúde Prof. Raul Borges Guimarães Gravidez indesejada? https://www.youtube.com/watch?v=fzg3mtvbhdu O que você acha desta charge? Essa imagem tem circulado

Leia mais

cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS

cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS 1 O que são ITS? São infecções causadas por vírus, bactérias ou outros micróbios, que se transmitem de pessoas infectadas para outras, através das relações

Leia mais

Unidade II Vida e ambiente Aula 7.1 Conteúdo: Métodos Contraceptivos.

Unidade II Vida e ambiente Aula 7.1 Conteúdo: Métodos Contraceptivos. Unidade II Vida e ambiente Aula 7.1 Conteúdo: Métodos Contraceptivos. 2 Habilidade: Compreender o funcionamento dos principais métodos contraceptivos (comportamentais, químicos, de barreira e definitivos).

Leia mais

Ela tem vergonha de falar. Você não pode ter 1.

Ela tem vergonha de falar. Você não pode ter 1. Ela tem vergonha de falar. Você não pode ter 1. Malú Mariana Pessota da SILVA 2 Ariani Samara da Cruz PAULIN 3 Eduardo Perotto BIAGI 4 Universidade de Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS RESUMO: O trabalho

Leia mais

7º Ano 8º Ano 9º Ano. Ficha de avaliação

7º Ano 8º Ano 9º Ano. Ficha de avaliação 1. As principais diferenças entre as raparigas na infância e a adolescência são: Aumento das mamas, alargamento da anca e crescimento de pelos púbicos Aparecimento da menstruação, crescimento de pelos

Leia mais

CAPÍTULO 6 INTENÇÕES REPRODUTIVAS E PLANEAMENTO DA FECUNDIDADE

CAPÍTULO 6 INTENÇÕES REPRODUTIVAS E PLANEAMENTO DA FECUNDIDADE CAPÍTULO 6 INTENÇÕES REPRODUTIVAS E PLANEAMENTO DA FECUNDIDADE O questionário do IDS de 1997 conteve várias questões para investigar as preferências reprodutivas da população entrevistada. Foi recolhida

Leia mais

M t é o t d o os o Contraceptivos

M t é o t d o os o Contraceptivos Métodos Contraceptivos São meios utilizados para evitar a gravidez quando esta não é desejada, permitindo a vivência da sexualidade de forma responsável. Permitem o planeamento familiar. 2 Como se classificam

Leia mais

Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis

Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis SLIDE 1 Introdução do trabalho: Bom dia, estamos aqui para falar a cerca das infeções sexualmente transmissíveis, os problemas associados e o modo

Leia mais

cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO

cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO 1 O que quer dizer sexo seguro? Sexo seguro quer dizer, práticas sexuais responsáveis sem riscos de engravidar, ou de contrair uma infecção transmitida sexualmente,

Leia mais

ÁREA TEMÁTICA INTRODUÇÃO

ÁREA TEMÁTICA INTRODUÇÃO TÍTULO: PRÁTICAS E ATITUDES DE ESTUDANTES DE UMA ESCOLA PÚBLICA RELACIONADOS AS DSTS/AIDS AUTORES: Aline Salmito Frota, Luciana Soares Borba, Débora Silva Melo, José Ueides Fechine Júnior, Viviane Chave

Leia mais

MS-DCS DIRECÇÃO DOS CUIDADOS SAÚDE São Tomé e Príncipe

MS-DCS DIRECÇÃO DOS CUIDADOS SAÚDE São Tomé e Príncipe INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA São Tomé e Príncipe INQUÉRITO DEMOGRÁFICO E SANITÁRIO (IDS-200) MS-DCS DIRECÇÃO DOS CUIDADOS SAÚDE São Tomé e Príncipe QUESTIONÁRIO INDIVIDUAL HOMEM AS INFORMAÇÕES QUE

Leia mais

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE 15 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP Só se constrói uma nação com cidadãos. Só se constrói cidadãos

Leia mais

Anexo 1 Profissões Especificadas

Anexo 1 Profissões Especificadas Anexo 1 Profissões Especificadas Profissão N % Estudante Desempregada Trabalhadora-Estudante Psicóloga Enfermeira Engenheira Vendedora Professora Investigadora Jornalista Advogada Escriturária Assistente

Leia mais

MÉTODOS CONTRACEPTIVOS. Professora Daiana Escola La Salle Águas Claras 8º ano

MÉTODOS CONTRACEPTIVOS. Professora Daiana Escola La Salle Águas Claras 8º ano MÉTODOS CONTRACEPTIVOS Professora Daiana Escola La Salle Águas Claras 8º ano METODOS DE BARREIRA Imobilizam os espermatozoides, impedindo-os de entrar em contato com o óvulo e ocorrer a fecundação. Espermicidas

Leia mais

Seminário Direitos Sexuais dos Jovens

Seminário Direitos Sexuais dos Jovens Seminário Direitos Sexuais dos Jovens Fundação Calouste Gulbenkian 2 de Dezembro de 2015 Sónia Araújo saraujo23@hotmail.com Projeto Direitos Sexuais e Jovens Vulneráveis ENQUADRAMENTO Objetivo: Promoção

Leia mais

Derrotar o cancro do útero

Derrotar o cancro do útero Portuguese translation of Beating cervical cancer The HPV vaccine questions and answers for parents of girls in Year 9 Derrotar o cancro do útero A vacina HPV perguntas e respostas para os pais de jovens

Leia mais

TD de revisão 8º Ano- 4ª etapa- 2015

TD de revisão 8º Ano- 4ª etapa- 2015 TD de revisão 8º Ano- 4ª etapa- 2015 1. Classifique os métodos anticoncepcionais abaixo, relacionando as colunas: (1) Natural ou comportamental (2) De Barreira (3) Hormonal (4)Cirúrgico ( ) Camisinha (M)

Leia mais

Unidade 7. Fecundação. Gestação. Parto

Unidade 7. Fecundação. Gestação. Parto Unidade 7 Fecundação Gestação Parto Reprodução Sexual A fecundação resulta na formação de uma nova célula (célula-ovo ou zigoto), que dará origem a um novo indivíduo. A célula deste novo indivíduo contém

Leia mais

CONHECIMENTO E PREVENÇÃO DE DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS NO AMBIENTE ESCOLAR RESUMO

CONHECIMENTO E PREVENÇÃO DE DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS NO AMBIENTE ESCOLAR RESUMO CONHECIMENTO E PREVENÇÃO DE DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS NO AMBIENTE ESCOLAR Meire Rodrigues Fabris 1 Tania Regina dos Santos Soares 2 RESUMO A escola exerce um importante papel na educação sexual

Leia mais

O impacto da desigualdade de gênero no comportamento sexual e reprodutivo de mulheres jovens de diferentes classes sociais 1.

O impacto da desigualdade de gênero no comportamento sexual e reprodutivo de mulheres jovens de diferentes classes sociais 1. O impacto da desigualdade de gênero no comportamento sexual e reprodutivo de mulheres jovens de diferentes classes sociais 1 Alessandra Sampaio Chacham 2 Malco Braga Camargos 3 Mônica Bara Maia 4 Palavras-chave:

Leia mais

Sim. Principalmente se a mulher estiver no período fértil.

Sim. Principalmente se a mulher estiver no período fértil. É legal saber! Gravidez Transar uma única vez, pode engravidar? Sim. Principalmente se a mulher estiver no período fértil. Minha menstruação na desceu. Estou grávida? Depende. É importante cada mulher

Leia mais

TD DE CIÊNCIAS 8ª. série PROFa. Marjory Tôrres. INTRODUÇÃO À GENÉTICA Os princípios básicos da Hereditariedade

TD DE CIÊNCIAS 8ª. série PROFa. Marjory Tôrres. INTRODUÇÃO À GENÉTICA Os princípios básicos da Hereditariedade TD DE CIÊNCIAS 8ª. série PROFa. Marjory Tôrres INTRODUÇÃO À GENÉTICA Os princípios básicos da Hereditariedade Todas as pessoas são diferentes, cada um é único, apresentam características que são próprias

Leia mais

A GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA

A GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA A GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA Edna G. Levy A questão da gravidez na adolescência é muito mais comum do que parece ser, a reação inicial e geral é que este problema só acontece na casa dos outros, na nossa

Leia mais

CRESCIMENTO POPULACIONAL. Estágio-Docência: Camila Macêdo Medeiros

CRESCIMENTO POPULACIONAL. Estágio-Docência: Camila Macêdo Medeiros CRESCIMENTO POPULACIONAL Estágio-Docência: Camila Macêdo Medeiros O que é Crescimento Populacional? O crescimento populacional é a mudança positiva do número de indivíduos de uma população dividida por

Leia mais

TESTE DE AVALIAÇÃO ESCRITA º 2 MÓDULO 2. Prova Escrita de Consulta da Disciplina de Saúde Infantil

TESTE DE AVALIAÇÃO ESCRITA º 2 MÓDULO 2. Prova Escrita de Consulta da Disciplina de Saúde Infantil TESTE DE AVALIAÇÃO ESCRITA º 2 MÓDULO 2 Curso Profissional de Técnico de Apoio à Infância/Ensino Secundário Prova Escrita de Consulta da Disciplina de Saúde Infantil Turma [I] do 10º Ano de Escolaridade

Leia mais

HPV em mulheres infectadas pelo HIV Goldman ARNP, MPH

HPV em mulheres infectadas pelo HIV Goldman ARNP, MPH Welcome to I-TECH HIV/AIDS Clinical Seminar Series 30 de Agosto de 2012 HPV em mulheres infectadas pelo HIV Goldman ARNP, MPH Objectivos 1. Discutir a epidemiologia do HPV entre mulheres infectadas pelo

Leia mais

CESOP. Data /05/2007 Hora do início : Hora do fim : Entrevistador:

CESOP. Data /05/2007 Hora do início : Hora do fim : Entrevistador: Inquérito n.º CESOP Saúde e Sexualidade Versão Masculina (V2) Data /05/2007 Hora do início : Hora do fim : Entrevistador: Chamo-me e trabalho para o Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade

Leia mais

1. PAUTA 2. DEFINIÇÕES E INFORMAÇÕES GERAIS

1. PAUTA 2. DEFINIÇÕES E INFORMAÇÕES GERAIS Assunto: Orientar e esclarecer as dúvidas da população sobre as Ações Preventivas na Área de Saúde Pública em virtude da construção da UHE Belo Monte. Redator: Tânia do Socorro Martins Data: 20/09/2013

Leia mais

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E ABUSO SEXUAL

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E ABUSO SEXUAL VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E ABUSO A S S O C I A Ç Ã O P R O J E C T O C R I A R Abuso sexual de crianças e violência doméstica Fenómenos epidémicos na sociedade Aumento de queixas Back-lash: movimento de reacção

Leia mais

SEXUALIDADE E EDUCAÇÃO

SEXUALIDADE E EDUCAÇÃO SEXUALIDADE E EDUCAÇÃO Danielle de Sousa Macena- UFCG danyellehta-@hotmail.com Januzzi Gonçalves Bezerra UFCG januzzigoncalves@gmail.com Janaina Gonçalves Bezerra - UFCG jgoncalves003@gmail.com Resumo

Leia mais

Influências no comportamento sexual dos universitários: o uso do preservativo.

Influências no comportamento sexual dos universitários: o uso do preservativo. Influências no comportamento sexual dos universitários: o uso do preservativo. CUNHA, E. V. & SILVA, L. L. 1 Resumo A influência de campanhas da AIDS sobre o comportamento sexual dos jovens é algo ainda

Leia mais

GERAÇÕES E VALORES v

GERAÇÕES E VALORES v A GERAÇÕES E VALORES v NA SOCIEDADE PORTUGUESA CONTEMPORÂNEA < o ' SÈ. " s José Machado Pais s» (Coordenação Científica) 1;. Genoveva Calvão Borges ^ f Leonor Pires 31 Marinho Antunes «'l Paulo Antunes

Leia mais

E R BO SRA AL F S s O TS M D + A S V DIA

E R BO SRA AL F S s O TS M D + A S V DIA VAMOS FALAR SOBRE AIDS + DSTs AIDS A AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) atinge indiscriminadamente homens e mulheres e tem assumido proporções assustadoras desde a notificação dos primeiros

Leia mais

Agradecimentos (por ordem alfabética):

Agradecimentos (por ordem alfabética): Agradecimentos (por ordem alfabética): Alexandra Esteves (ECAV/UTAD) Alexandra Sanfins (FMV/ULHT) Américo Dias (ESE/IPPorto) Ana Allen Gomes (DCE/UAveiro) Ângela Maia (EP/Uminho) Célia Alves (ESPAB, Sines)

Leia mais

QUAIS OS TIPOS DE HPV MAIS COMUNS QUE PODEM CAUSAR CÂNCER?

QUAIS OS TIPOS DE HPV MAIS COMUNS QUE PODEM CAUSAR CÂNCER? O QUE É O HPV? Sigla para Papilomavírus Humano, são vírus capazes de infectar a pele ou a mucosa. Existem mais de 150 tipos diferentes de HPV, dos quais 40 podem infectar o trato genital e, destes, 12

Leia mais

METODOS CONTRACEPTIVOS ENF. MARIANA P. JUSTINO

METODOS CONTRACEPTIVOS ENF. MARIANA P. JUSTINO METODOS CONTRACEPTIVOS ENF. MARIANA P. JUSTINO METODOS DE BARREIRA Imobilizam os espermatozóides, impedindo-os de entrar em contato com o óvulo e de haver fecundação. Espermicidas (sob a forma de óvulos,

Leia mais

BANCADA FEMININA. UM ESPAçO DE EMPODERAMENTO DA RAPARIGA EM SSR EM MOÇAMBIQUE

BANCADA FEMININA. UM ESPAçO DE EMPODERAMENTO DA RAPARIGA EM SSR EM MOÇAMBIQUE BANCADA FEMININA UM ESPAçO DE EMPODERAMENTO DA RAPARIGA EM SSR EM MOÇAMBIQUE NILZA DOS SANTOS, Brasília, 15 Outúbro 2013 Conteúdo Contexto Conceito de Bancada Feminina Principais Resultados Factores de

Leia mais

1[ ] Muito baixo 2[ ] Baixo 3[ ] Médio 4[ ] Alto 5[ ] Muito alto

1[ ] Muito baixo 2[ ] Baixo 3[ ] Médio 4[ ] Alto 5[ ] Muito alto QUESTIONÁRIO Anexo 1 Este questionário destina-se à realização de um trabalho de investigação na área da educação sendo garantido o total anonimato, confidencialidade e protecção dos seus dados. Se concordar

Leia mais

Tecnologia para a regulação dos nascimentos? gravidez indesejada.

Tecnologia para a regulação dos nascimentos? gravidez indesejada. Quais os contributos da Ciência e da Tecnologia para a regulação dos nascimentos? São utilizados para prevenir uma São utilizados para prevenir uma gravidez indesejada. Mét. Contracepção A - Não Naturais

Leia mais

Indicadores de Autonomia: identificando a desigualdade de gênero na trajetória sexual e reprodutiva de mulheres jovens em diferentes classes sociais

Indicadores de Autonomia: identificando a desigualdade de gênero na trajetória sexual e reprodutiva de mulheres jovens em diferentes classes sociais Indicadores de Autonomia: identificando a desigualdade de gênero na trajetória sexual e reprodutiva de mulheres jovens em diferentes classes sociais Alessandra Sampaio Chacham 1 Mônica Bara Maia 2 Malco

Leia mais

Manual do facilitador

Manual do facilitador Manual do facilitador Introdução Este manual faz parte do esforço para institucionalizar o sistema de informação de uma maneira coordenada a fim de que as informações possam ser de acesso de todos que

Leia mais

7ª série / 8º ano U. E. 11

7ª série / 8º ano U. E. 11 7ª série / 8º ano U. E. 11 Os sistemas genitais masculino e feminino A espécie humana se reproduz sexuadamente. As células reprodutivas femininas os óvulos são produzidas nos ovários da mulher, e as células

Leia mais

Quinta-feira, 08.09.11

Quinta-feira, 08.09.11 Quinta-feira, 08.09.11 Veja os destaques de hoje e do feriado: 1. 1º FormaGoiás 2. Programa Bolsa Universitária 3. Artigo: Goiás, de maria-fumaça a trem-bala 4. Valéria Perillo será patronesse do Goiânia

Leia mais

Doenças Sexualmente Transmissíveis (pág. 273)

Doenças Sexualmente Transmissíveis (pág. 273) Doenças Sexualmente Transmissíveis (pág. 273) -DST (no passado conhecidas como doenças venéreas ou doenças de rua ); - São doenças transmitidas por meio de ato sexual ou contato com sangue do doente; -

Leia mais

Crescer Saudável. Promover e proteger a saúde e prevenir a doença na comunidade educativa.

Crescer Saudável. Promover e proteger a saúde e prevenir a doença na comunidade educativa. Administração Regional de Saúde do Alentejo, IP Centro de Saúde de Montemor-o-Novo Crescer Saudável O Programa de Educação para a Saúde Crescer Saudável surge no âmbito do Programa Nacional de Saúde r

Leia mais

Campanha DST 1. Enzo Maymone COUTO 2 Eduardo Perotto BIAGI 3 Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS

Campanha DST 1. Enzo Maymone COUTO 2 Eduardo Perotto BIAGI 3 Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS Campanha DST 1 Enzo Maymone COUTO 2 Eduardo Perotto BIAGI 3 Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS RESUMO: Este trabalho foi realizado na disciplina de Criação II do curso de Comunicação Social

Leia mais

Processo Seletivo 2012-2 Disciplina: Biologia

Processo Seletivo 2012-2 Disciplina: Biologia 1) Gabarito oficial definitivo sem distribuição dos pontos - Questão 1 Tropismo é o movimento de uma planta em resposta a um estímulo externo. O tropismo positivo ocorre quando a planta se movimenta em

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 43 MÉTODOS CONTRACEPTIVOS

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 43 MÉTODOS CONTRACEPTIVOS BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 43 MÉTODOS CONTRACEPTIVOS Como pode cair no enem? (UFC) A pílula do dia seguinte é composta de hormônios, os mesmos da pílula anticoncepcional comum, só que em doses mais elevadas.

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - HOMEM VIH NEGATIVO

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - HOMEM VIH NEGATIVO INSTRUÇÕES PARA A EQUIPA DO ESTUDO: Após inscrição no estudo, os participantes devem preencher este questionário de avaliação inicial. Certifique-se de que é distribuído o questionário adequado. Após o

Leia mais

Sexualidades e Afectos

Sexualidades e Afectos Sexualidades e Afectos A Sexualidade está sempre presente... Em todas as fases da vida: antes do nascimento quando bebés em criança na adolescência na juventude na vida adulta na maturidade quando envelhecemos

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 660/X ESTABELECE O REGIME DE APLICAÇÃO DA EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR

PROJECTO DE LEI N.º 660/X ESTABELECE O REGIME DE APLICAÇÃO DA EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR PROJECTO DE LEI N.º 660/X ESTABELECE O REGIME DE APLICAÇÃO DA EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR Exposição de Motivos A garantia da saúde sexual e reprodutiva na sociedade contemporânea é condição necessária

Leia mais

PROJETO EDUCAÇÃO PARA SAÚDE NA ESCOLA MARIANA JANSSEN MARIA GORETTI DE ALMEIDA

PROJETO EDUCAÇÃO PARA SAÚDE NA ESCOLA MARIANA JANSSEN MARIA GORETTI DE ALMEIDA PROJETO EDUCAÇÃO PARA SAÚDE NA ESCOLA PROGRAMA MÉDICO M DE FAMÍLIA DE NITERÓI MARIANA JANSSEN MARIA GORETTI DE ALMEIDA LOCAL: ESCOLA ESTADUAL LUCIANO PESTRE 2004 CRONOLOGIA TREINAMENTO DE DST/AIDS SECRETARIA

Leia mais

Pesquisa Formativa sobre a Circuncisão Masculina em Moçambique

Pesquisa Formativa sobre a Circuncisão Masculina em Moçambique Pesquisa Formativa sobre a Circuncisão Masculina em Moçambique Apresentação para o CNCS Maputo, 16 de Março de 2013 Estrutura da apresentação I. Contexto do estudo II. Métodos e questões do estudo III.

Leia mais

Planificação das Atividades do Projeto de Educação para a Saúde

Planificação das Atividades do Projeto de Educação para a Saúde Planificação das Atividades do Projeto de Educação para a Saúde 1 - Educação Alimentar gerais - Ausência do hábito de tomar o pequenoalmoço. - Consequências de uma alimentação desequilibrada. - Sensibilizar

Leia mais

O CONHECIMENTO DOS ESCOLARES ADOLESCENTES SOBRE DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS/AIDS

O CONHECIMENTO DOS ESCOLARES ADOLESCENTES SOBRE DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS/AIDS Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 08, n. 01, p. 58 62, 2006 Disponível em http://www.fen.ufg.br/revista/revista8_1/original_07.htm ARTIGO ORIGINAL O CONHECIMENTO DOS ESCOLARES ADOLESCENTES SOBRE DOENÇAS

Leia mais

(Quatro anos depois) 1998-2002. Promoção da Saúde Oral nos Jovens, Janeiro 2006 OS ADOLESCENTES PORTUGUESES AVENTURA SOCIAL & SAÚDE 1987-2006

(Quatro anos depois) 1998-2002. Promoção da Saúde Oral nos Jovens, Janeiro 2006 OS ADOLESCENTES PORTUGUESES AVENTURA SOCIAL & SAÚDE 1987-2006 (Quatro anos depois) 1998-2002 Margarida Gaspar de Matos, *Faculdade de Motricidade Humana. ** CMDT/ Instituto de Higiéne e Medicina Tropical Promoção da Saúde Oral nos Jovens, Janeiro 2006 1987-2006 Parceiros

Leia mais