Microsoft Students to Business. Desenvolvimento de Software 3ª Fase

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Microsoft Students to Business. Desenvolvimento de Software 3ª Fase"

Transcrição

1 Microsoft Students to Business Desenvolvimento de Software 3ª Fase

2 Desenvolvendo para internet parte V

3 Acesso a Dados NET oferece alternativas de acesso aos dados de um banco de dados relacional: Biblioteca de classes ADO.NET Uma API de acesso e manipulação de baixo nível TableAdapters e DataSet Tipado Camada de acesso a dados fornecida por geradores de código do Visual Studio baseado no ADO.NET Entity Framework Framework para mapeamento objeto/relacional LINQ Linguagem embutida de acesso e manipulação de alto nível

4 Acesso a Dados

5 Arquitetura em camadas

6 OO x Relacional Questões do modelo Relacional Trabalha-se no modelo dos dados Forte acoplamento com os elementos do modelo ER: tabelas, chaves (primária e estrangeira) Objetos apenas para uso em memória Como tratar a questão das chaves primárias? Como tratar a questão das chaves estrangeiras?

7 OO x Relacional Exemplo: modelo relacional Editora PK codigo nome PK FK1 Livro codigo titulo ano codeditora LivroAutor PK,FK1 codlivro PK,FK2 codautor PK Autor codigo primeironome ultimonome

8 OO x Relacional Questões do modelo OO Trabalha-se em um modelo que agrega dados e operações Como representar as associações entre objetos? Como mapear hierarquias de herança? Qual o ciclo de vida de um objeto persistente?

9 Exemplo: diagrama de classes codigo nome Editora Livro * codigo 0..* 0..* titulo ano Autor codigo primeironome ultimonome

10 Exemplo: diagrama de classes Editora PK codigo nome PK FK1 Livro codigo titulo ano codeditora LivroAutor PK,FK1 codlivro PK,FK2 codautor PK Autor codigo primeironome ultimonome Editora Livro Autor codigo nome * codigo 0..* 0..* titulo ano codigo primeironome ultimonome

11 OO x Relacional Editora PK codigo nome PK FK1 Livro codigo titulo ano codeditora LivroAutor PK,FK1 codlivro PK,FK2 codautor PK Autor codigo primeironome ultimonome Editora Livro Autor codigo nome * codigo 0..* 0..* titulo ano codigo primeironome ultimonome

12 Mapeamento Objeto-Relacional Mapeamento Objeto Relacional (O/RM) Técnica que mapeia os conceitos de Objetos para Relacional e vice-versa Vantagens: Produtividade Trabalha-se sempre no mesmo paradigma (OO) Manutenção Baixo acoplamento com o modelo de dados Desempenho??? Porque não fazer tudo em assembler?

13 Mapeamento Objeto-Relacional Idéia geral: Classes Objetos Estado Comportamento Tabelas e Relacionamentos Registros Colunas DML e SQL

14 Entity Framework Entity Framework é um O/RM que separa o modelo conceitual do físico Permite a programação OO, incluindo herança e consulta sobre objetos Permite a mudança do modelo físico sem alteração da lógica de negócio Modelo de memória simples, baseado em Concorrência Otimista com armazenamento em memória (isto é, sem conexão aberta) Aderente ao System.Transaction Feito para suportar múltiplos bancos de dados relacionais Mapeia Tabelas, Views e Stored Procedures

15 Entity Framework - Componentes Entity Data Model (EDM) Descreve o modelo conceitual (Objetos!) Entity Data Provider Um provedor para o EDM Entity SQL Uma versão estendida do SQL para o EDM Object Services Adiciona rastreamento de mudanças, identidade de objetos, attach / detach LINQ to Entities Uma implementação do LINQ sobre o EDM

16 Browsing Binding Code Gen Entity Framework - Arquitetura Applications Programming Layers Linq to Entities Entity SQL Entity Services Reporting Analysis Sync Search Entity Client EDM, Entity SQL Modeling Mapping Metadata Services Mapping SqlClie nt Query and Update Pipelines Transactions Data Providers (ADO.NET patterns) OtherClien t Nonrelational Entity Framework Runtime SQL Server Relational DBMS Web Service

17 Entity Framework - Abordagens Centrada no Projeto Centrada no código New Database Existing Database Model First Create model in EF Designer Generate BD from model Classes auto-generated from model Database First Reverse engineer model in EF Designer Classes auto-generated from model Code First Define classes and mapping in code Database created from code Migrations apply model changes to database Code First Define classes and mapping in code EF Power Tools provide reverse engineer Fonte: https://msdn.microsoft.com/en-us/data/jj590134

18 Entity Data Model Entity Data Model EDM é um conjunto de modelos (especificado em arquivo XML.edmx) que define o mapeamento objeto-relacional Três modelos: Conceitual (CSDL - Conceptual Schema Definition Language) Mapeamento (MSL - Mapping Specification Language) Armazenamento (SSDL - Storage Schema Definition Language) Conceptual Mapping Storage

19 EDM Conceitos Principais Entity Data Model Entidade (entity): Representa um objeto do domínio da aplicação Possui um nome único Possui uma chave de entidade Possui dados na forma de propriedades Possui propriedades de navegação (associação entre entidades) Possui chaves estrangeiras (associação entre entidades) Conjunto de entidades (entity set): Representa um contêiner lógico para entidades de um mesmo tipo (inclui tipos derivados) Conceptual Mapping Storage

20 EDM Conceitos Principais Exemplo: CourseManager - Tabelas

21 EDM Conceitos Principais Exemplo: CourseManager - Entidades

22 EDM Conceitos Principais Propriedade (property): Define a estrutura e características dos dados de uma entidade Pode conter dados primitivos ou estuturados (definidos em tipos complexos) Possui facetas (facets) que definem restrições e comportamentos adicionais (valor padrão, se aceita null, tamanho máximo, etc) Propriedade de navegação (navigation property): Propriedade que permite a navegação entre entidades associadas Pode ser apenas unidirecional

23 EDM Conceitos Principais Propriedade (property): Define a estrutura e características dos dados de uma entidade Pode conter dados primitivos ou estuturados (definidos em tipos complexos) Possui facetas (facets) que definem restrições e comportamentos adicionais (valor padrão, se aceita null, tamanho máximo, etc) Propriedade de navegação (navigation property): Propriedade que permite a navegação entre entidades associadas Pode ser apenas unidirecional

24 EDM Conceitos Principais Chave de entidade (entity key): Propriedade(s) utilizada para identificar uma entidade única É de um tipo primitivo, não anulável e imutável Chave estrangeira (foreing key): Propriedade que implementa um relacionamento entre entidades

25 EDM Conceitos Principais Associação (association): Representa o relacionamento binário entre entidades (inclusive autorelacionamento) Cada associação possui duas terminações, anotadas com multiplicidades Um : 1, Zero ou um : 0..1, Muitos : * Uma associação pode possui restrições de integridade referenciais Entidades associadas são acessadas via propriedades de navegação ou chaves estrangeiras Conjunto de associações (association set): Representa um contêiner lógico para associações de um mesmo tipo

26 LINQ to Entities Consultas - busca var companynamequery = from cust in nw.customers where cust.city == "London" select cust.companyname; foreach(var customer in companynamequery) { }

27 Consultas Quando um consulta é executada, algumas expressões são avaliadas no servidor e outras no cliente Nem todos operadores padrão do LINQ são suportados pelo LINQ to Entities! Veja

28 Consultas Propriedades de navegação em relacionamentos 1-1, 1-N ou N-N Necessário carregar dados relacionados: Propriedade LazyLoadingEnabled Indica se objetos relacionados serão carregados automaticamente via propriedade de navegação Dispara uma nova consulta para cada navegação Método Load Carregamento explícito quando necessário Dispara uma nova consulta para cada load Método Include Carregamento imediato Dispara uma consulta única Consulta gerada é mais complexa

29 Consultas A consulta abaixo não irá funcionar: var contato = (from contact in awe.contact where contact.lastname == "Zhou" select contact).first(); foreach (var pedido in contato.salesorderheader) { Console.WriteLine(pedido.SalesOrderID); } Coleção está vazia!

30 Consultas Include Recebe como parâmetro um query path que especifica as entidades relacionadas que devem ser carregadas com os dados Uma única requisição é realizada ao BD var customer = (from contact in awe.contact.include("salesorderheader.salesorderdetail") where contact.lastname == "Zhou" select contact).first();

31 Consultas Load Permite carregar explicitamente as entidades relacionadas Várias requisições são realizadas ao BD Se chamado dentro de um laço foreach, o EDM deve estar configurado com MultipleActiveResultSets=True na string de conexão Contact customer = (from contact in awe.contact where contact.lastname == "Zhou" select contact).first(); if (!customer.salesorderheader.isloaded) { customer.salesorderheader.load(); }

32 Inserção Criar um novo objeto Construtor ou método estático CreateXXX() Adicionar novos objetos sobre o modelo via métodos Add(), AddObject(), AddToXXX() Executar método SaveChanges() Customer cust = new Customer(); cust.companyname = "SomeCompany"; cust.city = "London"; cust.customerid = "98128"; cust.postalcode = "55555"; cust.phone = " "; contexto.addtocustomers(cust); contexto.savechanges();

33 Inserção Criar um novo objeto Construtor ou método estático CreateXXX() Adicionar novos objetos sobre o modelo via métodos Add(), AddObject(), AddToXXX() Executar método SaveChanges() Customer cust = Customer.CreateCustomer("SomeCompany", "London","98128","55555"," "); contexto.addtocustomers(cust); contexto.savechanges();

34 Inserção Para inserir em um relacionamento: 1-N ou N-N utilizar Add() na coleção referenciada EntityCollection 1-1 utilizar propriedade Value na entidade referenciada EntityReference SalesOrderDetail sod = SalesOrderDetail.CreateSalesOrderDetail( ); order.salesorderdetail.add(sod); contexto.savechanges();

35 Alteração Obter um objeto do modelo Garantir que o objeto esteja sob controle do contexto Alterar o objeto Estado do objeto muda de Unchanged para Modified Executar método SaveChanges() var cust = (from c in contexto.customers where c.customerid == "ALFKI" select c).first(); cust.contactname = "New Contact"; contexto.savechanges();

36 Remoção Obter um objeto do modelo Executar método DeleteObject() Marca objeto para remoção Executar método SaveChanges() Relacionamentos também são removidos var deleteindivcust = from cust in contexto.customers where cust.customerid == "98128" select cust; if (deleteindivcust.count() > 0){ contexto.customers.remove (deleteindivcust.first()); contexto.savechanges(); }

37 Remoção Cuidado! Regras de remoção em cascata de entidade relacionadas devem ser especificadas tanto no modelo conceitual quanto na base de dados Entity Framework somente remove entidades relacionadas se elas estiverem em memória e sob gerência do contexto

38 Laboratório 19

39 Abordagem Code First Uso do Entity Framework em uma abordagem Code First (código primeiro) Definir classes de Modelo, incluir propriedades para chaves e navegação Conexão ao banco de dados Uso de um contexto EF Uso de uma classe de inicialização Definição de consultas utilizando LINQ to Entities

40 Lab - Code first Conexão ao banco de dados <add name="contatosdb" connectionstring="data Source=(LocalDB)\v11.0;AttachDbFilename= DataDirectory \Con tatos.mdf;integrated Security=True" providername="system.data.sqlclient" />

41 Lab - Code first Uso de um contexto EF EF Context (Repository pattern) public class ContatosDB : DbContext { public DbSet<Contato> Contatos { get; set; } } Tabela do BD (operações de CRUD)

42 Lab - Code first classe de inicialização public class ContatosInicializer : DropCreateDatabaseIfModelChanges<ContatosDB> { protected override void Seed(ContatosDB context) { base.seed(context); var contatos = new List<Contato> { new Contato { Nome="Huginho", Telefone=" ", HorarioComercial=true }, new Contato {... }; contatos.foreach(c => context.contatos.add(c)); context.savechanges(); } } // Global.asax Application_Start() Database.SetInitializer<ContatosDB>(new ContatosInicializer());

43 Laboratório 20

44 Aonde Ir? Ferramenta LINQPad LINQ PLINQ ADO.NET Entity Framework

45 Aonde Ir? MSDN Data Developer Center

46 Segurança

47 Autenticação e Autorização Autenticação refere-se ao processo de obtenção da credencial do usuário e verificação de sua validade Autorização refere-se ao processo de liberação de acesso a determinados recursos protegidos

48 Segurança Arquitetura Os clientes se comunicam com o ASP.NET através do IIS Internet Information Services O ASP.NET fornece recursos de segurança implementados pelo.net Framework

49 Segurança no IIS Autenticação no IIS é uma camada prévia à autenticação no ASP.NET! Mecanismos de autenticação do IIS: Anonymous Solicitações são automaticamente autenticadas Basic Credenciais são transmitidas de forma textual simples pela rede Digest Credenciais são transformadas via hash para serem transmitidas Integrated Windows Credenciais são transformadas de modo semelhante ao login do Windows em um Active Directory

50 Segurança no IIS

51 Segurança no ASP.NET Segurança no ASP.NET Recursos para trabalhar com Autenticação e Autorização Controles específicos API ASP.NET Identity

52 Autenticação no ASP.NET Ao criar um novo projeto no Visual Studio deve ser selecionado o mecanismo de autenticação que será configurado

53 Autenticação no ASP.NET Opções de configuração do projeto: No Authentication: usuários anônimos Individual User Accounts: ASP.NET Identity (http://www.asp.net/identity) Organizational Accounts: Windows Identity Foundation para usuários com contas no Azure Active Directory ou Windows Server Active Directory Windows Authentication: modulo Windows Authentication do IIS

54 Autenticação no ASP.NET

55 Autenticação no ASP.NET É um subsistema que implementa diferentes mecanismos de autenticação Características: Oferece gerência de usuários, perfis ( profiles ) e grupos ( roles ) Extensível Suporte a Microsoft Account, Google, Facebook, Twitter, etc Suporte a programação assíncrona Baseado no OWIN - Open Web Interface for.net (http://owin.org/) Diferentes modelos de armazenamento de dados Projeto padrão utiliza o SQL LocalDB com Entity Framework Code First Distribuição de atualizações via NuGet

56 Autenticação no ASP.NET Versões: 1.0 VS 2013 RTM 2.0 VS 2013 Update VS 2013 Update 3

57 ASP.NET Identity Estrutura do Template de Projeto padrão no Visual Studio: Configuração: Arquivo Startup.cs: ponto de partida para a configuração do ASP.NET Identity Arquivo App_Start/Startup.Auth.cs: classe parcial (arquivo Startup.cs) com método de configuração do ASP.NET Identity Arquivo App_Start/IdentityConfig.cs: classes para configuração das opções dos elementos de autenticação

58 ASP.NET Identity Estrutura do Template de Projeto padrão no Visual Studio: Dados: Arquivo Models/IdentityModels.cs: Classe ApplicationUser define as informações disponíveis sobre o usuário; representa propriedades que serão armazenadas no banco de dados do ASP.NET Identity Classe ApplicationDbContext representa o a base de dados do Entity Framework Classe IdentityHelper possui métodos de utilidade geral

59 ASP.NET Identity Objetos básicos:

60 ASP.NET Identity Objetos básicos:

61 Autorização Configuração via arquivo Web.config Marcação <authorization> dentro de <system.web> com base na identificação de usuário <allow users="..."> para permitir acesso <deny users="..."> para negar acesso com base nos grupos de usuários <allow roles="..."> para permitir acesso <deny roles="..."> para negar acesso Opções Nome do usuário/roles no domínio * para todos os usuários? para usuários anônimos

62 Autorização Exemplo: <authorization> <allow users="ci"/> <deny users="?"/> </authorization>

63 Componentes de Autenticação Exemplo: Controle CreateUserWizard Login LoginStatus LoginView PasswordRecovery ChangePassword Descrição Coletar dados do usuário e criar uma nova conta Controle composto para página de login Fornece link de loginf ou logout em função do status do usuário Permite filtragem de conteúdo em função do status do usuário (se autenticado ou anônimo) Controle composto para página de recuperação de senhas perdidas Controle composto para página de alteração de senha

64 Laboratório 21

Criação de uma aplicação Web ASP.NET MVC usando Code First

Criação de uma aplicação Web ASP.NET MVC usando Code First Criação de uma aplicação Web ASP.NET MVC usando Code First Visual Studio > File > New Project > (Visual C#, Web) ASP.NET MVC 4 Web Application Name: MvcApplication11 Project Template: View Engine: Internet

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 10 Persistência de Dados

Leia mais

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias 2 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias Modelo de dados: Conjunto de conceitos

Leia mais

Forms Authentication em ASP.NET

Forms Authentication em ASP.NET Forms Authentication em ASP.NET Em muitos sites web é necessário restringir selectivamente o acesso a determinadas áreas, ou páginas, enquanto para outras páginas pode permitir-se acesso livre. ASP.NET

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE OS FRAMEWORKS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE ENTITY FRAMEWORK E NHIBERNATE : ESTUDO DE CASO EM UM SISTEMA

COMPARAÇÃO ENTRE OS FRAMEWORKS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE ENTITY FRAMEWORK E NHIBERNATE : ESTUDO DE CASO EM UM SISTEMA 73 COMPARAÇÃO ENTRE OS FRAMEWORKS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE ENTITY FRAMEWORK E NHIBERNATE : ESTUDO DE CASO EM UM SISTEMA Daniel José Angotti Analista de Negócio, Repom S/A djangotti@gmail.com Carlos

Leia mais

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello Banco de Dados Maurício Edgar Stivanello Agenda Conceitos Básicos SGBD Projeto de Banco de Dados SQL Ferramentas Exemplo Dado e Informação Dado Fato do mundo real que está registrado e possui um significado

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE AULA 1

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE AULA 1 DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE AULA 1 CAMPUS SANTO ANDRÉ CELSO CANDIDO SEMESTRE 2014 1 Características da Plataforma.NET A plataforma.net Framework 4.0 (.NET 4.0) é uma plataforma de softwares que fornece

Leia mais

Banco de Dados. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com

Banco de Dados. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Banco de Dados Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Roteiro Mapeamento de objetos para modelo relacional Estratégias de persistência Persistência JDBC Mapeando Objetos para o Modelo Relacional

Leia mais

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados:

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados: MC536 Introdução Sumário Conceitos preliminares Funcionalidades Características principais Usuários Vantagens do uso de BDs Tendências mais recentes em SGBDs Algumas desvantagens Modelos de dados Classificação

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1

Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1 Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

Gestão de Tecnologia da Informação

Gestão de Tecnologia da Informação Gestão de Tecnologia da Informação Banco de Dados Prof. Gilberto B. Oliveira Tópicos Projeto de Banco de Dados (Button-Up) Modelagem conceitual Modelagem lógica Exemplo: Implementação do modelo Escola

Leia mais

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo

Conteúdo. Disciplina: INF 02810 Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos. Centro Tecnológico. Universidade Federal do Espírito Santo Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Disciplina: INF 02810 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 1. Introdução 2. Processo de Software 3. Gerência de

Leia mais

Persistência. 2004 Fernando Lozano, http://www.lozano.eti.br Persistência Objeto-Relacional com Java Pag. 1

Persistência. 2004 Fernando Lozano, http://www.lozano.eti.br Persistência Objeto-Relacional com Java Pag. 1 Persistência Objeto-Relacional com Java Fernando Lozano http://www.lozano.eti.br Consultor Independente Prof. Faculdades UniABEU Prof. SENAC Editor Adjunto da Revista Java Magazine 2004 Fernando Lozano,

Leia mais

Roteiro. Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados. Conceitos e Arquiteturas de Sistemas de Banco de Dados. BCC321 - Banco de Dados I

Roteiro. Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados. Conceitos e Arquiteturas de Sistemas de Banco de Dados. BCC321 - Banco de Dados I Roteiro Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados Luiz Henrique de Campos Merschmann Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto luizhenrique@iceb.ufop.br www.decom.ufop.br/luiz

Leia mais

Programação para Android. Aula 08: Persistência de dados SQL

Programação para Android. Aula 08: Persistência de dados SQL Programação para Android Aula 08: Persistência de dados SQL Persistência de dados Na maioria das aplicações precisamos ter algum tipo de persistência de dados. Para guardar informações de forma persistente

Leia mais

TCM Informática Rua Senador Ivo D'Aquino, 121 Bairro: Lagoa da Conceição 88062-050 Florianópolis, SC Brasil Fone +55 48 3334-8877 Fax +55 48

TCM Informática Rua Senador Ivo D'Aquino, 121 Bairro: Lagoa da Conceição 88062-050 Florianópolis, SC Brasil Fone +55 48 3334-8877 Fax +55 48 1.1 Roteiro para Instalação do Software 1.1.1 Servidor 1.1.1.1 Requisitos de Hardware Servidor de pequeno porte Servidor dedicado: Processador: 500Mhz Memória RAM: 256MB Hard Disk: 20 ou 40GB (7.500rpm)

Leia mais

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 Í N D I C E Capítulo 1 - O Início de Tudo 1 Reunindo todas as informações necessárias 2 Instalando o Visual FoxPro 2 Configurando o Visual FoxPro 7 Capítulo

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD 2 1 Características dos SGBDs Natureza auto-contida de um sistema de banco de dados: metadados armazenados num catálogo ou dicionário de

Leia mais

ruirossi@ruirossi.pro.br

ruirossi@ruirossi.pro.br Persistência Com JPA & Hibernate Rui Rossi dos Santos ruirossi@ruirossi.pro.br Mediador: Rui Rossi dos Santos Slide 1 Mapeamento Objeto-Relacional Contexto: Linguagem de programação orientada a objetos

Leia mais

Programação WEB (JSP + Banco Dados) Eng. Computação Prof. Rodrigo Rocha http://www.materialdeaula.com.br

Programação WEB (JSP + Banco Dados) Eng. Computação Prof. Rodrigo Rocha http://www.materialdeaula.com.br Programação WEB (JSP + Banco Dados) Eng. Computação Prof. Rodrigo Rocha http://www.materialdeaula.com.br JSP (Java Server Pages) - JavaServer Pages (JSP) - Tecnologia de programação serverside - Permite

Leia mais

JPA: Persistência padronizada em Java

JPA: Persistência padronizada em Java JPA: Persistência padronizada em Java FLÁVIO HENRIQUE CURTE Bacharel em Engenharia de Computação flaviocurte.java@gmail.com Programação Orientada a Objetos X Banco de Dados Relacionais = Paradigmas diferentes

Leia mais

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão SISTEMAS DE BANCO DE DADOS Prof. Adriano Pereira Maranhão 1 REVISÃO BANCO DE DADOS I O que é banco de dados? Ou seja afinal o que é um SGBD? REVISÃO BD I REVISÃO DE BD I Um Sistema de Gerenciamento de

Leia mais

JPA Passo a Passo. Henrique Eduardo M. Oliveira henrique@voffice.com.br. Globalcode Open4Education

JPA Passo a Passo. Henrique Eduardo M. Oliveira henrique@voffice.com.br. Globalcode Open4Education JPA Passo a Passo Henrique Eduardo M. Oliveira henrique@voffice.com.br 1 Palestrante Henrique Eduardo M. Oliveira (henrique@voffice.com.br) > Trabalha: Arquiteto JEE / Instrutor Java > Formação: Ciências

Leia mais

5 Detalhes da Implementação

5 Detalhes da Implementação Detalhes da Implementação 101 5 Detalhes da Implementação Neste capítulo descreveremos detalhes da implementação do Explorator que foi desenvolvido usando o paradigma MVC 45 e o paradigma de CoC 46 (Convention

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO RDB2LOD

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO RDB2LOD GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO APLICATIVO RDB2LOD Em sua versão inicial, o aplicativo RDB2LOD foi desenvolvido para instalação e execução em ambiente de máquina virtual Java, e oferece suporte aos SGBDs

Leia mais

O que são Bancos de Dados?

O que são Bancos de Dados? SQL Básico Liojes de Oliveira Carneiro professor.liojes@gmail.com www.professor-liojes.blogspot.com O que são Bancos de Dados? É o software que armazena, organiza, controla, trata e distribui os dados

Leia mais

Resumo Aplicação MVC Contoso University

Resumo Aplicação MVC Contoso University Resumo Aplicação MVC Contoso University Parte 1. New Project MVC4: ContosoUniversity Html.ActionLink(string linktext, string actionname, string controllername) Retorna MvcHtmlString, uma string com o código

Leia mais

Etc & Tal. Volume 2 - Número 1 - Abril 2009 SBC HORIZONTES 44

Etc & Tal. Volume 2 - Número 1 - Abril 2009 SBC HORIZONTES 44 Armazenando Dados em Aplicações Java Parte 2 de 3: Apresentando as opções Hua Lin Chang Costa, hualin@cos.ufrj.br, COPPE/UFRJ. Leonardo Gresta Paulino Murta, leomurta@ic.uff.br, IC/UFF. Vanessa Braganholo,

Leia mais

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL 1. O que é Linguagem SQL 2. Instrução CREATE 3. CONSTRAINT 4. ALTER TABLE 5. RENAME TABLE 6. TRUCANTE TABLE 7. DROP TABLE 8. DROP DATABASE 1 1. O que é Linguagem SQL 2. O SQL (Structured Query Language)

Leia mais

Principais características

Principais características .Net Framework O que é.net? Proprietário da Microsoft Versão simplificada para Linux Versão compacta para dispositivos móveis Plataforma de desenvolvimento e execução Interface com usuário, conectividade

Leia mais

Evolução. Tópicos. Bancos de Dados - Introdução. Melissa Lemos. Evolução dos Sistemas de Informação Esquemas Modelos. Características de SGBDs

Evolução. Tópicos. Bancos de Dados - Introdução. Melissa Lemos. Evolução dos Sistemas de Informação Esquemas Modelos. Características de SGBDs 1 Bancos de Dados - Introdução Melissa Lemos melissa@inf.puc-rio.br Tópicos Evolução dos Sistemas de Informação Esquemas Modelos Conceitual Lógico Características de SGBDs 2 Evolução tempo Programas e

Leia mais

POCO no Entity Framework 4 Renato Haddad Microsoft Most Valuable Professional MVP, MCT, MCPD e MCTS Agosto 2010

POCO no Entity Framework 4 Renato Haddad Microsoft Most Valuable Professional MVP, MCT, MCPD e MCTS Agosto 2010 POCO no Entity Framework 4 Renato Haddad Microsoft Most Valuable Professional MVP, MCT, MCPD e MCTS Agosto 2010 Tecnologias Visual Studio.NET 2010, ASP.NET 4, EF 4 Sumário Com o lançamento do Visual Studio.NET

Leia mais

Persistência de Dados em Java com JPA e Toplink

Persistência de Dados em Java com JPA e Toplink Persistência de Dados em Java com JPA e Toplink Vinicius Teixeira Dallacqua Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia - IFTO AE 310 Sul, Avenida

Leia mais

Persistindo dados com TopLink no NetBeans

Persistindo dados com TopLink no NetBeans Persistindo dados com TopLink no NetBeans O que é TopLink? O TopLink é uma ferramenta de mapeamento objeto/relacional para Java. Ela transforma os dados tabulares de um banco de dados em um grafo de objetos

Leia mais

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados EXERCÍCIOS PRÁTICOS Banco de Dados Introdução ao uso do SQL Structured Query Language, considerando tanto DDL Data Definition Language quanto DML Data Manipulation Language. Banco de Dados selecionado:

Leia mais

Mapeamento Lógico/Relacional com JPA

Mapeamento Lógico/Relacional com JPA Mapeamento Lógico/Relacional com JPA Elaine Quintino da Silva Doutora em Ciência da Computação pelo ICMC-USP/São Carlos Analista de Sistemas UOL PagSeguro Instrutora Globalcode Agenda! Persistência de

Leia mais

Histórico de revisões

Histórico de revisões Histórico de revisões Data Versão Descrição Autor 13/11/2009 1.0 Criação da primeira versão HEngholmJr CONTEÚDO Passos para a instalação do SQL Server O MS SQL Server Conceitos relacionais Bancos de dados

Leia mais

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03)

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) MBA em Gestão de TI MÓDULO: BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) PROFESSOR: Edison Andrade Martins Morais prof@edison.eti.br http://www.edison.eti.br

Leia mais

Como já foi muito bem detalhado no Capítulo IV, o jcompany Developer Suite pode ser

Como já foi muito bem detalhado no Capítulo IV, o jcompany Developer Suite pode ser A1Criando um módulo de negócio Capítulo 27 Aplicação dividida em módulos - Introdução Como já foi muito bem detalhado no Capítulo IV, o jcompany Developer Suite pode ser compreendido como uma solução de

Leia mais

Aplicabilidade: visão geral

Aplicabilidade: visão geral CURSO BÁSICO SAXES 2 Aplicabilidade: visão geral BI Comércio Indústria nf-e Serviços Software house Enterprise Business Bus Banco financeiro Instituição Sindicato ERP html Casos 3 6 Customização: importação

Leia mais

SISTEMA TYR DIAGRAMAS DE CLASSE E SEQUÊNCIA Empresa: Academia Universitária

SISTEMA TYR DIAGRAMAS DE CLASSE E SEQUÊNCIA Empresa: Academia Universitária SISTEMA TYR DIAGRAMAS DE CLASSE E SEQUÊNCIA Empresa: Academia Universitária Cascavel Novembro de 2009 Pedro Patitucci Finamore Daniel Bordignon Cassanelli Marco Antonio da Rosa DIAGRAMAS DE CLASSE E SEQUÊNCIA

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 INTRODUÇÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 Leonardo Pereira leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti http://www.estudandoti.com.br Informações que precisam ser manipuladas com mais segurança

Leia mais

Banco de Dados. Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados. Profa. Flávia Cristina Bernardini

Banco de Dados. Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados. Profa. Flávia Cristina Bernardini Banco de Dados Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados Profa. Flávia Cristina Bernardini Relembrando... Vantagens da Utilização de SGBD Redundância controlada Consistência dos dados armazenados

Leia mais

Infracontrol versão 1.0

Infracontrol versão 1.0 Infracontrol versão 1.0 ¹Rafael Victória Chevarria ¹Tecnologia em Redes de Computadores - Faculdade de Tecnologia SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) Rua Gonçalves Chaves 602-A Centro 96015-560

Leia mais

World Wide Web e Aplicações

World Wide Web e Aplicações World Wide Web e Aplicações Módulo H O que é a WWW Permite a criação, manipulação e recuperação de informações Padrão de fato para navegação, publicação de informações e execução de transações na Internet

Leia mais

UML Diagramas Estruturais Classes

UML Diagramas Estruturais Classes Classes Mostra um conjunto de classes, interfaces e colaborações bem como seus relacionamentos O diagrama de classes representa aspectos estruturais de um software No uso da Orientação a Objetos em última

Leia mais

Advanced Group Policy Management (AGPM) 2.5

Advanced Group Policy Management (AGPM) 2.5 Advanced Group Policy Management (AGPM) 2.5 Última revisão feita em 02 de Setembro de 2008. Objetivo Neste artigo iremos conhecer um dos cinco componentes do MDOP 2008. Você vai aprender sobre o Advanced

Leia mais

Neste tópico, abordaremos a funcionalidade de segurança fornecida com o SAP Business One.

Neste tópico, abordaremos a funcionalidade de segurança fornecida com o SAP Business One. Neste tópico, abordaremos a funcionalidade de segurança fornecida com o SAP Business One. 1 Ao final deste tópico, você estará apto a: Descrever as funções de segurança fornecidas pelo System Landscape

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL Prof. MSc. Hugo Souza Iniciando nossas aulas sobre

Leia mais

INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL

INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL Este tutorial tem como objetivo mostrar como instalar o banco de dados My SQL em ambiente Windows e é destinado aqueles que ainda não tiveram um contato com a ferramenta.

Leia mais

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Banco de Dados Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Roteiro Apresentação do professor e disciplina Definição de Banco de Dados Sistema de BD vs Tradicional Principais características de BD Natureza autodescritiva

Leia mais

Classes de Entidades Persistentes JDB

Classes de Entidades Persistentes JDB Classes de Entidades Persistentes JDB Brasil, Natal-RN, 07 de setembro de 2011 Welbson Siqueira Costa www.jdbframework.com Nota de Retificação: em 11/12/2011 a Listagem 3 desse tutorial sofreu uma pequena

Leia mais

Programação com Acesso a Banco de Dados

Programação com Acesso a Banco de Dados Campus Ipanguaçu Curso: Técnico em Informática Programação com Acesso a Banco de Dados AULA 17 ACESSO A BANCO DE DADOS COM JDBC PROF.: CLAYTON M. COSTA 2 011.2 Introdução Aplicação + Banco de Dados: Funcionalidade

Leia mais

LEIA ISTO PRIMEIRO. IBM Tivoli Configuration Manager, Versão 4.2.1

LEIA ISTO PRIMEIRO. IBM Tivoli Configuration Manager, Versão 4.2.1 LEIA ISTO PRIMEIRO IBM Tivoli, Versão 4.2.1 O IBM Tivoli, Versão 4.2.1, é uma solução para controlar a distribuição de software e o inventário de gerenciamento de recursos em um ambiente multiplataformas.

Leia mais

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Juarez Bachmann Orientador: Alexander Roberto Valdameri Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

MOR: Uma Ferramenta para o Mapeamento Objeto-Relacional em Java

MOR: Uma Ferramenta para o Mapeamento Objeto-Relacional em Java MOR: Uma Ferramenta para o Mapeamento Objeto-Relacional em Java Leonardo Gresta Paulino Murta Gustavo Olanda Veronese Cláudia Maria Lima Werner {murta, veronese, werner}@cos.ufrj.br COPPE/UFRJ Programa

Leia mais

Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais

Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais Prof. Marcos Francisco Pereira da Silva Especialista em Engenharia de Software Jogos Digitais - Computação Gráfica 1 Agenda Vantagens de usar a abordagem

Leia mais

Sistemas de Banco de Dados Aspectos Gerais de Banco de Dados

Sistemas de Banco de Dados Aspectos Gerais de Banco de Dados Sistemas de Banco de Dados Aspectos Gerais de Banco de Dados 1. Conceitos Básicos No contexto de sistemas de banco de dados as palavras dado e informação possuem o mesmo significado, representando uma

Leia mais

Manual de Instalação Relat4 Versão 1.1

Manual de Instalação Relat4 Versão 1.1 Manual de Instalação Relat4 Versão 1.1 1 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. BASE DE DADOS... 3 3. Crystal Report... 4 4. Site... 4 5. Serviço... 10 2 1. INTRODUÇÃO A instalação do Relat4 consiste em quatro

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados Banco de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix

Leia mais

BANCO DE DADOS WEB AULA 4. linguagem SQL: subconjuntos DCL, DDL e DML. professor Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com

BANCO DE DADOS WEB AULA 4. linguagem SQL: subconjuntos DCL, DDL e DML. professor Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com BANCO DE DADOS WEB AULA 4 linguagem SQL: subconjuntos DCL, DDL e DML professor Luciano Roberto Rocha www.lrocha.com O que é SQL? Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 02 AT02 Diversos I 1 Indice ESQUEMAS NO BANCO DE DADOS... 3 CRIANDO SCHEMA... 3 CRIANDO TABELA EM DETERMINADO ESQUEMA... 4 NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CRIAÇÃO E MODIFICAÇÃO

Leia mais

Desenvolvendo para. Windows 8. Aprenda a desenvolver aplicativos para Windows Phone 8 e Windows 8. Ricardo R. Lecheta. Novatec

Desenvolvendo para. Windows 8. Aprenda a desenvolver aplicativos para Windows Phone 8 e Windows 8. Ricardo R. Lecheta. Novatec Desenvolvendo para Windows 8 Aprenda a desenvolver aplicativos para Windows Phone 8 e Windows 8 Ricardo R. Lecheta Novatec Copyright 2013 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos

Leia mais

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1 1. Quando se constrói um banco de dados, define-se o modelo de entidade e relacionamento (MER), que é a representação abstrata das estruturas de dados do banco e seus relacionamentos. Cada entidade pode

Leia mais

Manipulação de Dados em PHP (Visualizar, Inserir, Atualizar e Excluir) Parte 2

Manipulação de Dados em PHP (Visualizar, Inserir, Atualizar e Excluir) Parte 2 Desenvolvimento Web III Manipulação de Dados em PHP (Visualizar, Inserir, Atualizar e Excluir) Parte 2 Prof. Mauro Lopes 1-31 21 Objetivos Nesta aula iremos trabalhar a manipulação de banco de dados através

Leia mais

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado Introdução à Engenharia da Computação Banco de Dados Professor Machado 1 Sistemas isolados Produção Vendas Compras Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Desvantagens:

Leia mais

Construindo Aplicações com ASP.NET MVC 2.0 Aula 03 Luiz Alberto Ferreira Gomes. Ciência da Computação da PUC Minas

Construindo Aplicações com ASP.NET MVC 2.0 Aula 03 Luiz Alberto Ferreira Gomes. Ciência da Computação da PUC Minas Construindo Aplicações com ASP.NET MVC 2.0 Aula 03 Luiz Alberto Ferreira Gomes Ciência da Computação da PUC Minas 2 Camada responsável por armazenar em um repositório de dados e reconstituir objetos de

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS -HTML 5: ARMAZENAMENTO DE DADOS (CLIENTE) Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS -HTML 5: ARMAZENAMENTO DE DADOS (CLIENTE) Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about. PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS -HTML 5: ARMAZENAMENTO DE DADOS (CLIENTE) Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza ROTEIRO Introdução Compatibilidade Principais características

Leia mais

Banco de Dados Conceito de Arquitetura

Banco de Dados Conceito de Arquitetura Banco de Dados Conceito de Arquitetura Wireless-Optical Broadband Acess Network APRESENTAÇÃO Graduado SI Engenharia de Software Gerenciamento de Projetos Mecatrônica Mestrando CONCEITO DE BD MODELO DE

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE ENTITY FRAMEWORK E NHIBERNATE. Web DevelopmentUsingNHibernate

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE ENTITY FRAMEWORK E NHIBERNATE. Web DevelopmentUsingNHibernate ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE ENTITY FRAMEWORK E NHIBERNATE Web DevelopmentUsingNHibernate Celso de Ávila Ramos¹ Caio de Oliveira AmoêdoPinelli; Eric da Silva Cardoso; Tamara Regina Moreira² ¹Docente no Curso

Leia mais

Desenvolvimento Web: Integrando Sistemas Seguros com o Active Directory

Desenvolvimento Web: Integrando Sistemas Seguros com o Active Directory Desenvolvimento Web: Integrando Sistemas Seguros com o Active Directory Leonardo Erlich O desenvolvimento de sistemas Web assume cada vez mais um novo paradigma, expandindo seu horizonte de atuação para

Leia mais

enbsp - NBioBSP NITGEN Biometric Service Provider SDK Manual do Desenvolvedor SDK version 4.xx

enbsp - NBioBSP NITGEN Biometric Service Provider SDK Manual do Desenvolvedor SDK version 4.xx Índice: CAPÍTULO 1. INTRODUÇÃO... 3 Módulo NBioBSP COM... 3 Módulo NBioBSP Class Library... 3 Módulo Data Conversion... 3 Módulo Image Conversion... 3 1.1 CARACTERÍSTICAS... 4 Interface Gráfica para o

Leia mais

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Aula 3 Cap. 4 Trabalhando com Banco de Dados Prof.: Marcelo Ferreira Ortega Introdução O trabalho com banco de dados utilizando o NetBeans se desenvolveu ao longo

Leia mais

Persistência de Classes em Tabelas de Banco de Dados

Persistência de Classes em Tabelas de Banco de Dados UTFPR DAELN - Disciplina de Fundamentos de Programação II ( IF62C ). 1 Persistência de Classes em Tabelas de Banco de Dados 1) Introdução! Em algumas situações, pode ser necessário preservar os objetos

Leia mais

Introdução. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos

Introdução. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos Conceitos Básicos Introdução Banco de Dados I Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Departamento de Computação DECOM Dados

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel Software de gerenciamento do sistema Intel do servidor modular Intel Declarações de Caráter Legal AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE DOCUMENTO SÃO RELACIONADAS AOS PRODUTOS INTEL, PARA FINS DE SUPORTE ÀS PLACAS

Leia mais

Treinamento. DBA Oracle 11g. Duração: 120 horas

Treinamento. DBA Oracle 11g. Duração: 120 horas Treinamento DBA Oracle 11g Duração: 120 horas Neste curso no primeiro módulo (Introdução ao Oracle 11g SQL e PL_SQL) é oferecido um curso introdutório à tecnologia do banco de dados Oracle 11g. Também

Leia mais

CEFET.PHB - PI. Plano de Ensino. Banco de Dados. Plano de Ensino. Plano de Ensino. Plano de Ensino - Conteúdo. Plano de Ensino - Conteúdo

CEFET.PHB - PI. Plano de Ensino. Banco de Dados. Plano de Ensino. Plano de Ensino. Plano de Ensino - Conteúdo. Plano de Ensino - Conteúdo CEFET.PHB - PI Plano de Ensino Banco de Dados Prof. Jefferson Silva Sistema de Banco de Dados Objetivos Vantagens e Desvantagens Conceitos básicos de BD e de SGBD Abstração de Dados Linguagem de Definição

Leia mais

Maker Planet www.makerplanet.com Manual do Usuário

Maker Planet www.makerplanet.com Manual do Usuário Maker Planet www.makerplanet.com Manual do Usuário Atenção: Este é o rascunho inicial deste documento, visite o Maker Planet.COM (HTTP://www.makerplanet.com/) para obter as atualizações deste documento.

Leia mais

Modelo Relacional. 2. Modelo Relacional (Lógico)

Modelo Relacional. 2. Modelo Relacional (Lógico) Modelo Relacional 2. Modelo Relacional (Lógico) Derivado do modelo conceitual; Depende do SGBD escolhido; Independe dos dispositivos de armazenamento; Primitivas: tabelas, linhas e colunas; Transformação

Leia mais

Informática para Gestão de Negócios Linguagem de Programação III. Prof. Me. Henrique Dezani dezani@fatecriopreto.edu.br. Agenda

Informática para Gestão de Negócios Linguagem de Programação III. Prof. Me. Henrique Dezani dezani@fatecriopreto.edu.br. Agenda Informática para Gestão de Negócios Linguagem de Programação III Prof. Me. Henrique Dezani dezani@fatecriopreto.edu.br Professor Apresentação Agenda Ementa, Objetivo, Conteúdo Programático, Bibliografia,

Leia mais

Introdução. Banco de dados. Por que usar BD? Por que estudar BD? Exemplo de um BD. Conceitos básicos

Introdução. Banco de dados. Por que usar BD? Por que estudar BD? Exemplo de um BD. Conceitos básicos Introdução Banco de Dados Por que usar BD? Vitor Valerio de Souza Campos Adaptado de Vania Bogorny 4 Por que estudar BD? Exemplo de um BD Os Bancos de Dados fazem parte do nosso dia-a-dia: operação bancária

Leia mais

PHP Programando com Orientação a Objetos

PHP Programando com Orientação a Objetos PHP Programando com Orientação a Objetos 2 a edição Pablo Dall Oglio Novatec Sumário Sobre o autor... 13 Agradecimentos... 14 Nota do autor... 16 Organização do livro... 18 Capítulo 1 Introdução ao PHP...

Leia mais

Banco de Dados. Introdução. João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai. jef@ime.usp.br DCC-IME-USP

Banco de Dados. Introdução. João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai. jef@ime.usp.br DCC-IME-USP Banco de Dados Introdução João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai jef@ime.usp.br DCC-IME-USP Importância dos Bancos de Dados A competitividade das empresas depende de dados precisos e atualizados. Conforme

Leia mais

08/04/2013. Agenda. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ

08/04/2013. Agenda. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ Agenda Caché Server Pages Uma Aplicação Banco de Dados Fernando Fonseca Ana Carolina Salgado Mestrado Profissional 2 SGBD de alto desempenho e escalabilidade Servidor de dados multidimensional Arquitetura

Leia mais

Resolvendo objeto-relacional impedance mismatch com hibernate

Resolvendo objeto-relacional impedance mismatch com hibernate Resolvendo objeto-relacional impedance mismatch com hibernate August 7, 2013 Sumário I 1 Introdução 2 3 4 Sumário II 5 Contexto Mapeamento Objeto-Relacional (ORM) é uma técnica de programação para converter

Leia mais

Introdução Banco de Dados

Introdução Banco de Dados Introdução Banco de Dados Vitor Valerio de Souza Campos Adaptado de Vania Bogorny Por que estudar BD? Os Bancos de Dados fazem parte do nosso dia-a-dia: operação bancária reserva de hotel matrícula em

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS CONTROLE DE ACESSO USANDO O FRAMEWORK RICHFACES. 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS CONTROLE DE ACESSO USANDO O FRAMEWORK RICHFACES. 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS CONTROLE DE ACESSO USANDO O FRAMEWORK RICHFACES 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação Alunos: Alessandro Aparecido André Alexandre Bruno Santiago Thiago Castilho

Leia mais

Técnicas e Linguagens para Banco de Dados I

Técnicas e Linguagens para Banco de Dados I Técnicas e Linguagens para Banco de Dados I Prof. Eduardo Ribeiro www.eduardo.trisolution.com.br eduardo@ trisolution.com.br Introdução Banco de Dados Dados x Informações Dados = É um elemento que mantém

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Definição

Introdução à Banco de Dados. Definição Universidade Federal da Bahia Departamento de Ciência da Computação (DCC) Disciplina: Banco de Dados Profª. Daniela Barreiro Claro Introdução à Banco de Dados Definição Um banco de dados é uma coleção

Leia mais

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre ROTEIRO PARA O 3º TRIMESTRE 1. O MySQL DDL SQL 1. Como funciona o MySQL 2. Como criar um banco de dados no MySQL 3. Como criar tabelas: comandos

Leia mais

BANCO DE DADOS: SQL. Edson Anibal de Macedo Reis Batista. 27 de janeiro de 2010

BANCO DE DADOS: SQL. Edson Anibal de Macedo Reis Batista. 27 de janeiro de 2010 BANCO DE DADOS: SQL UERN - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Departamento de Ciências da Computação. 27 de janeiro de 2010 índice 1 Introdução 2 3 Introdução SQL - Structured Query Language

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Curso: Sistemas de Informações Arquitetura de Software Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 7 JPA A Persistência com JPA Para configurar o JPA

Leia mais

2008.1. A linguagem SQL

2008.1. A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831

Rational Quality Manager. Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 Rational Quality Manager Nome: Raphael Castellano Campus: AKXE Matrícula: 200601124831 1 Informações Gerais Informações Gerais sobre o RQM http://www-01.ibm.com/software/awdtools/rqm/ Link para o RQM https://rqmtreina.mvrec.local:9443/jazz/web/console

Leia mais

Segurança de Acesso a Banco de Dados no MS SQL Server

Segurança de Acesso a Banco de Dados no MS SQL Server Segurança de Acesso a Banco de Dados no MS SQL Server Para efetuar com sucesso os exemplos que serão mostrados a seguir é necessário que exista no SQL Server uma pessoa que se conecte como Administrador,

Leia mais

Comandos de Manipulação

Comandos de Manipulação SQL - Avançado Inserção de dados; Atualização de dados; Remoção de dados; Projeção; Seleção; Junções; Operadores: aritméticos, de comparação,de agregação e lógicos; Outros comandos relacionados. SQL SQL

Leia mais