Laboratório didático de Física

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Laboratório didático de Física"

Transcrição

1 Laboratório didático de Física Como redigir um relatório Como escrever um relatório? Esperamos nos próximos parágrafos passar algumas informações úteis para escrever um relatório. É possível que algumas sugestões você já conheça, mas sempre é bom relembrá-las. Por que escrevemos relatórios? A resposta é bastante direta: para comunicar nosso trabalho e nossas idéias por escrito. Todo relatório tem que ser claro, conciso e exato. Com um relatório que tenha estas qualidades você terá mais chances de obter a colaboração ou a resposta esperada de seus superiores e de seus colegas. Por este motivo, a arte da boa comunicação por escrito não é um luxo, é uma questão de sobrevivência profissional. Além do mais, quando se escreve um relatório tem-se a responsabilidade de fazer uma autocrítica honesta dos resultados experimentais. O bom profissional deve avaliar o próprio trabalho e relatar aos outros, quantitativamente se possível, se são bons ou maus, exatos ou incorretos os dados apresentados. É necessário avaliar os erros das medidas e como esses erros são refletidos nos resultados que foram calculados. A responsabilidade de avaliar a qualidade do trabalho experimental é de quem escreve e não do leitor. E na escola, por que escrevemos relatórios? Basicamente, os relatórios na escola servem para treinar a habilidade da comunicação escrita e para exercitar a autocrítica dos estudantes. O início do relatório: planejamento Antes de começar a escrever um relatório é necessário algum planejamento. Inicialmente definimos a estrutura que o relatório vai ter. Geralmente, os relatórios acadêmicos possuem a estrutura de um artigo científico, incluindo (mais ou menos) os seguintes tópicos: Capa Título Resumo Introdução Desenvolvimento Experimental Resultados (ou Resultados e Discussão) Conclusões Apêndices Referências Bibliográficas Existe outro tipo de relatório, que é o chamado relatório executivo. Este tipo de relatório é empregado freqüentemente na indústria quando prestamos conta de nossas atividades ou apresentamos soluções a um superior. Muitas vezes o superior não está muito disposto a ler todo o relatório, embora precise tomar uma decisão rápida, especialmente neste caso, é oportuno inverter a ordem, colocando as conclusões no início do relatório. Por este motivo, sempre é bom perguntar se há algum modelo de relatório a ser seguido, se não houver normas siga o seu bom senso.

2 A idéia fundamental é a de que estamos tentando nos comunicar com alguém que sabe menos sobre nosso trabalho, mesmo que seja nosso professor ou nosso superior numa empresa e, geralmente, o leitor vai tomar uma decisão baseado no conteúdo do relatório (uma avaliação na escola ou - até pode ser o caso - uma promoção, na empresa). Enfim, é preciso que nos preocupemos com o destinatário, por exemplo, construímos uma tabela e fazemos imediatamente a seguinte pergunta: "A tabela é clara? A informação flui facilmente para o leitor?". Resumo do conteúdo de cada tópico A seguir apresentamos algumas descrições gerais e breves do conteúdo de cada tópico do relatório acadêmico. Capa Simples e bem identificada. Título Não esqueça de identificar-se. Resumo Em poucas linhas, descreva a experiência e talvez o método experimental ou o aparelho empregado. Sempre, que possível, dê um resultado numérico da experiência. Seja breve. Introdução Coloque a motivação do trabalho, faça um resumo curto da teoria relevante e apresente as equações matemáticas e químicas importantes para facilitar o entendimento do relatório. Numere cada equação matemática e química na margem direita. Não faça diferença na numeração entre equação matemática e química, por exemplo: equação química (1) equação matemática (2) Apresentada a equação matemática dê a seguir o significado de cada símbolo empregado. Quando for a primeira vez que aparecem, no texto, termos técnicos ou parâmetros experimentais, escreva-os por extenso, e coloque a correspondente abreviação ou símbolo entre vírgulas ou parênteses. Feito isto pode-se escrever a abreviação ou o símbolo no decorrer do texto que o leitor já conhece o significado, como é mostrado no exemplo a seguir: "Inicialmente o gás se encontrava nas condições normais de temperatura e pressão, CNTP."...e mais adiante... "O volume do gás, V, medido nas CNTP tinha um valor muito próximo ao esperado para um gás ideal..." Se no final do relatório se percebe que há um grande número de abreviações e símbolos, o melhor a fazer é colocar todas as abreviações e símbolos num apêndice (que pode ter como título "Simbologia Empregada" ou simplesmente "Simbologia"). Seja original e breve. Não seja exibicionista, nem faça ostentação esnobe de seus conhecimentos. Lembre-se que a introdução serve de base para o leitor. Use o tempo verbal no presente. Desenvolvimento Experimental Descreva o aparelho, a pureza e purificação de reagentes, o método de análise química, como o sistema foi montado, quais foram às variáveis independentes e como foram

3 medidas e controladas. Aqui é apropriado colocar as curvas de calibração (se forem muitas as curvas de calibração é melhor passá-las para o apêndice). A apresentação é quase sempre cronológica e é escrita com o tempo verbal no passado. Resultados Nesta seção os resultados experimentais são apresentados e discutidos. Nunca inicie os parágrafos com tabelas ou figuras. Geralmente, inicia-se cada parágrafo apresentando uma tabela ou uma figura (como: "A figura 1 mostra a variação de P com T"), dá-se continuidade com a descrição dos resultados obtidos (por exemplo, se a curva da figura apresenta um máximo ou, no caso de uma tabela, uma frase do tipo "As medidas de densidade realizadas, tabela 2, apresentavam erros da ordem de 10%") e, se for possível, finaliza-se com a interpretação causa-efeito dos resultados experimentais. As tabelas e figuras devem entrar no texto de uma maneira lógica, de modo que a informação flua claramente para o leitor. O leitor não deve ser forçado a ficar virando a página de trás para frente para encontrar os dados citados. Numere de forma independente as tabelas e as figuras (por exemplo, tabela 1, tabela 2, figura 1, tabela 3,...). Apêndices Aqui é um bom lugar para colocar os programas de computador empregados ou as listas geradas no computador. Cada apêndice deve ter um número e um título. Referências Bibliográficas Apresente uma lista numerada das referências citadas no texto do relatório. Apresentando os dados No corpo do relatório temos tabelas e figuras com a finalidade de apresentar os dados obtidos. A seguir daremos algumas recomendações sobre estes componentes do relatório. Tabelas Não esqueça de colocar um número e um título ou legenda na tabela. O título deve ser informativo e deve descrever especificamente o conteúdo da tabela. Os títulos tal como "Dados Experimentais" ou "Pressões e Temperaturas" não são satisfatórios. Se possível, coloque no título informações sobre o sistema sob investigação e as condições experimentais; por exemplo, "A Pressão de Vapor de Soluções de Etanol de 30 a 50 oc." A fluência da informação numa tabela é de esquerda para direita e de cima para baixo. Os dados experimentais ficam nas colunas da esquerda, enquanto dados numéricos calculados ficam nas colunas à direita dos respectivos dados experimentais que geraram estes resultados. As variáveis devem ser definidas no texto do relatório antes da tabela. Freqüentemente a apresentação de alguma equação matemática que acaba servindo para gerar dados numéricos na tabela é feita na introdução. Assim sendo os parâmetros empregados na equação com seus respectivos símbolos foram apresentados anteriormente. Feito isto, geralmente, é suficiente encabeçar cada coluna com um símbolo (P, T, M), com a unidade separada por parênteses (P (atm), T (K), M (g/mol)) ou por uma barra (P/atm, T/K, M/g mol -1 ). O mesmo critério para indicar as unidades (parênteses ou barra) deve ser usado em todas as tabelas e figuras.

4 Os valores numéricos apresentados numa coluna deveram ficar alinhados com a mesma casa decimal (casa das unidades uma em baixo da outra, o mesmo para a casa dos décimos, centésimos, etc.). Um zero deve preceder a vírgula de fração decimal se o número é menor que um (por exemplo, 0,123). Se os números são muito grandes ou muito pequenos, todas as entradas numa coluna podem ser multiplicadas por uma potência apropriada de dez, como no exemplo: 10 3 P / atm 4,67 5,34 No exemplo apresentado, é freqüente que alunos tenham a seguinte dúvida: na primeira entrada o valor da pressão é 4, atm ou 4, atm? Aconselha-se nestes casos que se faça leitura como uma sentença matemática 10 3 P / atm = 4,67, portanto, P = 4, atm. Figuras De maneira mais eficiente que uma tabela, um gráfico serve para informar ao leitor de forma rápida a relação entre um parâmetro experimental (variável independente) e um valor calculado ou obtido experimentalmente (variável dependente). A variável independente deve ser representada ao longo do eixo horizontal (abscissa) e a variável dependente deve ser representada ao longo do eixo vertical (ordenada). Como as tabelas, os gráficos devem ter um número, independente da numeração das tabelas (mesmo que só exista um gráfico no relatório), e sua legenda correspondente. As legendas são colocadas, geralmente, sob o gráfico e devem descrever as condições experimentais. Portanto, uma legenda do tipo "P vs T" não é satisfatória, pois não diz o gás que foi empregado nem o volume ou a massa de gás, além disto, não esclarece se o valor de P foi obtido experimentalmente ou calculado. Enfim, são muitas as duvidas que o leitor pode ter com relação a uma legenda tão sucinta. A melhor legenda é aquela que junto com o gráfico forma um conjunto auto-explicativo, isto é, sem ler o texto o leitor consegue saber como uma determinada variável influencia o comportamento de uma outra determinada condição experimental. Além dos gráficos os relatórios podem conter fotografias, esquemas ou desenhos. Todas estas ilustrações, inclusive os gráficos, são chamadas de figuras, e todas elas possuem uma numeração e uma legenda. Para exemplificar como se faz a numeração das figuras apresenta-se um texto hipotético, onde se faz referência primeiro ao desenho de um aparelho e depois a um gráfico: "A montagem experimental (Fig. 1) consistia..." e mais adiante "Na figura 2 são apresentados os valores de...". Note que no exemplo chama-se o "gráfico" de "figura", isto é sempre assim, nunca é usada a palavra "gráfico" (tanto no texto como na legenda), a denominação correta é de "figura". Note, também, no exemplo que Fig. é a abreviação de figura. Para facilitar a leitura, sempre que possível, coloca-se a figura logo após a sua citação no texto, desse modo o leitor pode ler com fluência o relatório sem ter que parar a leitura para ficar procurando a referida figura. Sem receitas Escrever relatórios é uma arte, que serve para comunicar nosso trabalho e nossas idéias e, como toda arte, para dominá-la deve ser exercitada. Este artigo, portanto, não pretende ser uma "receita" e sim um guia breve de consulta, especialmente dirigido ao aluno

5 iniciante nesta arte. Para finalizar, vamos repetir um trecho, que consideramos especialmente importante: procure fazer relatórios "claros, concisos e exatos". Como fazer um relatório Depois de ter feito uma experiência ou pesquisa, você vai querer convencer outras pessoas das suas conclusões. O seu êxito depende de uma boa comunicação e além de talento de escrever é necessário seguir certos formatos padronizados para facilitar a compreensão do leitor. Um bom relatório depende de uma boa tomada de dados. Procure organizar-se de maneira a anotar durante a prática todas as informações relevantes de uma forma inteligível posteriormente. Use um caderno apropriado para essas anotações, ao invés de usar folhas avulsas. No relatório você vai descrever, nas suas palavras, a experiência efetuada, justificar o procedimento escolhido, apresentar os dados medidos e finalmente os resultados e conclusões. Para organizar o relatório, pode dividi-lo em várias partes. Por exemplo: Introdução Resumo teórico para situar a experiência. Exposição dos conceitos teóricos que vai usar. Referencias a literatura pertinente (Livros texto, livros de referencia, internet, etc.) Objetivos Descrição sucinta do que se pretende obter da experiência. Equipamento Descrição do equipamento e/ou diagrama do arranjo experimental. Procedimento Experimental Descrição do procedimento seguido em aula. Isto é, descrever o que você fez, não necessariamente o procedimento proposto, justificando e discutindo a escolha. Avaliação ou estimativa dos erros nos dados devido aos aparelhos e procedimentos usados. Dados Experimentais e Análise Apresentação dos dados coletados, através de tabelas, gráficos etc. Tratamento dos dados brutos (usando algum modelo teórico), chegando a valores finais, junto com a avaliação final do erro. Não é necessário e nem deve ser indicada cada conta efetuada. Mas, deve ficar claro como chegou ao resultado. Conclusões Discussão dos resultados obtidos. Sempre que possível, comparar os resultados com os conhecidos ou esperados teoricamente. Se usar vários métodos, comparar esses métodos. Para experiências simples, os itens Introdução e Objetivos podem muito bem ser tratados em uma única seção. Da mesma maneira, poderia juntar a descrição do equipamento com o procedimento experimental. Em todos os itens, pode e deve se referir aos livros textos, a sites na internet e à própria guia da experiência. No curso de laboratório de física do IFRJ, não vamos fazer relatórios completos, vamos optar por um relatório simples. Para cada experiência, dividiremos o relatório em

6 introdução, experimento e conclusão, mas sem esquecer-se da Bibliografia. Um fator importante é a descrição, como obteve os seus resultados, a apresentação dos resultados (por meio de tabelas e gráficos) de maneira que convença o seu professor das suas conclusões. Dessa forma vai indicar quanta confiança tem nos seus resultados e conclusões. Mais alguns detalhes para se lembrar durante a confecção do relatório: Unidades para cada grandeza Avaliação de erros nas suas medidas e propagar estas nos resultados finais Legendas das figuras Numerar as figuras e gráficos e se referir a eles no texto Mencionar a data da realização da experiência Referencias e aspas : Nunca use frases de outras fontes sem atribuição. Formatação O relatório deve ser escrito no formato Times New Roman ou Arial tamanho 12; O papel adotado deverá ser padrão A4 branco. As margens do texto em relação às bordas do papel devem ser: superior 3cm, inferior 2cm, direita 2cm e esquerda 2,5cm Espaçamento 1,5 entre linhas, e 6 entre parágrafos Número da página: Localização: no canto superior direito, a 2cm da borda superior e também a 2cm da borda direita Em algarismos arábicos apenas as páginas de elementos textuais Redação Rever o texto Escrever de forma impessoal (recomenda-se a 3ª pessoa do singular) Usar vocabulário claro Usar frases curtas para facilitar o entendimento Construir as frases em ordem direta (sujeito, verbo, complementos) Observar os tempos dos verbos (presente-passado) Observar a pontuação Pontuação: 10 pontos por relatório Apresentação (1 pontos) Introdução (1,5 pontos) Experimento ou Descrição Experimental (2,5 pontos) Discussão e Conclusão (5 pontos) Bibliografia (-2 se estiver ausente)

1 Apresentação 2 Formatação do texto Papel: Margens: Tipo de Letra: Tamanho da fonte: Espaço entre as linhas:

1 Apresentação 2 Formatação do texto Papel: Margens: Tipo de Letra: Tamanho da fonte: Espaço entre as linhas: 1 2 1 Apresentação Este documento tem por objetivo apresentar orientações para a redação e formatação do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) na modalidade de Artigo Científico. Para a elaboração do artigo

Leia mais

ARTIGOS CIENTÍFICOS. MANUAL DE NORMAS FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DO CENTRO DO PARANÁ - UCP PITANGA/PR biblioteca@ucpparana.edu.

ARTIGOS CIENTÍFICOS. MANUAL DE NORMAS FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DO CENTRO DO PARANÁ - UCP PITANGA/PR biblioteca@ucpparana.edu. ARTIGOS CIENTÍFICOS Segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas, Artigo científico é parte de uma publicação com autoria declarada, que apresenta e discute idéias, métodos, técnicas, processos e

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora Departamento de Nutrição Curso de Nutrição MANUAL DE RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS

Universidade Federal de Juiz de Fora Departamento de Nutrição Curso de Nutrição MANUAL DE RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS Universidade Federal de Juiz de Fora 0 MANUAL DE RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS Professores: Renato Moreira Nunes Cristiane Gonçalves de Oliveira Fialho Paulo Henrique Fonseca da Silva Renata Maria Souza

Leia mais

MODELO PARA ELABORAÇÃO E FORMATAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO SÃO CAMILO - ES

MODELO PARA ELABORAÇÃO E FORMATAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO SÃO CAMILO - ES 1 MODELO PARA ELABORAÇÃO E FORMATAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO SÃO CAMILO - ES Primeiro Autor (aluno) e-mail Formação Segundo Autor (aluno) e-mail Formação Professor Orientador e-mail

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA - IFSC CURSO DE XXXX - XXX NOME

INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA - IFSC CURSO DE XXXX - XXX NOME 0 INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA - IFSC CURSO DE XXXX - XXX NOME Nome do (s) autor (s). Se tiver mais de um autor, inserir os nomes em ordem alfabética. NBR 10719: apresentação de relatórios técnico-científicos

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E ORGANIZA- ÇÃO DO TRABALHO CIENTÍFICO. META Descrever como proceder para melhor elaborar e organizar um trabalho científico.

DESENVOLVIMENTO E ORGANIZA- ÇÃO DO TRABALHO CIENTÍFICO. META Descrever como proceder para melhor elaborar e organizar um trabalho científico. DESENVOLVIMENTO E ORGANIZA- ÇÃO DO TRABALHO CIENTÍFICO Aula 3 META Descrever como proceder para melhor elaborar e organizar um trabalho científico. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno(a) deverá: ler

Leia mais

PASSO-A-PASSO PARA DESENVOLVER E REDIGIR UM ARTIGO CIENTÍFICO

PASSO-A-PASSO PARA DESENVOLVER E REDIGIR UM ARTIGO CIENTÍFICO CURSO DE PEDAGOGIA EaD PASSO-A-PASSO PARA DESENVOLVER E REDIGIR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1. CARACTERÍSTICAS E CONCEITUAÇÃO Este texto trata a respeito das Normas da ABNT com a finalidade de orientar os acadêmicos

Leia mais

Faculdade de Alta Floresta (FAF) Programa de Iniciação Científica MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

Faculdade de Alta Floresta (FAF) Programa de Iniciação Científica MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Faculdade de Alta Floresta (FAF) Programa de Iniciação Científica MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Alta Floresta-MT 2015 Programa de Iniciação Científica MANUAL DE NORMAS PARA

Leia mais

Tópico 4. Como Elaborar um Relatório e Apresentar os Resultados Experimentais

Tópico 4. Como Elaborar um Relatório e Apresentar os Resultados Experimentais Tópico 4. Como Elaborar um Relatório e Apresentar os Resultados Experimentais 4.1. Confecção de um Relatório 4.1.1. Organização do relatório Um relatório é uma descrição detalhada, clara e objetiva de

Leia mais

AÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE ARTIGO TEXTO RETIRADO E ADAPTADO DO MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE.

AÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE ARTIGO TEXTO RETIRADO E ADAPTADO DO MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE. AÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE ARTIGO TEXTO RETIRADO E ADAPTADO DO MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE. CANOAS/2014 A estrutura deste manual foi elaborada com base

Leia mais

ASPECTOS NORMATIVOS E TIPOGRÁFICOS DO ARTIGO CIENTÍFICO baseados na NBR 6022, 2003

ASPECTOS NORMATIVOS E TIPOGRÁFICOS DO ARTIGO CIENTÍFICO baseados na NBR 6022, 2003 FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DOM BOSCO CORNÉLIO PROCÓPIO - PR ASPECTOS NORMATIVOS E TIPOGRÁFICOS DO ARTIGO CIENTÍFICO baseados na NBR 6022, 2003 1 INTRODUÇÃO As orientações aqui apresentadas são baseadas

Leia mais

Aula 8 ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA. Weverton Santos de Jesus João Paulo Mendonça Lima

Aula 8 ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA. Weverton Santos de Jesus João Paulo Mendonça Lima Aula 8 ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA META Apresentar e descrever a construção de um projeto de pesquisa e seus elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais; OBJETIVOS Ao fi nal desta aula, o aluno

Leia mais

BC1707 BC1707 Métodos Experimentais em Engenharia Métodos Experimentais Material do curso Roteiro

BC1707 BC1707 Métodos Experimentais em Engenharia Métodos Experimentais Material do curso Roteiro Material do curso O curso é composto de 5 experimentos com respectivos projetos. Cada experimento é descrito em seu Roteiro. O site da disciplina i : https://sites.google.com/site/ufabcmeebc1707/ conterá:

Leia mais

ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas)

ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) Um resumo das normas Este resumo é indicado, principalmente, para quem for escrever um trabalho científico. Como a própria ABNT diz, ao introduzir o texto

Leia mais

Guia para apresentação do trabalho acadêmico:

Guia para apresentação do trabalho acadêmico: BIBLIOTECA COMUNITÁRIA Guia para apresentação do trabalho acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011 São Carlos 2011 Guia para apresentação do trabalho acadêmico As orientações abaixo são de acordo com NBR

Leia mais

Guia para apresentação do trabalho acadêmico:

Guia para apresentação do trabalho acadêmico: BIBLIOTECA COMUNITÁRIA Guia para apresentação do trabalho acadêmico: de acordo com NBR 14724/2005 São Carlos 2010 Guia para apresentação do trabalho acadêmico As orientações abaixo são de acordo com a

Leia mais

Programa de Pós-graduação em Biofotônica Aplicada às Ciências da Saúde Universidade Nove de Julho - UNINOVE

Programa de Pós-graduação em Biofotônica Aplicada às Ciências da Saúde Universidade Nove de Julho - UNINOVE Programa de Pós-graduação em Biofotônica Aplicada às Ciências da Saúde Universidade Nove de Julho - UNINOVE Normas para Redação de Dissertações/Teses 1. Estrutura A estrutura de uma dissertação, tese ou

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PAPER NO ACOMPANHAMENTO ESPECIAL DE TODAS AS DISCIPLINAS

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PAPER NO ACOMPANHAMENTO ESPECIAL DE TODAS AS DISCIPLINAS 1 ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PAPER NO ACOMPANHAMENTO ESPECIAL DE TODAS AS DISCIPLINAS APRESENTAÇÃO Esse documento é dirigido aos docentes e discentes da Fesp Faculdades com a finalidade de adotar normas

Leia mais

NORMAS ABNT- UFF - março de 2015 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

NORMAS ABNT- UFF - março de 2015 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE TURISMO 1 NORMAS ABNT- UFF - março de 2015 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Conforme estabelecido pela ABNT - NBR 14724:2011 Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação As informações

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA ELABORAÇÃO

RECOMENDAÇÕES PARA ELABORAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS RECOMENDAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES REVISADO EM SETEMBRO DE 2011 DE ACORDO COM RESOLUÇÃO

Leia mais

DE ARTIGO CIENTÍFICO

DE ARTIGO CIENTÍFICO CURSOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL, TURISMO, DIREITO E PÓS-GRADUAÇÃO Maria Paulina Gomes Maria Paulina Gomes Manual elaborado para orientar os alunos que estão realizando a disciplina Trabalho de Conclusão

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA Considera-se projeto de pesquisa um plano ou uma orientação metódica acerca dos passos que devem ser executados na pesquisa de forma concreta, atendendo a

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI MODELO PARA REDAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA DISCIPLINA: MÉTODO DE PESQUISA QUANTITATIVA PROFA. Dra. MARINA BANDEIRA, Ph.D. MARÇO 2014 1 MODELO PARA REDAÇÃO DOS TRABALHOS

Leia mais

MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO FORMATAÇÃO GERAL DO TEXTO Margens: o Superior e esquerda: 3,0 cm o Inferior e direita: 2,5 cm. Papel A4- cor branca Fonte para itens: Arial tamanho 12 com

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS DE ESTÁGIO

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS DE ESTÁGIO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO CAMPUS UBERABA - MG NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS DE ESTÁGIO UBERABA-MG 2010 SUMÁRIO

Leia mais

MODELO PARA ELABORAÇÃO E FORMATAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

MODELO PARA ELABORAÇÃO E FORMATAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS MODELO PARA ELABORAÇÃO E FORMATAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Nome(s) do(s) autor(es) em ordem alfabética E-mail(s) Professor(a)orientador(a) Resumo Este documento apresenta o modelo de elaboração e formatação

Leia mais

Roteiro para Elaboração de Relatório de Aulas Práticas, Visitas técnicas e Trabalhos Acadêmicos

Roteiro para Elaboração de Relatório de Aulas Práticas, Visitas técnicas e Trabalhos Acadêmicos UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE SÃO LUIS DE MONTES BELOS TECNOLOGIA EM LATICÍNIOS Roteiro para Elaboração de Relatório de Aulas Práticas, Visitas técnicas e Trabalhos Acadêmicos

Leia mais

PIM V. Projeto Integrado Multidisciplinar

PIM V. Projeto Integrado Multidisciplinar PIM V Projeto Integrado Multidisciplinar PIM V - PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Propor a aplicação dos conhecimentos adquiridos nas disciplinas do semestre no funcionamento dos sistemas de Saúde

Leia mais

Orientações para Mostra Científica IV MOSTRA CIENTÍFICA 2014 COLÉGIO JOÃO PAULO I

Orientações para Mostra Científica IV MOSTRA CIENTÍFICA 2014 COLÉGIO JOÃO PAULO I Orientações para Mostra Científica IV MOSTRA CIENTÍFICA 2014 COLÉGIO JOÃO PAULO I Tema VIDA EFICIENTE: A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA A SERVIÇO DO PLANETA Cronograma Orientações Pré-projeto Metodologia Relatório

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DOS TEXTOS COMPLETOS Luciane de Paula (Presidente da Comissão Editorial)

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DOS TEXTOS COMPLETOS Luciane de Paula (Presidente da Comissão Editorial) NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DOS TEXTOS COMPLETOS Luciane de Paula (Presidente da Comissão Editorial) Informações gerais A Revista de Estudos Discursivos, gerada a partir das comunicações apresentadas no interior

Leia mais

Roteiro de Normas Técnicas para apresentação de trabalhos acadêmicos, dissertações, teses e monografias Rede Gonzaga de Ensino Superior

Roteiro de Normas Técnicas para apresentação de trabalhos acadêmicos, dissertações, teses e monografias Rede Gonzaga de Ensino Superior Objetivo: As normas da ABNT tem o objetivo de facilitar e determinar um padrão nos trabalhos, facilitando assim a avaliação das escolas e universidades, dentro de um mesmo parâmetro de apresentação. Elas

Leia mais

MARIA BERNADETE MIRANDA

MARIA BERNADETE MIRANDA MARIA BERNADETE MIRANDA Trabalhos Acadêmicos segundo a ABNT-NBR 14724:2002 NORMALIZAÇÃO DOCUMENTÁRIA! Referências! Citações em documentos! Trabalhos Acadêmicos ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS!

Leia mais

A SEGUIR ALGUMAS DICAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE UM PROJETO CIENTÍFICO

A SEGUIR ALGUMAS DICAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE UM PROJETO CIENTÍFICO A SEGUIR ALGUMAS DICAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE UM PROJETO CIENTÍFICO DESENVOLVENDO UM PROJETO 1. Pense em um tema de seu interesse ou um problema que você gostaria de resolver. 2. Obtenha um caderno

Leia mais

Aula 4 O PROJETO DE PESQUISA. Gláucia da Conceição Lima Glauber Santana de Sousa

Aula 4 O PROJETO DE PESQUISA. Gláucia da Conceição Lima Glauber Santana de Sousa Aula 4 O PROJETO DE PESQUISA META Apresentar as etapas de elaboração de um projeto de pesquisa. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: defi nir projeto de pesquisa; identifi car a importância da

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Gestão da Tecnologia da Informação 1ª. Série Estratégia em Tecnologia da Informação A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de

Leia mais

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS Estas regras são aplicadas a todos os Trabalhos acadêmicos ou similares (trabalho de conclusão de curso (TCC), trabalho de graduação interdisciplinar,

Leia mais

RECURSOS HUMANOS PIM IV. Projeto Integrado Multidisciplinar

RECURSOS HUMANOS PIM IV. Projeto Integrado Multidisciplinar RECURSOS HUMANOS PIM IV Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Descrever o papel da área de Recursos Humanos em termos de seu significado e importância no alcance

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DO ARTIGO

CLASSIFICAÇÃO DO ARTIGO CLASSIFICAÇÃO DO ARTIGO Dinâmica da aula - Apresentação do conceito de produtividade (15 min) -Explicação da dinâmica da aula (5 min) -Acesso ao texto por parte dos Espara leitura (5 min) - Explicação

Leia mais

ESTRUTURA DO ARTIGO CIENTÍFICO

ESTRUTURA DO ARTIGO CIENTÍFICO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ COLEGIADO DE LETRAS: EAD/UAB/UESC PROFª MSC. RITA LÍRIO DE OLIVEIRA ESTRUTURA DO ARTIGO CIENTÍFICO ITABUNA - BAHIA 2013 PROFª MSC. RITA LÍRIO DE OLIVEIRA ESTRUTURA DO

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL VALE DO SÃO FRANCISCO ESCOLA SUPERIOR EM MEIO AMBIENTE

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL VALE DO SÃO FRANCISCO ESCOLA SUPERIOR EM MEIO AMBIENTE FUNDAÇÃO EDUCACIONAL VALE DO SÃO FRANCISCO ESCOLA SUPERIOR EM MEIO AMBIENTE NORMAS DE APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA (laboratório ou campo) E VISITAS TÉCNICAS. IGUATAMA-MG 2010 2 Atualizada

Leia mais

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DA VERSÃO DEFINITIVA DA DISSERTAÇÃO NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DA VERSÃO DEFINITIVA DA DISSERTAÇÃO NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DA VERSÃO DEFINITIVA DA DISSERTAÇÃO NO 1. VERSÃO FINAL O original da versão final da Dissertação deverá ser entregue pelo aluno a Coordenação do Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

Revista Cultivando o Saber

Revista Cultivando o Saber 1 FACULDADE ASSIS GURGACZ-FAG Cascavel - PR. Revista Cultivando o Saber INSTRUÇÕES PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS NA REVISTA CULTIVANDO O SABER Os trabalhos enviados à Revista Cultivando o Saber devem ser

Leia mais

A estrutura de um trabalho, de acordo com a ABNT/NBR-14724, compreende três elementos: Pré textuais, Textuais Pós textuais.

A estrutura de um trabalho, de acordo com a ABNT/NBR-14724, compreende três elementos: Pré textuais, Textuais Pós textuais. APRESENTAÇÃO Para ficar claro, é necessário fazer distinções entre padrões e normas, já que normas da ABNT são constituídas de regras a serem seguidas, objetivando a qualidade em produções científicas,

Leia mais

MANUAL PARA NORMATIZAÇÃO - TCC

MANUAL PARA NORMATIZAÇÃO - TCC Etec de Esportes Curt Walter Otto Baumgart Biblioteca da Etec de Esportes Curt Walter Otto Baumgart MANUAL PARA NORMATIZAÇÃO - TCC São Paulo, 2014 ii FORMATO DO TCC Tamanho do papel: A4 (21 cm 29,7 cm);

Leia mais

RECURSOS HUMANOS PIM III. Projeto Integrado Multidisciplinar

RECURSOS HUMANOS PIM III. Projeto Integrado Multidisciplinar RECURSOS HUMANOS PIM III Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Descrever o papel da área de Recursos Humanos em termos de seu significado e importância no alcance

Leia mais

Normas ABNT para Trabalhos

Normas ABNT para Trabalhos Normas ABNT para Trabalhos CAPA: Nome da Instituição: fonte tamanho 12 e centralizado. Nome dos autores: fonte tamanho 12, centralizado em ordem alfabética. Título: fonte tamanho 14 em negrito e centralizado.

Leia mais

MODELO PARA FORMATAÇÃO DE ARTIGO PARA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE LINS PROF. ANTÔNIO SEABRA

MODELO PARA FORMATAÇÃO DE ARTIGO PARA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE LINS PROF. ANTÔNIO SEABRA MODELO PARA FORMATAÇÃO DE ARTIGO PARA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE LINS PROF. ANTÔNIO SEABRA Primeiro autor 1, Segundo autor 2 Orientador 3 1,2 Acadêmicos do Curso de... da Faculdade de Tecnologia de Lins

Leia mais

CAPA FACULDADE DE TEOLOGIA INTEGRADA NOME DO ALUNO (OU EQUIPE) Título do Projeto

CAPA FACULDADE DE TEOLOGIA INTEGRADA NOME DO ALUNO (OU EQUIPE) Título do Projeto CAPA FACULDADE DE TEOLOGIA INTEGRADA NOME DO ALUNO (OU EQUIPE) Título do Projeto IGARASSU 2012 (Folha de rosto - modelo) 2 cm. NOME DO ALUNO Nome do(s) aluno(s) - centralizado e em letras maiúsculas Título

Leia mais

LIBREOFFICE WRITER VERSÃO 08.2012 DE TRABALHOS CIENTÍFICOS UTILIZANDO O

LIBREOFFICE WRITER VERSÃO 08.2012 DE TRABALHOS CIENTÍFICOS UTILIZANDO O UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS - PRH DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS - DRH DIVISÃO DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO - TDE FORMATAÇÃO DE TRABALHOS

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO (TCC)

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO (TCC) DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO (TCC) RIO DE JANEIRO 2009 2 APRESENTAÇÃO Estas diretrizes têm por objetivo padronizar a apresentação dos Trabalhos

Leia mais

REVISTA DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REVISTA DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REVISTA DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO INSTRUÇÕES AOS AUTORES 1 GERAIS: Originais: Os artigos devem ser enviados exclusivamente por meio eletrônico para o endereço: revistainnovare@cescage.edu.br - Revista

Leia mais

SEMINÁRIO . ORGANIZAÇÃO DO SEMINÁRIO.

SEMINÁRIO . ORGANIZAÇÃO DO SEMINÁRIO. SEMINÁRIO Seminário é um grupo de pessoas que se reúnem com o propósito de estudar um tema sob a direção de um professor ou autoridade na matéria. O nome desta técnica vem da palavra semente, indicando

Leia mais

FACULDADES SÃO JOSÉ NOME DO AUTOR TÍTULO DO PROJETO

FACULDADES SÃO JOSÉ NOME DO AUTOR TÍTULO DO PROJETO FACULDADES SÃO JOSÉ NOME DO AUTOR TÍTULO DO PROJETO Rio de Janeiro 2007 NOME DO AUTOR TÍTULO DO PROJETO Projeto de pesquisa apresentado para a Programa de Iniciação à Pesquisa das FSJ, ou para elaboração

Leia mais

Apresentação de Dados em Tabelas e Gráficos

Apresentação de Dados em Tabelas e Gráficos Apresentação de Dados em Tabelas e Gráficos Os dados devem ser apresentados em tabelas construídas de acordo com as normas técnicas ditadas pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Leia mais

Escola SENAI Jose Polizotto. Biblioteca - Escola SENAI Jose Polizotto. Manual para elaboração de trabalhos. acadêmicos

Escola SENAI Jose Polizotto. Biblioteca - Escola SENAI Jose Polizotto. Manual para elaboração de trabalhos. acadêmicos Escola SENAI Jose Polizotto Biblioteca - Escola SENAI Jose Polizotto Manual para elaboração de trabalhos acadêmicos Marília 2008 Biblioteca - Escola SENAI José Polizotto Manual para elaboração de trabalhos

Leia mais

Regulamento Específico para os Estágios Supervisionados do Curso de Licenciatura em Geografia a Distância

Regulamento Específico para os Estágios Supervisionados do Curso de Licenciatura em Geografia a Distância Regulamento Específico para os Estágios Supervisionados do Curso de Licenciatura em Geografia a Distância As disciplinas Estágio Supervisionado I e II, devendo perfazer o total de 200 (duzentas) horas

Leia mais

Algumas observações pertinentes sobre os elementos obrigatórios:

Algumas observações pertinentes sobre os elementos obrigatórios: CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA INSTITUTO DE COMUNICAÇÃO E ARTES Roteiro para Elaboração do Projeto de TCC Um trabalho de conclusão de curso (em qualquer modalidade) tem início com a elaboração de seu projeto.

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE UNIÃO DA VITÓRIA - UNIUV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO MARIO DE SOUZA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS: MODELO TRABALHO COMPLETO

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE UNIÃO DA VITÓRIA - UNIUV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO MARIO DE SOUZA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS: MODELO TRABALHO COMPLETO - capa A capa é a proteção externa do trabalho, padronizada. CENTRO UNIVERSITÁRIO DE UNIÃO DA VITÓRIA - UNIUV Nome do curso TODO O TRABALHO: Os textos devem ser apresentados em papel branco (sem marca

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DE AULA

DOCUMENTAÇÃO DE AULA DOCUMENTAÇÃO DE AULA L.F./2001 (revisão) A importância da documentação de uma aula prática dispensa comentários. Basta lembrar que uma aula de laboratório é um evento singular, no qual o aluno defronta-se

Leia mais

Compreendendo o espaço

Compreendendo o espaço Módulo 1 Unidade 2 Compreendendo o espaço Para início de conversa... A forma como você se locomove na cidade para ir de um lugar a outro tem a ver com as direções que você toma e com o sentido para o qual

Leia mais

Laboratório de Física I - EAD- UESC 2011

Laboratório de Física I - EAD- UESC 2011 Laboratório de Física I - EAD- UESC 011 Equipe: 1. Nome:.... Nome:... 3. Nome:... Pólo:... Data:... Experiência três: CONSERVAÇÃO DA ENERGIA Relatório Programado: Guia para tomada e análise de dados Prazo:

Leia mais

Formulários de dados e Tabelas dinâmicas. Prof. Laércio Juarez Melz

Formulários de dados e Tabelas dinâmicas. Prof. Laércio Juarez Melz Formulários de dados e Tabelas dinâmicas Prof. Laércio Juarez Melz Formulário de Dados? É o instrumento que serve para coletar dados. Pode ser impresso ou on-line. Vamos focar no on-line. Como fazer? Existem

Leia mais

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios.

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios Caro (a) aluno (a), Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. O Plano de Negócios deverá ter no máximo

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA OS AUTORES DOS ARTIGOS: ATENDE AS NORMAS DA ABNT

INSTRUÇÕES PARA OS AUTORES DOS ARTIGOS: ATENDE AS NORMAS DA ABNT INSTRUÇÕES PARA OS AUTORES DOS ARTIGOS: ATENDE AS NORMAS DA ABNT Janete Ribeiro Loureiro * Mestre em Educação RESUMO Estas instruções descrevem o estilo a ser usado na elaboração de artigos para publicação

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS PIM III Projeto Integrado Multidisciplinar 2009 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Identificar, analisar e propor

Leia mais

CURSO COMPLETO DE PROJETO DE MÓVEIS

CURSO COMPLETO DE PROJETO DE MÓVEIS CURSO COMPLETO DE PROJETO DE MÓVEIS Módulo 05 Projeto de Móveis CURSO COMPLETO DE PROJETO DE MÓVEIS MÓDULO 05 Aula 03 Assuntos a serem abordados: 04. Desenhos que Compõem um Projeto de Detalhamento de

Leia mais

NORMALIZAÇÃO PARA RELATÓRIOS TÉCNICOS VERSÃO RESUMIDA

NORMALIZAÇÃO PARA RELATÓRIOS TÉCNICOS VERSÃO RESUMIDA NORMALIZAÇÃO PARA RELATÓRIOS TÉCNICOS VERSÃO RESUMIDA PADRÃO CESBOC ABNT 2015 O QUE É ABNT? Fundada em 1940, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o Órgão responsável pela normalização técnica

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Bacharelado em Sistemas de Informação Trabalho de Diplomação

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Bacharelado em Sistemas de Informação Trabalho de Diplomação Caros alunos e orientadores de conteúdo e acadêmico, Este documento ilustra quais capítulos devemos possuir na monografia de (no mínimo), e o que cada um contempla. O formato deverá ser o utilizado pela

Leia mais

Journal of Transport Literature

Journal of Transport Literature JTL RELIT www.transport-literature.org ISSN 2238-1031 Journal of Transport Literature JTL Regras de formatação de Artigos 1. Aspectos Gerais Todos os artigos devem ser acompanhados do preenchimento de

Leia mais

ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA

ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA A primeira etapa para a organização do TCC nos cursos de pós-graduação lato sensu a distância consiste na elaboração do projeto de pesquisa,

Leia mais

Design Pedagógico. Módulo: O Modelo Atômico de Bohr

Design Pedagógico. Módulo: O Modelo Atômico de Bohr Design Pedagógico Módulo: O Modelo Atômico de Bohr 1. ESCOLHA DO TÓPICO 1.1. O que um aluno entre 14 e 18 anos acharia de interessante neste tópico? Que aplicações / exemplos do mundo real podem ser utilizados

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO. Declaro que li e concordo com os termos constantes no Regulameno Geral.

FICHA DE INSCRIÇÃO. Declaro que li e concordo com os termos constantes no Regulameno Geral. FICHA DE INSCRIÇÃO NOME DO AUTOR: ID CRC ENDEREÇO DO AUTOR: CIDADE: RG: CO-AUTOR (ES) 1 2 3 ESTADO: TELEFONE: Declaro que li e concordo com os termos constantes no Regulameno Geral. (Estado), de de 2015.

Leia mais

Regras e Normas Modelo de Resumo e de Banner XIV Semana da Engenharia e XIV SINCAL

Regras e Normas Modelo de Resumo e de Banner XIV Semana da Engenharia e XIV SINCAL Modelo de Resumo Configuração de página: Regras e Normas Modelo de Resumo e de Banner XIV Semana da Engenharia e XIV SINCAL Tamanho: A4 (210x297mm); Margens: 3 cm à esquerda e superior e 2 cm à direita

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO DA SMS-RIO

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO DA SMS-RIO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO DA SMS-RIO Nome do aluno (apenas as letras iniciais em maiúscula) - Arial 12, sem negrito Título em arial 14, espaçamento 1,5, apenas a primeira letra em caixa alta, negrito

Leia mais

Noções básicas de como escrever um relatório científico

Noções básicas de como escrever um relatório científico Noções básicas de como escrever um relatório científico O objetivo deste manuscrito é fornecer aos alunos iniciantes no curso de física experimental da Universidade Estadual do Norte Fluminense, algumas

Leia mais

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e NORMAS PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (Conforme as Normas Técnicas da ABNT)

GUIA PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (Conforme as Normas Técnicas da ABNT) GUIA PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (Conforme as Normas Técnicas da ABNT) Maceió 2011 1 TIPOS DE TRABALHOS CIENTÍFICOS Na academia de ensino superior podemos encontrar os seguintes tipos de trabalhos:

Leia mais

MANUAL DE ELABORAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO E TESE

MANUAL DE ELABORAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO E TESE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO E MEIO AMBIENTE MANUAL DE ELABORAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO E

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA Atualizada em julho de 2011 A maior parte das Monografias

Leia mais

Computadores XII: Aprendendo a Somar A4 Texto 3

Computadores XII: Aprendendo a Somar A4 Texto 3 Computadores XII: Aprendendo a Somar A4 Texto 3 http://www.bpiropo.com.br/fpc20051017.htm Sítio Fórum PCs /Colunas Coluna: B. Piropo Publicada em 17/10/2005 Autor: B.Piropo Na coluna anterior, < http://www.forumpcs.com.br/viewtopic.php?t=131250

Leia mais

CENTRO PAULA SOUZA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE FRANCA. Dr. THOMAZ NOVELINO DIGITE NOME. TÍTULO (DIGITE: TEXTO FORMATADO) Subtítulo (use se necessário)

CENTRO PAULA SOUZA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE FRANCA. Dr. THOMAZ NOVELINO DIGITE NOME. TÍTULO (DIGITE: TEXTO FORMATADO) Subtítulo (use se necessário) CENTRO PAULA SOUZA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE FRANCA Dr. THOMAZ NOVELINO FORMATO DA FOLHA A4(21 CM X29,7 CM) ESPAÇAMENTO 1,5 MARGEM: SUPERIOR E ESQUERDA- 3 CM INFERIOR E DIREITA - 2 CM [f1] Comentário:

Leia mais

VIII JORNADA DE NUTRIÇÃO PREVENÇÃO E QUALIDADE DE VIDA VII ENCONTRO DE PESQUISA CIENTÍFICA EM NUTRIÇÃO II MOSTRA DE FOTOGRAFIAS DO CURSO DE NUTRIÇÃO

VIII JORNADA DE NUTRIÇÃO PREVENÇÃO E QUALIDADE DE VIDA VII ENCONTRO DE PESQUISA CIENTÍFICA EM NUTRIÇÃO II MOSTRA DE FOTOGRAFIAS DO CURSO DE NUTRIÇÃO VIII JORNADA DE NUTRIÇÃO PREVENÇÃO E QUALIDADE DE VIDA VII ENCONTRO DE PESQUISA CIENTÍFICA EM NUTRIÇÃO II MOSTRA DE FOTOGRAFIAS DO CURSO DE NUTRIÇÃO 31 de agosto a 04 de setembro de 2015 URI - Erechim

Leia mais

ORIENTAÇÕES E NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC

ORIENTAÇÕES E NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC ORIENTAÇÕES E NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC Escola Técnica Estadual Profº Massuyuki Kawano 2 Introdução O Trabalho de Conclusão de Curso TCC é requisito essencial e obrigatório

Leia mais

Título do trabalho: subtítulo do trabalho

Título do trabalho: subtítulo do trabalho Título do trabalho: subtítulo do trabalho Resumo Este documento apresenta um modelo de formatação a ser utilizado em artigos e tem como objetivo esclarecer aos autores o formato a ser utilizado. Este documento

Leia mais

Manual de identidade LINHA PROFISSIONAL

Manual de identidade LINHA PROFISSIONAL Índice Proporções do logotipo Manual de identidade LINHA PROFISSIONAL A Black & Decker desenvolveu este guia para manter o padrão visual na comunicação da LINHA PROFISSIONAL. Nela você encontrará os elementos

Leia mais

NORMAS PARA RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA DO CURSO DE QUÍMICA GERAL EXPERIMENTAL

NORMAS PARA RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA DO CURSO DE QUÍMICA GERAL EXPERIMENTAL NORMAS PARA RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA DO CURSO DE QUÍMICA GERAL EXPERIMENTAL Aulas práticas realizadas em laboratório geralmente incluem a elaboração de um relatório descrevendo a observação ou o experimento

Leia mais

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu. Ciências da Saúde. Universidade São Francisco

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu. Ciências da Saúde. Universidade São Francisco Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Ciências da Saúde Universidade São Francisco Manual de Orientação de Teses e Dissertações Bragança Paulista 2009 SUMÁRIO I. Apresentação... 1 II. Estrutura do trabalho

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO ACADÊMICO DE CONCLUSÃO DE CURSO. FORMATO ARTIGO CIENTÍFICO (com base na ABNT NBR 6022)

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO ACADÊMICO DE CONCLUSÃO DE CURSO. FORMATO ARTIGO CIENTÍFICO (com base na ABNT NBR 6022) UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE BACHARELADO EM ENFERMAGEM Coordenação do TCC de Enfermagem BACHARELADO EM FISIOTERAPIA Coordenação do TCC de Fisioterapia NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO ACADÊMICO

Leia mais

ESTRUTURA E ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO TCC - UNICURITIBA. Profª Dra.Maria do Carmo Marcondes Brandão Rolim

ESTRUTURA E ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO TCC - UNICURITIBA. Profª Dra.Maria do Carmo Marcondes Brandão Rolim ESTRUTURA E ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO TCC - UNICURITIBA Profª Dra.Maria do Carmo Marcondes Brandão Rolim O QUE É UM ARTIGO CIENTÍFICO A NBR 6022 da ABNT define artigo como: texto com autoria declarada,

Leia mais

EDITAL 03/2015 REVISTA PESQUISA & EXTENSÃO FACIT

EDITAL 03/2015 REVISTA PESQUISA & EXTENSÃO FACIT EDITAL 03/2015 REVISTA PESQUISA & EXTENSÃO FACIT A Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros (FACIT), por intermédio da Coordenação de Pesquisa, TORNA PÚBLICO a todos os interessados que está

Leia mais

PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO CIENTÍFICO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROCESSO

PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO CIENTÍFICO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROCESSO MANUAL DE NORMAS TÉCNICAS 1 PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO CIENTÍFICO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROCESSO PENAL IBCCRIM-COIMBRA, REALIZADO PELO INSTITUTO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS CRIMINAIS (IBCCRIM)

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE AGRONOMIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GENÉTICA E MELHORAMENTO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE AGRONOMIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GENÉTICA E MELHORAMENTO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE AGRONOMIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GENÉTICA E MELHORAMENTO ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA PARA DISSERTAÇÃO

Leia mais

Como Passar em Química Geral*

Como Passar em Química Geral* 1 Como Passar em Química Geral* por Dra. Brenna E. Lorenz Division of Natural Sciences University of Guam * traduzido livremente por: Eder João Lenardão; acesse o original em : http://www.heptune.com/passchem.html

Leia mais

Objetivo do trabalho 4

Objetivo do trabalho 4 CC-226 Introdução à Análise de Padrões Prof. Carlos Henrique Q. Forster Instruções para Trabalho 4 Objetivo do trabalho 4 Relatar os resultados obtidos no trabalho 3 e estendidos na forma de escrita científica

Leia mais

Disciplina: Seminários. Curso: Administração

Disciplina: Seminários. Curso: Administração Disciplina: Seminários Curso: Administração Texto 5: NORMAS PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO CIENTÍFICO / ACADÊMICO NBR 14724/2005 A normalização de documentos técnico-científicos tem como finalidade tornar

Leia mais

Escola Profissional CIOR. Regras para a Elaboração e Apresentação de Trabalhos Académicos

Escola Profissional CIOR. Regras para a Elaboração e Apresentação de Trabalhos Académicos Escola Profissional CIOR Regras para a Elaboração e Apresentação de Trabalhos Académicos V. N. Famalicão 2011/2012 Índice 1. Condições Prévias... 1 2. Estrutura dos Trabalhos Académicos... 2 2.1 Capa...

Leia mais

Corte total. Qualquer pessoa que já tenha visto um regis- A U L A

Corte total. Qualquer pessoa que já tenha visto um regis- A U L A A U L A 11 11 Corte total Introdução Qualquer pessoa que já tenha visto um regis- tro de gaveta, como o que é mostrado a seguir, sabe que se trata de uma peça complexa, com muitos elementos internos. Se

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO 1 ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO Betylaine Amaral Mesquita 1 Prof. Dr. Damião Carlos Amaral Mesquita 2 RESUMO: Este texto trata a respeito das Normas da ABNT com a finalidade de

Leia mais

EDITAL 04/2016-PRPI/UFCA

EDITAL 04/2016-PRPI/UFCA EDITAL 04/2016-PRPI/UFCA A Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação da Universidade Federal do Cariri (PRPI/UFCA) torna pública a abertura de inscrições e estabelece normas relativas à participação

Leia mais

ESTATÍSTICA. Prof. Ari Antonio, Me. Ciências Econômicas. Unemat Sinop 2012

ESTATÍSTICA. Prof. Ari Antonio, Me. Ciências Econômicas. Unemat Sinop 2012 ESTATÍSTICA Prof. Ari Antonio, Me Ciências Econômicas Unemat Sinop 2012 1. Introdução Concepções de Estatística: 1. Estatísticas qualquer coleção consistente de dados numéricos reunidos a fim de fornecer

Leia mais