RADIOTERAPIA HIPOFRACIONADA EM MAMA: INDICAÇÕES E RESULTADOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RADIOTERAPIA HIPOFRACIONADA EM MAMA: INDICAÇÕES E RESULTADOS"

Transcrição

1 III ENCONTRO DE RESIDENTES DA SBRT 2012 RADIOTERAPIA HIPOFRACIONADA EM MAMA: INDICAÇÕES E RESULTADOS VINICIUS T. MOSCHINI DA SILVA Residente de Radioterapia HSPE/IAMSPE -SP

2 Introdução O câncer de mama: a. mais comum entre as mulheres b. média de casos/ano* c. Cirurgia conservadora = RADIOTERAPIA *Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Estimativa da incidência e mortalidade por câncer no Brasil Rio de Janeiro. Pro-Onco/INCA, 1998.

3 Introdução Radioterapia reduz o risco de recidiva local em 70% Melhora sobrevida global O fracionamento mais utilizado mundialmente é 50Gy entregues em 25 frações de 2 Gy em 5 semanas The UK Standardisation of Breast Radiotherapy (START) Trial A of radiotherapy hypofractionation for treatment of early breast cancer: a randomised trial Lancet Oncol 2008; 9:

4 Introdução Doses diárias maiores resultariam em menor custo e maior conveniência Radiobiologia 30% de mulheres norte americanas não se submetem ao tratamento Long-Term Results of Hypofractionated Radiation Therapy for Breast Cancer N Engl J Med 2010;362:

5 Definição Hipofracionamento é definido como qualquer forma de radioterapia com fração diária única superior a 2Gy, dose final reduzida e número menor de frações Eric J. Hall 5ª Edição Capítulo 22 Pagina 534

6 Introdução Tentativas de hipofracionamento no passado fracassaram por alguns motivos: 1)Ajuste inadequado da dose final de tratamento 2)Valor não estimado do α/βde mama; 3)Feixes de baixa energia entregando dose excessiva na pele; 4)Campos tangentes medial e lateral sem pontos de referência padronizados dificultando a homogeneidade de doses; HYPOFRACTIONATED WHOLE-BREAST RADIOTHERAPY FOR WOMEN WITH EARLY BREAST CANCER: MYTHS AND REALITIES JOHN YARNOLD Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys., Vol. 79, No. 1, pp. 1 9, 2011

7 Introdução Nos últimos 20 anos, diversos estudos envolvendo mais de 7000 mulheres foram comparados em regimes hipofracionados e regime padrão 50Gy em 25 frações HYPOFRACTIONATED WHOLE-BREAST RADIOTHERAPY FOR WOMEN WITH EARLY BREAST CANCER: MYTHS AND REALITIES JOHN YARNOLD Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys., Vol. 79, No. 1, pp. 1 9, 2011

8 Introdução FractionationforWholeBreastIrradiation: An American Society for Radiation Oncology (ASTRO) Evidence-Based Guideline BENJAMIN D. SMITH, M.D.,* Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys., Vol. 81, No. 1, pp , 2011

9 Resultados

10 Resultados Recidiva Local P=0,1

11 Resultados

12 Resultados

13 Resultados Recidiva Local

14 Resultados Sobrevida Global

15 Resultados

16 Resultados

17 Resultados

18 Resultados

19 Resultados Aparência da mama The UK Standardisation of Breast Radiotherapy (START) Trial B of radiotherapy hypofractionation for treatment of early breast cancer: a randomised trial Lancet 2008; 371:

20 Resultados Aparência da mama The UK Standardisation of Breast Radiotherapy (START) Trial A of radiotherapy hypofractionation for treatment of early breast cancer: a randomised trial Lancet Oncol 2008; 9:

21 Resultados The UK Standardisation of Breast Radiotherapy (START) Trial B of radiotherapy hypofractionation for treatment of early breast cancer: a randomised trial Lancet Oncol 2008; 9:

22 Indicações Quais pacientes obtiveram resultados equivalentes com hipofracionamento? 1. Pacientescom50anosoumaisnodiagnóstico; 2. Estadio patológico T1 2 N0 tratados com cirurgia conservadora; 3. Pacientes não submetidas a quimioterapia; 4. A dose mínima no eixo central não deve ser inferior a 93% e a dose máxima não deve exceder 107% da dose de prescrição; HYPOFRACTIONATED WHOLE-BREAST RADIOTHERAPY FOR WOMEN WITH EARLY BREAST CANCER: MYTHS AND REALITIES JOHN YARNOLD Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys., Vol. 79, No. 1, pp. 1 9, 2011

23 Indicações Não há dados suficientes para recomendar o uso do hipofracionamento com QT As evidências de trials randomizados são limitadas para mensurar a eficácia e a toxicidade do boost em Hipofracionamento HYPOFRACTIONATED WHOLE-BREAST RADIOTHERAPY FOR WOMEN WITH EARLY BREAST CANCER: MYTHS AND REALITIES JOHN YARNOLD Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys., Vol. 79, No. 1, pp. 1 9, 2011

24 Conclusão Riqueza no conhecimento radiobiológico do câncer de mama trouxe resultados aceitáveis do hipofracionamento Sensibilidade semelhante a dos tecidos de resposta tardia HYPOFRACTIONATED WHOLE-BREAST RADIOTHERAPY FOR WOMEN WITH EARLY BREAST CANCER: MYTHS AND REALITIES JOHN YARNOLD Int. J. Radiation Oncology Biol. Phys., Vol. 79, No. 1, pp. 1 9, 2011

25 Conclusão Hipofracionamento 1) Recidiva Local; 2) Alterações na aparência de mama; 3) Qualidadede vida; 4) SobrevidaGlobal;

26 Conclusão Os estudos citados fornecem suporte para o uso de hipofracionamento de mama para mulheres selecionadas, com potencialpara aumentar a conveniência do tratamento e diminuir os custos na radioterapia de mama Aumento do grupo de pacientes tratados

27 OBRIGADO Contato:

Podemos considerar RT hipofracionada da mama para todas as pacientes como padrão? SIM. Erlon Gil 21/06/13

Podemos considerar RT hipofracionada da mama para todas as pacientes como padrão? SIM. Erlon Gil 21/06/13 Podemos considerar RT hipofracionada da mama para todas as pacientes como padrão? SIM Erlon Gil 21/06/13 RT adjuvante EBCTCG Lancet 2005;366: 2087-2106 Contextualização 20-30% das mulheres não recebem

Leia mais

O estado da arte da radioterapia em pacientes idosas com tumores de mama iniciais

O estado da arte da radioterapia em pacientes idosas com tumores de mama iniciais XVII CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE RADIOTERAPIA Encontro de Residentes em Radioterapia da SBRT O estado da arte da radioterapia em pacientes idosas com tumores de mama iniciais Arthur Bom Queiroz

Leia mais

CÂNCER DE COLO DE ÚTERO OPERADO RADIOTERAPIA COMPLEMENTAR: INDICAÇÕES E RESULTADOS

CÂNCER DE COLO DE ÚTERO OPERADO RADIOTERAPIA COMPLEMENTAR: INDICAÇÕES E RESULTADOS CÂNCER DE COLO DE ÚTERO OPERADO RADIOTERAPIA COMPLEMENTAR: INDICAÇÕES E RESULTADOS Hospital Erasto Gaertner Serviço de Radioterapia Sílvia Pecoits Câncer de Colo Uterino 500.000 casos novos no mundo com

Leia mais

Qual o real benefício da radioterapia com intensidade modulada de feixe (IMRT) para o tratamento dos pacientes com câncer de cabeça e pescoço?

Qual o real benefício da radioterapia com intensidade modulada de feixe (IMRT) para o tratamento dos pacientes com câncer de cabeça e pescoço? Instituto de Radiologia do Hospital das Clínicas Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Qual o real benefício da radioterapia com intensidade modulada

Leia mais

Luciano Moreira MR3 Radioterapia Liga Norte Riograndense Contra o Cancer, Natal-RN

Luciano Moreira MR3 Radioterapia Liga Norte Riograndense Contra o Cancer, Natal-RN Luciano Moreira MR3 Radioterapia Liga Norte Riograndense Contra o Cancer, Natal-RN Neoplasia Gástrica INCIDÊNCIA Brasil,2012 Homens 12.670 novos casos Mulheres 7.420 novos casos Neoplasia Gástrica TRATAMENTO

Leia mais

Radioterapia após cirurgia conservadora em pacientes idosas e CDIS: indicações e resultados. Renato Ruzza Doneda Filho

Radioterapia após cirurgia conservadora em pacientes idosas e CDIS: indicações e resultados. Renato Ruzza Doneda Filho Radioterapia após cirurgia conservadora em pacientes idosas e CDIS: indicações e resultados Renato Ruzza Doneda Filho Introdução A Radioterapia é um componente essencial no tratamentoconservadordamama,

Leia mais

15º - AUDHOSP. Radioterapia: técnicas e conceitos. Prof. Dr. Harley Francisco de Oliveira

15º - AUDHOSP. Radioterapia: técnicas e conceitos. Prof. Dr. Harley Francisco de Oliveira 15º - AUDHOSP Radioterapia: técnicas e conceitos Prof. Dr. Harley Francisco de Oliveira ANO 2016 Estimativa de câncer no Brasil, 2016 Causa de Morte no Brasil, 2010 Melhor atendimento x Maior Cura Terapia

Leia mais

CARCINOMA DUCTAL INVASOR INICIAL DA BIDIMENSIONAL VERSUS TRIDIMENSIONAL NÍVEIS I E II

CARCINOMA DUCTAL INVASOR INICIAL DA BIDIMENSIONAL VERSUS TRIDIMENSIONAL NÍVEIS I E II CARCINOMA DUCTAL INVASOR INICIAL DA MAMA D: A RADIOTERAPIA BIDIMENSIONAL VERSUS TRIDIMENSIONAL É INFERIOR NA ABRANGÊNCIA MAMÁRIA E NÍVEIS I E II Da Costa AB, Diaz OC, Carvalho MCR, Dias TM, Alves MS, Duarte

Leia mais

Os cinco trabalhos mais relevantes dos anos de na área de câncer de pulmão:radioterapia

Os cinco trabalhos mais relevantes dos anos de na área de câncer de pulmão:radioterapia Os cinco trabalhos mais relevantes dos anos de 2009-2011 na área de câncer de pulmão:radioterapia Rodrigo de Morais Hanriot Radioterapeuta HIAE e HAOC Índice Carcinoma de pulmão não pequenas células Carcinoma

Leia mais

Braquiterapia Ginecológica

Braquiterapia Ginecológica Braquiterapia Ginecológica Indicações e recomendações clínicas American Brachytherapy Society (ABS) European Society for Radiotherapy & Oncology (GEC-ESTRO) Rejane Carolina Franco Hospital Erasto Gaertner-

Leia mais

Alerson Molotievschi Residente 2º ano - Radioterapia

Alerson Molotievschi Residente 2º ano - Radioterapia Alerson Molotievschi Residente 2º ano - Radioterapia amolotievschi@hsl.org.br Tratamento Simultâneo de Linfonodos na Pelve com Diferentes Doses por Fração: Radioterapia Simultânea Modulada e Acelerada

Leia mais

RADIOTERAPIA COM A INTENSIDADE MODULADA DO FEIXE (IMRT) DE CABEÇA E PESCOÇO

RADIOTERAPIA COM A INTENSIDADE MODULADA DO FEIXE (IMRT) DE CABEÇA E PESCOÇO RADIOTERAPIA COM A INTENSIDADE MODULADA DO FEIXE (IMRT) DE CABEÇA E PESCOÇO QUAIS AS EVIDÊNCIAS E OS BENEFÍCIOS? XIV CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE RADIOTERAPIA III ENCONTRO DOS RESIDENTES besalva@uol.com.br

Leia mais

Doença Localizada. Radioterapia exclusiva em estádios iniciais: quando indicar? Robson Ferrigno

Doença Localizada. Radioterapia exclusiva em estádios iniciais: quando indicar? Robson Ferrigno Doença Localizada Radioterapia exclusiva em estádios iniciais: quando indicar? Robson Ferrigno Esta apresentação não tem qualquer conflito Esta apresentação não tem qualquer conflito de interesse Câncer

Leia mais

CONJUGAÇÃO DO EXAME DE PET/CT COM IMRT NO DELINEAMENTO E PLANEJAMENTO EM TUMORES DE CANAL ANAL. Lílian d Antonino Faroni Rio de Janeiro 2012

CONJUGAÇÃO DO EXAME DE PET/CT COM IMRT NO DELINEAMENTO E PLANEJAMENTO EM TUMORES DE CANAL ANAL. Lílian d Antonino Faroni Rio de Janeiro 2012 CONJUGAÇÃO DO EXAME DE PET/CT COM IMRT NO DELINEAMENTO E PLANEJAMENTO EM TUMORES DE CANAL ANAL Lílian d Antonino Faroni Rio de Janeiro 2012 Introdução 2 % dos tumores malignos do intestino grosso e 4%

Leia mais

Joint SFBO-SBR-ALATRO Consensus Meeting Controversies on Radiotherapy Treatment. Breast Cancer

Joint SFBO-SBR-ALATRO Consensus Meeting Controversies on Radiotherapy Treatment. Breast Cancer Joint SFBO-SBR-ALATRO Consensus Meeting Controversies on Radiotherapy Treatment Breast Cancer Dra. Ana Carolina de Rezende ana.rezende@einstein.br Internal Mammary Nodal Chain Irradiation Dra. Ana Carolina

Leia mais

Tratamento combinado nos tumores localmente l avançados: Qual o melhor esquema? Juvenal Antunes Oliveira Filho Oncocamp, Campinas, SP

Tratamento combinado nos tumores localmente l avançados: Qual o melhor esquema? Juvenal Antunes Oliveira Filho Oncocamp, Campinas, SP Tratamento combinado nos tumores localmente l avançados: Qual o melhor esquema? Juvenal Antunes Oliveira Filho Oncocamp, Campinas, SP Declaração de Conflitos de Interesses Participação do Advisory Board:

Leia mais

Artigo Original TRATAMENTO DO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO NO IDOSO ACIMA DE 80 ANOS

Artigo Original TRATAMENTO DO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO NO IDOSO ACIMA DE 80 ANOS Artigo Original TRATAMENTO DO CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO NO IDOSO ACIMA DE 80 ANOS HEAD AND NECK CANCER TREATMENT IN ELDERLY PATIENTS OVER 80 YEARS OLD 1,4,6 TERENCE PIRES DE FARIAS 5 GABRIEL MANFRO 1,2,3

Leia mais

Radioterapia e SBRT para doença oligometastática. Rodrigo Hanriot Radio-oncologista Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Radioterapia e SBRT para doença oligometastática. Rodrigo Hanriot Radio-oncologista Hospital Alemão Oswaldo Cruz Radioterapia e SBRT para doença oligometastática Rodrigo Hanriot Radio-oncologista Hospital Alemão Oswaldo Cruz Ca Cancer J Clin 2016;66(1)7 30 Incidência de câncer por sexo Ca Cancer J Clin 2016;66(1)7

Leia mais

Protocolo de Preservação de Orgão em Câncer de Cabeça e Pescoço

Protocolo de Preservação de Orgão em Câncer de Cabeça e Pescoço Protocolo de Preservação de Orgão em Câncer de Cabeça e Pescoço Residência de Cirurgia de Cabeça e Pescoço Dr. Wendell Leite Tratamento utilizando radioterapia em fracionamentos não convencionais ou a

Leia mais

HIPOFRACIONAMENTO EM CÂNCER DE MAMA: UM ESTUDO DE VIABILIDADE DO INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER

HIPOFRACIONAMENTO EM CÂNCER DE MAMA: UM ESTUDO DE VIABILIDADE DO INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER HIPOFRACIONAMENTO EM CÂNCER DE MAMA: UM ESTUDO DE VIABILIDADE DO INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER Alfredo Merlos A. Cordeiro Célia Viégas Maíra Neves Lilian Faroni Patrícia Izetti Ribeiro Guilherme Pereira

Leia mais

Aspectostécnicosda radioterapiano meduloblastoma: Enfoqueno volume de tratamento, dose e planejamento. Thaís Xavier

Aspectostécnicosda radioterapiano meduloblastoma: Enfoqueno volume de tratamento, dose e planejamento. Thaís Xavier Aspectostécnicosda radioterapiano meduloblastoma: Enfoqueno volume de tratamento, dose e planejamento Thaís Xavier Introdução -Tumor neuroectodérmico primitivo (PNET) com origem na fossa posterior -15a

Leia mais

FUNCIONALIDADES DO ACELERADOR LINEAR VERSA HD

FUNCIONALIDADES DO ACELERADOR LINEAR VERSA HD SOCIEDADE BRASILEIRA DE RADIOTERAPIA XVI CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE RADIOTERAPIA XIV JORNADA DE FÍSICA MÉDICA FUNCIONALIDADES DO ACELERADOR LINEAR VERSA HD EDMARIO COSTA Físico Médico Coordenador

Leia mais

Radioterapia no tumor de Wilms: indicações e resultados

Radioterapia no tumor de Wilms: indicações e resultados Radioterapia no tumor de Wilms: indicações e resultados Drª Paula Monteiro Amorim Residente do 3 ano de radio-oncologia Hospital Araújo Jorge Goiânia- GO Introdução 5-7% das neoplasias infantis 6-9 casos/milhão

Leia mais

Quimioterapia Adjuvante. Fatores Atuais de Decisão

Quimioterapia Adjuvante. Fatores Atuais de Decisão Quimioterapia Adjuvante. Fatores Atuais de Decisão Dr Antonio C. Buzaid Chefe Geral Breast Cancer Subtypes ER-/PR-/HER2-: Largely overlaps with Basaloid Type ER+ and PR+/HER2-/low Ki67: Largely overlaps

Leia mais

Tratamento de Resgate após. Eu prefiro HIFU ou Crioterapia GUSTAVO CARDOSO CHEFE DO SERVIÇO DE UROLOGIA

Tratamento de Resgate após. Eu prefiro HIFU ou Crioterapia GUSTAVO CARDOSO CHEFE DO SERVIÇO DE UROLOGIA Tratamento de Resgate após Falha da Radioterapia Eu prefiro HIFU ou Crioterapia i GUSTAVO CARDOSO GUIMARÃES CHEFE DO SERVIÇO DE UROLOGIA Câncer da Próstata Estados Unidos Siegel R, CA CANCER J CLIN 2014

Leia mais

Tratamento Sistêmico Câncer Gástrico

Tratamento Sistêmico Câncer Gástrico Tratamento Sistêmico Câncer Gástrico Hospital Israelita Albert Einstein Dr. Pedro Luiz S. Usón Jr Tópicos de discussão Câncer Gástrico operável - Quimioterapia perioperatória - Quimioterapia adjuvante

Leia mais

A QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES LOCALMENTE AVANÇADOS TRATADOS COM RADIOQUIMIOTERAPIA É MELHOR DO QUE NAQUELES SUBMETIDOS A LARINGECTOMIA TOTAL?

A QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES LOCALMENTE AVANÇADOS TRATADOS COM RADIOQUIMIOTERAPIA É MELHOR DO QUE NAQUELES SUBMETIDOS A LARINGECTOMIA TOTAL? A QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES LOCALMENTE AVANÇADOS TRATADOS COM RADIOQUIMIOTERAPIA É MELHOR DO QUE NAQUELES SUBMETIDOS A LARINGECTOMIA TOTAL? SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CANCER DE CABEÇA E PESCOÇO SÃO

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE TÉCNICAS DE PLANEJAMENTO DE MAMA CONFORMACIONAL 3D, FORWARD IMRT, IMRT HÍBRIDO DE CAMPOS TANGENTES E IMRT INVERSO

COMPARAÇÃO ENTRE TÉCNICAS DE PLANEJAMENTO DE MAMA CONFORMACIONAL 3D, FORWARD IMRT, IMRT HÍBRIDO DE CAMPOS TANGENTES E IMRT INVERSO PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS FUNDAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ADMINISTRATIVO - FUNDAP COMPARAÇÃO ENTRE TÉCNICAS DE PLANEJAMENTO DE MAMA

Leia mais

NOVIDADES PARA O TRATAMENTO ENDÓCRINO DE PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA RECEPTOR HORMONAL POSITIVO (DOENÇA INICIAL E AVANÇADA)

NOVIDADES PARA O TRATAMENTO ENDÓCRINO DE PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA RECEPTOR HORMONAL POSITIVO (DOENÇA INICIAL E AVANÇADA) NOVIDADES PARA O TRATAMENTO ENDÓCRINO DE PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA RECEPTOR HORMONAL POSITIVO (DOENÇA INICIAL E AVANÇADA) ANDERSON ARANTES SILVESTRINI Oncologista clínico - Diretor técnico Grupo Acreditar

Leia mais

Como eu faço. Aspectos práticos da braquiterapia de próstata com baixa taxa de dose. HSL - Jun/98 a Março/ casos. Paula P. Rodrigues Ferreira

Como eu faço. Aspectos práticos da braquiterapia de próstata com baixa taxa de dose. HSL - Jun/98 a Março/ casos. Paula P. Rodrigues Ferreira Como eu faço Aspectos práticos da braquiterapia de próstata com baixa taxa de dose HSL - Jun/98 a Março/14 985 casos Paula P. Rodrigues Ferreira R3 Hospital Sírio-Libanês paulapratti@hotmail.com Por que

Leia mais

Qual a melhor combinação de quimioterapia quando associada à radioterapia para tumores localmente avançados (pulmão)?

Qual a melhor combinação de quimioterapia quando associada à radioterapia para tumores localmente avançados (pulmão)? Qual a melhor combinação de quimioterapia quando associada à radioterapia para tumores localmente avançados (pulmão)? Dr. Ormando Campos Jr. Oncologista Clínico Conflito de Interesses Quimioterapia + Radioterapia.

Leia mais

O tratamento de metástases ósseas de fração única vs múltiplas frações com 3D CRT ou SBRT: artigo de revisão sistemática

O tratamento de metástases ósseas de fração única vs múltiplas frações com 3D CRT ou SBRT: artigo de revisão sistemática O tratamento de metástases ósseas de fração única vs múltiplas frações com 3D CRT ou SBRT: artigo de revisão sistemática Ana Rita Camarate Ferrão 1-2 1. Pós-Graduação em Imagem Molecular, Escola Superior

Leia mais

Jornadas ROR Sul. Workshop Tumores Urológicos. Cancro da BEXIGA. Gabriela Sousa IPO COIMBRA

Jornadas ROR Sul. Workshop Tumores Urológicos. Cancro da BEXIGA. Gabriela Sousa IPO COIMBRA Jornadas ROR Sul Workshop Tumores Urológicos Cancro da BEXIGA Gabriela Sousa IPO COIMBRA 22 Fev 2017 Carcinoma Urotelial Carcinoma Superficial da Bexiga Carcinoma urotelial Tratamento de eleição é a cirurgia:

Leia mais

RADIOTERAPIA ADAPTATIVA

RADIOTERAPIA ADAPTATIVA RADIOTERAPIA ADAPTATIVA Físico Médico Anderson Martins Pássaro Princípios de Radioterapia Variações Anatômicas Radioterapia Guiada por Imagem (IGRT) Registro (Fusão) de Imagens Radioterapia Adaptativa

Leia mais

Leksell L Acta Chir Scand 101: , 1951

Leksell L Acta Chir Scand 101: , 1951 39ª Jornada Paulista de Radiologia (JPR 2009) 30 de abril a 3 de maio de 2009 Aplicações Clínicas da Radioterapia Estereotática Corporal Eduardo Weltman Disciplina de Radioterapia da Faculdade de Medicina

Leia mais

NT NATS HC UFMG 51/2015

NT NATS HC UFMG 51/2015 25/11/2015 NT NATS HC UFMG 51/2015 TEMA: Cirurgia bariátrica SOLICITANTE: JESP Consumo 4ª Secretaria-Juiz Antônio João de Oliveira NÚMERO DO PROCESSO: 9059263.70.2015.813.0024 Autor: Mateus Araújo do Nascimento

Leia mais

Teleterapia Indicações e Resultados na Doença Localizada. Câncer de Próstata. XIII Congresso da Sociedade Brasileira de Radioterapia Rio de Janeiro

Teleterapia Indicações e Resultados na Doença Localizada. Câncer de Próstata. XIII Congresso da Sociedade Brasileira de Radioterapia Rio de Janeiro Teleterapia Indicações e Resultados na Doença Localizada Câncer de Próstata Luiz Gustavo Guimarães de Oliveira Residente/R3 HOSPITAL ARAÚJO JORGE - GOIÂNIA - GO CÂNCER DE PRÓSTATA Radioterapia Cirurgia

Leia mais

Leuprorrelina: 7,5mg IM a cada 28 dias ou 22,5 mg IM a cada 12 semanas Ref. (01) Gosserrelina: 10,8 mg SC a cada 12 semanas Ref.

Leuprorrelina: 7,5mg IM a cada 28 dias ou 22,5 mg IM a cada 12 semanas Ref. (01) Gosserrelina: 10,8 mg SC a cada 12 semanas Ref. Câncer de Próstata Flutamida + Leuprorrelina Flutamida: 250mg VO TID Leuprorrelina: 7,5mg IM a cada 28 dias ou 22,5 mg IM a cada 12 semanas Ref. (01) Flutamida + Gosserrelina Flutamida: 250 mg VO TID Gosserrelina:

Leia mais

Radioterapia estereotática extracraniana (SBRT) nos tumores iniciais de pulmão: INDICAÇÕES E RESULTADOS

Radioterapia estereotática extracraniana (SBRT) nos tumores iniciais de pulmão: INDICAÇÕES E RESULTADOS Radioterapia estereotática extracraniana (SBRT) nos tumores iniciais de pulmão: INDICAÇÕES E RESULTADOS Gabriela S. Moreira de Siqueira gsmsmed@hotmail.com Curitiba, 2012 Mais de 27 mil novos casos em

Leia mais

câncer de esôfago e estômago Quais os melhores esquemas?

câncer de esôfago e estômago Quais os melhores esquemas? Tratamento combinado em câncer de esôfago e estômago Quais os melhores esquemas? Dr. André Sasse Oncologista Clínico sasse@cevon.com.br Centro de Evidências em Oncologia HC UNICAMP Centro de Evidências

Leia mais

XXIII Jornadas ROR-SUL. 15, 16 e 17 Fevereiro 2016 Lisboa

XXIII Jornadas ROR-SUL. 15, 16 e 17 Fevereiro 2016 Lisboa XXIII Jornadas ROR-SUL 15, 16 e 17 Fevereiro 2016 Lisboa SUDCAN Sobrevivência de Cancro em Países Europeus de Língua Latina Luísa Glória SUDCAN Sobrevivência indicador global de avaliação de qualidade

Leia mais

Indicações e passo-a-passo para realização de SBRT

Indicações e passo-a-passo para realização de SBRT Indicações e passo-a-passo para realização de SBRT Heloisa de Andrade Carvalho heloisa.carvalho@hc.fm.usp.br heloisa.carvalho@hsl.org.br SBRT O que é? Porquê? Para quê? Passo-a-passo SBRT O que é? Stereotactic

Leia mais

12/10/2015 NT 45/2015

12/10/2015 NT 45/2015 12/10/2015 NT 45/2015 Cisplatina mais docetaxel em carcinoma epidermóide pouco diferenciado, altamente agressivo (carcinoma de seio etmoidal estadio III T3 N1 M0) SOLICITANTE: Juiz Carlos José Cordeiro

Leia mais

Câncer de Mama. AC-D Adriamicina: 60 mg/m 2 IV D1. Docetaxel: 35mg/m 2 IV D1 após 4 ciclos de AC. a cada 21 dias X 4 ciclos Ref.

Câncer de Mama. AC-D Adriamicina: 60 mg/m 2 IV D1. Docetaxel: 35mg/m 2 IV D1 após 4 ciclos de AC. a cada 21 dias X 4 ciclos Ref. Câncer de Mama AC-D Adriamicina: 60 mg/m 2 IV D1 Ciclofosfamida: 600 mg/m 2 IV D1 a cada 21 dias X 4 ciclos Docetaxel: 100mg/m 2 IV D1 após 4 ciclos de AC a cada 21 dias X 4 ciclos Ref. (1-3) Ou Doxorrubicina:

Leia mais

Verificação dosimétrica de tratamentos de IMRT utilizando Dose Absoluta e Função Gama

Verificação dosimétrica de tratamentos de IMRT utilizando Dose Absoluta e Função Gama Verificação dosimétrica de tratamentos de IMRT utilizando Dose Absoluta e Função Gama Critérios de Aceitação ALVES, TMMT; SILVA, RG; NEVES-JUNIOR, WFP; MANCINI, A; PELOSI, EL; SILVA, JLF; HADDAD, CMK Tatiana

Leia mais

Análise das variações de posicionamento utilizando imagens volumétricas de Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico

Análise das variações de posicionamento utilizando imagens volumétricas de Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico Artigo Original Revista Brasileira de Física Médica.213;7(3):163-8. Análise das variações de posicionamento utilizando imagens volumétricas de Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico Positioning variation

Leia mais

Adjuvância. Doença Irressecável

Adjuvância. Doença Irressecável CENTRO ESPECIALIZADO DE ONCOLOGIA DE FLORIANÓPOLIS. Quimioterapia adjuvante e Neoadjuvante do Câncer de Pulmão localmente avançado Marcelo Collaço Paulo Não tem conflito de interesse. Câncer do Pulmão

Leia mais

Qual o melhor tratamento para o Câncer de Próstata de risco baixo ou intermediário?

Qual o melhor tratamento para o Câncer de Próstata de risco baixo ou intermediário? Qual o melhor tratamento para o Câncer de Próstata de risco baixo ou intermediário? Radioterapia (externa/braquiterapia) Erlon Gil Radioterapia Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo Randomized

Leia mais

DA QUALIDADE DO FEIXE DE ACELERADORES LINEARES*

DA QUALIDADE DO FEIXE DE ACELERADORES LINEARES* Artigo Original Silva MP et al. VERIFICAÇÃO DO FATOR DE CALIBRAÇÃO E INDICADOR DA QUALIDADE DO FEIXE DE ACELERADORES LINEARES* Maria da Penha Silva 1, Helvécio Correa Mota 2, Carlos Eduardo V. de Almeida

Leia mais

Câncer Gástrico e Junção Gastroesofágica

Câncer Gástrico e Junção Gastroesofágica Câncer Gástrico e Junção Gastroesofágica Quimioterapia concomitante a radioterapia (Esquema de MacDonald) 5-Fluorouracil: 425 mg/m 2 IV D1 a D5 Leucovorin: 20 mg/m 2 IV D1 a D5 Radioterapia iniciando no

Leia mais

Câncer de Próstata Risco Intermediário

Câncer de Próstata Risco Intermediário Câncer de Próstata Risco Intermediário Como decidir João Luis Fernandes da Silva Radioterapia Hospital Sírio-Libanês São Paulo Definição de Grupos de Risco PSA Gleason Estádio Clínico Toque Exames de Imagem

Leia mais

NÚMERO: 008/2011 DATA: 31/01/2011 Diagnóstico Sistemático da Nefropatia Diabética

NÚMERO: 008/2011 DATA: 31/01/2011 Diagnóstico Sistemático da Nefropatia Diabética ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: CONTACTOS: NÚMERO: 008/2011 DATA: 31/01/2011 Diagnóstico Sistemático da Nefropatia Diabética Nefropatia; Diabetes Conselhos Directivos das Administrações Regionais de Saúde,

Leia mais

CONHEÇA O INCA DO FUTURO...

CONHEÇA O INCA DO FUTURO... CONHEÇA O INCA DO FUTURO... Como eu faço: aspectos práticos da braquiterapia ginecológica. Daniel Sampaio Vieira R3 - Radioterapia Instituto Nacional de Câncer Introdução - Tratamento utilizando fontes

Leia mais

Seguimento após tratamento das Neoplasias Intraepiteliais Cervicais. Fábio Russomano --IFF/Fiocruz Maio de de 2014

Seguimento após tratamento das Neoplasias Intraepiteliais Cervicais. Fábio Russomano --IFF/Fiocruz Maio de de 2014 Seguimento após tratamento das Neoplasias Intraepiteliais Cervicais Fábio Russomano --IFF/Fiocruz Maio de de 2014 Possíveis conflitos de interesses Responsável por serviço público de Patologia Cervical

Leia mais

PLANEJAMENTO TRIDIMENSIONAL PARA RADIOTERAPIA DE TUMORES DE ESÔFAGO: COMPARAÇÃO DE TÉCNICAS DE TRATAMENTO E ANÁLISE DE PROBABILIDADE DE COMPLICAÇÕES*

PLANEJAMENTO TRIDIMENSIONAL PARA RADIOTERAPIA DE TUMORES DE ESÔFAGO: COMPARAÇÃO DE TÉCNICAS DE TRATAMENTO E ANÁLISE DE PROBABILIDADE DE COMPLICAÇÕES* Artigo Original Justino PB et al. PLANEJAMENTO TRIDIMENSIONAL PARA RADIOTERAPIA DE TUMORES DE ESÔFAGO: COMPARAÇÃO DE TÉCNICAS DE TRATAMENTO E ANÁLISE DE PROBABILIDADE DE COMPLICAÇÕES* Pitágoras Báskara

Leia mais

Bortezomibe + Doxorrubicina + Dexametasona (PAD)

Bortezomibe + Doxorrubicina + Dexametasona (PAD) Mieloma Múltiplo Bortezomibe + Dexametasona (Vel/Dex) Bortezomibe: 1,3 mg/m 2 IV pulso D1, D4, D8 e D11 Dexametasona: 40 mg/dia VO D1 ao D4 nos ciclos 1,2,3 e 4 Dexametasona 40 mg/dia VO D1-4 e D9-12 nos

Leia mais

Radioterapia de SNC no Câncer de Pulmão: Update Robson Ferrigno

Radioterapia de SNC no Câncer de Pulmão: Update Robson Ferrigno Situações especiais Radioterapia de SNC no Câncer de Pulmão: Update 2014 Robson Ferrigno Esta apresentação não tem qualquer Esta apresentação não tem qualquer conflito de interesse Metástases Cerebrais

Leia mais

Alta incidência de estádios avançados no Brasil. Virus HPV (16 e 18) relacionado em 90% dos casos

Alta incidência de estádios avançados no Brasil. Virus HPV (16 e 18) relacionado em 90% dos casos Câncer de colo uterino Revisão de conceitos Robson Ferrigno Hospital Israelita Albert Einstein Câncer do colo uterino Alta incidência de estádios avançados no Brasil Virus HPV (16 e 18) relacionado em

Leia mais

Controvérsias e Avanços Tecnológicos sobre Hemoglobina Glicada (A1C)

Controvérsias e Avanços Tecnológicos sobre Hemoglobina Glicada (A1C) Controvérsias e Avanços Tecnológicos sobre Hemoglobina Glicada (A1C) DR. AUGUSTO PIMAZONI NETTO Coordenador do Grupo de Educação e Controle do Diabetes do Hospital do Rim Universidade Federal de São Paulo

Leia mais

Ensaio Clínico Randomizado: Prevenção de radiodermite em pacientes com câncer de mama utilizando o chá de camomila e extrato de brassica oleracea.

Ensaio Clínico Randomizado: Prevenção de radiodermite em pacientes com câncer de mama utilizando o chá de camomila e extrato de brassica oleracea. XVII Congresso da Sociedade Brasileira de Radioterapia Ensaio Clínico Randomizado: Prevenção de radiodermite em pacientes com câncer de mama utilizando o chá de camomila e extrato de brassica oleracea.

Leia mais

METÁSTASE CEREBRAL SOLITÁRIA

METÁSTASE CEREBRAL SOLITÁRIA Colégio Brasileiro de Radiologia Critérios de Adequação do ACR METÁSTASE CEREBRAL SOLITÁRIA Painel de Especialistas em Radioterapia Grupo de Trabalho de Metástase Cerebral: Jay S. Loeffler, Médico 1 ;

Leia mais

RADIOTERAPIA VERSUS RADIOSSENSIBILIDADE INDIVIDUAL

RADIOTERAPIA VERSUS RADIOSSENSIBILIDADE INDIVIDUAL RADIOTERAPIA VERSUS RADIOSSENSIBILIDADE INDIVIDUAL Elaine Cristina de Souza Silva 1 Paula Frassinetti Pereira Carneiro 2 Mariana Brayner Cavalcanti 3 Radiologia ciências biológicas e da saúde Facipe ISSN

Leia mais

Fabiana Martins CAPE- FOUSP

Fabiana Martins CAPE- FOUSP Pacientes irradiados em cabeça e pescoço Fabiana Martins CAPE- FOUSP CARCINOMA EPIDERMOIDE Carcinoma Epidermoide 6 o tumor mais comum 95% de todas neoplasias orais No mundo: 500.000 novos casos/ano EUA:

Leia mais

Tratamento adjuvante sistêmico (como decidir)

Tratamento adjuvante sistêmico (como decidir) Tópicos atuais em câncer de mama Tratamento adjuvante sistêmico (como decidir) Dr. André Sasse Oncologista Clínico sasse@cevon.com.br Centro de Evidências em Oncologia HC UNICAMP Centro de Evidências em

Leia mais

Verificação dosimétrica em VMAT para próstata com câmaras de ionização de volumes diferentes

Verificação dosimétrica em VMAT para próstata com câmaras de ionização de volumes diferentes Verificação dosimétrica em VMAT para próstata com câmaras de ionização de volumes diferentes Daniela P Groppo 1,2, Ernani Anderson 1, Guilherme A Pavan 1, Linda V E Caldas 2 1 Clínicas Oncológicas Integradas,

Leia mais

Controle e garantia da qualidade dos aceleradores. Gisela Menegussi Física Coordenadora da Radioterapia do ICESP/INRAD - HCFMUSP

Controle e garantia da qualidade dos aceleradores. Gisela Menegussi Física Coordenadora da Radioterapia do ICESP/INRAD - HCFMUSP Controle e garantia da qualidade dos aceleradores Gisela Menegussi Física Coordenadora da Radioterapia do ICESP/INRAD - HCFMUSP Controle e garantia da qualidade dos aceleradores OBRIGATÓRIO Minimiza erros

Leia mais

Radioterapia baseada em evidência no tratamento adjuvante do Câncer de Endométrio: RT externa e/ou braquiterapia de fundo vaginal

Radioterapia baseada em evidência no tratamento adjuvante do Câncer de Endométrio: RT externa e/ou braquiterapia de fundo vaginal Radioterapia baseada em evidência no tratamento adjuvante do Câncer de Endométrio: RT externa e/ou braquiterapia de fundo vaginal Paulo Eduardo Novaes, MD, PhD Departamento de Radioterapia Hospital AC

Leia mais

RADIOTERAPIA. Serviço de Física Médica em Radioterapia e Medicina Nuclear IRD / CNEN. Prof. Dr. Luiz Antonio R. da Rosa

RADIOTERAPIA. Serviço de Física Médica em Radioterapia e Medicina Nuclear IRD / CNEN. Prof. Dr. Luiz Antonio R. da Rosa Serviço de Física Médica em Radioterapia e Medicina Nuclear IRD / CNEN O que é radioterapia? A radioterapia, também conhecida como terapia radiológica, oncologia radiológica ou radiologia terapêutica,

Leia mais

Capecitabina: 900 1,000 mg/m 2 VO BID D1 5 de cada semana da radioterapia Ref. (2)

Capecitabina: 900 1,000 mg/m 2 VO BID D1 5 de cada semana da radioterapia Ref. (2) Câncer Colo-retal 5-Fluorouracil + Radioterapia 5-Fluorouracil: 1,000 mg/m 2 /dia IV infusão contínua D1 a 5 Repetir nas semanas 1 e 5 da radioterapia 5-Fluorouracil: 500 mg/m 2 IV contínuo durante 5 dias

Leia mais

Métodos de Manutenção da Função Hormonal Ovariana de Pacientes em Pré Menopausa com Câncer de Colo Uterino

Métodos de Manutenção da Função Hormonal Ovariana de Pacientes em Pré Menopausa com Câncer de Colo Uterino Métodos de Manutenção da Função Hormonal Ovariana de Pacientes em Pré Menopausa com Câncer de Colo Uterino Lívia Ferreira de Oliveira Rosamaria Cúgola Ventura Condé Anna Myrian Tamm Lannes Vieira Janaína

Leia mais

Radioterapia de intensidade modulada (IMRT) para pacientes do SUS: análise de 508 tratamentos em dois anos de instalação da técnica *

Radioterapia de intensidade modulada (IMRT) para pacientes do SUS: análise de 508 tratamentos em dois anos de instalação da técnica * Artigo Original Oliveira HF et al. / Análise de 508 casos de IMRT para pacientes do SUS Radioterapia de intensidade modulada (IMRT) para pacientes do SUS: análise de 508 tratamentos em dois anos de instalação

Leia mais

Eixo 1: Direitos, Responsabilidades e Expressões para o Exercício da Cidadania. Abstract:

Eixo 1: Direitos, Responsabilidades e Expressões para o Exercício da Cidadania. Abstract: Transformação dos Conhecimentos sobre a Radiação Ionizante para Usuários da Radioterapia do Hospital das Clínicas de Botucatu Renata Aline Del Nero, Mateus Alberto, Gerson Santos Almeida, Marco Antônio

Leia mais

de próstata: experiência do Instituto do Radium de Campinas com 285 pacientes*

de próstata: experiência do Instituto do Radium de Campinas com 285 pacientes* Artigo Original Original ArticleRadioterapia externa conformada D para o carcinoma de próstata Radioterapia externa conformada D para o carcinoma de próstata: experiência do Instituto do Radium de Campinas

Leia mais

CATÉTERES VENOSOS CENTRAIS DE LONGA DURAÇÃO Experiência com 1000 catéteres

CATÉTERES VENOSOS CENTRAIS DE LONGA DURAÇÃO Experiência com 1000 catéteres CATÉTERES VENOSOS CENTRAIS DE LONGA DURAÇÃO Experiência com 1000 catéteres Hospital de S. Marcos. Braga Departamento de Cirurgia. Serviço de Cirurgia I Director: Dr. A. Gomes Grupo de Acessos Venosos Responsável:

Leia mais

Avaliação de treinamento multidisciplinar na triagem nutricional pela lógica difusa (fuzzy)

Avaliação de treinamento multidisciplinar na triagem nutricional pela lógica difusa (fuzzy) Avaliação de treinamento multidisciplinar na triagem nutricional pela lógica difusa (fuzzy) Cardia, W.; ARAUJO, E. ; Becker, O. M. ; Maia, R., Resumo: A desnutrição intra-hospitalar apresenta índices que

Leia mais

João Morais Cardiologista, Director do Serviço de Cardiologia do Hospital de Santo André, EPE, Leiria.

João Morais Cardiologista, Director do Serviço de Cardiologia do Hospital de Santo André, EPE, Leiria. O ácido acetilsalicilico em prevenção primária. Um desafio para os clínicos. Aspirin in the primary and secondary prevention of vascular disease: collaborative meta-analysis of individual participant data

Leia mais

Terapêutica na Sepsis

Terapêutica na Sepsis Terapêutica na Sepsis Carlos Palos Serviço de Urgência Geral. Gabinete de Coordenação Local de Prevenção, Controlo de Infecção e Resistência aos Antimicrobianos (GCLPCIRA) Hospital Beatriz Ângelo Organização

Leia mais

Effective dose evaluationofheadandabdomen CT exams in adultpatientsatthe Instituto de Radiologia da Faculdade de Medicina da USP (INRAD/FM/USP)

Effective dose evaluationofheadandabdomen CT exams in adultpatientsatthe Instituto de Radiologia da Faculdade de Medicina da USP (INRAD/FM/USP) IX Latin American IRPA Regional Congresson Radiation Protection and Safety- IRPA 2013 Rio de Janeiro, RJ, Brazil, April15-19, 2013 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA - SBPR Estimativa de dose

Leia mais

Ossificações Heterotópicas

Ossificações Heterotópicas Ossificações Heterotópicas Elaboração Final: 27 de novembro de 2007 Participantes: Leite NM, Faloppa F Autoria: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia O Projeto Diretrizes, iniciativa conjunta

Leia mais

Jacy Bruns. Declaração de conflito de interesse

Jacy Bruns. Declaração de conflito de interesse Jacy Bruns Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico ou terapêutico

Leia mais

Recomendações: evidências e lacunas- Revascularização do Miocárdio. Lacunas

Recomendações: evidências e lacunas- Revascularização do Miocárdio. Lacunas Recomendações: evidências e lacunas- Revascularização do Miocárdio Lacunas CTO PCI in secondary revascularisation after CABG failure Revascularização do Miocárdio The Guidelines are appropriately conservative,

Leia mais

05/11/2013. Extremo mau prognóstico: . Altas leucometrias/snc +. Respondedores Lentos. Indicação precisa de TMO alogeneico na primeira remissão.

05/11/2013. Extremo mau prognóstico: . Altas leucometrias/snc +. Respondedores Lentos. Indicação precisa de TMO alogeneico na primeira remissão. Maria Lucia M.Lee Inaba H. Lancet 2013 Extremo mau prognóstico:. Altas leucometrias/snc +. Respondedores Lentos. Indicação precisa de TMO alogeneico na primeira remissão. N Engl J Med 2000;342:998-1006

Leia mais

Diretrizes Clínicas para o Manejo da Neurocriptococose em Paciente HIV

Diretrizes Clínicas para o Manejo da Neurocriptococose em Paciente HIV Serviço de Doenças Infecciosas e Parasitárias do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho Universidade Federal do Rio de Janeiro Diretrizes Clínicas para o Manejo da Neurocriptococose em Paciente

Leia mais

Câncer de Pulmão de Não Pequenas Células

Câncer de Pulmão de Não Pequenas Células Tratamento Sistêmico de Resgate no Câncer de Pulmão de Não Pequenas Células Dr. Marcelo Rocha S. Cruz Oncologia Clínica Hospital São José São Paulo Índice Terapia de Manutenção: Quimioterapia Terapia de

Leia mais

Medicina Evidências. Federação Rio

Medicina Evidências. Federação Rio Medicina Evidências Federação Rio CONCEITOS 1 Doença: Artrite Reumatóide: Doença auto-imune, de etiologia desconhecida que afeta as articulações de forma simétricas e sempre em vários locais. Tem o potencial

Leia mais

Cirurgias Pélvicas e Complicações Pós- Radioterapia

Cirurgias Pélvicas e Complicações Pós- Radioterapia Universidade de Brasília UnB Faculdade de Ceilândia - FCE Cirurgias Pélvicas e Complicações Pós- Radioterapia Prof a. Aline Teixeira Alves Fisioterapia na Atenção de Média Complexidade - Intervenção (FAMCI)

Leia mais

Vacinas contra HPV. Atualização. Fábio Russomano IFF/Fiocruz 29 jun 2012

Vacinas contra HPV. Atualização. Fábio Russomano IFF/Fiocruz 29 jun 2012 Vacinas contra HPV Atualização Fábio Russomano IFF/Fiocruz 29 jun 2012 Fábio Russomano Possíveis conflitos de interesses: Responsável por serviço público de Patologia Cervical (IFF/Fiocruz) Colaborador

Leia mais

PREVENÇÃO DE RECIDIVA DE ÚLCERA VENOSA: um estudo de coorte

PREVENÇÃO DE RECIDIVA DE ÚLCERA VENOSA: um estudo de coorte PREVENÇÃO DE RECIDIVA DE ÚLCERA VENOSA: um estudo de coorte Eline Lima Borges 1 Aidê Ferreira Ferraz 2 Daclé Vilma Caravalho 2 Vera Lúcia de Araújo Nogueira Lima 3 Selme Silqueira de Matos 4 1 Professor

Leia mais

Terapêutica hormonal de 2ª linha?

Terapêutica hormonal de 2ª linha? Terapêutica hormonal de 2ª linha? FRANCISCO BOTELHO H O S P I TA L D E B R A G A CURSO CARCINOMA DA PRÓSTATA RESISTENTE A CASTRAÇÃO 13 18 de DE Setembro MAIO DE de 2014 2013 Tópicos Introdução Terapêutica

Leia mais

FATORES PREDITIVOS PARA FALHA BIOQUÍMICA APÓS RADIOTERAPIA DE RESGATE EM CÂNCER DE PRÓSTATA, PÓS- PROSTATECTOMIA RADICAL

FATORES PREDITIVOS PARA FALHA BIOQUÍMICA APÓS RADIOTERAPIA DE RESGATE EM CÂNCER DE PRÓSTATA, PÓS- PROSTATECTOMIA RADICAL FATORES PREDITIVOS PARA FALHA BIOQUÍMICA APÓS RADIOTERAPIA DE RESGATE EM CÂNCER DE PRÓSTATA, PÓS- PROSTATECTOMIA RADICAL Marco Antonio Costa Campos de SANTANA 1,2 ; Carlos Bo ChurHONG 1,2 ; Mariana Vilela

Leia mais

CÂNCER DE PRÓSTATA AVANÇADO. Riscos e Toxicidades da Hormonioterapia. Dra. Elisa de O. Campana R3 Instituto Nacional de Câncer 22/06/2011

CÂNCER DE PRÓSTATA AVANÇADO. Riscos e Toxicidades da Hormonioterapia. Dra. Elisa de O. Campana R3 Instituto Nacional de Câncer 22/06/2011 CÂNCER DE PRÓSTATA AVANÇADO Riscos e Toxicidades da Hormonioterapia Dra. Elisa de O. Campana R3 Instituto Nacional de Câncer 22/06/2011 Introdução Agonista GnRH Antagonista GnRH Estrogênios Bloqueadores

Leia mais

Vacinas contra HPV: aspectos atuais

Vacinas contra HPV: aspectos atuais Vacinas contra HPV: aspectos atuais ABG-Cap RJ II Colpovix Vitória ES 16 e 17 de outubro de 2009 Fábio Russomano Resultados intermediários dos ensaios de fase II e III Alta eficácia em prevenir infecções

Leia mais

UENF PROGRAMA ANALÍTICO DE DISCIPLINA. Carga Horária:102. Assinaturas: Chefe do Laboratório ou Diretor de Centro: Coordenador do Curso:

UENF PROGRAMA ANALÍTICO DE DISCIPLINA. Carga Horária:102. Assinaturas: Chefe do Laboratório ou Diretor de Centro: Coordenador do Curso: Página: 1 Horas Aula Teórica: 102 Prática: 0 ExtraClasse: 0 CCT CENTRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA LCMAT LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS S 1 Funções reais de uma variável 1 Funções de uma variável Página: 2.Simmons

Leia mais

Bloco I A economia política e o capitalismo como ordem natural.

Bloco I A economia política e o capitalismo como ordem natural. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Instituto de Economia Economia Política I - 60 horas aula Prof. Alexandre Laino Freitas Programa 2016-02 -EMENTA: As origens da Economia Política Clássica. Fisiocracia:

Leia mais

INCIDENCIA AJSM 2000; VOL28 JOGOS > TREINOS OFICIAIS > AMISTOSOS CONTATO FÍSICO EM 2/3 DAS LESÕES GRAVES NO FUTEBOL 20% DAS LESÕES SÃO POR OVERUSE

INCIDENCIA AJSM 2000; VOL28 JOGOS > TREINOS OFICIAIS > AMISTOSOS CONTATO FÍSICO EM 2/3 DAS LESÕES GRAVES NO FUTEBOL 20% DAS LESÕES SÃO POR OVERUSE RODRIGO CAMPOS PACE LASMAR FACULDADE DE CIENCIAS MÉDICAS DE M.G. INCIDENCIA AJSM 2000; VOL28 JOGOS > TREINOS OFICIAIS > AMISTOSOS CONTATO FÍSICO EM 2/3 DAS LESÕES GRAVES NO FUTEBOL 20% DAS LESÕES SÃO POR

Leia mais

Atividade dos Inibidores de Checkpoints Imunológicos nas Metástases Cerebrais

Atividade dos Inibidores de Checkpoints Imunológicos nas Metástases Cerebrais II Simpósio Internacional de Imuno-Oncologia Atividade dos Inibidores de Checkpoints Imunológicos nas Metástases Cerebrais Carolina Kawamura Haddad Oncologista Clínica Declaração de conflitos de interesse

Leia mais

Carcinoma Endometrial: Tratamento

Carcinoma Endometrial: Tratamento Carcinoma Endometrial: Tratamento Autoria: Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia Sociedade Brasileira de Cancerologia Elaboração Final: 10 de outubro de 2011 Participantes:

Leia mais

10. Congresso Unimed de AUDITORIA EM SAÚDE. Curso Pré-Congresso Oncologia e MBE Bevacizumab no câncer de pulmão NPC

10. Congresso Unimed de AUDITORIA EM SAÚDE. Curso Pré-Congresso Oncologia e MBE Bevacizumab no câncer de pulmão NPC 10. Congresso Unimed de AUDITORIA EM SAÚDE Curso Pré-Congresso Oncologia e MBE Bevacizumab no câncer de pulmão NPC Declaração de Conflitos de interesse Oncologista Clínico sócio de Serviço de Oncologia

Leia mais

LSIL: Conduta na Pós-Menopausa

LSIL: Conduta na Pós-Menopausa LSIL: Conduta na Pós-Menopausa TROCANDO IDÉIAS XVIII 14 agosto 2014 Caroline Oliveira LESÃO ESCAMOSA INTRAEPITELIAL DE BAIXO GRAU Infecção aguda e transitória pelo HPV Altamente prevalente antes dos 30

Leia mais

30/05/2016. Como solucionar dúvidas na mamografia. Como melhorar? - Controle de Qualidade - Experiência. Dicas Úteis

30/05/2016. Como solucionar dúvidas na mamografia. Como melhorar? - Controle de Qualidade - Experiência. Dicas Úteis Como solucionar dúvidas na mamografia Como solucionar dúvidas na mamografia : como melhorar a mamografia ou que método é mais adequado para qual tipo de achado? Como melhorar? - Controle de Qualidade -

Leia mais