~ ~ ~ de Segurança e Transp. CONYENCÃO.,C.oLEIlYA.JJEJBABALHO-200s

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "~ ~ ~ de Segurança e Transp. CONYENCÃO.,C.oLEIlYA.JJEJBABALHO-200s"

Transcrição

1 -~ /" ~~!II~::~illj~ FILlADO A:, ~~~.. d ~~~~ 11ft e/ p ~~~~- FenavIst ~~ Federação Nacional das S'ND'CATO DAS EMPRESAS DE SEGURANÇA DO ESTADO DO CEARA ~ ~ ~ de Segurança e Transp PR'VADA. CONYENCÃO.,C.oLEIlYA.JJEJBABALHO-200s CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO QUE ENTRE SI CELEBRAM O SINDICATO DOS PROFISSIONAIS VIGILANTES E EMPREGADOS EM EMPRESAS E SERViÇOS DE SEGURANÇA, VIGILÂNCIA, TRANSPORTE DE VALORES, CURSO DE FORMAÇÃO, SEGURANÇA PESSOAL, CENÓFILOS, SIMILARES E AFINS DO ESTADO DO CEARÁ, entidade n sindical de primeiro grau, inscrita no CNPJ sob o n / , com o Código Sindical de n registrado do Livro fi 39 em 20/07/1986 sob o processo de n MfB , de 1986, seu representante legal SI" GeraldodaSiNaCt;lnba'cJnscrita sobre CPF. de n cc" cc!!"""" ' , com sede nesta!!e~pttat;'!narua"!atfreoo Salgado, 48 -,,"""!!'"!"!'!!,, Centro - Telefone: (85) ;"'é o SINDICATO DAS,E~t?RESAS DE, "!'cc"c SEGURANCA PRIVADA DO ESTADO DO CEARA - SINDESP1CE, entidade., sindical de primeiro grau, inscrita no CNPJ sob o n / , com o Código Sindical de n registrado do Livro fi 42 em 05/08/1988 sob o processo de n MTB , de!'~c987, C! seu representante legal Sr. César Marques de Carvalho, Inscrita sobreccpf. de n , também sediado nesta Capital, na Rua Pereira Filgueiras, andar, salas 303/304, Edifício P & G Center- Meireles,""Telefones: "c:d!'!::!!:; ",\é.!!,,;:! C! i!:"' "'!!' (85)326c1.391!:3/3244c:,5599, por fe'uspre ",g~n\es t~gq,,\~cca!baixo assinados, devidamente de cada categoria, especialmente convocadas e realizadas, e cujas deliberações foram aprovadas ~ com obediência das formalidades legais e estatutárias, MEDIANTE AS CLÁUSULAS E CONDiÇÕES SEGUINTES: C1Au.sULA_P.BlMfl8A~--DQ-Pj.s.o-5AlAB1Ab A partir de 1 de janeiro de 2005, o piso salarial da categoria representada'. pelo Sindicato dos Vigilantes do Estado do Ceará, ora convenente, será I:8go \. pelas empresas nos seguintes valores: ~ a] R$520,OO [quinhentos e vinte reais, quarenta centavos] - ou sej~, reajus~e de 6,56% [seis vírgula cinqüenta e seis por cento] sobre o valor do piso anterior D- para todos os vigilantes; «#I{/ 1 Rua Pereira Filgueiras, andar - salas 303,304 - ~G. Center 1- Meireles - CEP

2 - k -<-9 ~~;i? Fenavist Illdel p =~ Federação Nacional ~ ~ de Segurança e Tran SINDICATO OAS EMPRESAS DE SEGURANçA PRIVADA DO ESTADO DO CEARA b] R$659,99 [seiscentos e cinqüenta e nove reais, noventa e nove centavos] - ou seja, reajuste de 6,56% [seis vírgula cinqüenta e seis por cento] sobre o valor do piso anterior - para o caso dos vigilantes que exercem a função de fiel e de vigilantes que exercem a função de motorista de carro - forte; c] R$626,98 [seiscentos e vinte e seis reais, noventa e oito centavos] - ou seja, reajuste de 6,56% [seis vírgula cinqüenta e seis por cento] sobre o valor do piso anterior - para o caso dos vigilantes que exercem a função de vigilanteescolteiro e de supervisor de operações. r--- d] R$698,96 [seiscentos e noventa e oito reais, noventa e seis centavos] - ou seja,..'. reajuste de 14,01 % [quatorze vírgula um por cento] sobre o valor do piso,, anterior, para ~ i';~' am no Banco Central do Brasil. ;1(;,11'; ",','.C' e] R$700,00 [setecentos reais),'~ ou seja, de Escolta Armada; "";;"',~,,~~,,~ f] R$780,00 [setecentos e oitenta reais] - ou seja, para o caso dos."gll tes de Segurança Pessoal;,111Jf(;",,~~ g}, 390,00 [trezentos e noventa reais] - ou seja, para o cas~;,del14j#iigilantes desa~mado~~!di;"~.c só poderão ",-~ '.ft"..,c.;, C'"c' " as n PARÁGRAFO PRIMEIRO. Os vigilantes contratados nestas condições só poderão exercer suas atividades, junto aos seguintes segmentos: Condomínios residenciais multifamiliares, residências, bares, restaurantes, barracas de praia e casas de show. PARÁGRAFO SEGUNDO. Os pisos da presente cláusula não receberão a incidência do reajuste salarial da cláusula segunda seguinte, porque, quando da apuração e cálculo de ditos pisos, tal reajuste já foi considerado ou levado em conta. ~. c1aus.uj,.a-5-e..ciunda.;..-dd---bfaj-u-sh-5alablab As empresas concederão a seus empregados um reajuste salarial de 6,56 [seis vírgula cinqüenta e seis por cento], incidente sobre os salários de 31 de dezembro de Aos empregados admitidos após janeiro de 2005, o f) r..eajuste será concedido de forma proporcional ao tempo de serviço de cada'. 2. Rua Pereira Filgueiras, O O - 3 andar - salas 303,304 - P:G. Center I - Meireles - CEP Fone/Fax: (85) Fortaleza - Cearó!

3 ~ -~-- " "- ~ " ~~!~!!~!!I~::~illlilj ~ ~: ~> F e n avi s t. d ~~~~ 1I n e/ p ~~ Federação Nacional das s ~ ~ ~ de Segurança e Trans (f~ s. SINDICATO OAS EMPRESAS DE SEGURANÇA PRIVADA DO ESTADO DO "EAR' FI. S um na empresa. Em face da concessão do reajuste da presente cláusula, deixam de existir quaisquer resíduos salariais ou o direito à recomposição salarial com base em perdas pretéritas, qualquer que seja o suporte, decorrentes de planos econômicos ou regras salariais, nos últimos 24 ~inte e quatro] meses. C.LA.uSULA-IEBC.flBA;.-DA...B-EEElCÃQ As empresas fornecerão vale-refeição ou vale-alimentação a serem entregues ~ até o 5 dia útil de cada mês, no valor facial de R$ 4,25 [quatro reais, vinte e cinco centavos], em quantidade igual aos dias em que o empregado Efetivamente irá trabalhar naquele mês. As empresas que fornecem atualmente o vale-refeição ou vale-alimentação çom o valor facial superior a " R$ 4,25 [quatro reais, vinte e cinco centavos], promoyerão a atualização destes na proporção de 6,25% [seis vírgula vinte e cinco por centol;"s(j~rê"l"6i,valor facial. "ê, C'ê',,~ respectivo. iê'ii~.~"",~ êiii PARÁGRAFO ÚNICO. OS empregados autorizam o desconto previstoê'n, lei, incidente sobre o valor total concedido, a partir da concessão do benefício, na forma e para os fins do disposto no PAT [Programa de Alimentação do Trabalhador] - no parágrafo 1, do artigo 2 do Decreto 5, de "I ~, A jornada de trabalho dos Vlgl antes será a estabelecida pela C~nstituiÇão (\, Federal, isto é, 44 [quarenta e quatro] horas semanais, ou 190 [cento e noventa] horas mensais, por força da presente CCT, não sendo permitida a compensação. PARÁGRAFO PRIMEIRO. Fica instituída a jornada de trabalho em escala de 12h x 36h, ou seja, doze horas de trabalho por trinta e seis horas de descanso, para todos os empregados, jornada de trabalho esta que poderá ser ~ serviço. utilizada pela empresa, dentro de suas conveniências e a necessidade do~.. PARÁGRAFO SEGUNDO. Os empregados que cumprirem a jornada a que se refere o parágrafo anterior [12 x 36] não terão direito a pagamento de horas extraordinárias, em razão da compensação automática estabelecida,!!) pela inexistência de trabalho nas 36 [trinta e seis] horas seguintes e não ~- ($i:? W 3 ~ Rua Pereira Filgueiras, andar - salas 303,304 - ~G. Center 1- Meireles - CEP

4 .. 1-, ~!~!!I~:~lllj ~ ~:~:- Fe n avi s t. d ~~~~ 1I fi el p ~~ Federação Nacional ~ ~ ~ de Segurança e Tran S'ND'CATO OAS EMPRESAS DE SEGURANçA PR'VADA 00 ESTADO DO "E AR' haverá distinção entre o trabalho realizado no período diurno e noturno, salvo quanto ao adicional noturno..c.lausu.i.a auj.nia;...d.o-pagam~o..das EtB~ O pagamento. da remuneração das férias será efetuado até 02 ~ois) dias antes do início do respectivo gozo do período pago. As férias serão calculadas em função do salário mensal do empregado, acr.escido, em sendo caso, da remuneração de horas extras e adicional noturno do período aquisitivo, pela :-"" respectiva média. PARÁGRAFO ÚNICO. O prazo para a concessão das férias não poderá ser superior a 06 (seis) dq p~!íodo aquisitivo, sob c c ccc"cc c pena de, consoante a lei vigente, ;pagamentoccem QQDliQ;,;;;QQ, período não :::~::::r;~:::~. ~~"'..~,. ~~ C ;é é Na comunicação de aviso prévio ao empregado, deverá éc,,&n!tar, obrigatoriamente: ééc c;éc; ;;;c;cé;cé;i!ipéc ajécc A forma co"mo será cumprido (se trabalhado; b] A reduçãqcdãélornadad;~;i"u,a"balho"exigida ép9réç~~iébem como o início e o término da jornada; ééécéiéé&c'c (\ c] A data de pagamento das verbas rescisórias (que será a data em que o empregado dispensado deverá comparecer à Empresa ou ao Sindicato, conforme seja o caso, para recebimento de referidas verbas). ç As -I.. A Empresas _U_SULA empregadoras ETJ - M - A_~ O_Q- _A obrigam-se _u XILI- Q - E- a U - pagar NE- fia aos 1 dependentes econômicos comprovados do empregado que vier a falecer durante a vigência da presente Convenção, um auxílio funeral equivalente a 04 (quatro) vezes o ~: último salário base ou nominal do falecido. c.la.us.uj..a...ojia~ O controle do horário de co..nirqj,.e...dq.j::lorablqjj.e.ibabalh.o trabalho deverá ser feito através de cartão ou livro ~to. folha de freqüência ou ficha de horário externo, que deverá ser ~,ry1 --~ -- ~-- Rua Pereira Filgueiras, andar - salas 303,304 - P:G. Center 1- Meireles - CEP

5 " """d~~ ~ ~ ~~~~~~~~llllj~ 1"; ~~:.~. d ~~~~ FILlADO A: Fenav;st 11ft e/ p ~~ Federação Naciona S'ND'CATD DAS EMPRESAS DE SEGURANÇA PRIVADA DD ESTADD DD GEARÁ ~ ~ ~ de Segurança e Tra marcado ou assinado, diariamente, com indicação do horário de entrada e de saída do trabalho, sendo facultado a marcação do intervalo e da saída, de;de que, de comum acordo com o empregado, seja acordada com o mesmo e tenha sua aquiescência. clau SULA~ONA;DOFASDAMJENI.O D-f-IBAaA LHO. As empresas obrigam-se a fornecer gratuitamente a todos 00 empregados da categoria de vigilantes, sujeitos ao trabalho u~iformizados, pelo menos 02 (duas) calças e 02 (duas) camisas anualmente e 01 (uni par de sapatos a cada, r"', 06 (seis) meses, acompanhados de meias; se a empresa fornecer botas ou coturnos, o prazo de substituição será de 12 (doze) meses. PARÁGRAFO vtgjl.ante o uso indevido do uniforme, q'ue não em serviço ounotrans~~aii:a"p~l" PARÁGRAFO SEGUNDO: A liquidação de contas, quando do processo de desligamento do empregado, só ocorrerá com a devolução do porte de ama, emblemas e demais pertences da Empresa que se encontrarem em seu ~er, bem como do uniforme de trabalho. "'" ri ir ri!,;!i"'" c ""'",,ici', "'~"'~C"ê a PARÁGRAFO TERCEIRO. Fica facultado às empresas, do i uso de coletes à prova de balas, para segurança em postos ide alto risco, i desde que ap[ovagoce autoriz~d9ccdjtçcuso iip~'9cci,!j~partamento de Polícia Federal do icc C.lAu.s.uLA-DÉClMA;DOIRABALt:l.OOE~É. ji~ o vigilante que trabalhar em pé por 04 quatro) horas consecutivas, terá direito ; a um descanso de 15 (quinze) minutos sentado, sem, no entanto, afastar-se do posto de trabalho. ~ kláu5ula-d.éctma_-.fblmeiba:dadem.lss-ã-o--- " AP.OSENTADORJA. Ao empregado que for dispensado sem justa causa e que tenha na empresa mais de 02 (dois) anos de serviço e a quem, concomitantemente, falte, no máximo, 24 (vinte e quatro) meses para se aposentar, a empresa reembolsará Rua Pereira Filgueiras, andar - salas 303,304 - ~G. Center I - Meireles - CEP Fone/Fax: (8s) Fortaleza - Cearó

6 .. ~ '9 ~;t=- Fenavist Illde/ p =~ Federação Nacional ~ ~ de Segurança e Tran SINDICATO DAS EMPRESAS DE SEGURANÇA PRIVADA DO ESTADO DO C~AR' necessário para que se complete o tempo de aposentadoria, com base no último salário reajustado na forma da presente Convenção, reembolso este sem natureza salarial. C1ÁUSU.LA-Df.ÇjMA_SEGUNDA.; M...sALÃBlO-EAMíLlA As Empresas obrigam-se a entregar recibo relativo às cer1idões de nascimento entregues pelos empregados para percepção do salário famnia. ~.cj..aus.uj..a_o.é.cjma.ifrcelba; OO-P-AGAM.ENIO_D.o-1.3 ~ S AL.ÁBlQ f" forma: As empresas pagarão o 130 salário do ano de 2005, em uma única parcela, com base no salário de dezembro, at$ o dl~c,;;j;dilv'cdei$dezembro de 2005, ou, entã~'ccumprirã.o a lei Vi~r1~~,~~~~JDatérl~q't~",V'V' PARAGRAFO UNICO. Em caso de atraso no pagamento do décimo terceiro salário, fica estipulada a multa de 2% [dois por cento] do valor do salário-dia normal, a ser paga por dia de atraso, em favor do empregado credor, &plvo c, se a mora ocorrer por culpa do empregado. c ' ",,:df.j lf~&~~ 4"7!1' cla.sula DÉ IMA VIDA'c~ c ',c/c!!;,!! cêcc,( CC!ccc;!!!C! cc!!!!!c 1c&!!'" As de vida, de acidentes pessoais, de rtl6rtecou!doenças,para cseus vigilantes, na seguinte a] 26 (vinte seis) vezes a remuneração mensal do vigilante, verificada dentro do mês anterior ao da morte por causas naturais; b] 52 (cinqüenta e duas) vezes a remuneração mensal do vigilante, verifica da dentro do mês anterior ao da morte por acidente de trabalho no efetivo exercício da função; c] 52 (cinqüenta e duas) vezes a remuneração mensal do vigilante, verifica da dentro do mês anterior, para cobertura de invalidez permanente, parcial ou\ '\," total, por acidente; ~ PARAGRAFO ÚNICO. No caso de inexistência de seguro, e havendo acidente com o empregado, a Empresa obriga-se a indenizar o vigilante seus dependentes comprovados o valor igual ao que seria pago pela ou~ C~hia Seguradora.. 6 Rua Pereira Filgueiras, andar - salas 303,304 - ~G. Center 1- Meireles - CEP Fone/Fax: (85) Fortaleza - Cearó

7 .. :.8 ~~.~~ Fenav;st 11ft d e.l p ~~~~!~ Federação Nacionald - ~!!!~I~::~llj~ FILlADO A: ~ ~~~ S'ND'CATD DAS EMPRESAS DE SEGURANÇA PR'VADA DD ESTADD DD "EARA ~ ~ ~ de Segurança e Trans C_l_Á_U_SU _l_a -_0- É_C_I M_A QU_'_N I_A_; O_O_S DES_C_O_NIO_S f_80j_bi_o Em casos de assaltos, ou qualquer ação criminosa, devidamente compro\6da por intermédio da autoridade policial, mediante documento escrito, as armas ou quaisquer outros instrumentos de trabalho, furtados ou rwbados em tais eventos criminosos, não serão descontados dos salários dos vigilantes. As Empresas não descontarão, também a munição gasta em razão da atividade do vigilante. r"\ clausuj..ad-é-clma_sext A:D A T~SEERÊ~lA--IEM.e.o.BÃBIA Por necessidade do serviço, o vigilante poderá temfdrariamente, ser removido de sua sede para qualquer outra localidade em que a Empresa executar suas ~~V~dL ~e~,;;~e ambos ii;;; PARÁGRAFO ÚNICO. Nos deslocamentos de vigilantes entre cidades do Interior do Estado, para a efetiva prestação de serviços, inexistindo o sisema de vale - transporte as Empresas arcarão com as despesas desses des:ocamentos~, ii;;i;;""';cc", ~;' ClAU la DE CIMA 5ETIMA: D PAGAMENTO D 55,LA,.rO (o, a] transferência de remuheracão'/ com a "'icccj",cccccccj YCyY I, b] Quando o quinto dia útil cair no sábado, o pagamento dos salários de~rá ser feito em dinheiro; c] O pagamento dos salários deverá ser feito sempre até o quinto dia útil do mês subseqüente ao vencido. CI..AU5UlADÉ~OIIA~A:DOCOMeRO~A~TEDE~-A.GAM.E.:NIO-DE ~. SALÁRlO Ficam as Empresas obrigadas ao fornecimento do comprovante de paganento de salários mensais, com especificação de todos os títulos e quantias pagas e descontadas, inclusive valores relativos ao FGTS do mês respectivo Imposto de Renda Retido na Fonte e Contribuição Sindical. --~~~~~, ~ '. 7 Rua Pereira Filgueiras, andar - salas 303,304 - ~G. Center 1- Meireles - CEP

8 t o ~ ~~t?, Fenavist Illde/ p =~ Federação Nacional d e6 1:33 ~ de Segurança e Tran SINDICATO DAS EMPRESAS DE SEGURANçA PRIVADA DO ESTADO DO "EAR' Será fornecida, gratuitamente, ao empregado, por suá Empresa empregaà>ra, a Carteira Nacional de Vigilante. Contudo, se o empregado vigilante 1iver rescindido seu contrato de trabalho, por qualquer motivo, antes de completar seis [6] meses de serviço, na empresa, ficará obrigado à reembdsar à empresa o válor de dita carteira, através de pagamento direto ou mediante desconto em créditos do empregado. r' CLÁU.5U.LA..YlG-É.sJMA.;._-DA..ElCI::IADEJjOBÃBlO...EXIEBtiO As empresas fornecerão aos seus vigilantes ficha mensal de horário externo, com discriminação complet~cde duração doctrapalho no mês, devendo cada vigilante, obrigatoriam~nté, conduzira sua fiêh~;cquando em serviço, para exibição á fiscalização do Ministério do Trabalho, servin.dó~cno entanto, a segunda via dessa ficha, firmado pelo empregado e em poder da empregadora, para comprovação, junto ao Ministério do Trabalho, em casos de autuações, de que a ficha foi entregue ao vigilante, visando com isto liberar a Empresa da respectiva autuação. ii c/c j icclwji;;.{i'~t"'? Ci.,ÁU.sJJ.bA_Y~.slM~ffllM.Em~~.Q.Q-5-_-AIEST AD ",ÉOI~ ;ii E OOONIQUíGl.cos c/ c',c c As pela Previdência Social, caso naõ""dispõ'iíhamde serviço médico próprio ou em (\ convênio de assistência médica. No entanto, na impossibilidade de atendimento pelo médico da empresa, sobretudo nas emergências, o atestado fornecido pela Previdência Social ou por médicos conveniados com o Sindicato laboral - convênio devidamente comprovado perante a empresa - será aceito, desde que ratificado pelo médico da empresa e ~~~ a esta seja apresentado (o atestado) até um dia depois do seu ~;""i~ fornecimento pela Previdência Social. ~.\" a J) ESTUDANTE Ao trabalhador estudante será assegurado o abono de sua ausência trabalho durante o horário de prestação de exames curriculares ou v;};lares. desde que avisada a Empresa com no mínimo, 48 ~uarenta e oito)!fi 8 Rua Pereira Filgueiras, andar - salas 303,304 - F!G. Center 1- Meireles - CEP Fone/Fax: (85) Fortaleza - Cearó

9 } -~, ~~~i? Fenavist Illde/ p ~~ Federação Nacional das 1::33 ~ ~ de Segurança e Trans o~ de V S'ND'CATD DAS EMPRESAS DE SEGURANÇA PR'VADA FjI)' >fio 7) DO ESTADO DO "EARA /lt../(v horas de antecedência e subordinado a comprovação posterior, pelo empregado, no mesmo prazo, em ambos os casos por escrito. CLAus.u.lA.-~lGÉSJMA--If.BCflBA~--DA S : HO8A SEXT 8AS D ESIUDANll r ~ " O empregado estudante, matriculado em curso regular e previsto em lei, não poderá prestar serviço em horário extraordinário, se este coincidir com o seu horário de aulas, durante o período ou ano letivo. CLÁUSULA ~I G ÉSlMA.QUABIA;.--DA.-CABIADE--BEEEB.e~.cJA No ato da demissão fornecerão a seus "",ci c c,y"'ccc" empregados cárta de ref~iência " " "C""Ciii'ccC i ci "c" 'I'I'Ii'l%ff'l!Piii;i;;;i;;;;iii"", "'""iri',, 11" """""~ c!i;;""i~ láusula VIGÉSIMA - INTA: DO ;i;;;;"""ii;" F RNECIMÉ;;;;r,Ti"" " 'ii DE QQCUM..E~~l3AfBfY1gf~.c1A..so.clAl i c "" ;;";;7!;;i.. r'l~"1ii!i' ;;I i "i i" "" 1i Ií ;;A documentação exigida pela Previdência Social será fornecidqi!,,:~elas iiiii"" Empresas, quando solicitada pelo empregado, nos seguintes prazos: ", n "c,,;; c,ic '"'" a] "05 (cinco) dias úteis quando para "fins de cauix"ílio-diqiençiacteii"iy\~'fí, caso óbito, para fiti$ de pensão por mo"~tê;i b] 15 (quinze) C.-là USULA YJGÉSlMA""SEX--TA ;"""" D AS"FÉI e_5iu_d_a_~_ie de As Empresas concederão as férias de seus empregados comprovada mente estudantes, em períodos que coincidam com as férias escoares, desde que tal benefício seja solicitado pelo empregado, por escrito, num prazo mínimo de. 60 ~sessenta) dias.de antec~dência. -. ~. C.lÁUSUL~lGÉ.sJ.MA--5EIlM.A;"" D O~~NlO...co.MLABMAC1A S As Empresas comprometem-se a procurar fazer convênios com farmácias objetivando a que seus empregados adquiram remédios para desconto mensal em folha de pagamento, desconto que será procedido pelo preço cobado pela farmácia, de uma só vez. ~~ 9 Rua Pereira Filgueiras, andar - salas 303,304 - P:G. Center 1- Meireles - CEP

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE000572/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 23/04/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021807/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.005707/2015-00

Leia mais

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005/2006 PELO PRESENTE INSTRUMENTO DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO DE UM LADO O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE RÁDIODIFUSÃO DO ESTADO DO PARANÁ, A SEGUIR DENOMINADO

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE000066/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/01/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR003083/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.001151/2011-41

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002285/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/10/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR055933/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.001820/2011-96 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001621/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/05/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR020706/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.008089/2011-29 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002511/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053502/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.005004/2012-32 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA 2011/2012

CONVENÇÃO COLETIVA 2011/2012 CONVENÇÃO COLETIVA 2011/2012 Pelo presente instrumento particular, de um lado O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Publicidade do Estado do Paraná, com sede em Curitiba, no estado do Paraná, na

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA 2010/2011

CONVENÇÃO COLETIVA 2010/2011 CONVENÇÃO COLETIVA 2010/2011 Pelo presente instrumento particular, de um lado O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Publicidade do Estado do Paraná, com sede em Curitiba, no estado do Paraná, na

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR034439/2012 SINDICATO DOS FARMACEUTICOS DO ESTADO DE M GROSSO DO SU, CNPJ n. 15.939.572/0001-08, neste ato representado(a) por seu Presidente,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 Termo de CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO que entre si fazem, o Sindicato dos Empregados em Edifícios e em Empresas de Compra, Venda Locação e Administração de Imóveis

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO, que celebram de um lado, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo SESCOOP NACIONAL - CNPJ N.º 03.087.543/0001-86,

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE001531/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 27/10/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR061722/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.018555/2014-16 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR002151/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR026676/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.010071/2009-72 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001254/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/04/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017099/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.006142/2011-57 DATA DO

Leia mais

CLÁUSULA PRIMEIRA - ABRANGÊNCIA

CLÁUSULA PRIMEIRA - ABRANGÊNCIA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO QUE CELEBRAM ENTRE PARTES DE UM LADO O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM EMPRESAS TRANSPORTADORAS DE VALORES, CARRO FORTE, SIMILARES OU CONEXOS NO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 SINDICATO DOS TECNICOS EM SEGURANCA TRABALHO DO ESTADO DE MINAS GERAIS, CNPJ n. 25.578.642/0001-01, neste ato representado por seu Presidente, Sr. CLÁUDIO FERREIRA SANTOS;

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2004 SESC - SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2004 SESC - SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2004 SESC - SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO que entre si fazem o SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO SESC - Administração Regional no Distrito Federal,

Leia mais

SENAC/DF - SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL

SENAC/DF - SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL CAMPANHA SALARIAL - 2014/2015 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SENAC-SERVICO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COM COMERCIAL-ADMINISTRACAO REGIONAL DO DF O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ENTIDADES DE ASSISTÊNCIA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 POR ESTE INSTRUMENTO, QUE ENTRE SI CELEBRAM, POR SEUS RESPECTIVOS REPRESENTANTES LEGAIS, DE UM LADO A ARCELORMITTAL CARIACICA, INSCRITA NO CNPJ/MF SOB O Nº 17.469.701/0053-06

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 8 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000792/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 25/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR016119/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 47193.000049/2012-58

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG002515/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/07/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR038779/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.004745/2014-77 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE AUTOMÓVEIS E ACESSÓRIOS DE BELO HORIZONTE, CNPJ n. 17.265.893/0001-08, neste ato representado por seu Presidente, Sr. HELTON

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2012

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2012 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: TO000023/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/04/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017571/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46226.009193/2012-62

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, QUE ENTRE SI FAZEM, DE UM

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, QUE ENTRE SI FAZEM, DE UM CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, QUE ENTRE SI FAZEM, DE UM LADO, SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE DE VALORES NO DISTRITO FEDERAL, entidade sindical patronal, reconhecida pelo Ministério do Trabalho

Leia mais

1º Rol de negociação 2013 a 2014

1º Rol de negociação 2013 a 2014 1º Rol de negociação 2013 a 2014 Celebram entre si o SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE MATERIAIS PLÁSTICOS E SIMILARES DE CHAPECÓ E REGIÃO OESTE DE SANTA CATARINA com CNPJ Nº 80.623.929/0001-06,

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 10 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC001530/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR022315/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.004377/2013-77 DATA

Leia mais

DISSÍDIO COLETIVO PROCESSO TRT/SP Nº 20280200500002004

DISSÍDIO COLETIVO PROCESSO TRT/SP Nº 20280200500002004 DISSÍDIO COLETIVO PROCESSO TRT/SP Nº 20280200500002004 PELO PRESENTE INSTRUMENTO E NA MELHOR FORMA DE DIREITO, DE UM LADO O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM CASAS DE DIVERSÕES DE SÃO PAULO E REGIÃO, ENTIDADE

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002450/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/10/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR055380/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.005486/2013-10 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE AUTOMÓVEIS E ACESSÓRIOS DE BELO HORIZONTE, CNPJ n. 17.265.893/0001-08, neste ato representado por seu Presidente, Sr. HELTON ANDRADE;

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA 2014

CONVENÇÃO COLETIVA 2014 CONVENÇÃO COLETIVA 2014 SINDICATO DOS MENSAGEIROS MOTOCICLISTAS E CICLISTAS, MOTO- FRETE, MOTOBOYS E MOTO-TAXISTAS DE CURVELO E REGIÃO, CNPJ n 17.437.757/0001-40, NESTE ATO REPRESENTADO POR SEU PRESIDENTE,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, que entre si ajustam, de um lado a FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO DO ESTADO DO MARANHÃO, CNPJ nº06.52.757/0001-05; SINDICATO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: DF000541/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/08/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR044111/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46206.015252/2013-51 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE001186/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/09/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR054961/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.013060/2015-81 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000015/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/01/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR000163/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.000147/2011-48 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO que entre si celebram, de um lado, o SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DE CELULOSE, PAPEL E PAPELÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS - SINPAPEL, e, de outro

Leia mais

Celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

Celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes: SINDICATO TRABALHADORES MOV MERC EM GERAL DE PASSOS, CNPJ n. 64.480.692/0001-03, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). Manoel Messias dos Reis Silva; E FEDERACAO DO COMERCIO DE BENS, SERVICOS

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE000567/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/04/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021147/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.005626/2015-00 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 5 Imprimir Salvar TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001556/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/04/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR076938/2014

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PB000202/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/06/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021878/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46224.002474/2009-17 DATA

Leia mais

Convenção Coletiva 2014

Convenção Coletiva 2014 Convenção Coletiva 2014 SINDICATO DOS MENSAGEIROS MOTOCICLISTAS E CICLISTAS, MOTO- FRETE, MOTOBOYS E MOTO-TAXISTAS DE CURVELO E REGIÃO, CNPJ n 12.512.993/0001-60, NESTE ATO REPRESENTADO POR SEU PRESIDENTE,

Leia mais

Principais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho

Principais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho SINPEFESP-(empregados)-SINDELIVRE-(patronal) Principais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho 2014/2015. VIGÊNCIA E DATA-BASE As cláusulas e condições da presente Convenção Coletiva de Trabalho que

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001150/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/03/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR013605/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.001335/2015 55 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE DE TRABALHO 2014/2015 SINDICATO DOS VIGILANTES DO ESTADO DO CEARÁ Filiado à CONVENÇÃO COLETIVA DE DE TRABALHO 2014/2015 A nossa luta está apenas começando... Rua Alfredo Salgado, N.º 48, Centro Fortaleza - Ceará Fone: (85)

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Fetquim)

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Fetquim) PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Fetquim) CLÁUSULAS PARA DISCUSSÃO CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência da presente Convenção Coletiva de Trabalho no período de 1º

Leia mais

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL AR/DF

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL AR/DF PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL AR/DF CLÁUSULA PRIMEIRA VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência do presente

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000397/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 19/03/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR008248/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.008370/2012-12 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000640/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/05/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR020835/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46232.001517/2015-88 DATA DO

Leia mais

a) - Para salários até R$1.100,00 (hum mil e cem reais) será corrigido com percentual de 10,5%;

a) - Para salários até R$1.100,00 (hum mil e cem reais) será corrigido com percentual de 10,5%; ACORDO COLETIVO DE TRABALHO CELEBRADO ENTRE A CEVA LOGISTICS LTDA. E O SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE BETIM, ESMERALDAS, IGARAPÉ E MATEUS LEME, CONFORME AS SEGUINTES CLÁUSULAS E CONDIÇÕES: 2008/2009

Leia mais

T E R M O A D I T I V O VIGÊNCIA: 1º/02/2012 A 31/01/2013

T E R M O A D I T I V O VIGÊNCIA: 1º/02/2012 A 31/01/2013 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO que entre si celebram, de um lado, representando a categoria profissional, o SINDICATO DOS AUXILIARES DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS SAAE/MG,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP008079/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/09/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR044195/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46261.004278/2009-22 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000776/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/05/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR015125/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46305.000402/2014-94 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG005003/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 05/12/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR079528/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.007490/2014-02 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 De um lado a empresa CORPUS SANEAMENTO E OBRAS LTDA, simplesmente denominada CORPUS, inscrita no CNPJ sob o nº 31.733.363/0006-74 e Inscrição Estadual isenta com sede

Leia mais

CAPÍTULO I - VIGÊNCIA E ABRANGÊNCIA CAPÍTULO II - REMUNERAÇÃO E PAGAMENTO

CAPÍTULO I - VIGÊNCIA E ABRANGÊNCIA CAPÍTULO II - REMUNERAÇÃO E PAGAMENTO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, QUE ENTRE SI FAZEM, DE UM LADO O SINDICATO DOS CONDUTORES DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS E TRABALHADORES EM TRANSPORTES DE CARGAS EM GERAL E PASSAGEIROS NO MUNICÍPIO DO RIO DE

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2013

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2013 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000022/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 08/01/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR079004/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46273.001163/2013-23 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR003439/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR046249/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.012779/2015 14 DATA DO

Leia mais

Acordo coletivo 2008/2009

Acordo coletivo 2008/2009 Acordo coletivo 2008/2009 ACORDO COLETIVO celebrado entre SINDICATO DOS ENFERMEIROS DO RIO DE JANEIRO, doravante denominado SINDENFRJ, inscrito no CNPJ sob o nº 42.183.624/0001-31, localizado a Rua Sete

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO AERO AGRÍCOLA 2006/2007

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO AERO AGRÍCOLA 2006/2007 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO AERO AGRÍCOLA 2006/2007 Que fazem de um lado, o SINAERO Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Empresa de Táxi Aéreo, Aeroclubes, Aviação Agrícola e de Garimpo, Prestadores

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001554/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 12/08/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR032670/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.023032/2010-49 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001633/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/04/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017942/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.001682/2013-16 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000953/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029282/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009097/2013-02 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG000363/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR002753/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.000337/2015-27 DATA DO

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Federação)

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Federação) PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Federação) CLÁUSULAS PARA DISCUSSÃO CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência da presente Convenção Coletiva de Trabalho no período de 1º

Leia mais

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SESC-AR/DF

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SESC-AR/DF PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SESC-AR/DF CLÁUSULA PRIMEIRA VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência do presente Acordo Coletivo de Trabalho no período

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2008/2009

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2008/2009 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2008/2009 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: ES000091/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/03/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR006154/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46207.002022/2009-35 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE001013/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/11/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR057541/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.015432/2010-08 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 Pelo presente instrumento, de um lado o SINDICATO DOS TRABALHADORES EM TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE SOROCABA E REGIÃO, com sede à Rua Augusto Franco, nº 159, em Sorocaba/SP,

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PB000247/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 01/07/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021198/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46224.001800/2010-02 DATA DO

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL - 2012 (Fetquim/CUT)

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL - 2012 (Fetquim/CUT) PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL - 2012 (Fetquim/CUT) CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência da presente Convenção Coletiva de Trabalho no período de 1º de novembro de 2012

Leia mais

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2014/2015 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVICO SOCIAL DO DISTRITO FEDERAL

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2014/2015 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVICO SOCIAL DO DISTRITO FEDERAL PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2014/2015 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVICO SOCIAL DO DISTRITO FEDERAL O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ENTIDADES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000529/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 04/04/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR002949/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.003317/2014-97 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 1/5 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ENTIDADES CULTURAIS, RECREATIVAS, DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, DE ORIENTAÇÃO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, NO ESTADO DO PARANÁ SENALBA/PR, CNPJ 75.992.446/0001-49,

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: DF000433/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/09/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR054260/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46206.010934/2010-24 DATA DO

Leia mais

EMPREGADOS DE REPRESENTANTES COMERCIAIS E EM EMPRESAS DE REPRESENTAÇÃO COMERCIAL

EMPREGADOS DE REPRESENTANTES COMERCIAIS E EM EMPRESAS DE REPRESENTAÇÃO COMERCIAL EMPREGADOS DE REPRESENTANTES COMERCIAIS E EM EMPRESAS DE REPRESENTAÇÃO COMERCIAL Entre as partes, de um lado, representando a Categoria Profissional, o SINDICATO DOS EMPREGADOS DE AGENTES AUTONOMOS DO

Leia mais

Outras normas referentes a salários, reajustes, pagamentos e critérios para cálculo

Outras normas referentes a salários, reajustes, pagamentos e critérios para cálculo NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000203/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 11/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR085273/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.001799/2015-21 DATA DO PROTOCOLO: 27/01/2015 ACORDO COLETIVO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000145/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 31/01/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR080680/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.001357/2014-74 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR002033/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/06/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024877/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.008504/2015 78 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DE 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DE 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO DE 2013/2014 ACORDO COLETIVA DE TRABALHO QUE ENTRE SI FAZEM DE UM LADO O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM EMPRESAS DE SEGUROS PRIVADOS E CAPITALIZAÇÃO E DE AGENTES AUTÔNOMOS DE SEGUROS

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001597/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 11/05/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024152/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.007124/2015-16 DATA DO

Leia mais

Parágrafo 1 - Somente os empregados que estejam no efetivo exercício de suas atividades na EMPRESA farão jus ao Vale Alimentação ou Refeição.

Parágrafo 1 - Somente os empregados que estejam no efetivo exercício de suas atividades na EMPRESA farão jus ao Vale Alimentação ou Refeição. PELO PRESENTE ACORDO COLETIVO DE TRABALHO, DE UM LADO A CDN SERViÇOS DE ÁGUA E ESGOTO S.A., INSCRITA NO CNPJ SOB N 07.496.584/0001-87, COM SEDE NA AVENIDA 20 DE JANEIRO S/ N - RUA E., ILHA DO GOVERNADOR,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PB000103/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 11/03/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR011813/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46224.001065/2010-29 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005-2006

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005-2006 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005-2006 Cláusula Primeira - Entidades signatárias: SINDICATO DAS EMPRESAS DE COMPRA, VENDA, LOCAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE IMÓVEIS E DOS EDIFÍCIOS EM CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG002058/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR018377/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.004510/2012-13 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001762/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/05/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR023628/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.008636/2011-76 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 1 Entre as partes, de um lado, representando a Categoria Profissional, o SINDICATO DOS EMPREGADOS DE AGENTES AUTONOMOS DO COMÉRCIO E EM EMPRESAS DE ASSESSORAMENTO,

Leia mais

(Concessionários e Distribuidores de Veículos de São José, Biguaçú, Palhoça e Santo Amaro da Imperatriz)

(Concessionários e Distribuidores de Veículos de São José, Biguaçú, Palhoça e Santo Amaro da Imperatriz) CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2008/2009 (Concessionários e Distribuidores de Veículos de São José, Biguaçú, Palhoça e Santo Amaro da Imperatriz) Termo de Convenção Coletiva de Trabalho que entre si

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001940/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/05/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR022033/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46238.000478/2015-41 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000955/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR028972/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009094/2013-61 DATA DO

Leia mais

TERMO ADITIVO À CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013

TERMO ADITIVO À CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013 TERMO ADITIVO À CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013 TERMO ADITIVO À CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013 que entre si celebram, de um lado, FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS,

Leia mais

DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR

DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR Por intermédio destas informações, o SITRIVESCH tem por finalidade informar o trabalhador de seus direitos/deveres. Importante destacar que o não cumprimento

Leia mais

ACORDO COLETIVO 2008/2009

ACORDO COLETIVO 2008/2009 SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA E ATACADISTA DE VITÓRIA DA CONQUISTA ACORDO COLETIVO 2008/2009 SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO EM VITÓRIA DA CONQUISTA - BAHIA 01 DE MARÇO DE 2008 CONVENÇÃO COLETIVA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 6 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG004008/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR057851/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.008943/2011-67 DATA

Leia mais

Parágrafo Primeiro: Fica assegurado ao TRABALHADOR admitido para a função de outro, o percebimento de salário igual ao TRABALHADOR desligado.

Parágrafo Primeiro: Fica assegurado ao TRABALHADOR admitido para a função de outro, o percebimento de salário igual ao TRABALHADOR desligado. REFERÊNCIA: CLARO S/A PAUTA NACIONAL DE REIVINDICAÇÕES DOS TRABALHADORES DAS EMPRESAS CONCESSIONÁRIAS DE TELEFONIA FIXA E MÓVEL (OPERADORAS) PARA NEGOCIAÇÃO UNIFICADA DOS SINDICATOS FILIADOS À FENATTEL

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000677/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/08/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR044987/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46208.009540/2015-18

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 Data-base - Maio/2008 BR 101 Km 205 Barreiros São José SC 1 Pelo presente instrumento, de um lado a Centrais de Abastecimento do Estado de Santa Catarina S.A - CEASA/SC,

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/resumo/resumovisualii.. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001782/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 04/09/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO:

Leia mais