Ficha de Avaliação do Programa

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ficha de Avaliação do Programa"

Transcrição

1 Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 41 - LETRAS / LINGUÍSTICA IES: USP - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Programa: P9 - LETRAS (LÍNGUA ESPANHOLA E LIT. ESPANHOLA E HISPANO- Modalidade: AMERIC.) Acadêmico Curso Nível Ano Início Ano Início LETRAS (LÍNGUA Doutorado 1984 ESPANHOLA E LIT. ESPANHOLA E HISPANO- Mestrado 1977 AMERIC.) Dados Disponíveis na Coleta de Dados Curso Nível Ano Ano Ano LETRAS (LÍNGUA ESPANHOLA E LIT. ESPANHOLA E HISPANO- AMERIC.) Doutorado Mestrado PROPOSTA DO PROGRAMA 1.1. Coerência, consistência, abrangência e atualização das áreas de concentração, linhas de pesquisa, projetos em andamento e proposta curricular Planejamento do programa com vistas a seu desenvolvimento futuro, contemplando os desafios internacionais da área na produção do conhecimento, seus propósitos na melhor formação de seus alunos, suas metas quanto à inserção social mais rica dos seus egressos, conforme os parâmetros da área Infra-estrutura para ensino, pesquisa e, se for o caso, extensão O Programa de Pós-Graduação em Letras, Língua Espanhola e Literaturas Espanhola e Hispano-Americanas da USP encerra o triênio com seu Corpo Docente estabilizado, com bons níveis de produção intelectual e com índices adequados de discentes, teses e dissertações. O Programa, que oferece os níveis de Mestrado e Doutorado, estrutura-se a partir de uma área de concentração a que se ligam linhas e projetos do seguinte modo: A Literatura Espanhola da Idade Média ao século XVII (dois projetos em 2007; 3 em 2008; 3 em 2009); A Literatura Espanhola contemporânea (dois projetos, ambos concluídos em 2007; 1 em andamento em 2008, 1 em 2009); A Literatura Latino-Americana como processo: problemáticas estéticas e debates críticos (1 projeto em 2007; 4 em 2008, 5 em 2009); Aquisição/aprendizagem do espanhol como língua estrangeira (1 projeto em 2007; 2 em 2008, 2 em 2009); Estudo Comparado das produções culturais ibero-americanas (3 projetos em 2007; 4 em 2008, 3 em 2009); Estudos contrastivos espanhol - português (2 projetos em 2007; 4 em 2008, 3 em 2009); Estudos e práticas em tradução (2 projetos concluídos em 2007; 2 em andamento em 2008, 2 em 2009); Língua Espanhola: descrição, funcionamento e processos interculturais (3 projetos em 2007; 5 em 2008, 5 em 2009). No tocante às descrições, são precisas e adequadas. Os projetos contam com expressiva participação de alunos, muitos identificados como discentes-autores, o que indica produção bibliográfica vinculada à pesquisa. No tocante à oferta de disciplinas, o programa salienta que esta varia de acordo com os objetos e enfoques que decorrem dos projetos de orientandos. Assim, a estrutura curricular tem em vista preservar uma coerência temática sem, no entanto, perder abertura e flexibilidade. Não há disciplinas fixas e/ou obrigatórias para os pós-graduandos que compõem sua grade curricular em acordo com seus orientadores. Em 2007, o Programa ofertou 8 disciplinas, 6 em 2008 e 10 em A proposta curricular é adequada. As ementas são consistentes, do mesmo modo que as bibliografias O programa apresenta propostas consistentes que apontam para seu desenvolvimento futuro. Sua Página 1 de 6

2 interlocução nacional e internacional tem lhe permitido pensar ações efetivas para o espanhol sua área de atuação. Destaque-se, nesse particular, os objetivos manifestos do programa: ampliar atividades de cooperação internacional; atuar no âmbito nacional com vistas à implantação do espanhol como disciplina obrigatória no âmbito do ensino público brasileiro; desenvolver linhas e projetos de uma perspectiva que vincule os estudos lingüísticos, literários, de tradução e de cultura do universo hispânico com a língua e a cultura do Brasil. Há ainda expressivo número de trabalhos em preparação, envolvendo o conjunto dos docentes. Sobre a seleção de alunos, informa-se que ocorre semestralmente O programa conta com laboratórios de multimídia, de pesquisa e de som e imagem. Todos equipados de maneira adequada e habilitados para atender às necessidades de ensino e pesquisa. Além disso, dispõe de biblioteca atualizada e de recursos de informática disponibilizados aos professores e aos alunos. CORPO DOCENTE 2.1. Perfil do corpo docente, consideradas titulação, diversificação na origem de formação, aprimoramento e experiência, e sua compatibilidade e adequação à Proposta do Programa Adequação e dedicação dos docentes permanentes em relação às atividades de pesquisa e de formação do programa 2.3. Distribuição das atividades de pesquisa e de formação entre os docentes do programa Contribuição dos docentes para atividades de ensino e/ou de pesquisa na graduação, com atenção tanto à repercussão que este item pode ter na formação de futuros ingressantes na PG, quanto na formação de profissionais mais capacitados no plano da graduação O corpo docente é experiente e apresenta índices consideráveis de atuação e de produção intelectual. Em 2007 registrou 14 docentes permanentes e 4 visitantes; em 2008, o número de permanentes subiu para 15 e houve um visitante. Em 2009 houve acréscimos no quadro chegando a 18 o número de permanentes com registro de 2 visitantes. A média de aluno por docente é ligeiramente superior a 5 e está dentro dos parâmetros. A titulação está de acordo com fixação de área e linhas, bem como as atividades desenvolvidas são compatíveis com a posição de permanente. No triênio, quatro docentes fizeram seus pósdoutoramentos, vinculados a atividades de cooperação internacional. A visibilidade do corpo docente é muito boa. Registram circulação externa, participam de sociedades cientificas e, além dos quatro que são bolsistas produtividade do CNPq, os demais professores demonstram capacidade de captação de recursos Os docentes apresentam participação adequada em atividades de formação. Em 2008, o envolvimento com disciplinas de pós-graduação foi efetivo (uma a duas disciplinas por docente). A média, no ano, foi de cerca de 130 horas por docente. Mesmo quadro manteve-se em 2009 com média superior a 110 horas/aula ano na pós-graduação A atuação dos docentes permanentes é compatível com a função. Todos possuem projetos de pesquisa em proporções adequadas (de 1 a 2 projetos por docente). Além disso, como se frisou, todos apresentam muito boa capacidade de captação de recursos externos A atuação dos docentes na graduação é efetiva. A cada ano do triênio em torno de 70 por cento dos docentes permanentes registrou disciplina na graduação. É desejável, porém, que haja aumento em orientações de iniciação científica. Em 2007 há o registro de apenas uma orientação de IC e em 2008, somente 4 docentes e em orientaram nesse nível. Em contrapartida, há registro de orientações de Trabalho de Graduação Individual (TGI) e alunos de graduação participam de projetos registrados nas linhas do programa. Outras atividades integrativas dos dois níveis que merecem destaque são os projetos desenvolvidos no Programa PAE Programa de Aperfeiçoamento do Ensino, que abrange atividades de acompanhamento de cursos sob a supervisão de um docente, na medida em que servem aos pós-graduandos como um espaço alternativo de pesquisa e prática, ao mesmo tempo em que atendem a necessidades de aperfeiçoamento dos alunos de Graduação, oferecendo-lhes espaços complementares de Página 2 de 6

3 formação e oportunizando-lhes experiência com o manejo de língua e literatura. Além disso, o programa registra o curso de grupos de estudo, colóquios e seminários abertos para a graduação. CORPO DISCENTE, TESES E DISSERTAÇÕES 3.1. Quantidade de teses e dissertações defendidas no período de avaliação, em relação ao corpo docente permanente e à dimensão do corpo discente Distribuição das orientações das teses e dissertações defendidas no período de avaliação, em relação aos docentes do programa Qualidade das Teses e Dissertações e da produção de discentes autores da pós-graduação e da graduação (no caso de IES com curso de graduação na área) na produção científica do programa, aferida por publicações e outros indicadores pertinentes à área Eficiência do Programa na formação de mestres e doutores bolsistas: Tempo de formação de mestres e doutores e percentual de bolsistas titulados. Bom 3.1. Em 2007 foram 15 trabalhos finais concluídas (10 dissertações e 5 teses). Em 2008, foram 16 defesas (12 de mestrado e 4 de doutorado), em 2009, 19 defesas (10 de mestrado e 9 de doutorado). A média do triênio é próxima a 1 trabalho por docente permanente. A percentagem de titulados em relação ao total de discentes ficou superior a 25 por cento em cada ano do triênio. As relações continuam satisfatórias As orientações estão distribuídas de forma adequada entre os docentes permanentes do programa. O número máximo de orientandos por orientador foi de 9 alunos, ainda dentro dos parâmetros de 10 orientações. Mais de 90 por cento dos orientadores tiveram trabalho de orientando defendido no período. Os dados demonstram o envolvimento adequado dos docentes com atividades de orientação Os trabalhos de teses e dissertações são adequados às linhas e área de concentração e tiveram composições de bancas de acordo com parâmetros indicados. Relativamente à produção, não há registro de produto vinculado a teses e dissertações. A produção de egressos registra apenas produção técnica (cursos e apresentações de trabalhos) Como se afirmou, o programa titulou 15 alunos no ano base de 2007 (10 de mestrado e 5 de doutorado) Desse total, 4 foram bolsistas. Em 2008 foram titulados 16 alunos (12 de mestrado e 4 de doutorado). Desses, 11 eram bolsistas. Em 2009, 10 titulados (10 de mestrado e 9 de doutorado). 11 bolsistas. Houve 4 desligamentos no triênio, o que está ligeiramente acima do recomandado. Em 2007, o tempo médio de titulação foi de 48,7 meses para mestrado e de 58,2 para doutorado. Em 2008, de 47,4 para mestrado e de 58,8 para doutorado, em 2009, 38,9 para o mestrado e 54,4 para o doutorado. Embora o programa argumente que esses tempos são os ideais para desenvolver bons trabalhos, em função das especificidades da área, as médias continuam acima dos parâmetros recomendados. PRODUÇÃO INTELECTUAL 4.1. Publicações qualificadas do Programa por docente permanente Distribuição de publicações qualificadas em relação ao corpo docente permanente do Programa Produção técnica, patentes e outras produções consideradas relevantes. Página 3 de 6

4 4.1. A produção intelectual de indicador 1 é bastante qualificada. Cerca de 80 por cento de artigos em periódicos situa-se entre os estratos A1 e B2. No triênio, foram registrados 77 produtos de indicador 1, com média de 4,3 por docente permanente. A relação anual é a seguinte: 2007: 3 artigos em periódicos (2 A2 e 1 B2); 1 livro integral, 7 capítulos, 1 coletânea e 3 verbetes; 2008: 10 artigos em periódicos (1 A1, 2 A2, 6 B2, 1 B3); 2 livros integrais, 15 capítulos de livros e 3 verbetes; 2009, 17 artigos (1 A1, 4 A2, 4 B2, 1 B3, 1 B4, 1 C e 5 NC); 12 capítulos de livros, 2 coletâneas e 1 verbete. Relativamente a livros, os 47 produtos registrados no triênio enquadram-se na seguinte qualificação: em 2008, 1 livro integral (L4); em 2009, 8 capítulos (7 L4 e 1 L3) e uma coletânea (L4) A produção está bem distribuída entre os docentes do programa, embora haja um docente sem produção no triênio. Todos os demais apresentam, ao menos, um produto de indicador 1. Ao redor de 30 por cento dos docentes permanentes contribuíram com registro de livros que foram qualificados A produção de indicador 2 somou 310 produtos no triênio, com media de 17 por docente permanente. A situação anual foi a seguinte: em 2007, 90 produtos, em 2008 outros 90 produtos, em 2009, 130. A ênfase é para produtos técnicos, cursos de curta duração, apresentação de trabalhos e publicação de anais não classificados. INSERÇÃO SOCIAL 5.1. Inserção e impacto regional e (ou) nacional do programa Integração e cooperação com outros programas e centros de pesquisa e desenvolvimento profissional relacionados à área de conhecimento do programa, com vistas ao desenvolvimento da pesquisa e da pós-graduação Visibilidade ou transparência dada pelo programa à sua atuação O programa demonstra inserção nacional através da ampla circulação de seus docentes que participam de sociedades científicas e registram envolvimento com cursos de formação, fixação e divulgação de material didático-instrucional. Além disso, há parcerias consolidadas através do desenvolvimento de projetos conjuntos e de planejamento de estágio pós-doutoral A integração com outros centros de pesquisa é evidente e muito bem equacionada. Destaque-se o convênio com a Universidade de Buenos Aires, em cujo âmbito foi instituída a produção de disciplinas conjuntas, buscando harmonizar conteúdos relacionados às linhas de pesquisa do programa. Como desdobramento dessa iniciativa, no triênio, os bolsistas cursaram disciplinas na instituição receptora. Os estudos conjuntos têm proporcionado também a geração de produtos bibliográficos, promoção de cursos, eventos e palestras. Vale o mesmo para outros convênios que incluem, além da Argentina, instituições uruguaias. No mesmo período, os docentes registram ativa participação na composição de bancas de diversas instituições federais, estaduais e também privadas brasileiras, bem como, oferta de cursos e palestras em diversas, além de circulação por renomeadas instituições internacionais A página web do programa apresenta identificação da coordenação, contatos, rol de docentes, linhas e projetos de pesquisa, informações sobre o processo de seleção, dados de alunos bolsistas, disciplinas credenciadas e ofertadas, histórico das teses e dissertações defendidas, acesso à produção bibliográfica. Página 4 de 6

5 Qualidade dos Dados Quesitos PROPOSTA DO PROGRAMA CORPO DOCENTE CORPO DISCENTE, TESES E DISSERTAÇÕES PRODUÇÃO INTELECTUAL INSERÇÃO SOCIAL Comentário Qualidade Conceito/Nota CA Quesitos Comissão PROPOSTA DO PROGRAMA 0.00 CORPO DOCENTE CORPO DISCENTE, TESES E DISSERTAÇÕES PRODUÇÃO INTELECTUAL INSERÇÃO SOCIAL Data Chancela: 06/08/2010 Conceito Nota O Programa de Pós-Graduação em Letras, Língua Espanhola e Literaturas Espanhola e Hispano-Americanas da USP encerra o triênio com seu Corpo Docente estabilizado, com bons níveis de produção intelectual e com índices adequados de discentes, teses e dissertações. O programa demonstra inserção nacional através da ampla circulação de seus docentes que participam de sociedades científicas e registram envolvimento com cursos de formação, fixação e divulgação de material didático-instrucional. Além disso, há parcerias consolidadas através do desenvolvimento de projetos conjuntos e de planejamento de estágio pós-doutoral. 5 Complementos Apreciações ou sugestões complementares sobre a situação ou desempenho do programa. O programa apresenta propostas consistentes que apontam para seu desenvolvimento futuro. Sua interlocução nacional e internacional tem lhe permitido pensar ações efetivas para o espanhol sua área de atuação. O corpo docente é experiente e apresenta índices consideráveis de atuação e de produção intelectual. Os trabalhos de teses e dissertações são adequados às linhas e área de concentração e tiveram composições de bancas de acordo com parâmetros indicados. A produção intelectual de indicador 1 é bastante qualificada e está distribuída de forma adequada entre os docentes permanentes. Recomendações da Comissão ao Programa. Trata-se de programa consolidado que, ao longo do triênio, afirmou a composição de seu corpo docente após as dificuldades experimentadas no triênio anterior. Recomenda-se atenção sobre o prazo de titulação, e especial no que toca ao mestrado, cujo tempo continua acima da média recomendada. A CAPES deve promover visita de consultores ao Programa? Justificativa da recomendação de visita ao programa. Não A Comissão recomenda mudança de área de avaliação? Não Área Indicada: Justificativa da recomendação de mudança de área de avaliação do programa (em caso afirmativo) Nota CTC-ES Data Chancela: 09/09/2010 Nota CTC-ES: 5 Comissão Responsável pela : Sigla IES BENJAMIN ABDALA JÚNIOR USP Coordenador(a) da Área CÉLIA MARQUES TELLES UFBA Coordenador(a) Adjunto(a) da Área Página 5 de 6

6 Comissão Responsável pela : Sigla IES ALVARO LUIZ HATTNHER UNESP/SJRP Consultor(a) ANA LUCIA DE PAULA MULLER USP Consultor(a) ANA LÚCIA MACHADO DE OLIVEIRA UERJ Consultor(a) AUDEMARO TARANTO GOULART PUC/MG Consultor(a) DIANA LUZ PESSOA DE BARROS UPM Consultor(a) DÓRIS DE ARRUDA CARNEIRO DA CUNHA UFPE Consultor(a) EDSON ROSA DA SILVA UFRJ Consultor(a) EDUARDO ROBERTO JUNQUEIRA GUIMARÃES UNICAMP Consultor(a) ELISABETH BRAIT PUC/SP Consultor(a) ENEIDA LEAL CUNHA UFBA Consultor(a) FABIO AKCELRUD DURÃO UNICAMP Consultor(a) FABIO ALVES DA SILVA JUNIOR UFMG Consultor(a) GLADIS MASSINI-CAGLIARI UNESP/ARAR Consultor(a) HERONIDES MAURILIO DE MELO MOURA UFSC Consultor(a) IZABEL MARGATO PUC-RIO Consultor(a) JOSÉ LUÍS JOBIM DE SALLES FONSECA UERJ Consultor(a) MÁRCIA MARQUES DE MORAIS PUC/MG Consultor(a) MARIA CRISTINA FARIA DALACORTE FERREIRA UFG Consultor(a) MARIA DA GRAÇA KRIEGER UNISINOS Consultor(a) MARIA DO SOCORRO SILVA DE ARAGÃO UFC Consultor(a) MARIA JOSÉ GNATTA DALCUCHE FOLTRAN UFPR Consultor(a) MARIA LUIZA SCHER PEREIRA UFJF Consultor(a) MARIANGELA RIOS DE OLIVEIRA UFF Consultor(a) MARILIA LOPES DA COSTA FACO SOARES UFRJ Consultor(a) MYRIAM CORREA DE ARAUJO AVILA UFMG Consultor(a) PEDRO BRUM SANTOS UFSM Consultor(a) REGINA DALCASTAGNE UNB Consultor(a) REGINA ZILBERMAN UFRGS Consultor(a) RITA MARIA DINIZ ZOZZOLI UFAL Consultor(a) SALETE DE ALMEIDA CARA USP Consultor(a) SILVIO RENATO JORGE UFF Consultor(a) TELMA NUNES GIMENEZ UEL Consultor(a) WALDEMAR FERREIRA NETTO USP Consultor(a) Página 6 de 6

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 41 - LETRAS / LINGUÍSTICA IES: 33002010 - USP - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Programa: 33002010110P0 - LITERATURA BRASILEIRA Modalidade: Acadêmico Curso

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 4 - QUÍMICA IES: 31033016 - UENF - UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE FLUMINENSE DARCY RIBEIRO Programa: 31033016013P0 - CIÊNCIAS NATURAIS Modalidade:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2010 a 2012 Etapa: Trienal 2013 Área de : 10 - ENGENHARIAS I IES: 42002010 - UFSM - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Programa: 42002010020P0 - ENGENHARIA CIVIL

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 26 - DIREITO IES: 33057010 - UNIB - UNIVERSIDADE IBIRAPUERA Programa: 33057010003P3 - DIREITO Modalidade: Acadêmico

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 10 - ENGENHARIAS I IES: 32020015 - CEFET/MG - CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECN. DE MINAS GERAIS Programa: 32020015004P3 - ENGENHARIA CIVIL

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 2 - CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO IES: 24001015 - UFPB/J.P. - UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA/JOÃO PESSOA Programa: 24001015047P4

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 21 - EDUCAÇÃO FÍSICA IES: 33001014 - UFSCAR - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS Programa: 33001014016P7 - FISIOTERAPIA Modalidade: Acadêmico Curso

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 42 - CIÊNCIAS AGRÁRIAS I IES: 50001019 - UFMT - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO Programa: 50001019016P5 - CIÊNCIAS FLORESTAIS E AMBIENTAIS Modalidade:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 18 - ODONTOLOGIA IES: 33003033 - UNICAMP/Pi - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS/PIRACICABA Programa: 33003033005P9 - RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA Modalidade:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 21 - EDUCAÇÃO FÍSICA IES: 33003017 - UNICAMP - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Programa: 33003017046P6 - EDUCAÇÃO FÍSICA Modalidade: Acadêmico Curso

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 8 - CIÊNCIAS BIOLÓGICAS II IES: 33003017 - UNICAMP - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Programa: 33003017040P8 - BIOLOGIA FUNCIONAL

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 18 - ODONTOLOGIA IES: 33114013 - UNIARARAS - CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMINIO OMETTO Programa: 33114013001P8 - ODONTOLOGIA Modalidade: Profissional Curso

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de Avaliação: 2007 a 2009 Etapa: Avaliação Trienal 2010 Área de Avaliação: 48 - BIOTECNOLOGIA IES: 33008019 - UMC - UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES Programa: 33008019005P0 - BIOTECNOLOGIA Modalidade:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 13 - ENGENHARIAS III IES: 33021015 - UNITAU - UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ Programa: 33021015006P5 - ENGENHARIA MECÂNICA Modalidade: Profissional

Leia mais

ÁREA: ODONTOLOGIA TRIÊNIO 2007-2010. Coordenadora: Isabela Almeida Pordeus (UFMG) Coordenador-Adjunto: Lourenço o Correr Sobrinho (Unicamp)

ÁREA: ODONTOLOGIA TRIÊNIO 2007-2010. Coordenadora: Isabela Almeida Pordeus (UFMG) Coordenador-Adjunto: Lourenço o Correr Sobrinho (Unicamp) Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação ÁREA: ODONTOLOGIA TRIÊNIO 007-00 00 Coordenadora: Isabela Almeida Pordeus (UFMG) Coordenador-Adjunto:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2004 a 2006 Etapa: Trienal 2007 Área de : 10 - ENGENHARIAS I IES: 24009016 - UFCG - UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE Programa: 24009016002P1 - ENGENHARIA CIVIL E AMBIENTAL Modalidade:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2004 a 2006 Etapa: Trienal 2007 Área de : 15 - MEDICINA I IES: 50001019 - UFMT - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO Programa: 50001019009P9 - CIÊNCIAS DA SAÚDE Modalidade: Acadêmico Curso

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 38 - EDUCAÇÃO IES: 42004012 - FURG - FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE Programa: 42004012002P0 - EDUCAÇÃO AMBIENTAL Modalidade: Acadêmico

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 20 - ENFERMAGEM IES: 25004018 - FESP/UPE - FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO Programa: 25004018015P7 - ENFERMAGEM Modalidade: Acadêmico Curso Nível

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: QUÍMICA COORDENADOR DE ÁREA: Jairton Dupont COORDENADOR ADJUNTO DE ÁREA: Luiz Carlos Dias I. APRESENTAÇÃO DA AVALIAÇÃO REALIZADA

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 26 - DIREITO IES: 33005010 - PUC/SP - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO Programa: 33005010019P5 - DIREITO

Leia mais

Seminário de Acompanhamento de Programas de Pós-Graduação em Odontologia 3 x 3

Seminário de Acompanhamento de Programas de Pós-Graduação em Odontologia 3 x 3 Seminário de Acompanhamento de Programas de Pós-Graduação em Odontologia 3 x 3 Isabela Almeida Pordeus (UFMG) Arnaldo de França Caldas Jr (UFPE) Outubro 2011 OBJETIVOS Refletir sobre trajetórias, discutir

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 17 - MEDICINA III IES: 33009015 - UNIFESP - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Programa: 33009015010P0 - MEDICINA (CIRURGIA CARDIOVASCULAR) Modalidade:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 15 - MEDICINA I IES: 33009015 - UNIFESP - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Programa: 33009015045P8 - MEDICINA INTERNA E TERAPÊUTICA Modalidade: Acadêmico

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de Avaliação: 2007 a 2009 Etapa: Avaliação Trienal 2010 Área de Avaliação: 37 - PSICOLOGIA IES: 32001010 - UFMG - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Programa: 32001010041P9 - PSICOLOGIA Modalidade:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2010 a 2012 Etapa: Trienal 2013 Área de : 38 - EDUCAÇÃO IES: 40014010 - UNICENTRO - UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE Programa: 40014010009P1 - Educação Modalidade:

Leia mais

GEOCIÊNCIAS ÁREA: TRIÊNIO DE AVALIAÇÃO 2007-2009. Coordenador: Roberto Dall Agnol Coordenador-Adjunto: Ministério da Educação

GEOCIÊNCIAS ÁREA: TRIÊNIO DE AVALIAÇÃO 2007-2009. Coordenador: Roberto Dall Agnol Coordenador-Adjunto: Ministério da Educação Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação ÁREA: GEOCIÊNCIAS TRIÊNIO DE AVALIAÇÃO 2007-2009 2009 COORDENAÇÃO 2008-2010 2010 Coordenador: Roberto

Leia mais

Relatório de Ficha de Acompanhamento/Avaliação do Programa

Relatório de Ficha de Acompanhamento/Avaliação do Programa Período de Avaliação: 2007 a 2009 Etapa: Acompanhamento 2009 (Ano Base 2008) Área de Avaliação: 45 - INTERDISCIPLINAR IES: 42024013 - UNIJUÍ - UNIV. REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de Avaliação: 2010 a 2012 Etapa: Avaliação Trienal 2013 Área de Avaliação: 27 - ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO IES: 42001013 - UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Programa:

Leia mais

DOCUMENTO DE ÁREA 2009

DOCUMENTO DE ÁREA 2009 Identificação Área de Avaliação: SERVIÇO SOCIAL/ECONOMIA DOMÉSTICA Coordenadora de Área: MARIANGELA BELFIORE WANDERLEY Coordenadora-Adjunta de Área: MARILDA VILLELA IAMAMOTO Modalidade: Acadêmica I. Considerações

Leia mais

FICHA DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA

FICHA DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA Período de Avaliação: 2001/200 - Acompanhamento 200 - Ano Base 2002 Área de Avaliação: LETRAS / LINGUÍSTICA Programa: 2008018005P5 - LETRAS E CULTURA REGIONAL / UCS Curso LETRAS E CULTURA REGIONAL Dados

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 25 - CIÊNCIA DE ALIMENTOS IES: 42003016 - UFPEL - UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Programa: 42003016009P9 - CIÊNCIA E TECNOLOGIA Modalidade: Acadêmico

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 16 - MEDICINA II IES: 33002029 - USP/RP - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO/ RIBEIRÃO PRETO Programa: 33002029029P3 - MEDICINA

Leia mais

PANORAMA PPGCOM-ESPM. Coordenadora: Rose de Melo Rocha Vice-Coordenadora: Tânia Hoff

PANORAMA PPGCOM-ESPM. Coordenadora: Rose de Melo Rocha Vice-Coordenadora: Tânia Hoff PANORAMA PPGCOM-ESPM Coordenadora: Rose de Melo Rocha Vice-Coordenadora: Tânia Hoff Quem somos Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu com Cursos de Doutorado (desde 2013) e Mestrado Acadêmico (desde 2006)

Leia mais

CRITÉTIOS DE AVALIAÇÃO DA CAPES

CRITÉTIOS DE AVALIAÇÃO DA CAPES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO PROFISSIONAL TECNOLOGIA,

Leia mais

1 / 17. Orientações do CTC Reunião de 07/06/2006 sobre a Nova Ficha de Avaliação

1 / 17. Orientações do CTC Reunião de 07/06/2006 sobre a Nova Ficha de Avaliação Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Capes Critérios de Avaliação Trienal Triênio Avaliado 2004 2007 Área de Avaliação: ADMINISTRAÇÃO/TURIMSO PROGRAMAS/CURSOS ACADÊMICOS

Leia mais

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009 Identificação Área de Avaliação: ANTROPOLOGIA / ARQUEOLOGIA Coordenador de Área: CARLOS ALBERTO STEIL Coordenador-Adjunto de Área: CARLOS FAUSTO Modalidade: Acadêmica I. Considerações gerais sobre o estágio

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 48 - BIOTECNOLOGIA IES: 28025016 - CPqGM - CENTRO DE PESQUISA GONÇALO MONIZ - FIOCRUZ Programa: 28025016001P4 - BIOTECNOLOGIA EM SAÚDE E MEDICINA

Leia mais

(a) Os objetivos do sistema de avaliação continuada; (b) A comissão de acompanhamento; (c) Os pesos dos quesitos na Ficha de Avaliação ;

(a) Os objetivos do sistema de avaliação continuada; (b) A comissão de acompanhamento; (c) Os pesos dos quesitos na Ficha de Avaliação ; Relatório Anual: Avaliação Continuada 2005 - Ano Base 2004 ENGENHARIAS: I - Introdução QUÍMICA MATERIAIS METALÚRGICA MINAS NUCLEAR O objetivo deste documento é apresentar uma atualização dos procedimentos

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 30 - PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA IES: 31032010 - UCAM - UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES Programa: 31032010007P8 - PLANEJAMENTO REGIONAL

Leia mais

COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE GEOGRAFIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012

COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE GEOGRAFIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE GEOGRAFIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 03 de Abril de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: GEOGRAFIA PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO DE PUBLICAÇÃO DESTE DOCUMENTO:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de Avaliação: 2007 a 2009 Etapa: Avaliação Trienal 2010 Área de Avaliação: 31 - CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS I IES: 42001013 - UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Programa: 42001013062P4

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 32 - SERVIÇO SOCIAL IES: 33004072 - UNESP/FR - UNIVERSIDADE EST.PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO/FRANCA Programa: 33004072067P2 - SERVIÇO SOCIAL Modalidade:

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 2007 2009 TRIENAL 2010 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: ENGENHARIAS II COORDENADOR DE ÁREA: CARLOS HOFFMANN SAMPAIO COORDENADOR ADJUNTO DE ÁREA: SELENE MARIA DE ARRUDA GUELLI ULSON

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 26 - DIREITO IES: 22002014 - UNIFOR - UNIVERSIDADE DE FORTALEZA Programa: 22002014003P8 - DIREITO CONSTITUCIONAL Modalidade: Acadêmico Curso Nível

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2010 a 2012 Etapa: Trienal 2013 Área de : 13 - ENGENHARIAS III IES: 40003019 - PUC/PR - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ Programa: 40003019010P1 - ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E SISTEMAS

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA APCN - 2016

ORIENTAÇÕES PARA APCN - 2016 Identificação Área de Avaliação: Química Coordenador de Área: Adriano Lisboa Monteiro Coordenador-Adjunto de Área: Maysa Furlan Coordenador-Adjunto de Mestrado Profissional: Paulo Anselmo Ziani Suarez

Leia mais

Inserção social... o que é, como foi avaliada nesse triênio e, o que deverá ser feito para o próximo?

Inserção social... o que é, como foi avaliada nesse triênio e, o que deverá ser feito para o próximo? IX Fórum Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação Stricto Sensu em Fisioterapia Londrina / PR Inserção social... o que é, como foi avaliada nesse triênio e, o que deverá ser feito para o próximo? Rinaldo R

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 16 - MEDICINA II IES: 33009015 - UNIFESP - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Programa: 33009015033P0 - PSICOBIOLOGIA Modalidade: Acadêmico Curso Nível

Leia mais

HISTÓRIA ÁREA: TRIÊNIO 2007-2010. Coordenador: Raquel Glezer. Coordenador-Adjunto: Luiz Carlos Soares. Ministério da Educação

HISTÓRIA ÁREA: TRIÊNIO 2007-2010. Coordenador: Raquel Glezer. Coordenador-Adjunto: Luiz Carlos Soares. Ministério da Educação Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação ÁREA: HISTÓRIA Coordenador: Raquel Glezer TRIÊNIO 2007-2010 2010 Coordenador-Adjunto: Luiz Carlos

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 35 - ANTROPOLOGIA / ARQUEOLOGIA IES: 31003010 - UFF - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE Programa: 31003010031P7 - ANTROPOLOGIA

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2010 a 2012 Etapa: Trienal 2013 Área de : 22 - SAÚDE COLETIVA IES: 33002010 - USP - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Programa: 33002010066P0 - MEDICINA (MEDICINA PREVENTIVA)

Leia mais

CURSO: MESTRADO ACADÊMICO

CURSO: MESTRADO ACADÊMICO IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: ARTES/MÚSICA PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2016 ANO DE PUBLICAÇÃO DESTE DOCUMENTO: 2016 COORDENADOR DE ÁREA: ANTÔNIA PEREIRA BEZERRA COORDENADOR ADJUNTO: VERA BEATRIZ SIQUEIRA

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO Isabela Almeida Pordeus Novembro 2009 A Pós-Graduação em Odontologia Evolução dos Programas: Odontologia Evolução do Programas

Leia mais

Luiz Roberto Liza Curi Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com

Luiz Roberto Liza Curi Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com Luiz Roberto Liza Curi Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com 1 Luiz Roberto Liza Curi Sociólogo Doutor em Economia Conselheiro do Conselho Nacional de Educação Diretor LEYA

Leia mais

Dia 14 e 15 de setembro de 2011. Local: CAPES Brasília/DF

Dia 14 e 15 de setembro de 2011. Local: CAPES Brasília/DF Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação 09.bio3@capes.gov.br RELATÓRIO DA REUNIÃO DE COORDENADORES DA ÁREA DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS III Dia

Leia mais

COMUNICADO n o 002/2012 ÁREA DE LETRAS E LINGUÍSTICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012

COMUNICADO n o 002/2012 ÁREA DE LETRAS E LINGUÍSTICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 COMUNICADO n o 002/2012 ÁREA DE LETRAS E LINGUÍSTICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: Letras e Linguística PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO

Leia mais

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009 Identificação Área de Avaliação: PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA Coordenadora de Área: RAINER RANDOLPH Coordenador-Adjunto de Área: ROSANA APARECIDA BAENINGER Modalidade: Acadêmica I. Considerações

Leia mais

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Diretoria de Avaliação - DAV DOCUMENTO DE ÁREA 2009 Identificação Área de Avaliação: FILOSOFIA/TEOLOGIA Coordenador de Área: MARCELO PERINE Coordenador-Adjunto de Área: LUIZ BERNARDO LEITE ARAUJO Modalidade: Acadêmica I. Considerações gerais sobre o estágio

Leia mais

COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE QUÍMICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012

COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE QUÍMICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE QUÍMICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: QUÍMICA PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO DE PUBLICAÇÃO DESTE DOCUMENTO:

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Ficha de Ficha de do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 27 - ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO IES: 31002013 - UFRRJ - UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

Seminário do Mestrado Profissional Gestão de Trabalho e da Educação na Saúde

Seminário do Mestrado Profissional Gestão de Trabalho e da Educação na Saúde Seminário do Mestrado Profissional Gestão de Trabalho e na Saúde Rio de Janeiro, 15 de setembro de 2009 Prof. LIVIO AMARAL DIRETOR DE AVALIAÇÃO CAPES Titulação doutores x artigos publicados (ISI) 1987-2007

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de Avaliação: 2007 a 2009 Etapa: Avaliação Trienal 2010 Área de Avaliação: 37 - PSICOLOGIA IES: 33079013 - UNIFIEO - CENTRO UNIVERSITÁRIO FIEO Programa: 33079013002P0 - PSICOLOGIA EDUCACIONAL Modalidade:

Leia mais

1 de 6 DOCUMENTO DE ÁREA. Capes. Avaliação da Pós-Graduação. Período de Avaliação: 2001/2003. Área de Avaliação: 11 - ARTES / MÚSICA

1 de 6 DOCUMENTO DE ÁREA. Capes. Avaliação da Pós-Graduação. Período de Avaliação: 2001/2003. Área de Avaliação: 11 - ARTES / MÚSICA Comitê de Avaliação - Consultores CELSO GIANNETTI LOUREIRO CHAVES - UFRGS (Representante de Área) MARIA HELENA WERNECK - UNIRIO SANDRA REY - UFRGS SONIA GOMES PEREIRA - UFRJ SERGIO COELHO BORGES FARIAS

Leia mais

RELATÓRIO DA AVALIAÇÃO TRIENAL 2004/2006 ÁREA DE AVALIAÇÃO: SERVIÇO SOCIAL 1 APRESENTAÇÃO

RELATÓRIO DA AVALIAÇÃO TRIENAL 2004/2006 ÁREA DE AVALIAÇÃO: SERVIÇO SOCIAL 1 APRESENTAÇÃO RELATÓRIO DA AVALIAÇÃO TRIENAL 2004/2006 ÁREA DE AVALIAÇÃO: SERVIÇO SOCIAL 1 APRESENTAÇÃO O Serviço Social vem registrando, a partir dos anos 1990 e, mais especificamente nos anos recentes, um desenvolvimento

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 29 - ARQUITETURA E URBANISMO IES: 31004016 - UERJ - UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Programa: 31004016041P5 - DESIGN Modalidade: Acadêmico

Leia mais

Tabela 1. Evolução do total de Programas de Pós-Graduação da Área da Psicologia nas avaliações da CAPES - 1996-2007

Tabela 1. Evolução do total de Programas de Pós-Graduação da Área da Psicologia nas avaliações da CAPES - 1996-2007 Introdução Acreditamos que a apresentação dos Critérios de Avaliação da Área da Psicologia para a Avaliação Trienal de 2007 deva ser precedida de alguns dados sobre a situação da área e dos próprios objetivos

Leia mais

A Pós-Graduação em Psicologia no Brasil

A Pós-Graduação em Psicologia no Brasil SEÇÃO LIVRE Entrevista com Oswaldo Hajime Yamamoto Pollyanna Santos da Silveira I Leonardo Fernandes Martins I I Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFJF. O Doutor Oswaldo Hajime Yamamoto é professor

Leia mais

RELATÓRIO DA REUNIÃO DE COORDENADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO. Dias 03 e 04 de novembro de 2011

RELATÓRIO DA REUNIÃO DE COORDENADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO. Dias 03 e 04 de novembro de 2011 RELATÓRIO DA REUNIÃO DE COORDENADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO Dias 03 e 04 de novembro de 2011 Local: CAPES Brasília/DF Nos dias 3 e 4 de novembro

Leia mais

Educação e Ensino no ITA 2003. Mestrado Profissional PG/EAM

Educação e Ensino no ITA 2003. Mestrado Profissional PG/EAM Educação e Ensino no ITA 2003 Mestrado Profissional PG/EAM Parâmetros para o Mestrado Profissional Programas Profissionais Reconhecidos CAPES Avaliação dos Cursos Profissionalizantes Mestrado Profissional

Leia mais

DOCUMENTO DE ÁREA 2013

DOCUMENTO DE ÁREA 2013 Identificação Área de Avaliação: MEDICINA III Coordenadora de Área: Lydia Masako Ferreira (UNIFESP) Coordenador-Adjunto de Área: Cleber Dario Pinto Kruel (UFRGS) Coordenador-Adjunto de Mestrado Profissional:

Leia mais

AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO AREA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS CRITÉRIOS PARA ACOMPANHAMENTO DE AVALIAÇÃO DE 2004

AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO AREA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS CRITÉRIOS PARA ACOMPANHAMENTO DE AVALIAÇÃO DE 2004 Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Capes Documento de Área: Ciências e Tecnologia de Alimentos AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO AREA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

Evolução da Pós-Graduação e Pesquisa nas IES particulares. Dimensão, dificuldades, sugestões

Evolução da Pós-Graduação e Pesquisa nas IES particulares. Dimensão, dificuldades, sugestões Evolução da Pós-Graduação e Pesquisa nas IES particulares. Dimensão, dificuldades, sugestões Prof. Dr. Emerson Antonio Maccari Maccari@uninove.br emersonmaccari@gmail.com Crescimento da Pós-Graduação no

Leia mais

Treinamento da Plataforma Sucupira. Bergmann Morais e Demétrio Filho (DPP Diretoria)

Treinamento da Plataforma Sucupira. Bergmann Morais e Demétrio Filho (DPP Diretoria) Treinamento da Plataforma Sucupira Bergmann Morais e Demétrio Filho (DPP Diretoria) Sumário Apresentação sobre a CAPES, sua missão e os objetivos da avaliação Overview da plataforma Sucupira CAPES A Campanha

Leia mais

Plataforma Sucupira. Ficha de Recomendação. Cursos. Nome Nível Situação

Plataforma Sucupira. Ficha de Recomendação. Cursos. Nome Nível Situação Instituição de Ensino: Programa: EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO (UNIVASF) Educação Física Número/Ano: 1217/2014 Modalidade: Área de Avaliação: Período de Avaliação: ACADÊMICO

Leia mais

Perspectivas na Pesquisa e na Formação de Recursos Humanos na Área Interdisciplinar

Perspectivas na Pesquisa e na Formação de Recursos Humanos na Área Interdisciplinar Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação 45.inte@capes.gov.br Perspectivas na Pesquisa e na Formação de Recursos Humanos na Área Interdisciplinar

Leia mais

DOCUMENTO DE ÁREA Capes Acompanhamento da Avaliação: 2004 Área de Avaliação: 30 - PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA

DOCUMENTO DE ÁREA Capes Acompanhamento da Avaliação: 2004 Área de Avaliação: 30 - PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL / DEMOGRAFIA Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Capes Documento de Área : Planejamento Urbano-Regional e Demografia DOCUMENTO DE ÁREA Capes Acompanhamento da Avaliação: 2004 Área de

Leia mais

DOCUMENTO DE ÁREA 2013

DOCUMENTO DE ÁREA 2013 Identificação Área de Avaliação: GEOGRAFIA Coordenador de Área: João Lima Sant Anna Neto (UNESP-PPrudente) Coordenador-Adjunto de Área: Marcio Piñon Oliveira (UFF) Coordenador-Adjunto de Mestrado Profissional:

Leia mais

Capes Critérios de Implantação Mestrado e Doutorado Acadêmico. Avaliação de Proposta de Cursos Novos APCN Área de Avaliação: EDUCAÇÃO Dezembro / 2005

Capes Critérios de Implantação Mestrado e Doutorado Acadêmico. Avaliação de Proposta de Cursos Novos APCN Área de Avaliação: EDUCAÇÃO Dezembro / 2005 CAPES PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE CURSOS NOVOS DOUTORADO ÁREA DE EDUCAÇÃO Os projetos de cursos novos de doutorado serão julgados pela Comissão de Avaliação da área de Educação com base nos dados obtidos

Leia mais

UNIVERSIDADE DE MARILIA- UNIMAR PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO PLANEJAMENTO PARA O TRIÊNIO 2013/15:

UNIVERSIDADE DE MARILIA- UNIMAR PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO PLANEJAMENTO PARA O TRIÊNIO 2013/15: UNIVERSIDADE DE MARILIA- UNIMAR PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO PLANEJAMENTO PARA O TRIÊNIO 2013/15: Para o PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO da UNIMAR são apresentadas as seguintes propostas que integram

Leia mais

A ÁREA INTERDISCIPLINAR DE SOCIAIS E HUMANIDADES DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA REGIÃO SUDESTE: UM PANORAMA NECESSÁRIO

A ÁREA INTERDISCIPLINAR DE SOCIAIS E HUMANIDADES DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA REGIÃO SUDESTE: UM PANORAMA NECESSÁRIO FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO III SEMINÁRIO DE PESQUISA DA FESPSP A ÁREA INTERDISCIPLINAR DE SOCIAIS E HUMANIDADES DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA REGIÃO SUDESTE: UM

Leia mais

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional*

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* 1. Natureza do mestrado profissional A pós-graduação brasileira é constituída, atualmente, por dois eixos claramente distintos: o eixo acadêmico, representado

Leia mais

PROGRAMA MULTICENTRICO DE PÓS- GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS - SBFis NOVA FORMA INSTITUCIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO BRASILEIRA

PROGRAMA MULTICENTRICO DE PÓS- GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS - SBFis NOVA FORMA INSTITUCIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO BRASILEIRA PROGRAMA MULTICENTRICO DE PÓS- GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS - SBFis NOVA FORMA INSTITUCIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO BRASILEIRA Ilma Simoni Brum da Silva Vice-Coordenadora Aracaju, 22maio

Leia mais

RELATÓRIO DAS VISITAS A PROGRAMAS 3X3 DA ÁREA DE QUÍMICA

RELATÓRIO DAS VISITAS A PROGRAMAS 3X3 DA ÁREA DE QUÍMICA RELATÓRIO DAS VISITAS A PROGRAMAS 3X3 DA ÁREA DE QUÍMICA No segundo semestre de 2011 foram realizadas as visitas aos 4 programas 3x3 da área de Química: Universidade Federal de Sergipe UFS Consultores:

Leia mais

DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO PROFISSIONAL

DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO PROFISSIONAL DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO PROFISSIONAL I) Apresentação Este documento descreve as diretrizes e parâmetros de avaliação de mestrado profissional em Administração,

Leia mais

INTRODUÇÃO. Capes Critérios de Avaliação Trienal Triênio Avaliado 2004 2006 Área de Avaliação: ARTES / MÚSICA

INTRODUÇÃO. Capes Critérios de Avaliação Trienal Triênio Avaliado 2004 2006 Área de Avaliação: ARTES / MÚSICA INTRODUÇÃO Os Critérios de Avaliação da área de Artes/Música estão consolidados a partir dos Documentos de Área resultantes da avaliação dos triênios 1998-2000 e 2001-2003 e dos Requisitos Mínimos para

Leia mais

b) integração de área(s) de concentração, linhas de pesquisa, projetos de pesquisa, produção intelectual e estrutura curricular de modo tal que:

b) integração de área(s) de concentração, linhas de pesquisa, projetos de pesquisa, produção intelectual e estrutura curricular de modo tal que: 1. Dentro do padrão de qualidade adotado na área, considera-se que a proposta do programa é um quesito básico de garantia para a obtenção de resultados, não podendo haver diferença notável aqui entre os

Leia mais

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Coordenadoria Executiva das Atividades Colegiadas e de Consultorias

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Coordenadoria Executiva das Atividades Colegiadas e de Consultorias FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Coordenadoria Executiva das Atividades Colegiadas e de Consultorias QUESITOS, INDICADORES E CRITÉRIOS PARA A AVALIAÇÃO TRIENAL DA GRANDE

Leia mais

Relatório da 35ª Reunião Anual 2012

Relatório da 35ª Reunião Anual 2012 Relatório da 35ª Reunião Anual 2012 GT02 - HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Coordenador: Marcus Levy Bencostta UFPR (Paraná) Vice-Coordenadora: Ester Fraga Vilas-Bôas Carvalho do Nascimento UNIT (Sergipe) Representantes

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES Índice Página PROGRAMAS ACADÊMICOS E PROFISSIONAIS OFERECIDOS POR UM MESMO DEPARTAMENTO...2 PROPOSTA DE PROGRAMA...2 COMO COPIAR E COLAR...2 CADASTRO DOCENTE...2 ATIVIDADE DOCENTE...2

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU agosto / 2010 1 REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Sumário TÍTULO I - DA NATUREZA E DAS FINALIDADES... 3 CAPÍTULO I - DA CONSTITUIÇÃO

Leia mais

NORMAS ESPECÍFICAS DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS EESC

NORMAS ESPECÍFICAS DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS EESC NORMAS ESPECÍFICAS DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS EESC I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP)

Leia mais

CNPq - COMITÊ ASSESSOR DA ÁREA DE EDUCAÇÃO. RELATÓRIO DA REUNIÃO realizada no período de 18 a 22 de agosto de 2014

CNPq - COMITÊ ASSESSOR DA ÁREA DE EDUCAÇÃO. RELATÓRIO DA REUNIÃO realizada no período de 18 a 22 de agosto de 2014 CNPq - COMITÊ ASSESSOR DA ÁREA DE EDUCAÇÃO RELATÓRIO DA REUNIÃO realizada no período de 18 a 22 de agosto de 2014 OBJETIVO: realizar o julgamento das propostas apresentadas à Chamada Universal MCTI/CNPq

Leia mais

DOCUMENTO DE ÁREA. A área de Ecologia e Meio Ambiente é composta de 17 Programas de Pós-

DOCUMENTO DE ÁREA. A área de Ecologia e Meio Ambiente é composta de 17 Programas de Pós- A área de Ecologia e Meio Ambiente é composta de 17 Programas de Pós- Graduação, distribuídos nas 5 regiões geo-políticas do país. Dez dos Programas têm cursos de Mestrado e Doutorado, enquanto que 7 apenas

Leia mais

INTERNACIONAL: DESAFIOS SOB A VISÃO DA ACADEMIA E DA PROFISSÃO CONTÁBIL PROF. DR. JORGE KATSUMI NIYAMA

INTERNACIONAL: DESAFIOS SOB A VISÃO DA ACADEMIA E DA PROFISSÃO CONTÁBIL PROF. DR. JORGE KATSUMI NIYAMA I.F.R.S - CONVERGÊNCIA INTERNACIONAL: DESAFIOS SOB A VISÃO DA ACADEMIA E DA PROFISSÃO CONTÁBIL PROF. DR. JORGE KATSUMI NIYAMA ÁREA DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Contextualização Quantos somos? Número de cursos

Leia mais

Universidade de São Paulo

Universidade de São Paulo PROCESSO CFE Nº 23038.003553/88-15 DESPACHO DE INTERESSADO/MANTENEDORA Universidade de São Paulo RELATOR- Ib Gatto Falcão -ASSUNTO- CÂMARA Nº 119/93 CÂMARA. CESu Renovação de Credenciamento do curso de

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2004 a 2006 Etapa: Trienal 2007 Área de : 36 - GEOGRAFIA IES: 32008015 - PUC/MG - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Programa: 32008015003P4 - INFORMAÇÃO ESPACIAL Modalidade:

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM Regulamento de Atividades Complementares Curso de Enfermagem Capítulo I- Disposições Gerais Art. 1º - O presente regulamento tem por finalidade regrar as Atividades Complementares para o curso de Enfermagem

Leia mais

Ficha de Avaliação do Programa

Ficha de Avaliação do Programa Período de : 2007 a 2009 Etapa: Trienal 2010 Área de : 45 - INTERDISCIPLINAR IES: 33028010 - CUSC - CENTRO UNIVERSITÁRIO SÃO CAMILO Programa: 33028010002P8 - BIOÉTICA Modalidade: Acadêmico Curso Nível

Leia mais

I - Proposta do Programa

I - Proposta do Programa Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior SERVIÇO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 04 Ano Base 01_02_03 SERVIÇO SOCIAL / ECONOMIA DOMÉSTICA CAPES Período de Avaliação: 01-02-03 Área

Leia mais