Natura ofusca Avon no competitivo mercado brasileiro de venda direta de cosméticos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Natura ofusca Avon no competitivo mercado brasileiro de venda direta de cosméticos"

Transcrição

1 Data de Publicação: 20 de abril de 2015 Relatório Natura ofusca Avon no competitivo mercado brasileiro de venda direta de cosméticos Analistas Principais: Luísa Vilhena, São Paulo, 55 (11) , Diane M Shand, Nova York, 1 (212) , Jacqueline Hui, Nova York, 1 (212) , Contato analítico adicional: Flávia Bedran, São Paulo, 55 (11) , Apesar de seu menor porte, a empresa brasileira Natura Cosméticos S.A. (BBB/Negativa/--, braaa/estável/--) apresenta posição competitiva mais forte do que a gigante norte-americana Avon Products Inc. (BB/Estável/--) no mercado de cosméticos brasileiro, o terceiro maior do mundo. A sólida trajetória de crescimento, forte posição de mercado no Brasil e plataforma operacional sólida da Natura compensam sua escala e diversificação menores comparadas às da Avon. Além disso, a Avon continua buscando recuperar suas operações e as resultantes reduções de escala e posição de mercado em vários de seus principais mercados. Apesar das tendências distintas para as duas empresas, ambas enfrentarão condições de mercado adversas no Brasil em 2015, em função do recente aumento do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) sobre alguns produtos do setor de cosméticos, a contração esperada no PIB, a persistente alta na inflação e a forte competição. Em nossa opinião, a Natura e a Avon terão capacidade limitada de repassar os custos relacionados ao aumento de impostos aos clientes finais. Nesse contexto, esperamos que as empresas priorizem as medidas de controle de custos para manter as margens nos níveis atuais. Além disso, embora a contração no PIB e aumento no desemprego enfraqueçam a demanda por bens de consumo, empresas de venda direta de cosméticos são em geral mais resilientes. O motivo é que o número de representantes de vendas e sua produtividade tendem a aumentar à medida que um maior número de pessoas busca complementar sua renda tornando-se representantes de venda direta. Os ratings da Natura são superiores àqueles da Avon em razão de suas métricas de crédito mais fortes, baixa dívida e forte posição de caixa, comparados ao fraco desempenho operacional e perdas de participação de mercado da Avon nos últimos anos. Em 27 de fevereiro de 2015, rebaixamos o rating da Avon de 'BB+' para 'BB', uma vez que esperamos enfraquecimento em sua rentabilidade em 2015, resultante da volatilidade cambial e demanda internacional mais fraca, particularmente no Brasil. Além disso, as condições de mercado adversas no Brasil têm prejudicado a capacidade da Natura de gerar fluxo de caixa e liquidez suficientes para que seu rating seja superior àquele do Brasil. Nesse contexto, em 2 de março de 2015 revisamos nossa perspectiva da empresa de estável para negativa. 1/7

2 Resumo As gigantes da indústria de venda direta de cosméticos Avon Products e Natura competem no importante mercado brasileiro, mas a Natura atualmente apresenta vantagem. A forte competição, taxas de câmbio desfavoráveis e voláteis e enfraquecimento da demanda são os principais desafios para ambas as empresas. Graças às suas margens e métricas de crédito mais fortes, a Natura é mais resiliente a estes desafios do que a Avon, resultando em uma diferença de três degraus nos ratings. O desempenho da Avon tem sido prejudicado há muitos anos por problemas operacionais, que enfraqueceram suas métricas de crédito e reduziram sua participação de mercado. Tabela 1 - Tabela de Classificação de Ratings Empresa Risco-país Risco da indústria Posição competitiva Avon Products Inc. Risco de negócios Fluxo de caixa e alavancagem Intermediário Baixo Regular Regular Significativo bb Natura Moderadamente Cosméticos Baixo Satisfatória Satisfatório Modesto bbb+ alto S.A. Âncora Modificadores (ativo) Nenhum modificador afeta o rating Análise de Ratings Comparáveis: Negativa (-1 degrau) Rating de crédito corporativo de longo prazo BB BBB Perspectiva Estável Negativa Perfis de risco de negócios Apesar da maior escala e operações mais diversificadas em termos de geografia e oferta de produtos da Avon, avaliamos o perfil de risco de negócios da Natura como mais forte. Isso reflete a rentabilidade mais fraca da Avon, dados seus problemas operacionais e capacidade limitada de investir em novas formas de expansão, com o foco da administração voltado à recuperação do crescimento dos negócios existentes. As vendas da Natura são concentradas principalmente na América Latina, mas sua margem EBITDA é significativamente mais forte do que a da Avon, graças a seu forte reconhecimento de marca, iniciativas promocionais e de marketing eficazes, e vasta rede de distribuição. Acreditamos que os retornos mais elevados da Natura permitirão à empresa reinvestir em seus negócios e competir com mais eficácia no mercado de cosméticos brasileiro. Nos últimos anos, a Avon apresentou dificuldades na implementação de sistemas e seu nível de serviços foi prejudicado, enfraquecendo seu desempenho operacional e impedindo a capacidade de aumento das vendas de representantes. Ambas as empresas perderam participação de mercado no Brasil, em função da competição com várias empresas, incluindo multinacionais de bens de consumo que expandiram sua presença no país, como a Unilever e a Procter & Gamble Co., pares nacionais, como O Boticário, e um canal de varejo em expansão. Entretanto, acreditamos que a Avon enfrentará desafios para manter sua participação de mercado no Brasil, dados os seus problemas operacionais e o intervalo de tempo para implementar novos incentivos para motivar seus representantes. Em contrapartida, acreditamos que a Natura esteja mais bem posicionada para competir eficazmente no Brasil por meio de uma forte atividade promocional, reinvestimento mais forte na marca, e melhor engajamento de representantes. Características da indústria Pontos fortes da indústria: O segmento de cosméticos é menos cíclico do que outras indústrias de bens de consumo. É também menos intensivo em capital e menos suscetível a oscilações nos preços das matérias- 2/7

3 primas. A indústria desfruta de tendências demográficas e de desenvolvimento favoráveis nos mercados emergentes. Riscos da indústria: A forte competição de preços das marcas de varejo, produtos importados e outros vendedores diretos. Os custos elevados para inovar e reinvestir em produtos, marketing e promoção de vendas para manter o valor da marca e crescimento das vendas. As perspectivas de crescimento são limitadas em mercados maduros, dada a alta saturação destes e o crescimento populacional relativamente baixo. As barreiras de entrada são mais fracas para cosméticos do que para outros setores de bens de consumo, como bebidas alcoólicas. As empresas de cosméticos devem proteger as marcas consolidadas das novas marcas por meio de elevados investimentos em inovação de produtos, imagem da marca e marketing. Entretanto, o setor de cosméticos é menos sensível a ciclos econômicos e variações nos preços de matérias-primas no universo de bens de consumo. Assim, as empresas do setor geram margens brutas mais altas (em 72% da Natura e 63% da Avon) do que seus pares em outros setores de bens de consumo, como roupas (entre 40% e 50%) ou alimentos embalados (entre 35% e 45%). A taxa composta de crescimento anual (CAGR, na sigla em inglês para compound annual growth rate) histórica da indústria global de cosméticos, de cerca de 5%, permanece a referência de seu crescimento potencial. Os principais fatores de crescimento são o envelhecimento da população e aumento da riqueza, particularmente em países em desenvolvimento, como o Brasil e China. As populações de classe média com renda disponível na Ásia, América Latina e África estão em expansão. A competição entre as principais empresas de cosméticos globais e nacionais continua aumentando no Brasil, em meio às condições macroeconômicas mais fracas. O mercado de beleza brasileiro é atualmente o terceiro maior do mundo: seu mercado de cosméticos, fragrâncias e artigos de higiene pessoal alcançou US$43 bilhões em 2013, atrás apenas dos EUA (US$73 bilhões) e muito próximo do da China (US$44 bilhões). Ainda, o mercado brasileiro registrou crescimento mais acelerado do que estes outros dois países, com CAGR de 13,8% em , comparado a 2% e 10,4%, respectivamente. Apesar da recente redução do crescimento da indústria em regiões em desenvolvimento, acreditamos que a demanda destas regiões continuará reforçando a expansão da indústria, enquanto mercados mais maduros, como os dos EUA e Japão, crescerão a um ritmo mais lento nos próximos anos. Este é o caso particularmente do Japão, onde pressões recessivas estão direcionando as tendências aos produtos de massa e àqueles com características de luxo vendidos nos canais de massa, comparado a produtos de luxo com preços mais elevados. Adicionalmente, em resposta às pressões nos preços, as empresas de cosméticos estão investindo em pesquisa e desenvolvimento para lançar produtos com preços mais altos. Os maiores participantes também têm focado na promoção do e-commerce e de canais de vendas pela Internet em seus mercados domésticos. Esperamos que certo crescimento venha dessas áreas. Problemas operacionais deixam Avon atrás da Natura A Avon tem enfrentado desafios para otimizar sua estrutura de custos e ganhar força com iniciativas para que representantes aumentem as vendas e o número de clientes, enquanto seu crescimento de vendas continua mais fraco do que esperávamos, mesmo em base de moeda constante. As operações brasileiras da Avon têm sido prejudicadas por menor qualidade de serviços e perda de representantes de vendas, dados os problemas de execução em seu sistema de pedidos. Além disso, acreditamos que a empresa tem sido lenta na melhoria de suas plataformas digitais, o que também tem prejudicado a recuperação do engajamento de representantes e sua produtividade. A Natura, em contraste, dispõe de uma plataforma tecnológica bem integrada e uma estrutura de custos enxuta. 3/7

4 De acordo com a WWD Beauty Inc., a Avon é a sexta maior empresa de beleza do mundo em termos de vendas, embora continue perdendo participação, principalmente em seus principais mercados (EUA, Brasil, México e Rússia, que representam cerca de metade de suas receitas), refletindo anos de problemas operacionais e forte competição. Uma redistribuição dos representantes da Avon em 2013 prejudicou suas operações nos EUA, levando a uma forte queda nas vendas naquele mercado. Além disso, a estagnação econômica no Brasil e a competição mais forte de grandes empresas com mais recursos financeiros, como a Unilever PLC, Procter & Gamble e L'Oreal, estão afetando as operações da Avon no país. Como resultado, as vendas em moeda constante e o número de representantes ativos caíram, e a empresa perdeu participação de mercado. À medida que a Avon perde representantes de venda, sua retenção de clientes é prejudicada, uma vez que representantes possuem suas listas de clientes. Embora a Avon ainda se beneficie de diversificação geográfica, as vendas em muitos de seus mercados principais estão em queda, e acreditamos que levará um tempo para recuperar o engajamento de representantes ativos e para uma recuperação do crescimento de vendas. Além disso, a Rússia - um importante mercado para a expansão de cosméticos e com sólidas perspectivas de longo prazo - está enfrentando uma recessão. Ainda, a desvalorização do rublo e a persistência dos riscos políticos podem enfraquecer o crescimento deste mercado. Embora o foco da Avon seja a recuperação de suas operações, a empresa enfrenta outras dificuldades, como câmbios desfavoráveis e redução de crescimento econômico em seus principais mercados. Esperamos uma queda de dois dígitos nas vendas da Avon em De acordo com a WWD Beauty Inc., a Natura é a 18ª maior empresa de beleza do mundo em termos de vendas. No entanto, ela possui uma forte posição de mercado no Brasil, um importante mercado para ambas as empresas. Acreditamos que a Natura seja um concorrente desafiador para a Avon no Brasil, dado o sólido posicionamento de sua marca e plataforma operacional eficaz. Em nossa opinião, os consumidores de classe média acham os produtos da Natura mais atrativos do que os da Avon, uma vez que a Natura os posiciona como produtos naturais e com consciência ambiental, o que proporciona faixas de preços mais altas do que as dos produtos similares, como aqueles oferecidos pela Avon. Adicionalmente, o segmento de beleza premium tem superado aquele de beleza de massa - principal segmento em que a Avon compete - nos últimos anos. O motivo é que consumidores de cosméticos premium tendem a ser menos sensíveis a desacelerações econômicas e possuem maior renda disponível. Entretanto, em resposta ao menor crescimento econômico no Brasil, competição mais forte e uma mudança na preferência dos consumidores, a Natura começou a oferecer produtos mais básicos e com preços mais baixos, diversificando ainda mais sua gama de produtos. Enquanto isso, a Avon começou a oferecer recentemente produtos com preços mais altos no Brasil, o que resultou em crescimento abaixo das expectativas, refletindo o enfraquecimento do mercado brasileiro e a migração dos consumidores para produtos com preços mais baixos. Esperamos que a Natura continue registrando margens mais elevadas, investindo mais em suas marcas, e resista à competição com mais facilidade do que a Avon. Ainda, nos últimos anos a Natura continuou expandindo suas operações para outros países na América Latina, como a Argentina, Chile, Peru, México e Colômbia, além de expandir para o canal de varejo com a aquisição de 65% da Emeis Holding, uma empresa de beleza varejista australiana, em A Natura registrou crescimento anual da receita acima de 30% nos países latino-americanos, tendência esta que esperamos continuar. Embora a Emeis Holding represente uma pequena porcentagem dos resultados consolidados da empresa, ela proporciona acesso aos mercados asiático e europeu, além de ter diversificado as operações da Natura, em resposta à mudança dos consumidores nos mercados em desenvolvimento, que preferem comprar cosméticos por meio de canais de varejo em vez de vendas diretas. Em contraste, a Avon apresenta margens e flexibilidade financeira mais fracas, que limitam a capacidade da empresa de investir e expandir para novos mercados, bem como por meio de canais de vendas alternativos ou outras categorias e marcas de produtos. Natura supera Avon em termos de rentabilidade A margem EBITDA da Natura é superior à da Avon, graças às suas faixas de preço mais altas e maior eficiência operacional. As margens da Natura têm permanecido na faixa de 21%-24%, comparadas às da Avon de 9%-16% nos últimos anos. A queda nas margens da Avon refletem suas ineficiências operacionais, maior atividade de publicidade e custos com representantes e trabalhistas, bem como a 4/7

5 elevação dos custos relacionados à investigação de corrupção. Como resultado desta investigação, a empresa recentemente entrou em um acordo para pagar US$135 milhões à SEC (a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA). Apesar dos planos da Avon para reduzir ainda mais os custos, esperamos margens ainda apertadas em 2015, refletindo o impacto negativo de variações cambiais, custos com promoções intensivas e de reestruturação, e investimento na expansão da equipe de representantes de vendas. A margem EBITDA da Natura também é mais forte do que a de seus outros pares internacionais, incluindo a Revlon Consumer Products Corp., The Estee Lauder Cos. Inc., e a Shiseido Co. Ltd. Acreditamos que as faixas de preços relativamente mais altas e a cadeia de suprimentos altamente integrada da empresa sejam os principais responsáveis por suas margens mais elevadas. Embora esperemos que a Natura continue reinvestindo em suas marcas por meio de maiores gastos com marketing, o que poderá enfraquecer ligeiramente suas margens no Brasil, sua margem consolidada deve permanecer próxima aos níveis atuais. Este cenário reflete as operações da empresa em outros países latino-americanos que ainda são relativamente pequenos, e as margens continuarão melhorando à medida que os custos sejam diluídos por meio do crescimento da receita. Comparação dos perfis de risco financeiro A avaliação do perfil de risco financeiro é o segundo fator responsável pelo rating da Natura superior ao da Avon. Avaliamos o perfil de risco financeiro da Avon como "significativo", comparado ao da Natura, que vemos como "modesto", em razão de suas sólidas métricas de crédito. Acreditamos que a Avon continuará registrando métricas de crédito mais fracas do que a Natura nos próximos anos, uma vez que seus níveis de dívida permanecerão relativamente estáveis e seu desempenho operacional permanecerá próximo aos níveis atuais. Esperamos que a Avon registre um índice de dívida sobre EBITDA próximo a 3,5x no fim de 2015, mais fraco do que o de 2,9x observado no fim de 2014, refletindo o impacto das variações cambiais em sua rentabilidade e resultando em perdas superiores às economias de custo da empresa. Acreditamos que a alavancagem da Natura permanecerá relativamente estável em 1,0x-1,5x nos próximos dois anos. Entretanto, seus pagamentos de dividendos de 95% do lucro líquido e investimentos elevados continuarão resultando em fluxo de caixa discricionário (DCF, ou discretionary cash flow) negativo. Contudo, esperamos que a Natura mantenha uma política financeira conservadora, e a empresa possui flexibilidade para reduzir o pagamento de dividendos para o nível comprometido de 45% em caso de necessidade de liquidez. Dessa forma, não esperamos que a Natura utilize dívida para financiar pagamentos de dividendos. O contrário ocorre com as empresas norteamericanas, nas quais uma redução nos dividendos normalmente indica dificuldade financeira. Exemplo disso é a Avon, que cortou seus dividendos em aproximadamente 75% no fim de 2012, uma vez que estes eram financiados em parte por meio de dívida. Acreditamos ainda que a Natura reduzirá o investimento em expansão de capacidade, após anos de melhorias na logística e aumento do número de centros de distribuição, o que fortalecerá seu fluxo de caixa livre operacional. Também esperamos que a Avon mantenha sua política financeira prudente, incluindo níveis mínimos de recompra de ações, aquisições e distribuição de dividendos, que a empresa tem financiado por meio do fluxo de caixa gerado internamente desde Ao contrário da Natura, estimamos que a Avon continuará gerando DCF positivo, com um índice de DCF sobre dívida de 10%-15% ou superior. Estimamos que a dívida da Natura aumente, à medida que a empresa financia seu plano de crescimento, embora esperemos que suas métricas de crédito permaneçam estáveis, graças ao EBITDA e geração de fluxo de caixa mais fortes, como observado nos últimos anos. A Avon reduziu sua dívida em 2013 por meio da geração de fluxo de caixa interno, embora suas métricas tenham enfraquecido novamente em 2014, em função da queda da rentabilidade. Esperamos melhora nas métricas de crédito da empresa em 2016, refletindo a melhora na eficiência operacional. Entretanto, acreditamos que o impacto da valorização do dólar compensará os esforços de redução de custos da Avon em /7

6 Tabela 2 - Comparação de Pares Setor da indústria: Produtos de higiene pessoal Avon Products Inc. Natura Cosméticos S.A. Rating em 22 de abril de 2015 BB/Estável/-- BBB/Negativa/-- (US$ mi) --Exercício findo em 31 de dezembro de Receitas 8.851, ,2 EBITDA 857,2 599,1 Geração interna de caixa (FFO) 395,4 467,1 Lucro líquido de operações continuadas (388,6) 279,1 Fluxo de caixa operacional 463,3 295,8 Investimentos 131,1 190,4 Fluxo de caixa operacional livre 332,2 105,4 Fluxo de caixa discricionário 222,0 (179,4) Caixa e investimentos de curto prazo 245,4 0,0 Dívida 2.485,4 881,2 Patrimônio líquido 305,3 432,5 Índices ajustados Margem EBITDA (%) 9,7 21,5 Returno sobre capital (%) 13,4 46,0 Cobertura de juros pelo EBITDA (x) 5,5 9,3 Cobertura juros caixa pelo FFO (X) 4,4 10,3 Dívida/EBITDA (x) 2,9 1,5 FFO/dívida (%) 15,9 52,9 Fluxo de caixa operacional/dívida (%) 18,6 33,5 Fluxo de caixa operacional livre/dívida (%) 13,4 11,9 Fluxo de caixa discricionário/dívida (%) 8,9 (20,4) Outras Considerações de Rating Liquidez Avaliamos a liquidez de ambas as empresas como "adequada", uma vez que acreditamos que suas fontes de caixa excederão os usos em mais de 1,2x nos próximos 12 meses. Esperamos que a posição de caixa e geração de fluxo de caixa de ambas as empresas, juntamente com seu sólido relacionamento com os bancos e acesso aos mercados de capitais, sejam suficientes para cobrir seus vencimentos de dívida, capital de giro e pagamentos de dividendos nos próximos anos. Análise de ratings comparáveis Avaliamos a análise de ratings comparáveis da Natura como "negativa", o que faz com que seu rating de crédito seja um degrau inferior à âncora da empresa 'bbb+'. A avaliação reflete nossa visão de que o perfil de risco financeiro da Natura classifica-se na extremidade inferior da categoria "modesto", dada nossa expectativa de fluxo de caixa discricionário negativo nos próximos anos, considerando a elevada distribuição de dividendos da empresa, e nossa opinião de que a estrutura de capital da Natura é um pouco mais fraca do que a de alguns pares na mesma categoria de rating, dado seu vencimento de dívida médio ponderado relativamente curto (atualmente em torno de três anos). Em nossa visão, a análise de ratings comparáveis da Avon é "neutra", uma vez que acreditamos que seus perfis de risco de negócios e de risco financeiro estão em linha com aqueles de seus pares na mesma categoria de rating. Perspectiva Nossa perspectiva negativa da Natura indica que poderemos rebaixar seu rating em um degrau caso seu colchão de liquidez seja insuficiente para sustentar um rating acima daquele do Brasil. Entretanto, poderemos revisar a perspectiva para estável caso a empresa mantenha um colchão de liquidez que 6/7

7 suporte um rating acima do soberano, incluindo um índice de fontes sobre usos de caixa superior a 1x em um cenário de estresse. Acreditamos que a Natura buscará manter sua geração de fluxo de caixa operacional por meio de preços mais altos e um mix de produtos mais eficiente. A perspectiva estável da Avon reflete nossa expectativa de que a empresa manterá liquidez suficiente e métricas de crédito próximas aos níveis atuais, apesar de nossa projeção de queda nas vendas e lucros. Um rebaixamento seria possível se a Avon não fosse capaz de reverter as quedas no número de representantes ativos, se as margens se reduzissem em função de iniciativas de redução de custos mais lentas do que o esperado, ou se suas métricas de crédito continuassem a enfraquecer, incluindo índice de dívida sobre EBITDA superior a 4,0x em base contínua. Embora improvável nos próximos 12 meses, poderíamos elevar os ratings se a Avon registrasse aumento em suas vendas e margens, possivelmente por meio de aumentos nos números de representantes de vendas e/ou melhor eficiência operacional, resultando em um índice dívida sobre EBITDA inferior a 3,0x. De acordo com as políticas da Standard & Poor's, apenas um Comitê de Rating pode determinar uma Ação de Rating de Crédito (incluindo uma mudança, reafirmação ou retirada de Ratings de Crédito, mudança da Perspectiva de Ratings, ou ação de CreditWatch). Este artigo e seu conteúdo não foram objeto de ação de um Comitê de Rating, não devendo, portanto, ser interpretados como uma mudança ou reafirmação de um Rating de Crédito ou de uma Perspectiva de Rating. Copyright 2015 pela Standard & Poor's Financial Services LLC (S&P) Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta informação pode ser reproduzida ou distribuída de nenhuma forma ou nem meio, nem armazenado em um banco de dados ou sistema de recuperação sem a prévia autorização por escrito da S&P. A S&P, suas afiliadas e/ou seus provedores externos detém direitos de propriedade exclusivos sobre a informação, incluindo-se ratings, análises e dados relativos a crédito. Esta informação não deverá ser utilizada para nenhum propósito ilícito ou não autorizado. Nem a S&P, nem suas afiliadas, nem seus provedores externos garantem a exatidão, completitude, tempestividade ou disponibilidade de qualquer informação. A S&P, suas afiliadas ou seus provedores externos diretores, conselheiros, acionistas, funcionários ou representantes não são responsáveis por quaisquer erros ou omissões, independentemente da causa, ou pelos resultados obtidos mediante o uso de tal informação. A S&P, SUAS AFILIADAS E SEUS PROVEDORES EXTERNOS ISENTAM-SE DE QUALQUER E TODA GARANTIA EXPRESSA OU IMPLÍCITA, INCLUSIVE, ENTRE OUTRAS, QUAISQUER GARANTIAS DE COMERCIABILIDADE, OU ADEQUAÇÃO A UM PROPÓSITO ESPECÍFICO. Em nenhuma circunstância, deverão a S&P, suas afiliadas ou seus provedores externos e seus diretores, conselheiros, acionistas, funcionários ou representantes ser responsabilizados por nenhuma parte, por quaisquer danos, custos, despesas, honorários advocatícios, ou perdas diretas, indiretas, incidentais, exemplares, compensatórias, punitivas, especiais, ou consequentes (incluindo-se, entre outras, perda de renda ou lucros cessantes e custos de oportunidade) com relação a qualquer uso da informação aqui contida, mesmo se alertadas sobre sua possibilidade. Os ratings e as análises creditícias da S&P e de suas afiliadas e as observações aqui contidas são declarações de opiniões na data em que foram expressas e não declarações de fatos ou recomendações para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou tomar qualquer decisão de investimento. Após sua publicação, a S&P não assume nenhuma obrigação de atualizar a informação. Os usuários da informação aqui contida não deverão nela se basear ao tomar qualquer decisão de investimento. As opiniões da S&P e suas análises não abordam a adequação de quaisquer títulos. A S&P não atua como agente fiduciário nem como consultora de investimentos. Embora obtenha informações de fontes que considera confiáveis, a S&P não conduz uma auditoria nem assume qualquer responsabilidade de diligência devida (due diligence) ou de verificação independente de qualquer informação que receba. A fim de preservar a independência e objetividade de suas respectivas atividades, a S&P mantém determinadas atividades de suas unidades de negócios separadas de outras. Como resultado, certas unidades de negócios da S&P podem dispor de informações que não estão disponíveis às outras. A S&P estabeleceu políticas e procedimentos para manter o sigilo de determinadas informações que não são de conhecimento público recebidas no âmbito de cada processo analítico. A S&P Ratings Services pode receber remuneração por seus ratings e análises creditícias, normalmente dos emissores ou subscritores dos títulos ou dos devedores. A S&P reserva-se o direito de divulgar seus pareceres e análises. A S&P disponibiliza suas análises e ratings públicos em seus sites na Web, / / / (gratuitos), e (por assinatura), e pode distribuí-los por outros meios, inclusive em suas próprias publicações ou por intermédio de terceiros redistribuidores. Informações adicionais sobre nossos honorários de rating estão disponíveis em 7/7

Ratings 'bra' da Companhia de Locação das Américas S.A. reafirmados; perspectiva estável

Ratings 'bra' da Companhia de Locação das Américas S.A. reafirmados; perspectiva estável Data de Publicação: 2 de abril de 2015 Comunicado à Imprensa Ratings 'bra' da Companhia de Locação das Américas S.A. reafirmados; perspectiva estável Analista principal: Marcus Fernandes, São Paulo, 55

Leia mais

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Lavoro II

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Lavoro II Data de Publicação: 15 de agosto de 2012 Relatório de Monitoramento Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Lavoro II Perfil Originadores dos direitos creditórios: diversas pequenas e médias empresas

Leia mais

Relatório de Monitoramento

Relatório de Monitoramento Relatório de Monitoramento............................................................................. Fundo de Investimento em Direitos Creditórios da Companhia Pernambucana de Saneamento - Compesa Data

Leia mais

Riscos cambiais de entidades corporativas latino-americanas

Riscos cambiais de entidades corporativas latino-americanas Data de Publicação: 30 de setembro de 2015 Relatório Riscos cambiais de entidades corporativas latino-americanas Analista principal: Diego Ocampo, São Paulo, 55 (11) 3039-9769, diego.ocampo@standardandpoors.com

Leia mais

Ratings 'BBB-' e 'braaa' da Localiza Rent a Car S.A. reafirmados por fortes métricas de crédito; Perspectiva estável

Ratings 'BBB-' e 'braaa' da Localiza Rent a Car S.A. reafirmados por fortes métricas de crédito; Perspectiva estável Data de Publicação: 10 de maio de 2013 Comunicado à Imprensa Ratings 'BBB-' e 'braaa' da Localiza Rent a Car S.A. reafirmados por fortes métricas de crédito; Perspectiva estável Analista principal: Marcus

Leia mais

Analista principal: Alejandro Gomez Abente, São Paulo, 55 (11) 3039-9741, alejandro.gomez.abente@standardandpoors.com

Analista principal: Alejandro Gomez Abente, São Paulo, 55 (11) 3039-9741, alejandro.gomez.abente@standardandpoors.com Data de Publicação: 14 de novembro de 2013 Comunicado à Imprensa Ratings da Cemig elevados para 'BB+' na escala global e para 'braa+' na Escala Nacional Brasil por perfil de risco de negócios mais forte;

Leia mais

Empréstimo consignado possibilita novo modelo de negócios para bancos brasileiros

Empréstimo consignado possibilita novo modelo de negócios para bancos brasileiros Data de Publicação: 14 de outubro de 2015 Relatório Empréstimo consignado possibilita novo modelo de negócios para bancos brasileiros Analista principal: Guilherme Machado, São Paulo, 55 (11) 3039-9754,

Leia mais

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Multisetorial Lego II

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Multisetorial Lego II Data de Publicação: 2 de outubro de 2014 Relatório de Monitoramento Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Multisetorial Lego II Perfil FIDC: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Multisetorial

Leia mais

Standard & Poor's reafirma rating 'braa+f' do Fundo Safra Executive FIC FI Renda Fixa (antigo Safra Executive FI Renda Fixa)

Standard & Poor's reafirma rating 'braa+f' do Fundo Safra Executive FIC FI Renda Fixa (antigo Safra Executive FI Renda Fixa) Data de Publicação: 25 de novembro de 2013 Comunicado à Imprensa Standard & Poor's reafirma rating 'braa+f' do Fundo Safra Executive FIC FI Renda Fixa (antigo Safra Executive FI Renda Fixa) Analista principal:

Leia mais

Ratings 'braaa' da Elektro Eletricidade e Serviços S.A. reafirmados refletindo sua forte performance financeira e operacional; Perspectiva estável

Ratings 'braaa' da Elektro Eletricidade e Serviços S.A. reafirmados refletindo sua forte performance financeira e operacional; Perspectiva estável Data de Publicação: 3 de julho de 2014 Comunicado à Imprensa Ratings 'braaa' da Elektro Eletricidade e Serviços S.A. reafirmados refletindo sua forte performance financeira e operacional; Perspectiva estável

Leia mais

Relatório de Monitoramento

Relatório de Monitoramento Relatório de Monitoramento............................................................................. Brazilian Securities Companhia de Securitização 321ª e 322ª Séries da 1ª Emissão de Certificados

Leia mais

Desequilíbrio entre oferta e demanda é o principal desafio para empresas de metais e mineração da América Latina

Desequilíbrio entre oferta e demanda é o principal desafio para empresas de metais e mineração da América Latina Data de Publicação: 14 de outubro de 2015 Relatório Desequilíbrio entre oferta e demanda é o principal desafio para empresas de metais e mineração da América Latina Analista principal: Flávia Bedran, São

Leia mais

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Omni Veículos - VII

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Omni Veículos - VII Data de Publicação: 29 de novembro de 2013 Relatório de Monitoramento Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Omni Veículos - VII Perfil Ativos subjacentes: financiamentos de veículos novos ou usados

Leia mais

Perguntas mais frequentes: Atualização da Visão da Standard & Poor's sobre o Rating de Crédito Soberano do Brasil e sua Perspectiva

Perguntas mais frequentes: Atualização da Visão da Standard & Poor's sobre o Rating de Crédito Soberano do Brasil e sua Perspectiva Data de Publicação: 14 de novembro de 2013 Perguntas Mais Frequentes Perguntas mais frequentes: Atualização da Visão da Standard & Poor's sobre o Rating de Crédito Soberano do Brasil e sua Perspectiva

Leia mais

Relatório de Monitoramento

Relatório de Monitoramento Relatório de Monitoramento............................................................................. Fundo de Investimento em Direitos Creditórios da Indústria Exodus III - BRZ Data de Publicação: 2

Leia mais

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Lavoro II

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Lavoro II Data de Publicação: 18 de novembro de 2013 Relatório de Monitoramento Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Lavoro II Perfil Originadores dos direitos creditórios: diversas pequenas e médias empresas

Leia mais

Rating 'braaa' atribuído à proposta de emissão de debêntures quirografárias da Vale S.A. com vencimento em 2020 e 2022

Rating 'braaa' atribuído à proposta de emissão de debêntures quirografárias da Vale S.A. com vencimento em 2020 e 2022 Data de Publicação: 5 de agosto de 2015 Comunicado à Imprensa Rating 'braaa' atribuído à proposta de emissão de debêntures quirografárias da com vencimento em 2020 e 2022 Analista principal: Diego Ocampo,

Leia mais

Como os altos riscos operacionais impactam FIDCs, CRIs e CRAs

Como os altos riscos operacionais impactam FIDCs, CRIs e CRAs Data de Publicação: 12 de agosto de 2015 Relatório Como os altos riscos operacionais impactam FIDCs, CRIs e CRAs Contato principal: Leandro Albuquerque, São Paulo, 55 (11) 3039-9729, leandro.albuquerque@standardandpoors.com

Leia mais

Diversas ações de rating realizadas em 39 FIDCs, CRIs e CRAs

Diversas ações de rating realizadas em 39 FIDCs, CRIs e CRAs Data de Publicação: 15 de setembro de Comunicado à Imprensa Diversas ações de rating realizadas em 39 FIDCs, e Analistas principais: Hebbertt Soares, São Paulo, 55 (11) 3039-9742, hebbertt.soares@standardandpoors.com;

Leia mais

As empresas financeiras latino-americanas serão afetas pela desaceleração econômica?

As empresas financeiras latino-americanas serão afetas pela desaceleração econômica? Data de Publicação: 31 de agosto de 2015 Relatório As empresas financeiras latino-americanas serão afetas pela desaceleração econômica? Analista principal: Barbara Carreon, Cidade do México, 52 (55) 5081-4483,

Leia mais

Distribuidoras de eletricidade enfrentam a recessão como principal risco de crédito, após fim da estiagem

Distribuidoras de eletricidade enfrentam a recessão como principal risco de crédito, após fim da estiagem Data de Publicação: 28 de março de 2016 Relatório Distribuidoras de eletricidade enfrentam a recessão como principal risco de crédito, após fim da estiagem Contatos analíticos: Marcelo Schwarz, CFA, São

Leia mais

Rating 'bra' atribuídos à ALD Automotive S.A.

Rating 'bra' atribuídos à ALD Automotive S.A. Data de Publicação: 23 de janeiro de 2013 Comunicado à Imprensa Rating 'bra' atribuídos à ALD Automotive S.A. Analistas: Marcus Fernandes, São Paulo (55) 11-3039-9734, marcus_fernandes@standardandpoors.com;

Leia mais

Relatório de Monitoramento

Relatório de Monitoramento Relatório de Monitoramento............................................................................. Fundo de Investimento em Cotas de Fundo de Investimento em Direitos Creditórios XP Sabemi Consignados

Leia mais

Ratings da EcoRodovias e de sua controlada Ecovias elevados para 'braaa'; Rating 'braa+' atribuído à futura emissão de debêntures da EcoRodovias

Ratings da EcoRodovias e de sua controlada Ecovias elevados para 'braaa'; Rating 'braa+' atribuído à futura emissão de debêntures da EcoRodovias Data de Publicação: 21 de agosto de 2012 Comunicado à Imprensa Ratings da EcoRodovias e de sua controlada Ecovias elevados para 'braaa'; Rating 'braa+' atribuído à futura emissão de debêntures da EcoRodovias

Leia mais

Setor de infraestrutura brasileiro: O desafio é como atrair o investimento privado

Setor de infraestrutura brasileiro: O desafio é como atrair o investimento privado Data de Publicação: 18 de junho de 2015 Relatório Setor de infraestrutura brasileiro: O desafio é como atrair o investimento privado Contatos analíticos: Marcelo Schwarz, CFA, São Paulo, 55 (11) 3039 9782,

Leia mais

Monitoramento: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios CEEE

Monitoramento: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios CEEE Data de Publicação: 23 de fevereiro de 2010 Comunicado à Imprensa Monitoramento: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios CEEE Ratings em Fevereiro de 2010 Instrumento Rating Atual Rating Inicial

Leia mais

Ratings 'braa' atribuídos à Rodovia das Colinas S.A. e à sua emissão de debêntures; Perspectiva estável

Ratings 'braa' atribuídos à Rodovia das Colinas S.A. e à sua emissão de debêntures; Perspectiva estável Data de Publicação: 28 de fevereiro de 2013 Comunicado à Imprensa Ratings 'braa' atribuídos à Rodovia das Colinas S.A. e à sua emissão de debêntures; Perspectiva estável Analistas: Marcus Fernandes, São

Leia mais

Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva

Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva 13 Fev 2015 17h00 Fitch Ratings - Rio de Janeiro, 13 de fevereiro de 2015: A Fitch Ratings afirmou, hoje, o Rating Nacional de Longo Prazo

Leia mais

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios BicBanco Crédito Consignado

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios BicBanco Crédito Consignado Data de Publicação: 23 de fevereiro de 2012 Relatório de Monitoramento Fundo de Investimento em Direitos Creditórios BicBanco Crédito Consignado Ratings em Fevereiro de 2012 Instrumento Rating Atual Rating

Leia mais

Relatório de Monitoramento

Relatório de Monitoramento Relatório de Monitoramento............................................................................. Sul Invest Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Multissetorial Data de Publicação: 4 de

Leia mais

Perspectiva dos ratings de 30 entidades brasileiras corporativas e de infraestrutura alterada para negativa após ação similar no rating soberano

Perspectiva dos ratings de 30 entidades brasileiras corporativas e de infraestrutura alterada para negativa após ação similar no rating soberano Data de Publicação: 28 de julho de 2015 Comunicado à Imprensa Perspectiva dos ratings de 30 entidades brasileiras corporativas e de infraestrutura alterada para negativa após ação similar no rating soberano

Leia mais

Relatório de Monitoramento

Relatório de Monitoramento Relatório de Monitoramento............................................................................. Sul Invest Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Multissetorial Data de Publicação: 21 de

Leia mais

Ratings 'BB' na escala global e 'braa-' na Escala Nacional Brasil da Diagnósticos da América S.A. reafirmados; perspectiva se mantém estável

Ratings 'BB' na escala global e 'braa-' na Escala Nacional Brasil da Diagnósticos da América S.A. reafirmados; perspectiva se mantém estável Data de Publicação: 22 de abril de 2015 Comunicado à Imprensa Ratings 'BB' na escala global e 'braa-' na Escala Nacional Brasil da Diagnósticos da América S.A. reafirmados; perspectiva se mantém estável

Leia mais

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Multisetorial SM LP

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Multisetorial SM LP Data de Publicação: 3 de fevereiro de 2012 Relatório de Monitoramento Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Multisetorial SM LP Ratings em Fevereiro de 2012 Instrumento Rating Atual Rating Inicial

Leia mais

Recuperação de Créditos para Credores e a Lei de Falências Brasileira

Recuperação de Créditos para Credores e a Lei de Falências Brasileira Data de Publicação: 27 de outubro de 2014 Relatório Recuperação de Créditos para Credores e a Lei de Falências Brasileira Analista principal: Julyana Yokota, São Paulo, 55 (11) 3039-9731, julyana.yokota@standardandpoors.com

Leia mais

Ratings da Austral Seguradora S.A. e Austral Resseguradora S.A. elevados de 'bra+' para 'braa-'

Ratings da Austral Seguradora S.A. e Austral Resseguradora S.A. elevados de 'bra+' para 'braa-' Data de Publicação: 24 de janeiro de 2014 Comunicado à Imprensa Ratings da Austral Seguradora S.A. e Austral Resseguradora S.A. elevados de 'bra+' para 'braa-' Analista principal: Amalia Bulacios, Buenos

Leia mais

Fundamentos do Rating. Fatores de Evolução do Rating. www.fitchratings.com.br 13 de Outubro de 2009

Fundamentos do Rating. Fatores de Evolução do Rating. www.fitchratings.com.br 13 de Outubro de 2009 Brasil Relatório Sintético Ratings Ratings Atuais Moeda Estrangeira IDR de Longo Prazo - IDR de Curto Prazo - Moeda Local IDR de Longo Prazo - IDR de Curto Prazo - Nacional Longo Prazo Curto Prazo Individual

Leia mais

Espaço para expansão fiscal e PIB um pouco melhor no Brasil. Taxa de câmbio volta a superar 2,30 reais por dólar

Espaço para expansão fiscal e PIB um pouco melhor no Brasil. Taxa de câmbio volta a superar 2,30 reais por dólar Espaço para expansão fiscal e PIB um pouco melhor no Brasil Publicamos nesta semana nossa revisão mensal de cenários (acesse aqui). No Brasil, entendemos que o espaço para expansão adicional da política

Leia mais

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Omni Veículos - VII

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Omni Veículos - VII Data de Publicação: 7 de outubro de 2014 Relatório de Monitoramento Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Omni Veículos - VII Perfil Ativos subjacentes: Financiamentos de veículos novos ou usados

Leia mais

Fatores externos e fragilidade econômica continuam desafiando os 30 maiores bancos da América Latina

Fatores externos e fragilidade econômica continuam desafiando os 30 maiores bancos da América Latina Data de Publicação: 9 de setembro de 015 Relatório Fatores externos e fragilidade econômica continuam desafiando os 30 maiores bancos da América Latina Analista principal: Arturo Sanchez, Cidade do México,

Leia mais

Contato analítico adicional: Marcelo Schwarz, CFA, São Paulo, 55 (11) 3039?7782, marcelo.schwarz@standardandpoors.com

Contato analítico adicional: Marcelo Schwarz, CFA, São Paulo, 55 (11) 3039?7782, marcelo.schwarz@standardandpoors.com Data de Publicação: 26 de junho de 2014 Comunicado à Imprensa Standard & Poor's reafirma ratings 'BB+' na escala global e 'braa' na Escala Nacional Brasil atribuídos à Ampla Energia e Serviços; Rating

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

Ratings na Escala Nacional Brasil da JMalucelli Seguradora S.A. e da JMalucelli Resseguradora S.A. rebaixados para 'braa-'

Ratings na Escala Nacional Brasil da JMalucelli Seguradora S.A. e da JMalucelli Resseguradora S.A. rebaixados para 'braa-' Data de Publicação: 14 de abril de 2014 Comunicado à Imprensa Ratings na Escala Nacional Brasil da JMalucelli Seguradora S.A. e da JMalucelli Resseguradora S.A. rebaixados para 'braa-' Analista principal:

Leia mais

Cobra Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Comerciais III

Cobra Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Comerciais III Data de Publicação: 23 de janeiro de 2013 Relatório de Monitoramento Cobra Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Comerciais III Perfil Originadora dos direitos creditórios: Cobra Tecnologia S.A.

Leia mais

Ratings 'braa-' da JMalucelli Seguradora S.A. e da JMalucelli Resseguradora S.A. reafirmados; perspectiva negativa

Ratings 'braa-' da JMalucelli Seguradora S.A. e da JMalucelli Resseguradora S.A. reafirmados; perspectiva negativa Data de Publicação: 17 de abril de 2015 Comunicado à Imprensa Ratings 'braa-' da JMalucelli Seguradora S.A. e da JMalucelli Resseguradora S.A. reafirmados; perspectiva negativa Analista principal: Gabriela

Leia mais

Relatório de Monitoramento

Relatório de Monitoramento Relatório de Monitoramento............................................................................. Fundo de Investimento em Direitos Creditórios - Bicbanco Crédito Corporativo II Data de Publicação:

Leia mais

Ratings 'BB/B' em escala global e 'braa-/bra-1' na Escala Nacional Brasil do Banco do Estado do Pará reafirmados; perspectiva continua negativa

Ratings 'BB/B' em escala global e 'braa-/bra-1' na Escala Nacional Brasil do Banco do Estado do Pará reafirmados; perspectiva continua negativa Data de Publicação: 23 de setembro de 2015 Comunicado à Imprensa Ratings 'BB/B' em escala global e 'braa-/bra-1' na Escala Nacional Brasil do Banco do Estado do Pará reafirmados; perspectiva continua negativa

Leia mais

Rating do Banco Intermedium S.A. elevado de 'brbb+' para 'brbbb-'; perspectiva é estável

Rating do Banco Intermedium S.A. elevado de 'brbb+' para 'brbbb-'; perspectiva é estável Data de Publicação: 10 de abril de 2015 Comunicado à Imprensa Rating do Banco Intermedium S.A. elevado de 'brbb+' para 'brbbb-'; perspectiva é estável Analista principal: Edgard Dias, São Paulo, 55 (11)

Leia mais

CRESCIMENTO DAS MARGENS E RESULTADOS NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015 Em relação ao primeiro semestre de 2014:

CRESCIMENTO DAS MARGENS E RESULTADOS NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015 Em relação ao primeiro semestre de 2014: PARIS, 28 de julho de 2015 O Conselho de Administração da Teleperformance, líder mundial em multichannel customer experience, examinou recentemente os relatórios financeiros consolidados para o semestre

Leia mais

Análise econômica e suporte para as decisões empresariais

Análise econômica e suporte para as decisões empresariais Cenário Moveleiro Análise econômica e suporte para as decisões empresariais Número 01/2008 Cenário Moveleiro Número 01/2008 1 Cenário Moveleiro Análise econômica e suporte para as decisões empresariais

Leia mais

Fitch Afirma Ratings do Grupo BTG Pactual; Perspectiva Revisada Para Positiva

Fitch Afirma Ratings do Grupo BTG Pactual; Perspectiva Revisada Para Positiva Fitch Afirma Ratings do Grupo BTG Pactual; Perspectiva Revisada Para Positiva 27 Jan 2014 17h04 São Paulo/Rio de Janeiro, 27 de Janeiro de 2014 A Fitch Ratings afirmou os ratings do Banco BTG Pactual S.A.

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Novembro 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Relatório de Monitoramento

Relatório de Monitoramento Relatório de Monitoramento............................................................................. Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Lavoro II Data de Publicação: 18 de agosto de 2015

Leia mais

POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S.

POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S. POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S. Souza e Silva ** Nos últimos anos, tem crescido a expectativa em torno de uma possível

Leia mais

Cobra Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Comerciais III

Cobra Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Comerciais III Data de Publicação: 26 de abril de 2011 Relatório de Rating Preliminar Cobra Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Comerciais III Este relatório de rating preliminar baseia-se em informações obtidas

Leia mais

Apresentação Unidas. Maio 2014

Apresentação Unidas. Maio 2014 Apresentação Unidas Maio 2014 Seção 1 Visão Geral da Unidas Visão Geral da Unidas 2ª maior empresa brasileira de aluguel de carros em frota total, com cobertura nacional em soluções para terceirização

Leia mais

Comunicado à Imprensa. S&P reafirma ratings da Tele Norte Leste Participações S.A.

Comunicado à Imprensa. S&P reafirma ratings da Tele Norte Leste Participações S.A. Comunicado à Imprensa S&P reafirma ratings da Tele Norte Leste Participações S.A. Analistas: Ana Claudia Nunes, São Paulo (55) 11-5501-8956; Reginaldo Takara, São Paulo (55) 11-5501- 8932; Milena Zaniboni,

Leia mais

BRASIL Julio Setiembre 2015

BRASIL Julio Setiembre 2015 Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julio Setiembre 2015 Prof. Dr. Rubens Sawaya Assistente: Eline Emanoeli PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE

Leia mais

Relatório Analítico 19 de abril de 2012

Relatório Analítico 19 de abril de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa AM BV4 Segmento de Atuação Principal Alimentos Categoria segundo a Liquidez 1 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 80,99 Valor Econômico por Ação (R$) 81,05 Potencial

Leia mais

COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV

COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2007 Companhia de Bebidas das Américas - AMBEV 1ª Emissão de Debêntures Relatório

Leia mais

MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. COMUNICADO AO MERCADO. Standard & Poor s REAFIRMA RATING 'braa-' EM ESCALA NACIONAL DA COMPANHIA.

MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. COMUNICADO AO MERCADO. Standard & Poor s REAFIRMA RATING 'braa-' EM ESCALA NACIONAL DA COMPANHIA. MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF nº 08.343.492/0001-20 NIRE 31.300.023.907 Companhia Aberta COMUNICADO AO MERCADO Standard & Poor s REAFIRMA RATING 'braa-' EM ESCALA NACIONAL DA COMPANHIA. Belo

Leia mais

Receita Operacional Líquida alcança R$ 20,9 milhões, aumento de 9,7% ante o trimestre anterior

Receita Operacional Líquida alcança R$ 20,9 milhões, aumento de 9,7% ante o trimestre anterior Última Cotação em 30/09/2014 FBMC4 - R$ 20,60 por ação Total de Ações: 726.514 FBMC3: 265.160 FBMC4: 461.354 Valor de Mercado (30/09/2014): R$ 20.269,7 mil US$ 9.234,5 mil São Bernardo do Campo, 12 de

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES O ano de 2016 começou com o cenário macroeconômico muito parecido de 2015, uma vez que o mercado continua com tendências negativas em relação a PIB, inflação e taxa de juros. Novamente a Ouro

Leia mais

S&P rebaixa para 'bra+ (sf)' o rating atribuído à 321ª série da 1ª emissão de CRIs da Brazilian Securities lastreados por créditos do Intermedium

S&P rebaixa para 'bra+ (sf)' o rating atribuído à 321ª série da 1ª emissão de CRIs da Brazilian Securities lastreados por créditos do Intermedium Data de Publicação: 1º de junho de 2015 Comunicado à Imprensa S&P rebaixa para 'bra+ (sf)' o rating atribuído à 321ª série da 1ª emissão de CRIs da Brazilian Securities lastreados por créditos do Intermedium

Leia mais

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016.

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016. RELEASE DE RESULTADOS Relações com Investidores Marcelo Moojen Epperlein Diretor-Presidente e de Relações com Investidores (55 11) 3175-2900 ri@brinsurance.com.br Ana Carolina Pires Bastos Relações com

Leia mais

Analista principal: Henrique Sznirer, São Paulo, 55 (11) 3039-9723, henrique.sznirer@standardandpoors.com

Analista principal: Henrique Sznirer, São Paulo, 55 (11) 3039-9723, henrique.sznirer@standardandpoors.com Data de Publicação: 11 de fevereiro de 2015 Comunicado à Imprensa S&P coloca em CreditWatch Negativo o rating 'braa (sf)' atribuído à 321ª série da 1ª emissão de CRIs da Brazilian Securities lastreados

Leia mais

RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015

RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015 RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015 Aviso Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

NT-Assessoria da Bancada do PT no Senado Esclarecimentos sobre a Retirada do Grau de Investimento

NT-Assessoria da Bancada do PT no Senado Esclarecimentos sobre a Retirada do Grau de Investimento NT-Assessoria da Bancada do PT no Senado Esclarecimentos sobre a Retirada do Grau de Investimento A retirada do grau de investimento dos papéis da dívida brasileira pela agência Standard and Poors, uma

Leia mais

S&P reafirma rating 'bra+ (sf)' atribuído à 321ª série da 1ª emissão de CRIs da Brazilian Securities lastreados por créditos do Intermedium

S&P reafirma rating 'bra+ (sf)' atribuído à 321ª série da 1ª emissão de CRIs da Brazilian Securities lastreados por créditos do Intermedium Data de Publicação: 4 de agosto de 2015 Comunicado à Imprensa S&P reafirma rating 'bra+ (sf)' atribuído à 321ª série da 1ª emissão de CRIs da Brazilian Securities lastreados por créditos do Intermedium

Leia mais

Ratings 'BB+' na escala global e 'braa' do BDMG reafirmados; perspectiva permanece negativa

Ratings 'BB+' na escala global e 'braa' do BDMG reafirmados; perspectiva permanece negativa Data de Publicação: 21 de outubro de 2015 Comunicado à Imprensa Ratings 'BB+' na escala global e 'braa' do BDMG reafirmados; perspectiva permanece negativa Analista principal: Guilherme Machado, São Paulo,

Leia mais

Relatório de Monitoramento

Relatório de Monitoramento Relatório de Monitoramento............................................................................. Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Empírica Goal One Data de Publicação: 06 de outubro

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

Conjuntura Global Dá uma Guinada Rumo ao Desenvolvimento

Conjuntura Global Dá uma Guinada Rumo ao Desenvolvimento Volume 11, Number 4 Fourth Quarter 2009 Conjuntura Global Dá uma Guinada Rumo ao Desenvolvimento As economias pelo mundo estão emergindo da recessão, embora em diferentes velocidades. As economias em desenvolvimento

Leia mais

Comité Latinoamericano de Asuntos Financieros Comitê Latino-americano de Assuntos Financeiros Latin-American Shadow Financial Regulatory Committee

Comité Latinoamericano de Asuntos Financieros Comitê Latino-americano de Assuntos Financeiros Latin-American Shadow Financial Regulatory Committee Comité Latinoamericano de Asuntos Financieros Comitê Latino-americano de Assuntos Financeiros Latin-American Shadow Financial Regulatory Committee Declaração N 9 15 de setembro de 2003 Cambridge, EUA POR

Leia mais

Apresentação Institucional. Novembro 2015

Apresentação Institucional. Novembro 2015 Apresentação Institucional Novembro 2015 Seção 1 Visão Geral da Unidas Visão Geral da Unidas 3ª maior empresa brasileira de aluguel de carros em frota total, com cobertura nacional em soluções para terceirização

Leia mais

Bancos brasileiros: crédito é o futuro? Analista: Daniel Araujo, São Paulo (55) 11-5501-8939, daniel_araujo@standardandpoors.com

Bancos brasileiros: crédito é o futuro? Analista: Daniel Araujo, São Paulo (55) 11-5501-8939, daniel_araujo@standardandpoors.com Data de Publicação: 28 de agosto de 2006 Brasil Relatório Bancos brasileiros: crédito é o futuro? Analista: Daniel Araujo, São Paulo (55) 11-5501-8939, daniel_araujo@standardandpoors.com Com a eleição

Leia mais

Introdução à Administração Financeira

Introdução à Administração Financeira Introdução à Administração Financeira Conceitos Introdutórios e Revisão de alguns elementos e conceitos essenciais à Administração Financeira Introdução à Administração Financeira Administração: é a ciência

Leia mais

Fitch Publica Rating A-(bra) da Casan; Perspectiva Estável

Fitch Publica Rating A-(bra) da Casan; Perspectiva Estável Fitch Publica Rating A-(bra) da Casan; Perspectiva Estável Fitch Ratings - Rio de Janeiro, xx de outubro de 2015: A Fitch Ratings publicou, hoje, o Rating Nacional de Longo Prazo A-(bra) (A menos(bra))

Leia mais

Magazine Luiza. Junho 2015

Magazine Luiza. Junho 2015 Magazine Luiza Junho 2015 2 Movimento #AbraceoNovo Ações de Partida do Movimento Ações para sustentação do movimento no curto prazo Ações para sustentação do movimento no longo prazo DE: Empresa Tradicional

Leia mais

Standard & Poor's atribui rating final à 3ª série de cotas seniores do FIDC Exodus Master

Standard & Poor's atribui rating final à 3ª série de cotas seniores do FIDC Exodus Master Data de Publicação: 16 de junho de 2014 Comunicado à Imprensa Standard & Poor's atribui rating final à 3ª série de cotas seniores do FIDC Exodus Master Analista principal: Hebbertt Soares, São Paulo, 55

Leia mais

Resultados 1T15 12 de Maio de 2015

Resultados 1T15 12 de Maio de 2015 Resultados 12 de Maio de 2015 Disclaimer As informações financeiras consolidadas da T4F Entretenimento S/A aqui apresentadas estão de acordo com os critérios do padrão contábil internacional - IFRS, emitido

Leia mais

EZTec: Vemos outro trimestre favorável à frente, com melhoria dos números T/T, ainda que não tão sólido relativamente ao ano anterior.

EZTec: Vemos outro trimestre favorável à frente, com melhoria dos números T/T, ainda que não tão sólido relativamente ao ano anterior. 24 DE JULHO DE 2014 Relatório Setorial Construtoras CONSTRUTORAS BRASILEIRAS PRÉVIA DOS RESULTADOS DO 2T14: RESULTADOS HETEROGÊNEOS Fabiola Gama Renan Manda Conclusão: Como esperávamos, o campeonato mundial

Leia mais

ARC Ratings atribui rating soberano de BBB +, com perspectiva estável, à India

ARC Ratings atribui rating soberano de BBB +, com perspectiva estável, à India ARC Ratings atribui rating soberano de BBB +, com perspectiva estável, à India EMITENTE DATA República da India 12 de Dezembro de 2014 RATINGS EMITENTE - MOEDA ESTRANGEIRA Médio e Longo Prazo BBB+ (BBB+,

Leia mais

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 49% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 35% MARGEM DE EBITDA ATINGIU 29% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 3T06. As demonstrações financeiras

Leia mais

Análise Econômico-Financeira

Análise Econômico-Financeira Universidade Federal do Pará Curso de Ciências Contábeis Departamento de Contabilidade Análise Econômico-Financeira Gilvan Pereira Brito 0301007601 Belém-Pará 2007 1 Universidade Federal do Pará Curso

Leia mais

Resultados do 2T08. Destaques. Relações com Investidores

Resultados do 2T08. Destaques. Relações com Investidores Resultados do 2T08 Uberlândia MG, Agosto de 2008 A CTBC Companhia de Telecomunicações do Brasil Central S.A, empresa integrada de telecomunicações com um portfólio completo de serviços, divulga seus resultados

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Fundo de Investimento é uma comunhão de recursos, constituída sob a forma de condomínio que reúne recursos de vários investidores para aplicar em uma carteira diversificada de ativos financeiros. Ao aplicarem

Leia mais

Resultados 1T15. 08 de maio de 2015

Resultados 1T15. 08 de maio de 2015 Resultados 1T15 08 de maio de 2015 2 Principais destaques do 1T15 Crescimento da receita líquida de 23%, sendo de 2 dígitos em todas unidades de negócio no comparativo ano vs. ano, favorecidas por 83%

Leia mais

Relatório de Estabilidade Financeira. Banco Central do Brasil Março de 2013

Relatório de Estabilidade Financeira. Banco Central do Brasil Março de 2013 Relatório de Estabilidade Financeira Banco Central do Brasil Março de 2013 Pontos abordados para o Sistema Bancário* Base: 2º semestre/12 Risco de liquidez Captações Risco de crédito Portabilidade Crédito

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Setembro 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração

Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração Prezados acionistas A administração da WLM Indústria e Comércio S.A. (WLM), em conformidade com as disposições

Leia mais

www.telemar.com.br/ri Maio - 2004

www.telemar.com.br/ri Maio - 2004 Apresentação Corporativa Maio - 2004 Apresentação Telemar - Agenda 1. Destaques 2003/2004 1 2. Estratégia de Crescimento 3 3. Revisão do Resultado Operacional 12 4. Resultados Financeiros 20 1 Destaques

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 1 Trimestre de 2012 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL DO BANCO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 4 RISCO DE CRÉDITO... 3 5 RISCO DE MERCADO... 8 6

Leia mais

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES! A análise do desempenho histórico! Análise setorial! Análise de múltiplos! Elaboração de projeções de resultados! Determinação

Leia mais

Transcrição da Teleconferência São Carlos (SCAR3 BZ) Resultados do 3T09 16 de novembro de 2009

Transcrição da Teleconferência São Carlos (SCAR3 BZ) Resultados do 3T09 16 de novembro de 2009 Operadora: Bom dia. Sejam bem-vindos à teleconferência da São Carlos sobre os resultados do terceiro trimestre de 2009. Estão presentes hoje conosco os senhores Rolando Mifano, presidente da São Carlos,

Leia mais

Relatório de Monitoramento

Relatório de Monitoramento Relatório de Monitoramento............................................................................. Fundo de Investimento em Direitos Creditórios da Indústria Exodus III - BRZ Data de Publicação: 22

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES O ano de 2015 está demonstrando ser muito desafiador, apresentando um cenário macroeconômico incerto, onde as expectativas do mercado preveem redução do PIB, aumento da inflação e da taxa

Leia mais

Produto Vendas Custo da matéria-prima

Produto Vendas Custo da matéria-prima Conceitos básicos de economia A economia pode ser subdividida em dois grandes segmentos: - Macroeconomia: trata da evolução da economia como um todo, analisando a determinação, comportamento e relações

Leia mais