GONPER MUSEUM Work in progress

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GONPER MUSEUM Work in progress"

Transcrição

1

2 Índice Histórico Dimensionáveis Croqui MAC PB Museu de Segurança Máxima Gonper Museum Project Gonper Museum - work in progress / Site Specific

3 1 Obras que antecederam o Gonper Museum: - Dimensionáveis, 1999 A intenção inicial foi a de criar um trabalho que remetesse a idéia de vazio (físico ou existencial) através do desenvolvimento de uma série de desenhos de ambientes. Mais uma vez noções de ausência e vazio são vistas, como em 1997, quando desenvolvi a instalação (meu número de inscrição no curso de engenharia civil), onde utilizei espelhos desses populares de moldura cor laranja (sendo que jateados, sem possibilidade de refletir) e pares de sapatos de operários (cheios de limalha de ferro). Os Dimensionáveis são ambientes vazios (salas, cantos ou corredores), com suas paredes brancas (paredes essas apropriadas do espaço onde estão instalados) onde o jogo com o olhar do espectador colocando-o em uma dimensão sugerida, explorando também os limites do desenho, do objeto, da escultura, do plano e do espacial. Os Dimensionáveis são desenvolvidos com filetes de ferro pintados de preto criando idéias de espaço através do exercício de perspectiva inventada. Esses espaços, antes vazios, começaram a ser ocupados por obras, e os Dimensionáveis tornaram-se os Dimensionáveis- Museus. (2002) apresentados na primeira versão dos projects. Estes trabalhos foram expostos no NAC- Núcleo de Arte contemporânea da Paraíba, em 2001, e em seguida, na Galeria do SESC Av. Paulista, em Dimensionáveis, 2000 (ferro, dimensões variadas)

4 - Croqui do MAC/PB, 2001/2002 Em maio de 2002 foi exibido, durante a I Bienal do Desenho (João Pessoa PB), o croqui do Museu de Arte Contemporânea da Paraíba MAC PB. No museu estava sendo montada a exposição Fabiano Gonper Coleção Permanente. Foi o primeiro Dimensionável-Museu apresentado ao público. E esse foi o primeiro momento do que viria a tornar-se o Gonper Museum Project e em seguida o Gonper Museum work in progress. MAC PB Croquí, 2002 (detalhe) (ferro pintado, adesivo, caneta permanente sobre parede) MAC PB Croqui, 2002 (ferro, adesivo, caneta permanente sobre parede, 300 x 400 cm)

5 - Museu de Segurança Máxima, 2000/2001 O Museu de Segurança Máxima surge como convite-obra-ação. Foi desenvolvido um convite em 2001 e enviado pela web para alguns artistas e instituições, um número restrito de pessoas e lugares. A exposição a que se refere o convite chama-se Museu de Segurança Máxima e ela percorre quatro importantes instituições do circuito internacional de arte. A fotografia que ilustra o convite, é uma fotoperformance feita em 1999 em Zurique/Suíça, chamada Wanted Dead or Alive. Em seguida esse convite torna-se um objeto/documento e foi inserido dentro da proposta de instalação com o mesmo nome Museu de Segurança Máxima que é composta de um convite-documento e três foto-exposição. convite (versão atualizada em 2002) Na proposta inicial, durante o período das exposições contidas no convite-obra-ação, artistas que morassem nas respectivas cidades da intinerância da exposição, seriam convidados a desenvolver ações que complementariam a ação inicial (envio do convite), dando assim, corpo ao trabalho, um procedimento com etapas e operadores em tempos e espaços próprios.

6 Gonper Museum Project O Gonper Museu Project foi criado em 2002 para ser um obra em construção e ter dimensões variadas, podendo ser apresentada em forma de cópias heliográficas, impressão/plotter em papel vegetal, projeção de vídeo e croquis. É uma obra em construção, é uma exposição em montagem. O Gonper Museum Project é ação e obra, obra e ação, e continuará sua construção, onde mais cedo ou mais tarde envolverá outros artistas ( Série Gonper's Favorites), curadores e obras. É uma obra em construção, é uma exposição em montagem. ( Fabiano Gonper, 2002) Para a mostra Where Does The Sun Come First? Contemporary Art From Paraíba Brazil, na Embaixada do Brasil em Berlim/Alemanha, foi desenvolvida a versão Berlim Exhibition 2002, apresentando 12 cópias heliográficas ( 44 x 144 cm) do Gonper Museum Project. As cópias heliográficas apresentam os formatos das salas de exposições - (dimensionáveis-museus) e das obras expostas. É uma simulação/projeto. De 2002 a 2008 foram desenvolvidos 25 projects do Gonper Museum. Primeira versão do Gonper Museum Project em cópias heliográficas. Exposição Where does the sun come first? Berlin / Alemanha, projetcts Berlim projects FUNDAJ Recife PE project A Gentil Carioca Rio de Janeiro RJ projects Bienal de Cuenca project Antonio Dias Baró Cruz SP project Purdue University - West Lafayette EUA project - Panorama MAM São Paulo SP project Opens Space Arteba Buenos Aires

7 Gonper Museum Project Gonper Museum Project no Salão MAM Bahia em 2002 Impressão sobre papel vegetal e moldura. Gonper Museum Project Versão Berlim 2002 Impressão sobre papel vegetal. Gonper Museum Project Bienal de Cuenca Equador 2004 Impressão sobre papel vegetal.

8 Gonper Museum Project Gonper Museum Project Exposição Paço das Artes - USP SP 2004 Gonper Museum Project Antonio Dias 2005

9 Gonper Museum - work in progress Site Specific A partir de 2003, o Gonper Museum começa a ser apresentado na sua versão site specific. Nas primeiras versões com obras do próprio artista e em seguida com artistas convidados. O Gonper Museum work in progress já foi exibido nas seguintes exposições: 3º Salão Nacional de Arte de Goiás (prêmio aquisição) Goiânia GO (site specific) Fundação Joaquim Nabuco Recife PE (site specific projects) 2003 Paço das Artes - USP São Paulo SP (site specific projects) 2004 Purdue University EUA 2005 (site specific projects) 2005 Galeria Baró Cruz São Paulo SP (site specific e project) 2005 Museu de Arte Moderna de São Paulo - São Paulo SP (site specific) 2005 Open Space Arteba Buenos Aires / Argentina 2008 O site specific é construído através da aplicação de linhas de adesivo plotado criando o ambiente do Gonper Museum, e nesse ambiente são dispostas as obras. É uma obra com duas instâncias: espaço criado + obras expostas e a exposição em si, que está montada dentro do Gonper Museum work in progress. Nas últimas versões o Gonper Museum exibiu obras dos artistas: Matias Duville (Open Space Buenos Aires /ARG), Antonio Dias (Galeria Baró Cruz/São Paulo SP), Waltércio Caldas, Regina Silveira, Iran do Espírito Santo, Paulo Climachauska e Mauro Piva (MAM / São Paulo SP). O Gonper Museum foi pensado como uma obra que já fosse o seu próprio espaço de legitimação, não dependendo assim do aval das instituições e da critica. Como a obra é um museu, tudo que ali estivesse exposto, estaria automaticamente legitimado. No inicio do Gonper Museum, as exposições aconteceram com obras do próprio Fabiano Gonper. As séries Desenhos Secretos e Pinturas Variáveis, foram exibidas pela primeira vez no Gonper Museum.

10 Gonper Museum - work in progress Site Specific Após ser inserido nas instituições, através de mostras e exposições, o Gonper Museum começa a fazer uma legitimação em sentido inverso: artistas de reconhecido valor, já legitimados, são convidados e tem suas obras expostas no Gonper Museum. Assim, os artistas legitimam o museu, que por sua vez é uma obra. Com isso, o Gonper Museum vai sendo legitimado como Obra-Museu. Com o aval das instituições e dos artistas, criam-se precedentes para que o Gonper Museum possa legitimar de forma efetiva, artistas e obras. 1º / Auto-legitmação (conceito-base do trabalho) 2º / Legitimação pelas instituições ( etapa 01) 3º / Legitimação pelos artistas (etapa 02) 4º / Poder de legitimação (conceito-base reforçado)

11 Gonper Museum - work in progress Site Specific A seguir algumas imagens dos sites specifics já montados: Gonper Museum work in progress / site specific 300 x 600 cm. Salão Nacional de Goiás, 2003 (Prêmio aquisição) Site specific com a exposição Desenhos Secretos Fabiano Gonper Gonper Museum work in progress / site specific FUNDAJ, Recife PE Site specific com a exposição Pinturas Variáveis Fabiano Gonper / 700 x 800 x 700 cm.

12 Gonper Museum - work in progress Site Specific Gonper Museum work in progress / site specific Paço das Artes - USP, São Paulo SP Site specific com a exposição Desenhos Secretos Fabiano Gonper /700 x 800 cm Gonper Museum work in progress / site specific / 200 x 600 cm Purdue University Weat Lafayette EUA, 2005 Site specific com a exposição Desenhos Secretos Fabiano Gonper

13 Gonper Museum - work in progress Site Specific Gonper Museum work in progress / site specific Galeria Baró Cruz, São Paulo SP Site specific com a exposição A Ilustração da Arte Antonio Dias / 250 x 600 cm Gonper Museum work in progress / site specific / 290x 600 x 350 x 600 cm Panorama da Arte Brasileira MAM SP, São Paulo SP Site specific com a exposição São 19hrs em Brasília com obras do acervo MAM

14 Gonper Museum - work in progress Site Specific Gonper Museum work in progress / site specific Open Space Arteba, Buenos Aires / ARG Site specific com a exposição Desenhos de Matias Duville / 300 x 1000 cm

15 Gonper Museum - work in progress Site Specific Gonper Museum work in progress / site specific Artistas: Cildo Meirelles / Mira Schendel / Lygia Pape Pinta 09 New York EUA 2009 (Croquis / Simulação)

16 Gonper Museum - work in progress Site Specific Gonper Museum work in progress / site specific Open Space Arteba, Buenos Aires / ARG Site specific com a exposição Desenhos de Matias Duville / 300 x 1000 cm

17 Textos sobre o Gonper Museum Decontextualizar e recontextualizar são, a partir de Duchamp, atos fundantes da arte contemporânea. O continente faz o conteúdo, a obra passa a existir somente depois de ter sido fecundada pelo lugar em que é inserida. O poder virtualmente ilimitado que daí deriva para galerias e principalmente museus, faz com que estes últimos sejam freqüentemente escolhidos também como sujeito da produção artística. Se, porém, na maior parte dos casos a instituição museológica é estigmatizada como fetiche do sistema capitalista burguês, no Gonper Museum, work in progress de Fabiano Gonper, o museu representa apenas um motivo de reflexão. Significativamente, na construção de seu museu pessoal, Gonper recorre a uma perspectiva quase renascentista, matematicamente construída ao redor de um ponto de fuga central. Através da perspectiva clássica, forma simbólica burguesa por excelência, Gonper recupera a tradição que fez do museu um lugar sagrado e da obra de arte um instrumento de afirmação social. Mais do que contestar essa sedimentação de significados, porém, Gonper se limita a servir-se deles, como nos casos em que pendura, nas paredes do seu museu imaginário, obras suas e de outros artistas. Se na escala 1:1 o museu enobrece a obra da qual se faz continente, na versão gonperiana, o museu é a obra. (Parte do Texto de Jacopo Crivelli Fundação Bienal de São Paulo para a representação Brasileira na VIII Bienal de Cuenca / Equador)*

18 Textos sobre o Gonper Museum O museu está sujeito ao sujeito As galerias e os museus vêm sendo, desde a segunda metade do século XX, um espaço não apenas de legitimação da arte, mas de embate simbólico. De um lugar onde se depositavam os pedestais e os objetos de arte, o cubo branco passou a ser encarado como repleto de consciência * e suas práticas institucionais, passíveis de crítica e de rechaço. Desde os gestos utópicos de Yves Klein no final dos anos 50 e início dos 60, em que paredes de galerias eram pintadas de branco para que se pudesse apreciar melhor a sensibilidade pictórica do espaço expositivo, passando pela atitude de Daniel Buren de fechar a galeria Appolinaire durante todo período da exposição, no final da década de 60, e pelos museus de Marcel Broodhaers (Musée D Art Moderne Departement des Aigles) e André Malraux (o Musée Imaginaire), desconstruir o espaço institucional tornou-se a tônica de ampla parte da produção artística contemporânea. Fabiano Gonper, na quarta exposição dos artistas selecionados 2003 da Fundação Joaquim Nabuco, apresenta seu projeto Gonper Museum. Diferentemente de Broodhaers, Hans Haacke, Carla Zaccagnini, Grupo Aleph e outros artistas e grupos que discutem práticas curatoriais, questões de classificação e os subterrâneos institucionais, Gonper cria com seus dimensionáveis um espaço próprio. Uma das leituras possíveis desta intenção é um diagnóstico das possibilidades de atuação e da condição do artista e dos agentes envolvidos no circuito artístico na atualidade: este híbrido de curador, agenciador, crítico e artista, que negocia estados na fluida fronteira entre funções, muito mais do que apontar injustiças ou incoerências do sistema.

19 Utilizando-se de um jogo de perspectiva, Fabiano Gonper insere seu espaço expositivo no espaço da instituição. Ele detém absoluto controle sobre o quê e como será mostrado, sejam obras suas ou de artistas com os quais partilha afinidades, se bem que a existência de seu museu dependeu num primeiro momento da incubação numa instituição ou até mesmo da própria inserção de Gonper no circuito da arte contemporânea nacional. Este aspecto também tangencia outro aspecto da contemporaneidade: a desdiferenciação entre o sistema e o que está à sua margem, sendo a institucionalização um fim cada vez mais rápido. Este desenho no campo expandido desdobra a trajetória de Gonper na constituição de sua poética da subjetividade, que se inicia com incursões na escultura, em que o sujeito era representado, partindo para o tridimensional, que é apreendido através da percepção do espectador, e desembocando num trabalho que envolve por seu duplo tensionamento do espaço, ou seja, em suas esferas física e simbólica. Em suas primeiras versões, o Gonper Museum abrigou as séries Desenhos Secretos e Pinturas Variáveis, trabalhos do artista em que há a problematização dos suportes e da participação do outro na existência da obra. Os desenhos que Fabiano Gonper faz em tecido e emoldura, deixando à vista fragmentos dos traços ou a totalidade de uma outra configuração, e as pinturas feitas de espelho fosco que mostram a paisagem do entorno, variando, é claro, de acordo com o posicionamento de quem a está vendo, precedem e necessitam do espectador. Neste jogo estão em xeque dois princípios: a autonomia da obra e do artista. Cristiana Tejo - Coordenadora de Artes Plásticas do Instituto de Cultura da Fundação Joaquim Nabuco e mestranda em Comunicação pela Universidade Federal de Pernambuco. *Conceito publicizado por Rosalind Krauss

20 Textos sobre o Gonper Museum O Gonper Museum alimenta a reflexão sobre as relações travadas entre a instituição arte e o arcabouço museológico, sobre os procedimentos museográficos através dos quais os objetos passam a ser historicizados, sacralizados e perpetuados no imaginário social. Museu fictício criado pelo artista para abrigar a exibição de sua obra, é um trabalho que opera em dupla via: tanto parece ironizar e questionar o poder e as técnicas do aparelho museológico, quanto usufruir dessas mesmas técnicas para disponibilizar-se e potencializar- se ao olhar público. Obra que acontece em uníssono com os meios que a tornam visível, e que debruçada sobre a exposição, encontra na articulação dos elementos obra, arquitetura e aparatos expositivos, o seu sentido próprio. Assim, aproxima-se do conceito de Antimuseu, colocado por Leenhardt, como uma instância que pensa a si mesma como uma forma de arte e não como uma forma de mostrar a arte.os Desenhos Secretos expostos nas paredes geram tensões entre o público e o privado. São como cartas amassadas, vozes sussurrantes, objetos fugidios ao olhar, e por se concentrarem no ocultamento de seus possíveis significados, reafirmam, como diz Drummond, que a poesia é incomunicável. São desenhos que só a custo se consegue penetrar, investigar entre as rugas do tecido fragmentos de uma poética confidencial, com registros intimistas que guardam reflexões sobre a condição do seu autor enquanto pessoa, cidadão e artista dentro do sistema de arte. Divino Sobral 2004 MAM PROGRAM

Exposições Individuais / Solo Exhibitions

Exposições Individuais / Solo Exhibitions Fabiano Gonper Exposições Individuais / Solo Exhibitions 1997 Fabiano Gonper Pinacoteca da Universidade Federal da Paraíba / João Pessoa PB 1998 Desenho-Objeto Centro Cultural São Francisco / João Pessoa

Leia mais

Paula Almozara «Paisagem-ficção»

Paula Almozara «Paisagem-ficção» Rua da Atalaia, 12 a 16 1200-041 Lisboa + (351) 21 346 0881 salgadeiras@sapo.pt www.salgadeiras.com Paula Almozara «Paisagem-ficção» No âmbito da sua estratégia internacional, a Galeria das Salgadeiras

Leia mais

exposições individuais / solo exhibitions 2015 Horizonte Deserto Tecido Cimento, Galeria Nara Roesler São Paulo, Brazil

exposições individuais / solo exhibitions 2015 Horizonte Deserto Tecido Cimento, Galeria Nara Roesler São Paulo, Brazil fabio miguez n.b. 1962-- sao paulo, brazil vive e trabalha em / lives and works in são paulo exposições individuais / solo exhibitions 2015 Horizonte Deserto Tecido Cimento, Galeria Nara Roesler São Paulo,

Leia mais

Graduação em Artes Plásticas - Habilitação em Artes Plástica - Gravura - Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte MG, Brasil

Graduação em Artes Plásticas - Habilitação em Artes Plástica - Gravura - Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte MG, Brasil Nasceu em Itanhém-BA, 1960 Vive e trabalha em Vitória-ES, Formação 1982-1987 Graduação em Artes Plásticas - Habilitação em Artes Plástica - Gravura - Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte

Leia mais

BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR

BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR APRESENTAÇÃO Nosso objetivo é inaugurar um espaço virtual para o encontro, o diálogo e a troca de experiências. Em seis encontros, vamos discutir sobre arte, o ensino da

Leia mais

ARTEBR EXPOSIÇÃO LUGARES

ARTEBR EXPOSIÇÃO LUGARES ARTEBR EXPOSIÇÃO LUGARES A empresa ARTEBR desenvolve projetos em arte, educação e literatura para diversas instituições culturais brasileiras. Atua nas áreas de consultoria e assessoria em arte e educação,

Leia mais

LENDO IMAGENS A PARTIR DE PROPOSTAS DE AÇÃO EDUCATIVA EM EVENTOS DE ARTE CONTEMPORÂNEA EM GOIÁS.

LENDO IMAGENS A PARTIR DE PROPOSTAS DE AÇÃO EDUCATIVA EM EVENTOS DE ARTE CONTEMPORÂNEA EM GOIÁS. LENDO IMAGENS A PARTIR DE PROPOSTAS DE AÇÃO EDUCATIVA EM EVENTOS DE ARTE CONTEMPORÂNEA EM GOIÁS. ARAÚJO, Haroldo de 1; Prof.Dr. Costa, Luis Edegar de Oliveira 2;. Palavras chaves: Arte contemporânea; curadoria;

Leia mais

ARTE E ARQUITETURA: desenhos do lugar

ARTE E ARQUITETURA: desenhos do lugar ARTE E ARQUITETURA: desenhos do lugar Maria Luiza Fatorelli (Malu Fatorelli) - UERJ RESUMO O artigo examina a questão da escala e da dimensão consideradas no âmbito de obras artísticas da autora. Escala

Leia mais

MERCEDES VIEGAS ARTE CONTEMPORÂNEA

MERCEDES VIEGAS ARTE CONTEMPORÂNEA Martinho Patrício Martinho Patrício Leite, 1964. Vive em João Pessoa, PB. Brasil. FORMAÇÃO 1993 Licenciatura em Educação Artística pela Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa, PB. EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

Leia mais

universidade estadual de campinas

universidade estadual de campinas UNICAMP universidade estadual de campinas GALERIA DE ARTE» UNICAMP GALERIA DE ARTE < UNICAMP ODILLA MESTRINER AQUARELAS E DESENHOS SETEMBRO/85 APRESENTAÇÃO A primeira característica impressionante na personalidade

Leia mais

ARTEBR EXPOSIÇÃO DE FERNANDO VILELA CIDADES GRÁFICAS

ARTEBR EXPOSIÇÃO DE FERNANDO VILELA CIDADES GRÁFICAS ARTEBR EXPOSIÇÃO DE FERNANDO VILELA CIDADES GRÁFICAS A empresa ARTEBR desenvolve projetos em arte, educação e literatura para diversas instituições culturais brasileiras. Atua nas áreas de consultoria

Leia mais

COM TRABALHOS INÉDITOS NO OI FUTURO, PAULO CLIMACHAUSKA ABRE DUAS EXPOSIÇÕES NO RIO

COM TRABALHOS INÉDITOS NO OI FUTURO, PAULO CLIMACHAUSKA ABRE DUAS EXPOSIÇÕES NO RIO COM TRABALHOS INÉDITOS NO OI FUTURO, PAULO CLIMACHAUSKA ABRE DUAS EXPOSIÇÕES NO RIO Artista paulistano inaugura Re-subtrações - Paulo Climachauska, no Oi Futuro no Flamengo dia 14 de janeiro e Fluxo de

Leia mais

Programa Educativo da Bienal na exposição Em Nome dos Artistas

Programa Educativo da Bienal na exposição Em Nome dos Artistas Programa Educativo da Bienal na exposição Em Nome dos Artistas O Programa Educativo da Bienal é responsável pela relação direta da Bienal com o público. Sob curadoria de Stela Barbieri, o programa tem

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - INSTITUTO DE ARTES ESCOLA DE ARTES VISUAIS DO PARQUE LAGE

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - INSTITUTO DE ARTES ESCOLA DE ARTES VISUAIS DO PARQUE LAGE UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - INSTITUTO DE ARTES ESCOLA DE ARTES VISUAIS DO PARQUE LAGE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENSINO DA ARTE - TURMA 2015 PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EMENTAS DOS CURSOS Arte

Leia mais

Bel f alleiro s PORTFOLIO 2015

Bel f alleiro s PORTFOLIO 2015 Bel f alleiro s PORTFOLIO 2015 sul, 2013 painel da série Sobre Pedra e Água tinta Acrílica, grafite e giz pastel sobre algodão cru 2,4m x 4,6m Sobre pedra e água, 2013 instalação com os painéis Norte,

Leia mais

Território Modular ARTE CONTEMPORÂNEA RUA PAULO BARRETO 77, BOTAFOGO 22280-010 RIO DE JANEIRO RJ BRASIL T +55 (21) 2541 4935 WWW.LURIXS.

Território Modular ARTE CONTEMPORÂNEA RUA PAULO BARRETO 77, BOTAFOGO 22280-010 RIO DE JANEIRO RJ BRASIL T +55 (21) 2541 4935 WWW.LURIXS. Território Modular 1 Coletivo MUDA TERRITÓRIO MODULAR 23 de agosto a 04 de outubro de 2013 2 Em movimento Felipe Scovino Para essa primeira exposição do MUDA em uma galeria comercial, uma questão importante

Leia mais

2014 O Guardião das coisas inúteis, MAMAM, Recife, Brasil. 2012 Chronos, Galeria Nara Roesler, São Paulo, Brasil

2014 O Guardião das coisas inúteis, MAMAM, Recife, Brasil. 2012 Chronos, Galeria Nara Roesler, São Paulo, Brasil marcelo silveira 1962 nasceu em gravatá vive e trabalha em recife exposições individuais O Guardião das coisas inúteis, MAMAM, Recife, Brasil 2012 Chronos, Galeria Nara Roesler, São Paulo, Brasil 2008

Leia mais

DUDI MAIA ROSA. 1946, São Paulo, Brasil Vive e trabalha em São Paulo / Lives and works in São Paulo

DUDI MAIA ROSA. 1946, São Paulo, Brasil Vive e trabalha em São Paulo / Lives and works in São Paulo DUDI MAIA ROSA 1946, São Paulo, Vive e trabalha em São Paulo / Lives and works in São Paulo EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS SELECIONADAS / SELECTED SOLO EXHIBITIONS 2009 Plásticos, Galeria Millan, São Paulo, SP,

Leia mais

REGULAMENTO PARA EXPOSIÇÃO CASARIOS DO PORTO, CORUMBÁ- MS

REGULAMENTO PARA EXPOSIÇÃO CASARIOS DO PORTO, CORUMBÁ- MS REGULAMENTO PARA EXPOSIÇÃO CASARIOS DO PORTO, CORUMBÁ- MS O SESC no Mato Grosso do Sul, torna público o regulamento para exposição Casarios do Porto, Corumbá-MS com a finalidade de estimular a produção

Leia mais

Todas as actividades do salão, serão levadas a efeito no Museu da Chapelaria e nos Paços da Cultura, que se situam em S. João da Madeira.

Todas as actividades do salão, serão levadas a efeito no Museu da Chapelaria e nos Paços da Cultura, que se situam em S. João da Madeira. SALÃO INTERNACIONAL DE ARTES PLÁSTICAS 2007 28 de Abril a 13 Maio 2007 S. JOÃO DA MADEIRA A organização deste Salão Internacional de Artes Plásticas de S. João da Madeira, é da responsabilidade do Rotary

Leia mais

Galerias Virtuais: novos modos expositivos e a legitimação da arte contemporânea na web.

Galerias Virtuais: novos modos expositivos e a legitimação da arte contemporânea na web. Galerias Virtuais: novos modos expositivos e a legitimação da arte contemporânea na web. 1 Andrea Capssa Lima Resumo Este artigo na área da Arte Contemporânea e Arte e Tecnologia, analisa as novas possibilidades

Leia mais

Exercícios de desenho utilizando diferentes estratégias de construção de imagens, como transportes, ampliações e colagens.

Exercícios de desenho utilizando diferentes estratégias de construção de imagens, como transportes, ampliações e colagens. Edital SEDAC nº 11/2013 Desenvolvimento da Economia da Cultura FAC - Sociedade Civil Programa de Oficinas do Atelier Subterrânea: do desenho à arquitetura Flávio Gonçalves Oficina: Desenho como Estratégia

Leia mais

Museu Nacional da Arte Antiga

Museu Nacional da Arte Antiga Museu Nacional da Arte Antiga Índice 1. Horários e localização: 2. Ingresso 3. História do museu 4. Informações acerca do museu 5. As 10 obras de referência do MNAA 6. Coleções 1 - Horário e Localização

Leia mais

MUSEU DA COMPUTAÇÃO DA UEPG: O QUE É O MUSEU VIRTUAL

MUSEU DA COMPUTAÇÃO DA UEPG: O QUE É O MUSEU VIRTUAL 9. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

A TRAMA DO VALOR NA ARTE ASPECTOS DA HISTÓRIA DA CURADORIA

A TRAMA DO VALOR NA ARTE ASPECTOS DA HISTÓRIA DA CURADORIA 8.00.00.00-2 LINGUÍSTICA, LETRAS E ARTES 8.03.00.00-6 ARTES A TRAMA DO VALOR NA ARTE ASPECTOS DA HISTÓRIA DA CURADORIA CAROLINA CARMINI MARIANO LÚCIO - ORIENTANDA Curso de Arte: História, Crítica e Curadoria

Leia mais

O uso do desenho e da gravura sobre fotografia como práxis poética da memória

O uso do desenho e da gravura sobre fotografia como práxis poética da memória O uso do desenho e da gravura sobre fotografia como práxis poética da memória Vinicius Borges FIGUEIREDO; José César Teatini CLÍMACO Programa de pós-graduação em Arte e Cultura Visual FAV/UFG viniciusfigueiredo.arte@gmail.com

Leia mais

Formação acadêmica Bacharelado em Arquitetura / Universidade Federal de Pernambuco 1981

Formação acadêmica Bacharelado em Arquitetura / Universidade Federal de Pernambuco 1981 Maria de Betânia Corrêa de Araújo Recife, Pernambuco 1957 Formação acadêmica Bacharelado em Arquitetura / Universidade Federal de Pernambuco 1981 Pós graduação de Economia da Cultura Universidade Federal

Leia mais

RODRIGO ANDRADE. 1962, São Paulo, Brasil Vive e trabalha em São Paulo / Lives and works in São Paulo

RODRIGO ANDRADE. 1962, São Paulo, Brasil Vive e trabalha em São Paulo / Lives and works in São Paulo RODRIGO ANDRADE 1962, São Paulo, Vive e trabalha em São Paulo / Lives and works in São Paulo EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS SELECIONADAS / SELECTED SOLO EXHIBITIONS 2014 Pinturas de onda, mato e ruína, Galeria

Leia mais

Curadoria e montagem de exposições de arte: um campo de diversas profissões

Curadoria e montagem de exposições de arte: um campo de diversas profissões Curadoria e montagem de exposições de arte: um campo de diversas profissões As oportunidades de trabalho e as novas profissões ligadas à arte contemporânea têm crescido muito nos últimos anos, impulsionadas

Leia mais

Palavras-chave: Mediação Cultural; Autonomia; Diversidade.

Palavras-chave: Mediação Cultural; Autonomia; Diversidade. Um olhar sobre a diversidade dos educativos da Fundaj 1 Maria Clara Martins Rocha Unesco / MG Maria José Gonçalves Fundaj / PE RESUMO Os programas educativos nos diferentes equipamentos culturais da Fundação

Leia mais

ALÉM DA IMAGEM E DO VERBO Rogerio Ghomes

ALÉM DA IMAGEM E DO VERBO Rogerio Ghomes ALÉM DA IMAGEM E DO VERBO Rogerio Ghomes Ângela Magalhães & Nadja Peregrino curadoria > Incrível como um distúrbio afeta a credibilidade. 2007-2010 C-print sobre metacrilato > Dimensões variáveis aprox.

Leia mais

Como os artistas passam a encarar a preservação de sua obra, no contexto do museu ou fora dele?

Como os artistas passam a encarar a preservação de sua obra, no contexto do museu ou fora dele? A RESPEITO DAS OBRAS QUE NÃO CABEM NO MUSEU DEPOIMENTO DE LUCAS BAMBOZZI A REGINA SILVEIRA, POR OCASIÃO DE SUA PARTICIPAÇÃO NO SEMINÁRIO TRANSMUSEU - PENSANDO A RESERVA TÉCNICA DE UM MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO CÓDIGO UNIDADE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CÓD. CURSO CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO CÓD. DISC. DISCIPLINA 34033408 ARTE BRASILEIRA II CRÉDITOS ETAPA 3 Período CH ANO 2009

Leia mais

Arqueologia em construção

Arqueologia em construção Carta produzida pelo Grupo de Trabalho Arqueologia de Contrato Coletivo de estudantes do PPGARQ- MAE-USP Arqueologia em construção A Semana de Arqueologia tem como objetivos o debate, a troca de informações

Leia mais

Workshop - R.U.A. Realidade Urbana Aumentada: Cartografias Inventadas Ministrante: Profª. Drª. Lilian Amaral IA/UNESP

Workshop - R.U.A. Realidade Urbana Aumentada: Cartografias Inventadas Ministrante: Profª. Drª. Lilian Amaral IA/UNESP Workshop - R.U.A. Realidade Urbana Aumentada: Cartografias Inventadas Ministrante: Profª. Drª. Lilian Amaral IA/UNESP Atividade de Extensão Integrante do Zonas de Compensação coordenado por Profª. Drª.

Leia mais

PLANOS. A mostra será composta por 16 artistas e 47 trabalhos de dimensões variadas

PLANOS. A mostra será composta por 16 artistas e 47 trabalhos de dimensões variadas PLANOS A coletiva PLANOS traz um recorte da produção bidimensional -em desenho, pintura, gravura e fotografia - de acadêmicos do curso de Artes Visuais da UFMS nos últimos 5 anos, entre formandos e formados.

Leia mais

2015 Afluentes, Galeria Nara Roesler, Rio de Janeiro, Brasil

2015 Afluentes, Galeria Nara Roesler, Rio de Janeiro, Brasil arthur lescher 1962 nasceu em são paulo vive e trabalha em são paulo exposições individuais 2015 Afluentes, Galeria Nara Roesler, Rio de Janeiro, 2014 La nostalgia del ingeniero, Corredor Cultural Roma

Leia mais

MERCADO MUNICIPAL PATRIMÔNIO HISTÓRICO DE UBERLÂNDIA

MERCADO MUNICIPAL PATRIMÔNIO HISTÓRICO DE UBERLÂNDIA MERCADO MUNICIPAL PATRIMÔNIO HISTÓRICO DE UBERLÂNDIA Soraia Cristina Cardoso Lelis soraia@aromata.com.br Escola de Educação Básica da UFU Relato de Experiência Palavras-chave: Patrimônio Histórico, Artes

Leia mais

CONVOCATÓRIA PARA EXPOSIÇÃO COLETIVA DE ENSAIOS DE AUTORES CEARENSES

CONVOCATÓRIA PARA EXPOSIÇÃO COLETIVA DE ENSAIOS DE AUTORES CEARENSES CONVOCATÓRIA PARA EXPOSIÇÃO COLETIVA DE ENSAIOS DE AUTORES CEARENSES Convidamos todos a participarem de convocatória para compor exposição do Encontros de Agosto 2013, que traz o tema Memória e Produção

Leia mais

ARTEBR SITE A HISTÓRIA VAI COMEÇAR

ARTEBR SITE A HISTÓRIA VAI COMEÇAR ARTEBR SITE A HISTÓRIA VAI COMEÇAR A empresa ARTEBR desenvolve projetos em arte, educação e literatura para diversas instituições culturais brasileiras. Atua nas áreas de consultoria e assessoria em arte

Leia mais

CONCEITOS. Artes História do retrato-pintura. História do retrato-fotografia. Arte e tecnologia. Matemática Transformações.

CONCEITOS. Artes História do retrato-pintura. História do retrato-fotografia. Arte e tecnologia. Matemática Transformações. Sala de Professor MESTRE JÚLIO: RETRATO PINTADO CONCEITOS Artes História do retrato-pintura. História do retrato-fotografia. Arte e tecnologia. Matemática Transformações. Sociologia Indústria cultural.

Leia mais

ATHENA CONTEMPORÂNEA YURI FIRMEZA. 1982. São Paulo, Brasil. Vive e trabalha em Fortaleza EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

ATHENA CONTEMPORÂNEA YURI FIRMEZA. 1982. São Paulo, Brasil. Vive e trabalha em Fortaleza EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS YURI FIRMEZA 1982. São Paulo, Brasil. Vive e trabalha em Fortaleza EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS Projeto Ruínas - Casa Triângulo - São Paulo, Brasil Frieze - Solo Project - Nova Iorque, EUA 2013 Turvações Estratigráficas

Leia mais

ACERVOS FOTOGRÁFICOS HISTÓRICOS. Organização, Pesquisa e Usos de Documentos Visuais. Aline Lopes de Lacerda alopeslacerda@gmail.

ACERVOS FOTOGRÁFICOS HISTÓRICOS. Organização, Pesquisa e Usos de Documentos Visuais. Aline Lopes de Lacerda alopeslacerda@gmail. ACERVOS FOTOGRÁFICOS HISTÓRICOS Organização, Pesquisa e Usos de Documentos Visuais Aline Lopes de Lacerda alopeslacerda@gmail.com Parte I - Fotografia e valor documentário Parte II - A fotografia nos arquivos:

Leia mais

ANEXO A Projeto básico para a Exposição

ANEXO A Projeto básico para a Exposição 95 1 IDENTIFICAÇÃO: ANEXO A Projeto básico para a Exposição 1.1 Título: Exposição FOTO-CINE CLUBE GAÚCHO MAIS DE 60 ANOS DE FOTOGRAFIA 1.2 Responsável: Margarete Ross Pereira Pacheco 1.3 Curadoria: Direção

Leia mais

7º ano - Criação e percepção - de si, do outro e do mundo

7º ano - Criação e percepção - de si, do outro e do mundo RELATÓRIO DE ARTES 1º Semestre/2015 Turma: 7º ano Professora: Mirna Rolim Coordenação pedagógica: Maria Aparecida de Lima Leme 7º ano - Criação e percepção - de si, do outro e do mundo Sinto que o 7º ano

Leia mais

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2013 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO 2010-2012 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA ARQUITETURA E URBANISMO

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2013 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO 2010-2012 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA ARQUITETURA E URBANISMO PAVILHÕES Os edifícios para grandes exposições têm marcado a história da Arquitetura desde 1851, com a construção do Palácio de Cristal, concebido por Joseph Paxton para a primeira Exposição Universal,

Leia mais

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Setembro Outubro 2014

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Setembro Outubro 2014 O Boletim do Museu da Imigração chega à sua vigésima segunda edição. Este veículo tem a proposta de manter as comunidades e o público geral informados sobre o MI, destacando ainda as atividades e ações

Leia mais

Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves

Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves TEMA : BRINCANDO E APRENDENDO NA ESCOLA Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves Autora: Prof a Cássia de Fátima da S. Souza PÚBLICO ALVO Alunos de 04 anos TEMA: BRINCANDO E

Leia mais

Ampliando o olhar sobre a Arte

Ampliando o olhar sobre a Arte Ampliando o olhar sobre a Arte A Arte reflete a história da humanidade. Desde as primeiras expressões artísticas (Arte rupestre) até os dias de hoje, podemos compreender o desenvolvimento do homem em cada

Leia mais

visão O ICCo acredita na arte como elemento chave transformador da sociedade contemporânea.

visão O ICCo acredita na arte como elemento chave transformador da sociedade contemporânea. visão O ICCo acredita na arte como elemento chave transformador da sociedade contemporânea. Pretende ser um elo de referência entre o artista, o público e importantes instituições nacionais e internacionais.

Leia mais

exposições individuais / solo exhibitions 2015 Afluentes, Galeria Nara Roesler, Rio de Janeiro, Brazil

exposições individuais / solo exhibitions 2015 Afluentes, Galeria Nara Roesler, Rio de Janeiro, Brazil artur lescher n. b. 1962 -- sao paulo, brazil vive e trabalha em / lives and works in sao paulo, brazil exposições individuais / solo exhibitions 2015 Afluentes, Galeria Nara Roesler, Rio de Janeiro, Brazil

Leia mais

2014 Futebol no Campo Ampliado, Paço Imperial, Rio de Janeiro, Brazil

2014 Futebol no Campo Ampliado, Paço Imperial, Rio de Janeiro, Brazil eduardo coimbra 1955 born in rio de janeiro lives and works in rio de janeiro solo exhibitions 2015 Fatos Arquitetônicos, Galeria Nara Roesler, Rio de Uma Escultura na Sala, curadoria de Glória Ferreira,

Leia mais

ARTEBR LIVRO SABORES DO BRASIL

ARTEBR LIVRO SABORES DO BRASIL ARTEBR LIVRO SABORES DO BRASIL A empresa ARTEBR desenvolve projetos em arte, educação e literatura para diversas instituições culturais brasileiras. Atua nas áreas de consultoria e assessoria em arte e

Leia mais

Conclusão do Curso de Bacharel em Direito - Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais - Belo Horizonte-MG, Brasil

Conclusão do Curso de Bacharel em Direito - Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais - Belo Horizonte-MG, Brasil Nasceu em Paraisópolis-MG, - 1920 Faleceu em Belo Horizonte-MG, - 2002 Formação 1945 Conclusão do Curso de Bacharel em Direito - Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais - Belo Horizonte-MG,

Leia mais

O CORPO CAPTURADOR DA INTERVENÇÃO URBANA: O JOGO DE INCORPOR(AÇÃO) ENTRE PASSANTES E CIDADE

O CORPO CAPTURADOR DA INTERVENÇÃO URBANA: O JOGO DE INCORPOR(AÇÃO) ENTRE PASSANTES E CIDADE O CORPO CAPTURADOR DA INTERVENÇÃO URBANA: O JOGO DE INCORPOR(AÇÃO) ENTRE PASSANTES E CIDADE Mirela Ferraz Sou a favor de uma arte que seja místico-eróticapolítica, que vá além de sentar o seu traseiro

Leia mais

CONEXÃO#I Encontro do NatFap: Núcleo de Arte e Tecnologia da Faculdade de Artes do Paraná 10, 11 e 12 de agosto de 2011 PONTAS E TANGÊNCIAS

CONEXÃO#I Encontro do NatFap: Núcleo de Arte e Tecnologia da Faculdade de Artes do Paraná 10, 11 e 12 de agosto de 2011 PONTAS E TANGÊNCIAS PONTAS E TANGÊNCIAS Inara Vidal Passos 1 Faculdade de Artes do Paraná RESUMO Pontas e tangências É uma série criada em 2011, composta por três esculturas, modeladas em gesso, argila líquida e tinta acrílica,

Leia mais

ARTE#OCUPASM/2013 Evento Internacional na cidade de Santa Maria - RS - Brasil

ARTE#OCUPASM/2013 Evento Internacional na cidade de Santa Maria - RS - Brasil ARTE#OCUPASM/2013 Evento Internacional na cidade de Santa Maria - RS - Brasil O arte#ocupasm/2013 aborda as formas de EXISTIR JUNTOS na contemporaneidade, habitando com diferentes ações artísticas o largo

Leia mais

Almandrade. (Antônio Luiz M. Andrade)

Almandrade. (Antônio Luiz M. Andrade) (Antônio Luiz M. Andrade) Artista plástico, arquiteto, mestre em desenho urbano, poeta e professor de teoria da arte das oficinas de arte do Museu de Arte Moderna da Bahia e Palacete das Artes. Participou

Leia mais

A arquitetura dos memoriais

A arquitetura dos memoriais PARTE 01: Conteúdo para a prova A arquitetura dos memoriais Você já ouviu falar em memorial ou já visitou um espaço arquitetônico destinado à memória de alguma personalidade, de um povo ou de algum fato

Leia mais

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças PADILHA, Aparecida Arrais PMSP cidarrais@yahoo.com.br Resumo: Este artigo apresenta uma

Leia mais

NACIONALIDADE: PIS (ou número de Inscrição do Contribuinte Individual junto a Previdência Social):

NACIONALIDADE: PIS (ou número de Inscrição do Contribuinte Individual junto a Previdência Social): EDITAL DE SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARTES VISUAIS PARA REALIZAÇÃO DE EXPOSIÇÕES NA GALERIA DE ARTES DO SESC LONDRINA 2013 FICHA DE INSCRIÇÃO NOME COMPLETO/RAZÂO SOCIAL: REPRESENTANTE LEGAL: NOME ARTÍSTICO:

Leia mais

EDITAL CHAMADA ABERTA. 1. Introdução

EDITAL CHAMADA ABERTA. 1. Introdução EDITAL CHAMADA ABERTA 1. Introdução A X Bienal de Arquitetura de São Paulo será realizada de 28 de setembro a 24 de novembro de 2013, com a curadoria de Guilherme Wisnik, Ana Luiza Nobre e Ligia Nobre.

Leia mais

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL Curso: Tecnologia Social e Educação: para além dos muros da escola Resumo da experiência de Avaliação do Programa "Apoio

Leia mais

2014 Futebol no Campo Ampliado, Paço Imperial, Rio de Janeiro, Brasil

2014 Futebol no Campo Ampliado, Paço Imperial, Rio de Janeiro, Brasil eduardo coimbra 1955 nasceu no rio de janeiro vive e trabalha no rio de janeiro exposições individuais 2015 Eduardo Coimbra, curadoria de Glória Ferreira, Casa de Cultura Laura Alvim, Rio de Janeiro, Brasil

Leia mais

exposições individuais / solo exhibitions Artur Lescher: Inside-Out, Piero Atchugarry Gallery, Punta Del Este, Uruguay

exposições individuais / solo exhibitions Artur Lescher: Inside-Out, Piero Atchugarry Gallery, Punta Del Este, Uruguay artur lescher n./b. 1962 -- sao paulo, brazil vive e trabalha em/lives and works in sao paulo, brazil exposições individuais / solo exhibitions 2016 Artur Lescher: Inside-Out, Piero Atchugarry Gallery,

Leia mais

ELIZABETH JOBIM. Oi Futuro. Rio de Janeiro, Brasil

ELIZABETH JOBIM. Oi Futuro. Rio de Janeiro, Brasil ARTE CONTEMPORÂNEA RUA PAULO BARRETO 77, BOTAFOGO 22280-010 RIO DE JANEIRO RJ BRASIL TF +55 (21) 2541 4935 WWW.LURIXS.COM ELIZABETH JOBIM Exposições individuais 2015 Bloco B 2013 Blocos Oi Futuro. Rio

Leia mais

Marcus André. Rio de Janeiro, 1961 Vive e trabalho no Rio de Janeiro, Brasil. Exposições Coletivas

Marcus André. Rio de Janeiro, 1961 Vive e trabalho no Rio de Janeiro, Brasil. Exposições Coletivas Marcus André Rio de Janeiro, 1961 Vive e trabalho no Rio de Janeiro, Brasil Exposições Coletivas 2009 Museu de Arte Contemporânea de Paraná 63 o. Salão Paranaense de Arte. Curitiba PR 2008 Durex Arte Contemporânea

Leia mais

Por uma pedagogia da juventude

Por uma pedagogia da juventude Por uma pedagogia da juventude Juarez Dayrell * Uma reflexão sobre a questão do projeto de vida no âmbito da juventude e o papel da escola nesse processo, exige primeiramente o esclarecimento do que se

Leia mais

BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA. Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira.

BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA. Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira. 1 PROJETO SETORIAL INTEGRADO BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira. 2 Introdução O Ministério da Cultura, sugeriu a Fundação

Leia mais

Setembro/2014. Período. 1 a 30 de setembro de 2014

Setembro/2014. Período. 1 a 30 de setembro de 2014 Setembro/2014 Período 1 a 30 de setembro de 2014 Cine Jardim traz filmes e música ao ar livre no Museu da Energia de Itu Público poderá conferir exibição do clássico do terror Nosferatu, além de show

Leia mais

ISSN 2236-0719. Organização Ana Maria Tavares Cavalcanti Maria de Fátima Morethy Couto Marize Malta

ISSN 2236-0719. Organização Ana Maria Tavares Cavalcanti Maria de Fátima Morethy Couto Marize Malta ISSN 2236-0719 Organização Ana Maria Tavares Cavalcanti Maria de Fátima Morethy Couto Marize Malta Universidade Estadual de Campinas Outubro 2011 Apresentação de Mesa-Redonda - 5 Carlos Gonçalves Terra

Leia mais

O diretor-presidente da COPASA, Ricardo Simões, tem o prazer de convidá-lo para a abertura da. de Daniel Neto e Elenir tavares.

O diretor-presidente da COPASA, Ricardo Simões, tem o prazer de convidá-lo para a abertura da. de Daniel Neto e Elenir tavares. O diretor-presidente da COPASA, Ricardo Simões, tem o prazer de convidá-lo para a abertura da exposição Entre Silêncio e Paisagem, de Daniel Neto e Elenir tavares. Abertura 23 de outubro, às 19 horas.

Leia mais

MANOEL VEIGA. Recife, 1966 Vive e trabalha em São Paulo. Formação

MANOEL VEIGA. Recife, 1966 Vive e trabalha em São Paulo. Formação MANOEL VEIGA Recife, 1966 Vive e trabalha em São Paulo Formação Forma se em Engenharia Eletrônica pela UFPE (1989), tendo sido bolsista do Depto. de Física por 3 anos. Trabalha em fábrica até dedicar se

Leia mais

EDITAL DE FOTOGRAFIA

EDITAL DE FOTOGRAFIA EDITAL DE FOTOGRAFIA O Governo do Estado da Paraíba, a Secretaria de Estado da Cultura, através da Fundação Espaço Cultural da Paraíba FUNESC representada pela Presidência da FUNESC e sua Diretoria de

Leia mais

Martinho Patrício Leite

Martinho Patrício Leite Martinho Patrício Leite Nasce em João Pessoa, 1964 Vive e trabalha João Pessoa, Brasil Educação Artística, Universidade Federal da Paraíba, Brasil Exposições Individuais 2005 Recife, PE. Brincar com Lygia.

Leia mais

Dia_Logos. café teatral

Dia_Logos. café teatral café Café Teatral Para esta seção do Caderno de Registro Macu, a coordenadora do Café Teatral, Marcia Azevedo fala sobre as motivações filosóficas que marcam esses encontros. Partindo da etimologia da

Leia mais

2009 Athos Bulcão - Compositor de Espaços, Museu Nacional do Conjunto Cultural da República, Brasília DF, Brasil

2009 Athos Bulcão - Compositor de Espaços, Museu Nacional do Conjunto Cultural da República, Brasília DF, Brasil athos bulcão 1918-2008 nasceu no rio de janeiro exposições individuais 2015 Galeria Nara Roesler, São Paulo, 2009 Athos Bulcão - Compositor de Espaços, Museu Nacional do Conjunto Cultural da República,

Leia mais

ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS

ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS 2 3 Artes da Infância infans Do latim, infans significa aquele que ainda não teve acesso à linguagem falada. Na infância adquirimos conhecimentos, acumulamos vivências e construímos

Leia mais

Rotary Clube de S. João da Madeira Câmara Municipal de S. João da Madeira SOLIDARIEDADE a) Localização do Salão b) Comité Organizador

Rotary Clube de S. João da Madeira Câmara Municipal de S. João da Madeira SOLIDARIEDADE a) Localização do Salão b) Comité Organizador II SALÃO INTERNACIONAL DE ARTES PLÁSTICAS 2009 18 a 31 de Abril de 2009 S. JOÃO DA MADEIRA 1 A organização deste Salão Internacional de Artes Plásticas de S. João da Madeira, é da responsabilidade do Rotary

Leia mais

Análise de obra arquitetônica: O prédio do Museu Brasileiro da Escultura (MUBE), de Paulo Mendes da Rocha.

Análise de obra arquitetônica: O prédio do Museu Brasileiro da Escultura (MUBE), de Paulo Mendes da Rocha. Análise de obra arquitetônica: O prédio do Museu Brasileiro da Escultura (MUBE), de Paulo Mendes da Rocha. Por Talles Lucena, educador do MuBE. O prédio do Museu Brasileiro da Escultura é um projeto do

Leia mais

Exposições individuais

Exposições individuais Marco Garaude Giannotti São Paulo, Brasil, 1957 Graduado em Pintura, Fundação Armando Álvares Penteado (Faap), São Paulo-SP, 1967. Graduado em Ciências Sociais, Universidade Federal de São Paulo (USP),

Leia mais

colégio santo américo

colégio santo américo prosa centro de estudos 1º semestre / 2010,,,,, colégio santo américo P a l e s t r a s A arte do desenho na educação O desenho é um fazer criativo e reflexivo, imprescindível na escola. Seu percurso na

Leia mais

Arquitetura e Urbanismo na Cidade Brasileira Contemporânea Jacareí

Arquitetura e Urbanismo na Cidade Brasileira Contemporânea Jacareí Arquitetura e Urbanismo na Cidade Brasileira Contemporânea Jacareí A produção literária referente à arquitetura e urbanismo sempre foi caracterizada pela publicação de poucos títulos, baixa diversidade

Leia mais

JAKOBSON, DUCHAMP E O ENSINO DE ARTE

JAKOBSON, DUCHAMP E O ENSINO DE ARTE JAKOBSON, DUCHAMP E O ENSINO DE ARTE Terezinha Losada Resumo: A obra Fonte de Marcel Duchamp é normalmente apontada pela crítica de arte como a síntese e a expressão mais radical da ruptura com a tradição

Leia mais

SERVIÇO EDUCATIVO APRESENTAÇÃO

SERVIÇO EDUCATIVO APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO O Serviço Educativo foi concebido com a missão de ressignificar o Museu da CARRIS como lugar de vivência coletiva, diálogo e partilha de múltiplas vozes, como território de reflexão e experimentação

Leia mais

SOBRE O DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES ARTÍSTICAS, CIENTÍFICAS E CULTURAIS NO PROCESSO DA 3ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE JUVENTUDE

SOBRE O DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES ARTÍSTICAS, CIENTÍFICAS E CULTURAIS NO PROCESSO DA 3ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE JUVENTUDE RESOLUÇÃO 08/2015, DA COMISSÃO ORGANIZADORA NACIONAL A Comissão Organizadora da 3ª Conferência Nacional de Juventude, no uso de suas atribuições regimentais, em conformidade com o artigo 6º, objetivo específico

Leia mais

EDITAL 01/2014 CONCURSO FOTOGRÁFICO RIO DAS PEDRAS BRILHANTES

EDITAL 01/2014 CONCURSO FOTOGRÁFICO RIO DAS PEDRAS BRILHANTES EDITAL 01/2014 CONCURSO FOTOGRÁFICO RIO DAS PEDRAS BRILHANTES FACULDADE ALIANÇA DE ITABERAI, ESTADO DE GOIÁS, por meio da Direção Acadêmica, Coordenações de Cursos e CEIC, torna público o concurso institucional

Leia mais

DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA: e os museus com isso? Museu Antropológico da Universidade Federal de Goiás (MA/UFG)

DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA: e os museus com isso? Museu Antropológico da Universidade Federal de Goiás (MA/UFG) DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA: e os museus com isso? Marisa Damas Vieira Comunicadora/ Produtora Cultural Rosani Moreira Leitão Antropóloga/ Coordenadora de Antropologia Museu Antropológico da Universidade

Leia mais

O que é uma instalação?

O que é uma instalação? O que é uma instalação? A arte contemporânea vive, pulsa, voa, viaja e morre. Absorve e constrói o espaço à sua volta ao mesmo tempo que o desconstrói. A desconstrução de espaços, de conceitos e idéias

Leia mais

CAIXAS DE MEMÓRIAS. O que guarda o Centro de Arte Moderna? Quem pensa e faz obras de arte? escultor. Sobre o que nos fala uma obra de arte?

CAIXAS DE MEMÓRIAS. O que guarda o Centro de Arte Moderna? Quem pensa e faz obras de arte? escultor. Sobre o que nos fala uma obra de arte? CAIXAS DE MEMÓRIAS No CAM existem muitas obras de arte, cheias de ideias e histórias para nos contar, tantas que nem sempre nos conseguimos lembrar de todas... a não ser que elas se transformem em memórias!

Leia mais

Museu do Homem do Nordeste

Museu do Homem do Nordeste c a p a À esquerda: painel recebe luz de sanca no teto, e um gibão de couro, de rasgos laterais. Acima: iluminação proveniente de spots articuláveis e nichos com fibra ótica. Acima: luz homogênea emitida

Leia mais

II SEMINÁRIO INTERNACIONAL ARQUIVOS DE MUSEUS E PESQUISA Tecnologia, informação e acesso

II SEMINÁRIO INTERNACIONAL ARQUIVOS DE MUSEUS E PESQUISA Tecnologia, informação e acesso II SEMINÁRIO INTERNACIONAL ARQUIVOS DE MUSEUS E PESQUISA Tecnologia, informação e acesso Data: 16 e 17 de Novembro de 2011 Local: Auditório VITAE Estação Pinacoteca do Estado de São Paulo Endereço: Largo

Leia mais

uma exposição interativa, onde o público poderá usufruir de diferentes plataformas artísticas fotografias, vídeos, áudios, textos e mapas

uma exposição interativa, onde o público poderá usufruir de diferentes plataformas artísticas fotografias, vídeos, áudios, textos e mapas A Margem Projeto A Margem O projeto prevê o desenvolvimento de uma Expedição audiovisual e jornalística por cidades do interior do estado de São Paulo que são banhadas pelo Rio Tietê, para produzir um

Leia mais

O QUE É UMA EXPOSIÇÃO?

O QUE É UMA EXPOSIÇÃO? O QUE É UMA EXPOSIÇÃO? O que torna as exposições diferentes entre si? O que torna as exposições diferentes entre si? Local da exposição? Num parque Sob céu aberto... Num Museu... No corredor de um Shopping...

Leia mais

A FOTOGRAFIA DE FABIANA BARREDA 1 Jociele Lampert 2

A FOTOGRAFIA DE FABIANA BARREDA 1 Jociele Lampert 2 A FOTOGRAFIA DE FABIANA BARREDA 1 Jociele Lampert 2 1 A fotógrafa argentina Fabiana Barreda expôs seus trabalhos em uma moatra Intitulada Caminata Lunar no Centro Cultural da Recoleta em Buenos Aires AR.

Leia mais

Prêmio Sinepe. 10 Prêmio Responsabilidade Social Categoria: Desenvolvimento Cultural. Literarte 2015 Artes Visuais no Distrito Criativo.

Prêmio Sinepe. 10 Prêmio Responsabilidade Social Categoria: Desenvolvimento Cultural. Literarte 2015 Artes Visuais no Distrito Criativo. Prêmio Sinepe 10 Prêmio Responsabilidade Social Categoria: Desenvolvimento Cultural Literarte 2015 Artes Visuais no Distrito Criativo tempo Apresentação do Projeto Um pouco de História do Colégio Batista

Leia mais

Arte e Cinema pelos posters. Convocatória

Arte e Cinema pelos posters. Convocatória Arte e Cinema pelos posters Convocatória Posters de filmes sempre foram uma referência sobre costumes, moda, design, tipologia. Narram, dessa forma, aspectos da cultura do período histórico em que foram

Leia mais

Trabalho submetido ao XVIII Prêmio Expocom 2011, na Categoria Cartaz Avulso, modalidade cartaz avulso.

Trabalho submetido ao XVIII Prêmio Expocom 2011, na Categoria Cartaz Avulso, modalidade cartaz avulso. RESUMO Email Marketing: Pós-Graduação em Arquitetura Contemporânea 1 Silvia Fernanda Santos de SENA 2 Thiago Jerohan Albuquerque da Cruz 3 Fernando Israel FONTANELLA 4 Universidade Católica de Pernambuco,

Leia mais

Exposição Transit_SP traz ao Brasil recorte da arte africana contemporânea

Exposição Transit_SP traz ao Brasil recorte da arte africana contemporânea Exposição Transit_SP traz ao Brasil recorte da arte africana contemporânea A mostra apresenta 35 obras de 19 artistas a partir de 20 de julho, no Pavilhão da Oca, com destaque para trabalhos do angolano

Leia mais

Tocando coisas: a impressão como registro de existência, ampliada em outras experiências. Por Carolina Rochefort

Tocando coisas: a impressão como registro de existência, ampliada em outras experiências. Por Carolina Rochefort APRESENTAÇÕES ARTÍSTICAS E PROVOCAÇÕES PERMANENTES Tocando coisas: a impressão como registro de existência, ampliada em outras experiências. Por Carolina Rochefort - Conceito da Obra/Apresentação. Em minha

Leia mais