REPRESENTAÇÃO OFICIAL PORTUGUESA 52ª Exposição Internacional de Arte Bienal de Veneza 2007

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REPRESENTAÇÃO OFICIAL PORTUGUESA 52ª Exposição Internacional de Arte Bienal de Veneza 2007"

Transcrição

1 REPRESENTAÇÃO OFICIAL PORTUGUESA 52ª Exposição Internacional de Arte Bienal de Veneza 2007 Artista Ângela Ferreira Curador Jürgen Bock Pavilhão Português Fondaco Marcello, San Marco 3425 (Calle dei Garzoni), Veneza Inauguração da Representação Portuguesa: 8 de Junho 18h00 Abertura ao público: 10 Junho 21 Novembro h00 19h00 (Encerra às segundas-feiras) Organização e produção: Ministério da Cultura / Instituto das Artes

2 REPRESENTAÇÃO OFICIAL PORTUGUESA Ângela Ferreira é a artista que representa Portugal na 52ª Exposição Internacional de Arte da Bienal de Veneza, que se realiza de 10 de Junho a 21 de Novembro de A representação oficial portuguesa, organizada e produzida pelo Instituto das Artes, é comissariada por Jürgen Bock. A Casa Tropical de Jean Prouvé fotografada por Bernard Renoux em Brazzaville em Bernard Renoux Ângela Ferreira (n. Maputo, 1958) expõe regularmente desde O seu trabalho é motivado por questões de natureza política, a partir das quais desenvolve uma análise sobre as relações e influências da história, em particular da história da arte, na arte contemporânea, utilizando o potencial comunicativo da arte neste processo de negociação. As apelativas esculturas modernistas produzidas por Ângela Ferreira são frequentemente combinadas com textos, fotografias e vídeos. Estes trabalhos propõem um conjunto de reflexões sobre o que se tem considerado como dados adquiridos na História da Arte. A cidade de Veneza com mais de um século de bienais e na qual as representações nacionais se instalam em edifícios modernistas, daí resultando intermináveis negociações com a (pós) modernidade apresenta-se como o palco ideal para a exploração destas temáticas por Ângela Ferreira. Com o projecto Maison Tropicale, a artista traça uma reflexão sobre a história colonial e as suas ressonâncias contemporâneas, pós e neocoloniais. A exposição portuguesa realiza-se pela primeira vez no Fondaco Marcello, um espaço de excelente visibilidade localizado na margem do Grande Canal, entre as pontes da Accademia e de Rialto. Patrocinador principal Apoio Para efectuar o download em alta resolução das imagens contidas neste dossier de imprensa, bem como de outras a disponibilizar brevemente, deverá aceder ao site do Instituto das Artes e clicar na imagem pretendida: excepção feita à fotografia de Bernard Renoux que pode ser adquirida em Parceiro em Veneza

3 AS CONSTRUÇÕES INVISÍVEIS DE ÂNGELA FERREIRA (*) Fortemente motivada por questões do foro político, Ângela Ferreira é uma investigadora do uso de teorias, em particular de teorias de história da arte, e da sua relação ou do seu impacto na arte contemporânea, assunto cuja complexidade negoceia através do potencial de comunicação inerente à arte e com a qual a artista, subtilmente, estimula o observador a questionar os objectos que cria. Estes objectos adquirem a forma de esculturas modernistas esteticamente apelativas e executadas com rigor perfeccionista, sendo frequentemente apresentadas em instalações associadas a textos, fotografias e vídeos. Em consonância com a ideia de história da arte enquanto construção, o trabalho de Ângela Ferreira lança a dúvida sobre aquilo a que nos habituámos a considerar como factos dessa história, podendo-se então questionar, como Douglas Crimp já o fez: Qual história? A história de quem? E uma história para que fim? Veneza, como cidade com o historial único de mais de um século de bienais, com as suas mostras nacionais de arte e intermináveis negociações com o (pós) modernismo, é uma plataforma perfeita para Ângela Ferreira abordar estes assuntos. Nascida na antiga colónia portuguesa de Moçambique em 1958, Ângela Ferreira estudou na África do Sul do apartheid, mas desde o início da década de 1990 que vive entre Portugal e a África do Sul. A sua situação em trânsito entre culturas comum à identidade de muitos portugueses impele-a à exploração intensiva dos diferentes universos do centro e da periferia, realçando a importância da perspectiva e do posicionamento do indivíduo e/ou do artista. Conceptualmente, a obra de Ângela Ferreira pode situar-se entre a falência do modernismo nos denominados centros de difusão e o impacto contraditório da sua tentativa de implantação, pelos colonizadores, em África e noutras colónias e periferias em todo o mundo, onde o objectivo utópico da emancipação do homem combinado com o potencial da arte enquanto instrumento de crítica, motor crucial da vanguarda que se manifestou nesses centros, parece ter outra validade. O fim da vanguarda e das suas qualidades intrínsecas, a sua história e o impacto que esta teve, são agora discutidos nessas periferias, tendo o centro perdido a prerrogativa de proclamar a importância política do modernismo no que toca às noções de utopia e emancipação. Parafraseando um teórico de arte contemporâneo, o trabalho de Ângela Ferreira não só sobrevive ao fim anunciado da vanguarda, como recupera a questão da emancipação e dos ideais utópicos ao reformular a crítica das utopias como uma crítica às utopias. O seu trabalho revela como ilusória a liberdade artística prometida pelo modernismo nos centros e, devido à falta de latitude política, como falsa a autonomia na periferia. As grandes narrativas apresentam-se agora estilhaçadas e sob a forma de inúmeros fragmentos mais pequenos. Por um lado, anseia-se por vezes por métodos familiares e confortáveis para classificar a vanguarda histórica, a cadeia interminável de estilos e metodologias claramente identificáveis com o Estilo Internacional na arte moderna e na arquitectura. Por outro lado, o trabalho de Ângela Ferreira acentua as possibilidades que se abriram através das mudanças profundas a que essas narrativas estão a ser sujeitas. Ao desmontar as estratégias básicas e frequentemente dogmáticas das verdades adquiridas, o seu trabalho apresenta uma abordagem social, política e crítica aos resultados do modernismo, aos velhos centros da sua criação e às suas remotas consequências nas periferias. Em vez de se limitar a simular a metodologia modernista da

4 análise profunda, a artista propõe como alternativa local a aplicação desse método ao próprio modernismo. Estas preocupações de Ângela Ferreira materializam-se, como já se referiu, em esculturas organizadas em instalações, as quais, todavia, não se deixam conquistar pela política. A proposição crítica dos seus objectos não é imediata, antes fervilha subtil e imediatamente debaixo da superfície das suas belas esculturas, que assim se oferecem como espaço entre o objecto e o político, espaço esse que o observador é incentivado a ocupar. Ângela Ferreira não procura impor-nos uma lição. Em vez disso, estimula o nosso próprio imaginário político e o nosso pensamento crítico. Jürgen Bock (*) Texto do Catálogo Oficial das Representações Nacionais da Bienal de Veneza 2007.

5 MAISON TROPICALE O projecto Maison Tropicale de Ângela Ferreira reflecte sobre a história colonial e as suas ressonâncias contemporâneas, pós e neocoloniais. Durante a reorganização territorial levada a cabo pelos poderes coloniais em África após a II Guerra Mundial, o Ministério do Ultramar francês teve a oportunidade de promover, na sequência de um concurso, um projecto modernista de produção em massa de habitações esteticamente sofisticadas que permitisse um maior acesso da população a uma arquitectura e design de qualidade, contando para isso com a colaboração do construtor francês Jean Prouvé, que Maison Tropicale, 2007 criou um modelo de casas pré-fabricadas em módulos de alumínio. Os projectos de Prouvé nunca alcançaram o sucesso desejado na Europa, mas a possibilidade de instalar um grande número das suas habitações nas colónias africanas, conduziu ao desenvolvimento da sua Casa Tropical. Dos milhares de unidades inicialmente previstos, só três protótipos acabaram por sair da oficina do construtor. Em 1949, a primeira Casa Tropical foi enviada por avião para o Níger, sendo instalada na sua capital, Niamey. Duas outras casas foram transportadas para o Congo e instaladas em Brazzaville, em Com a (re)descoberta da obra de Jean Prouvé nos anos 1990, essas casas também suscitaram renovado interesse, tornando-se parte do processo de fetichização a que os objectos do construtor francês foram sujeitos pelo mercado do design de época. Foi neste novo contexto que as três Casas Tropicais foram desmontadas e transportadas para França, onde foram restauradas, sendo posteriormente aí apresentadas, bem como nos Estados Unidos. Esta é a história que se conhece da Casa Tropical de Prouvé e é neste ponto que começa a história da Maison Tropicale de Ângela Ferreira. A instalação apresentada no Pavilhão Português em Veneza convoca a desterritorialização destas casas, que não se situam em França ou nos Estados Unidos, nem no Níger ou no Congo, transformando-as num contentor de História em trânsito entre o mundo colonizador e o mundo colonizado; e depois porque a artista faz a história de Prouvé regressar a África, entre o mundo descolonizado e o mundo pós-moderno, na sua realidade pós e/ou neocolonial. Na (re)encenação que faz dos locais que acolheram as construções de Prouvé em África, Ângela Ferreira sublinha os seus vestígios e a ausência das casas, agora evocadas nos objectos esculturais resultantes da sua arquitectura modular e acumulados num espaço claustrofóbico, em deriva perpétua. Jürgen Bock, Maio 2007 Maison Tropicale, 2007

6 biografias Ângela Ferreira Nasceu em Maputo, Moçambique, em Vive e trabalha em Lisboa e na Cidade do Cabo, África do Sul, desde Ângela Ferreira expõe regularmente desde Das muitas exposições individuais realizadas destacam-se: Ângela Ferreira, Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian (1990); Sites and Services, South African National Gallery, Cidade do Cabo (1992); Double Sided I and II, Fundação Chinati, Marfa, EUA e Íbis Art Centre, Nieu Bethesda, África do Sul (1996); Casa Maputo: Um Retrato Íntimo, Museu de Serralves, Porto (1999); No Place at All / Em Sítio Algum, Museu do Chiado Museu Nacional de Arte Contemporânea, Lisboa (2003) e Random Walk, Galeria Filomena Soares, Lisboa (2005). Tem também participado em exposições colectivas e bienais internacionais, entre as quais: 1a e 2a Bienal de Joanesburgo (1995 e 1997); Bienal de Istambul (1999); Signs of Life, Bienal Internacional de Melbourne (1999); Squatters, Museu de Serralves, Porto, e Witte de With, Roterdão (2001); In the Meantime, De Appel Foundation, Amesterdão (2001); Continuare, Bienal da Maia (2003); Re-Location / Shake the Limits, ICCA-MNAC, Bucareste (2004); L Universel? Dialogues avec Senghor, Joal Fadiouth, Universidade de Dakar, Senegal (2004); Territorio Oeste, MACUF, Corunha (2006), (Re)volver, Plataforma Revólver, Lisboa (2006), e, em preparação, Troca de Olhares, Instituto Camões, Maputo (2007). Ângela Ferreira é professora convidada na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. Jürgen Bock Nasceu em Wuppertal, Alemanha, em Vive e trabalha em Lisboa desde Curador independente, Jürgen Bock foi responsável, entre outros, pelo programa do 1.º Project Room do Centro Cultural de Belém ( ), apresentando os artistas Eleanor Antin, Nathan Coley, Harun Farocki, Renée Green, Nuno Ribeiro, Allan Sekula e Heimo Zobernig, pela Bienal da Maia de 2003 e pela participação alemã na Trienal da Índia/Nova Deli de 2005, com o artista Andreas Siekmann. Concebeu e editou o livro Da Obra ao Texto Diálogos sobre a Prática e a Crítica na Arte Contemporânea, com textos de vários autores (CCB, Lisboa, 2002), e organizou a publicação em Portugal dos volumes TITANIC s wake, de Allan Sekula (versão portuguesa, Maumaus, Lisboa, 2003) e Negociações na Zona de Contacto, de Renée Green (Assírio & Alvim, Lisboa, 2003). Jürgen Bock é director da Escola de Artes Visuais Maumaus, em Lisboa, e ensina no Mestrado de Práticas Artísticas Contemporâneas, da Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto.

7 Ângela Ferreira Nasceu em 1958, em Maputo, Moçambique. / Born in 1958, Maputo, Mozambique. Vive e trabalha em Lisboa. / Lives and works in Lisbon. Exposições individuais / Solo exhibitions 2006 Angela Remix, La Chocolataria, Santiago de Compostela Random Walk, Galeria Filomena Soares, Lisboa Ângela Ferreira, Em Sítio Algum / Ângela Ferreira, No Place at All, Museu do Chiado MNAC, Lisboa. Visitas Privadas MNSR, Galeria Luís Serpa Projectos, Lisboa Visitas Privadas / Private Views, Museu Nacional Soares dos Reis, Porto. Zip Zap Circus School. Instalação de arte pública. / Public art installation. Institute of Contemporary Art. Cape Town Pega Galeria Catete, Museu da República. Rio de Janeiro. Duas Casas. / Two Houses. Galeria Luis Serpa Projectos. Lisboa Pega Módulo Centro Difusor de Arte. Lisboa. Sem título 1998 / Untitled ARCO Ifema (stand Galeria Luis Serpa). Madrid Casa. Um retrato íntimo da casa em que nasci. / House. An intimate portrait of the house where I was born. Fundação de Serralves. Porto. Sem título / Untitled Galeria Luís Serpa Projectos. Lisboa. La Lavanderia Fundació. Barcelona Kanimambo. Escultura pública. / Public sculpture. Expo 98 Exposição Mundial de Lisboa. Lisboa Double Sided Part II. Ibis Art Center. Nieu Bethesda. South Africa. Amnésia. / Amnesia. Bienal Internacional das Caldas da Rainha. Portugal Double Sided Part I. Chinati Foundation. Marfa. U.S.A. Reordering Reality. Módulo Centro Difusor de Arte. Porto. Marquises. Coincidências Jornadas de Arte Contemporânea. Porto Uma Escala, uma Sequência, o Engenho da Deriva e um Filme Retardado (A Scale, a Sequence, a Derivative Machine and a Retarded Film. Museu do Chiado MNAC. Lisboa.

8 1993 Sites and Services. Módulo Centro Difusor de Arte. Lisboa Sites and Services. The Annexe (Invited Artist Program). South African National Gallery. Cape Town A Propósito de. Fundação Calouste Gulbenkian / Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão. Lisboa. Exposições Colectivas Seleccionadas / Selected Group Exhibitions 2007 AfterLife. Michael Stevenson Gallery. Cape Town. Troca de Olhares / Exchanging Visions. Instituto Camões. Maputo. Moçambique. Ana V, Armanda D, Angela F, Fernanda F, Maria L, Susannne T. Centro Cultural de Lagos. Portugal. An Atlas of Events. Fundação Gulbenkian. Lisboa Territórios de Oeste / Western Territories. MACUF. Union Fenosa. La Coruña. Às Portas do Mundo / At the Entrance of the World. Casa do Brasil. Maputo. Moçambique. Moving Still. Espace Videographe. Montreal. / Saw Video. Ottawa. Re(volver). Plataforma Revólver. Lisboa. L Universel? Dialogues avec Senghor. Unesco. Paris L Universel? Dialogues avec Senghor. Culturgest. Lisboa. / Spacex- Exeter. UK. Lágrimas / Tears. Mosteiro de Alcobaça. Portugal. O Contrato Social / The Social Pact. Museu Bordalo Pinheiro. Lisboa Às Portas do Mundo / At the Entrance of the World, Palácio D. Manuel. Évora. Portugal L Universel? Dialogues avec Senghor. Joal Fadiouth, Dakar University. Le Franchouk, Dunkerque, Senegal. Re-Location/Shake the Limits. ICCA-MNAC. Bucarest Cinquenta Anos de Arte Portuguesa / Fifty Years of Portuguese Art. Museu do Chiado-MNAC. Lisboa Museu de Francisco Tavares Proença Júnior. Castelo Branco. Portugal. Horizontes 20 anos 20 instalações / Horizons 20 years 20 installations. Galeria Luis Serpa Projectos. Cordoaria Nacional. Lisboa Video Brasil São Paulo. Lisboa photo Galeria Luis Serpa Projectos. Lisboa. Continuare, Bienal da Maia, Maia Diferença e Conflito. O Século XX nas Colecções do Museu do Chiado MNAC. / Difference and Conflict. The 20th Century in the Museu do Chiado NMCA Collections. Museu do Chiado MNAC. Lisboa. Contemporary Art from Portugal. European Bank. Frankfurt.

9 2001 Phoebus Gallery. Rotterdam. La Fabrica. Madrid. In the Meantime. De Appel Foundation. Amsterdam. Sul / South. Instituto Camões. Maputo. Squatters. Museu de Arte Contemporânea de Serralves. Porto. Squatters #1. Witte de With. Rotterdam. Total Object Complete with Missing Parts. Tramway Gallery. Glasgow. Crossing the Line. Home Project. Lisboa. Novas Aquisições e Doações / New Acquisitions and Donations Museu do Chiado MNAC. Lisboa Soft Serve 2: a Multimedia Art Event. South African National Gallery. Cape Town. Um Oceano Inteiro para Nadar. / An Entire Ocean to Swim On. Culturgest. Lisboa. More Works about Buildings and Food. Fundição de Oeiras. Portugal. A. R. E. A Kjarvalsstadir. Reykyavik. Initiare. Centro Cultural de Belém. Lisboa. Colecção Banco Privado. Museu Arte Contemporânea de Serralves. Porto A Geração de / 1911 Generation. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa. Tage der Dunkelheit und des Lichts. Zeitgenossische Kunst aus Portugal. Kunst Museum Bonn. Bonn. Signs of Life. Melbourne International Bienial. Melbourne. The Passion and the Wave. Istanbul Biennial. Istanbul. Entremundos. La Rábida. Huelva. Chambres, Rooms, Zimmer. Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Lisboa. Colecção António Cachola. Museo Extremeño e Iberoamericano de Arte Contemporáneo. Badajoz Navegar é Preciso. Centro Cultural de São Paulo. São Paulo. Bienal de Arte de Pontevedra. Pontevedra. Colecção MEIAC. ARCO Ifema (stand Museo Extremeño e Iberoamericano de Arte Contemporáneo). Madrid. Bienal AIP. Europarque. St. Maria da Feira. Portugal. Graft. Africus 2nd Johannesburg Biennial. Cape Town Prémio União Latina / União Latina Prize. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa. Pode a Arte ser Afirmativa? / Can Art Be Afirmative. Culturgest. Lisboa. Sombras na Água. / Shadows on the Water. Galeria André Viana. Porto. A Arte, os Artistas e o Outro. / Art, the Artists and the Other. Fundação Cupertino de Miranda. Vila Nova de Famalicão. Portugal. Zonas de Interferência. / Zones of Interference. Karmeliter Kloster. Portugal-Frankfurt 97 (Frankfurt Buch Messe). Frankfurt Artistas / Arquitectos. / Artists / Architects. Centro Cultural de Belém. Lisboa. Jetlag. Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Lisboa. Ecos de la Materia. Museo Extremeño e Iberoamericano de Arte Contemporáneo. Badajoz.

10 1995 Arrivals / Departures. Africus 1st Johannesburg Biennial. Museum Africa. Johannesburg. Peninsulares. Galeria Antoni Estrani. Barcelona Depois de Amanhã. / The Day After Tomorrow. Centro Cultural de Belém. Lisboa. Acabamentos de Luxo / Luxury Finishes. Associação Portuguesa de Arquitectos. Lisboa New Wood Sculptures. South African National Gallery. Cape Town Recent Acquisitions. South African National Gallery. Cape Town. National Sculpture New Directions. Centre for African Studies University of Cape Town. Cape Town African Studies Festival. Centre for African Studies University of Cape Town. Cape Town. Images of Wood. The Johannesburg Art Gallery. Johannesburg. Bibliografia Seleccionada / Selected Bibliography Catálogos individuais/ Individual catalogues Ângela Ferreira. Em Sítio Algum. / Ângela Ferreira. No Place at All. Lisboa: Museu do Chiado MNAC / IPM, Casa. Um retrato íntimo da casa em que nasci. Porto: Fundação de Serralves, Uma Escala, uma Sequência, o Engenho da Deriva e um Filme Retardado. Lisboa: Museu do Chiado MNAC / IPM, Ângela Ferreira. A Propósito de. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian / Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, Textos em catálogos / Texts in catalogues Perrier, Sophie Afterlife. Cape Town: Hansa Print, Carlos, Isabel Troca de Olhares / Exchanging Visions. Lisboa: Instituto Camões, Oliveira, Filipa (Re)volver. Lisboa, Champesme, Marie entrevista em / interview in L Universel? Dialogues avec Senghor. France: Face à Face, Lapa, Pedro A Viagem como Metáfora. Ângela Ferreira. Lisboa: Museu do Chiado MNAC / IPM, Renton, Andrew Ângela Ferreira. Em Sítio Algum / Ângela Ferreira. No Place at All. Lisboa: Museu do Chiado MNAC / IPM, Marí, Bartomeu Around the Corner. A few reflections on Squatters. Squatters #1. Rotterdam: Witte de With, Sacramento, Nuno e / and de Bruijn, Hilde In the Meantime. Amsterdam: De Appel Foundation, Carlos, Isabel. Initiare. Lisboa: Instituto de Arte Contemporânea / Centro Cultural de Belém, Lapa, Pedro Arte e Espaço Social. More Works about Buildings and Food. Oeiras: Câmara Municipal de Oeiras, Younge, Gavin A.R.E.A Kjarvalsstadir: A.R.E.A. 2000, Fernandes, João Ângela Ferreira: O Retrato da Casa ou as Referências de uma Intimidade. Casa. Um retrato íntimo da casa em que nasci. Porto: Fundação de Serralves, 1999.

11 Carlos, Isabel Double Memory. Tage der Dunkelheit und des Lichts. Zeitgenössische Kunst aus Portugal. Bonn: Kunst Museum Bonn, Engberg, Juliana Signs of Life. Melbourne: Melbourne International Biennial, Pérez, Miguel von Hafe Identity Architecture Politics. The Passion and the Wave. Istanbul: 6th Istanbul Bienal,1999. Lapa, Pedro Um Lugar de Trânsito. Arte Urbana Expo 98. Lisboa: Parque Expo 98 S.A., Fernandes, João Arrival / Departures. Johannesburg: Africus 1st Johannesburg Biennial, Lapa, Pedro As Máquinas do Tempo de Ângela Ferreira. Uma Escala, uma Sequência, o Engenho da Deriva e um Filme Retardado. Lisboa: Museu do Chiado MNAC / IPM, Renton, Andrew A Sala de Espera e Outros Pontos de Partida. Depois de Amanhã. Org. Isabel Carlos. Lisboa: Electa / Lisboa 94, Sanches, Rui Conversa entre Rui Sanches e Ângela Ferreira. Ângela Ferreira. A Propósito de. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian / Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, Livros / Books 10 Years 100 Artists Art in a Democratic South Africa. Ed. Sophie Perryer. Cape Town: Bell-Roberts Publishing, Struik, Bock, Jürgen e / and Low, Iain Ângela Ferreira s Zip Zap Circus School. Cape Town: ICA Cape Town, Visitas Privadas / Private Views. Porto: Museu Nacional Soares dos Reis / IPM, Melo, Alexandre Artes Plásticas em Portugal dos Anos 70 aos Nossos Dias. Lisboa: Difel, Pinharanda, João Alguns Corpos, Imagens da Arte Portuguesa entre 1950 e Lisboa: EDP, Rankin, Elizabeth Images of Wood, Aspects of the History of Sculpture in the 20th Century South Africa. Johannesburg: Johannesburg Art Gallery, Williamson, Sue Resistance Art in South Africa. Ed. David Phillip. Cape Town. London: Catholic Institute for International Relations, Dictionary for South African Painters and Sculptors. Ed. Grania Ogilvie. Johannesburg: Everard Read Publishers, Periódicos / Periodicals Ávila, María Jesús Ângela Ferreira. Espaços. Lisboa. 40. Janeiro / January Bock, Jürgen Ângela Ferreira Museu do Chiado. Art South Africa. Cape Town. V2.3. Outono / Autumn Matteer, John Sonnets from the Portuguese. Art Monthly Australia. Canberra Verão / Summer Vieira Jurgens, Sandra Aonde?. PANGLOSS. Lisboa Vieira Jurgens, Sandra Ângela Ferreira. ARQ./A Revista de Arquitectura e Arte. Lisboa. Ano / Year IV. Janeiro-Fevereiro / January-February Marmeleira, José Ângela Ferreira. Número Magazine. Lisboa. 20. Janeiro / January Vaz Fernandes, Francisco Ângela Ferreira. DIF. Lisboa. 12. Outubro / October Makeka, Mokena Ângela Ferreira Institute for Contemporary Art. Art South Africa. Cape Town. V3.5. Outono / Autumn Boutoux, Thomas Aperto South Africa. Flash Art. Milano: Vol. XXXIV Julho-Setembro / July- September Low, Iain Cool School. Art South Africa. Cape Town. 1. Agosto / August Carlos, Isabel; Fernandes, João e / and Marí, Bartomeu Mesa-redonda. Visitas Privadas / Private Views. Jornal da Exposição. Porto: Museu Nacional Soares dos Reis / IPM, Matos, Lúcia Construção de Um Projecto. Visitas Privadas / Private Views. Jornal da Exposição. Porto: Museu Nacional Soares dos Reis / IPM, Rosengarten, Ruth Ângela Ferreira: A Diversidade de Meios na Unicidade das Ideias. Lisboa Carlos, Isabel Aperto Portugal. Flash Art. Milano. Vol. XXX Maio-Junho / May-June 1997.

12 Pérez, Miguel von Hafe Galeria. Hei!. Porto. Abril Carlos, Isabel Flash Art. Milano. Vol. XXIX Janeiro-Fevereiro / January-February Corris, Michael The Day After Tomorrow. Art Forum. New York. Maio / May Rosengarten, Ruth Inside Out. Frieze. London. 23. Verão / Summer Carlos, Isabel Flash Art. Milano. Vol. XXVI Outubro / October Publicações on-line / On-line publications Murinik, Tracy Colecções Públicas / Public Collections Associação Industrial Portuguesa, Portugal Banco Privado, em depósito na Fundação de Serralves. Porto. Câmara Municipal de Lisboa. / Lisbon City Council. Lisboa. Centro Galego de Arte Contemporáneo. Santiago de Compostela. Caixa Geral de Depósitos. Lisboa. Colecção António Cachola, Portugal Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa. Fundação Carmona e Costa. Lisboa. Fundação de Serralves. Porto. Fundação Pro -Justitiae, Portugal Instituto das Artes / Ministério da Cultura. Lisboa Market Gallery Foundation. Johannesburg. Michaelis School Of Fine Art Collection. University of Cape Town. Cape Town. Museo Extremeño e Iberoamericano de Arte Contemporáneo. Badajoz. Museu do Chiado MNAC. Lisboa. PHB Billiton Collection. Johannesburg. South African National Gallery. Cape Town. The Johannesburg Art Gallery. Johannesburg.

13 Ângela Ferreira Obras seleccionadas Die Vlermuis Huis / A Casa Morcego (segundo a casa Die Es desenhada e construída por Gabriël Fagan em Camps Bay, Cidade do Cabo) 2006 Colecção privada, Lisboa Vista da instalação [(Re)volver, Plataforma Revólver, Lisboa, 2006] Fotografia: Ângela Ferreira Em 1966, Gabriël Fagan construiu um edifício modernista minimalista com um telhado escultural em Camps Bay, na Cidade do Cabo. Na escultura de Ângela Ferreira podemos observar a apropriação do edifício de Fagan, materializado aqui na forma de uma estrutura semelhante a um esqueleto que, de pernas para o ar, se tornou parte da estrutura do tecto do espaço expositivo. No espaço, a atenção centra-se agora no telhado escultural que flutua de forma elegante alguns centímetros acima do chão da galeria, sublinhando (literalmente), com o seu aspecto ondulante, a estrutura que a segura e a liga ao tecto da galeria. O escultural telhado funcional da África do Sul transforma-se, em Lisboa, numa base abstracta e não utilizada da escultura evocativa da arquitectura, provocando o pensamento em torno, não só da relação entrelaçada da arquitectura e da escultura, como também acerca do envolvimento recíproco das culturas africana e europeia, e da relação entre centro e periferia. Em Die Vlermuis Huis / A Casa Morcego não se trata da travessia da arquitectura para a escultura, mas do reconhecimento de uma dependência e de uma inversão. J.B.

14 Ângela Ferreira Obras seleccionadas Random Walk 2005 Cortesia da artista / Galeria Filomena Soares, Lisboa Vista parcial da instalação (Galeria Filomena Soares, Lisboa, 2005) Fotografia: Ângela Ferreira A escultura Random Walk assume a forma de uma estrutura temporária de andaimes construída dentro do espaço principal da galeria. Do ponto de vista conceptual, esta peça baseia-se na teoria económica com o mesmo nome, que se refere à imprevisibilidade do mercado económico. A instalação é contextualizada através de uma série de fotografias que realçam a fragilidade e a instabilidade de uma moeda africana em comparação com uma moeda europeia. A instalação permite ao visitante abandonar o espaço convencional da galeria, oferecendo-lhe um percurso arquitectónico aleatório alternativo no espaço. J.B.

15 Ângela Ferreira Obras seleccionadas Hotel da Praia Grande (O Estado das Coisas) 2003 c-print, cor, 124 x 153 cm Cortesia da artista / Galeria Filomena Soares, Lisboa Esta fotografia evoca uma ideia de História e a sua relação com um leque de outras histórias (política, da arte, do cinema e da arquitectura). A fotografia mostra a artista debruçada de uma piscina, em frente a um hotel modernista isolado na costa de Portugal, perto de Lisboa. O título da fotografia e a acção performativa de repetição de um gesto que se tornou num dos mais icónicos da revolução de 1974 (a distribuição dos cravos) evoca um outro acontecimento que teve lugar neste hotel durante a depressão que se seguiu, entre a revolução e 1986, quando Portugal entrou para a CEE. Em 1981, o realizador Wim Wenders filmou O Estado das Coisas, um melancólico filme auto-reflexivo acerca das condições de trabalho dos cineastas não comerciais. O enredo do filme de Wenders baseia-se na história de uma equipa de filmagens encalhada em Portugal durante a rodagem de um remake de um filme de ficção científica. A equipa vê-se obrigada a interromper as filmagens por falta de fundos de Hollywood. No filme de Wenders, o argumento e as circunstâncias reais da produção de um filme entrecruzam-se (a equipa de Wenders estava alojada no hotel utilizado como cenário do filme). A fotografia de Ângela Ferreira associa esses acontecimentos ao mito de uma sociedade portuguesa melancólica numa espera interminável pelo progresso e pela mudança duas ideias essenciais no desenvolvimento do pensamento modernista. J.B.

16 Ângela Ferreira Obras seleccionadas Zip Zap Circus School Cortesia da artista / Galeria Filomena Soares, Lisboa Vista geral da instalação (Cidade do Cabo, 2002) Fotografia: David Goldblatt Zip Zap Circus School Cortesia da artista / Galeria Filomena Soares, Lisboa Vista da instalação (Em Sítio Algum, Museu do Chiado, Lisboa, 2003) Fotografia: Mário Valente Esta instalação inspirou-se num projecto nunca construído do arquitecto Pancho Guedes que, como Ângela Ferreira, se move entre duas culturas. Para a exposição colectiva More Works about Buildings and Food (Hangar K7, Oeiras, 2000), Ângela Ferreira alargou a sua exploração do discurso modernista ao acrescentar a planta de Guedes de um projecto arquitectónico circense à arquitectura da exposição concebida por Pedro Gadanho. O seu modelo da Zip Zap Circus School utilizou os mesmos materiais de construção que os utilizados na arquitectura da exposição. A Zip Zap Circus School de Oeiras, que a artista considerou um protótipo, tornou-se numa continuação da arquitectura expositiva do white cube, fazendo ao mesmo tempo referência a noções estabelecidas de arquitectura africana. Em 2001, na exposição In the Meantime, no centro de arte contemporânea De Appel em Amesterdão, Ângela Ferreira voltou a utilizar a arquitectura de Zip Zap Circus School como veículo para a sua exploração dos conceitos de modernidade, realçando a dicotomia entre as interpretações europeia e africana da arquitectura. A artista apresentou a maqueta da escola de circo construída com os mesmos materiais que Mies van der Rohe utilizou no seu modelo da casa de campo Ellenwoude em 1912, relacionando assim os discursos de Mies e de Guedes. Uma fotografia do modelo de Mies e uma reprodução da planta de Guedes para a escola de circo faziam referência aos dois originais, bem como às respectivas filosofias contrastantes se não mesmo contraditórias. No centro da Cidade do Cabo, num não-lugar resultante de um ambicioso, mas fracassado, programa dos anos sessenta para a construção de uma via rápida no centro da cidade, Ângela Ferreira apresentou a Zip Zap Circus School como uma escultura pública temporária. Neste caso, não existia já uma exposição ou edifício cujas limitações espaciais pudessem influenciar ou interferir com a possível posição do seu projecto. Visto de um determinado ângulo, cada um dos componentes da maqueta dava a ilusão de que o local estava ocupado por um edifício completo. Porém, de outros pontos de vista, cada elemento parecia estar cortada ao meio, revelando três plataformas semelhantes a palcos, que a artista disponibilizou aos estudantes para a realização de espectáculos durante a instalação. A instalação de Ângela Ferreira na Cidade do Cabo em 2002 esteve de novo ligada ao modelo de Mies van der Rohe da casa Ellenwoude em Wassenaar (Holanda). O projecto arquitectónico da escola de circo continua por concluir. A técnica de Mies, de utilizar uma maqueta à escala real, foi aqui apropriada para uma instalação utópica, uma possível estrutura de acolhimento para um projecto comunitário no futuro. J.B.

17 Ângela Ferreira Obras seleccionadas Case Study House # Col. da artista, Lisboa Vista parcial da instalação (Squatters, Museu de Serralves, Porto, 2001) Fotografia: Rita Burmester Case Study House # Col. da artista, Lisboa Detalhe da instalação (Squatters, Museu de Serralves, Porto, 2001) Fotografia: Rita Burmester Case Study House foi um programa arquitectónico experimental na cidade e nos arredores de Los Angeles, desenvolvido nas décadas de 1950 e 1960, no qual arquitectos americanos experimentaram novos materiais e testaram a construção modular de estrutura metálica. Uma das ideias modernistas fundamentais neste projecto foi trazer o jardim para dentro de casa, sendo a Case Study House #21, de 1951, do arquitecto Pierre Koenig um exemplo perfeito desta nova proposta da relação casa/jardim.na instalação de Ângela Ferreira com o mesmo título, a atenção do observador é dirigida do edifício onde decorre a exposição (o Museu Serralves no Porto) para o jardim. Ângela Ferreira cobriu o interior da Casa de Serralves com tela esticada sobre uma estrutura de madeira, introduzindo uma disposição tipo Case Study House recorrendo a uma técnica que evoca a arquitectura experimental utilizada por Mies van der Rohe no seu projecto para a casa Kröller-Müller em Wassenaar (Holanda) em A artista utiliza alguma mobília para reintroduzir uma certa privacidade no museu público, que utiliza uma antiga casa unifamiliar para as exposições. Numa mesa de apoio modernista, uma pequena fotografia emoldurada mostra de forma íntima uma pistola, contextualizando em conjunto com a vista ampliada do jardim o elemento sonoro da instalação: a leitura de uma adaptação de um texto retirado de uma das publicações portuguesas de maior pendor fascista sobre a história colonial (A Derrocada do Império Vátua e Mouzinho de Albuquerque, de Francisco Toscano e Julião Quintinha, 1930), onde se descreve o suicídio de Mouzinho de Albuquerque, o conquistador de Moçambique, incapaz de se adaptar ao estilo de vida em Portugal depois de regressar de África. No texto adaptado por Ângela Ferreira, o jardim da morte de Albuquerque foi substituído pelo jardim de Serralves, contaminando não só o jardim do museu com este episódio da história colonial portuguesa, como também o sonho arquitectónico americano com as suas referências especiais a jardins. J.B.

18 Ângela Ferreira Obras seleccionadas Casa Maputo: Um Retrato Íntimo 1999 Col. Museu do Chiado MNAC, Lisboa Fotografia: Mário Valente A instalação baseia-se numa transposição tridimensional de projecções cartográficas (projecção de Robinson e Gnómica) que formam dois objectos esculturais, e que servem simultaneamente de ecrãs para duas projecções de vídeo de imagens de uma casa modernista em Maputo. Num dos ecrãs, a imagem projectada é a refilmagem de uma fotografia a preto e branco da casa, tirada logo a seguir à sua construção na década de A segunda projecção centra-se no realçar de um conjunto de detalhes da casa numa fotografia a cores tirada na altura da produção da instalação. J.B.

19 Ângela Ferreira Obras seleccionadas Sites and Services Col. Instituto das Artes / Ministério da Cultura Vista parcial da instalação (Continuare, Bienal da Maia 2003) Fotografia: Mário Valente Sites and Services é composto por quatro esculturas semi-abstractas, assemblages de elementos de cimento com redes de aço e tubos plásticos que fazem referência simultaneamente à prática artística modernista e aos processos da construção civil, apresentados em conjunto com 12 fotografias a cores, onde se reconhecem os materiais e as formas utilizadas nas esculturas. As fotografias mostram uma vasta área de terreno nos arredores da Cidade do Cabo, equipada com infra-estruturas rudimentares e preparada para a construção de casas, estabelecida sob a égide de um programa governamental denominado Sites and Services. O objectivo do programa era dar resposta à necessidade urgente de habitação e equipamento das zonas em desenvolvimento com os serviços básicos electricidade, água e esgoto de modo a oferecer abrigo a grandes vagas de população migrante, que, violando as leis do apartheid em vigor, se deslocavam do campo para as principais áreas urbanas em busca de trabalho. Na sua instalação, Ângela Ferreira está interessada nos discursos que articulam a arte minimal e naqueles que articulam a arte política e global. As linhas gerais e a documentação deste programa governamental específico evocam a disposição formal dos objectos no contexto da arte minimal. A utilização de materiais de construção civil nas suas esculturas é, por seu lado, reminiscente da prática modernista em geral. A prática desconstrutivista da artista torna-se aqui numa metáfora da desconstrução analítica da teoria da arte moderna. A artista apropria-se de métodos modernistas na tentativa de estimular a consciência de como os sistemas culturais negoceiam os conceitos de aqui e ali, de centro e periferia, e das complexidades do original e do simulacro. Em Sites and Services, Ângela Ferreira não está interessada na documentação pela documentação, nem no exercício clássico formal da assemblage ao utilizar estes processos como um meio para estabelecer uma interface entre o político e o estético. As referências políticas nas fotografias, juntamente com o método formal da arte pela arte utilizado pela artista, criam novos caminhos de relacionamento com os espectadores. J.B.

20 PAVILHÃO PORTUGUÊS FONDACO MARCELLO Fondaco Marcello é um espaço expositivo situado num edifício histórico de Veneza construído no séc. XVI/XVII e originalmente concebido como armazém ( Fondaco ), como indicia a sua estrutura interior em open space. Tem uma área global de 360 m2 e a remodelação de que foi objecto em 2004/2005 manteve as fachadas de tijolo originais e as características espaciais no seu interior. Fondaco Marcello situa-se na margem do Grande Canal, muito próximo do Palácio Grassi e entre as pontes da Accademia e Rialto, frente à estação de vaporetto de San Tomà. O Pavilhão Português fixa-se neste espaço até 2009 para acolher também as representações nacionais na Bienal de Arquitectura de 2008 e na Bienal de Artes Visuais de Fondaco Marcello Vistas exterior e interior Fondaco Marcello Maqueta Fondaco Marcello San Marco 3415 (Calle dei Garzoni), Veneza

ÂNGELA FERREIRA. 1983 M.F.A., Sculpture. University of Cape Town. South Africa.

ÂNGELA FERREIRA. 1983 M.F.A., Sculpture. University of Cape Town. South Africa. ÂNGELA FERREIRA Born 1958, Maputo, Mozambique. Lives and works in Lisbon. STUDIES 1983 M.F.A., Sculpture. University of Cape Town. South Africa. 1981 B.A. Fine Arts, Sculpture, University of Cape Town,

Leia mais

Curriculum Vitae José Luís Neto

Curriculum Vitae José Luís Neto Curriculum Vitae José Luís Neto nasceu em Satão em 1966. Vive e trabalha em Lisboa. Born in Satão, 1966. lives and works in Lisbon. EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS / SOLO SHOWS 2007 High Speed Press Plate, Circulo

Leia mais

Ângela Ferreira. Born 1958, Maputo, Mozambique. Lives and works Lisbon, Portugal

Ângela Ferreira. Born 1958, Maputo, Mozambique. Lives and works Lisbon, Portugal Ângela Ferreira Ângela Ferreira Born 1958, Maputo, Mozambique Lives and works Lisbon, Portugal Solo Exhibitions 2013 (installation) Lubumbashi Biennial Rencontres Picha 2013, Democratic Republic of the

Leia mais

PEDRO SOUSA VIEIRA. Galeria Belo-Galsterer Rua Castilho 71, RC, Esq. 1250-068 Lisboa - Portugal

PEDRO SOUSA VIEIRA. Galeria Belo-Galsterer Rua Castilho 71, RC, Esq. 1250-068 Lisboa - Portugal PEDRO SOUSA VIEIRA Galeria Belo-Galsterer Rua Castilho 71, RC, Esq. 1250-068 Lisboa - Portugal www.belogalsterer.com galeria.belogalsterer@gmail.com +351-213815914 VITA Pedro Sousa Vieira Nasceu no Porto,

Leia mais

COMUNICADO DE IMPRENSA 31-10-2014

COMUNICADO DE IMPRENSA 31-10-2014 COMUNICADO DE IMPRENSA 31-10-2014 Fotografia de João Louro e María de Corral / João Miranda JOÃO LOURO REPRESENTARÁ PORTUGAL NA BIENAL DE VENEZA EM 2015 De acordo com a Direção-Geral das Artes, a participação

Leia mais

JSL_d. JOSÉ LOUREIRO drawings

JSL_d. JOSÉ LOUREIRO drawings JSL_d JOSÉ LOUREIRO drawings Sem Título Untitled, 2005 Sem Título Untitled, 2005 Sem Título Untitled, 2005 Sem Título Untitled, 2005 Sem Título Untitled, 2005 Sem Título Untitled, 2005 Sem Título Untitled,

Leia mais

BIBLIOGRAPHY TEXTS BY ÂNGELA FERREIRA

BIBLIOGRAPHY TEXTS BY ÂNGELA FERREIRA BIBLIOGRAPHY INDIVIDUAL CATALOGUES Ângela Ferreira,Revolutionary Traces. Stroom, Den Haag. 2014 Ângela Ferreira, Political Cameras. Stills Scotland s Centre for Photography. Edinburgh. 2013. Paradys. Ermida

Leia mais

Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa Lisbon, Portugal. Retratos e outras Situações Encenadas

Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa Lisbon, Portugal. Retratos e outras Situações Encenadas Eurico Lino do Vale Porto, Portugal 1966 Exposições individuais Solo exhibitions 2013 Levantamento do Palácio da Rosa Carlos Carvalho Arte Contemporânea. Lisboa Lisbon, Portugal Retratos Incógnitos Museu

Leia mais

REPRESENTAÇÃO OFICIAL PORTUGUESA NA 54ª EXPOSIÇÃO INTERNACIONAL DE ARTE LA BIENNALE DI VENEZIA

REPRESENTAÇÃO OFICIAL PORTUGUESA NA 54ª EXPOSIÇÃO INTERNACIONAL DE ARTE LA BIENNALE DI VENEZIA PAVILHÃO DE PORTUGAL REPRESENTAÇÃO OFICIAL PORTUGUESA NA 54ª EXPOSIÇÃO INTERNACIONAL DE ARTE LA BIENNALE DI VENEZIA 4_JUN > 27_NOV_2011 Exposição: Scenario Artista: Francisco Tropa Curador: Sérgio Mah

Leia mais

Since 2003 Fulltime Lecturer in Sculpture, Faculty of Fine Arts University of Lisbon (FBA-UL).

Since 2003 Fulltime Lecturer in Sculpture, Faculty of Fine Arts University of Lisbon (FBA-UL). Ângela Ferreira Born in 1958, Maputo, Mozambique. Lives and works in Lisbon. EDUCATION 1983 M.F.A., Sculpture. University of Cape Town 1981 B.A. Fine Arts, Sculpture University of Cape Town. TEACHING EXPERIENCE

Leia mais

Centro de Artes das Caldas da Rainha. Caldas da Rainha, Portugal. Museu Nacional de Arte Contemporânea/Museu do Chiado. Lisboa Lisbon, Portugal

Centro de Artes das Caldas da Rainha. Caldas da Rainha, Portugal. Museu Nacional de Arte Contemporânea/Museu do Chiado. Lisboa Lisbon, Portugal Susana Gaudêncio Lisboa Lisbon, Portugal 1977 Exposições individuais / Solo exhibitions 2014 Época de estranheza em frente ao mundo Centro de Artes das Caldas da Rainha. Caldas da Rainha, Portugal 2012

Leia mais

O que ficou do que foi O álbum Martim Moniz. 2013 Saudades e lagrimas são o unico lenitivo para a grande auzencia

O que ficou do que foi O álbum Martim Moniz. 2013 Saudades e lagrimas são o unico lenitivo para a grande auzencia Carla Cabanas Lisboa Lisbon, Portugal, 1979 Exposições individuais Solo exhibitions 2014 Palavra arquivada Arquivo Municipal Fotográfico. Lisboa Lisbon, Portugal O que ficou do que foi O álbum Martim Moniz

Leia mais

Centro de Artes das Caldas da Rainha. Caldas da Rainha, Portugal. Jornal de Parede (comissariado por curated by Gabriela Vaz Pinheiro e Lígia Afonso)

Centro de Artes das Caldas da Rainha. Caldas da Rainha, Portugal. Jornal de Parede (comissariado por curated by Gabriela Vaz Pinheiro e Lígia Afonso) Susana Gaudêncio Lisboa Lisbon, Portugal 1977 Exposições individuais / Solo exhibitions 2014 Estranhai o que não parece estranho Centro de Artes das Caldas da Rainha. Caldas da Rainha, Portugal Colombo

Leia mais

As zonas de maior interesse variaram entre a paisagem rochosa à pura paisagem nevada.

As zonas de maior interesse variaram entre a paisagem rochosa à pura paisagem nevada. Pedro Vaz Neblina Inauguração: sábado dia 14 de março de 2015 às 16H 14 de março a 2 de maio de 2015 Terça a sábado 10H-19H Galeria 111 - Lisboa Campo Grande, 113 1700-089 Lisboa T: +351 21 7977418 Neblina,

Leia mais

NEWSLETTER 20 Outubro, 2012 / October 20, 2012 (pages 1 > 10) Exposições na Galeria / Gallery shows. Exposição actual / Current show

NEWSLETTER 20 Outubro, 2012 / October 20, 2012 (pages 1 > 10) Exposições na Galeria / Gallery shows. Exposição actual / Current show GALERIA PEDRO OLIVEIRA CALÇADA DE MONCHIQUE, 3 TEL +351 222 007 131 gpo@galeriapedrooliveira.com 4050-393 PORTO PORTUGAL FAX +351 222 002 334 www.galeriapedrooliveira.com NEWSLETTER 20 Outubro, 2012 /

Leia mais

ANA JOTTA. Galeria Belo-Galsterer Rua Castilho 71, RC, Esq. 1250-068 Lisboa - Portugal

ANA JOTTA. Galeria Belo-Galsterer Rua Castilho 71, RC, Esq. 1250-068 Lisboa - Portugal ANA JOTTA Galeria Belo-Galsterer Rua Castilho 71, RC, Esq. 1250-068 Lisboa - Portugal www.belogalsterer.com galeria.belogalsterer@gmail.com +351-213815914 VITA Ana Jotta Lisbon 1946, where she lives and

Leia mais

Formação: 2006 - Curso de Artes Plásticas Pintura, da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa.

Formação: 2006 - Curso de Artes Plásticas Pintura, da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Pedro Vaz / Cv_2015 Pedro Vaz (Maputo, 1977) obtém a graduação em Artes Plásticas - Pintura, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa em 2006. No presente ano foram apresentadas as exposições

Leia mais

ANA JOTTA. Galeria Belo-Galsterer Rua Castilho 71, RC, Esq. 1250-068 Lisboa - Portugal

ANA JOTTA. Galeria Belo-Galsterer Rua Castilho 71, RC, Esq. 1250-068 Lisboa - Portugal ANA JOTTA Galeria Belo-Galsterer Rua Castilho 71, RC, Esq. 1250-068 Lisboa - Portugal www.belogalsterer.com galeria.belogalsterer@gmail.com +351-213815914 VITA Ana Jotta Lisboa 1946, onde vive e trabalha.

Leia mais

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS 1945 Nasceu em Leiria. Curso de Pintura da Escola de Belas Artes de Lisboa. Frequentou o curso de Arquitectura de Belas Artes do Porto. EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS 2014 O Motim, Casa do Infante, Porto. Altar

Leia mais

Alexandra do Carmo. Exposições individuais Solo exhibitions. Exposições colectivas Group exhibitions. Lisboa, 1966. 2014 Studio Socialis

Alexandra do Carmo. Exposições individuais Solo exhibitions. Exposições colectivas Group exhibitions. Lisboa, 1966. 2014 Studio Socialis Alexandra do Carmo Lisboa, 1966 Exposições individuais Solo exhibitions 2014 Studio Socialis 2011 Foi tudo captado (mesmo os movimentos do cabrito) Galeria Quadrum. Lisboa Lisbon, Portugal 2008 Office/Commercial

Leia mais

Dia Acabado Sol Apagado. Galeria Graça Fonseca, Lisboa. Afinal, Jesus Encontrou-me no Inferno... Galeria Alda Cortês, Lisboa.

Dia Acabado Sol Apagado. Galeria Graça Fonseca, Lisboa. Afinal, Jesus Encontrou-me no Inferno... Galeria Alda Cortês, Lisboa. Luís Palma Vive e trabalha no Porto. Estudou fotografia na Escola Superior Artística do Porto Realizou vários workshops com Joan Fontcuberta, Andreas Muller Phole e André Gelpke. Colaborou na programação

Leia mais

Artistas Convidados exposição 2014 30

Artistas Convidados exposição 2014 30 Artistas Convidados exposição 2014 30 Daniel Antunes Pinheiro Nascido em Moçambique, vive e trabalha em Lisboa. É professor auxiliar da Escola de Belas Artes da Universidade de Lisboa na graduação de arte

Leia mais

DUDI MAIA ROSA. 1946, São Paulo, Brasil Vive e trabalha em São Paulo / Lives and works in São Paulo

DUDI MAIA ROSA. 1946, São Paulo, Brasil Vive e trabalha em São Paulo / Lives and works in São Paulo DUDI MAIA ROSA 1946, São Paulo, Vive e trabalha em São Paulo / Lives and works in São Paulo EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS SELECIONADAS / SELECTED SOLO EXHIBITIONS 2009 Plásticos, Galeria Millan, São Paulo, SP,

Leia mais

karin lambrecht n./b. 1957 -- porto alegre, brazil vive e trabalha em/lives and works in porto alegre

karin lambrecht n./b. 1957 -- porto alegre, brazil vive e trabalha em/lives and works in porto alegre karin lambrecht n./b. 1957 -- porto alegre, brazil vive e trabalha em/lives and works in porto alegre exposições individuais / solo exhibitions 2015 Pintura e desenho, Galeria do Instituto Ling, Porto

Leia mais

Ciclo Obra Aberta * Visitas guiadas a obras da autoria do arquitecto José Marques da Silva

Ciclo Obra Aberta * Visitas guiadas a obras da autoria do arquitecto José Marques da Silva Ciclo Obra Aberta * Visitas guiadas a obras da autoria do arquitecto José Marques da Silva 17 de Outubro Sábado 10h30 - Estação de S. Bento (1896-1916), por Nuno Tasso de Sousa - Teatro Nacional S. João

Leia mais

2014 Futebol no Campo Ampliado, Paço Imperial, Rio de Janeiro, Brazil

2014 Futebol no Campo Ampliado, Paço Imperial, Rio de Janeiro, Brazil eduardo coimbra 1955 born in rio de janeiro lives and works in rio de janeiro solo exhibitions 2015 Fatos Arquitetônicos, Galeria Nara Roesler, Rio de Uma Escultura na Sala, curadoria de Glória Ferreira,

Leia mais

Swatch. Giardino dell Eden. Joana Vasconcelos. 56 ª Exposição Internacional de Arte la Biennale. di Venezia. inauguração 07.05.2015.

Swatch. Giardino dell Eden. Joana Vasconcelos. 56 ª Exposição Internacional de Arte la Biennale. di Venezia. inauguração 07.05.2015. Swatch apresenta Giardino dell Eden de Joana Vasconcelos Pavilhão nos Giardini por ocasião da 56 ª Exposição Internacional de Arte la Biennale di Venezia 09.05.2015>22.11.2015 inauguração 07.05.2015 Joana

Leia mais

Vanda Vilela. Curriculum Vitae

Vanda Vilela. Curriculum Vitae Vanda Vilela. Curriculum Vitae Nasceu em Lisboa em 1968. Vive e trabalha em Lisboa. Formação Licenciatura em Pintura pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa, 1995. Curso de Introdução ao Cinema de Animação,

Leia mais

ESPAÇOS HABITADOS O CORPO COMO FERRAMENTA VIVA

ESPAÇOS HABITADOS O CORPO COMO FERRAMENTA VIVA ESPAÇOS HABITADOS O CORPO COMO FERRAMENTA VIVA 19 e 20 Março 2011 10h00 > 13h00 14h30 > 17h30 Sinopse Muitos são os artistas para quem as fronteiras entre o corpo e a obra se esbatem, usando a Performance

Leia mais

IOLE DE FREITAS Born in Belo Horizonte, Brazil, 1945 lives and works in Rio de Janeiro, Brazil

IOLE DE FREITAS Born in Belo Horizonte, Brazil, 1945 lives and works in Rio de Janeiro, Brazil IOLE DE FREITAS Born in Belo Horizonte,, 1945 lives and works in Rio de Janeiro, SOLO EXHIBITIONS 2015 O peso de cada um. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014 Sou minha própria

Leia mais

APONTAMENTOS CURRICULARES

APONTAMENTOS CURRICULARES APONTAMENTOS CURRICULARES PERCURSO Lisboa, 1969 Fotógrafo e Editor de fotografia Vivo e desenvolvo os meus trabalhos entre Aljezur e Lisboa Actualmente sou CEO da agência 1000olhos - Imagem e Comunicação

Leia mais

BA in sculpture from the Escola de Belas Artes, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

BA in sculpture from the Escola de Belas Artes, Universidade Federal do Rio de Janeiro. JARBAS LOPES Born in Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, 1964 Lives and works in Rio de Janeiro, Brazil Education BA in sculpture from the Escola de Belas Artes, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Solo Exhibitions

Leia mais

Volu mes. Rui M ário Gonçalves, Pintur a e E scultur a em Por tug al, 194 0 198 0. Lisboa: Instituto de Cultur a

Volu mes. Rui M ário Gonçalves, Pintur a e E scultur a em Por tug al, 194 0 198 0. Lisboa: Instituto de Cultur a Volu mes 1972 José Augusto França, A Ar te e a Sociedade Por tuguesa no séc. XX. Lisboa: Livros Horizonte. 1980 Rui M ário Gonçalves, Pintur a e E scultur a em Por tug al, 194 0 198 0. Lisboa: Instituto

Leia mais

2012 Frequenta o doutoramento em Desenho na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa (FBAUL).

2012 Frequenta o doutoramento em Desenho na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa (FBAUL). Luís Nobre Lisboa, 1971. Vive e trabalha em Lisboa. Formação Frequenta o doutoramento em Desenho na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa (FBAUL). Licenciatura em Artes Plásticas, Escola Superior

Leia mais

ANA LIMA-NETTO. Retratos do Silêncio

ANA LIMA-NETTO. Retratos do Silêncio ANA LIMA-NETTO 2013 Retratos do Silêncio 1 Textos... uma espécie de visão cosmológica e a evolução da sua arquitectura virtual. - Mestre Rocha de Sousa Professor, Crítico de Arte e Art.Plástico Do caos

Leia mais

C U R R I C U L U M V I T A E

C U R R I C U L U M V I T A E C U R R I C U L U M V I T A E INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Morada Luís Miguel Pereira Araújo da Rocha Rua do Teixeira, nº43, 1º 1200-390 Lisboa Telefone 96 252 74 53 Fax 21 342 97 82 Correio electrónico luisrocha.fotografia@gmail.com

Leia mais

Centro de Estudos Volte Face

Centro de Estudos Volte Face Centro de Estudos Volte Face Curriculum Vitae HISTÓRIA A história do Projecto Volte Face Medalha Contemporânea é recente, pois é fundado no ano lectivo de 1997/1998, na Cadeira de Medalhística da Faculdade

Leia mais

Entrevista a João Fernandes Portugal não tem um circuito para a arte jovem

Entrevista a João Fernandes Portugal não tem um circuito para a arte jovem Entrevista a João Fernandes Portugal não tem um circuito para a arte jovem Por Kathleen Gomes O director do Museu de Arte Contemporânea de Serralves fala sobre a comunidade de jovens artistas do Porto.

Leia mais

Experiência Profissional A partir do ano de 2000 trabalha em regime de profissional liberal.

Experiência Profissional A partir do ano de 2000 trabalha em regime de profissional liberal. Curriculum Vitae Dados Pessoas Filipa Mourão Data de nascimento, 26 de Dezembro de 1970 Rua Professor Damião Peres 26, 1600-609 Lisboa Tel. 914329698 Formação Académica / Habilitações Licenciada em Arquitectura

Leia mais

Anexo 5. 2 Textos escritos para o projecto EMPTY CUBE Proposta de Vasco Barata Texto de Delfim Sardo sobre o novo projecto para publicar online

Anexo 5. 2 Textos escritos para o projecto EMPTY CUBE Proposta de Vasco Barata Texto de Delfim Sardo sobre o novo projecto para publicar online Anexo 5 2 Textos escritos para o projecto EMPTY CUBE Proposta de Vasco Barata Texto de Delfim Sardo sobre o novo projecto para publicar online AFTERGLOW A matéria do meu trabalho são imagens, a Imagem.

Leia mais

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS E COLECTIVAS (selecção):

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS E COLECTIVAS (selecção): EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS E COLECTIVAS (selecção): INDIVIDUAIS 2012 Exposição Galerie Majke Husstege 2010 Exposição Galerie Majke Husstege 2009 Exposição Galeria ARTSLAB, Porto Exposição, Galeria Mass, Barcelona

Leia mais

Perfil Profissional. Rui Castro Perfil Profissional 1

Perfil Profissional. Rui Castro Perfil Profissional 1 Perfil Profissional Rui Castro Perfil Profissional 1 Conteúdos 1. Apresentação 2. Curriculum Curriculum vitae 3. Obras e projectos Experiência profissional Rui Castro Perfil Profissional 2 1. Apresentação

Leia mais

In A Minha segunda Casa.Lisboa: I.P.M., 2004. Cecília de Sousa Átrio de edifício na Av. Estados Unidos da América, Lisboa 1957

In A Minha segunda Casa.Lisboa: I.P.M., 2004. Cecília de Sousa Átrio de edifício na Av. Estados Unidos da América, Lisboa 1957 In A Minha segunda Casa.Lisboa: I.P.M., 2004. Cecília de Sousa Átrio de edifício na Av. Estados Unidos da América, Lisboa 1957 Cecília de Sousa Sinfonia 1989 MNAz Cecília de Sousa Grande Disco 1999 MNAz

Leia mais

REPÚBLICA NAS ESCOLAS

REPÚBLICA NAS ESCOLAS REPÚBLICA NAS ESCOLAS COM O APOIO DE: http://www.centenariorepublica.pt/escolas escolas@centenariorepublica.pt República nas Escolas Descrição e Objectivos O tema Centenário da República deverá ser um

Leia mais

MARTINHO COSTA RUÍNA 2008

MARTINHO COSTA RUÍNA 2008 MARTINHO COSTA RUÍNA 2008 Na imensurável e infindável base de imagens disponível na internet, Martinho Costa escolhe como ponto de partida catástrofes naturais, demolições ou outras imagens de destruição,

Leia mais

RÚB E N D IAS. www.itemzero.com ruben@itemzero.com

RÚB E N D IAS. www.itemzero.com ruben@itemzero.com RÚB E N D IAS P O R T F O L I O www.itemzero.com ruben@itemzero.com Rúben Dias D E S I G N E R G R Á F I C O D E C O M U N I C A Ç Ã O Pós-Graduação na Bauhaus Dessau Foundation, Alemanha; Licenciatura

Leia mais

M O D E L O E U R O P E U DE C U R R I C U L U M V I T A E

M O D E L O E U R O P E U DE C U R R I C U L U M V I T A E M O D E L O E U R O P E U DE C U R R I C U L U M V I T A E Nome Correio electrónico Informação Pessoal VIEIRA, Pedro Filipe de Freitas Amaral Morada Rua D.José I nº47 2ºesq 3080 202 Figueira da Foz Portugal

Leia mais

Paula Almozara «Paisagem-ficção»

Paula Almozara «Paisagem-ficção» Rua da Atalaia, 12 a 16 1200-041 Lisboa + (351) 21 346 0881 salgadeiras@sapo.pt www.salgadeiras.com Paula Almozara «Paisagem-ficção» No âmbito da sua estratégia internacional, a Galeria das Salgadeiras

Leia mais

2012 Currently attending a PhD in Drawing at Faculty of Fine Arts of Lisbon University (FBAUL).

2012 Currently attending a PhD in Drawing at Faculty of Fine Arts of Lisbon University (FBAUL). Luís Nobre Lisbon, 1971. Lives and works in Lisbon. Education Currently attending a PhD in Drawing at Faculty of Fine Arts of Lisbon University (FBAUL). Degree in Fine Arts at Escola Superior de Arte e

Leia mais

Carlos Bunga (n. 1976, Porto) ganhou visibilidade no contexto artístico português ao integrar, no final de 2003, a exposição dos Prémios EDP Novos

Carlos Bunga (n. 1976, Porto) ganhou visibilidade no contexto artístico português ao integrar, no final de 2003, a exposição dos Prémios EDP Novos Carlos Bunga Carlos Bunga (n. 1976, Porto) ganhou visibilidade no contexto artístico português ao integrar, no final de 2003, a exposição dos Prémios EDP Novos Artistas, no Museu de Serralves. A sua instalação

Leia mais

CURSO LIVRE HISTÓRIA DO ENSINO ARTÍSTICO EM PORTUGAL PROGRAMA. 2.1. Francisco da Holanda e a sua perspectiva sobre o ensino artístico.

CURSO LIVRE HISTÓRIA DO ENSINO ARTÍSTICO EM PORTUGAL PROGRAMA. 2.1. Francisco da Holanda e a sua perspectiva sobre o ensino artístico. CURSO LIVRE HISTÓRIA DO ENSINO ARTÍSTICO EM PORTUGAL 8 de Abril a 1 de Julho (interrupção no dia 10 de Junho que é feriado) 4ª feira, das 18h 30m às 20h 30m 24h, 12 sessões PROGRAMA 1. A Idade Média 1.1.

Leia mais

Acesso ao press kit e imagens em alta resolução em: www.dgartes.pt. Para informações adicionais, contacte por favor:

Acesso ao press kit e imagens em alta resolução em: www.dgartes.pt. Para informações adicionais, contacte por favor: DIREÇÃO-GERAL DAS ARTES APRESENTA I WILL BE YOUR MIRROR POEMS AND PROBLEMS O PROJETO DO ARTISTA JOÃO LOURO, COMISSARIADO POR MARÍA DE CORRAL QUE REPRESENTARÁ PORTUGAL NA 56ª EXPOSIÇÃO INTERNACIONAL DE

Leia mais

Marcus André. Rio de Janeiro, 1961 Vive e trabalho no Rio de Janeiro, Brasil. Exposições Coletivas

Marcus André. Rio de Janeiro, 1961 Vive e trabalho no Rio de Janeiro, Brasil. Exposições Coletivas Marcus André Rio de Janeiro, 1961 Vive e trabalho no Rio de Janeiro, Brasil Exposições Coletivas 2009 Museu de Arte Contemporânea de Paraná 63 o. Salão Paranaense de Arte. Curitiba PR 2008 Durex Arte Contemporânea

Leia mais

PRIMEIRA EDIÇÃO DE SERIGRAFIA M_EIA

PRIMEIRA EDIÇÃO DE SERIGRAFIA M_EIA PRIMEIRA EDIÇÃO DE SERIGRAFIA M_EIA Após dez anos de existência o M_EIA edita sua primeira colecção de serigrafia de autores cúmplices deste projecto, cúmplices da cultura e das artes no país. São eles,

Leia mais

Biblioteca Municipal da Póvoa de Varzim. Póvoa de Varzim, Portugal. Museu Nacional de História Natural, Sala do Veado.

Biblioteca Municipal da Póvoa de Varzim. Póvoa de Varzim, Portugal. Museu Nacional de História Natural, Sala do Veado. Ricardo Angélico Angola, 1973 Exposições individuais Solo exhibitions 2013 Freak Out 2011 There will be no safety zone 2010 God is great, but God is greater Galeria Adhoc. Vigo, Espanha Spain, Portugal

Leia mais

Coleção de Serralves: Obras Recentes MACS Museu de Arte Contemporânea de Serralves: de 15/03 a 10/06/2013

Coleção de Serralves: Obras Recentes MACS Museu de Arte Contemporânea de Serralves: de 15/03 a 10/06/2013 FBAUP Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto Mestrado em Estudos Artísticos Estudos Museológicos e Curadorais Texto Crítico com o docente Hélder Gomes Por Ana Sousa 121247018 Junho de 2013 Coleção

Leia mais

Hermelindo Fiaminghi. Born in São Paulo, Brazil 1920. Died in São Paulo, Brazil, 2004. Solo Exhibitions. 2009 Dan Galeria, São Paulo, Brazil

Hermelindo Fiaminghi. Born in São Paulo, Brazil 1920. Died in São Paulo, Brazil, 2004. Solo Exhibitions. 2009 Dan Galeria, São Paulo, Brazil Hermelindo Fiaminghi Born in São Paulo, 1920 Died in São Paulo,, 2004 Solo Exhibitions 2009 Dan Galeria, São Paulo, 2001 Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP), São Paulo, 1998 Galeria Nara Roesler,

Leia mais

Quinta de São Sebastião Tradição e modernidade às portas de Lisboa

Quinta de São Sebastião Tradição e modernidade às portas de Lisboa HORTO DO CAMPO GRANDE MAGAZINE 14 HORTO DO CAMPO GRANDE MAGAZINE 15 FOTOS: Miguel Serradas Duarte FOTOS: Miguel Serradas Duarte Quinta de São Sebastião Tradição e modernidade às portas de Lisboa HORTO

Leia mais

BOM VÔO / GOOD FLIGHT - RUI CALÇADA BASTOS

BOM VÔO / GOOD FLIGHT - RUI CALÇADA BASTOS BOM VÔO / GOOD FLIGHT - RUI CALÇADA BASTOS A cidade é o campo de possibilidades que o artista indaga e observa sob um olhar aparentemente romântico, mas que não despreza o detalhe mais (in) significante,

Leia mais

Conferência Espaço de Arquitectura 2010

Conferência Espaço de Arquitectura 2010 Nota Introdutória: O tema da reabilitação urbana é um dos tópicos centrais da análise actual sobre Planeamento e Urbanismo e uma janela aberta para encontrar soluções na recuperação dos centros históricos

Leia mais

Nasceu em Lisboa em 1954. Vive e trabalha em Lisboa. BA (Honours), Goldsmiths College, Londres (1980) MFA Sculpture, Yale University (1982)

Nasceu em Lisboa em 1954. Vive e trabalha em Lisboa. BA (Honours), Goldsmiths College, Londres (1980) MFA Sculpture, Yale University (1982) RUI SANCHES Nasceu em Lisboa em 1954. Vive e trabalha em Lisboa. BA (Honours), Goldsmiths College, Londres (1980) MFA Sculpture, Yale University (1982) Exposições individuais (selecção) 1984 Desenhos,

Leia mais

Arquivos imateriais: a programação de cinema no Arquivo Municipal de Lisboa Videoteca

Arquivos imateriais: a programação de cinema no Arquivo Municipal de Lisboa Videoteca Arquivos imateriais: a programação de cinema no Arquivo Municipal de Lisboa Videoteca Immaterial Archives: cinema programming at the video library of the Arquivo Municipal de Lisboa Inês Sapeta Dias* RESUMO

Leia mais

Programa de Promoção Turística e Cultural

Programa de Promoção Turística e Cultural Programa de Promoção Turística e Cultural Sintra encontra-se em 11º lugar no ranking dos 50 melhores lugares a visitar, nas escolhas dos leitores do jornal New York Times? Sintra é uma das 21 finalistas

Leia mais

fundação Vitor e Graça Carmona e Costa RELATÓRIO DE ACTIVIDADES

fundação Vitor e Graça Carmona e Costa RELATÓRIO DE ACTIVIDADES RELATÓRIO DE ACTIVIDADES EXERCÍCIO DE 2011 ACTIVIDADE DESENVOLVIDA EXERCÍCIO DE 2011 Este exercício de 2011 é o décimo quinto ano de actividade da Fundação Carmona e Costa, que continuou o seu trabalho

Leia mais

GUIMARÃES 2012 CAPITAL EUROPEIA DA CULTURA ÁREA : ARTE E ARQUITECTURA

GUIMARÃES 2012 CAPITAL EUROPEIA DA CULTURA ÁREA : ARTE E ARQUITECTURA GUIMARÃES 2012 CAPITAL EUROPEIA DA CULTURA ÁREA : ARTE E ARQUITECTURA CICLO : ESCALAS E TERRITÓRIOS PROJECTO: O CASTELO EM 3 ACTOS: Assalto, Destruição e Reconstrução. COMISSÁRIO: PAULO CUNHA E SILVA ABERTURA

Leia mais

Ana Vidigal 1960, Lisboa, Portugal. Mora e trabalha em Lisboa Formado em pintura na Escola Superiro de Belas Artes de Lisboa

Ana Vidigal 1960, Lisboa, Portugal. Mora e trabalha em Lisboa Formado em pintura na Escola Superiro de Belas Artes de Lisboa Ana Vidigal 1960, Lisboa, Portugal. Mora e trabalha em Lisboa Formado em pintura na Escola Superiro de Belas Artes de Lisboa Exposições individuais 2013 Juá (de vivre), Lugar do Desenho, Fundação Júlio

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE -------------------------- GOVERNA DA CIDADE DE MAPUTO DIRECÇÃO DE TURISMO DA CIDADE. As 10 Maravilhas da Cidade de Maputo

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE -------------------------- GOVERNA DA CIDADE DE MAPUTO DIRECÇÃO DE TURISMO DA CIDADE. As 10 Maravilhas da Cidade de Maputo REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE -------------------------- GOVERNA DA CIDADE DE MAPUTO DIRECÇÃO DE TURISMO DA CIDADE As 10 Maravilhas da Cidade de Maputo Igreja de Santo António da Polana A Igreja de Santo António

Leia mais

exposições individuais / solo exhibitions 2015 Horizonte Deserto Tecido Cimento, Galeria Nara Roesler São Paulo, Brazil

exposições individuais / solo exhibitions 2015 Horizonte Deserto Tecido Cimento, Galeria Nara Roesler São Paulo, Brazil fabio miguez n.b. 1962-- sao paulo, brazil vive e trabalha em / lives and works in são paulo exposições individuais / solo exhibitions 2015 Horizonte Deserto Tecido Cimento, Galeria Nara Roesler São Paulo,

Leia mais

CURRICULUM VITAE nuno miguel de matos silva arquitecto

CURRICULUM VITAE nuno miguel de matos silva arquitecto CURRICULUM VITAE nuno miguel de matos silva arquitecto identificação nuno miguel de matos silva, 1976 rua dr. alberto soares machado, 9 38100-146 Aveiro +31 962 282 948 matossilva.arq@gmail.com mail@numa.pt

Leia mais

Catálogo. CHIADO 8 ARTE CONTEMPORÂNEA Largo do Chiado, 8 / 1249-125 Lisboa T 213 237 335 / www.fidelidademundial.pt

Catálogo. CHIADO 8 ARTE CONTEMPORÂNEA Largo do Chiado, 8 / 1249-125 Lisboa T 213 237 335 / www.fidelidademundial.pt Projecto de Exposições (2006-2008) Miguel Wandschneider (Culturgest) Coordenação Miguel Wandschneider (Culturgest) Gabinete de Comunicação e Imagem (Fidelidade Mundial) Curador Ricardo Nicolau Coordenação

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DO PORTO RELATÓRIO DE ACTIVIDADES EXTRA-CURRICULARES FACULDADE DE ARQUITECTURA E ARTES ANO LECTIVO 2010/2011

UNIVERSIDADE LUSÍADA DO PORTO RELATÓRIO DE ACTIVIDADES EXTRA-CURRICULARES FACULDADE DE ARQUITECTURA E ARTES ANO LECTIVO 2010/2011 UNIVERSIDADE LUSÍADA DO PORTO RELATÓRIO DE ACTIVIDADES EXTRA-CURRICULARES FACULDADE DE ARQUITECTURA E ARTES ANO LECTIVO 2010/2011 NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS NA ARQUITECTURA SUSTENTÁVEL CONFERÊNCIA DA

Leia mais

Praça José Fontana, 4-5º 1050-129 Lisboa T 213 156 200 808 202 922 microcredito@microcredito.com.pt

Praça José Fontana, 4-5º 1050-129 Lisboa T 213 156 200 808 202 922 microcredito@microcredito.com.pt Praça José Fontana, 4-5º 1050-129 Lisboa T 213 156 200 808 202 922 microcredito@microcredito.com.pt Com o Apoio : 2014 RELATÓRIO Notas introdutórias O ano de 2014 foi um ano marcado por uma recuperação

Leia mais

Urban space. Urban Space. Leonardo Ramadinha. www.ramadinha.com.br

Urban space. Urban Space. Leonardo Ramadinha. www.ramadinha.com.br Urban space Urban Space Leonardo Ramadinha www.ramadinha.com.br Vista #1 Sight #1 Fachada #1 Facade #1 Fachada #2 Facade #2 Fachada #3 Facade #3 Favela #1 Slum #1 Duas Janelas Two windows Favela #2 Slum

Leia mais

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Setembro Outubro 2014

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Setembro Outubro 2014 O Boletim do Museu da Imigração chega à sua vigésima segunda edição. Este veículo tem a proposta de manter as comunidades e o público geral informados sobre o MI, destacando ainda as atividades e ações

Leia mais

PROGRAMA PROGRAMA. 20 Maio 2014 Palácio D. Manuel, Évora

PROGRAMA PROGRAMA. 20 Maio 2014 Palácio D. Manuel, Évora Exposição Itinerante The Swiss Touch in Landscape Architecture The Swiss Touch in Landscape Architecture é uma exposição itinerante da Fundação suíça para a Cultura Pro Helvetia, concebida por Michael

Leia mais

Biblioteca Nacional : exterior : interior ; Ana Tostões... [et al.]. - Lisboa : Biblioteca Nacional, 2004. - 128 p.

Biblioteca Nacional : exterior : interior ; Ana Tostões... [et al.]. - Lisboa : Biblioteca Nacional, 2004. - 128 p. MONOGRAFIAS TOSTÕES, Ana Biblioteca Nacional : exterior : interior ; Ana Tostões... [et al.]. - Lisboa : Biblioteca Nacional, 2004. - 128 p. Monteiro, Porfírio Pardal, 1897-1957 / Costa, Daciano da, 1930-2005

Leia mais

2010 Contentor/Container (direction: Sandro Resende), port of Lisbon, Lisbon, Portugal

2010 Contentor/Container (direction: Sandro Resende), port of Lisbon, Lisbon, Portugal LUISA CUNHA Luisa Cunha was born in Lisbon in 1949. She lives and works in Lisbon. E-mail: luisacunha1@gmail.com 1994 Advanced Course in Sculpture at AR.CO, School of Visual Arts, Lisbon, 1994 Resident

Leia mais

Encontro Internacional Património Cultural, a Cortiça e os Museus, Seixal, 2 e 3 de Julho de 2010

Encontro Internacional Património Cultural, a Cortiça e os Museus, Seixal, 2 e 3 de Julho de 2010 A Fábrica do Inglês: reabilitação do património industrial corticeiro Encontro Internacional Património Cultural, a Cortiça e os Museus, Seixal, 2 e 3 de Julho de 2010 Sumário: O Museu da Cortiça da Fábrica

Leia mais

Curriculum Vitae. Curriculum Vitae/Miguel Pacheco Gomes 1/5

Curriculum Vitae. Curriculum Vitae/Miguel Pacheco Gomes 1/5 Curriculum Vitae Informação Pessoal GOMES, Miguel Pacheco Rua de Angola, 2 2º Dto. 1170-022 +351 933118953 www.miguelpachecogomes.com e-mail@miguelpachecogomes.com Experiência Profissional Datas: 2008/2009

Leia mais

CURRICULUM VITAE PEDRO MARIGUESA ARQUITECTOS

CURRICULUM VITAE PEDRO MARIGUESA ARQUITECTOS CURRICULUM VITAE PEDRO MARIGUESA ARQUITECTOS CURRICULUM VITAE Informação pessoal Nome Pedro Alexandre Tomé de Freitas Mariguesa Morada Calçada de São Vicente 106, 3º esq. 1100-571 Lisboa Portugal Telefone/Fax

Leia mais

Antropologia da Face Gloriosa. Arthur Omar

Antropologia da Face Gloriosa. Arthur Omar Antropologia da Face Gloriosa Arthur Omar Arthur Omar é um artista brasileiro múltiplo, com presença de ponta em várias áreas da produção artística contemporânea. Formado em antropologia e etnografia,

Leia mais

CURRÍCULO Fernanda Fragateiro Nasceu no Montijo em 1962. Vive e trabalha em Lisboa.

CURRÍCULO Fernanda Fragateiro Nasceu no Montijo em 1962. Vive e trabalha em Lisboa. CURRÍCULO Fernanda Fragateiro Nasceu no Montijo em 1962. Vive e trabalha em Lisboa. ESTUDOS 1983-87 Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, Lisboa. 1981-82 ARCO Centro de Arte e Comunicação, Lisboa.

Leia mais

1989 Contemporary Art Gallery 110, Concerto Concrete, Rio de Janeiro, Brazil

1989 Contemporary Art Gallery 110, Concerto Concrete, Rio de Janeiro, Brazil Paulo Roberto Leal Born in, 1946 Died in, 1991 Solo Exhibitions 1989 Contemporary Art Gallery 110, Concerto Concrete, Galeria São Paulo, São 1976 Gallery Oscar Seraphico, Brasilia, Brazil 1975 Art Gallery

Leia mais

Experiência Profissional

Experiência Profissional Giles Teixeira Curriculum Vitae Data Nascimento 6 de Fevereiro de 1979 Naturalidade Londres Nacionalidade Portuguesa e Inglesa Morada Rua Nova de São Mamede nº 38-4º andar, 1250-173, Lisboa Telefone 93

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES DA FUNDAÇÃO ARPAD SZENES VIEIRA DA SILVA 2014. Capítulo I. Introdução

PLANO DE ACTIVIDADES DA FUNDAÇÃO ARPAD SZENES VIEIRA DA SILVA 2014. Capítulo I. Introdução PLANO DE ACTIVIDADES DA FUNDAÇÃO ARPAD SZENES VIEIRA DA SILVA 2014 Capítulo I Introdução 1. O Plano de actividades que agora se apresenta insere-se na estratégia aprovada, no ano passado, pelo Conselho

Leia mais

exposições individuais / solo exhibitions 2015 Afluentes, Galeria Nara Roesler, Rio de Janeiro, Brazil

exposições individuais / solo exhibitions 2015 Afluentes, Galeria Nara Roesler, Rio de Janeiro, Brazil artur lescher n. b. 1962 -- sao paulo, brazil vive e trabalha em / lives and works in sao paulo, brazil exposições individuais / solo exhibitions 2015 Afluentes, Galeria Nara Roesler, Rio de Janeiro, Brazil

Leia mais

Projecto para uma Grua

Projecto para uma Grua Projecto para uma Grua Pedro Ressano Garcia * Gruas Portuárias publicadas por Le Corbusier em Vers une Architecture Neste fim de século, assistimos ao declínio da era mecânica. A maior parte do trabalho

Leia mais

Projectos Transversais e Inovadores

Projectos Transversais e Inovadores Ic Projectos Transversais e Inovadores Projecto Arquivo Digital de Arte Portuguesa Iniciativas directas 293 785 Total 293 785 Proveitos 117 514 A Fundação Calouste Gulbenkian, através da Biblioteca de

Leia mais

ISABEL BRISON. Isabel Brison, Tardo-industrial, 2011, impressão lambda lambda print, 108 x 70 cm

ISABEL BRISON. Isabel Brison, Tardo-industrial, 2011, impressão lambda lambda print, 108 x 70 cm ISABEL BRISON Lisboa, Portugal, 1980. Exposições individuais selecção O futuro da vida urbana em ruínas (Carlos Carvalho Arte Contemporânea. Lisboa, Portugal, 2012), Daqui não se vê bem (com Nuno Rodrigues

Leia mais

MICHAEL BIBERSTEIN / RUI SANCHES. AQUI e ALÉM. 24. Fevereiro 2011. 10. Abril 2011

MICHAEL BIBERSTEIN / RUI SANCHES. AQUI e ALÉM. 24. Fevereiro 2011. 10. Abril 2011 MICHAEL BIBERSTEIN / RUI SANCHES AQUI e ALÉM 24. Fevereiro 2011 10. Abril 2011 3 5 P E Este catálogo foi publicado por ocasião da exposição Aqui e Além de Michael Biberstein e Rui Sanches, que teve lugar

Leia mais

TRÓIA DESIGN HOTEL PENÍNSULA DE TRÓIA

TRÓIA DESIGN HOTEL PENÍNSULA DE TRÓIA TRÓIA DESIGN HOTEL PENÍNSULA DE TRÓIA Imagine um lugar onde a terra vai ao encontro da água, uma península que rasga o azul do oceano e o verde do rio. Praias de areia branca e dunas selvagens com trilhos

Leia mais

LENORA DE BARROS. Born 1953 São Paulo, Brazil Lives and works in São Paulo, Brazil. Solo Exhibitions

LENORA DE BARROS. Born 1953 São Paulo, Brazil Lives and works in São Paulo, Brazil. Solo Exhibitions LENORA DE BARROS Born 1953 São Paulo, Brazil Lives and works in São Paulo, Brazil Solo Exhibitions 2014 Umas e Outras (Some and Others), curated by Glória Ferreira, PIVÔ, São Paulo-SP, Brazil 2013 Umas

Leia mais

Colecções fotográficas da Biblioteca de Arte: políticas de acesso e difusão

Colecções fotográficas da Biblioteca de Arte: políticas de acesso e difusão Disponibilizar informação na Web : problemáticas e desafios Porto, CPF, 30 Outubro 2007 Colecções fotográficas da Biblioteca de Arte: políticas de acesso e difusão Fundação Calouste Gulbenkian- Biblioteca

Leia mais

TRIENAL DE ARQUITECTURA DE LISBOA 2010 CONCURSO E EXPOSIÇÃO UNIVERSIDADES COVA DA MOURA

TRIENAL DE ARQUITECTURA DE LISBOA 2010 CONCURSO E EXPOSIÇÃO UNIVERSIDADES COVA DA MOURA TRIENAL DE ARQUITECTURA DE LISBOA 2010 CONCURSO E EXPOSIÇÃO UNIVERSIDADES COVA DA MOURA Uma iniciativa da Trienal de Arquitectura de Lisboa com o apoio de Comissão de Bairro do Alto da Cova da Moura 1

Leia mais

Ivo Poças Martins, Fevereiro 2007. Texto da proposta seleccionada do concurso Intervenções na Cidade Trienal de Arquitectura de Lisboa

Ivo Poças Martins, Fevereiro 2007. Texto da proposta seleccionada do concurso Intervenções na Cidade Trienal de Arquitectura de Lisboa Ivo Poças Martins, Fevereiro 2007 Texto da proposta seleccionada do concurso Intervenções na Cidade Trienal de Arquitectura de Lisboa Praça de Espanha www.pocasmartins-seabra.com ( 1 ) ( 2 ) Com a União

Leia mais

FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0

FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0 FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0 TÍTULO: Animatic - Marionetas Digitais Interactivas ORIENTADORES: Professor Doutor Aníbal Ferreira Professor Doutor Rui Torres ALUNO:

Leia mais

Centro de Competência de Ciências Sociais. Departamento de Ciências da Educação. 1.º Ciclo em Educação Básica. Programa. Unidade Curricular

Centro de Competência de Ciências Sociais. Departamento de Ciências da Educação. 1.º Ciclo em Educação Básica. Programa. Unidade Curricular Centro de Competência de Ciências Sociais Departamento de Ciências da Educação 1.º Ciclo em Educação Básica Programa Unidade Curricular Teoria e Desenvolvimento Curricular Área Científica Educação Regente

Leia mais

A NOSSA FAMÍLIA COMO GARANTIA DA NOSSA SUSTENTABILIDADE Maria Vlachou *

A NOSSA FAMÍLIA COMO GARANTIA DA NOSSA SUSTENTABILIDADE Maria Vlachou * A NOSSA FAMÍLIA COMO GARANTIA DA NOSSA SUSTENTABILIDADE Maria Vlachou * Gostava de começar por falar da minha experiência no Kennedy Center em Washington, onde estagiei durante um mês no verão passado,

Leia mais