Recuperação de Imagens Médicas por Conteúdo em um Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados de Código Livre

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Recuperação de Imagens Médicas por Conteúdo em um Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados de Código Livre"

Transcrição

1 Recuperação de Imagens Médicas por Conteúdo em um Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados de Código Livre Humberto Razente, Maria Camila N. Barioni, Agma J. M. Traina, Caetano Traina Jr. GBDI Grupo de Bases de Dados e Imagens SCC Departamento de Computação ICMC Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação USP Universidade de São Paulo Resumo - Este artigo apresenta as técnicas para a inclusão de consultas por similaridade de conteúdo de imagens médicas e a sua implementação em um sistema de gerenciamento de banco de dados de código livre, o PostgreSQL, discutindo os principais aspectos relativos a consultas por similaridade, como extração e indexação de características intrínsecas às imagens. Com esse novo recurso, as equipes de desenvolvimento dos sistemas de apoio a diagnóstico e treinamento médico podem tratar as consultas por similaridade de imagens da mesma maneira que as consultas sobre dados tradicionais são tratadas em SQL. Com a estratégia descrita neste artigo, o suporte ao armazenamento e indexação do conteúdo de imagens, disponível em sistemas proprietários de maneira limitada, poderá ser utilizado e melhorado utilizando o PostgreSQL para organizar e disponibilizar o grande volume de imagens gerados pelos hospitais escola com baixo custo de implantação. Palavras-chave: recuperação de imagens por conteúdo, consultas por similaridade de imagens, sistemas de apoio a diagnóstico. Abstract - This paper presents the techniques and the implementation of content-based similarity queries of medical images in an open source database management system, PostgreSQL. The main aspects regarding similarity queries, as image feature extraction and indexing are explained. Empowered with the new features, the development teams working with computer-aided diagnostics systems and medical learning systems can pose similarity queries over images in the same way they pose queries over traditional data in SQL. The storage and indexing support of images contents, available in proprietary systems in a limited way, can now be employed by PostgreSQL to organize and deliver the huge amount of images captured by hospitals, at a much lower cost. Key-words: content-based image retrieval, similarity queries, computer-aided diagnostics systems. Introdução Os Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados (SGBD) tiveram por muitos anos seu desenvolvimento direcionado a consultas em dados tradicionais, como textos e números. As consultas tradicionais realizadas por esses sistemas baseiam-se na relação de ordem total, que permite comparar números e textos por meio dos operadores <,, >, e =. Entretanto, nas últimas décadas houve uma explosão na quantidade de dados gerados, entre eles não somente textos e números, mas dados complexos como imagens. Em se tratando de imagens, as consultas desejadas raramente são baseadas na relação de ordem, mas sim em uma noção de similaridade, específica para cada domínio. As aplicações médicas requerem o suporte a imagens, para que resultados de exames tais como raio-x, tomografia computadorizada, ressonância magnética, mamografia, entre outros, possam ser armazenados e recuperados com eficiência. O objetivo é ter uma melhoria dos processos clínicos por meio do uso de sistemas de busca por conteúdo de imagens, onde os especialistas da área (médicos, residentes, entre outros) possam pesquisar casos semelhantes baseando-se nas imagens do paciente sendo atendido. O desenvolvimento de sistemas com tais funcionalidades é extremamente almejado pela comunidade médica, principalmente em hospitais escola, onde os sistemas de apoio a diagnóstico constituem uma parte importante para o ensino de novos radiologistas e especialistas em diagnóstico de imagens médicas. Para comparar imagens de um conjunto para se obter as mais semelhantes a uma dada imagem de consulta, é necessário empregar algoritmos de extração de características. Em geral, o resultado da extração é representado por um vetor, denominado vetor de características, que é utilizado na comparação, ao invés da imagem em questão. As características extraídas de imagens podem ser baseadas em cor, textura ou forma, e cada domínio de imagens deve utilizar algo-

2 ritmos específicos para a extração de características. Para a comparação de dois vetores de características, é necessário uma função de distância que calcule a similaridade (ou dissimilaridade) entre os mesmos. Atualmente, há diversos fabricantes de SGBD, entre eles Oracle, IBM, Microsoft, Sybase, Informix, Computer Associates. Em geral, os produtos desses fabricantes atendem a uma série de requisitos definidos para os SGBD, como a garantia de integridade, atomicidade dos dados, consistência, durabilidade e isolamento, e compatibilidade com a linguagem SQL (a Structured Query Language ou SQL é a linguagem padrão para definição e manipulação de dados em SGBD). Alguns possuem ainda recursos extras, como suporte a XML, dados geográficos, textos longos, entre outros. Dentro desse contexto, surgiram os SGBD de código livre, como o PostgreSQL e o MySQL. Software Livre ou software de código livre é um software disponibilizado livremente junto com seu código fonte e que permite que qualquer pessoa possa usá-lo, copiá-lo, e distribuí-lo, seja na versão original ou com modificações [1]. O uso de software livre nas instituições privadas e públicas tornou-se um fator de melhoria de competitividade e de democratização dos sistemas de informação, tendo sido definido como prioridade pelo Governo Federal [2]. O PostgreSQL é uma alternativa robusta de SGBD de código livre, com excelente reputação por sua confiabilidade, escalabilidade e integridade de dados, e está disponível para uma grande variedade de plataformas, incluindo Linux, Unix e Windows. Sua implementação do SQL está de acordo com os padrões SQL-92 e SQL-99. O restante do artigo está estruturado da seguinte maneira. A seguir são apresentados os conceitos fundamentais e os trabalhos correlatos. Em seguida é apresentado o tipo STILLIMAGE, as funções para a sua manipulação e os detalhes da implementação. Na Seção Experimentos são apresentados testes realizados com o sistema, bem como um exemplo de interface desenvolvida com o intuito de tornar amigável a interação dos profissionais de saúde com o sistema desenvolvido. Finalmente, são apresentados as conclusões e os trabalhos futuros. Fundamentos e trabalhos correlatos As consultas por similaridade representam um paradigma fundamental ao pesquisar grandes conjuntos de imagens. O objetivo é procurar por imagens próximas a uma imagem de referência, com base em uma medida de similaridade [3]. A extração de características é uma das bases fundamentais dos sistemas de recuperação de imagens por conteúdo, uma vez que as características extraídas são utilizadas para a indexação e a recuperação das imagens. O processo de extração de características consiste no cálculo de representações numéricas que podem ser utilizadas para caracterizar uma determinada imagem. Existem diversos trabalhos envolvendo extração de características de imagens (um apanhado das técnicas pode ser obtido em [3, 4]), sendo que as características extraídas de imagens são geralmente baseadas em cor, textura ou forma. Para aplicar consultas por similaridade sobre vetores de características de imagens, uma função de distância deve ser empregada para o cálculo da similaridade. Uma função de distância compara dois vetores de características e retorna um valor positivo que expressa a similaridade entre os dois vetores. Quanto menor esse valor, mais similares são os vetores. As funções de distância mais empregadas em espaços vetoriais são as funções da família L p (ou Minkowski), definidas pela Equação 1. ( k ) 1/p L p ((x 1,..., x k ), (y 1,..., y k )) = x i y i p (1) i=1 Diferentes valores do parâmetro p levam a diferentes interpretações. Quando p = 1, a função L 1 (Manhattan ou City Block) corresponde ao somatório do módulo das diferenças entre as coordenadas. Quando p = 2, a função L 2 (Euclidiana) corresponde à função natural para distância entre vetores e quando p = a função L (Chebychev) corresponde à maior distância entre os elementos de dois vetores. Adicionalmente, muitos trabalhos foram desenvolvidos para aumentar a eficiência de consultas por similaridade, como as estruturas de indexação M-tree [5] e Slim-tree [6]. Armazenamento dos Dados Aquisição das imagens Anotação e interação Consulta Imagem de consulta Processamento de imagens Extração de características Extração de características Armazenamento e indexação Base de imagens Base de características Similaridade Cálculo de similaridade Interação Apresentação e resultado Figura 1. Ilustração do fluxo de dados entre os módulos de um sistema de recuperação de imagens por conteúdo. O processo de recuperação de imagens por conteúdo é apresentado na Figura 1. As imagens são geradas no processo de aquisição nos diversos equipamentos disponíveis, e em seguida elas são armazenadas e suas características são extraídas e indexadas na base

3 de características. Para a realização de uma consulta por conteúdo, a imagem de referência deve passar pelo mesmo processo de extração de características para geração do vetor de características, permitindo o cálculo de similaridade. O ambiente de integração natural para os sistemas de recuperação de imagens baseada em conteúdo são os SGBD, por meio da incorporação das tarefas de processamento de imagens, armazenamento e indexação. SGBD proprietários como [7, 8] disponibilizam métodos de indexação de imagens, porém não disponibilizam extratores de características específicos para domínios de imagens de exames médicos. Em [9] há uma proposta de extensão da linguagem SQL para a realização de consultas por similaridade com a criação de operadores de similaridade. Outros exemplos de sistemas desenvolvidos para a recuperação de imagens por conteúdo podem ser encontrados em [10]. Existem basicamente dois tipos de consultas por similaridade: as consultas por abrangência, cujo foco de interesse está centrado nas imagens de um conjunto que sejam dissimilares de uma imagem de referência até no máximo um certo limiar; e as consultas aos k- vizinhos mais próximos, cujo interesse está relacionado à recuperação das k imagens mais similares à imagem de consulta [11]. A Figura 2 ilustra as consultas por abrangência e por vizinhos mais próximos. Na Figura 2(a) é apresentada a representação de vetores de características em um espaço bidimensional situados até a distância ξ do vetor de consulta s q, por meio da função de distância L 2 ou Euclidiana. A Figura 2(b) representa os 5 vetores mais próximos do vetor de referência, incluindo o próprio vetor de referência s q. q ξ L 2 Figura 2. Representação das consultas por similaridade. (a) Consulta por abrangência. (b) Consulta aos k-vizinhos mais próximos. 4 3 q 2 1 O tipo STILLIMAGE Para permitir a realização de consultas por similaridade de imagens foi necessária a definição e implementação de um novo tipo de dados, denominado STILLIMAGE, e das funções para manipulação desse tipo de dados no PostgreSQL. Esse novo tipo de dados permite o armazenamento, a extração de características e a indexação de imagens com base em diversas formas de comparação de diferentes características, de acordo com a necessidade do usuário. A criação de uma tabela e a manipulação inserção, alteração e remoção de linhas da tabela segue a forma usual do SQL. O exemplo a seguir apresenta a criação da tabela Exames que contém os atributos CodigoPaciente, CodigoExame e Imagem e a inserção de uma linha na tabela. CREATE TABLE Exames ( CodigoPaciente INTEGER, CodigoExame INTEGER, Imagem STILLIMAGE); INSERT INTO Exames (CodigoPaciente, CodigoExame, Imagem) VALUES (1234, 55, /img/arquivo5147.jpg ); Para permitir a execução de consultas por similaridade, é necessário especificar quais os métodos de extração de características serão empregados e suas respectivas funções de distância. Podemos definir um conjunto de vetores de características e funções de distância como uma métrica de comparação de imagens. Para definir uma métrica, foi criada a função stillimage definemetric, que recebe dois parâmetros: o nome da métrica e uma lista de métodos de comparação. Cada método de comparação é composto por um método de extração de características, um tipo básico de uma função de distância e o peso do vetor resultante da extração na distância total. Essa definição permite que a mesma métrica possa combinar mais de uma característica, bem como que possa haver mais de uma métrica associada a um mesmo atributo do tipo STILLIMAGE, permitindo melhorar a qualidade dos resultados para cada domínio de imagens médicas. Os extratores de características são implementados internamente no tipo STILLIMAGE. A seguir temos um exemplo de criação da métrica chamada Metrica1 composta por: um vetor de características resultante do extrator grayhisto (histograma normalizado de níveis de cinza), a função de distância lp1 (Manhattan) e peso 5; e um vetor de características resultante do extrator texture (histograma de textura baseado em matriz de co-ocorrência), a função de distância lp2 (Euclidiana) e peso 1,5. SELECT stillimage definemetric( Metrica1,

4 grayhisto.lp1 5, texture.lp2 1.5 ); A extração de características é um processo geralmente custoso, portanto deve ser executado somente quando estritamente necessário, ou seja, no processo de armazenagem das imagens. Além disso, estruturas de indexação específicas para consultas por similaridade devem ser empregadas para evitar a comparação (cálculo de distância) do vetor resultante de uma imagem de consulta com os vetores de características de todas as imagens armazenadas no banco de dados, o que inviabilizaria o processo. Para tanto, uma ou mais métricas podem ser associadas a um atributo do tipo STILLIMAGE de uma tabela, e assim, sempre que uma imagem é inserida ou substituída, as características informadas por essas métricas são extraídas e indexadas. A função stillimage index foi criada para associar uma métrica a um atributo STILLIMAGE e para criar uma instância da estrutura de indexação Slim-tree [6]. A mesma recebe como parâmetros o nome da tabela, o nome do atributo e o nome da métrica. A seguir tem-se um exemplo da criação de um índice, que faz a associação da métrica Metrica1 com o atributo Imagem da tabela Exames. SELECT stillimage index( Exames, Imagem, Metrica1 ); Após a definição de uma métrica e sua associação a um atributo STILLIMAGE, é possível realizar consultas por vizinhos mais próximos e consultas por abrangência. Para tanto foram criadas as funções stillimage knnquery e stillimage rangequery que realizam, respectivamente, consultas aos k-vizinhos mais próximos e consultas por abrangência. A função stillimage knnquery exige cinco parâmetros: o nome da tabela, o nome do atributo STILLIMAGE, o nome de uma métrica, a referência a uma imagem de consulta e o número de imagens similares desejadas. A função stillimage rangequery difere no último parâmetro apenas, que ao invés de um número inteiro, recebe um valor de ponto flutuante que representa o raio de cobertura desejado (ou seja, as imagens até uma distância máxima). O exemplo a seguir apresenta a execução de uma consulta aos dez vizinhos mais próximos da imagem exemplo ( /img/exemplo.jpg ) presentes no atributo Imagem da tabela Exames, com base na métrica Metrica1: SELECT stillimage knnquery( Exames, Imagem, Metrica1, stillimage in( /img/exemplo.jpg ), 10); ou ainda: SELECT * FROM stillimage knnquery( Exames, Imagem, Metrica1, stillimage in( /img/exemplo.jpg ), 10); A função stillimage knnquery é uma função que retorna uma tabela (esse recurso faz parte do SQL-2003 [12]), logo pode ser utilizada em uma subconsulta ou na cláusula FROM. A consulta a seguir apresenta o uso da função em uma subconsulta. SELECT * FROM Exames WHERE Imagem IN ( SELECT stillimage knnquery( Exames, Imagem, Metrica1, stillimage in( /img/exemplo.jpg ), 10) ); Para acelerar a execução da consulta acima, que envolve uma busca por similaridade como uma subconsulta (por meio do operador IN) e permite a recuperação dos outros atributos de cada linha da tabela (SELECT *), foram implementados operadores de comparação de ordem para permitir a indexação dos identificadores das imagens, tornando a recuperação mais eficiente. Assim, é possível indexar os identificadores internos das imagens armazenadas com o tipo STILLIMAGE utilizando a sintaxe padrão do comando CREATE INDEX conforme o exemplo a seguir. Nele, é criado um índice do tipo BTREE (uma descrição sobre esse tipo de índice pode ser encontrada em [13]), para o atributo Imagem da tabela Exames. O identificador stillimage indexclass corresponde à classe de operadores de ordem implementado para o tipo STILLIMAGE. CREATE INDEX Indice Exames Imagem ON Exames USING BTREE (Imagem stillimage indexclass); A implementação do STILLIMAGE permite a inclusão de novos extratores de características e funções de distância de forma dinâmica, sem precisar parar/reiniciar o servidor PostgreSQL e sem parar os aplicativos que manipulam os dados. Para tanto o administrador do SGBD (DBA Database Administrator) precisa incluir uma biblioteca (compilada como biblioteca dinâmica.dll ou.so) com os novos métodos no diretório apropriado do servidor PostgreSQL, e a respectiva declaração dos novos métodos em um aplicativo SQL. O tipo, as funções, os métodos de extração de características e as estruturas de indexação foram implementados em linguagem C/C++ e compilados com GNU/GCC em ambiente GNU/Linux, todos softwares livres. Experimentos Para a validação do novo tipo de dados STILLIMAGE e das funções desenvolvidas para a sua manipulação, foi criada uma aplicação Web utilizando a linguagem PHP e um servidor de páginas Apache. A plataforma de desenvolvimento Web tem sido muito utilizada por simplificar a distribuição e a manutenção das aplicações,

5 uma vez que as estações de trabalho clientes precisam ter disponível apenas o acesso a rede computacional e um navegador Web. A Figura 3 apresenta a janela do protótipo que permite a consulta por conteúdo a partir das imagens dos exames de um paciente. Nela, o usuário especialista pode consultar as imagens similares a qualquer imagem disponível de cada paciente, e a partir do resultado, pode acessar os laudos associados a essas imagens retornadas na consulta. Esse protótipo permite a navegação dos casos disponíveis, e tem potencial para tornar-se uma ferramenta de grande utilidade no ensino da radiologia em hospitais escola. grafia computadorizada de diversos cortes, incluindo crânio, tórax e abdômem, com resolução de 512 por 512 pixels, disponibilizadas para estudo por meio de convênio com o Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto. A métrica utilizada para comparação utiliza histograma normalizado de 256 níveis de cinza com precisão de ponto flutuante de 8 bytes (double), que apesar de não proporcionar uma comparação de qualidade, tem sua extração executada em tempo consideravelmente pequeno em relação a métodos de extração de características mais elaborados. Nesse experimento foram executadas consultas aos 10 vizinhos mais próximos de cada uma das imagens sorteadas aleatoriamente entre as imagens inseridas na base. O tempo médio de execução foi de 680 milésimos de segundo por consulta, e inclui todas as etapas da operação (inclusive a extração de características da imagem de referência e apresentação do resultado da consulta). Neste artigo foi usada a comparação por histogramas como exemplo de como suportar consultas por similaridade em um SGBD. No entanto, a solução apresentada permite que as equipes de desenvolvimento dos sistemas computacionais dos hospitais implementem critérios de comparação específicos para cada especialidade médica. Por exemplo, no caso de exames de mamografia, existem algoritmos de extração de características específicos para tratar regiões de interesse (Regions of Interest - ROI), e a inclusão desses algoritmos pode permitir o desenvolvimento de interfaces amigáveis para os usuários finais, médicos e especialistas de cada área. Conclusões Figura 3. Tela do protótipo de recuperação de imagens por conteúdo, onde a partir de uma imagem de referência, foram obtidas as 10 imagens mais similares com base no histograma de níveis de cinza das imagens. O sistema foi instalado em um microcomputador comum, equipado com processador AMD Sempron 2600, 512 MB de memória principal e disco rígido de 120 GB. Foram inseridas imagens de tomo- Este artigo apresenta a inclusão de um novo tipo de dados, denominado STILLIMAGE, que permite a manipulação de imagens e a sua recuperação baseada em conteúdo. A criação do tipo STILLIMAGE no PostgreSQL permite que as equipes de desenvolvimento dos sistemas hospitalares criem aplicativos com interfaces amigáveis de soluções baseadas em busca por similaridade do conteúdo de imagens para os profissionais de saúde. Muitos hospitais e centros de saúde possuem grandes coleções de imagens em formato digital, e a organização e indexação desse material é fundamental para propiciar a busca e recuperação de informação em tempo real e de forma significativa. Dentro desse contexto, o uso de SGBD com suporte à recuperação de imagens baseada em conteúdo é uma alternativa e um complemento importante para os sistemas convencionais de busca baseada em palavras-chave. Entre os trabalhos futuros estão a inclusão e testes de extratores de características específicos para ima-

6 gens de exames como tomografia computadorizada e mamografia, e a continuação dos testes no Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto. Agradecimentos Este trabalho tem o apoio financeiro da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). Referências [1] Free Software Foundation. O que é o Software Livre?; Disponível na url: Em 07/07/2006. [2] Governo Federal. Diretrizes da Implementação do Software Livre no Governo Federal; Disponível na url: Em 07/07/2006. [3] Fuhui Long, Hongjiang Zhang, David Dagan Feng. Fundamentals of content-based image retrieval. In: Multimedia Information Retrieval and Management - Technological Fundamentals and Applications. Springer; [4] Venkat N Gudivada, Vijay V Raghavan. Contentbased image retrieval systems. IEEE Computer 1995;28(9): [5] Paolo Ciaccia, Marco Patella, Pavel Zezula. M- tree: An efficient access method for similarity search in metric spaces. In: International Conference on Very Large Data Bases (VLDB). Athens, Greece: M. Kaufmann; p [6] Caetano Traina Jr, Agma J M Traina, Christous Faloutsos, Bernard Seeger. Fast Indexing and Visualization of Metric Datasets Using Slim-trees. IEEE Transactions on Knowledge and Data Engineering (TKDE) 2002;14(2): [7] Oracle Corporation. Oracle intermedia User s Guide. Oracle Database 10g Release 2 Documentation Library, 254 p; Disponível na url: Em 07/06/2006. [8] IBM Corporation. Image, Audio, and Video Extenders Administration and Programming Guide. DB2 Universal Database Version 8, 550 p; Disponível na url: Em 07/07/2006. [9] Maria Camila N Barioni, Humberto Razente, Agma J M Traina, Caetano Traina Jr. SIREN: A Similarity Retrieval Engine For Complex Data. In: International Conference on Very Large Data Bases (VLDB), 4 p. A ser publicado; [10] Y Alp Aslandogan, Clement T Yu. Techniques and systems for image and video retrieval. IEEE Transactions on Knowledge and Data Engineering 1999;11(1): [11] C Böhm, S Berchtold, D A Keim. Searching in high-dimensional spaces - index structures for improving the performance of multimedia databases. ACM Computing Surveys 2001;33(3): [12] Andrew Eisenberg, Jim Melton, Krishna Kulkarni, Jan-Eike Michels, Fred Zemke. SQL:2003 Has Been Published. SIGMOD Record 2004;33(1): [13] Garcia-Molina Hector, Ullman JeffreyD, Widom Jennifer. Database systems: The complete book. Upper Saddle River, New Jersey: Prentice Hall; Contato Humberto Luiz Razente: Maria Camila Nardini Barioni: br/~mcamila. Agma Juci Machado Traina: Caetano Traina Jr: Endereço: Avenida do Trabalhador São Carlense, 400, Centro, Caixa Postal 668, CEP , São Carlos - SP, Brasil. Grupo de Bases de Dados e Imagens. Web:

Extensão do SGBD PostgreSQL para suportar recuperação de imagens por conteúdo

Extensão do SGBD PostgreSQL para suportar recuperação de imagens por conteúdo Extensão do SGBD PostgreSQL para suportar recuperação de imagens por conteúdo Ernani Viriato de Melo V Jornada Científica 24/10/2006 Tópicos Abordados Motivação Imagens e Características PostgreSQL-IE:

Leia mais

Sistema de Recuperação de Imagens Similares em um Hospital Universitário

Sistema de Recuperação de Imagens Similares em um Hospital Universitário Sistema de Recuperação de Imagens Similares em um Hospital Universitário Natália Abdala Rosa 1,6, Roberto Figueira Santos Filho 2, Josiane M. Bueno 3, Agma J. M. Traina 4, Caetano Traina Junior 5 1,2,3,4,5

Leia mais

SUMÁRIO. Introdução... 3

SUMÁRIO. Introdução... 3 SUMÁRIO Introdução..................................... 3 1 Consultas por Similaridade e Espaços métricos............. 5 1.1 Consultas por abrangência e consultas aos k-vizinhos mais próximos... 5 1.2

Leia mais

Proposta de um Padrão de Metadados Para Imagens Médicas

Proposta de um Padrão de Metadados Para Imagens Médicas Proposta de um Padrão de Metadados Para Imagens Médicas Fabio Massao Hasegawa 1,2, João Paulo Aires 1,3 1 UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Campus Ponta Grossa Av. Monteiro Lobato, Km

Leia mais

Análise de Desempenho de um SGBD para Aglomerado de Computadores

Análise de Desempenho de um SGBD para Aglomerado de Computadores Análise de Desempenho de um SGBD para Aglomerado de Computadores Diego Luís Kreutz, Gabriela Jacques da Silva, Hélio Antônio Miranda da Silva, João Carlos Damasceno Lima Curso de Ciência da Computação

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM MÉTODO PARA REFINAMENTO DE RESPOSTAS BASEADO EM RELEVANCE FEEDBACK PARA REFINAR CONSULTAS POR SIMILARIDADE

DESENVOLVIMENTO DE UM MÉTODO PARA REFINAMENTO DE RESPOSTAS BASEADO EM RELEVANCE FEEDBACK PARA REFINAR CONSULTAS POR SIMILARIDADE CONVÊNIOS CNPq/UFU & FAPEMIG/UFU Universidade Federal de Uberlândia Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação DIRETORIA DE PESQUISA COMISSÃO INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2008 UFU 30 anos DESENVOLVIMENTO

Leia mais

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO GBD Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO Sistema de arquivos X Sistemas de Banco de Dados Sistema de arquivos Sistema de Banco de Dados Aplicativos Dados (arquivos) Aplicativos SGBD Dados (arquivos) O acesso/gerenciamento

Leia mais

Disciplina: Tecnologias de Banco de Dados para SI s

Disciplina: Tecnologias de Banco de Dados para SI s Curso de Gestão em SI Disciplina: Tecnologias de Banco de Dados para SI s Rodrigo da Silva Gomes (Extraído do material do prof. Ronaldo Melo - UFSC) Banco de Dados (BD) BD fazem parte do nosso dia-a-dia!

Leia mais

Projeto FlexiGrid IWA. Sistema de Armazenamento e Comunicação de Imagens

Projeto FlexiGrid IWA. Sistema de Armazenamento e Comunicação de Imagens Projeto FlexiGrid IWA Sistema de Armazenamento e Comunicação de Imagens Aristófanes C. Silva Danilo Launde Lúcio Dias Roteiro PACS Definição Infra-Estrutura Camadas Problemas Soluções DICOM IWA Histórico

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 6.1 ARQUIVOS E REGISTROS De um modo geral os dados estão organizados em arquivos. Define-se arquivo como um conjunto de informações referentes aos elementos

Leia mais

O Software Face Match

O Software Face Match Apêndice A O Software Face Match A.1 - Desenvolvimento do software para a extração de características de imagens de faces humanas: Face Match. Para dar suporte à proposta do trabalho de mestrado iniciou-se

Leia mais

ARQUITETURA DE UM SISTEMA SPATIO-TEXTUAL. PALAVRAS-CHAVE: banco de dados espaciais, busca spatio-textual. aplicativo.

ARQUITETURA DE UM SISTEMA SPATIO-TEXTUAL. PALAVRAS-CHAVE: banco de dados espaciais, busca spatio-textual. aplicativo. ARQUITETURA DE UM SISTEMA SPATIO-TEXTUAL Fellipe de Lima Fonseca 1 ; João Batista Rocha-Junior 2 1. Bolsista CNPq, Graduando em Engenharia de Computação, Universidade Estadual de Feira de Santana, e-mail:

Leia mais

Opala: uma biblioteca de indexação e busca de textos e imagens por conteúdo

Opala: uma biblioteca de indexação e busca de textos e imagens por conteúdo Opala: uma biblioteca de indexação e busca de textos e imagens por conteúdo Lidijanne de Miranda Santos (1); Aécio Solano Rodrigues Santos (2); Ricardo Martins Ramos (3); Valéria Oliveira Costa (4) Instituto

Leia mais

Roteiro 2 Conceitos Gerais

Roteiro 2 Conceitos Gerais Roteiro 2 Conceitos Gerais Objetivos: UC Projeto de Banco de Dados Explorar conceitos gerais de bancos de dados; o Arquitetura de bancos de dados: esquemas, categorias de modelos de dados, linguagens e

Leia mais

INTRODUÇÃO BANCO DE DADOS. Prof. Msc. Hélio Esperidião

INTRODUÇÃO BANCO DE DADOS. Prof. Msc. Hélio Esperidião INTRODUÇÃO BANCO DE DADOS Prof. Msc. Hélio Esperidião BANCO DE DADOS Podemos entender por banco de dados qualquer sistema que reúna e mantenha organizada uma série de informações relacionadas a um determinado

Leia mais

Banco de Dados. Professor: Rômulo César. romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br

Banco de Dados. Professor: Rômulo César. romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Banco de Dados Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Sistema de arquivos X Sistemas de Banco de Dados Sistema de arquivos Sistema de Banco de Dados Aplicativos Dados (arquivos)

Leia mais

Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line

Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line Gabriel Ramos Guerreiro - DEs, UFSCar 1 2 Anderson Luiz Ara-Souza - DEs, UFSCar 1 3 Francisco Louzada-Neto - DEs, UFSCar 1 4 1. INTRODUÇÃO Segundo Cavalcanti

Leia mais

NATAN DE ALMEIDA LAVERDE INTEGRAÇÃO DA DIMENSÃO TEMPO EM CONSULTAS POR SIMILARIDADE SOBRE DADOS MÉTRICOS

NATAN DE ALMEIDA LAVERDE INTEGRAÇÃO DA DIMENSÃO TEMPO EM CONSULTAS POR SIMILARIDADE SOBRE DADOS MÉTRICOS NATAN DE ALMEIDA LAVERDE INTEGRAÇÃO DA DIMENSÃO TEMPO EM CONSULTAS POR SIMILARIDADE SOBRE DADOS MÉTRICOS LONDRINA PR 2014 NATAN DE ALMEIDA LAVERDE INTEGRAÇÃO DA DIMENSÃO TEMPO EM CONSULTAS POR SIMILARIDADE

Leia mais

Um Simulador para Avaliação da Antecipação de Tarefas em Sistemas Gerenciadores de Workflow

Um Simulador para Avaliação da Antecipação de Tarefas em Sistemas Gerenciadores de Workflow Um Simulador para Avaliação da Antecipação de Tarefas em Sistemas Gerenciadores de Workflow Resumo. A fim de flexibilizar o fluxo de controle e o fluxo de dados em Sistemas Gerenciadores de Workflow (SGWf),

Leia mais

Introdução. Motivação. Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) Banco de Dados (BD) Sistema de Banco de Dados (SBD)

Introdução. Motivação. Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) Banco de Dados (BD) Sistema de Banco de Dados (SBD) Pós-graduação em Ciência da Computação CCM-202 Sistemas de Banco de Dados Introdução Profa. Maria Camila Nardini Barioni camila.barioni@ufabc.edu.br Bloco B - sala 937 2 quadrimestre de 2011 Motivação

Leia mais

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase.

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase. Prof. Omero, pág. 63 O que é o InterBase? O InterBase é um SGBDR - Sistema Gerenciador de Banco de Dados Cliente/Servidor Relacional 1 que está baseado no padrão SQL ANSI-9, de alta performance, independente

Leia mais

Indexação e Recuperação de Imagens por Conteúdo. Cleigiane Lemos Josivan Reis Wendeson Oliveira

Indexação e Recuperação de Imagens por Conteúdo. Cleigiane Lemos Josivan Reis Wendeson Oliveira Indexação e Recuperação de Imagens por Conteúdo Cleigiane Lemos Josivan Reis Wendeson Oliveira 1 Content-based Image Retrieval (CBIR) 2 Roteiro Introdução Arquitetura Extração de Características Indexação

Leia mais

INF70 Gerenciamento de Banco de Dados 2 Plano de Curso e Introdução

INF70 Gerenciamento de Banco de Dados 2 Plano de Curso e Introdução INF70 Gerenciamento de Banco de Dados 2 Plano de Curso e Introdução Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/gbd2 UFU/FACOM/BCC Plano de Curso Ementa Arquitetura de um Sistema

Leia mais

Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações

Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações Fundamentos dos Sistemas de Informação Organização de Dados e Informações http://professor.fimes.edu.br/milena milenaresende@fimes.edu.br Sistema de Gerenciamento de Bases de Dados (DBMS) A implementação

Leia mais

Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados.

Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados. Histórico Etapas da evolução rumo a tomada de decisão: Aplicações Isoladas: dados duplicados, dados inconsistentes, processos duplicados. Sistemas Integrados: racionalização de processos, manutenção dos

Leia mais

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados:

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados: MC536 Introdução Sumário Conceitos preliminares Funcionalidades Características principais Usuários Vantagens do uso de BDs Tendências mais recentes em SGBDs Algumas desvantagens Modelos de dados Classificação

Leia mais

Uma Proposta de Recuperação de Imagens Mamográficas Baseada em Conteúdo

Uma Proposta de Recuperação de Imagens Mamográficas Baseada em Conteúdo Uma Proposta de Recuperação de Imagens Mamográficas Baseada em Conteúdo H. E. R. Gato 1,3, F. L. S. Nunes 2 e H. Schiabel 1 1 USP- Depto. de Engenharia Elétrica, São Carlos, Brasil 2 Centro Universitário

Leia mais

Implantação de PACS com Suporte à Recuperação de Imagens Baseada em Conteúdo em Hospital Universitário

Implantação de PACS com Suporte à Recuperação de Imagens Baseada em Conteúdo em Hospital Universitário Implantação de PACS com Suporte à Recuperação de Imagens Baseada em Conteúdo em Hospital Universitário Edilson Carlos Caritá 1, Enzo Seraphim 2, Marcelo Ossamu Honda 1, Paulo Mazzoncini de Azevedo Marques

Leia mais

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Banco de Dados de Músicas Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Definição Aplicação Web que oferece ao usuário um serviço de busca de músicas e informações relacionadas, como compositor, interprete,

Leia mais

Sistema de Informação Integrado

Sistema de Informação Integrado Sistema de Informação Integrado Relatório de Atividades Centro de Referência em Informação Ambiental, CRIA Novembro, 2005 Trabalho Realizado As atividades básicas previstas para o primeiro trimestre do

Leia mais

Sistema de Informação para Coleções de Interesse Biotecnológico

Sistema de Informação para Coleções de Interesse Biotecnológico Sistema de Informação para Coleções de Interesse Biotecnológico Sidnei de Souza Centro de Referência em Informação Ambiental, CRIA 24º Congresso Brasileiro de Microbiologia Brasília, 04 de outubro de 2007

Leia mais

O Termo SIG é aplicado para sistemas que realizam o tratamento computacional de dados geográficos

O Termo SIG é aplicado para sistemas que realizam o tratamento computacional de dados geográficos Prof. Herondino O Termo SIG é aplicado para sistemas que realizam o tratamento computacional de dados geográficos Inserir e integrar, numa única base de dados informações espaciais provenientes de: meio

Leia mais

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais.

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Tales Henrique José MOREIRA 1 ; Gabriel da SILVA 2 ; 1 Estudante de Tecnologia em Sistemas para

Leia mais

A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL

A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL Manoel Theodoro Fagundes Cunha Sergio Scheer Universidade Federal do Paraná, Setor de Tecnologia, Centro de Estudos de Engenharia

Leia mais

AUDITORIA EM BANCO DE DADOS COM UTILIZAÇÃO DE REGRAS

AUDITORIA EM BANCO DE DADOS COM UTILIZAÇÃO DE REGRAS REVISTA DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA AUDITORIA EM BANCO DE DADOS COM UTILIZAÇÃO DE REGRAS Eder Pazinatto Faculdade Anhanguera de Passo Fundo RESUMO: A busca por mecanismos que implementam segurança

Leia mais

PORTARIA N Nº 184 Rio de Janeiro, 27 de dezembro de 2012.

PORTARIA N Nº 184 Rio de Janeiro, 27 de dezembro de 2012. PORTARIA N Nº 184 Rio de Janeiro, 27 de dezembro de. ACRESCENTA A ARQUITETURA DE PADRÕES TECNOLÓGICOS DE INTEROPERABILIDADE -, NO SEGMENTO RECURSOS TECNOLÓGICOS, O PADRÃO TECNOLÓGICO SISTEMAS DE GERENCIAMENTO

Leia mais

Aplicação Prática de Lua para Web

Aplicação Prática de Lua para Web Aplicação Prática de Lua para Web Aluno: Diego Malone Orientador: Sérgio Lifschitz Introdução A linguagem Lua vem sendo desenvolvida desde 1993 por pesquisadores do Departamento de Informática da PUC-Rio

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Ementa Introdução a Banco de Dados (Conceito, propriedades), Arquivos de dados x Bancos de dados, Profissionais de Banco de dados,

Leia mais

José Benedito Lopes Junior ¹, Marcello Erick Bonfim 2

José Benedito Lopes Junior ¹, Marcello Erick Bonfim 2 ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 Definição de uma tecnologia de implementação e do repositório de dados para a criação da ferramenta

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Sistema Gerenciador de Banco de Dados: Introdução e configuração de bases de dados com Postgre e MySQL Prof. MSc. Hugo Souza Iniciando nossas aulas sobre

Leia mais

Implantação de PACS com Suporte à Recuperação de Imagens Baseada em Conteúdo em Hospital Universitário

Implantação de PACS com Suporte à Recuperação de Imagens Baseada em Conteúdo em Hospital Universitário X CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA EM SAÚDE Implantação de PACS com Suporte à Recuperação de Imagens Baseada em Conteúdo em Hospital Universitário Autores: Edilson Carlos Caritá Enzo Seraphim Marcelo

Leia mais

Windows 2008 Server. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy. www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail.

Windows 2008 Server. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy. www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail.com Windows 2008 Server Construído sob o mesmo código do Vista Server Core (Instalação somente

Leia mais

Tópicos Avançados em Banco de Dados Visão Geral de Tópicos Avançados em Banco de Dados I. Prof. Hugo Souza

Tópicos Avançados em Banco de Dados Visão Geral de Tópicos Avançados em Banco de Dados I. Prof. Hugo Souza Tópicos Avançados em Banco de Dados Visão Geral de Tópicos Avançados em Banco de Dados I Prof. Hugo Souza Iniciaremos nossos estudos sobre os tópicos avançados sobre banco de dados recapitulando o histórico

Leia mais

29/08/2011. Radiologia Digital. Princípios Físicos da Imagem Digital 1. Mapeamento não-linear. Unidade de Aprendizagem Radiológica

29/08/2011. Radiologia Digital. Princípios Físicos da Imagem Digital 1. Mapeamento não-linear. Unidade de Aprendizagem Radiológica Mapeamento não-linear Radiologia Digital Unidade de Aprendizagem Radiológica Princípios Físicos da Imagem Digital 1 Professor Paulo Christakis 1 2 Sistema CAD Diagnóstico auxiliado por computador ( computer-aided

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores LAMP Gustavo Reis gustavo.reis@ifsudestemg.edu.br Acrônico para a combinação de Linux, Apache, MySQL e PHP ou Perl ou Python; Recentemente a letra P começou a fazer referência a Perl

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 INTRODUÇÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 Leonardo Pereira leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti http://www.estudandoti.com.br Informações que precisam ser manipuladas com mais segurança

Leia mais

BIRAM: Sistema para Recuperação de Imagens por Conteúdo

BIRAM: Sistema para Recuperação de Imagens por Conteúdo BIRAM: Sistema para Recuperação de Imagens por Conteúdo Ramón n A. Moreno e Sérgio S S. Furuie Instituto do Coração (InCor) de São Paulo - HCFMUSP Introdução Sistemas de Recuperação de Imagens Baseado

Leia mais

Aplicações. Sistema Operacional Hardware. Os sistemas de computadores são projetados com basicamente 3 componentes: Máquinas Virtuais e Emuladores

Aplicações. Sistema Operacional Hardware. Os sistemas de computadores são projetados com basicamente 3 componentes: Máquinas Virtuais e Emuladores Máquinas Virtuais e Emuladores Marcos Aurelio Pchek Laureano Sistemas de Computadores Os sistemas de computadores são projetados com basicamente 3 componentes: hardware sistema operacional aplicações Sistemas

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados Banco de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix

Leia mais

Uso de parâmetro de percepção para melhoria de qualidade de resultados de buscas por conteúdo de imagens

Uso de parâmetro de percepção para melhoria de qualidade de resultados de buscas por conteúdo de imagens Uso de parâmetro de percepção para melhoria de qualidade de resultados de buscas por conteúdo de imagens Carolina Massae Kita 1, Daniel dos Santos Kaster 1 1 Departamento de Computação Universidade Estadual

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS POSTGRESQL O PostgreSQL é um sistema gerenciador de banco de dados dos mais robustos e avançados do mundo. Seu código é aberto e é totalmente gratuito,

Leia mais

Banco de Dados. Um momento crucial na organização dos dados é a forma com que cadastramos estes dados, a estrutura de armazenamento que criamos.

Banco de Dados. Um momento crucial na organização dos dados é a forma com que cadastramos estes dados, a estrutura de armazenamento que criamos. Banco de Dados O que é um Banco de Dados? Este assunto é muito vasto, tentaremos resumi-lo para atender as questões encontradas em concursos públicos. Já conhecemos o conceito de dado, ou seja, uma informação

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Dr. Rogério Galante Negri

Banco de Dados. Prof. Dr. Rogério Galante Negri Banco de Dados Prof Dr Rogério Galante Negri Tradicionalmente O armazenamento dos dados utilizava arquivos individuais, sem nenhum relacionamento Cada programa utilizava seu próprio sistema de arquivo

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR ORGANIZAÇÃO CURRICULAR O curso Técnico em Informática, em Nível Médio Subseqüente, será organizado de forma semestral, com aulas presenciais, compostos por disciplinas, com conteúdos estabelecidos, tendo

Leia mais

Uma comparação de algoritmos e estruturas de dados para armazenamento de dados em sistemas operacionais Palm OS *

Uma comparação de algoritmos e estruturas de dados para armazenamento de dados em sistemas operacionais Palm OS * Uma comparação de algoritmos e estruturas de dados para armazenamento de dados em sistemas operacionais Palm OS * Rogério Celestino dos Santos 1, Rodrigo Otavio Rodrigues Antunes 1* ¹Instituto de Informática

Leia mais

Desenvolvimento de um Simulador de Gerenciamento de Memória

Desenvolvimento de um Simulador de Gerenciamento de Memória Desenvolvimento de um Simulador de Gerenciamento de Memória Ricardo Mendes do Nascimento. Ciência da Computação Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI) Santo Ângelo RS Brasil

Leia mais

Banco de Dados I 2007. Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados. (Aula 1) Clodis Boscarioli

Banco de Dados I 2007. Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados. (Aula 1) Clodis Boscarioli Banco de Dados I 2007 Módulo I: Introdução a Sistemas de Banco de Dados (Aula 1) Clodis Boscarioli Agenda: Apresentação do Plano de Ensino; Aspectos Históricos; Estrutura Geral de um SGBD; Profissionais

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Definição

Introdução à Banco de Dados. Definição Universidade Federal da Bahia Departamento de Ciência da Computação (DCC) Disciplina: Banco de Dados Profª. Daniela Barreiro Claro Introdução à Banco de Dados Definição Um banco de dados é uma coleção

Leia mais

Descoberta de Domínio Conceitual de Páginas Web

Descoberta de Domínio Conceitual de Páginas Web paper:25 Descoberta de Domínio Conceitual de Páginas Web Aluno: Gleidson Antônio Cardoso da Silva gleidson.silva@posgrad.ufsc.br Orientadora: Carina Friedrich Dorneles dorneles@inf.ufsc.br Nível: Mestrado

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB PARA VISUALIZAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DOS DADOS CLIMATOLÓGICOS DO CPTEC/INPE

DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB PARA VISUALIZAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DOS DADOS CLIMATOLÓGICOS DO CPTEC/INPE DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB PARA VISUALIZAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DOS DADOS CLIMATOLÓGICOS DO CPTEC/INPE Luciana Maria de Castro Mira¹, Bianca Antunes de S. R. Alves 2, Ana Paula Tavares 3, Luíz Henrique

Leia mais

Banco de Dados I. Introdução. Fabricio Breve

Banco de Dados I. Introdução. Fabricio Breve Banco de Dados I Introdução Fabricio Breve Introdução SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de Dados): coleção de dados interrelacionados e um conjunto de programas para acessar esses dados Coleção de dados

Leia mais

Arquitetura de SGBD Relacionais Recordação e Motivação para Bases de Dados II

Arquitetura de SGBD Relacionais Recordação e Motivação para Bases de Dados II Arquitetura de SGBD Relacionais Recordação e Motivação para Bases de Dados II Caetano Traina Jr. Grupo de Bases de Dados e Imagens Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Universidade de São

Leia mais

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS

PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS PROPOSTA DE SOFTWARE DE INSTALAÇÃO PARA UM AMBIENTE INTEGRADO DE GERÊNCIA DE PROJETOS E DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS Élysson Mendes Rezende Bacharelando em Sistemas de Informação Bolsista de Iniciação Científica

Leia mais

AGILE ROLAP - UMA METODOLOGIA ÁGIL PARA IMPLEMENTAÇÃO DE AMBIENTES DE NEGÓCIOS BASEADO EM SERVIDORES OLAP.

AGILE ROLAP - UMA METODOLOGIA ÁGIL PARA IMPLEMENTAÇÃO DE AMBIENTES DE NEGÓCIOS BASEADO EM SERVIDORES OLAP. AGILE ROLAP - UMA METODOLOGIA ÁGIL PARA IMPLEMENTAÇÃO DE AMBIENTES DE NEGÓCIOS BASEADO EM SERVIDORES OLAP. Luan de Souza Melo (Fundação Araucária), André Luís Andrade Menolli (Orientador), Ricardo G. Coelho

Leia mais

QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013

QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013 QUESTINAMENTOS AO EDITAL DE CONCORRÊNCIA 01/2013 Prezados Senhores da comissão de licitação da UENF, seguem alguns questionamentos acerca do edital de concorrência 01/2013 para esclarecimentos: 1. ANEXO

Leia mais

BANCO DE DADOS. Introdução a Banco de Dados. Conceitos BásicosB. Engenharia da Computação UNIVASF. Aula 1. Breve Histórico

BANCO DE DADOS. Introdução a Banco de Dados. Conceitos BásicosB. Engenharia da Computação UNIVASF. Aula 1. Breve Histórico Banco de Dados // 1 Banco de Dados // 2 Conceitos BásicosB Engenharia da Computação UNIVASF BANCO DE DADOS Aula 1 Introdução a Banco de Dados Campo representação informatizada de um dado real / menor unidade

Leia mais

UFES Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias Departamento de Engenharia Rural Disciplina de Banco de Dados.

UFES Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias Departamento de Engenharia Rural Disciplina de Banco de Dados. Ativando o MySQL Tutorial MySQL Passo1: Verificar onde (path, caminho) o MySQL está instalado. Figura 1. Diretório de instalação do MySQL Nome do Arquivo MySqld Mysqld-debug Mysqld-nt Mysqld-max Mysqld-max-nt

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

SQL. Curso Prático. Celso Henrique Poderoso de Oliveira. Novatec

SQL. Curso Prático. Celso Henrique Poderoso de Oliveira. Novatec SQL Curso Prático Celso Henrique Poderoso de Oliveira Novatec 1 Introdução Desde o início da utilização dos computadores, sabemos que um sistema é feito para aceitar entrada de dados, realizar processamentos

Leia mais

TerraView. O TerraView está estruturado da seguinte forma: - Modelo de dados

TerraView. O TerraView está estruturado da seguinte forma: - Modelo de dados TerraView O TerraView é um aplicativo desenvolvido pelo DPI/INPE e construído sobre a biblioteca de geoprocessamento TerraLib, tendo como principais objetivos: - Apresentar à comunidade um fácil visualizador

Leia mais

BANCO DE DADOS II. AULA MySQL.

BANCO DE DADOS II. AULA MySQL. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II BANCO DE DADOS II AULA MySQL. DISCIPLINA: Banco de Dados II PROF.: ROMULO VANZIN Data: 27/06/2014 Banco

Leia mais

Roteiro. Arquitetura. Tipos de Arquitetura. Questionário. Centralizado Descentralizado Hibrido

Roteiro. Arquitetura. Tipos de Arquitetura. Questionário. Centralizado Descentralizado Hibrido Arquitetura Roteiro Arquitetura Tipos de Arquitetura Centralizado Descentralizado Hibrido Questionário 2 Arquitetura Figura 1: Planta baixa de uma casa 3 Arquitetura Engenharia de Software A arquitetura

Leia mais

Desenvolvimento de Software Livre para a área

Desenvolvimento de Software Livre para a área Desenvolvimento de Software Livre para a área de Saúde Daniel Weingaertner Departamento de Informática UFPR Centro de Computação Científica e Software Livre C3SL Programa de Extensão Conhecendo Padrões

Leia mais

Segmentação de imagens tridimensionais utilizando o sensor Microsoft Kinect

Segmentação de imagens tridimensionais utilizando o sensor Microsoft Kinect Segmentação de imagens tridimensionais utilizando o sensor Microsoft Kinect Lucas Viana Barbosa 1 ; Wanderson Rigo 2 ; Manassés Ribeiro 3 INTRODUÇÃO Os sistemas de visão artificial vêm auxiliando o ser

Leia mais

Tuning em queries em Banco de Dados

Tuning em queries em Banco de Dados Tuning em queries em Banco de Dados Alison K. L. Leite 1, Izabella C. A. M. S. Bosco 1, Juliana M. Massoni 1, Patrícia B. Ribeiro 1 1 Curso de Tecnologia em Banco de Dados - Faculdade de Tecnologia de

Leia mais

Diferenças entre Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados para GIS - SGBDs

Diferenças entre Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados para GIS - SGBDs Diferenças entre Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados para GIS - SGBDs O objetivo deste documento é fazer uma revisão bibliográfica para elucidar as principais diferenças entre os SGBDs, apontando

Leia mais

Título Utilização de Software Livre Terralib para o Cadastro de Redes de Água e Esgoto. Tema: Sistema de Informações Geográficas - SIG

Título Utilização de Software Livre Terralib para o Cadastro de Redes de Água e Esgoto. Tema: Sistema de Informações Geográficas - SIG Título Utilização de Software Livre Terralib para o Cadastro de Redes de Água e Esgoto Tema: Sistema de Informações Geográficas - SIG Autor/apresentador Eng. José Maria Viillac Pinheiro Currículo Sócio

Leia mais

Banco de Dados, Integração e Qualidade de Dados. Ceça Moraes cecafac@gmail.com

Banco de Dados, Integração e Qualidade de Dados. Ceça Moraes cecafac@gmail.com Banco de Dados, Integração e Qualidade de Dados Ceça Moraes cecafac@gmail.com Sobre a professora CeçaMoraes Doutora em Computação (UFPE) Áreas de atuação Desenvolvimento de Software e Banco de Dados Experiência

Leia mais

Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados

Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados Fernando Castor A partir de slides elaborados por Fernando Fonseca & Robson Fidalgo 1 Sistemas de Arquivos Sistemas de arquivos Principal característica é a replicação

Leia mais

Introdução ao SQL. O que é SQL?

Introdução ao SQL. O que é SQL? Introdução ao SQL 1 O que é SQL? Inicialmente chamada de Sequel, SQL (Structured Query Language), é a linguagem padrão utilizada para comunicar-se com um banco de dados relacional. A versão original foi

Leia mais

SIGECO07 Sistema Integrado de Gestão de Contas Universidade Federal de Lavras PLANO DE PROJETO 23/09/2007 SIGECO07/GERENCIA/PROJETOS/

SIGECO07 Sistema Integrado de Gestão de Contas Universidade Federal de Lavras PLANO DE PROJETO 23/09/2007 SIGECO07/GERENCIA/PROJETOS/ SIGECO07 Sistema Integrado de Gestão de Contas Universidade Federal de Lavras PLANO DE PROJETO 23/09/2007 SIGECO07/GERENCIA/PROJETOS/ ModeloPlanoProjeto_2007_04_24 SIGECO07_PlanoProjeto_2007_09_23 Página

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 01. Prof. André Lucio

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 01. Prof. André Lucio FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 01 Prof. André Lucio Competências do modulo Introdução ao sistema operacional Windows Instalação e configuração do sistema

Leia mais

Recuperação de imagens médicas em bases de dados distribuídas

Recuperação de imagens médicas em bases de dados distribuídas Recuperação de imagens médicas em bases de dados distribuídas Vágner Nepumuceno Guimarães Orient.: Paulo Eduardo Ambrósio Introdução O avanço tecnológico vem influenciando cada vez mais na área médica.

Leia mais

Principal: construir uma base de dados para produção de informações sobre internações hospitalares;

Principal: construir uma base de dados para produção de informações sobre internações hospitalares; Principal: construir uma base de dados para produção de informações sobre internações hospitalares; Específicos: - criar um banco de dados para armazenar registros sobre internações hospitalares; - produzir

Leia mais

MONITORAMENTO REMOTO DO CONSUMO DE ÁGUA UTILIZANDO SOFTWARE DE INTERFACE HOMEM-MÁQUINA - HIDROAER

MONITORAMENTO REMOTO DO CONSUMO DE ÁGUA UTILIZANDO SOFTWARE DE INTERFACE HOMEM-MÁQUINA - HIDROAER MONITORAMENTO REMOTO DO CONSUMO DE ÁGUA UTILIZANDO SOFTWARE DE INTERFACE HOMEM-MÁQUINA - HIDROAER Alex Lage de Morais 1 ; Wilson Cabral de Sousa Jr. 2 ;Elaine Nolasco Ribeiro 3 RESUMO - Uma parte do projeto

Leia mais

Sistemas de Informação Geográfica Prof. Tiago Eugenio de Melo, MSc.

Sistemas de Informação Geográfica Prof. Tiago Eugenio de Melo, MSc. Sistemas de Informação Geográfica Prof. Tiago Eugenio de Melo, MSc. SUMÁRIO Apresentação da ementa Introdução Conceitos Básicos de Geoinformação Arquitetura de SIGs Referências Bibliográficas APRESENTAÇÃO

Leia mais

Relatório Técnico: B-23686/1. Flora brasiliensis On-Line

Relatório Técnico: B-23686/1. Flora brasiliensis On-Line Relatório Técnico: B-23686/1 Flora brasiliensis On-Line Introdução O projeto tem por objetivo desenvolver um sistema integrado de informação na Internet sobre a Flora brasiliesis, de C.P.F. Von Martius.

Leia mais

Sistema de Controle de Acesso Baseado no Reconhecimento de Faces

Sistema de Controle de Acesso Baseado no Reconhecimento de Faces Sistema de Controle de Acesso Baseado no Reconhecimento de Faces Access Control System Based on Face Recognition Tiago A. Neves, Welton S. De Oliveira e Jean-Jacques De Groote Faculdades COC de Ribeirão

Leia mais

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA PROJETO SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO ALUNO RICARDO CARDOSO TERZELLA

Leia mais

AP_ Conta Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS

AP_ Conta Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS AP_ Conta Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS Manual de Instalação Tempro Software StavTISS Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. REQUISITOS DO SISTEMA... 3 3. INSTALAÇÃO... 4 4.

Leia mais

RESUMO. Palavras-Chaves: Índice Invertido, Recuperação de Imagens, CBIR. Nos últimos anos, o crescimento do número de imagens produzidas em meio

RESUMO. Palavras-Chaves: Índice Invertido, Recuperação de Imagens, CBIR. Nos últimos anos, o crescimento do número de imagens produzidas em meio UMA PROPOSTA DE MELHORIA NO PROCESSO DE RECUPERAÇÃO DE IMAGENS DIGITAIS COM BASE NA DISTRIBUIÇÃO DE CARACTERÍSTICAS DE BAIXO NÍVEL EM SUAS REGIÕES UTILIZANDO ÍNDICE INVERTIDO Patrícia Aparecida Proença

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

Conceitos básicos. Aplicações de banco de dados. Conceitos básicos (cont.) Dado: Um fato, alguma coisa sobre a qual uma inferência é baseada.

Conceitos básicos. Aplicações de banco de dados. Conceitos básicos (cont.) Dado: Um fato, alguma coisa sobre a qual uma inferência é baseada. Conceitos básicos Angélica Toffano Seidel Calazans E-mail: angelica_toffano@yahoo.com.br Conceitos introdutórios de Modelagem de dados Dado: Um fato, alguma coisa sobre a qual uma inferência é baseada.

Leia mais

Introdução Banco de Dados

Introdução Banco de Dados Introdução Banco de Dados Vitor Valerio de Souza Campos Adaptado de Vania Bogorny Por que estudar BD? Os Bancos de Dados fazem parte do nosso dia-a-dia: operação bancária reserva de hotel matrícula em

Leia mais

Requisitos de Ferramentas Especializadas de Gestão de Configuração de Software

Requisitos de Ferramentas Especializadas de Gestão de Configuração de Software Requisitos de Ferramentas Especializadas de Gestão de Configuração de Software Ricardo Terra 1 1 Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Campus da Pampulha 31.270-010

Leia mais

Levantamento sobre Computação em Nuvens

Levantamento sobre Computação em Nuvens Levantamento sobre Computação em Nuvens Mozart Lemos de Siqueira Doutor em Ciência da Computação Centro Universitário Ritter dos Reis Sistemas de Informação: Ciência e Tecnologia Aplicadas mozarts@uniritter.edu.br

Leia mais

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza PHP e Banco de Dados progweb2@thiagomiranda.net Conteúdos Os materiais de aula, apostilas e outras informações estarão disponíveis em: www.thiagomiranda.net PHP e Banco de Dados É praticamente impossível

Leia mais

Banco de Dados. Introdução. João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai. jef@ime.usp.br DCC-IME-USP

Banco de Dados. Introdução. João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai. jef@ime.usp.br DCC-IME-USP Banco de Dados Introdução João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai jef@ime.usp.br DCC-IME-USP Importância dos Bancos de Dados A competitividade das empresas depende de dados precisos e atualizados. Conforme

Leia mais