GALERIAS DE IMAGENS E O FOTOJORNALISMO DA COPA NA FOLHA.COM: O VALOR DO EFÊMERO NA IMAGEM PÓS-MODERNA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GALERIAS DE IMAGENS E O FOTOJORNALISMO DA COPA NA FOLHA.COM: O VALOR DO EFÊMERO NA IMAGEM PÓS-MODERNA"

Transcrição

1 GALERIAS DE IMAGENS E O FOTOJORNALISMO DA COPA NA FOLHA.COM: O VALOR DO EFÊMERO NA IMAGEM PÓS-MODERNA Carolina Zoccolaro Costa Mancuzo 1 Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR Resumo: Este artigo faz parte de estudos que procuram alargar horizontes para a produção de dissertação no Programa de Mestrado em Comunicação da Universidade Estadual de Londrina (UEL) que tem como tema a imagem fotojornalística aplicada na internet e, como recorte espaço-temporal a Copa do Mundo de 2010, realizada na África do Sul e as galerias de imagens dos jogos do Brasil. Para tanto, apresenta aqui reflexões preliminares a partir da análise de uma das galerias apresentadas pelo site de notícias Folha.com, quando do jogo entre as seleções brasileira e holandesa. Tendo como base metodológica a desconstrução analítica da imagem, entende-se que ao contrário do jornal impresso, a internet dá a possibilidade de romper com os limites do espaço e possibilita ao leitor a visualização de uma série de imagens de um mesmo evento sem que haja agora o apoio do texto. No entanto, questionamentos podem ser feitos no sentido de compreender como o jornalismo online tem trabalhado esta questão a partir da premissa de que com a pós-modernidade e uma visão de sociedade (hiper) espetacularizada, a fotografia jornalística passa a ser trabalhada essencialmente como factual, ou em estado efêmero permanente, para uma sociedade que busca imagens para decodificar fatos. Palavras-chave: fotojornalismo online, galerias de imagens, efêmero, Copa do Mundo Introdução Os primeiros desenhos pré-históricos da humanidade continham em sua essência a necessidade do homem em contar suas peripécias, seus engenhos e autoridade diante da Natureza e do contato com outros seres. Seja em uma caçada ou em uma guerra, essa apropriação quase ou totalmente mística da imagem deixa vestígios importantes no sentido de apreender que a transmissão de informações na história humana teve início, muito antes da escrita e do desenvolvimento das línguas, a partir da sequência iconográfica, ritualizada ou não. Não há dúvidas de que partir desta constatação, já tão expandida no meio acadêmico de análise de imagens pré-históricas e sua relação com os homens, é necessário porque se torna ela uma chave importante para o debate que se pretende abrir com este estudo. 1 Graduada em Comunicação Social Habilitação Jornalismo pela Universidade do Oeste Paulista de Presidente Prudente (SP). Especialista em Agronegócios pelas Faculdades Integradas Antônio Eufrásio de Toledo, de Presidente Prudente. Mestranda em Comunicação Visual pela Universidade Estadual de Londrina (PR). Professora e coordenadora do curso de Jornalismo da Universidade do Oeste Paulista, de Presidente Prudente (SP). 577

2 Ou seja, o artifício lançado pelo homem pré-histórico na reconstrução de realidades a partir do elemento imagético se refaz novamente em importância, mas dentro de um novo suporte. Se antes a história em sequência era apresentada na rocha, na caverna, agora é a tela do computador seu principal ponto de apoio, onde conexões de vários tipos se instalam, inclusive e, principalmente, imagéticas, para uma geração cada vez mais audiovisual. (CANEVACCI, 2009) Embora se possa falar que este padrão é existente em toda rede mundial de computadores, o mesmo procedimento encontra realização plena quando enquadrado no ofício organizado e profissionalizado de se contar aquilo de aconteceu: o Jornalismo. As galerias de imagens dos portais noticiosos também apresentam aos seus espectadores a história sequenciada de um acontecimento. Fazem cumprir com isso, entre outras premissas que autores como Camargo (1999) e Joly (1996) detectaram em estudos de base, o que é designado à imagem em sua própria ontologia: as funções informativa e narrativa. Assim, compondo um mosaico de informações, podem ajudar a compreender e abrir o debate no sentido de como é que esta narrativa se desdobra, e com quais consequências, em uma época saturada de imagens e formas mil de se transmitir um fato. Estas premissas suportam este artigo, onde a discussão teórica e reflexões, porém, são reforçados a partir da análise preliminar de uma galeria de fotografias veiculada no portal Folha.com, que trata da eliminação da Seleção Brasileira de Futebol na Copa do Mundo da África do Sul, em julho de 2010, diante da Seleção Holandesa. Um recorte específico de imagens será aplicado e, sobre este, feita uma avaliação a partir do método de Desconstrução Analítica da Imagem, proposta por Boni (2000), cuja validade reside no fato de esquadrinhar a cena e observar recursos da linguagem fotográfica usados, bem como seus possíveis efeitos posteriores. O que se espera é a ampliação de horizontes em uma tentativa coordenada de dirimir dúvidas e questionamentos e contribuir com provocações e diálogos no campo da Comunicação Visual, do Jornalismo e da Fotografia usada no meio digital. Até que ponto a sequência de fotografias de uma história é suficiente para seu descortinamento diante do público? A superexposição fotográfica nas galerias de imagens de notícias na internet somente apresenta um fato ou abre espaço também para o detalhamento de informações, antes impossível por força da delimitação do espaço jornalístico no meio impresso? Este mesmo detalhamento significa uma abertura importante para humanizar ainda mais uma notícia a partir do momento em que não só o fato macro é exposto, mas também, de maneira muito mais perfeita e por conta das condições técnicas das máquinas fotográficas, seus personagens? 578

3 Até que ponto a possibilidade de espaço e a superexposição cumprem a função de informar e humanizar, considerando sua presença em um ambiente hiperespetacular? São objetivos extensos, que este artigo não tem a pretensão de explicá-los em sua totalidade, mas principalmente abrir o debate visando novos esclarecimentos que permitam avançar sobre a proposta de dissertação que se encontra em fase de pesquisas no Programa de Mestrado em Comunicação da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e que tem como tema macro a imagem fotojornalística aplicada na internet e, como recorte espaçotemporal a Copa do Mundo de 2010, realizada na África do Sul e as galerias de imagens dos jogos do Brasil. Espera-se que as considerações finais apontadas neste artigo, mesmo que em recorte reduzido para as galerias de imagens, apontem caminhos de elucidação para a dissertação em andamento, especialmente no que diz respeito às potencialidades e reflexos do uso da imagem fotojornalística. 2. Mudanças no Jornalismo A web, com a possibilidade de compartilhamento mundial, como existe hoje, só se tornou realidade no mês de agosto de 1991, quando o físico britânico Tim Bernes Lee trouxe à tona dois grandes inventos que revolucionariam a comunicação: o www (World Wide Web) e o HTML (Hipertext Markup Language). O primeiro, segundo Pinho (2003), organiza as informações e os arquivos na rede, enquanto o segundo é uma linguagem de programação que serve como base para todo conteúdo online: texto, foto, áudio, vídeo, design, animação. Nesses 20 anos, a internet teve seus conceitos transformados, a participação de recursos audiovisuais na elaboração do conteúdo se tornou peça-chave no processo e a web é considerada o meio de comunicação mais completo da história. Hoje, a informação jornalística é mais uma forma de se fazer uso da rede. Só o Google, site de buscas mais acessado do mundo, contabiliza bilhões de páginas indexadas, com conteúdos dos mais variados possíveis. Desde informação levada por profissionais comprometidos com a veracidade do fato, como sites de empresas e também pessoais, que estão livres para a publicação de conteúdo, sem a preocupação com a qualidade. O novo período é considerado revolucionário porque vai de encontro com o conceito trabalhado até então na Comunicação Social, quanto à influência da Indústria Cultural através de uma cultura de elite, monopolizando o que se discute na mídia. Nos dias atuais, com a internet tão presente no cotidiano das pessoas, faz-se presente o livre-arbítrio no 579

4 consumo e produção de informações, já que todos são produtores potenciais de conteúdo e podem determinar o que deve ser lido e quais os assuntos estarão na pauta do dia. Tudo isso revolucionou ainda mais as rotinas do jornalismo diário, que na rede, deixa de ser diário e passa a ser instantâneo. Moretzsohn, em seu livro Jornalismo em Tempo Real, de 2002, já questionava a velocidade em que a informação deve ser apurada, produzida e finalizada para um jornal impresso. Ela afirma na obra que os valoresnotícia se distorciam frente à velocidade das informações. Essa noção, decorrente da velha e criticada idéia de que o público tem o direito de saber para poder tomar suas decisões, sugere que o público precisa saber cada vez mais rápido, porque este é o ritmo do mundo. Portanto, a qualidade é aí identificada com a rapidez na transmissão da informação. (MORETZSOHN, 2002, p. 12) Com a web, esta realidade fica cada vez mais latente e a preocupação fundamental trata-se da velocidade em que os fatos devem ser noticiados, dada a concorrência com a avalanche de informações que está disponível na rede. A cada dia, o jornalista da web deve buscar formas de transmitir a informação da maneira mais completa, utilizando-se de todos os recursos disponíveis para prender a atenção do leitor-internauta. [...] Basta ler a primeira página de um jornal de papel e a home page do mesmo jornal em formato eletrônico. As diferenças saltam aos olhos literalmente: a quantidade e a qualidade de imagens, vídeos, fotos, músicas, conexões a crescentes links paralelos do mesmo grupo editorial etc. transformam a experiência tranquila e privada da leitura em uma conexão contínua transitiva entre focos curtos e densos do ponto de vista da experiência visual e, de qualquer modo, sempre multirreceptivos. (CANEVACCI, 2009, p.228, grifo do autor) Porém, ao mesmo tempo em que a informação deve ser trabalhada de maneira cada vez mais rápida, os recursos visuais podem ser vistos como uma maneira de garantir que essa notícia seja transmitida de maneira fidedigna, sem necessariamente, ter a construção de um texto como suporte. É o caso das galerias de imagens, que rompem com o espaço delimitado das páginas de um impresso e podem ser utilizadas como narrativa de um fato. 3. A Fotografia na Internet Um fator determinante para o avanço da fotografia na rede foi a criação da banda larga. Até o surgimento desta nova tecnologia de recepção do sinal, o tempo de 580

5 carregamento de uma página era longo e o uso de imagens dificultava ainda mais a abertura da página. [...] Tal situação, evidentemente, limitava a utilização não só de fotos, mas de todo e qualquer recurso não-textual. (MUNHOZ, 2007, p.2) Sendo assim, para fins de estudo do fotojornalimo na internet, Munhoz (2007) divide três fases distintas do uso da imagem na rede, apontadas pelo Grupo de Estudos de Jornalismo On-line (GJOL) da Bahia: a) um primeiro momento onde o jornalismo é caracterizado pelo modelo transpositivo, quando os produtos oferecidos, em sua maioria, eram reproduções de partes dos grandes jornais impressos; b) uma segunda fase de desenvolvimento quando, mesmo atrelado ao modelo do jornal impresso, os produtos começam a apresentar experiências, na tentativa de explorar as características oferecidas pela rede, chamada fase da metáfora, e; c) um terceiro e atual momento que corresponde a um estágio mais avançado designado como fase do Webjornalismo propriamente dita, com produção de sites jornalísticos que começam a se distanciar do modelo puramente metafórico da fase anterior. (MUNHOZ, 2007, p.6, grifo do autor) linguagem própria Esse terceiro e atual momento da imagem fotográfica online busca uma [...] utilizando suas características e seu potencial, sendo por isso denominado de geração do Webjornalismo. É também nesse momento que surgem e se difundem novos formatos, que passam a ter crescente importância no conjunto do jornalismo praticado na Web: os Weblogs, Fotologs e os sites de jornalismo de pauta aberta, em que a participação do cidadão comum na construção das notícias é fundamental. (MUNHOZ, 2007, p.10, grifo do autor) A fotografia, como afirma Munhoz, passa a ser trabalhada com maior destaque na atualidade. Esse espaço é aberto também em consequência de uma geração considerada audiovisual, ou seja, que tem a necessidade de ser informada com o suporte da imagem e do áudio. Desta forma, faz-se necessário usar outros recursos além do texto para prender a atenção do internauta, que é um ser ativo, em um suporte não-linear e tem a liberdade de escolher para onde deve seguir. Canevacci (2009), ao vislumbrar as particularidades do hipertexto, que proporciona essa não-linearidade, e as possibilidades infinitas de escolha que a rede oferece ao leitor, avalia que a comunicação visual tem um papel bem mais significativo se comparada a outros suportes. A tarefa que se abre à comunicação digital é bem outra: elaborar particulares tramas narrativas que, desde seu próprio interior, desenvolvam uma experimentação de lógicas não-lineares: tramas escriturais, sônicas, icônicas e gráficas que, já em sua 581

6 imanência comunicacional, elaborem outras sintaxes, lógicas, perspectivas, identidades. (CANEVACCI, 2009, p.229) A fotografia, após a passagem por esses três momentos na rede, ganhou espaço e poder na transmissão da informação. Desta forma, o jornalismo praticado na web atualmente propõe possibilidades de aprofundamento maior da informação visual. As capas dos sites dão espaço em destaque às fotografias, além de, na própria página inicial, ao contrário do jornal impresso, haver a possibilidade de usar mais imagens, com o recurso do slide show, ou seja, no decorrer dos segundos mudam-se as imagens, o que favorece um uso mais abundante em números de fotografias, inclusive na home page. Já nas páginas internas, objetos de análise deste artigo, além do espectador se deparar com recursos visuais que intercalam ao texto, é possível clicar em uma fotografia e seguir para galerias de imagens, o que mostra a possibilidade de aprofundamento informativo visual no ambiente online. O limite de espaço quase inexistente na Web assinala com a possibilidade de se estruturar o material fotográfico de forma inédita, favorecendo o aprofundamento da informação imagética e disponibilizando-a de maneira criativa e dinâmica, proporcionando transformações significativas na narrativa do fato jornalístico. Da mesma forma, a facilidade de acesso do cidadão a equipamentos digitais de alta tecnologia, tanto na produção como na disponibilização de dados, tem revolucionado a mídia informativa, gerando notícias diretamente do local dos acontecimentos, em tempo real, suplantando em muito a suposta agilidade da cobertura jornalística produzida pelos meios convencionais de imprensa e, dessa forma, impondo aos profissionais da fotografia jornalística novos paradigmas que o impelem a um redimensionamento do fazer fotojornalístico.(munhoz, 2007, p.13) 4 Galerias de Imagens Bruno Rodrigues, autor de diversos livros sobre jornalismo online, costuma usar a metáfora da cebola para explicar as camadas de conteúdos de um site. Ele explica que para entender os níveis de aprofundamento, basta imaginar as camadas de uma cebola. A parte mais externa, que fica amostra, pode ser chamada de Camada de Apresentação onde são expostos os aspectos mais persuasivos da informação que virá a seguir (BRASIL, 2010, p.12). Ou seja, é a página inicial do site. Na segunda camada, que é encontrada após o clique em um link da página inicial, chama-se Camada Genérica onde são respondidas questões básicas sobre a informação em questão mas apenas as básicas (BRASIL, 2010, p.12). Às camadas e páginas que vêm posteriormente, com os múltiplos aspectos da informação, dá-se o nome de Camadas de Detalhamento. Nestas camadas estão todos os detalhes sobre a informação abordada (BRASIL, 2010, p.12). 582

7 As galerias de imagens de um site normalmente estão nas camadas de detalhamento. Mas existem possibilidades de serem encontradas em camadas genéricas, ou seja, quando da página inicial, pode-se ir direto a uma galeria. Quando isso acontece, é sinal de que o próprio site valoriza a informação visual passada pela galeria, a ponto de que ela seja encontrada facilmente e que alcance um número maior de leitores para aquele conteúdo. Ainda usando a metáfora da cebola, é importante deixar claro que, mesmo com a infinita possibilidade de disponibilização de conteúdo na internet, já que não existem limites espaciais e/ou temporais, quanto mais profundo estiver um conteúdo nessas camadas mais difícil ele será encontrado, o que faz com que a audiência para aquele conteúdo seja limitada, além de não garantir a eficiência na informação que pretende ser transmitida. O enorme fluxo de informações e a rapidez com que elas circulam torna cada vez mais difícil a escolha consciente entre uma e outra. Há, além disso, uma busca incessante por essa rapidez de acesso, mas o tempo nunca será suficiente para usufruirmos de todas as informações desejadas ou disponíveis. (BERGO, 2009, p.124) Muitos sites fazem uso de galerias como forma de garantir que o internauta tenha a maior quantidade de informações possíveis sobre determinado tema. Porém, às vezes limitam o acesso a esta galeria a partir de um link em uma matéria sobre o assunto. O que ocorre é que em pouco tempo, devido ao fluxo de informações e a troca de matérias na página inicial, essa camada que era genérica (a segunda após a home page) passa a ficar perdida em meio a outras informações. As galerias vinculadas àquela matéria, por sua vez, tem o mesmo fim. Mesmo assim, as galerias foram um grande avanço no que se refere à disponibilização de conteúdo imagético em um veículo de comunicação. A dissolução dos limites cronoespaciais e a conseqüente possibilidade de se dispor de espaço (praticamente) ilimitado para a apresentação do material noticioso são a maior ruptura a ter lugar com o advento da Web como suporte midiático para o jornalismo. A disponibilidade de espaço, somada à multimidialidade, leva à expectativa de uma valorização do lugar da imagem nos sites jornalísticos da Web. (MUNHOZ, 2007, p.2, grifo do autor) O internauta, ao se deparar com aquela quantidade massiva de imagens digitais precisa redescobrir a forma de fazer a leitura deste conteúdo. A fotografia digital, em sua práxis e como produto massificado pela cultura, revela as novas relações do homem contemporâneo com a imagem, convidando-o a sair da posição de espectador para uma ilusória posição de fotógrafo, mas uma real posição 583

8 de narrador. Um narrador de sua condição individual que se deixa entrever, que dá pistas de sua condição de ser cultural. (CAMARGO, 2007, p.3) Portanto, a eficiência na comunicação, só é possível quando o emissor atinge seu objetivo na exposição dos fatos. Para tanto, a fotografia jornalística na internet quando usada com o recurso de galeria, precisa adotar uma nova linguagem, ou será apenas uma série de imagens desconexas sobre determinado fato. Uma das possibilidades que vem sendo usada cada vez mais nas galerias de imagens dos sites noticiosos, é a linguagem narrativa, ou seja, as fotos colocadas em ordem cronológica, de forma a contar uma história. Este recurso, além de trazer lógica ao conteúdo abordado, facilita a compreensão do internauta e, ainda, faz com que ele tenha a informação completa sobre o assunto, apenas vendo a sequencia selecionada pela edição do site. Além disso, outro fator que tem aparecido de maneira sistemática nas galerias em questão, é o tipo de imagem que se disponibiliza: fechada com a predominância do elemento humano. Esta característica se deve, entre outros fatores, a uma série de estudos realizados pelo Instituto Poynter, especializado em estudar o comportamento do internauta. Entre as conclusões apresentadas na pesquisas, uma delas apontou que o leitor da web prefere imagens fechadas, com a presença de pessoas, a imagens gerais de um fato. Na época desta pesquisa, 2004, o motivo apresentado estaria ligado ao fato de que o tamanho destinado às fotografias na web era pequeno, o que dificultava a visão de detalhes quando a imagem era aberta. (OUTING, 2004). Sete anos depois, tempo considerável em se tratando de internet, o tamanho das imagens aumentou e o comportamento do internauta mudou bastante. Porém, as imagens permaneceram humanizadas, como será visto a seguir em uma análise preliminar de uma galeria fotojornalística. 5. Análise de Imagens da Galeria Brasil x Holanda A galeria escolhida para servir como ponto de análise e abertura para as considerações pretendidas a respeito do uso da fotografia na internet possui 62 imagens, produzidas quando do jogo entre as seleções do Brasil e Holanda, no dia 02 de julho, pelas quartas-de-final da Copa do Mundo da África do Sul, em São fotografias com autores diversos e pertencentes a várias agências noticiosas. Este material está disponível online para observação no endereço Do montante geral de imagens nesta galeria, 62 unidades, percebe-se por 584

9 observação simples que 36 fotografias possuem como característica geral a preferência do fotógrafo por detalhes, seja de rostos de jogadores ou situações específicas de jogo em que aparecem em cena no máximo três pessoas. Embora se trate de um procedimento normal quando da produção jornalística fotográfica de uma partida de futebol, o índice de 36 imagens, que corresponde a 58% em um universo de 62, com estas características é importante. Quanto à produção técnica das cenas, é possível verificar que os fotógrafos, até por necessidade, optaram por trabalhar a partida com teleobjetivas, cujas imagens proporcionam maior profundidade de campo. No uso dos planos de tomada, verifica-se uma preferência pelo plano americano, onde o objeto fotografado tem sua vividez destacada diante de outros elementos da natureza em cena, assim o primeiro plano, ou o tradicional close up, que isola o sujeito, registra pormenores, com maior capacidade de despertar sensações e recordações. O mesmo se percebe quando se adiciona na análise das imagens a questão do foco. Especialmente trabalhadas a longa distância, as cenas possuem alto grau de nitidez nos elementos centrais o que, com ajuda da questão da profundidade de campo, auxilia na recepção da mensagem. A cena da Figura 1 dá conta de uma das imagens da galeria analisada. Nela é possível identificar de maneira imediata dois jogadores da Seleção Brasileira, Cacá (à esquerda) e Robinho. Ambos apresentam sua decepção logo após a virada da seleção holandesa, marcando 2 a 1, este que seria o resultado final da partida. Pela profundidade de campo e foco obtidos com a cena, os dois jogadores brasileiros aparecem com muita nitidez. Cacá, com uma das mãos na cabeça e Robinho, com olhar perdido para o chão demonstram o fracasso e a derrota. O ar é de desolação, assim como foi para milhões de torcedores brasileiros. Encarar esta imagem na internet, pode ser capaz de evocar a dimensão do acontecimento, especialmente para aqueles que sofreram junto. 585

10 III Encontro Nacional de Estudos da Imagem Figura 1 Cacá e Robinho Imagem da galeria de imagens Brasil x Holanda, da Folha.com Autor: Matt Dunham/AP Elementos de análise semelhantes são possíveis de serem observados nas duas imagens seguintes (Figuras 2 e 3), também retiradas da galeria analisada, mas que dão conta do goleiro brasileiro Júlio César. Na primeira, ele está encostado em uma das traves no gol da Seleção Brasileira. Tanto a composição da cena, quanto profundidade de campo, ângulo e foco contribuem decisivamente para também apresentar ao espectador a decepção do jogador e provocar no observador a mesma memória triste, ruim. Figura 2 Júlio César, goleiro da Seleção Brasileira Imagem da galeria de imagens Brasil x Holanda, da Folha.com Autor: Matt Dunham/AP 586

11 III Encontro Nacional de Estudos da Imagem Assim também o é com a fotografia seguinte, já ao final da partida, quando depois de ter ele também falhado em um dos gols, deixa o campo de jogo. A proximidade da pessoa Júlio César em um momento assim pode evocar sensações humanísticas, tanto por apoio ao profissional quanto também pelo próprio espectador sentir-se desta maneira. Figura 3 Goleiro Júlio César, da Seleção Brasileira Imagem da galeria de imagens Brasil x Holanda, da Folha.com Autor: Matt Dunham/AP 6. Considerações Finais A fotografia jornalística na internet, embora utilizada de maneira massiva nos dias de hoje, precisa encontrar sua própria linguagem para ganhar destaque em meio à efemeridade das imagens técnicas na rede, que somente passam aos olhos dos internautas no decorrer do dia, mas não deixam suas marcas enquanto produção e informação. Esta sociedade mediada por imagens e que precisa delas até mesmo para compreender um pensamento, visto que cada vez mais a linguagem escrita vem sendo banalizada com o avanço das tecnologias, exige que as informações sejam amparadas por suportes visuais. Não apenas a fotografia ganha espaço nesta sociedade tecnológica, como o vídeo, os infográficos e os áudios. Pensar jornalismo na rede hoje, significa pensar convergência. Desta forma, em mundo em que os valores mudaram e o cidadão comum tem papel decisivo na construção da informação, ditando boa parte das regras, é preciso criar padrões. O bom jornalismo não deve estar pautado apenas nos resultados das pesquisas de audiência. Em uma sociedade de massa, que segue as tendências da maioria, 587

12 ainda é possível trazer novos formatos, que estejam à altura do fazer jornalístico e que atendam a este público. Neste aspecto, é papel fundamental do jornalista da web garantir lugar de destaque ao fotojornalismo enquanto informação visual e não apenas ilustração dos fatos em meio a enxurrada imagética disponível na rede. Nas análises realizadas até aqui é possível afirmar que, mesmo com as mudanças no comportamento do internauta e com o aumento do espaço para a fotografia no ambiente virtual, já foi criada uma cultura na elaboração e divulgação da imagem de galerias, no sentido da humanização da notícia, valorizando assim o personagem da ação. Para esta pesquisadora, além do fato de ter se criado esta cultura no modo de se usar a fotografia na internet, a concorrência dos fotojornalistas com fotógrafos amadores, que estão nos mesmos locais, mostrando as mesmas imagens, foi determinante na consolidação desta técnica. Isto porque, como fotógrafos profissionais, cada vez mais é preciso trazer à fotografia um olhar diferenciado, com técnica apurada e com um conteúdo que traga informação. Além do mais, nesta sociedade hiper-espetacularizada, na proposta de Silva (2007), em que o mundo é mediado por imagens, o cidadão comum não quer mais ser um mero observador, mas fazer parte do espetáculo. (2007, p.1-3) diz que Estamos agora no hiper-espetáculo. O espetáculo era a contemplação. Cada indivíduo abdicava do seu papel de protagonista para tornar-se espectador. [...] No espetáculo, o contemplador aceitava viver por procuração. Delegava aos superiores a vivência de emoções e de sentimentos que se julgava incapaz de atingir. (SILVA, 2007, p.1). O espectador agora adentrou ao mundo do hiperespetáculo, onde Silva [...] a contemplação continua, mas é uma contemplação de si mesmo num outro, em princípio, plenamente alcançável, semelhante ou igual ao contemplador. [...] São tantos mais adorados quanto menos se diferenciam realmente dos fãs. [...] O hiperespetacular não é um conjunto de imagens espetaculares, mas uma relação social entre telespectadores mediada por imagens banalizadas e repetidas à exaustão. E essa visão pormenorizada de um fato, em que é possível ver as vitórias e as mazelas da pessoa em destaque, e não mostrar apenas os números, em uma imagem geral e ampliada, o uso da fotografia humanizada possibilita um interesse muito maior frente ao que se é mostrado e a própria fotografia jornalística tem seu papel valorizado. Portanto, o uso de uma galeria de imagens para a cobertura de um evento, como uma Copa do Mundo, ou mesmo para o relato de uma tragédia, pode trazer muito mais 588

13 curiosidade e vivacidade no que se mostra, do que imagens que se intercalam a um texto, como em um jornal impresso. Referências Bibliográficas BERGO, Lívia. A revolução das tecnologias de informação e comunicação: conseqüências sociais, econômicas e culturais. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação. Volume: 7, Issue: 1, Pages: BONI, Paulo César. O discurso fotográfico: a intencionalidade de comunicação no fotojornalismo. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação). São Paulo: ECA/USP, BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação. Departamento de Governo Eletrônico. Padrões Brasil e-gov. Cartilha de Redação Web. Versão Disponível em: <http://www.governoeletronico.gov.br/biblioteca/arquivos/padroes-brasil-e-gov-cartilha-deredacao-web>. Acesso em: 29 jul CAMARGO, Hertz Wendel de. Corpo e Narrativa Visual: enredamentos da fotografia na realidade simulada. I Seminário "Escritas, Imagens e Criação: Diferir". Associação de Leituras do Brasil: Campinas, Disponível em: Acesso em 04/03/2011. CAMARGO, Isaac Antonio. Reflexões sobre o Pensamento fotográfico: pequena introdução às imagens e à fotografia. Londrina: ed. EDUEL, CANEVACCI, Massimo. Comunicação Visual: olhares fetichistas, polifônicos, sincréticos sobre corpos. São Paulo: Brasiliense, JOLY, Martine. Introdução à análise da imagem. Campinas: Papirus, MORETZSOHN, Sylvia. Jornalismo em tempo real: o fetiche da velocidade. Rio de Janeiro: Revan, MUNHOZ, Paulo. Estágios de Desenvolvimento do Fotojornalismo na Internet. Diálogos & Ciência Revista da Rede de Ensino FTC. Ano V, n. 11, set OUTING, Steve; RUEL, Laura. The Best of Eyetrack III: What We Saw When We Looked Thought Their Eyes, 2004, disponível em: PINHO, J. B. Jornalismo na Internet: Planejamento e produção da informação on-line. 3. ed. São Paulo: Summus, SILVA, Juremir M. Depois do espetáculo: reflexões sobre a tese 4 de Guy Debord (Texto apresentado no GT Comunicação e Cultura na XVI COMPÓS, Curitiba). 589

TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB

TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB Gestão do Conhecimento hoje tem se materializado muitas vezes na memória organizacional da empresa. O conteúdo

Leia mais

Características do jornalismo on-line

Características do jornalismo on-line Fragmentos do artigo de José Antonio Meira da Rocha professor de Jornalismo Gráfico no CESNORS/Universidade Federal de Santa Maria. Instantaneidade O grau de instantaneidade a capacidade de transmitir

Leia mais

A Rotina de Atualização na TV Uol: Produção, Participação e Colaboração 1. Thais CASELLI 2. Iluska COUTINHO 3

A Rotina de Atualização na TV Uol: Produção, Participação e Colaboração 1. Thais CASELLI 2. Iluska COUTINHO 3 A Rotina de Atualização na TV Uol: Produção, Participação e Colaboração 1 RESUMO Thais CASELLI 2 Iluska COUTINHO 3 Universidade Federal de Juiz De Fora, Juiz de Fora, MG Este trabalho verifica como é a

Leia mais

Cronograma Encontro I aula 2: Webjornalismo

Cronograma Encontro I aula 2: Webjornalismo Cronograma Encontro I aula 1: Agência de No6cias Imprensa Jovem ü Encontro I aula 2: Webjornalismo Encontro II Fotojornalismo Encontro III - Radiojornalismo I Encontro IV - Radiojornalismo II Encontro

Leia mais

Jornalismo Interativo

Jornalismo Interativo Jornalismo Interativo Antes da invenção da WWW, a rede era utilizada para divulgação de informações direcionados a públicos muito específicos e funcionavam através da distribuição de e-mails e boletins.

Leia mais

COLEÇÃO IMAGÉTICA: FOTOGRAFIA, EXTENSÃO, ENSINO E PESQUISA NO PROJETO FOCA FOTO. PALAVRAS-CHAVE Fotografia. Coleção fotográfica. Lapa. Extensão.

COLEÇÃO IMAGÉTICA: FOTOGRAFIA, EXTENSÃO, ENSINO E PESQUISA NO PROJETO FOCA FOTO. PALAVRAS-CHAVE Fotografia. Coleção fotográfica. Lapa. Extensão. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 65, DE 11 DE MAIO DE 2012 O DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO, tendo em vista a decisão tomada em sua 257ª Reunião Extraordinária, realizada em 11 de maio de 2012, e considerando

Leia mais

O Desenho: desenhando com Kari Galvão 1

O Desenho: desenhando com Kari Galvão 1 O Desenho: desenhando com Kari Galvão 1 Paulo Souza dos SANTOS JUNIOR 2 Maria Carolina Maia MONTEIRO 3 Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE RESUMO Este trabalho apresenta uma produção multimídia

Leia mais

b) vantagens e desvantagens para o usuário que acessa Internet grátis comparadas aos serviços oferecidos pelos provedores pagos.

b) vantagens e desvantagens para o usuário que acessa Internet grátis comparadas aos serviços oferecidos pelos provedores pagos. Questão nº 1 I. Seleção de dados relevantes para o assunto em pauta, comparação, hierarquização. Devem aparecer nos textos: a) a Internet grátis desafia os provedores estabelecidos. Ressaltar as posições

Leia mais

Resumo. GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP

Resumo. GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP Resumo O 2ª Opinião - Espaço cultural é um jornal-laboratório que vem sendo

Leia mais

JORNALISMO CULTURAL ONLINE: EXPERIÊNCIAS DE COBERTURA JORNALÍSTICA DO SITE CULTURA PLURAL

JORNALISMO CULTURAL ONLINE: EXPERIÊNCIAS DE COBERTURA JORNALÍSTICA DO SITE CULTURA PLURAL 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( x ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA JORNALISMO

Leia mais

Cadernos de Reportagem: Incentivo ao Senso Crítico no Jornalismo 1

Cadernos de Reportagem: Incentivo ao Senso Crítico no Jornalismo 1 Cadernos de Reportagem: Incentivo ao Senso Crítico no Jornalismo 1 Vinícius DAMAZIO 2 Luciana PACHECO 3 Gabriel SAMPAIO 4 Sylvia MORETZSOHN 5 Ildo NASCIMENTO 6 Universidade Federal Fluminense, Niterói,

Leia mais

Portfolio de Produtos

Portfolio de Produtos Introdução O Guia de Produtos e Serviços da Assessoria de Comunicação (ASCOM) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) foi elaborado com o objetivo de apresentar os produtos e serviços prestados

Leia mais

Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1

Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1 Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1 Letícia BARROSO 2 Thaís PEIXOTO 3 Centro Universitário Fluminense Campus II- Campos/RJ RESUMO: A falta de espaço nos veículos convencionais

Leia mais

Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹

Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹ Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹ Serena Veloso GOMES² Thamara Rocha Ribeiro FAGURY³ Kalyne Menezes SOUZA4 Silvana Coleta Santos PEREIRA5 Universidade Federal

Leia mais

NEWSLETTER COMO PROPULSORA DE ACESSOS NO SITE PORTAL COMUNITÁRIO

NEWSLETTER COMO PROPULSORA DE ACESSOS NO SITE PORTAL COMUNITÁRIO 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( X) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA NEWSLETTER COMO PROPULSORA DE ACESSOS

Leia mais

Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário

Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário SOUZA, Kauana Mendes 1 ; XAVIER, Cintia 2 Universidade Estadual de Ponta Grossa, Paraná, PR RESUMO O projeto Portal

Leia mais

TERCEIRO SETOR EM EVIDÊNCIA: DESENVOLVIMENTO DE UM PILOTO PARA O SITE ECO

TERCEIRO SETOR EM EVIDÊNCIA: DESENVOLVIMENTO DE UM PILOTO PARA O SITE ECO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 377 TERCEIRO SETOR EM EVIDÊNCIA: DESENVOLVIMENTO DE UM PILOTO PARA O SITE ECO Thiago Massuia 1, Sérgio Luis de Almeida

Leia mais

Revista Ênfase: informação e entretenimento no jornalismo acadêmico. Nayara Pessini COSSI 1 Alex Sandro de Araujo CARMO 2

Revista Ênfase: informação e entretenimento no jornalismo acadêmico. Nayara Pessini COSSI 1 Alex Sandro de Araujo CARMO 2 Revista Ênfase: informação e entretenimento no jornalismo acadêmico Nayara Pessini COSSI 1 Alex Sandro de Araujo CARMO 2 Maicon Ferreira de SOUZA 3 Faculdade Assis Gurgacz, Cascavel, PR. RESUMO O presente

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Curso de Jornalismo CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Área 1 Jornalismo Especializado (1 vaga) Graduação Exigida: Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo Titulação mínima exigida:

Leia mais

O terremoto no Japão pela Folha.com: banalização e consumo de fotografias na internet. Carolina Zoccolaro Costa Mancuzo Paulo César Boni

O terremoto no Japão pela Folha.com: banalização e consumo de fotografias na internet. Carolina Zoccolaro Costa Mancuzo Paulo César Boni 109 O terremoto no Japão pela Folha.com: banalização e consumo de fotografias na internet Carolina Zoccolaro Costa Mancuzo Paulo César Boni DOI 10.5433/1984-7939.2012v8n13p109 110 O terremoto no Japão

Leia mais

I Jornada de Pesquisa e Extensão Trabalhos Científicos

I Jornada de Pesquisa e Extensão Trabalhos Científicos I Jornada de Pesquisa e Extensão Trabalhos Científicos LABORATÓRIO DE CONVERGÊNCIA DE MÍDIAS PROJETO DE CRIAÇÃO DE UM NOVO AMBIENTE DE APRENDIZADO COM BASE EM REDES DIGITAIS. 1 Palavras-chave: Convergência,

Leia mais

Manual de Redação. Agência Megafone / Rádio Universitária Cesumar FM 1. Maringá/Paraná Julho de 2007

Manual de Redação. Agência Megafone / Rádio Universitária Cesumar FM 1. Maringá/Paraná Julho de 2007 1 Manual de Redação Maringá/Paraná Julho de 2007 2 manual 1) webwritting e edição Trabalhe com o raciocínio de camadas Para entender o comportamento da informação em ambientes virtuais, a melhor imagem

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO

EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO LET 02630 LÍNGUA PORTUGUESA Noções gerais da língua portuguesa. Leitura e produção de diferentes tipos de textos, em especial os relativos à comunicação de massa. Os tipos

Leia mais

CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1

CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1 CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1 COSTA 2 Daiane dos Santos; FONSECA 3 Aurea Evelise dos Santos; ZUCOLO 4 Rosana Cabral 1 Trabalho submetido ao SEPE 2011 Simpósio

Leia mais

FOTOGRAFIA IMPRESSA E EXPOSIÇÕES FOTOJORNALÍSTICAS DO GRUPO FOCA FOTO

FOTOGRAFIA IMPRESSA E EXPOSIÇÕES FOTOJORNALÍSTICAS DO GRUPO FOCA FOTO 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( x ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

MIDIA KIT. Aqui você fica atualizado. www.noticiasdealagoinhas.com.br

MIDIA KIT. Aqui você fica atualizado. www.noticiasdealagoinhas.com.br MIDIA KIT Aqui você fica atualizado. www.noticiasdealagoinhas.com.br Sobre nosso site O Notícias de Alagoinhas hoje é o portal mais completo da cidade. Somos um Canal de comunicação online que integra

Leia mais

O MODELO DA TELEVISÃO BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE VIDEOAULAS: UMA EXPERIÊNCIA INOVADORA DO IFSC NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA.

O MODELO DA TELEVISÃO BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE VIDEOAULAS: UMA EXPERIÊNCIA INOVADORA DO IFSC NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. O MODELO DA TELEVISÃO BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE VIDEOAULAS: UMA EXPERIÊNCIA INOVADORA DO IFSC NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Autor: Paulo Vitor Tavares, Ms. Palavras-chave: EAD, Televisão, Videoaula, IFSC.

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA LET 02630 LÍNGUA PORTUGUESA Noções gerais da língua portuguesa. Leitura e produção de diferentes tipos de textos, em especial os relativos à comunicação de

Leia mais

Diretrizes Curriculares ENADE 2012. Curso de: Publicidade e Propaganda

Diretrizes Curriculares ENADE 2012. Curso de: Publicidade e Propaganda Diretrizes Curriculares ENADE 2012 Curso de: Publicidade e Propaganda MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA MEC Nº207 DE 22 DE JUNHO DE

Leia mais

O TEXTO DA MÍDIA DIGITAL

O TEXTO DA MÍDIA DIGITAL PACOTE DE NOTÍCIAS no dreamweaver O TEXTO DA MÍDIA DIGITAL União das principais características das mídias "anteriores : - Agilidade (rádio) - rapidez na atualização de conteúdo e na formatação do layout

Leia mais

{AM} agência midiamania MANUAL DA REDAÇÃO

{AM} agência midiamania MANUAL DA REDAÇÃO agência midiamania MANUAL DA REDAÇÃO EDIÇÃO 2. ABRIL/2015 WEBWRITTING escrevendo em camadas Para entender o comportamento da informação em ambientes virtuais, a melhor imagem é a da cebola. Imagine a primeira

Leia mais

O USO DA INTERNET E SEUS EFEITOS SOBRE O PROCESSO DE SUBJETIVAÇÃO DE USUÁRIOS BRASILEIROS

O USO DA INTERNET E SEUS EFEITOS SOBRE O PROCESSO DE SUBJETIVAÇÃO DE USUÁRIOS BRASILEIROS O USO DA INTERNET E SEUS EFEITOS SOBRE O PROCESSO DE SUBJETIVAÇÃO DE USUÁRIOS BRASILEIROS Lucas Germani Wendt; Leonardo Pestillo de Oliveira; Letícia Rossi RESUMO: O presente projeto terá por objetivo

Leia mais

PRODUTORA DE NOTÍCIAS VESTIBULAR 1. Letycia CARDOSO 2 João Gabriel MARQUES 3 Márcio de Oliveira GUERRA 4

PRODUTORA DE NOTÍCIAS VESTIBULAR 1. Letycia CARDOSO 2 João Gabriel MARQUES 3 Márcio de Oliveira GUERRA 4 PRODUTORA DE NOTÍCIAS VESTIBULAR 1 Letycia CARDOSO 2 João Gabriel MARQUES 3 Márcio de Oliveira GUERRA 4 Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG RESUMO Como forma de estimular a criatividade

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: 4000 - JORNALISMO MISSÃO DO CURSO O curso de Jornalismo do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo tem como missão formar o profissional dentro

Leia mais

Clipping de Imprensa Pesquisa UPP: O que pensam os policiais Outubro de 2015

Clipping de Imprensa Pesquisa UPP: O que pensam os policiais Outubro de 2015 Clipping de Imprensa Pesquisa UPP: O que pensam os policiais Outubro de 2015 A relevância e credibilidade dos resultados da pesquisa UPP: O que pensam os policiais foram, sem dúvida, pontos de partida

Leia mais

LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO SOBRE AS METODOLOGIAS PARA O DESIGN DE INTERFACES DIGITAIS E PRODUTOS MIDIÁTICOS 1

LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO SOBRE AS METODOLOGIAS PARA O DESIGN DE INTERFACES DIGITAIS E PRODUTOS MIDIÁTICOS 1 LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO SOBRE AS METODOLOGIAS PARA O DESIGN DE INTERFACES DIGITAIS E PRODUTOS MIDIÁTICOS 1 Patrícia Marques da Silva 2 ; Aline Cardoso Militão 3 ; Sônia Cristina Soares Dias Vermelho

Leia mais

A PRODUÇÃO EM TEMPO DE CONVERGÊNCIA: A WEB 2.0 E O WEBJORNALISMO PARTICIPATIVO. Palavras-chave: Web 2.0. Webjornalismo participativo. Interatividade.

A PRODUÇÃO EM TEMPO DE CONVERGÊNCIA: A WEB 2.0 E O WEBJORNALISMO PARTICIPATIVO. Palavras-chave: Web 2.0. Webjornalismo participativo. Interatividade. A PRODUÇÃO EM TEMPO DE CONVERGÊNCIA: A WEB 2.0 E O WEBJORNALISMO PARTICIPATIVO Resumo Helize de Souza Vieira Janaína Cristina Marques Capobianco O objetivo desta pesquisa é analisar o processo de produção

Leia mais

Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional

Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional 1. DOS OBJETIVOS DO PRÊMIO 1.1. O Prêmio Sebrae de Jornalismo (PSJ) é um concurso jornalístico instituído pelo Sebrae Nacional Serviço Brasileiro

Leia mais

Autor (a): Bruna de Lima SILVA 2 Orientador: Professor Dr. Rozinaldo Antonio MIANI 3 Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR

Autor (a): Bruna de Lima SILVA 2 Orientador: Professor Dr. Rozinaldo Antonio MIANI 3 Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR O Uso da Internet na Comunicação Comunitária: Análise do Portal Índios Online 1 Autor (a): Bruna de Lima SILVA 2 Orientador: Professor Dr. Rozinaldo Antonio MIANI 3 Universidade Estadual de Londrina, Londrina,

Leia mais

Apresentação do Website Diário Manezinho: Notícias sobre a Ilha e a região 1

Apresentação do Website Diário Manezinho: Notícias sobre a Ilha e a região 1 Apresentação do Website Diário Manezinho: Notícias sobre a Ilha e a região 1 Ana Carolina Fernandes MAXIMIANO 2 Bruno da SILVA 3 Rita de Cássia Romeiro PAULINO 4 Universidade Federal de Santa Catarina,

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE PORTAIS DE NOTÍCIAS E HIPERTEXTUALIDADE*

A RELAÇÃO ENTRE PORTAIS DE NOTÍCIAS E HIPERTEXTUALIDADE* A RELAÇÃO ENTRE PORTAIS DE NOTÍCIAS E HIPERTEXTUALIDADE* Maria Lourdilene Vieira Barbosa UFMA Emanoel Barbosa de Sousa UFPI Resumo: O valor social do hipertexto na sociedade digital tem despertado bastantes

Leia mais

Jordana Fonseca BARROS 2 Marco Antônio GEHLEN 3 Universidade Federal do Maranhão, Imperatriz, MA

Jordana Fonseca BARROS 2 Marco Antônio GEHLEN 3 Universidade Federal do Maranhão, Imperatriz, MA www.imperatriznoticias.com.br Um Webjornal Muldisciplinar 1 Jordana Fonseca BARROS 2 Marco Antônio GEHLEN 3 Universidade Federal do Maranhão, Imperatriz, MA RESUMO O projeto de extensão denominado Jornal

Leia mais

A infografia no cenário da web: o recurso e a compreensão da informação. Palavras-chave: Infográfico; Web; Internet; Linguagem; Informação.

A infografia no cenário da web: o recurso e a compreensão da informação. Palavras-chave: Infográfico; Web; Internet; Linguagem; Informação. A infografia no cenário da web: o recurso e a compreensão da informação Silvia Assis das Chagas Machado Furtado 1 Juliana Lopes de Almeida Souza 2 Resumo O presente artigo buscou analisar, a partir de

Leia mais

A INTENCIONALIDADE DA IMAGEM FOTOGRÁFICA POÉTICA E DA IMAGEM FOTOGRÁFICA NO JORNALISMO. Cibele Abdo Rodella 1

A INTENCIONALIDADE DA IMAGEM FOTOGRÁFICA POÉTICA E DA IMAGEM FOTOGRÁFICA NO JORNALISMO. Cibele Abdo Rodella 1 A INTENCIONALIDADE DA IMAGEM FOTOGRÁFICA POÉTICA E DA IMAGEM FOTOGRÁFICA NO JORNALISMO Cibele Abdo Rodella 1 cibeleabdo@gmail.com; cibeleabdo@cesumar.br Resumo: Este trabalho pretende discutir sobre a

Leia mais

Resumo expandido CONPEEX 2011. A Construção da Narrativa Fílmica Através do Discurso Fotográfico na Obra de Chris Marker.

Resumo expandido CONPEEX 2011. A Construção da Narrativa Fílmica Através do Discurso Fotográfico na Obra de Chris Marker. Resumo expandido CONPEEX 2011 TÍTULO A Construção da Narrativa Fílmica Através do Discurso Fotográfico na Obra de Chris Marker. NOMES DOS AUTORES, UNIDADE ACADÊMICA E ENDEREÇO ELETRÔNICO Luciana Miranda

Leia mais

Design de navegação para tablet : Abordagem projetual da revista digital Wired

Design de navegação para tablet : Abordagem projetual da revista digital Wired Design de navegação para tablet : Abordagem projetual da revista digital Wired Gabriel da Costa Patrocínio Universidade Anhembi Morumbi patrocínio.design@gmail.com O presente artigo tem como proposta analisar

Leia mais

Jornalismo digital: as características do portal Extra Online 1

Jornalismo digital: as características do portal Extra Online 1 Jornalismo digital: as características do portal Extra Online 1 Naine Carvalho da SILVA 2 Felipe Gil FERNANDES 3 Guilherme Augusto de Souza PINHEIRO 4 Luciane Guiomar BARBOSA 5 Susy Elaine da Costa FREITAS

Leia mais

COMUNICAUFMA Um experimento em jornalismo digital baseado em sistemas de gerenciamento de conteúdo e cloud computing. 1

COMUNICAUFMA Um experimento em jornalismo digital baseado em sistemas de gerenciamento de conteúdo e cloud computing. 1 I Jornada de Pesquisa e Extensão Projeto Experimental COMUNICAUFMA Um experimento em jornalismo digital baseado em sistemas de gerenciamento de conteúdo e cloud computing. 1 Leonardo Ferreira COSTA 2 Pablo

Leia mais

A DIVULGAÇÃO DO CURSO DE JORNALISMO ATRAVÉS DO SITE E DAS REDES SOCIAIS

A DIVULGAÇÃO DO CURSO DE JORNALISMO ATRAVÉS DO SITE E DAS REDES SOCIAIS 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 27

PROVA ESPECÍFICA Cargo 27 29 PROVA ESPECÍFICA Cargo 27 QUESTÃO 41 A importância e o interesse de uma notícia são avaliados pelos órgãos informativos de acordo com os seguintes critérios, EXCETO: a) Capacidade de despertar o interesse

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA DISCIPLINA AUDIOVISUAL DA ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA DISCIPLINA AUDIOVISUAL DA ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA DISCIPLINA AUDIOVISUAL DA ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO 1. AUDIOVISUAL NO ENSINO MÉDIO O audiovisual tem como finalidade realizar-se como crítica da cultura,

Leia mais

Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1

Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1 Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1 Aparecido Marden Reis 2 Marli Barboza da Silva 3 Universidade do Estado de Mato Grosso, Unemat - MT RESUMO O projeto experimental

Leia mais

WEBJORNALISMO. Aula 04: Características do Webjornalismo. Características do webjornalismo

WEBJORNALISMO. Aula 04: Características do Webjornalismo. Características do webjornalismo WEBJORNALISMO Aula 04: Características do Webjornalismo Prof. Breno Brito Características do webjornalismo O webjornalismo apresenta algumas características específicas em relação a aspectos que quase

Leia mais

Curso Introdução à Educação Digital - Carga Horária: 40 horas (30 presenciais + 10 EaD)

Curso Introdução à Educação Digital - Carga Horária: 40 horas (30 presenciais + 10 EaD) ******* O que é Internet? Apesar de muitas vezes ser definida como a "grande rede mundial de computadores, na verdade compreende o conjunto de diversas redes de computadores que se comunicam e que permitem

Leia mais

São 30 as categorias do Prêmio Abril de Jornalismo 2015

São 30 as categorias do Prêmio Abril de Jornalismo 2015 REGULAMENTO I - AS CATEGORIAS São 30 as categorias do Prêmio Abril de Jornalismo 11 de Matéria Completa 3 de Texto 4 de Arte 4 de Fotografia 5 Digitais 2 Especiais Prêmio Roberto Civita Prêmio Matéria

Leia mais

Projeto de Digitalização de Jornais do Acervo da Fundação Cásper Líbero PRONAC: 102700

Projeto de Digitalização de Jornais do Acervo da Fundação Cásper Líbero PRONAC: 102700 Projeto de Digitalização de Jornais do Acervo da Fundação Cásper Líbero PRONAC: 102700 Valor total do Projeto: R$ 2.283.138,52 Apresentação: O jornal A Gazeta foi comprado por Cásper Líbero em 1918. Produziu

Leia mais

NOVAS MÍDIAS DIGITAIS - AULA 01 - APRESENTAÇÃO

NOVAS MÍDIAS DIGITAIS - AULA 01 - APRESENTAÇÃO NOVAS MÍDIAS DIGITAIS - AULA 01 - APRESENTAÇÃO O QUE É MÍDIA DIGITAL? É conjunto de meios de comunicação baseados em tecnologia digital, permitindo a distribuição de informação na forma escrita, sonora

Leia mais

Práticas Laboratoriais de uma Rede de Comunicação Acadêmica Rede Teia de Jornalismo

Práticas Laboratoriais de uma Rede de Comunicação Acadêmica Rede Teia de Jornalismo Práticas Laboratoriais de uma Rede de Comunicação Acadêmica Rede Teia de Jornalismo Autores: Maria Zaclis Veiga e Élson Faxina Docentes do Centro Universitário Positivo UnicenP Resumo: A Rede Teia de Jornalismo

Leia mais

Criar Newsletters. Guia rápido sobre...

Criar Newsletters. Guia rápido sobre... Guia rápido sobre... Criar Newsletters Neste guia... Saiba como criar atrativas newsletters em texto simples ou HTML para captar a atenção de seus contatos e ir ao encontro de seus interesses e expectativas.

Leia mais

Site laboratório CuritibaAgora: aplicação das teorias na prática do hardnews 1

Site laboratório CuritibaAgora: aplicação das teorias na prática do hardnews 1 Site laboratório CuritibaAgora: aplicação das teorias na prática do hardnews 1 Durval RAMOS 2 Emeline HIRAFUJI 3 Gisele EBERSPÄCHER 4 Igor CASTANHO 5 Zanei BARCELLOS 6 Pontifícia Universidade Católica

Leia mais

Música e internet: uma expressão da Cultura Livre

Música e internet: uma expressão da Cultura Livre Música e internet: uma expressão da Cultura Livre Auta Rodrigues Moreira Irene Guerra Salles Lilian Braga Carmo Luana Roberta Salazar Resumo: Atualmente, com a presença marcante das tecnologias, torna-se

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social (Dirco) Políticas Públicas de Comunicação

Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social (Dirco) Políticas Públicas de Comunicação Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social Políticas Públicas de Comunicação...a presença ativa duma universidade, revigorada ao contato de seu núcleo mais vivo e ciosa do seu espaço

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 91 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática para Internet

Leia mais

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino fundamental Resumo O projeto de iniciação científica está vinculado à pesquisa Uso do jornal em sala de aula e compreensão

Leia mais

Internet, ensino de jornalismo e comunidade

Internet, ensino de jornalismo e comunidade Internet, ensino de jornalismo e comunidade Paulo Roberto Botão Mestre em Comunicação Social pela Umesp Instituto Superior de Ciências Aplicadas (Isca Faculdades) Limeira/SP Universidade Metodista de Piracicaba

Leia mais

Estrela Serrano JORNALISMO POLÍTICO EM PORTUGAL

Estrela Serrano JORNALISMO POLÍTICO EM PORTUGAL A/484566 Estrela Serrano JORNALISMO POLÍTICO EM PORTUGAL A cobertura de eleições presidenciais na imprensa e na televisão (1976-2001) Edições Colibri Instituto Politécnico de Lisboa ÍNDICE Introdução 23

Leia mais

OS GRANDES VEÍCULOS DE COMUNICAÇÃO NA ERA DA INTERNET: O PORTAL RPC 1

OS GRANDES VEÍCULOS DE COMUNICAÇÃO NA ERA DA INTERNET: O PORTAL RPC 1 1 OS GRANDES VEÍCULOS DE COMUNICAÇÃO NA ERA DA INTERNET: O PORTAL RPC 1 RESUMO José Barone O presente trabalho analisa textos jornalísticos publicados em portais de notícias brasileiros. O Portal RPC,

Leia mais

ATIVIDADE INTEGRADA ENTRE CIÊNCIAS E INFORMÁTICA

ATIVIDADE INTEGRADA ENTRE CIÊNCIAS E INFORMÁTICA ATIVIDADE INTEGRADA ENTRE CIÊNCIAS E INFORMÁTICA EDUCATIVA: RECURSOS TECNOLÓGICOS E O ALUNO DO SÉCULO XXI Fabio DAMASCENO fabiodamasceno@gmail.com COLÉGIO PEDRO II/DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA Maria

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO Sequência de Aulas de Língua Portuguesa Produção de uma Fotonovela 1. Nível de

Leia mais

Manual do Ambiente Virtual Moodle

Manual do Ambiente Virtual Moodle Manual do Ambiente Virtual Moodle versão 0.3 Prof. Cristiano Costa Argemon Vieira Prof. Hercules da Costa Sandim Outubro de 2010 Capítulo 1 Primeiros Passos 1.1 Acessando o Ambiente Acesse o Ambiente Virtual

Leia mais

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Aprovado por: Diretoria de Informação Institucional 1 OBJETIVO Definir e padronizar os procedimentos referentes

Leia mais

Gente do bem: proposta de atividades comunicativas em rádio e para abordar ações. sociais em Uberlândia. MG. 1

Gente do bem: proposta de atividades comunicativas em rádio e para abordar ações. sociais em Uberlândia. MG. 1 Gente do bem: proposta de atividades comunicativas em rádio e para abordar ações RESUMO sociais em Uberlândia. MG. 1 Kênia Leal PIMENTA 2 Letícia Daniela Gonçalves MEDEIROS 3 Monique França ROCHA 4 Adriana

Leia mais

3 Modelo Proposto. 6 http://www.w3.org

3 Modelo Proposto. 6 http://www.w3.org 3 Modelo Proposto O surgimento da Web semântica (Berners-Lee, 2001), adiciona uma camada de "inteligência" à Web, onde computadores são capazes de representar significados dos conteúdos acessados na Web,

Leia mais

Palavras-chave: gêneros textuais, resenha crítica, ensino, leitura e produção textual

Palavras-chave: gêneros textuais, resenha crítica, ensino, leitura e produção textual RESENHA CRÍTICA NO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: PRÁTICAS DE ANÁLISE E PRODUÇÃO DE TEXTOS Valdisnei Martins de CAMPOS Letras - CAC/UFG; valdis_martins@hotmail.com Erislane Rodrigues RIBEIRO Letras - CAC/UFG;

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000023 - COMUNICACAO SOCIAL - JORNALISMO Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000023 - COMUNICACAO SOCIAL - JORNALISMO Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000023 - COMUNICACAO SOCIAL - JORNALISMO Nivel: Superior Area Profissional: 0006 - COMUNICACAO Area de Atuacao: 0110 - EDITORACAO/COMUNICACAO

Leia mais

Jornal Marco Zero 1. Larissa GLASS 2 Hamilton Marcos dos SANTOS JUNIOR 3 Roberto NICOLATO 4 Tomás BARREIROS 5

Jornal Marco Zero 1. Larissa GLASS 2 Hamilton Marcos dos SANTOS JUNIOR 3 Roberto NICOLATO 4 Tomás BARREIROS 5 1 Jornal Marco Zero 1 Larissa GLASS 2 Hamilton Marcos dos SANTOS JUNIOR 3 Roberto NICOLATO 4 Tomás BARREIROS 5 Faculdade internacional de Curitiba (Facinter) RESUMO O jornal-laboratório Marco Zero 6 é

Leia mais

Em dúvida do que fazer em 2012?

Em dúvida do que fazer em 2012? { Em dúvida do que fazer em 2012?? Anuncie no jornal {O Polifônico!!! Pesquisas comprovam: O jornal O Polifônico tem o público leitor mais crítico de Rio das Ostras. Saiba mais em breve. Mídia Kit 2012

Leia mais

CONSELHO CURADOR EBC RECOMENDAÇÃO Nº 02/2014. Considerando o inciso I do Art. 17 da Lei 11.652 de 2008;

CONSELHO CURADOR EBC RECOMENDAÇÃO Nº 02/2014. Considerando o inciso I do Art. 17 da Lei 11.652 de 2008; CONSELHO CURADOR EBC RECOMENDAÇÃO Nº 02/2014 Dispõe sobre propostas para adequação do Plano de Trabalho 2015 da EBC. Considerando o inciso I do Art. 17 da Lei 11.652 de 2008; Considerando que o Plano de

Leia mais

EU SOU UM BONECO! UMA EXPERIÊNCIA EM AUTORRETRATO

EU SOU UM BONECO! UMA EXPERIÊNCIA EM AUTORRETRATO EU SOU UM BONECO! UMA EXPERIÊNCIA EM AUTORRETRATO Adriana D Agostino Relato de experiência Resumo A experiência apresentada foi realizada em 2013 no Colégio Salesiano Santa Teresinha a partir do material

Leia mais

A imagem idealizada de uma infância saudável e feliz hoje se

A imagem idealizada de uma infância saudável e feliz hoje se VOZ DO LEITOR ANO 4 EDIÇÃO 30 On/off-line: entreolhares sobre as infâncias X, Y e Z Amanda M. P. Leite A imagem idealizada de uma infância saudável e feliz hoje se prende a uma espécie de saudosismo da

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO FERNANDA SERRER ORIENTADOR(A): PROFESSOR(A) STOP MOTION RECURSO MIDIÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM

Leia mais

PROGRAMA DE INTERIORIZAÇÃO DO TRABALHO EM SAÚDE (PITS) Curso de Internet para Profissionais de Saúde

PROGRAMA DE INTERIORIZAÇÃO DO TRABALHO EM SAÚDE (PITS) Curso de Internet para Profissionais de Saúde PROGRAMA DE INTERIORIZAÇÃO DO TRABALHO EM SAÚDE (PITS) INTRODUÇÃO UNIDADE 1 Módulo 1: Curso de Internet para Profissionais de Saúde Internet e a Ciência O papel da internet na formação dos profissionais

Leia mais

A Força da Natureza no Dia da Independência 1

A Força da Natureza no Dia da Independência 1 A Força da Natureza no Dia da Independência 1 Ricardo Jose TORRES 2 Marcelo Jose BOTH 3 Janaína PATZOLD 4 Franciele VISENTIN 5 Vanessa NORA 6 Leoní SERPA 7 UNOESC - Universidade do Estado de Santa Catarina

Leia mais

SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO EM REDE. Resumo

SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO EM REDE. Resumo SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO EM REDE Cleide Aparecida Carvalho Rodrigues 1 Resumo A proposta para a realização do SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO EM REDE surgiu durante uma das atividades do Grupo de Estudos de Novas Tecnologias

Leia mais

Tutorial de animação quadro a quadro

Tutorial de animação quadro a quadro Tutorial de animação quadro a quadro quadro a quadro é uma técnica que consiste em utilizar imagens ou fotografias diferentes de um mesmo objeto para simular o seu movimento. Nesse caso, trata-se de relatar

Leia mais

Agência Experimental de Jornalismo da Faculdade Estácio de Sá de Juiz de Fora 1. Clarissa Ramos dos Santos, Fabiola Mattos, Letícia Rocha de Araújo 2

Agência Experimental de Jornalismo da Faculdade Estácio de Sá de Juiz de Fora 1. Clarissa Ramos dos Santos, Fabiola Mattos, Letícia Rocha de Araújo 2 Agência Experimental de Jornalismo da Faculdade Estácio de Sá de Juiz de Fora 1 Clarissa Ramos dos Santos, Fabiola Mattos, Letícia Rocha de Araújo 2 Faculdade Estácio de Sá de Juiz de Fora, Minas Gerais.

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

FIGURA 04.2 Comportamento cronológico do avanço da Internet

FIGURA 04.2 Comportamento cronológico do avanço da Internet FIGURA 04.2 Comportamento cronológico do avanço da Internet 74 75 3.4.2 Características e funcionalidades do jornalismo digital O jornalismo digital representa uma revolução na maneira de apurar, produzir

Leia mais

Formatando trabalhos acadêmicos com Word2007

Formatando trabalhos acadêmicos com Word2007 IESAP INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ Formatando trabalhos acadêmicos com Word2007 Prof. MARCOS MENDES Profa. MILENA MENDES MACAPÁ-AP 2008 Sumário O QUE É FORMATACÃO COMO CRIAR E SALVAR UM ARQUIVO

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 17/06/2015 17:31. Centro de Ciências Humanas e da Comunicação

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 17/06/2015 17:31. Centro de Ciências Humanas e da Comunicação 7/6/5 7: Centro de Ciências Humanas e da Comunicação Curso: 85 Jornalismo (Matutino) Currículo: / COM..- Teorias da Comunicação I Ementa: Conceituação e objetivo da Comunicação Social. História da comunicação.

Leia mais

AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO

AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO Internationali Negotia Felipe Caian AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO MODELO INTERNACIONAL DO BRASIL Brasília - DF 2015 1 Conhecendo a Agência de Comunicação 1.1 Apresentação A Agência de Comunicação (AC) é a ponte

Leia mais

Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha

Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha MODERNA.COMPARTILHA: INTEGRAR TECNOLOGIA E CONTEÚDOS A FAVOR DO APRENDIZADO. Os alunos deste século estão conectados com novas ideias, novas

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO - PPGE FACULDADE DE EDUCAÇÃO - BELO HORIZONTE MESTRADO EM EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO - PPGE FACULDADE DE EDUCAÇÃO - BELO HORIZONTE MESTRADO EM EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO - PPGE FACULDADE DE EDUCAÇÃO - BELO HORIZONTE MESTRADO EM EDUCAÇÃO Autor: Cacilda da Silva Rodrigues Coautor: Prof. Dr. José

Leia mais

Palavras-chaves: Jornalismo online - Diversificação de formatos - portais locais

Palavras-chaves: Jornalismo online - Diversificação de formatos - portais locais JORNALISMO ONLINE: DOS SITES NOTICIOSOS AOS PORTAIS LOCAIS Suzana Barbosa Mestranda em Comunicação e Cultura Contemporâneas, Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia) Resumo O artigo apresenta

Leia mais

Papiro: jornal-laboratório da Faculdade 7 de Setembro 1. Sammia SANTOS 2 Alessandra MARQUES 3 Faculdade 7 de Setembro, Fortaleza, CE

Papiro: jornal-laboratório da Faculdade 7 de Setembro 1. Sammia SANTOS 2 Alessandra MARQUES 3 Faculdade 7 de Setembro, Fortaleza, CE Papiro: jornal-laboratório da Faculdade 7 de Setembro 1 Sammia SANTOS 2 Alessandra MARQUES 3 Faculdade 7 de Setembro, Fortaleza, CE RESUMO O presente trabalho apresenta a experiência de produção laboratorial

Leia mais

Designer gráfico. elementos verbais e não-verbais que irão compor peças gráficas com a finalidade

Designer gráfico. elementos verbais e não-verbais que irão compor peças gráficas com a finalidade Rubens de Souza Designer gráfico O designer gráfico desenvolve projetos ou planejamentos a partir de elementos verbais e não-verbais que irão compor peças gráficas com a finalidade específica de atingir

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS E PROJETOS EXPERIMENTAIS

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS E PROJETOS EXPERIMENTAIS CURSO DE JORNALISMO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS E PROJETOS EXPERIMENTAIS 1 1 ÁREAS TEMÁTICAS Respeitada a disponibilidade de carga horária dos professores orientadores e a escolha dos alunos,

Leia mais