DESTAQUES DO 1T11 LUCRO LÍQUIDO RESULTADO COM SEGUROS OPERAÇÕES DE CRÉDITO. Contatos de RI

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESTAQUES DO 1T11 LUCRO LÍQUIDO RESULTADO COM SEGUROS OPERAÇÕES DE CRÉDITO. Contatos de RI"

Transcrição

1 Todas as informações financeiras apresentadas neste documento são consolidadas, abrangendo as demonstrações financeiras do Banco, suas controladas, JMalucelli Seguradora, JMalucelli Seguradora de Crédito, JMalucelli Re., JMalucelli Agenciamento, JMalucelli Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários e Paraná Administradora de Consórcio. As informações, exceto quando indicado de forma diferente, são expressas em moeda corrente nacional (em reais) e foram elaboradas com base nas práticas contábeis emanadas da legislação societária brasileira, associadas às normas e instruções do Conselho Monetário Nacional (CMN), do Banco Central do Brasil (BACEN), da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), da Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) e do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), quando aplicável. DESTAQUES DO 1T11 LUCRO LÍQUIDO No 1T11 o lucro líquido somou R$ 33,5 milhões, resultado que apresenta evolução de 50,0% quando comparado com o mesmo período do ano anterior e 7,3% superior ao lucro líquido ajustado do. RESULTADO COM SEGUROS No 1T11 o segmento de seguros respondeu por 48,8% do resultado consolidado, confirmando o bom desempenho da JMalucelli Seguradora e da JMalucelli Resseguradora. O volume de prêmios retidos por ambas no trimestre foi 13,4% superior ao registrado no. OPERAÇÕES DE CRÉDITO Em março de 2011 a carteira de crédito totalizou R$ 1.625,9 milhões o que representa um crescimento de 4,8% na comparação com o e 21,5% com o. O crescimento da carteira de crédito tem sido alcançado mantendose a qualidade de nossos ativos. O índice de inadimplência medido pelos créditos classificadas em nível H foi de 1,9% e manteve-se estável em relação o. O Paraná Banco não utiliza cessões de crédito para financiar suas operações, tendo realizado a última cessão de carteira ao final de O saldo da carteira cedida representava apenas 1,2% da carteira total no final de março. Contatos de RI Cristiano Malucelli Mauricio Fanganiello Marianne C. Baggio Diretor de RI Gerente de RI Especialista em RI (+55 41) (+55 41) (+55 41)

2 RESUMO DOS PRINCIPAIS INDICADORES Balanço Patrimonial (R$ mil) Ativos Totais ,7% ,8% Operações de Crédito ,8% ,5% Provisão para Devedores Duvidosos (PDD) ,0% (11,4%) Depósitos Totais ,0% ,2% Depósitos a Prazo ,0% ,6% Patrimônio Líquido ,3% ,1% Demonstração dos Resultados (R$ mil) Resultado Bruto da Intermediação Financeira (5,0%) ,8% Despesas de Pessoal ,8% ,5% Despesas Administrativas (10,5%) ,2% Resultado Operacional ,5% ,0% Lucro Líquido ,3% ,9% Índices de desempenho (%) ROAE - anualizado 16,9 17,5 (0,5 p.p.) 11,7 5,2 p.p. ROAA - anualizado 4,4 4,5 (0,1 p.p.) 3,3 1,1 p.p. NIM (Banco individual) 11,8 10,6 1,2 p.p. 12,9 (1,1 p.p.) Índice de Eficiência 45,2 46,1 (1,0 p.p.) 50,4 (5,3 p.p.) Índice Combinado (JMalucelli Seguradora) 65,1 66,4 (1,3 p.p.) 77,7 (12,5 p.p.) Índice Combinado Ampliado (JMalucelli Seguradora) 47,3 55,0 (7,7 p.p.) 64,9 (17,6 p.p.) Qualidade da carteira de crédito (%) PDD / Carteira de Crédito 3,2 3,3 (0,1 p.p.) 4,3 (1,1 p.p.) NPL (vencidos > 60 dias / carteira de crédito) 3,9 4,1 (0,2 p.p.) 4,9 (1,0 p.p.) Índice de Inadimplência (> 90 dias / carteira de crédito) 3,2 3,4 (0,2 p.p.) 4,5 (1,3 p.p.) Índice de Inadimplência (> 180 dias / carteira de crédito) 1,9 1,9 0,0 p.p. 2,7 (0,9 p.p.) Índice de Cobertura (PDD / > vencida 60 dias) 81,4 80,6 0,7 p.p. 87,3 (5,9 p.p.) Índice de Cobertura (PDD / > vencida 90 dias) 101,6 99,1 2,5 p.p. 106,9 (5,4 p.p.) Índice de Cobertura (PDD / > vencida 180 dias) 175,4 185,7 (10,2 p.p.) 180,0 (4,6 p.p.) Nível de perda (créditos baixados a prejuízo/carteira consolidada) 0,5 0,5 0,0 p.p. 1,4 (0,9 p.p.) JMalucelli Seguradora (R$) Prêmios diretos (DPVAT + seguro garantia) (31,0%) ,8% Prêmios retidos (DPVAT + seguro garantia) ,0% ,6% Sinistros de seguro (DPVAT + seguro garantia) ,3% ,9% Patrimônio Líquido ,6% ,6% JMalucelli Resseguradora (R$) Prêmios diretos (47,4%) ,4% Prêmios retidos (32,9%) ,0% Patrimônio Líquido ,7% ,5% Desempenho por Ação (R$) Total de Ações ,0% (6,0%) Ações em Tesouraria - - n.d (100,0%) Total de ações em circulação ,0% (13,2%) 1T11 1T11 1T11 1T11 1T11 1T11 1T11 2

3 MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO As medidas macroprudencias adotadas pelo Banco Central do Brasil demonstram que a moderação no crédito é um fator essencial para conter as pressões inflacionárias que ameaçam o país. A circular do Bacen de dezembro de 2010 aumentou a exigência de capital para determinadas operações financeiras e nos colocou em uma posição privilegiada frente ao mercado. Nossa capitalização nos permite dar continuidade a originação de novos negócios de forma bastante sustentável. Acreditamos que o cenário é de oportunidade e por isso alcançamos R$ 302 milhões de originação de crédito consignado neste trimestre, resultando em um crescimento de 4,8% da carteira de crédito. Estamos concluindo a estruturação da área de middle market, alinhando a estrutura a nossa estratégia de crescer no Paraná e em São Paulo. Auxiliados por um empresa de consultoria, que trabalhou conosco no redirecionamento do negócio, estamos agora adequando a estrutura e os processos dessa área. Temos convicção de que quando estivermos com a estrutura adequada ao negócio teremos capacidade de alcançar volumes relevantes, diversificados e, com exposição individual limitada a valores condizentes ao porte de cada tomador. Na área de seguros destacamos que a JMalucelli Seguradora apresentou um bom resultado no primeiro trimestre de 2011, experimentando um incremento de 34,9% no volume de prêmios de seguro garantia em relação ao mesmo período de Este aumento dos prêmios confirma a expectativa de crescimento do mercado proporcionada pelos grandes investimentos em infraestrutura que estão ocorrendo e que devem acontecer nos próximos anos no Brasil. Existe ainda a expectativa de homologação do RDC Regime Diferenciado de Contratação que deve alterar as regras para licitações públicas no Brasil e consequentemente expandir o potencial do mercado de seguro garantia. E por fim a operação com a Travelers nos possibilita dar início a uma parceria muito produtiva e promissora. Já mudamos a nossa sede de seguros e resseguros para um ambiente maior e começamos a estruturar a nossa equipe de P&C, que será unida a equipe atual de seguro garantia e ficará locada em São Paulo. Dois diretores indicados pela Travelers já estão atuando na operação, assumindo a área planejamento estratégico e o cargo de CFO, ambos na holding de seguros. Estamos otimistas com o braço de seguros do Paraná Banco e temos como meta manter a nossa liderança no mercado de seguro garantia ao mesmo tempo que iniciamos nossas operações de Property and Casualty P&C de braços dados com a Travelers. 3

4 RENTABILIDADE Lucro Líquido, Lucro Líquido Ajustado,ROAE, ROAA e Margem Financeira Líquida (NIM) Lucro Líquido (R$ milhões) % YoY 50,0% % QoQ (0,6%) ,5% 39,1% 48,8% 1T11 Participação do setor de seguros No 1T11, o lucro líquido consolidado foi de R$ 33,5 milhões. O resultado é estável em relação ao registrado no, e 50,0% superior quando comparado ao registrado no mesmo perído de Esta elevação é resultado de uma receita de juros e de TVM superior e pelo bom desempenho das operações de seguro e resseguro no período. A seguradora JMalucelli e a JMalucelli Re foram responsáveis por 48,8% do lucro no 1T11. Com um patrimônio líquido de R$ 854,7 milhões, o ROAE consolidado no 1T11 foi de 16,9% e ficou 0,5 p.p. abaixo do registrado no trimestre imediatamente anterior e 5,2 p.p. acima do registrado no. O ROAA apresentou comportamento similar, estável em relação ao e 1,1 p.p. acima do registrado no, fechando o trimestre em 4,4%. O ativo total encerrou o trimestre em R$ 3.188,5 milhões. Ajustando o lucro líquido para eventos extraordinários ocorridos no (mudança contábil da provisão de crédito consignado, adiantamento da comissão e antecipação do PLR dos administradores das seguradoras JMalucelli) e no (encerramento do FIDC Paraná Banco II), na comparação entre os resultados o lucro líquido ajustado do 1T11, de R$ 32,5 milhões, se mostra 7,3% superior ao realizado no e 35,1% ao. O ROAE ajustado foi de 16,4% no trimestre e o ROAA atingiu 4,2%. 1T11 Lucro Líquido Contábil Eventos Extraordinários (998) (3.430) (-) Efeitos fiscais de Ágio (998) (998) (998) (-) Alteração de provisões - (6.282) - (+) Adiantamentos de comissões (+) Arrasto de Provisão para Prejuízo (+) Prejuízo com TVM (FIDC II) (+) Provisão de PLR das seguradoras JMalucelli Lucro Líquido Ajustado A Margem Financeira Líquida (NIM) individual do trimestre foi de 11,8%, ante 10,6% no. O aumento no índice é resultado de uma redução de 22,3% na despesa com instrumentos financeiros derivativos. 4

5 Banco Individual Margem Financeira Líquida (NIM) Resultado da Intermediação Financeira antes da PDD ,6% ,7% Ativos rentáveis médios ,9% ,5% Aplicações interfinanceiras (média) (46,1%) (85,9%) Saldo inicial (82,0%) (84,9%) Saldo final ,7% (86,2%) Títulos e valores mobiliários e derivativos (média) (4,3%) ,1% Saldo inicial (10,6%) ,0% Saldo final ,7% ,6% Operações de crédito (média) ,4% ,8% Saldo inicial ,2% ,7% Saldo final ,5% ,9% Margem de intermediação financeira anualizada antes da provisão 11,8% 10,6% 1,2 p.p. 12,9% (1,1 p.p.) 1T11 DESEMPENHO FINANCEIRO Resultado da intermediação financeira R$ mil 1T11 Receitas da Intermediação Financeira ,0% ,7% Operações de Crédito ,0% ,6% Resultados de Operações com TVM (2,6%) ,1% Despesas da Intermediação Financeira (60.246) (52.340) 15,1% (41.098) 46,6% Operações de captação no mercado (45.376) (43.486) 4,3% (27.041) 67,8% Despesas de captação no mercado (45.376) (43.486) 4,3% (27.041) 67,8% Despesa com depósitos (40.500) (38.358) 5,6% (22.348) 81,2% Despesa com emissão externa (4.876) (5.128) (4,9%) (4.693) 3,9% Resultado com instrumentos financeiros derivativos (3.715) (7.570) (50,9%) (1.606) 131,3% Contratos de SWAP (8.785) (11.302) (22,3%) (7.799) 12,6% Variação cambial ,8% (18,1%) Provisão para perdas com créditos (11.155) (1.284) 768,8% (12.451) (10,4%) Resultado da Intermediação Financeira (5,0%) ,8% A tabela acima analisa o resultado da intermediação financeira e apresenta uma reclassificação das contas formadoras da despesa da intermediação financeira, não alterando o resultado bruto da intermediação financeira. A análise gerencial visa facilitar o entendimento da contabilização dos contratos de swap, das despesas com juros de emissão externa e da variação cambial. As receitas da intermediação financeira aumentaram em 4,0% no 1T11 quando comparadas com o trimestre anterior e 34,7% comparadas ao, somando R$ 122,0 milhões. O desempenho reflete a evolução positiva da receita com operações de crédito, que contribuiu com 78,0% das receitas da intermediação financeira, totalizando R$ 95,1 milhões. Este resultado representa um crescimento de 6,0% em relação ao e de 22,6% ante o. O resultado de operações com TVM atingiu R$ 26,9 milhões, mais que o dobro do obtido no e 2,6% inferior ao registrado no. 5

6 As despesas com a intermediação financeira totalizaram R$ 60,2 milhões ante R$ 52,3 milhões no, o que representa aumento de 15,1%. No entanto, excluindo da comparação a despesa com provisão (que no foi extraordinariamente afetada por uma mudança na provisão de contratos consignados) a despesa da intermediação financeira do 1T11 foi 3,8% inferior ao registrado no trimestre imediatamente anterior. Quando comparado com o mesmo trimestre de 2010, a despesa com a intermediação financeira apresentou um aumento de 46,6%, justificado pelo aumento no custo de captação que acompanha o crescimento da taxa básica de juros (CDI acumulado de 2,02% no ante 2,64% no 1T11) e o próprio crescimento de 37,2% da carteira de depósitos. A despesa com depósitos apresentou um crescimento de 81,2% na comparação anual, subindo de R$ 22,3 milhões no para R$ 40,5 milhões no 1T11. Quanto aos instrumentos financeiros derivativos, na análise apresentada acima as contas de despesa com contratos de swap e de variação cambial, que contabilmente são contrabalanceadas entre si, estão gerencialmente contabilizadas em resultado com instrumentos financeiros derivativos. A emissao de USD 100 milhões permanece com 100% do principal protegido contra a variação cambial, enquanto a tranche de USD 35 milhões, que vence em agosto deste ano, está com 100% do principal e juros protegidos. No 1T11, o resultado da intermediação financeira, refletindo o aumento nas receitas com operações de crédito e a volta a normalidade da despesa com provisão, somou R$ 61,7 milhões ante R$ 49,5 milhões no, o que representa crescimento de 24,8%. Quando comparado com o trimestre imediatamente anterior, o resultado apresentou redução de 5,0%, mas ganho de 10,0% quando desconsiderado o efeito da despesa de provisão no. Índice de eficiência Índice de Eficiência (R$ mil) 1T11 Despesas de pessoal (14.830) (10.530) 40,8% (9.723) 52,5% Outras despesas administrativas (22.643) (25.302) (10,5%) (18.237) 24,2% Despesas tributárias (4.765) (4.401) 8,3% (3.884) 22,7% Resultado da Intermediação Financeira (5,0%) ,8% Outras receitas / despesas operacionais ,7% (384) (1697,7%) Receita de prestação de serviços ,1% ,7% Outras receitas de seguro* ,1% ,0% Índice de Eficiência 45,2% 46,1% (1,0 p.p.) 50,4% (5,3 p.p.) * Resultado da soma de prêmios de seguros, prêmios de cosseguros e resseguros cedidos, variação de provisão técnica de seguros e sinistros retidos No 1T11, o índice de eficiência foi de 45,1%, 0,1 p.p. inferior ao registrado no trimestre imediatamente anterior. A melhora do índice reflete a participação do setor de seguros. Na relação do 1T11 com o o índice mostrou melhora de 5,3 p.p., motivado, além da participação do setor de seguros, por um aumento no resultado com a intermediação financeira. O Paraná Banco tem adotado um controle rigoroso de despesas acompanhando mensalmente todos os departamentos da Companhia. Este controle faz parte das metas dos colaboradores e tem se mostrado bastante eficiente, uma vez que estimula a Companhia como um todo a pensar e operar em busca de um objetivo único. 6

7 Despesas Pessoal, Administrativa e de Comissão. Despesas Consolidado em R$ mil 1T11 Despesa de Pessoal (14.830) (10.530) 40,8% (9.723) 52,5% Outras Despesas Administrativas (22.643) (25.302) (10,5%) (18.237) 24,2% Despesa de comissão - Consignado e CDC Lojista (7.301) (13.139) (44,4%) (6.700) 9,0% Receita de resseguro / Despesa de corretagem (66,6%) (64,6%) Serviços técnicos especializados (7.244) (5.510) 31,5% (9.770) (25,9%) Outras (10.465) (13.740) (23,8%) (8.453) 23,8% A despesa de pessoal no 1T11 somou R$ 14,8 milhões, 40,8% superior ao registrado no trimestre imediatamente anterior. Isto aconteceu por conta de uma despesa de pessoal de R$ 2,8 milhões da JMalucelli Participações em Seguros e Resseguros que foi contabilizada na conta de outras despesas administrativas na consolidação dos números do. Uma análise através da reclassificação deste efeito para a despesa de pessoal no, mostra que a variação trimestral real desta linha foi de 11,3%, o que reflete a ampliação no quadro de funcionários no braço de seguros do Paraná Banco. Na estruturação das operações de P&C algumas contratações já foram realizadas e a expectativa é de que novas sejam feitas até o final de A base das operações de P&C será em São Paulo e a nova estrutura será acoplada a atual infraestrutura existente de seguro garantia. A conta de outras despesas administrativas encerrou o 1T11 com um volume de R$ 22,6 milhões, valor 10,5% inferior ao registrado no trimestre imediatamente anterior. Expurgando-se o efeito de R$ 2,8 milhões do, a comparação trimestral reflete um crescimento real de 0,6% no 1T11 em relação ao. A despesa de comissão apresentou um recuo de 44,4% no 1T11, motivado pelo adiantamento excepcional de R$ 2,9 milhões de comissão de créditos consignados mantidos em nível H no, além do programa de bonificações de final de ano realizado pela Companhia aos seus correspondentes bancários. A despesa de comissão registrada no 1T11 é recorrente e segue o seu curso normal. Imposto de renda Exclui-se do resultado para fins de cálculo do imposto devido o benefício fiscal gerado no pagamento de juros sob o capital próprio, a amortização de ágios e as despesas com programas sócio culturais patrocinados pela Companhia. O imposto de renda e contribuição social devido no 1T11 foi de R$ 17,5 milhões. Imposto de renda e contribuição social (R$ mil) 1T11 1T11 X Resultado antes da tributação* ,5% Encargos do IR e da contribuição social (20.348) (12.521) 62,5% Exclusões (adições) permanentes (20,0%) Juros sobre o capital próprio ,1% Amortização de Ágio n.d. Outras (601) (143,5%) IR e contribuição social devidos sobre o resultado (17.481) (8.937) 95,6% * Após as participações em controladas e com exclusão da despesa com Juros sobre Capital Próprio 7

8 DESEMPENHO DAS OPERAÇÕES DE SEGUROS E RESSEGUROS Lucro Líquido No 1T11 o lucro líquido da JMalucelli Seguradora atingiu R$ 11,5 milhões enquanto a JMalucelli Resseguradora obteve lucro de R$ 4,9 milhões, crescimento de 25,1% e 35,6% respectivamente em relação ao trimestre imediatamente anterior. A JMalucelli Seguradora de Crédito permanece inativa no seguro de crédito e operacionalizando apenas o seguro DPVAT atualmente. Esta empresa apresenta um valor estratégico para a Companhia, uma vez que é uma seguradora com autorização da SUSEP para operar a qualquer momento. Com a parceria firmada com a Travelers a intenção é transformar a JMalucelli Seguradora de Crédito em uma seguradora especializada em produtos de Property & Casualty (P&C). Juntas, as operações de seguro JMalucelli obtiveram um lucro líquido de R$ 16,4 milhões no 1T11, contribuindo com 48,8% do resultado consolidado da Companhia no período. Esta participação tem se mostrado crescente e a expectativa é que alcance ainda mais relevância no futuro, uma vez que o seu desempenho está correlacionado aos investimentos em infraestrutura no país. Em 2010 o mercado de seguro garantia apresentou estabilidade quando comparado com 2009, resultado do adiamento de uma série de investimentos públicos. Esperamos que a retomada dos investimentos a partir deste ano beneficiará as operações de seguro garantia. A parceira firmada com a Travelers Companies também coloca no nosso horizonte muitas oportunidades de crescimento e negócios. Temos a expectativa de iniciar nossas operações no segmento de P&C na segunda metade do ano. Pretendemos, no curto prazo, explorar as necessidades dos nossos clientes oferecendo produtos relacionados ao seguro garantia, como os riscos de engenharia e Directors & Officers (D&O), e paralelamente pretendemos intensificar a participação da JMalucelli Resseguradora no mercado de resseguros da América Latina. No médio prazo, teremos a oportunidade de explorar as demandas de produtos dos mais de 2 mil corretores de seguro que mantemos relacionamento. A nossa nova estrutura operacional será desenvolvida através da parceria firmada com a Travelers, explorando todo o know how que esta renomada seguradora pode nos oferecer. Prêmios emitidos No trimestre o volume de prêmios emitidos pela JMalucelli Seguradora foi de R$ 70,5 milhões, registrando crescimento de 29,8% quando comparado ao. Analisando apenas o seguro garantia, o crescimento do volume de prêmios emitidos pela JMalucelli Seguradora entre o 1T11 e o foi de 39,4%, valor bem superior ao registrado pelo mercado de seguro garantia que no mesmo período cresceu 12,6%. Destaca-se no período a emissão dos seguros epcistas para a construção da usina hidroelétrica de Belo Monte, a 3ª maior Usina Hidroelétrica do mundo, e a participação das seguradoras JMalucelli em apólices de menor porte, que ganham volume e pulverizam a carteira de seguros. A experiência e os procedimentos na concessão de apólices de seguro garantia permitem que a JMalucelli Seguradora venha mantendo sua liderança neste segmento desde No 1T11 a JMalucelli Seguradora registrou um market share em prêmios diretos de 34,1%, 5,8 p.p. superior ao registrado no, segundo dados da SUSEP. O volume de prêmios de resseguros diretos emitidos pela JMalucelli Resseguradora no 1T11 foi de R$ 36,0 milhões. A JMalucelli Resseguradora na categoria de riscos financeiros, que engloba seguro garantia e seguro de crédito, registrou participação de mercado de 18,1% até fevereiro de

9 Evolução do market share - prêmio direto (R$ mil) ,0% 42,3% 50,4% 43,0% 32,6% 40,4% ,1% mar/11 JMalucelli Seguradora Mercado Market share por prêmios de resseguro - categoria de ricos financeiros 17,8% 0,2% IRB BRASIL RESSEGUROS S/A 28,7% MUNICH RE DO BRASIL RESSEGURADORA S.A. J. MALUCELLI RESSEGURADORA S.A. 25,1% 28,1% MAPFRE RE DO BRASIL CIA DE RESSEGURO AUSTRAL RESSEGURADORA S.A. Sinistralidade A sinistralidade retida (sinistro retido / prêmio retido) da JMalucelli Seguradora no 1T11 foi negativa em 0,2%, o que revela uma reversão de sinsitro provisionado, enquanto o mesmo índice para o mercado, excluindo-se a JMalucelli Seguradora, foi de 22,4%. A capacidade da JMalucelli Seguradora em manter seu índice de sinistralidade em níveis muito inferiores aos do mercado, dá suporte ao bom relacionamento que a seguradora mantém com os resseguradores internacionais, que são fundamentais na emissão de apólices de grande porte. Os baixos índices de sinistralidade são consequência da expertise herdada pelo Grupo JMalucelli, que tem como origem uma empresa especializada em construção pesada, da sua excelência em análise de crédito e risco e da especialidade de suas operações no mercado de seguro garantia. O foco neste mercado possibilita as seguradoras JMalucelli a terem uma equipe especializada de 218 colaboradores focados em um mercado específico. De forma passiva e em menor proporção, a JMalucelli Seguradora atua também no segmento do seguro DPVAT, não possuindo qualquer estrutura administrativa ou comercial voltada para o atendimento deste produto. Sua participação neste convênio é feita por meio de adesão e sua continuidade é anualmente avaliada. Apesar do DPVAT apresentar elevada sinistralidade, conforme demonstrado na tabela abaixo, este produto proporciona resultado positivo para o grupo segurador sem originar esforços de venda e análise para a equipe. No 1T11 as operações de seguro DPVAT contribuiram em R$ 0,7 milhão para o resultado da JMalucelli Seguradora. 9

10 R$ milhões 1T11 Prêmios diretos JM Seguradora (31,0%) ,8% DPVAT ,8% ,3% Seguro Garantia (39,2%) ,9% Prêmios retidos JM Seguradora ,0% ,6% Sinistros de seguro JM Seguradora (10.224) (5.672) 80,3% (9.937) 2,9% DPVAT (10.249) (5.010) 104,6% (9.445) 8,5% Seguro Garantia 25 (661) (103,8%) (492) (105,1%) Prêmios retidos JM RE (32,9%) ,0% Prêmios retidos JM Seguradora + JM RE (1,3%) ,4% Índice Combinado A JMalucelli Seguradora encerrou o 1T11 com índice combinado de 65,1%, demonstrando a excelente eficiência operacional da seguradora. No índice ampliado, considerando também receitas e despesas financeiras, a seguradora finalizou o período com 47,3%. Os índices registram uma melhora de 1,3 p.p. e 7,7 p.p., respectivamente, em relação ao. Apesar de não estar entre as maiores seguradoras em patrimônio líquido do mercado de seguros brasileiro, a JMalucelli Seguradora, de acordo com dados da SISCORP (Sistemas Corporativos), situa-se em 2º lugar no ranking de melhor índice combinado do mercado em 2010 e R$ milhões 1T11 Apólices emitidas JM Seguradora (24,9%) ,6% Apólices emitidas JM Resseguradora (24,9%) ,2% Índice combinado JM Seguradora (%) 65,1 66,4 (1,3 p.p.) 77,7 (12,5 p.p.) Índice combinado ampliado JM Seguradora (%) 47,3 55,0 (7,7 p.p.) 64,9 (17,6 p.p.) Lucro líquido JM Seguradora ,1% ,2% Patrimônio líquido JM Seguradora ,6% ,6% ROAE JM Seguradora 32,9% 27,7% 0,1 p.p. 26,1% 0,1 p.p. Lucro líquido JM Resseguradora ,6% ,9% Patrimônio líquido JM Resseguradora ,7% ,5% ROAE JM Resseguradora 19,7% 14,9% 0,0 p.p. 13,5% 0,1 p.p. Distribuição Distribuição dos prêmios por estado No 1T11 25,6% dos prêmios emitidos pela JMalucelli Seguradora estavam distribuídos em clientes localizados no estado do Rio de Janeiro, 24,3% em São Paulo e 24,0% no Pará, sendo o restante distribuído nos demais estados. 2,7% 3,1% 3,2% 3,7% 8,3% 25,6% RIO DE JANEIRO SAO PAULO PARA MINAS GERAIS 5,2% BAHIA PERNAMBUCO PARANA 24,0% 24,3% SANTA CATARINA Outros 10

11 Política de investimentos Em março de 2011, o saldo das aplicações financeiras da JMalucelli Seguradora, JMalucelli Resseguradora e JMalucelli Seguradora de Crédito era de R$ 460,4 milhões, valor 6,8% superior ao registrado em dezembro de Deste total, 70,4% estava alocado em ativos de renda fixa, 11,0% em um fundo de investimento exclusivo da FENASEG, 7,6% em títulos públicos, 6,6% em fundos multimercado e 4,4% em ativos de renda variável. As receitas financeiras advindas desta carteira representaram R$ 12,8 milhões no 1T11. A rentabilidade média das aplicações no 1T11 alcançou 107,1% do CDI. Os recursos alocados em renda variável estão 100% investidos em um fundo de ações cujo portfólio é composto majoritariamente por ações de empresas que pagam dividend yield superior a 6% ao ano, há pelo menos três anos. A política de investimentos do braço de seguros do Paraná Banco visa definir metas, limites e metodologias para a gestão de investimentos de forma a maximizar retornos de acordo com as diretrizes definidas pela legislação em vigor. A política define, por exemplo, como limite mínimo de alocação, que 20% das reservas técnicas devem ser alocadas em títulos do governo. Para o total das aplicações financeiras, até 100% podem ser destinadas para investimentos de baixo risco, ou seja em Instituições com classificação de risco AAA, DPGE s ou Títulos Públicos Federais, até 20% em renda fixa de Instituições com classificação de risco superior a AA-, e 10% para investimentos de renda fixa em instituições com classificação de risco superior a BBB - A política define ainda como teto máximo 8% dos investimentos alocados em fundos multimercado e 5% em renda variável. Carteira da aplicações financeiras (R$ milhões) 324,2 20,1 30,6 50,7 6,9% 460,4 Outros = R$ 32,4 DPGE = R$ 259,5 69,9% 34,9 Títulos Públicos CDB = R$ 32,3 Renda Fixa Renda Variável Fundo Multimercado Fundo de investimentos 18,5% Total 11

12 Rentabilidade das Aplicações Financeiras 2,6% 2,8% 1T11 CDI Aplicações JM Seguros DESEMPENHO OPERACIONAL Gestão de Ativos e Passivos Em março de 2011, os ativos totais somaram R$ 3.188,5 milhões ante R$ 2.929,4 milhões na mesma data de 2010 e R$ 3.037,0 milhões em dezembro de O ROAA do trimestre foi de 4,4%, com aumento de 1,1 p.p. quando comparado com o e estabilidade na comparação com o. No 1T11 as operações de crédito representaram 51,0% dos ativos, títulos e valores mobiliários 30,9% e outros ativos 18,1%. Evolução dos Ativos Totais (R$ mil) T11 Operações de Crédito TVM Outros A carteira de TVM apresentou evolução de 26,9% em relação a março de 2010 e foi 4,6% superior ao registrado em dezembro de A carteira de TVM é composta basicamente por operações compromissadas lastreadas em Letras Financeiras do Tesouro (LFT) e com vencimentos superiores há um ano. Os gráficos abaixo ilustram o casamento de prazos entre ativos e passivos. A análise dos prazos mostra que enquanto 46,4% da carteira de crédito têm vencimento em até 1 ano, 56,2% da captação vence no mesmo período. 12

13 Carteira de Crédito - Operações a vencer Captação - Operações a Vencer 16,0% 20,8% Até 3 Meses 15,7% 27,1% Até 3 Meses De 3 a 12 Meses De 3 a 12 Meses 37,6% 25,6% De 1 a 3 anos Acima de 3 anos 28,1% De 1 a 3 anos Acima de 3 anos 29,2% Operações de crédito A carteira de crédito do Paraná Banco é composta por operações de crédito consignado, middle market e operações de CDC Lojista, conforme o quadro abaixo. R$ 1T11 Carteira de Crédito Ampliada ,6% ,5% Crédito Consignado ,8% ,5% Middle Market (17,2%) (1,2%) Operações de Crédito (18,0%) (3,4%) Fiança Bancária (9,9%) ,5% CDC Lojista (0,5%) ,2% Outros ,0% ,6% Em março de 2011 a carteira de crédito ampliada (que inclui avais e fianças) totalizou R$ 1.646,1 milhões, 4,6% superior ao registrado no e 21,5% superior ao. Do total da carteira de crédito consolidada do Paraná Banco em março o crédito consignado representava 84,9%, seguida de uma participação de 10,7% de crédito a middle market, 2,1% de CDC Lojista e 2,3% referente à aquisições de crédito e ao saldo remanescente da carteira de CDC Veículos, descontinuada em Parte dos R$ 38,5 milhões de carteira classificadas em outros também é formada pelo avanço do Paraná Banco no mercado de varejo de financiamento ao consumo, firmando novas parcerias com lojistas para exercer o papel de provedor de funding na emissão de cartões de crédito principalmente nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A estratégia do Banco é aumentar a participação da carteira de middle market na carteira consolidada por meio do foco em empresas do Paraná, onde o Grupo JMalucelli tem uma atuação intensa, e em São Paulo por meio de uma sinergia com os clientes da JMalucelli Seguradora. Qualidade da carteira de crédito 13

14 O gráfico abaixo apresenta a evolução da carteira de crédito acrescida do saldo da carteira cedida com coobrigação e do índice de provisão para devedores duvidosos. A diminuição deste indicador no deveu-se a queda acentuada da provisão por conta de uma reclassificação dos contratos de crédito consignado anteriormente desfavorecidos pelo efeito arrasto. Desta forma, o gráfico demonstra a volta dos índices de provisão e inadimplência a normalidade, o que já era um movimento esperado. Evolução da Carteira de Crédito - Consolidada (R$ milhões) 1.800, , , , ,0 800,0 600,0 400,0 200, , , , , ,4 4,3% 4,0% 3,9% 3,3% 3,2% 2,7% 2,4% 2,4% 1,9% 1,9% 75,1 52,1 36,5 26,2 18,7 2T10 3T10 1T11 7,0% 6,0% 5,0% 4,0% 3,0% 2,0% 1,0% 0,0% Saldo da cessão de crédito PDD/Carteira de crédito Operações de Crédito Nível H/Carteira de crédito No quadro abaixo, é possível visualizar a análise do índice de cobertura da carteira consolidada. A provisão constituída no 1T11, de acordo com a Resolução 2682 do Banco Central, foi de R$ 52,1 milhões. Isto proporciona um índice de cobertura da carteira de crédito vencida a mais de 90 dias de 101,6% e a mais de 180 dias de 175,4%. A análise de cobertura da carteira é feita levando-se em conta a carteira consolidada do banco e o saldo dos créditos cedidos com coobrigação, o qual encerrou março de 2011 com saldo de R$ 18,7 milhões. R$ 1T11 PDD* ,4% (13,8%) Carteira vencida (> 60 dias) (0,5%) (7,6%) Carteira vencida (> 90 dias) (2,0%) (9,3%) Carteira vencida (> 180 dias) ,2% (11,6%) Carteira Total* (a) ,2% ,4% Índice de cobertura da carteira (PDD / > 60 dias) 81,4% 80,6% 0,7 p.p. 87,3% -5,9 p.p. Índice de cobertura da carteira (PDD / > 90 dias) 101,6% 99,1% 2,5 p.p. 106,9% -5,4 p.p. Índice de cobertura da carteira (PDD / > 180 dias) 175,4% 185,7% -10,2 p.p. 180,0% -4,6 p.p. PDD / Carteira Total 3,2% 3,3% (0,1 p.p.) 4,3% (1,1 p.p.) Créditos Baixados a Prejuízo (b) ,4% (60,2%) Nível de perda (b/a) 0,49% 0,49% 0,0 p.p. 1,44% (0,9 p.p.) * Inclui o saldo carteira de crédito cedida com coobrigação Crédito Consignado 14

15 A maior concentração da carteira de crédito consignado do Paraná Banco em março de 2011 estava nas operações de crédito com funcionários dos governos estaduais (44,9%), seguido de prefeituras (27,6%), aposentados e pensionistas do INSS (22,4%), entidades federais (4,9%) e outros convênios (0,2%). Esta pulverização dilui o risco regulatório e de concentração da carteira. Distribuição da Carteira de Crédito Consignado 4,9% 0,2% Governos Estaduais Prefeituras 22,4% 27,6% 44,9% INSS Entidades Federais Outros Evolução da originação de crédito consignado (R$ milhões) 233,6 340,4 325,1 277,9 302,1 2T10 3T10 1T11 A originação de crédito consignado no 1T11 foi de R$ 302,1 milhões, volume 8,7% superior ao registrado no trimestre anterior e 29,3% superior ao originado no. Nesse trimestre percebemos uma originação superior e, atribuimos isso a maior exigência de capital imposta pelo BACEN nas operações para pessoas físicas acima de 36 meses que nos favoreceu por estarmos bem capitalizado. Para a distribuição de crédito consignado, o Paraná Banco, além do tradicional canal de vendas de correspondentes bancários, também utiliza canais de venda alternativos formados por lojas próprias e correspondentes bancários exclusivos. No 1T11, as lojas próprias e correspondentes bancários exclusivos foram responsáveis por 51,0% da originação de crédito consignado. Hoje estão em operação 14 lojas próprias e 85 correspondentes bancários exclusivos. O crédito consignado à funcionários públicos, aposentados e pensionistas do INSS, é tradicionalmente considerado como de baixo risco de crédito. Desta forma, dada a grande concentração nestas operações, o Paraná Banco possui uma carteira de crédito de excelente qualidade. O quadro abaixo apresenta a classificação de risco da carteira de crédito consignado segundo normas do Banco Central, sendo a categoria A de menor risco e a categoria H de maior risco. 15

16 Classif. Provisão Requerida Carteira Cessão Carteira + Cessão Classif. / Carteira + Cessão Provisão Carteira Provisão Cessão Provisão Total A 0,5% ,3% B 1,0% ,0% C 3,0% ,1% D 10,0% ,7% E 30,0% ,5% F 50,0% ,4% G 70,0% ,4% H 100,0% ,5% Total ,0% Ao final de março, 96,4% da carteira de consignado do banco estava classificada entre AA e C, 2,0% entre D e G e 1,5% da carteira estava classificada no nível H. Enquanto a inadimplência, acima de 90 dias, registrada para pessoa física no SFN em dezembro era de 5,9%, a inadimplência do Paraná Banco para o crédito consignado era de 2,8%. Middle Market Em 2007, o Paraná Banco iniciou suas operações no segmento de middle market, contando hoje com equipes especializadas em Curitiba/PR, Londrina/PR, Florianópolis/SC e São Paulo/SP. O Banco tem investido na estruturação deste produto com objetivo de aumentar sua participação nesta modalidade de crédito. Distribuição Setorial - Middle Market 0,1% Serviços 13,0% 67,5% Indústria O saldo de carteira deste segmento em março de 2011, 19,5% Comércio considerando fianças, era de R$ 175,7 milhões, o que demonstra um recuo de 17,2% quando comparada a dezembro de 2010 e estabilidade na comparação com o. O que observou-se no trimestre foram algumas liquidações antecipadas expressivas que diminuiram a carteira em março. No entanto, estamos aprovando bons e novos limites contando com um índice de capital tomado ante limite liberado em março de 42,3%. Estamos trabalhando na estruturação da área de middle market - estudando novos produtos para o nosso portfólio que nos possibilite aumentar o cross-selling com os nossos clientes. Com novos produtos poderemos explorar com mais efetividade o potencial de endividamento das empresas para as quais oferecemos crédito. Um fato muito positivo é que a carteira de middle market do Paraná Banco tem se mantido com uma excelente qualidade. No quadro abaixo apresentamos a carteira de crédito de middle market classificada em níveis de risco segundo normas do Banco Central. Classif. Provisão Requerida Carteira A 0,5% ,1% 17 B 1,0% ,0% C 3,0% ,4% 487 D 10,0% ,8% 130 E 30,0% - 0,0% 0 F 50,0% - 0,0% 0 G 70,0% - 0,0% 0 H 100,0% ,5% Total ,0% % da Carteira Provisão Total

17 O Paraná Banco encerrou março com 2,5% da carteira middle market registrada entre os níveis E a H (créditos vencidos e em curso normal acima de 90 dias). Este número mantém-se inferior quando comparado ao nível de inadimplência de pessoa jurídica no SFN, no qual o atraso acima de 90 dias foi de 3,6% no mesmo período. CDC Lojista O CDC Lojista é uma linha de crédito dedicada ao financiamento da compra de produtos e serviços oferecidos por lojas e redes de varejo. É um produto destinado a pessoas físicas que atende a necessidade de lojistas de oferecer crediário aos seus clientes. O quadro abaixo apresenta a carteira de CDC Lojista do Paraná Banco classificada em níveis de risco, segundo normas do Banco Central. Classif. Provisão Requerida Carteira % da Carteira Provisão Total A 0,5% ,2% 112 B 1,0% ,8% 20 C 3,0% ,1% 54 D 10,0% ,0% 141 E 30,0% 948 2,7% 284 F 50,0% 864 2,5% 432 G 70,0% 960 2,7% 672 H 100,0% ,0% Total ,0% Funding Fontes de Captação (R$ milhões) 1.458,3 223,7 18, T10 3T10 1T11 FIDCs Cessão de Créditos MTN Depósitos A principal fonte de captação do Paraná Banco são os depósitos a prazo. Em março de 2011, os depósitos totais somaram R$ 1.458,3 milhões, 12,0% superior ao registrado em dezembro de 2010, e 37,2% superior a março de Desde que realizou IPO, em junho de 2007, o Paraná Banco apenas se utilizou de cessão de crédito para outras instituições em dezembro de 2008, no ápice da crise econômica mundial, visando liquidez. O saldo remanescente desta cessão é de R$ 18,7 milhões. Do total de depósitos a prazo emitidos, apenas um saldo de R$ 92,7 milhões foram emitidos na forma de DPGE (Depósito a Prazo com Garantia Especial do Fundo Garantidor de Crédito). O limite para captação por meio de 17

18 DPGE será reduzido progressivamente a partir de 2012, conforme resolução do Banco Central de dezembro de Abaixo, está demonstrada a distribuição dos depósitos por tipo de investidor e a posição das captações externas em vigência. Os depósitos respondem por 86,7% do total de funding do Paraná Banco, enquanto as emissões de Eurobonds representam 13,3%. O Banco possui em aberto atualmente um programa de US$ 300 milhões para emissão de Eurobonds pelo qual já foram emitidos U$ 35 milhões com vencimento em agosto de 2011 e U$ 100 milhões com vencimento em dezembro de As operações captadas no exterior são protegidas contra a variação cambial por meio de operações de swap, com o objetivo de não expor o Banco ao risco de flutuação da moeda. Captação (R$ mil) 1T11 Captação total (R$mil) ,1% ,8% Depósitos totais ,0% ,2% Investidores institucionais ,1% ,7% Partes relacionadas ,0% ,0% Pessoas físicas ,5% ,4% Pessoas jurídicas ,3% ,1% Instituições financeiras (8,1%) ,6% FIDC - - n.d. - n.d. Emissão de Eurobonds (1,2%) (8,0%) Tranche de U$ 35 milhões (0,6%) (6,5%) Tranche de U$ 100 milhões (1,5%) (8,5%) Patrimônio Líquido e Alavancagem O Paraná Banco encerrou março de 2011 com patrimônio líquido de R$ 854,7 milhões ante R$ 816,7 milhões no. A tabela abaixo demonstra as variáveis que influenciaram as contas do Patrimônio Líquido no período. Mutações do Patrimônio (R$ mil) 1T11 Saldo inicial Lucro líquido Juros sobre o capital próprio (6.175) (22.052) Ações em tesouraria - - Ajuste ao valor de mercado - TVM (313) (762) Saldo final O índice de Adequação de Capital, conforme os critérios exigidos pelo Bacen (Basiléia II) encerrou março de 2011 com margem para o limite de Basiléia de R$ 512,3 milhões. O índice de Basiléia no mesmo período foi de 32,75%, demonstrando o grande potencial de alavancagem do Banco. 18

19 Adequação de Capital Regras Basiléia II 1T11 3T10 2T10 Patrimônio de Referência Patrimônio de Referência Exigido Risco da Carteira de Negociação (R BAN ) Margem para o Limite de Basiléia Índice de Basiléia 32,75% 32,67% 33,20% 33,90% 36,02% GOVERNANÇA CORPORATIVA Atualmente, o Paraná Banco está listado entre as empresas do Nível 1 da BM&FBovespa, segmento que reúne empresas com diferenciadas práticas de Governança Corporativa. Adicionalmente às normas exigidas pelo Nível 1, o Banco confere 100% de tag-along para suas ações preferenciais. Abaixo, está indicada a estrutura acionária com data base em 31 de março de O percentual de ações em circulação na mesma data era de 25,7%. Estrutura Acionária ON PN Total % Grupo de controle ,7% Conselho de administração ,5% Diretoria ,0% Outras partes relacionadas ,1% Tesouraria ,0% Free-float ,7% Total ,0% O Paraná Banco já concluiu 8 programas de recompra de ações por meio dos quais adquiriu ações preferenciais já canceladas. Por meio destes programas o Paraná Banco beneficiou seus acionistas, aumentando a participação de cada um no capital social e possibilitando maior valor de juros sobre o capital próprio pago por ação. No 1T11 o Banco distribuiu R$ 0,07 centavos por ação em forma de JCP, o que equivale a um pay-out de 18,4% no trimestre. Em linha com o código das melhores práticas de Governança Corporativa do IBGC, o quadro de membros do Conselho de Administração do Paraná Banco possui um conselheiro independente, o Sr. Wesley Motechiari Figueira, reeleito pelo mandato de 2 anos na Assembléia Geral Ordinária de abril de Nesta mesma data o Sr. Alexandre Malucelli foi eleito o Presidente do Conselho de Administração do Paraná Banco, adicionando esta função a de Vice-Presidente da JMalucelli Seguradora e Presidente da JMalucelli Resseguradora. Ainda na AGO de 2011 o Paraná Banco instalou um novo Conselho Fiscal com três membros efetivos e três suplentes responsáveis por fiscalizar as atividades da administração, rever demonstrações financeiras da sociedade e reportar suas conclusões aos acionistas. O Conselho Fiscal é um órgão societário independente da administração e dos auditores independentes do Banco. 19

20 RATINGS O Paraná Banco possui cobertura de quatro agências de rating que corroboram a sua solidez e confortável situação econômico-financeiro, fundamentados em um crescimento sustentável e conservadora gestão dos seus ativos e exposição aos riscos. Em abril de 2011 a agência de classificação de risco Riskbank divulgou relatório com base nos números de dezembro de 2010, elevando o índice Riskbank de 11,34 para 11,42. Em seu relatório de rating a agência respaldou a elevação do índice na estrutura capitalizada apresentada pelo Paraná Banco, sua adequada liquidez e estabilidade nos indicadores. A RiskBank ressaltou ainda que a Companhia não depende de cessões de crédito para financiar seus ativos e, desta forma não foi abalada pela instabilidade do mercado gerada ao final de Por fim, a agência salienta o bom desempenho da JMalucelli Seguradora e da JMalucelli Resseguradora, especialistas em seguro garantia e responsáveis, juntas, por 48,8% do lucro líquido consolidado do 1T11. PRÓXIMOS EVENTOS Teleconferência Resultados do 1 Trimestre de 2011 Data: Quinta-feira, 12 de Maio de Português 14h30 (horário de Brasília) 13h30 (horário de Nova Iorque) Inglês 15h30 (horário de Brasília) 14h30 (horário de Nova Iorque) Telefone: (11) Senha: Paraná Banco Telefone: Brasil: (11) EUA: +1 (888) Outros países: +1 (786) Código: Paraná Banco 20

21 ANEXO I - DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS CONSOLIDADO (R$ milhares) 1T11 Receitas da intermediação financeira Operações de crédito Resultado de operações com títulos e valores mobiliários Despesas da intermediação financeira (60.246) (52.340) (57.394) Operações de captação de mercado (40.306) (39.753) (26.820) Resultado com instrumentos financeiros derivativos (8.785) (11.303) (16.649) Provisão para perdas com créditos (11.155) (1.284) (13.925) Resultado bruto da intermediação financeira Outras receitas (despesas) operacionais (9.776) (17.943) (14.018) Receitas de prestação de serviços Prêmios do seguro Prêmios de cosseguro e resseguros cedidos (46.337) (83.543) (67.171) Variação de provisões técnicas de seguros (6.457) (12.604) (14.680) Sinistros retidos (17.421) (10.096) (12.943) Despesas de pessoal (14.830) (10.530) (11.230) Outras despesas administrativas (22.643) (25.302) (24.734) Despesas tributárias (4.765) (4.401) (4.005) Outras receitas operacionais Outras despesas operacionais (6.132) (7.123) (6.165) Resultado operacional Resultado não-operacional 152 (32) 535 Resultado antes da tributação sobre o lucro e participações Imposto de renda e contribuição social (17.481) (6.242) (13.359) Imposto de renda - corrente (10.888) (753) (8.805) Contribuição social - corrente (6.636) (1.470) (5.385) Imposto de renda e contribuição social diferidos 43 (4.019) 831 Participações no lucro (442) (7.009) 18 Lucro Líquido

22 ANEXO II - BALANÇO PATRIMONIAL CONSOLIDADO (R$ milhares) 31/3/ /12/ /3/2010 Ativo Circulante Disponibilidades Aplicações interfinanceiras de liquidez Títulos e valores mobiliários Relações interfinanceiras Operações de crédito Operações de crédito - setor privado Provisão para perdas com operações de crédito (46.507) (46.276) (51.975) Outros créditos Outros valores e bens Realizável a Longo prazo Aplicações interfinanceiras de liquidez Títulos e valores mobiliários Operações de crédito Operações de crédito - setor privado Provisão para perdas com operações de crédito (4.691) (4.438) (5.794) Outros créditos Outros valores e bens Permanente Investimentos Imobilizado de uso Intangível Total (R$ milhares) 31/3/ /12/ /3/2011 Passivo Circulante Depósitos Captações no mercado aberto Recursos de aceites e emissão de títulos Relações interfinanceiras Instrumentos financeiros derivativos Outras obrigações Exigível a Longo prazo Depósitos Recursos de aceites e emissão de títulos Instrumentos financeiros derivativos Outras obrigações Resultado exercícios futuros Participação minoritária em controladas Patrimônio Líquido Capital social Reserva de capital Reservas de lucros Ajuste ao valor de mercado - títulos e valores mobiliários (627) (314) (142) Lucros/Prejuízos Acumulados Ações em tesouraria - - (20.549) Total

23 ANEXO III DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS SEGMENTADO DE 1T11 Financeiro Seguros Eliminações Consolidado Receitas da intermediação financeira Operações de crédito Resultado de operações com títulos e valores mobiliários Despesas da intermediação financeira (60.256) - 10 (60.246) Operações de captação no mercado (40.316) - 10 (40.306) Resultado com instrumentos financeiros derivativos (8.785) - - (8.785) Provisão para perdas com créditos (11.155) - - (11.155) Resultado bruto da intermediação financeira Outras receitas (despesas) operacionais (9.628) (16.544) (10.434) Receitas de prestação de serviços Prêmios de seguros (30.790) Prêmios de cosseguros e resseguros cedidos - (77.127) (46.337) Variação de provisões técnicas de seguros - (6.457) - (6.457) Sinistros retidos - (17.421) - (17.421) Despesa de pessoal (5.305) (4.262) (5.263) (14.830) Outras despesas administrativas (23.333) (5.834) (22.643) Despesas tributárias (2.058) (1.707) (1.000) (4.765) Resultado de participação em controladas (16.747) - Outras receitas operacionais (2.117) Outras despesas operacionais (4.217) (3.973) (6.132) Resultado operacional (16.534) Resultado não operacional (15) 152 Resultado antes da tributação sobre o lucro e participações e participações (16.549) Imposto de renda e contribuição social (6.418) (11.051) (12) (17.481) Imposto de renda - corrente (3.970) (6.901) (17) (10.888) Contribuição social - corrente (2.476) (4.150) (10) (6.636) Imposto de renda e contribuições sociais diferidos Participações no lucro - (313) (129) (442) Lucro líquido (16.690)

1T11. Principais. Destaques. Qualidade da Carteira de Crédito 4T09 3T09 4T08. 4T09 x 4T08

1T11. Principais. Destaques. Qualidade da Carteira de Crédito 4T09 3T09 4T08. 4T09 x 4T08 1T11 Disclaimer Todas as informações financeiras aqui apresentadas são consolidadas, abrangendo as demonstrações financeiras do Banco, suas controladas, a JMalucelli Seguradora, a JMalucelli Seguradora

Leia mais

A operação de seguros respondeu por 47,8% do resultado consolidado ajustado de 2011 e 51,2% do resultado ajustado do 4T11.

A operação de seguros respondeu por 47,8% do resultado consolidado ajustado de 2011 e 51,2% do resultado ajustado do 4T11. Todas as informações financeiras apresentadas neste documento são consolidadas, abrangendo as demonstrações financeiras do Banco, suas controladas, JMalucelli Seguradora, JMalucelli Seguros, JMalucelli

Leia mais

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 São Paulo, 25 de fevereiro de 2005 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia hoje seus

Leia mais

Resultados 1º Trimestre de 2008

Resultados 1º Trimestre de 2008 O BANCO CRUZEIRO DO SUL ANUNCIA SEUS DO 1T08 São Paulo, 12 de Maio de 2008 O Banco Cruzeiro do Sul (Bovespa - CZRS4), banco múltiplo privado operando principalmente no mercado de crédito pessoal com desconto

Leia mais

Bovespa: BBDC3, BBDC4 Latibex: XBBDC NYSE: BBD

Bovespa: BBDC3, BBDC4 Latibex: XBBDC NYSE: BBD PRESS RELEASE Bovespa: BBDC3, BBDC4 Latibex: XBBDC NYSE: BBD Segunda-feira, 3/5/2004 Divulgação dos Resultados do 1 º trimestre 2004 O Banco Bradesco apresentou Lucro Líquido de R$ 608,7 milhões no 1 º

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES O ano de 2016 começou com o cenário macroeconômico muito parecido de 2015, uma vez que o mercado continua com tendências negativas em relação a PIB, inflação e taxa de juros. Novamente a Ouro

Leia mais

Release de Resultado 4T14

Release de Resultado 4T14 BANCO BMG ANUNCIA SEUS RESULTADOS CONSOLIDADOS DO 4T14 São Paulo, 12 de fevereiro de 2015 O Banco BMG S.A. e suas controladas ( BMG ou Banco ) divulgam seus resultados consolidados referentes ao período

Leia mais

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 49% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 35% MARGEM DE EBITDA ATINGIU 29% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 3T06. As demonstrações financeiras

Leia mais

BRB ANUNCIA RESULTADOS DE 2015

BRB ANUNCIA RESULTADOS DE 2015 BRB ANUNCIA RESULTADOS DE 2015 Brasília, 22 de março de 2016 O BRB - Banco de Brasília S.A., sociedade de economia mista, cujo acionista majoritário é o Governo de Brasília, anuncia seus resultados do

Leia mais

4T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas

4T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas resultados 4T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Índice Análise Gerencial da Operação 3 Sumário Executivo 5 Análise do Resultado 15 Margem Financeira Gerencial 16 Receitas

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - 2T15 SENHORES ACIONISTAS

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - 2T15 SENHORES ACIONISTAS RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - 2T15 SENHORES ACIONISTAS Crédito Pessoal A Administração do Pan S.A. ( Pan, ou Companhia ) e suas subsidiárias submetem à apreciação dos Senhores o Relatório da Administração

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

1. CONTEXTO OPERACIONAL

1. CONTEXTO OPERACIONAL BANCO TRIÂNGULO S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 30 DE JUNHO DE 2002 E 2001 (Em milhares de reais) 1. CONTEXTO OPERACIONAL O Banco Triângulo S.A. é uma sociedade privada que opera

Leia mais

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Aos Srs. Acionistas Investco S.A. Anexo I - Comentários dos Diretores da Companhia Contas dos Administradores referentes ao exercício social encerrado em 31.12.2012.

Leia mais

PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES

PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES Introdução Em abril de 2009, a Fitch Ratings modificou a estrutura dos demonstrativos sintéticos que acompanham os relatórios dos bancos analisados, adotando um novo

Leia mais

Banco Cruzeiro do Sul. Apresentação Pública Investidores & Analistas

Banco Cruzeiro do Sul. Apresentação Pública Investidores & Analistas Banco Cruzeiro do Sul Apresentação Pública Investidores & Analistas Maio 2008 História Banco Cruzeiro do Sul O Banco foi adquirido pela família Indio da Costa em 1993. A família Indio da Costa já possuía

Leia mais

1T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas

1T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas resultados 1T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Índice Análise Gerencial da Operação 3 Sumário Executivo 5 Análise do Resultado 15 Margem Financeira Gerencial 16 Receitas

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO Explicativas CIRCULANTE 63.224 47.422 Disponibilidades 423 429 Relações Interfinanceiras / Aplicações R.F. 4 31.991 23.380 Relações Interdependências

Leia mais

Apresentação Institucional Setembro 2013

Apresentação Institucional Setembro 2013 Apresentação Institucional Setembro 2013 BB Seguridade Maior Companhia de Seguros, Previdência e Capitalização da América Latina* Rápido Crescimento com Alta Rentabilidade Maior Corretora de Seguros da

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) ATIVO Nota Explicativa CIRCULANTE 39.755 68.651 Disponibilidades 522 542 Relações Interf./Aplicações R.F. 5 13.018 27.570 Relações Interdependências 6-1.733 Operações

Leia mais

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) EBITDA 464,6 354,2 527,7 13,6% 49,0%

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) EBITDA 464,6 354,2 527,7 13,6% 49,0% Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 26 de abril de 2006 Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) (NYSE:EMT;BOVESPA:EBTP4, EBTP3) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações

Leia mais

RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015

RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015 RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015 Aviso Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14 TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14 RESULTADOS FINANCEIROS CONSOLIDADOS (R$ MILHÕES) 3T13 3T14 Var.% 9M13 9M14 Var.% RECEITA LÍQUIDA 315,8 342,8 8,5% 858,4 937,5 9,2% EBITDA AJUSTADO¹ 67,1 78,3 16,7% 157,5

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES O ano de 2015 está demonstrando ser muito desafiador, apresentando um cenário macroeconômico incerto, onde as expectativas do mercado preveem redução do PIB, aumento da inflação e da taxa

Leia mais

Demonstrações Financeiras Auditadas Banco ABC Brasil S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Auditadas Banco ABC Brasil S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Auditadas Banco ABC Brasil S.A. com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes... 1 Demonstrações financeiras

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A. Resultados 2T15 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO 2014 2013 Explicativas CIRCULANTE 11.363 8.987 Disponibilidades 30 37 Relações Interfinanceiras / Aplicações R.F. 4 8.069 6.136 Operações de Crédito

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 31 de dezembro de

Leia mais

Sumário Banco Seguros

Sumário Banco Seguros Reunião APIMEC - SP Sumário Banco Grupo JMalucelli...3 História...4 Governança Corporativa...5 Mercado de Crédito Brasileiro...9 Produtos...11 Principais Números...12 Balanço Patrimonial...13 Lucro & Rentabilidade...14

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011 Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011 São Paulo, 22 de março de 2012 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 1º Trimestre de 2013

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 1º Trimestre de 2013 . São Paulo, 13 de maio de 2013 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis e com grande presença nas classes populares do Brasil, divulga seus

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010 Subordinada à Resolução CMN nº 3.792 de 24/09/09 1- INTRODUÇÃO Esta política tem como objetivo estabelecer as diretrizes a serem observadas na aplicação dos recursos

Leia mais

Banco ABC Brasil Relações com Investidores Transcrição da Teleconferência de Resultados do 1T13 03 de maio de 2013

Banco ABC Brasil Relações com Investidores Transcrição da Teleconferência de Resultados do 1T13 03 de maio de 2013 Banco ABC Brasil Relações com Investidores Transcrição da Teleconferência de Resultados do 1T13 03 de maio de 2013 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2013 Bom dia a todos e obrigado por participarem

Leia mais

4T15. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Itaú Unibanco Holding S.A.

4T15. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Itaú Unibanco Holding S.A. 4T15 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Itaú Unibanco Holding S.A. ÍNDICE 03 Análise Gerencial da Operação 05 Sumário Executivo 15 Análise do Resultado e Balanço 16 18 22

Leia mais

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras EletrosSaúde Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras Em 31 de dezembro de 2011 e de 2010 Em milhares de reais 1 Contexto Operacional A Fundação Eletrobrás de Seguridade Social ELETROS é uma entidade

Leia mais

Banco Panamericano S.A.

Banco Panamericano S.A. Banco Panamericano S.A. Release Relatório de de Resultados 1T13 3T14 06de 03 Maio Novembro de 2013 de 2014 Teleconferência - Português 04 de novembro de 2014 10h00 (Brasília) / 07h00 (US-EST) Telefone

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T09

Teleconferência de Resultados 4T09 Teleconferência de Resultados 4T09 Índice Comentários de Mercado Pág. 3 Qualidade da Carteira de Crédito Pág. 10 Liquidez Pág. 4 Índice de Eficiência Pág. 14 Funding e Carteira de Crédito Pág. 5 Rentabilidade

Leia mais

Ações Itaú em foco. Informativo para acionistas Ano 12 3º trimestre de 2015

Ações Itaú em foco. Informativo para acionistas Ano 12 3º trimestre de 2015 Ações Itaú em foco Informativo para acionistas Ano 12 3º trimestre de 2015 nº 48 www.itau.com.br/relacoes-com-investidores facebook.com/itauunibancori @itauunibanco_ri Recompra de Ações No período de janeiro

Leia mais

Press Release 2T15 12/08/2015

Press Release 2T15 12/08/2015 Press Release 2T15 12/08/2015 Sumário 1. Destaques do período... 4 2. Sumário de resultados... 5 3. Receita bruta... 6 3.1 Produtos de bancassurance... 6 3.1.1 Vida... 7 3.1.2 Habitacional... 7 3.1.3 Prestamista...

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2010

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2010 DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2010 1. Mercado de Capitais Cotações: (14/05/2010) ALPA3 R$ 6,10 ALPA4 R$ 5,95 Valore de Mercado: R$ 2,1 bilhões 2. Teleconferência Data: 18/05/2010 às 16h00

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES. Demonstrações financeiras Individuais e Consolidadas 30 de junho de 2013 e 2012

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES. Demonstrações financeiras Individuais e Consolidadas 30 de junho de 2013 e 2012 Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES Demonstrações financeiras Individuais e Consolidadas 30 de junho de 2013 e 2012 KPMG Auditores Independentes Agosto de 2013 Relatório dos auditores

Leia mais

Ciclo Apimec 2015 Fernando Foz Relações com Investidores. Belém 21/07/2015

Ciclo Apimec 2015 Fernando Foz Relações com Investidores. Belém 21/07/2015 Ciclo Apimec 2015 Fernando Foz Relações com Investidores Belém 21/07/2015 Ciclo Apimec 2015 Itaú Unibanco Holding S.A. A apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas,

Leia mais

CA 02-303/2010 São Paulo - SP, 19 de março de 2010.

CA 02-303/2010 São Paulo - SP, 19 de março de 2010. CA 02-303/2010 São Paulo - SP, 19 de março de 2010. À Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Membros do Ministério Público de São Paulo PROMOCRED. Diretoria-Executiva São Paulo SP Assunto: Auditoria

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota ATIVO Explicativa CIRCULANTE 19.098 15.444 Disponibilidades 98 90 Relações Interf. / Aplicações R.F. 5 13.053 9.797 Operações de Crédito 6 5.760 5.518 Outros

Leia mais

Relatório de asseguração razoável dos auditores independentes sobre as informações contábeis suplementares

Relatório de asseguração razoável dos auditores independentes sobre as informações contábeis suplementares Sumário Sumário 1 - Press Release 3 Destaques 4 Principais Informações 6 Ratings 8 Lucro Líquido Contábil x Lucro Líquido Ajustado 8 Análise Resumida do Resultado Ajustado 9 Cenário Econômico 22 Principais

Leia mais

Earnings Release 1s14

Earnings Release 1s14 Earnings Release 1s14 1 Belo Horizonte, 26 de agosto de 2014 O Banco Bonsucesso S.A. ( Banco Bonsucesso, Bonsucesso ou Banco ), Banco múltiplo, de capital privado, com atuação em todo o território brasileiro

Leia mais

4 T 10 RESULTADOS DO 4T10. Dados em 31/12/2010. Grazziotin PN (CGRA4) R$ 16,00. Valor de Mercado R$ 338,0 milhões

4 T 10 RESULTADOS DO 4T10. Dados em 31/12/2010. Grazziotin PN (CGRA4) R$ 16,00. Valor de Mercado R$ 338,0 milhões 4 T 10 Passo Fundo, 14 de março de 2011 A Grazziotin (BM&FBOVESPA: CGRA3 e CGRA4), empresa de comércio varejista do segmento de vestuário e utilidades domésticas, localizada na região sul do país, divulga

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES A Receita dos Serviços de Locação da Ouro Verde registrou novamente crescimento significativo, de 25,0% na comparação com o 1S13. A receita líquida total, incluindo

Leia mais

Dados da Empresa / Composição do Capital

Dados da Empresa / Composição do Capital Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

BV LEASING S/A ARRENDAMENTO MERCANTIL

BV LEASING S/A ARRENDAMENTO MERCANTIL BV LEASING S/A ARRENDAMENTO MERCANTIL 5ª Emissão Pública de Debêntures Não Conversíveis Ações em Série Única da Espécie Subordinada Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício 2008 1 RELATÓRIO ANUAL

Leia mais

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11.

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. O Lucro Líquido do 1T09 (sem ajustes) apresentou queda de 1,4%

Leia mais

COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV

COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2007 Companhia de Bebidas das Américas - AMBEV 1ª Emissão de Debêntures Relatório

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS. 4T l 2015

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS. 4T l 2015 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T l 2015 Disclaimer Esta apresentação pode conter referências e declarações que representem expectativas de resultados, planos de crescimento e estratégias futuras do BI&P. Essas

Leia mais

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 Divulgação de Resultados 3T09 DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 - VENDAS CONTRATADAS DE R$242,7 MILHÕES NO 3T09, COM VSO 45% - - EBITDA DE R$35,0 MILHÕES, COM 31,1% DE MARGEM EBITDA

Leia mais

GTD PARTICIPAÇÕES S.A.

GTD PARTICIPAÇÕES S.A. GTD PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES GTD PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Exercício/período findo em 31 de dezembro Receita líquida (Nota 14) 13.913 Custo

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 547, DE 13 DE AGOSTO DE 2008

DELIBERAÇÃO CVM Nº 547, DE 13 DE AGOSTO DE 2008 TEXTO INTEGRAL DA, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA DELIBERAÇÃO CVM Nº 624, DE 28 DE JANEIRO DE 2010 (DOCUMENTO DE REVISÃO CPC Nº 01) Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 03 do Comitê de Pronunciamentos

Leia mais

REAL LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL INCORPORADO POR SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL

REAL LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL INCORPORADO POR SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL REAL LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL INCORPORADO POR SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL 5ª Emissão Pública de Debêntures Não Conversíveis Ações em Série Única da Espécie Subordinada Relatório

Leia mais

10 Anos de Transmissão das Reuniões APIMEC pela Internet

10 Anos de Transmissão das Reuniões APIMEC pela Internet Esta apresentação pode conter informações sobre eventos futuros. Tais informações não seriam apenas fatos históricos, mas refletiriam os desejos e as expectativas da direção da companhia. As palavras "antecipa",

Leia mais

Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração

Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração Prezados acionistas A administração da WLM Indústria e Comércio S.A. (WLM), em conformidade com as disposições

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil)

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO 2014 Explicativas CIRCULANTE 4.414 Disponibilidades 26 Relações Interfinanceiras / Aplicações R.F. 4 2.566 Operações de Crédito 5 1.800 Outros Créditos

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A.

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro (Em Reais) (reclassificado) (reclassificado) Ativo Nota 2012 2011 Passivo Nota 2012 2011 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 61.664 207.743 Fornecedores

Leia mais

Relatório. Gestão de Riscos. Conglomerado Cruzeiro do Sul

Relatório. Gestão de Riscos. Conglomerado Cruzeiro do Sul Relatório de Gestão de Riscos Conglomerado Cruzeiro do Sul Data-Base 30/09/2011 Superintendência de Riscos Índice 1. Introdução 3 2. Perímetro 3 3. Estrutura de Gestão de Riscos 3 3.1 Risco de Crédito

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO 2014 2013 Explicativas CIRCULANTE 39.466 27.437 Disponibilidades 221 196 Relações Interf. / Aplicações R.F. 5 27.920 18.274 Operações de Crédito 6 11.138

Leia mais

Resultados do 2T08. Destaques. Relações com Investidores

Resultados do 2T08. Destaques. Relações com Investidores Resultados do 2T08 Uberlândia MG, Agosto de 2008 A CTBC Companhia de Telecomunicações do Brasil Central S.A, empresa integrada de telecomunicações com um portfólio completo de serviços, divulga seus resultados

Leia mais

Sumário. 1 - Press Release 3. 2 - Análise Econômico-Financeira 31. 3 - Retorno aos Acionistas 83. 4 - Informações Adicionais 91

Sumário. 1 - Press Release 3. 2 - Análise Econômico-Financeira 31. 3 - Retorno aos Acionistas 83. 4 - Informações Adicionais 91 RELATÓRI O DEANÁLI SE ECONÔMI CAEFI NANCEI RA 2o TRI MESTRE 2015 Sumário Sumário 1 - Press Release 3 Destaques 4 Principais Informações 6 Ratings 8 Lucro Líquido Contábil x Lucro Líquido Ajustado 8 Análise

Leia mais

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005 Divulgação Imediata Cot. da Ação PNB CLSC6) em 31/03/05: R$ 0,90/ação Valoriz. No 1T05: -16% Valor de Mercado R$ : 694 milhões US$

Leia mais

Relatório de asseguração razoável dos auditores independentes sobre as informações contábeis suplementares

Relatório de asseguração razoável dos auditores independentes sobre as informações contábeis suplementares Sumário Sumário 1 - Press Release 3 Destaques 4 Principais Informações 6 Ratings 8 Principais Eventos Extraordinários 8 Lucro Líquido Contábil x Lucro Líquido Ajustado 9 Análise Resumida do Resultado Ajustado

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota ATIVO Explicativa CIRCULANTE 48.622 31.823 Disponibilidades 684 478 Relações Interf./Aplicações R.F. 5 24.600 15.766 Operações de Crédito 6 22.641 15.395 Outros

Leia mais

A TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE DE 2000 E DO ANO DE 2000

A TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE DE 2000 E DO ANO DE 2000 TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. João Cox Vice Presidente de Finanças e Diretor de Relações com Investidores jcox@telepart.com.br 0XX61-429-5600 Leonardo Dias Gerente de Relações com Investidores

Leia mais

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões.

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões. Desempenho Operacional e Financeiro Consolidado As informações contidas neste comunicado são apresentadas em Reais e foram preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil que compreendem

Leia mais

PÉROLA FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS (CNPJ nº 19.388.423/0001-59) (ADMINISTRADO PELA SOCOPA SOCIEDADE CORRETORA PAULISTA S/A)

PÉROLA FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS (CNPJ nº 19.388.423/0001-59) (ADMINISTRADO PELA SOCOPA SOCIEDADE CORRETORA PAULISTA S/A) PÉROLA FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS (CNPJ nº 19.388.423/0001-59) (ADMINISTRADO PELA SOCOPA SOCIEDADE CORRETORA PAULISTA S/A) DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE AGOSTO DE 2014 PÉROLA FUNDO

Leia mais

INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO DE LONDRINA CASA DO EMPREENDEDOR NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2.011.

INSTITUIÇÃO COMUNITÁRIA DE CRÉDITO DE LONDRINA CASA DO EMPREENDEDOR NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2.011. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2.011. 1 CONTEXTO OPERACIONAL A Instituição Comunitária de Crédito de Londrina Casa do Empreendedor, em operação desde 18/11/1997, é uma

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRASIL BROKERS PARTICIPAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - BRASIL BROKERS PARTICIPAÇÕES SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Apresentação de Resultados

Apresentação de Resultados Apresentação de Resultados 1º Trimestre, 2014 Aviso Importante: esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados

Leia mais

BB Capitalização S.A.

BB Capitalização S.A. BB Capitalização S.A. CNPJ 07.681.872/0001-01 Demonstrações Contábeis Intermediárias Semestre findo em 30.06.2014 Contadoria Gesub - Gerência de Subsidiárias Subsi V - Divisão de Subsidiárias V RELATÓRIO

Leia mais

Brazilian Securities Companhia de Securitização Informações Trimestrais Setembro de 2015

Brazilian Securities Companhia de Securitização Informações Trimestrais Setembro de 2015 Brazilian Securities Companhia de Securitização Informações Trimestrais Setembro de 2015 03 de novembro de 2015 Brazilian Securities Cia de Securitização Relatório da Administração 3T15 03 de novembro

Leia mais

Mensagem da Administradora

Mensagem da Administradora Mensagem da Administradora Prezados Cotistas: Submetemos à apreciação de V.S.as. a demonstração da composição e diversificação das aplicações da CSN Invest Fundo de Investimento em Ações, em 31 de dezembro

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89 NOTA 01 - CONTEXTO OPERACIONAL A Companhia, com sede em Gravataí (RS) e unidade industrial em Glorinha (RS), tem por objeto a industrialização, comércio, importação, exportação e beneficiamento de aços

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T15

Divulgação de Resultados 3T15 São Paulo - SP, 4 de Novembro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCO, DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA. Setembro de 2012

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCO, DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA. Setembro de 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCO, DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA Setembro de 2012 SUMÁRIO 1 Introdução 03 1.1 O Banco do Nordeste 03 2 Gestão de Risco do BNB 05 2.1 Risco

Leia mais

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 1 Trimestre de 2012 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL DO BANCO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 4 RISCO DE CRÉDITO... 3 5 RISCO DE MERCADO... 8 6

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 PROSPECTO AVISOS IMPORTANTES I. A CONCESSÃO DE REGISTRO PARA A VENDA DAS COTAS DESTE FUNDO NÃO IMPLICA, POR PARTE DA

Leia mais

Resumo da Demonstração de Resultados (em R$ milhões) Variação

Resumo da Demonstração de Resultados (em R$ milhões) Variação BM&FBOVESPA ANUNCIA OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 Derivativos e outras receitas não ligadas a volumes direcionaram o crescimento na receita total Crescimento do lucro líquido ajustado 1 resultou,

Leia mais

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016.

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016. RELEASE DE RESULTADOS Relações com Investidores Marcelo Moojen Epperlein Diretor-Presidente e de Relações com Investidores (55 11) 3175-2900 ri@brinsurance.com.br Ana Carolina Pires Bastos Relações com

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

Zurich Resseguradora Brasil S.A. Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2012 e relatório dos auditores independentes

Zurich Resseguradora Brasil S.A. Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações e relatório dos auditores independentes Relatório da administração Senhores acionistas: Atendendo às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações

Leia mais

Relações com Investidores DESTAQUES FINANCEIROS E OPERACIONAIS. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 3T13

Relações com Investidores DESTAQUES FINANCEIROS E OPERACIONAIS. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 3T13 Brasil Insurance Anuncia Resultados do 3T13 Relações com Investidores Miguel Longo Junior Diretor de Relações com Investidores (55 11) 3175-2900 ri@brasilinsurance.com.br Teleconferência dos Resultados

Leia mais

Demonstrações Contábeis Consolidadas em IFRS 31 de dezembro de 2014

Demonstrações Contábeis Consolidadas em IFRS 31 de dezembro de 2014 Demonstrações Contábeis Consolidadas em IFRS 31 de dezembro de 2014 2 RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Aos Acionistas e Administradores do Banco Daycoval S.A. São Paulo - SP Examinamos as demonstrações

Leia mais

Sumário. 1 - Press Release 3. 2 - Análise Econômico-Financeira 31. 3 - Retorno aos Acionistas 83. 4 - Informações Adicionais 93

Sumário. 1 - Press Release 3. 2 - Análise Econômico-Financeira 31. 3 - Retorno aos Acionistas 83. 4 - Informações Adicionais 93 Sumário Sumário 1 - Press Release 3 Destaques 4 Principais Informações 6 Ratings 8 Lucro Líquido Contábil x Lucro Líquido Ajustado 8 Análise Resumida do Resultado Ajustado 9 Índices de Capital Basileia

Leia mais