O Direito ao Turismo para a Pessoa Idosa no Brasil. Gloria Maria Widmer e Ana Julia de Souza Melo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Direito ao Turismo para a Pessoa Idosa no Brasil. Gloria Maria Widmer e Ana Julia de Souza Melo"

Transcrição

1 O Direito ao Turismo para a Pessoa Idosa no Brasil Gloria Maria Widmer e Ana Julia de Souza Melo

2 Objetivo: identificar a presença do turismo como atividade integrante de programas de lazer criados pelo poder público para o idoso brasileiro. Metodologia: Pesquisa documental (baseada nos seguintes documentos): Lei Federal nº 8.842/ Política Nacional do Idoso; Lei Federal nº / Lei Geral do Turismo; Plano Nacional de Turismo ; Plano Nacional de Turismo ; Portaria Ministerial nº 228/ Programa Viaja Mais e Projeto Viaja Mais Melhor Idade.

3 Lei Federal nº 8.842/ Política Nacional do Idoso Art. 1º: tem por objetivo assegurar os direitos sociais do idoso, criando condições para promover sua autonomia, integração e participação efetiva na sociedade. Art. 2º: considera idoso a pessoa maior de 60 anos de idade. Art. 10, VII, e: estabelece ser de competência dos órgãos públicos criar programas de lazer que proporcionem a melhoria da qualidade de vida do idoso e estimulem sua participação na comunidade. Lei Federal nº / Lei Geral do Turismo Art. 6º, V: estabelece que o Ministério do Turismo deve promover a incorporação de segmentos especiais de demanda ao mercado interno, em especial os idosos, os jovens e as pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, pelo incentivo a programas de descontos e facilitação de deslocamentos, hospedagem e fruição dos produtos turísticos em geral.

4 Plano Nacional de Turismo Item 8.2. Apoio à Comercialização Nacional: incentivar a implementação de projetos para a inclusão de novos grupos de consumidores de turismo, como jovens, trabalhadores e idosos, fortalecendo o turismo social no Brasil. Plano Nacional de Turismo Item Estruturação dos Segmentos Turísticos priorizados: promover e apoiar estudos e pesquisas de oferta e demanda para idosos, jovens, pessoas com deficiência, entre outros públicos. Item Apoio à Comercialização do Produto Turístico Brasileiro no Mercado Interno: promover o aumento de viagens pela inserção de novos grupos, como jovens, trabalhadores e idosos, visando driblar a sazonalidade nacional. Portaria Ministerial nº 228/2013 Art. 1º: institui o Programa Viaja Mais, com o objetivo de incentivar os brasileiros a viajarem pelo Brasil, conforme dispõe o Plano Nacional de Turismo Parágrafo único. O Programa Viaja Mais será composto pelos Projetos: Viaja Mais Melhor Idade; Projeto Viaja Mais Jovem; e Projeto Viaja Mais Trabalhador.

5 Viaja Mais Melhor Idade A incorporação do idoso aos programas a que se refere o Planos Nacional de Turismo e a Lei Geral do Turismo se inicia por intermédio do projeto Viaja Mais Melhor Idade, em 2007 (1ª edição). Em setembro de 2013: início da 2ª edição, já como parte integrante do Programa Viaja Mais, em conformidade com o previsto no Plano Nacional de Turismo e na Portaria Ministerial nº228/2013. Programa Viaja Mais = Viaja Mais Melhor Idade + Viaja Mais Jovem + Viaja Mais Trabalhador Em ambas as edições o Viaja Mais Melhor Idade apresenta como objetivo: promover a inclusão social dos idosos por intermédio do turismo, bem como viabilizar o acesso deste público às viagens de lazer.

6 Viaja Mais Melhor Idade 1ª Edição ( ) - Principais resultados: aumento das taxas de ocupação dos prestadores de serviços turísticos; redução dos efeitos da sazonalidade; venda de 599 mil pacotes turísticos no âmbito do projeto; Geração de mais de R$ 531 milhões em vendas.

7 Viaja Mais Melhor Idade 2ª Edição ( ) - evolução e apresentação de melhorias Quadro 1 1ª Edição X 2ª Edição 1ª EDIÇÃO 2ª EDIÇÃO Crédito consignado Cartão de crédito/ crediário Até R$ 3.000,00 com 1% de juros De acordo com a renda do idoso Juros reduzidos, parcelamento em até 10X Juros reduzidos, parcelamento em até 48X Pacotes turísticos para grupos Pacotes ou serviços avulsos Datas pré-definidas Quaisquer datas 40 destinos receptores Todos os destinos brasileiros 28 destinos emissores Todos os destinos brasileiros Compras somente em agências cadastradas Compras em qualquer empresa cadastrada Descontos somente em hotéis credenciados Descontos em toda a rede cadastrada Compra intermediada Consumidor compra direto do vendedor No máximo um acompanhante com as mesmas condições Pelo menos um acompanhante com as mesmas condições Fonte: Mtur, Adaptado pelas autoras

8 Considerações Finais Os Planos Nacionais de Turismo e , assim como a Lei Geral do Turismo, contribuíram para estimular a inclusão do público idoso no contexto turístico brasileiro; o turismo se encontra presente como expressão de lazer em pelo menos um projeto e programa do governo federal para o público idoso (Projeto Viaja Mais Melhor Idade e Programa Viaja Mais); a Portaria nº 228/2013 do Ministério do Turismo, muito mais do que estabelecer o projeto Viaja Mais Melhor Idade e o programa Viaja Mais como expressões de direito ao lazer para os idosos, abre caminho para a consolidação de um direito ao turismo junto a este público.

9 Referências BRASIL. Lei Federal nº 8842, de 4 de janeiro de Disponível em: <http:// em: 23.jun Lei Federal nº , de 17 de setembro de Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato /2008/lei/l11771.htm>acesso em: 22.jun BRASIL. Ministério do Turismo. Plano nacional de turismo Disponível em:<http://www.turismo.gov.br/export/sites/default/turismo/o_ministerio/publica coes/downloads_publicacoes/plano_nacional_turismo_2007_2010.pdf>.acesso em 21.jun Plano nacional de turismo Disponível em: <http://www.turismo.gov.br/export/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicac oes/plano_nacional_2013.pdf>acesso em: 21.jun Portaria nº 228, de 3 de setembro de Disponível em: Acesso em: 23.jun.2014.

10 Contatos: Profa. Dra. Gloria Maria Widmer: Professora do Departamento de Hotelaria e Turismo DHT Universidade Federal de Pernambuco UFPE Profa. Ms. Ana Julia de Souza Melo Professora do Departamento de Hotelaria e Turismo DHT Universidade Federal de Pernambuco UFPE.

Proporcionar aos idosos, aposentados e pensionistas oportunidade de viajar e de usufruir os benefícios

Proporcionar aos idosos, aposentados e pensionistas oportunidade de viajar e de usufruir os benefícios Objetivos do Projeto Geral Proporcionar aos idosos, aposentados e pensionistas oportunidade de viajar e de usufruir os benefícios da atividade turística, como forma de fortalecimento do setor de turismo

Leia mais

Objetivos do Projeto. Geral

Objetivos do Projeto. Geral Objetivos do Projeto Geral Promover a inclusão social dos idosos, aposentados e pensionistas, proporcionando-lhes oportunidades de viajar e de usufruir os benefícios da atividade turística, como forma

Leia mais

Turismo Social no Brasil. Prof. Dr. Marcelo Vilela de Almeida marcelovilela@usp.br

Turismo Social no Brasil. Prof. Dr. Marcelo Vilela de Almeida marcelovilela@usp.br Turismo Social no Brasil Prof. Dr. Marcelo Vilela de Almeida marcelovilela@usp.br 1938 primeiro dispositivo legal sobre turismo no país 1966 primeiras estruturas governamentais em nível nacional: Empresa

Leia mais

Versão REVISADA.28.08.2013. Circulação interna do MTur. 2ª Edição CONHEÇA O PROGRAMA

Versão REVISADA.28.08.2013. Circulação interna do MTur. 2ª Edição CONHEÇA O PROGRAMA 2ª Edição CONHEÇA O PROGRAMA 2013 0 PRESIDENTA DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Dilma Rousseff MINISTRO DE ESTADO DO TURISMO Gastão Dias Vieira CHEFE DE GABINETE DO MINISTRO Mauro Borges Ribeiro Formiga

Leia mais

Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. CAPÍTULO I. Da Finalidade

Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. CAPÍTULO I. Da Finalidade Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:

Leia mais

Quem somos? A Geração Y Viagens Corporativas é uma empresa jovem e moderna que oferece serviços diversos:

Quem somos? A Geração Y Viagens Corporativas é uma empresa jovem e moderna que oferece serviços diversos: Quem somos? A Geração Y Viagens Corporativas é uma empresa jovem e moderna que oferece serviços diversos: Sistema inteiramente on-line para reservas de passagens aéreas nacionais e hotéis; Facilidade para

Leia mais

PRESIDENTA DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Dilma Rousseff. SECRETÁRIO NACIONAL DE POLÍTICAS DE TURISMO Vinícius Lummertz

PRESIDENTA DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Dilma Rousseff. SECRETÁRIO NACIONAL DE POLÍTICAS DE TURISMO Vinícius Lummertz CONHEÇA O PROGRAMA PRESIDENTA DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Dilma Rousseff MINISTRO DE ESTADO DO TURISMO Gastão Dias Vieira CHEFE DE GABINETE DO MINISTRO Mauro Borges Ribeiro Formiga SECRETÁRIO EXECUTIVO

Leia mais

FORFAIT: UM PACOTE DIFERENCIADO

FORFAIT: UM PACOTE DIFERENCIADO FORFAIT: UM PACOTE DIFERENCIADO Luiz Paulo Pereira Corrêa Luiz Rodrigues Mendes Pâmela Souza Soares Vanessa Saraiva Sena RESUMO: O trabalho analisa as agências de viagens para apresentar como elas dispõem

Leia mais

TURISMO E INCLUSÃO SOCIAL: um estudo da acessibilidade nos meios de hospedagem em Balneário Camboriú 1

TURISMO E INCLUSÃO SOCIAL: um estudo da acessibilidade nos meios de hospedagem em Balneário Camboriú 1 TURISMO E INCLUSÃO SOCIAL: um estudo da acessibilidade nos meios de hospedagem em Balneário Camboriú 1 Amanda Fantatto de Melo 2 ; Priscilla Gomes Welter 3 ; Sônia R. de S. Fernandes 4 INTRODUÇÃO O turismo

Leia mais

Agencias de viagens e operadoras de turismo - Tributação e procedimentos fiscais

Agencias de viagens e operadoras de turismo - Tributação e procedimentos fiscais Agencias de viagens e operadoras de turismo - Tributação e procedimentos fiscais Celso Viana * Com relação aos serviços listados na Lei Complementar 116/2003 é pacifico o entendimento de que a tributação

Leia mais

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO MTUR/DEAOT/CGQT Campinas, 20 de março de 2010 ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO POLÍTICAS DE INCENTIVO AO TURISMO NORMATIZAÇÃO DE CAMPINGS COPA DO MUNDO E OLIMPÍADAS REGISTRO

Leia mais

Orientações sobre Convênios e Contratos de Repasse

Orientações sobre Convênios e Contratos de Repasse Orientações sobre Convênios e Contratos de Repasse Ministério do Turismo Secretaria Executiva Subsecretaria Planejamento, Orçamento e Administração Grupo de Trabalho de Convênios Surge após a publicação

Leia mais

APL DE TURISMO NO LITORAL DO PIAUÍ

APL DE TURISMO NO LITORAL DO PIAUÍ APL DE TURISMO NO LITORAL DO PIAUÍ (A) Teresina; (B) Cajueiro da Praia; (C) Luis Correia; (D) Parnaíba; (E) Ilha Grande Rota das Emoções: Jericoacoara (CE) - Delta (PI) - Lençóis Maranhenses (MA) Figura

Leia mais

Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo

Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo PERFIL PROFISSIONAL Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo É o profissional que atua em agências de viagens, em meios de hospedagem, em empresas de transportes e de eventos; promove

Leia mais

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO 2014-2015 alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO O Plano Safra da Agricultura Familiar 2014/2015 Alimentos Para o Brasil vem consolidar mais de uma década de políticas públicas que melhoram a vida de quem

Leia mais

SAP Customer Success Story Turismo Hotel Urbano. Hotel Urbano automatiza controle financeiro e internaliza contabilidade com SAP Business One

SAP Customer Success Story Turismo Hotel Urbano. Hotel Urbano automatiza controle financeiro e internaliza contabilidade com SAP Business One Hotel Urbano automatiza controle financeiro e internaliza contabilidade com SAP Business One Geral Executiva Nome da Hotel Urbano Indústria Turismo Produtos e Serviços Comercialização online de pacotes

Leia mais

Coordenação-geral de Competitividade e Inovação

Coordenação-geral de Competitividade e Inovação Coordenação-geral de Competitividade e Inovação Legislação Turística LEI N º 11.771/2008 DECRETO N 7.381/2010 PORTARIA N 197/20103 PORTARIA Nº 311/2013 Legislação Turística Lei Geral do Turismo 11.771/2008

Leia mais

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO 2014-2015 APRESENTAÇÃO O Plano Safra da Agricultura Familiar 2014/2015 Alimentos Para o Brasil vem consolidar mais de uma década de políticas públicas que melhoram a vida de quem vive no Brasil Rural.

Leia mais

Prêmio Espírito Santo é Seu Roteiro!

Prêmio Espírito Santo é Seu Roteiro! Objetivo O Prêmio Espírito Santo Seu Roteiro! faz parte da campanha de incentivo de comercialização do produto turístico com Destino Espírito Santo, desenvolvido pela Secretaria de Estado do Turismo em

Leia mais

ANÁLISE DAS ADPTAÇÕES NA ACESSIBILIDADE NOS MEIOS DE HOSPEDAGENS DE FOZ DO IGUAÇU

ANÁLISE DAS ADPTAÇÕES NA ACESSIBILIDADE NOS MEIOS DE HOSPEDAGENS DE FOZ DO IGUAÇU ANÁLISE DAS ADPTAÇÕES NA ACESSIBILIDADE NOS MEIOS DE HOSPEDAGENS DE FOZ DO IGUAÇU Andriélle Pereira de Oliveira 1 RESUMO As normas de acessibilidade nos meios de hospedagens de Foz do Iguaçu são constituídas

Leia mais

Manual de orientações. agentes de viagem

Manual de orientações. agentes de viagem Manual de orientações agentes de viagem O turismo de portas abertas para a melhor idade. Manual de orientações agentes de viagem SUMÁRIO INTRODUÇÃO...5 O que é o programa Viaja Mais?... 5 O que é o Viaja

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável de Pólo Turístico Ribeirão Branco - SP

Desenvolvimento Sustentável de Pólo Turístico Ribeirão Branco - SP Desenvolvimento Sustentável de Pólo Turístico Ribeirão Branco - SP NOVA CAMPINA 1 Objetivo para potencializar o desenvolvimento sustentável de Pólos Turísticos Fortalecimento e integração dos elos da Cadeia

Leia mais

CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE PROGRAMAS DE VIAGENS

CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE PROGRAMAS DE VIAGENS 1 CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE PROGRAMAS DE VIAGENS IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES O(a)Sr(a)., RG n.º, CPF, telefone(s),e-mail, endereço, Bairro,Cidade, Cep, de ora em diante denominado(a) simplesmente

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA CADASTRO NO PORTAL VIAJA MAIS

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA CADASTRO NO PORTAL VIAJA MAIS ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA CADASTRO NO PORTAL VIAJA MAIS O Portal Viaja Mais funciona como um catálogo de ofertas. Ele não intermedeia negociações: o cliente compra diretamente da empresa anunciante ou de

Leia mais

GUIA INTERNACIONAL AMÉRICA DO NORTE - 2008 Nº. 16 Versão 8 - Efetivo: 25/10/2008 ÍNDICE

GUIA INTERNACIONAL AMÉRICA DO NORTE - 2008 Nº. 16 Versão 8 - Efetivo: 25/10/2008 ÍNDICE ANEXO DO ACORDO COMERCIAL PARA CONDIÇÃO DE OPERADORA Este anexo é parte integrante do Acordo Comercial para Condição de Operadora e não pode ser dissociado desse. O presente anexo tem início em 20 de Janeiro

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av. Amilcar

Leia mais

TURISMO. o futuro, uma viagem...

TURISMO. o futuro, uma viagem... TURISMO o futuro, uma viagem... PLANO NACIONAL DO TURISMO 2007-2010 OBJETIVOS Desenvolver o produto turístico brasileiro com qualidade, contemplando nossas diversidades regionais, culturais e naturais.

Leia mais

1.2. Presenteador: pessoa física ou jurídica que adquire o FLOT TRAVEL CARD mediante a compra direta de carga de valor.

1.2. Presenteador: pessoa física ou jurídica que adquire o FLOT TRAVEL CARD mediante a compra direta de carga de valor. REGULAMENTO DO FLOT TRAVEL CARD FLOT OPERADORA TURÍSTICA LTDA., o Presenteador e o Presenteado do FLOT TRAVEL CARD, a primeira, na qualidade de prestadora de serviços de turismo, o segundo e o terceiro,

Leia mais

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PARA O TURISMO

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PARA O TURISMO PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PARA O TURISMO LINHAS DE CRÉDITO PARA MICRO, PEQUENA E MÉDIA EMPRESAS Novembro 2008 FUNGETUR Fundo Geral de Turismo Fomentar e prover recursos para o financiamento de atividades

Leia mais

INSTITUTO MARCA BRASIL. www.marcabrasil.org.br

INSTITUTO MARCA BRASIL. www.marcabrasil.org.br INSTITUTO MARCA BRASIL www.marcabrasil.org.br PROJETO INVESTIMENTOS EM HOSPITALIDADE MERCADO IMOBILIÁRIO TURÍSTICO DESCRITIVO Apoio aos empreendedores nacionais na apresentação de projetos para investidores

Leia mais

Projeto de monitoria em eventos: com destaque nas disciplinas Introdução a Hospitalidade e Teoria e Pesquisa do Lazer

Projeto de monitoria em eventos: com destaque nas disciplinas Introdução a Hospitalidade e Teoria e Pesquisa do Lazer Projeto de monitoria em eventos: com destaque nas disciplinas Introdução a Hospitalidade e Teoria e Pesquisa do Lazer Gilmara Barros da Silva 1, Janaina Luciana de Medeiros 2, Kettrin Farias Bem Maracajá

Leia mais

Portal de Turismo Divulgando seu empreendimento

Portal de Turismo Divulgando seu empreendimento www.turisangra.com.br Portal de Turismo Divulgando seu empreendimento Tel/ax: (21) 2522-2421 ideias@ideias.org.br Quem Somos O Instituto IDEIAS é uma associação civil, sem fins lucrativos, criada em 8

Leia mais

POLÍTICA INSTITUCIONAL DE VIAGENS

POLÍTICA INSTITUCIONAL DE VIAGENS POLÍTICA INSTITUCIONAL DE VIAGENS 1 INTRODUÇÃO A ANEC Associação Nacional de Educação Católica do Brasil, através de sua estrutura organizacional e de seus colaboradores, tem avançado muito no cumprimento

Leia mais

Prefeitura Municipal do Natal

Prefeitura Municipal do Natal Prefeitura Municipal do Natal Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Finanças Plano Plurianual 2010/2013 Programa Horizonte Público Objetivo: 3 Vivendo com Cidadania Contínuo População do município

Leia mais

Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados

Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados Nº de Entrevistados da Pesquisa: 39.000 pessoas Nº de locais das entrevistas: 27 15 em aeroportos internacionais, que representam 99% do fluxo internacional

Leia mais

Estatuto. Idoso LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR E ESPECIAL

Estatuto. Idoso LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR E ESPECIAL Estatuto do Idoso LEI Nº 10.741, DE 1º DE OUTUBRO DE 2003 LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR E ESPECIAL O livro é a porta que se abre para a realização do homem. Jair Lot Vieira Supervisão Editorial jair lot vieira

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO 1 UNIFICAÇÃO DOS MERCADOS DE CÂMBIO

QUADRO COMPARATIVO 1 UNIFICAÇÃO DOS MERCADOS DE CÂMBIO 1 QUADRO COMPARATIVO 1 UNIFICAÇÃO DOS MERCADOS DE CÂMBIO Resolução 3.265, de 4 de março de 2005. (reunião do Mercado de Câmbio de Taxas Livres e do Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes e instituição de

Leia mais

HOTELARIA ADAPTADA PARA ANIMAIS: UMA NOVA TENDÊNCIA NO MERCADO TURÍSTICO HOTELEIRO

HOTELARIA ADAPTADA PARA ANIMAIS: UMA NOVA TENDÊNCIA NO MERCADO TURÍSTICO HOTELEIRO HOTELARIA ADAPTADA PARA ANIMAIS: UMA NOVA TENDÊNCIA NO MERCADO TURÍSTICO HOTELEIRO Karla Cristinni Canteri 1 Larissa Mongruel Martins De Lara 2 RESUMO O presente resumo visa apresentar as novas tendências

Leia mais

19/03/2013 1995: OMT. Elementos comuns a diferentes definições de turismo. Conceitos-chave:

19/03/2013 1995: OMT. Elementos comuns a diferentes definições de turismo. Conceitos-chave: 1995: OMT IFSP Profa. Rafaela Malerba O turismo compreende as atividades que realizam as pessoas durante suas viagens e estadas em lugares diferentes ao seu entorno habitual, por um período consecutivo

Leia mais

ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA

ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - CCT CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS - CESA MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO DE NEGÓCIOS TURÍSTICOS MPGNT ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA

Leia mais

Portal de Turismo Divulgando seu empreendimento

Portal de Turismo Divulgando seu empreendimento www.visitesaopedrodaaldeia.com.br Portal de Turismo Divulgando seu empreendimento Tel/ax: (21) 2522-2421 ideias@ideias.org.br Quem Somos O Instituto IDEIAS é uma associação civil, sem fins lucrativos,

Leia mais

Atualizado em 10/09/2015

Atualizado em 10/09/2015 Atualizado em 10/09/2015 O Cartão BB Pesquisa é um produto oferecido pelo Banco do Brasil para facilitar o dia a dia dos pesquisadores. Destina-se ao pagamento de bens, serviços e demais despesas autorizadas.

Leia mais

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO MPH0813 PLANO NACIONAL DE TURISMO: UM CAMINHO PARA A BUSCA DO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

O livro é a porta que se abre para a realização do homem. Jair Lot Vieira

O livro é a porta que se abre para a realização do homem. Jair Lot Vieira O livro é a porta que se abre para a realização do homem. Jair Lot Vieira SUPERVISÃO EDITORIAL JAIR LOT VIEIRA (Atualizada até a Lei nº 12.461, de 26 de julho de 2011) LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR E ALTERADORA

Leia mais

Meto t d o o d l o og o i g a II. Segm g e m nt n a t ção o do d o me m rcado III. C racte t rização o do d s o ent n r t evi v sta t do d s

Meto t d o o d l o og o i g a II. Segm g e m nt n a t ção o do d o me m rcado III. C racte t rização o do d s o ent n r t evi v sta t do d s Roteiro I. Metodologia II. III. IV. Segmentação do mercado Caracterização dos entrevistados Percepções sobre o turismo no Brasil V. Hábitos e comportamentos sobre turismo VI. VII. VIII. Prioridade de investimento

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 5.120-C, DE 2001. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 5.120-C, DE 2001. O CONGRESSO NACIONAL decreta: COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 5.120-C, DE 2001 Dispõe sobre as atividades das Agências de Turismo. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Esta Lei dispõe

Leia mais

Introdução. Núcleo de Pesquisas

Introdução. Núcleo de Pesquisas Introdução O verão é um período onde Santa Catarina demonstra todo a sua vocação para a atividade turística. Endereço de belas praias, o estado se consolidou como um dos principais destinos de turistas,

Leia mais

Sebastião Macedo Pereira

Sebastião Macedo Pereira BNDES e o Segmento Editorial e Livrarias Sebastião Macedo Pereira Procult - Objetivos Objetivos específicos Promover o fortalecimento e a consolidação da cadeia produtiva editorial no País, o desenvolvimento

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Novembro 2009 DEPARTAMENTO REGIONAL NORDESTE - DENOR O que apoiamos Projetos de investimento em indústria, comércio e serviços aumento da capacidade

Leia mais

Por que temos um Estudo de Competitividade?

Por que temos um Estudo de Competitividade? Por que temos um Estudo de Competitividade? Criação de índices nos ajuda a conhecer as dificuldades do destino turístico. O estudo proporciona informações para a elaboração de planos de ação mais objetivos.

Leia mais

GUIA INTERNACIONAL EUROPA 2008 Nº. 16 Versão 3 - Efetivo: 08JUL08 ÍNDICE. Parte 1 Regras Gerais ------------------------------------- pg.

GUIA INTERNACIONAL EUROPA 2008 Nº. 16 Versão 3 - Efetivo: 08JUL08 ÍNDICE. Parte 1 Regras Gerais ------------------------------------- pg. ANEXO DO ACORDO COMERCIAL PARA CONDIÇÃO DE OPERADORA Este anexo é parte integrante do Acordo Comercial para Condição de Operadora e não pode ser dissociado desse. O presente anexo tem início em 20 de Janeiro

Leia mais

Especificações Técnicas

Especificações Técnicas Especificações Técnicas Metodologia Técnicaeformadecoleta: Quantitativa: survey telefônico, com amostra 2.322 entrevistas, realizadas entre os dias 17 de junho e 07 de julho de 2009, pelo Instituto Vox

Leia mais

Participação da União em Projetos de Infra-estrutura Turística no Âmbito do PRODETUR SUL

Participação da União em Projetos de Infra-estrutura Turística no Âmbito do PRODETUR SUL Programa 0410 Turismo: a Indústria do Novo Milênio Objetivo Aumentar o fluxo, a taxa de permanência e o gasto de turistas no País. Público Alvo Turistas brasileiros e estrangeiros Ações Orçamentárias Indicador(es)

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 826, DE 2011 (Do Sr. José Priante)

PROJETO DE LEI N.º 826, DE 2011 (Do Sr. José Priante) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 826, DE 2011 (Do Sr. José Priante) Altera dispositivos da Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003, que dispõe sobre o Estatuto do Idoso, para assegurar às pessoas

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS História da Cultura CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Repassar ao alunado a compreensão do fenômeno da cultura e sua relevância para

Leia mais

Apresentação: WebTour - Sistema de Gestão de Pacotes Turísticos

Apresentação: WebTour - Sistema de Gestão de Pacotes Turísticos Apresentação: WebTour - Sistema de Gestão de Pacotes Turísticos M&M Soluções Web www.mmsolucoesweb.com.br Página 2 de 18 Apresentação Criada oficialmente em 2009, a M&M iniciou suas atividades através

Leia mais

Secretaria de Direitos Humanos

Secretaria de Direitos Humanos Secretaria de Direitos Humanos SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. CONTEXTUALIZAÇÃO... 3 3. EIXOS DE ATUAÇÃO... 8 4. OBJETIVOS, METAS E ESTRATÉGIAS... 11 5. BENEFICIÁRIOS DO PROGRAMA... 13 6. RESULTADOS ESPERADOS...

Leia mais

Planejamento e estratégia em turismo. Antonio Liccardo - UEPG

Planejamento e estratégia em turismo. Antonio Liccardo - UEPG Planejamento e estratégia em turismo Antonio Liccardo - UEPG O desenvolvimento do turismo impõe uma permanente articulação entre os diversos setores, públicos e privados, relacionados à atividade, no sentido

Leia mais

A verdadeira arte de viajar

A verdadeira arte de viajar A verdadeira arte de viajar A Ducato Turismo é uma agência especializada na prestação de serviços de gestão de viagens corporativas, com proposta e objetivo de personalização no atendimento diferenciado

Leia mais

MODELO DE TERMO DE REFERÊNCIA/ PROJETO BÁSICO PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS

MODELO DE TERMO DE REFERÊNCIA/ PROJETO BÁSICO PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS MODELO DE TERMO DE REFERÊNCIA/ PROJETO BÁSICO PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS Chamamento Público de Projetos de Eventos de Fortalecimento ao Desenvolvimento Turístico nº 02/2013 O presente documento tem como

Leia mais

LEI Nº 4.963, DE 9 DE SETEMBRO DE 2003

LEI Nº 4.963, DE 9 DE SETEMBRO DE 2003 PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 4.963, DE 9 DE SETEMBRO DE 2003 Dispõe sobre a Política Social do Idoso, dá nova regulamentação ao Conselho Municipal do Idoso e revoga a Lei

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE A ASSOCIAÇÃO CIENTÍFICA DOS ENFERMEIROS E TOP ATLÂNTICO VIAGENS E TURISMO, S.A.

PROTOCOLO ENTRE A ASSOCIAÇÃO CIENTÍFICA DOS ENFERMEIROS E TOP ATLÂNTICO VIAGENS E TURISMO, S.A. PROTOCOLO ENTRE A ASSOCIAÇÃO CIENTÍFICA DOS ENFERMEIROS E TOP ATLÂNTICO VIAGENS E TURISMO, S.A. A celebração do presente protocolo tem como objectivo assegurar aos associados da ASSOCIAÇÃO CIENTÍFICA DOS

Leia mais

Agência Nacional de Saúde Suplementar

Agência Nacional de Saúde Suplementar Agência Nacional de Saúde Suplementar A agência reguladora de planos de saúde do Brasil Audiência Pública, 10 de abril de 2013 1 Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS Agência reguladora do Governo

Leia mais

REGULAMENTO. Presenteador: É a pessoa física ou jurídica que adquire o VALE-VIAGEM CVC, mediante a compra direta de cargas de valores.

REGULAMENTO. Presenteador: É a pessoa física ou jurídica que adquire o VALE-VIAGEM CVC, mediante a compra direta de cargas de valores. REGULAMENTO A CVC BRASIL OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS S.A., o Presenteador e o Presenteado do VALE-VIAGEM CVC, a primeira, na qualidade de prestadora de serviços de turismo, e o segundo, aderindo às

Leia mais

CADASTUR E AS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS. www.cadastur.turismo.gov.br

CADASTUR E AS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS. www.cadastur.turismo.gov.br CADASTUR E AS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS www.cadastur.turismo.gov.br O QUE É? É o cadastro dos Prestadores de Serviços Turísticos no Brasil. OBJETIVO Promover o ordenamento, a formalização e a legalização

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA CADASTRO NO PORTAL VIAJA MAIS

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA CADASTRO NO PORTAL VIAJA MAIS ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA CADASTRO NO PORTAL VIAJA MAIS O Portal Viaja Mais funciona como um catálogo de ofertas. Ele não intermedeia negociações: o cliente compra diretamente da empresa anunciante ou de

Leia mais

ESTUDO SOBRE A UTILIZAÇÃO DOS GDSS PELAS AGÊNCIAS DE VIAGENS DE PORTO ALEGRE-RS

ESTUDO SOBRE A UTILIZAÇÃO DOS GDSS PELAS AGÊNCIAS DE VIAGENS DE PORTO ALEGRE-RS ESTUDO SOBRE A UTILIZAÇÃO DOS GDSS PELAS AGÊNCIAS DE VIAGENS DE PORTO ALEGRE-RS Jessica Borges de Almeida Lucimari Acosta Pereira Morgana Martini Arin RESUMO: O presente trabalho trata-se de uma análise

Leia mais

Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento. Senado Federal 23.jun.2009

Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento. Senado Federal 23.jun.2009 Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento Senado Federal 23.jun.2009 O que representa a indústria de cartões... 38 bancos emissores 500 milhões de plásticos e 5,5 bi de transações mais de 60% dos domicílios

Leia mais

Âmbito da rubrica Viagens e Turismo. Definição de conceitos

Âmbito da rubrica Viagens e Turismo. Definição de conceitos Questões específicas da rubrica Viagens e Turismo Âmbito da rubrica Viagens e Turismo Definição de conceitos Indicações específicas de reporte para a atividade das agências de viagens Indicações específicas

Leia mais

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Atividade Turística Fevereiro de 20 15 de Abril de 20 Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Os estabelecimentos hoteleiros registaram cerca de 2 milhões

Leia mais

MENSAGEM 055/2015. Senhor Presidente, Senhores Vereadores,

MENSAGEM 055/2015. Senhor Presidente, Senhores Vereadores, MENSAGEM 055/2015 Senhor Presidente, Senhores Vereadores, É com elevada honra que submeto à apreciação de Vossas Excelências e à superior deliberação do Plenário dessa Augusta Casa Legislativa, o Projeto

Leia mais

CHAMAMENTO PÚBLICO HOTELARIA. Introdução

CHAMAMENTO PÚBLICO HOTELARIA. Introdução CHAMAMENTO PÚBLICO HOTELARIA Introdução O Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID, a Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (SETUR-MG) e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA PARA O EMBARQUE NA VIAGEM

RELATÓRIO DA PESQUISA PARA O EMBARQUE NA VIAGEM RELATÓRIO DA PESQUISA PARA O EMBARQUE NA VIAGEM RELATÓRIO EMBARQUE NA VIAGEM O estudo Brasil, um mundo em um país é resultado de uma parceria entre a ecglobal Solutions, líder no segmento de pesquisas

Leia mais

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos Atividade Turística Janeiro de 2014 19 de março de 2014 Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos A hotelaria registou 1,7 milhões de dormidas em janeiro de 2014, valor que corresponde

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Notas no valor total da prestação dos serviços emitida por agência de viagens na tributação do ISS

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Notas no valor total da prestação dos serviços emitida por agência de viagens na tributação do ISS Parecer Consultoria Tributária Segmentos Notas no valor total da prestação dos serviços emitida por agência de 06/10/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente...

Leia mais

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 52/2011 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 52/2011 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE DEZEMBRO DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 52/2011 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA REMUNERAÇÃO INDIRETA - TRATAMENTO TRIBUTÁRIO Introdução - Cômputo na Remuneração do Beneficiário

Leia mais

DOE - Seção I - quarta-feira, 18 de junho de 2014 páginas 10 e 11.

DOE - Seção I - quarta-feira, 18 de junho de 2014 páginas 10 e 11. DOE - Seção I - quarta-feira, 18 de junho de 2014 páginas 10 e 11. COORDENAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Portaria CAF-G - 26, de 13-6-2014 O Coordenador da Administração Financeira, considerando o disposto

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015 1 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Método e Gestão de Informação Serviço de Conjuntura Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas

Leia mais

RESUMO DO ESTATUTO SOCIAL

RESUMO DO ESTATUTO SOCIAL RESUMO DO ESTATUTO SOCIAL Artigo 1º - A RDC - FÉRIAS, HOTÉIS E TURISMO, designada neste Estatuto Social também como clube, é uma associação sem fins econômicos e lucrativos, regida pelo presente Estatuto

Leia mais

Cartões de Crédito A Visão do Comércio Varejista. Fecomercio

Cartões de Crédito A Visão do Comércio Varejista. Fecomercio Cartões de Crédito A Visão do Comércio Varejista Fecomercio SOBRE A FECOMERCIO Principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços Congrega 152 sindicatos patronais, que abrangem mais

Leia mais

REGULAMENTO. Capítulo 1º. Definições:

REGULAMENTO. Capítulo 1º. Definições: REGULAMENTO A OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS CVC TUR LTDA., o Presenteador e o Presenteado do VALE-VIAGEM CVC, a primeira, na qualidade de prestadora de serviços de turismo, e o segundo, aderindo às condições

Leia mais

OBJETIVO: Dar a reflexão aos participantes sobre as políticas de otimização de custos na agência em tempos de recessão.

OBJETIVO: Dar a reflexão aos participantes sobre as políticas de otimização de custos na agência em tempos de recessão. 5. Gestão Econômica e Finanças 5.1 Otimização de custos em agências de viagens INSTRUTOR(A): Carlos Silvério CARGA HORÁRIA: 4 Horas Agentes de viagens em geral. Dar a reflexão aos participantes sobre as

Leia mais

ICMS FRACIONAMENTO DA BASE DE CÁLCULO EM ELEMENTOS AUTÔNOMOS JOSÉ EDUARDO SOARES DE MELO FESDT/GRAMADO 23.10.14

ICMS FRACIONAMENTO DA BASE DE CÁLCULO EM ELEMENTOS AUTÔNOMOS JOSÉ EDUARDO SOARES DE MELO FESDT/GRAMADO 23.10.14 ICMS FRACIONAMENTO DA BASE DE CÁLCULO EM ELEMENTOS AUTÔNOMOS JOSÉ EDUARDO SOARES DE MELO FESDT/GRAMADO 23.10.14 I. TELECOMUNICAÇÕES Incidência: Prestação de serviços de comunicação, por qualquer meio,

Leia mais

GUIA INTERNACIONAL EUROPA 2009 Nº. 17 Versão 02 - Efetivo: 23/01/09 ÍNDICE. Parte 1 Regras Gerais ------------------------------------- pg.

GUIA INTERNACIONAL EUROPA 2009 Nº. 17 Versão 02 - Efetivo: 23/01/09 ÍNDICE. Parte 1 Regras Gerais ------------------------------------- pg. ANEXO DO ACORDO COMERCIAL PARA CONDIÇÃO DE OPERADORA Este anexo é parte integrante do Acordo Comercial para Condição de Operadora e não pode ser dissociado desse. O presente anexo tem início em 01 de Janeiro

Leia mais

Contextualização Turismo Acessível para Todos oferta transversal a todos sem barreiras

Contextualização Turismo Acessível para Todos oferta transversal a todos sem barreiras Access Azores. Associação privada s/ fins lucrativos;. Constituída em 2014;. Idealizada no seio académico das Universidades de Coimbra e de Aveiro;. Professores, alunos e ex-alunos ligados ao setor do

Leia mais

57º Fórum Mineiro de Gerenciadores de Transporte e Trânsito 07 e 08 de Março de 2013

57º Fórum Mineiro de Gerenciadores de Transporte e Trânsito 07 e 08 de Março de 2013 Araxá, 08/03/13 57º Fórum Mineiro de Gerenciadores de Transporte e Trânsito 07 e 08 de Março de 2013 O Futuro do Transporte Urbano nas Cidades de Pequeno e Médio Porte Compete à União: XX instituir diretrizes

Leia mais

Recife - Responsabilidades do Setor de Turismo na Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Eixo Qualificação

Recife - Responsabilidades do Setor de Turismo na Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Eixo Qualificação Recife - do Setor de Turismo na Prevenção Início e Termino Realizar mapeamento da demanda de formação profissional junto ao trade turístico (nas regiões turísticas 69 municípios). -SEBRAE - UFPE e outras

Leia mais

REGULAMENTO VALE-VIAGEM CVC

REGULAMENTO VALE-VIAGEM CVC REGULAMENTO VALE-VIAGEM CVC A CVC BRASIL OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS S/A, pessoa jurídica de direito privado inscrita no CNPJ nº. 10.760.260/0001-19, com sede na Rua das Figueiras, 501, 8º andar, Bairro

Leia mais

EMENTA: Dispõe sobre a Política Municipal de Atenção ao Idoso e da outras providências.

EMENTA: Dispõe sobre a Política Municipal de Atenção ao Idoso e da outras providências. LEI Nº 2.066/2012. EMENTA: Dispõe sobre a Política Municipal de Atenção ao Idoso e da outras providências. A MESA DIRETORA DA CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE, ESTADO DE PERNAMBUCO,

Leia mais

PLANOS DE MOBILIDADE URBANA

PLANOS DE MOBILIDADE URBANA IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA: PLANOS DE MOBILIDADE URBANA RENATO BOARETO Brasília, 28 de novembro de 2012 Organização Não Governamental fundada em 2006 com a missão de apoiar a

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS DIRECIONADAS AO IDOSO: aplicabilidade do artigo 4º do decreto nº 1.948/96. Keywords: Elderly. Public Policies.

POLÍTICAS PÚBLICAS DIRECIONADAS AO IDOSO: aplicabilidade do artigo 4º do decreto nº 1.948/96. Keywords: Elderly. Public Policies. 1 POLÍTICAS PÚBLICAS DIRECIONADAS AO IDOSO: aplicabilidade do artigo 4º do decreto nº 1.948/96 Paulo Roberto Barbosa Ramos * Yuri Sampaio Capellato Logrado Viviane Freitas Perdigão Geórgia Kerle Santos

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 105, DE 2008

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 105, DE 2008 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 105, DE 2008 Altera o art. 2º da Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989, que dispõe sobre o apoio às pessoas com deficiência, para prever incentivo ao empreendedorismo. O SENADO

Leia mais

Balanço do Crédito do Comércio Varejista

Balanço do Crédito do Comércio Varejista Receitas de Vendas A vista (cartão de débito, dinheiro e cheque) Vendas a Prazo (cartão de crédito, cheque pré-datado, etc.) Total Formas de vendas a prazo que a empresa aceita Cheque Cartão de Crédito

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001, 10 de março de 2009. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001, 10 de março de 2009. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001, 10 de março de 2009. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR Dispõe sobre a Política de uso de Softwares Livres no âmbito da UDESC O REITOR da FUNDAÇÃO

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ Secretaria de Estado do Turismo

ESTADO DO PARANÁ Secretaria de Estado do Turismo ESTADO DO PARANÁ Secretaria de Estado do Turismo MEIOS DE HOSPEDAGEM DO PARANÁ 2000 2007 HOTELARIA O segmento hoteleiro provoca no turismo um efeito multiplicador na geração de empregos (diretos e indiretos)

Leia mais

Francisco M.J.Leme da Silva

Francisco M.J.Leme da Silva Oportunidades e Desafios do Setor de Viagens Corporativas Breve perfil do palestrante Francisco M.J.Leme da Silva é diretor da Jet Stream Turismo - Agência de Viagens Corporativas, onde atua há quase 20

Leia mais

Art. 2º Revogar a Portaria nº 112, de 01 de agosto de 2008. Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. JORGE ALMEIDA GUIMARÃES

Art. 2º Revogar a Portaria nº 112, de 01 de agosto de 2008. Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. JORGE ALMEIDA GUIMARÃES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR PORTARIA Nº 140, DE 1º DE JULHO DE 2010 O PRESIDENTE DA COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR -

Leia mais

NOSSOS BENEFÍCIOS CONCIERGE ASSISTÊNCIA PESSOAL

NOSSOS BENEFÍCIOS CONCIERGE ASSISTÊNCIA PESSOAL NOSSOS BENEFÍCIOS CONCIERGE ASSISTÊNCIA PESSOAL NOSSOS BENEFÍCIOS CONCIERGE ASSISTÊNCIA PESSOAL 1. DESCRIÇÃO DO PRODUTO ASSISTÊNCIA 24 HORAS - CONCIERGE A Central de Informações consiste em atendimento

Leia mais

DECRETO Nº, DE DE DE. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e

DECRETO Nº, DE DE DE. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e DECRETO Nº, DE DE DE. Aprova a Política Nacional da Indústria de Defesa (PNID). A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e Considerando

Leia mais