TERMO DE REFERÊNCIA Nº

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TERMO DE REFERÊNCIA Nº 20140818112605155"

Transcrição

1 TERMO DE REFERÊNCIA Nº Projeto: REVITALIZAÇÃO DA SEDE E FORTALECIMENTO DA ESTRUTURA DE APOIO A VISITAÇÃO DO PARQUE ESTADUAL DO DESENGANO, EM SANTA MARIA MADALENA. Protocolo nº: Assunto: Item: Seleção de empresa para elaboração de projeto de reforma para a Sede Administrativa do Parque Estadual do Desengano Obras e Instalações x Prestação de Serviços Aquisição de materiais e equipamentos INFORMAÇÕES 1. JUSTIFICATIVA O Parque Estadual do Desengano (PED), criado em 1970, é a mais antiga das unidades de conservação estaduais. Com hectares, está inserido na categoria de Unidades de Proteção Integral. Constitui-se em um bem de uso comum e tem como objetivo principal a preservação dos ecossistemas e seus atributos ecológicos, permitindo a realização de atividades de educação ambiental, pesquisa científica e visitação. Em sua área, os mananciais são protegidos, a fauna e a flora conservadas, assim como os processos ecológicos que regem os ecossistemas, garantindo a manutenção de seus recursos naturais. Esse cenário ressalta a relevância do desenvolvimento de ações que promovam a sustentabilidade ambiental, a minimização dos conflitos junto à comunidade do entorno, o combate à degradação ambiental e o fomento à visitação de forma a garantir proteção dos recursos naturais do PED. Atualmente, a sede administrativa do parque está alocada em uma edificação que não atende às demandas de espaço, pois a equipe da unidade aumentou após as admissões de funcionários através de concurso público. Além disso, a edificação apresenta sérios problemas: infiltração no telhado e precariedade das instalações elétricas e hidráulicas, que podem trazer danos aos funcionários e equipamentos da sede. Sendo assim se faz necessária a contratação de projeto para reforma e ampliação da sede administrativa, a fim de oferecer melhores condições de trabalho à equipe do PED. 2. IDENTIFICAÇÃO Este termo de referência visa à contratação de empresa para elaboração de projetos de reforma e ampliação da Sede Administrativa do PED. Serão contratados projetos de arquitetura e complementares, além do memorial descritivo, planilhas orçamentárias e cronogramas, de modo que se tenham informações suficientes para o processo seletivo de contratação das obras. 3. OBJETIVO DO TRABALHO 3.1. Objetivo Geral: Consolidar a infraestrutura no complexo da sede do Parque Estadual do Desengano bem como oferecer melhores condições de trabalho para os funcionários da unidade Objetivos Especificos: 1

2 3.2.1 Elaboração de levantamento arquitetônico da sede administrativa, diagnóstico e estudo preliminar de arquitetura; Elaboração de anteprojeto de arquitetura; Elaboração de anteprojetos complementares; Elaboração de projetos executivos de paisagismo, urbanização, arquitetura e complementares; Elaboração de memorial descritivo, caderno de especificações, planilhas orçamentárias, cronogramas, perspectivas, maquete eletrônica com animação, entregas de RRT/ART, memórias de cálculo e demais informações necessárias para a construção das edificações ESCOPO DO PROJETO: O projeto prevê a elaboração dos projetos executivos de arquitetura, urbanização, paisagismo e complementares Programa de necessidades para a reforma e ampliação da Sede Administrativa numa área total de aproximadamente 200,00m²: Recepção Sala de Administração Sala do Chefe Sala dos técnicos Acervo técnico Sala de administração dos Guarda-Parques banheiros acessíveis a PNE, cada um possua no minimo 2 sanitários e 2 pias vestiários (1 feminino e 1 masculino) Sala de Reuniões de maneira que seja possível colocar uma mesa com 8 cadeiras Copa/ cozinha Refeitório integrado a copa/cozinha Depósito Almoxarifado Área de serviço com tanque e lava-pés Propor nova cobertura para a edificação prevendo a impermeabilização Propor novas redes de elétrica e hidráulica. 4. SERVIÇOS E PRODUTOS Os serviços esperados devem ser executados com o objetivo de garantir o bom funcionamento da estrutura em questão, respeitando as normas e exigências técnicas vigentes. 4.1 Os produtos esperados são todos aqueles que se tornam imprescindíveis, técnica e legalmente, para a total construção do projeto, conforme listado abaixo: Levantamento arquitetônico - representar a edificação que abriga a sede administrativa no estado atual através de planta de situação, planta-baixa, planta de cobertura, cortes e fachadas Diagnóstico identifica as caracteríscas do terreno, do entorno, das edificações e acessos, apontando características e potencialidades. Deverá ser representado através de planta de situação e desenhos esquemáticos, indicando as características do terreno e do entorno, edificações existentes, assim como orientação solar, ventos dominantes, dimensões, relevo e demais observações feitas na visita técnica, assim como definição dos principais acessos e distribuição espacial do terreno. Deve compreender também um estudo de viabilidade, considerando a infraestrutura existente ou necessária, acessos, avaliação do terreno e das espécies vegetais existentes, linhas de transmissão, informações junto 2

3 às concessionárias para abastecimento, existência de redes, necessidade de poços de abastecimento, etc e justificando as soluções adotadas. Avaliar o sistema estrutural e seus componentes, as redes hidráulica e elétrica e as fundações existentes Projeto de Arquitetura abrange as soluções de agenciamento dos espaços internos e externos da edificação para atendimento do programa de necessidades, assim como o tratamento plástico a ser dado em seus elementos externos e internos. Inclui o layout de todas as edificações, com especificação de mobiliário, que deve ser incluído no orçamento; O Projeto de Arquitetura deve ser desenvolvido em três etapas, a saber: Estudo Preliminar constitui a apresentação inicial da proposta, contendo soluções plásticas e técnicas, organograma e mapa de fluxos atendendo as principais exigências do programa de necessidades. Deverá ser apresentado através de: planta de situação, planta baixa proposta, cortes e perspectivas com definição de todos os espaços e equipamentos necessários para cada espaço ou edificação. Deverão ser indicadas as estruturas a construir e a demolir em uma prancha especifica para melhor compreensão da proposta. Anteprojetos abrange o desenvolvimento da solução arquitetônica adotada, que deverá orientar as propostas das demais disciplinas, deverá ser apresentado através de: planta de situação ajustada de acordo com o projeto de paisagismo, planta baixa, cortes, fachadas e especificação dos materiais e revestimentos de pisos, paredes, tetos, bancadas e outros elementos que se façam necessários. Deverão ser indicadas as estruturas a construir e a demolir em uma prancha especifica para melhor compreensão da proposta. Projetos executivos desenvolvimento e detalhamento do anteprojeto aprovado, a fornecer todas as informações arquitetônicas necessárias à construção. Compreende os elementos do anteprojeto e todos os detalhes necessários para a perfeita execução da obra, tais como plantas de teto, planta de paginação do piso, detalhamento dos banheiros e cozinhas, detalhamento das escadas, quadro de áreas e esquadrias, taxas de ocupação e outros elementos que se façam necessários, inclusive layout e especificação e orçamento do mobiliário, impermeabilizações, drenagens etc. Deverão ser indicadas as estruturas a construir e a demolir em uma prancha especifica para melhor compreensão da proposta Projeto de Paisagismo gera soluções dos espaços externos, prevendo acessos, estacionamentos e demais áreas externas necessárias, especificando materiais e todas as espécies vegetais utilizadas. O Projeto de Paisagismo será desenvolvido em duas etapas, a saber: Estudo preliminar - deve complementar o estudo inicial de arquitetura, identificando acessos, massas e zonemanento. Indicar os arruamentos e áreas de estacionamento em planta de situação com a especificação dos materiais e espécies vegetais a serem utilizados. Projeto Executivo planta de situação definitiva e demais desenhos que forem necessários, especificação das espécies vegetais, planta de plantio, equipamentos, soluções de drenagem, detalhamentos, identificação das espécies suprimidas e autorização para o corte das mesmas pelo setor responsável do INEA Projeto de fundações e estrutura conjunto de elementos gráficos, como: memoriais, desenhos, especificações e memória de cálculo, que visa definir e disciplinar a execução da parte da edificação considerada resistente às ações e coações atuantes, baseado nos resultados das sondagens realizadas. Serão desenvolvidos em duas etapas, a saber: Anteprojeto constando de plantas, cortes, vistas e o dimensionamento dos elementos estruturais, além das soluções técnicas adotadas; Projeto Executivo constando de plantas, cortes, vistas, detalhes cotados, desenhos das formas, dimensionamento dos elementos estruturais distribuição de ferragens necessárias à sua execução e respectivos quadros de quantitativos; Projeto de instalações elétricas de baixa tensão abrange as redes internas de energia para alimentação de equipamentos eletroeletrônicos e aparelhos de iluminação, devendo ser estudada proposta para sistema complementar de iluminação e de aquecimento de água com energia solar. 3

4 Contempla todos os cálculos, detalhamentos e especificações necessários. Projeto de instalações elétricas de baixa (força e iluminação) será desenvolvido em duas etapas, a saber: Anteprojeto planta de situação com os pontos de iluminação externa, de caráter funcional; planta baixa de cada pavimento, com indicação dos principais pontos de iluminação e alimentação elétrica dos ambientes internos, estimativa de cargas gerais do sistema e do regime de alimentações. Projeto executivo planta de situação definitiva com os pontos de iluminação externa, de caráter funcional, com a rede elétrica externa, tipo subterrânea, para atender as cargas de iluminação; planta baixa definitiva de cada pavimento, com indicação de todos os pontos de iluminação e alimentação elétrica dos ambientes e a rede elétrica interna, para atender as cargas de luz, força e ar condicionado, tubuladas, alimentadores de distribuição e de entrada, em baixa ou média tensão, tipo subterrâneo ou área, com medição de energia; quadros especiais de distribuição de luz e força localizadas nos diversos recintos e blocos; planilhas das cargas de luz e força; Sistema de proteção contra raios, quando necessário; listagem das características dimensionais e construtivas dos materiais a serem utilizados nas instalações Projeto de instalações especiais de telefonia e lógica abrange as redes internas de monitoramento, lógica e telefonia, contempla todos os cálculos e especificações. O projeto de lógica deverá ser submetido à GETEC (Gerência de Tecnologia de Informação) para apreciação da concepção e avaliação da compatibilidade com o sistema do INEA (Instituto Estadual do Ambiente). Será desenvolvido em duas etapas, a saber: Anteprojeto planta de situação e localização indicando o tipo de entrada e o ponto de abastecimento; plantas baixas, conforme a subdivisão iniciada no projeto arquitetônico, indicando a posição e tipos dos pontos telefônicos. Projeto executivo planta definitiva de situação e localização, com as mesmas informações do anteprojeto; plantas baixas definitivas, de cada pavimento e de cada setor com as mesmas informações do anteprojeto, além de antena e caixas de distribuição; corte esquemático, mostrando todas as prumadas, com as respectivas caixas de passagem e de distribuição; as especificações de materiais constarão de listagem das características dimensionais e construtivas dos materiais a serem utilizados nas instalações Projeto de instalações hidráulicas inclui as redes de alimentação e distribuição interna de água, rede interna, dimensionamento dos elementos e cálculos de reservatório, de demanda, e de sistemas de elevação. Projeto de instalações hidráulicas será desenvolvido em duas etapas, a saber: Anteprojeto planta de situação das instalações hidráulicas externas, indicando a localização das redes externas de alimentação de água, locais e modo de abastecimento, inclusive reservatórios, irrigação e propósitos afins, de pequeno porte e rede externa; Planta baixa de cada pavimento, indicando a posição e o tipo dos diversos aparelhos hidráulicos, dos pontos de alimentação e consumo, a posição das colunas de água, além dos elementos de comando. Projeto executivo planta de situação definitiva das instalações hidráulicas externas, indicando a localização, o modo de abastecimento e o dimensionamento das redes externas de alimentação de água, inclusive reservatórios, irrigação e propósitos afins, de pequeno porte; rede externa; plantas baixas definitivas de cada pavimento e de cada setor, com as mesmas informações do anteprojeto; perspectivas isométricas das tubulações que abastecem os conjuntos sanitários, lavanderias e cozinhas; planta baixa do barrilete de distribuição de água; cortes esquemáticos, indicando o pé direito, os desvios necessários e outros elementos característicos das instalações hidráulicas, para edificação com mais de dois pavimentos; detalhes dos reservatórios de água de suas ligações e das bombas de recalque, quando existir; listagem das características dimensionais e construtivas dos materiais a serem utilizados nas instalações Projeto de instalações sanitárias e águas pluviais despejo final de esgotos sanitários, rede de coleta e de esgotamento de águas pluviais, dimensionamento dos elementos e cálculos; Projeto de instalações sanitárias será desenvolvido em duas etapas, a saber: Anteprojeto planta de situação das instalações sanitárias, indicando a ligação com as redes externas; rede de coleta e despejo de águas pluviais; Planta baixa, indicando a posição e o tipo 4

5 dos diversos aparelhos sanitários, dos pontos de despejo, das colunas de esgotos, de águas pluviais e de ventilação. Projeto executivo planta de situação definitiva das instalações sanitárias com ligação com rede externa, indicando a localização e o dimensionamento das redes internas; rede de coleta e despejo de águas pluviais; plantas baixas definitivas de cada pavimento e de cada setor, com as mesmas informações do anteprojeto; dos conjuntos sanitários, lavanderias e cozinhas; planta baixa; cortes esquemáticos dos diversos blocos, indicando o pé direito, os desvios necessários e outros elementos característicos das instalações sanitárias, para edificações com mais de dois pavimentos; listagem das características dimensionais e construtivas dos materiais a serem utilizados nas instalações Detecção e Prevenção de incêndios conjunto de elementos gráficos, como memoriais, desenhos e especificações, que visa definir e disciplinar a instalação de dispositivos de detecção e alarme de incêndio; prevê cálculos e especificações; Anteprojeto apresentação de todas as plantas que possuam instalação de detecção e alarme de incêndio, com indicação dos dispositivos; Projeto executivo plantas definitivas com esquema elétrico da fonte de instalação, lista detalhada de equipamentos e materiais da instalação e respectivas garantias Compatibilização de projetos conjunto de desenhos em que apresenta todos os projetos sobrepostos a fim de elucidar a execução, incluindo a indicação no projeto de todas pranchas que foram utilizadas como referência Memorial descritivo e caderno de especificações - contém a descrição e justificativa das soluções adotadas nos projetos e inclui a indicação detalhada de todos os cálculos e especificações dos materiais, sistemas e equipamentos que serão empregados na obra. Apresentação da lista mestra de todos os projetos atualizada com todas as revisões identificando todas as pranchas e relacionando aos arquivos digitais; Memória de cálculo caderno que inclui cálculos de quantitativo de material utilizado em projeto e a indicação detalhada dos cálculos dos principais componentes das instalações, em especial das suas infraestruturas básicas, tais como: Elétrica - Quadro geral de carga, com o dimensionamento das instalações até a ligação da concessionária local, incluindo as demandas projetadas e a eventual necessidade da instalação de capacitores e de transformadores e redes de alimentação pela Concessionária no caso da inexistência de rede suficiente no local. Hidráulica - O cálculo do consumo e da população prevista para as instalações, os volumes de reservação pretendidos, em litros e em dias, tanto para as caixas superiores internas, quanto para cisternas ou castelos d'água, bem como no caso da previsão de abastecimento ou de poços artesianos. Sanitária - Cálculo do dimensionamento das Fossas, Sumidouros, Filtros Anaeróbios, Caixas de gordura e Biodigestores. Águas Pluviais - Cálculo do dimensionamento das descidas e dos troncos principais das redes e destinações dos fluxos, em função das áreas de contribuição e dos índices pluviométricos previstos. Cálculo Estrutural - Inserir um quadro resumo, com os somatórios das estruturas projetadas, tanto em relação aos tipos de aço incluidos, quanto ao volume de concreto projetado. A memória de cálculo das infraestruturas aprovadas no projeto preliminar deverá ser entregue junto aos projetos complementares como base para o estudo e aprovação dos projetos preliminares Planilhas orçamentárias elaboração de planilha de serviços e custos com a memória de cálculo dos itens dos quantitativos de todos os materiais e serviços necessários para realização da obra, utilizando os itens EMOP, especificando na íntegra as referências e textos dos ítens. A planilha orçamentária deverá ser elaborada seguindo o modelo fornecido pelo INEA, sem que sejam alteradas formatação e fórmulas Cronograma físico-financeiro de execução das obras indicando o tempo exequível e os valores por etapas. O cronograma físico-financeiro deverá ser elaborado seguindo o modelo fornecido 5

6 pelo INEA, sem que sejam alteradas formatação e fórmulas Perspectivas abrange ilustrações das soluções internas e externas da proposta; devem ser entregues no mínimo uma perspectiva interna e uma externa de cada edificação, uma geral de cada área e uma geral de todo o conjunto Maquete eletrônica representa cada edificação e o conjunto volumetricamente. Deve representar também o paisagismo ART / RRT Documento comprobatório pertinente a Responsabilidade Técnica junto ao conselho responsável de todos os componentes dos serviços, inclusive dos subcontratados Legalização junto a Prefeitura de Santa Maria Madalena, com apoio do INEA. 4.2 Forma de apresentação dos produtos Os produtos de todas as etapas de trabalho deverão ser apresentados à GEPRO/DIBAP INEA sob a forma de relatórios técnicos, em cadernos impressos, coloridos, em formato e escala compatíveis às características do produto e que permitam a perfeita compreensão do cliente Os relatórios técnicos das etapas iniciais referentes a levantamentos, diagnóstico e estudos preliminares serão apresentados em 2 (duas) cópias impressas (GEPRO) e 5 (cinco) CDs gravados (GEPRO - 2, processo - 2 e contratante - 1) Os relatórios técnicos da etapa de anteprojetos de arquitetura, estrutura e demais instalações serão apresentados em 2 (duas) cópias impressas (GEPRO) e 5 (cinco) CDs gravados (GEPRO - 2, processo - 2 e contratante - 1) Os relatórios técnicos da etapa de projetos executivos de arquitetura, estrutura e demais instalações serão apresentados em 3 (três) cópias impressas (GEPRO 2, obra 1) e 5 (cinco) CDs gravados (GEPRO - 2, processo - 2 e contratante - 1) Todos os produtos dos relatórios técnicos deverão ser fornecidos em meio digital, através de CDs gravados nos formatos e ferramentas utilizadas para sua elaboração/edição Word, Excel, Autocad e/ou outras soluções usuais e também em pdf Todos os produtos deverão ser entregues assinados As representações gráficas das soluções adotadas em todos os projetos deverão ser feitas através de desenhos digitalizados, elaborados conforme exigências das normas da ABNT, em escalas, padrões e legendas compatíveis, compreendendo, entre outros tipos de representação necessários ao entendimento da proposta, plantas de situação, plantas baixas, plantas de teto refletido, cortes, fachadas, vistas e elevações, detalhes e pormenores, ilustrações e perspectivas Os carimbos de todas as pranchas, assim como as capas de todos os relatórios técnicos dos produtos, deverão conter as seguintes informações, além de outras exigidas pela Prefeitura envolvida: Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado do Ambiente SEA Instituto Estadual do Ambiente INEA Diretoria de Biodiversidade e Áreas Protegidas DIBAP Gerência de Unidades de Conservação de Proteção Integral GEPRO Projeto: Reforma da Sede do Parque Estadual do Desengano - PED Projeto financiado com recursos de compensação ambiental e executado pelo Mecanismo FMA/RJ Descrição da prancha: Número da prancha: Escala: Setagem: 6

7 Data, inclusive correções: Autor do projeto, CAU/CREA: Responsável técnico pela obra: (deixar um espaço em branco para completar com o nome e o registro do profissional que venha a assumir a obra) Desenho: Os desenhos do levantamento arquitetônico deverão ser apresentados em escala 1/75 e/ou 1/100, preferencialmente Nos desenhos dos estudos preliminares, a serem apresentados em escala 1/75 e/ou 1/100, preferencialmente, constarão as soluções de organização dos espaços, com layout de lançamento do mobiliário básico, a solução plástica adotada e as principais características construtivas Nos desenhos dos anteprojetos, representados nas escalas 1/50 e/ou 1/75, preferencialmente, serão indicadas as soluções arquitetônicas adotadas e as propostas para os sistemas e redes de infraestrutura, devidamente cotadas e com especificação básica de materiais de acabamento Nos desenhos dos projetos executivos, representados nas escalas 1/50 e/ou 1/75, preferencialmente, constarão as soluções definitivas adotadas, com indicação de todos os pormenores que constituem a obra a ser executada, incluindo as especificações dos materiais de acabamento, dos sistemas e dos equipamentos. Considerando as características do terreno e do entorno (topografia, ventos dominantes, insolação etc), os projetos elaborados neste contrato poderão ser implantados em outras unidades de conservação a critério do INEA, resguardando a autoria do projeto. No caso de necessidade de alguma modificação será consultado o autor. 5. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES E PRAZOS O prazo para conclusão do serviço será de até 120 dias a partir da assinatura do Termo de Autorização para Início de Serviço. Após cada entrega, a equipe do INEA/GEPRO terá o prazo de 10 dias para analisar os produtos e emitir o - Termo de Recebimento e Aceite, podendo ser feitas recomendações à contratada a serem cumpridas na etapa posterior. Poderá haver prorrogação do prazo, caso exista a necessidade, desde que ocorra uma justificativa por escrito pela contratada ao INEA e este submeter a aprovação ao contratante, além de um novo cronograma. Segue cronograma: PRODUTOS 30 dias 45 dias 60 dias 90 dias 120 dias PRODUTO 1 - Entrega do levantamento arquitetônico, diagnóstico e estudos preliminares. PRODUTO 2 - Entrega do anteprojeto de arquitetura. PRODUTO 3 - Entrega dos anteprojetos complementares. PRODUTO 4 - Entrega dos projetos executivos. PRODUTO 5 - Entrega do memorial descritivo, perspectivas, maquete eletrônica, caderno de especificações, planilhas, cronograma, ARTs/RRTs, memórias de cálculo definitivas e legalização junto à prefeitura de Santa Maria Madalena. 7

8 6. FORMA DE PAGAMENTO O pagamento relativo a cada produto será efetuado em, no máximo, 10 dias úteis a contar da entrega e aprovação final dos respectivos produtos, mediante emissão e entrega do Termo de Recebimento e Aceite emitido pela GEPRO contra a apresentação da fatura/nota fiscal dos serviços prestados. PRODUTOS Valor PRODUTO 1 Levantamento arquitetônico, diagnóstico e estudos preliminares. 20% PRODUTO 2 - Anteprojeto de arquitetura. 10% PRODUTO 3 - Anteprojetos complementares. 20% PRODUTO 4 - Projetos executivos. 30% PRODUTO 5- Memorial descritivo, perspectivas, maquete eletrônica, caderno de especificações, planilhas orçamentárias, cronograma físico-financeiro, ARTs/RRTs, demais memórias de cálculo e documento de legalização junto à prefeitura envolvida. 20% Total 100% 7. HABILITAÇÃO TÉCNICA A empresa a ser contratada deve possuir experiência comprovada em projetos de arquitetura com conceitos de conforto ambiental e energias renováveis ou já ter elaborado projetos em parques e/ou outras unidades de conservação buscando valorizar padrões de produção e consumo sustentáveis. Deve reforçar aspectos da sustentabilidade socioambiental, dinamizar a economia e o desenvolvimento local, incentivando a geração de emprego e renda, aquisição de materiais da região, uso de técnicas construtivas sustentáveis, dentre outros. É dever da contratada respeitar as legislações urbanísticas e ambientais, vigentes no Estado do Rio de Janeiro e no município de Santa Maria Madalena. Ser apta a exercer as atividades perante o CAU e/ou o CREA e apresentar RRT/ART de todos os serviços. Deve possuir ainda equipe mínima composta por: Um arquiteto: Responsável técnico pelo projeto. Coordenador de todos os projetos complementares e a compatibilização dos mesmos. Será o interlocutor entre a empresa contratada e a GEPRO/INEA, responsável por apresentar todas as informações e esclarecer quaisquer dúvidas ou problemas relativos aos projetos contratados. Um projetista de instalações; Um calculista; Um paisagista; Um consultor em sustentabilidade; Os profissionais participantes da equipe deverão ser os mesmos que assinarão as ARTs/RRTs e deverão comprovar experiência em projetos similares. Posterior a contratação, caso haja necessidade de troca de profissional, somente será aceito mediante 8

9 autorização da GEPRO/INEA e contratante, e se o profissional substituto possuir experiência igual ou superior ao profissional substituído. As empresas aptas a participarem do processo seletivo deverão, para melhor dimensionar as propostas técnica e de preço, analisar in loco as condições físicas, técnicas e logísticas existentes na Unidade de Conservação objeto do presente TdR, por meio de Visita Técnica. Caberão aos proponentes as despesas desta(s) visita(s) in loco. 8. PRAZO 8.1 Realização de visita técnica pela empresa contratada marcar após a assinatura do contrato e emissão do Termo de Autorização para Início de Serviço; 8.2 Entrega do levantamento arquitetônico, diagnóstico e estudos preliminares 30 dias após a visita técnica; 8.3 Entrega dos anteprojetos de arquitetura 15 dias após a aprovação dos estudos preliminares; 8.4 Entrega dos anteprojetos complementares 15 dias após o aceite dos anteprojetos de arquitetura e paisagismo; 8.5 Entrega dos projetos executivos 30 dias após o aceite dos anteprojetos complementares; 8.6 Entrega do memorial descritivo, de perspectivas, de maquete eletrônica, do caderno de especificações, de planilhas, de cronograma, RRTs e ARTs e memórias de cálculo 30 dias após o aceite dos projeto executivos; 8.7 O prazo total para execução dos serviços é de até 120 dias após assinatura do Termo de Autorização para Início de Serviço. 9. OBRIGAÇÕES DAS PARTES 9.1 Obrigações do INEA/GEPRO: PRESTAR as informações e os esclarecimentos que venham a ser solicitados, bem como disponibilizar-se para reuniões; SUPERVISIONAR e acompanhar o desempenho dos projetos e suas etapas, assim como convocar a qualquer momento o executor para prestar esclarecimentos ou sanar dúvidas; FORNECER levantamento topográfico existente do entorno da edificação em arquivo digital; FORNECER modelo de planilha utilizado pela GEPRO/INEA para a contratada seguir o padrão; AVALIAR produtos de cada etapa em até 10 dias úteis, no máximo; IMPUGNAR os serviços executados quando os mesmos não atenderem as especificações contidas neste instrumento, e/ou as normas técnicas da ABNT aplicadas ao serviço em questão; PROVIDENCIAR documentos junto à contratante, para efeito de pagamento, prorrogação de prazos ou qualquer outro assunto pertinente ao contrato APOIAR a contratada no que diz respeito a licenciamentos e legalizações junto aos órgãos do Governo. 9.2 Obrigações da contratada: CONSIDERAR a inserção de conceitos de uso racional/renovável de energia e materiais, conforto ambiental e arquitetura bioclimática, considerando o entorno, os ventos dominantes, a orientação solar e as características do terreno INSERIR no projeto conceitos de acessibilidade universal DEVERÃO ser adotados, em sua totalidade, as diretrizes presentes no conjunto de normas NBR , referente a requisitos mínimos de desempenho de diversos sistemas das edificações; norma NBR 9050, referente à acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos CONSIDERAR todas as legislações vigentes. 9

10 9.2.5 APRESENTAR os projetos com detalhamento de projeto executivo visando dar início ao processo seletivo imediato para contratação das obras COMPATIBILIZAR todos os projetos, orçamentos, memoriais e especificações ATENTAR-SE ao problema de umidade ascendente nas edificações, comum em unidades de conservação PREVER retirada do entulho para lugar apropriado a ser definido pelo INEA, ou o aproveitamento do mesmo, assim como considerar as despesas com transporte no orçamento final PREVER, quando necessário, despesas com demolição e transporte de entulho no orçamento final SUBMETER o trabalho a ser desenvolvido à aprovação da Gerência de Unidades de Conservação de Proteção Integral (GEPRO) da DIBAP/ INEA; OBEDECER ainda todas as indicações do processo seletivo e do contrato jurídico REALIZAR visita técnica à área, com o objetivo de realizar diagnóstico, estudos preliminares e levantamentos; REALIZAR pelo menos três visitas em conjunto com a equipe da GEPRO/INEA durante a execução das obras para eventuais esclarecimentos; ESTAR durante a consultoria em contato com o chefe da unidade, com a equipe da GEPRO/INEA e contratante para troca de informações, documentos e orientações técnicas, definição de tarefas, prazos e critérios para aprovação, adequação de estudos à execução e agendamento visita técnica; ESTAR disponível durante a realização das obras para prestar quaisquer esclarecimentos e resoluções de problemas relacionados a eventuais equívocos de projeto REALIZAR o serviço objeto deste estudo dentro da boa técnica e em conformidade legal e fornecer sempre que solicitado informações e documentos necessários ao desenvolvimento do projeto; APRESENTAR na proposta preço global contendo todos os componentes do custo, inclusive gastos com passagens, diárias, combustível, cópias, plotagens, projetos subcontratados, bem como quaisquer gastos oriundos de obrigações e encargos fiscais, tributários, trabalhistas e previdenciários; APRESENTAR o Registro de Responsabilidade Técnica - RRT / Anotação de Responsabilidade Técnica ART dos projetos junto ao CAU/RJ - CREA/RJ, assinada e quitada (inclusive dos projetos subcontratados); ASSUMIR responsabilidade, quando exigido por órgão competente, pelos trâmites e despesas para obtenção de toda a documentação referente à legalização dos serviços executados; ELABORAR os projetos visando à economia da manutenção e operacionalização da edificação, a redução do consumo de energia e água, bem como, preferencialmente, a utilização de tecnologias e materiais que reduzam o impacto ambiental, tais como: a) Propor uso de equipamentos de climatização mecânica, ou de novas tecnologias de resfriamento do ar, que utilizem energia elétrica apenas nos ambientes onde for indispensável; b) Propor automação da iluminação do prédio através do projeto de iluminação, interruptores, iluminação ambiental, iluminação tarefa, uso de sensores de presença; c) Propor uso exclusivo de lâmpadas fluorescentes compactas, tubulares de alto rendimento ou outras lâmpadas eficientes, como as do tipo LED; d) Uso de energia solar, ou outra energia limpa para aquecimento de água; e) Adoção de sistema de reuso de água e de tratamento de efluentes gerados; f) Aproveitamento da água da chuva, agregando ao sistema hidráulico elementos que possibilitem a captação, transporte, armazenamento e seu aproveitamento; g) Priorizar no projeto a utilização de materiais que sejam reciclados, reutilizados e 10

11 biodegradáveis, e que reduzam a necessidade de manutenção; DEVERÁ realizar 3 (três) visitas durante a execução da obra em conjunto com a equipe técnica do INEA/GEPRO, para acompanhar a construção de seu projeto CUMPRIR todas as diretrizes, realizar todas as tarefas e entregar todos os produtos deste TdR. 11

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 20140818110508155

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 20140818110508155 TERMO DE REFERÊNCIA Nº 20140818110508155 Projeto: REVITALIZAÇÃO DA SEDE E FORTALECIMENTO DA ESTRUTURA DE APOIO A VISITAÇÃO DO PARQUE ESTADUAL DO DESENGANO, EM SANTA MARIA MADALENA. Protocolo nº: 20140818110508155

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2010053113295193

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2010053113295193 TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2010053113295193 Projeto: Elaboração de Plano de Ocupação e Projeto Executivo Completo para implantação da Subsede Teresópolis do Parque Estadual dos Três Picos Protocolo nº: 2010053113295193

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA Nº 20141102110350178 e 20141102110932178 MELHORIA DA ESTRUTURA DE USO PÚBLICO DO PARQUE NACIONAL DO ITATIAIA PROJETO.

TERMO DE REFERENCIA Nº 20141102110350178 e 20141102110932178 MELHORIA DA ESTRUTURA DE USO PÚBLICO DO PARQUE NACIONAL DO ITATIAIA PROJETO. TERMO DE REFERENCIA Nº 20141102110350178 e 20141102110932178 PROJETO Assunto MELHORIA DA ESTRUTURA DE USO PÚBLICO DO PARQUE NACIONAL DO ITATIAIA Item: Contratação de consultoria PJ especializada para realização

Leia mais

x Obras e Instalações Prestação de Serviços INFORMAÇÕES

x Obras e Instalações Prestação de Serviços INFORMAÇÕES Projeto: TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2010062316505095 Conclusão das obras de infraestrutura física do alojamento de pesquisadores, recuperação das edificações existentes (sede administrativa e centro de visitantes),

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA REVITALIZAÇÃO DA SEDE E FORTALECIMENTO DA ESTRUTURA DE APOIO A VISITAÇÃO DO PARQUE ESTADUAL DO DESENGANO, EM SANTA MARIA MADALENA.

TERMO DE REFERÊNCIA REVITALIZAÇÃO DA SEDE E FORTALECIMENTO DA ESTRUTURA DE APOIO A VISITAÇÃO DO PARQUE ESTADUAL DO DESENGANO, EM SANTA MARIA MADALENA. TERMO DE REFERÊNCIA Projeto: REVITALIZAÇÃO DA SEDE E FORTALECIMENTO DA ESTRUTURA DE APOIO A VISITAÇÃO DO PARQUE ESTADUAL DO DESENGANO, EM SANTA MARIA MADALENA. Protocolo nº: 20140918174308155 Assunto:

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA 04 PROJETOS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCENDIOS (PCI)

INSTRUÇÃO TÉCNICA 04 PROJETOS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCENDIOS (PCI) INSTRUÇÃO TÉCNICA 04 PROJETOS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCENDIOS (PCI) 1 OBJETIVO 1.1 Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam os procedimentos, critérios e padrões a serem adotados para elaboração

Leia mais

Obras e Instalações x Prestação de Serviços INFORMAÇÕES

Obras e Instalações x Prestação de Serviços INFORMAÇÕES Projeto: TERMO DE REFERÊNCIA Nº 201805171636099 Elaboração de Projetos Eecutivos de Reforma e Construção de Infraestrutura da Sede da Reserva Biológica de Araras (RBA). Protocolo nº: 201805171636099 Assunto:

Leia mais

SECRETARIA GOVERNO DO DE ESTADO DO DO RIO DE JANEIRO 1. INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE INEA SEA NFORMAÇÕES:

SECRETARIA GOVERNO DO DE ESTADO DO DO RIO DE JANEIRO 1. INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE INEA SEA NFORMAÇÕES: SECRETARIA GOVERNO DO DE ESTADO DO DO RIO DE JANEIRO 1. INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE INEA SEA Projeto: TERMO chrysomelas) Construção DE REFERÊNCIA de capturados recintos Nº em no 2013.0812.1029.37151

Leia mais

ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO COTAÇÃO DE PREÇO Nº 09/2014 PROCESSO Nº 09/2014 ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL MAMIRAUÁ IDSM PROJETO - ARQUITETURA, PROJETOS EXECUTIVOS COMPLEMENTARES E ORÇAMENTO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA VISANDO CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE SONDAGEM, ELABORAÇÃO DO PROJETO DE FUNDAÇÃO E DO PROJETO IMPLANTAÇÃO DO CENTRO DE INICIAÇÃO AO

TERMO DE REFERÊNCIA VISANDO CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE SONDAGEM, ELABORAÇÃO DO PROJETO DE FUNDAÇÃO E DO PROJETO IMPLANTAÇÃO DO CENTRO DE INICIAÇÃO AO TERMO DE REFERÊNCIA VISANDO CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE SONDAGEM, ELABORAÇÃO DO PROJETO DE FUNDAÇÃO E DO PROJETO IMPLANTAÇÃO DO CENTRO DE INICIAÇÃO AO ESPORTE CIE -TIPOLOGIA M3R40 1 SIGLAS E DEFINIÇÕES ABNT

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 20151028123025143_20151028122923143

TERMO DE REFERÊNCIA 20151028123025143_20151028122923143 TERMO DE REFERÊNCIA 20151028123025143_20151028122923143 Projeto: IMPLANTAÇÃO DAS UNIDADES DE POLÍCIA AMBIENTAL (UPAms) NAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DE PROTEÇÃO INTEGRAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO LOCALIZADAS

Leia mais

ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1 ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EDITAL DO PREGÃO AMPLO Nº 008/2010-ER05-Anatel PROCESSO Nº 53528.001004/2010 Projeto Executivo e Estudos de Adequação da nova Sala de Servidores da rede de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2012.0112.1612.56120

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2012.0112.1612.56120 TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2012.0112.1612.56120 Projeto: ELABORAÇÃO DE PLANO DE OCUPAÇÃO E PROJETO EXECUTIVO COMPLETO PARA IMPLANTAÇÃO DA SUBSEDE BABILÔNIA DO PARQUE ESTADUAL DO DESENGANO Protocolo nº: 20120112161256120

Leia mais

NORMA TÉCNICA GEPRO/ESGOTO 001/2015 DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSANITÁRIOS POR TERCEIROS

NORMA TÉCNICA GEPRO/ESGOTO 001/2015 DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSANITÁRIOS POR TERCEIROS NORMA TÉCNICA GEPRO/ESGOTO 001/2015 DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSANITÁRIOS POR TERCEIROS ÍNDICE 1. OBJETIVOS... 1 2. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 1 3. EMPREENDIMENTOS DE INTERESSE... 2 4.

Leia mais

INSTRUÇÕES TÉCNICAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL - LICENÇA SIMPLIFICADA (LS)

INSTRUÇÕES TÉCNICAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL - LICENÇA SIMPLIFICADA (LS) INSTRUÇÕES TÉCNICAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL - LICENÇA SIMPLIFICADA (LS) 1. DEFINIÇÃO 1.1. Licença Simplificada (LS) - concedida para a localização, instalação, implantação e operação

Leia mais

Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas www.ibraop.com.br

Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas www.ibraop.com.br Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas www.ibraop.com.br ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT - IBR 001/2006 PROJETO BÁSICO Primeira edição: válida a partir de 07/11/2006 Palavras Chave: Projeto Básico,

Leia mais

MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES

MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES 1 ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS (NORMAS E DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS, ESPECIFICAÇÕES E PLANILHA) MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES ELABORAÇÃO, APROVAÇÃO, DETALHAMENTO E DESENVOLVIMENTO DOS PROJETOS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE REFORMA E ADAPTAÇÃO EM EDIFÍCIO PARA SEDE DA PTM DE BARUERI

TERMO DE REFERÊNCIA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE REFORMA E ADAPTAÇÃO EM EDIFÍCIO PARA SEDE DA PTM DE BARUERI ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO ELETRÔNICO Nº. 24/2011 TERMO DE REFERÊNCIA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE REFORMA E ADAPTAÇÃO EM EDIFÍCIO PARA SEDE DA PTM DE BARUERI 1. OBJETO 1.1. Contratação de empresa

Leia mais

COMUSA Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo

COMUSA Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo 2011 PREFEITO MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO Sr. Tarcísio João Zimmermann DIRETOR GERAL DA COMUSA Eng. Arnaldo Luiz Dutra DIRETOR TÉCNICO DA COMUSA Eng. Júlio César Macedo COORDENADOR DE PROJETOS E OBRAS Eng.

Leia mais

EVENTOS QUADRO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA DADOS DO EVENTO

EVENTOS QUADRO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA DADOS DO EVENTO EVENTOS QUADRO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA NOME DO EVENTO: DADOS DO EVENTO EMPRESA RESPONSÁVEL: CNPJ: END. COMPLETO: ESTRUTURA: ( ) CAMAROTE NOME: ( ) POSTO DE TRANSMISSÃO ( ) PALCO - ( ) PRATICÁVEIS:

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01/2011. x Obras e Instalações Prestação de Serviços INFORMAÇÕES

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01/2011. x Obras e Instalações Prestação de Serviços INFORMAÇÕES TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01/2011 Projeto: FORTALECIMENTO DO PARQUE ESTADUAL DA PEDRA BRANCA - PEPB: OBRAS DE RECUPERAÇÃO E AQUISIÇÃO DE MOBILIÁRIO E EQUIPAMENTOS Protocolo nº: 20110302174043107 Assunto:

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Obras e Instalações x Prestação de Serviços INFORMAÇÕES

TERMO DE REFERÊNCIA. Obras e Instalações x Prestação de Serviços INFORMAÇÕES TERMO DE REFERÊNCIA Projeto: Elaboração de Projetos Executivos de implantação da Infraestrutura para a nova Sede do Parque Estadual da Serra da Tiririca no Município de Niterói Protocolo n : 20130927165817150

Leia mais

Documento sujeito a revisões periódicas Natal RN CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-1975 / 3232-2118

Documento sujeito a revisões periódicas Natal RN CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-1975 / 3232-2118 Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Postos (Revendedores e de Abastecimento) e Sistemas

Leia mais

Seminário de Tecnologia da Construção & Arquitetura

Seminário de Tecnologia da Construção & Arquitetura CONCURSO PÚBLICO DE ESTUDANTES BAHIA: PROJETO DE EDIFICAÇÃO PARA O PMCMV - SELO CASA AZUL TECNOLOGIAS DA CONSTRUÇÃO E ARQUITETURA TERMO DE REFERÊNCIA Agosto 2014 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETO 2.1 Terreno

Leia mais

ANEXO II GUIA DE FORMULAÇÃO DO PROJETO

ANEXO II GUIA DE FORMULAÇÃO DO PROJETO ANEXO II GUIA DE FORMULAÇÃO DO PROJETO 1. INTRODUÇÃO A Agência Pernambucana de Águas e Clima (APAC) foi criada pela Lei estadual 14.028 de março de 2010 e tem como uma de suas finalidades executar a Política

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DA 2ª REGIÃO/SP ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO ELETRÔNICO Nº.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DA 2ª REGIÃO/SP ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO ELETRÔNICO Nº. ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO ELETRÔNICO Nº. 27/2011 TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada na prestação de serviços de engenharia elétrica para elaboração de projeto

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01 /2012

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01 /2012 TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01 /2012 Projeto: RESERVA BIOLÓGICA UNIÃO UMA ÁREA NATURAL PROTEGIDA DE MATA ATLÂNTICA ACESSÍVEL AOS PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS. Protocolo nº: 20120523121243128 Assunto:

Leia mais

PROC IBR EDIF 048/2015 Análise de projeto de Instalações Prediais de Água Quente

PROC IBR EDIF 048/2015 Análise de projeto de Instalações Prediais de Água Quente INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC IBR EDIF 048/2015 Análise de projeto de Instalações Prediais de Água Quente Primeira edição

Leia mais

técnica à Gerência de Unidades de Conservação de Proteção Integral

técnica à Gerência de Unidades de Conservação de Proteção Integral TERMO DE REFERÊNCIA Nº. 03 / 2012 Projeto: Assunto: Serviços Técnicos especializados de Engenharia consultiva de Gerenciamento de Obras e Assessoria técnica para elaboração de projetos de implantação das

Leia mais

Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Serviços de Lavagem, Lubrificação e Troca de Óleo de Veículos - Licença de Instalação (LI) -

Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Serviços de Lavagem, Lubrificação e Troca de Óleo de Veículos - Licença de Instalação (LI) - Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Serviços de Lavagem, Lubrificação e Troca de

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DAS INSTALAÇÕES MECÂNICAS DE EDIFICAÇÃO

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DAS INSTALAÇÕES MECÂNICAS DE EDIFICAÇÃO 1 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DAS INSTALAÇÕES MECÂNICAS DE EDIFICAÇÃO 2 ÍNDICE Lista de Abreviaturas 03 Introdução 04 Parte I 05 Instruções Gerais 05 Modelo de Selo Padrão 07 Parte II Instruções

Leia mais

à Coordenadoria de Mecanismos de Proteção à Biodiversidade/Serviço de Regularização Fundiária

à Coordenadoria de Mecanismos de Proteção à Biodiversidade/Serviço de Regularização Fundiária TERMO DE REFERÊNCIA Nº. 01/2015 Projeto: REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA DAS UCs ESTADUAIS Assunto: Protocolo nº: 20151126163316190 Item: Contratação de empresa de consultoria para prestação de serviços de assessoria

Leia mais

PROJETO BÁSICO OBRA DE REFORMA E AMPLIAÇÃO DA AC CERES - DR/GO ENDEREÇO: AVENIDA PRESIDENTE VARGAS, LOTE 34, QUADRA Q, SETOR CENTRAL, CERES - GOIÁS

PROJETO BÁSICO OBRA DE REFORMA E AMPLIAÇÃO DA AC CERES - DR/GO ENDEREÇO: AVENIDA PRESIDENTE VARGAS, LOTE 34, QUADRA Q, SETOR CENTRAL, CERES - GOIÁS PROJETO BÁSICO PROJETO BÁSICO PARA: OBRA DE REFORMA E AMPLIAÇÃO DA AC CERES - DR/GO OBJETO DA LICITAÇÃO: O objeto da presente licitação é a OBRA DE REFORMA E AMPLIAÇÃO DA AC CERES - DR/GO, na forma de

Leia mais

MODELO DE PROJETO BÁSICO AUDITORIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO DO IFAM [Subtítulo do documento]

MODELO DE PROJETO BÁSICO AUDITORIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO DO IFAM [Subtítulo do documento] Página: 1 de X Objeto: Elaborado por: Equipe X Y Z Aprovado por: Unidade Requisitante Autoridade máxima do órgão Página: 2 de X 1. Definição do Objeto Indicação do que se está pretendendo licitar com a

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI SUPERINTENDÊNCIA DE INFRAESTRUTURA DIAMANTINA MINAS GERAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI SUPERINTENDÊNCIA DE INFRAESTRUTURA DIAMANTINA MINAS GERAIS TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de empresas para prestação de serviços técnicos profissionais de engenharia para elaboração de projetos diversos para os Campi da UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DE JEQUITINHONHA

Leia mais

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE MEDICAMENTOS -

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE MEDICAMENTOS - SECRETARIA ESTADUAL DA SAÚDE - RS NVES/DVS/CEVS ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE MEDICAMENTOS - 1. LEGISLAÇÃO SANITÁRIA ESPECÍFICA Lei Federal nº 6.360/76; Reg. Sanitário

Leia mais

PROJETO BÁSICO I - DISPOSIÇÕES GERAIS I.1 - INTRODUÇÃO

PROJETO BÁSICO I - DISPOSIÇÕES GERAIS I.1 - INTRODUÇÃO PROJETO BÁSICO OBJETO: Obras de Engenharia para Reforma e Ampliação do CAIC THEOPHILO DE SOUZA PINTO. Localizado na Rua Praça do Terço, s/nº - Nova Brasília - Bonsucesso Rio de Janeiro. I- DISPOSIÇÕES

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES 1. GENERALIDADES Este documento tem por objetivo fornecer aos interessados no Chamamento em pauta as Especificações Básicas a serem seguidas para o atendimento deste Objeto. Estas

Leia mais

ANEXO I REFERENCIAL PARA ELABORAÇÃO DO PLANO OU PROJETO BÁSICO AMBIENTAL DAS FASES 01 E 02 DO SAPIENS PARQUE

ANEXO I REFERENCIAL PARA ELABORAÇÃO DO PLANO OU PROJETO BÁSICO AMBIENTAL DAS FASES 01 E 02 DO SAPIENS PARQUE ANEXO I REFERENCIAL PARA ELABORAÇÃO DO PLANO OU PROJETO BÁSICO AMBIENTAL DAS FASES 01 E 02 DO SAPIENS PARQUE Sumário 1 Objetivo...3 2 Definições...3 3 Características Gerais...4 3.1 Descrição do Empreendimento...

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO EXECUTIVO PARA REFORMA DO TERMINAL RODOVIÁRIO LUCÍDIO PORTELA TERESINA-PI.

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO EXECUTIVO PARA REFORMA DO TERMINAL RODOVIÁRIO LUCÍDIO PORTELA TERESINA-PI. 1. OBJETO Contratação de empresa especializada na área de engenharia e arquitetura para a prestação de serviços técnicos de elaboração de Projeto Executivo para reforma do Terminal Rodoviário Lucídio Portela,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2012 DISPÕE SOBRE TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL PCA E DÁ OUTRAS PROVIDENCIAS. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE GUARAPARI, Estado

Leia mais

ANEXO II PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO. Formulário para obtenção do QUALIVERDE

ANEXO II PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO. Formulário para obtenção do QUALIVERDE ANEXO II PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO Formulário para obtenção do QUALIVERDE Local da obra Nome do proprietário ou requerente RA Nome do autor do projeto (PRPA)

Leia mais

Edital Nº 04/2015 DEPE DISPÕE SOBRE A SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS DE PESQUISA NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SOBRAL.

Edital Nº 04/2015 DEPE DISPÕE SOBRE A SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS DE PESQUISA NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SOBRAL. Edital Nº 04/2015 DEPE DISPÕE SOBRE A SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA APOIO A PROJETOS DE PESQUISA NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SOBRAL. Período 2015/2016 O Diretor da Santa Casa de Misericórdia de Sobral,

Leia mais

Protocolo nº: Item: Contratação de empresa para o fortalecimento e implantação da gestão Obras Instalações. Prestação de Serviços

Protocolo nº: Item: Contratação de empresa para o fortalecimento e implantação da gestão Obras Instalações. Prestação de Serviços 1) Projeto: TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01/2013 Ações prioritárias de apoio à gestão da Reserva Particular do Patrimônio Natural RPPN Bacchus: elaboração do Plano de Manejo e apoio à proteção. Assunto: Protocolo

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL SEADES DIRETORIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DSAN

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL SEADES DIRETORIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DSAN 1. APRESENTAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA Este documento se constitui no Termo de Referência que contém as instruções necessárias para a contratação de empresa para a realização de pesquisa e diagnóstico de

Leia mais

Os serviços a serem executados, compreendem a elaboração e fornecimento dos seguintes documentos técnicos:

Os serviços a serem executados, compreendem a elaboração e fornecimento dos seguintes documentos técnicos: 1. Introdução TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA ELABORAÇÃO E FORNECIMENTO DE PROJETOS DE ADEQUAÇÕES DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, REDE LÓGICA E TELEFONIA, ATERRAMENTO E SPDA DA

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES 1. GENERALIDADES Este documento tem por objetivo fornecer aos interessados no Chamamento Público as especificações básicas que deverão ser seguidas para o atendimento deste objeto.

Leia mais

ORIENTAÇÕES TECNICAS PARA O PLANEJAMENTO ARQUITETONICO DE UMA CENTRAL DE REGULAÇÃO MÉDICA DE URGÊNCIA SAMU-192

ORIENTAÇÕES TECNICAS PARA O PLANEJAMENTO ARQUITETONICO DE UMA CENTRAL DE REGULAÇÃO MÉDICA DE URGÊNCIA SAMU-192 ORIENTAÇÕES TECNICAS PARA O PLANEJAMENTO ARQUITETONICO DE UMA CENTRAL DE REGULAÇÃO MÉDICA DE URGÊNCIA SAMU-192 (Portaria MS/GM nº. 2.970, 08 de dezembro de 2008) Estas orientações não eximem a obrigatoriedade

Leia mais

NORMA TÉCNICA LICENCIAMENTO

NORMA TÉCNICA LICENCIAMENTO ELEMENTOS ANEXOS PARA A INSTRUÇÃO DE PEDIDO DE 1. PEDIDO DE DE OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO 2. PEDIDO DE ALTERAÇÃO À LICENÇA DE LOTEAMENTO 3. PEDIDO DE DE OBRAS DE URBANIZAÇÃO 4. PEDIDO DE DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. DADOS DO EMPREENDEDOR:

1. INTRODUÇÃO 2. DADOS DO EMPREENDEDOR: TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL E PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL PARA PARQUES DE GERAÇÃO DE ENERGIAS ALTERNATIVA (SOLAR, EÓLICA E OUTRAS) 1. INTRODUÇÃO Este Termo de

Leia mais

2121 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

2121 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Programa 2121 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Número de Ações 43 Ação Orçamentária Tipo: Operações Especiais 00IO - Inventariança do Fundo

Leia mais

Documento sujeito a revisões periódicas Natal RN CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-1975 / 3232-2118

Documento sujeito a revisões periódicas Natal RN CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-1975 / 3232-2118 Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Bases de Apoio a Empresas Transportadoras de Cargas e Resíduos

Leia mais

CHEK LIST DE DOCUMENTAÇÕES PARA ABERTURA DE PROCESSOS COORDENADORIA DE URBANISMO ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO - UNIFAMILIAR

CHEK LIST DE DOCUMENTAÇÕES PARA ABERTURA DE PROCESSOS COORDENADORIA DE URBANISMO ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO - UNIFAMILIAR ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE MUNICÍPIO DE PARNAMIRIM SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE E DO DESENVOLVIMENTO URBANO CHEK LIST DE DOCUMENTAÇÕES PARA ABERTURA DE PROCESSOS COORDENADORIA DE URBANISMO

Leia mais

Ministério da Fazenda SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS

Ministério da Fazenda SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS PROJETO BÁSICO GESER Nº 04/07 FISCALIZAÇÃO DA OBRA DE IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO 1. OBJETO Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de fiscalização

Leia mais

MEMORIAL DE REQUISITOS CONSTRUTIVOS PARA PROJETO DE CONCESSÃO DE ÁREA PARA HOTEL NO AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO LUIS (MA) - SBSL

MEMORIAL DE REQUISITOS CONSTRUTIVOS PARA PROJETO DE CONCESSÃO DE ÁREA PARA HOTEL NO AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO LUIS (MA) - SBSL MEMORIAL DE REQUISITOS CONSTRUTIVOS PARA PROJETO DE CONCESSÃO DE ÁREA PARA HOTEL NO AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO LUIS (MA) - SBSL 1. DIMENSIONAMENTO E CLASSIFICAÇÕES 1.1 Área do terreno: 7.528,02m² (sete

Leia mais

PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR. 3.1 O presente projeto básico consiste na contratação de empresa especializada

PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR. 3.1 O presente projeto básico consiste na contratação de empresa especializada PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR 1 Projeto Básico da Contratação de Serviços: 1.1 O presente projeto básico consiste na contratação de empresa especializada para prestação de serviços, por empreitada por preço

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS TERMO DE REFERÊNCIA ELABORAÇÃO DE PROJETOS EXECUTIVOS DE PRAÇAS PÚBLICAS, CENTRO COMUNITÁRIO E PRÉDIOS COMERCIAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS TERMO DE REFERÊNCIA ELABORAÇÃO DE PROJETOS EXECUTIVOS DE PRAÇAS PÚBLICAS, CENTRO COMUNITÁRIO E PRÉDIOS COMERCIAIS TERMO DE REFERÊNCIA ELABORAÇÃO DE PROJETOS EXECUTIVOS DE PRAÇAS PÚBLICAS, CENTRO COMUNITÁRIO E PRÉDIOS COMERCIAIS LOTEAMENTO MORADA CIDADÃ BAIRRO FÁTIMA. LOTEAMENTO CANOAS MINHA TERRA I BAIRRO MATO GRANDE.

Leia mais

EDITAL 01/2015.2 DE CONCURSO. IV Workshop da Escola de Engenharia e Ciências Exatas UnP Campus Mossoró

EDITAL 01/2015.2 DE CONCURSO. IV Workshop da Escola de Engenharia e Ciências Exatas UnP Campus Mossoró EDITAL 01/2015.2 DE CONCURSO CONCURSO DE IDEIAS InovAÇÃO: Concurso Fachada da UnP do Campus Mossoró IV Workshop da Escola de Engenharia e Ciências Exatas UnP Campus Mossoró 1. APRESENTAÇÃO A Universidade

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 O processo administrativo para aprovação e licenciamento de parcelamentos de

Leia mais

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS Hotel e restaurante com queima de combustível

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS Hotel e restaurante com queima de combustível ROTIRO PR LBORÇÃO DO RS 1 Informações iniciais Indentificação do empreendedor Razão Social CNPJ ndereço Telefone 2 Responsável pelo empreendimento: Responsável pelo RS Caracterização do mpreendimento Nome

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03 /2011. x Obras e Instalações Prestação de Serviços INFORMAÇÕES

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03 /2011. x Obras e Instalações Prestação de Serviços INFORMAÇÕES TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03 /2011 Projeto: Cercamento do Parque Estadual da Pedra Branca - PEPB Protocolo nº: 20110725165535111 Assunto: Item: Contratação de serviços de instalação de cercamento visando

Leia mais

DEPARTAMENTO DE PROJETO DE ARQUITETURA

DEPARTAMENTO DE PROJETO DE ARQUITETURA Disciplina: PROJETO DE ARQUITETURA III FAP 355 Professores: MÓDULO 3 1 o. Período Letivo 2009 Cristiane Rose Duarte, Joacir Esteves, Luciana Andrade, Maria Ligia Sanches, Paulo Afonso Rheingantz e Vera

Leia mais

Anexo XIII - Termo de Referência

Anexo XIII - Termo de Referência PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO Anexo XIII - Termo de Referência CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE ENGENHARIA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS PREDIAIS E ORÇAMENTOS. Escolas

Leia mais

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR 1 ESTUDO PRELIMINAR OBJETIVOS Analise e avaliação de todas as informações recebidas para seleção e recomendação do partido arquitetônico, podendo eventualmente, apresentar soluções alternativas. Tem como

Leia mais

ANEXO AO COMUNICADO Nº 45 GT PETROBRAS-ABEMI-ABCE. ANEXO... - REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAÇÃO PROVISÓRIA DE CANTEIRO DE OBRAS Rev.

ANEXO AO COMUNICADO Nº 45 GT PETROBRAS-ABEMI-ABCE. ANEXO... - REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAÇÃO PROVISÓRIA DE CANTEIRO DE OBRAS Rev. ANEXO AO COMUNICADO Nº 45 GT PETR-ABEMI-ABCE ANEXO... - REQUISITOS BÁSICOS PARA Rev. 0 SUMÁRIO 1 OBJETIVO 2 2 PREMISSAS GERAIS 2 3 CÓDIGOS, NORMAS E MANUAIS APLICÁVEIS 3 4 REQUISITOS PARA ARQUITETURA,

Leia mais

2.1. O Estudo de Inventário da UHE Colíder foi aprovado conforme a seguir discriminado:

2.1. O Estudo de Inventário da UHE Colíder foi aprovado conforme a seguir discriminado: ANEXO VIII AO EDITAL DE LEILÃO Nº. 03/2010-ANEEL ANEXO VIII CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA A EXPLORAÇÃO DA UHE FERREIRA GOMES A exploração da UHE Ferreira Gomes, pela Concessionária,

Leia mais

ANEXO VIII CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA A EXPLORAÇÃO DA UHE TELES PIRES

ANEXO VIII CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA A EXPLORAÇÃO DA UHE TELES PIRES ANEXO VIII CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA A EXPLORAÇÃO DA UHE TELES PIRES A exploração da UHE Teles Pires, pela Concessionária, será realizada em conformidade com a legislação em vigor

Leia mais

Obras e Instalações x Prestação de Serviços INFORMAÇÕES

Obras e Instalações x Prestação de Serviços INFORMAÇÕES Projeto: Assunto: TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2014.0413.1652.14131 Elaboração de Projeto Eecutivo Completo para reforma da sede administrativa com construção de aneo para alojamento dos pesquisadores e posto

Leia mais

ANEXO XII - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO XII - TERMO DE REFERÊNCIA SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO ESCRITÓRIO MUNICIPAL DE PROJETOS E OBRAS DIVISÃO DE PROJETOS VIÁRIOS Elaboração de Adequação de Projetos, Geométrico e de Drenagem, de vias do Túnel Verde, á execução

Leia mais

OBRAS PÚBLICAS: QUESTÕES PRÁTICAS DA LICITAÇÃO AO RECEBIMENTO

OBRAS PÚBLICAS: QUESTÕES PRÁTICAS DA LICITAÇÃO AO RECEBIMENTO FECAM Escola de Gestão Pública Municipal OBRAS PÚBLICAS: QUESTÕES PRÁTICAS DA LICITAÇÃO AO RECEBIMENTO Módulo III Chapecó, março/2012 1 3 Projeto e Orçamento 4 Fiscalização Pedro Jorge Rocha de Oliveira

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES DE SPDA

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES DE SPDA MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES DE SPDA PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS/SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL TANCREDO DE ALMEIDA NEVES SETEMBRO DE 2012 STE004-R-PE-SPD-01-01

Leia mais

II Desenho na escala de 1:100 (uma para cem); III Cotas necessárias à perfeita compreensão do projeto; 1º - O projeto simplificado deverá apresentar:

II Desenho na escala de 1:100 (uma para cem); III Cotas necessárias à perfeita compreensão do projeto; 1º - O projeto simplificado deverá apresentar: Institui Projeto Simplificado e dispõe sobre a forma de apresentação de projetos de construção de edificações residenciais unifamiliares, e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE GUARATINGUETÁ

Leia mais

Prefeitura Municipal de Catanduva Banco Interamericano de Desenvolvimento. Programa de Desenvolvimento Urbano Integrado de Catanduva

Prefeitura Municipal de Catanduva Banco Interamericano de Desenvolvimento. Programa de Desenvolvimento Urbano Integrado de Catanduva Prefeitura Municipal de Catanduva Banco Interamericano de Desenvolvimento Programa de Desenvolvimento Urbano Integrado de Catanduva ESTRUTURA DE ORGANIZACIONAL DO PROGRAMA O esquema organizacional do Programa,

Leia mais

FUNDO SOCIAL DE SOLIDARIEDADE - FUSSESP TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE RESTAURO

FUNDO SOCIAL DE SOLIDARIEDADE - FUSSESP TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE RESTAURO TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE RESTAURO Pq. Dr. Fernando Costa, R. Ministro Godói, 180 - São Paulo/SP Água Branca - São Paulo/SP Processo CPOS 0035 2011 Índice 1. Apresentação... 8 2.

Leia mais

FUNDAÇÃO DE APOIO AO HEMOSC/CEPON

FUNDAÇÃO DE APOIO AO HEMOSC/CEPON TERMO DE REFERÊNCIA CP 057/14 - OBRAS 1. OBJETO Contratação de empresa especializada para elaboração de projetos executivos e complementares, memoriais descritivos, planilhas orçamentárias visando reforma

Leia mais

REGULAMENTO DE HONORÁRIOS

REGULAMENTO DE HONORÁRIOS REGULAMENTO DE HONORÁRIOS CAPÍTULO I OBJETIVO Art. 1º - Este regulamento estabelece as normas gerais concernentes aos trabalhos técnicos de Avaliação e Perícia de Engenharia. Art. 2º - As normas aqui estabelecidas

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 024/2011

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 024/2011 TERMO DE REFERÊNCIA Nº 024/2011 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ENGENHARIA A FIM DE ELABORAR PROJETOS DE CONSTRUÇÃO E REFORMA PARA DIVERSOS IMÓVEIS DA CERON EM PORTO

Leia mais

Edital FAPERJ n.º 17/2010 Parceria CAPES/FAPERJ PROGRAMA EQUIPAMENTO SOLIDÁRIO CAPES/FAPERJ 2010

Edital FAPERJ n.º 17/2010 Parceria CAPES/FAPERJ PROGRAMA EQUIPAMENTO SOLIDÁRIO CAPES/FAPERJ 2010 Edital n.º 17/2010 Parceria / PROGRAMA EQUIPAMENTO SOLIDÁRIO / 2010 O Ministério da Educação, por meio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, e o Governo do Estado do Rio de Janeiro,

Leia mais

Lendo o Manual de Diretrizes de projeto e olhando as imagens do google, me deparei com algumas duvidas iniciais.

Lendo o Manual de Diretrizes de projeto e olhando as imagens do google, me deparei com algumas duvidas iniciais. CONCURSO PÚBLICO NACIONAL DE ARQUITETURA PROJETO DE ARQUITETURA DE ADAPTAÇÃO DO EDIFÍCIO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO USP PRIMEIRO BLOCO DE CONSULTAS CONSULTA 01 Lendo

Leia mais

Concurso Público: Prêmio Caneleiro de Arquitetura Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA

Concurso Público: Prêmio Caneleiro de Arquitetura Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA Concurso Público: Prêmio Caneleiro de Arquitetura Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA Junho 2014 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO Pg. 03 2. OBJETO Pg. 03 3. ESCOPO DOS PRODUTOS E SERVIÇOS Pg. 03 4. DIRETRIZES PARA

Leia mais

FORMULARIOS ANEXO I E II DO DECRETO 25.899/2015

FORMULARIOS ANEXO I E II DO DECRETO 25.899/2015 FORMULARIOS ANEXO I E II DO DECRETO.99/0 ANEXO 0 GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS ( Subtotal de 9Ptos =.6 % ) Declarada 6 9 Uso de equipamentos economizadores de água ( torneiras com arejadores, spray e/ou

Leia mais

Minuta de Termo de Referência

Minuta de Termo de Referência Minuta de Termo de Referência Contratação de serviço para elaboração do mapeamento, análise, propostas e implantação de melhorias nos processos de trabalho da Coordenadoria Geral de Licenciamento Ambiental

Leia mais

1. Canteiro de Obra Campo Grande 03

1. Canteiro de Obra Campo Grande 03 1. Canteiro de Obra Campo Grande 03 A cidade de Campo Grande, localizada no estado do Rio Grande do Norte (RN), é um dos municípios no qual dispõe de boa estrutura para implantação de um dos três canteiros

Leia mais

GE.01/202.75/00889/01 GERAL GERAL ARQUITETURA / URBANISMO INFRAERO GE.01/202.75/00889/01 1 / 6 REVISÃO GERAL 07.07.05 ARQ. CLAUDIA

GE.01/202.75/00889/01 GERAL GERAL ARQUITETURA / URBANISMO INFRAERO GE.01/202.75/00889/01 1 / 6 REVISÃO GERAL 07.07.05 ARQ. CLAUDIA INFRAERO GE.01/202.75/00889/01 1 / 6 01 REVISÃO GERAL 07.07.05 ARQ. CLAUDIA REV. M O D I F I C A Ç Ã O DATA PROJETISTA DESENHISTA APROVO Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária ESCALA DATA

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DO PROGRAMA PAC 2 PAVIMENTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DE VIAS URBANAS

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DO PROGRAMA PAC 2 PAVIMENTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DE VIAS URBANAS MINISTÉRIO DAS CIDADES SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA ANEXO I MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DO PROGRAMA PAC 2 PAVIMENTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DE VIAS URBANAS Seleção PAC 2

Leia mais

PORTARIA CVS Nº 02, de 11/01/2010

PORTARIA CVS Nº 02, de 11/01/2010 PORTARIA CVS Nº 02, de 11/01/2010 Dispõe sobre Regulamento Técnico que estabelece requisitos sanitários para estabelecimentos destinados a eventos esportivos. A Diretora Técnica do Centro de Vigilância

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO ADICIONAL PARA SUPRESSÕES VEGETAIS ESPECÍFICAS:

DOCUMENTAÇÃO ADICIONAL PARA SUPRESSÕES VEGETAIS ESPECÍFICAS: DOCUMENTAÇÃO ADICIONAL PARA SUPRESSÕES VEGETAIS ESPECÍFICAS: LINHA DE TRANSMISSÃO: 1. Autorização de passagem reconhecida em cartório ou DUP (Declaração de Utilidade Pública) da ANEEL. Obs: Domínio público:

Leia mais

Programa de Fluxo Contínuo para Apoio a Projetos Especiais

Programa de Fluxo Contínuo para Apoio a Projetos Especiais Chamada Pública nº 03/2012 Programa de Fluxo Contínuo para Apoio a Projetos Especiais A FUNDAÇÃO ARAUCÁRIA de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná, em conformidade com suas finalidades,

Leia mais

CHAMADA INTERNA DA PROPPG/UDESC/MCT/FINEP/CT-INFRA-PROINFRA 01/2013

CHAMADA INTERNA DA PROPPG/UDESC/MCT/FINEP/CT-INFRA-PROINFRA 01/2013 CHAMADA INTERNA DA PROPPG/UDESC/MCT/FINEP/CT-INFRA-PROINFRA 01/2013 Para atender a chamada pública MCT/FINEP/CT-INFRA PROINFRA - 2014 a ser lançada pela FINEP, o NUCLEO DE PROJETOS E PARCERIAS e a PRÓ-REITORIA

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE ANÁLISE TÉCNICA DE OBRAS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE ANÁLISE TÉCNICA DE OBRAS MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DIRETORIA DE PROGRAMA COORDENAÇÃO GERAL DE INVESTIMENTOS EM SAÚDE MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE ANÁLISE TÉCNICA DE OBRAS (O presente Manual não inclui orientações

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ESPECIALIZADOS CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ESPECIALIZADOS CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS Este 1. Termo APRESENTAÇÃO para Consórcio realizar de estudos, referência visando se aplica à avaliação à contratação da estrutura de serviços técnica técnicos e administrativa especializados município

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura via física e via digital; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e

Leia mais

PROJETO DE INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA FRIA REGISTRO DE INSPEÇÃO DE PROJETOS

PROJETO DE INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA FRIA REGISTRO DE INSPEÇÃO DE PROJETOS Página 1 GRUPO RESPONSÁVEL PELA ELA- BORAÇÃO DO PROJETO: REGISTRO DE INSPEÇÃO DE PROJETOS PROJETO INSPECIONADO: DATA DA INSPEÇÃO: AUTOR DESTE CHECKLIST MARCOS LUÍS ALVES DA SILVA Sistema de instalações

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Nome/Nº RE.PRO.023. Memorial Descritivo (7.3.2)

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Nome/Nº RE.PRO.023. Memorial Descritivo (7.3.2) 02/07/22 12/12/22 Versão MEMORIAL DESCRITIVO RESIDENCIAL NERIÁ Rua A.J. Renner, 1.390 Estância Velha Canoas / RS Arquivo: P:\SGQ\Registros\ e Desenvolvimento\0-RE.PRO.023 - Memorial Descritivo V.\Residencial

Leia mais

NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 02 CONCORRÊNCIA PÚBLICA NACIONAL Nº 20130012/CIDADES/CCC

NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 02 CONCORRÊNCIA PÚBLICA NACIONAL Nº 20130012/CIDADES/CCC NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 02 CONCORRÊNCIA PÚBLICA NACIONAL Nº 20130012/CIDADES/CCC OBJETO: LICITAÇÃO DO TIPO TÉCNICA E PREÇO PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO URBANÍSTICO

Leia mais

Prefeitura Municipal de Dumont

Prefeitura Municipal de Dumont REFORMA DA PREFEITURA MUNICIPAL DE DUMONT SP CASA SANTOS DUMONT Memorial Descritivo do Projeto Adelino da Silva Carneiro Prefeito Municipal Rosiane Marin Fernandez Dias Vice-Prefeita Municipal Carla Maria

Leia mais

TRANSPORTE COLETIVO URBANO

TRANSPORTE COLETIVO URBANO TRANSPORTE COLETIVO URBANO ABRIGOS PARA PONTOS DE PARADA PROJETO ARQUITETÔNICO Julho 2007 PARADAS DE ÔNIBUS Memorial Justificativo A proposta é a construção de mobiliário urbano para abrigo da população

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 008 Licenciamento Ambiental de Condomínios Residenciais Horizontais e Verticais e Atividade de Hotelaria

INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 008 Licenciamento Ambiental de Condomínios Residenciais Horizontais e Verticais e Atividade de Hotelaria INSTRUÇÃO NORMATIVA IN Nº 008 Licenciamento Ambiental de Condomínios Residenciais Horizontais e Verticais e Atividade de Hotelaria Disciplina o processo de licenciamento ambiental de condomínios residenciais

Leia mais