ANEXOS 7 a 9 O livro de Números (PARTE II) ADMINISTRAÇÃO DOS PROPÓSITOS DE DEUS EM NÚMEROS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXOS 7 a 9 O livro de Números (PARTE II) ADMINISTRAÇÃO DOS PROPÓSITOS DE DEUS EM NÚMEROS"

Transcrição

1 ANEXOS 7 a 9 O livro de Números (PARTE II) ADMINISTRAÇÃO DOS PROPÓSITOS DE DEUS EM NÚMEROS A. O decreto de permitir o mal. A cada nova geração Yahweh confronta os homens com sua inclinação congênita para o mal. Israel recebeu testes no deserto, e fracassou lamentavelmente na maioria deles. Cades-Barnéia foi o teste crucial, por haver revelado o problema principal de Israel, sua incredulidade e o conseqüente menosprezo a Deus (14.23). Baal-Peor foi o outro lado desses parênteses de fracasso, revelando o resultado ultimo da incredulidade e do menosprezo a Deus, que são a idolatria e a imoralidade mais grosseiras. Estes dois incidentes, tal como registrados por Moisés, deveriam ter servido de advertência a gerações futuras, que evidentemente não levaram a sério. B. A promessa e/ou ação de julgar o mal. Esta linha de atuação é particularmente evidente em Números. Cada um dos fracassos de Israel teve o seu necessário julgamento que, embora não fosse necessariamente proporcional ao pecado que o causara, revelava o zelo de Deus para com Sua santidade. O simples fato de que a geração haveria de entrar em Canaã foi julgada com maior severidade ( mortes em Baal-Peor contra na rebelião de Core) indica que Deus não trata o pecado levianamente e está determinado a puni-lo. Números também indica que há uma relação entre a extensão da ira de Deus e a intercessão de Seus servos. Isto não equivale a dizer que a oração, por si só, altera as decisões divinas ou encurta a disciplina de Yahweh; significa, outrossim, que soberania, misericórdia e santidade se combinam no exercício da punição e nos meios pelos quais ela exaure o seu curso rapidamente na vida de alguns e se estende por trinta e oito anos nas vidas da grande maioria. Números também indica que o perdão não significa isenção das conseqüências do pecado, que são parte do juízo geral contra o pecado. Dois exemplos marcantes desse princípio são a lepra temporária de Miriam e a proibição de que Moisés entrasse em Canaã. C. Libertação do mal/pelos eleitos. Esta linha da atividade não se apresenta explicitamente em Números, embora possa ser inferida de dois incidentes específicos. Depois do relatório dos espias em Cades, Josué e Calebe se destacaram como o remanescente fiel a quem Deus escolhe para herdar Sua benção ( ). A outra ocorrência surge no quarto oráculo de Balaão ( ), onde foi profetizada a aparição de um indivíduo que exercerá autoridade (24.17 usa as palavras estrela e trono; fala de um dominador) e destruirá os inimigos de Israel. A associação com a benção de Jacó e o sonho de José apontam para um conceito de Rei-Conquistador-Salvador que judeus e cristãos têm, por longos séculos considerado davídico-messiânico. D. O decreto de abençoar os eleitos. De uma perspectiva pactual, esta linha de atividade divina se limita mais aos oráculos de Balaão. Isto significa que Número, em suas divisões narrativas e legais, não acrescenta novas promessas ao estoque já em poder de Israel. No entanto, tão

2 gritantes haviam sido ao fracasso das gerações passada e presente que foi necessário reafirmar as promessas passadas à medida que Canaã se aproximava. Números é um começo digno, já que afirma o compromisso imutável de Yahweh para os recipientes de Sua aliança. Em resumo, Balaão promete crescimento numérico (23.10), segurança ( ), vitória (23.24), prosperidade (24.5-7), poder real (i.e, de rei, 24.7b), conquista (24.8-9), e a ascensão de um dominador poderoso ( ). Estas promessas constituem uma reafirmação impressionante das promessas abraâmicas, que Deus anunciou soberanamente mediante um relutante profeta pagão a um povo que não o merecia. A fidelidade de Deus brilha em meio aos dias escuros no deserto, iluminando os portais de Canaã. 1 TEMAS DEBATIDOS EM NÚMEROS A. Balaão. um profeta de Deus ou adivinho pagão? A figura mística e misteriosa de Balaão tem intrigado crentes de todas as épocas pela sua participação nefasta que na história de Israel apesar de parecer tão associado ao Deus da aliança. Este breve estudo procurará definir o verdadeiro caráter de Balaão. 1. Sua origem e contexto religioso. Balaão era natural de Petor, na Mesopotâmia, localidade próxima à cidade de Mari. Descobertas arqueológicas revelam que existia na região um elaborado sistema profético cujas atividades se assemelhavam às do ganancioso vidente da narrativa de Números. A História nos mostra que havia bastante contato entre a Mesopotâmia e o Egito ao tempo de Moisés (o reinado de Amenófis II), de modo que não é de estranhar a aparente familiaridade de Balaão com o nome e as atividades de Yahweh e Seu povo escolhido. O fato de Balaão demonstrar conhecimento detalhado sobre Yahweh não aponta tanto para sua ligação pessoal com Ele quanto para a soberana capacidade divina de utilizar até mesmo a rebeldia humana para cumprir a Sua vontade. Quando Números é visto sob a ótica do exercício da soberania divina apesar da obstinada resistência humana, Balaão serve como o exemplo par excellence de tal princípio. Para os mais determinados a considerar Balaão um "crente que perdeu sua salvação", vale observar que ele jamais é designado como um (profeta), mas como um ("adivinho"), uma pessoa a quem os israelitas deviam rejeitar totalmente (cf. Dt 18.10). O fato de Deus ter-se revelado a ele em sonhos não o torna um profeta legítimo, pois o mesmo aconteceu a reis pagãos como Abimeleque (Gn 20.3) e Nabucodonosor (Dn 4), em relação aos quais não há nem pode haver qualquer reivindicação profética. 2. Sua participação no drama de Números. Balaque, rei de Moabe, apavorado com a ameaça israelita, busca os serviços profissionais de Balaão. Era prática comum no Oriente Médio antigo a obtenção de vantagens sobre outras pessoas através da mágica (cf. a prática de despachos e trabalhos contra inimigos nos cultos afro-brasileiros).

3 Balaão, embora advertido por Yahweh contra a atividade proposta por Balaque, cede à ganância e insiste em ir. Yahweh o adverte contra seus motivos nefastos, mas permite que Balaão acompanhe os dignitários moabitas, pois em Sua soberania irá usá-lo para revelar Seu imutável desígnio quanto a Israel, naquilo que é uma das profecias mais abrangentes do Antigo Testamento. O famoso incidente da mula é outro ingrediente (até humorístico) deste drama de rebeldia versus soberania. Que a mula tenha falado (sem possuir cordas vocais capazes disso) só é problema para aqueles que não crêem no poder sobrenatural de Deus. O mais notável é que Balaão tenha demorado tanto a perceber que a mula era uma ilustração de sua própria obstinação contra a vontade revelada daquele Deus no qual não cria mas respeitava. É interessante notar que os temores que levaram Balaque a convocar Balaão eram infundados, pois como parentes distantes dos israelitas os moabitas nada tinham a temer (cf. Gn ; Dt 2.9). Reais ou não, tais temores de instigar conflitos entre os moabitas e os israelitas. É impossível deixar de notar dois contrastes marcantes na narrativa de Balaão. O primeiro é a diferença entre a atitude da geração do Êxodo - que recuou diante de um inimigo já derrotado - e a dos moabitas - que viam Israel como um inimigo invencível. O outro contraste é aquele entre a tentativa humana de subverter aquilo que Deus estabelecera séculos antes, sua aliança com Abraão, e a firmeza da vontade do Deus que se comprometera unilateralmente (Gn ) a dar aquela terra a Israel. A verdadeira natureza de Balaão surge, entretanto, depois de suas três tentativas frustradas de amaldiçoar o povo. Privado da recompensa prometida por Balaque, ele recorre aos estratagemas da miscigenação sócio-religiosa para tentar roubar a Israel o privilégio do cumprimento da aliança. Por tal deslealdade, seu desejo expresso em Números não se cumpriu. Seu ato em Baal-Peor revela quão vago e impessoal era seu conhecimento do Deus de Israel e o transforma no modelo do falso profeta (cf. 2 Pe 2.15; Jd 11; Ap 2.14). 3. Conteúdo e significado de seus oráculos. Já mencionei acima que os oráculos de Balaão servem o propósito de demonstrar à geração do deserto que Yahweh não abriria mão de Suas promessas mesmo em face de 38 anos de rebeldia e incredulidade. Assim, Balaão está intimamente ligado à aliança abraâmica. O quadro abaixo resume a ligação entre esses dois focos de revelação no AT. ORÁCULO REFERÊNCIA PROMESSA PARALELO EM GÊNESIS Crescimento Numérico Gênesis Segurança e vitória Gênesis 15.1, Prosperidade e poder real Gênesis 17.6, Dominador e príncipe Gênesis Ruína de Amaleque Gênesis 12.3

4 Cativeiro para quenitas, assírios e hebreus Gênesis 12.3 B. As cidades de Refúgio (Nm ) Entre muitos povos do OMA havia um costume de destacar certos locais, geralmente de natureza cultual, como refúgios nos quais criminosos poderiam buscar proteção, escapando assim à pena devida aos seus crimes. Em Israel o tabernáculo não poderia ser utilizado com tais propósitos (cf. Ex e o incidente em que Joabe se agarra ao altar em busca de escape da condenação imposta por Salomão a pedido de Davi, 1 Re ). As cidades de refúgio serviam um duplo propósito. evitar que o homicida não-intencional fosse morto pelo vingador de sangue (um parente próximo do morto) e evitar que a terra ficasse cerimonialmente poluída pelo derramamento de sangue (que seria agravado caso não houvesse meio de impedir a vingança indiscriminada). Como era necessária a morte para expiar a morte, o homicida culposo (havia várias instruções para determinar a ocasionalidade ou intencionalidade de uma morte), deveria se apresentar à cidade de refúgio mais próxima, ali ter o seu caso julgado pelos anciãos e, caso fosse constatada a natureza involuntária do homicídio, ali permanecer até a morte do sumo sacerdote, que seria uma expiação simbólica para a vida do homicida. O sistema das cidades de refúgio ilustra de maneira interessante a obra de Cristo. em primeiro lugar, a cidade em si ilustra a proteção oferecida contra as conseqüências do pecado; em segundo lugar, a morte do sumo sacerdote aponta para a expiação definitiva obtida através da morte de Jesus Cristo na cruz. C. O Problema dos Grandes Números dos Censos O grande número de homens alistados no exército de Israel deixa perplexos aos estudiosos da atualidade (cf ; 26.51). Esse número de homens convocados para a guerra pressupõe uma população total de mais de 2 milhões. Tais cifras parecem excessivamente grandes para a época, para a localidade, para as peregrinações no deserto e por comparação com os habitantes de Canaã (cf. 3.43). Como solução desse problema, várias possibilidades foram apresentadas. Alguns entendem que as cifras tenham sido adulteradas na transmissão do texto. No entanto, não parece haver dificuldades textuais com cifras no texto em questão. Outros entendem que a palavra hebraica traduzida por mil ( ) talvez tenha aqui um significado diferente da conotação numérica usual. Em alguns trechos, por exemplo, a palavra

5 é termo técnico de companhia de homens que pode ou não chegar a mil (i.e. Js 22.14; 1Sm 23.23). Além disso, alguns têm tomado como certo que essa palavra hebraica significa chefe (cf. Gn 36.15). Dessa maneira, a cifra de significaria 53 chefes mais 400 homens. Esse procedimento produziria um total reduzido em muito, mas entraria em conflito com o fato de que o texto hebraico soma os milhares da mesma maneira que soma as centenas para chegar a um total elevado. Além do mais, isso deixaria grande demais a proporção de chefes entre os soldados (59 chefes para 300 soldados em Simeão). 1 Wenham apresenta um bom resumo dos problemas levantados, embora fique a dever boas soluções. 2 Segue-se a lista de problemas e respostas compatíveis com uma doutrina evangélica da inerrância das Escrituras. 1. A simples sobrevivência de 2 milhões de pessoas no Sinai por 40 anos seria impossível. A provisão divina descrita no Pentateuco (se aceita pelo intérprete) seria suficiente. De mais a mais, os israelitas não trafegaram tão intensamente pelo deserto quanto poderia parecer. Cades parece ter sido um acampamento permanente durante bastante tempo. 2. Os totais parecem discrepantes quando comparados entre si. O número de primogênitos (cf. 3.43) obrigaria cada família a ter 27 filhos (e talvez outras tantas filhas), o que seria impossível. Se, todavia, o número mencionado em 3.43 se referir apenas aos primogênitos nascidos entre o Êxodo e a separação dos levitas (um espaço de dois anos), os números são muito coerentes. 3. Alguns textos sugerem que Israel não tinha gente suficiente para povoar Canaã (Wenham cita Êxodo e Juízes 18.16). Todavia, Êxodo 23 menciona apenas que a terra ficaria desolada se os demais habitantes fossem subitamente eliminados. As provas materiais trazidas pelos espias sugeriam que Canaã tinha capacidade para sustentar grande multidão e, ao que tudo indica, algum tempo se passaria antes que os israelitas se adaptassem à vida de agricultores. Quaisquer dois milhões de pessoas morreriam de fome em qualquer lugar sem técnicas de agricultura. Além disso, o texto de Juízes não fala que os 600 eram a totalidade dos guerreiros de Dã. Significativamente, Wenham não leva em conta Juízes 20.16, onde a cidade de Gibeá tinha um batalhão de canhotos que constava de 700 homens! 4. Wenham sugere, por fim, um arredondamento dos números, baseado no arredondamento das centenas, mas a natureza especulativa de tal argumento é a sua própria refutação. Outras tentativas de emprestar significados simbólicos e até astrológicos aos números esbarram na própria engenhosidade. Um argumento final é que nenhuma das pretensas explicações consegue explicar satisfatoriamente as estatísticas referentes aos levitas. 1 Notas da Bíblia de Estudo NVI. São Paulo: Vida, pp.203, 204.

6 5. Conclusão Existem dificuldades com referência aos grandes números de Números, de modo que, não é possível perceber até o momento qualquer outra solução a não ser aceitar literalmente as estatísticas mosaicas. Conforme Carlos Osvaldo, quaisquer valores atribuídos à palavra hebraica ("mil"), ou mesmo a modificação de sua vocalização, são incapazes de produzir números coerentes. Até que evidência realmente sólida seja apresentada, é exegética e teologicamente sadio aceitar os números de Números literalmente. 3 Embora o problema das cifras altas não tenha sido resolvido de modo satisfatório, a Bíblia realmente indica um aumento notável dos descendentes de Jacó durante os quatro séculos de permanência no Egito (Ex ). Por mais dificuldades que acarretem, essas cifras também mostram o papel poderoso da providência e dos milagres de Yahweh no modo de lidar com Seu povo durante a longa peregrinação pelo deserto. A MENSAGEM PARA HOJE A história de peregrinação de Israel, partindo do Sinai, o lugar de seu compromisso inicial com Deus, até as planícies de Moabe, onde Israel manifestou-se disposto a concretizar todas as promessas de Deus, lança luz sobre a experiência cristã. É evidente que Israel, como os fiéis de hoje, experimentou tempos de fracasso abismal. As freqüentes murmurações de Israel contra Moisés (e contra Deus) ilustram como povo de Deus não se satisfazia e não se satisfaz com o que devia ser nosso máximo prazer experimentar o cuidado e a direção de Deus em nossa vida. Israel, com saudades dos bons tempos no Egito, ilustra que os prazeres do pecado continuam atraentes mesmo aos que foram redimidos por Deus. Então e agora, a rebelião contra Deus traz conseqüências medonhas. O julgamento, porém, não é a palavra final de Deus: aqueles que se apegam tenazmente às promessas de Deus são recompensados. A resposta de Israel à liderança de Moisés e Arão às exigências da aliança em geral ditou o grau de sucesso ou fracasso que caracterizou sua jornada pelo deserto. O princípio é cristalino: sempre que havia obediência irrestrita, havia sucesso ilimitado. Sempre que havia rebelião obstinada, vinha o fracasso. A exigência de compromisso com Yahweh não é hoje menos real e necessária. A forte mensagem ética que ressoa em alto e bom som em Números é que Deus possui um plano segundo o Seu caráter e que por isso é construído em torno de princípios e práticas de comportamento que não podem ser abrandados ou negociados. Deus deseja abençoar os Seus, mas essa benção é firmada na submissão ao governo de Deus. O sucesso na vida cristã depende não só de fazer a vontade de Deus, mas de fazê-la da maneira por Ele prescrita. 4 APÊNDICE

7 CRONOLOGIA DAS JORNADAS DE ISRAEL (de 1445 a 1405 a.c.) 5 LIVRO ACONTECIMENTO DURAÇÃO REFERÊNCIA ÊXODO (onze meses e meio) Fuga no Egito até a chegada no Monte Sinai Ano Teológico no Monte Sinai Término do tabernáculo e a vinda da Glória um mês e meio 10 meses Ex 12.6 Ex LEVÍTICO (meio mês) Legislação levítica dada do tabernáculo pelo Senhor meio mês Lv 1.1 NÚMEROS (trinta e oito anos e oito meses e meio) Preparação para a partida Primeiro censo Partida do Monte Sinai Chegada a Cades (depois de 21 paradas) Rebelião em Cades e promessa de morte para aquela geração. Demais eventos em Cades Jornada de Cades à Moabe Segundo censo Morte de Arão; vitória sobre os opositores 3 meses e meio 38 anos 4 meses 1 mês Nm Nm Nm Nm Nm14 Nm Nm Nm Nm DEUTERONÔMIO (dois meses) Moisés recebe dá instruções ao povo sobre a vida em Canaã Morte de Moisés 2 meses Dt 1.3 Dt 34.8 JOSUÉ (meio mês) Josué libera Israel através do Jordão meio mês Js 4.19

8 1 NOTAS BIBLIOGRÁFICAS PINTO, Carlos Osvaldo. Teologia bíblica do Antigo Testamento. Atibaia: Seminário Bíblico Palavra da Vida, pp.38, 39. Wenham, Números. pp PINTO, Carlos Osvaldo. Teologia bíblica do Antigo Testamento. Atibaia: Seminário Bíblico Palavra da Vida, pp MALKOMES, Robinson, SAYÃO, Luiz A., YOSHIMOTO, Daniel A. Manual bíblico Vida Nova. São Paulo: Vida Nova, p.209. ELLISEN, Stanley A. Conheça melhor o Antigo Testamento. São Paulo: Vida, p.49.

Lição n.º 6 - A UNIDADE DA BÍBLIA

Lição n.º 6 - A UNIDADE DA BÍBLIA Lição n.º 6 - A UNIDADE DA BÍBLIA Lição n.º 6 (Início) Objeto de estudo: Reconhecer o fato de que a unidade da Bíblia é uma das provas de sua autenticidade! 1 Versículo-chave: Cl 1.26-27 O ministério que

Leia mais

DEUTERONÔMIO Devarim = םירבד

DEUTERONÔMIO Devarim = םירבד DEUTERONÔMIO דברים = Devarim Autor e Data Autor Deuteronômio identifica o conteúdo do livro com Moisés: Estas são as palavras que Moisés falou a todo o Israel (1.1). Moisés escreveu esta Lei, e a deu aos

Leia mais

Escolha o assunto e os limites do estudo

Escolha o assunto e os limites do estudo Método Tópico Escolha o assunto e os limites do estudo Tema: unção (unção, ungir, ungido) descobrir o significado da unção no AT e NT. Quem era ungido por Deus (ou Jesus ou o Espírito Santo)? O que é a

Leia mais

LIÇÃO 3 - O DIA DO SENHOR. Prof. Lucas Neto

LIÇÃO 3 - O DIA DO SENHOR. Prof. Lucas Neto LIÇÃO 3 - O DIA DO SENHOR Prof. Lucas Neto A GLÓRIA É DE DEUS INTRODUÇÃO O DIA DO SENHOR EM TODAS AS ÉPOCAS O dia do Senhor representou para Judá e Israel um severo julgamento devido a altivez humana que

Leia mais

Descrição Aliança Referência. Instruções de conservação e leitura pública Garantias/Leitura Dt. 27:2-3

Descrição Aliança Referência. Instruções de conservação e leitura pública Garantias/Leitura Dt. 27:2-3 Introdução ao Livro de Deuteronômio - A nova geração Ao contrário do que o nome, vindo do grego, sugere, Deuteronômio não se trata de uma segunda lei, mas é uma recapitulação, para a nova geração pós-êxodo,

Leia mais

Necessidade da Expiação

Necessidade da Expiação Introdução à 22/08/2011 A doutrina de Cristo segundo as escrituras Necessidade da Expiação O que as escrituras afirmam sobre a morte de Cristo? 1.Em função de sua santidade e retidão Deus deve punir o

Leia mais

A aflição no Egito. A servidão O preparo de Moisés As pragas O endurecimento de Faraó

A aflição no Egito. A servidão O preparo de Moisés As pragas O endurecimento de Faraó A aflição no Egito A servidão O preparo de Moisés As pragas O endurecimento de Faraó A Instituição da Páscoa A partida apressada do Egito A travessia do Mar Vermelho O Cântico de Moisés e a Celebração

Leia mais

Objeto de estudo: Os livros Apócrifos!

Objeto de estudo: Os livros Apócrifos! Objeto de estudo: Os livros Apócrifos! Versículo-chave: 2Pe 1.21 porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens santos falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito

Leia mais

A Aliança do povo hebreu com o Senhor

A Aliança do povo hebreu com o Senhor A Aliança do povo hebreu com o Senhor Não é fácil orientar-se numa floresta quando não se têm caminhos, nem trilhas. A Bíblia é como uma floresta e, se não conhecermos o caminho, facilmente poderemos nos

Leia mais

CREIO NA SANTA IGREJA CATÓLICA

CREIO NA SANTA IGREJA CATÓLICA CREIO NA SANTA IGREJA CATÓLICA 17-03-2012 Catequese com adultos 11-12 Chave de Bronze A Igreja no desígnio de Deus O que significa a palavra Igreja? Designa o povo que Deus convoca e reúne de todos os

Leia mais

A profecia das 70 SEMANAS DE DANIEL

A profecia das 70 SEMANAS DE DANIEL A profecia das 70 SEMANAS DE DANIEL AS SETENTA SEMANAS DE DANIEL Profetizadas há 2600 anos (v. 1) Daniel sabia que o fim do cativeiro estava próximo (v.2 cf. Jr 25.11, 12; 29.10) Daniel entenderia que

Leia mais

I - INTRODUÇÃO AO LIVRO

I - INTRODUÇÃO AO LIVRO APOCALIPSE Estudo Bíblico Quarta-feira 20hs. Rev. Rogério I - INTRODUÇÃO AO LIVRO IPMN 2016 REV. ROGÉRIO F. DE ALMEIDA AUTOR AUTORIA O autor do livro - João (1:1,1:4, 22:8). Era conhecido das Igrejas da

Leia mais

JESUS: A ESPERANÇA DO NATAL CHEGOU! Baseado em Lucas

JESUS: A ESPERANÇA DO NATAL CHEGOU! Baseado em Lucas Série: Um Natal de Esperança (02/04). JESUS: A ESPERANÇA DO NATAL CHEGOU! Baseado em Lucas 1.26-38 Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo. O Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi, e ele

Leia mais

Daniel 9 A PROFECIA DAS 70 SEMANAS DE DANIEL

Daniel 9 A PROFECIA DAS 70 SEMANAS DE DANIEL Daniel 9 A PROFECIA DAS 70 SEMANAS DE DANIEL AS SETENTA SEMANAS DE DANIEL Profetizadas há 2600 anos (v. 1) Daniel sabia que o fim do cativeiro estava próximo (v.2 cf. Jr 25.11, 12; 29.10) Daniel orava

Leia mais

Revelar Descortinar Desvendar. Revelação - Criação - Bíblia - Jesus Cristo. Indicativa Imperativa Normativa

Revelar Descortinar Desvendar. Revelação - Criação - Bíblia - Jesus Cristo. Indicativa Imperativa Normativa Revelar Descortinar Desvendar Revelação - Criação - Bíblia - Jesus Cristo Indicativa Imperativa Normativa Deus informa a respeito de si mesmo - Quem Ele é - O que Ele fez - O que Ele está fazendo - O que

Leia mais

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM 19 DE DEZEMBRO SEGUNDA FEIRA 1) Oração Ó Deus, que revelastes

Leia mais

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM 1) Oração 05 de Janeiro Deus eterno e todo-poderoso,pela

Leia mais

A palavra Bíblia é de origem grega - τα βιβλια - e significa. os rolos, os livros.

A palavra Bíblia é de origem grega - τα βιβλια - e significa. os rolos, os livros. A palavra Bíblia é de origem grega - τα βιβλια - e significa os rolos, os livros. UM LIVRO INSPIRADO POR DEUS Inspiração Bíblica é a iluminação da mente do autor humano para que possa, com os dados da

Leia mais

Guia orientador de meditação bíblica diária Epístola aos Romanos (2)

Guia orientador de meditação bíblica diária Epístola aos Romanos (2) Pág. 1 Pessoal, ainda lembram o meu nome? Sou o Rômulo, membro da igreja em Roma e estou contando sobre uma carta que recebemos de um Sr. Paulo. Já mencionei que a recepção desta carta gerou o maior alvoroço

Leia mais

PPROFECIA ESCATOLÓGICA

PPROFECIA ESCATOLÓGICA PPROFECIA ESCATOLÓGICA DOUTRINA DAS ÚLTIMAS COISAS Este termo deve ser entendido como reverência ao estágio final do plano de Deus na história Esta profecia se baseia no conceito de que Deus tem um projeto

Leia mais

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM 24 de Agosto - São Bartolomeu - Apóstolo 1) Oração Ó Deus,

Leia mais

Jugo Desigual. e o namoro cristão

Jugo Desigual. e o namoro cristão Jugo Desigual e o namoro cristão 1 2 Introdução 3 Introdução Não se ponham em jugo desigual com descrentes. -- 2Co 6.14 4 5 Introdução Pois o que têm em comum a justiça e a maldade? Ou que comunhão pode

Leia mais

Conhecendo a minha Bíblia Antigo Testamento

Conhecendo a minha Bíblia Antigo Testamento Conhecendo a minha Bíblia Antigo Testamento 1ª Igreja Presbiteriana Independente de Londrina Área de Apoio de Educação Cristã Escola Bíblica Esperança Examinai as Escrituras... porque são elas que testificam

Leia mais

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM Quarta-feira da 4ª Semana da Páscoa 1) Oração Ó Deus, vida

Leia mais

NÚMEROS. Pr.Valdemir Sarmento de Almeida

NÚMEROS. Pr.Valdemir Sarmento de Almeida NÚMEROS Deserto) No במדבר) Pr.Valdemir Sarmento de Almeida NÚMEROS במדבר) No Deserto) Principais Divisões: 1) a seção contendo instruções enquanto ainda no Sinai 20 dias (1:1-10:10); 2) a viagem no deserto

Leia mais

ESCATOLOGIA BÍBLICA. Apocalipse

ESCATOLOGIA BÍBLICA. Apocalipse ESCATOLOGIA BÍBLICA Apocalipse 12.1-6 Apocalipse 12.1-6 A mulher e o dragão 1 Viu-se grande sinal no céu, a saber, uma mulher vestida do sol com a lua debaixo dos pés e uma coroa de doze estrelas na cabeça,

Leia mais

conheça sua Bíblia Estudos Panorâmicos no AT e NT TODA QUINTA-FEIRA - DAS 19H30 ÀS 21H - RUA JOSÉ ALVES GUEDES, JD. SONIA JAGUARIÚNA/SP

conheça sua Bíblia Estudos Panorâmicos no AT e NT TODA QUINTA-FEIRA - DAS 19H30 ÀS 21H - RUA JOSÉ ALVES GUEDES, JD. SONIA JAGUARIÚNA/SP TODA QUINTA-FEIRA - DAS 19H30 ÀS 21H - RUA JOSÉ ALVES GUEDES, 1332 - JD. SONIA JAGUARIÚNA/SP 1 e 2 Samuel! DATA: Indefinida Abrangência: Do nascimento de Samuel ao fim do reinado de Davi (1.100 A.C. a

Leia mais

PANORAMA GERAL DA BÍBLIA

PANORAMA GERAL DA BÍBLIA PANORAMA GERAL DA BÍBLIA ETERNIDADE FINAL DO NT CRIAÇÃO GÊNESIS 1-2 REDENÇÃO GÊNESIS 3 ATÉ APOCALIPSE 22 VT = O SALVADOR VIRÁ NT = O SALVADOR JÁ VEIO E VOLTARÁ DEUS REVELOU SEU PLANO E SUA VERDADE AO LONGO

Leia mais

PALAVRA & VIDA 3º TRIMESTRE/2017 LIÇÃO 08- CHEGOU A HORA DE RECEBER AS TERRAS DA PROMESSA!

PALAVRA & VIDA 3º TRIMESTRE/2017 LIÇÃO 08- CHEGOU A HORA DE RECEBER AS TERRAS DA PROMESSA! LIÇÃO 08- CHEGOU A HORA DE RECEBER AS TERRAS DA PROMESSA! Texto Bíblico: Josué 13.11-33. Objetivos da lição: Entender que Deus é fiel e cumpre suas promessas; Compreender que o tempo certo do cumprimento

Leia mais

COMO TER UMA FÉ CONSTANTE?

COMO TER UMA FÉ CONSTANTE? COMO TER UMA FÉ CONSTANTE? DURANTE ESTA SEMANA, QUANTOS TIVERAM QUE OLHAR ALÉM DA SITUAÇÃO E DAS CIRCUNSTÂNCIAS E TER A ESPERANÇA DE QUE ACONTECERIA ALGO DIFERENTE? FÉ É ABSOLUTA CONFIANÇA. FÉ É ABSOLUTA

Leia mais

Josué, um líder escolhido por Deus

Josué, um líder escolhido por Deus Josué, um líder escolhido por Deus Introdução Josué é um livro com profundas verdades espirituais. Ele nos inspira a sermos corajosos e nos orienta, a enfrentar as batalhas espirituais, confiando em Deus

Leia mais

LIÇÃO 2 O ÚNICO DEUS VERDADEIRO E A CRIAÇÃO. Prof. Lucas Neto

LIÇÃO 2 O ÚNICO DEUS VERDADEIRO E A CRIAÇÃO. Prof. Lucas Neto LIÇÃO 2 O ÚNICO DEUS VERDADEIRO E A CRIAÇÃO Prof. Lucas Neto A GLÓRIA É DE DEUS INTRODUÇÃO NÃO EXISTE OUTRO DEUS YAHWEH é o único e verdadeiro Deus não existindo outro deus além dele. Nesta lição estudaremos

Leia mais

Aula II A Igreja, como uma entidade espiritual, espelha numa determinada localidade o próprio Deus e seus propósitos.

Aula II A Igreja, como uma entidade espiritual, espelha numa determinada localidade o próprio Deus e seus propósitos. Aula II A Igreja, como uma entidade espiritual, espelha numa determinada localidade o próprio Deus e seus propósitos. Por que a Igreja existe? Qual o seu propósito? Por que Deus a deixou no mundo? E pôs

Leia mais

DEUS É BOM E IMUTÁVEL

DEUS É BOM E IMUTÁVEL Eu,, servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo, envio saudações a todo o povo de Deus espalhado pelo mundo inteiro. DEUS É BOM E IMUTÁVEL INTRODUÇÃO Não podemos perder de vista nunca que apesar de todas as

Leia mais

CAP. 1 PEQUENOS GRUPOS NO ANTIGO TESTAMENTO

CAP. 1 PEQUENOS GRUPOS NO ANTIGO TESTAMENTO CAP. 1 PEQUENOS GRUPOS NO ANTIGO TESTAMENTO PEQUENOS GRUPOS NO ANTIGO TESTAMENTO Deus estabeleceu um paradigma relacional para a ordem criada. Conforme a perspectiva do Antigo Testamento, advertimos que

Leia mais

Mariologia Prof. Thiago Onofre

Mariologia Prof. Thiago Onofre Mariologia Prof. Thiago Onofre Quando Deus formou o mundo Olhou a Virgem Maria Que, por mistério profundo, Antes de criá-la a via... Nela pôs a formosura Da mais bela criatura Que por desígnio plasmou,

Leia mais

Texto bíblico "Este é aquele Moisés que disse aos israelitas: Deus lhes levantará dentre seus irmãos um profeta como eu. Ele estava na congregação, no

Texto bíblico Este é aquele Moisés que disse aos israelitas: Deus lhes levantará dentre seus irmãos um profeta como eu. Ele estava na congregação, no Texto bíblico Então o sumo sacerdote perguntou a Estêvão: "São verdadeiras estas acusações? "Este é o mesmo Moisés que tinham rejeitado com estas palavras: Quem o nomeou líder e juiz? Ele foi enviado pelo

Leia mais

Introdução e visão geral da história, estrutura e teologia do AT. Jörg Garbers Ms. de Teologia

Introdução e visão geral da história, estrutura e teologia do AT. Jörg Garbers Ms. de Teologia Introdução e visão geral da história, estrutura e teologia do AT Jörg Garbers Ms. de Teologia Introdução a literatura e a pesquisa da Tora e dos profetas anteriores III Jörg Garbers Ms. de Teologia Conteúdo

Leia mais

Introdução e visão geral da história, estrutura e teologia do AT. Jörg Garbers Ms. de Teologia

Introdução e visão geral da história, estrutura e teologia do AT. Jörg Garbers Ms. de Teologia Introdução e visão geral da história, estrutura e teologia do AT Jörg Garbers Ms. de Teologia Introdução a literatura e a pesquisa da Tora e dos profetas anteriores Jörg Garbers Ms. de Teologia Gênesis

Leia mais

NÃO TERÁS OUTROS DEUSES

NÃO TERÁS OUTROS DEUSES NÃO TERÁS OUTROS DEUSES Esboço I. A AUTORIDADE DA LEI 1. A fórmula introdutória do Decálogo. 2. As partes do concerto. 3. O Senhor do universo. 4. A libertação do Egito. II. O PRIMEIRO MANDAMENTO 1. Um

Leia mais

Lição 15 OS LIVROS PROFÉTICOS EZEQUIEL E DANIEL

Lição 15 OS LIVROS PROFÉTICOS EZEQUIEL E DANIEL Lição 15 OS LIVROS PROFÉTICOS EZEQUIEL E DANIEL EZEQUIEL O livro de Ezequiel permanece como um pilar solitário no centro da Bíblia. Seu nome significa fortalecido por Deus. A localização e a solidão que

Leia mais

Vamos ver nesses próximos encontros, um pouco dos Livros Históricos, passando um por um. Vamos dar um mergulho em personagens interessantes, em fatos

Vamos ver nesses próximos encontros, um pouco dos Livros Históricos, passando um por um. Vamos dar um mergulho em personagens interessantes, em fatos Vamos ver nesses próximos encontros, um pouco dos Livros Históricos, passando um por um. Vamos dar um mergulho em personagens interessantes, em fatos espetaculares. Porém, o mais forte é a Mensagem Divina

Leia mais

As visões dos profetas não se constituem em manifestações físicas de Deus, mas aparições espirituais em sonhos ou estado de êxtase.

As visões dos profetas não se constituem em manifestações físicas de Deus, mas aparições espirituais em sonhos ou estado de êxtase. vivendopelapalavra.com Por: Helio Clemente Conforme a Escritura, Deus é espírito puro, imaterial e invisível, é simples e não se constitui de partes. Está escrito que homem algum viu a Deus; está escrito

Leia mais

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM Quinta-feira da 33ª Semana do Tempo Comum 1) Oração Senhor

Leia mais

Igreja Presbiteriana do Grajaú Escola Bíblica Dominical

Igreja Presbiteriana do Grajaú Escola Bíblica Dominical Igreja Presbiteriana do Grajaú Escola Bíblica Dominical Avivamento Bíblico.aviva a tua obra, ó SENHOR, no decorrer dos anos, no decurso dos anos faze-a conhecida... abacuque 3.2b Pb. Ivo Trosdtorf Introdução

Leia mais

Confie no poder de Deus Efésios 6.10,11 Pr. Vlademir Silveira Série Armadura de Deus Mensagem # 1 IBMC 07/10/12

Confie no poder de Deus Efésios 6.10,11 Pr. Vlademir Silveira Série Armadura de Deus Mensagem # 1 IBMC 07/10/12 Introdução Confie no poder de Deus Efésios 6.10,11 Pr. Vlademir Silveira Série Armadura de Deus Mensagem # 1 IBMC 07/10/12 Série de 5 mensagens sobre a Armadura de Deus no livro de Efésios. Efésios 1.1

Leia mais

A Volta de Jesus Subsídio para a conversa teológica (os livros da IBC estão à disposição para pesquisa) Scanner da matéria A Volta de Cristo da Teologia Sistemática de Wayne Grudem e ao final um esquema

Leia mais

Devocional. Céus Abertos Pastor Carlito Paes

Devocional. Céus Abertos Pastor Carlito Paes BÍBLIA Devocional Céus Abertos Pastor Carlito Paes 2 ROTEIRO BÍBLIA: ENTENDENDO A PALAVRA DE DEUS O que devo conhecer sobre a bíblia? Diversidade dos Autores Condições de alguns autores quando foram inspirados

Leia mais

Tornando a Bíblia relevante para o nosso século A

Tornando a Bíblia relevante para o nosso século A Tornando a Bíblia relevante para o nosso século A Para interpretar a mensagem do AT e fazer a devida aplicação da perícope, antes de tudo precisamos conhecer o gênero literário e a estrutura narrativa

Leia mais

O CHAMADO PROFÉTICO DE JEREMIAS LIÇÃO IV TRIMESTRE Preparado por: Pr. Wellington Almeida

O CHAMADO PROFÉTICO DE JEREMIAS LIÇÃO IV TRIMESTRE Preparado por: Pr. Wellington Almeida O CHAMADO PROFÉTICO DE JEREMIAS 0 IV TRIMESTRE 205 Preparado por: Pr. Wellington Almeida O CHAMADO PROFÉTICO DE JEREMIAS Autor do livro: Jeremias Natural de Anatote Filho de Hilquias, o sacerdote Contemporâneos:

Leia mais

O Reino de Deus. Estudo Bíblico e Sistemático

O Reino de Deus. Estudo Bíblico e Sistemático O Reino de Deus Estudo Bíblico e Sistemático Antigo Testamento Sl 103.19 Deus é visto como o rei da criação, tendo domínio sobre todos os aspectos da criação (inanimados, animados e humanos). Ao criar

Leia mais

HISTÓRICA POLÍTICA DOS HEBREUS 3 FASES PATRIARCAS, JUÍZES E REIS

HISTÓRICA POLÍTICA DOS HEBREUS 3 FASES PATRIARCAS, JUÍZES E REIS 2A aula 05 Os Hebreus HISTÓRICA POLÍTICA DOS HEBREUS 3 FASES PATRIARCAS, JUÍZES E REIS Os hebreus eram pastores nômades da Mesopotâmia. No séc. XIX a. C., guiados por Abraão, deslocaram-se para a Palestina,

Leia mais

Índice. Apresentação... 3

Índice. Apresentação... 3 Índice Apresentação... 3 Tempo do Advento 1. O Ano Litúrgico... 9 2. Origem do Ano Litúrgico... 10 3. O que quer dizer Advento?... 11 4. O que fazer no Advento?... 12 Primeiro Domingo do Advento... 14

Leia mais

Lição nº 3 VERDADE SOBRE A UNÇÃO ESPIRITUAL. 18 jan Pr. Adriano Diniz

Lição nº 3 VERDADE SOBRE A UNÇÃO ESPIRITUAL. 18 jan Pr. Adriano Diniz Lição nº 3 VERDADE SOBRE A UNÇÃO ESPIRITUAL Pr. Adriano Diniz 18 jan 2015 TEXTO ÁUREO O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me ungiu para pregar boas novas aos pobres. Ele me enviou para proclamar

Leia mais

1 Reis 3 5 Em Gibeom o SENHOR apareceu a Salomão num sonho, à noite, e lhe disse: Peça-me o que quiser, e eu lhe darei. 6 Salomão respondeu: Tu foste

1 Reis 3 5 Em Gibeom o SENHOR apareceu a Salomão num sonho, à noite, e lhe disse: Peça-me o que quiser, e eu lhe darei. 6 Salomão respondeu: Tu foste CONCESSÕES! 1 Reis 3 5 Em Gibeom o SENHOR apareceu a Salomão num sonho, à noite, e lhe disse: Peça-me o que quiser, e eu lhe darei. 6 Salomão respondeu: Tu foste muito bondoso para com o teu servo, o meu

Leia mais

A dieta bíblica. Pedro replicou: De modo nenhum, Senhor! Porque jamais comi coisa alguma comum e imunda. (At 10:14)

A dieta bíblica. Pedro replicou: De modo nenhum, Senhor! Porque jamais comi coisa alguma comum e imunda. (At 10:14) A dieta bíblica Pedro replicou: De modo nenhum, Senhor! Porque jamais comi coisa alguma comum e imunda. (At 10:14) OBJETIVO Ajudar o estudante da Escola Bíblica a entender e a defender o que cremos acerca

Leia mais

O REINO DO MESSIAS POIS TEU O REINO, O PODER E A GLÓRIA PARA SEMPRE, AMEM! FESTA DOS TABERNÁCULOS SUKKOT

O REINO DO MESSIAS POIS TEU O REINO, O PODER E A GLÓRIA PARA SEMPRE, AMEM! FESTA DOS TABERNÁCULOS SUKKOT O REINO DO MESSIAS POIS TEU O REINO, O PODER E A GLÓRIA PARA SEMPRE, AMEM! FESTA DOS TABERNÁCULOS SUKKOT - 2015 O ISRAEL DE DEUS Efésios 2: 16-22 - Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas

Leia mais

DONS ESPIRITUAIS. Os dons conferidos por Deus ao ser humano podem ser classificados da seguinte forma:

DONS ESPIRITUAIS. Os dons conferidos por Deus ao ser humano podem ser classificados da seguinte forma: DONS ESPIRITUAIS I Cor 12:11-11 I Cor 12:31 I Pe 4:10 INTRODUÇÃO: Dentre as grandes e insondáveis riquezas espirituais que Deus coloca à disposição de sua igreja na terra, destaca-se os dons do Espírito

Leia mais

IMPELIDOS PELO ESPÍRITO PARA A MISSÃO

IMPELIDOS PELO ESPÍRITO PARA A MISSÃO IMPELIDOS PELO ESPÍRITO PARA A MISSÃO IGREJA EM SAÍDA CULTURA DO ENCONTRO comunidade eclesial a V O C A Ç Ã O NASCE, CRESCE na IGREJA; é SUSTENTADA pela IGREJA. Todos os cristãos são constituídos missionários

Leia mais

A Escolhida (509) D F#7 Bm7 F#7 Uma entre todas foi a escolhida: foste tu Maria, serva preferida. G Gm F#m Bm E7/9 A7 A5+

A Escolhida (509) D F#7 Bm7 F#7 Uma entre todas foi a escolhida: foste tu Maria, serva preferida. G Gm F#m Bm E7/9 A7 A5+ Page 8 of 229 Autoria: D. R. A Escolhida (509) D F#7 Bm7 F#7 Uma entre todas foi a escolhida: foste tu Maria, serva preferida. G Gm F#m Bm E7/9 A7 A5+ Mãe do meu Senhor, Mãe do meu Salvador. D Bm G A7

Leia mais

Todavia nos teus dias não o farei, por amor de Davi, teu pai; da mão de teu filho o rasgarei;

Todavia nos teus dias não o farei, por amor de Davi, teu pai; da mão de teu filho o rasgarei; Assim disse o SENHOR a Salomão: Pois que houve isto em ti, que não guardaste a minha aliança e os meus estatutos que te mandei, certamente rasgarei de ti este reino, e o darei a teu servo. Todavia nos

Leia mais

APOCALIPSE APOCALIPSE, UMA MENSAGEM URGENTE PARA A IGREJA

APOCALIPSE APOCALIPSE, UMA MENSAGEM URGENTE PARA A IGREJA APOCALIPSE 1.1-8 APOCALIPSE, UMA MENSAGEM URGENTE PARA A IGREJA INTRODUÇÃO Dois fatores contribuem para que muitos crentes evitem o livro de Apocalipse: a) A idéia de que ele é um livro selado, que trata

Leia mais

REGULAMENTO OFICIAL. Alfabeto Bíblico

REGULAMENTO OFICIAL. Alfabeto Bíblico REGULAMENTO OFICIAL Alfabeto Bíblico Tem como objetivo levar o competidor a encontrar na Bíblia versículos que comecem com cada letra do alfabeto da língua portuguesa e contenham em seu texto, uma palavra-chave,

Leia mais

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM SÁBADO, DIA 25 DE JUNHO 1) Oração Cheguem à vossa presença,

Leia mais

ÍNDICE GERAL. i PARTE

ÍNDICE GERAL. i PARTE ÍNDICE GERAL i DEUS NO ANTIGO TESTAMENTO 15 Procedimento metódico 15 I. A História 20 1. O género histórico no Antigo Testamento 20 2. História da salvação 22 II. A Palavra de Deus no Antigo Testamento

Leia mais

Grupos no judaísmo na. época de Jesus

Grupos no judaísmo na. época de Jesus Grupos no judaísmo na época de Jesus Nome Origem Conceitos Jörg Garbers Ms. de Teologia Os Fariseus Nome: os que se separam, os separados. Origem: Eles têm a sua origem teológico junto com os Essênios

Leia mais

Reivindicações específicas para a inspiração do Novo Testamento

Reivindicações específicas para a inspiração do Novo Testamento Reivindicações específicas para a inspiração do Novo Testamento Orientação no ensino Não foram só aos apóstolos foi prometida a orientação do Espírito Santo em sua pregação sobre Jesus, mas eles também

Leia mais

O ANO LITÚRGICO. Quando se inicia o Ano Litúrgico?

O ANO LITÚRGICO. Quando se inicia o Ano Litúrgico? O ANO LITÚRGICO Chama-se Ano Litúrgico o tempo em que a Igreja celebra todos os feitos salvíficos operados por Deus em Jesus Cristo. "Através do ciclo anual, a Igreja comemora o mistério de Cristo, desde

Leia mais

TEXTO DO DIA. "Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar e não proibais falar línguas." (1 Co 14.39)

TEXTO DO DIA. Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar e não proibais falar línguas. (1 Co 14.39) TEXTO DO DIA "Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar e não proibais falar línguas." (1 Co 14.39) SÍNTESE Os dons espirituais são presentes dados por Deus à sua Igreja para edificação do Corpo

Leia mais

OS TRÊS OFÍCIOS DE CRISTO

OS TRÊS OFÍCIOS DE CRISTO VASOS DE OURO Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém. 2 Pe. 3:18 CRISTOLOGIA OS TRÊS OFÍCIOS

Leia mais

Mas depois de anos esperando o filho que lhe fora prometido, Deus pediu a Abraão para Lhe dar o filho de volta.

Mas depois de anos esperando o filho que lhe fora prometido, Deus pediu a Abraão para Lhe dar o filho de volta. Aventuras em Hebreus 11, 3 a Parte A menos que seja indicado o contrário, todos os versículos foram extraídos da Edição Contemporânea de João Ferreira de Almeida. Pela fé Abraão, quando Deus o pôs à prova,

Leia mais

Se Jesus voltará, como devo esperá-lo?

Se Jesus voltará, como devo esperá-lo? Se Jesus voltará, como devo esperá-lo? O que os apocalípticos dizem a respeito dos últimos dias? Sinônimo da época em que se aproxima a 2ª vinda de Jesus Cristo e o consequente fim do mundo. Período marcado

Leia mais

«Jesus, lembra-te de mim quando entrares no Teu reino». Ele respondeu-lhe : «Em verdade te digo : Hoje estarás comigo no Paraíso».(Lc.23,42-43).

«Jesus, lembra-te de mim quando entrares no Teu reino». Ele respondeu-lhe : «Em verdade te digo : Hoje estarás comigo no Paraíso».(Lc.23,42-43). «Jesus, lembra-te de mim quando entrares no Teu reino». Ele respondeu-lhe : «Em verdade te digo : Hoje estarás comigo no Paraíso».(Lc.23,42-43). ********************** Como definição simples, a Graça é

Leia mais

Introdução e visão geral da história, estrutura e teologia do AT. Jörg Garbers Ms. de Teologia

Introdução e visão geral da história, estrutura e teologia do AT. Jörg Garbers Ms. de Teologia Introdução e visão geral da história, estrutura e teologia do AT Jörg Garbers Ms. de Teologia Jhwh e os deuses Jörg Garbers Ms. de Teologia Escrita e pronúncia O textos hebraico antigo somente escreve

Leia mais

O Povo de Israel Jejuou e fez penitência, como preparação para a primeira ceia pascal, antes da passagem do Anjo Exterminador.

O Povo de Israel Jejuou e fez penitência, como preparação para a primeira ceia pascal, antes da passagem do Anjo Exterminador. O Povo de Israel Jejuou e fez penitência, como preparação para a primeira ceia pascal, antes da passagem do Anjo Exterminador. Esta prática do Jejum e Abstinência, normalmente é um técnica temporária com

Leia mais

O Desespero dos Egípcios

O Desespero dos Egípcios O Desespero dos Egípcios 1 2 AURENY BONIFÁCIO FILHO O DESESPERO DOS EGÍPCIOS 3 E OS EGÍPCIOS APERTAVAM AO POVO, APRESSANDO-SE PARA LANÇÁ-LOS DA TERRA; PORQUE DIZIAM: TODOS SEREMOS MORTOS. Êxodo 12:33.

Leia mais

COMO ENTENDER A DIVISÃO DO LIVRO DE APOCALIPSE

COMO ENTENDER A DIVISÃO DO LIVRO DE APOCALIPSE COMO ENTENDER A DIVISÃO DO LIVRO DE APOCALIPSE A corrente Pós-Milenista Crê que o mundo vai ser cristianizado e que teremos um grande e poderoso reavivamento e o crescimento espantoso da igreja ao ponto

Leia mais

Aula 2. Até sexta, pela Graça de Deus, bons estudos.

Aula 2. Até sexta, pela Graça de Deus, bons estudos. Aula 2 Prezados professores, estou enviando os slides ( texto definitivo) da nossa aula 2 baseada nos capítulos 2, 10 e 12 do nosso livro e na nossa confissão de fé. Sugerimos que leiam novamente os três

Leia mais

Oração Inicial: Leitura: Lucas 22, 7-20.

Oração Inicial: Leitura: Lucas 22, 7-20. Oração Inicial: Leitura: Lucas 22, 7-20. Objetivo do encontro: Despertar amor a Eucaristia e a participação da santa missa, onde o sacramento é oferecido. Texto: Ë o sacramento pelo qual participamos,

Leia mais

IGREJA BATISTA DE VIRADOURO Pr. José Antônio Corrêa

IGREJA BATISTA DE VIRADOURO Pr. José Antônio Corrêa IGREJA BATISTA DE VIRADOURO Pr. José Antônio Corrêa MINISTRAÇÕES PARA CASAS DE PAZ Módulo II Ministério de Evangelismo e Missões ESTUDOS PARA CASAS DE PAZ Pr. José Maria Savazzi Pr. José Antônio Corrêa

Leia mais

Solenidade de N. S. Jesus Cristo, Rei do Universo. Ano B 15 de novembro de 2015

Solenidade de N. S. Jesus Cristo, Rei do Universo. Ano B 15 de novembro de 2015 Solenidade de N. S. Jesus Cristo, Rei do Universo. Ano B 15 de novembro de 2015 Caríssimos irmãos e irmãs: Para este Domingo, a liturgia da Palavra, solenemente proclamada, nos conduziu à compreensão da

Leia mais

Treinamento de Instrutores Bíblicos. Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas

Treinamento de Instrutores Bíblicos. Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas North A meric an Divisio n Portuguese Mi nistry Treinamento de Instrutores Bíblicos Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas Como Ensinar Doutrinas Básicas Adventistas Objetivo Uma compreensão clara

Leia mais

Escola Bíblica Dominical A idéia bíblica do inferno. IPB Angra dos Reis - 27/02/2011 Pr Dusi

Escola Bíblica Dominical A idéia bíblica do inferno. IPB Angra dos Reis - 27/02/2011 Pr Dusi Escola Bíblica Dominical A idéia bíblica do inferno IPB Angra dos Reis - 27/02/2011 Pr Dusi Pontos em revisão A idéia bíblica de inferno no AT A idéia bíblica de inferno no NT Figuras bíblicas que ilustram

Leia mais

Lição 4 A provisão de Deus no monte do sacrifício

Lição 4 A provisão de Deus no monte do sacrifício INTRODUÇÃO - No episódio do de Isaque, Abraão assume, em definitivo, a condição de "pai da fé", que lhe é reconhecida pelas três grandes religiões monoteístas do planeta. - O episódio da Akedah, que quer

Leia mais

Título: O FALSO MESSIAS Autor: W. SCOTT. Literaturas em formato digital:

Título: O FALSO MESSIAS Autor: W. SCOTT. Literaturas em formato digital: Título: O FALSO MESSIAS Autor: W. SCOTT Literaturas em formato digital: www.acervodigitalcristao.com.br Literaturas em formato Impresso: www.verdadesvivas.com.br Evangelho em 03 Minutos: www.3minutos.net

Leia mais

Andar com o Anjo de Deus que cuida de você

Andar com o Anjo de Deus que cuida de você Andar com o Anjo de Deus que cuida de você UM ANJO PARA ZELAR PELA SUA VIDA Uma poderosa oração e consagração que abre portas, livra dos males, protege a casa, a saúde, as pessoas amadas. Participe por

Leia mais

Interpretando o Apocalipse Por Pastor Luiz Antonio.

Interpretando o Apocalipse Por Pastor Luiz Antonio. Interpretando o Apocalipse Por Pastor Luiz Antonio. CAPÍTULO III QUINTA CARTA, À IGREJA DE SARDES 1 E ao anjo da igreja que está em Sardes escreve: Isto diz o que tem os sete Espíritos de Deus e as sete

Leia mais

LEVÍTICO INTRODUÇÃO DIVISÃO FATOS IMPORTANTES

LEVÍTICO INTRODUÇÃO DIVISÃO FATOS IMPORTANTES LEVÍTICO INTRODUÇÃO DIVISÃO FATOS IMPORTANTES LEVÍTICO Levítico ( a respeito dos levitas ): Para quem foi escrito este livro? Para os israelitas. Por quem foi escrito (autor)? Moisés. Em qual momento histórico?

Leia mais

Estudo de. Deuteronômio. Perguntas sobre o texto do livro de Deuteronômio, preparadas por Dennis Allan, 2017

Estudo de. Deuteronômio. Perguntas sobre o texto do livro de Deuteronômio, preparadas por Dennis Allan, 2017 Estudo de Deuteronômio Perguntas sobre o texto do livro de Deuteronômio, preparadas por Dennis Allan, 2017 É permitido o uso deste estudo sem alteração e com identificação da fonte: www.estudosdabiblia.net

Leia mais

A volta de Jesus é iminente, pois pode acontecer a qualquer momento.

A volta de Jesus é iminente, pois pode acontecer a qualquer momento. LIÇÃO 12 - A VOLTA DE JESUS Texto Bíblico: Apocalipse 19.11-16 Objetivos: Compreender as implicações sobre a segunda vinda de Cristo. Resgatar em sua vida cristã a bendita expectativa da volta de Cristo.

Leia mais

Analisando Daniel 9:25, 26 e 27. Qual o objetivo das Setenta Semanas? Daniel 9:24: "Setenta Semanas são determinadas sobre o teu povo...

Analisando Daniel 9:25, 26 e 27. Qual o objetivo das Setenta Semanas? Daniel 9:24: Setenta Semanas são determinadas sobre o teu povo... Analisando Daniel 9:25, 26 e 27 Qual o objetivo das Setenta Semanas? Daniel 9:24: "Setenta Semanas são determinadas sobre o teu povo..." As semanas são semanas de anos: 1 semana = 7 anos e de acordo com

Leia mais

JAIRO, que tem exatamente o mesmo significado.

JAIRO, que tem exatamente o mesmo significado. JAIR - Do hebraico - Significa: Ele iluminará ou aquele que foi iluminado por Deus. É um nome bíblico de um dos juízes de Israel. A forma grega do nome Jair é JAIRO, que tem exatamente o mesmo significado.

Leia mais

O Rev. Ronaldo Lidório comentou esse texto e trabalhou a MISSÃO.

O Rev. Ronaldo Lidório comentou esse texto e trabalhou a MISSÃO. 1 O LIVRO E O CORDEIRO O Rev. Ronaldo Lidório comentou esse texto e trabalhou a MISSÃO. 1) A Missão do Pai é Reinar 2) A Missão do Filho é Pagar o Preço; 3) A Missão da Igreja é servir ao Cordeiro Jesus.

Leia mais

Os Outros Seis Dias. Aula 05/07/2015 Prof. Lucas Rogério Caetano Ferreira

Os Outros Seis Dias. Aula 05/07/2015 Prof. Lucas Rogério Caetano Ferreira Os Outros Seis Dias Aula 05/07/2015 Prof. Lucas Rogério Caetano Ferreira Recapitulando Nas aulas passadas vimos que muitas vezes a fé tem horário e local específico, na Igreja, no domingo, e no horário

Leia mais

Classe Adultos. Obedecendo ao Ide do Senhor Jesus de levar as Boas-Novas a toda criatura

Classe Adultos. Obedecendo ao Ide do Senhor Jesus de levar as Boas-Novas a toda criatura Classe Adultos Obedecendo ao Ide do Senhor Jesus de levar as Boas-Novas a toda criatura OBJETIVOS OBJETIVO GERAL Saber que Deus exige de cada crente uma atitude evangelística responsável e amorosa.

Leia mais

Fala da história relacionada com as circunstâncias e marcada pelas experiências com Deus

Fala da história relacionada com as circunstâncias e marcada pelas experiências com Deus De Josué a Ester Fala da história relacionada com as circunstâncias e marcada pelas experiências com Deus Para o Hebreus, a vida não tinha explicação fora da vida de Deus Acreditavam que Deus estava pessoalmente

Leia mais

Fenícios, Persas e Hebreus. Prof. Junior Soares

Fenícios, Persas e Hebreus. Prof. Junior Soares Fenícios, Persas e Hebreus Prof. Junior Soares Civilização fenícia Os maiores comerciantes marítimos da Antiguidade 1. Aspectos geográficos: > Localização da Fenícia em relação ao Mar Mediterrâneo Principais

Leia mais

UM P G. chamado. Remanescente

UM P G. chamado. Remanescente UM P G chamado Remanescente CONCEITO Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus; e se pôs em

Leia mais

Escolas de profetas no Antigo Testamento Material de apoio a aula 12. Fonte: 12.

Escolas de profetas no Antigo Testamento Material de apoio a aula 12. Fonte:  12. Escolas de profetas no Antigo Testamento Material de apoio a aula 12 Fonte: http://www.estudantesdabiblia.com.br/licoes_cpad/2013/2013-01- 12.htm Escola de Profetas: Instituição de ensino do Antigo Testamento

Leia mais

Os blocos que formam o. Pentateuco. Promessa Eleição. Livramento Aliança Lei Terra

Os blocos que formam o. Pentateuco. Promessa Eleição. Livramento Aliança Lei Terra Promessa Eleição Os blocos que formam o Livramento Aliança Lei Terra Pentateuco A Aliança de Yaweh com Abraão Ora, disse o Senhor a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela, e vai para a terra que te

Leia mais