editorial Como todos sabem empreendedorismo A hora e a vez do empreendedorismo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "editorial Como todos sabem empreendedorismo A hora e a vez do empreendedorismo"

Transcrição

1

2 2

3 3

4 editorial A hora e a vez do empreendedorismo Como todos sabem empreendedorismo é o principal fator que promove o desenvolvimento econômico e social de uma nação. Identificar oportunidade e transformá-las em negócios lucrativos são para pessoas super especiais. O Brasil atualmente possui uma economia aberta e inserida no processo de globalização. Somos a 6ª economia mundial, prestes a ocupar o quinto lugar. E o empreendedorismo é um dos vértices para o crescimento da nação, pois a criatividade aliada à perspectiva de oportunidade gera sucesso. Com uma política de redemocratização é o momento ideal para crescer, aproveitando o novo espaço e ousar. Durante muito tempo não podíamos pensar, não nos era permitido. Devemos aproveitar os tempos políticos atuais, pois eles nos favorecem e um empreendedor necessita fundamentalmente de liberdade, criatividade para construir seu negócio. Não há idade para começar a empreender, basta ter habilidade de ver e avaliar oportunidades e negócios, inovar no segmento escolhido é a arte de obter êxito. Se você pretende seguir no brilhante caminho do empreendedorismo, saiba que uma pessoa que empreende busca constantemente auto-realização. Não visando somente o lucro, pois isto será o fruto natural de seu trabalho. Ficar alerta é sempre um dever, pois deixar passar uma oportunidade sem correr atrás dela gera grande frustração. Hoje em dia o Brasil aposta em cursos para formar empreendedores. Existem pensamentos e opiniões de economistas que o estudo deveria ser colocado nas escolas a partir do ensino fundamental, pois assim reduziria o número de jovens e adultos que acabam se individando por falta de controle e administração do seu próprio capital. Um empreendedor é uma pessoa totalmente orientada para a ação, não basta somente ter boas ideias mas precisa fazer acontecer. Uma forte característica do empreendedor é a motivação, a capacidade de assumir riscos e calcular o que for necessário para atingir seu objetivo. Em qualquer empreendimento, o mais importante de um sistema de inovação é a atuação de uma liderança. Em primeiro lugar, é a visão, do segmento mercadológico que definirá a organização como um todo e percorrerá os trilhos da inovação. Nesta edição você estará em contato com empreendedores que pegaram a oportunidade e foram em direção ao alvo, obtendo sucesso. São exemplos nacionais e internacionais que se destacam em seu segmento, inovando, investindo, se arriscando porém vencendo. Um dos segredos do sucesso é inovar com sustentabilidade em seu próprio segmento. Na ocasião mostraremos os ganhadores do Destaque Empresarial 2012, um prêmio que faz jus ao esforço e ao trabalho do empreendedor em questão. Oferecido pela Associação Comercial de São Paulo, entidade que defende a livre iniciativa e o empreendedorismo. Você leitor terá oportunidade de conhecer a trajetória de sucesso empresarial de cada um dos premiados. Lino Almeida Editor 4

5 Diretor Responsável Lino Almeida (MTB ) índice Jornalismo Regina Elias (MTB ) Edição de Textos Cassiana Crisostemo de Almeida Projeto Gráfico e Diagramação Priscilla Lima Assistente de Arte Laércio Guerreiro de Souza Junior Departamento Comercial Marina Crisostemo Circulação e Assinatura Daniela Crisostemo de Almeida Redação Rua Banco das Palmas, cj. 03 Santana - Sãp Paulo - SP CEP tel: (11) / Produção e Acabamento Global News Editora As matérias assinadas refletem o ponto de vista de seus autores, isentando a direção desta revista de quaisquer responsabilidades provenientes das mesmas. A empresa esclarece que não mantém nenhum vínculo empregatício com qualquer pessoa que conste neste expediente. São apenas colaboradores da revista. É vetada a reprodução parcial ou integral do conteúdo desta revista sem autorização expressa do Diretor Responsável. EMPREENDEDORISMO Como criar um ambiente favorável para o empreendedorismo? ERA DA TECNOLOGIA COM INOVAÇÃO A internet 4G vem aí. Mas o que preciso saber sobre ela? EMPREENDEDORES TRABALHANDO PELO BRASIL Empreendedores Tops de 2012 recebem destaque da Associação Comercial. SUSTENTABILIDADE Os especialistas em sustentabilidade ajudam a fortalecer os negócios. pg.6 20 pg. 36 pg. 72 pg.

6 EMPREENDEDORISMO COMO CRIAR UM AMBIENTE FAVORÁVEL PARA O EMPREENDEDORISMO? Um dos fatores mais importantes da empresa inovadora é delegar autonomia aos funcionários. No modelo antiquado, predominante até poucas décadas atrás, o perfil de gestão era centralizador, seus líderes concentravam poder por autoridade e estimulavam o comportamento passivo de seus subordinados, controlados ferozmente. Já os melhores líderes, num conceito mais moderno, atuam vigorosamente ao definir caminhos, fazer escolhas e priorizar investimentos para conduzir a organização rumo a um futuro brilhante. Para dar suporte ao crescimento, com atenção às mais variadas oportunidades e com ótima capacidade de transformar ideias criativas em projetos de novos negócios, essas corporações se estruturam em organizações específicas para atuar em mercados bastante distintos, conferindo a responsabilidade pelos negócios a um grande time de líderes. A 3M organiza-se atualmente em seis grandes Grupos de Negócio Indústria & Transporte, Saúde, Segurança, Consumo & Escritório, Elétricos & Comunicação e Comunicação Visual -, por onde se distribuem 4- business units com alto nível de independência. A brasileira Votorantim também se baseia em torno de três grandes segmentos. Na área industrial, há estruturas para desenvolver os negócios de cimento, mineração e metalurgia, siderurgia, papel e celulose, suco de laranja e autogeração de energia; no mercado financeiro, há o banco, a financeira, a gestão de ativos, operações de leasing e corretora; em novos negócios, investiu-se em atividades de biotecnologia, pesquisa mineral e química. O presidente da 3M e seu corpo de diretores sabem que não poderão liderar pessoalmente todos os negócios, não serão capazes de desenvolver todas as estratégias vencedoras e conceber todas as novas ideias para o crescimento dos negócios. Em nossa empresa, na qual esse tipo de estrutura organizacional vigora desde a década de 1940, a regra sempre foi delegar responsabilidades e autonomia aos funcionários, inspirados no exemplo dos líderes dos tempos heroicos das primeiras décadas. Dessa forma, cria-se um amplo espaço para a atuação de intraempreendedores nas dezenas de áreas de negócio e surgem a todo o momento oportunidades para novas lideranças que desejam fazer a diferença. Uma ferramenta formal muito poderosa para fortalecer essa orientação à inovação é a nossa Avaliação Anual de Desempenho. Ao final do ano, todos os funcionários da 3M são avaliados por um grupo de pessoas com base em certos atributos. Pelo menos dois deles se referem diretamente à atitude empreendedora e à capacidade de interpretação da realidade, de fora para dentro, com proximidade do mercado para visões originais que agreguem valor ao negócio. Dessa forma, criase um amplo espaço para a atuação de intraempreendedores nas dezenas de áreas de negócio e surgem a todo o momento oportunidades para novas lideranças que desejam fazer a diferença 6

7 divulgação INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO Toda empresa inovadora almeja que seus funcionários sintam-se estimulados a colaborar com o crescimento da organização, não somente executando tarefas definidas, mas usando sua energia para propor ideias, sugerindo novos caminhos para os negócios, aperfeiçoando processos, solucionando problemas. O início é realmente conceder autonomia. Os talentos da companhia devem estar plenamente cientes dos objetivos, valores, políticas e outros aspectos importantes do ambiente de negócios da empresa. Com esse ambiente de liberdade e autonomia, líderes empreendedores se fortalecem e, motivados por um propósito, concebem ideias e experimentam possibilidades, dando abertura para as inovações. Esse comportamento caracteriza o intraempreendedorismo, um conceito que passou a ser mais estudado no final da década de 1970 por acadêmicos como Gifford Pinchot, autor do livro-base para os primeiros cursos sobre o assunto que começaram a ser ministrados no Brasil especialmente a partir dos anos 1990, e que tentou responder a uma grande pergunta: como uma organização consegue cultivar um ambiente e fortalecer uma cultura favoráveis ao intraempreendedor? Na prática, sabemos que é algo muito difícil de implementar, pois líderes desqualificados, teias burocráticas, inexistência de propósitos e tantos outros obstáculos costumam emperrar o potencial máquina de inovação. 7

8 EMPREENDEDORISMO Empreendedorismo se ensina na escola O Brasil ainda deixa de criar novas potências empresariais por outra razão: falta de preparo e, podemos até dizer, carência de perspectivas da mão de obra nacional A redemocratização política e a consequente abertura da economia brasileira ao mercado estrangeiro já completaram mais de 20 anos. O Produto Interno Bruto cresceu exponencialmente neste período e milhares de pessoas ascenderam socialmente. Mas, embora as instituições brasileiras tenham conquistado crescimento e solidez - sejam elas políticas, econômicas ou educacionais - pouco se fez para destravar as rédeas burocráticas e culturais que impedem o surgimento de novos negócios no País. Prova disso é a alarmante 121ª colocação ocupada pelo Brasil em classificação global no ambiente empresarial realizada pelo Banco Mundial em De acordo com a lista, é mais fácil empreender num país como Serra Leoa (África), que ocupa a 76ª posição na classificação e cujas famílias lutam para garantir o alimento de cada dia, do que no Brasil, a 6ª maior economia do mundo. O ambiente institucional brasileiro é, com certeza, um empecilho para a criação de novos negócios em todas as esferas: municipal, estadual e federal. O empreendedor se depara com a exigência de um número excessivo de documentos, vultosos pagamentos de impostos, dificuldade na obtenção de licenças. E, como se não bastasse, o Brasil ainda deixa de criar novas potências empresariais por outra razão: falta de preparo e, podemos até dizer, carência de perspectivas da mão de obra nacional. Alguns argumentariam que o problema gira em torno dos baixos investimentos públicos em educação. Não é o caso. A União destina o equivalente a 5,8% do PIB à educação - padrão perto do adequado, segundo a UNESCO -, com meta de, nos próximos cinco anos, elevar o gasto a 7%. A questão, portanto, está na má administração dos recursos. E a educação pública elementar é um reflexo disso: no ensino básico - que compreende ensino infantil, fundamental e médio -, o investimento por aluno é de apenas R$ 3.580, enquanto que, no ensino superior, a cifra sobe para R$ , de acordo com dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Com o objetivo de identificar e desenvolver empreendedores em todas as esferas socioeconômicas, a JBS criou a escola Germinare. Trata-se de uma escola gratuita subsidiada por recursos privados, que visa a estimular e aguçar o espírito empreendedor entre alunos do ensino fundamental e médio. A expectativa é mudar um cenário registrado por uma pesquisa realizada pela Endeavor, em que o brasileiro aparece como o típico baixo sonhador. Entre os Brics, o Brasil é, de acordo com o levantamento, o país que tem a segunda pior expectativa em relação aos seus próprios negócios. Por isso, a Germinare, que em 2013 completa quatro anos, mostra como tem cumprido um papel importante, ainda que incipiente, na mudança desta cultura. Localizada na Zona Oeste de São 8

9 EMPREENDEDORISMO Paulo, famílias de todas as classes têm acesso ao ensino da Germinare. Isso por meio de um rígido processo de admissão, coordenado pela consultoria Primeira Escolha - a mesma que prepara a seleção de alunos para o Insper -, composta por entrevista pessoal com uma equipe multidisciplinar, dinâmicas em grupo, testes de conhecimento acadêmico e análise do potencial cognitivo do ingressante. A proposta pedagógica da escola é sua principal ferramenta na difusão dos conceitos do empreendedorismo. Ao mesmo tempo em que contempla o currículo tradicional exigido pelo Ministério da Educação, a Germinare incorpora em sua grade de disciplinas, da menor à maior série, matérias como introdução ao mundo dos negócios, educação para o consumo e matemática financeira. O intuito básico é colocar os alunos diante dos desafios reais da vida profissional, em projetos que instigam o espírito de liderança. O período de aula é integral, 10 horas diárias, e, além de ser utilizado para o debate de assuntos relacionados ao empreendedorismo na sala de aula, propicia o contato entre estudantes e empresas, a partir de visitas a unidades de produção. Não à toa, a dificuldade do Brasil em empreender está ligada não só a um ambiente institucional e regulatório ainda pouco desenvolvido e à formação técnica ainda deficiente da sua força de trabalho, mas, sobretudo, à falta de confiança das pessoas em suas próprias ideias. A grande questão é que não podemos tratar essa série de entraves de formas distintas. Todos têm um mínimo múltiplo comum: a educação básica. É nesse setor que os valores do empreendedorismo e liderança devem ser transmitidos e reforçados desde cedo. Isso já acontece na Germinare e pode ser replicado em outras tantas instituições de ensino. Afinal, uma economia do porte da brasileira já não aceita mais remendos e curativos. divulgação Bielefeld School, na Alemanha: Empreendedorismo se aprende desde cedo. 9

10 EMPREENDEDORISMO EMPREENDEDORISMO, DINHEIRO X PLANO DE NEGÓCIO - UM ENCANTO OU UM Vivemos em um mundo totalmente capitalista, onde creio que a maioria concorda comigo, as razões em que descrevo esta afirmação, é em virtude de ser Acadêmico de Administração com ênfase em Empresas, e na perspectiva de se colocar em prática daquilo que aprendo na teoria em sala de aula, nos Banco da Universidade. E com certeza aumentar meu rendimento familiar e ajudar a manter-me no meu dia-a-dia. Certa vez, no 5 semestre o Prof Ismael, onde ministrava a matéria de Empreendedorismo e Liderança, adotou um livro para que fosse lido e fizesse uma resenha sobre o assunto, o livro foi: O Segredo de Luisa. Uma Ideia, Uma paixão e um DESENCANTO? Plano de Negócios: Como Nasce o Empreendedor e se cria uma empresa de Fernando Dolabela e editado pela Editora Cultura Editores Associados. Lendo o Livro, fiquei empolgado, pois no seu conteúdo o livro, nos orientava que para se criar uma empresa o mais importante é um ótimo Plano de Negócio e um excelente Projeto e que dinheiro não era tão importante e se possível, procurasse uma parceria, como por exemplo: o SEBRAE. Até ai tudo bem: Elaborei um bom Plano de Negócio, um excelente Projeto e procurei o SEBRAE, chegando lá fui orientado pelo consultor em fazer um projeto e uma (análise de mercado) que é o plano de negócio, pois se não tivesse isto, seria impossível concluir esse empreendimento, e se fosse o caso eles fariam e teria que divulgação 10

11 EMPREENDEDORISMO divulgação pagar uma taxa, falei que o meu objetivo principal de procurar o SEBRAE era conseguir recurso, isto é Capital para a conclusão do projeto, pois o mais já estava providenciado, isto é, Projetado, analisado e o mais importante aprovado. No entanto o consultor nada pôde fazer, ai fiquei me perguntando. Como que o Dinheiro não é importante? No momento, não concordei sobre o livro, em descrever que o dinheiro não é importante para um empreendimento, concordo que o objetivo maior de um empreendimento é o Plano de Negócios. O Plano de Negócios por nós desenvolvidos não representa somente um instrumento de planejamento formalizado em um papel. O Plano de Negócios deve, sim estar integrado a toda a empresa, difundindo e retroalimentado permanentemente com as informações de seu conteúdo no livro bem apresentado que possam contribuir para o sucesso organizacional. E que o planejamento também deve ser flexível a novas realidades, adaptável a novos paradigmas, sob pena de tornar-se um instrumento ultrapassado e não efeito. Já no 6 semestre na matéria de filosofia, matéria ministrada pelo Prof Paulo Neto, onde na aula em que o tema foi o Problema Linguístico ou Filosofia da Linguagem pude refletir algo. Creio que todos já viram ou ouviram falar desta frase: O dinheiro é a mola que move o mundo!. Certamente são poucos os que com ela não concordam. Ela sintetiza com precisão o que o dinheiro representa no mundo de hoje, apesar de incompleta. Sim, incompleta, pois o dinheiro não apenas move o mundo, mas é também para a maior parte das pessoas o foco principal de seus pensamentos e seu objetivo de vida mais elevado. Para angariar dinheiro elas sacrificam a saúde e seu precioso tempo terreno, forjam e destroem amizades, são capazes de mentir, ludibriar, roubar e até matar. Tudo pelo dinheiro. Por ter a humanidade elevado com tanto afinco esse bezerro de ouro a um lugar de honra, ao ponto mais alto do seu altar de idolatrias, o descalabro econômico que atinge a Terra torna-se agora um dos mais pesados golpes do Juízo. A instabilidade econômica mundial traz convulsão social, crise de governabilidade, medo e, principalmente, insegurança. A ânsia desmedida pelo dinheiro é mais um sintoma do domínio do intelecto sobre o espírito. Como aquele provém da matéria, só tem capacidade de reconhecer e dar valor àquilo que é material. E o dinheiro é o instrumento capaz de realizar o sonho de todas as pessoas dominadas pelo seu intelecto: acúmulo ininterrupto de bens e riquezas terrenas. Uma grande parte ainda dessas pessoas luta apenas pelo dinheiro, unicamente para possuí- -lo, sem sequer desfrutar das coisas que ele pode comprar e muito menos utilizá- -lo em prol do bem comum. Terríveis são os efeitos retroativos desse ápice de egoísmo. Toda a segurança que tolamente imaginam dispor pela posse do dinheiro transformar-se-á em pó de uma hora para outra. Como seria então a maneira correta de se relacionar com o dinheiro? Uma grande e inflexível lei perflui toda a Criação e assim também esta nossa pequena Terra de matéria grosseira: a Lei da Reciprocidade ou Lei de Retorno. Entre outros efeitos, essa lei estabelece que em tudo tem de haver equilíbrio. Dar e receber em contínuo movimento. Onde não houver paridade absoluta entre o dar e o receber, lá não pode haver harmonia. Pode-se dizer que a exigência de se manter o equilíbrio em todas as coisas é igualmente uma lei, assim como é também uma Lei da Criação a necessidade de se manter o movimento dentro dela. Ambas as leis, a Lei do Equilíbrio e a Lei do Movimento, estão inseridas na Lei da Reciprocidade, fazem parte dela. O ser humano é transpassado por uma Força que o permite viver. Essa Força é neutra, e pode ser dirigida tanto para o bem como para o mal. Através de seus pensamentos, palavras e ações, ele tem o poder de dirigir a Força, recebendo para si mesmo depois de um certo tempo, através da Lei da Reciprocidade, tudo o que ele próprio formou com essa Força neutra a ele doada. A única coisa que separa você de começar um novo Negócio é o fato de que você ainda não tenha tentado A Persistência e a Decisão é muito importante. No entanto, temos que continuar com nossos sonhos para que eles se tornem realidade. José Valdeci de Souza Martins Acadêmico do Curso de Administração com Ênfase em Empresas. Instituto Campo Grande de Ensino Superior - ICG 11

12 EMPREENDEDORISMO LIBERDADE, IGUALDADE E INOVAÇÃO SÃO AS FORÇAS DO EMPREENDEDORISMO Visão de futuro e planejamento têm se mostrado fundamentais para as empresas que conseguem se manter por décadas em evidência divulgação 12

13 EMPREENDEDORISMO A sede da 3M em Sumaré, interior paulista, está em obras. Novos laboratórios serão construídos. Outros, ampliados. Até o refeitório está parcialmente fechado para que sua capacidade seja duplicada. As mudanças são motivadas pelos resultados animadores dos últimos anos e pelos planos ambiciosos para os próximos. Recentemente, a filial brasileira conseguiu atingir uma meta difícil: fazer com que 30% das receitas viessem da venda de produtos lançados há, no máximo, cinco anos. A ordem agora é chegar aos 40% até Temos todas as condições de abreviar este prazo, atingindo a meta ainda em 2015, diz José Varela, presidente da 3M no país. O otimismo tem fundamento. Nos últimos anos, a 3M aumentou consideravelmente esse índice considerado uma das mais eficientes medidas do poder de inovação de uma empresa. Em 2006, por exemplo, a participação dos produtos recém-lançados em seu faturamento não passava de 9%. O crescimento vigoroso é fruto da combinação de uma cultura corporativa flexível pouco hierárquica com o atual momento da economia brasileira. Em outras palavras: de uma gestão inovadora com as circunstâncias. Este casamento fez com que a 3M do Brasil se transformasse em uma das cinco maiores do grupo, algo que provoca duas situações complementares. A primeira é que a filial receberá cada vez mais atenção da matriz (leia-se recursos). A segunda é que será cada vez mais cobrada por essa atenção. Os acionistas estão investindo pesado aqui e vão querer retorno, diz Varela. A 3M acaba de desenvolver um filtro de água para a Petrobras utilizar na exploração do pré-sal. O produto é mais leve e tem uma vida útil 50% maior do que as soluções existentes no mercado. Outra novidade no Brasil é um aparelho ortodôntico fixo que dispensa o uso daquelas borrachinhas coloridas. Os usuários de aparelhos agradecem. A matriz também aplaudiu a iniciativa da Filial de trocar todas as fachadas das antigas agências do Banco Real pelas do Santander. Nesse projeto, a empresa não só vendeu os painéis luminosos como também lucrou ao oferecer ao banco o gerenciamento do serviço de troca desses painéis terceirizando a tarefa para alguns de seus parceiros comerciais. TODOS POR UM Esses produtos só viraram realidade porque as ideias dos funcionários da 3M brasileira foram partilhadas com os colegas do México, China e Estados Unidos. É o modelo de inovação participativa, que agiliza o processo de transformação de ideias em produtos ou serviços. Um ajuda o outro e assim o projeto vai tomando corpo (basta passar a mão no telefone, mandar um ou uma mensagem pela intranet para qualquer departamento, em qualquer parte do mundo). Para trabalhar aqui, a pessoa precisa gostar mesmo de trabalhar em grupo. Nesta companhia, ninguém faz nada sozinho, afirma Christopher Olson, um americano PHD em química que é diretor técnico no Brasil. Trabalhar em equipe e buscar sempre o pioneirismo- em qualquer área é Uma filosofia que acompanha a 3M desde a sua fundação. Ajuda e muito nessa tarefa a prática de deixar os empregados usarem 15% do seu tempo para pensar em inovações, e a política de destinar ao menos 5%do faturamento para pesquisas, Foi assim que a empresa inventou a fita crepe, o Post-it, o líquido impermeabilizante, a esponja dupla face A cultura inovadora da empresa está intimamente ligada a William L. McKnight, que comandou a empresa (como CEO e depois chairman), entre 1929e Numa época em que empresa eficiente era aquela que controlava e supervisionava de perto os funcionários, McKnight veio com uma conversa diferente. Sua regra básica de gestão era delegar responsabilidade e encorajar homens e mulheres (sim, ele já estava atento ao papel delas no mercado de trabalho) a ter iniciativa própria. Sabia, porém, que dar autoridade às pessoas implicava correr riscos e tolerar erros. A gestão que faz críticas destrutivas aos erros mata a iniciativa, dizia. O ideário de liberdade criativa de McKnight se espalhou como um vírus pela 3M. E fez dela uma das companhias mais inovadoras do planeta Inovar não significa apenas fazer algo radicalmente novo. É possível ser inovador renovando um processo, restaurando uma ideia ou dando um uso diferente a algo já existente. Na Basf, esse olhar amplificado sobre o processo de inovação é resumido por uma iniciativa chamada Copywith Pride. Pois é.uma das maiores indústrias químicas do planeta não só não vê mal algum em copiar, como estimula seus funcionários a replicar em seus departamentos inovações feitos por outros colegas. O objetivo é tomar o processo de inovação mais eficiente e, por isso mesmo, não vale simplesmente copiar uma ideia exitosa. É preciso melhorá-la e adaptá-la. Esse processo também faz com que os funcionários estejam sempre de olho em tudo o que acontece na empresa, afinal, nunca se sabe onde vai aparecer uma boa ideia. As trocas podem acontecer não só entre pessoas de diferentes departamentos, mas também de outros estados do Brasil e até países. A comunicação interna da Basf ajuda nessa empreitada, divulgando as inovações para toda a empresa. Na 3M, onde 30% do faturamento vem de produtos lançados, no máximo,. há cinco anos, o processo para se chegar a uma inovação existe, mas ele não está escrito em nenhum manual e nem tem um passo a passo a ser seguido pelos funcionários. Cada um escolhe como desenvolver sua ideia. Assim que alguém pensa em algo novo, começa a se mexer imediatamente para dar corpo a essa novidade. Se precisar de ajuda, pode entrar em contato com quem quiser. Há quem prefira ligar para o colega. Outros preferem usar o . Há quem use o Skype ou então um dispositivo interno que temos de troca de mensagens, diz Christopher Olson, diretor técnico da empresa. O que importa, no fim das contas, é fazer a ideia virar um projeto e esse projeto virar um novo serviço ou produto. 13

14 divulgação Como se faz gente que faz um empreendedor David Cohen Sim, é possível formar empreendedores. Investir nisso é bom para o país, bom para as empresas e bom para você Vocês sabem o que é felicidade?, pergunta o professor Jeffry Timmons a uma turma de 40 empresários, altos executivos e acadêmicos no colégio de Babson, uma linda faculdade de negócios na periferia de Boston, conhecida como o maior centro de ensino de empreendedorismo dos Estados Unidos. Os alunos, gente como Richard Teerlink, ex-presidente da Harley-Davidson, respondem em coro: Felicidade é um fluxo de caixa positivo! Essa turma está assistindo a um seminário de cinco dias para formar professores de empreendedorismo, que vão dar aulas em faculdades dos Estados Unidos, da Europa, da Ásia e da América Latina. Boa parte é de gente que já ficou rica e agora quer passar sua experiência para a frente. Eles querem saber a melhor maneira de ensinar. Mas ensinar a empreender?para quê? Há poucas dúvidas, hoje, de que uma sociedade com mercado livre é capaz de produzir mais riqueza. Mas há uma condição primordial para que isso aconteça, uma característica sem a qual o mercado mais livre pode se tornar o menos aproveitado de todos: gente. Sem pessoas capazes de criar e aproveitar oportunidades, melhorar processos e inventar negócios, de pouco adiantaria ter o mercado mais livre do mundo. Não são só os empregos. Diferenças no nível de atividade empreendedora podem ser responsáveis por um terço da variação do crescimento econômico de um país, segundo um estudo feito em dez países pelo Global Entrepreneurship Monitor, um grupo de pesquisa formado pelo Babson College e pela London Business School. Mais: estudos da Fundação Nacional de Ciências e do Departamento de Comércio dos Estados Unidos, nas décadas de 80 e 90, concluíram que metade de todas as inovações e 95% das inovações radicais no mundo dos negócios desde o fim da Segunda Guerra Mundial vieram das pequenas empresas. Pequenas que, bem entendido, muitas vezes se tornam grandes. Na década de 60, a lista das 500 maiores empresas 14

15 americanas da Fortune tinha menos de dez substituições a cada ano. No final dos anos 80, o número de novatas triplicou. Atualmente, o clube das 500 vem trocando um terço dos seus sócios a cada três ou quatro anos. Em resumo: o espírito empreendedor é um dos fatores essenciais para aumentar a riqueza do país e melhorar as condições de vida de seus cidadãos. Essa afirmação leva imediatamente a duas questões. A primeira: o que é espírito empreendedor? E a segunda: é possível ensinar uma pessoa a se tornar empreendedora? Quem de forma mais clara definiu a figura do empreendedor e sua importância para a economia capitalista foi o economista austríaco Joseph Schumpeter. No livro Capitalismo, Socialismo e Democracia, escrito em 1942, Schumpeter define a função do empreendedor como a de reformar ou revolucionar o padrão de produção pela exploração de um invento, ou, mais geralmente, de uma possibilidade tecnológica não testada, para produzir um novo bem ou produzir um velho bem de uma nova forma. Espírito empreendedor, portanto, não é simplesmente a coragem de abrir um negócio. Ele está intimamente ligado à inovação, ao crescimento, à exploração de uma brecha que ninguém mais viu. É isso que amplia as possibilidades de uma economia. A maior parte das empresas não se encaixa na definição de espírito empreendedor de Schumpeter. Segundo uma sondagem feita em 1997 nos balcões do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), 32% dos novos empresários decidiram abrir seu negócio porque estavam desempregados ou insatisfeitos no emprego - um motivo legítimo, mas insuficiente para denotar o espírito empreendedor. Outra forte razão para abrir uma empresa (também 32%) foi ter tempo disponível. Pode ser. Mas hoje há muito mais gente propensa a ter negócio próprio, diz Ofélia Torres, professora de empreendedorismo da Fundação Getúlio Vargas, de São Paulo. Primeiro, porque as empresas são menos estáveis; em segundo lugar, porque há muito mais estresse hoje nos cargos executivos, o que mina a atratividade da carreira como empregado; e, no caso brasileiro, porque há muita atração pela criatividade, diz Ofélia. Isso quer dizer que a disposição para empreender pode ser substancialmente alterada pelo meio ambiente. Mas essa disposição, embora essencial, não é suficiente para a formação do espírito empreendedor, tal como é encarado hoje: uma forma de ver o mundo, aliada a um conjunto de técnicas e conhecimentos, que permite enxergar oportunidades e atuar de forma a obter resultados. Isso nos leva diretamente à segunda questão. É possível ensinar alguém a ser empreendedor? Uma das maneiras de responder a essa pergunta é com outra pergunta, formulada pelo consultor Fernando Dolabela: É possível ensinar alguém a ser empregado? Dolabela é autor do livro Oficina do Empreendedor (editora Cultura) e criador de um método de ensino de empreendedorismo já utilizado em mais de 200 estabelecimentos de ensino, incluindo departamentos de informática e administração de universidades de ponta, como a UFMG e a FGV paulista. Dolabela explica os descaminhos do ensino com um exemplo caseiro. Numa reunião na escola de sua filha Fernanda, EMPREENDEDORISMO de 4 anos, a professora exibiu orgulhosa o progresso da menina, mostrando que em seis meses ela aprendera a fazer seus desenhos sem ultrapassar as linhas que delimitam o espaço para desenho. Daqui a 20 anos, vou ter de gastar uns dólares num MBA para ela reaprender a ultrapassar as linhas que limitam seu espaço, diz Dolabela. É basicamente isso que se faz no Babson College. As lições de Babson Pois a aposta se pagou: a formação de empreendedores virou uma febre nos Estados Unidos. No ano passado, mais de faculdades americanas ofereceram cursos de empreendedorismo. Em mais de 30 Estados do país, cursos desse tipo vêm sendo oferecidos para crianças e adolescentes, e oito deles já aprovaram legislação requerendo que as escolas de ensino primário e secundário incluam essa matéria em seu currículo. Até a Escola de Negócios da veneranda Universidade Harvard, a 40 minutos de carro de Babson, está reorganizando seu currículo de MBA para apostar na formação de empreendedores: a cadeira de Administração Geral, carro-chefe da escola, foi substituída este ano por uma que se chama O Administrador Empresarial. (A mudança de Harvard é provocada pelos novos tempos: no ano passado, mais de 32% dos novos empresários decidiram abrir seu negócio porque estavam desempregados ou insatisfeitos no emprego - um motivo legítimo um quarto das cadeiras optativas escolhidas pelos alunos eram do Departamento de Empreendedorismo, que nos anos 80 oferecia apenas duas matérias.) Mas esse ensino funciona? Bill Gates, talvez o maior símbolo de empreendedor deste fim de século, não cursou MBA. Ao contrário, largou a faculdade para fundar a Microsoft. Jeffry Timmons, responsável pelo programa Price-Babson de formação de professores de empreendedorismo, tem uma resposta na ponta da língua: Se você está me perguntando se, num curso de 40 horas de aula, num semestre, eu posso transformar um aluno médio no equivalente corporativo a um Picasso ou um Beethoven, acho que nós dois sabemos a resposta. O que aprendem, então, os alunos de Babson? Não estamos tentando ensinar a melhor maneira de fazer negócios, e sim as melhores maneiras. 15

16 EMPREENDEDORISMO Mitos sobre empreendedores MITO - 1 MITO - 2 MITO - 3 Empreendedores nascem feitos. Realidade: Embora empreendedores nasçam com uma certa inteligência, vontade de criar e energia, sua formação depende da acumulação de habilidades relevantes, experiência e contatos. MITO - 4 MITO - 5 MITO - 6 Empreendedores não têm chefe e são completamente independentes. Realidade: Todo mundo é chefe do empreendedor: seus sócios, investidores, clientes e comunidade. Mas os empreendedores podem escolher as exigências que vão atender, e quando. Qualquer um pode começar um negócio. Realidade: Pode. Sobreviver e florescer é que são elas. Empreendedores que entendem a diferença entre uma ideia e uma oportunidade e pensam grande têm mais chances de ser bem sucedido. Dinheiro é o fator mais importante para montar uma empresa. Realidade: Se as outras peças e o talento estão no lugar, o dinheiro virá. Dinheiro é como pincel e a tinta para o pintor materiais que, nas mãos certas produzem maravilhas. MITO - 7 MITO - 8 Empreendedores são lobos solitários. Realidade: Os empreendedores mais bem-sucedidos são líderes que constroem grandes equipes e ótimos relacionamentos com pares, direitos, investidores, clientes, fornecedores e outros. Empreendedores devem ser jovens e cheios de energia. Realidade: Essas qualidades podem ajudar, mas idade não é barreira. O que é crítico é possuir o conhecimento relevante, experiências e contatos que facilitam reconhecer e agarrar uma oportunidade. Empreendedores trabalham mais do que executivos de grandes companhias. Realidade: Alguns mais, outros não, depende da area de atuação do empreendedor em questão. Empreendedores são jogadores. Realidade: Empreendedores bem- -sucedidos calculam muito bem os riscos. Eles tentam influenciar o jogo de probabilidades, frequentemente atraindo outros para dividir os riscos com ele. MITO - 9 MITO - 10 MITO - 11 Qualquer empreendedor com uma boa ideia pode atrair investimento de risco. Realidade: Nos Estados Unidos, apenas entre 1 e 3 de cada 100 empreendedores com boas ideias conseguem atrair capitalistas de risco. Empreendedores querem o show todo só para eles. Realidade: Privilegiar o próprio ego coloca um teto nas possibilidades de crescimento. Os melhores empreendedores geralmente sabem construir um time, uma organização, uma companhia. Empreendedores sofrem um estresse tremendo. Realidade: Não há evidência de que o empreendedor sofra mais estresse do que outros profissionais com muita responsabilidade. A maioria dos empreendedores, ao contrário, acha seu trabalho muito satisfatório. 16

17 EMPREENDEDORISMO divulgação A Experiência brasileira Apesar de ainda embrionário, o ensino de empreendedorismo vem crescendo muito no Brasil. A adoção do método de formação de empreendedores criada pelo consultor Fernando Dolabela é um exemplo. Outro exemplo é o programa Brasil Empreendedor, lançado pelo governo no ano passado, cuja a meta é capacitar mais de 2 milhões de empresários (embora seja um curso de apenas 16 horas, é um primeiro contato com o assunto: cerca de metade dos capacitados pelo Sebrae tem se inscrito em novos cursos, segundo o gerente de estudos e pesquisas Araguacy Affonso Rego). Também a chegada de investidores estrangeiros está multiplicado o número de incubadoras de empresas e cursos de empreendedorismo nas universidades (havia 2 incubadoras no país em 1988, 27 em 1995 e hoje há mais de 100). Uma das melhores experiências brasileiras é da PUC do Rio de Janeiro. Sua incubadora já formou 9 empresas, e tem 24 em gestação. Sete dessas empresas que saíram são do tipo que nós queremos incentivar: querem crescer, têm faturamento médio de 80mil a 1 milhão de reais/ano e média de 20 funcionários, diz José Alberto Sampaio Aranha, responsável pelo programa. A mais bem-sucedida é a MHW, que vende o universite, um software de educação a distância. A empresa virou parceira da Microsoft, tem escritório nos Estados Unidos e recebeu investimento de 12 milhões de dólares. Outra empresa saída do projeto Gênesis, a PUC, é a Pipeway, inventora de um robozinho que divulgação ganhou concorrência para a inspeção de quilômetros do gasoduto Brasil Bolívia. A PUC tem hoje três cadeiras de empreendedorismo, eletivas. Elas serão a espinha dorsal de uma coordenação de empreendedorismo que deve atingir todos os cursos da universidade. 17

18 EMPREENDEDORISMO divulgação STEVE JOBS Conheça o perfil dos emp STEVE JOBS Rivais no mundo dos negócios e semelhantes no universo da inovação, Bill Gates e Steve Jobs construíram dois grandes impérios, Microsoft e Apple, respectivamente. Apesar de enfoques distintos, os visionários se tornaram referência como empreendedores e fizeram das empresas que ajudaram a fundar duas das maiores indústrias de tecnologia do mundo. Steve Jobs se tornou um símbolo no mercado em que atua por inovar e tornar seus produtos uma referência para os consumidores. Visão estratégica, tino comercial e inclinação para arriscar foram suas principais habilidades. Bill Gates, por sua vez, conseguiu com seus lançamentos uma importante participação na história da informática e se tornou um dos homens mais ricos do mundo. Visão de futuro e facilidade para negociações foram características marcantes. Segundo o professor Fernando José Barbin Laurindo, titular do departamento de engenharia da produção da USP e vice-coordenador do curso de especialização em Gestão de Projetos em Tecnologia da Informação (TI) da Fundação Vanzolini, uma característica comum na história de ambos foi que eles souberam observar as mudanças do mercado. Eles criaram paradigmas que se tornaram muito forte. Isso resultou em figuras que por muito tempo serão lembradas não só nos ramos em que atuam. Eles também são espelhos para empreendedores de outras áreas, destaca. Apesar de revolucionarem o mercado mundial de tecnologia, Steve Jobs e Bill Gates direcionaram suas visões empreendedoras em ramos diferentes de atuação. O estrelato de Steve Jobs veio na década de 70 quando o Apple II se tornou o primeiro microcomputador pessoal de grande aceitação no mercado. Junto ao colega Steve Wozniak, Jobs deu um novo formado para o produto da companhia, o que foi decisivo para o mercado, explica Laurindo. Bill Gates procurou direcionar suas habilidades para as relações comerciais. De acordo com o vice-coordenador da especialização de Projetos em TI, o grande salto na trajetória de Gates foi quando a empresa IBM resolveu comercializar um computador para competir com a Apple. Bill Gates teve a grande visão de que ele não iria vender o sistema operacional [MS-DOS] para IBM e sim licenciá-lo, explica. O resultado dessa escolha foi o sucesso de vendas no período. De modo geral, o professor Laurindo resume: Jobs durante muito tempo esteve muito mais associado a inovações de produtos, enquanto que o Gates trouxe mais do ponto de vista de relações comerciais. 18

19 BILL GATES reendedores de sucesso EMPREENDEDORISMO divulgação divulgação As imagens de liderança ligadas aos profissionais também se diferem em relação à gestão de suas empresas. Jobs está mais ligado à inovação e Gates a uma imagem mais séria, mais sisuda, comenta o professor. Jobs se tornou muito mais um símbolo do que a Apple faz, ao passo que Gates delegou mais e cobrou mais os resultados, não importando os caminhos que seguiu para desenvolver suas habilidades, conclui. Para Laurindo, outra grande diferença está ligada a autonomia da Microsoft em relação ao Bill Gates. A companhia está muito mais preparada para não depender dele. Ao contrário da Apple, que aparenta ter uma forte dependência de Jobs. Davi Nakano, professor do curso de capacitação em Gestão Estratégica do Conhecimento da Fundação Vanzolini - entidade ligada à Universidade de São Paulo (USP), destaca que ambos tiveram o conhecimento técnico necessário para empreender em seus ramos de atuação. As percepções de futuro dos executivos, associadas às características empreendedoras de seus companheiros de equipe, contribuíram para que ideias fossem transformadas em realidade. Mas afinal, quais são as características de um empreendedor? Segundo o Davi Nakano, é preciso três requisitos básicos: intuição, inclinação para assumir riscos e conhecimento sobre o negócio. A intuição é fundamental para que o profissional tenha capacidade de perceber onde há oportunidades de negócio. Eu acho que isso aqui vai dar certo. Se der errado, depois tentarei outra coisa. Para Nakano, é com esse pensamento que o profissional deve atuar no universo do empreendedorismo. Ele acrescenta que o conhecimento sobre o mercado em que atua, ou deseja atuar, é essencial. Não precisa ser necessariamente técnico, mas é imprescindível tê-lo. Por fim, o professor destaca que empreender também é compartilhar habilidades. Há situações em que existe um desejo de empreender, porém o profissional não possui todas as características necessárias para administrar seu próprio negócio. Diante dessa dificuldade, o indivíduo deve desenvolver os requisitos e procurar em parceiros as competências necessárias para que o empreendimento possa dar certo. Se eu tenho conhecimento de negócio me associo a outras pessoas com características diferentes e nós acabamos desenvolvendo esses perfis. Um é o cara da parte técnica, o outro é o que tem a intuição do negócio e o terceiro tem um perfil mais de administrador. Sabendo desses fatores, conseguimos equilibrar as competências, conclui Nakano. BILL GATES 19

20 ERA DA TECNOLOGIA COM INOVAÇÃO Inovação é muito mais do que um produto novo Asas para a inovação é novo modelo de negócio de criação futura A gigante química Du Pont iniciou sua trajetória em 1802 nos Estados Unidos, graças ao empreendedorismo de imigrantes franceses que fugiram da Revolução Francesa. Sua primeira operação foi a produção de pólvora para explosivos e, ainda na primeira metade do século XIX, a empresa tornou-se o principal fornecedor do exército norte-americano. A Estação Experimental Du Pont também foi um dos primeiros laboratórios de pesquisa industrial do mundo, ao ser constituída em 1903 para aprofundar a investigação da química da celulose, fundamental para a futura diversificação das atividades. Em 1927, foi lançado um programa formal de Pesquisa Básica em Química Orgânica, Física e Engenharia Química. Como consequência, a partir dos anos 1930 surgiram muitas inovações, como a síntese dos primeiros superpolímeros que convergiram na invenção do náilon, bem como na síntese e polimerização do neoprene e o desenvolvimento dos fios de rayon. A AT&T (originalmente, American Telephone & Telegraph Company) foi formada em 1885 a partir da Bell Telephone Company, empresa fundada em 1877 pelo inventor Alexander Graham Bell, que havia registrado duas patentes do telefone no ano anterior. Integrantes da AT&T, os Laboratórios Bell, surgidos em 1925, contribuíram com descobertas científicas tão relevantes quanto o transistor, em 1949; um primeiro equipamento capaz de transformar a energia solar em eletricidade, em 1954: a descoberta do laser (Light Amplification by Simulated Emission of Radition), em publicação científica de 1958; a construção e o lançamento do primeiro satélite de comunicação em 1962; os telefones com teclas substituindo os discos de rotação, em 1963; a primeira rede comercial para telefones celulares lançada em Chicago na década de 1970; o primeiro chip processador digital de sinais, em 1979, entre tantas inovações derivadas de mais de 30 mil patentes. Posicionados como o maior centro de inovações em comunicação, os Laboratórios Bell fazem parte do Grupo Alcatel-Lucent desde meados dos anos Para registrar, a veterana AT&T teve de se reestruturar em 1995, dando origem a três empresas, entre elas a Lucent Technologies. Em 1940, a 3M também estruturou um departamento de novos produtos para avaliar as possibilidades de novas ideias de negócios. Três anos mais tarde, era criado o laboratório de fabricação de produtos para desenvolver métodos de manufatura para novas produções. Assim, contata-se o estabelecimento estratégico de um ecossistema de inovação que geraria milhares de patentes nos anos futuros. Essa iniciativa contribui muito para que a companhia se mobilizasse para desenvolver inovações que a levariam a novos produtos e mercados, tornando-a provavelmente a empresa da tecnologia mais diversificada do mundo. INOVAÇÃO E ESTRATÉGIA Atualmente, a 3M domina 46 plataformas tecnológicas, como adesivos, abrasivos, cerâmica, nanotecnologia, microrreplicação e filmes ópticos, que convergem para cerca de 55 mil itens. Desde então, a 3M ampliou sua estrutura de pesquisa para mais de 85 laboratórios ao redor do mundo, onde trabalham cerca de 10 mil cientistas e técnicos. Como se pode notar, a trajetória de grande sucesso destas e de outras empresas consagrou determinados padrões de inovação, com seus modelos, estruturas e métricas, e um foco exclusivo em produtos e tecnologia, que até hoje influência a busca pela inovação nas organizações. Apesar de muitas mudanças recentes, a inovação em produtos ainda é muito importante. É a parte mais perceptível da inovação e encontrada de forma tangível em nossos lares, nas lojas de varejo, nas ruas das cidades. Com permanentes transformações em suas ofertas, que evoluíram da organização de fóruns contou com a participação de grandes representantes da gestão mundial para prover conteúdos em canal de televisão paga, revistas, coleções de livros e DVDs, até a recente iniciativa Antes de inovar em certa dimensão, o melhor caminho é operar na avaliação, definição e execução da estratégia empresarial. A estratégia, afinal, define a abordagem diferenciada da companhia para competir e as vantagens competitivas em que se baseiam, com o objetivo de criar e sustentar um valor econômico superior. Vantagens competitivas não são permanentes e tornam-se vulneráveis a novos entrantes, tecnologias, regulamentações e outros fatores imprevisíveis do ambiente de negócios. A inovação aqui surge como estratégia permanente para conquistar vantagens competitivas, neutralizar vulnerabilidades e identificar oportunidades. 20

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ JOVEM APRENDIZ Eu não conhecia nada dessa parte administrativa de uma empresa. Descobri que é isso que eu quero fazer da minha vida! Douglas da Silva Serra, 19 anos - aprendiz Empresa: Sinal Quando Douglas

Leia mais

O IMPACTO DO ENSINO DE EMPREENDEDORISMO NA GRADUAÇÃO DE ENGENHARIA : RESULTADOS E PERSPECTIVAS.

O IMPACTO DO ENSINO DE EMPREENDEDORISMO NA GRADUAÇÃO DE ENGENHARIA : RESULTADOS E PERSPECTIVAS. O IMPACTO DO ENSINO DE EMPREENDEDORISMO NA GRADUAÇÃO DE ENGENHARIA : RESULTADOS E PERSPECTIVAS. Fernando Toledo Ferraz - ferraz@cybernet.com.br Departamento de Engenharia de Produção Myriam Eugênia R.

Leia mais

Como participar pequenos negócios Os parceiros O consumidor

Como participar pequenos negócios Os parceiros O consumidor Movimento incentiva a escolha pelos pequenos negócios na hora da compra A iniciativa visa conscientizar o consumidor que comprar dos pequenos é um ato de cidadania que contribui para gerar mais empregos,

Leia mais

EMPREENDEDORISMO DE. Professor Victor Sotero

EMPREENDEDORISMO DE. Professor Victor Sotero EMPREENDEDORISMO DE NEGÓCIOS COM INFORMÁTICA Professor Victor Sotero 1 OBJETIVOS DA DISCIPLINA Esta disciplina apresenta uma metodologia para formação de empreendedores. Aberta e flexível, baseada em princípios

Leia mais

EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER?

EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER? EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER? Anderson Katsumi Miyatake Emerson Oliveira de Almeida Rafaela Schauble Escobar Tellis Bruno Tardin Camila Braga INTRODUÇÃO O empreendedorismo é um tema bastante

Leia mais

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04 Práticas de Gestão Editorial Geovanne. 02 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) Como faço isso? Acesse online: 03 e 04 www. No inicio da década de 90 os

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Instrutora: Keila Coimbra Senac Varejo 1/44. Foto: Stock.Schng

EMPREENDEDORISMO. Instrutora: Keila Coimbra Senac Varejo 1/44. Foto: Stock.Schng EMPREENDEDORISMO Instrutora: Keila Coimbra Senac Varejo Foto: Stock.Schng 1/44 CONCEITO Empreendedorismo é o estudo voltado para o desenvolvimento de competências e habilidades relacionadas à criação de

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

Título do Case: O papel do Movimento Empresa Júnior na formação de empreendedores que transformam a vida das pessoas Categoria: EJ Empreendedora

Título do Case: O papel do Movimento Empresa Júnior na formação de empreendedores que transformam a vida das pessoas Categoria: EJ Empreendedora Título do Case: O papel do Movimento Empresa Júnior na formação de empreendedores que transformam a vida das pessoas Categoria: EJ Empreendedora Resumo: O Movimento Empresa Júnior (MEJ) brasileiro há mais

Leia mais

Conheça a trajetória da empresa no Brasil através desta entrevista com o Vice- Presidente, Li Xiaotao.

Conheça a trajetória da empresa no Brasil através desta entrevista com o Vice- Presidente, Li Xiaotao. QUEM É A HUAWEI A Huawei atua no Brasil, desde 1999, através de parcerias estabelecidas com as principais operadoras de telefonia móvel e fixa no país e é líder no mercado de banda larga fixa e móvel.

Leia mais

Empreender na Aposentadoria

Empreender na Aposentadoria Empreender na Aposentadoria A Terceira Idade Produtiva Profª Carla Rufo Instituto Federal de São Paulo campus São Carlos profcarla_r@hotmail.com Parece filme de terror... O Brasil possui atualmente 17,9

Leia mais

Empreendedorismo. Colégio São José projetando Empreendedores COLÉGIO SÂO JOSÉ PROJETANDO EMPREENDEDORES. Copyright 2008 www.josedornelas.

Empreendedorismo. Colégio São José projetando Empreendedores COLÉGIO SÂO JOSÉ PROJETANDO EMPREENDEDORES. Copyright 2008 www.josedornelas. Empreendedorismo Colégio São José projetando Empreendedores Empreendedorismo é o envolvimento de pessoas e processos Empreendedorismo é uma livre tradução da palavra entrepreneurship. Designa uma área

Leia mais

8/8/2013. O empreendedor. Quem é o empreendedor? Empreendedores de sucesso. Página 4 de 32. Página 5 de 32. Página 6 de 32

8/8/2013. O empreendedor. Quem é o empreendedor? Empreendedores de sucesso. Página 4 de 32. Página 5 de 32. Página 6 de 32 Empreendedorismo por José Dornelas Página 1 de 32 Empreendedorismo é o envolvimento de pessoas e processos O empreendedor é aquele que percebe uma oportunidade e cria meios (nova empresa, área de negócio,

Leia mais

Empreendedorismo na prática

Empreendedorismo na prática Empreendedorismo na prática Autor: José Carlos Assis Dornelas Aluno: Douglas Gonzaga; Diana Lorenzoni; Paul Vogt; Rubens Andreoli; Silvia Ribeiro. Turma: 1º Administração Venda Nova do Imigrante, Maio

Leia mais

NASCER BEM 2/44. Foto: Stock.Schng

NASCER BEM 2/44. Foto: Stock.Schng 2/44 Foto: Stock.Schng NASCER BEM OBJETIVOS: Fase 1: * Fornecer informações e orientações para empreendedores que pretendem iniciar um negócio, sobretudo na elaboração do Plano de Negócio. 3/44 Foto: Stock.Schng

Leia mais

Empreendedorismo. José Dornelas, Ph.D. Copyright 2003 Dornelas - Plano de Negócios Ltda. www.planodenegocios.com.br

Empreendedorismo. José Dornelas, Ph.D. Copyright 2003 Dornelas - Plano de Negócios Ltda. www.planodenegocios.com.br Empreendedorismo José Dornelas, Ph.D. A revolução do empreendedorismo O empreendedorismo é uma revolução silenciosa, que será para o século 21 mais do que a revolução industrial foi para o século 20 (Timmons,

Leia mais

O QUE É PRECISO PARA SER UM GRANDE LÍDER

O QUE É PRECISO PARA SER UM GRANDE LÍDER LIDERANÇA O QUE É PRECISO PARA SER UM GRANDE LÍDER Roselinde Torres foco na pessoa 6 Por Roselinde Torres O que é preciso para ser um grande líder hoje? Muitos de nós temos a imagem de um líder como um

Leia mais

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros A Lição de Lynch O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros Por Laura Somoggi, de Marblehead (EUA) É muito provável que o nome Peter Lynch não lhe seja familiar. Ele

Leia mais

No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado. alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para

No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado. alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para QUAL NEGÓCIO DEVO COMEÇAR? No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para então definir seus objetivos e sonhos.

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30

Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30 1 Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30 Entrevistador- Como o senhor vê a economia mundial e qual o posicionamento do Brasil, após quase um ano da quebra do

Leia mais

Educação além dos limites da sala de aula

Educação além dos limites da sala de aula Educação além dos limites da sala de aula Como a Brightspace passou a fazer parte da vida de 20.000 alunos da Universidade Tiradentes Visão Geral Com mais de 50 anos de tradição e reconhecido pioneirismo

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1 Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva 1 Resposta do Exercício 1 Uma organização usa algumas ações para fazer frente às forças competitivas existentes no mercado, empregando

Leia mais

DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO

DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO 1 DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO Cesar Simões Salim Professor e Autor de livros de empreendedorismo cesar.salim@gmail.com Visite meu blog: http://colecaoempreendedorismo.blogspot.com/

Leia mais

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Palestrante: Pedro Quintanilha Freelapro Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Quem sou eu? Eu me tornei um freelancer

Leia mais

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo II

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo II Capítulo II Mark Ford 11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo Dois Como uma nota de $10 me deixou mais rico do que todos os meus amigos Das centenas de estratégias de construção de riqueza que

Leia mais

Estamos presentes em 20 estados

Estamos presentes em 20 estados http://goo.gl/7kuwo O IDEBRASIL é voltado para compartilhar conhecimento de gestão com o empreendedor do pequeno e micro negócio, de forma prática, objetiva e simplificada. A filosofia de capacitação é

Leia mais

COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO

COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO COMO INVESTIR PARA GANHAR DINHEIRO Por que ler este livro? Você já escutou histórias de pessoas que ganharam muito dinheiro investindo, seja em imóveis ou na Bolsa de Valores? Após ter escutado todas essas

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

INTRODUÇÃO A ÃO O EMPREENDE

INTRODUÇÃO A ÃO O EMPREENDE INTRODUÇÃO AO EMPREENDEDORISMO Prof. Marcos Moreira Conceito O empreendedorismo se constitui em um conjunto de comportamentos e de hábitos que podem ser adquiridos, praticados e reforçados nos indivíduos,

Leia mais

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - Sou so profes r a, Posso m a s n ão parar d aguento m e ai ensinar s? d a r a u la s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A

Leia mais

Investimento para Mulheres

Investimento para Mulheres Investimento para Mulheres Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado. Cem

Leia mais

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa.

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa. DIREITO DOS CLIENTES O que esperar de sua empresa de Executive Search Uma pesquisa de executivos envolve um processo complexo que requer um investimento substancial do seu tempo e recursos. Quando você

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Com uma abordagem inovadora e lúdica, o professor Paulo Gerhardt tem conquistado plateias em todo o Brasil. Seu profundo

Leia mais

O papel do CRM no sucesso comercial

O papel do CRM no sucesso comercial O papel do CRM no sucesso comercial Escrito por Gustavo Paulillo Você sabia que o relacionamento com clientes pode ajudar sua empresa a ter mais sucesso nas vendas? Ter uma equipe de vendas eficaz é o

Leia mais

Prof. Dr. José Dornelas www.josedornelas.com. Manual do Professor

Prof. Dr. José Dornelas www.josedornelas.com. Manual do Professor Prof. Dr. José Dornelas www.josedornelas.com Manual do Professor Manual do professor Este manual deve ser usado em conjunto com o vídeo do autor disponível no site da editora: www.campus.com.br Maiores

Leia mais

ÍNDICE. Introdução. Os 7 Segredos. Como ser um milionário? Porque eu não sou milionário? Conclusão. \\ 07 Segredos Milionários

ÍNDICE. Introdução. Os 7 Segredos. Como ser um milionário? Porque eu não sou milionário? Conclusão. \\ 07 Segredos Milionários ÍNDICE Introdução Os 7 Segredos Como ser um milionário? Porque eu não sou milionário? Conclusão 3 4 6 11 12 INTRODUÇÃO IMPORTANTE Neste e-book você terá uma rápida introdução sobre as chaves que movem

Leia mais

Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento.

Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento. Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento. Por PAULA FRANCO Diante de um cenário empresarial extremamente acirrado, possuir a competência atitude

Leia mais

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr.

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr. Construindo o Conteúdo da Liderança José Renato S. Santiago Jr. Gestão Estratégica de RH Módulo 1: Alinhando Gestão de Pessoas com a Estratégia da Empresa Módulo 2: Compreendendo e Dinamizando a Cultura

Leia mais

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense 1. DISCRIMINAÇÃO DO PROJETO Título do Projeto Educação de Qualidade: direito de todo maranhense Início Janeiro de 2015 Período de Execução Término

Leia mais

Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1

Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1 Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1 Entrevista com Ricardo de Paiva e Souza. Por Flávia Gomes. 2 Flávia Gomes Você acha importante o uso de meios de comunicação na escola? RICARDO

Leia mais

Quem ainda não tem um, provavelmente já pensou ou está pensando em ter, seja para fins pessoais ou profissionais.

Quem ainda não tem um, provavelmente já pensou ou está pensando em ter, seja para fins pessoais ou profissionais. Você sabia que o Whatsapp está presente em quase 50% dos smartphones no Brasil? O aplicativo virou febre rapidamente, seguindo a tendência de crescimento anual das vendas de smartphones no país. Quem ainda

Leia mais

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 INOVAR É FAZER Manifesto da MEI ao Fortalecimento da Inovação no Brasil Para nós empresários Inovar é Fazer diferente, Inovar

Leia mais

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra:

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra: MBA Pós - Graduação QUEM SOMOS Para pessoas que têm como objetivo de vida atuar local e globalmente, ser empreendedoras, conectadas e bem posicionadas no mercado, proporcionamos uma formação de excelência,

Leia mais

Formas de Aumentar a Lucratividade da Sua Empresa com o Big Data

Formas de Aumentar a Lucratividade da Sua Empresa com o Big Data 9 Formas de Aumentar a Lucratividade da Sua Empresa com o Big Data Planejamento Performance Dashboard Plano de ação Relatórios Indicadores Sua empresa sabe interpretar os dados que coleta? Para aumentar

Leia mais

DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR. Tenha na ponta da língua os termos que não podem faltar no vocabulário de quem almeja alcançar o sucesso ESPECIAL

DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR. Tenha na ponta da língua os termos que não podem faltar no vocabulário de quem almeja alcançar o sucesso ESPECIAL DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR Tenha na ponta da língua os termos que não podem faltar no vocabulário de quem almeja alcançar o sucesso 54 TEXTO MARIA BEATRIZ VACCARI ARTE IVAN VOLPE

Leia mais

Empreendedores em Informática

Empreendedores em Informática Empreendedores em Informática Introdução Existem riscos e custos para um programa de ação. Mas eles são bem menores que os riscos e custos de longo alcance de uma acomodação confortável. John F. Kennedy

Leia mais

Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO

Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO OBJETIVOS Definir com maior precisão o que é marketing; Demonstrar as diferenças existentes entre marketing externo, marketing interno e marketing de treinamento;

Leia mais

ESTRUTURA E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE TRABALHO

ESTRUTURA E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE TRABALHO ESTRUTURA E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE TRABALHO Colombo, 06 de abril de 2010. Instrutora: Amanda G. Gagliastri Formação: Administradora de Empresas O momento em que vivemos Processo acelerado de mudanças

Leia mais

ASPECTOS PRINCIPAIS SOBRE

ASPECTOS PRINCIPAIS SOBRE ASPECTOS PRINCIPAIS SOBRE EMPREENDEDORISMO Empreendedorismo A Administração da revolução O empreendedorismo é uma revolução silenciosa, que será para o século 21 mais do que a revolução industrial foi

Leia mais

Soluções Simples www.designsimples.com.br solucoes@designsimples.com.br

Soluções Simples www.designsimples.com.br solucoes@designsimples.com.br Soluções Simples www.designsimples.com.br solucoes@designsimples.com.br C1 Introdução Este guia traz noções essenciais sobre inovação e foi baseado no Manual de Oslo, editado pela Organização para a Cooperação

Leia mais

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES

FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias dezembro/2006 página 1 FORMAÇÃO PLENA PARA OS PROFESSORES Bernardete Gatti: o país enfrenta uma grande crise na formação de seus professores em especial, de alfabetizadores.

Leia mais

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Antes de tudo como sugestão aos donos de construtoras, incorporadoras, imobiliárias e escritórios de arquitetura

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO SALÁRIO NA ESCOLHA DA PROFISSÃO Professor Romulo Bolivar. www.proenem.com.br

A INFLUÊNCIA DO SALÁRIO NA ESCOLHA DA PROFISSÃO Professor Romulo Bolivar. www.proenem.com.br A INFLUÊNCIA DO SALÁRIO NA ESCOLHA DA PROFISSÃO Professor Romulo Bolivar www.proenem.com.br INSTRUÇÃO A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo

Leia mais

COMO ESCOLHER O NEGÓCIO DE MARKETING MULTINÍVEL QUE MAIS COMBINA COM SEU PERFIL

COMO ESCOLHER O NEGÓCIO DE MARKETING MULTINÍVEL QUE MAIS COMBINA COM SEU PERFIL 1 COMO ESCOLHER O NEGÓCIO DE MARKETING MULTINÍVEL QUE MAIS COMBINA COM SEU PERFIL Celso Silva 2 Sobre o autor Celso Silva é nascido no Rio de Janeiro, em 24 de fevereiro de 1950. Aos 17 anos ingressou

Leia mais

Cenário positivo. Construção e Negócios - São Paulo/SP - REVISTA - 03/05/2012-19:49:37. Texto: Lucas Rizzi

Cenário positivo. Construção e Negócios - São Paulo/SP - REVISTA - 03/05/2012-19:49:37. Texto: Lucas Rizzi Cenário positivo Construção e Negócios - São Paulo/SP - REVISTA - 03/05/2012-19:49:37 Texto: Lucas Rizzi Crescimento econômico, redução da pobreza, renda em expansão e dois grandes eventos esportivos vindo

Leia mais

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil P e s q u i s a d a F u n d a ç ã o G e t u l i o V a r g a s I n s t i t u t o d e D e s e n v o l v i m e n t o E d u c a c i o n a l Conteúdo 1. Propósito

Leia mais

Exercícios sobre Competindo com a Tecnologia da Informação

Exercícios sobre Competindo com a Tecnologia da Informação Exercícios sobre Competindo com a Tecnologia da Informação Exercício 1: Leia o texto abaixo e identifique o seguinte: 2 frases com ações estratégicas (dê o nome de cada ação) 2 frases com características

Leia mais

GUIa Prático para enfrentar a concorrência no e-commerce

GUIa Prático para enfrentar a concorrência no e-commerce GUIa Prático para enfrentar a concorrência no e-commerce Você é do tipo que quer arrancar os cabelos toda vez que um concorrente diminui o preço? Então você precisa ler este guia rápido agora mesmo. Aqui

Leia mais

Empreendedorismo de Negócios com Informática

Empreendedorismo de Negócios com Informática Empreendedorismo de Negócios com Informática Aula 5 Cultura Organizacional para Inovação Empreendedorismo de Negócios com Informática - Cultura Organizacional para Inovação 1 Conteúdo Intraempreendedorismo

Leia mais

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky Tradução: Diogo Kosaka Gostaria de compartilhar minha experiência pessoal como engenheiro

Leia mais

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA Antonio Carlos Pavão Quero saber quantas estrelas tem no céu Quero saber quantos peixes tem no mar Quero saber quantos raios tem o sol... (Da canção de João da Guabiraba

Leia mais

Inteligência em. redes sociais. corporativas. Como usar as redes internas de forma estratégica

Inteligência em. redes sociais. corporativas. Como usar as redes internas de forma estratégica Inteligência em redes sociais corporativas Como usar as redes internas de forma estratégica Índice 1 Introdução 2 Por que uma rede social corporativa é um instrumento estratégico 3 Seis maneiras de usar

Leia mais

PLANO DE ENSINO FORMAÇÃO. Algumas atividades já exercidas. DISCIPLINA Empreendedorismo. Disciplina Empreendedorismo

PLANO DE ENSINO FORMAÇÃO. Algumas atividades já exercidas. DISCIPLINA Empreendedorismo. Disciplina Empreendedorismo FORMAÇÃO Curso de Administração Disciplina Empreendedorismo Prof. Msc. Cláudio Márcio cmarcio@gmail.com Graduação: Processamento de Dados e Administração Pós-Graduação: Especialização: MBA em Gestão da

Leia mais

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Já passou a época em que o pedagogo ocupava-se somente da educação infantil. A pedagogia hoje dispõe de uma vasta

Leia mais

EVOLUÇÃO DAS TEORIAS ADMINISTRATIVAS

EVOLUÇÃO DAS TEORIAS ADMINISTRATIVAS EVOLUÇÃO DAS TEORIAS ADMINISTRATIVAS 1900 1910 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980 1990 2000 Racionalização do trabalho: gerência administrativa Relações humanas: processo Movimento estruturalista: gerência

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Alexandre da Silva França. Eu nasci em 17 do sete de 1958, no Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu sou tecnólogo em processamento de dados. PRIMEIRO DIA

Leia mais

PERFIL DO CORRETOR DE IMÓVEIS:

PERFIL DO CORRETOR DE IMÓVEIS: PERFIL DO CORRETOR DE IMÓVEIS: O QUE É PRECISO PARA SER UM CORRETOR DE SUCESSO gerenciador e site imobiliário Introdução O perfil do corretor de imóveis de sucesso Aprimorando os pontos fracos Conclusão

Leia mais

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores!

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Empreendedores Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Por meio de um método de aprendizagem único,

Leia mais

Apesar de colocar-se no campo das Engenharias, profissional destaca-se, também, pelo aprimoramento das relações pessoais

Apesar de colocar-se no campo das Engenharias, profissional destaca-se, também, pelo aprimoramento das relações pessoais Lustre sem graxa Engenharia de Produção Apesar de colocar-se no campo das Engenharias, profissional destaca-se, também, pelo aprimoramento das relações pessoais Falo sempre com a minha família que não

Leia mais

Um mercado de oportunidades

Um mercado de oportunidades Um mercado de oportunidades Como grandes, pequenas e médias empresas se comunicam? Quem são os principais interlocutores e como procurá-los? Como desenvolver uma grande campanha e inovar a imagem de uma

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

Empreendedorismo COMPETÊNCIAS HABILIDADES

Empreendedorismo COMPETÊNCIAS HABILIDADES Empreendedorismo Curso de Moda e Estilismo Graduação em Administração de Empresas Especialização em Marketing Empreendedorismo COMPETÊNCIAS Conhecer o processo de empreender utilizando as estruturas, as

Leia mais

UMA PROPOSTA INOVADORA PARA ENSINAR EMPREENDEDORISMO AOS JOVENS

UMA PROPOSTA INOVADORA PARA ENSINAR EMPREENDEDORISMO AOS JOVENS UMA PROPOSTA INOVADORA PARA ENSINAR EMPREENDEDORISMO AOS JOVENS www.empreende.com.br emp@empreende.com.br FAZENDO ACONTECER Programa de ensino de empreendedorismo inovador em nível mundial, desenvolvido

Leia mais

2. A proposta será avaliada pelo Subcomitê Virtual de Revisão (SVR) e examinada pelo Comitê de Projetos em março de 2013.

2. A proposta será avaliada pelo Subcomitê Virtual de Revisão (SVR) e examinada pelo Comitê de Projetos em março de 2013. PJ 45/13 9 janeiro 2013 Original: inglês Disponível em inglês e português P Comitê de Projetos 5. a reunião 7 março 2013 Londres, Reino Unido Empoderamento das mulheres nas cooperativas de café brasileiras

Leia mais

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS Uma empresa sem vendas simplesmente não existe, e se você quer ter sucesso com uma loja você deve obrigatoriamente focar nas vendas. Pensando nisso começo este material com

Leia mais

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores!

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Empreendedores Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Por meio de um método de aprendizagem único,

Leia mais

Realização e Organização. www.vamaislonge.com.br

Realização e Organização. www.vamaislonge.com.br Realização e Organização www.vamaislonge.com.br Quem somos... Leonardo Alvarenga, tenho 23 anos, sou criador do Não Tenho Ideia e do #VáMaisLonge. Sou formado em Educação Física mas larguei tudo logo após

Leia mais

SIMPÓSIO ENSINO MÉDIO INTEGRADO FOZ DO IGUAÇU

SIMPÓSIO ENSINO MÉDIO INTEGRADO FOZ DO IGUAÇU SIMPÓSIO ENSINO MÉDIO INTEGRADO FOZ DO IGUAÇU E I X O T E C N O L Ó G I C O : G E S T Ã O E N E G Ó C I O S O F I C I N A 2 : G E S T Ã O D E P E S S O A S E P R E S T A Ç Ã O D E S E R V I Ç O S Consultora

Leia mais

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL Curso: Tecnologia Social e Educação: para além dos muros da escola Resumo da experiência de Avaliação do Programa "Apoio

Leia mais

EMPREENDEDORISMO BIBLIOGRAFIA CORPORATIVO

EMPREENDEDORISMO BIBLIOGRAFIA CORPORATIVO EMPREENDEDORISMO BIBLIOGRAFIA CORPORATIVO EMPREENDEDORISMO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Os negócios não serão mais os mesmos em poucos anos Velocidade Custo X Receita cenário mudou Novos Concorrentes competição

Leia mais

Autor: Marcelo Maia http://infoempreendedorismo.com

Autor: Marcelo Maia http://infoempreendedorismo.com Nesse ebook você irá aprender como gerar uma renda mesmo que do zero rapidamente na internet, se você já tem um produto irá aprender como aumentar suas vendas agora mesmo de forma garantida. Crie um sistema

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA.

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. A CompuStream, empresa especializada em desenvolvimento de negócios, atua em projetos de investimento em empresas brasileiras que tenham um alto

Leia mais

MINIWEB EDUCAÇÃO - A EXPERIÊNCIA DA CRIAÇÃO DE UM PORTAL EDUCACIONAL E CURSOS A DISTÂNCIA.

MINIWEB EDUCAÇÃO - A EXPERIÊNCIA DA CRIAÇÃO DE UM PORTAL EDUCACIONAL E CURSOS A DISTÂNCIA. 1 MINIWEB EDUCAÇÃO - A EXPERIÊNCIA DA CRIAÇÃO DE UM PORTAL EDUCACIONAL E CURSOS A DISTÂNCIA. Profa. Arlete Embacher MiniWeb Educação S/C Ltda webmaster@miniweb.com.br Resumo Este relato descreve como surgiu

Leia mais

Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade

Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade Resumo: Quanto custa um projeto? As possíveis respostas são inúmeras. Os números

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING 1 ÍNDICE 03 04 06 07 09 Introdução Menos custos e mais controle Operação customizada à necessidade da empresa Atendimento: o grande diferencial Conclusão Quando

Leia mais

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES): EBERSON EVANDRO DA SILVA GUNDIN, PAULO

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 1 Ser Voluntário

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 1 Ser Voluntário Organizando Voluntariado na Escola Aula 1 Ser Voluntário Objetivos 1 Entender o que é ser voluntário. 2 Conhecer os benefícios de ajudar. 3 Perceber as oportunidades proporcionadas pelo voluntariado. 4

Leia mais

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS!

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! 4 Introdução 5 Conheça seu público 5 Crie uma identidade para sua empresa 6 Construa um site responsivo 6 Seja direto, mas personalize o máximo possível

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio.

Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio. Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio. Plano de negócios estruturado ajuda na hora de conseguir financiamento. Veja dicas de especialistas e saiba itens que precisam constar

Leia mais

As 11 dúvidas mais frequentes

As 11 dúvidas mais frequentes As 11 dúvidas mais frequentes Deyse Campos Assessora de Educação Infantil dcampos@positivo.com.br Frequentemente recebemos solicitações de professores de escolas que estão utilizando o Sistema Positivo

Leia mais