RELATÓRIO FRANCHISING

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO FRANCHISING"

Transcrição

1 RELATÓRIO FRANCHISING ESTUDO DO PERFIL E SATISFAÇÃO DO FRANCHISADO EM PORTUGAL JULHO 2013

2 Índice ENQUADRAMENTO... 3 METODOLOGIA (FICHA TÉCNICA)... 4 ANÁLISE DE RESULTADOS... 5 CARACTERIZAÇÃO DO FRANCHISADO... 5 Sociodemográfica... 5 Região Geográfica... 6 Segmento de Atividade... 7 Tempo que está à frente da unidade franchisada... 8 Número de responsáveis pela unidade franchisada... 8 SATISFAÇÃO DO FRANCHISADO... 9 SERVIÇO DE APOIO E SUPORTE AO FRANCHISADO VISITA DO FRANCHISADOR SATISFAÇÃO GERAL FRANCHISING COMPARAÇÃO: ANEXO 1. RELAÇÕES ENTRE VARIÁVEIS. 24 ANEXO 2. QUESTIONÁRIO. 33 2

3 ENQUADRAMENTO O objetivo geral deste estudo consiste em avaliar o Perfil e Satisfação do Franchisado em Portugal. Os resultados que aqui se apresentam resultam da aplicação de um questionário estruturado, que abordou as seguintes questões: Perfil do Franchisado; Satisfação do Franchisado; Serviço de apoio e suporte ao Franchisado; Visita do Franchisador; Satisfação geral do Franchisado; Opiniões sobre o Franchising. A recolha de informação relativa aos temas indicados permitiu analisar a satisfação dos entrevistados relativamente à satisfação do negócio em geral. A média das questões de satisfação foi calculada tendo em conta os seguintes valores 1 Nada, 2 Pouco, 3 Satisfeito, 4 Muito, 5 Completamente. 3

4 METODOLOGIA (FICHA TÉCNICA) 1. UNIVERSO Constituído por Franchisados em Portugal nas regiões do Litoral Norte (Braga, Porto e Viana do Castelo), Centro (Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria e Viseu), Sul (Beja, Évora, Faro, Lisboa, Portalegre, Santarém e Setúbal) e Outros (Angra do Heroísmo, Bragança, Funchal, Ponta Delgada, São Miguel e Vila Real). 2. AMOSTRA/AMOSTRAGEM A amostra é constituída por 600 entrevistas. Amostragem multietápica: seleção aleatória sistemática para a determinação da 1ª unidade de amostragem, a partir da Base de Dados do IIF- Instituto de Informação em Franchising; para a seleção do inquirido, 2ª unidade de amostragem, foi utilizado o método de Quotas ou proporcional, tendo como variáveis de controlo a Região e Segmento de atividade. 3. MÉTODO DE RECOLHA DE DADOS A recolha foi feita por entrevista telefónica assistida por computador, utilizando um questionário semi-estruturado. 4. BASE DE SONDAGEM Base de dados de franchisados de Portugal com contactos (fornecido pelo IIF). 5. TRABALHOS DE CAMPO A recolha de informação foi realizada por uma equipa de entrevistadores do GEMEO/IPAM, com formação específica sobre a forma de abordagem do entrevistado e a condução da própria entrevista. Todos os entrevistadores receberam briefing adequado às especificidades do estudo. Os trabalhos de recolha de informação decorreram entre os dias 4 e 20 de Junho de SUPERVISÃO E CONTROLE DE QUALIDADE A supervisão em campo foi realizada in loco por técnicos do GEMEO/IPAM. Todas as entrevistas foram objeto de revisão e posterior codificação. A informação foi gravada em suporte informático em tempo real, sendo objeto de testes automáticos de consistência no programa, especialmente concebido para Estudos de Mercado. 4

5 ANÁLISE DE RESULTADOS A presente análise de resultados foi realizada com base em inquéritos aos Franchisados de Portugal com mais de 18 anos. CARACTERIZAÇÃO DA AMOSTRA Sociodemográfica No que diz respeito aos dados sociodemográficos dos Franchisados, 56,5% são do sexo masculino, sendo as faixas etárias mais representativas as dos 35 aos 54 anos de idade, com 61,3%. A classe social mais predominante foi a classe Alta/ Média Alta (A/B) com 87,5%. Sexo do Entrevistado: Masculino ,5% Feminino ,5% 600 Idade do Entrevistado: 18 a ,3% 35 a ,3% 55 a ,2% 65 ou mais 19 3,2% 600 Classe social Alta/Média Alta (A/B) ,5% Média Superior (C1) 75 12,5% Média Inferior (C2) 0 0,0% Baixa (D/E) 0 0,0% 600 Qual é o seu nível de escolaridade? Instrução do entrevistado Lic/Curso superior ,5% Freq Univ/Bacharelato 50 8,3% 12º ano ou equivalente ,7% 9º ano ou equivalente 51 8,5% Escolaridade obrigatória (6º ano ou equivalente) 18 3,0% Sem grau oficial de instrução 6 1,0% 600 5

6 Região Geográfica A região geográfica mais representada foi o Sul com 52,5%, sendo o distrito de Lisboa o mais representado com 31,0%. Região geográfica: litoral norte ,3% centro ,5% sul ,5% outro 28 4,7% 600 Distrito Lisboa ,0% Porto 95 15,8% Setúbal 47 7,8% Braga 38 6,3% Faro 30 5,0% Santarém 29 4,8% Aveiro 27 4,5% Leiria 23 3,8% Coimbra 22 3,7% Viseu 17 2,8% Castelo Branco 14 2,3% Viana do Castelo 13 2,2% Évora 10 1,7% Bragança 8 1,3% Vila Real 8 1,3% Beja 7 1,2% Funchal 7 1,2% Guarda 7 1,2% Portalegre 7 1,2% Ponta Delgada 3 0,5% Angra do Heroísmo 1 0,2% S. Miguel 1 0,2% 600 6

7 Segmento de Atividade O segmento de atividade mais representado foi os Serviços com 60,0%. E o segmento de atividade antes do Franchising mais representado também foi os Serviços, com 39,2%. Qual é a seu segmento de atividade: Comércio ,0% Restauração 54 9,0% Serviços ,0% Outro 0 0,0% 600 Segmento de atividade antes do franchising Serviços ,2% Comércio 64 20,7% Restauração 22 7,1% Construção Civil 11 3,6% Ensino 11 3,6% Banca 9 2,9% Turismo 9 2,9% Indústria 8 2,6% Nenhum 7 2,3% Saúde e Bem Estar 7 2,3% Automóvel 6 1,9% Telecomunicações 6 1,9% Informática 4 1,3% Técnico 4 1,3% Empresarial 3 1,0% Artes gráficas/ Design 2 0,6% Doméstica 2 0,6% Higiene e Segurança 2 0,6% Transportes 2 0,6% Outros 9 2,9% 309 Outros: Ciência (1), Climatização (1), Direito (1), Enologia (1), Fotografia (1), Franchising (1), Gestão (1), Plástico (1) e Setor Público (1). 7

8 Tempo que está à frente da unidade franchisada A maioria dos Franchisados está à frente da unidade franchisada à menos de 4 anos, com 50.17% Há quanto tempo está à frente desta unidade franchisada? (em meses) Menos de ,7% De 12 a ,7% De 24 a ,3% De 36 a ,8% De 48 a ,3% De 60 a ,8% De 72 a ,7% De 84 a ,7% De 96 a ,2% De 108 a ,8% De 120 a ,2% De 132 a ,3% De 144 a ,5% De 156 a ,0% De 168 a ,0% 180 e mais 54 9,0% 600 Número de responsáveis pela unidade franchisada A maioria dos Franchisados dizem ser o único responsável pela unidade franchisada, com 64,3% e 83,9% dedicam-se a tempo inteiro à gestão do negócio. Já 35,7% dos Franchisados dizem que não são os únicos responsáveis e 41,1% dizem que todos se dedicam a tempo inteiro 8

9 É o único responsável pela esta unidade franchisada? Sim ,3% Não ,7% 600 Se sim, dedica-se a tempo inteiro à gestão de negócio? Sim ,9% Não 62 16,1% 386 Quantas se dedicam a tempo inteiro à gestão de negócio? Nenhum 10 4,7% ,8% Alguns 50 23,4% Todos 88 41,1% 214 SATISFAÇÃO DO FRANCHISADO No que diz respeito à avaliação de satisfação do franchisado, o franchisado em média está (3,66). O fator com melhor avaliação foi O apoio do franchisador na montagem do seu negócio, com média de 3,80. O aspeto com menor classificação foi O Apoio do franchisador na gestão do dia-a-dia do estabelecimento, com média de3,35. SATISFAÇÃO DO FRANCHISADO Média Desviopadrão O Apoio do franchisador na montagem do seu negócio 3,80 1,09 O Apoio do franchisador no lançamento do seu negócio 3,72 1,15 O Apoio do franchisador na gestão do dia-a-dia do estabelecimento 3,35 1,26 A qualidade dos manuais 3,75 1,14 A qualidade da formação inicial 3,77 1,17 A qualidade da formação continua 3,58 1,29 3,66 1,19 9

10 SERVIÇO DE APOIO E SUPORTE AO FRANCHISADO A maioria dos Franchisados, 67,3%, nunca contactou o Serviço de Apoio e Suporte ao Franchisado. Os Franchisados que contactaram este Serviço, a maioria foram por telefone, com 45,3%. E 49,5% considera este Serviço útil, 43,7% considera que é muito útil. Já alguma vez contactou o serviço de Apoio e Suporte ao franchisado? Não ,3% Sim ,7% Não existe 6 1,0% 600 Se sim, como é que contactou o serviço de Apoio e Suporte ao franchisado? Telefone ,3% ,7% Pessoalmente 62 18,3% Internet 20 5,9% Carta 6 1,8% 338 Se sim, Como considera o serviço de Apoio e Suporte ao franchisado? Média = 3,34 Desvio-padrão = 0,70 Nada útil 6 3,2% Pouco útil, Indiferente 7 3,7% Útil 94 49,5% Muito útil 83 43,7%

11 VISITA DO FRANCHISADOR A periodicidade média de visita do Franchisador é na maioria mensalmente, com 32,9%. Periodicidade média de visita do franchisador: Mensalmente ,2% Trimestral 75 12,5% Semestral 64 10,7% Anual 60 10,0% Sem regularidade definida ,7% Nunca visitado 84 14,0% 600 SATISFAÇÃO GERAL A maioria dos Franchisados está satisfeita (3.19) com o seu negócio no geral. Completamente Satisfeito/Muito Satisfeito/Satisfeito com 83,5%. Está com o seu negócio, em geral? M édia = 3,19 Desvio-padrão = 0,95 Nada 37 6,2% Pouco 56 9,3% Satisfeito ,5% Muito ,5% Completamente 57 9,5% Não sabe 6 1,0%

12 FRANCHISING A opinião dos Franchisados é de que estão a atingir o retorno do investimento efetuado, num prazo mais longo que o previsto, com 51,7%. E 33,7% diz estar a atingir o retorno do investimento efetuado num prazo igual ao previsto. Na sua opinião, em que medida está a atingir o retorno do investimento efectuado? Num prazo mais curto que o previsto 47 7,8% Num prazo igual ao previsto ,7% Num prazo mais longo que o previsto ,7% Não sabe 35 5,8% Não responde 6 1,0% 600 O Franchisado considera que o que é mais importante na escolha de uma marca de Franchising é o prestígio da marca, com 67,7%. Para o Franchisado o que é menos importante são as normas e licenciamento do negócio, com 1.7%. O que considera mais importante na escolha de uma marca em Franchising? Prestígio da marca ,7% Conhecimento do sector ,8% Perfil e experiência ,0% Apoios e esclarecimentos aos potenciais franchisados ,8% O apoio na montagem da loja/negócio 63 10,5% Capacidade de Investimento 47 7,8% Outros 43 7,2% Ajuda na elaboração do plano de negócios 21 3,5% Concorrência 19 3,2% Normas e Licenciamento do negócio 10 1,7%

13 Os principais fatores de sucesso do Franchising para os Franchisados é o prestígio da marca, com 48.8%. A qualidade dos produtos ou serviços também é um dos fatores de sucesso para o Franchisado, com 28.5%. Diga-nos pf quais lhe parecem ser, hoje em dia, os principais factores de sucesso do Franchising: Prestígio da marca ,8% Qualidade dos produtos ou serviços ,5% Outro ,3% Apoio ao franchisador ,0% Dedicação do franchisado ,7% Capacidade de gestão de franchisados 74 12,3% Preço 55 9,2% Atendimento do franchisado 33 5,5% Localização do estabelecimento 29 4,8% Decoração e merchandising 20 3,3% Estruturação correcta do conceito 18 3,0% Respeitar o conceito 11 1,8% Apresentação dos produtos ou artigos 11 1,8% Horário 4 0,7% Acesso e estacionamento 4 0,7%

14 Outros fatores de sucesso Marketing 18 11,2% Conhecimento do negócio 13 8,1% Trabalho em grupo 12 7,5% Inovação 11 6,8% Não sabe 10 6,2% Organização do negócio/ Boa gestão 10 6,2% Mercado 6 3,7% Qualidade da marca 6 3,7% Rentabilidade 6 3,7% Diferenciação 5 3,1% Equipa 5 3,1% Transparência 5 3,1% Experiência 4 2,5% Fidelização de clientes 4 2,5% Partilha de custos 4 2,5% Profissionalismo 4 2,5% Outros 38 23,6% 161 Outros: Adaptação a novas realidades (1), Aprender com a experiência dos outros (1), Autonomia de trabalho (1), Boa relação entre franchisador e franchisado (1), Economias de escala (1), Evolução constante (1), Instrumentos de trabalho (1), Interação com a comunidade local onde está inserido (1), Novas tecnologias (1), Promoções (1), Rapidez e comodidade de entrega (1), Relação qualidadepreço (1), Rigor (1), Satisfação dos clientes (1) e Serviço ao cliente (1). Para os Franchisados os principais problemas do Franchising é a Falta de apoio do Franchisador, com 23,7% e Falta de clientes suficientes fator, com 18.7%. A maioria dos Franchisados disse que o Outro fator de insucesso é a conjuntura económica, com 24,5%. 14

15 Relativamente às seguintes questões, diga-nos pf quais lhe parecem ser, hoje em dia, os principais problemas (factores de insucesso) do franchising: outro ,2% Falta de Apoio ao franchisador ,7% Falta de clientes suficientes ,7% Taxas altas 79 13,2% Má localização 50 8,3% publicidade/comunicação insuficiente 47 7,8% preços desajustados 33 5,5% conceito desajustado 18 3,0% 600 Outros fatores de insucesso Conjuntura económica 69 24,5% Não sabe 64 22,7% Concorrência 20 7,1% Regras do franchising 20 7,1% Falta de dedicação 10 3,5% Escolha de pessoas erradas para o negócio 9 3,2% Falta de conhecimento do negócio 9 3,2% Incapacidade financeira 8 2,8% Problemas pontuais 6 2,1% Má gestão 6 2,1% Falta de autonomia 5 1,8% Não cumprir algumas regras 5 1,8% Um mau franchisador 5 1,8% Inexperiência 4 1,4% Falta de Inovação 3 1,1% Falta de recursos humanos 3 1,1% Obrigações financeiras 3 1,1% Outros 33 11,7% 282 Outros: Complicações a atingir o número de vendas (1), Contrapartidas para o franchisador (1), Espaço limitado (1), Espectativas demasiado altas (1), Estudo de mercado (1), Falta de competitividade (1), Falta de espírito de entreajuda (1), Falta de estratégia de negócio (1), Falta de legislação adequada (1), Informação tardia (1), Má avaliação do mercado (1), Média (1), Não 15

16 regulamentação do setor (1), Obrigatoriedade de consumo dos materiais do franchisador (1), Passividade (1), Política de continuidade (1), Pouco poder de compra (1), Propostas a curto prazo (1), Propostas pouco sérias na área de franchising (1) e Rigor com as escolhas de fornecedores (1). A maioria dos Franchisados voltaria a abrir o mesmo negócio, com 74,3%. Mas 19,3% dos Franchisados disseram que não voltariam a abrir o mesmo negócio. Destes 76,5% disseram que não optariam por outra marca em Franchising, só 15,7% é que disse que optaria por outra marca em Franchising, mas a maioria, 31,3% ainda não sabe (NS) qual a marca que optaria. Se pudesse voltar atrás abriria o mesmo negócio? Sim ,3% Não ,3% Não sabe 38 6,3% 600 Se não, optaria com outra marca em franchising? Sim 18 15,5% Não 88 75,9% Não sabe 10 8,6% 116 Qual a marca de franchising que optaria? Não sabe 5 31,3% Não responde 2 12,5% Ramo diferente 2 12,5% Body concept 1 6,3% Educação/desporto 1 6,3% Estética 1 6,3% Loja do Condominio 1 6,3% McDonald's 1 6,3% Óptica mas em outro franchising 1 6,3% Restauro 1 6,3% 16 16

17 COMPARAÇÃO: CARACTERIZAÇÃO DA AMOSTRA Sociodemográfica No que diz respeito aos dados sociodemográficos dos Franchisados: - Aumento de sexo masculino de 51% para 56,5%. Sexo Masculino 51% 56,50% As faixas etárias mais representativas as dos 35 aos 54 anos de idade, com 61,3% em 2013 e dos 25 aos 44 anos de idade, com 72% em Idade anos 56% 61,30% Conclusão: não se tendo verificado a hipótese da continuidade (Anexo 1. Quadro Periodicidade de visita do Franchisador vs. Tempo à frente da unidade franchisada) 17

18 Segmento de Atividade Os segmentos de atividade antes do Franchising mais representados foram os Serviços, com 39,2% e Comercio com 20.7% em Em 1999 no 1º lugar foi o Comercio com 28% e no 2º Serviços com 16%. Segmento de Atividade Comércio 20,70% 28% Serviços 16% 39,20% Conclusão: Está em linha com a evolução do sector. Tempo que está à frente da unidade franchisada A maioria dos Franchisados está à frente da unidade franchisada há menos de 4 anos, com 50.17% em 2013 e com 63% em Tempo que está à frente da unidade franchisada Menos de 4 anos 50,17% 63% Conclusão: pode significar uma continuidade. 18

19 Número de responsáveis pela unidade franchisada A maioria dos Franchisados dizem ser o único responsável pela unidade franchisada, com 64,3% em 2013 e 53% em 1999 e maioria continua dedicar-se a tempo inteiro à gestão do negócio com 83,9% em 2013 e 78% em Responsáveis pela unidade franchisada Dedicação à gestão do negócio Único Responsável 53% 64,30% A tempo inteiro 78% 83,90% Conclusão: Positivo - unanime a opinião de que a dedicação do franchisado é um dos factores críticos de sucesso do modelo. SATISFAÇÃO DO FRANCHISADO No que diz respeito à avaliação de satisfação do franchisado, o grau de satisfação aumentou, em média, de para muito no fator O apoio do franchisador na montagem do seu negócio, com média de 3,80. Manteve-se igual () em O Apoio do franchisador na gestão do dia-a-dia do estabelecimento. Satisfação do Franchisado O Apoio do franchisador na gestão do dia-a-dia do estabelecimento O apoio do franchisador na montagem do seu negócio 3 3,35 3,35 3, Conclusão: tal poderá demonstrar uma maior maturidade das redes. 19

20 VISITA DO FRANCHISADOR A periodicidade média de visita do Franchisador aumentou de Trimestral com 21% em 1999 para mensalmente, com 32,9% em Visita do Franchisador Mensal 18% 32,90% Trimestral 12,50% 21% Conclusão: o que demonstra uma maior preocupação das marcas no acompanhamento da rede e acessibilidades em todo o país. Observação: Verificou-se uma maior frequência de visita no Sul de Portugal e no segmento da Restauração (Anexo 1). SATISFAÇÃO GERAL O grau de satisfação com o seu negócio no geral aumentou de 83,5% Completamente Satisfeito/Muito Satisfeito/Satisfeito em 2013 contra 68% em Satisfação Geral 83,50% Completamente Satisfeito/Muito Satisfeito/Satisfeito 68% Conclusão: Seria interessante comparação deste nível de satisfação com negócios similares guiados dentro de modelos que não são franchising. 20

21 Observação: - Não se verificou uma relação directa entre a satisfação geral do Franchisado e o tempo que está a frente da unidade franchisada. - Não se verificou uma relação directa entre a satisfação geral do Franchisado e a faixa etária. - Não se verificou uma relação directa entre a satisfação geral do Franchisado e o nível de escolaridade. - Região geográfica. Os Franchisados no Sul de Portugal registam maior grau de satisfação. - Segmento de actividade. Franchisados na área da Restauração registam maior grau de satisfação. - Verificou se uma relação directa entre a satisfação geral do Franchisado e a frequência de Visita do franchisador. - Os Franchisados que responderam que voltariam abrir o mesmo negócio registam maior grau de satisfação (Anexo 1). FRANCHISING A opinião dos Franchisados é de que estão a atingir o retorno do investimento efetuado, num prazo mais longo que o previsto, com 51,7% em 2013 contra 40% em Retorno do investimento efetuado 51,70% Prazo mais longo que o previsto 40% Conclusão: Tal poderá ser consequência da actual conjuntura. 21

22 Fator de sucesso - O Franchisado continua considerar que o que é mais importante (fator de sucesso) na escolha de uma marca de Franchising é o prestígio da marca, com 48.8% em 2013 contra 40% em Localização desceu de 2º para 6º lugar. - Qualidade de produtos e serviços subiu de 3º para 2º lugar. - Dedicação do franchisado subiu de 6º para 3º lugar. Fator de sucesso Localização Atendimento Preço Dedicação do franchisado Apoio ao franchisador Qualidade de produtos e serviços 4,80% 29,0% 5,50% 24,0% 9,20% 19,0% 16,70% 24,0% 21,00% 16,0% 28,50% 26,0% Prestígio da marca 40,0% 48,80% A maioria dos Franchisados continua a afirmar que voltaria a abrir o mesmo negócio, com 74,3% em 2013 e 61% em Dos restantes 15% disseram que optariam por outra marca em Franchising em 2013 contra 21% em Voltaria a abrir o mesmo negócio Optariam por outra marca em Franchising 74,30% Sim 61% 15% Sim 21% Conclusão: O que é um excelente indício do sucesso do modelo. 22

23 RELAÇÕES ENTRE VARIÁVEIS Satisfação geral com o negócio vs. Tempo à frente da unidade franchisada Satisfação geral com o negócio vs. Tempo à frente da unidade franchisada Menos de 12 De 12 a 47 De 48 a 95 De 96 a 143 De 144 a e mais Nada Pouco Satisfeito Muito Completamente 0,0% 14,8% 44,4% 27,8% 13,0% 8,4% 11,1% 54,7% 16,8% 8,9% 7,4% 7,4% 59,0% 18,1% 8,0% 5,8% 10,1% 62,3% 15,9% 5,8% 3,8% 3,8% 40,4% 38,5% 13,5% 2,4% 9,8% 29,3% 41,5% 17,1% Satisfação geral com o negócio vs. Tempo à frente da unidade franchisada Menos de 12 De 12 a 47 De 48 a 95 De 96 a 143 De 144 a e mais Nada Pouco Satisfeito Muito Complet amente Está com o seu negócio, em geral? Há quanto tempo está à frente desta unidade franchisada? (em meses) Menos de 12 De 12 a 47 De 48 a 95 De 96 a 143 De 144 a e mais Está com o seu negócio, em geral? 3,39 3,07 3,12 3,06 3,54 3,61 23

24 Satisfação geral com o negócio vs. Idade Satisfação geral com o negócio vs. Idade 18 a a a ou mais Nada Pouco Satisfeito Muito Completamente 3,5% 4,9% 56,9% 22,2% 12,5% 6,3% 10,4% 54,1% 20,9% 8,2% 6,0% 9,0% 44,8% 29,9% 10,4% 26,3% 26,3% 31,6% 5,3% 10,5% Satisfação geral com o negócio vs. Tempo à frente da unidade franchisada 18 a a a ou mais Nada Pouco Satisfeito Muito Complet amente Está com o seu negócio, em geral? Idade do Entrevistado: 18 a a a ou mais Está com o seu negócio, em geral? Média Desvio-padrão 3,39 0,93 3,17 0,98 3,30 0,98 2,47 1,26 24

25 Satisfação geral com o negócio vs. Nível de escolaridade Satisfação geral com o negócio vs. Nível de escolaridade Lic/Curso superior Freq Univ/Bacharelato 12º ano ou equivalente 9º ano ou equivalente Escolaridade obrigatória (6º ano ou equivalente) Sem grau oficial de instrução Nada Pouco Satisfeito Muito Complet amente 5,6% 10,0% 53,2% 24,3% 7,0% 6,1% 8,2% 42,9% 26,5% 16,3% 7,1% 10,1% 55,6% 14,8% 12,4% 5,9% 5,9% 49,0% 29,4% 9,8% 5,6% 5,6% 61,1% 16,7% 11,1% 16,7% 16,7% 66,7% 0,0% 0,0% Satisfação geral com o negócio vs. Nível de escolaridade Lic/Curso superior Freq Univ/Bacharelato 12º ano ou equivalente 9º ano ou equivalente Escolaridade obrigatória (6º ano ou equivalente) Sem grau oficial de instrução Nada satis feito Pouco satis feito Satis feito Muito satis feito Comple tamente satis feito Está com o seu negócio, em geral? Qual é o seu nível de escolaridade? Instrução do entrevistado Lic/Curso superior Freq Univ/Bacharelato 12º ano ou equivalente 9º ano ou equivalente Escolaridade obrigatória (6º ano ou equivalente) Sem grau oficial de instrução Está com o seu negócio, em geral? Média Desvio-padrão 3,19 0,93 3,44 1,11 3,20 1,06 3,31 0,95 3,22 0,94 2,50 0,84 25

26 Satisfação geral com o negócio vs. Região geográfica Satisfação geral com o negócio vs. Região Geográfica litoral norte centro sul outro Nada Pouco Satisfeito Muito Completamente 6,3% 12,5% 51,4% 21,5% 8,3% 9,9% 5,4% 53,2% 20,7% 10,8% 5,1% 9,3% 53,4% 22,2% 10,0% 3,6% 10,7% 57,1% 21,4% 7,1% Satisfação geral com o negócio vs. Região geográfica litoral norte centro sul outro Nada Pouco Satisfeito Muito Complet amente Está com o seu negócio, em geral? Região geográfica: litoral norte centro sul outro Está com o seu negócio, em geral? Média Desvio-padrão 3,17 1,01 3,17 1,03 3,26 0,98 3,18 0,86 26

27 Satisfação geral com o negócio vs. Segmento de atividade Satisfação geral com o negócio vs. Segmento de atividade Comércio Restauração Serviços Nada Pouco Satisfeito Muito Complet amente 4,9% 14,1% 47,6% 22,2% 11,4% 5,7% 1,9% 34,0% 39,6% 18,9% 7,0% 8,1% 58,7% 18,8% 7,3% Satisfação geral com o negócio vs. Segmento de atividade Comércio Restauração Serviços Nada Pouco Satisfeito Muito Complet amente Está com o seu negócio, em geral? Qual é a seu segmento de atividade: Comércio Restauração Serviços... Está com o seu negócio, em geral? Média Desvio-padrão 3,23 1,00 3,69 1,04 3,14 0,96 27

28 Satisfação geral com o negócio vs. Abriria o mesmo negócio Satisfação geral com o negócio vs. Abriria o mesmo negócio Sim Não NS Nada Pouco Satisfeito Muito Completamente 1,1% 4,3% 55,1% 27,1% 12,4% 25,7% 29,2% 37,2% 6,2% 1,8% 7,9% 10,5% 76,3% 5,3% 0,0% Satisfação geral com o negócio vs. Abriria o mesmo negócio Sim Não NS Nada Pouco Satisfeito Muito Complet amente Está com o seu negócio, em geral? Se pudesse voltar atrás abriria o mesmo negócio? Sim Não NS Está com o seu negócio, em geral? Média Desvio-padrão 3,47 0,83 2,39 1,13 2,79 0,66 Satisfação geral com o negócio vs. Optaria por outra marca Satisfação geral com o negócio vs. Optaria por outra marca Sim Não NS Nada Pouco Satisfeito Muito Completamente 38,9% 33,3% 16,7% 5,6% 5,6% 23,3% 26,7% 41,9% 7,0% 1,2% 22,2% 44,4% 33,3% 0,0% 0,0% 28

29 Satisfação geral com o negócio vs. Optaria por outra marca Sim Não NS Nada Pouco Satisfeito Muito Complet amente Está com o seu negócio, em geral? Se não, optaria com outra marca em franchising? Sim Não NS Está com o seu negócio, em geral? Média Desvio-padrão 2,06 1,16 2,44 1,09 2,50 1,43 Periodicidade de visita do Franchisador vs. Segmento de atividade Periodicidade de visita do Franchisador vs. Segmento de atividade Comércio Restauração Serviços Mensal mente Trimestral Semestral Anual Sem regularidade definida Nunca visitado 20,4% 10,2% 13,4% 9,7% 33,3% 12,9% 66,7% 14,8% 3,7% 0,0% 14,8% 0,0% 33,1% 13,3% 10,3% 11,7% 15,0% 16,7% Periodicidade de visita do Franchisador vs. Segmento de atividade Comércio Restauração Serviços Mensal mente Trimestral Semestral Anual Sem regula ridade definida Nunca visitado

30 Periodicidade de visita do Franchisador vs. Região geográfica Periodicidade de visita do Franchisador vs. Região geográfica Mensalmente Trimestral Semestral Anual Sem regularidade definida Nunca visitado litoral norte centro sul outro 32,9% 7,5% 7,5% 11,0% 25,3% 15,8% 28,8% 18,0% 14,4% 13,5% 14,4% 10,8% 34,3% 13,3% 11,1% 7,0% 21,0% 13,3% 17,9% 7,1% 7,1% 25,0% 17,9% 25,0% Periodicidade de visita do Franchisador vs. Região geográfica litoral norte centro sul outro Mensal mente Trimestral Semestral Anual Sem regula ridade definida Nunca visitado Periodicidade de visita do Franchisador vs. Satisfação geral com o negócio Periodicidade de visita do Franchisador vs. Satisfação geral com o negócio Nada Pouco Satisfeito Muito Completamente Mensal mente Trimestral Semestral Anual Sem regula ridade definida Nunca visitado 13,5% 5,4% 8,1% 18,9% 21,6% 32,4% 8,9% 5,4% 21,4% 12,5% 19,6% 32,1% 32,7% 17,1% 10,2% 10,2% 19,4% 10,5% 40,3% 11,6% 10,1% 9,3% 24,0% 4,7% 45,6% 1,8% 7,0% 3,5% 19,3% 22,8% Periodicidade de visita do Franchisador vs. Satisfação geral com o negócio Nada Pouco Satisfeito Muito Completamente Mensal mente Trime stral Semestral Anual Sem regula ridade definida Nunca visitado

31 Está com o seu negócio, em geral? Periodicidade média de visita do franchisador: Mensalmente Trimestral Semestral Anual Sem regularidade definida Nunca visitado Está com o seu negócio, em geral? Média Desvio-padrão 3,49 0,89 3,13 0,62 3,05 0,92 2,92 0,96 3,26 1,02 2,95 1,31 Periodicidade de visita do Franchisador vs. Tempo à frente da unidade franchisada Periodicidade de visita do Franchisador vs. Tempo à frente da unidade franchisada Menos de 12 De 12 a 47 De 48 a 95 De 96 a 143 De 144 a e mais Mensal mente Trimestral Semestral Anual Sem regularidade definida Nunca visitado 31,0% 6,9% 3,4% 0,0% 17,2% 41,4% 29,3% 13,6% 11,0% 10,5% 20,9% 14,7% 27,0% 13,2% 12,2% 12,2% 24,9% 10,6% 36,2% 15,9% 7,2% 13,0% 17,4% 10,1% 50,0% 5,8% 19,2% 1,9% 19,2% 3,8% 41,5% 14,6% 7,3% 17,1% 12,2% 7,3% Periodicidade de visita do Franchisador vs. Tempo à frente da unidade franchisada Menos de 12 De 12 a 47 De 48 a 95 De 96 a 143 De 144 a e mais Mensal mente Trimestral Semestral Anual Sem regula ridade definida Nunca visitado

32 Periodicidade de visita do Franchisador vs. Idade do entrevistado de 35 a 54 anos Há quanto tempo está à frente desta unidade franchisada? (em meses) [Idade do Entrevistado] = "35 a 54" Menos de ,1% De 12 a ,5% De 48 a ,9% De 96 a ,9% De 144 a ,4% 192 e mais 19 5,2% 368 Satisfação geral vs. Doméstica Está com o seu negócio, em geral? Antes era Doméstica M édia = 3,25 Desvio-padrão = 0,50 Nada 0 0,0% Pouco 0 0,0% Satisfeito 3 75,0% Muito 1 25,0% Completamente 0 0,0% 4 32

da Uniiversiidade de Évora

da Uniiversiidade de Évora Universidade de Évora Rellatóriio sobre o Inquériito aos Liicenciiados da Uniiversiidade de Évora Pró-Reitoria para a Avaliação e Política da Qualidade Jacinto Vidigal da Silva Luís Raposo Julho de 2010

Leia mais

- IAE - INQUÉRITO À ACTIVIDADE EMPRESARIAL. ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria

- IAE - INQUÉRITO À ACTIVIDADE EMPRESARIAL. ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria - IAE - INQUÉRITO À ACTIVIDADE EMPRESARIAL 2006 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria ÍNDICE Introdução Pág. 2 1 Sumário executivo Pág. 5 2 Análise dos resultados 2.1 Situação

Leia mais

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012 ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012 SUPLEMENTO N.º 2 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA CURSOS CONGÉNERES DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR JULHO DE 2012

Leia mais

NOTÍCIAS COSEC DISTINGUIDA COMO "MELHOR SEGURADORA"

NOTÍCIAS COSEC DISTINGUIDA COMO MELHOR SEGURADORA NESTA EDIÇÃO Melhor Seguradora 1 A COSEC mais perto de si 2 Acordo COSEC e Mapfre 2 Revisão Favorável 2 Produtos COSEC 3 NOTÍCIAS Carregamento de Balanços 4 Análise COSEC 5 Nº 4. 2014 COSEC DISTINGUIDA

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA DO CONSUMIDOR OBSERVATÓRIO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

Relatório da Sondagem sobre o sítio do Instituto das Comunicações de Portugal www.icp.pt

Relatório da Sondagem sobre o sítio do Instituto das Comunicações de Portugal www.icp.pt Relatório da Sondagem sobre o sítio do Instituto das Comunicações de Portugal www.icp.pt 1 Índice Introdução 1. - Ano de Nascimento...6 2. - De onde está a aceder ao sítio do ICP? Região...9 3. - Nível

Leia mais

PQS GLOBAIS. (c). Tempo de estabelecimento de chamada para chamadas nacionais (segundos) que correspondem ao percentil 95% das chamadas mais rápidas

PQS GLOBAIS. (c). Tempo de estabelecimento de chamada para chamadas nacionais (segundos) que correspondem ao percentil 95% das chamadas mais rápidas PQS GLOBAIS Anacom Objetivo SU Ano1 SU PQS 1 PQS 1 (a) PQS1. Prazo de fornecimento da ligação inicial (a) Demora no fornecimento das ligações, quando o cliente não define uma data objetivo (dias) PQS 1

Leia mais

8 de Março 2011- E urgente acabar com as discriminações que a mulher continua sujeita em Portugal Pág. 2

8 de Março 2011- E urgente acabar com as discriminações que a mulher continua sujeita em Portugal Pág. 2 8 de Março 2011- E urgente acabar com as discriminações que a mulher continua sujeita em Portugal Pág. 1 A SITUAÇÃO DA MULHER EM PORTUGAL NO DIA INTERNACIONAL DA MULHER DE 2011 RESUMO DESTE ESTUDO No dia

Leia mais

INOVAÇÃO e I&DT Lisboa

INOVAÇÃO e I&DT Lisboa INOVAÇÃO e I&DT Lisboa Prioridades, Impactos, Próximo Quadro MIGUEL CRUZ Aumentar a capacidade competitiva no mercado internacional Reforçar as competências estratégicas Apoiar as PME no reforço das suas

Leia mais

Arquitecto João Santa-Rita, adiante designado por Ordem dos Arquitectos;

Arquitecto João Santa-Rita, adiante designado por Ordem dos Arquitectos; Entre CONTRATO Ordem dos Arquitectos, pessoa colectiva nº 500802025, com sede em Lisboa, na Travessa do Carvalho, nº 23, representada neste acto pelo Presidente do Conselho Directivo Nacional, Arquitecto

Leia mais

Inquérito de Conjuntura

Inquérito de Conjuntura INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA / DIRECÇÃO GERAL DE PLANEAMENTO Inquérito de Conjuntura RELATÓRIO DE CONJUNTURA S.TOMÉ E PRÍNCIPE Iº Trimestre /2014 Ficha Técnica Directora-geral do INE: Elsa Cardoso

Leia mais

Sistema Interno de Garantia da Qualidade

Sistema Interno de Garantia da Qualidade ISEL Sistema Interno de Garantia da Qualidade RELATÓRIO Inquérito Novos Alunos Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Gabinete de Avaliação e Qualidade Janeiro 2014 ÍNDICE 1. ENQUADRAMENTO... 4 1.1

Leia mais

Direcção de Assistência Empresarial

Direcção de Assistência Empresarial Direcção de Assistência Empresarial Lisboa, 11 de Agosto de 2011 Missão das lojas da exportação Prestar apoio às empresas nas suas estratégias de exportação, facilitando e simplificando o acesso informação,

Leia mais

A QUALIDADE E A CERTIFICAÇÃO

A QUALIDADE E A CERTIFICAÇÃO A QUALIDADE E A CERTIFICAÇÃO Em 1977 foi criada no Ministério da Indústria e Energia, a Direcção Geral da Qualidade, actualmente denominada por IPQ, cujo objectivo era o desenvolvimento e divulgação dos

Leia mais

ANEXO III 15-03-2013 RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL

ANEXO III 15-03-2013 RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL ANEXO III RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL -- ÍNDICE ÍNDICE. OBJECTIVOS E ÂMBITO DO ESTUDO. METODOLOGIA. RESUMO. INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL. INOVAÇÃO NOS ÚLTIMOS 6 ANOS 6. APRENDIZAGEM

Leia mais

Programa Nacional de Luta Contra a Tuberculose Ponto da Situação Epidemiológica e de Desempenho (dados provisórios)

Programa Nacional de Luta Contra a Tuberculose Ponto da Situação Epidemiológica e de Desempenho (dados provisórios) Programa Nacional de Luta Contra a Tuberculose Ponto da Situação Epidemiológica e de Desempenho (dados provisórios) Dia Mundial da Tuberculose 24 de março de 2013 Índice Introdução... 3 Metodologia...

Leia mais

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Criada em Setembro de 2005 em Sacavém, a Explicolândia Centros de Estudo tem sido ao longo dos anos, uma

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL. Gabinete do Secretário de Estado da Segurança Social DESPACHO Nº 9-I/SESS/2008

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL. Gabinete do Secretário de Estado da Segurança Social DESPACHO Nº 9-I/SESS/2008 DESPACHO Nº 9-I/SESS/2008 O Despacho n.º 16790/2008, de 20 de Junho, 2.ª Série, criou a Medida de Apoio à Segurança dos Equipamentos Sociais, adiante designada por Medida de Apoio à Segurança, dirigida

Leia mais

ELEMENTOS DA FICHA TÉCNICA DE SONDAGEM A DISPONIBILIZAR PUBLICAMENTE 1 (de acordo com o artigo 6º da Lei nº 10/2000 de 21 de Junho)

ELEMENTOS DA FICHA TÉCNICA DE SONDAGEM A DISPONIBILIZAR PUBLICAMENTE 1 (de acordo com o artigo 6º da Lei nº 10/2000 de 21 de Junho) ELEMENTOS DA FICHA TÉCNICA DE SONDAGEM A DISPONIBILIZAR PUBLICAMENTE 1 (de acordo com o artigo 6º da Lei nº 10/2000 de 21 de Junho) 1. Entidade responsável pela realização da sondagem: art.º 6/1/a: A denominação

Leia mais

Fevereiro 2009 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL

Fevereiro 2009 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL INQUÉRITO AO CRÉDITO Fevereiro 2009 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL Introdução O Inquérito ao Crédito Fevereiro 2009, realizado pela AIP-CE, teve como base uma amostra constituída

Leia mais

TORNEIO NACIONAL DE SUB-14 (MASC. E FEM)

TORNEIO NACIONAL DE SUB-14 (MASC. E FEM) COMPETIÇÕES NACIONAIS TORNEIO NACIONAL DE SUB-14 (MASC. E FEM) Modelo Competitivo -Proposta de Alteração- Elaborado por: Directores Técnicos das Associações de Basquetebol de VIANA DO CASTELO, BRAGA, PORTO,

Leia mais

Sondagem Eleitoral Legislativas 2015

Sondagem Eleitoral Legislativas 2015 SONDAGENS DO FUTURO Sondagem Eleitoral Legislativas 2015 Relatório Síntese António Alves 01-10-2015 Relatório Síntese da Sondagem Eleitoral Eleições Legislativas 2015 levada a cabo no Facebook Conteúdo

Leia mais

VEÍCULOS EM FIM DE VIDA

VEÍCULOS EM FIM DE VIDA TEMA 7 VEÍCULOS EM FIM DE VIDA B. NÍVEL MAIS AVANÇADO De acordo com o Decreto-lei nº 196/2003, de 23 de Agosto, entende-se por veículo qualquer veículo classificado nas categorias M1 1 ou N1 2 definidas

Leia mais

CATÁLOGO ESTUDOS DE MERCADO II TRIMESTRE DE 2015 GABINETE DE ESTUDOS APEMIP

CATÁLOGO ESTUDOS DE MERCADO II TRIMESTRE DE 2015 GABINETE DE ESTUDOS APEMIP Nº 30 APEMIP ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS E EMPRESAS DE MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA DE PORTUGAL PUBLICAÇÃO TRIMESTRAL II TRIMESTRE DE 2015 PARCEIROS: Nº GABINETE DE ESTUDOS APEMIP CATÁLOGO ESTUDOS DE MERCADO

Leia mais

e-municípios 2009 Serviços Online Municipais Avaliação dos

e-municípios 2009 Serviços Online Municipais Avaliação dos Avaliação dos Serviços Online Municipais e-municípios 2009 2 3 A. Metodologia 5 6 Serviços a avaliar Feiras e mercados Taxas municipais Certidão para efeitos de IMI Consulta de informação georreferenciada

Leia mais

NOVA CONTABILIDADE DAS AUTARQUIAS LOCAIS

NOVA CONTABILIDADE DAS AUTARQUIAS LOCAIS CONTACTOS DAS ENTIDADES QUE INTEGRAM O Direcção-Geral das Autarquias Locais Morada: Rua José Estêvão,137, 4.º a 7.º 1169-058 LISBOA Fax: 213 528 177; Telefone: 213 133 000 E-mail: helenacurto@dgaa.pt Centro

Leia mais

DOSSIER DE APRESENTAÇÃO SERHOGARSYSTEM

DOSSIER DE APRESENTAÇÃO SERHOGARSYSTEM DOSSIER DE APRESENTAÇÃO SERHOGARSYSTEM Quem Somos? A SerHogarsystem como marca registada franchisadora nasce da experiência de um grupo de empresas vocacionadas para o sector dos recursos humanos e, nomeadamente,

Leia mais

O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE

O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE ESTUDO DOS DADOS DOS FARMACÊUTICOS Consulta à base de dados da Ordem dos Farmacêuticos a 31-12-213 7 MARÇO 214 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O FARMACÊUTICOS

Leia mais

IV JORNADAS IBERO-ATLÂNTICAS DE ESTATÍSTICAS REGIONAIS 22 e 23 de junho de 2012 ESTATÍSTICAS FINANCEIRAS REGIONAIS. João Cadete de Matos

IV JORNADAS IBERO-ATLÂNTICAS DE ESTATÍSTICAS REGIONAIS 22 e 23 de junho de 2012 ESTATÍSTICAS FINANCEIRAS REGIONAIS. João Cadete de Matos 22 e 23 de junho de 2012 ESTATÍSTICAS FINANCEIRAS REGIONAIS João Cadete de Matos 1ª Parte Estatísticas do Banco de Portugal Estatísticas Financeiras Regionais 2 Evolução da difusão Estatística no Banco

Leia mais

Perfis de Operadores Privados de Televisão

Perfis de Operadores Privados de Televisão Perfis de Operadores Privados de Televisão (resultados gerais) Janeiro 2014 Publicações OberCom ISSN 2182-6722 0 Índice Sumário Executivo..2 Perfis de Operadores Privados de Televisão (resultados gerais)...3

Leia mais

Vendas de Medicamentos Não Sujeitos a Receita Médica fora das Farmácias (MNSRM) janeiro - junho 2013

Vendas de Medicamentos Não Sujeitos a Receita Médica fora das Farmácias (MNSRM) janeiro - junho 2013 Vendas de Medicamentos Não Sujeitos a Receita Médica fora das Farmácias (MNSRM) janeiro - junho 2013 Gabinete de Estudos e Projetos do INFARMED I.P. (31 de julho de 2013) 1. Enquadramento 2. Sumário Executivo

Leia mais

ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98

ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98 ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98 NOTA METODOLÓGICA De acordo com a definição nacional, são pequenas e médias empresas aquelas que empregam menos de 500 trabalhadores, que apresentam um volume de

Leia mais

A relação dos portugueses com o dinheiro e o crédito. 2 de Abril de 2008

A relação dos portugueses com o dinheiro e o crédito. 2 de Abril de 2008 A relação dos portugueses com o dinheiro e o crédito 2 de Abril de 2008 Caracterização dos inquiridos Sexo 37% 63% Feminino Masculino Idade 12% 18-25 anos 18% 26-35 anos 36-45 anos 54% 16% > de 45 anos

Leia mais

Avaliação de impacto e medidas prospetivas para a oferta do Português Língua Não Materna (PLNM) no Sistema Educativo Português

Avaliação de impacto e medidas prospetivas para a oferta do Português Língua Não Materna (PLNM) no Sistema Educativo Português Avaliação de impacto e medidas prospetivas para a oferta do Português Língua Não Materna (PLNM) no Sistema Educativo Português Ana Madeira Joana Teixeira Fernanda Botelho João Costa Sofia Deus Alexandra

Leia mais

AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO. Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão

AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO. Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão Índice Introdução Objectivos Metodologia de Trabalho Áreas de Trabalho/ Conclusões Estruturas Formais Estruturas FísicasF

Leia mais

Estatísticas do Emprego 1º trimestre de 2010

Estatísticas do Emprego 1º trimestre de 2010 Estatísticas do Emprego 1º trimestre de 2010 18 de Maio de 2010 A taxa de desemprego foi de 10,6% no 1º trimestre de 2010 A taxa de desemprego estimada para o 1º trimestre de 2010 foi de 10,6%. Este valor

Leia mais

Barómetro Político Marktest: Sondagem Legislativas 2015

Barómetro Político Marktest: Sondagem Legislativas 2015 Barómetro Político Marktest: Sondagem Legislativas 3 Setembro de Marktest Dir.Estudos Sectoriais 3-9- I. Ficha Técnica da Sondagem A presente sondagem é da responsabilidade da seguinte entidade: Marktest,

Leia mais

Índice de Satisfação dos Munícipes de Cascais 2013

Índice de Satisfação dos Munícipes de Cascais 2013 Índice de Satisfação dos Munícipes de Cascais 2013 Atendimento Municipal Outubro de 2013 Elaborado por Divisão de Sistemas de Suporte à Divisão e Divisão de Marca e Comunicação SUMÁRIO EXECUTIVO... 3 OBJETIVO...

Leia mais

Lig@dos para um ensino melhor

Lig@dos para um ensino melhor Conhecer e partilhar para inovar na Educação Alexandre Martins Lima alima@anpri.pt Ana Paula Jacinto Ferreira apjferreira@anpri.pt Associação Nacional de Professores de Informática Associação Nacional

Leia mais

Mudança de Comportamento no âmbito da Eficiência Energética

Mudança de Comportamento no âmbito da Eficiência Energética Mudança de Comportamento no âmbito da Eficiência Energética Abril 2011 Metodologia Universo Residentes, em território do Continente, com idade compreendida entre os 18 e os 65 anos Amostra 1 005 entrevistas

Leia mais

A rede de Euro Info Centres E I C

A rede de Euro Info Centres E I C Facilitar o acesso à União Europeia A rede de Euro Info Centres E I C Uma chave para a EUROPA A Rede de Euro Info Centres 269 Euro Info Centres 26 Membros Associados 13 Euro Info Centres de correspondência

Leia mais

Título da comunicação: A Situação Profissional de Ex-Bolseiros de Doutoramento

Título da comunicação: A Situação Profissional de Ex-Bolseiros de Doutoramento Título da comunicação: A Situação Profissional de Ex-Bolseiros de Doutoramento Evento: Local: Data: CONFERÊNCIA REGIONAL DE LISBOA E VALE DO TEJO Centro de Formação Profissional de Santarém 10 de Março

Leia mais

Aspectos Sócio-Profissionais da Informática

Aspectos Sócio-Profissionais da Informática ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA I N S T I T U T O P O L I T É C N I C O D E C A S T E L O B R A N C O ENGENHARIA INFORMÁTICA Aspectos Sócio-Profissionais da Informática Jovens Empresários de Sucesso e Tendências

Leia mais

Portugueses com mais de 65 anos Breve caracterização estatística

Portugueses com mais de 65 anos Breve caracterização estatística E S T U D O S Cada etapa da vida tem as suas próprias especificidades mas tem, também, os seus próprios desafios e as suas próprias capacidades, para a construção de uma sociedade para todas as idades.

Leia mais

A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010

A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010 Estatísticas do Emprego 4º trimestre de 2010 16 de Fevereiro de 2011 A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010 A taxa de desemprego estimada para o 4º trimestre de 2010 foi de 11,1%. Este

Leia mais

INQUÉRITO SOBRE EMPREGO, QUALIFICAÇÃO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL RELATÓRIO SÍNTESE

INQUÉRITO SOBRE EMPREGO, QUALIFICAÇÃO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL RELATÓRIO SÍNTESE INQUÉRITO SOBRE EMPREGO, QUALIFICAÇÃO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL RELATÓRIO SÍNTESE MARÇO 2013 Índice 1. RESUMO EXECUTIVO... 3 2. INQUÉRITO AOS AGREGADOS FAMILIARES... 11 2.1. Descrição do trabalho realizado...

Leia mais

Mário Daniel Almeida. Júri

Mário Daniel Almeida. Júri A Qualidade de Vida como indicador síntese do sucesso de uma intervenção de Requalificação Urbana: O caso de estudo do Programa Polis no Cacém Mário Daniel Almeida Dissertação para obtenção do Grau de

Leia mais

D9. DOSSIER DE RESULTADOS DO IV WORKSHOP. Serviços para animação de workshops de empreendedorismo cultural PR-02199

D9. DOSSIER DE RESULTADOS DO IV WORKSHOP. Serviços para animação de workshops de empreendedorismo cultural PR-02199 Serviços para animação de workshops de empreendedorismo cultural PR-02199 novembro 2014 ÍNDICE 1. ENQUADRAMENTO... 2 1.1 Objetivos... 2 1.2 Metodologia de trabalho... 2 2. RESULTADOS IV WORKSHOP... 4 2.1

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto. Orquestra Geração

Ficha de Caracterização de Projecto. Orquestra Geração Ficha de Caracterização de Projecto Orquestra Geração 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto(s) Orquestras Sinfónicas Juvenis - Orquestra Geração Sigla Orquestra Geração Morada Rua dos Caetanos

Leia mais

A Energia em Portugal Perspectiva de quem a utiliza

A Energia em Portugal Perspectiva de quem a utiliza A Energia em Portugal Perspectiva de quem a utiliza 2 Introdução A Associação Portuguesa da Energia (APE) publica a terceira edição de A Energia em Portugal - perspectiva de quem a utiliza, estudo que

Leia mais

Percurso lógico para a criação de uma empresa:

Percurso lógico para a criação de uma empresa: Percurso lógico para a criação de uma empresa: [3] Formas jurídicas de criar um negocio: Os negócios desenvolvidos por uma pessoa poderão ter a forma jurídica de Empresário em Nome Individual, Estabelecimento

Leia mais

TRABALHO LABORATORIAL NO ENSINO DAS CIÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS DE FUTUROS PROFESSORES DE BIOLOGIA E GEOLOGIA

TRABALHO LABORATORIAL NO ENSINO DAS CIÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS DE FUTUROS PROFESSORES DE BIOLOGIA E GEOLOGIA TRABALHO LABORATORIAL NO ENSINO DAS CIÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS DE FUTUROS PROFESSORES DE BIOLOGIA E GEOLOGIA DOURADO, LUÍS Instituto de Educação e Psicologia, Universidade do Minho. Palavras

Leia mais

Sociedades de Garantia Mútua (SGM) são:

Sociedades de Garantia Mútua (SGM) são: Sociedades de Garantia Mútua (SGM) são: Operadores financeiros que prestam às instituições bancárias as garantias que lhes permitem disponibilizar às PME empréstimos em condições mais favoráveis. Ao partilhar

Leia mais

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Residentes com o Meio Envolvente

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Residentes com o Meio Envolvente Avaliação da Satisfação dos Residentes com o Meio Envolvente 2011 Entidade Promotora Concepção e Realização Enquadramento Vice-Presidência Avaliação da Satisfação dos Residentes com o Meio Envolvente

Leia mais

Consumo de Antimicrobianos em Portugal

Consumo de Antimicrobianos em Portugal Consumo de Antimicrobianos em Portugal Dia Europeu dos Antibióticos Inês Teixeira, MSc Observatório do Medicamento e Produtos de Saúde INFARMED, I.P. - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de

Leia mais

Telemóveis e os jovens: utilização e preocupações (Resultados dos Inquéritos Realizados em Estabelecimentos de Ensino no Ano Letivo 2010/ /2011) Resumo Durante o ano letivo de 2010/2011 foram realizados

Leia mais

Dar tempo por causas: alimentar ideias Construir alternativas para a inclusão social

Dar tempo por causas: alimentar ideias Construir alternativas para a inclusão social Dar tempo por causas: alimentar ideias Construir alternativas para a inclusão social Escola Superior Gallaecia 7 de Dezembro de 2011 Maria de Fátima Cortez Ferreira O direito à alimentação é um dos mais

Leia mais

Inquérito Diplomados Ciências Farmacêuticas 2011/2012 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O

Inquérito Diplomados Ciências Farmacêuticas 2011/2012 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O Inquérito Diplomados Ciências Farmacêuticas 2011/2012 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O INQUÉRITO AOS DIPLOMADOS EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS 2011/2012 traçar o perfil

Leia mais

CATÁLOGO ESTUDOS DE MERCADO I TRIMESTRE DE 2015 GABINETE DE ESTUDOS APEMIP

CATÁLOGO ESTUDOS DE MERCADO I TRIMESTRE DE 2015 GABINETE DE ESTUDOS APEMIP Nº 29 APEMIP ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS E EMPRESAS DE MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA DE PORTUGAL PUBLICAÇÃO TRIMESTRAL I TRIMESTRE DE 2015 PARCEIROS: Nº GABINETE DE ESTUDOS APEMIP CATÁLOGO ESTUDOS DE MERCADO I

Leia mais

Iniciar um negócio em Franchising

Iniciar um negócio em Franchising Iniciar um negócio em Franchising Franchising, o que é? Terminologia Vantagens e Desvantagens do Franchisado Vantagens e Desvantagens do Franchisador Dicas para potenciais Franchisados Serviços de apoio

Leia mais

O SISMO DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009 E A PERCEPÇÃO DO EVENTO

O SISMO DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009 E A PERCEPÇÃO DO EVENTO SÍSMICA 2010 8º CONGRESSO DE SISMOLOGIA E ENGENHARIA SÍSMICA 1 O SISMO DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009 E A PERCEPÇÃO DO EVENTO CARLOS SOUSA OLIVEIRA Prof. Catedrático ICIST/IST Lisboa-Portugal MÓNICA AMARAL

Leia mais

RELATÓRIO. Avaliação da satisfação dos utilizadores do BAV. Relatório. Resultados do inquérito de satisfação do Balcão de Atendimento Virtual

RELATÓRIO. Avaliação da satisfação dos utilizadores do BAV. Relatório. Resultados do inquérito de satisfação do Balcão de Atendimento Virtual Relatório Resultados do inquérito de satisfação do Balcão de Atendimento Virtual Direcção Municipal da Presidência Gabinete do Munícipe Divisão Municipal de Gestão da Qualidade Porto, 29 de Junho de 2011

Leia mais

0202 Universidade do Algarve - Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente

0202 Universidade do Algarve - Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente 0110 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo 8031 Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) 155,5 8085 Ciências da Nutrição (Preparatórios) 128,8 8086 Medicina Veterinária (Preparatórios) 154,8 9022 Ciências

Leia mais

RESULTADOS DO INQUÉRITO À COMUNIDADE GEOGRÁFICA

RESULTADOS DO INQUÉRITO À COMUNIDADE GEOGRÁFICA RESULTADOS DO INQUÉRITO À COMUNIDADE GEOGRÁFICA A Associação Portuguesa de Geógrafos (APG) promoveu um inquérito online entre 5 de Novembro e 21 de Dezembro de 2009 com o objectivo de auscultar a comunidade

Leia mais

Identificação da empresa

Identificação da empresa Identificação da empresa Missão e Visão A Missão da Parque Expo consiste na promoção da qualidade da vida urbana e da competitividade do território. Para cumprimento desta Missão, a empresa realiza operações

Leia mais

I. Actividade da APAVTForm

I. Actividade da APAVTForm FORMAÇÃO PROFISSIONAL Objectivos I. A actividade da APAVTForm II. O e-learning na Formação dos Profissionais de Turismo III. Projecto Madeira Specialist Email: pmoita@apavtform.pt 1 I. Actividade da APAVTForm

Leia mais

Ciclo de Seminários de Especialização. Avaliação do risco no projecto

Ciclo de Seminários de Especialização. Avaliação do risco no projecto Ciclo de Seminários de Especialização Avaliação do risco no projecto Enquadramento O Ciclo de Seminários de especialização Avaliação do risco no projecto resulta de uma parceria entre a H.MENEZES Risk

Leia mais

SÍNTESE DE RESULTADOS DO ESTUDO SOBRE CONSUMO E COMUNICAÇÕES DE NATAL

SÍNTESE DE RESULTADOS DO ESTUDO SOBRE CONSUMO E COMUNICAÇÕES DE NATAL SÍNTESE DE RESULTADOS DO ESTUDO SOBRE CONSUMO E COMUNICAÇÕES DE NATAL DEZEMBRO 2008 Sobre a Netsonda A Netsonda, em actividade desde Julho de 2000, é líder e pioneira em Portugal na recolha e análise de

Leia mais

O princípio da afirmação da sociedade civil.

O princípio da afirmação da sociedade civil. Dois dos Valores do PSD O Princípio do Estado de Direito, respeitante da eminente dignidade da pessoa humana - fundamento de toda a ordem jurídica baseado na nossa convicção de que o Estado deve estar

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Boletim meteorológico para a agricultura Nº 49, janeiro 2015 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 12 Previsão 12 Situação agrícola

Leia mais

TRABALHO FINAL EMPRESA:

TRABALHO FINAL EMPRESA: TRABALHO FINAL EMPRESA: CURSO: MARKETING E PUBLICIDADE P/L 2º SEMESTRE DISCIPLINA: Marketing II DOCENTE: Prof. Dr. Fernando Gaspar DISCENTE: Ana Inês Charrua de Oliveira Nº 9072 Introdução Dando seguimento

Leia mais

Indicadores de Sustentabilidade do Turismo nos Açores: o papel das opiniões e da atitude dos residentes face ao turismo na Região

Indicadores de Sustentabilidade do Turismo nos Açores: o papel das opiniões e da atitude dos residentes face ao turismo na Região Indicadores de Sustentabilidade do Turismo nos Açores: o papel das opiniões e da atitude dos residentes face ao turismo na Região 1 2 Alguns números sobre o Turismo nos Açores: Dados relativos a Hotelaria

Leia mais

CET CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA. no Ensino Superior

CET CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA. no Ensino Superior CET CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA no Ensino Superior CET Cursos de Especialização Tecnológica no Ensino Superior Setembro 2011 DIRECÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR Direcção de Serviços de Suporte à

Leia mais

Condições do Franchising

Condições do Franchising Condições do Franchising ÍNDICE Introdução 1. Vantagens em entrar num negócio de franchising 2. O que nos distingue como sistema de franchising 2.1. vantagens para o franchisado face a outras redes 2.2.

Leia mais

KIT CICLO PEDAGÓGICO ESTUDO DO MEIO. Propostas para planeamento, exploração e avaliação de visitas a museus e centros de ciência.

KIT CICLO PEDAGÓGICO ESTUDO DO MEIO. Propostas para planeamento, exploração e avaliação de visitas a museus e centros de ciência. KIT_PEDA_EST_MEIO_5:FERIAS_5_6 09/12/28 15:07 Page 1 1. o CICLO KIT PEDAGÓGICO Pedro Reis ESTUDO DO MEIO 5 Propostas para planeamento, exploração e avaliação de visitas a museus e centros de ciência ISBN

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE LÍNGUAS E ADMINISTRAÇÃO Pós-Graduação de CONSULTORIA EMPRESARIAL ESTUDO DE CASO. Módulo.: CONSULTORIA EM MARKETING

INSTITUTO SUPERIOR DE LÍNGUAS E ADMINISTRAÇÃO Pós-Graduação de CONSULTORIA EMPRESARIAL ESTUDO DE CASO. Módulo.: CONSULTORIA EM MARKETING INSTITUTO SUPERIOR DE LÍNGUAS E ADMINISTRAÇÃO Pós-Graduação de CONSULTORIA EMPRESARIAL ESTUDO DE CASO «Vinho do Porto» Módulo.: CONSULTORIA EM MARKETING (Feliciana Polaco Paulo Farinha Pedro Jacinto) Março

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - Direcção-Geral do Ensino Superior. Estabelecimento Vagas 2.ª Fase

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - Direcção-Geral do Ensino Superior. Estabelecimento Vagas 2.ª Fase Vagas.ª Fase Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo 00 0 Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) 00 0 Ciências da Nutrição (Preparatórios) 00 0 Medicina Veterinária (Preparatórios) 00 0 Ciências Agrárias

Leia mais

a 2015 Conferência Industria Automóvel: Contributo para uma mobilidade sustentável. Projecto Eco-condução ACAP, Lisboa, 24-05-2010

a 2015 Conferência Industria Automóvel: Contributo para uma mobilidade sustentável. Projecto Eco-condução ACAP, Lisboa, 24-05-2010 Reciclagem de Veículos em Fim de Vida (VFV) rumo a 2015 Conferência Industria Automóvel: Contributo para uma mobilidade sustentável. Projecto Eco-condução ACAP, Lisboa, 24-05-2010 Tópicos Empresa Sistema

Leia mais

NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2006/2010

NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2006/2010 ESTATÍSTICAS NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2006/2010 D I R E C Ç Ã O - G E R A L D A S A Ú D E L I S B O A ESTATÍSTICAS NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2006/2010

Leia mais

A Mulher portuguesa e o Desporto O TÉNIS DE MESA PORTUGUÊS NO FEMININO 21/05/2014

A Mulher portuguesa e o Desporto O TÉNIS DE MESA PORTUGUÊS NO FEMININO 21/05/2014 O TÉNIS DE MESA PORTUGUÊS NO FEMININO 2 A Mulher portuguesa e o Desporto 1º FÓRUM NACIONAL DE TÉNIS DE MESA 24 maio 2014 Propostas para discussão e reflexão Manuela Simões O Ténis de Mesa não é, a este

Leia mais

SAÚDE 24 SÉNIOR. um serviço SAÚDE 24

SAÚDE 24 SÉNIOR. um serviço SAÚDE 24 um serviço SAÚDE 24 Desde Abril 2014 um serviço de acompanhamento em saúde, especifico da SAÚDE 24 e direcionado a todos os idosos residentes em Portugal com mais de 70 anos uma iniciativa do Ministério

Leia mais

Perfil das Ideias e dos Empreendedores

Perfil das Ideias e dos Empreendedores Perfil das Ideias e dos Empreendedores I - Considerações gerais A análise que se segue tem como referência um painel 115 ideias de negócio, com proposta de desenvolvimento por 214 empreendedores, candidatos

Leia mais

Federação das Associações de Dadores de Sangue. FAS Portugal Formação

Federação das Associações de Dadores de Sangue. FAS Portugal Formação Federação das Associações de Dadores de Sangue FAS Portugal Formação Os Dirigentes: Estrutura de valores Espírito de serviço. Servir, não servir-se. Fazer sempre parte da solução, nunca do problema. O

Leia mais

Apoio Jurídico FRANCHISING

Apoio Jurídico FRANCHISING Apoio Jurídico FRANCHISING Agência dos Empresários Casa do Farol Rua Paulo Gama - 4169-006 Porto Telefone: 22 0108000 Fax: 22 0108020 monicapiressilva@anje.pt -Franchising- Nos últimos anos as actividades

Leia mais

Resultados do Inquérito aos Docentes e Investigadores sobre a. Reorganização da Rede de Ensino Superior e Financiamento

Resultados do Inquérito aos Docentes e Investigadores sobre a. Reorganização da Rede de Ensino Superior e Financiamento Resultados do Inquérito aos Docentes e Investigadores sobre a Reorganização da Rede de Ensino Superior e Financiamento fevereiro de 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. METODOLOGIA... 2 2.1. O INQUÉRITO...

Leia mais

ACTIVIDADE ACUMULADA ATÉ ABRIL DE 2008

ACTIVIDADE ACUMULADA ATÉ ABRIL DE 2008 LINHA DE CRÉDITO PARA ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR COM GARANTIA MÚTUA ACTIVIDADE ACUMULADA ATÉ ABRIL DE 2008 Comissão de Acompanhamento 29 de Maio de 2008 Introdução, e principais conclusões Este documento

Leia mais

Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes

Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes PROCURA TURÍSTICA DOS RESIDENTES 4º Trimestre 2012 02 maio de 2013 Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes No 4º trimestre de 2012, os residentes efetuaram

Leia mais

EMPRESAS DE MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA ANÁLISE ECONÓMICO-FINANCEIRA - ANO DE 2010 -

EMPRESAS DE MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA ANÁLISE ECONÓMICO-FINANCEIRA - ANO DE 2010 - EMPRESAS DE MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA ANÁLISE ECONÓMICO-FINANCEIRA - ANO DE 2010 - FICHA TÉCNICA Título: Empresas de Mediação Imobiliária Análise Económico-Financeira Ano de 2010 Autoria: Henrique Graça Fernanda

Leia mais

Inquérito ao Crédito. Relatório

Inquérito ao Crédito. Relatório Inquérito ao Crédito Relatório Março 2012 Destaques O crédito bancário é a fonte de financiamento mais significativa referida por cerca de 70% das empresas. O financiamento pelos sócios ou accionistas

Leia mais

ELEIÇÃO DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ELEIÇÃO DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Círculo eleitoral dos Açores Aliança Açores Partido Social Democrata Partido Democrático do Atlântico CDS-PP. PPD/D PDA Círculo eleitoral de Aveiro Partido Cidadania e Democracia Cristã PPV/CDC PPD/D.

Leia mais

Inquérito público aos Brasileiros residentes em Portugal 25 de Maio de 2006

Inquérito público aos Brasileiros residentes em Portugal 25 de Maio de 2006 Inquérito público aos Brasileiros residentes em Portugal 25 de Maio de 2006 Metodologia Dimensão da amostra Datas das entrevistas Margem de erro Idioma das entrevistas 1,000 Brasileiros adultos 23 Novembro

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - Direcção-Geral do Ensino Superior. Estabelecimento Vagas 3.ª Fase

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - Direcção-Geral do Ensino Superior. Estabelecimento Vagas 3.ª Fase Vagas.ª Fase Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo 00 0 Ciências da Nutrição (Preparatórios) 00 0 Medicina Veterinária (Preparatórios) 00 0 Ciências Agrárias 00 0 Engenharia e Gestão do Ambiente

Leia mais

O papel das empresas e o lucro. 20 de Setembro de 2009

O papel das empresas e o lucro. 20 de Setembro de 2009 O papel das empresas e o lucro 1 20 de Setembro de 2009 O papel das empresas e o lucro Roberta Atherton Magalhães Dias No ano de 2005, a Futura realizou uma pesquisa que avaliava, na percepção dos capixabas,

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO DOS CAMPEONATOS PORTUGUESES DE DERBY ATRELADO PARA 2009

PROPOSTA DE REGULAMENTO DOS CAMPEONATOS PORTUGUESES DE DERBY ATRELADO PARA 2009 PROPOSTA DE REGULAMENTO DOS CAMPEONATOS PORTUGUESES DE DERBY ATRELADO PARA 2009 A partir de 1 de Janeiro de 2009 entra em vigor o presente Regulamento revogando o Regulamento do Campeonato de Derbies de

Leia mais

Perfil sociodemográfico Real delivery Painel IR % Total painelistas: 8.586 71,4% Sexo Homem 3.625

Perfil sociodemográfico Real delivery Painel IR % Total painelistas: 8.586 71,4% Sexo Homem 3.625 1 / 7 Panel B2B Portugal Características Tamanho painel (ISO): 32.637 Pessoas perfiladas (ISO): 12.277 Taxa de resposta estimada (ISO): 41% Atualizado: 15/12/2014 Tamanho (ISO): o número de participantes

Leia mais

MICROCRÉDITO UMA AVALIAÇÃO DE CASOS EM PORTUGAL

MICROCRÉDITO UMA AVALIAÇÃO DE CASOS EM PORTUGAL MICROCRÉDITO UMA AVALIAÇÃO DE CASOS EM PORTUGAL 1-INTRODUÇÃO 1.1- Este estudo teve por objectivo conhecer a situação actual dos negócios apoiados pela ANDC junto dos indivíduos que até 2012 inclusivé concluíram

Leia mais

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação das Atitudes e Conhecimentos dos Residentes sobre a Qualidade. Enquadramento.

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação das Atitudes e Conhecimentos dos Residentes sobre a Qualidade. Enquadramento. Avaliação das Atitudes e Conhecimentos dos Residentes sobre a Qualidade 2011 Entidade Promotora Concepção e Realização Enquadramento Vice-Presidência Avaliação das Atitudes e Conhecimentos dos Residentes

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental Março de 2015 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela Resumo mensal 1 2 3 4 5 6 Figura 1 Desvios

Leia mais

Helena Pinto [PROPOSTA VALORHOSPITAL] Proposta para o Procedimento Nº 25/CCLIN/SRLF/2012

Helena Pinto [PROPOSTA VALORHOSPITAL] Proposta para o Procedimento Nº 25/CCLIN/SRLF/2012 2011 Helena Pinto [PROPOSTA VALORHOSPITAL] Proposta para o Procedimento Nº 25/CCLIN/SRLF/2012 Para: GNR Centro Clínico De: Helena Pinto CC: Centro Clínico Data: 08.12.2011 email cari.cc.srf@gnr.pt Tel:

Leia mais

Inquérito europeu às empresas sobre riscos novos e emergentes Sumário

Inquérito europeu às empresas sobre riscos novos e emergentes Sumário Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho Inquérito europeu às empresas sobre riscos novos e emergentes Sumário Este inquérito, realizado pela EU-OSHA a empresas de toda a Europa, visa contribuir

Leia mais