Plano de Contas RECURSOS NO EXTERIOR DECORRENTES DE EXPO 01 CONTAS BANCÁRIAS SUBVENÇÕES 01 CONTAS BANCÁRIAS DOAÇÕES 01

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Plano de Contas RECURSOS NO EXTERIOR DECORRENTES DE EXPO 01 CONTAS BANCÁRIAS SUBVENÇÕES 01 CONTAS BANCÁRIAS DOAÇÕES 01"

Transcrição

1 **** A T I V O **** CIRCULANTE DISPONIBILIDADES CAIXA BANCOS RECURSOS NO EXTERIOR DECORRENTES DE EXPO CONTAS BANCÁRIAS SUBVENÇÕES CONTAS BANCÁRIAS DOAÇÕES CONTAS BANCÁRIAS OUTROS RECURSOS SUJEI TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS VALORES MOBILIÁRIOS - MERCADO DE CAPITAI VALORES MOBILIÁRIOS - MERCADO DE CAPITAI VALORES MOBILIÁRIOS APLICAÇÕES DE SUBV VALORES MOBILIÁRIOS APLICAÇÕES DE DOAÇ VALORES MOBILIÁRIOS APLICAÇÕES DE OUTR OUTRAS ESTOQUES ESTOQUES MERCADORIAS PARA REVENDA INSUMOS (MATERIAIS DIRETOS) PRODUTOS EM ELABORAÇÃO PRODUTOS ACABADOS SERVIÇOS EM ANDAMENTO INSUMOS AGROPECUÁRIOS PRODUTOS AGROPECUÁRIOS EM FORMAÇÃO PRODUTOS AGROPECUÁRIOS ACABADOS IMÓVEIS DESTINADOS À VENDA CONSTRUÇÕES EM ANDAMENTO DE IMÓVEIS DEST ESTOQUES DESTINADOS À DOAÇÃO OUTRAS CRÉDITOS ADIANTAMENTOS A FORNECEDORES CLIENTES

2 CRÉDITOS FISCAIS CSLL DIFERENÇAS TEMPO CRÉDITOS FISCAIS IRPJ DIFERENÇAS TEMPO IMPOSTOS E CONTRIBUIÇÕES A RECUPERAR IMPOSTO DE RENDA A RECUPERAR IPI A RECUPERAR PIS E COFINS A RECUPERAR CSLL A RECUPERAR ICMS E CONTRIBUIÇÕES A RECUPERAR TRIBUTOS MUNICIPAIS A RECUPERAR OUTROS IMPOSTOS E CONTRIBUIÇÕES A RECUPE CRÉDITOS POR CONTRIBUIÇÕES E DOAÇÕES OUTRAS DESPESAS DO EXERCÍCIO SEGUINTE DESPESAS DO EXERCÍCIO SEGUINTE OUTRAS CONTAS CONTAS RETIFICADORAS (-) CONTAS RETIFICADORAS (-) DUPLICATAS DESCONTADAS (-) PROVISÕES PARA CRÉDITOS DE LIQUIDAÇÃ (-) PROVISÃO PARA AJUSTE DO ESTOQUE AO V (-) PROVISÕES PARA AJUSTE AO VALOR PROVÁ (-) OUTRAS CONTAS RETIFICADORAS REALIZÁVEL A LONGO PRAZO CRÉDITOS CLIENTES CRÉDITOS COM PESSOAS LIGADAS (FÍSICAS/JU TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS DEPÓSITOS JUDICIAIS CRÉDITOS FISCAIS CSLL DIFERENÇAS TEMPO CRÉDITOS FISCAIS IRPJ DIFERENÇAS TEMPO CRÉDITOS POR CONTRIBUIÇÕES E DOAÇÕES OUTRAS CONTAS (-) CONTAS RETIFICADORAS PERMANENTE

3 NÃO CIRCULANTE REALIZÁVEL A LONGO PRAZO CLIENTES CRÉDITOS COM PESSOAS LIGADAS (FÍSICAS/JU VALORES MOBILIÁRIOS DEPÓSITOS JUDICIAIS CRÉDITOS FISCAIS CSLL DIFERENÇAS TEMPO CRÉDITOS FISCAIS IRPJ DIFERENÇAS TEMPO CRÉDITOS POR CONTRIBUIÇÕES E DOAÇÕES OUTRAS CONTAS (-) DUPLICATAS DESCONTADAS (-) PROVISÕES PARA CRÉDITOS DE LIQUIDAÇÃ (-) PROVISÕES PARA AJUSTE AO VALOR PROVÁ (-) OUTRAS CONTAS RETIFICADORAS INVESTIMENTOS PARTICIPAÇÕES PERMANENTES EM COLIGADAS O INVESTIMENTOS DECORRENTES DE INCENTIVOS OUTROS INVESTIMENTOS ÁGIOS EM INVESTIMENTOS CORREÇÃO MONETÁRIA - DIFERENÇA IPC/BTNF CORREÇÃO MONETÁRIA ESPECIAL (LEI NO (-) DESÁGIOS E PROVISÃO PARA PERDAS PROV OUTRAS CONTAS (-) OUTRAS CONTAS RETIFICADORAS IMOBILIZADO TERRENOS EDIFÍCIOS E CONSTRUÇÕES CONSTRUÇÕES EM ANDAMENTO EQUIPAMENTOS, MÁQUINAS E INSTALAÇÕES IND

4 VEÍCULOS EMBARCAÇÕES AERONAVES MÓVEIS, UTENSÍLIOS E INSTALAÇÕES COMERCI RECURSOS MINERAIS FLORESTAMENTO E REFLORESTAMENTO DIREITOS CONTRATUAIS DE EXPLORAÇÃO DE FL OUTRAS IMOBILIZAÇÕES CORREÇÃO MONETÁRIA - DIFERENÇA IPC/BTNF CORREÇÃO MONETÁRIA ESPECIAL (LEI NO (-) DEPRECIAÇÕES, AMORTIZAÇÕES E QUOTAS (-) OUTRAS CONTAS REDUTORAS DO IMOBILIZA INTANGÍVEL CONCESSÕES MARCAS E PATENTES DIREITOS AUTORAIS FUNDO DE COMÉRCIO SOFTWARE OU PROGRAMAS DE COMPUTADOR FRANQUIAS DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS OUTRAS (-) AMORTIZAÇÃO DO INTANGÍVEL (-) OUTRAS CONTAS REDUTORAS DO INTANGÍVE DIFERIDO DESPESAS PRÉ-OPERACIONAIS OU PRÉ-INDUSTR DESPESAS COM PESQUISAS CIENTÍFICAS OU TE DEMAIS APLICAÇÕES EM DESPESAS AMORTIZÁVE CORREÇÃO MONETÁRIA - DIFERENÇA IPC/BTNF CORREÇÃO MONETÁRIA ESPECIAL (LEI NO

5 (-) AMORTIZAÇÃO DO DIFERIDO **** PASSIVO **** CIRCULANTE OBRIGAÇÕES DE CURTO PRAZO FORNECEDORES ADIANTAMENTOS DE CLIENTES FINANCIAMENTOS A CURTO PRAZO FINANCIAMENTOS A CURTO PRAZO - SISTEMA F ARRENDAMENTO MERCANTIL (FINANCEIRO) A CU FINANCIAMENTOS A CURTO PRAZO - OUTROS FINANCIAMENTOS A CURTO PRAZO - EXTERIOR ARRENDAMENTO MERCANTIL (FINANCEIRO) A CU IMPOSTOS, TAXAS E CONTRIBUIÇÕES A RECOLH IPI A RECOLHER ICMS E CONTRIBUIÇÕES A RECOLHER TRIBUTOS MUNICIPAIS A RECOLHER FGTS A RECOLHER PIS E COFINS A RECOLHER CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS A RECOLHER OUTROS TRIBUTOS A RECOLHER SALÁRIOS A PAGAR DIVIDENDOS PROPOSTOS OU LUCROS CREDITADO PROVISÃO PARA A CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBR PROVISÃO PARA O IMPOSTO DE RENDA DÉBITOS FISCAIS CSLL DIFERENÇAS TEMPOR DÉBITOS FISCAIS IRPJ DIFERENÇAS TEMPOR PROVISÕES DE NATUREZA FISCAL PROVISÕES DE NATUREZA TRABALHISTA PROVISÕES DE NATUREZA CÍVEL DOAÇÕES E SUBVENÇÕES PARA INVESTIMENTOS OUTRAS CONTAS (-) CONTAS RETIFICADORAS (-) CONTAS RETIFICADORAS EXIGÍVEL A LONGO PRAZO NÃO-CIRCULANTE

6 OBRIGAÇÕES A LONGO PRAZO FORNECEDORES FINANCIAMENTOS A LONGO PRAZO FINANCIAMENTOS A LONGO PRAZO - SISTEMA F ARRENDAMENTO MERCANTIL (FINANCEIRO) A LO FINANCIAMENTOS A LONGO PRAZO BRASIL FINANCIAMENTOS A LONGO PRAZO EXTERIOR ARRENDAMENTO MERCANTIL (FINANCEIRO) A LO EMPRÉSTIMOS DE SÓCIOS/ACIONISTAS NÃO ADM CRÉDITOS DE PESSOAS LIGADAS (FÍSICAS/JUR PROVISÃO PARA O IMPOSTO DE RENDA SOBRE L DÉBITOS FISCAIS CSLL - DIFERENÇAS TEMPOR DÉBITOS FISCAIS IRPJ - DIFERENÇAS TEMPOR OUTRAS PROVISÕES DE NATUREZA FISCAL OUTRAS PROVISÕES DE NATUREZA TRABALHISTA OUTRAS PROVISÕES DE NATUREZA CÍVEL DOAÇÕES E SUBVENÇÕES PARA INVESTIMENTOS OUTRAS CONTAS (-) CONTAS RETIFICADORAS (-) CONTAS RETIFICADORAS RECEITAS DIFERIDAS RECEITAS DIFERIDAS (-) CUSTOS CORRESPONDENTES ÀS RECEITAS D RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS RECEITA DE EXERCÍCIOS FUTUROS (-) CUSTOS E DESPESAS CORRESPONDENTES PATRIMÔNIO LÍQUIDO CAPITAL REALIZADO CAPITAL SUBSCRITO DE DOMICILIADOS E RESI (-) CAPITAL A INTEGRALIZAR DE DOMICILIAD CAPITAL SUBSCRITO DE DOMICILIADOS E RESI

7 (-) CAPITAL A INTEGRALIZAR DE DOMICILIAD RESERVAS RESERVAS DE CAPITAL RESERVAS DE REAVALIAÇÃO RESERVAS DE LUCROS RESERVAS DE LUCROS - DOAÇÕES E SUBVENÇÕE RESERVAS DE LUCROS - PRÊMIO NA EMISSÃO D RESERVA PARA AUMENTO DE CAPITAL (LEI NO OUTRAS RESERVAS AJUSTES DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL AJUSTES ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONT (-) AJUSTES ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE OUTRAS CONTAS LUCROS ACUMULADOS E/OU SALDO À DISPOSIÇÃ (-) PREJUÍZOS ACUMULADOS (-) AÇÕES EM TESOURARIA OUTRAS PATRIMÔNIO SOCIAL FUNDO PATRIMONIAL FUNDO PATRIMONIAL RESERVAS RESERVAS PATRIMONIAIS RESERVAS ESTATUTÁRIAS OUTRAS CONTAS SUPERÁVITS ACUMULADOS DÉFICITS ACUMULADOS RESULTADO LÍQUIDO DO PERÍODO RESULTADO LÍQUIDO DO PERÍODO ANTES DO IR RESULTADO OPERACIONAL

8 OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS RECEITA LIQUIDA RECEITA BRUTA DEDUÇÕES DA RECEITA BRUTA RECEITA DA EXPORTAÇÃO DE PRODUTOS RECEITA DE EXPORTAÇÃO DIRETA DE MERCADOR RECEITA DE VENDAS DE MERCADORIAS E PRODU RECEITA DE EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS RECEITA DA VENDA NO MERCADO INTERNO DE P RECEITA DA REVENDA DE MERCADORIAS NO MER RECEITA DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MERCA RECEITA DAS UNIDADES IMOBILIÁRIAS VENDID RECEITA DE LOCAÇÃO DE BENS MÓVEIS E IMÓV OUTRAS (-) VENDAS CANCELADAS, DEVOLUÇÕES E DESC (-) ICMS (-) COFINS (-) PIS/PASEP (-) ISS (-) DEMAIS IMPOSTOS E CONTRIBUIÇÕES INCI CUSTO DOS BENS E SERVIÇOS VENDIDOS CUSTO DOS PRODUTOS DE FABRICAÇÃO PRÓPRIA CUSTO DAS MERCADORIAS REVENDIDAS CUSTO DOS SERVIÇOS VENDIDOS CUSTO DAS UNIDADES IMOBILIÁRIAS VENDIDAS AJUSTES DE ESTOQUES DECORRENTES DE ARBIT CUSTO DOS PRODUTOS DE FABRICAÇÃO PRÓPRIA ESTOQUES NO INÍCIO DO PERÍODO DE APURAÇÃ COMPRAS DE INSUMOS À VISTA COMPRAS DE INSUMOS A PRAZO REMUNERAÇÃO A DIRIGENTES DE INDÚSTRIA CUSTO DO PESSOAL APLICADO NA PRODUÇÃO ENCARGOS SOCIAIS PREVIDÊNCIA SOCIAL ENCARGOS SOCIAIS FGTS ENCARGOS SOCIAIS OUTROS ALIMENTAÇÃO DO TRABALHADOR MANUTENÇÃO E REPARO DE BENS APLICADOS NA ARRENDAMENTO MERCANTIL ENCARGOS DE DEPRECIAÇÃO, AMORTIZAÇÃO E E CONSTITUIÇÃO DE PROVISÕES SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA SEM SERVIÇOS PRESTADOS PESSOA JURÍDICA ROYALTIES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA PAÍS ROYALTIES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA EXTERI OUTROS CUSTOS (-) ESTOQUES NO FINAL DO PERÍODO DE APUR CUSTO DAS MERCADORIAS REVENDIDAS ESTOQUES NO INÍCIO DO PERÍODO DE APURAÇÃ COMPRAS DE MERCADORIAS À VISTA

9 COMPRAS DE MERCADORIAS A PRAZO (-) ESTOQUES NO FINAL DO PERÍODO DE APUR CUSTO DOS SERVIÇOS VENDIDOS SALDO INICIAL DE SERVIÇOS EM ANDAMENTO MATERIAL APLICADO NA PRODUÇÃO DOS SERVIÇ REMUNERAÇÃO DE DIRIGENTES DE PRODUÇÃO DO CUSTO DO PESSOAL APLICADO NA PRODUÇÃO DO SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA SEM SERVIÇOS PRESTADOS PESSOA JURÍDICA ENCARGOS SOCIAIS PREVIDÊNCIA SOCIAL ENCARGOS SOCIAIS FGTS ENCARGOS SOCIAIS OUTROS ALIMENTAÇÃO DO TRABALHADOR ENCARGOS DE DEPRECIAÇÃO E AMORTIZAÇÃO ARRENDAMENTO MERCANTIL CONSTITUIÇÃO DE PROVISÕES ROYALTIES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA PAÍS ROYALTIES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA - EXTERI OUTROS CUSTOS (-) SALDO FINAL DE SERVIÇOS EM ANDAMENTO CUSTO DAS UNIDADES IMOBILIÁRIAS VENDIDAS AJUSTES DE ESTOQUES DECORRENTES DE ARBIT OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS VARIAÇÕES CAMBIAIS ATIVAS GANHOS AUFERIDOS NO MERCADO DE RENDA VAR GANHOS EM OPERAÇÕES DAY-TRADE RECEITAS DE JUROS SOBRE O CAPITAL PRÓPRI OUTRAS RECEITAS FINANCEIRAS GANHOS NA ALIENAÇÃO DE PARTICIPAÇÕES NÃO RESULTADOS POSITIVOS EM PARTICIPAÇÕES SO AMORTIZAÇÃO DE DESÁGIO NAS AQUISIÇÕES DE RESULTADOS POSITIVOS EM SCP RENDIMENTOS E GANHOS DE CAPITAL AUFERIDO REVERSÃO DOS SALDOS DAS PROVISÕES OPERAC PRÊMIOS RECEBIDOS NA EMISSÃO DE DEBÊNTUR DOAÇÕES E SUBVENÇÕES PARA INVESTIMENTOS CONTRAPARTIDA DOS AJUSTES AO VALOR PRESE CONTRAPARTIDA DE OUTROS AJUSTES ÀS NORMA OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS DESPESAS OPERACIONAIS DESPESAS OPERACIONAIS DAS ATIVIDADES EM REMUNERAÇÃO A DIRIGENTES E A CONSELHO DE ORDENADOS, SALÁRIOS, GRATIFICAÇÕES E OUT ORDENADOS, SALÁRIOS GRATIFICAÇÕES E OUTR PLANOS DE POUPANÇA E INVESTIMENTOS DE EM FUNDO DE APOSENTADORIA PROGRAMADA INDIVI PLANO DE PREVIDÊNCIA PRIVADA DE EMPREGAD OUTROS GASTOS COM PESSOAL PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS POR PESSOA FÍSICA

10 PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PESSOA JURÍDICA SERVIÇOS PRESTADOS POR COOPERATIVA DE TR LOCAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA ENCARGOS SOCIAIS PREVIDÊNCIA SOCIAL ENCARGOS SOCIAIS FGTS ENCARGOS SOCIAIS OUTROS DOAÇÕES E PATROCÍNIOS DE CARÁTER CULTURA DOAÇÕES A INSTITUIÇÕES DE ENSINO E PESQU DOAÇÕES A ENTIDADES CIVIS OUTRAS CONTRIBUIÇÕES E DOAÇÕES ALIMENTAÇÃO DO TRABALHADOR PIS/PASEP COFINS CPMF DEMAIS IMPOSTOS, TAXAS E CONTRIBUIÇÕES, ARRENDAMENTO MERCANTIL ALUGUÉIS DESPESAS COM VEÍCULOS E DE CONSERVAÇÃO D PROPAGANDA E PUBLICIDADE PROPAGANDA, PUBLICIDADE E PATROCÍNIO (AS PROPAGANDA, PUBLICIDADE E PATROCÍNIO MULTAS ENCARGOS DE DEPRECIAÇÃO E AMORTIZAÇÃO PERDAS EM OPERAÇÕES DE CRÉDITO PROVISÕES PARA FÉRIAS E 13O SALÁRIO DE E PROVISÃO PARA PERDA DE ESTOQUE DEMAIS PROVISÕES GRATIFICAÇÕES A ADMINISTRADORES ROYALTIES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA PAÍS ROYALTIES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA EXTERI ASSISTÊNCIA MÉDICA, ODONTOLÓGICA E FARMA PESQUISAS CIENTÍFICAS E TECNOLÓGICAS BENS DE NATUREZA PERMANENTE DEDUZIDOS CO DESPESAS COM VIAGENS, DIÁRIAS E AJUSTA D (-) VARIAÇÕES CAMBIAIS PASSIVAS (-) PERDAS INCORRIDAS NO MERCADO DE REND (-) PERDAS EM OPERAÇÕES DAY-TRADE (-) JUROS SOBRE O CAPITAL PRÓPRIO (-) OUTRAS DESPESAS FINANCEIRAS (-) PREJUÍZOS NA ALIENAÇÃO DE PARTICIPAÇ (-) RESULTADOS NEGATIVOS EM PARTICIPAÇÕE (-) AMORTIZAÇÃO DE ÁGIO NAS AQUISIÇÕES D (-) RESULTADOS NEGATIVOS EM SCP (-) PERDAS EM OPERAÇÕES REALIZADAS NO EX (-) CONTRAPARTIDA DOS AJUSTES AO VALOR P (-) CONTRAPARTIDA DE OUTROS AJUSTES ÀS N

11 (-) CONTRAPARTIDA DOS AJUSTES DE VALOR D OUTRAS RECEITAS E OUTRAS DESPESAS RECEITAS E DESPESAS NÃO OPERACIONAIS RECEITAS NÃO OPERACIONAIS DESPESAS NÃO OPERACIONAIS RECEITAS DE ALIENAÇÕES DE BENS E DIREITO GANHOS DE CAPITAL POR VARIAÇÃO PERCENTUA OUTRAS RECEITAS NÃO OPERACIONAIS (-) VALOR CONTÁBIL DOS BENS E DIREITOS A (-) PERDAS DE CAPITAL POR VARIAÇÃO PERCE (-) OUTRAS DESPESAS NÃO OPERACIONAIS PARTICIPAÇÕES PARTICIPAÇÕES NOS LUCROS PARTICIPAÇÕES DE EMPREGADOS OUTRAS PARTICIPAÇÕES (-) PARTICIPAÇÕES DE EMPREGADOS (-) CONTRIBUIÇÕES PARA ASSISTÊNCIA OU PR (-) OUTRAS PARTICIPAÇÕES DE EMPREGADOS (-) PARTICIPAÇÕES DE ADMINISTRADORES E P (-) PARTICIPAÇÕES DE DEBÊNTURES (-) OUTRAS PROVISÃO PARA CSLL E IRPJ (ATIVIDADES EM PROVISÃO PARA CSLL E IRPJ PROVISÃO PARA CSLL E IRPJ PROVISÃO PARA CSLL E IRPJ (-) CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO LÍ (-) PROVISÃO PARA IMPOSTO DE RENDA - PES RESULTADO ANTES DO IRPJ E DA CSLL - ATIV RESULTADO OPERACIONAL DA ATIVIDADE RURAL RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA DA ATIVIDADE RECEITA BRUTA DA ATIVIDADE RURAL DEDUÇÕES DA RECEITA BRUTA RECEITA DA ATIVIDADE RURAL (-) VENDAS CANCELADAS, DEVOLUÇÕES E DESC (-) ICMS (-) COFINS (-) PIS/PASEP (-) ISS (-) DEMAIS IMPOSTOS E CONTRIBUIÇÕES INCI CUSTO DOS BENS E SERVIÇOS VENDIDOS CUSTO DOS PRODUTOS DA ATIVIDADE RURAL VE AJUSTES DE ESTOQUES DECORRENTES DE ARBIT

12 CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS DA ATIVIDADE ESTOQUES INICIAIS DE INSUMOS AGROPECUÁRI ESTOQUES INICIAIS DE PRODUTOS AGROPECUÁR ESTOQUES INICIAIS DE PRODUTOS AGROPECUÁR COMPRAS DE INSUMOS AGROPECUÁRIOS À VISTA COMPRAS DE INSUMOS AGROPECUÁRIOS A PRAZO REMUNERAÇÃO A DIRIGENTES DA PRODUÇÃO CUSTO DO PESSOAL APLICADO NA PRODUÇÃO ENCARGOS SOCIAIS - PREVIDÊNCIA SOCIAL ENCARGOS SOCIAIS FGTS ENCARGOS SOCIAIS OUTROS ALIMENTAÇÃO DO TRABALHADOR MANUTENÇÃO E REPARO DE BENS APLICADOS NA ARRENDAMENTO MERCANTIL ENCARGOS DE DEPRECIAÇÃO, AMORTIZAÇÃO E E CONSTITUIÇÃO DE PROVISÕES SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA SEM SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA JURÍDICA ROYALTIES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA PAÍS ROYALTIES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA EXTERI OUTROS CUSTOS (-) ESTOQUES FINAIS DE INSUMOS AGROPECUÁ (-) ESTOQUES FINAIS DE PRODUTOS AGROPECU (-) ESTOQUES FINAIS DE PRODUTOS AGROPECU AJUSTES DE ESTOQUES DECORRENTES DE ARBIT OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS VARIAÇÕES CAMBIAIS ATIVAS GANHOS AUFERIDOS NO MERCADO DE RENDA VAR GANHOS EM OPERAÇÕES DAY-TRADE RECEITAS DE JUROS SOBRE O CAPITAL PRÓPRI OUTRAS RECEITAS FINANCEIRAS GANHOS NA ALIENAÇÃO DE PARTICIPAÇÕES NÃO RESULTADOS POSITIVOS EM PARTICIPAÇÕES SO AMORTIZAÇÃO DE DESÁGIO NAS AQUISIÇÕES DE RESULTADOS POSITIVOS EM SCP RENDIMENTOS E GANHOS DE CAPITAL AUFERIDO REVERSÃO DOS SALDOS DAS PROVISÕES OPERAC OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS PRÊMIOS RECEBIDOS NA EMISSÃO DE DEBÊNTUR DOAÇÕES E SUBVENÇÕES PARA INVESTIMENTOS CONTRAPARTIDA DOS AJUSTES AO VALOR PRESE CONTRAPARTIDA DE OUTROS AJUSTES ÀS NORMA DESPESAS OPERACIONAIS DESPESAS OPERACIONAIS DA ATIVIDADE RURAL REMUNERAÇÃO A DIRIGENTES E A CONSELHO DE ORDENADOS, SALÁRIOS, GRATIFICAÇÕES E OUT ORDENADOS, SALÁRIOS GRATIFICAÇÕES E OUTR PLANOS DE POUPANÇA E INVESTIMENTOS DE EM

13 FUNDO DE APOSENTADORIA PROGRAMADA INDIVI PLANO DE PREVIDÊNCIA PRIVADA DE EMPREGAD OUTROS GASTOS COM PESSOAL PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS POR PESSOA FÍSICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PESSOA JURÍDICA SERVIÇOS PRESTADOS POR COOPERATIVA DE TR LOCAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA ENCARGOS SOCIAIS - PREVIDÊNCIA SOCIAL ENCARGOS SOCIAIS FGTS ENCARGOS SOCIAIS OUTROS DOAÇÕES E PATROCÍNIOS DE CARÁTER CULTURA DOAÇÕES A INSTITUIÇÕES DE ENSINO E PESQU DOAÇÕES A ENTIDADES CIVIS OUTRAS CONTRIBUIÇÕES E DOAÇÕES ALIMENTAÇÃO DO TRABALHADOR PIS/PASEP COFINS CPMF DEMAIS IMPOSTOS, TAXAS E CONTRIBUIÇÕES, ARRENDAMENTO MERCANTIL ALUGUÉIS DESPESAS COM VEÍCULOS E DE CONSERVAÇÃO D PROPAGANDA E PUBLICIDADE PROPAGANDA, PUBLICIDADE E PATROCÍNIO (AS PROPAGANDA, PUBLICIDADE E PATROCÍNIO MULTAS ENCARGOS DE DEPRECIAÇÃO E AMORTIZAÇÃO PERDAS EM OPERAÇÕES DE CRÉDITO PROVISÕES PARA FÉRIAS E 13O SALÁRIO DE E PROVISÃO PARA PERDA DE ESTOQUE DEMAIS PROVISÕES GRATIFICAÇÕES A ADMINISTRADORES ROYALTIES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA PAÍS ROYALTIES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA EXTERI ASSISTÊNCIA MÉDICA, ODONTOLÓGICA E FARMA PESQUISAS CIENTÍFICAS E TECNOLÓGICAS BENS DE NATUREZA PERMANENTE DEDUZIDOS CO DESPESAS COM VIAGENS, DIÁRIAS E AJUSTA D (-) VARIAÇÕES CAMBIAIS PASSIVAS (-) PERDAS INCORRIDAS NO MERCADO DE REND (-) PERDAS EM OPERAÇÕES DAY-TRADE (-) JUROS SOBRE O CAPITAL PRÓPRIO (-) OUTRAS DESPESAS FINANCEIRAS (-) PREJUÍZOS NA ALIENAÇÃO DE PARTICIPAÇ (-) RESULTADOS NEGATIVOS EM PARTICIPAÇÕE (-) AMORTIZAÇÃO DE ÁGIO NAS AQUISIÇÕES D

14 (-) RESULTADOS NEGATIVOS EM SCP (-) PERDAS EM OPERAÇÕES REALIZADAS NO EX (-) CONTRAPARTIDA DOS AJUSTES AO VALOR P (-) CONTRAPARTIDA DE OUTROS AJUSTES ÀS N (-) CONTRAPARTIDA DOS AJUSTES DE VALOR D PARTICIPAÇÕES PARTICIPAÇÕES NOS LUCROS PARTICIPAÇÕES DE EMPREGADOS OUTRAS PARTICIPAÇÕES (-) PARTICIPAÇÕES DE EMPREGADOS (-) CONTRIBUIÇÕES PARA ASSISTÊNCIA OU PR (-) OUTRAS PARTICIPAÇÕES DE EMPREGADOS (-) PARTICIPAÇÕES DE ADMINISTRADORES E P (-) PARTICIPAÇÕES DE DEBÊNTURES (-) OUTRAS PROVISÃO PARA CSLL E IRPJ (ATIVIDADE RUR PROVISÃO PARA CSLL E IRPJ PROVISÃO PARA CSLL E IRPJ PROVISÃO PARA CSLL E IRPJ (-) CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO LÍ (-) PROVISÃO PARA IMPOSTO DE RENDA - PES SUPERÁVIT/DÉFICIT LÍQUIDO DO PERÍODO RESULTADO OPERACIONAL RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA RECEITA BRUTA RECEITA DE VENDA DE PRODUTOS - REDUZIDA RECEITA DE PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS RECEITA DE SERVIÇOS DE SAÚDE RECEITAS DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA SOCI RECEITAS DE OUTRAS ATIVIDADES DEDUÇÕES DA RECEITA BRUTA DA ATIVIDADE DE EDUCAÇÃO DA ATIVIDADE DE SAÚDE DA ATIVIDADE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL OUTRAS SERVIÇOS EDUCACIONAIS DOAÇÕES/SUBVENÇÕES VINCULADAS DOAÇÕES CONTRIBUIÇÕES OUTRAS PACIENTES PARTICULARES CONVÊNIOS SUS CONVÊNIOS OUTROS

15 DOAÇÕES/SUBVENÇÕES VINCULADAS DOAÇÕES CONTRIBUIÇÕES OUTRAS PACIENTES PARTICULARES CONVÊNIOS - OUTROS DOAÇÕES/SUBVENÇÕES VINCULADAS DOAÇÕES CONTRIBUIÇÕES OUTRAS CONTRIBUIÇÕES SINDICAIS CONTRIBUIÇÕES CONFEDERATIVAS/ASSOCIATIVA MENSALIDADES DOAÇÕES/SUBVENÇÕES OUTRAS CONTRIBUIÇÕES OUTRAS (-) VENDAS CANCELADAS (-) DEVOLUÇÕES E DESCONTOS INCONDICIONAI OUTRAS CUSTO DOS PRODUTOS E SERVIÇOS VENDIDOS CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS PARA EDUCAÇÃ CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS PARA SAÚDE CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS PARA ASSISTÊ CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS PARA AS DEMA CUSTOS DOS PRODUTOS PARA EDUCAÇÃO - VEND CUSTOS DOS PRODUTOS PARA EDUCAÇÃO - GRAT OUTROS CUSTOS CUSTOS DOS PRODUTOS PARA SAÚDE VENDIDO CUSTOS DOS PRODUTOS PARA SAÚDE - GRATUID OUTROS CUSTOS CUSTOS DOS PRODUTOS PARA ASSISTÊNCIA SOC CUSTOS DOS PRODUTOS PARA ASSISTÊNCIA SOC OUTRAS CUSTOS DOS PRODUTOS VENDIDOS EM GERAL OUTROS CUSTOS CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PARA EDUCAÇ CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PARA SAÚDE CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PARA ASSIST CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PARA AS DEM CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS A ALUNOS NÃ CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS A CONVÊNIOS CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS A DOAÇÕES/S CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS A DOAÇÕES CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS AO PROUNI CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS A GRATUIDAD OUTROS CUSTOS

16 CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS A PACIENTES CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS A CONVÊNIOS CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS A CONVÊNIOS CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS A DOAÇÕES/S CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS A DOAÇÕES CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS A GRATUIDAD OUTROS CUSTOS CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS A PACIENTES CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS A CONVÊNIOS CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS A DOAÇÕES/S CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS A DOAÇÕES CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS A GRATUIDAD OUTROS CUSTOS CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS EM GERAL OUTROS CUSTOS OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS VARIAÇÕES CAMBIAIS ATIVAS GANHOS AUFERIDOS NO MERCADO DE RENDA VAR GANHOS EM OPERAÇÕES DAY-TRADE OUTRAS RECEITAS DE APLICAÇÕES FINANCEIRA GANHOS NA ALIENAÇÃO DE PARTICIPAÇÕES NÃO RESULTADOS POSITIVOS EM PARTICIPAÇÕES SO RENDIMENTOS E GANHOS DE CAPITAL AUFERIDO REVERSÃO DOS SALDOS DAS PROVISÕES OPERAC OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS OUTRAS DESPESAS OPERACIONAIS DESPESAS OPERACIONAIS DESPESAS OPERACIONAIS REMUNERAÇÕES A EMPREGADOS INDENIZAÇÕES TRABALHISTAS REMUNERAÇÃO A DIRIGENTES E A CONSELHO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS POR PESSOA FÍSICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO POR PESSOA JURÍDICA DOAÇÕES E PATROCÍNIOS DE CARÁTER CULTURA DOAÇÕES A INSTITUIÇÕES DE ENSINO E PESQU DOAÇÕES A ENTIDADES CIVIS OUTRAS CONTRIBUIÇÕES E DOAÇÕES FGTS (SEM INDENIZAÇÃO 40%) ASSISTÊNCIA MÉDICA, ODONTOLÓGICA, MEDICA PROVISÕES PARA FÉRIAS E 13O SALÁRIO DE E DEMAIS PROVISÕES ARRENDAMENTO MERCANTIL ALUGUÉIS DESPESAS COM VEÍCULOS E DE CONSERVAÇÃO D PROPAGANDA E PUBLICIDADE

17 MULTAS ENCARGOS DE DEPRECIAÇÃO E AMORTIZAÇÃO REPASSES PARA OUTRAS ENTIDADES (SINDICAT CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PATRONAIS COFINS CSLL PIS/PASEP CPMF DEMAIS IMPOSTOS, TAXAS E CONTRIBUIÇÕES, (-) VARIAÇÕES CAMBIAIS PASSIVAS (-) PERDAS INCORRIDAS NO MERCADO DE REND (-) PERDAS EM OPERAÇÕES DAY-TRADE (-) OUTRAS DESPESAS DE APLICAÇÕES (-) PREJUÍZOS NA ALIENAÇÃO DE PARTICIPAÇ (-) RESULTADOS NEGATIVOS EM PARTICIPAÇÕE (-) PERDAS EM OPERAÇÕES REALIZADAS NO EX OUTRAS RECEITAS E DESPESAS RECEITAS E DESPESAS NÃO OPERACIONAIS RECEITAS E DESPESAS NÃO OPERACIONAIS RECEITAS NÃO OPERACIONAIS RECEITAS DE ALIENAÇÕES DE BENS E DIREITO OUTRAS RECEITAS NÃO OPERACIONAIS DESPESAS NÃO OPERACIONAIS (-) VALOR CONTÁBIL DOS BENS E DIREITOS A (-) OUTRAS DESPESAS NÃO OPERACIONAIS CUSTOS DE PRODUÇÃO CUSTO DOS BENS E SERVIÇOS PRODUZIDOS CUSTO DOS PRODUTOS DE FABRICAÇÃO PRÓPRIA CONSUMO DE INSUMOS REMUNERAÇÃO A DIRIGENTES DE LIGADOS À PR CUSTO DO PESSOAL APLICADO NA PRODUÇÃO PLANOS DE POUPANÇA E INVESTIMENTOS DE EM FUNDO DE APOSENTADORIA PROGRAMADA INDIVI PLANO DE PREVIDÊNCIA PRIVADA DE EMPREGAD OUTROS GASTOS COM PESSOAL LIGADO À PRODU

18 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS POR PESSOA FÍSICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PESSOA JURÍDICA SERVIÇOS PRESTADOS POR COOPERATIVA DE TR LOCAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA ENCARGOS SOCIAIS PREVIDÊNCIA SOCIAL ENCARGOS SOCIAIS FGTS ENCARGOS SOCIAIS OUTROS ALIMENTAÇÃO DO TRABALHADOR MANUTENÇÃO E REPARO DE BENS APLICADOS NA ARRENDAMENTO MERCANTIL ENCARGOS DE DEPRECIAÇÃO, AMORTIZAÇÃO E E CONSTITUIÇÃO DE PROVISÕES SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA SEM SERVIÇOS PRESTADOS PESSOA JURÍDICA ROYALTIES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA PAÍS ROYALTIES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA EXTERI OUTROS CUSTOS CUSTO DOS SERVIÇOS PRODUZIDOS MATERIAL APLICADO NA PRODUÇÃO DE SERVIÇO REMUNERAÇÃO A DIRIGENTES LIGADOS À PRODU CUSTO DO PESSOAL APLICADO NA PRODUÇÃO DE PLANOS DE POUPANÇA E INVESTIMENTOS DE EM FUNDO DE APOSENTADORIA PROGRAMADA INDIVI PLANO DE PREVIDÊNCIA PRIVADA DE EMPREGAD OUTROS GASTOS COM PESSOAL LIGADO À PRODU PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS POR PESSOA FÍSICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PESSOA JURÍDICA SERVIÇOS PRESTADOS POR COOPERATIVA DE TR LOCAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA ENCARGOS SOCIAIS PREVIDÊNCIA SOCIAL

19 ENCARGOS SOCIAIS FGTS ENCARGOS SOCIAIS OUTROS ALIMENTAÇÃO DO TRABALHADOR MANUTENÇÃO E REPARO DE BENS APLICADOS NA ARRENDAMENTO MERCANTIL ENCARGOS DE DEPRECIAÇÃO, AMORTIZAÇÃO E E CONSTITUIÇÃO DE PROVISÕES SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA SEM SERVIÇOS PRESTADOS PESSOA JURÍDICA ROYALTIES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA PAÍS ROYALTIES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA EXTERI OUTROS CUSTOS CUSTO DOS PRODUTOS DE FABRICAÇÃO PRÓPRIA CONSUMO DE INSUMOS REMUNERAÇÃO A DIRIGENTES DE LIGADOS À PR CUSTO DO PESSOAL APLICADO NA PRODUÇÃO PLANOS DE POUPANÇA E INVESTIMENTOS DE EM FUNDO DE APOSENTADORIA PROGRAMADA INDIVI PLANO DE PREVIDÊNCIA PRIVADA DE EMPREGAD OUTROS GASTOS COM PESSOAL LIGADO À PRODU PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS POR PESSOA FÍSICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PESSOA JURÍDICA SERVIÇOS PRESTADOS POR COOPERATIVA DE TR LOCAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA ENCARGOS SOCIAIS PREVIDÊNCIA SOCIAL ENCARGOS SOCIAIS FGTS ENCARGOS SOCIAIS OUTROS ALIMENTAÇÃO DO TRABALHADOR MANUTENÇÃO E REPARO DE BENS APLICADOS NA

20 ARRENDAMENTO MERCANTIL ENCARGOS DE DEPRECIAÇÃO, AMORTIZAÇÃO E E CONSTITUIÇÃO DE PROVISÕES SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA SEM SERVIÇOS PRESTADOS PESSOA JURÍDICA ROYALTIES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA PAÍS ROYALTIES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA EXTERI OUTROS CUSTOS OUTROS

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal após a Lei 11638/07 Quando informado o registro: as instituições sujeitas

Leia mais

RECEITA FEDERAL Coordenação-Geral de Estudos Econômico- Tributários, Previsão e Análise da Arrecadação

RECEITA FEDERAL Coordenação-Geral de Estudos Econômico- Tributários, Previsão e Análise da Arrecadação RECEITA FEDERAL Coordenação-Geral de Estudos Econômico- Tributários, Previsão e Análise da Arrecadação ESTATÍSTICAS TRIBUTÁRIAS Consolida DIPJ 2006 Consolidação da Declaração do Imposto de Renda das Pessoas

Leia mais

0001 CNPJ: Código T Classificação Nome

0001 CNPJ: Código T Classificação Nome 000..678/000-9 S ATIVO S. ATIVO CIRCULANTE S.. DISPONIVEL S...0 CAIXA...0.00 CAIXA GERAL 6...0.00 FUNDO FIXO DE CAIXA 7 S...0 BANCOS CONTA MOVIMENTO 8...0.00 BANCO DO BRASIL 9...0.00 CAIXA ECONOMICA FEDERAL

Leia mais

ADE COFIS nº 31 - DOU DE 08/09/2011

ADE COFIS nº 31 - DOU DE 08/09/2011 ADE COFIS nº 31 - DOU DE 08/09/2011 Anexo II TABELAS DE CÓDIGO E plano de contas referencial INTRODUÇÃO As tabelas de códigos internas ao Sped terão o seguinte leiaute (separados por ; ponto e vírgula):

Leia mais

Elenco de Contas Prof. Me. Laércio Juarez Melz 1

Elenco de Contas Prof. Me. Laércio Juarez Melz 1 Elenco de Contas Prof. Me. Laércio Juarez Melz 1 Classificação CONTA 1. ATIVO 1. 1. ATIVO CIRCULANTE 1. 1. 1. DISPONIBILIDADES 1. 1. 1. 01. CAIXA GERAL 1. 1. 1. 01. 1001 Caixa 1. 1. 1. 02. BANCOS CONTA

Leia mais

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar A seguir um modelo de Plano de Contas que poderá ser utilizado por empresas comerciais, industriais e prestadoras de serviços, com as devidas adaptações: 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante 1.1.1 Disponível 1.1.1.01

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ECONÔMICO-FISCAIS DA PESSOA JURÍDICA D I P J 2014

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ECONÔMICO-FISCAIS DA PESSOA JURÍDICA D I P J 2014 MINISTÉRIO DA FAZENDA DECLARAÇÃO DE INFORMAÇÕES SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ECONÔMICO-FISCAIS DA PESSOA JURÍDICA D I P J 2014 Ficha 01 - Dados Iniciais CNPJ: Situação da Declaração: Normal

Leia mais

Unidade II CONTABILIDADE. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade II CONTABILIDADE. Prof. Jean Cavaleiro Unidade II CONTABILIDADE Prof. Jean Cavaleiro Objetivo Conhecer a estrutura do balanço patrimonial: ativo; passivo. Conhecer a estrutura do DRE. Conhecer a estrutura do DFC: direto; indireto. Balanço patrimonial

Leia mais

Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p. Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa):

Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p. Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa): Pesquisa Industrial Anual Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/pia/default.asp?o=16&i=p Conceituação das variáveis (Dados a partir de 1996 - Empresa): Aluguéis e arrendamentos Despesas com

Leia mais

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil)

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 1.829 Fornecedores 58.422 Contas a Receber 238.880

Leia mais

PLANO DE CONTAS ATIVO - CONTAS DEVEDORAS PASSIVO - CONTAS CREDORAS DESPESAS - CONTAS DEVEDORAS RECEITAS - CONTAS CREDORAS APURAÇÃO DE RESULTADO

PLANO DE CONTAS ATIVO - CONTAS DEVEDORAS PASSIVO - CONTAS CREDORAS DESPESAS - CONTAS DEVEDORAS RECEITAS - CONTAS CREDORAS APURAÇÃO DE RESULTADO PLANO DE CONTAS O plano de Contas normalmente é composto de cinco grupos. ATIVO - CONTAS DEVEDORAS PASSIVO - CONTAS CREDORAS DESPESAS - CONTAS DEVEDORAS RECEITAS - CONTAS CREDORAS APURAÇÃO DE RESULTADO

Leia mais

Relatório do Plano de Contas

Relatório do Plano de Contas 1 10000 ATIVO 1.01 10001 ATIVO CIRCULANTE 1.01.01 10002 DISPONIVEL 1.01.01.01 10003 CAIXA 1.01.01.01.00001 10004 CAIXA GERAL S 1.01.01.02 10020 BANCO CONTA MOVIMENTO 1.01.01.02.00001 10021 BANCO DO BRASIL

Leia mais

Conta Descrição 30/06/2012 31/12/2011. 1 Ativo Total 13.041.716 13.025.168. 1.01 Ativo Circulante 955.080 893.603

Conta Descrição 30/06/2012 31/12/2011. 1 Ativo Total 13.041.716 13.025.168. 1.01 Ativo Circulante 955.080 893.603 Conta Descrição 0/06/0 //0 Ativo Total.0.76.05.68.0 Ativo Circulante 955.080 89.60.0.0 Caixa e Equivalentes de Caixa 5.8 7.9.0.0.0 Bens Numerários.0.0.0 Depósitos Bancários.69 6..0.0.0 Aplicações Financeiras.9.5.0.0

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais)

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais) DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Adiantamento para futuro Capital Prejuízos aumento Explicativa n o social acumulados Subtotal de capital Total SALDO EM 01 DE DEZEMBRO DE 2010 255.719.100

Leia mais

ANEXO Capítulo II - Elenco Sintético das Contas 2013 ATIVO

ANEXO Capítulo II - Elenco Sintético das Contas 2013 ATIVO SUB 1 1 2 CIRCULANTE 1 2 1 DISPONÍVEL 1 2 1 1 CAIXA 1 2 1 1 1 CAIXA 1 2 1 1 1 9 CAIXA 1 2 1 1 1 9 0 1 CAIXA 1 2 1 1 1 9 0 1 1 Caixa 1 2 1 2 NUMERÁRIO EM TRANSITO 1 2 1 2 1 NUMERÁRIO EM TRANSITO 1 2 1 2

Leia mais

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa V Pagamento de fornecedores Retenção de IRF sobre serviços Retenção de IRF sobre salários Pró-labore Integralização de capital em dinheiro Integralização de capital em bens Depreciação ICMS sobre vendas

Leia mais

Código Grau Título Legenda 1 Ativo. 1.1.1 Caixa e Equivalentes de Caixa (A)

Código Grau Título Legenda 1 Ativo. 1.1.1 Caixa e Equivalentes de Caixa (A) 6. PLANO DE CONTAS É apresentada abaixo a estrutura do Plano de Contas elaborada para o Manual de Contabilidade do Serviço Público de Exploração da Infraestrutura Rodoviária Federal. Legenda: (A) Rubrica

Leia mais

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras 1 ATIVO 1.01 CIRCULANTE 1.01.01 DISPONÍVEL 1.01.01.01 Caixa 1.01.01.02 Valores em Trânsito 1.01.01.03 Bancos Conta Depósitos 1.01.01.04 Aplicações no Mercado Aberto 1.01.02 APLICAÇÕES 1.01.02.01 Títulos

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

Modelo de Plano de Contas Modelo após Leis 11638/2007 e 11941/2009 (Adaptada ao Sped)

Modelo de Plano de Contas Modelo após Leis 11638/2007 e 11941/2009 (Adaptada ao Sped) Modelo de Plano de Contas Modelo após Leis 11638/2007 e 11941/2009 (Adaptada ao Sped) Código Descrição Analítica Patrim. Natureza 1 *** Ativo *** X Devedora 101 Ativo Circulante X Devedora 10101 Disponibilidades

Leia mais

Anexo 12 - Balanço Orçamentário

Anexo 12 - Balanço Orçamentário Anexo 12 - Balanço Orçamentário BALANÇO ORÇAMENTÁRIO EXERCÍCIO: PERÍODO: MÊS DATA DE EMISSÃO: PÁGINA: PREVISÃO PREVISÃO RECEITAS SALDO RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS INICIAL ATUALIZADA REALIZADAS (a) (b) c = (a-b)

Leia mais

PLANO DE CONTAS PADRÃO ANS

PLANO DE CONTAS PADRÃO ANS MICROFLEX Informática Folha 1 1 ATIVO 1.2 ATIVO CIRCULANTE 1.2.1 DISPONÍVEL 1.2.1.1 CAIXA 1.2.1.1.1 Caixa 1.2.1.1.1.9.1.0.0 Caixa 1.2.1.2 VALORES EM TRÂNSITO 1.2.1.2.1 Valores em Trânsito 1.2.1.2.1.9.1.0.0

Leia mais

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007 PLANO DE S FOLHA: 000001 1 - ATIVO 1.1 - ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 - DISPONÍVEL 1.1.1.01 - BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.0001 - (0000000001) - CAIXA 1.1.1.02 - DEPÓSITOS BANCÁRIOS 1.1.1.02.0001 - (0000000002)

Leia mais

ATIVO Notas 2009 2008

ATIVO Notas 2009 2008 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO Notas 2009 2008 CIRCULANTE Caixa e bancos 20.723 188.196 Contas a receber 4 903.098 806.697 Outras contas a receber 5 121.908 115.578 Estoques 11.805 7.673

Leia mais

PLANO DE CONTAS - GÁS NATURAL

PLANO DE CONTAS - GÁS NATURAL 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante 1.1.1 Disponibilidades 1.1.1.1 Caixa e Equivalentes de Caixa 1.1.1.1.01 Caixa 1.1.1.1.02 Depósitos Bancários em Moeda Nacional 1.1.1.1.03 Contas de Poupança 1.1.1.1.04 Numerários

Leia mais

Contabilidade Decifrada. Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo

Contabilidade Decifrada. Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo Contabilidade Decifrada Módulo III - Demonstrações Luiz Eduardo Demonstrações Contábeis - balanço patrimonial; - demonstração do resultado do exercício; e, - demonstração de lucros ou prejuízos acumulados.

Leia mais

10. Balanço Patrimonial. 10.1 Plano de Contas

10. Balanço Patrimonial. 10.1 Plano de Contas 10. Balanço Patrimonial 10.1 Plano de Contas É um elemento sistematizado e metódico de todas as contas movimentadas por uma empresa. Cada empresa deverá ter seu próprio plano de contas de acordo com suas

Leia mais

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS 11 MODELO DE PLANO DE CONTAS Apresentamos a seguir uma sugestão de plano de contas, para as empresas de construção civil, utilizável também por aquelas que trabalham com obras por empreitada MODELO DE

Leia mais

ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL. FASF - Faculdade Sagrada Família - Curso de Administração - Disciplina Contabilidade Geral - 3º periodo

ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL. FASF - Faculdade Sagrada Família - Curso de Administração - Disciplina Contabilidade Geral - 3º periodo ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL Introdução Já sabemos que o Patrimônio é objeto da contabilidade, na qual representa o conjunto de bens, diretos e obrigações. Esta definição é muito importante estar claro

Leia mais

Divulgação: segunda-feira, 26 de janeiro de 2015 Publicação: terça-feira, 27 de janeiro de 2015. Tribunal Superior Eleitoral

Divulgação: segunda-feira, 26 de janeiro de 2015 Publicação: terça-feira, 27 de janeiro de 2015. Tribunal Superior Eleitoral Página 1 Divulgação: segunda-feira, 26 de janeiro de 2015 Publicação: terça-feira, 27 de janeiro de 2015 Tribunal Superior Eleitoral Ministro José Antonio Dias Toffoli Presidente Ministro Gilmar Ferreira

Leia mais

FUNDAÇÃO DAS ESCOLAS UNIDAS DO PLANALTO CATARINENSE LAGES - SC BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE. Valores expressos em Reais ATIVO

FUNDAÇÃO DAS ESCOLAS UNIDAS DO PLANALTO CATARINENSE LAGES - SC BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE. Valores expressos em Reais ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO CIRCULANTE Notas 6.637.617 7.393.842 Disponibilidades 1.048.777 742.707 Créditos a receber de clientes 4.1 1.832.535 2.646.556 Créditos a receber - outros

Leia mais

Ano 2015, Número 018 Brasília, terça-feira, 27 de janeiro de 2015 Página 1

Ano 2015, Número 018 Brasília, terça-feira, 27 de janeiro de 2015 Página 1 Ano 2015, Número 018 Brasília, terça-feira, 27 de janeiro de 2015 Página 1 Ano 2015, Número 018 Divulgação: segunda-feira, 26 de janeiro de 2015 Publicação: terça-feira, 27 de janeiro de 2015 Tribunal

Leia mais

ECF - PLANO REFERENCIAL - VERSAO 8 - TABELA - PJ em Geral

ECF - PLANO REFERENCIAL - VERSAO 8 - TABELA - PJ em Geral ECF - PLANO REFERENCIAL - VERSAO 8 - TABELA - PJ em Geral 1 ATIVO 1.01 ATIVO CIRCULANTE 1.01.01 DISPONIBILIDADES 1.01.01.01 CAIXA GERAL 1.01.01.01.01 Caixa Matriz 1.01.01.01.02 Caixa Filiais 1.01.01.02

Leia mais

Art. 2º) A peça orçamentária e parte integrante desta resolução.

Art. 2º) A peça orçamentária e parte integrante desta resolução. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO CONTESTADO FUnC RESOLUÇÃO 01/2010 FUnC Dispõe sobre o orçamento 2010 da FUnC. O Presidente da Fundação Universidade do Contestado, no uso de suas atribuições, de acordo com o Art.

Leia mais

PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord

PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord TipoConta SuperiorGrau Nat 1 ATIVO 1 S 1 1 1.01 ATIVO

Leia mais

http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_...

http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_... http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_... Página 1 de 14 CONTABILIDADE DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Considerações ROTEIRO 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO

Leia mais

Banrisul Armazéns Gerais S.A.

Banrisul Armazéns Gerais S.A. Balanços patrimoniais 1 de dezembro de 2012 e 2011 Nota Nota explicativa 1/12/12 1/12/11 explicativa 1/12/12 1/12/11 Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 17.891 18.884 Contas

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO

ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO ANEXO I PLANO DE CONTAS BÁSICO Conta do ATIVO 1 ATIVO 1. Circulante 1.. Disponível 1.. Realizável 1... Créditos 1... Estoques 1... Combustíveis 1... Lubrificantes 1... Peças, Acessórios, Materiais 1...

Leia mais

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Contabilistas e Corretores de Seguros da Grande Belo Horizonte Ltda. SICOOB CREDITÁBIL

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Contabilistas e Corretores de Seguros da Grande Belo Horizonte Ltda. SICOOB CREDITÁBIL BALANÇOS PATRIMONIAIS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DEZEMBRO DE 2015 E 2014 A T I V O 31/12/2015 31/12/2014 Circulante 16.397.472,20 12.860.303,16 Disponibilidades 290.217,28 156.007,88 Relações Interfinanceiras

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Fluxo de Caixa 6 Demonstração das Mutações

Leia mais

Contmatic - Escrita Fiscal

Contmatic - Escrita Fiscal Lucro Presumido: É uma forma simplificada de tributação onde os impostos são calculados com base num percentual estabelecido sobre o valor das vendas realizadas, independentemente da apuração do lucro,

Leia mais

APRESENTAÇÃO... 5 AGRADECIMENTOS... 9

APRESENTAÇÃO... 5 AGRADECIMENTOS... 9 Sumário APRESENTAÇÃO... 5 AGRADECIMENTOS... 9 CAPÍTULO 1 INCIDÊNCIA DO IMPOSTO DE RENDA DAS PESSOAS JURÍDICAS. FATO GERADOR. BASE DE CÁLCULO. ALÍQUOTAS. IMUNIDADES, ISENÇÕES E NÃO INCIDÊNCIA... 19 1.1

Leia mais

RAZÃO DAS CONTAS CONTÁBEIS E NÃO FINACEIRAS DEPRECIAÇÃO, AMORTIZAÇÃO, EXAUSTÃO, REC/DESP. EQUIV. PATRIMONIAL

RAZÃO DAS CONTAS CONTÁBEIS E NÃO FINACEIRAS DEPRECIAÇÃO, AMORTIZAÇÃO, EXAUSTÃO, REC/DESP. EQUIV. PATRIMONIAL EXERCÍCIO DE DFC 02 RAZÃO DAS CONTAS DO CAIXA E EQUIVALENTES (DISPONÍVEL) CAIXA, BANCOS, APLICAÇÕES DE CURTÍSSIMO PRAZO (ATÉ 90 DIAS) CONTA BCO C/MOVIM Saldo Inicial: 1.000.000,00 10/01 Pela Aquisição

Leia mais

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014

Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas em 31 de dezembro de 2014 Serviço Funerário Bom Pastor Ltda ME Demonstrações contábeis findas Demonstrações financeiras em IFRS e baseadas nos Pronunciamentos Técnicos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis - CPC em

Leia mais

Princípios Fundamentais Contabilidade

Princípios Fundamentais Contabilidade Princípios Fundamentais Contabilidade 1 Princípios Contábeis. Resolução CFC 750 de 29 de dezembro de 1993. Art. 3 São Princípios de Contabilidade:(2) I o da ENTIDADE; II o da CONTINUIDADE; III o da OPORTUNIDADE;

Leia mais

Obrigações. Fornecedores 45.000. Salários a pagar 75.000. Impostos a recolher 20.000. Patrimônio Líquido. Capital Social 100.000. Reservas 30.

Obrigações. Fornecedores 45.000. Salários a pagar 75.000. Impostos a recolher 20.000. Patrimônio Líquido. Capital Social 100.000. Reservas 30. Você acessou como Administrador Usuário (Sair) Info Resultados Visualização prévia Modificar Visualização prévia de Contabilidade Geral Iniciar novamente 1 Considerando: I- A contabilidade estuda e controla

Leia mais

ATIVO 735.264,30D 663.271,13D. Ativo Circulante 197.219,83D 167.247,30D. Disponivel 168.938,31D 150.125,04D

ATIVO 735.264,30D 663.271,13D. Ativo Circulante 197.219,83D 167.247,30D. Disponivel 168.938,31D 150.125,04D Data: 17/07/2015 ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE BAMBUI Folha: 2 Hora: 10:41:27 *** Balanço Patrimonial *** ATIVO 735.264,30D 663.271,13D Ativo Circulante 197.219,83D 167.247,30D Disponivel 168.938,31D

Leia mais

Aula 2 Contextualização

Aula 2 Contextualização Planejamento Financeiro Aula 2 Contextualização Profa. Claudia Abramczuk Definição da quantidade de capital para investimento Movimentações financeiras constituem o patrimônio da empresa O bom planejamento

Leia mais

PLANO DE CONTAS REFERENCIAL SPED CONTÁBIL

PLANO DE CONTAS REFERENCIAL SPED CONTÁBIL 1 ATIVO 1.01 CIRCULANTE 1.01.01 DISPONIBILIDADES 1.01.01.01.00 Caixa Contas que registram valores em dinheiro e em cheques em caixa, recebidos e ainda não depositados, pagáveis irrestrita e imediatamente.

Leia mais

GCC - Nº 0001 2016 - Os primeiros passos

GCC - Nº 0001 2016 - Os primeiros passos GCC - Nº 0001 2016 - Os primeiros passos Do início ao fim da A P A Análise (CONSULTORIA) Planejamento e Acompanhamento (CONTROLADORIA) Científico-Contábil para Gestão Empresarial com Eficácia Máxima (modelo

Leia mais

PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração

PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração Sumário 1. Considerações Iniciais 2. Codificação 3. Abertura de Contas Novas 4. Manual de Contas 5. Estrutura e Classificação Das Contas Patrimoniais 6. Modelo

Leia mais

IR e Contribuições Federais

IR e Contribuições Federais IR e Contribuições Ferais Denomin ação IRPF - quotas da claração IRPF - carnê-leão Multa e juros - carnê-leão recolhido com atraso sem a inclusão stes encargos Imposto sobre ganhos líquidos em operações

Leia mais

Comentários da prova SEFAZ-PI Disciplina: Contabilidade Geral Professor: Feliphe Araújo

Comentários da prova SEFAZ-PI Disciplina: Contabilidade Geral Professor: Feliphe Araújo Disciplina: Professor: Feliphe Araújo Olá amigos, Comentários da prova SEFAZ-PI ANÁLISE DA PROVA DE CONTABILIDADE GERAL - SEFAZ-PI Trago para vocês os comentários da prova da SEFAZ-PI realizado no último

Leia mais

Sumário. Capítulo 1. Conceitos Básicos...1. Cap00.indd 17 15/02/2016 10:18:53

Sumário. Capítulo 1. Conceitos Básicos...1. Cap00.indd 17 15/02/2016 10:18:53 Sumário Capítulo 1 Conceitos Básicos...1 1. Contabilidade...1 1.1. Conceitos...1 1.2. Campo de Aplicação...2 1.3. Funções da Contabilidade...2 1.4. Usuários da Informação Contábil...3 1.5. Técnicas Contábeis

Leia mais

Ativo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Passivo Nota 30/09/2014 31/12/2013

Ativo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Passivo Nota 30/09/2014 31/12/2013 DUDALINA S/A BALANÇO PATRIMONIAL EM 30 DE SETEMBRO DE 2014 (Valores expressos em milhares de reais) Ativo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Passivo Nota 30/09/2014 31/12/2013 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com relação a conceitos, objetivos e finalidades da contabilidade, julgue os itens que se seguem. 51 Auxiliar um governo no processo de fiscalização tributária é uma das finalidades

Leia mais

2.2. Tratamento tributário dos juros e Imposto de Renda na Fonte

2.2. Tratamento tributário dos juros e Imposto de Renda na Fonte EXERCÍCIOS PRÁTICOS - PLANILHAS DE CÁLCULOS CONTABILIZAÇÕES 1. Empréstimo Bancário Contabilização de empréstimo (Planilha 1), considerando que não houve despesas incrementais de captação, como taxas e

Leia mais

BALANCETES E RELATÓRIOS

BALANCETES E RELATÓRIOS Matéria - Contabilidade SUMÁRIO 1. Considerações Iniciais 2. Balancetes NBC T 2.7 3. Modelos de Balancetes 4. Relatórios 4.1. Relatórios por área de responsabilidade BALANCETES E RELATÓRIOS 5. Balancetes

Leia mais

Plano de Contas Pag.: 1 de 7

Plano de Contas Pag.: 1 de 7 Plano de Contas Pag.: 1 de 7 1 ATIVO 1.1 ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 ATIVO DISPONIVEL 1.1.1.001 NUMERARIOS 1.1.1.001.0001-0 CAIXA PEQUENO 11110 X 1.1.1.002 BANCOS CONTA MOVIMENTO 1.1.1.002.0001-5 BANCO BRADESCO

Leia mais

TRABALHO AVALIATIVO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Financeira e Orçamentaria II Turma: 7º Periodo

TRABALHO AVALIATIVO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Financeira e Orçamentaria II Turma: 7º Periodo TRABALHO AVALIATIVO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Financeira e Orçamentaria II Turma: 7º Periodo Elaboração do Trabalho: valor 3,0 Apresentação : Valor 3,0 (Impressa/escrita e Slides)

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - NEOENERGIA S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - NEOENERGIA S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 ITR Informações Trimestrais 30/06/2012 NEOENERGIA S.A Versão : 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial

Leia mais

Bens - É tudo aquilo suscetível de avaliação econômica servindo para satisfazer as necessidades humanas.

Bens - É tudo aquilo suscetível de avaliação econômica servindo para satisfazer as necessidades humanas. NOÇÕES DE CONTABILIDADE E FINANÇAS Prof. Adelino Correa 12/8/2011 Contabilidade: é a ciência que estudo o PATRIMÔNIO em suas variações quantitativas e qualitativas. - aspectos quantitativos = montante,

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01047-2 SARAIVA S.A. LIVREIROS EDITORES 60.500.139/0001-26 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01047-2 SARAIVA S.A. LIVREIROS EDITORES 60.500.139/0001-26 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

SUMÁRIO. Prof. Edson de Oliveira Pamplona http://www.iepg.unifei.edu.br/edson. www.iepg.unifei.edu.br/edson. Universidade Federal de Itajubá

SUMÁRIO. Prof. Edson de Oliveira Pamplona http://www.iepg.unifei.edu.br/edson. www.iepg.unifei.edu.br/edson. Universidade Federal de Itajubá 1 www.iepg.unifei.edu.br/edson Avaliação de Projetos e Negócios Prof. Edson de Oliveira Pamplona http://www.iepg.unifei.edu.br/edson 2011 SUMÁRIO 1. Introdução 2. Matemática Financeira 3. Análise de Alternativas

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO - DVA

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO - DVA DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO - DVA Sumário 1. Considerações Iniciais 2. Estrutura da Demonstração do Valor Adicionado 2.1 - Grupo de Receita Bruta - Outras Receitas 2.2 - Grupo de Insumos Adquiridos

Leia mais

Plano de Contas - Modelo

Plano de Contas - Modelo Plano de Contas - Modelo Ativo Passivo Contas De Compensação Passivas (CCP) Contas De Resultado Despesas Operacionais (DO) Provisão para o Imposto Sobre a Renda e Contribuição Social (PR) Participações

Leia mais

Palestra. Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC) e Demonstração do Valor Adicionado (DVA) - Novas Normas Contábeis. Março 2012.

Palestra. Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC) e Demonstração do Valor Adicionado (DVA) - Novas Normas Contábeis. Março 2012. Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 2 - Lucro Presumido

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 2 - Lucro Presumido 1 ATIVO 1.01 ATIVO CIRCULANTE 1.01.01 DISPONIBILIDADES 1.01.01.01 CAIXA GERAL 1.01.01.01.01 Caixa Matriz 1.01.01.01.02 Caixa Filiais 1.01.01.02 DEPÓSITOS BANCÁRIOS À VISTA 1.01.01.02.01 Bancos Conta Movimento

Leia mais

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66 Apresentação Parte I - CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE CONTABILIDADE, 1 1 Introdução ao Estudo da Ciência Contábil, 3 1 Conceito, 3 2 Objeto, 3 3 Finalidade, 4 4 Técnicas contábeis, 4 5 Campo de aplicação, 5

Leia mais

Folha: 1 Descrição Class.Externa Saldo Anterior Débito Crédito Saldo Atual

Folha: 1 Descrição Class.Externa Saldo Anterior Débito Crédito Saldo Atual Folha: 1 [1]ATIVO [1-1]ATIVO CIRCULANTE [1-1-1]ATIVO CIRCULANTE - FUNDO PARTIDÁRIO [1-1-1-01]DISPONÍVEL [1-1-1-01-02]BANCOS CONTA MOVIMENTO [1-1-1-01-02-01]BANCOS [1-1-1-01-02-01-01]BANCO DE BRASILIA C/C:

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

WWW.CARREIRAFISCAL.COM.BR

WWW.CARREIRAFISCAL.COM.BR Classifique as contas que geralmente caem em concursos e, muitas vezes, geram dúvidas. Banco c/ Movimento Banco conta Empréstimo Empréstimos a Diretores ou Acionistas Numerários em Trânsito Adiantamento

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO DEMONSTRATIVO DE RESULTADOS Mostra o fluxo de eventos ocorridos em um determinado período de tempo. Quanto a empresa lucrou no ano passado? BALANÇO PATRIMONIAL Fotografia

Leia mais

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral 1. Em relação ao princípio contábil da Competência, é correto afirmar que (A) o reconhecimento de despesas deve ser efetuado quando houver o efetivo desembolso financeiro

Leia mais

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLICIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade. Aula: 04 Prof.: Adelino Corrêa DATA: 26/10/2008. 13. Operações com mercadoria

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLICIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade. Aula: 04 Prof.: Adelino Corrêa DATA: 26/10/2008. 13. Operações com mercadoria 13. Operações com mercadoria Na comercialização de mercadoria (principal objeto de empresa comercial) existirão os tributos; entre eles o ICMS que será estudado na compra e venda da mercadoria. Impostos

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01999-2 TOTVS S/A 53.113.791/0001-22 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Reapresentação Espontânea O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.409/12. Aprova a ITG 2002 Entidade sem Finalidade de Lucros.

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.409/12. Aprova a ITG 2002 Entidade sem Finalidade de Lucros. RESOLUÇÃO CFC N.º 1.409/12 Aprova a ITG 2002 Entidade sem Finalidade de Lucros. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais e com fundamento no disposto na

Leia mais

PLANO DE CONTAS CONTÁBIL

PLANO DE CONTAS CONTÁBIL Cod.Normal Cód.Reduz. Grau Tipo Natureza Descrição 1. 1 1 S A ATIVO 1.1. 2 2 S AC ATIVO CIRCULANTE 1.1.1. 3 3 S AC DISPONÍVEL 1.1.1.01. 4 4 S AC BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.001-5 5 A AC Caixa 1.1.1.01.002-6

Leia mais

Parte I INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA: CONCEITOS, PRINCÍPIOS E NORMAS BÁSICAS, 3

Parte I INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA: CONCEITOS, PRINCÍPIOS E NORMAS BÁSICAS, 3 Apresentação, xxv Prefácio à 12a Edição, xxvii Introdução, 1 Parte I INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA: CONCEITOS, PRINCÍPIOS E NORMAS BÁSICAS, 3 1 Contabilidade Tributária, 5 1.1 Conceito, 5 1.1.1

Leia mais

As Demonstrações Contábeis para Pequenas e Médias Empresas (PMEs) NBC T 19.41 Resolução 1255/09 do CFC

As Demonstrações Contábeis para Pequenas e Médias Empresas (PMEs) NBC T 19.41 Resolução 1255/09 do CFC As Demonstrações Contábeis para Pequenas e Médias Empresas (PMEs) NBC T 19.41 Resolução 1255/09 do CFC Profa Marcia Ferreira Neves Tavares Prof. Severino Ramos da Silva O que vamos conversar... Por quê

Leia mais

IRPJ. Lucro Presumido

IRPJ. Lucro Presumido IRPJ Lucro Presumido 1 Características Forma simplificada; Antecipação de Receita; PJ não está obrigada ao lucro real; Opção: pagamento da primeira cota ou cota única trimestral; Trimestral; Nada impede

Leia mais

UNISERCON. Contabilidade UNIÃO DE SERVIÇOS CONTABEIS

UNISERCON. Contabilidade UNIÃO DE SERVIÇOS CONTABEIS UNISERCON UNIÃO DE SERVIÇOS CONTABEIS CRC/RS3101 BALANÇO PATRIMONIAL ANALÍTICO EXERCÍCIO DE 2011 ooo - xxxxxxx- xxxxxx xx xxxxx xxxx (oo.ooo.oo/oooi-oo) CONTA Folha 1 SALDO 1 1. 1 1. 1. 01 1. 1. 01. 01

Leia mais

Ativo Não Circulante e Depreciação

Ativo Não Circulante e Depreciação ATIVO NÃO CIRCULANTE IMOBILIZAÇÃO E DEPRECIAÇÃO Contabilidade Geral - 3º Período - ADM Ativo Não Circulante e Depreciação Imobilizado. Depreciação. Taxa Anual de Depreciação. Depreciação Acelerada. Amortização

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO Olá, pessoal! Hoje trago uma aula sobre a Demonstração do Valor Adicionado DVA, que foi recentemente tornada obrigatória para as companhias abertas pela Lei 11.638/07, que incluiu o inciso V ao art. 176

Leia mais

REGIMES CONTÁBEIS RECEITAS E DESPESAS

REGIMES CONTÁBEIS RECEITAS E DESPESAS CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA I ELEMENTOS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REGIMES CONTÁBEIS RECEITAS E DESPESAS Prof. Emanoel Truta ELEMENTOS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Os Elementos das Demonstrações Contábeis

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

Conta Descrição (em R$ mil) 31/03/2011 31/12/2010. 1 Ativo Total 13.623.774 13.422.948. 1.01 Ativo Circulante 1.403.533 1.180.328

Conta Descrição (em R$ mil) 31/03/2011 31/12/2010. 1 Ativo Total 13.623.774 13.422.948. 1.01 Ativo Circulante 1.403.533 1.180.328 Conta Descrição (em R$ mil) /0/0 //00 Ativo Total.6.77..98.0 Ativo Circulante.0.5.80.8.0.0 Caixa e Equivalentes de Caixa 69.7 8.657.0.0.0 Bens Numerários.0 05.0.0.0 Depósitos Bancários.07.57.0.0.0 Aplicações

Leia mais

Segue a relação das contas do Ativo e do Passivo Exigível mais utilizadas pela ESAF, organizadas por grupo de contas.

Segue a relação das contas do Ativo e do Passivo Exigível mais utilizadas pela ESAF, organizadas por grupo de contas. Segue a relação das contas do Ativo e do Passivo Exigível mais utilizadas pela ESAF, organizadas por grupo de contas. 1 - Ativo (Saldo devedor, exceto as contas retificadoras) 1.1 Ativo Circulante Adiantamento

Leia mais

CICLO DE PALESTRAS GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA: ASPECTOS ESTRATÉGICOS E OPERACIONAIS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE

CICLO DE PALESTRAS GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA: ASPECTOS ESTRATÉGICOS E OPERACIONAIS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE CICLO DE PALESTRAS GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA: ASPECTOS ESTRATÉGICOS E OPERACIONAIS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE Objetivo: Apresentar aos participantes os principais pontos a serem considerados no planejamento

Leia mais

2.3.11.1 Forma alternativa, 108 2.3.11.2 Contabilização da compra de matéria-prima por empresa contribuinte do IPI, 109 2.3.11.3 Contabilização de

2.3.11.1 Forma alternativa, 108 2.3.11.2 Contabilização da compra de matéria-prima por empresa contribuinte do IPI, 109 2.3.11.3 Contabilização de Sumário 1 Introdução, l 1.1 Fundamentos de contabilidade: a obrigatoriedade da escrituração contábil, l 1.2 Fundamentos de tributos, 10 1.3 Plano de contas de referência, 22 2 A contabilização de tributos

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL RECIBO DE ENTREGA DA DIPJ 2008

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL RECIBO DE ENTREGA DA DIPJ 2008 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL RECIBO DE ENTREGA DA DIPJ 2008 DECLARAÇÃO DE INFORMAÇÕES ECONÔMICO-FISCAIS DA PESSOA JURÍDICA - DIPJ 2008 CNPJ: 06.123.978/0001-27 Ano-Calendário:

Leia mais

GRANDE ~ RECIFE CONSORCIO DE TRANSPORTE

GRANDE ~ RECIFE CONSORCIO DE TRANSPORTE GRANDE ~ RECIFE CONSORCIO DE TRANSPORTE Piano de Contas Anexo 20 -- grandev

Leia mais

CONCEITO BALANÇO PATRIMONIAL 24/8/2012. Renato Tognere Ferron

CONCEITO BALANÇO PATRIMONIAL 24/8/2012. Renato Tognere Ferron BALANÇO PATRIMONIAL Renato Tognere Ferron CONCEITO É a demonstração contábil destinada a evidenciar, qualitativa e quantitativamente, numa determinada data, o Patrimônio e o Patrimônio Líquido da Entidade.

Leia mais

CONTABILIZAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES NÃO-CUMULATIVAS AO PIS E COFINS

CONTABILIZAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES NÃO-CUMULATIVAS AO PIS E COFINS 513 CONTABILIZAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES NÃO-CUMULATIVAS AO PIS E COFINS (*) por Silvério das Neves 1 - INTRODUÇÃO - DISCUSSÃO TRIBUTÁRIA: 1.1 - CRÉDITOS DAS CONTRIBUIÇÕES NÃO-CUMULATIVAS AO PIS E A COFINS

Leia mais

*** BALANCETE DE VERIFICAÇÃO ***

*** BALANCETE DE VERIFICAÇÃO *** 0153 0001 ASSOCIACAO DO PESSOAL DA CAIXA ECONOMICA FEDERAL MT Folha: 00002 Hora: 09:04:24 1 A T I V O 464.388,49-D 134.241,69 186.389,95 412.240,23-D 1.10 ATIVO CIRCULANTE 164.587,49-D 131.014,69 186.389,95

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Demonstrações Financeiras Empresa Brasileira de Bebidas e Alimentos S.A.

Demonstrações Financeiras Empresa Brasileira de Bebidas e Alimentos S.A. Demonstrações Financeiras Empresa Brasileira de Bebidas e Alimentos S.A. Período de sete meses findo em 31 de julho de 2009 e exercício findo em 31 de com Parecer dos Auditores Independentes Demonstrações

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais