PARLAMENTO EUROPEU. Comissão das Liberdades e dos Direitos dos Cidadãos, da Justiça e dos Assuntos Internos. 3 de Julho de 2001 PE 302.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PARLAMENTO EUROPEU. Comissão das Liberdades e dos Direitos dos Cidadãos, da Justiça e dos Assuntos Internos. 3 de Julho de 2001 PE 302."

Transcrição

1 PARLAMENTO EUROPEU Comissão das Liberdades e dos Direitos dos Cidadãos, da Justiça e dos Assuntos Internos 3 de Julho de 2001 PE /1-33 ALTERAÇÕES 1-33 PROPOSTA DE RECOMENDAÇÃO de Charlotte Cederschiöld, (PE /ALT. 1-33) referente à Comunicação da Comissão ao Conselho, ao Parlamento Europeu, ao Comité Económico e Social e ao Comité das Regiões "Criar uma Sociedade da Informação mais segura reforçando a segurança das infraestruturas de informação e lutando contra a cibercriminalidade" Proposta de recomendação (Artigo 107º) ALTERAÇÃO 1 Considerando 2 bis (novo) 2 bis. Tendo em conta os relatórios do Parlamento Europeu relacionados com as tecnologias da informação, como os relativos aos direitos de autor e ao comércio electrónico, ALTERAÇÃO 2 Considerando 4 bis (novo) 4 bis. Tendo em conta que a protecção adequada dos dados é condição necessária da confiança do consumidor e de um fluxo de informação livre e fiável, AM\ doc PE /alt. 1-33

2 ALTERAÇÃO 3 Alínea b) b) consciente, por isso, de que a sociedade da informação pode ser alvo de abusos por parte de criminosos que ameaçam, não só o bom funcionamento dos programas, do equipamento ou das redes, mas que cometem também crimes tradicionais recorrendo a técnicas informáticas, atentando contra, por exemplo: ALTERAÇÃO 4 Alínea c), terceiro travessão do modo de avaliar o grau de intencionalidade (dolus directus aut dolus eventualis) do autor; ALTERAÇÃO 5 Alínea c), nova c) preocupado com o facto de os mandatos dos Estados-Membros, da Convenção do Conselho da Europa e do direito da CE/UE não serem compatíveis, ALTERAÇÃO 6 Alínea d), primeiro travessão às disposições do direito penal relativas à pirataria, à protecção do segredo comercial e aos conteúdos ilícitos; PE /alt /13 AM\ doc

3 ALTERAÇÃO 7 Alínea e) (nova) e) Persuadido de que essas divergências enfraquecem a capacidade dos Estados- Membros para lutarem contra a cibercriminalidade e que os Estados-Membros e as Instituições europeias têm de definir um quadro jurídico coerente para as investigações e sanções penais, como propôs a Comissão na sua Comunicação, para a criminalidade que utiliza tecnologias avançadas e a criminalidade informática a fim de proteger os cidadãos da Europa, o mercado interno e a segurança interna da própria União e dos seus Estados-Membros; ALTERAÇÃO 8 Alínea f) (nova) f) Consciente de que a luta contra a cibercriminalidade já foi considerada pelo Conselho Europeu de Tampere como uma prioridade no desenvolvimento da União enquanto espaço de liberdade, de segurança e de justiça (Artigo 2º UE) que terá de assentar: nos princípios da democracia, do Estado de direito e da protecção dos direitos fundamentais (artigo 6º, nº 2 do TUE); no controlo judicial do Tribunal de Justiça sobre as iniciativas das Instituições europeias, mesmo que actuem no domínio da cooperação policial e judicial em matéria penal (Artigo 46º, alínea d), do TUE); no reforço mútuo entre as políticas da Comunidade e da União, atendendo a que o Tratado da União não afecta o Tratado que institui a Comunidade Europeia (Artigo 47º do TUE); na obrigação dos Estados-Membros de cooperarem lealmente entre si e com as instituições europeias aquando do estabelecimento das medidas internas e externas em prol de uma sociedade europeia da informação mais segura, preservando ao mesmo tempo os direitos da União e da Comunidade, em particular através de cláusulas adequadas de acesso/desconexão, que respeitem a jurisprudência do Tribunal de Justiça (Processo AETR do Tribunal de Justiça) 1 ; na necessidade de associar o Parlamento Europeu a fim de garantir o controlo democrático aquando da adopção de legislação interna da UE e de acordos internacionais (como as Convenções do Conselho da Europa); AM\ doc 3/13 PE /alt. 1-33

4 ALTERAÇÃO 9 Alínea g) (nova) g) Lembrando que qualquer futuro quadro regulamentar da União no que diz respeito à cibercriminalidade tem de garantir que os requisitos de segurança de cada Estado-Membro da União sejam compatíveis com os princípios da cidadania europeia e que tem de se encontrar um equilíbrio justo entre os esforços de combate à cibercriminalidade e os direitos fundamentais do indivíduo à privacidade e à protecção dos dados pessoais; ALTERAÇÃO 10 Alínea h) (novo) h) recordando que o direito fundamental à privacidade e à protecção dos dados pessoais nestes domínios deve ser interpretado com base no artigo 8º da Convenção Europeia dos Direitos do Homem e na jurisprudência do Tribunal dos Direitos do Homem, segundo as quais qualquer excepção aos princípios da privacidade requer uma base jurídica, deve ser necessária para a protecção de um interesse público e rigorosamente proporcional ao objectivo específico previsto, pelo que qualquer obrigação geral relativa à manutenção dos dados e qualquer forma de intercepção sistemática são contrárias a este princípio da proporcionalidade 2 ; ALTERAÇÃO 11 Primeira citação do preâmbulo - Tendo em conta o nº 3 do artigo 39º do Tratado da União Europeia e o artigo 107º do Regimento, PE /alt /13 AM\ doc

5 ALTERAÇÃO 12 Nº 1 1. instaurar, a nível da União, uma estratégia coerente que, por um lado, preserve a Internet (ou qualquer outra rede de comunicação internacional) como um mercado global e a segurança dos serviços e das infra-estruturas de informação, para que todos possam prosseguir as suas actividades, e, por outro lado, impeça simultaneamente as actividades criminosas que afectam as liberdades e os interesses dos cidadãos, bem como o interesse público; ALTERAÇÃO 13 Nº 2 2. Solicita à Comissão que elabore definições e propostas comuns, tendo em vista resolver conflitos de competência entre os Estados-Membros (não se excluindo que a nacionalidade seja uma das principais diferenças) e aproximar o direito penal material na medida considerada necessária para combater inter alia: - o tráfico de seres humanos, o branqueamento de capitais e a pornografia infantil; - a chamada criminalidade que utiliza tecnologias de ponta, como a difusão de vírus, a negação de serviço, o acesso não autorizado, com ou sem intenções malévolas, ou os actos e actividades destinados a neutralizar a protecção da propriedade intelectual, como a venda e a publicidade de dispositivos para fins de pirataria informática, e a divulgação na Internet de códigos ou pastoras; Sublinha, por conseguinte, o princípio segundo o qual as actividades criminosas "off-line" devem ser criminosas "on-line" e que, sempre que exista uma definição comum de crimes, tem de ser garantido o reconhecimento mútuo das decisões anteriores à fase de julgamento; Solicita, portanto, à Comissão que: - elabore um plano de acção que estabeleça os objectivos da luta contra o cibercrime e os meios para realizar tais objectivos; - avalie a eficácia do quadro regulamentar existente da directiva relativa à protecção de dados gerais (95/46/CE) e da directiva relativa à protecção de dados no sector das telecomunicações; AM\ doc 5/13 PE /alt. 1-33

6 ALTERAÇÃO 14 apresentada por Astrid Thors Nº 2 2. É necessária uma aproximação do direito penal material no domínio do cibercrime que não esteja já coberto pelo direito comunitário. Esta novas disposições poderiam ter por objecto a difusão de vírus e a negação de serviço, por exemplo, na condição de ser aplicado o requisito da criminalidade dupla. Nos domínios já cobertos pelo direito comunitário, como as violações dos direitos de autor e o acesso condicional, é necessária uma aplicação uniforme nos Estados-Membros; ALTERAÇÃO 15 apresentada por Jorge Salvador Hernández Mollar Nº 2 2. adoptar, em conformidade com a alínea e) do artigo 31º do Tratado da UE, as definições e sanções comuns consideradas necessárias (4 palavras suprimidas) às infracções ligadas aos conteúdos (tráfico de seres humanos, branqueamento de capitais, pornografia infantil) e à chamada criminalidade que utiliza tecnologias de ponta (difusão de vírus, negação de serviço, acesso não autorizado, com ou sem intenções malévolas, etc.), bem como ao terrorismo e ao tráfico ilícito de drogas, partindo-se do princípio de que as actividades criminosas "off-line" devem ser criminosas "on-line" e que, sempre que exista uma definição comum de crimes, tem de ser garantido o reconhecimento mútuo das decisões judiciais, incluindo as decisões anteriores à fase de julgamento; Or. es ALTERAÇÃO 16 apresentada por Michael Cashman Nº 2 2. Solicita à Comissão que apresente propostas tendo em vista a aproximação do direito penal material e processual no domínio da protecção da propriedade intelectual e a introdução de sanções, recursos e processos verdadeiramente dissuasões e orientados para o ambiente da rede global, e insta veementemente os Estados-Membros a assegurar que os actos e actividades destinados a neutralizar a protecção da propriedade intelectual, como a divulgação na Internet de códigos, pastoras e explicações, sejam tratados como actividades criminosas, à semelhança da venda e da publicidade de dispositivos para fins de pirataria informática; PE /alt /13 AM\ doc

7 ALTERAÇÃO 17 apresentada por Michael Cashman Nº 2 bis (novo) 2 bis. Insta a Comissão a preparar um plano de acção que estabeleça os objectivos da luta contra o cibercrime e os meios para realizar tais objectivos; ALTERAÇÃO 18 apresentada por Astrid Thors Nº 2 bis (novo) 2 bis. Insta a Comissão a procurar elaborar definições comuns sobre questões relacionadas com a competência, não se excluindo que a nacionalidade seja uma das principais diferenças; ALTERAÇÃO 19 Nº 3, travessão 3 - proporcionadas e limitadas, no tempo e âmbito de aplicação, ao estritamente necessário, prevendo, se necessário, até decisão do tribunal, um procedimento tendo por principal objectivo o congelamento de informações relevantes que, devido à sua volatilidade, se perderiam de outro modo; ALTERAÇÃO 20 Nº 3 bis 3 bis. Essas medidas devem respeitar a CEDH, a Carta dos Direitos Fundamentais da UE (especialmente o direito à liberdade de expressão, o respeito pela vida e comunicações privadas e a protecção de dados pessoais) e a legislação da União, levando em conta os pareceres emitidos pelo Grupo de Trabalho criado com base no artigo 29 da Directiva 95/46/CE relativa ao tratamento de dados pessoais e pela Autoridade Europeia para a protecção dos dados, criada pelo Regulamento 45/2001 do Parlamento Europeu e do Conselho; AM\ doc 7/13 PE /alt. 1-33

8 ALTERAÇÃO 21 Nº 3 ter (novo) 3 ter. Concentrar na Comissão: - a nível político, as competências que dizem respeito à protecção de dados e se encontram, na realidade, dispersas pelo mercado interno e a sociedade da informação, sob a responsabilidade do Comissário responsável pelos direitos fundamentais; - a nível administrativo, numa Direcção específica todas as unidades da Comissão responsáveis pela execução de acções relacionadas com a privacidade; - a nível da Autoridade Europeia para a protecção dos dados, o secretariado de todas as autoridades para a protecção dos dados activas no contexto da UE. ALTERAÇÃO 22 Nº 4 4. Confirmar o princípio segundo o qual os custos do combate ao crime decorrentes de medidas legislativas devem ser suportados pelos serviços responsáveis pela aplicação da lei. Nos casos em que, nos termos do direito da União ou do direito nacional, for necessária a cooperação de entidades privadas, como os fornecedores de serviços Internet (FSI) e operadores de redes, para armazenamento de dados, escutas telefónicas, preservação e outras exigências susceptíveis de aumentarem os encargos, as despesas devem ser reembolsadas; os operadores de redes e FSI não devem ser considerados responsáveis pela quebra de contratos ou pelo não respeito das cláusulas decorrente da cooperação com as autoridades judiciais (ausência de responsabilidade); ALTERAÇÃO 23 Nº 5 5. Criar um Fórum europeu da cibercriminalidade, que reúna os serviços responsáveis pela aplicação da lei, os FSI, os operadores de telecomunicações, as organizações de liberdades civis, os representantes dos consumidores, as autoridades responsáveis pela protecção de dados e outras partes interessadas, de forma a encontrar soluções legislativas pouco vinculativas para alguns problemas existentes e visando reforçar o entendimento recíproco e a cooperação ao nível da UE. O Fórum procurará sensibilizar PE /alt /13 AM\ doc

9 o público para os riscos que representam os criminosos na Internet, promover boas práticas no domínio da segurança, elaborar um código de ética, identificar instrumentos eficazes de combate ao crime e procedimentos para lutar contra o crime informático e encorajar o desenvolvimento de mecanismos de alerta rápido e de gestão de crises; ALTERAÇÃO 24 Nº 6 6. Solicitar ao Conselho que defina claramente o papel da Europol e da Eurojust na luta contra o cibercrime, evitando a duplicação de bases de dados internas, garantindo a coordenação mútua e também que estes organismos, nas suas actividades, estejam sujeitos ao controlo democrático e respeitem o acervo comunitário sobre a protecção de dados pessoais; exorta, por conseguinte, os Estados-Membros a apoiarem unidades policiais especializadas no crime informático a nível nacional; ALTERAÇÃO 25 apresentada por Astrid Thors Nº 6 6. Exorta-se o Conselho a: a) empenhar a Europol e a Eurojust na luta contra o cibercrime; b) incentivar os Estados-Membros a apoiarem unidades policiais especializadas no crime informático a nível nacional, desde que tais actividades estejam sujeitas a um controlo democrático e respeitem o acervo comunitário sobre a protecção de dados pessoais, AM\ doc 9/13 PE /alt. 1-33

10 ALTERAÇÃO 26 Nº 7 (substitui nºs 7 e 7 bis) 7. Promover a investigação europeia no domínio das tecnologias de protecção/prevenção, como a codificação, a fim de alargar as possibilidades de auto-protecção do utilizador e aumentar a sua consciencialização. Devem, por conseguinte, ser desenvolvidas e implementadas pelos consumidores, indústria e outros intervenientes medidas tecnológicas e de segurança no domínio da prevenção, designadamente através: - do reforço, nos termos da legislação comunitária actualmente existente, de linhas de ajuda para promover uma utilização mais segura da Internet, sistemas europeus de notação para fornecedores de serviços Internet e outras iniciativas que permitam dispor de mensagens seguras, bem como motores de pesquisa de fácil utilização (com filtros) e que bloqueiem a recepção de mensagens com pornografia infantil por grupos de utilizadores (newsgroups), além de se promover a cooperação entre as empresas emissoras de cartões de créditos na detecção de serviços fraudulentos; - da coordenação da tramitação das queixas de utilizadores da Internet sobre tráfico, pornografia infantil e xenofobia, ligando esta área à base de dados do G-8 de forma a garantir uma troca de informações em tempo real, 24 horas sobre 24 horas, entre uma rede de pontos de contacto; ALTERAÇÃO 27 apresentada por Michael Cashman Nº 8 8. Exorta a Comissão e os Estados-Membros a efectuarem consultas com as empresas emissoras de cartões de crédito, explorando a opção de recusar transacções em matérias públicas ou por razões relacionadas com a legislação penal, nos portais que comercializam pornografia infantil ou actividades ilegais, e também a investigar a possibilidade de colocar numa lista negra das empresas emissoras de cartões de créditos e fornecedores de serviço Internet os portais que negociarem em matérias ilegais; PE /alt /13 AM\ doc

11 ALTERAÇÃO 28 apresentada por Michael Cashman Nº 8 bis (novo) 8 bis. Para além disso defende a introdução de um sistema europeu de notação para fornecedores de acesso à Internet que sejam seguros para as crianças (que disporão de mensagens de alerta para crianças, anunciarão motores de pesquisa seguros para crianças, com filtros e que bloqueiem a recepção de mensagens com pornografia infantil por grupos de utilizadores, etc.) e o desenvolvimento e promoção de programas informáticos para garantir a segurança das crianças, apelando a uma investigação patrocinada pelo JCR nesta área; ALTERAÇÃO 29 apresentada por Michael Cashman Nº 8 ter (novo) 8 ter. Manifesta a sua apreensão com o crescimento da actividade transfronteiriça em matéria de pornografia infantil, exploração sexual de crianças, racismo e xenofobia na Internet, exigindo, por conseguinte, com urgência a expansão da actual rede de linhas de ajuda baseadas em boas práticas que sirvam de modelo; além disso, solicita a criação, ao nível da UE, de um observatório electrónico, como foi recomendado pela reunião de peritos da UNESCO realizada em 1999, que receba e coordene o tratamento de queixas apresentadas por utilizadores da Internet sobre conteúdos ilegais, salientando a necessidade de ligar esta área à proposta de base de dados do G-8, de forma a garantir um intercâmbio de informações em tempo real, 24 horas sobre 24 horas, entre uma rede de pontos de contacto; ALTERAÇÃO 30 Nº 8 8. Exorta os Estados-Membros da União Europeia a modificarem o Projecto de Convenção do Conselho da Europa sobre a cibercriminalidade (na qual participam também os Estados Unidos, o Canadá, o Japão e a África do Sul) de forma a salvaguardar um equilíbrio real entre os interesses da aplicação da lei e a necessidade de preservar os direitos fundamentais e a liberdade dos cidadãos, especialmente em matéria de privacidade, protecção dos dados e interesses comerciais. Tal requer: AM\ doc 11/13 PE /alt. 1-33

12 - a proibição de um princípio geral de retenção de dados; - a proibição de que alguém possa ser obrigado a incriminar-se a si próprio ao revelar códigos ou programas; - a proibição de transferir livremente dados para um país terceiro que não assegure um nível equivalente de protecção dos dados ao previsto no artigo 8 da CEDH e na Convenção 108 do Conselho da Europa; - a preservação dos direitos comunitários e da UE, permitindo, por um lado, que a Comunidade Europeia ou a UE sejam parte signatária da Convenção, em representação dos Estados-Membros quando estiver em causa a política comunitária ou da UE (cláusula da ligação), e, por outro lado, assumir que os Estados-Membros da União Europeia estão vinculados pelas regras comunitárias ou da UE em caso de conflito com a Convenção (cláusula de interrupção da ligação); Considera, por isso, que estes aspectos têm de ser reforçados numa futura nova versão antes da assinatura; ALTERAÇÃO 31 apresentada por Elena Ornella Paciotti Nº 8 8. Propor que no projecto de Convenção do Conselho da Europa sobre cibercrime (na qual participam também os Estados Unidos, o Canadá, o Japão e a África do Sul): - seja abandonada a retenção geral de dados; - seja garantido o direito de qualquer um a não revelar informações que possam ser usadas contra si; - se tenham mais em conta os aspectos relacionados com os direitos humanos, em particular ao nível da protecção dos dados pessoais, garantindo, pelo menos, o nível de protecção definido pela Convenção 108 do Conselho da Europa; Or. it ALTERAÇÃO 32 Nº Encetar um amplo diálogo e intensificar o intercâmbio existente com os Estados Unidos, com o objectivo de delinear uma estratégia comum, ou, pelo menos, reduzir as diferenças nas estratégias de luta contra a cibercriminalidade, segundo as indicações apresentadas nesta recomendação. Neste contexto o diálogo transatlântico sobre questões legislativas deve ser melhorado, bem como a possibilidade de enviar PE /alt /13 AM\ doc

13 representantes da UE a organismos informais dos EUA activos na luta contra a cibercriminalidade, tais como a Parceria para a Segurança da Infra-Estrutura Crítica (PCIS), devendo os representantes dos EUA ser convidados para se encontrarem com os seus homólogos na UE; ALTERAÇÃO 33 apresentada por Astrid Thors Nº 10 bis (novo) 10 bis. Salientar a importância do Grupo de Trabalho UE/EUA para a protecção da infra-estrutura crítica; 1 Uma cláusula de desconexão é mais eficaz do que tentar identificar, relativamente a cada aspecto da Convenção, possíveis incoerências com o direito comunitário. Além disso, tal seria um exercício difícil, atendendo ao carácter geral das disposições da Convenção e à eventual evolução da legislação comunitária. As disposições da Convenção são de tal modo gerais que a sua aplicação no direito interno poderia dar lugar a incompatibilidades. Uma cláusula de desconexão contribui igualmente para assegurar a todas as partes interessadas que a Convenção não interferirá com os instrumentos jurídicos comunitários existentes. 2 Segundo o qual, nomeadamente: - o objectivo do artigo 8º é essencialmente o de proteger os indivíduos da ingerência arbitrária da autoridade pública (Acórdão do TDH de ), de modo que qualquer excepção ao direito à protecção de dados só é admissível se for necessária ou indispensável numa sociedade democrática; - qualquer excepção deve basear-se no direito que deve ser acessível e previsível (Acórdãos do TDH "Groppera Radio AG" de , "Barthold" de , "Kruslin" de e "Chappel" de ); - a protecção jurídica deve ser assegurada, especialmente quando o poder executivo é exercido secretamente, como é o caso das medidas de vigilância secreta das comunicações. Nestes casos, seria contrário ao primado do direito que o poder discricionário jurídico conferido ao executivo fosse expresso em termos de poder sem entraves. Por conseguinte, o direito deve indicar com suficiente clareza o alcance do poder discricionário conferido às autoridades competentes e o modo como este deve ser exercido, tendo em conta o objectivo legítimo da medida em questão, a fim de garantir aos indivíduos protecção adequada contra a ingerência arbitrária (Acórdãos do TDH Malone" de e, na mesma perspectiva, "Sunday Times" de e "Valenzuela Contreras" de ). AM\ doc 13/13 PE /alt. 1-33

Jornal oficial no. L 024 de 30/01/1998 P. 0001-0008

Jornal oficial no. L 024 de 30/01/1998 P. 0001-0008 Jornal oficial no. L 024 de 30/01/1998 P. 0001-0008 DIRECTIVA 97/66/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 15 de Dezembro de 1997 relativa ao tratamento de dados pessoais e à protecção da privacidade

Leia mais

Programas de vigilância da NSA dos EUA, serviços de informações de vários Estados Membros e impacto na privacidade dos cidadãos da UE

Programas de vigilância da NSA dos EUA, serviços de informações de vários Estados Membros e impacto na privacidade dos cidadãos da UE P7_TA(2013)0322 Programas de vigilância da NSA dos EUA, serviços de informações de vários Estados Membros e impacto na privacidade dos cidadãos da UE Resolução do Parlamento Europeu, de 4 de julho de 2013,

Leia mais

(Actos legislativos) DIRECTIVAS

(Actos legislativos) DIRECTIVAS 26.10.2010 Jornal Oficial da União Europeia L 280/1 I (Actos legislativos) DIRECTIVAS DIRECTIVA 2010/64/UE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 20 de Outubro de 2010 relativa ao direito à interpretação

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS PT PT PT COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 18.2.2009 COM(2009) 64 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES

Leia mais

DIRECTIVA 2002/30/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

DIRECTIVA 2002/30/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO L 85/40 DIRECTIVA 2002/30/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 26 de Março de 2002 relativa ao estabelecimento de regras e procedimentos para a introdução de restrições de operação relacionadascom

Leia mais

***I PROJECTO DE RELATÓRIO

***I PROJECTO DE RELATÓRIO PARLAMENTO EUROPEU 1999 2004 Comissão das Liberdades e dos Direitos dos Cidadãos, da Justiça e dos Assuntos Internos 23 de Maio de 2001 PRELIMINAR 2000/0189(COD) ***I PROJECTO DE RELATÓRIO sobre a proposta

Leia mais

Direito das sociedades e governo das sociedades: a Comissão apresenta um Plano de Acção

Direito das sociedades e governo das sociedades: a Comissão apresenta um Plano de Acção IP/03/716 Bruxelas, 21 de Maio de 2003 Direito das sociedades e governo das sociedades: a Comissão apresenta um Plano de Acção O reforço dos direitos dos accionistas e da protecção dos trabalhadores e

Leia mais

10128/16 cp/mjb 1 DGD 1C

10128/16 cp/mjb 1 DGD 1C Conselho da União Europeia Bruxelas, 13 de junho de 2016 (OR. en) 10128/16 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: Secretariado-Geral do Conselho data: 9 de junho de 2016 para: Delegações n.º doc. ant.: 8770/16,

Leia mais

Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança relativo à venda de crianças, prostituição e pornografia infantis

Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança relativo à venda de crianças, prostituição e pornografia infantis Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança relativo à venda de crianças, prostituição e pornografia infantis Os Estados Partes no presente Protocolo, Considerando que, para melhor realizar

Leia mais

ALTERAÇÕES 1-58. PT Unida na diversidade PT 2012/2039(INI) 16.10.2012. Projeto de parecer Regina Bastos (PE483.860v02)

ALTERAÇÕES 1-58. PT Unida na diversidade PT 2012/2039(INI) 16.10.2012. Projeto de parecer Regina Bastos (PE483.860v02) PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Comissão do Emprego e dos Assuntos Sociais 16.10.2012 2012/2039(INI) ALTERAÇÕES 1-58 Regina Bastos (PE483.860v02) sobre o estatuto da mutualidade europeia (2012/2039(INI))

Leia mais

Tratado de Lisboa 13 Dezembro 2007. Conteúdo e desafios

Tratado de Lisboa 13 Dezembro 2007. Conteúdo e desafios Tratado de Lisboa 13 Dezembro 2007 Conteúdo e desafios Os Tratados Tratado de Paris (CECA) 18 de Abril de 1951 Tratados de Roma (CEE e CEEA) 25 de Março de 1957 Acto Único Europeu 17 de Fevereiro 1986

Leia mais

Declaração de Lima sobre as linhas mestras de controlo das Finanças Públicas. Prefácio

Declaração de Lima sobre as linhas mestras de controlo das Finanças Públicas. Prefácio Declaração de Lima sobre as linhas mestras de controlo das Finanças Públicas Prefácio Quando a Declaração de Lima, das directivas sobre os princípios do controlo, foi adoptada por unanimidade pelos delegados

Leia mais

PROJECTO DE RELATÓRIO

PROJECTO DE RELATÓRIO PARLAMENTO EUROPEU 2004 2009 Comissão da Cultura e da Educação 2007/2253(INI) 7.3.2008 PROJECTO DE RELATÓRIO sobre a concentração e o pluralismo dos meios de comunicação social na União Europeia (2007/2253(INI))

Leia mais

Conciliação entre vida profissional, familiar e privada

Conciliação entre vida profissional, familiar e privada C 102 E/492 Jornal Oficial da União Europeia PT 28.4.2004 P5_TA(2004)0152 Conciliação entre vida profissional, familiar e privada Resolução do Parlamento Europeu sobre a conciliação entre vida profissional,

Leia mais

PROJECTO DE RELATÓRIO

PROJECTO DE RELATÓRIO PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Comissão do Mercado Interno e da Protecção dos Consumidores 22.6.2011 2011/2084(INI) PROJECTO DE RELATÓRIO sobre os jogos em linha no mercado interno (2011/2084(INI)) Comissão

Leia mais

BANCO CENTRAL EUROPEU

BANCO CENTRAL EUROPEU C 213/16 Jornal Oficial da União Europeia 20.7.2011 III (Actos preparatórios) BANCO CENTRAL EUROPEU BANCO CENTRAL EUROPEU PARECER DO BANCO CENTRAL EUROPEU de 11 de Março de 2011 sobre uma recomendação

Leia mais

Portugal. 2. Quadro institucional e jurídico 2.1 Legislação

Portugal. 2. Quadro institucional e jurídico 2.1 Legislação Portugal 1. Informações gerais Em finais dos anos 90, algumas organizações não-governamentais começaram a detectar mudanças na prostituição de rua no norte de Portugal. Novos projectos tentaram identificar

Leia mais

A COMUNIDADE EUROPEIA (a seguir designada por "a Comunidade"), O REINO DA BÉLGICA, A REPÚBLICA CHECA, O REINO DA DINAMARCA,

A COMUNIDADE EUROPEIA (a seguir designada por a Comunidade), O REINO DA BÉLGICA, A REPÚBLICA CHECA, O REINO DA DINAMARCA, ACORDO DE COOPERAÇÃO RELATIVO A UM SISTEMA MUNDIAL DE NAVEGAÇÃO POR SATÉLITE (GNSS) PARA UTILIZAÇÃO CIVIL ENTRE A COMUNIDADE EUROPEIA E OS SEUS ESTADOS-MEMBROS, POR UM LADO, E O REINO DE MARROCOS, POR

Leia mais

Conselho de Segurança

Conselho de Segurança Nações Unidas S/RES/1373 (2001) Conselho de Segurança Distribuição: Geral 28 de Setembro de 2001 Resolução 1373 (2001) Adoptada pelo Conselho de Segurança na sua 4385ª sessão, em 28 de Setembro de 2001

Leia mais

Jornal Oficial das Comunidades Europeias

Jornal Oficial das Comunidades Europeias L 217/18 PT DIRECTIVA 98/48/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 20 de Julho de 1998 que altera a Directiva 98/34/CE relativa a um procedimento de informação no domínio das normas e regulamentações

Leia mais

Proposta de REGULAMENTO (UE) N.º /2010 DO CONSELHO. que impõe medidas restritivas contra o Irão e revoga o Regulamento (CE) n.

Proposta de REGULAMENTO (UE) N.º /2010 DO CONSELHO. que impõe medidas restritivas contra o Irão e revoga o Regulamento (CE) n. PT PT PT COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 31.8.2010 COM(2010) 459 final 2010/0240 (NLE) Proposta de REGULAMENTO (UE) N.º /2010 DO CONSELHO que impõe medidas restritivas contra o Irão e revoga o Regulamento

Leia mais

(2006/C 297/02) considerando o seguinte: constatando que:

(2006/C 297/02) considerando o seguinte: constatando que: C 297/6 Resolução do Conselho e dos Representantes Governos dos Estados-Membros, reunidos no Conselho, relativa à realização dos objectivos comuns em matéria de participação e informação dos jovens para

Leia mais

Comissão dos Assuntos Externos PROJETO DE PARECER

Comissão dos Assuntos Externos PROJETO DE PARECER PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Comissão dos Assuntos Externos 20.4.2012 2012/2033(INI) PROJETO DE PARECER da Comissão dos Assuntos Externos dirigido à Comissão das Liberdades Cívicas, da Justiça e dos Assuntos

Leia mais

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões adotadas pelo Conselho Europeu na reunião em epígrafe.

Junto se enviam, à atenção das delegações, as conclusões adotadas pelo Conselho Europeu na reunião em epígrafe. Conselho Europeu Bruxelas, 18 de dezembro de 2015 (OR. en) EUCO 28/15 CO EUR 13 CONCL 5 NOTA DE ENVIO de: Secretariado-Geral do Conselho para: Delegações Assunto: Reunião do Conselho Europeu (17 e 18 de

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 26 de Novembro de 2010 (OR. en) 16864/10

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 26 de Novembro de 2010 (OR. en) 16864/10 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 26 de Novembro de 2010 (OR. en) 16864/10 ESPACE 19 COMPET 390 RECH 392 IND 161 TRANS 349 ENER 343 REGIO 95 ECOFIN 759 CODUN 47 ENV 804 EDUC 213 RESULTADO DOS TRABALHOS

Leia mais

Tendo em conta a comunicação da Comissão (COM(1999) 317 C5-0206/1999),

Tendo em conta a comunicação da Comissão (COM(1999) 317 C5-0206/1999), Tendo em conta a comunicação da Comissão (COM(1999) 317 C5-0206/1999), Tendo em conta o nº 1 do artigo 47º do seu Regimento, Tendo em conta o relatório da Comissão da Política Regional, dos Transportes

Leia mais

Decreto n.º 139/80 Convenção sobre o Reconhecimento dos Estudos e Diplomas Relativos ao Ensino Superior nos Estados da Região Europa

Decreto n.º 139/80 Convenção sobre o Reconhecimento dos Estudos e Diplomas Relativos ao Ensino Superior nos Estados da Região Europa Decreto n.º 139/80 Convenção sobre o Reconhecimento dos Estudos e Diplomas Relativos ao Ensino Superior nos Estados da Região Europa O Governo decreta, nos termos da alínea c) do artigo 200.º da Constituição,

Leia mais

BANCO CENTRAL EUROPEU

BANCO CENTRAL EUROPEU 17.2.2005 C 40/9 BANCO CENTRAL EUROPEU PARECER DO BANCO CENTRAL EUROPEU de 4 de Fevereiro de 2005 solicitado pelo Conselho da União Europeia sobre uma proposta de directiva do Parlamento Europeu e do Conselho

Leia mais

Inventário 2010. I. Introdução

Inventário 2010. I. Introdução Inventário 2010 I. Introdução Aqui se apresenta o quarto inventário público da AEPD na sua qualidade de consultora a respeito de propostas de legislação e documentos conexos. Devido à publicação do Programa

Leia mais

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia, nomeadamente o terceiro parágrafo do artigo 159º,

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia, nomeadamente o terceiro parágrafo do artigo 159º, REGULAMENTO (CE) Nº 1082/2006 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 5 de Julho de 2006 relativo aos agrupamentos europeus de cooperação territorial (AECT) O PARLAMENTO EUROPEU E O CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA,

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão dos Assuntos Constitucionais. Proposta de regulamento (COM(2003) 0077 C5-0059/03 2003/0039(COD))

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão dos Assuntos Constitucionais. Proposta de regulamento (COM(2003) 0077 C5-0059/03 2003/0039(COD)) PARLAMENTO EUROPEU 1999 2004 Comissão dos Assuntos Constitucionais 6 de Maio de 2003 PE 323.576/25-88 ALTERAÇÕES 25-88 Projecto de relatório (PE 323.576) Jo Leinen sobre a proposta de regulamento do Parlamento

Leia mais

Diretiva (UE) 2016/97 do Parlamento Europeu e do Conselho de 20 de janeiro de 2016 sobre a distribuição de seguros (reformulação) ( 1 )...

Diretiva (UE) 2016/97 do Parlamento Europeu e do Conselho de 20 de janeiro de 2016 sobre a distribuição de seguros (reformulação) ( 1 )... Jornal Oficial da União Europeia L 26 Edição em língua portuguesa Legislação 59. o ano 2 de fevereiro de 2016 Índice I Atos legislativos REGULAMENTOS Regulamento (UE) 2016/93 do Parlamento Europeu e do

Leia mais

A COMUNIDADE EUROPEIA (a seguir designada "a Comunidade"), O REINO DA BÉLGICA, A REPÚBLICA CHECA, O REINO DA DINAMARCA,

A COMUNIDADE EUROPEIA (a seguir designada a Comunidade), O REINO DA BÉLGICA, A REPÚBLICA CHECA, O REINO DA DINAMARCA, ACORDO DE COOPERAÇÃO RELATIVO A UM SISTEMA MUNDIAL CIVIL DE NAVEGAÇÃO POR SATÉLITE (GNSS) ENTRE A COMUNIDADE EUROPEIA E OS SEUS ESTADOS-MEMBROS, POR UM LADO, E A REPÚBLICA DA COREIA, POR OUTRO CE/KR/pt

Leia mais

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO N.º 35/X

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO N.º 35/X PROPOSTA DE RESOLUÇÃO N.º 35/X Para a realização dos objectivos da União Europeia, importa melhorar as normas que regulam o auxílio judiciário mútuo em matéria penal entre os Estados Membros da União Europeia.

Leia mais

PROTEÇÃO DOS DADOS PESSOAIS

PROTEÇÃO DOS DADOS PESSOAIS PROTEÇÃO DOS DADOS PESSOAIS A proteção dos dados pessoais e o respeito pela vida privada são direitos fundamentais importantes. O Parlamento Europeu insiste na necessidade de alcançar um equilíbrio entre

Leia mais

em nada nem constitui um aviso de qualquer posição da Comissão sobre as questões em causa.

em nada nem constitui um aviso de qualquer posição da Comissão sobre as questões em causa. DOCUMENTO DE CONSULTA: COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO EUROPEIA SOBRE OS DIREITOS DA CRIANÇA (2011-2014) 1 Direitos da Criança Em conformidade com o artigo 3.º do Tratado da União Europeia, a União promoverá os

Leia mais

CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA. Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66. OTA Secretariado-Geral do Conselho

CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA. Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66. OTA Secretariado-Geral do Conselho CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66 OTA de: Secretariado-Geral do Conselho para: Delegações n.º doc. ant.: 14061/1/11 REV 1 SOC 759

Leia mais

10668/16 pbp/ml 1 DGG 2B

10668/16 pbp/ml 1 DGG 2B Conselho da União Europeia Bruxelas, 27 de junho de 2016 (OR. en) 10668/16 RESULTADOS DOS TRABALHOS de: para: Secretariado-Geral do Conselho Delegações FSTR 36 FC 30 REGIO 43 SOC 435 AGRISTR 37 PECHE 244

Leia mais

Economia Digital e Direito. Privacy, Dados Pessoais e Correio Electrónico nas Empresas. Carolina Leão Oliveira. 19 Novembro 2013

Economia Digital e Direito. Privacy, Dados Pessoais e Correio Electrónico nas Empresas. Carolina Leão Oliveira. 19 Novembro 2013 Economia Digital e Direito Privacy, Dados Pessoais e Correio Electrónico nas Empresas Partilhamos a Experiência. Inovamos nas Soluções. Carolina Leão Oliveira 19 Novembro 2013 Matéria em causa: Uso do

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 151/IX APROVA O REGIME DA RESPONSABILIDADE PENAL DAS PESSOAS COLECTIVAS. Exposição de motivos

PROPOSTA DE LEI N.º 151/IX APROVA O REGIME DA RESPONSABILIDADE PENAL DAS PESSOAS COLECTIVAS. Exposição de motivos PROPOSTA DE LEI N.º 151/IX APROVA O REGIME DA RESPONSABILIDADE PENAL DAS PESSOAS COLECTIVAS Exposição de motivos Vários instrumentos de direito convencional comunitário, assim como diversas decisões-quadro

Leia mais

Jornal Oficial nº L 018 de 21/01/1997 p. 0001-0006

Jornal Oficial nº L 018 de 21/01/1997 p. 0001-0006 Directiva 96/71/CE do Parlamento Europeu e do Conselho de 16 de Dezembro de 1996 relativa ao destacamento de trabalhadores no âmbito de uma prestação de serviços Jornal Oficial nº L 018 de 21/01/1997 p.

Leia mais

ARTIGO 29.º - Grupo de Protecção de Dados Pessoais

ARTIGO 29.º - Grupo de Protecção de Dados Pessoais ARTIGO 29.º - Grupo de Protecção de Dados Pessoais 12054/02/PT WP 69 Parecer 1/2003 sobre o armazenamento dos dados de tráfego para efeitos de facturação Adoptado em 29 de Janeiro de 2003 O Grupo de Trabalho

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 09.03.2001 COM(2001) 128 final 2001/0067 (ACC) VOLUME IV Proposta de DECISÃO DO CONSELHO Relativa à posição da Comunidade no Conselho de Associação sobre a

Leia mais

Acesso à informação, participação do público e acesso à justiça em matéria de ambiente a nível comunitário um Guia Prático

Acesso à informação, participação do público e acesso à justiça em matéria de ambiente a nível comunitário um Guia Prático Acesso à informação, participação do público e acesso à justiça em matéria de ambiente a nível comunitário um Guia Prático O acesso à informação, a participação do público no processo de tomada de decisão

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão do Desenvolvimento Regional PROJECTO DE PARECER. da Comissão do Desenvolvimento Regional

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão do Desenvolvimento Regional PROJECTO DE PARECER. da Comissão do Desenvolvimento Regional PARLAMENTO EUROPEU 2004 ««««««««««««2009 Comissão do Desenvolvimento Regional PROVISÓRIO 2004/0000 23.8.2005 PROJECTO DE PARECER da Comissão do Desenvolvimento Regional destinado à Comissão das Petições

Leia mais

L 68/44 Jornal Oficial da União Europeia 15.3.2005. (Actos adoptados em aplicação do título VI do Tratado da União Europeia)

L 68/44 Jornal Oficial da União Europeia 15.3.2005. (Actos adoptados em aplicação do título VI do Tratado da União Europeia) L 68/44 Jornal Oficial da União Europeia 15.3.2005 (Actos adoptados em aplicação do título VI do Tratado da União Europeia) DECISÃO 2005/211/JAI DO CONSELHO de 24 de Fevereiro de 2005 relativa à introdução

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU PROJECTO DE PARECER. Comissão da Indústria, do Comércio Externo, da Investigação e da Energia PROVISÓRIO 2003/0252(COD)

PARLAMENTO EUROPEU PROJECTO DE PARECER. Comissão da Indústria, do Comércio Externo, da Investigação e da Energia PROVISÓRIO 2003/0252(COD) PARLAMENTO EUROPEU 1999 2004 Comissão da Indústria, do Comércio Externo, da Investigação e da Energia PROVISÓRIO 2003/0252(COD) 5 de Fevereiro de 2004 PROJECTO DE PARECER da Comissão da Indústria, do Comércio

Leia mais

Código de Ética da Parpública. Ética - Princípios e valores fundamentais. Âmbito de aplicação

Código de Ética da Parpública. Ética - Princípios e valores fundamentais. Âmbito de aplicação Código de Ética da Parpública Âmbito de aplicação Aplica-se a todos os colaboradores da Parpública sem prejuízo de outras disposições legais ou regulamentares aplicáveis ou a que por inerência do exercício

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 557/X/4.ª

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 557/X/4.ª PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 557/X/4.ª Iniciativa Europeia Proposta de Decisão - Quadro COM (2007) 654 final SEC (2007) 1422 e 1453, relativa à utilização dos dados do Registo de Identificação de Passageiros

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 124/IX ALTERA AS REGRAS DO SIGILO BANCÁRIO E GARANTE A TRANSPARÊNCIA FISCAL. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º 124/IX ALTERA AS REGRAS DO SIGILO BANCÁRIO E GARANTE A TRANSPARÊNCIA FISCAL. Exposição de motivos PROJECTO DE LEI N.º 124/IX ALTERA AS REGRAS DO SIGILO BANCÁRIO E GARANTE A TRANSPARÊNCIA FISCAL Exposição de motivos O sigilo bancário foi instituído em Portugal, como noutros países, como uma garantia

Leia mais

RESUMO. Contribuição da UE: 128 165 000 EUR Base jurídica Artigo 6. do Regulamento (CE) n.º 1889/2006 de 20.12.2006 (JO L 386 de 29.12.2006, p.

RESUMO. Contribuição da UE: 128 165 000 EUR Base jurídica Artigo 6. do Regulamento (CE) n.º 1889/2006 de 20.12.2006 (JO L 386 de 29.12.2006, p. RESUMO Programa de Ação Anual 2013, ao abrigo do Instrumento Europeu para a Democracia e os Direitos Humanos (IEDDH), a financiar pela rubrica orçamental 19 04 01 do orçamento geral da União Europeia 1.

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO. Resumo da Avaliação de Impacto. que acompanha o documento

DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO. Resumo da Avaliação de Impacto. que acompanha o documento COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 20.10.2011 SEC(2011) 1218 final DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO Resumo da Avaliação de Impacto que acompanha o documento Proposta de Regulamento do Parlamento

Leia mais

Tendo em conta a sua Resolução, de 9 de Outubro de 2008, sobre como enfrentar o desafio da escassez de água e das secas na União Europeia 2,

Tendo em conta a sua Resolução, de 9 de Outubro de 2008, sobre como enfrentar o desafio da escassez de água e das secas na União Europeia 2, P6_TA(2009)0130 Degradação das terras agrícolas na UE Resolução do Parlamento Europeu, de 12 de Março de 2009, sobre o problema da degradação das terras agrícolas na UE e particularmente no Sul da Europa:

Leia mais

ACORDO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E OS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA RELATIVO À ASSISTÊNCIA MÚTUA ENTRE OS RESPECTIVOS SERVIÇOS ADUANEIROS.

ACORDO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E OS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA RELATIVO À ASSISTÊNCIA MÚTUA ENTRE OS RESPECTIVOS SERVIÇOS ADUANEIROS. Decreto n.º 25/95 Acordo entre a República Portuguesa e os Estados Unidos da América Relativo à Assistência Mútua entre os Respectivos Serviços Aduaneiros Nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 200.º

Leia mais

* PROJECTO DE RELATÓRIO

* PROJECTO DE RELATÓRIO PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Comissão das Liberdades Cívicas, da Justiça e dos Assuntos Internos 26.10.2009 2009/0101(CNS) * PROJECTO DE RELATÓRIO sobre a proposta de decisão-quadro do Conselho relativa

Leia mais

Jornal oficial no. L 171 de 07/07/1999 P. 0012-0016. Texto:

Jornal oficial no. L 171 de 07/07/1999 P. 0012-0016. Texto: Directiva 1999/44/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 25 de Maio de 1999, relativa a certos aspectos da venda de bens de consumo e das garantias a ela relativas Jornal oficial no. L 171 de 07/07/1999

Leia mais

DOCUMENTO DE CONSULTA: COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO EUROPEIA SOBRE OS DIREITOS DA CRIANÇA (2011-2014) 1

DOCUMENTO DE CONSULTA: COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO EUROPEIA SOBRE OS DIREITOS DA CRIANÇA (2011-2014) 1 DOCUMENTO DE CONSULTA: COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO EUROPEIA SOBRE OS DIREITOS DA CRIANÇA (2011-2014) 1 Direitos da Criança Em conformidade com o artigo 3.º do Tratado da União Europeia, a União promoverá os

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE AERONÁUTICA

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE AERONÁUTICA Regulamento Contra a Violência, Racismo, Xenofobia e Intolerância (*) Disposições gerais Artigo 1.º Objecto O presente regulamento visa o combate à violência, ao racismo, à xenofobia e à intolerância nas

Leia mais

(Atos legislativos) DIRETIVAS

(Atos legislativos) DIRETIVAS 6.11.2013 Jornal Oficial da União Europeia L 294/1 I (Atos legislativos) DIRETIVAS DIRETIVA 2013/48/UE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 22 de outubro de 2013 relativa ao direito de acesso a um advogado

Leia mais

INTERVENÇÃO. Os 30 anos dos Acordos de Shengen: Liberdade de Circulação numa Europa. Painel: Segurança Europeia e Liberdade de Circulação

INTERVENÇÃO. Os 30 anos dos Acordos de Shengen: Liberdade de Circulação numa Europa. Painel: Segurança Europeia e Liberdade de Circulação INTERVENÇÃO Os 30 anos dos Acordos de Shengen: Liberdade de Circulação numa Europa Painel: Segurança Europeia e Liberdade de Circulação Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão dos Assuntos Sociais e do Meio Ambiente

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão dos Assuntos Sociais e do Meio Ambiente PARLAMENTO EUROPEU 1999 2004 Comissão dos Assuntos Sociais e do Meio Ambiente 18 de Dezembro de 2003 APP/3640/1-70 ALTERAÇÕES 1-70 Projecto de relatório (APP/3640) Karin Scheele e Aime François Betkou

Leia mais

PROJECTO DE RELATÓRIO

PROJECTO DE RELATÓRIO ASSEMBLEIA PARLAMENTAR PARITÁRIA ACP- UE Comissão de Desenvolvimento Económico, Finanças e Comércio 3.9.2007 PROJECTO DE RELATÓRIO sobre o impacto do investimento directo estrangeiro (IDE) nos Estados

Leia mais

MEDIDAS DE REFORÇO DA SOLIDEZ FINANCEIRA DAS INSTITUIÇÕES DE CRÉDITO

MEDIDAS DE REFORÇO DA SOLIDEZ FINANCEIRA DAS INSTITUIÇÕES DE CRÉDITO NotíciasdoDireito Janeiro a Março de 2012 SECTOR BANCÁRIO E FINANCEIRO MEDIDAS DE REFORÇO DA SOLIDEZ FINANCEIRA DAS INSTITUIÇÕES DE CRÉDITO A Lei n.º 4/2012, de 11 de Janeiro, altera a Lei n.º 63-A/2008,

Leia mais

PROGRAMA DE ACÇÃO COMUNITÁRIO RELATIVO À VIGILÂNCIA DA SAÚDE. PROGRAMA DE TRABALHO PARA 2000 (Nº 2, alínea b), do artigo 5º da Decisão nº 1400/97/CE)

PROGRAMA DE ACÇÃO COMUNITÁRIO RELATIVO À VIGILÂNCIA DA SAÚDE. PROGRAMA DE TRABALHO PARA 2000 (Nº 2, alínea b), do artigo 5º da Decisão nº 1400/97/CE) PROGRAMA DE ACÇÃO COMUNITÁRIO RELATIVO À VIGILÂNCIA DA SAÚDE VERSION FINALE PROGRAMA DE TRABALHO PARA 2000 (Nº 2, alínea b), do artigo 5º da Decisão nº 1400/97/CE) 1. INTRODUÇÃO As actividades da União

Leia mais

Conclusões do Conselho sobre a fraude e a evasão fiscais Adoção

Conclusões do Conselho sobre a fraude e a evasão fiscais Adoção CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 14 de maio de 2013 (21.05) (Or. en) 9549/13 FISC 94 ECOFIN 353 NOTA de: para: Assunto: Secretariado-Geral do Conselho Delegações Conclusões do Conselho sobre a fraude

Leia mais

POLÍTICAS DE DROGAS E DIREITOS HUMANOS

POLÍTICAS DE DROGAS E DIREITOS HUMANOS POLÍTICAS DE DROGAS E DIREITOS HUMANOS Para a construção de um memorandum dos juízes dos países e territórios de língua oficial portuguesa (UIJLP) no âmbito da 1ª Conferência Internacional sobre Políticas

Leia mais

DIRECTIVA N 01/2009/CM/UEMOA Sobre o Código de Transparência na Gestão das Finanças Públicas NO SEIO DA UEMOA

DIRECTIVA N 01/2009/CM/UEMOA Sobre o Código de Transparência na Gestão das Finanças Públicas NO SEIO DA UEMOA UNIÃO ECONÓMICA E MONETÁRIA OESTE AFRICANA O Conselho de Ministros DIRECTIVA N 01/2009/CM/UEMOA Sobre o Código de Transparência na Gestão das Finanças Públicas NO SEIO DA UEMOA O CONSELHO DE MINISTROS

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO DE PROTECÇÃO DE DADOS DO ARTIGO 29.º

GRUPO DE TRABALHO DE PROTECÇÃO DE DADOS DO ARTIGO 29.º GRUPO DE TRABALHO DE PROTECÇÃO DE DADOS DO ARTIGO 29.º 00327/11/PT WP 180 Parecer 9/2011 sobre a proposta revista da indústria relativa a um quadro para as avaliações do impacto das aplicações RFID na

Leia mais

financeiras que actuam em diferentes áreas de negócio, bem como por empresas instrumentais para o funcionamento e apoio à actividade do Grupo.

financeiras que actuam em diferentes áreas de negócio, bem como por empresas instrumentais para o funcionamento e apoio à actividade do Grupo. Código de Conduta Preâmbulo O Crédito Agrícola Mútuo é uma das instituições mais antigas da sociedade portuguesa, com génese nos Celeiros Comuns e nas Misericórdias. Ao longo da sua história, o Crédito

Leia mais

MARKT/2094/01 PT Orig. EN COMÉRCIO ELECTRÓNICO E SERVIÇOS FINANCEIROS

MARKT/2094/01 PT Orig. EN COMÉRCIO ELECTRÓNICO E SERVIÇOS FINANCEIROS MARKT/2094/01 PT Orig. EN COMÉRCIO ELECTRÓNICO E SERVIÇOS FINANCEIROS Objectivo do presente documento O presente documento descreve a actual situação no que se refere ao comércio electrónico e serviços

Leia mais

Código de Ética. 1. Apresentação

Código de Ética. 1. Apresentação Código de Ética 1. Apresentação A Missão, a Visão, os Princípios Gerais, os Valores e as Normas de Conduta constantes do Código de Ética integram a Cultura da Lusa, a qual deve presidir à conduta profissional

Leia mais

GRUPO SAG CÓDIGO DE CONDUTA

GRUPO SAG CÓDIGO DE CONDUTA GRUPO SAG CÓDIGO DE CONDUTA 1. Preâmbulo O perfil das empresas e a sua imagem estão cada vez mais interligados não só com o desempenho económico e financeiro, mas também com o quadro de valores, princípios

Leia mais

Recrutamento ético de enfermeiros

Recrutamento ético de enfermeiros Recrutamento ético de enfermeiros Posição do CIE: Tomada de posição O CIE e as suas associações membro acreditam firmemente que a qualidade dos cuidados de saúde depende directamente de um fornecimento

Leia mais

Sistemas de garantia para os seguros: ponto de situação e orientação para os trabalhos no futuro (Documento de discussão)

Sistemas de garantia para os seguros: ponto de situação e orientação para os trabalhos no futuro (Documento de discussão) COMISSÃO EUROPEIA DG Mercado Interno INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS Seguros MARKT/2517/02 PT Orig. EN Sistemas de garantia para os seguros: ponto de situação e orientação para os trabalhos no futuro (Documento

Leia mais

CONCLUSÕES DO CONSELHO. de 27 de Novembro de 2003. sobre o contributo da política industrial para a competitividade Europeia (2003/C 317/02)

CONCLUSÕES DO CONSELHO. de 27 de Novembro de 2003. sobre o contributo da política industrial para a competitividade Europeia (2003/C 317/02) CONCLUSÕES DO CONSELHO de 27 de Novembro de 2003 sobre o contributo da política industrial para a competitividade Europeia (2003/C 317/02) O CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA I. EM RELAÇÃO A QUESTÕES HORIZONTAIS:

Leia mais

DIRETIVA (UE) 2016/681 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

DIRETIVA (UE) 2016/681 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO L 119/132 4.5.2016 DIRETIVA (UE) 2016/681 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 27 de abril de 2016 relativa à utilização dos dados dos registos de identificação dos passageiros (PNR) para efeitos de

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 13.9.2011 COM(2011) 556 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES sobre a aplicação da Recomendação

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO. (apresentada pela Comissão)

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO. (apresentada pela Comissão) PT PT PT COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 25.6.2008 COM(2008) 390 final 2008/0128 (COD) Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que altera o Regulamento (CE) n. 216/2008

Leia mais

ALGUMAS MEDIDAS DE PROTECÇÃO E ASSISTÊNCIA DAS VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA*

ALGUMAS MEDIDAS DE PROTECÇÃO E ASSISTÊNCIA DAS VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA* ALGUMAS MEDIDAS DE PROTECÇÃO E ASSISTÊNCIA DAS VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA* *O texto corresponde, no essencial, à conferência proferida no Porto, na Universidade Portucalense, no dia 23 de Fevereiro

Leia mais

RELATÓRIO DOS TRABALHOS DA 1ª COMISSÃO EM MATÉRIA DE COMBATE AO TRÁFICO DE SERES HUMANOS

RELATÓRIO DOS TRABALHOS DA 1ª COMISSÃO EM MATÉRIA DE COMBATE AO TRÁFICO DE SERES HUMANOS RELATÓRIO DOS TRABALHOS DA 1ª COMISSÃO EM MATÉRIA DE COMBATE AO TRÁFICO DE SERES HUMANOS Os peritos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe, reunidos em sessões de trabalho

Leia mais

4.1. A verba máxima disponível por projecto será de 200.000 Euros. A ajuda solicitada poderá ser aplicada para financiar pessoal, aquisição de

4.1. A verba máxima disponível por projecto será de 200.000 Euros. A ajuda solicitada poderá ser aplicada para financiar pessoal, aquisição de Bases reguladoras para a concessão das ajudas destinadas a dar apoio à valorização de projectos de investigação ao abrigo da Rede Universitária Iberoamericana de Incubação de Empresas (RedEmprendia) Em

Leia mais

DISCURSO PROFERIDO POR VÍTOR CALDEIRA, PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS EUROPEU

DISCURSO PROFERIDO POR VÍTOR CALDEIRA, PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS EUROPEU TRIBUNAL DE CONTAS EUROPEU ECA/09/69 DISCURSO PROFERIDO POR VÍTOR CALDEIRA, PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS EUROPEU ******* APRESENTAÇÃO DO RELATÓRIO ANUAL RELATIVO AO EXERCÍCIO DE 2008 À COMISSÃO DO

Leia mais

BDIRECTIVA 96/34/CE DO CONSELHO de 3 de Junho de 1996 relativo ao Acordo-quadro sobre a licença parental celebrado pela UNICEF, pelo CEEP e pela CES

BDIRECTIVA 96/34/CE DO CONSELHO de 3 de Junho de 1996 relativo ao Acordo-quadro sobre a licença parental celebrado pela UNICEF, pelo CEEP e pela CES 1996L0034 PT 05.02.1998 001.001 1 Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições BDIRECTIVA 96/34/CE DO CONSELHO de 3 de Junho de 1996 relativo ao Acordo-quadro sobre

Leia mais

Orientações sobre o tratamento de dados dos documentos de identificação dos titulares de cartão de pagamento por parte das firmas comerciais

Orientações sobre o tratamento de dados dos documentos de identificação dos titulares de cartão de pagamento por parte das firmas comerciais Orientações sobre o tratamento de dados dos documentos de identificação dos titulares de cartão de pagamento por parte das firmas comerciais Muitas firmas comerciais de Macau solicitam o fornecimento de

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão das Pescas. 30 de Abril de 2003 PE 325.169/1-13 ALTERAÇÕES 1-13

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão das Pescas. 30 de Abril de 2003 PE 325.169/1-13 ALTERAÇÕES 1-13 PARLAMENTO EUROPEU 1999 Comissão das Pescas 2004 30 de Abril de 2003 PE 325.169/1-13 ALTERAÇÕES 1-13 Projecto de relatório (PE 325.169) Giorgio Lisi sobre um plano de acção comunitário para a conservação

Leia mais

ESTATUTO DO JORNALISTA

ESTATUTO DO JORNALISTA ESTATUTO DO JORNALISTA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º (Objecto) O presente estatuto regula o exercício da actividade de jornalista e equiparados, definindo a condição profissional, estabelecendo

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão da Indústria, do Comércio Externo, da Investigação e da Energia

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão da Indústria, do Comércio Externo, da Investigação e da Energia PARLAMENTO EUROPEU 1999 2004 Comissão da Indústria, do Comércio Externo, da Investigação e da Energia 4 de Agosto de 2003 PE 322.025/1-7 ALTERAÇÕES 1-7 Projecto de recomendação para segunda leitura (PE

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU E AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU E AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 14.7.2004 COM(2004) 479 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU E AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU "Reforçar a confiança nos mercados

Leia mais

Situação das mulheres que se aproximam da idade da reforma

Situação das mulheres que se aproximam da idade da reforma 22.2.2013 Jornal Oficial da União Europeia C 51 E/9 Situação das mulheres que se aproximam da idade da reforma P7_TA(2011)0360 Resolução do Parlamento Europeu, de 13 de Setembro de 2011, sobre a situação

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 315/X DETERMINA A DERROGAÇÃO DO SIGILO BANCÁRIO COMO INSTRUMENTO PARA O COMBATE À FRAUDE FISCAL

PROJECTO DE LEI N.º 315/X DETERMINA A DERROGAÇÃO DO SIGILO BANCÁRIO COMO INSTRUMENTO PARA O COMBATE À FRAUDE FISCAL PROJECTO DE LEI N.º 315/X DETERMINA A DERROGAÇÃO DO SIGILO BANCÁRIO COMO INSTRUMENTO PARA O COMBATE À FRAUDE FISCAL Exposição de motivos No seu Programa de candidatura e depois no Programa de Governo o

Leia mais

Lei n.º 40/99 de 9 de Junho

Lei n.º 40/99 de 9 de Junho Lei n.º 40/99 de 9 de Junho Assegura a informação e consulta dos trabalhadores em empresas ou grupos de empresas transnacionais e regula a instituição de conselhos de empresa europeus ou de procedimentos

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão da Indústria, do Comércio Externo, da Investigação e da Energia

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão da Indústria, do Comércio Externo, da Investigação e da Energia PARLAMENTO EUROPEU 1999 2004 Comissão da Indústria, do Comércio Externo, da Investigação e da Energia 8 de Maio de 2002 PE 316.234/23-28 ALTERAÇÕES 23-28 Projecto de relatório (PE 316.234) de Imelda Mary

Leia mais

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 17.12.2009 COM(2009)701 final 2009/0186 (NLE) Proposta de DECISÃO DO CONSELHO relativa à celebração do Acordo entre a União Europeia e a Austrália sobre o tratamento de dados

Leia mais

Direito Processual Penal Especial

Direito Processual Penal Especial FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA FREDERICO DE LACERDA DA COSTA PINTO Direito Processual Penal Especial Programa (Ano lectivo de 2013-2014, 2.º ciclo, 2.º semestre) Introdução 1. Objecto

Leia mais

Ministério das Pescas

Ministério das Pescas Ministério das Pescas Assembleia Nacional Resolução n.º 4/06 de 22 de Fevereiro Considerando que à luz das disposições da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, de 10 de Dezembro de 1982,

Leia mais

PROJETO DE RELATÓRIO

PROJETO DE RELATÓRIO PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar 2011/2307(INI) 9.3.2012 PROJETO DE RELATÓRIO sobre a dádiva voluntária e não remunerada de tecidos e células

Leia mais

Impostos sobre os veículos automóveis ligeiros de passageiros *

Impostos sobre os veículos automóveis ligeiros de passageiros * P6_TA(2006)0334 Impostos sobre os veículos automóveis ligeiros de passageiros * Resolução legislativa do Parlamento Europeu sobre uma proposta de directiva do Conselho relativa à tributação aplicável aos

Leia mais

Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE

Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE Manuel Sebastião Brasília 21 de Maio de 2009 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. MODERNIZAÇÃO DAS REGRAS ARTIGOS 81 e 82 3. O CONTROLO DE CONCENTRAÇÕES 4. CONCLUSÕES

Leia mais

Reunião Transfonteiriça Espanha Portugal SUMÁRIO. Boletim Informativo n.º 25. Balanço do 25.º Aniversário da Adesão à UE e Desafios para 2012

Reunião Transfonteiriça Espanha Portugal SUMÁRIO. Boletim Informativo n.º 25. Balanço do 25.º Aniversário da Adesão à UE e Desafios para 2012 Boletim Informativo n.º 25 SUMÁRIO REUNIÃO TRANSFONTEIRIÇA ESPANHA- PORTUGAL Pág. 1 MECANISMO INTERLIGAR EUROPA GALILEO SATELITE EUROPEU Pág. 2 FRONTEIRAS INTELIGENTES Pág. 3 LUTA CONTRA AS NOVAS DROGAS

Leia mais

Projeto de Resolução n.º 1036/XII. Aprova a Declaração para a abertura e transparência parlamentar

Projeto de Resolução n.º 1036/XII. Aprova a Declaração para a abertura e transparência parlamentar Projeto de Resolução n.º 1036/XII Aprova a Declaração para a abertura e transparência parlamentar Em 29 de agosto de 2012, 76 organizações de cidadãos de 53 países envolvidas na observação, apoio e incentivo

Leia mais