Projeto Documentautismo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projeto Documentautismo"

Transcrição

1 CEMI Centro de Ensino Médio Integrado a Educação Profissional Projeto Documentautismo FREDERICO TALES BEZERRA MATOS DE ALENCAR BRASÍLIA DF 2011

2 FREDERICO TALES BEZERRA MATOS DE ALENCAR Projeto Documentautismo Trabalho apresentado à disciplina de Projeto EXPOCEMI, orientado pelo professor Especialista ARIOMAR DA LUZ NOGUEIRA FILHO, para obtenção da nota no curso de Técnico em Informática, do Centro de Ensino Médio Integrado a Educação Profissional (CEMI). BRASÍLIA DF 2011 TERMO DE APROVAÇÃO

3 FREDERICO TALES BEZERRA MATOS DE ALENCAR Projeto Documentautismo Monografia apresentada como requisito parcial para aprovação da disciplina de Projeto EXPOCEMI. Vinculado ao Centro de Ensino Médio Integrado a Educação Profissional, pela seguinte banca examinadora Aprovada em: Banca Examinadora: Ariomar da Luz Nogueira Filho CEMI SEDF Luis Claudio Sales CEMI SEDF

4 RESUMO: Uma curta animação em forma de propaganda que visa mostrar algumas das principais características relacionadas ao autismo. Aqui o objetivo é conscientizar as pessoas de que existe uma solução para este e outros problemas similares, já que a maioria das pessoas que tem TGD sofrem com preconceitos e discriminação, além da falta de leis que apoiam o autista. O espectador saberá algumas das características comportamentais de uma criança autista, e que todas essas características, ou ainda sintomas devem ser levados em consideração com bastante cuidado para o tratamento de quem carrega a síndrome, e que por mais que esses sintomas afetem sua capacidade cognitiva, interpessoal etc, o autista deve receber muita atenção e carinho para o progresso evolutivo de uma possível melhora para com a sociedade e para com si mesmo. Palavras-chave: Autismo, Transtorno Global do Desenvolvimento, Educação

5 ABSTRACT: A short animation in the form of advertising that aims to show some of the main characteristics related to autism. Here the goal is to make people aware that there a solution to this and other similar problems, since most people who have PDD (pervasive developmental disorder) suffer from prejudice and discrimination, and lack of laws supporting autistic. The viewer will know some of the behavioral characteristics of an autistic child, and that all these characteristics, or symptoms should be considered quite care for the treatment of those who carry the syndrome, and that even though these symptoms affect cognitive ability, interpersonal, etc., autism should receive much attention and affection for evolutionary progress of a possible improvement to society and to himself. Keywords: Autism, Pervasive Developmental Disorder, Education

6 Sumário 1. INTRODUÇÃO OBJETIVOS... 8 OBJETIVO GERAL... 8 OBJETIVOS ESPECÍFICOS PROBLEMA E MOTIVAÇÃO ESTRUTURA DO PROJETO REVISÃO BILBIOGRÁFICA CARACTERÍSTICAS DAS PESQUISAS CONSIDERAÇÕES INICIAIS ANÁLISE DA PESQUISA APLICAÇÃO DOS QUETIONÁRIOS DE PESQUISA CARACTERÍSTICA DOS ENTREVISTADOS RESULTADOS DA PESQUISA CONCLUSÃO BIBLIOGRAFIA:... 18

7 1. INTRODUÇÃO O autismo é uma transtorno global do desenvolvimento, esta alteração afeta o comportamento e a socialização do indivíduo, características estas que podem variar de pessoa para pessoa, pois a criança autista tem seu diagnóstico dado dentro de um espectro autístico que envolvem características que o difere de outros autistas, resultando consequentemente em uma forma de tratamento diferenciada, e por isso a criança autista deve receber diversos e cuidados acompanhamentos. O autismo foi descrito pela primeira vez em 1943 pelo médico austríaco Leo Kanner em um dos seus artigos para a revista Nervous Child. A palavra autismo foi primeiro utilizada para descrever um sintoma da esquizofrenia, caracterizada pela fuga da realidade, e acreditava-se que a causa do autismo era a indiferença da mãe para com a criança. Hoje essa teoria não é mais aceita, e acredita-se que o autismo é dado por causas genéticas e ambientais, porém nenhuma dessas causas ainda são comprovadas com total autenticidade. A criança autista prefere estar só, não mantendo relações interpessoais ou íntimas, costuma ser excessivamente presa a objetos pessoais e mantém-se durante bastante tempo exercendo certos atos rotineiros no seu dia-a-dia. Estes sintomas podem ser identificados com a perda do contato emocional, isolamento e agressividade, de forma a ser observada em sessões de atendimentos clínico, pois é muito difícil diagnosticar uma criança autista, já que esta não apresenta nenhum comprometimento físico. Por outro lado, o autista é mais propícia a ser autodidata em assuntos complexos e lógicos (como engenharia, computação etc), já que o fato de ele não manter relações interpessoais faz com que sua atenção pessoal fique voltada para seus interesses muitas vezes acadêmicos. O tratamento do autismo varia bastante, já que a gravidade varia de pessoa para pessoa, e as causas produzem individuais diferenças significativas ao indivíduo. Até o momento o autismo é um transtorno sem cura, porém intervenções apropriadas a cada indivíduo pode mudar o comportamento e percepção do mesmo, de modo a ser imperceptível para uma pessoa que não tenha acompanhado o seu tratamento. Características singulares de determinado indivíduo influenciam no seu tratamento, portanto existem vários tratamentos, e que na maioria das vezes exigem uma equipe multidisciplinar para acompanhamento médico, sendo esses da área de pediatria, neurologia, psiquiatria e odontologia, e também de acompanhamentos não médicos, nas áreas psicologia, fonoaudiologia, pedagogia, terapia ocupacional, fisioterapia e orientação familiar.

8 1.1 OBJETIVOS OBJETIVO GERAL Conscientizar as pessoas quanto ao autismo, desde o preconceito, sofrimento até os seus deveres como cidadãos e portadores desse transtorno. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Produzir um curta animado para levar mais conhecimento a população quanto aos Transtornos Globais do Desenvolvimento, onde o autismo está inserido; Divulgar o projeto após concluído a fim de buscar os direitos do autista na sociedade; Através da Internet, mostrar para o público em massa o que é o Transtorno Global do Desenvolvimento e o que é o autismo. 1.2 PROBLEMA E MOTIVAÇÃO O Brasil sempre foi um país com bastante diferenças culturais, povos mestiços etc, mas mesmo com todas essas diferenças facilmente visíveis, grande parte do povo não respeita algumas dessas diferenças, seja preconceito contra deficientes físicos, homessexuais, deficientes mentais, ou portadores de transtornos, que no caso do foco deste projeto, o autismo. Um dos maiores problemas que o autista enfrenta na sociedade é o preconceito, ou talvez a falta de conhecimento das pessoas quanto as suas características. Pois é comum que haja uma criança autista em algum meio e que esta seja julgada apenas como uma criança mal educada por alguém que não conhece o transtorno, causando frustração para todos que sabem do que se trata. É visível que a nossa sociedade passa por constantes transformações culturais, sociais, políticas, econômicas. E muitas dessas transformações estão se dando por causa da internet, a internet têm influenciado as pessoas em formação de opinião, tem influenciado as pessoas a

9 promover eventos virtuais contra preconceito ou protestando a favor ou contra algum bem maior em questão. E a produção deste projeto em conjunto com o seu produto, a animação, vão ser disponibilizados na internet com o propósito de divulgação e conscientização de todos aqueles que tiverem acesso ao projeto e a animação. 1.3 ESTRUTURA DO PROJETO O trabalho está dividido nos seguintes capítulos: Introdução, Revisão Bibliográfica, Testes e Resultados, Conclusão e Considerações Finais. A Revisão Bibliográfica trata dos aspectos educacionais e da justificativa para a utilização da publicação de todo material deste projeto na internet como ferramenta de conscientização. Em Testes e Resultados são apresentados os saldos dos testes realizados. No capítulo de Conclusões são apresentadas as conclusões finais e as possibilidades de desenvolvimento de trabalhos de continuação deste projeto.

10 2. REVISÃO BILBIOGRÁFICA O autismo é um transtorno global do desenvolvimento (TGD) ou seja, altera características comportamentais, sociais e temperamentais do indivíduo, algumas crianças, apesar de autistas apresentam características cognitivas, fala e inteligência intactas, outras apresentam retardamento, mutismo e dificuldades no desenvolvimento da linguagem e aprendizado, isso por causa do espectro autístico em que a criança está inserida, pois é este espectro que vai informar quais os comportamentos da criança podem ter sofrido alguma alteração, e até mesmo qual o tipo de tratamento e acompanhamento que esta criança vai precisar. E é por estes fatores que existem autistas que se dão bem com a sociedade, mas por outro lado existem autistas que não conseguem se relacionar nem com quem é mais próximo, como o pai ou a mãe. Este transtorno é caracterizado pelo fechamento do indivíduo com o mundo, comportamentos restritos a determinadas situações. O autista muitas vezes não sabe diferenciar a utilidade de um objeto ou outro, pois para ele são todos apenas objetos, portanto, pode não haver abstração no aprendizado, o autista não usa metáforas. Seu comportamento é constituído por atos repetitivos e rotineiros, detestam mudanças ambientais e são apegados a um contexto inanimado, sem afeto. É conhecido por ser um problema de isolamento pessoal, a criança ou adulto portador desta síndrome centra-se em si mesmo e na sua imaginação. É universalmente conhecido o problema que os autistas tem em expressar emoções, muito embora eles não consigam expressar, não quer dizer que eles não sentem ou se afetam com o meio ou pessoas, e é exatamente por isso que é de suma importância a presença da família e sociedade em geral na sua vida. As causas do autismo ainda atingem um nível de desconhecimento pela ciência, porém existem muitas hipóteses quanto a este aspecto. Uma das teorias mais aceitas é que o autismo é causado pela genética associada ao meio, e se desenvolve já no período da gestação da mãe do indivíduo. Com base nos estudos atuais quanto ao autismo, já se pode diagnosticar uma criança até mesmo com menos de um ano de idade, e quanto mais cedo for feito o diagnóstico, mais resultados positivos podem ser esperados do acompanhamento médico e psicológico feitos, já que o transtorno não tem cura. Uma criança pode ser diagnosticada em clínicas especializadas a partir de observação comportamental, de quando a criança se isola, tem a perda do contato interpessoal, tem características de repetir atos rotineiros e até mesmo a agressividade.

11 O tratamento do autista pode variar bastante, já que o autismo pode ser grave ou não, e cada indivíduo tem um comportamento diferente, e é com base nestes comportamentos que é dado o tratamento médico e não médico. É aconselhável que exista uma equipe médica constituída de profissionais na área pediatria, neurologia, psiquiatria e odontologia, este que vão atuar e agir com tratamentos diferentes que se complementarão para o bom resultado, e é necessário também de profissionais nas áreas de psicologia, fonoaudiologia, pedagogia, terapia ocupacional, fisioterapia. É de suma importância que a família esteja sempre acompanhando o tratamento da criança e dê o máximo de apoio possível, pois mesmo que seja difícil do autista retribuir com emoções, este é ainda é um dependente de pessoas de sua confiança e precisa de apoio moral e emocional. Dados os situados problemas que um autista enfrenta na sociedade, ele sofre bastante preconceito no meio em que vive, às vezes não tem comprometimento nem apoio da família, os direitos que o autista tem na sociedade são escassos e uma série de problemas surge quando se abre uma discussão sobre o assunto. Por isso o desenvolvimento deste projeto é importante, pois visa mostrar através de pesquisas e de uma animação os problemas que o autista sofre e tem sofrido na atualidade. (Imagem da animação que foi desenvolvida para o projeto)

12 Como o autismo está diretamente relacionado a integridades morais e comportamentais, apenas o processo de aquisição de conhecimento quanto ao assunto e conscientização das pessoas que a sociedade pode progredir culturalmente quanto a aspectos que envolvam o preconceito e a ignorância. De fato o problema inicial que o autista apresenta na sociedade é a discriminação, que muitas vezes se inicia na escola, outro problema é a falta de importância que o estado e a sociedade dá para o autista e para quem possui outros transtornos globais do desenvolvimento em geral. E é justamente este processo de conscientização e aquisição de conhecimento que a animação produzida visa mostrar a quem assisti-la, pois será fixado que quem precisa mudar de comportamento não é quem tem o transtorno e sofre com isso, e sim a sociedade que os julgam. 3. CARACTERÍSTICAS DAS PESQUISAS 3.1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Foi desenvolvida uma animação de curta duração em formato de propaganda/anúncio que mostra o que é o autismo e quais as suas características, animação esta que se chama Projeto Documentautismo, o mesmo nome deste projeto. A animação foi feita com recursos de computação gráfica em três dimensões (3D), e o conteúdo inserido nesta animação foi retirado de pesquisas feitas para este projeto, e de fontes eletrônicas que se encontram na bibliografia deste projeto. Foi realizada também uma pesquisa com abordagem quantitativa e qualitativa de caráter empírico que conta com a participação dos entrevistados por um período de tempo nas escolas, dentro de casa e até mesmo nas ruas, todos estes lugares situados na cidade salétite Gama alocada no Distrito Federal. Através de simples observações, foram sondadas informações referentes ao que é autismo, o que é transtorno global do desenvolvimento, características de um autista, discriminação, e conhecimentos sobre o assunto. Utilizou-se como instrumento de pesquisa, questionários com perguntas estruturadas e semi-estruturadas aplicado a pessoas com idade entre 12 e 50 anos, com níveis de escolaridade do Ensino Fudamental Incompleto ao Ensino Superior Completo, a fim de coletar dados a respeito do conhecimento das pessoas quanto ao autismo no Brasil, e consequentemente direcionar o foco desta pesquisa.

13 3.2 ANÁLISE DA PESQUISA A pesquisa deu-me a liberdade de entender melhor qual o nível de conhecimento de um público geral para com assuntos relacionados a síndromes e transtornos em geral, fazendo com que eu saiba qual o fator menos conhecido, quais os mitos, e quais as verdades que essas pessoas tem em mente quanto ao assunto. Um pouco menos da metade dos entrevistados não sabiam por exemplo, o que é autismo. APLICAÇÃO DOS QUETIONÁRIOS DE PESQUISA Os locais onde foi aplicado o instrumento de pesquisa foram variados, passando por escolas de ensino fundamental e médio do Gama, familiares, vizinhos e pessoas que estavam caminhando na rua, foram sondadas informações de pessoas de diferentes graus de escolaridade e de diferentes concepções sobre o que é o autismo, muitas delas com concepções equivocadas, já que o questionário possibilitou respostas discursivas sobre o que é o autismo. O questionário constou cinco perguntas relacionados ao autismo e ao transtorno global de desenvolvimento. CARACTERÍSTICA DOS ENTREVISTADOS Um número de pessoas acima do esperado respondeu que não sabe o que é autismo ou transtorno global do desenvolvimento, algumas das explicações sobre o que é autismo foram equivocadas, dando a entender que muitas pessoas tem uma concepção sobre autismo diferente do que realmente é. pessoas superdotadas talvez (sic) foi a resposta de um dos entrevistados quanto ao transtorno global do desenvolvimento. Foram entrevistados 60 pessoas, mescladas em relação a idade e grau de escolaridade. Com isso foi possível generalizar a pesquisa, tornando-a mais autêntica possível. RESULTADOS DA PESQUISA

14 Esta pesquisa tem o objetivo de medir o nível de conhecimento das pessoas entrevistadas em relação ao autismo, trazendo consequências para o desenvolvimento deste projeto, a qual meia deve recorrer etc. A partir desta pesquisa, chega-se a algumas conclusões extraídas das respostas dos entrevistados. Na pergunta relacionada ao conhecimento das pessoas em relação ao autismo, 25 pessoas não sabiam o que era esse transtorno, e 28 respondeu que sabia ou que tinha algum conhecimento básico relacionado. Autismo não é aquela pessoa que tem tomar muitos remédios se não fica muito nervosa? Responde um dos entrevistados que marcou não como resposta da pergunta em questão. Quando perguntado se tem-se conhecido algum autista, ou tido alguma relação interpessoal com essa pessoa, os resultados foram como de se esperar, apenas 10 dos entrevistados conhecem alguma pessoa autista, os outros 43 não conhecem.

15 É muito complicado encontrar alguma pessoa que possua este transtorno em qualquer lugar, acho que os responsáveis por essa pessoa devem privá-los de muita coisa, além das dificuldades que uma pessoa autista deve ter. Afirmou um dos entrevistados, alegando a dificuldade de identificar alguma pessoa autista, e também a dificuldade que deve-se ter em se relacionar com algum autista. Outro gráfico indica a quantidade de pessoas, das entrevistadas, que já presenciaram algum ato de discriminação contra um autista. Por fim foi perguntado se tem-se algum conhecimento sobre Transtorno Global do Desenvolvimento, 40 pessoas não sabem o que é TGD, e o restante sabe e aparente ter alguma noção.

16 Não são aquelas pessoas super-dotadas? Eu vi isso em uma reportagem da Globo Responde um dos entrevistados. 4 CONCLUSÃO A principal contribuição deste presente projeto é a conscientização das pessoas quanto ao autismo através de meios acessíveis, como a internet, por meio de vídeos, blogs, fontes confiáveis e informações autênticas quanto a este transtorno. As pesquisas realizadas mostraram resultados já esperados, de que muitas pessoas ainda não tem conhecimento sobre o assunto em questão, e isso é o motivo maior para a realização deste projeto, pois o fato das pessoas não saberem, ou terem pouco conhecimento quanto ao autismo, faz com que a quantidade e qualidade dos produtos que abordam este tema e estejam em meios acessíveis a essa massa social a internet seja útil, levando cada vez mais informação a essas pessoas, e fazendo-as refletir, e saber o qual é a realidade da família do autista, do autista, e das pessoas a sua volta de fato. A principais vantagens deste projeto se encontra na reunião de informações autênticas retiradas de fontes confiáveis, além de produtos apresentados (a animação, o site deste projeto) com objetivo de ilustrar um pouco mais sobre este mundo. As principais desvantagens se encontram no fato de que as pessoas devam se interessar pelo assunto para encontrar conteúdo e informação quanto ao autismo, pois para que essa informação chegue até as pessoas sem que elas procurem necessita-se de

17 publicidade, algo que pode ser viável no Brasil, já que o assunto está sendo bastante discutido e esse é o ano do autismo no Brasil também.

18 5 BIBLIOGRAFIA: JCSANTIAGO (Autismo Causas e tratamento) - (Acessado dia: 02/04/11). REVISTA AUSTISMO (Revista Autismo) - (Acessado dia: 05/04/11). AUTISMO BRASIL (Autismo Brasil Site)

GOVERNO DO MUNICIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE GABINETE DO PREFEITO

GOVERNO DO MUNICIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE GABINETE DO PREFEITO LEI N o 5.641, DE 23 DE JUNHO DE 2014. RECONHECE A PESSOA COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA COMO PORTADORA DE DEFICIÊNCIA PARA OS FINS DE FRUIÇÃO DOS DIREITOS ASSEGURADOS PELA LEI ORGÂNICA E PELAS DEMAIS

Leia mais

Autismo: a luta contra discriminação 1

Autismo: a luta contra discriminação 1 XXI Prêmio Expocom 2014 Exposição da Pesquisa Experimental em Comunicação 1 Autismo: a luta contra discriminação 1 Marcela MORAES2 Iara de Nazaré Santos RODRIGUES³ Jonária FRANÇA4 Faculdade Boas Novas

Leia mais

Autismo e Aprendizagem

Autismo e Aprendizagem Autismo e Aprendizagem O termo autismo origina-se do grego autós, que significa de si mesmo. Foi empregado pela primeira vez pelo psiquiatra suíço Bleuler, em 1911, que buscava descrever a fuga da realidade

Leia mais

Queila Medeiros Veiga TGD NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA

Queila Medeiros Veiga TGD NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA TGD NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA Marcos Legais 1988 Constituição Federal (art. 208, III) direito das pessoas com necessidades especiais de receberem educação, preferencialmente na rede regular

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 689/2011 PROJETO APROVADO: LEI ESTADUAL Nº 6169/2012

PROJETO DE LEI Nº 689/2011 PROJETO APROVADO: LEI ESTADUAL Nº 6169/2012 PROJETO DE LEI Nº 689/2011 EMENTA: DISPÕE SOBRE A IMPLANTAÇÃO DOS CENTROS DE REABILITAÇÃO INTEGRAL PARA DEFICIENTES MENTAIS E AUTISTAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS PROJETO APROVADO:

Leia mais

Autismo: papel do Fonoaudiólogo e a Inclusão na escola

Autismo: papel do Fonoaudiólogo e a Inclusão na escola Autismo: papel do Fonoaudiólogo e a Inclusão na escola Palestrantes: Francielle Martins e Julia Tognozzi Orientadoras: Profª Drª Dionísia Ap. Cusin Lamonica e Fga. Ms. Camila da Costa Ribeiro O que é autismo?

Leia mais

AUTISMO NA SALA DE AULA

AUTISMO NA SALA DE AULA 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA AUTISMO

Leia mais

PROPOSTA PARA MESA-REDONDA POTENCIAIS RELACIONADOS A EVENTO DA AVALIAÇÃO DOS PROCESSOS PSICOLÓGICOS BÁSICOS ÀS FUNÇÕES COGNITIVAS E SOCIAIS COMPLEXAS.

PROPOSTA PARA MESA-REDONDA POTENCIAIS RELACIONADOS A EVENTO DA AVALIAÇÃO DOS PROCESSOS PSICOLÓGICOS BÁSICOS ÀS FUNÇÕES COGNITIVAS E SOCIAIS COMPLEXAS. PROPOSTA PARA MESA-REDONDA POTENCIAIS RELACIONADOS A EVENTO DA AVALIAÇÃO DOS PROCESSOS PSICOLÓGICOS BÁSICOS ÀS FUNÇÕES COGNITIVAS E SOCIAIS COMPLEXAS. Coordenador: Prof. Dr. Paulo Sérgio Boggio Email:

Leia mais

INTERSETORIALIDADE E AUTISMO

INTERSETORIALIDADE E AUTISMO INTERSETORIALIDADE E AUTISMO Daniel de Sousa Filho Psiquiatra da Infância e Adolescência Mestre em Distúrbios do Desenvolvimento UPM Introdução Kanner, 1943 Asperger, 1944 Bleuler, 1906 Transtornos do

Leia mais

Índice. O Que é AUTISMO? Quais São os Sintomas Típicos do AUTISMO? Causas do AUTISMO. Problemas Comportamentais e as Dificuldades dos Pais

Índice. O Que é AUTISMO? Quais São os Sintomas Típicos do AUTISMO? Causas do AUTISMO. Problemas Comportamentais e as Dificuldades dos Pais Índice O Que é AUTISMO? 03 04 Quais São os Sintomas Típicos do AUTISMO? Causas do AUTISMO 06 07 Problemas Comportamentais e as Dificuldades dos Pais Projeto de Integração Pró-Autista (Pipa) e a Terapia

Leia mais

Direitos Reservados à A&R - Reprodução Proibida

Direitos Reservados à A&R - Reprodução Proibida Direitos Reservados à A&R - Reprodução Proibida AUTISMO: UMA REALIDADE por ZIRALDO MEGATÉRIO ESTÚDIO Texto: Gustavo Luiz Arte: Miguel Mendes, Marco, Fábio Ferreira Outubro de 2013 Quando uma nova vida

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA

PÓS-GRADUAÇÃO EM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA PÓS-GRADUAÇÃO EM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA Instituição Certificadora: FALC Faculdade da Aldeia de Carapicuíba Amparo Legal: Resolução CNE CES 1 2001/ 2007 Carga Horária: 600h (sendo 150h para estágio)

Leia mais

ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO (AEE)

ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO (AEE) ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO (AEE) Aleksandra Debom Garcia 1 Fatima Gomes Nogueira Daguiel 2 Fernanda Pereira Santana Francisco 3 O atendimento educacional especializado foi criado para dar um

Leia mais

A TERAPIA OCUPACIONAL E O MÉTODO TEACCH NO TRATAMENTO DO PORTADOR DE AUTISMO

A TERAPIA OCUPACIONAL E O MÉTODO TEACCH NO TRATAMENTO DO PORTADOR DE AUTISMO 23 A TERAPIA OCUPACIONAL E O MÉTODO TEACCH NO TRATAMENTO DO PORTADOR DE AUTISMO Claudia Soares Rolim Luciana Staut Ayres de Souza Grace Claudia Gasparini Resumo O autismo é uma síndrome comportamental

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSÃO EDUCACIONAL TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTO

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSÃO EDUCACIONAL TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSÃO EDUCACIONAL TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTO DEFINIÇÃO Os alunos da área dos Transtornos Globais do Desenvolvimento apresentam

Leia mais

Equivalência de Estímulos e Autismo: Uma Revisão de Estudos Empíricos 1. Stimulus Equivalence and Autism: A Review of Empirical Studies

Equivalência de Estímulos e Autismo: Uma Revisão de Estudos Empíricos 1. Stimulus Equivalence and Autism: A Review of Empirical Studies Psicologia: Teoria e Pesquisa Out-Dez 2010, Vol. 26 n. 4, pp. 729-737 Equivalência de Estímulos e Autismo: Uma Revisão de Estudos Empíricos 1 Camila Graciella Santos Gomes André Augusto Borges Varella

Leia mais

O AUTISMO- NA CRIANÇA

O AUTISMO- NA CRIANÇA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MÉRTOLA Escola E,B 2,3 ES\Escola S. Sebastião de Mértola Curso Profissional de Técnico de Apoio Psicossocial- 3ºano Disciplina de Psicopatologia Geral Ano letivo 2013\14 Docente:

Leia mais

AUTISMO. 3º Encontro Formativo para Profissionais da Educação. Atendimento aos Estudantes com Deficiência na Rede Municipal de Contagem

AUTISMO. 3º Encontro Formativo para Profissionais da Educação. Atendimento aos Estudantes com Deficiência na Rede Municipal de Contagem AUTISMO 3º Encontro Formativo para Profissionais da Educação Atendimento aos Estudantes com Deficiência na Rede Municipal de Contagem Quem somos? Professoras das SRMF / AAE - Contagem Raquel Shirley Stella

Leia mais

A INTEGRAÇÃO SENSORIAL COMO ABORDAGEM DE TRATAMENTO DE UM ADOLESCENTE NO ESPECTRO AUTISTA

A INTEGRAÇÃO SENSORIAL COMO ABORDAGEM DE TRATAMENTO DE UM ADOLESCENTE NO ESPECTRO AUTISTA A INTEGRAÇÃO SENSORIAL COMO ABORDAGEM DE TRATAMENTO DE UM ADOLESCENTE NO ESPECTRO AUTISTA MATIAS, Rayane CLASSE, Jéssica P. D. CAVALCANTI, Flavia R. R. SILVA, Angela C. D. RESUMO O presente trabalho se

Leia mais

Resumo. pela presença extra, total ou parcial, do cromossoma 21. Assim, existe uma alteração

Resumo. pela presença extra, total ou parcial, do cromossoma 21. Assim, existe uma alteração Resumo A Trissomia XXI caracteriza-se por um distúrbio de origem genética causado pela presença extra, total ou parcial, do cromossoma 21. Assim, existe uma alteração generalizada do Sistema Nervoso Central

Leia mais

Inclusão Escolar do Aluno Autista. Módulo 1 - Introdução

Inclusão Escolar do Aluno Autista. Módulo 1 - Introdução Inclusão Escolar do Aluno Autista Módulo 1 - Introdução O Que é AUTISMO? Autismo é um conjunto de sintomas (síndrome) que p e r t e n c e à c a t e g o r i a d o s t r a n s t o r n o s d e neurodesenvolvimento.

Leia mais

TRANSTORNOS DO ESPECTRO AUTISTA: IMPORTÂNCIA E DIFICULDADE DO DIAGNÓSTICO PRECOCE

TRANSTORNOS DO ESPECTRO AUTISTA: IMPORTÂNCIA E DIFICULDADE DO DIAGNÓSTICO PRECOCE TRANSTORNOS DO ESPECTRO AUTISTA: IMPORTÂNCIA E DIFICULDADE DO DIAGNÓSTICO PRECOCE PESSIM, Larissa Estanislau 1 FONSECA, Profª. Ms. Bárbara Cristina Rodrigues 2 RESUMO Segundo a ONU, o autismo acomete cerca

Leia mais

Transtornos Globais do Desenvolvimento e Dificuldades de. Curso de Formação Pedagógica Andréa Poletto Sonza Março/2010

Transtornos Globais do Desenvolvimento e Dificuldades de. Curso de Formação Pedagógica Andréa Poletto Sonza Março/2010 Transtornos Globais do Desenvolvimento e Dificuldades de Aprendizagem Curso de Formação Pedagógica Andréa Poletto Sonza Março/2010 Transtornos Globais do Desenvolvimento São consideradas pessoas com TGD

Leia mais

Dist úrbios e Dificuldades de Aprendizagem

Dist úrbios e Dificuldades de Aprendizagem Dist úrbios e Dificuldades de Aprendizagem Considerações sobre o normal e o patológico Segundo Leticia Lanz: a pessoa é considerada normal quando sua conduta corresponde aos padrões e expectativas do sistema.

Leia mais

ATENDIMENTO EDUCACIONAL SALAS MULTIFUNCIONAIS

ATENDIMENTO EDUCACIONAL SALAS MULTIFUNCIONAIS ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO -AEE SALAS MULTIFUNCIONAIS LEGISLAÇÃO Considerando o Decreto 6949/2009 que promulga a convenção da ONU sobre os direitos das pessoas com deficiência, assegurando um

Leia mais

BREVE ANÁLISE DAS QUESTÕES QUE PODEM FAVORER O PROCESSO EDUCACIONAL DAS PESSOAS COM AUTISMO.

BREVE ANÁLISE DAS QUESTÕES QUE PODEM FAVORER O PROCESSO EDUCACIONAL DAS PESSOAS COM AUTISMO. BREVE ANÁLISE DAS QUESTÕES QUE PODEM FAVORER O PROCESSO EDUCACIONAL DAS PESSOAS COM AUTISMO. Introdução OLIVEIRA, Tereza Cristina Carvalho Iwamoto de 1. - UNESP Agência Financiadora: CAPES Ao falar sobre

Leia mais

A postura familiar diante do transtorno é parte decisiva tanto no processo de melhoria dos sintomas quanto da socialização de pessoas autistas

A postura familiar diante do transtorno é parte decisiva tanto no processo de melhoria dos sintomas quanto da socialização de pessoas autistas Estímulo à vida A postura familiar diante do transtorno é parte decisiva tanto no processo de melhoria dos sintomas quanto da socialização de pessoas autistas Texto: Elisângela Orlando Fotos: Pedro Vilela

Leia mais

O DIAGNÓSTICO DOS TRANSTORNOS DO ESPECTRO DO AUTISMO TEA

O DIAGNÓSTICO DOS TRANSTORNOS DO ESPECTRO DO AUTISMO TEA 1 MARIA ELISA GRANCHI FONSECA Psicóloga Mestre em Educação Especial UFSCAR TEACCH Practitioner pela University of North Carolina USA Coordenadora de Curso INFOCO FENAPAES UNIAPAE Coordenadora CEDAP APAE

Leia mais

TÍTULO: PERCEPÇÃO DE MÃES EM RELAÇÃO À INCLUSÃO ESCOLAR DE SEUS FILHOS DIAGNOSTICADOS COM AUTISMO EM ESCOLA REGULAR

TÍTULO: PERCEPÇÃO DE MÃES EM RELAÇÃO À INCLUSÃO ESCOLAR DE SEUS FILHOS DIAGNOSTICADOS COM AUTISMO EM ESCOLA REGULAR TÍTULO: PERCEPÇÃO DE MÃES EM RELAÇÃO À INCLUSÃO ESCOLAR DE SEUS FILHOS DIAGNOSTICADOS COM AUTISMO EM ESCOLA REGULAR CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PSICOLOGIA INSTITUIÇÃO:

Leia mais

Pense Autismo. A importância do diagnóstico precoce no TEA Transtorno do espectro Autista. Autor: Dr. Marcone Oliveira Médico Neuropediatra

Pense Autismo. A importância do diagnóstico precoce no TEA Transtorno do espectro Autista. Autor: Dr. Marcone Oliveira Médico Neuropediatra Pense Autismo A importância do diagnóstico precoce no TEA Transtorno do espectro Autista Autor: Dr. Marcone Oliveira Médico Neuropediatra Declaração de Responsabilidade e Conflito de Interesse O autor

Leia mais

INTERSETORIALIDADE: uma experiência clínica no acompanhamento de uma criança autista na escola

INTERSETORIALIDADE: uma experiência clínica no acompanhamento de uma criança autista na escola INTERSETORIALIDADE: uma experiência clínica no acompanhamento de uma criança autista na escola FRANÇA, Karine,Mio¹ SILVA, Ariane Cristina ¹ MARCELINO, Rosana Oliveira ¹ KARAM, Dayran ² TOMÉ, Marta Fresneda

Leia mais

Saúde psicológica na empresa

Saúde psicológica na empresa Saúde psicológica na empresa introdução Nos últimos tempos muito tem-se falado sobre qualidade de vida no trabalho, e até sobre felicidade no trabalho. Parece que esta discussão reflete a preocupação contemporânea

Leia mais

AS CONSEGUÊNCIAS DO RECONHECIMENTO TARDIO PARA O PORTADOR DA SÍNDROME DO AUTISMO.

AS CONSEGUÊNCIAS DO RECONHECIMENTO TARDIO PARA O PORTADOR DA SÍNDROME DO AUTISMO. AS CONSEGUÊNCIAS DO RECONHECIMENTO TARDIO PARA O PORTADOR DA SÍNDROME DO AUTISMO. Carina Rodrigues dos Santos Débora Bringel Pretti Fusari Ingrid BrumattiThomes Mirivan Carneiro Rios RESUMO: O autismo

Leia mais

Cadernos de. Informação. Científica. Ano 8 nº 12 2013. Síndrome do X Frágil

Cadernos de. Informação. Científica. Ano 8 nº 12 2013. Síndrome do X Frágil Cadernos de Informação Científica Ano 8 nº 12 2013 Síndrome do X Frágil C a d e r n o s d e I n f o r m a ç ã o C i e n t í f i c a definição e causas A síndrome do X frágil (SXF), também conhecida como

Leia mais

AUTISMO: CONVÍVIO ESCOLAR, UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO.

AUTISMO: CONVÍVIO ESCOLAR, UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO. AUTISMO: CONVÍVIO ESCOLAR, UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO. Anne Caroline Silva Aires- UEPB Marta Valéria Silva Araújo- UEPB Gabriela Amaral Do Nascimento- UEPB RESUMO Este trabalho tem como objetivo apresentar

Leia mais

Autismo: Os Benefícios da Interação Professor/Aluno/Família

Autismo: Os Benefícios da Interação Professor/Aluno/Família Autismo: Os Benefícios da Interação Professor/Aluno/Família Autora: Sandra Kelly Alcantara (UNITINS) * Coautora: Alexandra Magalhães Frighetto (UFMT) * Coautor: Juliano Ciebre dos Santos (FSA) * Resumo:

Leia mais

HABILIDADES SOCIAIS NA EDUCAÇÃO ESPECIAL Maria Luiza Pontes de França Freitas Universidade Federal do Rio Grande do Norte

HABILIDADES SOCIAIS NA EDUCAÇÃO ESPECIAL Maria Luiza Pontes de França Freitas Universidade Federal do Rio Grande do Norte HABILIDADES SOCIAIS NA EDUCAÇÃO ESPECIAL Maria Luiza Pontes de França Freitas Universidade Federal do Rio Grande do Norte Resumo geral: Os estudos na área das habilidades sociais no Brasil têm contemplado

Leia mais

TRANSTORNO DO AUTISTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

TRANSTORNO DO AUTISTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL FACULDADE MÉTODO DE SÃO PAULO LICENCIATURA EM PEDAGOGIA ERIKA DE SOUZA NOGUEIRA JENIFFER OLIVEIRA RODRIGUES COSTA JESSICA PRISCILLA TESLENCO MARTINS PINHEIRO TRANSTORNO DO AUTISTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Leia mais

AUTISMO E TDAH: O DESAFIO DA INCLUSÃO. Prof. Dr. Carlo Schmidt. Prof. Adjunto da CE/UFSM Depto. Educação Especial

AUTISMO E TDAH: O DESAFIO DA INCLUSÃO. Prof. Dr. Carlo Schmidt. Prof. Adjunto da CE/UFSM Depto. Educação Especial AUTISMO E TDAH: O DESAFIO DA INCLUSÃO Prof. Dr. Carlo Schmidt Prof. Adjunto da CE/UFSM Depto. Educação Especial INTRODUÇÃO Caracterização: Do que estamos falando? TDAH Autismo O que essas condições têm

Leia mais

Fonoaudiologia educacional e autismo: sem comunicação não há inclusão! Autores: PATRÍCIA BLASQUEZ OLMEDO, CÁTIA CRIVELENTI DE FIGUEIREDO WALTER,

Fonoaudiologia educacional e autismo: sem comunicação não há inclusão! Autores: PATRÍCIA BLASQUEZ OLMEDO, CÁTIA CRIVELENTI DE FIGUEIREDO WALTER, Fonoaudiologia educacional e autismo: sem comunicação não há inclusão! Autores: PATRÍCIA BLASQUEZ OLMEDO, CÁTIA CRIVELENTI DE FIGUEIREDO WALTER, Palavras-chave: Autismo, Inclusão Educacional, Barreiras

Leia mais

RESENHA DO LIVRO - INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS A Teoria na Prática Howard Gardner

RESENHA DO LIVRO - INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS A Teoria na Prática Howard Gardner RESENHA DO LIVRO - INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS A Teoria na Prática Howard Gardner Introdução Histórico Inteligência Múltipla X Educação Avaliação A Pluralidades das Inteligências INTRODUÇÃO A principal idéia

Leia mais

Pediatria do Desenvolvimento e do Comportamento. Faculdade de Ciências Médicas Prof. Orlando A. Pereira Unifenas

Pediatria do Desenvolvimento e do Comportamento. Faculdade de Ciências Médicas Prof. Orlando A. Pereira Unifenas Pediatria do Desenvolvimento e do Comportamento Faculdade de Ciências Médicas Prof. Orlando A. Pereira Unifenas Genética e Ambiente A combinação de fatores ambientais e genéticos é que determina o produto

Leia mais

SÍNDROME DE RETT: POSSIBILIDADES DE INCLUSÃO NA ESCOLA COMUM

SÍNDROME DE RETT: POSSIBILIDADES DE INCLUSÃO NA ESCOLA COMUM 147 SÍNDROME DE RETT: POSSIBILIDADES DE INCLUSÃO NA ESCOLA COMUM Rogério Drago 305 Resumo: Trata-se de um estudo teórico, que é parte da pesquisa intitulada Crianças com deficiência e transtornos globais

Leia mais

Definição e Histórico. Avaliação, Diagnóstico e Intervenção no TEA Módulo 1

Definição e Histórico. Avaliação, Diagnóstico e Intervenção no TEA Módulo 1 + Definição e Histórico Avaliação, Diagnóstico e Intervenção no TEA Módulo 1 + Autismo Nome criado por Eugen Bleuler em 1911 Dementia Praecox ou Grupo da Esquizofrenias Termo extraído dos estudos sobre

Leia mais

TRANSTORNOS PSIQUIÁTRICOS E DA PERSONALIDADE

TRANSTORNOS PSIQUIÁTRICOS E DA PERSONALIDADE 1 TRANSTORNOS PSIQUIÁTRICOS E DA PERSONALIDADE José Henrique Volpi A idéia de buscar fora da pessoa os elementos que explicassem seu comportamento e sua desenvoltura vivencial teve ênfase com as teorias

Leia mais

O que você deve saber sobre

O que você deve saber sobre O que você deve saber sobre TOC Transtorno Obsessivo Compulsivo Fênix Associação Pró-Saúde Mental 1. O que é TOC? O Transtorno Obsessivo Compulsivo é uma doença mental crônica (transtorno psiquiátrico),

Leia mais

CONHECENDO O AUTISMO NO CONTEXTO DA INCLUSÃO SOCIAL: NA FLEXIBILIDADE CURRICULAR E MÉTODOS PEDAGÓGICOS.

CONHECENDO O AUTISMO NO CONTEXTO DA INCLUSÃO SOCIAL: NA FLEXIBILIDADE CURRICULAR E MÉTODOS PEDAGÓGICOS. CONHECENDO O AUTISMO NO CONTEXTO DA INCLUSÃO SOCIAL: NA FLEXIBILIDADE CURRICULAR E MÉTODOS PEDAGÓGICOS. 1 SANTOS, C. L. S. C.; 1 GOMES, C. M. L.; 1 BARROS, V. P. H.; 2 CELINO, M. L. S.. 1 Mestrandas do

Leia mais

CAPÍTULO II: REVISÃO DE LITERATURA. 2.1 Conceito de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade

CAPÍTULO II: REVISÃO DE LITERATURA. 2.1 Conceito de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade CAPÍTULO I: INTRODUÇÃO O Transtorno de Déficit de Atenção (TDAH) pode ser definido como um transtorno neurobiológico, normalmente detectado ainda na infância. Podendo ser caracterizada pela desatenção,

Leia mais

SESSÃO SOLENE ALUSIVO AO DIA AUTISMO: MENOS PRECONCEITO E MAIS DIGNIDADE. Senhor Presidente,

SESSÃO SOLENE ALUSIVO AO DIA AUTISMO: MENOS PRECONCEITO E MAIS DIGNIDADE. Senhor Presidente, Discurso proferido pelo deputado GERALDO RESENDE (PMDB/MS), em sessão no dia 02/04/2013. SESSÃO SOLENE ALUSIVO AO DIA INTERNACIONAL DA SÍNDROME DE DOWN E AO DIA MUNDIAL DE CONSCIENTIZAÇÃO DO AUTISMO: MENOS

Leia mais

DISLEXIA: DIAGNÓSTICO E INTERVENÇÃO SOB O OLHAR DA PSICOPEDAGOGIA, FONOAUDIOLOGIA E NEUROLOGIA

DISLEXIA: DIAGNÓSTICO E INTERVENÇÃO SOB O OLHAR DA PSICOPEDAGOGIA, FONOAUDIOLOGIA E NEUROLOGIA DISLEXIA: DIAGNÓSTICO E INTERVENÇÃO SOB O OLHAR DA PSICOPEDAGOGIA, FONOAUDIOLOGIA E NEUROLOGIA Jaime Luiz Zorzi No o 8º Congresso Brasileiro de Psicopedagogia que acontecerá em São Paulo de 09 a 11 de

Leia mais

MODA INFANTIL ATUANDO NO DESENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS AUTISTAS. Fashion child acting in the development of autistic children

MODA INFANTIL ATUANDO NO DESENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS AUTISTAS. Fashion child acting in the development of autistic children MODA INFANTIL ATUANDO NO DESENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS AUTISTAS Fashion child acting in the development of autistic children Teixeira, Elisangela UTFPR elisangela.o.teixeira@gmail.com Otake, Yuri Evelin

Leia mais

PARECER DO MINISTÉRIO PÚBLICO

PARECER DO MINISTÉRIO PÚBLICO Vara da Infância e Juventude de Processo nº: 761/15 Autor: Erick Leonardo de Oliveira rep. por sua genitora Réus: Fazenda Pública do Estado de São Paulo e Município de PARECER DO MINISTÉRIO PÚBLICO Meritíssima

Leia mais

AUTORES: CASTRO, M. S.; SANTANA N. F. O.; BILMAIA R. A.

AUTORES: CASTRO, M. S.; SANTANA N. F. O.; BILMAIA R. A. TÍTULO: AS DIFICULDADES E AS COMPLEXIDADES ENCONTRADAS NA ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DENTRO DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO E O RELACIONAMENTO COM O DESENVOLVIMENTO INFANTIL RESUMO AUTORES: CASTRO, M.

Leia mais

AS CONSEQUÊNCIAS DO RECONHECIMENTO TARDIO PARA O PORTADOR DA SÍNDROME DO AUTISMO.

AS CONSEQUÊNCIAS DO RECONHECIMENTO TARDIO PARA O PORTADOR DA SÍNDROME DO AUTISMO. AS CONSEQUÊNCIAS DO RECONHECIMENTO TARDIO PARA O PORTADOR DA SÍNDROME DO AUTISMO. Carina Rodrigues dos Santos 1 Débora Bringel Pretti Fusari 2 Ingrid Brumatti Thomes 3 Mirivan Carneiro Rios 4 RESUMO: O

Leia mais

Um Bom Começo: Conhecer a Questão do Autismo

Um Bom Começo: Conhecer a Questão do Autismo Um Bom Começo: Conhecer a Questão do Autismo Conceito Incidência Causas do Autismo Manifestações mais comuns O espectro de manifestações autistas Como é feito o diagnóstico de autismo Instrumentos para

Leia mais

SÍNDROME DE ASPERGER Pontos importantes para compreender eintervir

SÍNDROME DE ASPERGER Pontos importantes para compreender eintervir SÍNDROME DE ASPERGER Pontos importantes para compreender eintervir Texto organizado pela psicóloga Ingrid Ausec (Núcleo de Acessibilidade da UEL) para subsidiar o acompanhamento de estudantes com Síndrome

Leia mais

ADOÇÃO. Aprendizagem com crianças adotadas de 8 anos na 3ª série

ADOÇÃO. Aprendizagem com crianças adotadas de 8 anos na 3ª série ADOÇÃO Aprendizagem com crianças adotadas de 8 anos na 3ª série ANA LUCIA DOS SANTOS LILIAN BOZZO ALVES TAMIRES ANTONIO FRANCISCO Prof. Ms JOSÉ MÉDICE Lins SP 2009 1 ADOÇÃO Aprendizagem com crianças adotadas

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias. A INCLUSÃO DA CRIANÇA COM SINDROME DE DOWN E SEU PROCESSO

Leia mais

ASPERGER, OU O AUTISMO LEVE

ASPERGER, OU O AUTISMO LEVE Texto de apoio ao curso de especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira ASPERGER, OU O AUTISMO LEVE Especialistas estimam que uma em cada cem crianças possa ter a síndrome,

Leia mais

TÍTULO: ANÁLISE DAS FORMAS DE TRATAMENTOS PARA O TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA (TEA)

TÍTULO: ANÁLISE DAS FORMAS DE TRATAMENTOS PARA O TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA (TEA) TÍTULO: ANÁLISE DAS FORMAS DE TRATAMENTOS PARA O TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA (TEA) CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE ANHANGUERA DE

Leia mais

A INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO. Palavras-chave: Inclusão. Pessoas com deficiência. Mercado de trabalho.

A INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO. Palavras-chave: Inclusão. Pessoas com deficiência. Mercado de trabalho. 1 A INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO Marlene das Graças de Resende 1 RESUMO Este artigo científico de revisão objetiva analisar importância do trabalho na vida das pessoas portadoras

Leia mais

II Pessoa autista a pessoa portadora de deficiência, diagnosticada com algum dos Transtornos Globais do Desenvolvimento;

II Pessoa autista a pessoa portadora de deficiência, diagnosticada com algum dos Transtornos Globais do Desenvolvimento; Sugestão da ADEFA para a Lei de Autismo Segue, na íntegra, a sugestão de texto para a Lei de Autismo, enviada pela ADEFA para o Senado, que discute o assunto para aprimorar e transformá-lo em projeto de

Leia mais

Estimulação precoce e a Terapia Ocupacional, uma união que promove o desenvolvimento psicomotor de crianças com Síndrome de Down.

Estimulação precoce e a Terapia Ocupacional, uma união que promove o desenvolvimento psicomotor de crianças com Síndrome de Down. Estimulação precoce e a Terapia Ocupacional, uma união que promove o desenvolvimento psicomotor de crianças com Síndrome de Down. Conceituando a Síndrome de Down (SD) Pedromônico; Perissinoto; Ramalho

Leia mais

Roberta Costa Caminha. Autismo: Um Transtorno de Natureza Sensorial? Dissertação de Mestrado

Roberta Costa Caminha. Autismo: Um Transtorno de Natureza Sensorial? Dissertação de Mestrado Roberta Costa Caminha Autismo: Um Transtorno de Natureza Sensorial? Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre pelo Programa de Pós-graduação

Leia mais

Transtornos de Aprendizagem

Transtornos de Aprendizagem CRDA-CENTRO DE REFERÊNCIA EM DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM Transtornos de Aprendizagem Transtornos da Aprendizagem - Avaliação Dra. Maria Fernanda C. R. de Campos Neurologia Infantil Papel da equipe multidisciplinar:

Leia mais

Comparação entre as respostas do Childhood Autism Rank Scale e do Autism Behavior Checklist de indivíduos com Transtornos do Espectro Autístico.

Comparação entre as respostas do Childhood Autism Rank Scale e do Autism Behavior Checklist de indivíduos com Transtornos do Espectro Autístico. Comparação entre as respostas do Childhood Autism Rank Scale e do Autism Behavior Checklist de indivíduos com Transtornos do Espectro Autístico. Santos, THFS; Balestro, JI; Barbosa, MRB; Amato, CAH; Fernandes,

Leia mais

Luísa Cabral 17 de Junho de 2008

Luísa Cabral 17 de Junho de 2008 SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E REABILITAÇÃO DIRECÇÃO de SERVIÇOS de EDUCAÇÃO e APOIO PSICOPEDAGÓGICO SERVIÇO TÉCNICO de APOIO PSICOPEDAGÓGICO CENTRO

Leia mais

RELAÇÃO INTERPESSOAL DE PNE (SÍNDROME DE DOWN) NA EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL (ESTUDO DE CASO)

RELAÇÃO INTERPESSOAL DE PNE (SÍNDROME DE DOWN) NA EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL (ESTUDO DE CASO) RELAÇÃO INTERPESSOAL DE PNE (SÍNDROME DE DOWN) NA EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL (ESTUDO DE CASO) HOFMANN *, Ana Paula - PUCPR aninhahofmann@gmail.com Resumo Os portadores de necessidades especiais

Leia mais

CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO GERALDO DI BIASE

CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO GERALDO DI BIASE TÍTULO: UM ESTUDO DA INCLUSÃO DE ALUNOS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE VOLTA REDONDA MEDIANTE A UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. CATEGORIA: EM ANDAMENTO

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL ÁREA DO CONHECIMENTO: Educação. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Educação Especial. OBJETIVO DO CURSO: Formar especialistas

Leia mais

INSTITUTO MARIA RANULFA LTDA FACULDADE DO TRABALHO- FATRA PROJETO INCLUSÃO NO ENSINO SUPERIOR 2015-2017

INSTITUTO MARIA RANULFA LTDA FACULDADE DO TRABALHO- FATRA PROJETO INCLUSÃO NO ENSINO SUPERIOR 2015-2017 INSTITUTO MARIA RANULFA LTDA FACULDADE DO TRABALHO- FATRA PROJETO INCLUSÃO NO ENSINO SUPERIOR 2015-2017 SUMÁRIO Sumário INTRODUÇÃO... 2 1.1. Dados da Instituição... 3 1.2. Histórico da FACULDADE DO TRABALHO...

Leia mais

Primeiro Contato Histórias reais de um mundo desconhecido 1

Primeiro Contato Histórias reais de um mundo desconhecido 1 Primeiro Contato Histórias reais de um mundo desconhecido 1 Gabriela VICENTINO 2 Ivo STANKIEWICZ 3 Kelly Cristina SILVA 4 Mylena GAMA 5 Otávio Fernando LOPES 6 José Carlos FERNANDES 7 Pontifícia Universidade

Leia mais

TÍTULO: MÉTODO DE ANALISE DO COMPORTAMENTO APLICADA (ABA) E PORTADORES DO TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA (TEA)

TÍTULO: MÉTODO DE ANALISE DO COMPORTAMENTO APLICADA (ABA) E PORTADORES DO TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA (TEA) TÍTULO: MÉTODO DE ANALISE DO COMPORTAMENTO APLICADA (ABA) E PORTADORES DO TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA (TEA) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE

Leia mais

Quem Contratar como Coach?

Quem Contratar como Coach? Quem Contratar como Coach? por Rodrigo Aranha, PCC & CMC Por diversas razões, você tomou a decisão de buscar auxílio, através de um Coach profissional, para tratar uma ou mais questões, sejam elas de caráter

Leia mais

Um pouco mais sobre desenvolvimento social e os Transtornos do Espectro Autista

Um pouco mais sobre desenvolvimento social e os Transtornos do Espectro Autista Um pouco mais sobre desenvolvimento social e os Transtornos do Espectro Autista www.infanciaeadole scencia.com.br O desenvolvimento social ocorre ao longo de todas as etapas do ciclo vital. Entretanto,

Leia mais

Autismo. Eu conheço. Eu respeito. Aprenda mais com a Casa de David sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA). para Doações: www.casadedavid.org.

Autismo. Eu conheço. Eu respeito. Aprenda mais com a Casa de David sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA). para Doações: www.casadedavid.org. www.casadedavid.org.br Sede São Paulo: Rodovia Fernão Dias, Km 82, Vila Airosa, São Paulo SP / Estrada Unidade II Atibaia: Municipal Juca Sanches, 1000, Bairro Boa Vista, Atibaia /SP E-mail: falecom@casadedavid.org.br

Leia mais

A Pedagogia Integrativa no contexto escolar

A Pedagogia Integrativa no contexto escolar A Pedagogia Integrativa no contexto escolar Cláudio Mendes Tourinho claudiotourinho@hotmail.com Universidade Estadual de Montes Claros-UNIMONTES Huagner Cardoso da Silva huagnercardoso@yahoo.com.br Universidade

Leia mais

TOC E A INTERFERÊNCIA NA VIDA SOCIAL DO PACIENTE

TOC E A INTERFERÊNCIA NA VIDA SOCIAL DO PACIENTE TOC E A INTERFERÊNCIA NA VIDA SOCIAL DO PACIENTE Laís Rosiak 1 Rebeca Bueno dos Santos ¹ Mara Regina Nieckel da Costa 2 RESUMO O presente artigo apresenta o estudo realizado sobre o Transtorno Obsessivo

Leia mais

Transtornos Mentais diagnosticados na infância ou na adolescência

Transtornos Mentais diagnosticados na infância ou na adolescência Pediatria do Desenvolvimento e do Comportamento Transtornos Mentais diagnosticados na infância ou na adolescência Faculdade de Ciências Médicas Prof. Orlando A. Pereira Unifenas Transtorno de Deficiência

Leia mais

passa por uma longa pesquisa de diagnóstico diferencial de surdez e deficiência mental, retardando ainda mais o diagnóstico do autismo.

passa por uma longa pesquisa de diagnóstico diferencial de surdez e deficiência mental, retardando ainda mais o diagnóstico do autismo. 1 O início de tudo O presente trabalho foi realizado em quatro escolas regulares de Ensino Fundamental de dois municípios da Baixada Fluminense, que serão denominados na pesquisa como município A e município

Leia mais

OS DESAFIOS DA INCLUSÃO DE ALUNOS AUTISTAS NAS ESCOLAS PÚBLICAS DA CIDADE DE PICOS

OS DESAFIOS DA INCLUSÃO DE ALUNOS AUTISTAS NAS ESCOLAS PÚBLICAS DA CIDADE DE PICOS OS DESAFIOS DA INCLUSÃO DE ALUNOS AUTISTAS NAS ESCOLAS PÚBLICAS DA CIDADE DE PICOS Autor (1); Lucas Leal Lima de Sousa; Co-autor (1) Tarciana dos Santos Pinheiro; Co-autor (2) Heryka de Moura Costa; Co-autor

Leia mais

(10). O suporte formal vindo de profissionais e dos serviços recebidos parece ter

(10). O suporte formal vindo de profissionais e dos serviços recebidos parece ter Entre todas as descrições de autismo infantil, o único ponto em que há concordância entre diversos autores é a atribuição à linguagem de um papel central em sua descrição (1). A linguagem é incluída como

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM AEE - ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM AEE - ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM AEE - ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO ÁREA DO CONHECIMENTO: Educação. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em AEE - Atendimento Educacional

Leia mais

Clinicamente o autismo é considerado uma perturbação global do desenvolvimento.

Clinicamente o autismo é considerado uma perturbação global do desenvolvimento. Autismo: Definição Causas Conceitos centrais Diagnóstico O QUE É O AUTISMO? O autismo é uma disfunção no desenvolvimento cerebral que tem origem na infância e persiste ao longo de toda a vida. Pode dar

Leia mais

TRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO DO ESPECTRO AUTISTA: A INCLUSÃO DE CRIANÇAS AUTISTAS NA REDE REGULAR DE ENSINO E A ATUAÇÃO DO PROFESSOR DE APOIO

TRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO DO ESPECTRO AUTISTA: A INCLUSÃO DE CRIANÇAS AUTISTAS NA REDE REGULAR DE ENSINO E A ATUAÇÃO DO PROFESSOR DE APOIO TRANSTORNO GLOBAL DO DESENVOLVIMENTO DO ESPECTRO AUTISTA: A INCLUSÃO DE CRIANÇAS AUTISTAS NA REDE REGULAR DE ENSINO E A ATUAÇÃO DO PROFESSOR DE APOIO Resumo Alice de Araújo Silva Mota 1 Clério Cezar Batista

Leia mais

TRABALHO PEDAGÓGICO NA PERSPECTIVA DE UMA ESCOLA INCLUSIVA. Profa. Maria Antonia Ramos de Azevedo UNESP/Rio Claro. razevedo@rc.unesp.

TRABALHO PEDAGÓGICO NA PERSPECTIVA DE UMA ESCOLA INCLUSIVA. Profa. Maria Antonia Ramos de Azevedo UNESP/Rio Claro. razevedo@rc.unesp. TRABALHO PEDAGÓGICO NA PERSPECTIVA DE UMA ESCOLA INCLUSIVA Profa. Maria Antonia Ramos de Azevedo UNESP/Rio Claro. razevedo@rc.unesp.br O que é educação inclusiva? Inclusão é um processo de aprendizagem

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO 2006 N.º Despacho PROJETO DE LEI N.º 903/2006 RECONHECE A PESSOA COM AUTISMO COMO PORTADORA DE DEFICIÊNCIA, PARA FINS DA FRUIÇÃO DOS DIREITOS ASSEGURADOS PELA LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO.

Leia mais

APLICAÇÕES DO ENSINO ESTRUTURADO COMO MÉTODO DE INCLUSÃO ESCOLAR PARA CRIANÇAS AUTISTAS EM UMA ASSOCIAÇÃO DE JOÃO PESSOA-PB

APLICAÇÕES DO ENSINO ESTRUTURADO COMO MÉTODO DE INCLUSÃO ESCOLAR PARA CRIANÇAS AUTISTAS EM UMA ASSOCIAÇÃO DE JOÃO PESSOA-PB APLICAÇÕES DO ENSINO ESTRUTURADO COMO MÉTODO DE INCLUSÃO ESCOLAR PARA CRIANÇAS AUTISTAS EM UMA ASSOCIAÇÃO DE JOÃO PESSOA-PB Cyelle Carmem Vasconcelos Pereira 1 Ceylla Fernanda Vasconcelos Pereira 2 RESUMO

Leia mais

TEA Módulo 3 Aula 2. Processo diagnóstico do TEA

TEA Módulo 3 Aula 2. Processo diagnóstico do TEA TEA Módulo 3 Aula 2 Processo diagnóstico do TEA Nos processos diagnósticos dos Transtornos do Espectro Autista temos vários caminhos aos quais devemos trilhar em harmonia e concomitantemente para que o

Leia mais

O Autismo E O Lúdico

O Autismo E O Lúdico O Autismo E O Lúdico Autora: Lucinéia Cristina da Silva (FEF) * Coautora: Alexandra Magalhães Frighetto (UFMT) * Coautor: Juliano Ciebre dos Santos (FSA) * Resumo: A apresentação desse artigo tem como

Leia mais

Falando com as coisas (Autismo)

Falando com as coisas (Autismo) Falando com as coisas (Autismo) Edson Saggese Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Psiquiatria. Doutor em Ciências da Saúde pelo IPUB/UFRJ, psiquiatra, psicanalista, professor do Instituto

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS EDUCADORES DIANTE DOS EDUCANDOS COM TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE (TDAH) RESUMO

A PERCEPÇÃO DOS EDUCADORES DIANTE DOS EDUCANDOS COM TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE (TDAH) RESUMO A PERCEPÇÃO DOS EDUCADORES DIANTE DOS EDUCANDOS COM TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE (TDAH) AUTORA: MOREIRA, I. M. RESUMO O TDAH é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas e apresenta

Leia mais

CENTRO DE REFERÊNCIA EM TRANSTORNOS DO ESPECTRO AUTISTA CREAPP

CENTRO DE REFERÊNCIA EM TRANSTORNOS DO ESPECTRO AUTISTA CREAPP CREAPP SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE SERVIÇOS DE SAÚDE CAISM PHILIPPE PINEL CENTRO DE REFERÊNCIA EM TRANSTORNOS DO ESPECTRO AUTISTA CREAPP Coordenadora: Miriam Tornero Gerente: Valdete

Leia mais

Curso de Especialização em GESTÃO EM SAÚDE MENTAL

Curso de Especialização em GESTÃO EM SAÚDE MENTAL Curso de Especialização em GESTÃO EM SAÚDE MENTAL ÁREA DO CONHECIMENTO: Saúde. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Gestão em Saúde Mental. PERFIL PROFISSIONAL: Entender

Leia mais

ADAPTAÇÃO CURRICULAR INDIVIDUALIZADA DE ALUNOS DISLÉXICOS EM ATENDIMENTO PSICOPEDAGÓGICO NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE ESTEIO/RS

ADAPTAÇÃO CURRICULAR INDIVIDUALIZADA DE ALUNOS DISLÉXICOS EM ATENDIMENTO PSICOPEDAGÓGICO NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE ESTEIO/RS 644 IV Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação PUCRS ADAPTAÇÃO CURRICULAR INDIVIDUALIZADA DE ALUNOS DISLÉXICOS EM ATENDIMENTO PSICOPEDAGÓGICO NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE ESTEIO/RS Aluna: Neuza Barbosa Michel,

Leia mais

Conselho Brasileiro para Superdotação www.conbrasd.org

Conselho Brasileiro para Superdotação www.conbrasd.org Conselho Brasileiro para Superdotação www.conbrasd.org Ofício Nº 05/2013 Ref. : Resolução CME/CEINC Nº 11, de 26/10/2011 Ao Conselho Municipal de Educação de São Leopoldo Ilma. Zaira Carina Corneli Presidenta

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA GABINETE DA DEPUTADA LUZIA TOLEDO PROJETO DE LEI Nº 157/2010

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA GABINETE DA DEPUTADA LUZIA TOLEDO PROJETO DE LEI Nº 157/2010 PROJETO DE LEI Nº 157/2010 A semana de conscientização sobre transtornos de aprendizagem, no âmbito do Estado do Espírito Santo. A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETA: Art. 1º Fica

Leia mais

THE COGNITIVE BEHAVIORAL THERAPY AND THE TREATMENT OF PSYCHOLOGICAL DISORDERS IN CHILD AND ADOLESCENTS: SOME SINGULARITY OF THERAPEUTIC PROCESS

THE COGNITIVE BEHAVIORAL THERAPY AND THE TREATMENT OF PSYCHOLOGICAL DISORDERS IN CHILD AND ADOLESCENTS: SOME SINGULARITY OF THERAPEUTIC PROCESS A TERAPIA COGNITIVO COMPORTAMENTAL E O TRATAMENTO DE TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES : ALGUMAS PECULIARIDADES DO PROCESSO TERAPÊUTICO RONDINA, Regina de Cássia. Prof. Dra., Docente

Leia mais

Mestre em Neurociência, professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pelotas. (In memoriam). Orientador da parte clínica.

Mestre em Neurociência, professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pelotas. (In memoriam). Orientador da parte clínica. WOLFF, Silvia Susana; ARRIECHE, Luana; SOUZA, Ana Teresa Garcia de. AULAS DE DANÇA PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES AUTISTAS SOB 0 OLHAR DOS PAIS Pelotas Universidade Federal de Pelotas(UFPEL). Professora

Leia mais

Telefone: (43) 3371-4148

Telefone: (43) 3371-4148 nac@uel.br www.uel.br/prograd/nac Telefone: (43) 3371-4148 Necessidades Educacionais Especiais decorrentes de Tratamento de saúde: Esquizofrenia e Educação Especial Material de apoio organizado para subsidiar

Leia mais